Você está na página 1de 202

Curso para Instrutores de Centúria (1994)

Adjunto Jaruã – Mestre Bálsamo


Primeira Aula

Salve Deus! É realmente tratar desses assuntos da Centúria com vocês é bem diferente,
porque não é somente.... Vocês terão que seguir um roteiro. Agora eu, particularmente
com vocês, já não tenho preocupação de segui-lo. Vocês terão que segui-lo, eu não.

Agora não, mudou, já não estou mais lá no Radar, eu não estou frente ao Mestre Sol e
Mestre Lua em fase de preparação. Eu estou diante de Mestres já preparados, já
Centuriões consagrados, então, muda totalmente a nossa Contagem aqui agora.

Vocês vão receber os roteiros, vão saber exatamente como se situar, vão acompanhar
cópias de Cartas em plenas condições de cópias perfeitas. E existem assuntos que vocês
vão precisar realmente estudar. Eu não acredito que um Instrutor principalmente ao
nível de um Curso como este, ele possa sentir-se em paz com o sentido do saber. Sentir
-se em paz com o sentido do saber. Eu não acredito em um instrutor de um Curso deste
nível, que ele não fique inquieto, incomodado diante de cada Aula. Não importa quantas
vezes dê qualquer uma destas aulas, é inadmissível que ele se sinta tranquilo. Porque
cada aula é um novo desafio. Tanto quanto cada Templo representa um novo desafio. E
cada ambiente também é um novo desafio.

Nós percebemos nos nossos templos, você chega num trabalho na segunda ele tem um
clima e uma série de acontecimentos e você sente um clima; você vem na terça, você
vai sentir que toda a característica é diferente! São os mesmos trabalhos: Mesa, Tronos,
Cura, Junção, três comandantes, etc., mas não é o mesmo clima, não é o mesmo
ambiente! E você não será o mesmo de ontem... Amanhã, também você não será o
mesmo!

Quando Tia Neiva alertava para uma dinâmica constante do nosso Sistema, era
justamente isso! A cada vez que se abre aquela Mesa, não são os mesmos espíritos,
portanto não é a mesma emanação, portanto não é o mesmo conjunto de impregnações,
portanto não são as mesmas as características de influências resultantes das Correntes.

Em termos de uma Centúria, cada aula, justamente por esta diversificação de ambientes
que nós temos, onde nós não somos, mas nós estamos, quer dizer, a cada dia nós somos
envolvidos por uma série de acontecimentos, e isso repercute em termos de família, em
termos de vida profissional, em termos de deslocamentos, de condição, de bolso, de
situação financeira, quer dizer, são conjuntos, são valores demais em jogo para que nós
sejamos os mesmos todos os dias.
E em relação a um curso desta natureza, que é um Curso de Consagração do Mestrado,
aí muda de figura, porque nós temos o dever de dar o sentido Evangélico, e confirmar as
lições fundamentais do sistema Iniciático.

1
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então, como é que a gente pode se sentir seguro? Como podemos nos sentir à vontade?
Começa que recebemos um conjunto de informações que vem para mente, vem
puramente para o sistema intelectual, mas para ganhar vida essas informações, elas já
dependem do nosso sistema Coronário, depende da jornada no conjunto,
amadurecimento, experiência, convivência, desenvolvimento, conflito, dor,
enfermidade, saudade, paixão, tristeza, solidão, realização, mágoa, frustração, para que
todo esse conjunto de valores que recebemos no campo intelectual, que vem para a
mente estas informações, então ela é um sistema, que para ela crescer em vida, para
ganhar calor, sentido, emanação, indução, aí então é pela vivência interior.
Então, cada aula é um novo desafio, porque além do seu clima pessoal, você também
dependerá do clima dos mestres que estarão te ouvindo, e o clima deles nunca será o
mesmo em nenhuma aula. Terá um dia, que você terá um grupo que estará desajustado e
irá representar um desafio com perguntas as vezes irônicas, bem mal colocadas, as
vezes com perguntas com o intuito de dividir.

Então é curioso, porque o Instrutor é aquele que tem que estar, custe o que custar, em
termos de uma Centúria, um passo à frente. Mas se permanecer um passo à frente será
devorado. Precisa conciliar com um passo atrás. Mas se permanecer atrás será
consumido, e não poderá ficar no meio. Então o desafio, ele é extraordinário, porque
custe o que custar, essa ideia da tolerância, de compreensão, ou os senhores
desenvolverão isso ou não terão sucesso. É um desafio! Se chegar num templo pisando
de sapato alto, se chegar por cima, fica mais fácil de derrubar até com pedrinhas de
estilingue. Terão que chegar por baixo!

Não poderão submeter, como disse o Trino Ajarã, a uma espécie de autoridade que
interfira na Contagem ou na organização natural deste curso, que consiste em sete aulas.
E o mestre ou a ninfa que participa deste curso, ele tem direito a uma falta, mas se ele
faltar duas vezes, ele é sumariamente eliminado do curso, e aí só numa outra
oportunidade, não há meio termo! Porque? Porque é uma Contagem! E esta Contagem
não vem do Nestor, esta Contagem nem vem da Tia... Esta Contagem vem de Pai João
de Enoque, o executivo espiritual desta Corrente.

Então, existe todo um conjunto de assuntos distribuídos em roteiros, que foram


programados por ele, orientando Tia, e a Tia por sua vez orientando o Trino, na época o
Trino Arakén. Agora, é uma Contagem de assuntos que precisam ser proporcionados.

Mas vai acontecer também, muitas vezes, de você ser surpreendido com um tema, que
você não terá rédeas sobre ele, e vai naturalmente perceber que terá que ficar devendo
um assunto para próxima aula, já da aula anterior. Como você pode se surpreender
desenvolvendo todos os assuntos em tempo que você nem esperava, e já se surpreender
adiantando alguns assuntos da aula que virá.

O seu desafio é não provocar, é não precipitar, mas vindo naturalmente, então você não
é o dono, você é médium, você é instrumento, você é meio. Veio porque era preciso.
Então sobretudo, é preciso que desenvolvam em seus próprios princípios, em seu
próprio íntimo, em seu próprio coração, em sua própria mente, estas informações, mas
muito além daquilo que eu falar, os senhores têm a obrigação, tem o dever, de procurar
saber um pouco mais.

2
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
É fundamental, se quiser transmitir três, quatro ou cinco, que saiba dez para se sentir um
pouco mais à vontade. Mas, saber estes dez nunca para impor um conhecimento sobre
ninguém! Porque em nossa Doutrina, em nenhuma hipótese é possível impor! Tem que
ser pela conquista.

Os senhores serão sempre visados, serão tudo, mas precisam estar conscientes que não
são nada.... Os senhores não valem nada! E os senhores precisam tomar consciência que
não valem nada, para que os senhores comecem realmente a ter importância, e somar.

Não é possível interferência nos valores, não há possibilidade de que se deixem


submeterem a valores, que transgridam aquilo que vai competir a tarefa ou a missão.
Mas os senhores também não poderão, em hipótese nenhuma, dividir, agredir!

É interessante, principalmente quando se está repleto de verdades, e chega e encontra


um ambiente onde está prevalecendo uma série de ilusões, de deformações, de
transgressões a princípios doutrinários, e você, com toda a verdade nas mãos, percebe
que não pode proporcioná-la, tem que calar a boca. E também não pode omitir, mas
também não pode falar.

Terá que falar, mas aí terá que descobrir como falar. Mas se for necessário realmente
calar, sabendo que vai dividir se falar, então é preciso, é muito mais preferível o preço
da omissão. Não importa a sua dor no coração, mas consciente de que seu silêncio é por
respeito, é por amor, é por compreensão.

E desenvolver o gabarito de esperar então a sua hora. Porque uma verdade, num
momento ou num ambiente despreparado, soa de uma maneira muito mais dolorosa,
muito mais difícil, muito mais agressiva do que qualquer silêncio. Como disse aos
senhores, eu não estou falando com os médiuns que estão me assistindo na Centúria, e
nem estou falando nem no curso ou qualquer outro curso, mas agora estou diante de
homens que, pelo que eu vi da relação ali, a maioria dos senhores aí vai assumir tarefas
que eu assumi a oito anos atrás, e sei o que significa.

Quem está falando com os senhores tem moral para falar do que está falando. Eu aqui
não estou preocupado em ser humilde, porque eu falo como Instrutor de Centúria. Não
porque estou dando o curso agora, mas porque há muito tempo foi a minha primeira
jornada nesses termos, e sei o que é chegar num Templo e começar, e daqui a pouco
você.... Tem muitas situações! São situações demais. Então é preciso, antes de saber,
também como dizer, como informar, como esclarecer. Daí então o fato dos senhores não
terem o menor direito de estacionarem dentro das informações que forem proporcionar.
Principalmente que são informações que não tem começo, tanto quanto não tem fim.

Nos termos desta Doutrina não há começo, não há fim. Existem pontos de partida e uma
Eternidade... Pontos de partida e uma Eternidade! Porque se alguém puder aqui me dizer
que sabe o que é médium eu digo que mente! Porque eu também não sei!

O que é a Doutrina do Amanhecer? Toda vez que me disponho ou que sou obrigado, ou
que sou solicitado a falar nesse tema, é um novo desafio!
Sistema Crístico. É um gigantesco desafio! E enquanto eu viver e me pedirem para falar
estes assuntos, eu sei que será um novo desafio. Então não há possibilidade de nós
estacionarmos, não há possibilidade! A cada dia, nesta condição, um novo desafio.

3
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Observemos mesmo o roteiro da Primeira Aula.
Primeiro item: O QUE É A DOUTRINA DO AMANHECER.
Segundo item: MÉDIUM, MEDIUNIDADE, MEDIUNISMO, MEDIUNIZAÇÃO.
Terceiro item: INDIVIDUALIDADE E PERSONALIDADE.
Quarto item: FILOSOFIA CRISTÃ E SISTEMA CRÍSTICO.

Só neste quarto item e nesse terceiro item, está contido um segredo que a Teologia
busca descortinar em toda a sua existência, e até hoje não encontrou uma resposta. E ela
é transmitida na Centúria para homens que não tem essa cultura formal do planeta,
porque os valores não são intelectuais, como sabemos, são aspectos de transcendência,
estão contidos é no espírito, vêm pelo espírito, para o espírito, do espírito.

Então, como dizer que sei? Muitas vezes são temas extremamente sutis, finos. Às vezes
inclusive, temas perigosos, onde se você não souber transmitir, você dá a impressão de
estar agredindo.

Filosofia Cristã, por exemplo, dentro de sua temática. Se não há um carinho, se você
não busca desenvolver, pensar, vibrar, buscar, mas sobretudo na hora de dar a sua aula,
não estar preocupado. É fundamental estar descontraído, é fundamental a sintonia com
quem te rege, e deixar que se flua, não provocar o assunto. Porque a gente pode correr o
risco de conduzir uma aula puramente mental, e ela perde o sentido, ela perde a
emanação, você perde o contato, perde a sintonia. E é extremamente fundamental a
sintonia com quem te rege. E quem te rege? Nem tenham a ousadia de saber porque
nem um aqui sabe, e numa aula como essa, de Centúria, nem saberá. Você poderá,
muitas vezes, o Ministro Ajarã estar te assistindo, poderá ser Mãe Yara, poderá ser Pai
João, poderá ser Pai Zé Pedro, poderá ser Amanto, poderá ser Umahã!

Porque isso, eu fui surpreendido por Tia várias vezes, eu dizia:


“ - Tia, foi uma característica diferente".

E ela citava um nome que eu jamais esperava. Dei o curso em Pirapora, e parece que
três ou quatro aulas foi Mãe Yara. Eu nunca pude imaginar! Repentinamente cheguei de
Barreiras:
“- Tia, houve umas características curiosas, pacientes incorporados...”
“- É Amanto. Amanto estava com você a viagem inteirinha."
“- Tia, Amanto?”
“- Amanto!”

Então, é fundamental uma abertura, uma descontração, uma harmonização, uma sintonia
perfeita, formar ambientes. Porque o nosso sucesso depende fundamentalmente do
nosso ambiente. Esse ambiente é emanação, é sintonia.

Um dos aspectos mais fundamentais do Instrutor, é o gabarito de dizer não sei, quando
surge uma pergunta da qual realmente não saiba a resposta. E ter a honestidade de dizer:
“- Não sei mas vou procurar saber.”

Mas também saber, quando uma pergunta é desnecessária, também saber descartar de
forma elegante, e não agredir. Salve Deus!

4
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Como a Doutrina do Amanhecer, por exemplo. O Que é a Doutrina? Eu lembro que seu
Mário sempre sintetizava com essa expressão:
“ – A Doutrina do Amanhecer é uma Doutrina Universal com base no Sistema
Crístico.".

Eu sempre adotei também. O Nestor já definiu um outro estilo de palavras, de


expressão, mas sempre sintetizado nisso, muito bem colocado.

Doutrina do Amanhecer, que hoje sabemos, é a mesma Doutrina de Jesus. A mesma


Doutrina de Jesus com uma diferença que ela é adequada na linguagem, ela é atualizada
a linguagem, ela é atualizada na linguagem para o entendimento do Ciclo do Homem
atual. Mas os seus princípios estão contidos na síntese dessa mesma Doutrina de Jesus,
que é HUMILDADE, TOLERANCIA e AMOR.

Mas hoje, nós já não podemos somente nos fixar em dizer: AMOR, HUMILDADE e
TOLERÂNCIA, nós já precisamos ter inclusive uma ordem para transmitir. Já temos de
esclarecer que é HUMILDADE de tratamento. Já precisamos complementar que esta
TOLERANCIA é de compreensão. Nós precisamos dar o sentido. As mentes já exigem
isso e nós precisamos estar coerentes com essas exigências. Há sede, há fome de saber,
e nós percebemos o quanto o tempo está curto.

A cada dia que se passa mais está prevalecendo a insegurança das vidas. As
repercussões da violência nos jornais, nos noticiários, as repercussões das revistas, as
repercussões do vizinho. Do nosso próprio lar, dos vizinhos logo dali, da nossa cidade,
da cidade um pouco ali, do estado, do país que vivemos, das nações do mundo.

Nós não estamos caminhando para melhor em termos de planeta. Nós estamos
caminhando para pior em termos do planeta! Daí então a nossa existência. É curioso que
nós estamos com gente demais se afogando nos problemas, sendo que a nossa condição
é o inverso! Nós somos um grupo preparado não para a recusa de problemas, para nos
ocultar de problemas, para nos afastar de problemas, ou nos proteger de problemas,
como fazem todos os demais. Nós somos um grupo que se desenvolve para a superação
de seus próprios problemas, e para auxiliar o próximo a superação também de seus
problemas.

Em síntese: somos o único grupo na Terra que se prepara para marchar de encontro ao
problema, para manipular o problema, para superar o problema, não para ser sufocado
por ele. Nós somos a última esperança!

Pai Seta Branca afirmou muito claro, já no período da Elevação:


“- Cada espada que se ergue, é mais uma esperança para deter a ira dos Cavaleiros..."

Não é? Pois é! É o gabarito! É o gabarito que se espera contido na Herança do Espírito


Espartano, hoje transferida na Contagem desta Centúria que os senhores vão
proporcionar.

Seus mestres serão consagrados na Força Transcendental de Esparta. Isso eu estou


dizendo para os senhores, não é para os senhores dizerem para eles. Isso ainda não
compete a eles, mas já passa a competir aos senhores. Todas as nossas Consagrações

5
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
atuais são fundadas em Heranças. Se não houvesse respaldo na transcendência, não
teríamos possibilidade no presente. Salve Deus!

Em síntese, tudo que nos assegura no presente, daquilo que dispomos, daquilo que
recebemos e podemos conquistar, está contido em nosso passado. Agora, compete em
nosso presente sim, o nosso futuro. Mas no presente o que dispomos é o passado que
depende de entendimento, de compreensão, do equilíbrio da mente, da harmonia dos
sentimentos.

DOUTRINA DO AMANHECER.
Doutrina Universal. Porque? Porque o conjunto de ensinamentos não é um conjunto de
ensinamentos privativos a religiões ou seitas, mas é um conjunto de ensinamento
universal para aplicação de todas as vidas do planeta. É um conjunto de ensinamentos
que vem em função de todas as vidas do planeta!

Jesus, Ele é responsável por este ciclo de dois mil anos que vivemos. Para a Sua vinda,
foi reatualizado todo um Sistema Espiritual de relação com a Terra, para proporcionar a
todas as vidas do planeta, a mesma possibilidade evolutiva. A mesma possibilidade
evolutiva. No livre arbítrio! Então, como o sol que brilha todos os dias sobre justos e
injustos, negros e brancos, analfabetos, intelectuais, etc., veio então o Sistema Crístico.
Jesus foi na Terra o Verbo Manifesto... Jesus foi o Verbo Manifesto! Salve Deus!

Mestres, Universal. Por não ser um conjunto de ideias, mas um conjunto de informações
para aplicação diária, direta, Jesus foi o PONTÍFICE dos PONTÍFICES. O que é um
pontífice? Um Pontífice é um construtor de pontes. Que ponte? É a ponte que
proporciona ao indivíduo, ao encontrá-Lo, caminhar de sua personalidade transitória
para sua individualidade transcendental. Daí então o fato de Jesus ter sido o
PONTÍFICE dos PONTÍFICES. Ele, foi o Construtor da Ponte das Pontes, a PONTE
ÚNICA.

A partir do momento que um Espírito retorna para a Terra, devido aos problemas que
ele contraiu em outras, que foram predominantemente causados por intolerância,
incompreensão, foi por desamor, naturalmente, o único sistema que o conduzirá será a
outra face, será o outro aspecto da manipulação! Ele se perdeu por um posicionamento
inverso, então vem a outra face: é TOLERANCIA, é HUMILDADE, é AMOR.

Então não falamos num conjunto de ideias religiosas, nós falamos numa ciência, na
mais preciosa ciência. Porque? Porque ela é em função do ressarcimento de vidas que se
perderam, que se desvirtuaram, que se distanciaram, e que para se reencontrarem, para
reconquistarem a possibilidade de voltar para onde, não tem saída, teremos que voltar,
só existe um caminho, e ele está contido nesta ciência chamada Doutrina de Jesus, ou
Doutrina do Amanhecer.

Nós concebemos esta Doutrina, tão relustrada, ressurgida de maneira clara, porque
alguém que enxergava nos mostrou, que tinha luz nos olhos, nos fez ver. Porque
nenhum cego conduz outro cego. Precisava de alguém que visse, alguém que enxergasse
para nos mostrar, então veio nossa Mãe.

Hoje começamos a divisar porque ela deixou essa Luz! Nenhum cego conduz outro
cego! Mas ela não é privativa nossa, esta Doutrina é Universal. Se eles lá, fora dos

6
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
portões, tivessem entendido, ela estaria, como está sendo aplicada, aqui e lá! Mas não
está, justamente por se perderem. Porque se perderam? Porque caíram nas Filosofias, se
envolveram em inseguranças. Vejam bem que agora o quanto se entra num assunto que
é perigoso. Já é um assunto perigoso, mas que precisa ser entendido para que deixe de
ser perigoso. É perigoso enquanto falo, enquanto não é entendido, e mesmo entendido
ainda é perigoso. Este assunto precisa ser compreendido, assimilado para que venha
(...).

Onde nós deixamos muito claro a nossa diferença ser pelo Sistema e não pela Filosofia.
Afirmamos que toda a nossa estrutura ela não é resultado de influência humana. Ela não
é resultado de insegurança de grupos, que em seus momentos de insegurança social,
política ou financeira, comecem a injetar novidades para se manter, para conquistar
adeptos. Porque esse foi o grande mal das religiões. Começaram as preocupações
sociais e políticas, e com isso começaram a criar maneiras de angariar adeptos, de fazer
progredi-los, de se assegurarem financeiramente, de aumentarem o gabarito de captação
de recursos financeiros para se expandirem, e devagarzinho, começaram a se perder da
“alimentação vertical” e começaram somente a passar para a “alimentação horizontal”.
E naturalmente foram se perdendo dos princípios da Individualidade, e cada vez mais
vivendo unicamente a Personalidade, que é transitória, transformista, temporária e
perecível. E não há argumento! Não existe argumento entre o eterno e o provisório. Não
existe argumento entre o eterno e o provisório. Não há possibilidade. E principalmente
no sacerdócio que se diz representante do pontífice dos pontífices, o Verbo Manifesto.
Porque Jesus foi o Sistema Encarnado, a expressão viva da verdade. Então não há saída,
não há meio termo! Custe o que custar é preciso fazer o bem e evitar o mal. É preciso,
custe o que custar, respeitar o livre arbítrio. É preciso, custe o que custar, perdoar
setenta vezes sete vezes. É dificílimo!

Porque eternamente? Porque é eterno o Espírito, então não há tempo, não se pode
estabelecer limites para o perdão. A vida é eterna, então tem que ser eterna a disposição
de perdoar! Porque uma vida, com o tempo, nunca há de ser menos importante, ela tem
a importância da própria Eternidade do qual ela faz parte. Daí setenta vezes sete vezes.
Não há como impor condições! Ninguém tem o direito de exigir que o outro seja à sua
ideia, à sua concepção, porque somos individualidades.

Então, Jesus também é o símbolo máximo da “porta estreita” também, porque? Porque
se a gente pegar a própria natureza psíquica que temos, a natureza do planeta, a força da
Terra, e como somos muito mais propensos a preguiça, ao relapso, a displicência, ao
comodismo, a exigir do próximo ao invés de exigir de nós mesmos, cada dia que se
passa, quanto mais ficamos convenientes, mais distantes ficamos da realidade chamada
Jesus!
“ – Eu não vim trazer a paz, mas a espada!"

Porque? Isso chocou muito a Teologia, até que ela encontrasse uma desculpa para se
justificar com a espada do qual Jesus se referiu:
" – Vim para dividir os irmãos.... Vim para dividir marido e mulher..."

Quer dizer, foi um absurdo, sair isso de Jesus!


" – Esses são meus irmãos."

Para própria Mãe, Maria:

7
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
" – Esses são meus irmãos."

Quer dizer, Ele recusou a atendê-La. Mas Ele fez o possível para afirmar, para
confirmar uma condição que transcendesse o aspecto aparente da importância. Que os
Espíritos acordassem, despertassem para a importância da transcendência, para a
realidade no Espírito, para a realidade do Espírito.

Nós somos muito propensos a criar uma ideia de uma realidade, ou partirmos em busca
de um conjunto de valores que nos faz bem na Terra:
" – Ah não, eu quero que Deus me ajuda, porque eu quero isso...”
“- Não, eu gostaria que Deus...”
“- Eu vou trabalhar lá no Vale, porque eu quero que Deus me ajuda, para que eu tenha
aquilo..."

Mas nunca o indivíduo para e pensa:


" – Jesus! Pai Seta Branca! Oh Tia Neiva! Oh minha Princesa! Oh, Janaína! Me ajuda
a encontrar condições de caminhar de encontro ao que me pertence."

Nós temos já o hábito nativo na Terra de fazermos imagens, de criarmos quadros


mentais, de distanciarmos de nossa realidade, do nosso princípio. Nós temos muito mais
hábito de viver a vida dos outros, do que viver a nossa própria vida.

Imaginemos que já estamos completando dois mil anos no Ciclo da Era do Amor e do
Perdão implantada por Jesus, e vejam as dificuldades da humanidade. Imaginemos,
então, os homens neste planeta, nós neste planeta, anterior a esta mensagem de Jesus! A
violência das mentes!

E observemos que o Pai já alertou inclusive numa de suas mensagens, que se não
houver interferência de Capela, o ser humano irá atingir uma extrema proporção
desumana! Isso me bateu na cabeça muito tempo. O Pai falou em perder a forma
humana! Está por escrito, na mensagem! O que é perder a forma humana? Três braços?
Duas cabeças? Cinco pés? Quinze dedos? Não! Estamos marchando para uma distância
tão grande do princípio real que nos trouxe para o planeta, o homem está vivendo tanto
o conjunto puramente animal, nem o conjunto mais humano! Porque é humano!
Humano, nós precisamos entender o que é ser humano e o que é ser homem!

Pai João de Enoque, em agosto de 1975, ele deu uma síntese extremamente curiosa.
“ - O que é ser humano?"
“- Ser humano é o conjunto corpo e alma."
“ – Mas Pai João, então para um espírito como o Senhor, quer dizer, o que é o
homem?"
“ – O homem meu filho, é o corpo e alma e o espírito. É aquele que tem consciência de
si mesmo, tem noção de Transcendência, este é o homem..."

O ser humano só vive os valores do corpo e os valores da alma. Ele só está preocupado
com os valores imediatistas, ele não tem preocupações com a transcendência, ele não se
preocupa com a vida depois desta vida. Ele é mesquinho demais pra tirar algo para o seu
irmão, ele é mesquinho demais pra tirar um minuto de atenção pra alguém, porque quem
quer atenção é ele.

8
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Ele é totalmente impossibilitado de perceber a importância de tentar compreender o seu
próximo, na ânsia de buscar ser compreendido e de exigir a compreensão dos demais
em torno de si mesmo. Ele nunca está predisposto a ceder em função de alguém, em
ceder por respeito, senão, se impossível, por Amor. Ele nunca cede, é egoísta demais
para ceder é egoísta demais para dar, para se dispor a proporcionar. Tudo dele gira em
torno de si mesmo, para si mesmo, nunca para um próximo. Não importa o próximo! O
próximo não existe, a não ser que atenda a sua conveniência. Então esse é o ser humano,
puramente humano, sem transcendência. Que anula a perspectiva do seu próprio
espírito, que se distancia a um ponto de perder-se do caminho... Salve Deus!

É, é muito sério!

(Trino Ajarã)
“Eu vou até escrever esse curso.”

(Mestre Bálsamo)
É interessante viu Beto, porque...

(Trino Ajarã)
Está saindo coisas (...)

(Mestre Bálsamo)
Eu posso falar, em nome de Jesus, pela expressão de estar aqui representando. Claro,
jamais tentando me equiparar a quem quer que seja, longe disso! Eu nunca teria gabarito
para isso. Mas, em Cristo Jesus, eu estou me sentido extremamente pouco à vontade. É
um testemunho vivo do que eu transmito para os senhores. Preocupado. À vontade pelo
que vocês refletem para mim, à vontade pela segurança da missão, porque homens
como vocês, todos aqui são atolados de responsabilidades como todos os seres comuns,
e imagino o prejuízo de alguns aqui, em termos familiares, em termos financeiros, em
termos de mil coisas para estar aqui, quer dizer, isto não é à toa, isso é um investimento,
isso é muita responsabilidade.

(Trino Ajarã)
Para efeito de registro, tem um aqui que deixou de ir para pousada, até deixou de fazer
essa Consagração, para fazer esse Curso, não é Cláudio?

(Mestre Bálsamo)
Pois é, e eu fico aqui preocupado, porque tem horas que eu me pergunto por dentro:
"Meu Pai, socorro!"

Toda hora eu estou aqui por dentro:


"Meu Pai, socorro! Me dá segurança, a abertura, a percepção mental de transmitir
pelo menos o necessário".

Porque é claro, observem aí que eu não estou transmitindo de maneira de torná-los ou


induzi-los para serem robôs. Não! Estou falando livre, a vontade, para que dentro desses
valores, os senhores vão ter, são as sementes, cultivá-las, então cada um terá a sua
linguagem. É impossível exigir:
" – Você tem que falar como eu estou dizendo"

9
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Não! É impossível isso! Já é uma imposição, já é uma transgressão, não é? Cada um é
único! Uma maneira de receber, de desenvolver, e vai ser uma maneira cada um
diferente de falar. Será sempre a mesma verdade. Precisa ser sempre! Porque a verdade
é única, não importa em que língua, mas é claro que ela tem uma maneira toda especial
de ser falada por cada um, porque ninguém é igual. Ela é em si a mesma, mas ninguém
é a mesma coisa. Então, busco falar da maneira mais ampla possível no sentido desses
conhecimentos. Salve Deus!
Então, essa é a Doutrina do Amanhecer. É isso e muito mais! Hoje meus mestres, nós
temos no Vale a síntese do mundo! Tia Neiva foi uma pessoa que eu acredito, se já a
partir dos nossos filhos, dos nossos netos, já é possível esperar já essa mentalidade que
foi já cantada em verso e prosa pelos Profetas e Profetisas e que nossa Mãe confirmava,
que será a Evolução do Terceiro Milênio, quer dizer, um mundo muito mais de
compreensão, de mais entendimento. E se já começar esse ciclo de vivência através de
nossos filhos, então possivelmente Tia Neiva venha a ser conhecida, eu calculo, dentro
de quinhentos anos. Talvez nos próximos quinhentos anos ela comece a ser descoberta
pela humanidade, mas não será breve, não será breve...

Observemos que um dos principais discípulos de Pítia foi Sócrates. A filosofia


socrática-platônica levou dois mil anos para ser descoberta. Jesus até hoje é o mais
ilustre desconhecido do planeta, embora o espírito mais falado, é o mais desconhecido.

O sentido dos Oráculos nunca foi revelado, a não ser por pequenos grupos, grupos
secretos, mas que também vivem seus conflitos, por não entenderem uma
transcendência dessas razões.

E tudo isso está contido aqui, naquela senhora, não é? Simples, motorista de caminhão,
brejeira e tal. Tudo está contido nela, não é? Muito claro quando ela diz:
“ – No descortinar desta visão, sinto renascer o Espírito da Verdade..."

Na mesma segurança de Jesus, diante de Pilatos, quando disse:


“ – Eu não vim a este mundo, senão para dar testemunho da Verdade..."

Ela, a mesma Verdade, só que dentro de uma dinâmica, onde uma cultura científica veio
acompanhando, já que o propósito básico desta tribo é o de atender na Cura
Desobsessiva, quer dizer, é a ação direta do sacerdócio, é um sacerdócio em ação direta
para a Cura Desobsessiva.

Não é um sacerdócio de aspecto filosófico ou de cultura escrita, como por exemplo o


Chico, um grandioso iniciado, um grandioso médium, mas numa linha totalmente
diversificada dessa nossa linha. É de uma cultura exposta onde a linha, a letra é
instrumento do Verbo para o despertamento da consciência.

E o nosso Sistema não! Não é o Sistema da Filosofia! É o verbo manifesto em ação


direta, atingindo a causa para a repercussão do efeito. Uma estrutura científica de
recepção, manipulação e emissão de energias de maneira direta! Direta, no plexo, direta,
consciente, direta, direta, para efeito imediato. Cobrador e cobrado, perseguidor e
perseguido.

10
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Não se idealiza, não se cria tecnologias filosóficas, não há discussões filosóficas, não se
senta para discutir os assuntos. Não! É um grupo que dispõe de toda uma infraestrutura
de mecanismos já predispostos, precisos!

O paciente chega, não há como ser ao contrário! Tronos, desobsessão e comunicação.


Quem decide? A Entidade decide. Claro, é impossível elementos físicos conscientes
decidirem. Só pela clarividência! Então a Entidade de posse:
“Nome e idade...”

Então, tem imediatamente o acesso ao quadro espiritual. Passa a ter noção do que pode
ser feito, do que deve ser feito, respeitando a lei e os princípios, e aí indica:
“- Passa nesse, ou naquele...”

Já tem outra vez que esse paciente vem e a entidade, verificando o quadro, ele já
percebe:
“- Não, esse, esse e aquele....

Ou passa em todos os trabalhos. Já repentinamente a entidade:


“- Tudo bem, já pode ir embora...”

Porque? Porque são as leis, cobranças, então é muito preciso! Por ser Crístico, por ser
regido realmente por Leis Divinas, então não há meio termo, não pode haver
interferência, não pode haver transgressão, porque tão importante quanto o cobrado,
também é o cobrador, tão importante quanto o perseguido, também o perseguidor.

Não há separação, não existem seres melhores ou piores, todos são iguais. A
oportunidade é igual para todos. E essa é a diferença do Sistema Crístico! Ela não
estabelece ou divide os seres, mas ela é em função de todos os seres. Ela se manifesta,
não por interferência humana, mas por decisão divina. Ela não tem nada do que se
buscou em subterfúgios para se conduzir. Ela é original em sua essência. Ela não é
política. É impossível tocá-la, influenciá-la, tocá-la com influencias, alterá-la em seus
princípios. Não! Ela é intrínseca ao eterno, ela é a verdade, ela é a realidade.

Então, não há como criar ilusões em sua essência, em sua condição. E nós, graças a
Deus, somos um grupo que dispomos de todo esse sistema. Não há interferência
humana, não há filosofias partindo de concepções humanas, de homens buscando, como
aconteceu, infelizmente, com tantas outras. Salve Deus!

Até hoje o conceito de mediunidade lá fora, ele é extremamente restrito, e é


condicionado pelo nível do que foi alcançado pelas percepções psíquicas. Até hoje
como médium, dentro do conceito tradicional, do espiritismo tradicional, seja ele
umbanda, seja ele kardecista ou outros, restringe-se como médium quem apresenta
características excepcionais. Paralelo ao próprio conceito da Parapsicologia, que
restringe como médium quem apresenta características paranormais, ou seja,
características que ultrapassem os limites da normalidade.

Foi necessário que alguém juramentado, que entregou os olhos a Jesus viesse, e
alertasse que médium é todo ser humano, porque é impossível estar encarnado na Terra
sem ser médium! Porque? Porque esta energia, ela é responsável por toda a estrutura
orgânica do ser humano encarnado. Muito além da própria responsabilidade da

11
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
distribuição deste organismo físico, está nela, contido nela, a única possibilidade de
contato com o mundo espiritual, com o carma, com o transcendente construtivo, com o
transcendente que divide, com o transcendente que se traduz por enfermidade, com o
transcendente que se traduz em qualquer tipo de sentimento, com a possibilidade de
contato com os mentores individuais. A única possibilidade de contato com o fator
espiritual ou transcendente é pela mediunidade. É esse plasma que favorece ao contato.

E ele é tão importante, que a partir do momento, principalmente da saída do útero, toda
a estrutura do desenvolvimento compete a ele, porque a base até das energias que vem,
para a alimentação de toda a estrutura orgânica do corpo, depende do ectoplasma.
A preocupação de Tia Neiva com os jovens e adolescentes separados dos adultos, da
estrutura dos adultos, era justamente pela sutileza do campo magnético da criança,
principalmente em sua fase de adolescência, é quando ele mais necessita desta energia
para o seu desenvolvimento.

A estrutura cérebro-espinhal conduz toda esta estrutura, está contida na energia


mediúnica. Ela é responsável por toda a distribuição orgânica, porque a sua herança, seu
charme, essa energia mediúnica é a base de manifestação desta condição também. A
estrutura óssea, crescimento, altura, peso, padrão...

E envolve-los, correr o risco de envolve-los com desajustados, com desequilibrados,


com pessoas portadoras de muitas correntes, naturalmente, dependendo das correntes,
ele é "sugado" um pouco além do que deveria, e esta energia que iria atrair para os
desajustados, ela seria fundamental para o seu desenvolvimento pessoal. Ele ainda não
atingiu o limite, a energia está francamente em evolução para o seu quadro pessoal,
onde ele não poderia dispor além dos limites que ele necessita. Salvo quando, casos
excepcionais, em que esse jovem ou adolescente, por circunstâncias cármicas, então não
seria um quadro natural, onde há a avaliação, sob a avaliação de responsáveis, então ele
seria encaminhado dentro do quadro compatível.

Então, ele não é aberto a todos, como o Desenvolvimento do adulto, mas somente a
casos excepcionais, que apresentem características, onde depois de esgotados todos os
recursos de atendimento no sistema que dispomos, extrapolando a possibilidade destes
recursos favorecê-lo, auxiliá-lo, corresponder, então sim, o Desenvolvimento
compatível, de acordo com a manifestação natural do que ele próprio se apresenta. Já
que ninguém impõe, já que ninguém tem condições de dizer o que ele é, ou o que ele
tem, mas acompanhá-lo e aprender com ele o que fazer por ele. Salve Deus!

MEDIUNIDADE.
Ainda está muito restrita a ideia de mediunidade, muito restrita. Vejamos que Tia Neiva,
numa das Cartas, eu diria que em termos de expressão assim, que é uma Carta de março
de 1979, quando ela fala o que é o Apará, ela chega a um ponto que ela vai
"destrinchando" sobre o Apará, e ela fala:
“ – Isto é até onde vai a minha pobre analogia...”.

Com todo o potencial de recursos da mediunidade que ela dispunha, ela se viu,
repentinamente dentro de um limite, onde ela estabelecendo, na sua própria percepção,
percebeu que era "pobre" para ir além.

12
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Vejamos então o Doutrinador como novidade, porque a mais evidente novidade deste
planeta é o Doutrinador. O Apará se torna a segunda mais evidente novidade, porque
contido em nossos Aparás atuais está aquele antigo médium de incorporação que hoje
não existe mais. Salve Deus!

Falar que nossos Aparás são médiuns de incorporação é um crime! E nós vamos falar
sobre isso, já é preciso começar a deixar isto claro. Porque o Apará, tanto quanto o
Doutrinador, nasceu também do seio de nossa Mãe Clarividente. Mas nós vamos
precisar explicar isso, precisar explicar isso no decorrer dos nossos encontros, para que
o Instrutor ajude a amenizar grande parte dos conflitos do Apará, principalmente aonde
está contida a sua maior vantagem, que por sua vez é seu maior conflito, que é a sua
consciência. Salve Deus!

Mestres, para justificarmos realmente a diferença fundamental entre Filosofia Cristã e


Sistema Crístico, é preciso realmente entender, primeiro, o que é personalidade
transitória e o que é individualidade transcendental.

O que eu estou sendo agora, quer dizer, eu vim, encarnei, eu sou o Bálsamo, então esse
sou eu agora, esse Bálsamo transitório, transformista e temporário, um espírito que luta
para tentar encontrar condições de superar o carma, de manipular esse carma, de burilar
a personalidade, superar as fraquezas do caráter, progredir a minha relação com uma
realidade. Porque é curioso, quando a gente fala evolução, a gente pensa em uma coisa
irreal, sendo que a evolução é justamente o caminho para a realidade do próprio espírito.
Não é uma coisa fantástica ou coisa de santo. Mas, observem que ainda há associação
de ser alguém equilibrado, harmonizado, ter amor, é a ideia de alguém excepcional,
sendo que na grande realidade, é alguém natural. Alguém que ama proporcional à
Tolerância, à Humildade, ao Amor, é proporcional à normalidade, a naturalidade, ao
que precisa ser.

Mas vejam que o conceito ainda é de anormalidade! É muito mais, tanto quanto alguém
desajustado, desequilibrado e que odeia é considerado desajustado, é também passível
de ser encarado como desajustado quem ama, quem tem tolerância e quem tem
humildade! Pelos próprios padrões naturais da vida que vivemos no planeta atual.
Perfeito?

São dois extremos, tanto o ódio quanto o amor. Sendo que nós então vivemos do que?
Nós vivemos no meio termo, concordam? Nós somos maus? Não! Nós somos bons?
Não! Nós estamos precisando definir isso também...

Uma das primeiras lições de Mestre Umahã foi muito clara:


“ – Fia, se fizeres o mal se destruirás, se fizeres o bem crescerás como a rama
selvagem. Não há meio termo, custe o que custar é preciso fazer o bem e evitar o mal..."

Carta “Minhas Palestras com Umahã”, maio de 1960. Uma das primeiras lições de
Mestre Umahã, taxativamente, clara, porque na condição de um Iniciado, na vida de um
Iniciado, que ele não seja! Não, não se exige na realidade que seja. Mas alerta, para que
não deixe de continuar insistindo nos termos desses valores. Salve Deus!

INDIVIDUALIDADE TRANSCENDENTAL.

13
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Está contida neste Espírito que hoje está se utilizando desta carcaça, deste veículo que é
o corpo, para essa encarnação natural, que amanhã morre este corpo, ele perde a vida
com a saída do meu Espírito, ele será enterrado e irá ser consumido, será destruído, irá
se acabar. Mas este Espírito não, ele permanece. E tantas quantas vezes que tenha que
voltar será sempre o mesmo esse Espírito, e nele estará sempre contida a razão, porque
ele é Eterno, mas o corpo não.

E sempre será em razão do burilamento desta alma. E porque desta alma? Porque nesta
alma está contido o psíquico, o fator psíquico, o psiquismo, o pensamento e os
sentimentos. Mas esta alma é intrínseca ao meu espírito, ela também não morre, é o
sentido do que sente, é a sede do pensamento e do sentimento.

Então, aonde eu devo cuidar? Nunca mentalmente, nunca espírito, nunca mente...
Nós vamos, esse conceito, egocentrismo, nós vamos falar nele talvez na terceira aula, eu
até quero, nós vamos falar sobre ele, mas ainda não. Eu no momento estou além dele,
para depois voltar nele.

Porque o ego, como comumente se utiliza dentro de uma psicanálise, dessa ciência de
tratados naturais, ela está contida fundamentalmente no fator psíquico, falamos no
centro do querer do indivíduo, de suas angústias, de suas frustrações, de suas
inseguranças.

Então falamos no que? Mas você tem sempre que associar com egocentrismo, então é
com um mundo de problemas, ou com um grupo de busca. Mas vejam bem que ela está
sempre associada mais ao aspecto transitório, nunca há uma relação quando se fala em
ego, dos valores do eterno, do valor da transcendência, do valor Jesus, perfeito?

Eu não estou preocupado com o problema do jaguar, eu estou preocupado que a gente
entenda o que é a Doutrina, então depois nós vamos... Salve Deus!

Mas Mestres, Doutrina do Amanhecer, né João? A Doutrina do Amanhecer... Alguém


dos senhores tem alguma pergunta para fazer sobre a Doutrina do Amanhecer?

Vejam que é difícil fazer até uma pergunta. Eu esperava realmente o silêncio, você não
encontra condições de se compor de maneira tão rápida, para perguntar depois de uma
exposição. E você sente também o quanto existe para saber, tanto quanto pra se dizer,
mas você não se compõe nem pra perguntar, porque se algum dos senhores me fizessem
essa mesma pergunta, eu ia ficar calado!

FILOSOFIA CRISTÃ e SISTEMA CRÍSTICO.


Alguma pergunta? Se algum de vocês me fizessem esta pergunta, eu também ficaria
calado.

Personalidade Transitória e Individualidade Transcendental.


Alguma pergunta? Talvez eu fizesse a mesma coisa. Fica claro, fica claramente
demonstrado o quanto é profundo, e o quanto a gente não sabe. Porque vejam bem, de
tudo que falamos, nós desconfiamos, não nos asseguramos... embora tenhamos certeza.
Salve Deus!
Este sistema, a sua realidade se opera no íntimo. Então por que é que realmente depende
o nosso sucesso como Instrutores? Esse ambiente, onde não estaremos sendo muito

14
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
mais do que médiuns, estimulando aqueles que estiverem assistindo a aula, que criem
um ambiente interior, na mediunidade, através da harmonia e do equilíbrio, para que
flua enquanto falamos, o mínimo que conseguirmos, para que se opere realmente esse
sentido que dá segurança de vir, de estar aqui, de caminharmos, partir em viagens
direto, de eu estar aqui, de nós estarmos aqui.

Porque muito além da informação intelectual, ou do "saber", é o que sentimos, é a


segurança que já temos aqui. Ou os senhores querem me garantir que noventa e nove
por cento desse povão que se deslocou para cá, eles sabem o que é a Doutrina que nós
falamos aqui? Não sabem! Eles saberiam a diferença que nós falamos, da
Individualidade e da Personalidade, Filosofia Cristã e Sistema Crístico? Não sabem!

Então, o que os fez vir aqui? Vaidade? Não tem lógica, aqui é um "ninho de gato", todo
mundo arrebentado, moído, dormindo mal dormido, comendo mal, é tudo desajeitado
para vir para cá, não tem tempo de dormir ou de comer direito, quantos gastos... Mas
vieram!

Motivados, assegurados pelo que? Por resultados simples, proporcionados no plano que
não se pega, que não se apalpa, e como disse Jesus:
“ – Onde a ferrugem não corrói, as traças não consomem, o ouro e a prata não podem
adquirir...”

Falamos no sentido eterno contido no íntimo do homem, que graças a Deus é a nossa
Ciência. Quantas vezes os senhores aqui presentes passaram momentos dos mais
terríveis em seus Templos, em momentos de desarmonia, de desequilíbrio, de
dificuldades, mas continuaram, estão continuando e vão continuar!

É pelo conhecimento intelectual? Os senhores superaram as dificuldades que tiveram


ontem, ou hoje, que ainda estão tendo, superaram por conhecimento? Ou superaram por
sentimento? Foi muito mais por sentimento! Ontem, por este sentimento, aí sustentou,
deu vida a um mínimo de conhecimento. Vejam bem, eu falo de Amor e tenho
consciência que não tenho, mas da necessidade que eu tenho de buscar desenvolver esta
condição. Sei que não é impossível, porque o Amor que nós falamos aqui não é o Amor
dos amantes, não é o Amor do Pai, não é o Amor da Mãe, não é o Amor de irmãos, não
é o Amor de amigos, não é o Amor de amigos, certo?

O Amor que estamos tratando aqui é o Amor Incondicional! É o Amor que não impõe
condições, é o Amor que não exige! É o Amor que não é conveniente, é o Amor que não
tem separação entre o aleijado e o são, o analfabeto e o intelectual, homens de cor,
posição social, política ou financeira, não! É o Amor que não estabelece conceitos.

É simplesmente alguém que, pelo fato de adquirir consciência de sua vida, de sua
transcendência, da realidade desta vida transitória, embora também este plano seja
eterno, mas pensando no plano da eternidade do espírito, onde todos os seres são iguais.

Ele já sabe que nós somos diferentes aqui, alguns com mais ou com menos, feios ou
bonitos, inteligentes ou burros, como se usa vulgarmente essa expressão direto, mas aí
ele já tem discernimento que essas diferenças são unicamente proporcionadas, cada uma

15
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
em si mesma, por seus quadros cármicos, mas que fora da matéria, perante Deus, todos
são iguais.

Então aí é possível perceber que, proporcional ao Desenvolvimento que falamos no


princípio que Tia enfiava o dedo na tecla todas as Aulas: HUMILDADE,
TOLERÂNCIA e AMOR.

É a única razão e é possível, é possível... é possível! Tanto é possível que Jesus veio e
confirmou, esta é a única possibilidade, e é possível! Salve Deus!

Eu hoje pensei muito nesses nossos encontros, e pensando assim: seria justo que fossem
sete noites, sete dias, cada dia uma aula, um encontro, para nós irmos tratando dos
assuntos. Porque um roteiro aqui inclusive, vejam bem, já todo ele foi dado, salvo em
três pequenos aspetos bem simples, que em cinco minutos, é justamente o que quero
falar em uma hora, eu nem sei, já foi todo ele na realidade, nos seus aspectos mais
fundamentais.

Mas eu me pergunto por exemplo, na terça-feira, a gente faria uma reunião na parte da
tarde e outra a noite? Seriam três já. Na quarta-feira poderíamos fazer mais duas, seriam
cinco, e na quinta-feira encerraríamos com mais duas.

Amanhã duas, então, a partir das 15:00 horas. 15:00 horas aqui, e depois da Escalada a
gente respira um pouco, descontrai, você tem que desassimilar um pouco, é pesado, é
uma Contagem.

(Trino Ajarã)
Não se intrometa de forma nenhuma na jornada do Adjunto.
“ – Ah, o Adjunto pediu para fazer isso...”
“ – Não, não é competência minha.”

Se ver que a coisa chegou a extremos, tenha a hombridade e diga:


“ – Salve Deus! Procure seu Adjunto, eu vim aqui para ministrar uma Centúria, e a
Centúria tem um roteiro, eu não vou sair do roteiro”.

Porque se vocês estão ligados diretamente aos Trinos, vocês passam, podemos dizer
assim, a exercer uma autoridade no templo, mas não é essa autoridade, é a autoridade de
ministrar a Centúria. Assim, se nós respeitarmos o Adjunto como ele merece, não é?
Todo o nosso respeito. Não interfira, pelo amor de Deus, o que falarem deve ser para o
bem.

Existem pessoas desarmonizadas, muito bem assessoradas pelo submundo, fazer uma
colocação, que você entrar, vamos dizer assim, para jogar uma coisa contra a outra.
Agora o Bálsamo falou muito bem, se harmonize que você vai achar a resposta. Se ver
que a coisa chegou a um extremo:
“ – Salve Deus Mestre, isso aqui não é competência da Centúria, o senhor procure o
seu Adjunto...”.

Pode falar de casa cheia!

(Mestre Bálsamo)

16
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Hoje nós temos tantas intolerâncias em relação a nós mesmos aqui, mas vejam que Tia
se acercou de todos nós muito mais endurecidos do que hoje somos, e ela nunca nos
exigiu que fossemos esse ou aquele, que fossemos desse ou daquele jeito, ela soube ir
conquistando, sabendo a hora, e foi conquistando seu império.

E o Instrutor, ele tem que saber desenvolver isso, ter a Humildade suficiente para saber
dizer "não sei". Doutrina não pode ser:
“ – Ah, eu acho, desconfio, almejo, espero, quem sabe, talvez, é bem provável, se...”

Isso não cabe na Doutrina, não existe! Ou se sabe a Doutrina e expõe, ou não sabe e se
cala! Mas muitas vezes você é provocado a sair do roteiro, porque da mesma maneira
que convivemos com várias pessoas, são muitos ciclos de mentalidade, então, portanto,
várias situações.

(Trino Ajarã)
- Bálsamo, me corrija se eu estiver errado, mas você falou que cada Centúria é uma
condição diferente, não é? Agora, é um Trabalho, não é? Eu acho que exige muito a
condição do Doutrinador. É um trabalho, tanto que se realiza uma Contagem.

(Mestre Bálsamo)
É. A Centúria é quinta-feira, são sete Aulas, é a noite.... Então aí me aconteceu uma
situação, teve uma delas que não deu para dar na quinta. Respeite, sobretudo a condição
do lugar. Se você chegou num templo, está na hora de dar a sua aula e chegou um
obsediado, não precipite encerramento com alguém com dor ali. Se houver
possibilidade de distribuição da área física, de maneira que não atrapalhe a aula e não
impeça o atendimento, então conjugue.

Mas corre o risco de sintonias para a aula? Então aguarde o trabalho, aguarde o
atendimento, e depois dê a sua aula. Que você fique devendo setenta por cento dos
assuntos, dê só trinta por cento, mas faça com carinho, com tranquilidade, com
ambiente, e você vai perceber que esses assuntos não farão falta. Você irá se
surpreender com eles, em mais duas aulas você dando todos eles, ainda com acréscimo.

Mas não interfira numa Lei de Auxílio evidente, de alguém realmente sofrido. Sabendo
também, pelo bom senso, buscar a precisão do atendimento, porque atendimento é
precisão, não é desperdício, não é? É saber conduzir também, se puder somar de
maneira que seja rápido, preciso, objetivo, prático, faça!

Se perceber que sua interferência, mesmo que isso leve tempo, irá prejudicar o seu
tempo, mas que vai trazer prejuízo e talvez proporcionar ideias de divisão, fique em
silêncio, amargue o seu tempo, eu quero que você se dane!... Mas que não se dane o
trabalho, que não se dane o sofrido, que não se dane o templo e que não se danem seus
mestres. E você só sobrou tempo para falar dez minutos? Use os seus dez minutos como
se fossem a sua Eternidade, como se fossem os mais importantes minutos de todos os
minutos.

É fundamental! Tia Neiva cresceu colocando a dor do próximo em primeiro lugar, e nós
não temos o direito de inverter(...)

17
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
(Pergunta de um mestre)
- Bálsamo, só uma pergunta: um Instrutor pode faltar de ir a um Templo? Eu acho que
não né? Você falou tanto aqui que tem que cortar.

(Trino Ajarã)
Você vai cortar o componente que faltou à Aula. Se você não for, quem te corta? Como
é que fica? Descaracteriza que é uma Contagem?

(Mestre Bálsamo)
Eu vou responder com uma afirmação. Nos Templos selecionados por Tia Neiva para
receberem a Centúria estava o Templo de Unaí. Então na época só tinha quinze mestres,
e eu só lembrando:
“ - Só quinze!”

E a Tia:
“ - Tem que fazer.”
Aí eu chego em Alvorada, primeiro dia, onze quilômetros distante da cidade. Primeira
coisa: sem luz. Acendeu as velas, o lampião não estava funcionando, para ler precisava
de umas cinco velas.

Aí chega um montado num jegue, outro num cavalo lá, e vai chegando, e eu falei:
“ – Meu Deus, uma Centúria aqui! Que bom, mas Deus podia ajudar né?”.

Aí, mal podia enxergar o rosto um do outro assim, eu coloquei uma vela assim para
mim acompanhar o roteiro, e eu me enchi de cuidados, aquele povo simples, feliz,
aquela coisa, tudo ao contrário... E eu fiz uma harmonia e arrebentei. Oh, aula danada!
E eu me condenando:
“ – Eu perdi o emprego, eu estou sendo irresponsável, eu não estou tendo
responsabilidade com as palavras...”.

Eu me condenando por eles. Saímos lá para fora, tinha uma vaca velha demais, um
cavalo, eu me lembro de comentários de um:
“ – Eu tenho que chegar cedo, porque cinco horas tenho que tirar o leite das vacas...”.

E uma das senhoras, eu fiquei sabendo na hora, que ela caminhava cento e cinco
quilômetros de sertão para pegar a aula. Oito e meia da manhã no outro dia eu chego, eu
vou entrando, em Nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, pelo meu Juramento de Adjunto,
extremamente preocupado, em Cristo Jesus, eu entro no Sétimo e ela (Tia) fala:
“ – Oi, vem cá, senta aí meu filho. Você está preocupado com a Aula. Pai João está me
falando que você está extremamente preocupado com a aula, está muito preocupado
com a aula."

Eu falei:
“ – Chefe, realmente eu estou muito preocupado.”

Ela falou:
“ – Meu Filho, mete o burraio, atende sua intuição, só tem Encouraçado ali, é tudo
Espírito Espartano que o carma trouxe ali, e você vai ver que você não vai ter
repercussão aqui, mas para os Espíritos de cada um, pode ser a salvação da
consciência dele...".

18
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então, Espíritos Espartanos dentro do mais alto nível estavam contidos ali. E é curioso,
teve uma senhora, por exemplo, numa das minhas Aulas lá, acho que na quinta ou sexta
aula, eu estava “metendo o burraio” lá e falei:
“ – Alguém quer fazer alguma pergunta?”

E ela:
“ – Oh Mestre Bálsamo, eu só queria o roteiro da minha aula anterior.”
“ – Uai, tudo bem”.

Ela falou:
“ – Eu perdi aquele que o senhor me deu, eu vou contar”.
“ – Pode contar”.

Chegando na fazenda, os filhos beberam muito e houve um desentendimento com o pai.


E o pai correu e passou a mão na espingarda, e um filho correu e pegou um revólver o
outro filho passou a mão num facão, então era para morrer. E ela falou:
“ – Seu Bálsamo, eu corri com o roteiro, juntei no roteiro e corri para o quarto, juntei
ele na mão e falei: Aqui é na força da Centúria e do Mestre Bálsamo. E Mestre
Bálsamo, eu comecei a suar, quando eu vi o pingão jogou o facão pela janela, meu
marido começou a chorar e jogou a espingarda no chão, e eu sei que foi isso aqui. E eu
quero outro roteiro, porque o meu eu rasguei todinho...”.

Aí, na hora eu pensei assim: Deve ser um daqueles dias assim que eu fiquei achatado lá
no Vale sem saber o quê que era. Mas foi uma coisa magnífica. É claro que esse roteiro,
ela amassou ele:
“ – Mas rasguei ele todinho...”.

Nem sabia que era o roteiro. Eu vim saber que eram cento e cinco quilômetros que ela
caminhava, mal chegava no Templo, descia do burro e já estava na hora de voltar.

Então, são coisas assim que acontecem, que a gente não tem como realmente tirar tudo
que a gente consegue tirar de dentro para envolver a mensagem contida na Contagem,
porque é curioso, porque as informações são fundamentais para o Espírito.

Por menos que o indivíduo exteriorize a sua realidade intelectiva ou intelectual, o que
está contido é na memória do Espírito, em primeiro lugar. E em segundo, a sequência de
Contagens formadas no Campo Espiritual no transcorrer das aulas, e essa é
fundamental.
Terceiro, a Consagração dele, a Consagração no que se traduz por Cultura de Mestrado,
vejam bem, porque ele faz a Elevação de Espadas, naturalmente, pela Força Iniciática
dos Mantras que ele consegue na Elevação, ele tem a faculdade natural de ultrapassar
sete Dimensões, na sua Contagem de sete, na sua Entrega, não é mais um profano, é
alguém que: “ – Jesus...” e ele ultrapassa, o Nêutron já não é mais barreira para ele.

Mas pela própria importância do que ele recebeu na Cultura da Consagração que se
atrofia, mais um conjunto de Mantras que vem em associação aos Mantras conseguidos
no Dharman-Oxinto que foi o seu ponto de partida então a Centúria, é a Consagração da
Cultura deste sistema.

19
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então ele, a falar, saber falar, dentro do seu relacionamento, nós não podemos exigir,
porque ele tem o aspecto Cármico que nós nunca sabemos avaliar, tem um quadro
obsessivo, que nós nunca sabemos como se exterioriza. Um excesso de cobranças que
se exterioriza em certas reações orgânicas imprevisíveis. Mas ele é sustentado no que
resta de consciência pela força que ele recebeu. Quer dizer então são valores demais em
jogo para que a gente possa se dar ao luxo de estabelecer. É extraordinário.... É
extraordinário!

Quer dizer, uma pessoa extremamente calma, você olha para ele e ele é calmo. Você
tem ideia dele totalmente equilibrado, harmonizado, calmo, um homem que é um amor
de pessoa. E ele não está matando, ferindo, destruindo pessoas, por falta de
oportunidade. Ele é um vulcão interior, ele é totalmente desajustado. E o escudo dele foi
a estampa que ele conseguiu desenvolver para se preservar no meio social.

E aí, nisso estão contidos vários tipos de esquizofrenia, como o próprio Manual de
Instruções revela na última Carta, HORUS. E assim vai, assim vai.
Onde uma insegurança é constante.
“ – Puxa, um sujeito sempre calado...”

Ele pode ser calado por insegurança!


“ – Mas ele é tão calado...”

Pode ser por agressividade! E assim vai, podem ser tantos quadros contidos nas pessoas,
daí o fato de:
"NÃO JULGUEIS PARA NÃO SERDES JULGADOS".

Porque realmente nós nunca dispomos, nós só temos a aparência, nós nunca temos o
íntimo. E Tia Neiva não estava preocupada realmente que o homem aqui viesse, que
ficasse, mas que ele recebesse o que era dele, não importa para onde fosse, se ficasse ou
partisse, porque? Porque Tia Neiva muito antes de se preocupar com nossos corpos,
preocupava-se com os nossos Espíritos. A preocupação da Tia não era esse nosso
aspecto transitório, transformista e temporário, do "Eu" aqui e agora, mas era o você
eterno!

Porque ela sabia que o homem, pelo simples fato de chegar e receber a graça de uma
Iniciação, não importa que ele não fizesse jus aos vinte e um Mantras, que ele só
concebesse sete, ou que ele não concebesse nenhum no Salão Iniciático, mas o simples
fato de ter tido acesso ao Salão, ele já não era mais alguém sem padrão!

Ele é alguém que recebeu um princípio, e se ele chegou a ir até lá, é porque tinha um
mínimo de íntimo em seu Espírito que o assegurou até aquele instante, ele tinha um
mínimo de certeza para ter chegado até ali. E ali ele consagra essa certeza. Há pelo
menos uma Iniciação na sua realidade, que não é interesse humano. Mas há uma outra
espécie de Consagração que se revela na certeza da Consagração, na certeza da nossa
condição de Espíritos. É incrível! Então, ele veio e partiu:
“ – Não, não quero mais saber desse Vale”.

Mas aquele princípio Mestres, ninguém mais tira dele. É como Ela dizia:

20
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
“ – Meu filho, então amanhã ele partiu, e eu vejo no quadro dele que ele ia sacar do
revólver e ele ia atirar. Mas ele passou por aqui, ele chegou a enfiar um revólver, mas
nem sacou nem atirou, depois que ele passou por aqui...”.

Então, são aspectos extremamente sutis do Vale. Porque eu vou mais além ainda, vejam
bem mestres, todos os pacientes que vêm em nosso Templo, indiferente a gostarem ou
não, a ficarem ou não, desenvolverem ou não, de uma coisa ele não escapa: da
espiritualização. Ele passa pelo sal e pelo perfume, e o sal e o perfume se traduzem na
limpeza do corpo.

Falamos agora em algo tão simples que nunca foi também falado, não é? Pega o sal, usa
o perfume, o Sistema Iniciático, é a limpeza do corpo, eu torno meu corpo receptivo, o
meu íntimo, pelo menos naquele instante, estará receptivo a este Sistema Espiritual.

Então, eu estou me proporcionalizando a me espiritualizar, então é mais um. E ele sai e


parte, e ele não leva nada de todo esse conjunto na cabeça, para aprender, para entender,
para descortinar, pra revelação dos mistérios, mas ele leva uma certeza, uma certeza de
Deus, uma certeza de que Jesus existe, uma certeza de que tem alguma coisa além da
matéria. Quando ele desencarnar, por mais entorpecido que continue, que o mentor
chegar e falar:
“ – Ei, você agora desencarnou”.

Ele sabe que é um Espírito. Então, há mais trato com ele, ele não é alguém puramente
animal que morreu e nem acredita que morreu, não, ele vai ter noção que morreu, que
deixou o seu corpo, que ele está fora da matéria. Então vejam que são coisas tão
simples, mas opera-se um fenômeno no Vale muito além do que é imaginado
normalmente, é extraordinário falar do que se realiza aqui.

E se ele é daqueles que ainda vem na Benção do Pai, então ele tem muito mais
segurança do que o trato normal, porque além do sal e do perfume, ele tomou o vinho!
Então o efeito no seu campo íntimo, na sua relação, no seu Sistema Coronário, Chacras
e Plexos, que embora não desenvolvidos, mas passa a ser impregnado, ele facilita o
sentido da Espiritualização.

Porque o final da Consagração de Adjuntos e componentes, ou uma Consagração de 1º


de maio, foi uma das tarefas mais gigantescas de Pítia em Delfos, o que resultou a base
de heranças que nos faculta uma Consagração coletiva atualmente, foi Pítia quando
Espiritualizou os Espartanos!

E vejam o tanto que foi importante a repercussão disso na mentalidade dos homens de
Esparta, que Alexandre em suas conquistas, mesmo chegando e engolindo Esparta e
Atenas, ele só se realizou depois de levar as suas tropas até o Oráculo de Delfos, e hoje
é simbolizado nos Quadrantes. Então, é magnífico! Salve Deus!

Então Mestres, é extraordinário esses aspectos, realiza-se no Vale, vejam bem que a Tia
nunca teve preocupações intelectuais com o Vale. Se a gente parar para analisar, pra
quem conviveu com a Tia, a gente falou muito mais do que ela. Ela falava muito pouco,
e quando a gente se acercava dela, a gente falava, ela ouvia.

21
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Mas Mestres, é extraordinário, então o Sistema não funciona por divulgação. O Sistema
é por atração. Porquê que nossos livros, dentro das aulas missionárias? Vocês lembram
daquele tempo? Quem chegou a ler os livros missionários no seu tempo: “No Limiar do
Terceiro Milênio”, “2000, Conjunção de Dois Planos”? Quer dizer, se você observar a
estrutura de informações é claro, nós sabemos que não é criação de "Seu Mário", são
informações transcritas por "Seu Mário" das informações de Tia Neiva. Vocês
observem, tudo tinha facetas de Mistério.
“ – O livro não quis falar”.

Não! Porque não? Porque não há condições de entender! Porque não há condições de
entender? Porque não há preparo! Mas como é possível ter preparo? Só se vir aqui!
Porque vir aqui? Pela Ionização, o Campo Magnético que circunda este Sistema
Magnético.

E então, tudo no Vale transcende toda e qualquer espécie de forma pré-estabelecida pela
matemática, pela lógica da Terra. Aqui é regido pelo atemporal, pelo assimétrico, pelo
sem tempo, pelo sempre eterno. Presente, passado e futuro é tempo de nossa concepção
psíquica como Homens Encarnados, mas o tempo da estrutura que nos rege não tem
presente, não tem passado, e nem futuro, é o eterno, é o atemporal.

A matemática não justifica o nosso Sistema, embora nós conseguirmos, mesmo sendo
ignorantes, justificar a própria matemática, porque é a lógica deste mundo. Mas a lógica
deste mundo, em seus dois e dois, quatro, três e três, seis, cinco e cinco, dez, jamais
conseguirá justificar a nossa ilógica, porque é a lógica das lógicas.

Curioso, quando o Carma te atinge, qual é a primeira reação?


“ – Meu Deus, como é que aconteceu isso, não tem lógica!”

Isso é Matemática meu ilustre professor de Matemática?

(Trino Ajarã)
Não.

(Mestre Bálsamo)
É a primeira reação quando somos atingidos pelo Carma. Eu até brincava muito na
Centúria no meu tempo, eu falava sobre o carma:
“ – O Carma é desconjuntado e desaforado”.

Eu brincava muito com isso no meu tempo, falava:


“ – Olha, o Carma é desconjuntado e desaforado”.

Ele só te pega desprevenido, ele só chega quando você não espera, só te pega de
maneira como você... né? Não tem lógica, não tem sentido!

E quando acontece de você explicar, é curioso, você não explica:


“ – Meu Deus, quê que me aconteceu? Não tem lógica!”.

E você não explica, mas está sentindo o efeito ininterruptamente, e sempre:


“ – Meu Deus, não tem lógica!”.

22
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E você não explica.... Quando acontece de você explicar ele já acabou, e também não
interessa mais explicar! Isso é matemático? Dois e dois, quatro.... É muito preciso.
Então que matemática nos rege?

Então vejam bem, o Iniciado, principalmente o Iniciado na condição de Instrutor, aí já


esses valores precisam estar no fundo do coração e da mente. Perfeito?

Era preciso! Jesus se acercou de pescadores, porque? Simplicidade, sã, mente sã. Mas
mente sã porquê? Liberdade de influências, de informações, puras, desprovidas. Quer
dizer, isso é um pouco chocante, isso agride nossa matemática da vida. Olha, o cara
entende o que? Um doutorado. Porque o planeta exige uma pessoa com uma espécie de
administração.

Eu quero conhecer o administrador deste planeta que tenha capacidade de administrar o


Vale. Não tem um! Tem que ser nós. Tem que ser essa coisa nossa aqui. De todo
mundo, de ninguém, não tem jeito! Vive "no vermelho", não tem nada. É nosso? Não é
nada, é de todo mundo, mas é nosso, não é nada.... É, tem que lutar como se fosse, mas
não vale nada. O quê que você é?
“ – Ah, eu sou Chefe”
Que Chefe? Você invoca o que você nem sabe! Quer dizer, é tudo.... É curioso, então, é
estranho...

Rituais.... Um ritual gigantesco desse, os Devas, a capacidade desses homens


coordenarem essa situação, não tem lógica! Quantos ônibus vieram, quantas pessoas
estiveram aqui? E nesse meio aqui tinha marginais, traficantes, tinha de tudo aqui, tem
de tudo! É gente demais! E analisem, analisem, é possível justificar isso pela lógica?
Pela matemática deste plano?

Como Tia Neiva, eu vou citar agora por um aspecto, porque "Seu Mário" gostava muito
de citar, mas eu estou citando de uma maneira diferente, não é por vislumbre intelectual
não, já a muito tempo não foi, não tenho capacidade de ser, não tenho condições de ser.
Mas eu me recordo que depois de oito anos de estudos na Corrente, uma certa
personalidade falou:
“ – Edelves, este lugar não tem base, só posso acreditar que as mentes daqui, têm um
conjunto de mentes que são as mentes mais inteligentes do planeta, e que conseguiram
reunir tudo aquilo que tem de mais sábio no planeta e aplicar aqui. Então agora, por
curiosidade, eu quero conhecer essa Dona Neiva..."

Ele, para se ter uma ideia, ele foi Núncio Apostólico do Vaticano por vários anos no
Brasil, ele é um elo de contato direto com o Vaticano e várias lideranças da Teologia na
América Latina, ele é o fundador da Escola de Antropologia daqui. Então, quer dizer,
ele é considerado uma autoridade extremamente respeitada. Todos os grupos de
teólogos que vêm da Alemanha, da Europa e m geral, mas particularmente da Linha
Teológica da Alemanha, considerada uma das mais cultas, todos, ele é um centro de
referência, um ponto de apoio, e todas as palestras que exigem algo mais, é
imprescindível a presença dele. Mas é curioso, ele é um homem muito sério, um
estudioso. Então, curiosamente, ele falou:
“ – Agora eu vou conhecer essa Dona Neiva, porque eu não acredito que uma mulher
semianalfabeta fez tudo isso. Não tem lógica!"

23
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Aí foi quando entrou no Sétimo, ela levantou imediatamente, tomou a mão direita dele,
beijou e pediu a benção. Aí ele "desmontou" e falou:
“ – Mas Tia, eu não estou entendendo, a senhora é a Sacerdotisa aqui, quem tinha que
tomar a sua benção era eu!”

Ela virou e falou:


“ – Não, eu é que tenho que tomar a sua Benção, eu sou Católica, e o senhor é o
Padre...”

Ele saiu sem entender. Ela é extraordinária demais. Por isso que a obra é extraordinária.
Ela é sempre assim, ela é pequena perante todo mundo, ela vai entrando, então ela cabe
no coração das pessoas. Então justamente por isso, ela foi conquistando essa dimensão.
Tudo que ele sempre escreveu sobre nós, fez uma referência muito bonita.

(Trino Ajarã)
Ele trouxe uma Mensagem personalizada para mamãe e para o Mário, assinada pelo
próprio Padre.

(Mestre Bálsamo)
Agora vejam bem que esse sistema, que esse sistema começando por Tia Neiva, se
partir só com a cabeça, não vai chegar a lugar nenhum! Vocês precisam entender
democraticamente por essa chamada inteligência intelectual, por essa inteligência
intelectiva, pela visão mental, pelo sistema puramente intelectual, é impossível conhecer
Tia Neiva, é impossível conhecer o Vale...

O ponto de partida é sentir, é sentir. Pensar pelo envolvimento, na natureza do que se


sente. Está contido em dois princípios: honestidade de propósitos. Não falamos em
honestidade com mulher, honestidade com dinheiro. Curioso, são honestidades
importantes, mas o que falamos aqui não é esse tipo de honestidade.

É honestidade de propósitos e, meu Deus, e pureza de motivos. Curioso, ele é bandido,


assassino, ladrão, ele é tudo. Mas ele entrou aí, e é a pureza de motivos de:
“ – Eu queria saber porque eu... Eu preciso encontrar um sentido para mudar, se é que
há razão para mudar”.

Pureza, esse é o sentido da pureza. Então ele recebe, ele recebe um ponto de partida, que
é voltando a Individualidade Transcendental, o acesso a sua Origem. Ele teve isso, ele
forma um campo de atração. Então aí ele é naturalmente induzido por quem o rege, ou o
próprio campo magnético o atrai. Ele resulta num magnético semelhante, e semelhante
atrai semelhante!

Vejam bem que até hoje a Humanidade, a Humanidade tem Jesus e sua Doutrina
simplesmente como um conceito religioso, com um conceito de religiosidade. Ela
inverteu totalmente a condição de Jesus e sua Doutrina, porque ela nada tem a ver com
esse tradicional conceito de ideia de religião ou religiosidade, ou de religioso, ela não
tem nada disso, ela é Ciência! Ela é Ciência de auto relacionamento, quer dizer, você
consigo e Ciência de relacionamento, eu contigo:
“ – AMA TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO...”

24
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Não é Filosofia!
“ – NÃO FAÇAIS AOS OUTROS AQUILO QUE NÃO GOSTARÍEIS QUE FIZESSEM
A TI...”.

É Ciência! É um fato! É uma lógica! É uma realidade, dois e dois... quatro. Aí voltamos
a um outro princípio de matemática, onde os matemáticos do mundo são incapazes de
descobrir.

Vejam, aí falamos na lógica da ilógica, esse tratado que somos aqui. Afirmo aos
senhores, em Cristo Jesus, que nenhum livro deste planeta ainda acertou com a Doutrina
de Jesus. Vejam bem o que é esta Doutrina, o que é a simplicidade do sistema, estamos
tratando aqui o que podemos afirmar nunca ter sido tratado. Salve Deus!

Agora, falando com Instrutores de Centúria, esses valores que estão sendo passados - eu
volto a repetir - não são para serem ditos, mas para serem entendidos, compreendidos,
será assimilado no transcorrer da jornada, para que se transforme, não em palavras, mas
que se emane pela força do silêncio. Venha a se formar na segurança dos alicerces que
Jesus um dia falou, que só é possível com pedra sobre pedras. Porque aquele que
edificou sua casa sobre a areia, vieram as tempestades, vieram os ventos, ela ruiu, ela
desabou, ela não foi capaz de resistir.

Mas são pedras, pequenas parcelas deste Rosário que vai formando um ponto de partida
para o alicerce íntimo de cada um dos senhores, que irá dar a força para baixar a cabeça
quando necessário, de ficar calado quando preciso, de dizer não quando for necessário,
de respeitar tudo, de estimular as pessoas, de manter a calma do coração e da mente,
quando tudo for para a violência mental. Então, é para a cultura pessoal. Porque o que
acabamos de dizer aqui não se diz, a não ser para Instrutores, para homens
comprometidos com uma tarefa que transcende tarefas comuns, como essa tarefa.
Homens que se profissionalizam, e vão gastar o que não tem às vezes, deixar seus
valores para trás, para levar uma Doutrina, para levar uma mensagem sem receber
dinheiro.

Quer dizer, contrariando toda a lógica da Terra, onde todos buscam fazer servir,
buscando também valores que lhe assegurem tranquilidade física: melhorar a sua casa,
comprar um carro melhor, se sem carro comprar outro carro. Não! São para homens
onde a gente tem a segurança de que vão partir muitas vezes levando, e sempre só
levando, e sempre com a desconfiança de nem saber se está trazendo, e nem direito de
avaliar se está trazendo. É só aguardar em silêncio a repercussão do próprio coração, da
própria mente, porque é tudo que te resta, é tudo que você tem.

Chegar e não impor, chegar e não exigir, falar ouvindo. O mestre é aquele que está
eternamente, ininterruptamente disposto, em disposição quando preciso, é você chegar e
colocar aquele grupo que está ali para te ouvir, e você não perder nenhum de vista,
sabendo que cada um tem uma lição. Cada um deles pode também te superar, mas nem
se aperceber disso, e você, pela sua condição, estar muito mais apto, apto a aproveitar as
lições que eles exteriorizam, e amanhã ou depois reverter em favor de cada um em si
mesmo, na hora certa, no tempo preciso, não menosprezando nenhum, sabendo que o
pedreiro, o médico, o carpinteiro, o lavrador cada um em sua hora é o mais importante,

25
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
e mesmo não estando em sua hora, continua importante, e você é só mais um entre eles.
Eles cheios de direitos, aos senhores só restando deveres...Salve Deus!

Por hoje é só! Salve Deus!

Então, se estão de acordo, amanhã a partir das 15:00 horas a gente faz a nossa segunda
reunião aqui, aí depois da Entrega das Energias, nós voltamos a nos reunir pela terceira
vez. Na quarta-feira faremos o mesmo, e na quinta-feira será o último dia dessa jornada.

Vamos fazer uma prece. Mas só para uma conclusão, porque essas Cartas, elas são
extremamente trabalhosas, tem algumas aulas inclusive, como a quarta aula, por
exemplo, que é a “Carta Aberta nº 4”, é uma Carta de dez páginas: ou a quinta aula, que
é uma Carta de cinco páginas. Então a primeira tendência nossa é repelir o uso delas e
tentar simplificar, quer dizer, no computador, datilografando de maneira que gaste o
mínimo possível de folhas.

Eu não pretendo influenciá-los, mas pelo menos esclarecê-los de uma coisa: todo o
período que eu fiz, foi rigorosamente conservando os originais, e no momento, nós
estamos rigorosamente fazendo assim, com uma mão de obra. Na quarta aula foram
2.500 xerox, e enquanto eu estiver fazendo este Curso, eu pretendo não fazer diferente,
para mim fica impossível.
Para os senhores, às vezes pela condição geográfica, pelas possibilidades, eu não sei
como ficariam. Mas Tia Neiva, ela fazia questão que a Carta fosse de seu próprio
punho, porque nem foi ela, mas exigência de Mãe Yara, que ela fizesse exatamente
como está, pela Impregnação, pela Impregnação de Koatay 108.

Então aqui há uma vibração toda própria quando é um original de próprio punho, há
uma vibração própria, com um outro aspecto, o próprio sentido original no impacto do
mestre que tem acesso a Centúria, ela é muito mais favorável do que aquilo que vem
datilografado.

Os errinhos de português, os trejeitos, que por exemplo aqui: “ – São fáceis os contatos
físicos nos Planos Físicos, quando...” A Tia se perdia, um "S" a mais, um "S" a menos,
mas você pode ter certeza que as pessoas se realizam.

Ela tinha a maior dificuldade com esse negócio de "S" e "C", às vezes você encontra um
"M" com dez pernas, um “N” com cinco ou seis, quer dizer, mas você percebe que esta
condição do original, ela tem muito mais força. A Força está contida nos errinhos de
português, no manuscrito, perfeito?

Então para um efeito, é muito mais favorável. É mais trabalhoso, é muito mais difícil,
mas como tudo aquilo que se traduz por verdade - que, diga-se de passagem, a coisa
mais difícil no planeta Terra, de se encontrar, é com a verdade – Agora, muito mais
difícil do que encontrar a verdade, é preservá-la.

“– Este Sol deverá ser desenvolvido sempre com o objetivo, na Lei de Auxílio,
completando sempre o Ciclo Iniciático dos três Reinos de sua Natureza...”

Pensemos em Evolução, progresso...

26
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
“– São fáceis os contatos físicos no Plano Físico quando não temos muita terra no
coração...”

São fáceis.... Agora isso aí na condição de Instrutores, isso aí vai ter que custe o que
custar, a transcender a letra, e começar a atingir o Verbo, tem que passar pela fitinha do
coração, e custe o que custar, nós temos que exigir no nosso comportamento, no nosso
relacionamento...

Porque senão essa informação não terá força, só há força quando passamos, quando
cuidamos. Não é bastante saber. A força, a condução, a energia do saber, a qualidade do
saber, a força do que se conduz vem na luta, não é somente saber é lutar, é enfrentar a si
mesmo, enfrentar o Coração, enfrentar a Mente, aceitar o desafio, não enfrentar o
próximo e enfrentar a mim mesmo.

Aí começa a ganhar força, aí começa a ganhar condição. E aí, muitas vezes será a glória,
que era a meta da Chefe. É claro que não será amanhã. Mas ia ser interessante a gente
persistir na luta e ver se um dia consegue chegar lá. Aí quem sabe, no futuro, sejamos o
Doutrinador que ela sonhava, e aí ganhamos muito. E os aparás dos nossos sonhos,
porque o apará dos nossos sonhos dependerá desse Doutrinador que ainda não somos.

Eu quero você provocado, eu não quero você bem, eu quero você confinado, eu não
quero você tranquilo, eu quero você preocupado. Vocês entenderam? Eu não quero que
nenhum de vocês, quando pensarem em mim, que se sintam em paz, mas que vocês se
sintam provocados para a guerra, entenderam como é que é?

Não vou acompanhar um só item desse roteiro para vocês, eu vou expor de acordo com
o ambiente o que está contido aí. Agora, competirá a você desenvolver estudar
pesquisar, esquentar a cabeça, preocupar, está certo? E desenvolver a sua própria
linguagem, ser natural, sem frescura, sem falsos preconceitos, mongolístico, cheio de
gracinhas, se fazendo de melhor, não!

Você precisa ser sempre você, cada um aqui é uma característica única, num tempo, e
outros tempos, tudo diferente, cada um uma bagagem, cada um com uma herança. A
responsabilidade é a mesma, mas cada um original e singular, perfeito? Cada um
original e singular, mas todos com o mesmo dever de pesquisar, de lutar, de procurar
saber, ficar inquieto, está certo?

Terá cada um que encontrar sua própria chave, desenvolver o seu próprio princípio,
encontrar a segurança de sua própria linguagem, do seu sentir, pensar e falar. Eu nunca
poderei transmitir-lhes isso, então eu nunca poderei lhes exigir isso, não é? Salve Deus!

Trino Ajarã, vamos encerrar?

27
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
28
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Curso para Instrutores de Centúria (1994)
Adjunto Jaruã – Mestre Bálsamo
Segunda Aula

Então na liturgia católica, a Tia fazia questão que nós observássemos. Então toda
tradição preservada (...) Tanto quanto a Igreja Católica tem em Nossa Senhora
Aparecida uma das suas santas do mais alto nível hierárquico, então nós também
conservamos esse princípio, essa ideia. E de maneira que me perguntou:
“- Escuta, então ela por espírito, por ser uma entidade, tem algum médium que
incorpora ela?

Eu disse:
“- Não, ela já está numa hierarquia muito elevada.”
“- Pois é, mas então para vocês reverenciarem ela, não significa que ela traz a sua
mensagem?”

Eu disse:
“- Não, ela não traz, ela emite a sua mensagem de onde se encontra.”

Pois bem, é sempre aquele jeitinho para explicar o que não se explica. Salve Deus!

É danado porque falar sobre um sistema espiritual, é falar sobre o que não se pega, o
que não se apalpa. E o nosso hábito na Terra é ver com os olhos físicos e, não sei se é
muito comum, mas nós goianos, por exemplo, nós gostamos de chegar e pegar o trem,
apalpar! E repentinamente, você é todo um conjunto de valores, que não se pega e não
se apalpa. Tem que ser pelo íntimo, é o sistema de verificação íntima, não há saída.

E há um detalhe inclusive, porque o Vale por exemplo, é uma situação muito singular,
porque se vocês observarem a Umbanda por exemplo, a Umbanda ela é magnífica! Mas
o que nós recebemos da Umbanda no Brasil, sem demérito nenhum para o Umbandista,
nós recebemos um resto desse sistema original africano. E observem que foi trazido por
centenas e mais centenas de escravos, e automaticamente, em cada região onde foram se
localizando, ela foi ganhando conotações diferenciadas.

Daí inclusive, o fato de Umbanda Branca, Umbanda verdadeira, Umbanda isso,


Umbanda de várias denominações. Porque? Porque ela já passou também a sofrer
influências de seguidores, de adeptos, de mentalidades, de filosofias, não é?

Mas, se observarmos bem, o que Pai João e Pai Zé Pedro, junto às Princesas na
Cachoeira do Jaguar fizeram, foi justamente remontar a essência original do sacerdócio
africano contido na Umbanda. Perfeito? Então naquele trabalho lá na Cachoeira do
Jaguar, eles reconquistaram por herança a Corrente Mestra, que havia sido, em seu
período na África, recolhida pela vaidade e pelo orgulho dos seguidores. Era um
sacerdócio, da mesma importância do que nós dispomos hoje. Então essa Corrente
operava na África, chegou um período que os sacerdotes, por vaidade, por orgulho, com
pretensões, começaram a descambar, e aí houve a interferência Divina.

29
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Um grande mestre, por nome Ciman de Ireshin provocou o cisma que tinha seu nome: o
Cisma de Ireshin. Ele recolheu a Corrente, e automaticamente aquele sacerdócio
começou a se fragmentar. E aqueles negros africanos, quando vieram, trouxeram os
remanescentes desta estrutura, desta cultura sacerdotal. E é claro que aí, já sofrendo
variações, de acordo com os próprios grupos que a traziam.

E no período, quando Pai João, regulando a idade, 14 anos, com Pai Zé Pedro, ali
chegaram, depois de toda uma sequência de episódios, até que se agregam, se reúnem
aquele grupo de 108 que vem a se fixar na Cachoeira, então, o que é que aconteceu ali?

Eles reconquistaram aquela Corrente, que perderam o direito um dia na África. Ela
então, reconquistada como herança, foi novamente recolhida por herança, o que facultou
à Clarividente Neiva, em nosso tempo, de traze-la. Porque aí já foi reconquista.
Reconquista de Pai João e Pai Zé Pedro, reconquista das Princesas.

Então hoje, esta simplicidade de nosso mestre, quando chega na Pira e:


“ – OH GRANDE ORIENTE DE OXALÁ ORDENE INTERCÂMBIO
TAPIR, TAPIR, ORIXÁ FULANO
SIMIROMBA ORIXÁ MAIOR...”

E ela se desloca, a segurança desta presença foi a reconquista, aquele trabalho árduo das
entidades na Cachoeira do Jaguar foi responsável por isso. Observem as dimensões!

Observem por exemplo a história, a história registra por exemplo o período da


escravatura, como uma mancha negra na História do Brasil, quer dizer, uma das
vergonhas da nossa nação é a escravatura. Mas, já pela visão Iniciática, foi um
gigantesco processo redentor, e é exemplo sempre de uma ação Iniciática, a história
desconhece.

É curioso por exemplo hoje, a gente perceber magos, nytiamas, mayas, príncipes,
ciganas, yuricys, e etc, nossas ninfas missionárias, nossos mestres missionários,
esquentando a cabeça em busca de respostas que transcendem este sistema formal de
informações, e questionando os seus Instrutores, os seus mestres ou suas Primeiras, em
busca de informações que transcendem este sistema formal de informações.

Nós precisamos começar a ensiná-los, que eles estão buscando aquilo que não se
encontra, porque se fosse fácil saber, a própria história teria em seus registros. Mas
observem que, o que é que se sabe sobre Maias? O que é que se sabe sobre Hawanakhy?
O que é que se sabe sobre a Península de Yucatã? O que é que se sabe sobre as
Pirâmides do Egito?

Observem que tem uma visão histórica formal, e toda uma série de hipóteses sobre a
construção, hipóteses de seu objetivo, hipóteses.... É sempre muito mais hipotético do
que afirmativo! Os cientistas se lançam a centenas de livros, existem muitos intérpretes,
mas são intérpretes em busca de afirmações. E todos são hipotéticos:
“– Eu acho – Eu desconfio – Eu almejo – Eu espero – quem sabe – talvez – é bem
provável – porque eu li – porque alguém estudou”

Mas ele nunca afirma com a segurança da verdade, mas como alguém que também está
em busca da Verdade.

30
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E se observarmos que, no sentido íntimo desta realidade “Pirâmides”, desta realidade
“Maia”, havia um sacerdócio ali contido, velado, restrito a um nível de pouquíssimos
que conquistaram, que se transcendiam para ter acesso. Então como hoje esperar que
alguém de nós justifique, se é um segredo realmente do Sistema Iniciático, é contido no
íntimo, e só é possível descortiná-lo na intimidade, ou seja, depende do indivíduo,
depende da ninfa em sua jornada pela sua evolução, pela sua harmonia, pelo seu
equilíbrio, pelo seu amor ir descortinando aquilo que o Plano Espiritual achar que é
necessário que descortine. Porque a coisa não é... Eu não vou de encontro ao que eu
quero, eu vou de encontro àquilo que me permitem, de acordo com o espaço que eu
gero.

Porque para a presença do mestre realmente, é preciso que eu, discípulo, ofereça
condição. Mas, particularmente agora no Vale, porque esse clima? Nós não estamos
com alguém numa referência para ensinar. Porque particularmente depois da passagem
de Tia, não passamos a viver o ciclo do mestre, mas estamos vivendo sobretudo o ciclo
do discípulo.

O mestre conduz o discípulo até um ciclo. Mas tem um ciclo que só é possível penetrar
através do próprio discípulo. Só o discípulo se conduz até lá, ele precisa conquistar essa
condição, para depois então outro mestre surgir, ele passar a receber o que lhe é
compatível. Salve Deus!

Isso é muito sério, e muitas das respostas, muitas vezes até provocadas pela
transcendência, eles estão até certos, a ansiedade do próprio espírito em busca de
respostas, mas não há como respondê-las, porque nós estamos caminhando também na
mesma direção, também em busca de respostas. E não haverá uma só Entidade
interessada em nos responder isso. Porque? Porque precisamos primeiro nos encontrar
com a realidade de nossas vidas, precisamos antes de tudo, não de nos encontrarmos
com respostas a esses mistérios do campo intelectual, mas precisamos encontrar as
respostas para os mistérios de nossa própria vida.

Antes de encontrar respostas para esses mistérios da visualização, da busca do


desconhecido, nós precisamos é entender o sentido do Evangelho e praticá-lo. É
proporcional ao meu desenvolvimento nos termos da Humildade de Tratamento, da
Tolerância de Compreensão, que vai formalizando o Amor Incondicional, é que eu vou
me encontrando comigo. E encontrando com meu próximo, e me estruturando para me
relacionar com os que se dizem meus inimigos, me assegurando na segurança necessária
para a vida e os relacionamentos.

Naturalmente, os outros valores decorrentes da condição Iniciática que temos, virão


parcela por parcela, de acordo com cada um, em cada um. Mas aí este mestre não está
na Terra, este mestre está no Céu. Salve Deus! É muito sério! Não é?

Uma das principais coisas, por exemplo, vejam bem que esta Doutrina, ela é muito
difícil. Porque que ela é muito difícil? Ela é muito complexa, e é também
complicadíssima! Porque? Por causa de nossas mentes!

31
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Quanto mais o homem tiver lançado-se a teorias, tiver se lançado a leituras, a
diversificação de culturas, de informações, fica mais difícil entender esta Doutrina,
mesmo a espírita tradicional.

Porque, vejam bem, que o próprio Kardecismo, ele sofreu muito pelos seguidores.
Kardec fez um ponto de partida extraordinariamente magnífico, mas os discípulos, os
seguidores, em muito pouco tempo, conseguiram fazer o Kardecismo se distanciar de
sua origem. Assim que os seguidores, para se assegurarem, começaram o
relacionamento com “mortinhos”, quando eles começaram a oficializar o contato com
recém-desencarnados, aí começou o "inferno" do Kardecismo. Salve Deus!

Ontem nós falamos que íamos conversar aqui a nível de Instrutores de Centúria. Então,
o que estamos falando aqui, eu quero lembrar que, se o médium levar daqui e for
conversar com outros médiuns do que nós estamos falando aqui, ele assume um
compromisso extremamente perigoso, de ser responsável pelo desequilíbrio de alguém.

Eu estou jogando aberto, eu estou preocupado com a cultura de Instrutores de Centúria,


e sabendo que de cem por cento do que vou falar, é para que seja aproveitado trinta,
vinte, dez, talvez zero por cento. Então, quem mais esteja participando, que está tendo
esta oportunidade junto a nós, por favor, nunca fale nos termos que eu estou falando.

Eu quero lembra-los Tia Neiva, porque ela sempre falava. Uma vez mesmo um mestre
questionou, em 1974, ele falou:
“ – Tia, mas Pai Seta Branca é tão grande hierarquicamente, porque é que a gente fala
Jesus? Não precisa chamar por Jesus. Basta falar Pai Seta Branca e a gente dispõe de
tudo”.

Pai Seta Branca, em Cristo Jesus, incorporou e falou:


“ – Meus filhos, quando vocês falam Jesus, é quando eu ouço melhor ...”

E aí Ele falou naquela linguagem dele em espanhol, que eu não saberia repetir, mas o
sentido é esse:
“ – Não estou interessado que as pessoas cheguem no Vale e acreditem em mim. Não
estou interessado que as pessoas cheguem no Vale e acreditem na Tia. Não estou
interessado que as pessoas cheguem no Vale e acreditem em mestre sol e mestre lua.
Não estou interessado que as pessoas cheguem no Vale e acreditem no Vale. Mas nos
preocupa que as pessoas, ao chegarem no Vale, saiam acreditando, sobretudo, um
pouco mais em si mesmas, e continuem amando o que sempre amaram, querendo o que
sempre quiseram, respeitando o que sempre respeitaram. Se chegar católico, que saia
mais católico, se chegar protestante, que saia mais protestante, se chegar umbandista,
que saia mais umbandista."

Agora, eu estou tratando dos assuntos aqui, em missão do Trino Presidente Triada
Ajarã, na condição de segunda pessoa de Arakén, diante de homens que vão partir, no
mínimo com dois templos para fazer uma cultura de um mestrado, e aí nós vamos falar
a altura do que é esta responsabilidade, certo?

Agora o Kardecismo continua grande, e Deus queira que permaneça grandioso, mas ele
é inapto para as situações obsessivas atuais do Planeta, e era para continuar grandioso!
Inclusive, se eles tivessem conseguido, Tia teria vindo lá! E nós continuaríamos eles,

32
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
não essa outra. Mas é que ele se distanciou tanto do princípio original do próprio
Kardec, que foi necessário que essa cultura viesse independente.

A própria Umbanda, se conservasse o seu sentido original, na essência do sacerdócio


africano, não teria sido necessário o Kardecismo. Kardec teria vindo em complemento
ao sistema Umbandista.

Se o sistema Católico, a grandiosidade da Nau de Pedro, de dois mil anos atrás, eles
tivessem, os seguidores dos Evangelistas, tivessem acompanhado a evolução da própria
perspectiva deixada por Jesus em sua essência original, Tia Neiva hoje, não seria o
Vale, mas seria uma expressão quem sabe no Vaticano, ao lado do Papa.

Porque o princípio de onde surgiu a Religião Católica, é o nosso mesmo princípio


trazido por Seta Branca. O princípio da essência esotérica é o mesmo princípio aqui
contido. O princípio do sacerdócio africano, da Umbanda original, original, falamos em
essência, não falamos em meios termos, não falamos em extensões, falamos em sentido
original. Ela está no Vale. Kardec está no Vale!

Aí então temos a importância do que seja a Doutrina do Amanhecer. Ela é a síntese


deste Universo. Analisem, prestem atenção, quando participarem de uma Unificação, da
invocação da Yuricy lá em cima. São as Sete Forças Universais invocadas e
concentradas em nosso Sistema. A nossa Unificação se traduz por todas as forças
contidas no sistema espiritual e convergidas para o Vale.

A mesma importância que ontem o Tibet teve como centro de concentração energética
para o equilíbrio do planeta, também o Egito foi um dia através de suas Pirâmides, mas
anterior ao Egito foi a Índia, mas antes da Índia foi a África, e hoje todo este sistema
está concentrado no Vale do Amanhecer.

Hoje é o Vale, no 5° Ciclo da Mente, o responsável pelo Ciclo de Transição deste


Planeta. Daí a nossa preocupação, e daí que eu não me furto em falar quando tenho a
oportunidade.

É claro, eu tenho pavor de falar como eu falava com o Beto (Trino Ajarã). Agora, eu
estou aqui já para ter uma dor de barriga, eu fico tenso, eu fico desajeitado, é da minha
linha.

Mas é sempre uma honra poder falar isso, principalmente porque é muito raro poder
falar. E vejam que está sendo tratado aqui neste instante, o que nunca foi tratado em
outros cursos aqui, pela importância do que os senhores vão desenvolver, pelo momento
que nós estamos vivendo agora. Isso é um investimento.... Isso é um investimento!
Tudo que está sendo transmitido aqui custou suor, sangue, marcas de chicote em pretos
velhos ontem na Cachoeira do Jaguar... E foi necessário esperar cinco mil anos, porque
tem cinco mil anos aproximadamente que ela se perdeu na África.

Analisem então quanto tempo Pai João, Pai Zé Pedro e essas Princesas, percorrendo em
sua transcendência, quer dizer, culminou no Brasil, na época da escravatura, eles
nascerem como escravos, virem para o Brasil deportados, perfeito?

33
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Isso sobre um carma terrível, porque principalmente eles tinham, o processo vivido por
eles em Roma era terrível. Tibério foi um deles, Marcos Vinícius, Pai João e Pai Zé
Pedro. As Princesas, quantas orgias, olhem! Na vida em Roma, quantos crimes
cometeram pelas suas belezas e tudo mais. Quer dizer, e simultaneamente eram
sacerdotisas extremamente importantes, que também eram responsáveis por aqueles
momentos de vaidade na África, e que depois de mil trajetórias reencarnaram na África
e foram deportadas como escravas, depois se reuniram àqueles sacerdotes. Jaguares!
Jaguares com a árdua missão de viver sob o chicote, sem o menor direito de exteriorizar
a transcendência de Reis, Princesas e Imperadores que eram, não é? E assim poder
liberar a manifestação da individualidade transcendente, e reconquistarem essa herança,
por eles mesmos e por nós perdida, e nos dar a faculdade, no Limiar do Terceiro
Milênio, através daquela mulher, que nasceria em 1925, em Propriá, lá no Sergipe, e no
momento certo, quando Deus permitisse, que ela tivesse o Doutrinador que invocasse e
ela chegasse, e recomeçássemos tudo de novo, o que a cinco mil anos atrás deixamos de
continuar fazendo.

Mestres, o que está contido no Vale, na importância de nossa missão, é


extraordinariamente importante. Quando a gente fala que a nossa Corrente é Cármica, é
Cármica porque a Corrente Africana aqui ela é Cármica. Mas porque ela é Cármica? Ela
é Cármica por nossa causa. Porque? Porque nós a impedimos pela vaidade de continuar
operando.

Então, foram milhares de Espíritos, milhares de quadros obsessivos que nós deixamos
de atender, que nós deixamos de facilitar a sua ação, e que nós nos tornamos
responsáveis.

E hoje, por transferência, junto, além desta Corrente como herança construtiva, também
vem todo um acervo de valores destrutivos, transformados em correntes, em espíritos,
ódio, vingança e etc., nós temos o dever sob esse mesmo governo, de proporcionar
aquilo que tiramos, aquilo que não proporcionamos, aquilo que evitamos.

É extraordinariamente, é fantástica essa nossa responsabilidade! Isso só estamos falando


na Corrente Africana! Nós não temos somente ela, mas também a Corrente Indiana que
está aqui em fusão com ela. São dois poderes imensos, e aí é uma outra história...

Salve Deus! Tia conquistou tudo! Salve Deus!

Mestres, é extraordinária a nossa responsabilidade, é extraordinária! Agora, nós temos


um problema, um problema seríssimo. Porque? Porque podemos afirmar, a um nível
como esse aqui, que realmente o pior negócio da Terra é o nosso! Porque? Porque é
Jesus! O pior negócio no momento no Planeta é Jesus.

Se analisarmos que todo mundo sai em busca de segurança individual, de assegurar-se


em patrimônios, em cada vez mais desenvolver possibilidades de fazer coisas que gerem
capital, que gerem dinheiro, que gerem a condição de ter uma casa cada vez mais
protegida dos demais, de se assegurar no relacionamento social, se o que está
predominando na vida é poder político, é poder financeiro, é o poder da beleza, da
sensualidade, o que é Jesus? É a inversão de tudo isso!

34
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então, não há realmente quem esteja disposto a ser seguidor de Jesus. Existem sim,
seres interessados em usar a força desta expressão para gerar recursos pessoais, e
dominar povo e povos, assegurar-se politicamente, alicerçar se na hipocrisia dos seus
relacionamentos, buscar a força da estampa, escudo para a estampa de suas fraquezas,
mas não para o exercício desta realidade chamada Jesus!

Então, Ele o pior negócio, e este é o nosso negócio! Para que nós continuemos
mantendo viva esta obra, se nós sairmos do princípio original “Jesus”, nós nos
perdemos da obra. Então, custe o que custar, precisamos ser por este princípio.
Isto não anula a luta de cada um dos nossos indivíduos por sua vida pessoal. Quer ser
médico? Então entra para uma universidade! Quer ser doutor em qualquer coisa? Então
tem que pegar os caminhos originais! Quer ficar rico, sonha com um carro zero? Então
tem que se desenvolver pela coerência, pelo bom senso, pela razão, pelo comportamento
apropriado à maneira de suas conquistas!

Mas, quando coloca o seu uniforme, e se diz representante deste Amanhecer, não tem
saída, tem que ser Jesus! Porque se sair deste princípio, não está mais em Seta Branca,
não está mais em Tia Neiva, portanto não está mais em nosso Ciclo. Não tem
possibilidade de viver este Ciclo do Amanhecer, fora desta imagem Jesus!

E para que a gente cada vez mais ganhe força na condição mediúnica, esse Jesus precisa
exteriorizar-se pelo nosso comportamento, pela nossa luta, pelo nosso enfrentamento,
porque aí esta condição mediúnica começa a ganhar a força da atitude, a força da
atitude! Que foi a grande barreira de todos os sistemas que falamos, e que não
conseguiram se sustentar!

Aonde foi que o Sistema Católico, a despeito de toda a sua grandiosidade não conseguiu
prevalecer? Ausência de atitude! O Protestantismo? O Kardecismo? O Vale das
Sombras ele é regido, ele é governado, simplesmente, principalmente por religiosos de
natureza, que chegaram ao mais alto topo de hierarquias religiosas. Mas o que é que
aconteceu?

Ele passou a conhecer o Evangelho de ponta a ponta, mas num ciclo que ele foi
simplesmente exigido a agir dentro daqueles princípios que ele passou a conhecer
intelectualmente, ele não teve capacidade! E esse mesmo Jesus que ele buscou em
conhecimentos, ele passou a condená-Lo, por ausência de respostas que só são possíveis
conhecer através da ação. É sair do pedestal do conhecimento e descer ao nível da
necessidade, e tornar a Lei de Auxílio a sua Lei das Leis. Mas é muito incômodo lançar-
se junto aos pobres, estropiados, etc.

Então neste instante, quando começa a se distanciar da dor do próximo, das dificuldades
do vizinho, do semelhante, começa-se também a se perder da possibilidade de
descortinar aquilo que ainda é mistério para ele, e que nós já descortinamos na
simplicidade deste Amanhecer!

Começa-se por não acreditar no espírito. Ora, sendo um espírito encarnado! Começa-se
a negar a presença de espíritos no Plano Etérico e no Plano Espiritual. Mas vive
afirmando que precisa ser bom na Terra para ir parar no Paraíso!

35
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Observem que cria-se um conjunto de disparidades na percepção, de ilógicas na
percepção que ultrapassam os limites inclusive do racional! E vejam, são as mais altas
expressões da chamada vida racional do Planeta. Voltamos agora à lógica, à ilógica, e a
lógica da ilógica... Salve Deus!

Observem mestres, que isso são tratados que realmente nem universidades ensinam.
Quando os psicólogos chegam no Vale, porque é? É porque principalmente se é um
psicólogo sério, que não está estudando psicologia simplesmente para usar psicologia
para engordar o bolso, ele é honesto, ele chega num ponto e ele esbarra, ele fala:
“ – Meu Deus! Mas não é nada disso, é tudo isso, mas tem mais coisas!”

Então ele só tem uma saída: é se tornar espiritualista. O parapsicólogo.... Não tem saída!
O psicanalista.... Não tem saída! Ele vai até um certo limite, mas os limites do estudo
racional, intelectivo. Mas para transcender, porque aí já vem o aspecto que só é
justificado pela transcendência, pela Lei do Carma, pela Lei de Causa e Efeito, e aí, qual
é a saída? Salve Deus!

No momento, pela originalidade, pela simplicidade e a objetividade, só existe um


sistema no planeta capaz de simplificar esses conflitos, e indicar o caminho a tomar, e
ele está contido na Doutrina do Amanhecer.

Porque lá fora, os grupos, por mais bem que estejam, como por exemplo o Catolicismo,
o Catolicismo ainda se mantém de pé por causa dos horários. Graças a Deus por eles
terem conseguido manter pelo menos o ponto das seis horas, manteve a grandiosidade
até hoje. Vejam só, um ponto formado num horário, e eles continuam existindo até hoje!

E é claro, mais a essência de um ou outro missionário que nasceu em seu bojo, e é um


Francisco de Assis, e outros, então ela se manteve viva, a despeito de todas as
disparidades, preocupadas com o sistema social, político e financeiro, mas ainda
existem aqueles verdadeiros missionários no íntimo dela, que conservaram uma
essência crística, e ela se mantém alicerçada sobre os horários dos demais, que mesmo
sem a essência, se comportam, se mantém.

Como nosso Sistema, noventa por cento não tem a realidade do que seja a Doutrina, e
nem se comportam dentro desta realidade doutrinária, mas pela força contida aqui
dentro, pela afirmação dos pontos, pela estrutura da cultura, funciona o sistema e
alcança a todos que mais necessitam. Salve Deus!

Porque não criticarmos nenhuma posição religiosa? Porque nós somos católicos! Nós
somos protestantes, nós somos kardecistas, nós somos umbandistas, nós somos tudo!
Porque essas divisões para nós não existem! Nós não nos preocupamos com esse tipo de
coisa:
“Ah, é Católico, Protestante...”

Não! Não! Nos preocupa Jesus em sua essência, e sabemos que eles também são.

Agora, pelo fato de não terem desenvolvido condições em si mesmos de desenvolver


esses princípios, de conhecerem esta realidade, então nós temos que respeitá-los muito
mais! Inclusive nós nos tornamos responsáveis! Porque? Porque temos que fazer nossas
Unificações, nossos Quadrantes, e alcançar povo e povos. Como eles ainda não

36
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
entenderam, não estão se ajudando o suficiente, nós então ajudamos, em nossas
concentrações, que eles encontrem o que precisam, indiferentes à consciência ou
inconsciência que tenham, porque não nos compete. Sabemos disso porque aprendemos
com Jesus. Então estamos aqui, ininterruptamente concentrados em função de povo e
povos.

Ele não tem, o católico, dever de compreender a nós Espiritualistas do Vale; mas nós,
Espiritualistas do Vale, temos a obrigação de entendê-los como católicos. Ninguém tem
a obrigação de nos compreender, mas nós temos o dever de compreender a todos os
demais, e respeitá-los como são.

É extraordinário, e isso é Jesus! Agora analisem que isso, ninguém quer pensar assim:
“ – Não, eu gosto de você se você fizer o que eu acho. Você tem que vir para o meu
lado. Eu sou botafoguense, você tem que ser botafoguense para mim gostar de você.
Você tem que ser doutor igual eu sou doutor. Você tem que ser isso ou aquilo igual eu
quero, você tem que ser à minha imagem e semelhança...”

Não é assim? Todo mundo está condicionando todo mundo. Tudo na Terra é
condicionando os valores para os grupos que se associam, se reúnem por
familiarizações, é atendendo conveniências. Cada vez mais estamos, na Terra, os
homens se fechando em sociedades de afinidades, de padrão financeiro, de padrão
intelectual. Então:
“– Não, esse aqui serve para nós, aquele não serve.”
“- Não, você é o quê? Protestante? Não, na minha Igreja você não entra!”
“ – Não, eu sou Espírita.”
“– DEUS me livre! Cruz credo! Na minha Igreja você não tem acesso...”

E sendo que Jesus é a inversão dessas condições. Não se tem o direito quando se diz
“Jesus”, de discernir assim, de escolher, de separar pessoas:
“ – Não, você serve, você não serve; você pode, você não pode...”

Não! Porque para o Sistema Universal não há direito de escolha, não há direito de
impor, de denegrir, de escolher, de separar, de dividir.

Então realmente ninguém está disposto a seguir Jesus. Está sim, em um Jesus criado às
suas imagens e semelhanças também, um Jesus adequado às suas concepções:
“ – Não, o meu Jesus é mais certo do que o seu, porque o meu Jesus, ele atende o que
eu acho que é certo..."

Aí você já entra em choque, já dá um tiro nele, porque o seu Jesus é mais certo do que o
dele. E aí se matam por um Jesus, sendo que Jesus é a mais alta expressão da vida, e
inclusive é a única possibilidade de viver a vida em toda a sua extensão.

Porque Jesus, em nenhum aspecto é anular-se da vida. Jesus é, por excelência, o


reencontro com a vida, seja ela em qualquer plano. Porque viver a essência “Jesus” não
significa, em hipótese nenhuma anular-se dos valores da Terra, muito menos psíquicos,
muito menos espirituais. Mas é aprender a viver as nuances do físico, do psíquico e do
espiritual. É viver a vida, ser um ser humano normal, comum, não é? Salve Deus!

37
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Tem certas coisas que transmiti aqui que é com pesar, me custaram muito caro saber. E
pela característica da minha jornada, ou eu sabia ou eu era “engolido”, porque muitos
desses casos de repercussões que os senhores ouviram, que os senhores sentiram, que os
senhores souberam, eu estava ao lado, eu estava lá.

Então, sem nenhuma diferença da jornada de nenhum jaguar ou ninfa preocupados em


saber, em entender, e quantas coisas, quantas repercussões, quantos acontecimentos já
chegaram aos ouvidos dos senhores, que gerou conflitos, que gerou insegurança, que
gerou problemas, eu estava lá, eu estava ao lado, eu estava junto, e eu continuo junto!
Então, pela minha natureza também de busca, ou eu entendia ou eu era “esganado”, não
é?

Então vai passando o tempo, você vai percebendo que as pessoas são muito mais
propensas a falar do que a ouvir. Todo mundo! A natureza, é natural mais que o
indivíduo fale do que ele ouça. É muito pouca gente em condições de ouvir. Podem
observar que a maioria das pessoas fazem uma pergunta, e nem dá tempo de você
responder ela mesma já começa a falar.
“ – Oh Fulano, o quê que você acha disso?”

Aí você:
“ – Olha, ...”

E ele já:
“ – Blá, blá, blá, blá, blá...”

Nunca dá tempo! É muito pouca gente interessada em saber realmente, ele está mais
interessado em prevalecer suas ideias, suas concepções, suas frustrações, suas mágoas,
seus conflitos, do que dispor-se a escutar, dispor-se a ouvir. Nós não temos pessoas
dispostas a realmente querer conhecer, nós temos pessoas realmente, em grande
quantidade, é querendo ensinar. E a arte mais difícil que existe nesse planeta é a arte de
ensinar!

Quem se dispõe a ensinar precisa estar ininterruptamente disposto a aprender, porque


senão perde a perspectiva realmente do ensinamento. Então algumas das coisas, dos
valores que estão sendo transmitidos, para não dizer todos, aonde não custou um suor
muito grande, uma imensa jornada para chegar às conclusões, custou de alguém. Então,
nunca deixa de ter um custo muito alto.

A razão de Pai Zé Pedro e Pai João na Cachoeira, tem muito pouco tempo que se está
falando. Esta realidade exposta do transcendente e a importância de todas as religiões, e
contidas no nosso sistema, também nunca foi falado. Mas custou muito caro, muito
caro. E é tão caro, e é uma pérola tão preciosa, que não se fala, que não se dá, que não
se transmite.

É só mesmo num momento muito preciso. Porque? Porque é preciso que resulte num
investimento, se torna uma coisa tão importante que você já não fala mais por falar,
você transmite, mas espera um retorno. Eu espero um retorno do que está sendo feito
aqui, eu estou já me cobrando o que está sendo feito aqui. E a minha cobrança do que
está sendo transmitido é saber:
“ – Olha, mais um grupo foi formado lá, e o pessoal está extremamente feliz...”

38
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
É você ver alguém:
“ – Puxa, mas melhorou tanto o Templo lá...”

Ou mesmo tempo está arrebentando de conflitos, mas tem um grupo firme, tem um
grupo de centuriões lá sustentando a peteca, entendendo os valores, e passando por cima
dos problemas, entendendo que problemas são naturais, quer dizer, esta é a minha
cobrança! Compreenderam?

Essa é a cobrança! É saber um dia, você cruzar no meu caminho, ou eu ficar sabendo
que aconteceu algo extremamente desagradável contigo, e você passou por aquilo na
maior tranquilidade, porque graças a alguma coisa que foi transmitida na sua cultura,
quer dizer, é nisso que começa a ter o retorno. Esta é a importância de se investir,
porque isso aqui é um investimento, é investimento físico, financeiro de todos os
senhores aqui, investimento de toda espécie.

Mas muito mais precioso é o investimento espiritual, porque aqui estão se transmitindo
segredos, que vai lhe ser cobrado! Enquanto eu cobrar tudo bem, porque eu sou eu, não
é? O que eu sou? Não muita coisa, só mais um jaguar. Mas, eu vou lembrar-lhes Jesus:
“ – Ao que tem ser-lhe-á dado e ainda sobre o que tem será acrescentado, porém muito
será exigido. E ao que não tem, ainda o que pensa ter ser-lhe-á tirado...”

Os senhores já ouviram repercussões de homens do nosso meio, jaguares, companheiros


de jornada, que tiveram muito, e não estão mais aqui.... Até o que pensou ter, ou aquilo
que pensávamos que tinha, deixou de ter... Salve Deus!

Jaguares, é muito sério! Já tivemos grandes, hoje nem sabemos mais o que é. Já teve
tanto, e nem ao menos sabemos se ainda dispõe... Então numa jornada, quando fala
“Jesus”, eu volto a dizer, é muito difícil, porque realmente, difícil porque? Por causa da
pouca disposição que normalmente temos em compreender, porque nós temos mais no
nosso impulso natural a busca de ser compreendido.

E que se dispõe a uma jornada nos termos desta Doutrina do Amanhecer, ele não deve
esperar ser compreendido, mas ininterruptamente lutar por compreender. O propósito
dele não é ser compreendido, não é cobrar entendimento para si, mas cobrar de si
mesmo entender o que nos cerca e de quem dele depende.

Quanto mais conhecer, quanto mais divisar, quanto mais se assegurar da realidade do
espírito, da realidade da Doutrina, não é possível crescer! Não pode crescer! Não pode
ficar grande, não pode se colocar acima dos demais, porque senão contraria também
Jesus. Tem que se tornar pequeno, tem que descer. Não se pode exigir que as pessoas
subam até nós, temos que descer até eles, temos que levar a mensagem aonde precisa. E
saber também quando possível dizer, quando preciso dizer, tanto quanto quando calar. É
preciso saber discernir o espaço. Há espaço? Então diga! Mas este espaço também tem
limites, é preciso também aprender a discernir o limite, a extensão da informação, a
medida do ser dito.

É preciso não ter respeito pelo seu tempo, mas acima de tudo respeito ao tempo daquele
que vai te ouvir. As pessoas não têm consciência de seus limites e nem gostam de

39
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
imaginar que tem limites, mas nós temos o dever de saber os nossos limites, nossa
especialidade, nosso gabarito. Salve Deus!

Ontem por exemplo, o que é a Doutrina do Amanhecer? É uma Doutrina Universal com
base no Sistema Crístico, ou seja, é uma Doutrina que não existe por concepções
puramente humanas, filosóficas, mas uma Doutrina que vem essencialmente pelo
sistema espiritual, inspirada pelo Sistema Divino.

Esta Doutrina do Amanhecer não é filiada a nenhuma organização doutrinária, porém


resistente a todas as religiões e doutrinas. Na Doutrina do Amanhecer não fazemos
proselitismos, ou seja, nós não estamos preocupados em conquistar adeptos.
Simplesmente estamos aqui. E venha quem quiser vir nós temos o dever de
proporcionar o que temos de melhor, e não importa que elas fiquem ou vão, que
permaneçam ou não.
Nesta Doutrina respeita-se o livre arbítrio, não se induz, não se força, não se determina
destino de pessoas, porque respeita-se o livre arbítrio, e este livre arbítrio é um dos
princípios básicos da Doutrina de Jesus.

Não se cobra pelo atendimento, porque ainda preservando os princípios básicos desta
mesma Doutrina de Jesus, Ele deixou claro que é dando que se recebe, mas é dar de
graça o que de graça recebestes. E é só, não tem mais o que dizer, estes são os pontos
básicos. Mas existe muito mais para ser dito.

E é claro que no instante da inspiração, entre o que é essencial confirmar desta condição
para a tranquilidade mental, psicológica de quem o procura, porque? Porque quem vem
a nos procurar, a maioria já está esfacelado, já está dilacerado, já está totalmente
desacreditando de tudo, de todos e de si mesmo, e normalmente vem atrás de nós na
última esperança.

Então, transmitir para ele esses princípios, que não ferem a sua integridade física,
pessoal, profissional, moral, etc., já é uma segurança para que ele sinta um princípio de
confiança no caminho que se descortina para sua jornada.

Então qualquer coisa, depois dessas informações elementares básicas que é a Doutrina,
aí é de acordo com a sua inspiração e é claro, a vontade de quem te rege. Mas tem
aspectos que são fundamentais que se diga:
● Não se cobra pelo atendimento. É o mesmo Princípio da Doutrina de Jesus
sintetizada em Humildade, Tolerância e Amor.
● Respeita-se o Livre Arbítrio das pessoas.
● Respeita-se todas as religiões. É um grupo apolítico, não tem formação
partidária, político partidária. Todos cumprem seus deveres de cidadãos lá fora,
votando segundo a sua livre e espontânea vontade, mas não se faz política
interna, não há partidarismos políticos.

Quer dizer, esses princípios fundamentais o Instrutor precisará transmitir, mas o que
vem, aí sim, é acréscimo. É pela emanação, é pela inspiração, é pelo envolvimento, pela
impregnação desta realidade doutrinária.

Então, tem aspectos fundamentais para o Instrutor dizer, tem os aspectos que são de sua
cultura pessoal e sua vivência íntima. E tem aquele outro aspecto, que aí nós já não

40
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
temos como coordenar, como dizer. Mas na amplidão dos valores, aquilo que ficar
contido em você, aí você saberá como dizer, será o complemento, será o acréscimo, será
a parcela a mais, será a parcela do afago. Salve Deus!

Esta Corrente por exemplo. A primeira preocupação com a Corrente por uma questão de
sintonia dos adeptos, dos seguidores, daqueles que se dispõem a frequentar a Doutrina,
é aquele princípio de manifestação. Porque a Pira? A Pira é o centro de referência
principal de manifestação de forças no Templo. E ela é o centro de referência,
sobretudo, de ação da Corrente Mestra em sua ação vertical, para o resultado dela no
Templo no sentido horizontal.

Então ela chega na Pira, ela percorre todo aquele centro. Todo aquele centro! Pegando
como base o Templo-Mãe, ela se fixa em ação básica, se fixa em sua concentração, da
Pira até o Pai, ao Radar, ao Pai, a Pira, até as imediações do Randy.

Mas vejam, ela projeta também dando assistência quando necessário na Cura, Juncão,
Inducão, e aonde se faça necessária no Templo. Até nas concentrações externas do
Templo no Trabalho de Prisioneiros. Mas a sua ação concentrada é neste ciclo de
movimentos no Templo: Pira ao Pai, ao Radar, ao Pai, à Pira, Randy.

Este fator, ela desce, vem, sai envolvendo as Correntes, envolvendo as impregnações,
subindo, manipulando, já voltando. Como não há desperdício, correntes negativas já
sobem sendo transformadas, revertidas em sua polarização, já sendo positivadas,
energias negativas já vão sendo transformadas e sendo curadoras, quer dizer, tudo vai
passando por todo um processo de transformação. Nada se perde, tudo se transforma,
ininterruptamente nesta ação.

O fato do mestre passar no centro do Templo e abrir o plexo, é para evitar um choque
nesta manifestação, nesta circulação desse sistema magnético da Corrente. Então isso é
importante que se diga. Bom, o que mais podemos dizer?

O responsável pela projeção desta Corrente é um Orixá, ele é um Orixá de Orixás. Um


Orixá é um comandante ou um chefe de falange, ou falanges, ou legiões. Um grandioso
espírito que ocupa uma grande condição numa Hierarquia Espiritual, e no caso, este
Orixá tem o nome de Tapir.

E da Torre de Marselha então, com suas legiões, ele projeta e governa esta Corrente. Ela
está situada em Mayanty.

Mayanty por sua vez é a mais recente Casa Transitória edificada no espaço. Ela
começou a ser construída pelas Legiões de Pai Seta Branca em 1959. E ela foi
construída especificamente para assistência deste Amanhecer.

Da mesma maneira como “Nosso Lar”, já cultivada, transmitida pelo grande médium
Chico Xavier, que é uma gigantesca Casa Transitória para espíritos que já se libertaram
de grandes etapas dos seus carmas, é um centro de recuperação, de readaptação, e etc. O
Canal Vermelho já é uma estrutura de nossas Legiões, mais especificamente para o
atendimento de nossa região, e outras quando se faz necessário, sob o governo de nosso
povo. Mas nós vamos falar sobre isso mais na frente.

41
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E Mayanty é uma casa transitória que podemos dizer nossa, é de lá onde operam os
nossos médicos, nossos pretos velhos, os caboclos, então é a base de ação entre o mais
alto espiritual e a nossa condição nesse plano, parte de Mayanty. A base, a base de ação
direta sob o nosso Sistema.

A partir mesmo de Tia Neiva confirmada nas Consagrações básicas, que o Pai Seta
Branca se assegurou que não havia mais retorno. Então neste mesmo ano de 1959, como
já confirmou numa de suas mensagens, aí ele começou a nossa distribuição geográfica,
que um dia iria convergir com o nosso encontro com essa Doutrina. E simultaneamente
nesse ano ele com suas Legiões, começou a construir Mayanty.

Vejam bem! Então, tanto quanto eles também tinham dependência de Tia:
“– Como é que é, ela consegue ou não consegue? Ela vai conseguir superar ou não
vai?”

Então, proporcional à segurança que ela ia transmitindo para eles, eles iam também se
movimentando, se ajustando e adaptando. Foi um conjunto gigantesco de ações. E onde
as repercussões, tanto quanto na Terra:
“ – Puxa, você já viu falar no Vale?”
“ – Acho que algum dia eu vou lá, tem uma tal de Dona Neiva lá, não é? Dizem que ela
vê tudo...”

Pois é, então também no Plano Espiritual, as repercussões no Mundo Espiritual, muitos


espíritos de outras linhas, de outras falanges, de outras legiões, de outros sentidos, de
outros propósitos em Cristo:
“ – Olha, soubemos que um Grande Espírito está implantando uma obra. Jesus parece
que permitiu uma obra na Terra com ação direta...”
“ – Quem é?”
“ – Seta Branca. “

Então, começaram a também se interessar, começaram também a procurar saber,


começaram também a querer conhecer. Então muitos também começaram a se agregar,
se unir, se reunir com esse propósito. Então começaram a formar convergências de
linhas sob este governo. Também foi um trabalho de conquista. Assim na Terra como
no Céu...

Proporcional às conquistas aqui, porque muitos espíritos, grandes de hierarquia, nunca


tinham ouvido falar de Seta Branca. Não se surpreendam muitas vezes, se manifestar
alguma entidade kardecista e ele não ter a mínima noção de Tia Neiva. Tem várias
entidades nossas que nunca viram o Pai. Salve Deus!

Quantos viram o Itamar (Presidente da República) de perto aqui? Salve Deus!

Hierarquia! Hierarquia! Hierarquia! Vejam bem que na Legião dos Caboclos por
exemplo, Oxosse... A gente fala em Caboclos, e é curioso que a gente até... Caboclos,
Linha de Passe lá, a gente nem dá muito valor, não é? Caboclos... Caboclos... E falamos
na Legião do Grandioso Oxosse! Primeira raiz nativa protetora desta Tribo, e a única
que nos dá a possibilidade de desenvolvimento do Sol Interior!

42
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Uma Raiz! Não é só uma Legião, é uma Raiz! Oxosse não é simplesmente uma Legião,
é uma Raiz! É o Grandioso Oxosse! E a gente brinca, a gente fala, e tal, ninguém dá
muita bola. E em 1959 inclusive, uma das consagrações que mais marcaram Tia foi na
Força das Matas, que só é proporcionada na Linha dos Caboclos.

Eu até, esta Carta vai ser distribuída agora, talvez no domingo, dia 17, se me oferecerem
ambiente, mas eu vou trazer uma sequência dessa Carta para cá. Ela nunca foi mostrada
esperando ambiente. Mas aqui está me exigindo muito mais do que eu pensava que ia
dizer, então vamos trazer para cá, para vocês. Salve Deus!

Então mestres, a gente às vezes trata com muita irreverência, com muita simplicidade, e
a gente não sabe. Essa Legião de Oxosse por exemplo, se você fala Seta Branca, não há
um só caboclo, como Tia afirmava pela clarividência, que não fizesse imediatamente
uma reverência. Só falar o nome dele, eles imediatamente fazem uma reverência. E se
uma outra entidade pergunta ele fala:
“ – Ah, o Grande Seta Branca..."

Ele nunca tem a ousadia de falar simplesmente Seta Branca, ele sempre coloca uma
denominação anterior justificando a grandiosidade desse espírito:
“ – Ah, o grande ... Ele falou no grande.”

Quer dizer, o conceito do Pai é extraordinário. Porque vejam bem meus mestres, quando
nós falamos Oráculo de Olorum, Oráculo de Obatalá, nós não falamos, nós falamos em
três poderes totalmente distintos, mas que aqui, para vir aqui, todos eles passam pelo
Oráculo de Ariano.

A Força desses Oráculos não vem direto para cá não. Passam primeiro pelo outro para
chegar aqui. Porque? Porque lá está Seta Branca, o Simiromba de Deus, Raízes do Céu,
Oráculo de Ariano! Está neste Oráculo contida a responsabilidade atual do governo dos
destinos deste Planeta. Porque? Porque na Linha de Simiromba está Arakén. E quem é
Arakén? É o responsável pela Lei de Causa e Efeito que governa o Planeta! Então quem
governa os destinos da Terra? É o Oráculo de Ariano, é o Oráculo de Simiromba.
Vejam nossa responsabilidade, meus irmãos e meus mestres!

Então todos os demais Oráculos, na circunstância atual, projetam seus poderes, suas
forças, para este Oráculo, e deste Oráculo é retransmitido na força decrescente dos
nossos Continentes, para ação em nosso Sistema. Salve Deus!

Isso também nunca foi falado. Salve Deus!

Nós nunca podemos deixar, principalmente um Instrutor, alguém a nível de comando,


alguém de nível de liderança, insistir sempre, quando estiver com o corpo mediúnico,
nos princípios da fé, mas também da razão, do amor e da ciência.

Nunca também, como agora, os seres humanos estão propensos ao fanatismo e a


superstição. E no nosso meio é muito possível esse tipo de condição. Porquê? Porque
ainda persistindo na informação, confirmando, reconfirmando a condição do nosso
“péssimo negócio”, como não temos portões fechados, quer dizer, é sempre aberto a
todos que vêm, automaticamente não podemos separar pessoas com várias tendências
religiosas para que nos procurem.

43
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Automaticamente são pessoas viciadas, que trazem suas esquizofrenias, seus muitos
males hábitos, e vão parar aqui dentro. Até essas pessoas desassimilarem de suas
mentes, de seus corações as muitas informações, as muitas neuroses adquiridas lá fora,
nós temos que esperar que elas... E temos que conviver com elas...

Então, cada vez mais vai ser comum incorporações das mais estranhas, pessoas com
mensagens das mais esquisitas, não tem jeito de eliminarmos isso! Mas isso sempre vai
exigir de nós um trabalho constante para ir transformando isso, já que também não
podemos eliminar isso.

Ou seja, nós não estamos para eliminar coisa alguma, mas para transformar o que é
negativo para o positivo. E qualquer tipo de manifestação que surja em qualquer
Templo, porque sempre houve, há e haverá, lá e aqui, pessoas com tendências à
clarividência, à vidência, à audiência, visões, sempre haverá!

Veja bem, os vícios lá de fora, de outras seitas ou doutrinas, mais ainda o fator cármico,
porque tem um problema: o médium, principalmente o que não manipula, que não tem
um mínimo de princípio em manipulação, pela sensibilidade oferecida pelas Iniciações e
Consagrações, ele pode também começar a viver quadros puramente psíquicos, ter
visões deformadas, provocadas pelo seu próprio desequilíbrio, e começar a traduzir isso
como o desenvolvimento da mediunidade. E ele está muitas vezes margeando é a
esquizofrenia. Vejam bem que ainda se trata naturalmente pela psicologia, pela
parapsicologia, como esquizofrênico, normalmente a base das internações são pessoas
alcóolicos, em primeiro lugar, em segundo toxicômanos que chegaram a esquizofrenia.
O que é mais raro, em terceiro e último caso, é a esquizofrenia natural. Concordam?
Perfeito?

Muito bem! Mas nós estamos vivendo já o ciclo do planeta onde você não vai encontrar,
não vai encontrar base para explicar a esquizofrenia, porque não vai haver nenhuma
relação na família, nem na infância, nem na juventude naquele homem ou mulher.
Nunca terá a transcendência, quer dizer, de contato com droga ou álcool, e começará a
estar revelando um quadro esquizofrênico. Ele não terá saída, a não ser justificar pela
mediunidade. E então, tanto quanto aquele que nativo, já nasce esquizofrênico, sabemos
que está contido no carma, e na relação da ação desse carma na mediunidade. Sabemos
também que a droga e o álcool vão impregnando o sistema orgânico do indivíduo,
enfraquecendo as células, certo? Proporcionando cada vez mais a assimilação por seus
cobradores com seu organismo, ao ponto de anular a personalidade pessoal e ocupar
aquele corpo, também este último e terceiro caso, onde somente pelo nosso Sistema será
possível proporcionar condições, em Deus Pai Todo Poderoso.

Então muitos médiuns iniciados, grandes médiuns nossos, pela falta de humildade em
trabalhar numa Mesa e manipular sua Força Vital, de pelo menos uma vez ou outra estar
num Trono, para essa Força conjugada de Caboclos e Pretos Velhos, que é a Força
Básica Desobsessiva, quer dizer, ele não se cuidar, pelo menos numa manutenção
básica, ele poderá começar a revelar um quadro alterado da percepção, que se não for
cuidado ou alertado, poderá conduzir à esquizofrenia.

44
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Esse é um dos nossos riscos! Há muita proteção! Daí o fato, a Tia, quando por exemplo,
o Plano Espiritual fala, se é de Templo externo, veio no Vale, faça uma Escalada, pelo
menos uma, porque é manutenção!

Sessão Branca! Ela é fundamental para o fortalecimento do centro nervoso físico. É a


força vital nativa das matas, fortalece o sistema nervoso físico.

Então, tudo isso são energias que vão dando condições de equilíbrio a esta relação
físico-psíquica do médium. Vai mantendo ele fortalecido, vai mantendo ele em
condições de ir rompendo sua jornada, e de ir convivendo com seu fator cármico, sem
alterar o seu equilíbrio psíquico. Então há necessidade!

Quer dizer, o médium que só vai pra Sandays, isso é um risco! Ele precisa de Mesa
Evangélica! E essa possibilidade de entrar nesse quadro não é só do apará, é também do
doutrinador!

Então nós Instrutores, nós que estamos à frente... Á frente, porque nós estamos à frente!
Nós que sempre temos um grupo para falar, que temos um grupo para nos ouvir, é uma
Primeira de Falange, é uma Coordenadora, então é preciso estar alerta para estes
aspectos simples, básicos, porém fundamentais, porque são intrínsecos à vida do
indivíduo, à sua vida pessoal, familiar, profissional e mediúnica. Porque são
desequilíbrios que afetam os Três Reinos da Natureza, nós temos que estar atentos...

Então, de todo esse conjunto de valores que estamos falando, uma coisa nós precisamos
estar sempre alertas, o que é fundamental, o que é essencial dizer, o que é essencial
alertar, o que é essencial informar. Então, o que é essencial estará sempre em primeiro
lugar.

Agora, tudo que passar desse essencial, já é aquele essencial por acréscimo, são os
aspectos das coisas um pouco além, que eu fiz muito aqui, não é? Eu fiz muito nestas
duas primeiras reuniões aqui, foi transmitida muita coisa que não é fundamental, mas
que está contido no fundamental. Eu estou te provocando a ter liberdade, para ficar no
fundamental com acréscimo.

Foi o luxo que eu não tive, mas que me deixa feliz passar. Vou cobrar o retorno! Eu
diria inclusive que talvez, eu tenho certeza que o próprio clima está exigindo que vá
além, porque senão eu não estaria sendo dito, eu estaria desarmado, eu estaria inseguro
para dizer.

Então há uma necessidade no momento aqui, não sei como é que ela está manifestada,
em quais ninfas, em quais corações, em quais indivíduos, mas se está saindo com essa
segurança, com essa tranquilidade, se está tudo tão receptivo, não é porque é minha
vontade, eu preciso aceitar que é a vontade de quem me rege... ou que nos rege, não é?

Porque é o meu Ministro que está aqui? Meu Cavaleiro? Minha Princesa? É Ajarã? Ou é
Aluxã? Ou é o mentor da Nair? Ou o mentor do Dias? Qual o mentor? Seria muita
ousadia minha dizer:
“ – Ah, meu Mentor...”

Neste instante todos são mentores de todos nós, não é?... Salve Deus!

45
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Mas a tendência natural está sendo de se perder do fator natural... A tendência natural
está sendo perder-se do fator natural. E esta Doutrina é indutora do sistema natural. Ela
não é indutora do antinatural, pelo contrário!

Cada vez mais as pessoas estão se condicionando ao fantástico e ao “Deus me livre”,


sociedades se fechando, buscando a serra de não sei de onde, as matas de não sei que
lugar, os mares de não sei pra que lugar, já tem grupos idealizando uma colônia na Lua,
totalmente isolada dos seres humanos da Terra, já tem grupos se isolando em sociedades
não sei aonde, alguns grupos investindo milhões de dólares em uma cidade subterrânea,
já são grupos formando uma civilização separada, cercada de muros no deserto de não
sei aonde...

Esta é a tendência! São castas especiais. Isso tem na Suíça, na Suécia, tem na
Alemanha, tem na França, tem na Itália, tem nos Estados Unidos, está tendo no Brasil
aqui, aqui pertinho, em Quirinópolis. Nós temos em todas as partes do país gente
procurando regiões mais fáceis para os discos voadores, para os contatos com os
extraterrestres, para as mensagens divinas.

Então está todo mundo, há uma tendência natural à fuga do natural. Está todo mundo se
lançando às perspectivas do surrealismo, do fantástico, de um Jesus que vai chegar e
estalar os dedos e resolver todos os problemas da Terra, de um Jesus que não há
necessidade de luta, de persistência, de trabalho.

Cada vez mais cultua-se a imagem de Jesus como travesseiro ou cama. Jesus é
repouso... Jesus é para deitar e descansar, e aguardar a Vida Eterna...

Fazer jus ao Paraíso é só ser bonzinho e ficar quietinho.... Estão invertendo tudo! E ao
mestre jaguar, a ele compete mudar a rota do pensamento estabelecida no planeta. Sem
interferir, mas nos compete esta responsabilidade. Porque Jesus está se tornando o
símbolo da morte, e nós sabemos que é o Símbolo da vida!

Não é o símbolo da acomodação, porém da luta, do enfrentamento, da persistência. É


aquele que dá forças para partir para a guerra. Então nós precisamos, sempre, esses
aspectos fundamentais, insistir com isso.

Porque particularmente no nosso meio, podem se preparar, que cada vez mais teremos
médiuns com tendências desse nível. E nós temos que ajudá-los. Irão precisar muito do
doutrinador, como vão precisar muito do exemplo de aparás equilibrados, conscientes,
não é? Para que sejam espelhos desses muitos. Salve Deus!

“– Faça de tua parte e eu farei da minha...”

Foi claro, não é? Jesus falou. Seta Branca dois mil anos depois:
“– As Leis Físicas que te chamam à razão são as mesmas que te conduzem a Deus...”.

Observem que não há como destoar da realidade, da verdade, ela é sempre única! Aonde
se manifestou a verdade? Na África, na Índia, no Egito, etc., no coração de Kardec, de
Francisco de Assis, etc. É esta mesma verdade que está aqui, só que atualizada. Mais

46
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
ampla na extensão das mensagens, comunicações, a estrutura técnica, científica,
filosófica, mas sempre a mesma verdade!

Porque? Porque ela é resultado do Sistema Crístico. Então não há como se alterar, se
influenciar, ela é sempre a mesma, ela é eterna! Um dos mais simples testemunhos da
manifestação do Sistema Crístico é a consciência humana! Ah, como foi duro chegar até
isso mestres, não é? Não importa quando ou onde nasça alguém, ele sabe exatamente
quando erra, sabe exatamente quando acerta.

Não importa como, Cheyene, Sioux, Apache, Tapuia, Yanomani, não importa onde!
Estados Unidos, Austrália, China, Japão, Brasil, Ceará, Nordeste, qualquer lugar! Não
importa onde nasça. Tomou consciência de Deus, sabe que já é gente, já sabe
exatamente quando erra e quando acerta sem precisar ninguém dizer. Os Carajás sabem
perfeitamente como se comportar na Tribo para fazer jus aos Campos de Tupã, aos
Campos da Paz.

Não importa como se conceba Deus, se o clamem como Alá, Tupã, Deus, Jeová... Não
importa como!
Observem que o Princípio Divino é o mesmo, não se altera. É a exigência na linha do
comportamento também é a mesma! O respeito por si mesmo e o respeito por seus
semelhantes. E qualquer ser humano, não importa a Tribo, não importa o meio social,
ele tem exata noção de quando transgrida os princípios, e de quando cumpre esses
mesmos princípios. Isso é o sistema manifesto através desta Doutrina. Salve Deus!

É, só essa Doutrina do Amanhecer para oferecer isso no momento deste Planeta. Só era
possível saber isso nos momentos que estamos vivendo, tão conturbado, de tantos
conflitos, de tantas inseguranças, de tantas dificuldades, de tanto medo, de tanta
indecisão, tinha que vir uma mulher mesmo...

Desta vez a Doutrina Secreta precisava vir através de uma mãe! Estava tão violento que
só a mãe, só uma mãe era possível. E tinha que ser uma mãe com o laço de uma
transcendência extraordinária! Alguém que foi um dia Nefertiti que foi Pítia, que foi
Cleópatra. Não essa Cleópatra cantada em verso e prosa pela História, mas a Cleópatra
sacerdotisa, a Cleópatra das Cleópatras.

Era preciso de alguém que tivesse uma linhagem na linha da Profetisa, da Sacerdotisa,
que tivesse realmente convivência em sua transcendência com todos esses valores, e que
também, a exemplo de seus filhos, tivesse Carma até as orelhas, como também ela foi,
para se manter equilibrada, com a mente, é um jogo de valores demais, intenso demais.
Foi extraordinária a luta desenvolvida por Tia.
“ – Seta Branca está incessantemente vigilante, sob pena de vires a falir...”

Mensagem de Umahã, não é? Quando ele fala:


“– Neiva, Seta Branca está incessantemente vigilante, sob pena de vires a falir...”

A todo momento a preocupação deles...


“– E se ela falhar? Se ela falhar não temos outra oportunidade. Quem que a gente vai
conseguir? Não tem...”

47
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Porque não se faz missionário. E foram muito bem inspirados os Evangelistas quando
abriram o Novo Testamento, não é?
“ – Eu não vim destruir as Leis, porém edificá-las e dar-lhes cumprimento”

Não é? Claro! Não se interfere! Jesus foi claro, não há interferência!


“ – O céu só opera na Terra através do homem”.

Cada um desses Iniciados que hoje nos altos planos do céu nos assistem, projetam,
vibram em nosso favor, passaram por aqui, suaram a manga da camisa, conflitaram, se
esganaram, e formaram uma base. E hoje por conquista, têm o direito em conquista de
nos assistir. Tiveram que conquistar condição para nos assistir! É incrível! Vejam que o
Sistema Divino, fala -se:
“ – Ah, Jesus é tão bonzinho...”

Bonzinho? Cultiva-se a ideia de que o céu é só de “bonzinho” ... Bonzinho?


“ – Ah, meu Pai Seta Branca vai me ajudar”.

O que? Pai Seta Branca? É Caboclo! É Espírito de Lei! Esperar que Pai Seta Branca seja
bonzinho? O Espírito de Lei? Que seja negociável?
“ – Não, Pai Seta Branca, dá um jeitinho...”

Não é possível! Não há meio termo! Eles são espíritos fidalgos, precisos, que têm
consciência! Amam, têm seus princípios dentro dos princípios de Jesus: Tolerância,
Humildade, têm Amor resultado de luta!

Mas jeitinho? E danado é que ainda passam a mão mesmo, nós sabemos disso. Embora
eu desconfie que nossos Pretos Velhos devem passar a mão escondido, deve olhar assim
e... Porque a gente sabe que ele faria, como Tia Neiva.

Tia Neiva renegou Linhas, quer dizer, deixou de ser Sétimo de Yemanjá, deixou de
entrar em Falanges, Legiões, porque? Por nossa causa, para não perder a segurança da
Magia, porque? Porque ela precisou fazer jogadas, interferia aqui, sabendo que você
pagaria mais depois, quer dizer, ia perder a perna aqui, ela falava:
“ – Puxa vida, mas ele não tem reação psíquica suficiente...”

E aí depois ele, quer dizer, ela fez mil coisas! Mas, quer dizer, não é a interferência na
anulação, mas, quer dizer, é a coisa da Mãe, então só uma Mãe. Então quantas vezes ela
fez coisas e:
“ – Espero que o Pai não saiba!...”

Quer dizer, essa coisa bem nossa. Quer dizer, vocês observem por exemplo que fora do
corpo, ela nunca teve condições de falar um problema para o Pai:
“ – Fia, como é que tá lá?”

Ela dizia que olhava nos olhos dele, verdes, serenos, firmes, Ela:
“ – Tudo bem!”

Morrendo aqui embaixo, não é?


“ – Mas Fia, não tem nenhum problema?
“ – Não, não, tá tudo certo!”

48
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então ela se esganava aqui embaixo. Ela preferia ir na imagem do Pai, ou lá no silêncio
do quarto:
“ – Oh meu Pai Seta Branca, me ajuda Pai...”

Ele aparecia na vidência:


“ – Quê que foi Fia?”
“ – Nada!”

Quer dizer, era curioso! Então quantas vezes ela fez. Teve um lance, eu me lembro, de
um Adjunto, alguém, teve umas situações aí e ela teve que prestar contas. Ele tinha
recentemente consagrado dentro da linhagem dos Adjuntos, e ele começou a descambar
na Ordem. E tinha sido concedido a ele grandes responsabilidades. Então, quando chega
lá em cima, ela quando deparou com os Ministros, aí os Ministros:
“ – Minha filha, como é que tá fulano?”

Ela:
“ – Está bem...”
“ – Ah, então está bem”.
E aceitaram, era a palavra dela. Curioso, não é? Mas sabendo! Então há uma coisa
também, observem que esta característica elevada, gostosa, humana, desses momentos
gostosos do ser humano quando a gente se realiza, quando a gente está feliz de uma
grande atitude, quando a gente faz uma "tretazinha" também, mas construtiva, eles têm
também, são "gente" também, e isso, é magnífico saber disso, não é? Salve Deus!

Eu me lembro que em 1974 alguém perguntando, porque foi muito marcante, foi em
dezembro de 1974, nesse período que estava terminando de cimentar o Templo, e nós
estávamos ainda nos momentos finais do trabalho que começou a ser desenvolvido
debaixo das mangueiras. Então, foi a primeira vez que ela falou em Plexos e Origens,
foi a primeira vez. E só voltou a falar nesse assunto em 1976, com o princípio da
Centúria através do 1º Mestre Jaguar. Mas aí ela falou, alguém perguntou:
“– Escuta Tia, e o Paraíso?”

Ela pegou e falou:


– Tem! A idealização dos Católicos, na origem dos Católicos há o Paraíso, com água,
com plantas, daquele jeitinho! Do jeito que foi permitido ao Dante Alighieri ver.
Realmente existia, ele foi levado em transporte até lá, e realmente existe aquele
Paraíso”.

Aí ele pegou e falou:


“– Uai Tia, então quer dizer que a gente realmente...”

Aí ela falou:
“– Não, o jaguar não! O Espirito, a nossa Origem não tem esse tipo de Paraíso não.
Nossa origem não é contida nisso. Tudo que meus Olhos alcançam no jaguar é o
Espírito que tudo nele se traduz por trabalho. Eu vejo é uma Tribo sempre dinâmica,
que nunca fica, não é acomodada, está sempre agilizando, ela nunca está tranquila
sabendo que alguém está sofrendo.
Então quando em certas regiões do espaço, determinados pontos, até aquelas Casas
Transitórias, quando se convoca – 0 – problemas na Terra, ou – 0 – problemas em

49
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
certos Planos, ou – 0 – em Cristo Jesus foi permitido tentar levar a Doutrina a tal
Legião de Exus, e tudo mais, ah, os mais assanhados são os jaguares. Está sempre
pronto a servir, nunca aceita ficar".

Quer dizer, ela disse que é sempre uma Tribo muito dinâmica. Salve Deus!

Jaguares, para a gente encerrar essa primeira etapa de hoje, existe uma visão histórica,
ensinada pelos colégios e pelas universidades. E existe uma visão histórica
transcendente.

Nós somos um grupo, que é graças às conquistas que tivemos que nós somos esta obra
junto à nossa Mãe. Mas toda a problemática que nós vivemos aqui, é graças também à
nossa transcendência. Nós somos muito danados, e fomos muito danados.

Para se ter uma ideia por exemplo, foi a encarnação como Dórios que resultou em toda a
situação da divisão Ateniense-Espartana. Era o mesmo grupo. E depois veio dividido
em duas nações, a mesma família. E assim foi indo pela nossa história, a gente sempre
se dividindo.

Aquela triste Noite de São Bartolomeu na França, quando católicos e protestantes,


aquela matança incrível, onde de um lado se comprometeram em no mínimo matar três.
Ficou notório em filmes, em livros. Então em cada casa que entrava se matavam três,
fazia-se a Cruz na porta com sangue. Era a mesma Tribo, nossa mesma Tribo dividida
em católico e protestantes!

A condição, um dos quadros mais dolorosos em termos espirituais, em termos de


transcendência, em termos de família na nossa Origem, foi o que nós fizemos em São
Pitsburgo, na Rússia, quando chegamos ao ponto de roubar de um grupo, quer dizer,
dividir em duas tribos a tribo dos Ciganos, quer dizer, uma tribo única, dividimos em
duas, um grupo ainda rouba o Talismã, quer dizer, um Talismã que é um símbolo eterno
dentro da Tribo, onde não há proprietário. Chegamos a um ponto de nos tornar tão
animais, de arrancar de uma Tribo, a outra, e dividirmos irmãos e irmãs, quer dizer uma
família!

A destruição dos Maias, nós destruímos a Civilização Maia! Da mesma maneira como
fizemos jus à aproximação, ao contato direto com as Amacês, nós também invertemos a
linha de contato, tentamos aprisionar a Amacê, que resultou na desintegração de nossa
civilização. E vejam bem, era um grupo de sacerdotes predispostos a auxiliar Numara
para aprisionar a Amacê, e a outra parte tentando impedir Numara de não fazer, e era o
mesmo grupo, a mesma família!

Roma! Invertemos tudo também. Nós viemos com o compromisso de auxiliar na


implantação do Cristianismo, e passamos toda a nossa vida em Roma perseguindo os
Cristãos, quer dizer, de um jeito ou de outro, quando não nos dividíamos, nós
invertíamos as condições.

Mas também não podemos deixar de ver na transcendência a condição que tivemos
como Equitumans, responsáveis pela distribuição geográfica de todo este Planeta. A
primeira expressão civilizatória do Planeta, quer dizer, isso é extremamente importante.

50
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Depois como Tumuchys, viemos com a responsabilidade da construção dessas
Pirâmides, que estão até hoje funcionando indiferentes à ação direta ou não do homem,
e conservando a sua condição natural de receptividade de forças magnéticas, e
conservando a condição de equilíbrio do Planeta, usinas naturais de recepção.

Toda essa distribuição atual dos Continentes: está lá a América do Norte, está aqui a
América do Sul, está lá o Continente Africano, o Indiano, etc. Toda essa distribuição já
foi graças à linhagem dos Jaguares em sua Era Moderna, no período Alexandre.

Quer dizer, então também as maiores conquistas, as mais significativas, também


competem a esta Tribo. E como hoje é nosso dever pela consciência da própria Tribo,
de deste ponto, daqui, emitir em função de povo e povos, e auxiliar na Transição
Milenar, porque? Porque devemos isso também!

Então essas pequenas divisões nossas, tudo isso está contido no nosso Carma. Onde é
claro que os Planos Espirituais, nossos Mentores e Guias, estão sempre à espreita de
nós, em nosso livre arbítrio, como é que vamos nos posicionando em relação a esta
condição doutrinária que faculta o equilíbrio do fator Cármico e proporciona condições
de não descambarmos, o que já era para ser natural, de origem encarnatória.

Já era para termos nascido muitas vezes cegos, aleijados, com problemas, com
deficiências, etc. Foi a condição doutrinária, pela perspectiva missionária, que deu
condições de sermos sãos, e estarmos aqui na oportunidade. Mas, é pelo cumprimento
da condição missionária é que mantemos um mínimo de gabarito físico-psíquico,
profissional, como chefe de família, como homens que somos, e vivermos naturalmente,
normalmente.

Agora, se o missionário começa a permitir que o seu fator cármico vá prevalecendo


sobre a sua condição na missão doutrinária, naturalmente ele é “engolido” pela sua
condição cármica natural, onde você leva o que? O que naturalmente já é seu!

Foi isso que aconteceu com alguns, e pode acontecer com muitos, desde que a gente
comece a enfraquecer a condição de possibilidades que a Doutrina nos foi colocada, em
detrimento da própria condição cármica natural que já é nossa. Porque Deus não pune!
Pai Seta Branca já foi muito claro:
“A dor não vem do céu, vem de nossas próprias falhas.”

Então, ninguém é castigado pelo céu, não é castigado pelos Pretos Velhos, pelos
Caboclos, pelos Médicos, não! Você começa a fazer jus ao que já é naturalmente seu, e
começa a prevalecer na força de seu desequilíbrio, porque? Porque você está gerando
este espaço, você está abrindo espaço para que cheguem com a violência natural daquilo
que você plantou, porque o efeito é proporcional à sua própria causa.

Então você é sempre o único responsável! E como se posiciona em seu livre arbítrio,
você então caminha para construir, para conquistar, para preservar ou você então
caminha para descambar, dentro do que é seu.... Naturalmente! Salve Deus!

Minha cota acabou, e vamos respirar, e depois da Entrega das Energias a gente volta
para a próxima etapa.

51
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Ontem por exemplo, o Beto fez uma prece, eu estou falando aqui e é sério, porque o
Trino Presidente estando aqui nós estamos na Ordem do Trino, isto é um fato. Você fez
uma Prece ontem, eu não posso te pedir como Regente, Trino Regente, estou pedindo
como companheiro de Jornada, eu não posso solicitar ao Trino, mas pedindo ao
companheiro de Jornada pela consciência que tem, estamos todos na sua Aura.

(Encerramento/Prece pelo Trino AJARÃ)

52
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Curso para Instrutores de Centúria (1994)
Adjunto Jaruã – Mestre Bálsamo
Terceira Aula

(Emissão e Canto do Adjunto Jaruã, Mestre Bálsamo)

Salve Deus! Com a permissão dos Mentores aqui presentes, nós damos por reaberta a
nossa Reunião.

Eu considero essa aula a mais chata de Centúria, essa 3ª aula, e uma das mais
imprescindíveis. Eu considero ela chata, mas imprescindível. Chata porque pelas
circunstancias que foram se tornando, acontecendo, principalmente no campo da
interpretação das Leis, nós tivemos muitos problemas, como Abatá. A Estrela Candente
por exemplo, ela está cheia de detalhes assim que causam polêmica. A Mesa Evangélica
é polemica, não é? O Trono por exemplo, que é o nosso “Calcanhar de Aquiles”, é
sempre um desafio a gente realmente ser completo.

Então há muitas situações que tornam um desafio curioso. É onde a gente mais
participa, não é? O Trabalho que mais nos leva, que nos absorvem a sintonia, que mais
participamos, curiosamente refletem em si, naquelas polemicas, pelos conflitos, uma
dificuldade quando temos que falar sobre ele, não é? Mas, vamos ver como é que
conduz e vai entrando nesses assuntos.

Um problema, por exemplo, mestres, que o Radar, Radar, é fantástico um pequeno


detalhe chamado campainha. Mestres, para ver, por exemplo, o nível dos nossos
trabalhos, se o mestre está no comando, tem três comandantes. Aí chega um paciente
obsidiado, ou recomendado por um Trino Presidente, ou recomendado por um Adjunto.
Automaticamente você tem que dar uma deferência, claro! Ou um problema de dor
evidente, não é? Um problema de dor evidente, um problema de desequilíbrio onde a
pessoa realmente não tem controle sobre si mesma, ou uma recomendação partindo de
uma condição hierárquica, um Trino Presidente, ou um Adjunto de evidência, quer
dizer, você não pode recusar no Radar, você tem que tomar uma atitude. Aí o Trino
recomenda, ou o quadro está evidente de um atendimento especial.

Então toca-se a sineta, buscando a sintonia de quem está no Comando dos Tronos e a
sintonia do Plano Espiritual! Aquela sineta é a sintonia de quem está no Comando dos
Tronos e a sintonia do Plano Espiritual, ou seja, de quem está também no Comando
daquele Setor regendo aqueles Comandantes.

Agora, aí chega um “Matarazzo” da vida, um empresário, e esse empresário está


apressado, esse empresário está com problemas, e ele não vai poder passar em todos os
Setores, ele só vai ter tempo, e mal ter tempo de passar naquele Trabalho. E é curioso
que nós temos tanto dever de atendê-lo, não em Trabalho Especial, mas em deferência -
olha a mudança – em deferência especial. Porque?

Porque esse empresário, nós não sabemos quantos funcionários ele sustenta dentro de
sua empresa, cada funcionário se traduz normalmente num chefe de família. Se você
53
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
começa a multiplicar as vidas que estão na dependência do equilíbrio dele, isso o torna
naturalmente alguém importante para nós. Não pelo dinheiro nem pelo empresário que
é, mas pelas vidas que dependem dele.

Mas já neste instante, e é curioso que nunca foi ensinado, não se toca a campainha! Por
ser um em deferência, vejam que a campainha tem relação com o Sistema Espiritual,
além do Comando físico, mas a deferência não! É uma deferência! Você não está
convocando um Comando na sintonia de um Trabalho Especial.

Então com gestos discretos chamar o recepcionista para conduzi-lo, ou pessoalmente


quando tem mais um Comandante junto com você no Radar, descer e acompanhá-lo
pessoalmente. De preferência não impô-lo na frente dos demais, mas procurar um lugar
mais discreto e comunicar um Comandante e pedir:
“Olha, assim que possível por favor encaminhe aquele senhor, aquela pessoa.”

E isso sempre houve confusão. E o Livro de Leis, desde a sua 2ª edição ele esclarece
isso de maneira precisa!

Quem conviveu com Tia, em seu tempo, quando atendia ali naquele lugarzinho dela, no
“curralzinho”, como a gente chamava, pode observar quantas vezes inclusive ela fazer
assim um gesto e o Comandante vir:
“ – Meu filho, passa esse nosso amigo, essa pessoa aqui no Trabalho. E olha, escolhe
um Trono...”.

Curioso, mas é necessário falar:


“ – Escolhe um Trono positivo...”.

Parece chocante, mas vejam que arte! Tanto quanto o mestre doutrinador tem um
desafio ininterrupto de conhecer a si mesmo através de sua sensibilidade, desenvolver o
seu elo de contato, ao apará então, compete na mesma proporção ou mais, esta simples e
ininterrupta avaliação de seu próprio íntimo, a sua relação com quem o rege, com quem
é seu mentor, com quem é seu guia.

Muitas vezes um apará vai se surpreender sentindo muito mais segurança na linha
desobsessiva do que na linha comunicativa, e muitas vezes ele se sente perfeitamente à
vontade nos dois, mas muitas vezes não.

Muitas vezes, dependendo do quadro obsessivo do paciente, é muito mais recomendável


conduzi-lo a um ajanã do que a uma ninfa. Não é porque um é menor ou mais frágil, ou
mais fraco do que o outro, mas pela própria estrutura do indivíduo na condição do
organismo físico, que favorece muito mais base para a desobsessão. É extraordinário!

Eu não pensava também que ia falar sobre isso, mas já estamos falando. Então vamos
continuar falando.

RADAR. Não importa quem esteja no Templo, ele está na Força Decrescente do Radar.
Todos os mestres que estão no Templo trabalhando estão na Força Decrescente do
Radar. E é curioso que, o que mais estamos surpreendendo é médium desobedecendo,
agredindo, transgredindo, e ele está na Força Decrescente do Radar. O Radar é o
comando!

54
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
O mínimo no raio de ação da aura de quem está ali localizado é oito metros! O mínimo
no raio de ação, de ação direta da aura, de percepção de aura de quem está no Radar é
oito metros! Agora imaginem oito metros de aura! Pelo simples fato de ter invocado a
Corrente Mestra e sentado no Radar. A seriedade disso!

E todo o Sistema, ele está coligado ao Radar. Todo o Templo está na ordem, na ordem,
na ordem daquele Radar.

PREPARAÇÃO. Quando se prepara já não foi invocada a Corrente? E você está no


centro do centro de referência de manifestação da Corrente! Você é um sistema
magnético, plasmático, tudo isso é magnético, são características de magnéticos
diferentes. O que é a Corrente? É também uma condição magnética diferenciada.

Naquele instante da Preparação, além da Presença Divina ali na Pira, tem o receptor de
Mayanty, onde você é ouvido, é registrado, então deslocam-se em observação ao seu
trabalho e o que é seu será registrado, nada será perdido. Mas simultaneamente com a
sua Preparação, há uma assimilação em seu plexo com a força da Corrente. Salve Deus!

Também nunca foi falado, não é? E está sendo falado. Daí então o fato, é muito séria a
Preparação, porque só o simples fato do próprio impacto do sistema de forças da Mesa
já faz as suas aberturas. Daí não cruzar o Plexo. Já foi feita a abertura. Agora essa
abertura se completa, se completa, quer dizer, ela é uma preparação, um princípio, você
estabelece um relacionamento magnético:
“ – Senhor, Senhor, faze a minha Preparação...”.

Tem a parte que depende de sua consciência, de sua responsabilidade pessoal, porque
esta parte já está sendo feita por quem está na regência do Templo. O que compete ao
Plano Espiritual já está feito, o resto depende só do indivíduo, de sua cabeça e do seu
coração. Por isso a importância desta Preparação na Pira. E evitar cruzar, porque?
Porque foram feitas imediatamente as suas aberturas, foram feitas, então não se deve
realmente cruzar, pelas aberturas naturais.

E esta Preparação, ela vai se completando a cada passo. E quem está nesse trajeto, não
importa quantas pessoas cheguem na lateral e chamem, ou para dar papel para colocar
na Mesa, ou etc., se ele atender, ele terá que voltar à Pira e fazer sua Preparação, ela já
não está mais em condições, ele já se perdeu da Contagem.

Ela tem três posições básicas:


“ – Senhor, Senhor!..”

Falamos em Preparação, porque se brincarmos são quatro, porque a partir da Fila


Magnética, é uma primeira condição de concentração. Mas a Preparação em si é a partir
do instante na Pira, estabelecer um elo magnético, as suas aberturas. E tem também a
finalização de complemento desta condição, todo esse trajeto de assimilação das forças
do Templo. Olhem a importância mestres!

Então vem o segundo passo diante da Presença Divina. É a mais alta expressão do
simbolismo do sistema: a reverência. E ele vai até o terceiro passo. Depois disso não!

55
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Pega o papel que quiser, dá atenção para quem bem entender, mas durante a Preparação,
se ele interromper para atender, para chamar para observar, para dizer qualquer coisa,
deve voltar à Pira e fazer sua Preparação. Sua Preparação foi desfeita. Ele já se perdeu
da assimilação. Ele pode conservar na cabeça a ideia, mas não o sentido! Salve Deus!

Todos aqui, vejam bem, o que acaba de ser dito aqui nunca foi ensinado também. Isso é
para ser conservado, para ser conservado, não é? Preparação.

MESA EVANGÉLICA. É imprescindível a participação do Apará e a participação do


Doutrinador, antes de se dirigir a qualquer outro Setor de Trabalho. É imprescindível!
Dispensando inclusive, como bem sabemos, até a Anodização no Castelo do Silêncio,
desde que passe na Mesa. Mas se não passar na Mesa e se dispor a ir para um outro
Trabalho, é fundamental que se Anodize, e de preferência que não vá para uma Cura,
falamos daí para os Tronos.

Porque principalmente na Cura, sabemos da preocupação das entidades de que primeiro


o paciente passe nos Tronos, porque? Porque ali ele passa por um processo vulgarmente
chamado de limpeza, que nós não utilizamos este termo, não é? Que é uma
manipulação, é uma desimpregnação, dá uma trabalhada na aura do indivíduo, quer
dizer, há uma desassimilação de impregnações, de correntes, de possível obsessão, etc.
O que deixa aquele paciente então, se a Entidade perceber em seu quadro a necessidade
de passar na Sala de Cura, então ele está em condições compatíveis de fazer jus ao
acesso às energias que são projetadas na Cura.

Porque se ele não passar pelo benefício desta manipulação nos Tronos, então ele não irá
facultar condições em si, do benefício das mesmas energias da Cura. São sutis demais!
São finas demais, para poderem ter acesso a alguém que não esteja preparado. Salve
Deus!

Há muitos anos atrás chegou um rapaz paralítico, tendo o pai conduzindo a cadeira.
Levaram para os Tronos e, naturalmente, como os Comandantes normalmente
procedem, vai chegando alguém com uma cadeira de rodas, então o Comandante já vai,
pega o Trono e arrasta, e encosta a cadeira. Isso é um dos maiores erros!

Primeiro esse Comandante deveria ter chegado e:


“ – Salve Deus meu Pai, com quem estou falando?”
“ – Fulano de Tal”.
“ – Meu Pai, eu sou um dos Comandantes do Trabalho de Tronos. Te peço a permissão
para afastar o Trono, porque vai encostar um paciente que só é possível atender dessa
maneira. Doutrinador eu também peço sua permissão.”.

Naquele instante que você registra, o Preto Velho e o Caboclo já fazem um trabalho, e
você quando afasta, nada denigre no sistema de emanação concentrado. E encosta o
paciente. Nenhum objeto deve ser afastado ou arrastado no Templo sem haver um
termo!

Como não se arrasta, não se faz ruído, porque no transcorrer dos trabalhos, é como dizia
Tia: juntam-se cristais! Você arrasta um banco, você quebra a harmonia formada. Tem
que se pegar com jeito, e antes de pegar tem que pedir permissão. Antes de tirar do

56
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
lugar. E dependendo do objeto é necessário comunicar ao Trino no caso do Templo-
Mãe, ou ao Presidente no caso do Templo-Externo.
“ – Nós vamos tirar tal objeto para fazer uma limpeza ou promover uma arrumação”.

E quem vai cuidar disso vai ter que chegar e possivelmente abrir sua emissão, pedir
permissão, e tirar, arrumar, depois ter o mesmo procedimento para recolocar no lugar,
porque esse foi sempre o procedimento.

Mas aí encostaram a cadeira de rodas. O rapaz foi atendido, o Preto Velho observou o
quadro, e virou para o paciente paralítico e falou:
“ – Pode ir embora meu filho, está tudo certo”.

Quando o pai veio, tomou nas mãos a cadeira de rodas, veio saindo, o Comandante
tomou as dores. Puxa, não tem lógica, o rapaz numa cadeira de rodas!
“ – Escuta, o quê que a Entidade falou?”
“ – Não, disse que a gente já pode ir embora”.
“ – Não, mas não tem lógica vocês irem embora, um rapaz nessa condição tem que ir
pra Cura, pra Junção, pra Indução, passar em todos os Trabalhos!”.

O pai do rapaz, claro, indeciso, primeira vez, marinheiro de primeira viagem, optou por
atender o Comandante, que chegou tão incisivo. Pegou a cadeira de rodas e se foi em
direção da Cura. Mãe Calaça atenta à situação no Templo, corre na Tia e fala:
“ – Fia...”

E mostra o quadro. Tia se levanta imediatamente do atendimento, e fugindo dos


pacientes vai e corre, intercepta eles, e com muito carinho, evitando o choque, e numa
“ponte de macaco” e tal, e se interessou pelo quadro de mentirinha, e deu um jeito que o
senhor pegasse a cadeira e o rapaz e fosse embora do Vale. Sem chocar, sem magoar.

Chega à noite, aí a Tia vai contar o episódio da cadeira de rodas. O rapaz ainda estava
vivo por causa de um Elítrio. Nem Força Nativa para sobreviver ele tinha mais, ele já
estava quase que praticamente desencarnado, ele estava dependurado por um ou dois
meses só de vida, porque tudo que restava para ele era só esta cobrança com o Elítrio,
que já estava para se libertar.

Quando a entidade percebeu o quadro, sabendo da força magnética de uma Junção e de


uma Cura, que poderia por impacto natural, da mesma forma que na Indução, uma
mulher grávida a partir do terceiro mês, a força natural da Indução pode deslocar o
espírito do feto e perder o sentido da encarnação, sabia muito bem que aquele Elítrio
poderia ser deslocado de sua condição. Então o que ele fez? Procurou foi ajeitar o
Elítrio, para que terminasse em paz a sua cobrança, e não recomendou mais nenhum
Trabalho.

Porque se tirasse o Elítrio, o rapaz desencarnaria na Cura! Porque ele já não tinha força
pessoal de vivência. Ele estava muito mais sustentado pelo Elítrio na cobrança, do que
pela sua própria força natural. Salve Deus!

E o que nós mais temos tido no momento são pessoas indicando e participando de
Trabalhos.

57
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Uma coisa que é preciso recomendar para quem quer que seja que assuma condição de
comando: chegou na Cura, quem for tomar nota dos nomes, precisa fazer uma triagem!
“ – Salve Deus, você foi recomendado? O senhor foi, a senhora foi recomendada nos
Tronos a passar nesse trabalhos?”

Se a pessoa disser que não, então tem o dever de informar:


“ – Olha, só deve passar nos Trabalhos a que foi recomendado. Se não recebeu
nenhuma orientação para nenhum Setor então está liberado. Pode ir embora e boa
sorte”.

Saiu da Cura e foi para a Junção, quem estiver no Comando da Junção tem o dever de
fazer uma triagem antes que entre no Castelo:
“ – Foi recomendado a passar neste Trabalho de Junção pelas entidades?”
“ – Fui”.

Tem acesso.
“ – Não, não fui”.

Então, orientar:
“ – Isto aqui é um sistema técnico, é um sistema cientifico, e devemos somente cumprir
aquilo que é orientado pelas entidades nos Tronos”.

Na Indução da mesma maneira antes de ter acesso ao recinto. Por que? Porque o
constrangimento causado a um paciente depois que ele entra, ele prefere o risco de
continuar lá dentro do que o constrangimento de sair. Tem que ser antes de entrar no
recinto.

Um dos trabalhos que andam mais prendendo os mestres do Templo aqui, e levando o
Templo a encerrar muito além de horários compatíveis é o trabalho de Defumação. E eu
posso afirmar para os senhores que noventa por cento dos pacientes estão passando por
hábito, por vício, por iniciativa pessoal, por falta de uma triagem, por falta de uma
orientação, por falta de observação, por falta de interesse.

RANDY. Chega-se ao cúmulo às vezes, de se estar por aí madrugadas a dentro


“caçando” médiuns, só falta a espingarda, para pacientes que nenhum foi recomendado
a passar no Randy. O que chega a tornar-se até um risco, pelo imenso poder
concentrado no Randy.

Quando uma entidade chega a recomendar um paciente que passe no Randy, realmente
a gente tem que estar de olho e passar, porque nós não sabemos o que a gente está
sustentando. Mas sem recomendação, a gente permitir o acesso àquela cultura
iniciática? A um poder cabalístico?

O Randy é mais uma das Contagens estabelecidas no nosso sistema. É mais um, uma
das posições ritualísticas em Contagem de precisão, é uma das Sete Posições
Ritualísticas de Contagem deste Templo. E muito menos em termos de Randy é
possível fazer a triagem depois que entra! Por que? Porque tem o sal e o perfume. Então
já há um princípio de relacionamento com o Ritual. Então, a triagem tem que ser fora.

58
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Outra coisa: pacientes. Pacientes são um, três, cinco, sete! É Contagem ímpar até no
paciente no Randy!

Nunca se deve extrapolar a formação mediúnica. Quarta-feira retrasada eu observei


quinze ou dezesseis pacientes no Randy. Plena quatro e meia, cinco horas da tarde.
Onde Tia chegou a afirmar, isso está no Livro:
“ – Filhos, bom senso...”

Aí você está onze e meia, meia noite, uma hora da manhã, tem pouquíssimos médiuns, e
você surpreende ali nove pacientes. Então você pode dar um jeitinho. Já existe cultura
suficiente, impregnações, e não há quem não entenda em nosso plano, no plano dos
espíritos se você proporciona uma possibilidade, que seja oito, e você irá passar os oito!
É o último trabalho, já não existem médiuns suficientes, não há outra possibilidade de
realização.

Você não tem clarividência e tem oito pacientes, é preciso acrescentar mais um
banquinho. Meu filho, acrescente o banquinho, passe os oito! Você cumpriu o que
determina, o que manda o Plano Espiritual o dia inteiro, naquele instante você já tem
méritos suficientes para que eles... eles dão um jeito! É bom senso, é lógica, é coerência.
“ – Ah, mas é quatro!”

Não, é o último! Já é tarde da noite, você realmente não sabe como está. Mas enquanto
for viável cumpra rigorosamente: um, três, cinco, sete. Que esta formação seja
exatamente contida dentro da cultura mediúnica. Nunca, em hipótese nenhuma
ultrapassá-la. É uma Contagem de precisão, não há senão, não há meio termo.

Vejam bem que já na cultura natural, na infraestrutura técnica de uma Junção, de uma
Indução, a gente não pré-estabelece um número determinado de pacientes. Vai entrando
enquanto é possível pela distribuição física que caiba. Mas lá no Randy não! É uma
outra Contagem. Salve Deus!

E não importa o Setor de Trabalho, Cruz do Caminho! Como nosso caso aqui. É
impossível não fazer uma triagem! O paciente vai ter acesso a um Oráculo regido por
Mãe Yemanjá! É necessário que haja!

Um Oráculo do Pai Seta Branca! Há necessidade de uma triagem. Nós não podemos
permitir que comecem a formar hábitos nas pessoas, e elas se auto determinarem àquilo
que querem fazer, porque aqui não é lugar onde se faz o que quer! Aqui não se faz o que
quer! Aqui se faz o que é preciso! Não há desperdício! E nós estamos descuidando
muito disso, e nós precisamos bater nesses pontos.

Uma Estrela Candente! Para cada, eu acredito que para cada cem mestres e ninfas que
participam da Estrela, noventa e nove não fazem o Cruzamento. Na altura da ponte,
quando se volta de frente e faz isso, ao lado na ninfa, deve-se o mestre encostar a palma
de sua mão esquerda, de leve, nas costas da palma da mão direita da ninfa. É neste
instante que se efetua o Cruzamento!

E a reverência deve ser Sistema Indiano, porque naquele instante é Força Indiana.
Então, encosta de leve, há o contato, há o cruzamento, e aí a Reverência Indiana. Cruza
as forças sobre o plexo. Não é simplesmente um gesto! Isso são gestos de dois mil anos

59
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
atrás! Do Sistema Iniciático Indiano agora transferido para nós, desde 1959. Então tudo
tem uma razão de ser predita, objetiva, não é por beleza! É por sentido dentro da
concepção da força iniciática. Salve Deus!
Observem meus mestres, que são detalhes demais, fundamentais e que passa o mês,
passa o ano e passa o tempo e a gente repentinamente se surpreende.... Não há interesse,
parece que existem outras preocupações, existem tantas preocupações, por exemplo,
com a filosofia, com tantas coisinhas, mas há uma série de aspectos fundamentais no
sistema que observem que nunca falaram isso. Já ouviram isso? Preocupação com isso?
Não! E é fundamental!

Ultimamente se questiona, por exemplo, um grande convite para a Estrela é dos


Regentes Sol! Quer dizer, os mestres com aquela reposição de regência. Representando
o Mestre Nelson Cardoso então, na Lei fala claramente, o Mestre Sol ali faz uma
Preparação. Claro! É uma Preparação! Por determinação espiritual, o Regente Sol se
desloca da Corte, se desloca da jornada, vai até a altura da ponte e se volta. Por que?
Aquelas forças que irão cruzar na hora do cruzamento dos pares que passarem, ele é o
centro de referência daquela força que vai chegar. Então é essa a Preparação, e não a
Preparação que aqui se está interpretando, como se fosse a Preparação na Pira:
“ – Senhor, Senhor, faze a minha Preparação...”

E noventa por cento está fazendo, e não é essa a Preparação. A Preparação é


simplesmente a condição dele ali, com sua ninfa, em sintonia com o Comandante do
Radar onde, como o homem de referência, o mestre de referência nesta força que ele
representa, será a força que irá perdurar nos casais que por ali passarem para os seus
cruzamentos. Salve Deus!

É claro que devemos estar preparados, para que esses princípios sejam também sempre
seguidos, perfeito? Porque a orientação básica no meio é que se faça a Preparação, já é o
inverso daquilo que está sendo ensinado. Então, esse também vem a ser um dos muitos
pontos que os senhores, lá fora muitas vezes irão se deparar, que nós também nos
deparamos aqui dentro, e que você sabe o que é certo, mas muitas vezes você tem que
ficar em silêncio, porque muitos já irão se dividir em relação a isso.

Mas o meu dever aqui é ensinar o que é certo. Agora, administrar esses conhecimentos
na convivência com várias falhas, aí irá depender dos senhores.

Tia Neiva, ela era “naja” nos momentos, não é? Então ela, na Linha da “naja”, sabendo
a hora do recuo, a hora do ataque. Até esses dias, brincando aqui com o Beto (Trino
Ajarã) numa reunião com os Presidentes, ele falou:
“Bom, você não de dizer “naja”, mas pelo menos uma jararaca.”

Uma jararaca os senhores têm que ser! Mas não é difícil também ser naja, porque todos
como Koatay 108, e esse princípio vem naturalmente com o nosso Desenvolvimento,
em tudo aquilo que nos compete na jornada. Salve Deus!

Polêmicas não vão acabar! A Tia Neiva, a Tia Neiva, então se ela ia pegar isso, então
ela deixou até em Cartas, pedacinho por pedacinho ela envolvia. Ela emanava. Ela
trabalhava. Ela cuidava, impregnava, e ali deixava o seu Aledá. Mas nós... muita coisa
deixamos, não é? E temos também que aprender a conviver com determinados
resultados, com determinados efeitos.

60
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Muita coisa também foi ensinada, mas muita coisa deixou de ser alertada. Muitos
detalhes deixaram de ser preservados, observados, e agora naturalmente temos que
pagar um preço também consciente.

Estão entendendo porque que eu digo que esta aula é chata? Não é? É chata.

Eu afirmo agora, numa formação de Mesa, e para cada cem Comandantes, começando
pelo Templo-Mãe, não tem oitenta que a formem corretamente, não é exato? E você vai
buscar na cultura de veteranos e você vai entrar em choque dizendo como é que está
certo. Não é desagradável?

Porque, por exemplo, uma Mesa Evangélica a formação negativo-positivo, negativo-


positivo, a partir da entrada. Então, que você tenha três mestres Sol, três doutrinadores
na Mesa Evangélica. Então, você dispõe só de dois ajanãs, dois aparás masculinos.

Então você vai colocando as ninfas, até a contagem de distribuição, de maneira que
entre então como penúltimo um dos ajanãs, e por último a ninfa, perfeito? Penúltimo
um ajanã e por último a ninfa. Se você tem mais dois ajanãs, então entra mais um ajanã
depois da ninfa do meio, sempre a partir da entrada negativo-positivo, negativo-
positivo.

Quando temos possibilidade de intercalar toda a Mesa, ninfa e mestre lua, é a glória!
Porque dobramos basicamente o poder desobsessivo da Mesa, pela própria força da
Corrente Mediúnica estabelecida. Porque não se esqueçam: a base da ação da corrente
espiritual é a corrente mediúnica, e isso em qualquer Setor.

Nenhuma Indução é igual à outra, nenhuma Junção é igual à outra, nenhuma Cura é
igual à outra, nenhuma Mesa é igual à outra. Nenhum Randy é igual a outro, nenhuma
Estrela é igual à outra. Porque pela cultura mediúnica que se localiza em cada Setor, em
cada Trabalho, a força virá também proporcional ao gabarito ali contido. E nossos
Setores de Trabalho nunca têm proteção em seus limites, já que o limite é estabelecido
pelo homem, já que o Céu opera através desse mesmo homem.

Então o sistema de possibilidades, o conjunto de possibilidades do nosso Templo é


infinito. Estará sempre na dependência do nosso conhecimento, da nossa evolução. E
quanto mais progredirmos, quanto mais evoluirmos, quanto mais avançarmos, quanto
mais crescermos, mais irá aumentar, naturalmente, o gabarito de projeção do Sistema.

Porque de nada adianta eles intensificarem uma projeção, se temos um limite na


recepção e na manipulação. Então é muito preciso, é muito objetivo. As forças chegam
em Contagem também, é proporcional ao seu gabarito.

Falamos numa necessidade em que você está atendendo num Trono. Muito bem, é uma
outra Contagem. Falamos na possibilidade que é estabelecida numa Mesa para a
passagem de sofredores, é uma Contagem.

Mas quando você fala numa Indução, que atravessa Continentes, num Randy, que não é
só aquele processo não, mas transcende na cultura da formação energética, ou nos

61
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Estados ou Nações, observem então que não há limites. Nunca há limite! Aqui não
existem limites! Salve Deus!

É extraordinário a maneira como no transcorrer do tempo nós fomos, pequenos detalhes,


foram.... Nós temos que perceber que todos esses detalhes e todas as repercussões de
Templo e Templos, que nos chegam negativamente, são simples componentes da porta
estreita...

Nós realmente não viemos para estar isentos de problemas. Já falamos sobre isso! Nós
estamos para o confronto com problemas. Não para nos demandarmos com os
problemas, mas para manipularmos, transformarmos os problemas. Não podemos
esquecer, não importa que natureza de problemas surjam, Mãe Yara sempre insistiu!
Enquanto Tia junto à nós, na confirmação de que o Doutrinador particularmente, o que
o caracterizava, o que caracteriza o Doutrinador é a capacidade de superação e
manipulação dos problemas, não importam quais sejam.

Isso é posição taxativa de Mãe Yara. E falamos em Mãe Yara, falamos na mentora dos
Doutrinadores. Quem é responsável pela mediunidade de doutrina é Mãe Yara. E a Lei
que nos rege nesta Mediunidade é Mãe Yara.

O que caracteriza o Doutrinador é a capacidade de superação de problemas, de


solucionar problemas, de manipular problemas, de transformar problemas. É o gabarito
de superação, o gabarito de solução. O Doutrinador é a esperança de solução, não de
gerador de problemas. Salve Deus!

Nessa terceira aula, Pai João pediu que reservasse ela naquele tempo, desde de o
princípio, para se explicar para os médiuns, para conscientizar os médiuns sobre Tia
Neiva em seu item 1. Quem foi Tia Neiva? Aonde nasceu? Como começou a missão?
Não deixar de falar na UESB, na Serra do Ouro. Não deixar de falar nos conflitos, nos
imensos conflitos que ela teve. Porque se bem observarmos inclusive jaguares, que
dentro de seus raciocínios pessoais, observar uma mulher nordestina, de formação
católica tradicional, naquele tempo, que não se compatibilizava e nem se preocupava
com coisas de espiritismo, principalmente se levarmos em conta que até hoje, quando
você fala que é espírita, a associação que se tem em sua pessoa é de que você toca
tambor, que você faz despacho, que você mata frango, que você põe vela. Você fala:
“Eu sou Espírita”

Ou Espiritualista, ou Espiritista, e noventa por cento da população associa você com um


macumbeiro.

Imaginemos, então, em 1958, 1957. Então era inadmissível para aquela senhora o
Espiritismo. Ela era Católica Apostólica Romana. Agora imaginem dentro daquela
formação, começar a ver e ouvir espíritos. Os conflitos:
“ – Estou ficando louca?..”

Estava ficando louca! Estava ficando louca! Estava ficando louca para todo mundo,
inclusive para si mesma! Quer dizer, então, os senhores instrutores precisam buscar
referências, estudarem aquilo que já é exposto da vida da Clarividente, tentarem
vivenciar no coração essa parcela da jornada, e transmitir para os mestres,

62
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
principalmente em termos de uma Centúria, já que a Centúria é a mais importante
extensão entre o passado e o futuro do mestre. Ele precisa saber!

Por que? Porque tanto quanto Jesus foi o Pontífice dos Pontífices, quer dizer, em Jesus
contida a ponte que estabelece a única possibilidade de contato entre o “Eu Transitório”
com o “Eu Eterno”, a pontífice deste sistema é Tia Neiva! Se se perder de Tia Neiva vai
se perder da Doutrina.

A força mais ágil, mais direta, mais assimilável, mais precisa e mais presente é a força
de Koatay 108, e nós representamos ela de forma direta! E todas as demais forças que
nos chegam, vêm nessa condição também decrescente do Koatay 108 que está contido
em cada um.

Então vejam que nossa linha de contato mais direta com tudo que buscamos, do que
existe de mais alto, de mais elevado no nosso coração e na nossa mente, passa por ela na
subida, e vem por ela na descida. É extraordinário! Da sua entrega:
“ – Oh Obatalá, Oh Obatalá! Entrego neste instante mais esta ovelha para o teu redil”.

E é na força dela que você consegue justificar o efeito, é na Contagem de Koatay 108, é
na Contagem de Mantras, de determinado número de mantras por ela conquistados, que
nós temos nas Consagrações a força desta realização. E onde mesmo o novato, de
fitinha, de plaquinha, quando faz e vem o efeito, onde ele muitas vezes não tem a
condição, mas é na força dela que ele é amparado no resultado.
“ – Jesus Divino e Amado Mestre...”

Partimos na força de Koatay 108. Se nos Planos Superiores julgam conveniente nos
enviar uma força, ela nos chega na força de Koatay 108. Ela conquistou isso! Salve
Deus!

Observamos, porque é claro, hoje a gente, não é difícil analisar que Tia, por mais que a
gente tenha Tia como grandiosa, como uma Sacerdotisa realmente que ultrapassou os
limites, analisem mestres, que ela confirmava em Cristo Jesus, sob juramento, que a
missão dela terminou em 1974... 1974 terminou a missão sela.

Pela estrutura de responsabilidades na linha missionária em relação ao Pai: Mesa,


Tronos, Cura, aquela distribuição, a infraestrutura básica evangélica era a missão dela,
deixando a Cultura Iniciática, a Iniciação Dharman-Oxinto.

Tudo que veio depois de 1974, ela conquistou por acréscimo! Tudo que Tia Neiva fez,
conquistou, depois de 1974 foi por acréscimo! Imaginem então mestres e ninfas, quem
foi este espírito! Quem é este espírito! Que força nós representamos quando registramos
Adjunto Koatay 108!

Observa que ela em si, pelo que conquistou, sustenta toda esta infraestrutura de
Koatay’s. Somos o seu Continente! Tendo no físico, na força decrescente, Trinos
Presidente Triadas, Adjuntos Arcanos, Adjuntos Herdeiros, e aí repousando nos purãs,
que são os Mestres Lua, servidos pela divindade, são as ninfas no mais alto simbolismo
do lírico e da cultura, que é a mais alta expressão da ternura.

63
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
A ninfa, sua função neste plano é a mesma das ninfas do plano espiritual ao lado dos
seus cavaleiros. À ninfa não compete o cabo da enxada, mas tudo que compete aquele
operário em seu trabalho, é nessa força conjugada ao seu lado. À ninfa não compete o
comando, mas isso não denigre sua condição, porque nela está contida a ternura.

Na hora de entrar nas cavernas não é a Guia Missionária, é o Cavaleiro com sua rede.
Mas ela está presente, ela está ao lado, ela está junto. Mas compete a ele, mas também
junto a força dela. Compete ao Cavaleiro estar à frente, mas ela está ao lado.

Isto não é, como muitas ninfas sugerem, machismo da Corrente. Já era inclusive para
termos esclarecido que um dos Oráculos mais sublimes deste Universo, onde todos os
demais Oráculos reverenciam, é o Oráculo de Nossa Senhora, a Mãe de Jesus de
Nazaré, de onde temos uma Mãe Yemanjá como um dos raios básicos, onde nesta
mesma condição de força decrescente, dispomos de uma Mãe Yara, de uma Rainha de
Sabá, e por aí vai. Salve Deus! E já falamos de um quarto Oráculo... Salve Deus!

Não temos saída! Tia Neiva é o caminho. Já falamos uma vez inclusive, numa reunião
para Presidentes aqui, algum tempo atrás, alertando para essa ideia, você perde um
parente, perde um grande amor na sua vida, perde um filho, uma filha, você perde uma
paixão, você perde a esposa ou o esposo, você perde o pai ou a mãe, e você sofre, você
se esgana, você fica machucado, você fica dilacerado. Mas passam-se os dias, passam-
se os meses, vai diminuindo a angústia, vai também diminuindo a saudade, a
intensidade da saudade, repentinamente você se surpreende até mesmo sem se lembrar,
às vezes até anos sem se lembrar. E quanto mais passa o tempo, mais distante fica
aquela imagem querida.

No caso de Koatay 108 em Tia Neiva não! Quanto mais persistirmos nesta jornada,
nestas Linhas do Amanhecer, quanto mais formos evoluindo, progredindo,
descortinando, conquistando, ela vai ficando cada vez mais simétrica, precisa e presente
em nossos corações e em nossas mentes. Quanto mais passar o tempo, mais ela irá
tomando forma em nosso íntimo, porque nós carregamos na centelha íntima de nossas
Consagrações, o mantra extraído de seu seio. Então, é impossível nos perdermos desta
imagem, pelo contrário, cada vez mais sua tendência é crescer em nosso íntimo.

Ela está dentro de nós, na sua Força Iniciática, mantra por mantra extraído de seu seio.
Então não há como se perder. Há sim, quando eu me perco da Doutrina, eu me perco de
todos os valores, então eu irei me perder dela, porque ela é intrínseca a esses mesmos
valores.

Mas quanto mais eu avançar em direção aos princípios desta Corrente, me assegurar,
mais ela se tornará presente. Por sua vez o Pai cada vez mais simétrico, Jesus cada vez
mais claro. Então, cada vez mais claro tudo aquilo que se traduz em eterno. Salve Deus!

É necessário falar que ela tinha o terceiro ano primário incompleto. É fundamental que
se saiba! É fundamental que se saiba que ela não tinha a menor cultura de formação dos
colégios e universidades. É preciso ressaltar a condição de mulher simples, brejeira,
certo? Inclusive lindíssima, não é Senhor Gilberto? Lindíssima!

64
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Infelizmente, pela própria condição que ela foi..., mas extremamente orgulhosa,
vaidosa, e não abria mão! Orgulhosa, prepotente, vaidosa, curiosamente! Curiosamente,
não era uma “Santinha”.

(Trino Ajarã)
E gostava de ser chamada de cabocla...

(Mestre Bálsamo)
Chata, enjoada... curioso, era! Empinada. Agora, todos os valores que ela exteriorizava
em Amor, Humildade e Tolerância, compreensão, era a luta ininterrupta que hoje nós
estamos tendo, e precisamos sempre ter, para chegarmos a um nível de conquista do
coração daqueles que nos cercam. Ela enfrentou a mesma luta, e persistiu
ininterruptamente nesta luta.

O impulso dela quando agredida e ferida por alguém quando chegava, quando acontecia
de chegar e tal, também era essa nossa reação de:
“ – Vem cá seu filho de uma égua, vem...”

Não é? Era também esse impulso negativo do sistema nervoso! Mas porque ela não
reagia? Pelo autodomínio, pela luta, por superar-se a si mesma, por conquistar domínio
sobre o coração e a mente, por conquistar a consciência da importância daquele ser e
compreendê-lo na sua condição primitiva, de ainda não ter alcançado a luz, de ainda não
ter noção do respeito, então ela o aceitava em sua grosseria, pela compreensão de fato.

Não por um estado de santidade ilusório, porque ela não foi santa, ela foi uma mulher,
foi uma senhora física, encarnada, que passou por todas as dores também da Terra,
porque se não passasse pelas dores da Terra, não teria feito jus à Consagração de Agla
Koatay 108!

Porque Agla, quando foi consagrada em Agla, é a mais alta expressão do ato, da atitude,
de alguém que passou as dores e prevaleceu seu comportamento na atitude doutrinária.
Então, foi a mais sublime conquista! Aí ela teve medo, porque é significativa demais!

Embora a Consagração como Koatay 108, foi um dos motivos do mais alto orgulho para
o seu espírito, porque foram raros os Iniciados que conseguiram essa conquista no
Tibet, Ela vem na Linha Tibetana. Raríssimos iniciados. Muitos se dispuseram e
pouquíssimos conquistaram, e ela, uma mulher, e já foi contrariando inclusive os
princípios da linha tradicional. Que vejam bem, isso inclusive desgraçou Umahã aos
olhos daqueles que tinham vidência no Tibet e perceberam. Observem que na vida
Iniciática, que preço Tia pagou em todos os aspectos, e com quem ela se relacionou
também tem o seu preço.

Porque Umahã quando foi designado, sendo ele um mestre nativo, na linha do Grande
Dalay realmente um Iniciado, também um Arcano portador dos segredos e mistérios
deste universo, quando a ele foi conferido o dever de preparar Tia Neiva, ser o mestre
daquela missionária, ele sabia, ele também tinha clarividência, ele tinha evolução
suficiente, ter o alcance de saber quem estava sendo colocada em suas mãos.

Mas muitos Iniciados Tibetanos não clarividentes, porém videntes, viram o quadro
daquela mulher conversando com ele, e todos eles então passaram a dividir com ele,

65
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
porque aquilo era considerado um sacrilégio. Primeiro que só era compatível a homens,
e ela uma mulher.

Como a eles não era conferido o acesso de ir além na percepção, porque realmente
falamos naquele ciclo onde o mestre não conduz, mas o discípulo conquista a
percepção. Então, quantos eram iniciados, e nenhum no Mosteiro de Lhasa, mas tinham
seus limites, não tinham conseguido ainda ultrapassar os limites que facultariam saber
quem seria Tia, e bem sabemos que os Iniciados não dão satisfação, não se justificam,
correto? Muito menos ele iria explicar àqueles.

Então pagou seu preço, foi excomungado em meio aos quais vivia, por preparar uma
mulher ocidental, para piorar ainda, que nem uma mulher oriental era, era uma mulher
ocidental, de casta desconhecida. Ele morreu desgraçado no Clero.

E aqueles Monges que o condenavam por aquilo, nem poderiam sonhar, e devem até
hoje nem imaginar que aquele Mestre magrelo, cor de cuia, como dizia Tia, vinha no
futuro ser aquele que ocuparia o Raio de Arakén no governo da Lei de Causa e Efeito
neste Planeta. Salve Deus!

Ele morreu em 1982, desencarnou em 1982. E a ele irá competir a substituição de


Arakén neste Raio, porque Arakén então irá a uma outra condição, por sua vez o Pai, e
este é o ciclo da vida, onde você prepara um degrau, prepara alguém para substituí-lo, e
você passa para o outro, não é? E este é o Ciclo da Vida. Salve Deus!

Mestres, a gente quando trata desses assuntos, realmente é porque a gente tem sempre
uma noção do quanto é grandiosa a nossa obra, mas tratando dela como eu estou tendo o
privilégio, nessa oportunidade que vocês me deram, que o Trino Ajarã me
proporcionou, de estar falando novamente. Eu estava até falando com o Mário, falei:
“ – Mário, esta oportunidade que me foi dada com os Instrutores, vai me ajudar muito,
na própria Centúria que está sendo feita aqui”.

Quer dizer, não é a primeira vez, nem a segunda, nem a terceira, nem a quarta, não é?
Mas como falamos, que não existe nunca uma... Sempre é uma primeira vez. Então isso
aqui está me ajudando muito mais, dar o pouco da parcela que me compete aqui, não é?

Porque muito mais do que eu poderia sonhar, eu estou já recebendo junto aos senhores
aqui, no desafio da colocação mental, da palavra mais correta, da maneira mais
adequada, não é? E é magnífico, a gente ir tratando essas nossas coisas, os nossos
valores, e perceber a dimensão, não é? Isso cresce dentro da gente, a gente parece que
alicerça mais, fica mais inchado assim, é gostoso a segurança daquilo, deste caminho
que percorremos. Salve Deus!

A Centúria, pelos rumos que temos tomado, e tudo que está sendo confiado aos
senhores.... Na hora que o Beto (Trino Ajarã) começou a ler, na hora que ele chegou
com o Michel e tudo mais, o Beto começou a fazer a leitura localização dos senhores, o
Michel saiu e tudo mais, e eu aqui pensei comigo:
“ – Jesus de Nazaré! Olha a responsabilidade desses homens!”

Porque a responsabilidade, quando a gente pensa em termos de Centúria, quer dizer é


dar um curso. A Centúria não é só um curso, a Centúria não é só um curso, não é?

66
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E pelos tempos que estamos vivendo, além ainda da Contagem que ela representa, do
apoio doutrinário, da soma doutrinária, da cultura doutrinária que vem em soma aquele
Presidente, tem a preparação do homem que está no Limiar do Terceiro Milênio, que
você não sabe se estão ali contidas as últimas lições formais que ele vai receber!

Será alguém que terá a possibilidade de conviver com a gente aqui? Será alguém que
terá condições de acompanhar o Presidente numa Consagração em outubro? Será
alguém que terá possibilidade de vir em 1º de maio?

Porque é diversificado demais! Quantos não tem poder aquisitivo do uniforme! Se ele
está usando uniforme foi o Presidente, foram os amigos! E naquilo que você está
transmitindo ali, vai estar transmitindo, poderá estar contida a última esperança também
do mentor daquele indivíduo, dele receber o que é necessário para que seu espírito não
se perca. Poderá estar contida nesta Centúria dos senhores lá fora, a preparação final
daquele homem, daquela mulher...

Vejam bem que todos aqueles que passarem por nós agora, ele vai viver junto a nós as
convulsões desta Transição. Os conflitos, o peso das correntes, das projeções, das
vibrações, das atuações. E aonde está contida a preparação dele? Aonde estará contida a
cultura dele?

Porque observem que ele passou por um Desenvolvimento que ele tenha recebido
cinquenta aulas com o Alceu, que ele tenha recebido cem aulas como o Dias, mas na
hora que ele chegar na Centúria, vai prevalecer a Centúria, não o que o Alceu falou! Por
que? Porque na Centúria estará a síntese, a soma de tudo que foi recebido. Correto
Alceu? O Alceu foi um princípio, e você está sendo uma extensão.

Então o carinho, a responsabilidade vai pesar muito mesmo. Se pegarmos essa


quantidade fantástica de Templos operantes, a quantidade gigantesca de médiuns que
estão atuando, qual o percentual que os senhores acreditam de médiuns lá de fora, em
todo esse volume de mestres que já falam “Salve Deus” espalhados por Templos de
todo o Brasil que estiveram no Templo-Mãe? Que vão poder vir ao Templo-Mãe?
Imaginemos, quantos Templos aí? A condição financeira, a própria saúde, são muitas as
possibilidades, que tornam a impossibilidade de uma convivência!

Tudo que ele terá da Estrela será o que o senhor passar. É muito sério! E estará contida,
como é contida a esperança no Presidente, os senhores passarão a ser uma outra
esperança de referência, por carinho ou respeito.

Observem bem, os senhores estão sendo colocados como responsáveis, não por um
curso e não por um Templo! É o que eu estava imaginando aqui, falei:
“ – Credo! Não está sendo preparado um homem aqui partindo para um Templo...”

Não! São vários Templos, é uma região! E no circuito dessa região, uma corrente se
formará também na sintonia dos senhores. Por isso é que eu não me medi aqui, não me
contive no que está vindo, estou falando abertamente, não estou buscando limites.
Porque a proporção da responsabilidade que está sendo localizada nas mãos dos
senhores não me permite limites.

67
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E eu só vou parar de falar, desenvolver o assunto, quando eu sentir insegurança íntima
de continuar transmitindo. Eu não seria tolo de insistir numa coisa que eu não esteja
sentindo respaldo, alicerce, base para falar. Seria uma estupidez, contrariar a minha
própria natureza em primeiro lugar, que é a que está ressentida, ou estaria se estivesse. E
em segundo plano, que é o primeiro plano, quem me rege, ou quem está nos regendo,
não é?

Pela Consagração de segunda pessoa de Arakén eu estou na Força de Pai João. Mas
seria muita hipocrisia pensar que Pai João é meu mentor sendo que todos nós aqui, olha
aí. O Beto (Trino Ajarã) tinha liberdade de chegar na Casa Grande e:
“ – Mãe, quero falar com o Pai agora”.

Imediatamente, não passava um minuto.


“ – Eu quero falar com o Pai agora”.

E ele vinha!
“- Eu quero falar com Pai João agora!”

E ele vinha! Quer dizer, élan, élan, familiarização, integração à obra, respeito,
participação, familiaridade. Então, nenhum mentor é mais meu do que de nenhum de
vocês. E o de nenhum de vocês é mais de vocês do que de mim. Quando nós
precisamos, quando nós necessitamos, a Presença Divina é única, e eles são
componentes dessa Presença Divina, não é? Salve Deus!

Limiar do Terceiro Milênio! Quando começamos a entrar no ciclo final para este início,
quando começamos no princípio do fim para este início, certo? Era já esperado que os
problemas na Terra se intensificariam de uma maneira extraordinária.

Principalmente a partir de 1958, curiosamente, 1959, quando também davam-se os


pontos de partida desta missionária, e toda essa movimentação em termos do Plano
Espiritual, os homens em alguns governos começavam a cometer, a tomarem uma
decisão que iria transgredir ferir, e precipitar um imenso desastre.

Primeiro: a descoberta da pílula anticoncepcional. Segundo: algumas nações terem


determinado o controle de natalidade. A partir do momento da pílula anticoncepcional e
do seu uso desenfreado, sem um conjunto de orientações, e o controle de natalidade,
arrebentou com uma série de programações lá em cima.

Porque são espíritos demais que precisariam reencarnar. Porque a cobrança enquanto na
matéria, a matéria protege muito o espírito, e a possibilidade por exemplo da família, a
segurança da família, ela é extraordinária para colocar gigantescos inimigos em
confronto.

Uma das maiores seguranças dos Planos Divinos de colocar dois terríveis inimigos, uma
das maiores seguranças... Uma das não, a maior segurança é a mãe!

Porque todo um conjunto da mãe, do fato de engravidar, a vibração, a condição.


“ – Vou ter um filho!”.

68
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Todas essas características, tudo! Todo o envolvimento materno na sintonia do filho, em
si mesmo, naturalmente já manipula gigantescas correntes. E o relacionamento entre
aqueles espíritos.

E a família é a grande segurança de colocar inimigos em confronto. Porque é a


possibilidade de colocar vários inimigos transcendentais juntos, podendo deslocar um
outro espírito com mais neutralidade no relacionamento cármico, com mais condição de
projeção, em equilíbrio para o desequilíbrio. É onde podem, pela magia, por exemplo,
ele não poderia vir muito bem financeiramente porque ele não conquistou isso, mas pelo
volume de espíritos que se projetam pela família e a benção de Deus, então há mil
coisas que pode se fazer. São muitas as possibilidades estabelecidas na formação de
uma família na Terra, para o Plano Espiritual confrontar inimigos, na segurança de não
precipitar desastres, mas de amenizar, de proporcionar condição de ressarcimento e de
libertação.

Mas espíritos demais precisariam estar encarnando e terem encarnado para que se
evidenciasse isso. Porque em muitos os aspectos, é claro, esse espírito tem reajuste e ele
é impossibilitado da cobrança, não importa a razão, pode dobrar o ódio. E é muito mais
perigoso este relacionamento onde o encarnado não vê, pelos princípios das Leis
Naturais. Como afirmou Pai João, uma vez o Alencar numa das frases dele... Falei o
nome já, não é? Entrou lá e:
“ – Tia, eu não aguento mais, eu tenho cobradores demais encarnado, parece que meus
cobradores estão todos encarnados!”

Pai João incorporou! Falou algumas coisas lá, e mais ou menos nesses termos, mas
nesse sentido, em Cristo Jesus, falou:
“ – O Alencar tá reclamando, ou melhor, tá dizendo, que só tem cobrador encarnado?”

E o Alencar:
“ – É meu Pai, é...”

Ele falou:
“ – Meu filho, mas que imenso privilégio! Você é o filho mais privilegiado que nós
temos no Vale. Porque só ter cobradores encarnados é uma grande graça! Porque se
ele ameaçar correr atrás de você, você está vendo, é só correr mais do que ele. Se ele
abaixar para pegar uma pedra para jogar, é só você se esconder ou correr, e você
desvia e dá um jeito e a pedra não te pega. Se você ver que ele está atravessando uma
esquina, é só você passar pela outra. Então, em vez de amaldiçoar sua vida, você
deveria estar dando graças a Deus!”

Mas o grande problema, não é mestres, é que muito mais no etérico do que no físico,
que não vemos, que não percebemos, que não sabemos a hora, o momento, o instante. E
é este o aspecto que sempre coloca uma encarnação em risco!

Então, quer dizer você reencarnar, cada espírito que reencarna é um tremendo
investimento. Vejam que foi uma mãe, um espírito; um pai, um espírito; irmãos,
espíritos; cobradores dentro de todo um conjunto de heranças, de charmes, heranças
transcendentes, herança cármica, todo um sistema de convergência, quer dizer todo um
planejamento para facilitar.

69
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então, uma vida que se perde, quando não se perde em investimento, quantas
possibilidades perdidas! Porque nunca o Espírito só tem relação com alguns,
normalmente a relação dele é com vários, porque ele voltou e além do pai, além da mãe,
além de irmãos, haverá outros, e terá o seu carma pessoal também, dentro de todo um
conjunto de valores, então é um investimento altíssimo!

Quando um espírito consegue, conquista a condição de reencarnar e há possibilidade,


então existe uma legião no espaço, que é a Legião Reencarnatória, é uma legião
gigantesca, que dispõe de todos os planejamentos do planeta, regiões, cidades,
situações, tudo, tudo! Tem que ter acesso a todo o quadro do espírito e dos espíritos em
relação, para que o planejamento seja perfeito. Este é o Sistema Crístico, uma das
Linhas Mestras de ação do Sistema Crístico. Então é gigantesco, é seríssimo, e nós já
ferimos, já atrapalhamos muito.

Então o volume de espíritos ainda que se é esperado naturalmente, pela fase de transição
que iria se intensificar, os quadros obsessivos, porque não há saída, pioraram muito
mais com esses controles, com o uso desenfreado também dos anticoncepcionais. Isso
atrapalhou de maneira fantástica!

E aonde está contida a única esperança no Planeta, dentro de um sistema de recepção,


manipulação e emissão de forças desobsessivas direta? É em nossos Templos!

O único sistema no Planeta que dispõe de uma Mesa Evangélica de precisão, de Tronos
que se traduzem por comunicação e desobsessão, precisão; uma Estrela Candente que
atinge milenares, alcança milenares que já perderam a forma humana, que já não têm
nem o raciocínio, e facultar ser atendido de maneira direta, sem riscos para a Corrente
Mediúnica, e sem risco de que o espírito descambe muito mais? Não tem outra Estrela
Candente, essa é a única!

Então a nossa responsabilidade, a cada instante que se passa, ela é extraordinária! Mas
muito mais extraordinária do que podemos pensar. E é claro que para o nível desta
responsabilidade, não é uma Corrente que irá ficar na dependência de um ou outro
indivíduo, que venha a sair ou se afastar.

Seria insanidade de nossa parte pensar que toda essa estrutura de investimentos ficasse
agora a mercê de determinadas pessoas, que receberam a graça na herança, do
compromisso missionário, numa condição de comando, se ele se distanciasse, se
afastasse ou caísse, que essa obra caísse!

É totalmente irracional de nossa parte temermos pelo futuro desta obra, quando
repercussões desta natureza nos atingem! É impossível que um indivíduo, ou dois, ou
três, ou quatro, ou dez, ou vinte, ou trinta, ou cinquenta, ou cem, ou mil, dez mil, vinte
mil caiam, e a obra fique submissa a essa condição, já que ela está em função da
humanidade! Ela é responsável pela transição do Milênio, e ela é responsável pelo Ciclo
de Mentalidade que irá habitar o Terceiro Milênio! Mestre Umahã, também em uma de
suas lições foi claro:
“– Fia, as gerações do futuro se exaltarão em ti!”
“– Fia, as gerações do futuro se exaltarão em ti!” Terás que viver sua vida atraindo
novos recursos vitais...”

70
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Vejam bem que forças que nunca tiveram acesso a este planeta, competiu a ela atraí-las.
E olhem o preço! Morreu basicamente condicionada a uma cadeira de balanço, a duas
mangueirinhas de oxigênio, e passou sua vida missionária atraindo recursos vitais. A
incoerência, não é? O quanto a Lei do Carma é definitiva.

Porque o problema no pulmão não foi o cigarro. O cigarro foi só um contribuinte


natural, pela condição física que qualquer médium pode ficar racionalmente. Mas o
ponto de partida não! Um elítrio contraído em Angical. Ela matou um homem em
Angical com um punhal, enfiando no seu peito.

Inclusive me competiu o Julgamento, acusá-la no julgamento no Templo-Mãe, e ela foi


julgada por esse elítrio. E foi doloroso para mim, porque ela inclusive mandou me
chamar e falou:
“– Faz do jeito que você faz, você sempre foi o durão aí, não é? O mau, não é? Seja
duro!”

E eu nunca fui tão mal! E ela chorando o tempo todo. E curiosamente, que ainda até
tinha esperança que ela se libertasse. Ele se libertou sim, ela se libertou sim, mas os
efeitos, a lei física, não é? Pontos onde as células não têm regeneração.

Porque vejamos por exemplo, Jesus, por exemplo, que foi, eu inclusive gostaria de
ressaltar nesse instante, eu vou até citar aquém, porque é para ilustrar.

Um daqueles dias assim que seu Mário (Trino Tumuchy) numa das Aulas Evangélicas,
estava como a gente fala no nosso meio assim, “incorporado”. Mas ele arrebentou, deu
uma aula! E eu o acompanhava, eu o assistia nas matérias, e tal.

Quando chegamos na Casa Grande, ele todo inchado, não é? Que aula! Pai João
incorporou e passou a rasteira nele assim, que ele esquartejou a poupança no chão:
“ – Filho, quando vocês falam Jesus eu tremo de medo! Mário, você não tem a menor
noção deste Espírito! Mário, até as datas que vocês reverenciam na Terra, todos os
Planos Espirituais reverenciam, porque se tratam de datas relacionadas a Jesus.
Mário, Jesus não foi um Mestre. Mas de todos os Mestres de que se tem notícia, Jesus
então foi o Mestre. Foi o Mestre dos Mestres. Jesus foi o Verbo Manifesto! Até Seu
Corpo Físico, contrariando as leis naturais, voltou para a Origem, daí não ter sido
encontrado”.

E em toda a história que ela localizou pela clarividência nunca aconteceu isso, porque
isso é contrariar leis. E pela importância de seu Espírito, foi contrariada uma Lei
Natural. Incrível, não é? Isso em Cristo Jesus, como ela disse, são afirmações de Mãe
Yara.

Quem ensinava para ela sobre Jesus era Mãe Yara. Agora, quem dá as aulas sobre Jesus
nos Planos Etéricos é Pai João de Enoque, em Espírito e Verdade. Porque é muita
responsabilidade falar Seu Nome. Ela sempre dizia:
“– Toda vez que você pensar em pronunciar este Nome Dele - afirmou nesse dia –
Coloque seu coração de joelhos, coloque o coração de joelhos!”

Salve Deus!

71
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Eu mais uma vez, Beto, eu estava lá no escritório, meu sócio chegou e eu pensando:
“ – Mário, eu estou toda hora me questionando, eu estou irresponsável...”

Não, mas eu não estou, não é? Porque eu próprio, até o Araújo, muito inspirado na
última reunião nossa, o Araújo foi preciso, falou:
“-Não! Claro, me devolveu uma lição que eu já tinha, não é?”

Mas foi ótimo, porque o Araújo:


“– Não, mas o que você está falando...”
“– Eu acho que eu estou sendo irresponsável, eu estou indo além do que eu jamais
poderia imaginar que a gente fosse”.

Aí ele próprio me alertou e falou:


“– Não, mas se você está falando é porque o ambiente está oferecendo espaço”.

E curiosamente ele tinha acabado de falar sobre esse espaço, não é? Mas o conflito
permanece, às vezes a gente está aqui repentinamente fala:
“Meu Deus, eu estou administrando mal?”

Mas está absorvendo, não é? Eu acredito que está todo mundo bem, o ambiente está
bem, o clima está bem, não é? E em Cristo Jesus, nossos mentores, quem estiver aqui é
testemunha do que transmito aqui. Falo exposto à justiça. Não há a menor pretensão!
Em nenhuma linha de informação aqui, não existe uma pretensão de minha parte! A não
ser o que sou, se pode ser considerado pretensão. Está certo? Salve Deus!

Mas mestres, então o Ciclo que viveríamos em 1800, 1900, 2000, que estamos vivendo,
seria terrível, porque as Correntes seriam muito intensas. Inveja, correntes negativas;
ciúme, correntes negativas; maldade, discórdia, calúnia, correntes negativas. Por que?
Porque corrente negativa, corrente é formada pela mente. Eu tenho um princípio
negativo. Eu vibro negativo, a força mental no campo magnético. Porque eu sou
magnético! O que é a minha energia vital? É força magnética! Um conjunto de valores
exterioriza uma Corrente, formaliza, materializa uma Corrente, e ela é semelhante a
natureza da emissão do que a gera. Provoco e puxo o Alceu na minha sintonia, e falo:
“ – Olha, aquele cabra que tá ali...”

O Alceu gosta muito de mim, dobra a Corrente em cima dele. E mais um, e mais
outro.... Olhem a sutileza! E por aí vai.... Imaginemos o planeta como está! Calculemos
os séculos, e pensemos no padrão atual do planeta. Cada vez mais os padrões estão
fortalecendo, estão facilitando a ação dessas Correntes, porque o quadro está
perfeitamente compatível pelo próprio padrão. Voltamos ao semelhante...

Aí voltamos para nossa Doutrina: Mesa, Tronos, Cura, Junção, Indução, Randy,
Contagens, Abatás, e tal, e tal, e tal. Qual a única possibilidade? É nossa! A última
esperança de ação direta é a nossa!

O Catolicismo deixa de ser grandioso? Não! Sabemos que não! Se não houvesse
grandiosidade não teria se sustentado dois mil anos! O seu ponto às seis horas, tem
tantos fiéis que vibram com amor. Tudo bem!

72
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Mas, e a ciência de manipulação direta está contida no cerne de seus rituais? A ação
direta doutrinária sobre o cobrador e o cobrado, perseguidor e perseguido? Mas
favorecendo no campo de energias manipuladas e num campo de precisão? Dispondo da
condição de integração, desintegração e reintegração natural? Não! Ninguém tem! Só
nós dispomos!

Agora, tem um aspecto, para nós finalizarmos este nosso terceiro encontro hoje. Como
fazer para lançar estas bases então, no Limiar do Terceiro Milênio? O médium de
incorporação...

Salve Deus Delei! Não! Porque ele sempre cobra, mas eu quero ver se eu vou dar
conta... Salve Deus!

O primeiro Oráculo de manifestação então foi o Olorum. Então, sabemos que é ele que
rege os médiuns de incorporação do passado e os médiuns aparás do presente.

Mas o médium de incorporação em toda a sua linha missionária, ele sempre foi
colocado submisso ao fenômeno, controlado pelo fenômeno, dirigido pelo fenômeno, e
sem responsabilidade consciencionais sobre o mesmo fenômeno. Salve Deus!

Pela inconsciência, sempre disposto também como um joguete de interesses de quem


quer que seja, que se prevalecesse em força e se dispusesse a manifestar. Mas era
necessário que ele voltasse! Que estes missionários voltassem! Seriam imprescindíveis
ao lado do doutrinador, que seria aquele então, num desenvolvimento totalmente
inédito, puramente num plano consciente, onde definido pelo Ciclo em chacras e plexos,
ele favoreceria a ação magnética, a ação de determinadas forças, sem perder a
consciência de si mesmo. Mas era preciso já que o plano é governado por forças
bipolares, aquele médium teria que voltar. Só que dessa vez não poderia voltar
submisso. Não poderia voltar para ser controlado. Não poderia voltar para ser joguete.
Não poderia voltar para ser dominado. E já era tempo! Pela consciência pagar também o
seu preço, responsabilizar-se pelo seu fenômeno, tanto quanto ele desenvolver a
consciência, e através do discernimento, o maior desafio entre o bem e o mal.

Voltaria agora nos princípios restritos da Lei do Amor e do Perdão do Mestre Jesus, em
direção à jornada da consciência, mas num dos mais difíceis momentos também da
humanidade, e onde as ações de correntes de espíritos seriam muito mais intensas, e o
conjunto de influências também cada vez mais constante, para desviar, ferir, denegrir
distanciar.

Ele precisaria conhecer os seus limites, ter noção de si mesmo, ter noção consciente da
manifestação, e conquistar passo a passo a possibilidade de relação com quem o
regesse. Ele precisaria vir consciente! Porque a cartada agora não era somente a
necessidade de sua condição mediúnica, mas também ele como um missionário em si!
Era o seu instante, também, de assumir conscientemente a sua condição na missão de
Olorum.

Não veio para ser governado pela mediunidade e as nuances da mediunidade, mas para
ter governo sobre essas nuances. Ter governo sobre a palavra e torná-la instrumento do
Verbo. Dar a mesma oportunidade a um sofredor quanto a alguém de luz, iluminado,

73
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
isento de carma, discernindo com responsabilidade, ter a consciência deste fator de
multiplicação. Desta vez ele também veio para responder por si e por esta relação.

E o conflito, é claro que eles deveriam ser conflitados agora! Até chegarem aquele
ponto de conquista, em que ele:
“ – Agora eu entendo!”

E até chegar lá, tem que pagar o preço do conflito! Tem que pagar o preço da dúvida.
Porque ontem ele não precisava, era fácil, era só chegar e falar:
“ – Vem”.

E vinha! E quem vem? Também não interessava. Já falou, já terminou? Então foi
embora. Não tinha responsabilidade, era simplesmente um instrumento passivo.

Hoje não! Hoje ele é ativo, ele questiona, ele também determina, ele se aborrece, ele
aborrece, ele conflitua, ele persiste! Porque a mesma luta do Doutrinador que quer ser
realmente um Doutrinador, que se interessa em descortinar os mistérios, este médium
Apará tem a mesma natureza de luta, não há diferença! E a mesma possibilidade do
Doutrinador em direção à consciência, ao seu encontro máximo, este missionário Apará,
nas mesmas possibilidades evolutivas.

Ele é joguete na comunicação, ele transmite a desesperança, e ele ainda não conhece a si
mesmo e sua condição mediúnica. Porque aí já compete ao Doutrinador ajudá-lo a
conhecer-se. E não podemos inclusive nunca condená-lo, porque ele traz o peso na
própria herança, de algo que ele estranha agora numa coisa que é dele, ele é nativo, e
repentinamente ele é consciente.

Olha o preço já do conflito impresso na transcendência do próprio espírito! Porque até


que ele assimile isso, ele não tem paz, ele vai estar sempre em choque. No próprio
espírito ele é cobrado, pela condição nativa que ele representa. Enquanto ele não
encontrar condições de compreender a sua condição, o conflito será uma constante, e o
conflito será eternamente...

Agora, a quem compete ajudá-lo? Ao mestre Doutrinador! Quando saímos do corpo não
tem Apará nem Doutrinador, só tem o mestre deste Amanhecer, não há diferença na
linha de ação, salvo pela expressão de hierarquia e cultura espiritual. Saímos do corpo
aqui, o Trino Ajarã continua o Trino e ninguém passa na frente do Trino. A hierarquia
prevalece, o respeito prevalece. Não que ele seja melhor, nem que seja pior, mas é o
Trino Presidente Ajarã, e todo mundo, é o Trino Arakén, e assim por diante. O seu
Adjunto, o presidente do Templo, quer dizer, passando para fora do corpo, ele é o
Orixá! E as próprias entidades, é todo um respeito na condição.

Mas não há Apará e Doutrinador na linha de préstimo direto naquilo onde somos
exigidos. Somos iguais. Então essa diferença na característica contida na Terra.

Nosso preço agora é consciência! Aparás e Doutrinadores. É quando ela começou a


falar, em 1978, que até então ela sempre falava:
“ – O Doutrinador nasceu de mim”.

74
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E ela sempre ficava constrangida de falar que o Apará.... Vejam bem, até 1978 ela ainda
tinha constrangimento de falar que o Apará tinha nascido dela, até que ela percebeu e
eles abriram, falaram:
“ – Não Fia, o Apará é seu! Nunca existiu! Esse Apará ele é inédito, é a primeira vez
no Planeta que esse médium está nesta condição, foi facultada a ele esta condição”.

Nasceu também do seio de nossa Mãe Clarividente! Salve Deus!

O que falamos agora é um dos muitos pontos que abordamos, que tem que ser
carinhosamente agasalhado no coração, e criteriosamente desenvolvido pelo
pensamento.

E nada do que foi transmitido aqui pode ser utilizado para dividir, ou para se fazer
prevalecer com quem quer que seja. Tudo que foi dito aqui é para nos tornar pequenos!
Quem cresce em cima de conhecimentos decresce no merecimento. Lembrando que, ao
que foi, não é? Como disse Jesus:
“– Ao que tem ser-lhe-á dado, e ainda sobre o que tem ser-lhe-á acrescentado, porém
muito será exigido. Mas ao que não tem, ainda o que pensa ter, ser-lhe-á tirado”.

Volto a lembrar que os senhores já ouviram pessoas, já conheceram pessoas aqui,


companheiros de jornada, irmãos jaguares, que admirávamos por um volume de valores
fantásticos! Que tínhamos certeza que tinham. E hoje nem ao menos sabemos se
dispõem. Temos exemplos vivos para alertar nossos corações. Não são exemplos de
estranhos, estamos falando na nossa família, gente nossa, não é? Salve Deus!

Minha cota acabou.

75
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Curso para Instrutores de Centúria (1994)
Adjunto Jaruã – Mestre Bálsamo
Quarta Aula

(Mestre Bálsamo)
É curioso. Puxa muito! Esse aspecto fluídico é curioso mesmo. É absorvido mesmo, fica
moído. Na realidade o que nós estamos fazendo aqui não é normal, é anormal! Isso aqui
é anormal. Isso aqui é totalmente fora da normalidade, não só em termos.... Em todos os
aspectos! É puxado mesmo!

(Mestre que assistia a aula)


Justamente a Doutrina.

(Mestre Bálsamo)
Claro! A necessidade do planeta, está tudo enquadrado! Eu estava com Beto ali na sala,
ele falou:
“Olha cara, você vai ter que fazer sua emissão e o canto. Vê se você puxa a herança da
Terra para puxar a gente ai.!

Mas é como a Tia falou:


“É um mal negócio.”

Mas nós não abrimos mão desse negócio! Então Trino: socorro!

(Emissão e canto do Trino Ajarã)

(Mestre Bálsamo)
Salve Deus!

Assim que o Beto começou a fazer a abertura, lembrando de uns truques da Tia e que a
gente nunca usa. Ela dizia:
“-Quando vocês estiverem sentindo muita vibração, muita atuação, aí você vai num
cantinho da sua casa, você tem o seu Aledá, num lugarzinho, e você faz uma prece, faz
uma concentração, aí depois traz as duas mãos, depois que faz a primeira prece, nesses
dois chacras aqui, descendo aqui nesta altura, e você fecha sua guarda. Você por uns
dois minutos, puxa o ar pelo nariz, soltando pela boca umas três vezes, e nesse simples
gesto você fecha sua guarda.”

Aí você está extremamente desenergizado e não há condições de você recompor a


energia.

(Mestre que assistia a aula)


Faz a emissão também ou não?

(Mestre Bálsamo)
Não.... Aí depende, ela não, não existe necessidade. Se sentir, aí é por iniciativa pessoal.
Se você quiser fazer a emissão antes, se harmonizar, aí depois faz os exercícios, um
minuto mais ou menos.

76
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Está totalmente desenergizado, está sentindo que sua energia está arrebentada. Um mal-
estar, você está sem condições de manipular. Aí, também no mesmo cantinho, você
relaxa bem, faz uma harmonia, faz uma prece, ou abre a emissão, e no sentido inverso, à
altura do plexo, você puxa o ar, prende um pouco e solta pela boca, e fazendo o mesmo
movimento com as mãos. E agora, para recompor a energia, em sentido inverso, e aí, em
vez de puxar pelo nariz, é puxando pela boca e soltando pelo nariz, já é o contrário. E aí,
nesse último movimento, você vai trazendo as mãos, e aí você faz uma pequena pressão,
com o estilo do passe magnético, no sistema espinhal, e solta.

Quer dizer, a gente nunca usa. Quase não se usa. É curioso! Você sente até que sua
energia boa, mas você sente que desagregou o interoceptível. Curioso, não é? A energia
não está bem, ou você pode se sentir totalmente daqui pra baixo.

Mas você vai perceber no transcorrer da jornada, principalmente depois deste ponto
agora, você por exemplo, aí alguém senta e começa a te falar de um problema, você
começa a relaxar, preces ligeiras, você começa a sentir a sua força trabalhando na
pessoa. E você pode sentir um enfraquecimento também, e você manter-se
perfeitamente equilibrado, perfeitamente harmonizado, perfeitamente bem. Como agora,
nós estamos arrebentados, mas estamos muito bem, graças a Deus, não é? Energias, é o
próprio ritmo, quer dizer, associado ao ritmo psíquico, ao nervosismo também, que a
gente fica tenso! Essa movimentação, mil preocupações, é o desgaste também
energético, mais o desgaste do corpo, que acumula tudo, físico, acumula o fator
psíquico, quer dizer, o centro nervoso, mas a cabeça extremamente equilibrada, está
muito bem.

Então, naquela relação de energia, é mais fundamentalmente para este sistema. Mas
repentinamente você pode sentir a sua energia bem e tudo mais, e num breve
desequilíbrio você sentir que desagrega todo o seu interoceptível. A energia que precisa
e pode ser desagregada e é construtiva de acordo com o padrão é através do plexo. No
relaxamento, em favor de alguém, no relacionamento direto, mas esta, quando
desagrega, aí sim há o desequilíbrio, e esta já é um pouco mais dolorosa, fica
armazenada nesta linha do interoceptível, que é a linha do comando da vida e da morte.
São os dois chacras laterais aqui e o chacra frontal, é a balança do equilíbrio.

Começou a pesar de um lado, aí vem a sublimação, o fanatismo, a pessoa saindo do


princípio do equilíbrio natural, que é o quatro negativos e três positivos. Ou com ódio,
uma ira, também já é um outro fator, é pesando para um outro lado. Mas, para este tipo
de desagregação, tem que ser a Lei de Auxílio, ou, pela benção de Deus, numa prece, na
sua emissão e canto, ou, também, curiosamente, você concentra-se, novamente neste
mesmo sentido, este aqui já tem que ser entrelaçado, ou também nos sintomas do Apará,
quando ele precisa de um simples reequilíbrio na sua tônica fluídica, ou magnética,
etc....

Depois de uma pequena concentração, relaxando, aí o passe que você proporciona no


Apará, você está proporcionando a si mesmo. Mas é preciso uma prece primeiro, uma
harmonização, para sua energia ficar bem. Então você vai usar a sua própria energia no
seu fator. Isso são lições que ela passava.

77
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
É curioso, não é? A gente é “casa de ferreiro, espeto de pau”. A gente nunca usa. Porque
é interessante, porque eu não sei como me lembrei disso agora, isso nunca mais havia
participado da minha memória.

Então, a energia, no plexo, sentiu que está ruim, que está negativada, que está
desarmonizada, está sentindo que está com um mal-estar.... Você pode observar
inclusive, correntes, é uma coisa curiosíssima, tem correntes que nos atinge no plexo, é
uma tremenda dor de barriga, há uma série de reações no plexo dependendo da
característica da corrente que nos atinge. Ela pode provocar uma série de sintomas. Uma
dor de cabeça, e uma dor de cabeça, normalmente, não é que a corrente chegou aqui, ela
pode ter chegado aqui e o reflexo veio imediatamente na cabeça.

Nós não podemos nos esquecer, por exemplo, a relação da alma, a base física da alma, o
corpo, a base física da alma é o sistema cérebro-espinhal. Daí então, essa surpresa, é tão
íntima essa relação alma-corpo, que realmente, às vezes você fica até em dúvida quando
é no corpo e quando é na alma. A não ser quando você passa realmente a ficar atento
para essa relação do sistema nervoso físico, que é imediato! O reflexo é muito rápido no
centro nervoso, e a base física dele é justamente a alma, que dizer, alguém te irrita,
imediatamente a sua reação. Quer dizer, aonde você se irritou? Claro, o fator que sente é
o fator psíquico, mas você vê a imediata reação no centro nervoso. Você imediatamente,
a tendência, quer dizer, os dois obedecem ao mesmo comando, o impulso é simultâneo,
é muito ligado, é muito ágil. Quer dizer, a base física é o sistema nervoso, é o sistema
cérebro-espinhal, é muito rápido, não é? Salve Deus!

Essa intimidade da relação alma-corpo é fantástica, não é doutor? Salve Deus!

Mas então, se eu percebo que eu estou muito vibrado, muito atuado, percebo que eu fui
invadido em minha guarda, tem alguém na minha guarda. Então a Tia ensinava: você
abre o plexo, forma antenas, forma uma breve concentração, busca a sintonia com quem
te rege. Formar antenas é fundamental! Você está buscando de fora, tem que formar,
você quer contato, você está em busca de contato, então esta é a posição. Então você
busca, se energiza, pega nestes dois plexos que estão contidos aqui, você sente eles
nesta parte do dedo. Então por alguns breves momentos você relaxa, puxando o ar pelo
nariz, soltando pela boca, relaxa, descontrai. E esta posição sua, ela fecha a sua guarda.

No caso da energia, a mesma posição anterior, uma prece, uma pequena concentração,
aí você vai tirar a que está impregnada negativamente, que não está bem. Coloca a mão,
puxa o ar profundamente com o nariz, segura um pouquinho, e pela boca você solta,
fazendo o mesmo movimento com o plexo. Puxa novamente pelo nariz, e solta, três
vezes. E agora você vai recompor. Aí inverte, puxando pela boca, trazendo a mão ao
plexo, e soltando levemente pelo nariz. Relaxando, e soltando pelo nariz. Pega
novamente, e de preferência forçando um pouquinho sobre a “espinhela” aqui.

No caso do interoceptível, se você sente a mesma necessidade que você sente quando o
Apará precisa de um passe, e você percebe que precisa, e o Apará também sente
sozinho, quando você percebe que você também precisa de um passe e não há como
você recorrer, então você, uma breve concentração, traz as mãos ao plexo, só que aí
você faz três movimentos, na nuca, curiosamente, você está se proporcionando um
passe, relaxa, e você se deu o seu passe. Salve Deus!

78
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Essa relação de energia, que você citou naquela hora aí...
“Ah, é só a gente e tudo mais!”

Dependendo da posição que o Beto está. Você pode observar que eu não estou querendo
ficar perto dele (refere-se ao Trino Ajarã) de jeito nenhum, estou sempre colocando
alguém perto de mim. Entenderam como é que é? Pela condição hierárquica prevalece a
dele, e não a minha, então eu quero ele longe de mim! Entenderam como é que é?

Esses pequenos macetes, eu me recordo, eu peguei a Tia uma vez de saia curta, que é
essas coisas gostosas. Tia por exemplo, na convivência diária, uma vez observando, ela
começou a falar com um espírito. Depois eu percebi ela conversando com um espírito
novamente num breve instante entre uma Carta e outra. Quando foi à noite, ela em
diálogo com os Mestres e tudo mais. Os mestres foram eu peguei e falei:
“- Tia, para ai! Se eu observei bem, na parte da manhã, a senhora não estava vendo,
mas a senhora estava ouvindo...”

Ela ficou calada. E eu falei:


“- Mas na parte da tarde, eu tive a nítida impressão que a senhora via, além de ouvir e
é claro, falar. Mas quando chegou a noite eu não percebi nem uma dessas
características e a senhora estava mudada...”

Ela não estava com a Clarividência ininterruptamente te atendendo. Porque se ela fosse
sempre, se estivesse sempre o equipamento todo dela em ação, ela não suportaria, o
desgaste seria incrível. Então, o conjunto completo dos valores na Clarividência era só
quando era fundamental. Então, em muitas situações ela ouvia e dialogava. E em muitas
situações era dispensado todo o equipamento. Por que? Pela própria bagagem, a
sabedoria em si, o caso competia a ela. E já tinha o caso que ela tinha que ver realmente.
Então, a coisa não era bem assim, era técnico até nisso.

E muitas vezes para dar uma aula, ela sabia muito bem se distribuir com quem estava ao
lado. Porque senão ela era absorvida nos fluídos um pouco mais do que deveria,
perfeito? Então era muito comum, hoje os Adjuntos se falar nisso vão lembrar muito
bem, quando ela, às vezes, fazer uma reunião, ela olhava assim e:
“- Meu filho, vem cá, senta aqui”.

E ninguém entendia. E muitas vezes ele estava num total desequilíbrio, numa vibração
terrível em cima dela, e atrapalhava a sintonia. Então, ela descentralizava ele, e tirava
ele para uma lateral. Ele de frente fixava muito, dava muito dardo. É, desequilíbrio
mesmo! Desequilíbrio! Essas coisas contidas no coração e que gente... Ele sentado aqui,
ele odiando o Kioshi aqui, mas está tudo bem, e tudo mais.... Quer dizer esse jogo aí, a
gente não conhece a pessoa. Mas para ela essa coisa tinha um poder fantástico! Ela era
extremamente sensível! E mediunizada ela também era vulnerável. Então ela fazia esse
jogo, remanejava:
“- Meu filho, senta pra lá um pouquinho.”

Aí ela alterava. Ela também tinha que fazer os seus remanejamentos, os seus conceitos
técnicos para variar as coisas. Quantas vezes, quem se lembra aí:
“- Mário, você quer ir dormir?”,

Lembra disso? Kyoschi? Não é? Em relação a Mário Sassi.

79
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Quantas vezes:
“Mário, você quer ir dormir?”,
“Ah, eu quero Neiva...”
“Graças a Deus”.

É claro, aquilo não podia acontecer, ele não podia sair. Então, se observarmos a coisa é
muito além do que a gente tem noção. Realmente a gente tem que ter astúcia, tem que
ter sagacidade, quer dizer, é aquilo que nós falamos no nosso primeiro encontro, às
vezes você vai estar, chegar num Templo, tá na hora de sua aula, e você tem um assunto
fundamental pra tratar, e você vai perceber, ou num conjunto de pessoas, de médiuns,
ou ninfas, ou de alguém ao seu lado, ou de alguém na sua frente, de uma situação que
você está sabendo que está acontecendo, ou que o Presidente chegou e te tocou, e você
percebe que não é hora de colocar aquele tema.

Até isso! Até o assunto, muitas vezes ele deverá ser evitado, para não se causar um mal
maior. E você tem que esperar um outro ambiente, um outro instante, para você
transmitir aquilo que é necessário. Ou talvez nem você, mas aquele Presidente ter que
cobrir você numa outra condição. E já não vai te competir, quer dizer, quer dizer, esse
jogo, você tem que estar muito atento.

É curioso, que a Tia quando dizia assim:


“- O psiquiatra, o psicólogo, o parapsicólogo, o psicanalista do futuro, terá que ser
Doutrinador...”

Porque vai estar em evidência não são somente os valores estritamente do fator psíquico
e do corpo, não, estritamente é a transcendência, e se não for pelo transcendente não
haverá solução. Tem que se entender, tem que se ter noção da realidade desobsessiva,
porque mestres, a gente inclusive, nós jaguares inclusive, temos esse hábito, inclusive a
Tia gostava até de alimentar isso:
“Não, nós não gostamos de ler”.

Isso, a gente paga um preço muito alto, porque:


“Não, o jaguar realmente não gosta de ler.”

Vejam a técnica! Não é não gostar de ler, mas ela sempre fez questão de alimentar não
gostar de ler. Por quê? Porque se ela estimula a leitura, você nunca iria ler somente as
coisas daqui. Você passaria a ler as outras coisas lá de fora. Ai você por exemplo, o que
é que ouviu sobre chacras aqui ou se você tem interesse e você sabendo que nós não
temos material suficiente que te informe sobre chacras, qual seria a sua tendência
natural? Era procurar uma obra lá fora, e isso é um tremendo mal.

Aí, por exemplo, alguém que tenha sido maçom, por exemplo, aqui, sabe que lá no
conceito da maçonaria há o ensinamento sobre plexos. Mas aí você chegando aqui,
tendo contato com o Vale, você sabe que se fala sobre plexos, mas até você ter acesso a
determinadas Cartas que comecem a favorecer dentro dessa linha de informação, você
vai perceber que não é assunto de profundidade dentro da sua exigência intelectual. Ela
é assim! A Tia faz um ponto de partida, ela não esmiúça, ela não. Por quê? Porque não é
para esmiuçar. Ela dá a ideia, quer dizer, ela joga mente na sintonia, ela faz somente
registrar esta existência, mas o encontro com esta realidade é através da jornada.

80
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Curioso! Mas aí você teria isso, você pegaria livros da maçonaria, de Rosacruz, livros
esotéricos, e tudo mais. Quer dizer, então, leituras diversificadas, variadas, elas só têm a
tendência a atrapalhar o médium aqui dentro.

É curioso, porque é tão original o nosso sistema! Vamos por exemplo, pegar como
exemplo duas obras primas do kardecismo: é o Livro dos Médiuns e o Livro dos
Espíritos. Em termos da linha kardecista é uma obra prima de Kardec, em termos de
Vale do Amanhecer, é uma “sangria de açougueiro”. Você quer agredir o nosso
Sistema, é ler esse livro. E para o kardecismo é o primeiro livro que você deve
recomendar.

Outra coisa aqui, vamos pegar aqui como exemplo: o Ramatís. É extremamente
cultuado, respeitado no Sistema Esotérico, no Sistema Espírita tradicional, no Sistema
Umbandista, nas Linhas Tradicionais do Espiritismo. Agora, pega Ramatís e vai ler para
um jaguar, você entra em choque imediatamente com Tia Neiva! Dona Vaca que foi um
homem... e depois veio mulher e depois voltou outro homem...

Há uma série de conceitos que arrasam com os princípios dos conceitos trazidos por
alguém que, pela Clarividência, percebeu que não era nada disso!

Então, existem grandes médiuns, fazendo grandes trabalhos, mas que, passíveis de
interferência, então registram uma série de informações totalmente incompatíveis com a
realidade realmente espiritual.

Observa por exemplo a obra de Dante: Céu, Inferno e Purgatório. Ele realmente foi
conduzido, quer dizer, a obra prima, você vê que chegou a um ponto, que na época que
foi divulgado, para o Catolicismo abraça-lo, num período de inquisição, num período
em que se matava na fogueira e ele ter sido abraçado. Por quê? Porque ela foi
exatamente adequada à concepção também tradicional das ideias, e ele foi orientado
pelo Clero a traduzir, a interpretar os aspectos de sua visão. Então ela foi também
tornada coerente com os aspectos tradicionais da Linha Litúrgica daquele tempo. E você
percebe, e pega, e a gente pode pegar como romance e ler com liberdade, você lê, mas
você se agride.

Observem que, depois da nossa condição, se alguém voltar a pegar Dante e ler, você vai
se agredir com uma série de coisas. Você vai se irritar com uma série de informações, e
falar: Puxa, mas não tem lógica!

Mas observem que no tempo, é que integra dentro da tradição da Liturgia Católica, ou
mesmo de uma Liturgia por exemplo, eu diria o Protestantismo numa linha assim por
exemplo Luterana, que é um pouco mais livre neste apego, desse acrisolamento no
campo do fanatismo, é fácil absorver as ideias do Paraíso, do Céu, do Inferno.

Mas quando cai dentro de uma realidade de informações que nós já dispomos, que é um
sistema lúcido, um sistema lógico, um sistema claro, sintético, definido, simples,
simples! Porque observem que de tudo que nós recebemos até agora, ele é simples. Ele
é tão simples às vezes que nos conflitua, nós passamos até a discutir:
“- Mas ninguém informa nada a gente aqui? Não tem ninguém que traduz mais
coisas?”

81
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Imaginem os Presidentes, quantas cobranças:
“- Puxa, porque você não fala mais coisas?”

Quanta gente não chega nos Trinos e cobram. Eu sou extremamente cobrado:
“- Por quê que você não fala mais coisas? Por quê que você fica escondendo o ouro?”

Eu sou criticado aqui no Templo-Mãe por Adjuntos Arcanos, vocês mesmos sabem
disso:
“- Puxa, você fica com isso ai e não distribui as coisas, porquê que você não mostra
tudo?”

Quer dizer, não é assim! Não é assim! Na linha mediúnica, na linha doutrinária, quando
você realmente é regido por alguém, como todos vocês sabem disso, você não faz o que
quer!

Quantas vezes você vai no Templo e fala assim:


“- Hoje eu vou para o Templo, vou passar numa Mesa, da Mesa eu vou para o Trono,
do Trono eu vou para a Cura...”

Aí você chega no templo, chega no seu Vale lá, no Vale cá, qualquer Vale, e você faz?
Uma “ova” que você faz o que você quer. Você não faz o que você quer. É muito raro
você chegar num Templo e falar assim, você por exemplo partir daqui e falar assim:
“- Eu vou chegar em Ipatinga e vou fazer isso, isso e aquilo, e depois eu vou fazer isso,
isso e aquilo.”

Faz nada! Você nunca faz! Aí você fala assim:


“- Eu vou para o Radar, e eu vou falar hoje esse, esse e esse assunto, eu quero reunir o
meu povo e falar isso, isso e aquilo.”

Fala? Sua avó que você fala! Não tem quem fala! E graças a Deus, esta é a nossa
garantia de que nós não somos donos de nós! Somos donos das nossas coisas, dos
nossos valores, mas quando se fala nesses valores, nós não somos proprietários. Nós
não somos donos, nós não somos donos de nada! A gente não tem nada, e dispõe de
tudo! Mas dispõe de acordo com sua sintonia, de acordo com o que você se dispõe e
com a vontade de quem te rege. Você sabe o seu momento, mas quem sabe do momento
de todos nós é quem nos rege, não é assim?

Então, Tia sempre fez questão, quer dizer, você vê que ela estimulava, e com isso ela
denegriu até a nossa literatura. É, “denegriu” aspas, claro! Não é nesse sentido. Mas ela
própria nunca estimulou a leitura nem das nossas coisas, mesmo sendo nossas coisas
atualizadas, adequadas na linguagem original. É ela! Mas ela também não estimulava.
Para não formar o hábito da leitura diversificada.

Observem bem, que em tudo que ela falou sobre chacras. O que é que ela falou sobre
chacras? Ela falou só sobre esses dois chacras. Ela falou no Interoceptível. A Linha de
Comando da Vida e da Morte, e tal. O que é mais que ela falou? Não existe mais nada
registrado sobre chacras.

Plexos – É o Sistema Coronário, Plexo Físico, Micro Plexo e Macro Plexo. O que mais?
Nada! Por quê? Porque é um assunto complexo, não é para o trato comum entre

82
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
profanos, não é para o trato comum de médiuns do próprio Vale! Porque o sentido, as
descobertas realmente desta realidade, será proporcional à jornada individual. Salvo
numa concentração como essa em que o Instrutor, seja ele o Presidente, um Instrutor,
um Trino, você Instrutor, não importa, num instante de inspiração, e você ter a
segurança de ir um pouco além e proporcionar mais aberturas.

Mas aí ela vem num clima de energização espiritual, de assistência espiritual, de


desenvolvimento espiritual. O quê que nós estamos fazendo aqui? É um
desenvolvimento! Nossos chacras, nossos plexos estão sofrendo todo um
desenvolvimento. O simples fato de um médium falar assim:
“Bom, eu quero começar a participar do desenvolvimento lá no meu Templo, eu quero
achar o Presidente, e tal, e tal...”

Se está na linha dele, ele passa imediatamente. Médicos vêm, e começa todo um sistema
de preparação nos chacras e plexos no desenvolvimento dele, para adequá-lo àquela
função, àquela missão. Isso, é cada Presidente num Templo, é cada Instrutor, cada um
recebe o desenvolvimento compatível com a missão ou função.

A coisa não é simplesmente “eu quero” e ela se operar pela visão intelectual, e eu me
dispor fisicamente, chegar e fazer. Não há possibilidade! Tudo aqui está contido no
sistema espiritual, não físico! Não é o orgânico que tem o comando, mas é o inorgânico,
certo? Salve Deus!

Então, é muito perigoso, por exemplo, o Evangelho. Quando a Tia, lembrem bem que
Tia, numa das aulas dela com Umahã, ela chega a falar assim, naquela simplicidade. Ela
fala assim:
“- Mas eu acredito no Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo!”

Aí o Mestre Umahã estica o dedo para ela, e fala:


“- Olha, cuidado com o Evangelho!”

Olha que loucura! Quer dizer, isso é chocante!


“- Procure discernir entre o que é importante e o que não é. Inclusive o que já se
perdeu pela tradição e aquilo que ainda é útil pela aplicação...”

Vejam que ele próprio.... Ficou claro, no saber que os quatro Evangelistas, depois que
escreveram os seus originais, e que veio o primeiro livro, aí depois veio o segundo, veio
o terceiro, veio o quarto, veio o quinto, veio o sexto, e aí morreram os Apóstolos, e aí
vieram outros, e vieram outros, e passaram-se o tempo... Esse Evangelho é realmente o
original?

Claro, inclusive Tia na intimidade ensinava:


“- Meus filhos, o sentido essencial da mensagem de Jesus não foi alterado. Os
princípios básicos da Doutrina de Jesus não foram alterados. Mas, a maioria das
informações são totalmente incompatíveis...”

Ela fere inclusive, a lógica, a coerência, o bom senso, etc. etc. E todo mundo sabe disso!
Mesmo que não tenha lido, porque não precisa nem ler para saber. Observamos pela
própria, pela série de decisões que existem, dividindo, denegrindo, e etc. Salve Deus!

83
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Volto a repetir que o que estamos falando aqui sobre o Evangelho, sobre religiões,
jaguares... Salve Deus! Salve Deus! Nós estamos falando aqui. Deus me livre! Deus me
livre! Salve Deus! Estamos falando aqui, Deus me livre! Não vamos falar isso numa
aula de Templo, não vamos falar isso em meio a visitantes, a uma pessoa estranha, nem
a uma visita em casa.

Isso aqui, isso aqui é para quem já está calejado aqui, na intimidade do lar. Se alguém
disser que eu falei isso é mentira, e se falar que foi eu que gravei eu falo também que
não foi eu não, foi alguém me imitando, eu nem ouvi falar, não é Beto? (Trino Ajarã).

(Trino Ajarã)
Interferência.

(Mestre Bálsamo)
É interferência!
“Que coisa de doido! Não é possível! Eu quero meu advogado!”

Olha, hoje a gente fala com uma naturalidade dessas.... Olha a segurança que a gente
está tratando, não é? Que coisa bacana a gente falar sobre assuntos tão sérios da maneira
mais natural, mais descontraída, mais informal, e já chegou um cafezinho aqui, e daqui
um pouco para um pouquinho, como ontem, aí para tudo numa reunião para comer pão
de queijo! Comer pão de queijo! Só feras reunidas.

Quer dizer, você lembra do Vaticano por exemplo? Obras de não sei quem...
Michelangelo.... Você tem que passar por toda uma estrutura de segurança para chegar,
não é? Quem tem acesso à biblioteca do Vaticano? Nossa Senhora!

Para ter acesso àquela biblioteca? Inclusive é a mais importante do planeta, pela
concepção intelectual do próprio planeta, onde raríssimos têm acesso! Para ter acesso
tem que ter acesso ao Papa, e depois de acesso ao Papa, terá que ser feita uma avaliação
para ver se tem acesso à biblioteca. E você tem que saber o que quer da biblioteca para
saber se é possível ser fornecido. E se for fornecido, há uma mesa especial para a leitura
e não há cópias. A coisa é séria, não é?

Observa-se bem que esses registros da realidade do mundo espiritual, olha a subdivisão
do sistema coronário. Paulo de Tarso falou sobre isso! E tudo são segredos, tudo isso é
secreto lá dentro, nem se falar não fala! Eles têm suas Iniciações, têm a primeira
Iniciação, têm a segunda Iniciação, mas não se fala! Quer dizer, isso é um segredo
restrito à Alta Cúpula. E falar sobre isso agora, principalmente numa nação como o
Brasil, onde tem uma tendência mística com linha africana, com tendência africana, é
impossível, isso é perder adeptos. Não se pode agora reconhecer isso, é impossível! É
uma questão política reconhecer esses aspectos.

Na África, como penetrar na África e combater isso? Mas ela também já não pode entrar
em contradição com o que ela próprio ensinou. Ela vive um problema terrível em sua
concepção teológica, quer dizer, então, olha a seriedade!

Mas nós jaguares, graças a uma mulher, a uma Sacerdotisa, a uma Profetisa, não é? Que
entregou os olhos a Jesus a bem da verdade, a gente trata das coisas mais sérias do
planeta da maneira mais informal, mais descontraída, sem que isso perca em respeito, e

84
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
não é tratado para depois nós sairmos aí de terno e gravata, bonitões, charmosos, só para
sair discutindo filosofias pelas esquinas ou ruas. Não! É para a aplicação, é para atender
pessoas, é para atender seres humanos, não é? É para a aplicação direta, quer dizer, é
uma coisa totalmente diferente. Salve Deus!

Oh Cunha, pode ir pôr o seu uniforme! Eu diria inclusive, por exemplo, esse lance aqui,
essa descontração, tai a garrafa térmica passando de mão em mão. Se você falar para
oitenta por cento dos nossos médiuns aqui, eles vão falar:
“- Puxa, mas aquilo lá não é muito sério não...”

Pega um Nelson Cardoso aí, pega mais alguns jaguarzões nossos aqui, e fala:
“- Olha, aí paramos uma reunião temporariamente, de revisão de Centúria, para
Instrutor de Centúria, para comer pão de queijo...”

Ah, mas isso não pega bem de jeito nenhum! Entenderam como é que é? Olha que
sutileza! Aqui, no nosso meio, isso aqui pegaria mal. Quer dizer, só pega bem para
quem está no meio e vive, convive. Quer dizer, não tem fanatismo, não está em meio a
superstições, a essas ideias sublimadas, irreais. Não! É uma coisa caseira realmente. Por
quê? Porque nós somos isso! Esse é o Espírito Espartano, esse é o Espírito Espartano!

E muita gente aqui está de uniforme, e não entendeu nem o Espírito Espartano que
existe dentro do próprio Vale. Salve Deus!

Então, leituras por exemplo, existem livros que são tratados sobre chacras. Eu me
recordo de um de capa vermelha, um dia eu pus debaixo do braço, muito sabidão, e a
Tia veio do Sétimo assim e:
“- Quê que é isso aí?”
“- É um livro sobre chacras”.
“- Em hipótese nenhuma! Eu te afirmo que não tem cinco por cento de verdade”.

A última vez que eu cometi a tolice de passar com obras dessas perto dela, eu cheguei
no “Seu Mário” e observei. Estavam sete volumes de Pastorini. Eram oito, um tinha
sido emprestado para o Lisboa. Aí eu cheguei e falei:
“- Seu Mário, deixa eu dar uma passada de olho nisso aqui”.

Aí ele pegou e falou:


“- Tá, pode pegar e levar”.

Aí eu juntei ele, quando eu passei no Sétimo, ela:


“- Bálsamo, vem cá!”

Aí eu voltei, ela falou:


“- Quê que é isso aí?
“- Isso é uma obra do Pastorini”.

Ela pegou e falou:


“- Em hipótese nenhuma!”.

85
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Aí eu falei:
“- Mas Tia, ele descobriu o Princípio da Individualidade, ele tem um mínimo da
percepção do Evangelho Iniciático.”

Olhem, eu argumentando!
“- Eu já dei uma noção, eu percebi que esse homem encontrou muita coisa...”

Ela pegou e falou:


“- Mas é uma obra fria e morta! Ele não tem amor, portanto não há envolvimento com
a emanação, não há indução na obra. Ela é fria, puramente intelectual. Ela pode ser
muito boa para Exus...”

Olhem a seriedade do que está sendo falado jaguares! Por falta de amor, por não ter um
sentido original do amor, o princípio da Lei de Auxílio como base de sua jornada, Deus
permitiu a ele toda uma série de visões, mas ele ficou restrito ao campo intelectual, ao
campo filosófico intelectual, sem a atitude daquele mesmo princípio. Então, por isso,
nunca envolveu a obra com calor, que é o sistema da indução. Calor, impregnação,
emanação. Então a obra passava a ser morta, não tinha vida, ou seja, ali não estava
contido o verbo, somente a letra.

Ou como falar, somente falar. Uma porção de coisa bonita, aí sai todo mundo, o quê que
ele falou? Ele falou alguma coisa? Ele não falou nada. Por quê? Porque eram só
palavras, e palavras são palavras. Agora aqui não! Numa concentração como essa, nós
estamos falando, mas estamos sendo instrumento do Verbo, do Verbo Altíssimo, do
Verbo Divino, transmitindo uma realidade doutrinária e espiritual. Aí então ganha vida,
vai impregnando o ambiente, vai tornando calor, vai formando uma indução. Perfeito?
Essa é a diferença.

Então a letra, por mais inteligente que seja, somente letras, como palavras são só
palavras, também a letra é somente letra. No caso dela, a importância é que a letra é
instrumento do Verbo! Salve Deus!

Então o cuidado com literaturas, nós temos que ter o cuidado com leituras.
Principalmente o médium, quando ele começa a entrar na Corrente, durante um bom
tempo de sua jornada, ele deveria evitar realmente qualquer tipo de leitura, porque é
nociva realmente. Ele deveria se fixar mais pelo conjunto de instruções por onde ele for
passando. Porquê? Porque tudo obedece a uma Contagem, obedece a um círculo.

Por exemplo, Desenvolvimento, são sete aulas. Essa é a base das sete aulas. Qualquer
tempo que venha a mais aí é só um complemento, não importa! Aí é complemento. Mas
são sete domingos, isto é uma Contagem. Qualquer médium que ingressa, ele está
ingressando numa Contagem. Não importa que varie de Instrutor, vai contar uma
Contagem Espiritual, uma Contagem de informações, aquilo é impregnado, é um ponto
formado.

Aulas para a Iniciação, são três, é um ponto, é uma Cultura, ela é pronta! Elevação, e
assim por diante, como a Centúria, não é? E nesse círculo de Contagens, aí terminamos
com o Sétimo Raio. Passou além disso, aí são as nossas reuniões, aí são as iniciativas do
Trino, aí é a iniciativa do Presidente, aí é a iniciativa das lideranças, nas concentrações,

86
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
pelas Cartas que temos, de acordo com a necessidade, de acordo com o momento, de
acordo com o propósito doutrinário.

Mas tudo com base em qual princípio? Podem observar que a linha mestra de
informações que foi passada no Desenvolvimento, quando chega na Iniciação Dharman-
Oxinto, observem que a linha de informações ela continua a mesma. Observem que a
linha de informações da Iniciação, é a mesma do Desenvolvimento. Agora, ela vem
mais preenchida, ela vem mais enriquecida, ela vem mais dilatada.

Aí você pega a aula de Elevação de Espadas, que diferença tem? Podem observar que
não tem! Ela é o mesmo sistema de alertas, o mesmo princípio rebatido, agora numa
outra linguagem, numa outra impregnação, numa outra percepção, num outro conjunto
de aberturas do próprio Iniciando, do próprio Iniciante, e do próprio Instrutor inclusive.
Você vai percebendo a diferença de graus e assistência inclusive, em quem transmite, o
campo de energia que se forma, o clima ambiental, a característica energética, a linha de
informação é a mesma, mais enriquecida, mas é sempre o mesmo princípio.

Aí você chega numa Centúria, o quê que nós ouvimos falar numa Centúria? Se
observarmos, todos os princípios básicos estavam contidos no Desenvolvimento, nas
Aulas para Iniciação, nas Aulas para Elevação. É claro! No nível que nós estamos
fazendo já é uma extensão, mas observem que é uma extensão! Somos como um rio que
corre para o mar, um rio que corre para o mar...

Podem observar que a partir do momento que se localizou nesta ponte, tudo que você
recebe, não importa quantos anos passem, você estará sempre numa extensão desta
mesma ponte. Você nunca se perde da origem, você nunca se perde do princípio de
surgimento. Já perceberam? Você não entra para uma Aula de Iniciação e é como se
você estivesse entrando num outro conjunto de valores. Não! Você se sente na extensão.
Aí você vem para a Elevação. Você não está entrando numa coisa dividida, separada da
Iniciação, você está entrando numa outra extensão, certo?

Você não se sente saindo de uma estrada, quer dizer, você está na estrada da Iniciação
Dharman-Oxinto, você não se sente, quando vai para a Elevação, como se estivesse
pegando outra estrada, já perceberam isso? Você percebe que está na mesma estrada, o
caminho é único. Quando ingressa na Centúria não significa também que você saiu para
um outro mundo, para uma outra realidade, para um outro conjunto de valores. Não!
Você nunca sai do conjunto de valores, você está sempre nele, é uma linha, é uma
estrada única.

Evolução, progresso, tudo mais, vocês podem observar, o mestre pode chegar aonde
quer que se chegue, se ele se perder de um princípio ele se perde de todos os outros! É
extraordinário isso, é extraordinário!

Aí, se você pensa em literaturas, aí você já vai perceber que por cada um você vai
encontrar um ambiente totalmente numa série de hipóteses, numa série de contradições,
numa série de informações que divergem. Salve Deus!

Mas é muito sério, nós estamos falando num assunto realmente que... Vibração, não é?

87
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Essa vibração é um dos temas, é um dos assuntos básicos desta quarta aula, e até
lembrando aqui, Tia Neiva dizia assim, naquele jeitão brejeiro dela, bem simples:
“- Eu morro de medo de vibração!”

Porque tem um aspecto na vibração que, o aspecto mais perigoso da vibração. É que,
por exemplo, eu te magoo, então eu agora viro e te faço uma ofensa:
“- Ah, vai...”

Meia hora depois, quinze minutos depois, eu já esqueci do que eu te fiz. Você não! A
gente ofende, a gente magoa, e esquece muito rápido, mas muito rápido! Questão de
minutos às vezes você esquece que magoou. Agora, quem foi magoado.... Esse é o
perigo!

E aí, curiosamente, a pessoa consegue passar por cima. Ele é meio educado, civilizado.
Então você o magoou, mas ele passa por cima, na cabeça, e ele continua seu amigo,
você passa perto e ele:
“Como é que é fulano de tal, como é que está? Puxa, que saudade!”

E você:
“Oh, tudo bem! Salve Deus! Vamos tomar um guaranazinho?”

Daqui a pouco você apronta uma outra. Ele voltou a se relacionar com você pela cabeça,
mas está no coração! Aí você apronta uma outra.... Dobra a força! E você, com a mesma
rapidez com que esqueceu que ofendeu da primeira vez, você esquece da segunda. Ele
não! A vibração é dobrada!

Dependendo do nível da mágoa com que a gente tenha o atingido, pode se tornar até
carma! Pode se contrair um carma! Dependendo da condição pode sair uma morte. E é
curioso, todo aquele que fere, que magoa, que ofende, esquece rápido demais. Olhou
aqui, já ofendeu. Ai você fala assim:
“Olha, caiu cinco reais aqui.”

Ele olha e já esqueceu. Pode observar! Absorve! Foi puxado, mas eu estou em outra
sintonia e esquece que magoou e que feriu. E o magoado não! E isso se a gente observar
pegando como exemplo a nós mesmos, quer dizer, se fizermos uma avaliação das vezes
que fomos feridos, magoados, humilhados, e como nós reagimos, como nos
comportamos, nós temos que estar atentos porque transformar isso em lição em relação
a essa realidade convertida para o próximo.

Quando Jesus disse:


“- Não façais aos outros aquilo que não gostaríeis que fizessem a ti”

Aí nós temos realmente um sistema científico chamado Jesus e sua doutrina.

Observa que Ele deu sempre alertas lógicos, inclusive não só para você preservar o seu
relacionamento com as pessoas, mas sobretudo para que você pudesse preservar a sua
integridade. A integridade! Eu não estou falando da integridade moral não! Integridade
de equilíbrio, integridade de realidade, integridade de ajuste, integridade de
manutenção, integridade de conjunto, integridade de vida!

88
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
A vibração é extremamente perigosa! E esse tipo de relacionamento, mágoa, ela
realmente pode gerar vibrações terríveis! A mãe por exemplo, é surpreendente! A
pessoa inclusive, quanto mais ela te amar, ou ela te admirar, ou ela gostar de você, se
você feri-la, então a força vem dobrada ou triplicada proporcional ao carinho que essa
pessoa tem por você.

Aí eu te admiro. Quanto mais eu te admiro, numa decepção, quanto mais eu te admiro,


quanto mais eu sinto carinho por você ou você tenha conquistado meu afeto, você me
fere, analisa mestres! Olha o jogo da proporção! Semelhante atrai semelhante. Se você
passa por um estranho, aí você está num ônibus.... Ou você está num carro e furou o
pneu e vinha um outro carro e você.... Aí o cara passa, passou.... Você pode até falar:
“Oh, filho de uma égua!”

Já passou, foi embora, você não sabia nem quem era.... Se passar novamente por você é
lucro! Mas aí você, o pneu está furado aqui e você está sem macaco. Aí vem um outro
carro também e você tal... E é um conhecido, um cidadão conhecido que você não tem
afinidade e ele não para.
“Oh, filho de uma égua! Eu conheço!”

Está tudo bem! Aí vem um outro carro e é um tremendo companheiro de jornada, um


tremendo cara que você gosta, um cara que você tem carinho, que você inclusive já, até
se sacrificou por ele algumas vezes. E você:
“Oh, é a minha sorte!”

E ele passa e não para! O primeiro passou, você nem conhece, você nem conserva! Vem
um que você percebeu que não tem muita afinidade, ele também não para, você:
“É isso mesmo... é isso mesmo.”

Você já tem ele no seu fator psicológico:


“Realmente nunca deu certo, é melhor não parar mesmo.”

Mas aí vem alguém que você gosta. Alguém que você tem um carinho todo especial,
que você se relaciona bem, que você tem confiança, que você, muitas vezes, quando
lembra dessa pessoa:
“Poxa, se essa pessoa precisar de mim eu faço qualquer negócio por ele.”

Aquilo é “pedra noventa”. Aí ele veio e você... e ele passa direto. Você pode perceber
que você fica arrasado! E você vibra!

Todo aquele amor, aquela vibração, aquele carinho, a transformação é proporcional, é


automático! A intensidade do carinho, do amor, reflete na intensidade da ira.
Imaginemos então o coração da própria mãe! Uma das vibrações mais terríveis obre um
filho é a vibração da mãe. De um pai, um irmão, um companheiro de jornada.... É
extraordinariamente sutil e extremamente importante a gente tratar desse assunto, e esse
assunto ficar realmente dentro da gente, e a gente não descuidar dele!

A fonte vibracional básica é a mente. É a força mental. Embora também haja a fluídica.
Eu gostaria de não falar nela agora, mais na frente num outro assunto, para a gente
conjugar, para a gente entender melhor este assunto. Mas a mente é a base deste
aspecto. E nós temos que cuidar.

89
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Muitos espíritos reencarnam e precisam reencarnar simplesmente por vibrações
contraídas. Só por vibrações contraídas! Aquela Indução por exemplo, aquele
mecanismo original, ele é especificamente para correntes negativas. Então, essas
correntes negativas que chegam ali, são correntes negativas de ciúme, curioso, não é?
Correntes negativas de ciúme, é uma característica da corrente, correntes negativas de
inveja, maldade, discórdia...

Agora, vamos analisando características de sentimentos predominantes e características


de correntes atuantes. O que é o fator magnético? A importância do fator magnético
para a vida? Observem bem que a Terra é uma gigantesca bola aqui, suspensa no
espaço. Assim é o Sol, assim é a Lua e todos os astros, quer dizer, todo o equilíbrio, de
toda essa estrutura do Universo, é tudo por equilíbrio magnético, todos se sustentando
por condições magnéticas naturais.

A relação magnética de vida e vidas, de corpos, o plasma, é uma característica


magnética. A corrente negativa, quer dizer, uma atuação mental forma-se um campo
magnético. Magnético.... Temos que tomar cuidado com a força magnética! O rádio, é
força magnética.

Vibração! Porque observem bem, ela é terrível! Ela pode atrapalhar o caminho material,
a vida sentimental, ela pode atrapalhar muita coisa! Num campo de quem tem
tendências a muitos amores simultâneos, é extraordinariamente perigoso! A linha da
paixão ela estabelece de maneira muito sutil também um outro campo magnético no
plasma, que arrasa com a vida do indivíduo!

A Tia inclusive dizia que, sorte dele se ele conseguir ir para um Trono, num trabalho, e
ter uma entidade que já é familiar com ele. Que conheça ele na jornada, que o
acompanhe de perto e conheça as pessoas que se localizam dentro do campo, para ela,
de maneira mais direta trabalhar, se ele tiver merecimento... se ele tiver merecimento!
Então, pega um preto velho num Trono assim, que já o conheça! Que sabe de sua vida e
de seus relacionamentos, quer dizer, extraquadro! Porque é humildade! Quando o
paciente dá o nome:
“Salve Deus meu Pai”

Aí o Doutrinador:
“Qual o seu nome e a sua idade.”

Que a pessoa fala o nome e a idade, imediatamente quem está assessorando o preto
velho e tudo mais, já há uma ligação. Então eles imediatamente têm acesso ao quadro, já
falam com a pessoa:
“Olha, o quadro dele e esse, esse e esse.”

Então é pré-estabelecido toda uma noção da realidade daquele indivíduo e ele é


trabalhado em seu quadro atual. Então a entidade ali trabalha dentro da possibilidade,
sem ferir a Lei em nenhum aspecto! Mas a primeira coisa que o preto velho tem que
fazer é ter acesso à realidade cármica do paciente para não interferir no quadro, quer
dizer, a coisa é muito mais séria.

90
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então aí, vamos pegar o nosso médium que: uma gata ali, uma gata acolá, uma gata para
cá, e tudo mais. Então ele tem uma vida sentimental bem movimentada, daqui a pouco
ele está achatado de problemas vibracionais.

Aí ele chega, a entidade vai trabalhar. Porque vai olhar o quadro, mas vai trabalhar
dentro do quê? Dentro de uma reação de um problema natural de alguém que chega,
quer dizer, no acesso do quadro atual.

Então tem que ser realmente uma entidade amiga, não é? Alguém chegado dele de uma
maneira muito especial, que conheça o acompanhamento dele e, se tiver um jeitinho, aí
vai em cada um, se desloca e faz um trabalho de manipulação daquela concentração, ou
senão ele tem uma jornada que pode durar muito tempo, até ele criar condições de ir
manipulando aquilo. Porque não é somente absorver a corrente, mas há também um
prazo da fonte vibracional.

Muitas vezes aí por exemplo, nos falamos:


“Nós vamos vibrar no Vanderlei.”

Então a gente com amor aqui, tem um carinho por você e vibra com você. Mas nós
vamos atrair e atingi-lo com um benefício dentro de um padrão daquilo que está exterior
a você, dentro de valores benéficos, mas não atingir o seu coração e a sua mente, àquilo
que você está segurando, o que você está segurando não é seu, aí depende de um outro
tipo de prática, já é chegar e:
“Puxa Vanderlei, qual é a sua?”

Já é um trabalho. A gente tem que manipular, aí já tem a coisa do tratamento espiritual,


já tem a coisa do fator psíquico, quer dizer, na relação direta, ou numa comunicação
também de uma entidade que você faz sua escolha e ela chegar e falar:
“- Meu filho, é assim, assim e assado”.

Aí você em si, na sua fonte em distonia, você próprio manipula, transforma e fala:
“Oh, graças a Deus meu Pai, me perdoa!”.

Quer dizer, aí sim, aí é um outro princípio de manipulação. Mas todo este tempo
concentrado, vibrando em você, não vai resolver. Salve Deus!

Não é assim? Então tem uma corrente negativa com você, e a gente vibra e fala:
“- Ah, a gente vai resolver...”

Mas pode ter um cobrador aí ao seu lado, que está te cobrando pela Lei de Causa e
Efeito, certo? Ele vai se ele quiser. Ele pode até vir na força magnética lançada lá pela
vibração e ele não suportar. Não tem estrutura de se aguentar lá e vir, mas chegou aqui,
ele é imediatamente liberado. As próprias entidades, ninguém pode interferir. Então,
quem está fazendo fuzaca, quem está a fim de te perturbar, tudo bem. Ai não tem por
onde, mas dentro da Lei de Causa e Efeito? Intrínseco à Lei? Se a gente puxar aqui
imediatamente os Cavaleiros, quem estiver no governo do trabalho solta imediatamente.
Isso é um problema cármico, não há interferência.

91
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E se o seu problema não é espíritos e nem correntes, mas o seu coração, que espécie de
Contagem que vai te atingir? Porque essa Contagem só você manipula. Essa Contagem
só você se eleva dentro dela, é um outro aspecto, não é? Salve Deus!

A Centúria nasceu em 1976. Pai João orientou Tia e a Tia mandou chamar o Nestor e
falou com ele, falou:
“Olha, você dá um curso, e esse curso é para Instrutores...”

Esse foi o tipo de diálogo da primeira vez. Fazer um curso para Instrutor, um curso
especial para Instrutores. Então, passou as consequentes orientações para ele, ele foi
escrevendo, estabeleceu um roteiro, a Tia orientando ali, Pai João dando as dicas, e foi
divulgado, e foi aquele primeiro grupo. Eram uns trinta e poucos que acabou ficando
parece que dezenove, foi a primeira turma consagrada.

E quando terminou este curso, enquanto já na terceira ou quarta aula, o Nestor foi na Tia
e falou:
“Chefe, não era bom criar alguma coisa pra identificar os Instrutores ou não?”

Tinha que arrumar alguma coisa que destacasse o escudo dele, quer dizer, alguma coisa
que identificasse que ele fez este Curso, já que era um Curso Especial. Então esses
radares, eles haviam sido confeccionados em 1975, para identificação do mestre no
mestrado: Mestre Sol Positivo, Mestre Jaguar Positivo, Mestre Luz. Então, há uma série
de identificações, mas depois o próprio Plano Espiritual decidiu por uma outra maneira.
Então a Tia já tinha precipitado e tinha mandado confeccionar, ficaram guardados lá.

No momento que o Nestor estava conversando com a Tia, lembraram do radar. Aí Tia
consultou o chefe, Pai João, e ele concordou. Então foi formada aquela primeira turma,
foi entregue um radar, a identificação daquele que fez a Centúria. O Nestor, até
inocentemente, chegou e falou:
“Bom Tia, já fiz, acabou né?”

Ela falou:
“Não, é para fazer outra...”

E assim outra, outra e outra, e chegamos até aqui. Esta é a origem simples da Centúria.
Com o passar do tempo, é que foram, algumas coisas começaram a ser montadas. Por
exemplo, a preocupação da Tia... Claro, toda a nossa relação é transcendente, quer dizer,
é o nosso passado que nos trouxe a este presente, não é? Somos Consagrados, Iniciados,
numa condição transcendente.

O que deu a base de toda a estrutura que a Tia teve no atualmente foi também sua
transcendência, quer dizer, ela foi Nefertiti, ela foi Pítia, ela foi Cleópatra, e por aí vai.
Quer dizer, Tia sempre foi uma Sacerdotisa importante. Ela sempre teve esta linha,
sempre teve este conjunto de faculdades, e foi isso que resultou na possibilidade dela,
em nosso tempo atual, de realmente dar condições a Pai Seta Branca e Mãe Yara, junto
a Suas Legiões, da edificação desta obra, porque senão não haveria possibilidade. Até
uns cinco anos mais ou menos antes de seu desencarne, ela sempre afirmava:
“Eu não conheço um Clarividente na Terra, e os que conheci através da Clarividência,
enlouqueceram e morreram antes do tempo...”

92
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Não há estrutura, os raríssimos que surgiram não há estrutura. Para os senhores terem
uma ideia por exemplo, um médium que seja vidente de uma seita de doutrina, que ele
venha no Vale, ele vê dentro dos limites do alcance da vidência, mas até muito menos
da possibilidade da própria vidência, por ausência de estrutura psicológica para ver
realmente o que se passa.

E observemos que mesmo o médium que chega com tendência a visões, etc., no nosso
sistema, a partir do Desenvolvimento ele vai se localizando, a tendência dele é diminuir
o gabarito de percepção. Ele vai chegando até um ponto de perder realmente totalmente.

Porque o próprio fato de desenvolvermos somente essas duas mediunidades com duas
características diferentes que é o Doutrinador e o Apará, é justamente para facilitar ao
médium a se localizar em termos de equilíbrio.

Analisemos que o indivíduo sem ver nada, sem ser um sonhador, de sonhar sempre, de
ver ou ouvir espíritos nem nada, quer dizer, a gente de maneira lúcida, como um ser
humano comum, normal, o quanto a vida é um desafio ininterrupto! A gente se situar,
discernir, se localizar, saber definir, saber decidir, observem que a gente tem sempre
dúvidas.

Porque, a partir do momento que a gente acorda até a hora de dormir, estamos como diz
Tia na Carta Aberta nº 4:
A todo instante o ser humano encarnado na Terra, está a todo instante entre as
solicitações de duas potências: sentimento e razão. Para acabar este conflito é preciso
que a luz se faça em nós...

E observem mestres, que nós estamos aqui, depois de não sei quantas Consagrações,
não sabemos quantas Iniciações, já somos macacos velhos nesta jornada, e ainda não
temos gabarito de tomar uma decisão.

Observem quantos problemas nós temos no nosso lar, no nosso trabalho, na nossa vida
profissional, quantas vezes alguém:
“Escuta, vamos ali?”
“Será que eu vou ou não vou?”

Não é? Quantas vezes por dia nós estamos indecisos! Olhem a dificuldade! Quer dizer,
como seres humanos comuns, racionais, a dificuldade que temos.

Agora imaginem quem começa a ouvir espíritos, ver espíritos, e sonha todo dia e lembra
de tudo que sonha. Quer dizer, como é que fica a capacidade desta pessoa para se situar
com equilíbrio? Se quem não vê, quem não ouve, a dificuldade que já tem para
conservar o equilíbrio, para manter o equilíbrio, para definir, para decidir, para discernir
valores, e quem vive dentro?

Daí o fato de, na nossa Doutrina, não se desenvolver estas outras características de
mediunidades. Porque tem um outro fator, no seu próprio gabarito, que é oferecido ao
médium, ele passa por todo um processo de aberturas, proporcional às Iniciações e
Consagrações, que o tornam cada vez mais receptivo também a influências. Aumenta o
seu potencial como receptor, aumenta o gabarito como manipulador, aumenta o seu

93
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
gabarito como emissor, mas tudo isso se traduz também por um aumento na
sensibilidade! E se ele passa a ver, a ouvir e tudo mais?

Então o sistema, ele em si ele já é nativo, ele é o sistema original, onde o médium já
com tendências, que ele tem até na herança a mediunidade de determinadas aberturas, o
sistema, ele molda, ele compensa, ou descompensa.

Porque principalmente agora, quer dizer, proporcional ao Milênio, observem pelos


noticiários falados e escritos, a cada dia que se passa estão aumentando os problemas da
Terra. Cada vez mais aumentando a intensidade das correntes, e nós temos que ficar
cada vez menos vulneráveis.

Como não tem jeito de anular a sensibilidade para o que nós precisamos, então nós
aumentamos é o gabarito no campo da preparação psíquica, não é? Mas para isso é
preciso que o médium não entre nesses desenvolvimentos que vêm a atrapalhar.

Então imaginemos no caso dela, que via, ouvia, tinha acesso ao passado, ao presente, ao
presente! Porque você pode estar aqui, e chegar para mim e falar:
“Bálsamo, estou com um problema tão sério, eu acho que está me acontecendo isso,
isso e aquilo.”

E você não está no presente de sua realidade. Você está numa ideia deformada da sua
mentalidade achando que tem um problema, e que na grande verdade está longe de estar
contido nisso que você está me falando.

Agora, ela tinha acesso a esse presente da sua realidade, ou seja, a realidade do
problema manifestado.
E noventa por cento dos pacientes que chegam e falam que estão sentindo um problema,
normalmente não é aquele problema que ele está falando. Ele está dizendo o problema
que ele acha que ele está tendo.
“Oh Bálsamo, eu estou com uma dor de cabeça tão grande, eu acho que eu comi um
negócio hoje que provocou essa dor de cabeça.”

Quer dizer, ele está dizendo que está com dor de cabeça, e acha que está com dor de
cabeça por causa de uma coisa que ele acha que comeu.

Agora, a Tia, quando ele chegava na Tia para falar isso:


“Oh Tia, eu estou assim e assado, eu acho que é porque... eu acho, porque eu acho que
eu acho... “

E tudo mais. E ela olhava, e ela sabia qual era a razão do problema. No seu presente!
Então vejam, é o presente da sua realidade, como você pode estar vivendo um problema
nesse momento, e não é o seu presente, é o seu passado.

Essa é a diferença da Clarividente. Então, ela tinha acesso ao seu quadro do passado,
quer dizer, a relação imediata, o efeito que você está sentindo agora era com relação ao
passado, e ela tinha projeção do futuro. Isso é fantástico!

E vocês observem, uma mulher simples, agora vejam o volume de valores, informações,
problemas, situações, circunstâncias, sendo um ser humano comum, normal, etc.

94
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então, para realmente para ser conduzida à sua missão até quando Deus permitiu sem
ter chegado à loucura, mestres, isso foi um dos maiores místicos dela como pessoa
humana! Foi caminhar a missão, conduzir a missão, sem perder a razão. Um dos
maiores desafios que se apresentaram no princípio para a Clarividente Neiva Chaves
Zelaya, era conduzir a missão até onde necessário sem perder a razão, porque ela estava
sempre passiva de enlouquecer também.

Então observem que foi necessário realmente também muito equilíbrio, muito pé no
chão, cabeça em cima do pescoço, e muita dor, e muita dor... A dor inclusive, nos
últimos anos da vida dela foi fundamental para mantê-la entre nós. Agora imaginem a
dor que passou!

Aquela mangueirinha, aquela mangueirinha chegou a provocar câncer no nariz, ela vivia
com um câncer ativo no nariz, ininterruptamente cobrando, corroendo. Quer dizer, não
tinha um movimento para o narizinho. Aquilo, tudo quanto é movimento, qualquer
movimento ele ampliava a dor, estava esbarrando na carne ferida! Eu até inclusive me
lembro de uma vez, que ela, o psicólogo... Salve Deus!
“Meu psicólogo é Pai Joaquim das Almas...”

Ela dizia, não é? E era tão desconcertante, inclusive quem “desarmava” ela nas
reclamações dela era Pai Joaquim, ela dizia que toda vez que ela ia reclamar alguma
coisa, é claro, certamente que a gente reclama mesmo, não é?

E ela mesma dizia:


“Carma pesado é que chia...”

Tem vez que você “engole”, você não deixa mostrar para ninguém, você nunca mostra
os problemas que você tem, você está sempre:
“Não, tudo bem.”

Mas tem hora que você... não é? É, carma pesado é que chia mesmo. Mas tem hora que
não tem condições, você desabafa, você quebra o copo, você manda todo mundo para
um monte de lugar, mas aquele instante é o carma pesado, tem hora que o peso é grande
demais, e é natural.

Como a queda. Quem é que cai? Cai quem anda! Não é? Cair é privilégio de quem
caminha, de quem busca. Pois é. Aí, teve um dia lá que ela reclamou mesmo,
incorporou mesmo, de raiva:
“Eu não aguento mais, não é possível, eu fui abandonada...”

Então, aquele instante mesmo, não é? Da mulher mesmo. Aí chega Pai Joaquim. Ela
contando, e Pai Joaquim:
“O quê que foi?”

Ela falou:
“Ah meu Pai, não é possível, olha a minha vida, a minha jornada, e agora eu fico aqui
presa por uma mangueira de oxigênio! Minha vida na dependência de uma mangueira
de oxigênio!”

95
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Aí Pai Joaquim falou assim:
“Minha filha, e quem não é?”

É claro! Quem não é? Se cortar essa mangueirinha de oxigênio que está dentro de nós
aqui morre, não é? Olha a sutileza! Aí ele desconsertou ela, e ela começou a rir e falou:
“Tá certo meu Pai, tá bom.”

Era só uma mangueira a mais. Olha, é fantástico isso, não é?


“Ah meu Pai, eu não aguento mais, minha vida, minha jornada, o tanto de coisa que eu
tenho que fazer e agora eu estou aqui presa numa mangueira...”

E curiosamente, sempre alguém esquecia e pisava na mangueira, faltava ar, porque a


mangueira ia para lá, e ela:
“Olha minha mangueira aí!”.

Quer dizer, era aquele drama danado, não é? E Pai Joaquim para a Tia:
“E quem não é?”

Claro, todo mundo, todo mundo. Ela começou foi a rir, falou:
“É, não tem jeito não, todo jeito que eu tento, Pai Joaquim corta... “

Mas é magnífico isso, esses aspectos, não é?

O Beto (Trino Ajarã) disse que eu sou movido a café.

Jaguares, em termos da Centúria, essa quarta aula, tem um assunto que é fundamental, e
uma história que é fundamental, que a Tia sempre pedia que se contasse, como no
exemplo daquela história da cadeira de rodas. Eu não sei se vocês acham que seria bom
escrever aquele episódio da cadeira de rodas, para vocês ficarem por escrito. O quê que
vocês acham? Era bom será escrever? O episódio da cadeira de rodas?

Esse eu não sei, eu acho que ele está escrito. Esse episódio da cruz, e tem outro episódio
também, que ela dizia que era a História do Doutrinador, que depois eu vou contar ela,
que é fundamental também contar ela numa das aulas. Mas, essa do homem que
escolheu a cruz, é curioso, porque uma coisa que nós mais temos o hábito de reclamar,
quer dizer, toda hora você fala:
“Puxa, mas eu não mereço isso, não tem lógica o que está me acontecendo, isso é...
como é que deixaram isso acontecer comigo?”

Então, você está sempre questionando os acontecimentos de sua vida. Quando são
negativos a gente está sempre colocando em “xeque”, colocando em dúvida a Justiça
Divina. Tem uma porção de coisas que nos acontecem durante o mês, durante o ano,
etc., que a gente fala:
“Não, logo comigo! Eu não merecia isso! Tá errado!”

Não é? Então Tia, em sua sabedoria, ela sintetizava este aspecto com a história do
homem que escolheu a cruz. Então tinha aquele ponto que cada um chegava e a entidade
responsável falava:
“Eis a sua Cruz”.

96
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
O cara pegava sua cruz, botava nas costas e seguia a jornada. Aí chega um desses. Aí o
responsável:
“Essa é a sua cruz”.

E ele:
“Não, essa não. Muito grande!”
“Mas essa é a sua cruz!”.
“Não! Muito pesada, muito grande, e essa cruz não é minha!”

Quer dizer, não houve jeito. Deus em sua sabedoria divina:


“Então deixe que ele escolha a sua cruz”.

E ele escolheu. A pequenininha, leve, ajeitadinha, do jeitinho que ele achava que era a
cruz ideal. Puxou na cacunda a cruz e rapou o pé. E nisso ele foi passando por todos
aqueles que levavam a sua cruz, a sua cruz de fato, não é? E ele passou todo mundo e se
perdeu de vista na estrada.

Repentinamente, num determinado ponto da jornada, ele chega diante de um abismo


que não havia como ultrapassar. De tudo quanto é jeito que se pensou, em dar volta, não
tinha jeito, não tinha jeito, não havia como ultrapassar aquilo. Pensou de tudo quanto foi
jeito. Só restou a ele desconsoladamente sentar ao lado da cruz que ele achava que era
certa, e não tinha saída.

Passado algum tempo depois, foram chegando cada um daqueles que carregavam sua
cruz de fato. Chegaram diante do abismo e todos perceberam que a cruz dava
exatamente a medida de fazer dela uma ponte, e tinha condições, peso suficiente para
suportar que cada um passasse por cima.
Então eles iam chegando, colocando a cruz, fazia uma ponte, passava por cima,
chegavam do outro lado arrastava a cruz, jogava na cacunda e ia embora. E assim todos,
curiosamente, todas as cruzes deram exatamente para ultrapassar aquele abismo. E
aquele... não preciso dizer. Salve Deus!

Teve que retornar para buscar a dele. Não tem saída, não é? Alguma pergunta?

Tem um tema inclusive que está diferente, embora o roteiro aqui do Templo-Mãe, eu
estou conservando esse mesmo, mas tem esse item 6 que eu não me preocupei em dar
esse assunto, porque na época, quando acabou de ser lavrado esse trabalho, logo surgiu
a ideia dos primeiros Instrutores de Centúria. Isso aqui que o Beto (Trino Ajarã) está
fazendo com vocês aqui, foi ele quem deu o primeiro impulso também na época, já foi
interesse dele.

Vocês vão perceber inclusive que alguns que participaram daquela vez: a Lúcia, o Dias,
o André Luis... vão perceber que já está a assinatura do Trino Arakén, na época o
Executivo da Corrente, e do Trino Ajarã, e só dos dois. Mesmo na época quando o “Seu
Mário” (Trino Tumuchy), o Michel atuante, mas é tão direcionado, tão na Linha de
Arakén, e pelo fato de ir para Instrutores dos Templos, então a Tia recomendou que
tinha que ter... Tia não, Pai João! Que houvesse a assinatura do Trino Ajarã, um aval do
Trino Ajarã.

97
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E há o item número 6 por exemplo, que na época, então muitos Centuriões, quer dizer, o
Presidente conta com pouquíssimos, então cada Centurião é mais uma arma, mais uma
arma mesmo! Mas têm as infinitas armas que se perdem. Lá no Templo não! Ele é
observado em seu equilíbrio, ele é uma esperança do corpo mediúnico, é uma esperança
do Presidente, quer dizer, ele é totalmente especial realmente lá fora. Nenhum Centurião
lá fora é mais um na multidão realmente, não é? Compete só a ele realmente querer ser
útil, porque faltar oportunidades não faltam.

Então no item 6 eu procurei desenvolver um tema que é o seguinte:


Desenvolvimento:
Aparás: Descontrair – Esclarecer – Harmonizar – Sintonizar – Abrir – Assistir
individualmente – Interpretar as situações – Encerrar – Passe Magnético.

É uma síntese das posições básicas de orientação para o Instrutor.


Doutrinadores: Descontrair – Harmonizar – Sintonizar – Abrir – Esclarecer – Encerrar.

Não tem como sair desses princípios. Nele está contida a razão.

Aparás, repito: Descontrair – Esclarecer – Harmonizar – Sintonizar – Abrir – Assistir


individualmente – Interpretar as situações – Encerrar – Passe Magnético.

É claro que lá será de acordo com o Presidente. Automaticamente cada um que seja
convidado ou que se disponha a participar, ele vai passar por todo um ajuste junto ao
templo, por todo um conjunto de esclarecimentos. E isso aqui é muito inspirativo
também. Salve Deus!

Voltando de maneira assim sintética, na primeira aula, essa Doutrina do Amanhecer que
é uma Doutrina Universal... Universal porque é a Doutrina de Jesus. Então é uma
Doutrina que não é privilégio de seitas, doutrinas ou religiões. Ela não é privativa de
mentalidades intelectuais cultas ou não. Ela não é privativa de castas. Não é privativa de
uma ou outra Nação, de um ou outro Estado. Ela não é privativa de uma ou outra vida,
mas ela vem em função de todas as vidas na vida, portanto, é isso que a coloca na
condição de Universal.

Todos os nossos trabalhos são realizados com técnicas de manipulação de energias...


Todos os nossos trabalhos são realizados com técnicas de manipulação de energias. E o
propósito básico da Doutrina Do Amanhecer é a Cura Desobsessiva.

Não utilizamos nenhum tipo de subterfúgio para o atendimento, já que é uma ciência de
manipulação. Então é perfeitamente dispensável recomendações como medicamentos,
como chás e etc., pois está todo o trabalho centralizado na energia. O único remédio
recomendado é a água fluidificada. Claro, todos sabem, mas os senhores não vão poder
deixar de bater nisso. Não recomendar chás, não recomendar quantidade de vezes de
voltar.

O ponto de partida para o paciente se encaminhar a um setor de trabalho é o trabalho de


Tronos. Dali vem a orientação para os setores que ele deva ou não passar. E para
aqueles que são espertos, não deixem de contar a história do episódio do rapaz da
cadeira de rodas, porque é extremamente ilustrativo.

98
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Quando às vezes me pergunto na minha intimidade assim:
A Tia fez tudo que queria?

Eu mesmo falo:
Ela fez tudo que precisava.

E além ainda do que precisava, dentro das necessidades do próprio planeta. Mas ela
deixou de fazer muita coisa que queria. Dá para perceber que ela tinha muito mais
coisas para fazer. Por ela! Não é por nós, que a gente acha! Ela queria ainda contar uma
série de pequenas histórias, de acontecimentos, de historinhas pequenas, curtas,
precisas, que ela acompanhou nestes muitos anos de relacionamento com o Mestre
Amanto, principalmente Amanto. Amanto, eu até brincava, dizia assim:
“Amanto foi seu Bufalo Bill”

Quer dizer, Amanto era um batedor, era aquele que a levou para os Planos. Mas não era
só ele, teve outras entidades, que inclusive comumente não se fala. Uma Doutora
Elvécia, Dantora, Calaça. Calaça a gente fala Mãe Calaça, não é? Que é uma
Sacerdotisa também, uma Sacerdotisa. Mas, outros também a levaram.

Mas Amanto prevaleceu sempre, parece que na aura dele essa responsabilidade direta de
conduzi-la, e tudo mais. Houve sempre muita afinidade entre os dois, e até a própria
condição de Amanto como estudioso. Amanto sempre foi um estudioso e até uma coisa
que facultava o relacionamento com ela, porque Amanto, ele voltou para Terra em ação
assim nesses últimos trezentos anos por causa da Tia. Ele voltou na sintonia dela, mais
especificamente por causa dela. Mas, ele desencarnou a aproximadamente uns trezentos
anos em sua última passagem na Terra.

Então nossas Cartas por exemplo, a grande maioria das Cartas, já não foi nem ela e nem
Umahã. Foi ele. É curioso isso, não é? As características. E ele se apresentava na
roupagem de um Inca, de um Maya, não é? Salve Deus!

(Pergunta de um mestre)
Salve Deus mestre Bálsamo, nesse conceito da leitura, voltando um pouquinho atrás,
naquilo que não se pode dizer, que pode ser dito só aqui, na sua pessoa, na sua
personalidade, o senhor se intimidaria de conhecer mais em outros livros?

(Mestre Bálsamo)
Em hipótese nenhuma, porque nós temos que, durante um tempo, até que o médium
esteja pronto para ler outras coisas. Sua preocupação não é que ele não leia mais, mas
que durante um período ele não leia nada, a não ser que sejam nossas coisas, até que ele
aprenda a discernir sobre ler.

Então, foi muito boa sua colocação, porque por exemplo, eu me lembro que, em 1981,
1982 não sei, eu já tinha passado na memória aquelas coisas, e um dia eu ia também nas
mesmas circunstâncias, ela falou:
“Bálsamo, pode ler o que você quiser...”

Eu falei:
“Não estou muito interessado em ler agora não...”

99
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Ela virou e falou:
“Justamente por isso!”

Por exemplo, eu tenho livros inclusive, que não é nem possível mostrar. Um pouco mais
além, o que fazia parte do acervo particular dela, onde buscava referências, estão
também comigo, não é? E algumas fontes de pesquisa que ela queria também,
normalmente eu trazia.

Agora, por exemplo, Nefertiti, ela foi ela. Então ela via um quadro no Plano Espiritual.
Mas a coisa não é assim, mesmo com ela não era assim. Aí mostravam para ela e
falavam:
“É isso, é isso, é isso... “

Não, não! Não era assim! Competia a ela também o senso de pesquisa, de busca, buscar
referências, um acontecimento com o filho, ela via o quadro:
“Meu Deus, foi em Esparta!”

Eram nuances demais, valores demais. E repentinamente ela falava:


Olha, escuta, o quê que tem falando sobre Esparta?”

Então, eu encontrava para ela uma coisa mais séria, uma coisa a nível de debate,
universitário assim. Trazia e ela falava:
“Lê aí para mim. “

Aí você lia e ela localizava, ela se fixava:


“Não, eu já tenho o que preciso.”

Aí quando ela saia do corpo ela ia definida, perfeito? Agora, por exemplo o Evangelho.
Eu tenho o Evangelho, eu tenho o dever de conhecer o Evangelho, eu tenho o dever.
Agora, eu tenho ele constantemente comigo, escondido. Eu nunca deixo ninguém ver,
na minha mesa, livros de outros autores, para não dar a ideia. Eu sempre leio escondido.
A mim eu não posso me dar esse luxo.

Eu vivo falando, vivo ensinando, mas eu leio também, porque vivo lendo. Mas assim,
eu pego, tem uma coisa na sintonia, aí eu pego e vou, repentinamente dou uma lida e
fecho, sem fixar.

Evangelho. Mateus, Lucas, Paulo de Tarso entre os Coríntios. Dou uma lidinha. Quando
eu pego o Evangelho para ler, eu pego o Livro de Cartas, ou um conjunto de Cartas, e
normalmente coloco do meu lado. Não se perder do sentido original.

A linguagem original única neste Planeta, é a linguagem da Clarividente Neiva. A


linguagem adequada, ajustada, atualizada para o entendimento do homem no Ciclo do
Milênio que vivemos está contido nela, e não lá. Mas às vezes eu preciso citar: Não
façais aos outros.... Quer dizer, é a Escritura e o Evangelho, mas com o sentido do nosso
Sistema.

Porquê, meu irmão e meu mestre, se os senhores observarem, o Evangelho que eu estou
trazendo aqui não é o Evangelho, Evangelho.... Eu estou apresentando para os senhores
aqui o Evangelho Iniciático. Eu estou exprimindo Jesus pela tradição do Evangelho

100
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
conhecido, e estou dando o sentido que transcende a concepção daquilo que está contido
na letra. Então, o que transcende a aparência, é o Sistema Iniciático.

A porta de acesso do Sistema Iniciático é o comportamento Evangélico. Só se entra no


Sistema Iniciático pela Conduta Evangélica. Eu estou transmitindo o Evangelho
Iniciático, em Cristo Jesus! E não o Evangelho da tradição. Observem que tudo que nós
temos citado é no bojo de Tia, da Doutrina, dentro de um sistema de impregnação,
emanação, dentro de uma cultura, e ele sempre justificado, sempre explicado, sempre
além da aparência, tendo nele a base, mas não nele. É nele sem ele, é nele fora dele, é
nele com ele, mas nele além dele, está certo? Porquê?

Porque aí é o Evangelho do Cristo Redivivo, falamos aqui agora no Caminheiro da Vida


Eterna, não no Jesus Crucificado, estacionado, estático numa cruz, vertendo sangue e
tal. Não! Falamos no Cristo Iluminado, o Cristo que Caminha, a razão de toda essa obra,
o responsável pelo Ciclo de dois mil anos que vivemos, é o Verbo Manifesto. Nós não
cultivamos Jesus na cruz, mas o Caminheiro.

Inclusive, às vezes eu fico incomodado com o gravador, porque tem coisas assim, eu
fico às vezes com temores de falar certas coisas, porque se observarmos o que falamos
aqui de religiões, e falamos de maneira franca, direta, é extremamente agressivo, se
você observar, uma das coisas que se prima pela nossa Doutrina, é que não há a menor
possibilidade de alguém nos agredir ou tirar, ou entrar em contradição com a gente. Mas
se alguém tem acesso a uma fita como essa e ouve, nós oferecemos uma porta aberta
para nos agredir. E a Doutrina em si não oferece a menor possibilidade de que nos
agridam, perfeito?

Daí eu tenho preocupação com o nível de franqueza com que estamos tratando. Porque
tratamos de assuntos da maneira mais clara, que estão contidos na realidade, não é no
aspecto do julgamento, mas de uma realidade. Só que, para enxergar esta realidade, só
quem também está transcendendo a si mesmo em propósito, em motivos, etc.

Mas a própria tradição repele o que falamos, não é? Então, conduzir assuntos dessa
natureza, tem que ser com extremo cuidado, e sempre revelando a nossa posição com
carinho. O que não precisamos nunca falar de maneira que denigra, etc.

Agora não, somos Instrutores e estamos tratando de nossa realidade, é a percepção que
dispomos de uma realidade do Planeta. Esse planeta é sem solução. Não, não há
solução!
“Ah porque esse Presidente....”

Não, não! O jaguar não! Jaguar não! E olha, por esse lance anterior não houve nada não,
e não haverá depois, nem depois, nem depois. Não, nós estamos fazendo uma coisa de
realidade, não nos compete julgar o Presidente, os governadores, não, não!

Sabemos que tudo está dentro de um planejamento cármico. Nós somos, temos a
realidade da visão espiritual, então não há hipocrisia. Nós não temos o direito da
hipocrisia ou do julgamento, ser partidários:
“Ah, porque o partido vai resolver....”

101
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Não! Ninguém resolve nada! Não vai resolver nada! Não há possibilidade de solução!
Como é que vai se resolver uma coisa que não se soluciona? Quem tem resposta para os
problemas? Ninguém tem!

Então, é uma questão de lógica. Agora, é o momento de cada um procurar desenvolver


em si mesmo suas possibilidades de vivência, de sobrevivência junto àqueles que ama e
os quais necessitam dele. Uma questão de localização individual e pessoal. Não é a
hipocrisia do poeta que:
“Ah, eu tenho a solução do mundo!”

Não, ninguém tem a solução do planeta! Não! É uma questão de realidade, já é hora de
encarar os fatos.

Agora, é claro, você nunca poderá transmitir isso, porque nem Jesus falou de sua morte,
nem a Clarividente falou:
“Vou morrer tal dia.”

Então, também nossa mensagem tem que ser de esperança. Então eu estou falando nesta
linguagem, porque eu estou falando com a gente, mas nunca ninguém vai me ouvir
falando isso aqui no Templo. Nunca dando uma aula de Centúria que eu falasse nesses
termos. Se acontecer de eu vir realmente, confirmar que eu dou o Curso de Sétimo Raio
o ano que vem, ninguém vai ouvir esse tipo de expressão.

Agora, se os Adjuntos um dia oferecessem possibilidade de a gente sentar e conversar


aqui, ia ser muito além do que se imagina. Porque inclusive aqui seria muito mais do
que se sonha, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo! Seria muito mais do que se
pensa, principalmente em termos de trato aqui. Porque o Templo já é diferente, tem um
outro Templo que eu não tenho a ousadia de dizer aquilo, porque já também não
compete aqui, não é? Salve Deus!

O Radar de Centúria. Os aspectos por exemplo, são tão mínimos, você veja que até o
Sol em si, ele contraria até a concepção do Sol da tradição do nosso conhecimento, não
é? A cabeça do Jaguar são as cores básicas, as cores fundamentais, a Seta, como lá na
Pira, ela simboliza a circulação da corrente sanguínea. A taça é o ciclo também do
sangue, é o ciclo do ectoplasma, não é? Mas, eu sei que é bonito, e muito importante.

(Mestre que assistia a aula)


Como se trata de manipulação de energia na aula, eu queria saber se tem um limite de
pessoas, a partir de quantas pessoas para receber a aula de Centúria, ou pode ser a partir
de um, dois, três...

(Mestre Bálsamo)
Não, nunca se estabeleceu limites não. Eu, se marcar uma Centúria aqui num Templo,
chegar lá e tiver só um mestre eu vou dar o curso inteiro, completo. Se eu souber antes
eu não vou não, eu falo:
“Deixa juntar um pouco mais pra fazer valer o investimento.”

Mas se eu chegar lá e tiver só um sentado lá, aí eu dou o curso completo! Agora se você
falar:
“Bálsamo, você podia fazer um curso lá (..) você pode ir lá?”

102
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
“Aonde que é?”
“É lá em Vila Velha.”
“Como é que é lá?”
“Eu não sei, só tem um médium lá fazendo o curso”
“Não, não vou não!”

Mas se você chegar lá e perceber que é só um e eu já cheguei lá, eu dou o curso


completo. Vou dar a aula inteira como se fossem milhares. Não que preocupe a
quantidade, mas é que é a lógica, não é? A compensação, porque realmente há custos,
há gastos, é um investimento em todos os aspectos. Onde o custo, onde o investimento
mais insignificante é o financeiro, mas, porém, é um custo. O mais insignificante é o
financeiro, porém é custo.

(Mestre faz uma pergunta)


(...) porque vai chegar um momento na transição do planeta em que o jaguar poderá
fazer cura muito maior do que está sendo feito hoje, independentemente do carma.

(Mestre Bálsamo)
Jaguar, pelo que eu concebo em termos do sistema, há uma precisão muito grande. A
gente por exemplo, a gente costuma separar, quando a gente fala merecimento por
exemplo, de necessidade. E pelo que aprendi, que nós aprendemos aqui. Ninguém tem
um merecimento sem necessidade. É tudo tão preciso.

Então, quando Jesus confirmou, e os Apóstolos inspiradamente abriram o Novo


Testamento com aquela expressão:
“Eu não vim destruir as Leis, porém edificá-las e dar-lhes cumprimento”

E a partir deste instante então, ninguém transgrida. Você veja que, imagine o Pai, esse
gigantesco sistema que ele dispõe, mas se a Clarividente falhasse, toda a missão estaria
sob risco. Então, eu acredito que Lei é Lei, não é?

Bom Jaguares, da minha parte, dentro dos assuntos que foram desenvolvidos, a cota
acabou.

103
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Curso para Instrutores de Centúria (1994)
Adjunto Jaruã – Mestre Bálsamo
Quinta Aula

Quer dizer, você até citou ontem:


“Puxa, mas quanta coisa que está sendo dita aqui que nunca foi dita.”

E realmente! Eu estou jogando aberto para que fique realmente inclusive como lição.
Porque você não tem o direito de desprezar as lições como presidente, né? Você vai
reto, você vai no chão, você atender a todo mundo! Cada presidente. E aqui homens que
vocês, homens de apoio!

Então realmente está chegando a hora. Eu acredito inclusive que se tudo der certo, Beto,
se realmente, eu não sei, estamos convocando com -0-. Se vingar agora no domingo dia
17 e os Ramas virem, esses Sétimos que estão tendo a oportunidade de vir, mestre sol e
mestre lua está sendo chamados também. Porque a gente nunca encontrou uma
oportunidade de falar, de dizer coisas. E nem sei! Pode acontecer também um tremendo
furo, a gente movimentar todo mundo e chegar lá e não ter ambiente. É chegar,
harmonizar e o ambiente não oferecer respaldo e ficar lá igual a uma vaca velha! Não
pode acontecer? Porque não adianta distribuir conhecimentos se não houver ambiente.
Ai quando chegar lá o que eu vou fazer? Nada!

É se desculpar, até uma mentirinha:


“Não, estamos preocupados com qualquer coisa.”

E tal e é só isso. Por que? Porque eu não vou ter nada para dizer. Pode acontecer! Não
é? Afinal de contas a gente nunca sabe. O ideal seria formar uma sequência mínima de
três reuniões aqui no Templo-Mãe para essa cultura geral para bater numa série de
coisinhas aqui, que nós estamos tratando aqui. São coisas simples. Para você ver,
analisem aqui. Depois do que foi falado você agora se alerta, mas antes de ser falado
você nunca pensou. Se uma coisa chega até ser tola, não é tola? Até tola! (...) é até tolo!
Mas você não desperta para ela enquanto alguém não te desperta. É o mesmo sentido do
que falei um pouco anterior a respeito da obra de seu Mário. E é uma obra perfeita! Se
você pega por exemplo do “Limiar do Terceiro Milênio”, é uma obra perfeita! Mas por
que ela é perfeita? Não é porque ele fez a obra! Ela é perfeita porque ele transferiu
aquilo que Tia ensinou! Aquilo que o Plano Espiritual passou. É nela que está contida a
perfeição. Com isso não estamos desmerecendo o trabalho dele. Que ninguém aqui nega
o trabalho intelectual que ele teve! Mas nós não podemos considerar nem confirmar
uma condição de emanação, de sintonia. A própria distância, a própria condição, o
próprio propósito já não é mais o mesmo daqui. Se fosse daqui, estaria aqui! É uma
questão de lógica! Uma questão de bom senso. E nesse tratado que tratamos não
falamos de homens, falamos em forças. Em vibrações, em impregnações, em linhas, em
ordens, em correntes. Aí é a coisa que realmente tem que tratar ao nível de razão! Ai
não é lugar para sentimento! Há para sentimento, mas não para sentimentalismo! Não é?
Sentimento há, mas bem distante, mas nunca sentimentalismos. É muito sério! Salve
Deus!

104
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Eu tenho certeza! Eu tenho certeza que eu nunca teria coragem de falar no domingo
agora que aqui me oferecesse um ambiente de 1000% do ambiente que vocês estão me
oferecendo, que eu não diria isso! E reunido com os Adjuntos eu não digo isso! Eu seria
apedrejado talvez. Estou surpreso também de estar falando isso.

Então, em Cristo Jesus, estamos tratando de coisas tão simples, mas que na realidade se
tornam muito complexas!

É o tipo de coisa:
“Ah, eu vou lá ver seu Mário. Vou lá visitá-lo. Coitadinho!”

(...) de sua segurança individual. Não são como vós outros.

É temos que estar (...) para isso encher de gente que vai vir para o nosso meio e só vai
encher o saco, aborrecer em períodos intoleráveis! Compreende-los porque eles são
justamente para serem agasalhados por nós, são estranhos, talvez, mas que Deus nos
confiou porque necessitam. E nunca irão somar, sempre será o risco para dividir!
Observem que nos templos externos vocês contam com quantos? Não importa o tempo
que alguém participa, é o mínimo! Em cada templo externo tem um mínimo que se pode
contar. E o máximo para atrapalhar! No Templo-Mãe a mesma coisa! Uma montoeira
de gente para encher o saco, mas para fazer é o mínimo! É a mesma coisa! Então essa
sina é em todos os templos. Um mínimo para fazer, um mínimo para realmente se
interessar, o mínimo para se irmanar, o mínimo para construir. Agora para lascar, para
desajeitar, para jogar praga, para enlamear, para perturbar sempre vai ter um monte!

Pode observar que é um (...) se tiver um presente aqui, ele me aponta cinco pessoas com
as quais ele conta. Ele não conta com cinco! Ao todo não tem cinco! E nós aqui no
Templo-Mãe não chega a dez, não! Agora para falar, para dizer, para filosofar... para
isso.... Agora para fazer, para se dispor, para se sacrificar, perder uma noite de sono, se
interessar realmente, dê jeito nenhum! E normalmente quer buscar fora! Há uma
tendência fantástica de se tentar buscar fora para consertar dentro! Se você quisesse
consertar dentro, você não tinha desconsertado! E é impossível buscar lá fora para trazer
para consertar aqui dentro. E a solução de tudo que está lá fora, está justamente aqui
dentro. Salve Deus!

Nós já conversamos, né? A emissão, ela muitas vezes, é o propósito, a honestidade do


propósito, é a busca, é o objetivo, é isso que eleva a condição de mestre jaguar. O
objetivo do (...) do propósito. É extraordinário! Quantas vezes a gente reúne um grupo
de pessoas, de mestres... Meu Deus!

Tai o Beto. Beto umas três vezes o Beto amargurou (...), nessa descontração, todo
mundo conversando aqui, batendo papo (...)

Agora, custe o que custar, nós não temos o direito de desistir, não é? Custe o que custar,
nós não temos o direito de desistir! Só nos resta sempre é o dever de insistir, de
continuar caminhando.

É curioso! Quanto mais as sombras, a gente perceber que as sombras estão se


intensificando ao nosso redor, mais temos que nos preocupar com a intensificação de
nossa própria luz.

105
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Aquele que não se alicerçar em si mesmo, ele vai cair. Porque nós realmente, na
condição de um sacerdócio como esse, nós já vivemos cada vez mais intensamente
todos os componentes naturais da “porta estreita”.

E o que é o Doutrinador? É como até inclusive o Beto (Trino Ajarã) citou hoje aqui,
bem lembrado, a Carta “Biografia do Doutrinador”. Como é que ela finaliza a Carta da
“Biografia do Doutrinador”?
“Junto a mim, em direção à porta estreita, está o Doutrinador...”

A esperança dela era aquele que estava em condições de caminhar com ela em direção à
“porta estreita”, porque na proporção que essa “porta estreita”, esses componentes vão
se intensificando, vai se intensificando a ação dos Cavaleiros do Apocalipse, dessas
muitas Legiões dos mundos negros, a tendência natural é o sujeito “espirrar”.

Porque iremos cada vez mais depender do nosso equilíbrio pessoal. Iremos cada vez
mais estar na dependência do equilíbrio de nossa mente, da harmonia do nosso interior,
quer dizer, é aquele mesmo aspecto que Jesus tratou:
“Procurai edificar sua casa não sobre a areia, mas sobre a rocha...”

Por quê? Porque sobre a areia vieram os ventos, e bateram as tempestades e ela
desabou. Agora, aquele que edificou sua casa sobre as rochas... E que casa Jesus citava?
É a nossa casa do íntimo, o nosso interior. É curioso! Quando Jesus fala também: “
Tudo que está oculto será revelado.”

Meu Deus, isso é terrível! Podem observar que no campo dos relacionamentos físicos
sociais aqui, a pessoa sempre exterioriza uma imagem, mas o que ela é realmente
interiormente? Mas Ele fala:
“Tudo que está oculto será revelado.”

Traduz-se por comportamentos. Então automaticamente, muita gente que ainda


consegue impor na sua natureza uma farsa de comportamento, pela pressão na
conjunção de dois planos, pela violência das correntes, por esse acervo negativo, ele vai
acabar exteriorizando realmente aquilo que é, e não aquilo que ele procura ser sem ser.

Então, quem não estiver preocupado com a sua cultura interior vai desabar! E falamos
em aspectos aqui que não há barreira, como não há beleza, não há riqueza, não há
hierarquias, na hora se é Arcano, ou Rama 2000, ou ninfa, ou ajanã. Não! É igual,
porque ai não existe! Existe íntimo! Não há outro escudo a não ser a força do
pensamento, o equilíbrio realmente do pensamento, a harmonia dos sentimentos.

Dizer que há alguém que não vai se desequilibrar também é pieguismo, porque não há
possibilidade de não se desequilibrar, porque a própria força do planeta não tem como.
Você se desequilibra várias vezes por dia, mas tem que desenvolver a capacidade de
equilibrar cada vez mais rápido.

Nós temos o direito de permanecer desequilibrados inclusive numa média de cinco


horas. Cinco horas ainda é um padrão de normalidade dentro do conceito dos sábios.
Pela intensidade da corrente ainda se justifica você ficar aproximadamente umas cinco
horas em “baixa”. Isso até algum tempo atrás. Mas proporcional à intensidade dos
problemas, das atuações, da intensificação das ações, então você tem que ficar esperto e

106
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
saber que, quanto menos tempo você levar em desequilíbrio é maior vantagem para
você.

Uma pessoa pode ficar obsediada por desequilíbrios. Ele pode criar um estado de vício
psicológico, de tanta assimilação, que ele acaba sendo obsediado. É um vício! Então, é
muito sério!

Quer dizer, quando a chefe fala assim, numa das Cartas de 1984, que ela fala assim:
“É preciso mudar a rota do pensamento humano...”

E só via no Jaguar a possibilidade desta emissão de cultura. É porque o único que está
dispondo dessas mensagens, o único que está dispondo desta percepção, desta visão
original, é o nosso homem! Porque as outras escolas, elas oferecem todo um acervo de
informações intelectuais, mas não um sistema de precisão de um comportamento.

Elas oferecem deuses fantásticos, um Jesus fantástico, possibilidades fantásticas de


soluções fora do homem... Curioso, sendo que todas as soluções estão justamente,
unicamente, contidas dentro do próprio indivíduo.

Cada vez mais o homem está saindo para fora! E cada vez mais o sistema social, o
sistema político, o sistema religioso, o sistema doutrinário, as organizações estão
puxando os homens para fora. Está tudo invertido! Tudo está absorvendo o indivíduo
para fora.

O marketing, os slogans, as ofertas, oferendas, tudo é puxando para fora, tudo é atraindo
o indivíduo para fora, sendo que toda a realidade está no íntimo. Ninguém está
indicando qual caminho a tomar, e o caminho a tomar é o próprio coração, é a própria
mente. Podem observar que todos os sistemas estão puxando para fora:
“Olha, se você fizer isso, você terá isso...”

Então, ela sempre condiciona, ela oferece condicionando, exigindo, ela está sempre
indicando formas, formas! E não está a resposta na forma. E está mais do que
comprovado, a forma nunca foi solução. A matemática é solução para milhões de
problemas, mas não para a vida, não para o indivíduo.

Então, qual o sistema que a gente conhece que não exige, que não impõe, que não
condiciona, que não cobra, que não exige? O único sistema que preserva essa
integridade é o nosso sistema.

A pessoa vem, vai, se quiser ir embora mil vezes, se voltar mil vezes o sistema está ali.
Ninguém vai perguntar o que ele fez em casa, o que deixou de fazer, se fez compra com
a mulher, se não fez, esse tipo de coisa não existe! Nós temos também o nosso trato. O
Beto é que de vez em quando puxa umas orelhas nas reuniões aqui. Mas aí é diferente!
Aqui está em família. É o Trino, é o companheiro de jornada sacolejando companheiros.
É outra história! Nós estamos falando em termos do sistema!

O Sistema é estritamente preservando o livre arbítrio e a integridade pessoal das


pessoas. Mas é o único Sistema que conhecemos, podem observar que não existe outro.
Ele tem sempre uma imposição, ele tem sempre uma exigência, ele tem sempre um
condicionamento: o temor a Deus.

107
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E é claro, esses pequenos problemas que nós temos, que muitas vezes parecem grandes,
parecem gigantescos, no campo da reação do comportamento de uma grande maioria
em nosso meio, em nossos Templos, são perfeitamente naturais, curiosamente, não é?
Porquê?

Porque a Doutrina do Amanhecer é o novo caminho, mas todos nós somos “velhas
estradas”. A Doutrina do Amanhecer é o novo caminho, mas todos nós somos a “velha
estrada”.

Por quê que eu estou reencarnado? Por comportamentos nativos da “velha estrada”. O
que é que me conduziu a buscar o Vale? Reações resultantes da “velha estrada”. Os
meus conflitos são resultantes de quê? Da Doutrina do Amanhecer? De Jesus? De Pai
Seta Branca? De Tia Neiva? Não!

Resultantes da “velha estrada”! Componentes da “velha estrada”! Comportamentos na


“velha estrada”! Sentimentos da “velha estrada”! Pensamentos da “velha estrada”! Eu
sou a “velha estrada”, dispondo do Novo Caminho!

E para eu ir manipulando, transformando as nuances da “velha estrada” que existe em


mim, é através da minha luta, é através da minha persistência nesses conceitos, é através
do meu desenvolvimento ininterrupto, das minhas preocupações, dos meus conflitos, da
Lei de Auxílio, de me interessar pelo próximo, pelo vizinho, quer dizer, é buscar sempre
me condicionar o oposto daquilo que me conduziu a ser quem sou, é que vai me levando
a me integrar com esse novo caminho.

Então realmente, essas doenças de gente que cai, gente que ataca, gente que de
interpretações várias, de gente que perturba, que enche o saco aqui, isso vai ser o meu
comum. Não tem jeito de evitarmos isso! Agora precisamos é estar preparados para
isso. Nós não temos como evitar pessoas com problema. A partir do princípio e a nossa
condição é receber as pessoas com problema. A nossa função é receber as pessoas com
problemas. E quanto pior o problema nós não podemos falar:
“Não, você não pode..”

Não! Ela tem que realmente vir. Agora nós temos é que nos prepararmos para
solucionar esses problemas e os efeitos que essa pessoa trará. Porque quanto mais
desequilibrada ela for, quanto mais ela tiver nuances da “velha estrada”, mais ela se
tornará um problema! Então da mesma maneira como eu e quem me rege teve que me
aguardar ali e me aguardando para que eu lentamente fosse chegando aonde estou e
chegar aonde eu preciso chegar, até o ponto ideal, onde deixe de ser eu também um
problema, naturalmente eu também terei que aguardar que outros cheguem, cada um ao
seu tempo.

É uma questão de lógica! É uma questão de lógica! E isso também é o Evangelho


Iniciático. Esse é o Evangelho Iniciático! Por isso a “porta estreita”, por isso é difícil
servir Jesus! Porque cada vez menos nós temos pessoas no Planeta com essa disposição.
“Ah, se me encher o saco eu meto bala.”
“Se me encher o saco eu enfio a faca.”
“Se me perturbar eu arrebento no porrete.”

108
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
É a primeira tendência nossa! A nossa primeira reação. Pode até vir uma vez, está
doente:
“Eu vou deixar agora, mas se vier outra vez, vai ver o que é bom para tosse.”

Quer dizer, é a primeira manifestação. É a primeira reação, inclusive se você não reage
assim, quem (...):
“Mas tu é trouxa, hein?”

Você ainda é criticado por não ser violento. Quer dizer, por que ser violento tornou-se
natureza da Terra! Mestres, e aí voltamos a Seta Branca nosso Pai quando ele alerta que
pode chegar a um ponto que o ser humano vai perder a condição humana. Deformar-se,
perder-se da condição humana, de sua condição humana. Estão percebendo a que
deformação a que o Pai se refere? Não é a deformação do corpo! É a deformação total
da mente! E efetivamente eu no meio da rua, um chega provoca, eu arranco um
revólver, eu dou um tiro aqui, ele cai, todo mundo assistindo. Todo mundo apressado e
só passa por cima do cadáver.

Tem gente que tem sido queimada nas ruas. No Nordeste agora, Recife. Eu sei que pela
própria condição que você na função, você está sabendo de mil casos aí. Então pode
tomar um negocinho ali, um tênis, também pode dizer que (...) que matei a fogo, e todo
mundo, criança, jovem, mulheres grávidas, moças, rapazes... (aplaudindo). Se tornou
natural!

Você também, né? Sua função deve conhecer quadros terríveis! E multidão! Crianças,
jovens, católicos, políticos e tudo mais. Que maravilha! Quer dizer, está se tornando
uma normalidade! Agora observando que isso é o mais profundo extremo do
primitivismo do comportamento humano! E você descobrindo que está sendo um
comportamento normal de humanos, então aí voltamos ao Pai e sua mensagem: a
deformação mental.

Cada vez mais as atitudes de violência estão sendo normalizadas pelas concepções,
inclusive sociais. Quer dizer, se não estiver contido em mestre sol e mestre lua, a
experiência que o Pai disse que cada espada que se ergue é mais uma esperança. Quer
dizer, se no nosso meio nós não gerarmos condições....

Que observem bem, uma coisa que chega até a preocupar, nós tivemos momentos aqui
de começar a sentir que está até se afogando! Nós estamos sendo engolidos pelo próprio
meio? E tenho certeza que em muitos Templos aqui, muitos dos senhores aqui, muitos
presidentes já passaram momentos em seus templos assim, que são tantos problemas
que efetivamente sugam os seus!
“Mas meu Deus, como é que aconteceu isso?”

Você está (...) se volta um, se volta outro, .... Você está tentando contornar, quando vê já
estourou aqui e você está tentando mil coisas... E o que é? Tudo gente de calça marrom
e camisa preta, fita e colete.

Observem bem que há tanta preocupação com a nossa cultura pessoal pelo seguinte
fato: porque pela responsabilidade que temos em relação a transição milenar, a cultura
da mente que irá habitar o Terceiro Milênio. Porque é o seguinte, a preparação que o
Vale está proporcionando no campo dessas imensas concentrações desobsessivas, é para

109
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
ir preparando também o ciclo de mentalidade que irá habitar o próximo milênio! É
como se fosse uma desassimilação do planeta!

Pítia e os Oráculos, toda aquela movimentação 500 anos antes de Cristo, foi o princípio
de uma preparação no planeta para o advento da vinda do Cristo 500 anos depois! E o
nosso Sistema está proporcionando um tipo de preparação similar para as mentes do
Terceiro Milênio. Olhem a responsabilidade!

Mas é curiosamente o nosso meio, o nosso grupo, os jaguares, nós também estamos
enfrentando um problema que é muito pior! Nós estamos caindo por não aprender a
enfrentar o próprio jaguar. As piores repercussões dos nossos Templos não partiram de
visitantes, não partiram de pessoas de outras religiões, não partiram de pessoas de outras
doutrinas, não partiram de correntes negras, não partiram de exus, não partiram de vales
das sombras, partiram de jaguares! É extraordinário! Os piores problemas que tivemos
aqui no partiram de estranhos, partiram de pessoas do meio, de ocupar Radar, de dirigir
trabalhos, de ter o comando. É extraordinário! Então, o que nós temos então que estar
alertas? Diz que um aspecto, que um aspecto básico na transcendência. Nós somos um
grupo realmente muito cármico e em meio a esse nosso grupo só Deus para saber o que
é que existe de relacionamento entre nós. O que é que está no carma de cada um? Os
impactos desses períodos de mudança de roupagem. Sabemos que de 80 em 80 dias, há
uma mudança de roupagem. Dentro de uma contagem mais ou menos regular, cada ser
humano, de 80 em 80 dias, ele vive uma nova roupagem. Quando uma parcela de sua
herança cármica é naquele tempo X, e ele chega e o atinge, então ele passa a assumir
uma roupagem e junto aquilo vem correntes, vem determinados cobradores, etc., etc.
Automaticamente altera o campo psíquico, altera muitos quadros na vida do indivíduo.
Muitas vezes é um desastre. É um problema, é uma queda, é uma torção, é um
atrofiamento no osso, é um problema na cabeça, é um problema no fígado, é um
problema na coluna, um problema na família, ou um problema no trabalho, ou um
problema no próprio Vale! Quer dizer, sempre acentua-se uma coisa! Ou era calmo e
passou a ficar mais nervoso, ou ficou mais sutil seus desequilíbrios, ou ficou mais difícil
manter o equilíbrio. Quer dizer, então nós já temos essa variação e é muito mais intensa!
Somos sensíveis, temos conhecimento, somos cobrados proporcional a consciência, não
é? E somos muitos! Quer dizer, Deus tornou também o Vale, um centro de convergência
não só de forças espirituais, mas um centro de convergência cármica! Por que? Porque
estamos aqui! Então esse aqui é o centro de referência em minha vida para que o meu
carma me encontre.
“Apressa-te filho! Para não perder nenhuma das ovelhas do teu rebanho.”
“O vento te soprará eflúvios do ouro e da prata para que eu, filho querido, possa
sentir-me em paz, sabendo que a tua mesa está completa. E então, filho, sabendo-te
completo, enviarei a ti todos aqueles que sofrem pelo frio e pela fome no triste
propósito de te encontrar.” (Carta de Tia Neiva)

Quer dizer, vejam bem que a despeito da nossa formação doutrinária, a despeito das
consagrações que temos, nós ainda estamos nos afogando no nosso próprio meio!
Podem observar que nós ainda estamos nos afogando dentro de casa! Muitas vezes você
está dentro do seu templo, dentro da sua casa e tem dias que você chega e o ambiente
está tão desagradável que você parece que você é um estranho! Dentro de sua própria
casa! Repentinamente você chega no templo e por causa de 2, 3, 4, 5 e você chega e
mesmo você não sendo presidente, você chega e fala:
“Puxa, tem alguma coisa esquisita aqui.”

110
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E você sente total desequilíbrio nas forças! Mal-estar, dificuldade, de até você trabalhar
e dá tudo que tem e sai mal! Sair ruim!
“Olha, puxa, mas não tem lógica”

É ou não é a vibração, o campo? Quer dizer, e partindo de que? De exus? Do vale das
sombras? Não! Partindo de nós! Então nós temos que intensificar o nosso trabalho em
torno de nós mesmos para cada vez mais crescermos em entendimento desse tipo de...
essa espécie de relacionamento e relacionamentos, para que a gente tenha em um templo
e nos templos, cada vez mais um grupo, que seja o mínimo que seja, mas que seja um
grupo preparado realmente, dentro dessa visão cultural, para auxiliar na base de
sustentação da força espiritual do templo. Porque pessoas dispostas a isso, propensas a
isso, para dividir, nunca vai faltar! E será sempre em número maior, em maior
quantidade, de maneira mais intensa, de maneira mais constante. E onde estará o plano
espiritual confiante? Naquele mínimo que tem capacidade de sustentar! E de onde virá
essa capacidade? Virá do entendimento! Porque com fanatismo, com superstição a gente
não vai sustentar carmas, tem que ser por entendimento!

A gente não vai tolerar sem ter compreensão. A gente não vai ter humildade de
tratamento se a gente não tiver humildade perante Deus. Realmente ter consciência do
quanto é imenso esse sistema dentro de mim e simultaneamente a consciência do quanto
eu sou pequeno para que eu me disponha realmente como discípulo e, portanto, sempre
esteja ao alcance dos mestres. Porque se eu cresço eu me perco de quem me rege. A
Carta do Sétimo Raio, inclusive, é extraordinária, é de 1979.
“Mesmo que você trabalhe desatinadamente, se não tiver o regulamento de quem lhe
rege de nada valerá.”
“Mesmo que você trabalhe desatinadamente, se não tiver o regulamento de quem lhe
rege de nada valerá.”

Então, quer dizer, nós precisamos nos alicerçar! Porque a tendência, quanto mais virem
ao nosso encontro, naturalmente seremos cada vez menos! Claro! Quanto mais virem
pessoas ao nosso encontro, seremos cada vez menos! E aonde estará o aspecto “mais”
que nós podemos desenvolver? Está no coração e na mente. Porque será que os milhões
de pessoas que vão se distribuir em nossos templos em busca de socorro que serão....
Não! É uma luta que a gente está para ir entendendo essas coisinhas! Entendendo a
realidade fora da matéria. E você lê, e você estuda, e você pergunta, você questiona,
você se conflitua e as respostas vão chegando cada uma no tempo certo. E quando chega
uma resposta que te dá um entendimento você ainda não tem a compreensão. E quando
você compreende, ainda não tem assimilação. E muitas vezes você já assimilou, mas
não tem o trabalho de atitude. Porque conhecer, inclusive, não é tão difícil, mas ter
consciência do conhecimento que se tem já é outra história! A pessoa pode saber, pode
conhecer e se ele realmente tiver disposição intelectual para busca, se ele for alguém
que busca, ele não vai demorar muito a saber! Mas consciência desse saber... E
transformar esse saber numa força emanada, numa força de vibração curadora... Só se
for pelo comportamento.

Só existe uma condição que emana força, que emana a sua energia, é o seu
comportamento! Mas comportamento não se exige assim, é igual a fé, não existe uma fé
para sempre, uma fé eterna, uma fé uma vez nunca mais.
“Ah, eu creio”

111
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Crê uma droga que crê!
“Ah, eu tenho fé!”

Tem uma droga, que tem! Todo aquele que afirma que tem fé é um hipócrita! Quem
afirma que tem fé é um hipócrita!

Fé não é uma vez para sempre. Fé é determinação de pensamentos construtivos. E


quando é que temos ininterruptamente pensamentos construtivos, pensamentos de
esperança, pensamentos na certeza? Então, tantas e tantas vezes vacilamos, tantas e
tantas vezes temos dúvidas, tantas e tantas vezes não tivemos fé! Então como é possível
dizermos que temos fé? Fé, fé é busca! Fé é cair, perder a fé e levantar novamente e
voltar a acreditar. Fé, então, não é uma vez para sempre! É uma busca permanente.

Agora é necessário que uma Tia Neiva existisse para que falássemos com essa
segurança! Olha que curioso! Coisas tão simples! Porque tudo que eu aqui estou
dizendo não é por mim. Não é por mim! Nenhum assunto que eu desenvolvi aqui eu
cheguei nele por mim. E até me frustra! Infelizmente eu não tive gabarito de ir para ele
sozinho. Eu precisei ver Tia Neiva, vivenciar Tia Neiva, acompanhar esta obra, quer
dizer, estar junto e olha lá! Dispondo! Porque se eu disser que sei, também estarei sendo
hipócrita! Queria afirmar que sei o que estou dizendo para confirmar, mas afirmando
que o que dispomos, não do que outros dispõem, mas o que nós dispomos sob esse
Amanhecer. E tão proporcional quanto o que eu estou falando e alertando para o quanto
que nós temos que desenvolver para aplicar, simultaneamente se isto estiver se voltando
para mim, então estarei sendo duplamente hipócrita. Porque muito mais do que eu!
Sempre eu! Porque se eu falo “você precisa”, eu tenho que duplamente me exigir.
Perfeito? Salve Deus!

E ainda volto a dizer que a pessoa que é sobre o Evangelho que estamos tratando agora.
É o Evangelho Iniciático. Quer dizer, tudo o que estamos falando está contido no
Evangelho de Jesus. É claro, está velado! Ele está ai para todos! É como dizia Tia:
“Meu filho, essa Doutrina é para todos!”

De poucos.... De poucos.... Muitos são chamados, poucos os escolhidos. E menos ainda


os que assumem. Muitos são chamados, poucos os escolhidos, menos ainda os que
assumem. É para todos! De poucos....

Essas coisas:
“Ah, a gente tem que dar as coisas para todo mundo ter acesso.”

Aqui, oh! De vez em quando eu escuto uns papos:


“Ah, tem que abrir esse Acervo e deixar a disposição de todo mundo.”

Aqui oh! O último guardião desse Acervo foi Kuthumi. O próprio Dalai para ter acesso
às páginas ele tinha que ir ao Kuthumi. Pedir permissão. Entendeu? E esse Kuthumi foi
Seta Branca. O espírito responsável pela linha esotérica operante neste planeta. Até as
mais altas expressões intelectuais que há nessa ramificação do Avatar, que ele dentro de
outros foi graças aquele Kuthumi que saia do Tibet e os inspirava nessa linha de alerta
para o sistema intelectual do planeta. Também foi Seta Branca.

112
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E hoje dispomos do Acervo que dispomos graças, não a Tia, dentro de linha sacerdotal,
ela conquistou esse gabarito, mas sobretudo graças a Seta Branca. Porque ele já teve ele
nas mãos. Por isso que nós não voltamos a tê-lo. Ele está aqui por transferência de
herança, não é para qualquer um não! É para quem conquista!

Porque mesmo ele tendo acesso ao papel e a letra, ele jamais irá atingir o Verbo contido
na letra. Por que? Porque para atingir o Verbo, só através de comportamento e muita
luta! Só o amor dos que se encontram onde está contido realmente, voltamos a Jesus!
Onde a ferrugem não corrói, a traça não consome, o ouro e a prata não (...). Aí está a Lei
deste (...) da cabeça aqui. Não tem jeito! É o discípulo lutando, fazendo por onde,
gerando espaço, então proporcional vai subir. Dentro do espaço que você gera, do
espaço que você faculta, do espaço que você concede, porque há um limite na jornada.
O mestre conduz o discípulo até o ciclo possível, mas tem o ciclo que nem o mestre
mais coloca a mão. Competirá ao discípulo provar se realmente já é capaz de empregar
aquilo que recebeu. Ai realmente ele vai precisar demonstrar que está pronto, e se ele
não demonstrar condições de pronto, nunca mais terá o mestre! Salve Deus!

É sério, né? Sério! E cada vez mais sério, cada vez mais sério, pessoal! Mestre Umahã é
um dos últimos representantes da linhagem original. É, quando Tia falava:
“Oh Dalai, grande Dalai!”

Na Iniciação Dharmo-Oxinto e em todas nossas Iniciações, quando chega a Corte daqui


do Templo-Mãe, pela coordenação nos templos aqui, mas é o Dalai primeiro! É o
primeiro!

Ás vezes eu fico observando, é agora, por exemplo, nessa reunião de presidentes e


grandes governantes ai das nações, então chegou-se a cogitar-se alguns intelectuais:
“Puxa, mas onde está o Dalai, no Rio. Por que a gente não manda uma carta,
telefona?”

O último grande Dalai, na linhagem dos Dalais morreu em 1939. Já acabou, já era,
acabou! Agora é Vale do Amanhecer.
“Ah, mas se a gente não tiver, pelas forças...”

Está na Estrela Candente, Estrela de Sublimação, Turigano. Salve Deus!

E a tosse.... Porque curiosamente eu percebo que tosse de Trino não irrita, viu? É muita
conveniência política, né? Salve Deus!

Mestre, é bacana! É magnífico quando a gente tem essa possibilidade de tratar essas
coisas. Observe o quanto que eleva a nossa alma! A gente parece que cresce! O
Carneiro usa de vez em quando uma expressão... Carneiro está no Canal Vermelho?

O Carneiro usa uma expressão de vez em quando, Beto, ele fala assim:
“Bálsamo, às vezes a gente está feito como se fosse aquele boneco de borracha, ai uma
comunicação, uma mensagem parece que solta aquele (...)”

E podem observar que às vezes é isso. Olha, não nos falta elementos nessa Doutrina
para a gente se manter de ombros erguidos! Tranquilos em relação a essa obra! Claro,
não faltam elementos também para murchar, tem demais! Mas simultaneamente

113
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
também não falta para nos elevar e para nos justificar, para nos auxiliar a compreender
essas doenças.

“Filha, antes de culpar o teu vizinho, porque não ser severa consigo mesmo? ”
(Mestre Umahã)

Quanto mais a gente vai crescendo a percepção no sistema doutrinário, mais vai ficando
evidente o erro dos outros. Quando o mestre deixa o discípulo, então ele começa a
grande caminhada com a percepção. Aí os valores vão começando a ficar mais
simétricos, mais idênticos, mais claros, mas uma das coisas que mais o atrai é onde está
o sentido e a solução. E o grande problema de todos os sacerdócios e sacerdotes é este
ponto! Aí fica muito evidente, tudo o que o vocês estão fazendo de errado fica claro
para mim. Mas eu vou, porque estou tão envolvido nos erros dos outros, que eu passo de
errar, eu deixo de errar. Eu estou certo, sempre certo e todo mundo cada vez mais
errado. Então eu preciso começar a impor as ideias. Eu preciso ter espaço para falar,
para consertar, porque só em mim está a solução de mim, do mundo, das pessoas.

E tudo que você faz, você diz:


“Não é possível, esse está contra mim.”
“Ele está puxando o saco do fulano, ele está contra mim também.”
“Eu sou o único que é capaz de amar, de entender, de compreender.”

E aí começa a escalada da decadência do sacerdote. Porque esse é o ponto culminante


que ele tem que despertar para os valores recebidos em vez de voltar-se contra o
próximo e voltar-se contra si mesmo. É este o instante! É este o instante para ele:
“Rapaz, eu estou vendo tanta coisa errada, e eu como é que eu estou?”

Então tudo que o absorve e o leva a estimular a violência da mente, ele tem que
imediatamente reportar-se a si mesmo. Aí começa a etapa mais difícil da jornada do
discípulo. E nesse instante todos aqueles que habitam as sombras, que ouviram e leram
ou se dispuseram a seguir Jesus, encontraram o caminho destas mesmas sombras.

Começa a se perder, começa a perder a capacidade, começa a velar a própria percepção,


começa a se distanciar dos princípios, começa a perder o gabarito de discernimento, de
decidir, de definir, vai começando a tornar-se um injustiçado, um pobre coitado
perseguido, um pobre abandonado, e não tem mais controle. E todos nós aqui somos
passivos disso.

Não tem saída! Se nós não começarmos a desenvolver, mas procurar ininterruptamente
esses princípios do entendimento contidos na Tolerância, na busca de Tolerância, de
compreensão, na Humildade de tratamento, quer dizer, como Beto foi tratado procurar
sempre exigir de mim um tratamento para com meu semelhante. Quer dizer, começar a
passar por cima dessa ideia de (...) é muito chato, muito enjoado. (...)

“Aquele eu vou atender ele, aquele não!”

Eu tenho que imediatamente já começar a:


“Aquele cara é chato.”

114
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Quer dizer, o cara é chato mesmo! Você sabe que é chato, mas não sabe que ele é chato!
Mas você tem que insistir com você de dar atenção a ele. Ele não deixa de ser chato
mesmo não, ele continua chato, enjoado, te irrita, mas você tem que ir desenvolvendo
um gabarito e superar a si mesmo. E ele não vai deixar de ser chato nunca! Mas você
nunca poderá se permitir que a chatice dele prevaleça sobre os níveis de sua percepção
em relação a vida, o fator cármico, o fator transcendente, o fator missionário.

O que engrandeceu Tia foi isso! Colocar a dor do próximo em primeiro lugar e todos
aqueles que eram nocivos dentro do padrão de sua normalidade psíquica, de sua
percepção psíquica, ela passava por cima, fazia das tripas um coração e:
“Ah meu filho, graças a Deus!”
“Oh, que maravilha!”

E lá dentro, pulava na garganta. E ela não deixou de ter esses sentimentos também não!
Sempre levava o físico! E quanto mais ele ficou doente, com o organismo desacertado,
quantas dificuldades teve, e ela teve reações terríveis também. É a violência do físico! A
força do corpo! E como é que ela conseguiu? Pela mente, pelo coração. Na luta
ininterrupta! Então quantas vezes foi provocada realmente, agredida, ferida e a reação
da mulher, que ela era orgulhosa... Era o conhecimento, a consciência, quer dizer, ela
era aquela que:
“Não me filho, graças a Deus!”

Não, não era hipocrisia, não! Era luta! Era vencer a si mesmo!
“Não meu filho, tudo bem! Graças a Deus!”

Consciência de que cada um dá o que tem. Ele está dando o que ele tem para dar! É
impossível exigir de alguém que dê um pouco a mais do que ele pode! Porque ele está
dando por que? Porque isso é exatamente o que tem! Então é preciso aceitar as pessoas
como elas são. Vejam só o caso dela. Hoje nós estamos com algumas dificuldades no
relacionamento e ela nos pegou ontem, muito mais crus do que somos hoje! E ela nunca
nos impôs, nunca exigiu, nunca condicionou.

Veja quanto nós ainda estamos devendo a Tia Neiva dentro do exemplo que ela foi,
naquilo que estamos sendo. Concordam? Porque por exemplo, hoje você tem que
suportar, você não vai com a minha cara, você está suportando já o Bálsamo, mas o
indivíduo que já passou por todas as Consagrações, que já veio de uma jornada tão
grande. Mas ela me suportou quando eu cheguei mesmo xucro! Muito mais do que sou
agora, quer dizer, (...) toda essa estrutura que ficou, como é que foi para ela? No
relacionamento dela, a maneira dela. Cada Adjunto desse, cada Rama desse que passou
por ela, quer dizer, cada um desses, dessas que passaram por ela, como é que eles eram?
Como é que nós éramos? Lá na UESB... O ambiente, Beto...

As dificuldades que foram muito mais extraordinárias do que qualquer dificuldade que
tenha sido passada aqui. Então não justifica nós não nos preocuparmos em sermos
aquilo que ensina este Sistema Crístico, esse sistema Tia Neiva, esse sistema Seta
Branca, esse sistema Jesus, já aqui.

O símbolo do cristianismo é o que eu levo no escudo. O Apará está aí, o símbolo da


desobsessão, na Mesa, no triângulo vermelho, no centro é o símbolo da sabedoria, o
Evangelho.

115
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Nós temos que nos cuidar. Essa quinta aula tem um assunto, essa eu faço questão que
vocês coloquem, porque eu sei que vocês vão me cobrar e se a gente não desenvolver
nesse aspecto. Essa aula inclusive eu até a peço a Deus realmente que me ajude, que
nossos mentores me ajudem aqui, porque eu não sei falar de Centúria tipo Tia Neiva, ela
falava assim:
“A quinta aula, heim! É a quita aula, heim!”

É a Tia.... Todo mundo sabia, pelo conjunto de informações da quinta aula, que está
contido simplesmente no chame. É aquele velho assunto nosso discutido na Centúria.
Um assunto já familiar para todos nós. Mas nós vamos perceber que cada vez que
tivermos que falar sobre esse assunto, como a gente depende de um clima, como a gente
depende de um ambiente, não somente externo, como um ambiente nosso, pessoal,
como dependemos realmente de formar ambiente, nós dependemos também de
convergir mentes, convergir sentimentos. Muitas vezes nós vamos chegar e encontrar
situações de dissintonia, de desequilíbrio. Então às vezes nós vamos encontrar mais ou
menos dificuldade para passar, que mesmo eu estando bem para desenvolver esse
assunto, mas muitas vezes perceber que outros assuntos irão prevalecer sobre ele, como
sobre outros! Porque nós nunca mandamos nesse tempo. Só mesmo quando a gente está
muito carregado de pretensão para dizer que é chefe do tempo. Mas mesmo do nosso
tempo.

Mas no caso do charme, nós vamos relembrar agora, por exemplo, o espírito quando
chega o instante fatal, quer dizer, acabou de morrer, na grande realidade não podemos
esquecer que esse processo começou 24 horas antes. 24 horas antes do instante fatal já
começou o trabalho dos médicos. Da mesma maneira como para o reencarne do espírito.
O reencarne do espírito, os médicos vêm, entidades especialistas dentro dessa área, a
partir do terceiro mês de gestação daquela mulher, então vem, traz o espírito e
utilizando-se de uma energia extra etérica ele solda então aquele espírito ao feto.

Nunca se falou, mas nós vamos um pouco além aqui dessa simbiose. Essa energia que
se utiliza para a solda do feto, ela se distribui naquele organismo. Ela se distribui
naquela estrutura orgânica. Vamos pular agora.

Então para o desencarne, 24 horas antes, esses médicos já vêm e começam a promover a
soltura, o desligamento para que esse instante fatal.... Inclusive o medo da morte é
justificado por esse instante. Há uma dor realmente que Tia dizia ser intraduzível por
choque. Esse medo, inclusive, está nesse instante. E ela dizia:
“Que nada (...) mas não é assim.”

Mas há uma sensação! Quando se promove, então, o desligamento total, eis a morte.
Então o espírito sai pela boca pegando como exemplo um corpo em decúbito dorsal,
quer dizer, ele está deitado de barriga para cima. Então o espírito sai pela boca,
aproximadamente uns três, quatro metros acima do corpo, ele paira. Aonde está a
cabeça do corpo, ficam os pés do espirito. Ele fica no sentido inverso do corpo. Onde
fica a cabeça do espírito, estão os pés do corpo. Ali ele permanece durante algumas
horas absorvendo, sugando toda a energia ectoplasmática contida no corpo, no plexo do
físico, no plexo físico.

116
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Segundo a Clarividente esse processo chega a chiar! O audiente, assistindo o processo,
ele ouve o som do chiado. Absorvendo, extraindo, puxando.

Quando ele termina de absorver todo aquele magnético, normalmente ele chega a
atingir, o espírito em termos de peso molecular, de aproximadamente 800 gramas.
Absorver esse magnético em algumas horas.

Os mentores vêm, pegam esse espírito que ainda está inconsciente... Falamos em um
padrão de desencarne normal, etc. etc. E vamos nos fixar só nisso. Depois a gente trata
de outros aspectos. Vamos tentar dar uma sequência. Então esse espírito é pego pelos
mentores e é conduzido a Pedra Branca ou Retiro dos Mortos. Chegando em Pedra
Branca ele começa a tomar consciência de si mesmo. Diante dele é projetado, como se
fosse numa tela de cinema ou de televisão, a sua vida. Particularmente aquilo que
deixou de fazer. A sensação do espírito nesse período que dura, normalmente, sete dias,
é que ele está totalmente só. É ele e si mesmo! Ele e seus feitos! Na grande realidade
existem milhares de outros espíritos na mesma situação dele ali ao redor, próximo a ele.
Mas ele não se apercebe de mais ninguém ou nada. Porque a ação no nêutron está entre
eles. Quer dizer, o nêutron que é a força que sabemos que divide os planos vibracionais,
então ali particularmente, ela separa todos os espíritos. São vários, são milhares que
podem ficar na mesma condição e todos com a mesma sensação de solidão. Está só! Ele
é colocado só consigo mesmo. Passados sete dias que todos esses aspectos de sua vida
ficaram claros, aquilo que deixou de fazer com a consciência desperta para esta
realidade, então o mentor o traz de volta para a Terra. Aquele fluido que ele absorveu do
corpo físico para ser conduzido e passar por esse período, já foi. Então há necessidade
de traze-lo para novamente ser beneficiado pelo magnético, por ectoplasma, e o mentor
então, daí, conduzi-lo ao destino compatível. Só que nesse instante é o momento mais
dramático para o mentor. Porque o livre arbítrio ainda permanece. Então ele traz o
espírito para energizar, mas chegando aqui, pela própria força, pela própria emanação
no planeta e pela condição íntima desse espírito, ou seja, se ele foi uma espécie de ser
humano extremamente agarrado aos valores conquistados, como dinheiro, o ouro e a
prata como Tia sempre avisava, ou se ele é alguém que desencarnou por mágoa, com
espírito de vingança em alguém, aí a coisa complica totalmente!

Então naturalmente a tendência dele é perder a sintonia ou partir em busca daquele que
naturalmente será sua vítima e passará ele a ser um novo cobrador, ou ele partirá em
direção a suas paixões, ou partirá em direção aos seus valores. O mentor, então, ainda,
compete a ele, ele tenta ainda, insiste, doutrinariamente buscando alerta-lo, esclarece-lo,
orienta-lo, mas percebendo a impossibilidade de alterar aquele destino, a missão acaba
naquele instante do mentor e o tutelado. O mentor então parte, a missão dele acaba de
terminar. Parte ele, então, em direção ao que lhe compete e aquele ex-tutelado é
entregue ao seu destino.

A partir desse instante mil coisas podem acontecer com aquele espirito. Porque além da
série de valores que lhe vai prejudicar, porque é o seguinte, mesmo junto aqueles com
os quais ele tem afinidade ou amor que ele tem, ele vai também tentar ajuda-los.
Naturalmente sabemos que só irá atrapalhar. Ele não tem conhecimento de Leis, ele não
tem conhecimento técnico, ele não tem um princípio doutrinário. Então em todos os
aspectos tudo o que ele faz é perturbar.

117
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Se desencarnou com ódio, com mágoa, com instinto de vingança, naturalmente vai
partir em busca de se tornar o algoz em busca de sua vítima. Nesse processo ou de
cobrança ou de perturbações, etc., mil coisas também passam a acontecer com ele!
Porque existem falanges no espaço especializadas em capturar os espíritos, existem
impérios cada vez maiores se formando e que escravizam espíritos. Ai de fato ele pode,
se ele inclusive der o azar de cair nas mãos dos bandidos do espaço, ele vai passar um
período tenebroso de sofrimentos. Porque os bandidos do espaço são uma falange
poderosíssima, perigosíssima, e são espíritos especializados em escravizar recém-
desencarnados e negocia-los com determinadas falanges de exus, em troca de seus
valores como ectoplasma, energia ou outras coisas!

Então tudo isso vem contribuir para a distância, para o aumento do ódio, para o
desequilíbrio, para o distanciamento, etc. Então uma série de coisas podem acontecer.
Ai só Deus no destino desses espíritos. Salve Deus!

Mas se foi alguém que desencarnou e acompanhou o mentor. Chega em um


determinado albergue, em um desses pontos do espaço e tudo mais:
“Olha, você tem umas cobranças para trás, não sabemos se será possibilitado uma
outra oportunidade de encarnar, ai temos que ver com os Ministros.”

O espirito a partir do momento que ele toma consciência da realidade espiritual, que ele
percebe o que deixou de fazer, aí é que ele percebe, então, que foi enganoso. Porque aí
ele percebe que só vai ser feliz se ele voltar para a Origem. Porque aí é que está sua
família, seus verdadeiros amores. Verdadeiro pai, mãe, mentores espirituais. Mas aí ele
percebe que mesmo o Ministro daquela Origem permitisse que ele fosse, ele não teria
estrutura em si para viver lá devendo na Terra. Ele teria vergonha. Ele não conseguiria
encarar os demais no Plano, pelo fato de estar em dívida na Terra.

Então veja, nunca vem por deus, punições! Como disse o Pai:
“A dor não vem do céu, vem de vossas próprias falhas.”

E como não existe condenação para o sonar do pecador. Há quem paga, há quem
engana, há quem cometa.... Há sempre em Deus Pai Todo Poderoso, mais cedo ou mais
tarde, uma oportunidade dele. Agora, essa oportunidade quando é possível, porque
muitas vezes não depende só de você querer. Depende de todo um conjunto de valores.
Depende de tempo, depende de circunstâncias, e uma encarnação quando ele percebe o
tremendo investimento que foi a passagem dele na Terra e o que ele deixou de fazer, e
no que isso resulta, nas possibilidades do seu espírito de voltar a ser feliz, ele não tem
saída! Aí ele volta a lutar para ter a oportunidade de voltar para a Terra.

Quando acontece, em meio a essas imensas dificuldades criadas no planeta, para


reencarnar e ele consegue a graça de poder reencarnar, então ele é conduzido a Legião
Reencarnatória, que é um dos imensos departamentos do Sistema Crístico, responsável
por todo esse processo de reencarne e desencarne.

Então ali é escolhida a família, quem será a mãe, o pai, qual a posição geográfica, a
nação, o estado, a cidade, quer dizer, são todo um conjunto de valores que passam por
uma avaliação para o retorno daquele espirito. Então ali, na Legião Reencarnatória está
também o Sono Cultural, que é um dos departamentos dessa Legião Reencarnatória.
Então ali ele passa por uma hibernação, uma preparação, até que chega no ponto de ser

118
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
trazido para aquele instante em que os médicos utilizando-se daquela energia extra-
etérica ou centelha divina, soldam o espírito ao feto. Esta energia extra-etérica ou
centelha divina resultam no charme. Ela se espalha pelo corpo.... Salve Deus!

Devagar! Esse tema é altamente complicado, eu acho ele complexo, ele é muito simples,
vamos para você deixar ele claro! Principalmente para instrutores, falando para
instrutores! Porque agora você está falando com alguém que está conhecendo para você.
Não, você agora passa a conhecer pelos outros. Quer dizer, enquanto a gente recebe
uma coisa e fica para a gente é uma coisa, agora quando você tem que expor para os
outros, muda tudo de figura! Eu, por exemplo, se tivesse para escrever a facilidade que
tenho para falar.... Sei não! É totalmente diferente. Você sentar numa máquina e.…
puxa é um drama! Salve Deus!

Mas então, acabei de morrer. Essa energia do charme que veio trazida para soldar o
espírito aquele feto, aquele corpo, quando o espírito acaba de sair aquela energia
também é liberada. E ela não volta, não há como voltar. Ela fica próxima ao corpo. Não
é pela atração magnética, ainda é o que resta.

Aí pegam o defunto e tudo mais, ajeitam, etc., e põe no caixão e tudo mais, em direção
do cemitério, e esse charme acompanha. A atração magnética natural. Chegando ali, já
aconteceu de espírito ir para Pedra Branca, o corpo acaba de ser enterrado, mas ela fica
ali. E em torno desse charme aquilo que deixei de fazer. Cada vez que encarnei nesse
plano ficou um charme. E os espíritos, nossos cobradores, nos localizam pelo cheiro, é o
olfato. Tudo que eles têm para a localização é o olfato.

No tempo da referência básica daquela encarnação, é necessário que, então, ser atingido
para aquela manipulação é uma parcela daquele charme deixado. Que se viesse todo,
Deus me livre! Agora vejam até onde atuam o sistema! Porque nunca tem tudo o que
você deixou de fazer em sete encarnações em cima de você! Mas até nisso a benção
divina intercede para que venha até você proporcional a sua estrutura! E em cada tempo
uma referência! E o que te cabe. Te cabe proporcional ao seu gabarito. O frio conforme
o cobertor. Olhem o Sistema Crístico! A precisão do Sistema!

Porque não é simplesmente eles cuidam da nossa volta quando merecemos voltar.
Porque precisamos! Merecimento é mais que necessidade. Mas eles cuidam e
administram inclusive as nossas mazelas. Por que? Porque se chega tudo de uma vez
enquanto encarnados, aí perderia até o sentido! Então tudo é administrado pela benção
de Deus. Se temos ainda vida compatível e as coisas acontecem é vez ou outra, o
negativismo, a gente tem as vezes atos, comportamentos assim, não sei, quer dizer, tem
muitos aspectos que nos (...). E é porque a benção divina ela vai administrando de
maneira que você tenha condições de suportar aquilo que deixou de fazer, de ir
manipulando de conformidade com a sua estrutura, e veja quantas encarnações ainda a
temos pela falta de administrarmos o equilíbrio de nossa mente e com a harmonia dos
nossos sentimentos.

Quando Tia dizia que de 80 em 80 dias mudávamos a roupagem, de 80 em 80 dias uma


parcela do charme contido, em outras encarnações. Agora um aspecto curioso porque
ele chega, o charme, uma parcela do charme de um período romano, o cobrador quando
chegar pelo cheiro, de um charme da relação. Ele verá em mim um soldado romano. Ele
traz ainda vivo na mente o seu quadro! Relativo a relação. Mas ele também espera

119
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
encontrar aquele mesmo que provocou aquele desatino. Então é fundamental, quando a
energia te atinge ou o acontecimento te atinge que a sua tendência é explodir, é horrível!
Você pode dobrar a intensidade do comportamento dele em relação a você. Porque você
aí alimenta a concepção que ele já traz do que você era! Então quando chega e te atinge
e você tem gabarito para reação com equilíbrio e harmonia:
“Não, graças a Deus! Salve Deus, meu irmão! O que está acontecendo? O que está
tendo? Seja o que Deus quiser”

Você já provoca uma condição favorável para você e para ele. Alguma coisa mudou!
Quer dizer, esse impacto é fundamental também no sistema psíquico. O equilíbrio é
fundamental! Porque você não sabe, no nosso caso, tratando do nosso caso, eu tenho um
detalhe que considerar a oportunidade de em um trabalho de poder ter ele passando para
você falar:
“Meu irmão não é nada disso. Salve Deus!”

E você jogar, fluidifica-lo, quer dizer, proporcionar uma oportunidade de um desabafo,


de um diálogo, um despertamento, um relacionamento totalmente diferenciado! Então,
como dizia a Tia.... Dizia não! Ela diz aqui!
“Filho, mente calma significa personalidade e segurança. Lei que com frequência
traduzimos por maneiras diferentes, porém, em estradas que se encontram no auto domínio em
relação à mente.”

É fundamental esse gabarito! Nós precisamos, custe o que custar, ter controle sobre o
nosso temperamento. Porque observa que o controle do temperamento ele transcende
muito a ideia imposta simplesmente de comportamento de bonzinho! Mas é uma
necessidade técnica até para os impactos do nosso carma! O equilíbrio da mente é
fundamental para os instantes de impacto da provocação. É, a provocação gerada pelo
próprio impacto da chegada do charme. É o que acontece quando os cobradores
chegam. Encarnados e desencarnados! Quer dizer, os instantes mais perigosos é,
sabemos muito bem, num instante perde-se o.… pá! Acaba de atirar e diz:
“Ué, por que eu fiz isso?”

É uma estupidez! Quantas mortes foram assim? É um instante e a primeira reação:


“Meu Deus, por que que...?”

Então ele clama pela ausência de controle. A ausência de capacidade de controlar o


temperamento. Quer dizer, isso sem precisar partir para esse extremo de exemplo,
observem que em um relacionamento mais sutil, levando em consideração a própria
faixa de 80 em 80 dias entrarmos em um quadro diferente. Porque quando se fala 80
em 80 dias uma nova roupagem, é necessário um novo quadro, ou quadros que de
pedem, cobrador ou cobradores.

Vou pegar aqui um exemplo para arrebentar de uma vez e todo mundo vai guardar
isso para nunca mais.

Agosto, Brasil. O que é que acontece em agosto? O que é o estigma do agosto no Brasil?
É a Noite de São Bartolomeu. É a Noite de São Bartolomeu. Eu estou falando em Noite
de São Bartolomeu. A violência de herança de milhares de espíritos em referência
reencarnados no Brasil. E toda essa satisfação de desastre, particularmente, é herança
cármica resultante daquela noite triste do dia 24.

120
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
É um centro de referência gigantesco! Essa referência está contida lá. Então é um
período, um ponto formado em campos de herança, foi em agosto, foi nesta data, quer
dizer, então nesse ciclo de data aproximada todo um conjunto de valores do charme,
esse charme de heranças cármicas vão sendo atraídas. E começa a se precipitar. Pelos
vacilo que você vê. É bebida, é droga, é (...), são mil coisas que vão facilitando os
indivíduos. Quer dizer, tudo vai favorecendo.

Porque essa concepção de herança, de charme etc. transcende muito mais do que o que
foi produzido aqui. Lembra-se quando no Rio, aquelas favelas e todas aquelas situações
lá e quando foram mortes e mais mortes no morro? Lembram-se disso? Pois é, era o
Angical. É Angical. Porque quando nós falamos em Angical, porque quando nós
estamos falando no Angical, resulta a nossa vida. A nossa participação na Cachoeira,
Pai Zé Pedro, Pai João. Angical é toda a região, todo o sul da Bahia, onde tem Angico e
Angical. São milhares e milhares de espíritos em envolvimento! Claro, nossa
preocupação é o que estamos mais diretamente relacionados. A família dos Ferreira, os
Pereira, a grandiosidade dos acontecimentos embora sofridos os nossos pretos-velhos.
Vejam bem, são dois períodos de encarnações naquela região envolvendo milhões e
milhões de espíritos! Um dia Tia falou assim:
“Meu filho, vai ser um ciclo de mais um rio de herança cármica.”

E quando cita lá, quer dizer nós do Angical, porque não é justamente nós. Quando fala
em Angical fala em coisa nossa. Cruz credo! A coisa é muito mais séria! Salve Deus!

É só para deixar bem ilustrado o quanto a coisa tem dimensões que transcendem aquilo
que já o que sabemos da percepção. Salve Deus!

(Pergunta de um mestre que assistia a reunião)


Intelegível.

(Mestre Caldeira)
Você é médico, né? Você também é médico, né? São dois médicos, três médicos. (...)

Se bem que a ciência inclusive... Pai Joaquim, Pai Joaquim com a Tia, toda vez que ele
citava a medicina, você não imagina a expressão de respeito. Eu nunca vi um deles,
quando se manifestavam sobre ciência, e principalmente a medicina, particularmente,
que não visse no médico um missionário do corpo. E ele sempre falava:
“Tia, nunca se preocupe só com o corpo.”

Porque Deus já permitiu a benção da medicina da Terra estar pronta para tudo que for
possível para a Terra. Sempre aquele respeito. É que, agora é só copiando e lembrando
disso. Mas agora já entra no campo dos relativos. Porque o aborto pode ser provocado
por várias possibilidades, pode ser provocado por medo, pode ser provocado por uma
série de valores.

(Pergunta de um mestre que assistia a reunião)


Bálsamo, então só uma pergunta. Você diria aquele momento, foi exatamente o tipo de
cobrança, quer dizer, aquele dia, àquela hora, aquele filho e deixou um desequilíbrio?
Quer dizer, ele veio só para aquele momento, para aquela situação?

121
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
(Mestre que assistia a reunião)
Essa pergunta a que ele está se referindo, eu aprendi com a Tia, que a energia do
charme, o feto até o terceiro mês ele não tem estrutura para comportar aquela energia.
Então provavelmente (...)

(...)

(Mestre Caldeira)
É curioso, né? Eu também nunca pensei nisso!

(Ninfa que assistia a reunião)


Inteligível.

(Mestre Caldeira)
É a Tia falou, só que eu não quero entrar nesse tratado também. Pelo seguinte fato,
porque tem certos aspectos, como por exemplo, tentar entrar num tratado, por exemplo,
de esquizofrenia, você pode observar, por exemplo, por que é tratado que custe o que
custar nós não temos saída. Nós teremos que entrar nesse tratado, por que será um dos
aspectos que mais iremos nos relacionar com ele, e observem que nunca foi falado,
perfeito?

Então, na própria relação de cobrança, quando a gente fala possessão, obsessão, que é
justamente os aspectos que o senhor está citando, então as várias características
obsessivas, são várias, então e ela varia demais. Agora, existe um conjunto, uma
contagem com a qual podemos definir todas elas dentro de quadros. Existe um limite,
pelo que nos orientam o sistema espiritual.

Mas eu estou evitando realmente entrar, porque nunca foi tratado, certo? No Curso de
Sétimo, ou mesmo em outras reuniões avançadas, nunca se preocupou ainda com essa
temática. E é curioso, porque esse assunto, que os senhores levantaram aqui, sempre foi
um dos meus pontos de preocupação.

Primeiro a esquizofrenia, por um relacionamento muito íntimo com esses aspectos;


segundo a “barriga d’água” chamada. Já soube de algum caso de solução?

Então é o seguinte, por exemplo, eu me lembro do primeiro caso que eu vi assim. Mas
eu vi e enxerguei. Porque tem coisas que você vê e também enxerga. E chegou um
senhor para o trabalho, e eu vi e enxerguei, curiosamente me atingiu o quadro.
Comentei com a Tia, e ela falou:
“Meu filho, só Deus...”

Então, tem um nível também na esquizofrenia, que nós no nosso tratado mediúnico,
quer dizer, a mediunidade incubada, como nós usamos o termo, quer dizer, quando a
mediunidade já está incubada, então a Tia também falava:
“Só DEUS...”.

Quer dizer, tem um limite, tem um ponto que... “Só DEUS...”, certo?

Esse aspecto por exemplo que foi levantado, para nós começarmos a justificar dentro de
uma visão científica, pela ciência espiritual, aí nós temos que entrar nessas divisões da

122
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
problemática obsessiva, perfeito? E onde eu espero estar mais à vontade dentro deste
tema mais na frente. Quando se tornar necessário realmente que a gente trate, porque
como nunca houve interesse, e nunca se ventilou em nosso meio, é porque parece que
ainda não é a hora, e eu também não me sinto ainda à vontade para abordar, perfeito?

Então ficamos nos devendo. Mas o simples fato de já tocar, pela primeira vez numa
reunião coletiva. É a primeira vez que vejo tratar.

(Mestre que assistia a reunião)


Inteligível.

(Mestre Caldeira)
Não, mas o simples fato de levantar, é como.... Concluindo agora, o simples fato de
levantar, pelo que eu tenho conhecimento, pela primeira vez, em toda a história de
reuniões, pode ser que tenha dado o ponto de partida, de ter um princípio, entenderam
como é que é? Então, inclusive estou muito feliz com o assunto levantado.

(Mestre que assistia a reunião)


Inteligível.

(Mestre Caldeira)
É um sonho antigo do Vale das Sombras a possibilidade da reencarnação, quer dizer, a
possibilidade de ação direta no físico, não é?

(Mestre que assistia a reunião)


Inteligível.

(Mestre Caldeira)
Não, pelo contrário, eu continuo perfeitamente à vontade. Agora é só que eu acho
agradável realmente, o nível que está. Até de vocês sentirem-se à vontade de trazer,
porque eu estava aqui avaliando, em nada dividimos, em tudo somamos. E foi muito
bom levantarem esse aspecto. Agora, os instrutores vão saber realmente que não são
aspectos que deverão levantar. Estamos aqui é num outro ambiente, num outro clima, de
veteranos. Então existe um limite de informações que será conduzido para aqueles
Iniciantes, quer dizer, para aqueles participantes do curso. Aqui nós estamos nos dando
um breve luxo, no nosso ambiente, claro, entre nós, de tratarmos as coisas, de falarmos,
de conduzir, com a mesma naturalidade com que surgiu estes aspectos científicos, surge
a naturalidade do pão de queijo, do lanche, da descontração, da piada, do momento de
brincar. Então eu vejo como mais um componente, do mais alto nível, inserido como o
pão de queijo, na simplicidade. Da descontração, da brincadeira.... Então isso aqui é o
nosso ambiente mesmo. É formal, entre homens informais. Entre companheiros! Aqui
não são mestres e discípulos, aqui são companheiros.

Se eu chego no Templo do Alceu, se eu não me irmano com ele, eu não vou saber me
situar dentro do Templo. Só vou poder entrar se ele me der a chave. Mas antes de
chegar lá eu tenho que passar pelo Trino Ajarã, não é Alceu? Para chegar até o seu
Templo você tem que me levar, tem que me mostrar o caminho, é outra história, não é?
Mas aqui não! Aqui não é o Mestre Bálsamo falando para um monte de discípulos não!
À minha esquerda está o Trino.

123
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
(Mestre que assistia a reunião)
Inteligível.

(Mestre Caldeira)
Agora, é claro, competirá a cada Instrutor aqui discernir os limites de informações.
Salve Deus!

A Centúria são sete Cartas. Então, tem uma outra sequência de Cartas que tratam de
assuntos com mais profundidade, relacionadas a essas sete Cartas, que são para o Curso
de Sétimo, ou para uma concentração de Centuriões numa reunião especial.

As Cartas por exemplo que ele cita, está contido no Manual Darmo-Oxinto, aí já vem
numa outra sequência de valores para um Curso mais na frente, já é uma outra espécie
de tratado que não compete aqui. Mas é bom já saber a título de conhecimento, já é uma
outra estrutura.

Como por exemplo, você pega a 7ª Carta que será inserida aqui no Curso, que é a Carta
chamada “Carta do Sol Simétrico”, que é a Carta que traz o desenho do Oráculo de
Ariano com a distribuição dos ais, que os senhores conhecem: Simiromba, Arakén,
Oner, Adones, Alufã, etc.

Aí você já pega por exemplo a Carta de 28 de junho de 1977, que todo mundo tem uma
ideia sobre a Carta nº 1. A Carta Aberta nº 1 ela é datada de 11 de setembro de 1977, e
na grande realidade não foi ela. Muita gente se engana com a numeração das Cartas.

A primeira carta inclusive aberta, que trata desse assunto, é uma Carta de doze páginas
no original, do dia 28 de junho de 1977. E na grande realidade ela passou a ser mostrada
muitos anos depois! E ela em nenhuma hipótese está inserida neste sistema de
informações.

Observem bem que Tia não era regida por essa matemática física, não era regida pelo
sistema simétrico, mas pelo atemporal, pelo assimétrico. Então você surpreende por
exemplo, o Mestre Umahã, com uma Carta de outubro de 1972, num extremo tratado,
inclusive Donato trouxe numa reunião de Adjunto, que é aquela Carta:
“Todo aquele que pensa ser ou ter feito essa ou aquela grande coisa, etc...”

Quer dizer, é uma Carta de 1972, onde ele começa inclusive um tratado sobre
esquizofrenia, quer dizer, a alteração no campo mental das pessoas, motivada pela sua
sensibilidade mediúnica, amparada por uma natureza naturalmente frágil, propensa ao
desequilíbrio, e começa pela formação de quadros mentais, a caminhar para um quadro
obsessivo dos mais tristes, quer dizer, mas isso em 1972! Nem ela, Tia nem tempo tinha
para se aventurar, e nem precisava disso. E essa Carta começou a ser mostrada a mim há
poucos anos. Perfeito?

Então, é muito atemporal. Pegar as Cartas da Tia e organizar, você pode organizar
dentro de uma ordem cronológica, mas você pegar e organizar por assunto e justificar
pelo tempo em que foi escrito, é totalmente ilógico.

Observem bem que o Mantra Indú Rei, quando ela recebeu este mantra, seus adeptos e
nem ela caminhava para a Estrela. Então é muito atemporal, a coisa obedeceu sempre a

124
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
um outro ciclo, e esse assunto que trata por exemplo, é totalmente incompatível na
Centúria.

Porque depois que o indivíduo receber esta Cultura, esta Contagem da Centúria, então
ele terá aquele tempo de amadurecer, de vivenciar, de trabalhar, até ele fazer jus a ela. E
pode ser que nem faça, como centenas e mais centenas dos homens de nossa Tribo não a
conhecem. Conhecem assim, um enxerido mesmo, tipo Donato, que foi enxerido, que
foi atrás, que pesquisa e tal. E vai um outro, o Dias, uma convivência. Mas a grande
maioria não teve acesso. Faltou a ele a conquista de perseguir esse propósito e encontrá-
lo, perfeito?

Inclusive, grande parte do acervo realmente não é para ser dada, mas proporcionada a
nível de conquista. O indivíduo tem que gerar a possibilidade de que ela chegue em sua
mão, ele tem que partir atrás, ele tem que partir em busca, e essa é uma delas.

Um José Carlos Nascimento e Silva por exemplo, já é um homem de tino no campo de


sua formação, ele é de uma natureza de formação intelectual, social, etc., e um homem
pesquisador, tem senso de pesquisa, então a ele é natural. E natural que ele tivesse a
percepção da importância desses assuntos e diante daquilo que estabeleceu para
proporcionar às suas Dharmo-Oxinto, buscou então, trazer estas informações, no nosso
caso é incompatível.

Possivelmente no Curso de Sétimo próximo, talvez comece a ser tratado. Vocês


observem por exemplo, que aí nós já começamos a entrar no campo da biopsicologia.
Aí já estamos entrando num fator biológico, perfeito meu irmão? Ai já é uma outra
estrutura de estudo que ainda não nos compete.

Porque principalmente, ainda o nosso tratado, ele precisa estar alicerçado nos princípios
do Santo Evangelho, para depois começarmos a penetrar neste campo de percepção
iniciática. Aí é onde está contido realmente as respostas dos chamados mistérios.

Aonde está a realidade da vida? Na organização orgânica? Não! Sabemos que isso não é
organismo. Não é a estrutura orgânica a sede da vida, mas a sede da vida está no sistema
inorgânico, que se transmite pela alma e mantém andante, mantém caminhante, mantém
vivo este sistema orgânico.

O que é o corpo? É um organismo, é uma estrutura orgânica. Mas o que o mantém de


pé? O que o mantém vivo? Sabemos que não é este mesmo organismo, não é? É um
sistema inorgânico que se transmita pela alma e o mantém então de pé. Então, quando
este sistema inorgânico sai do corpo, então fica somente este sistema orgânico que irá
apodrecer, irá se transformar numa outra concepção. Perfeito meus mestres? Ai então
ser a razão de um outro estudo. E é claro que no momento ainda não há possibilidade
disso. Salve Deus! Mas é até uma razão que eu estudo há muitos anos.

Eu estou muito preocupado, porque eu deverei dar o Curso de Sétimo Raio no ano que
vem. Eu prefiro não pensar que vou ser eu, porque o Nestor (Trino Arakén) fica a
duzentos metros do meu Castelo, e não foi embora. Ele está aqui. É incômodo, né?
Então, ele pediu um ano de férias, quer dizer, um ano de descanso. Então pode voltar a
qualquer instante, ele é um Mestre desta Ordem, ele é o Mestre destas Contagens, ele é
o Mestre desses valores, não é?

125
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Tudo bem que o Trino Sumanã no momento responde pela execução no Templo-Mãe da
condução deste sistema junto ao Trino Arakén. E ao Trino Ajarã formulou o convite,
mas é claro que isso tem que ser conduzido com um certo cuidado, porque pode mudar
muita coisa. Então realmente, pelo menos eu tenho o conforto de saber que estas coisas
não estão sendo desconsideradas, como o senhor sabe que não foi desconsiderado por
Tia, mas têm mestres nesta Doutrina que também não desconsideraram, que estão
tentando encontrar as respostas, para quando chegar a hora de esclarecer, tentar estar
pronto para dizer o mínimo necessário. Salve Deus!

Mas Mestres, vai ser fundamental nesse Curso de Centúria, que nessa quinta aula os
senhores procurem desenvolver, é claro que todos os temas que estão sendo tratados
têm que ser levados, conduzidos de maneira objetiva. Eu estou fazendo, já falamos
sobre isso, estamos conversando à vontade, sem papas na língua, gente de família, quer
dizer, conversando de Instrutor para Instrutor, é mestre ensinando mestres, e mestres
aprendendo com mestres, não é? Aqui não é o mestre Bálsamo dizendo para um grupo
de discípulos. Não! É o mestre Bálsamo junto a um grupo de mestre, transmitindo para
mestre a nível de mestre e recebendo reflexos desses mesmos mestres. Então somos
mestre ensinando mestre repito, e mestre aprendendo com mestre, não é assim?

Então é claro, eu sempre me sinto mais à vontade para falar três, quatro ou cinco,
sabendo dez, essa é à minha maneira de ser. Talvez eu seja errado, mestre não erra, né?
Se engana. Então talvez eu tenha até uma parcela de engano em falar tão à vontade, mas
não estou me condenando por isso, estou me sentindo perfeitamente à vontade, porque
esse é um ambiente extremamente receptivo, e vou continuar conduzindo assim. Eu
acredito realmente que a gente tem que levar o que há de melhor, e tem que estar se
sentindo à vontade para transmitir aquilo que é necessário. Necessário!

Já sabemos desde o princípio, foi transmitido, que realmente aquele que não tem senso
de busca, de pesquisa, aquele que não se interessar em se aprofundar, para dizer a sua
pequena parcela, a parcela que competirá àqueles que forem assistir ao Curso, que ele
não é digno realmente de ser um Instrutor se ele não se preocupar. Aquele que se
acomodar para dar uma aula, para fazer uma reunião, se sentir perfeitamente à vontade,
realmente tem motivo para a gente ter medo dele, de se preocupar com ele.

Porque realmente é impossível estar à vontade sabendo que existem tantos desafios,
como clima, ambiente, vibração, projeção, atuação, etc. E outra coisa, devemos levar
em consideração que uma reunião, por exemplo uma aula a nível de Centúria, nós não
sabemos quantos Exus irão assistir. Você tem uma noção dos mestres e ninfas que vão
estar à sua frente, mas você não imagina a quantidade de espíritos que são trazidos pelos
mentores, muitas vezes como convidados, ou muitas vezes ele por iniciativa pessoal.
“Eu quero saber qual é.…”

E as Entidades vão deixá-lo assistir. Por quê? Porque ele não está sabendo, muitas
vezes, que ele venha até por desafio, mas se ele se comprometer em se comportar no
recinto, os Cavaleiros vão deixar. Porque ele não está sabendo, ele vem como
convidado, mas estará recebendo uma série de informações evangélicas e doutrinárias.
Então é fundamental. As próprias entidades têm interesse que ele participe.

Então é impossível esperar que numa concentração, a nível de Centúria


principalmente.... Quando eu falo Exus, eu falo Exus, mas são vários os espíritos dentro

126
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
de uma linha mais preconizada. Porque é o seguinte: quando fala assim Vale das
Sombras, Vales Negros, aí então nós pensamos.... Ou quando se fala em sofredor.
Aquele ser que não tem noção dos valores, que não tem discernimento, não tem nada!
Mas vocês observem que são espíritos e mais espíritos que chegam de mãos abertas,
tranquilos, são calmos, discutem raciocínios. Aí falamos nos Vales Negros conscientes,
é muito sério! Vales Negros Conscientes! É outra história...

Quer dizer, você vai dialogar com alguém, porém você fala “Jesus”, ele arrebenta o
Evangelho em cima de você e mostra cada detalhe. E ele é muito mais frustrado ainda
por isso. Quer dizer, ele se tornou potencialmente um inimigo consciente de Jesus, por
conhecer o Evangelho e por não ter obtido resultados como ele ansiava através deste
mesmo Evangelho desse Jesus. Então ele é um inimigo consciente! Ele julga conhecê-
Lo, e ele conhece, de ponta a ponta dentro da visão intelectual oferecida pelo próprio
Evangelho. Agora, ele não foi alguém que conseguiu ultrapassar os limites de si mesmo
entre o saber e o comportar-se dentro desse saber. Ele não foi alguém que conseguiu
ultrapassar aquele limite de discípulo-mestre / mestre-discípulo, em que há um instante
que ele é confrontado em si mesmo pelo que recebeu e agir dentro daquela concepção
recebida, para começar a tornar-se verdadeira. Para começar a ter acesso realmente
àquilo que transcende, então ele ficou no aspecto aparente. E aí então ele se perde, e
Jesus que ele pensou amar, ele passa então a odiar.

Então, esse é o aspecto mais difícil da nossa jornada. Porque não estaremos tratando
com um espírito inconsciente, mas sim, de espíritos que se agregam no Vale Negro
Consciente. É alguém que não será mistério você falar em Oráculo, falar em Jesus. Ele
saberá muito mais do que você. Inclusive com o luxo de te esnobar em conhecimento
intelectual nos conhecimentos que dispõe do Evangelho.

E aonde precisamos estar preparados? É justamente no aspecto que transcende a


percepção intelectual. E aí é a hora daquele amor incondicional, que é aquela condição
pela atitude que envolverá a sua palavra, que mesmo sem ter a extensão daquele
vislumbre das coisas do intelecto, mas tem a força da emanação deste mesmo sistema
do Evangelho. E aí você não estará falando para a mente, porque ele discute com
mentes também intelectuais, ele cai num campo puramente filosófico e mental, ele
trabalha estruturalmente pelo pensamento.

Porque é que a gente recebe alguém e fala durante horas, e pouco se consegue? Mas
leva o paciente para um Trono e ele passa simplesmente o preto-velho:
“Não meu filho, você é um grande médium. Vai tudo melhorar na sua vida.”

E ele sai todo inchado, todo cheio. E o preto-velho não falou uma palavra! Falou apenas
um “Graças a Deus” para ele, só deu uma pequena mensagem pra ele, e ele sai igual um
balãozinho flutuando.

Porque o preto-velho não falou “Graças a Deus” para o cérebro, não falou para a
cabeça, não falou para a mente, mas falou para o coração. Ele tem a força, ele tem a
emanação para atingir o centro da emoção, o centro coronário, o centro do sentimento, o
centro da alma.

127
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E no nosso aspecto principalmente, custe o que custar, nós precisamos desenvolver esse
gabarito, porque espera-se de nós não falar para a mente, mas falar para o coração. E só
um coração fala para outro coração. Salve Deus!

Então é fundamental, principalmente no caso da Centúria, que o último item trate sobre
o Trabalho de Prisioneiros, e oriente os mestres como assumir devidamente a Prisão. A
importância que se traduz neste trabalho. Quando Pai Seta Branca falou esta frase que já
foi lida aqui:
“O vento te soprará eflúvios do ouro e da prata para que eu, filho querido, possa
sentir-me em paz sabendo que a tua mesa está completa. E então, filho, sabendo
completo te enviarei todos aqueles que sofrem pelo frio e pela fome no triste propósito
de te encontrar.”

Quando o Pai falou que ficaria tranquilo sabendo que nossa mesa estaria completa, foi
na sintonia do trabalho de prisioneiros. Essa cultura veio em complemento a todos os
seus anseios. Pela imensa possibilidade que facultava na relação com as Legiões, com
suas redes, de você poder ter um contato mais direto com um tremendo obsessor, que
ficaria impossibilitado num élan de relacionamento entre cobrador e cobrado, mas que
facultaria segurança para esse obsessor, para que ele não extrapolasse os limites de sua
ação, e facultar a você possibilidade de gerar realmente recursos, de maneira mais
intensa, para que os Médicos do Espaço pudessem trabalhar em seu favor, gerar
recursos, gerar energias, gerar possibilidades.

Como por exemplo uma Estrela. Vejam só, nós dizemos no sentido de segurança de
possibilidades. A Estrela Candente por exemplo, o espírito que é trazido até ali, a
maioria não é só uma vez que ele é trazido para um esquife que ele volta para Deus ou
tem condições de ser conduzido para hospitais. Não! Ele vem, ele é trazido pelas
Legiões, então vem a Primeira Consagração, ele vai passar a primeira vez, então ele é
trazido. Então sabemos que, quando nós deitamos ali no esquife, então nosso Cavaleiro,
ou um Cavaleiro designado para aquele trabalho, ele nos projeta, é uma outra base de
projeção, porque ela vem nesse chacra, então ele força a emissão do ectoplasma, a
parcela de ectoplasma contida no plexo, e ela então é projetada no esquife.

Ai quando nos levantamos, eles trazem aquele espírito, coloca sobre aquela condição
ectoplasmática, aquele próprio magnético. Para segura-lo, para começar o efeito,
perfeito? Mais a doutrinação. Quer dizer, então começa-se um trabalho ali com médicos
de cura, ali tem Cavaleiros, tem pretos-velhos, quer dizer, às vezes uma verdadeira
equipe trabalhando um espírito! A coisa transcende essa visão também que temos.

Então, ele recebe o benefício que é possível pela cultura do trabalho, e os Cavaleiros
vem que é a função mais básica deles, os levam de volta. Quer dizer, vem a Segunda
Consagração, se ele está em possibilidade ele pode ser trazido, ou senão na Terceira, e
muitas vezes podem levar semanas um espírito recebendo o tratamento aqui. Porque ele
está extraordinariamente alterado em peso molecular, totalmente deformado, já perdeu
inclusive o princípio do pensamento, olha a loucura! Ele está a milhares de anos, não
haveria possibilidade de tratá-lo, e a Estrela então é a única possibilidade no planeta
para que os Cavaleiros possam trazer, com segurança para os médiuns, porque tem que
pensar na segurança do corpo mediúnico, e tem que pensar na possibilidade de
tratamento dele também, preservando a integridade também dele!

128
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então é todo um tratamento, que dependendo do espírito pode levar meses com ele aqui
no Vale. Até que ele vá adquirindo a condição molecular necessária, voltando a um peso
compatível na sua estrutura, para aí então facultar possibilidade aos médiuns espirituais,
aos espíritos, aos mentores, de conduzi-lo a um hospital. Quer dizer, então a coisa é
muito séria! Então, dentro de todo esse conjunto de valores, de relacionamentos, são
muitas as situações.

E, voltando aos Vales Negros Conscientes, o jogo é outro! Nós temos que perceber que
são espíritos realmente lúcidos, intelectuais, pensadores, astuciosos, uma mágoa
profunda, às vezes até ódio. Porque até aquele Jesus na cruz, que um dia foi razão dele
olhar com ternura, e buscar uma expressão de entendimento, induzi-lo a uma jornada de
caridade, ela passa a ser motivo de ódio e chacota, quer dizer, aquele Jesus na cruz
passa a ser símbolo de fraqueza. Ele próprio começa a entrar na concepção de
pessimismo:
“Que líder é esse que morreu crucificado? Qualquer grupinho de homens chega e joga
na cruz, enfia prego, põe uma coroa de espinhos...”

Quer dizer, aí ele próprio passa a inverter. Você vê a intensidade da mágoa. Ele é
simplesmente alguém que se perdeu, que não soube se localizar para o encontro do
princípio, e vejam o quanto ele carece de amor! O quanto ele carece realmente de
alguém em condições, de transmitir-lhe essa mesma mensagem, mas envolvido por um
magnético emanado pelo amor, pelo respeito e pelo carinho. Aí retornamos ao Pai
quando alerta:
“Era de amor e respeito, do homem que ama o anjo e com a mesma intensidade o
demônio porém, sabendo distinguir as duas forças...”

*******************

Mais do que o anjo, quem necessita do nosso amor, quem necessita de nossa
compreensão... Como também disse Jesus:
“Os sãos não precisam de médico...”

Quem precisa de médico? O enfermo, é o doente. Quer dizer, se há um mínimo de


caridade em nosso coração, se há um mínimo realmente de desejo de servir, se há um
mínimo de intenção de sermos úteis, nós temos que criar a condição íntima, gerar a
condição íntima realmente além da visão intelectual, para que realmente consigamos ter
a força deste Evangelho do qual hoje falamos, mas que amanhã precisaremos emanar
para realmente atingir determinadas espécies de vidas que só serão possíveis através
disso.

Porque uma Mesa Evangélica por exemplo, que é um trabalho de evangelização


coletiva, não é? A Mesa é um trabalho de evangelização coletiva, para a passagem
coletiva de Espíritos. Então, ali vem Espíritos recém trazidos de Pedra Branca aos
milhares, para serem energizados pelos seus mentores e irem para os seus destinos
compatíveis. Ali são tudo quanto é tipo de sofredores, são cobradores de pacientes, etc.

Agora um Vale Negro Consciente, o jogo é outro. Aí estamos falando em alguém que
tem conhecimento técnico, de ciências, conhece manipulação de energias, desenvolve
dentro do Etérico mil concepções científicas, não é?

129
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Já se foi até possível detectar certos aparelhos, num instante do rompimento do Nêutron,
que se associou a mil coisas do espaço, e na grande realidade eram aparelhos
desenvolvidos por eles. Até a luz no Etérico já foi desenvolvida, como dizia a Tia, uma
“luz opaca”, ainda não é uma luz, mas até um tipo de energia que ilumina, que clareia,
embora opaca também já foi desenvolvida. Quer dizer, eles não param em seu Plano.
Salve Deus!

Mas o Trabalho de Prisioneiros é nossa “mesa completa”, é o complemento de toda a


infraestrutura que dispomos. Agora, um Prisioneiro, porque é curioso, porque esse
trabalho, ele transcende a concepção normal, esta movimentação de Bônus, ela favorece
o Plano Espiritual num campo vibracional fantástico, porque cada Bônus é quatro:
Quem dá, quem recebe, quem precisa e a Corrente.

A estrutura de manipulações que se conjugam com o Trabalho é extraordinária, é


extraordinária! E o que favorece na Corrente na ordem decrescente daquele grupo de
Prisioneiros, que faculta também em base física e psíquica para o Plano Espiritual fazer
trabalhos que transcendam as possibilidades simplesmente oferecidas para cobradores,
também vai muito além do que se imagina.

Eu vou lembrar aqui, por exemplo, um Trabalho de Prisioneiros, que quando terminou e
tudo mais, a gente chegando à noite, a Tia num daqueles momentos felizes, realizada
pelo acontecimento, então ela repentinamente, brincando espontaneamente, virou assim
e falou:
“Quantos espíritos você acha que passou?”

Aí eu falei:
“Ah Tia, não sei”.

Aí Ela apontou o dedão assim, brincando, naquele momento espontâneo dela assim,
disse:
“Quantos prisioneiros tinha?”
“Acho que 170, uma coisa assim...”

Ela falou:
“Então calcula!”

Eu falei:
“Tudo bem, um cobrador pra cada prisioneiro, foram 170 Espíritos?”

Ela pegou e falou:


“Mãe Yara neste instante, em Nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, chegou radiante e
acaba de me informar que dois mil espíritos voltaram para Deus... E nenhum deles era
cobrador nosso.”

O Trabalho proporcionou ir tão além, que outras Legiões, que outros espíritos
conjugados em amor pela permissão do Pai foram arrebanhando, trazendo, e foram
beneficiados pela cultura do Trabalho de Prisioneiros. E alguém no momento no
ambiente, falou:
“Puxa, então é cobradores?”

130
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Ela disse:
“Não importa dizer...”

Tinham cento e setenta prisioneiros, falo sob Juramento, em Nome de Nosso Senhor
Jesus Cristo, palavras de Tia Neiva, tinham cento e setenta prisioneiros. Ela confirmou
informação de Mãe Yara naquele instante, que dois mil espíritos haviam voltado para
Deus, proporcionados pela cultura deste trabalho, que não eram inclusive ligados a
cobranças com aquele corpo mediúnico.

Então imaginemos mestres, o que é esse Trabalho. Vou um pouco mais além,
retornando um pouco no tempo, isso de cadeira, porque foi meu o Comando. Já ouviram
falar naquele Comando que houve um despacho na Estrela? Isso foi em 1976.

Foi até curioso, porque eu já levantei cedo, já meio incorporado, agoniado, já fui
botando calça marrom, camisa preta, e fiquei sem rumo, sem destino, não sabia para
onde ia, sexta-feira de manhã.

Ai eu só tinha um rumo: a Casa Grande. Pai Seta Branca, a primeira missão que ele me
entregou, foi a Estrela em dois dias. Então todo primeiro período da Estrela eu
comandava às quartas e sextas, toda semana, quarta e sexta-feira era comigo.

Bom, aí eu desço para a Casa Grande. Vou chegando na Casa Grande, pensei:
“Tia está dormindo uma hora dessas!”

Ela dorme três e meia, quatro horas da manhã, quatro e meia. Chego lá as meninas já
vieram ao meu encontro, e falaram assim:
“A Tia está te esperando lá na Estrela!”

Eu pensei:
“Está acontecendo qualquer coisa lá.

Aí “rapei o pé” para Estrela. Quando eu chego lá, a Tia estava lá no meio, naquela parte
onde fica a Elipse, aquela base embaixo, em volta tem aquela estrutura de concreto e
vem a Elipse, não é? Ela estava ali no meio, aquele jeitinho dela, para lá e para cá. E ali
no chão bonecos, farofas, tesouras, e toda uma série de componentes comuns
normalmente àquilo que temos por ideia de determinados despachos, mas que iam
muito além de determinados componentes em essência. Aí ela virou assim e falou:
“Oh meu filho, ainda bem que você chegou. Tião está aqui pedindo para você não
deixar ninguém hoje ir no sal e nem no perfume, e mantenha muito sua sintonia. Vamos
ver o que Deus nos reserva.”

Aí eu falei:
“Tia, por que não o sal e o perfume?”

Aí ela falou:
“Não meu filho, colocaram veneno, então usar o sal é morte certa! Eu já mandei limpar
e tudo mais, mas há uma impregnação terrível! Então o Tião quer desimpregnar
primeiro. Então não usa hoje não”

131
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Aí tudo bem, eu contei naquele dia exatamente com quatorze pares, e é claro, todo
mundo muito tenso, muito preocupado, mas ela foi na primeira e falou:
“Estou em sintonia!”

Então nós, Primeira, Segunda, Terceira Consagração. À noite, quando nós entramos no
Templo para a Entrega das Energias, ela estava no Radar, Ela no Radar!

Quando entramos, que entrou a tropa, os escaladores, ela mandou parar. No Templo
devia ter uns trinta médiuns aproximadamente. Ela mandou interromper todos os
trabalhos, mandou todos os Aparás se levantarem, que estavam sentados, que estavam
naturalmente no Retiro, mandou que levassem o pensamento ao Povo de Cachoeira e
Sereias de Yemanjá.

Em Nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, naquele instante era feito o primeiro Trabalho
de Contagem deste Amanhecer. Deslocou o Povo de Cachoeira, Sereias de Yemanjá
fazendo suas invocações.

Ao término, agradeceu a presença dos espíritos, e houve uma característica


curiosíssima, num determinado instante das manifestações, eu percebia lágrimas
descendo dos olhos de todos os aparelhos incorporados. Ela chegou ao ponto de um leve
desequilíbrio na emoção, porque quando ela começou a chorar também, ela agradeceu a
presença do Povo de Cachoeira, Sereias de Yemanjá, e entre soluços e lágrimas, e as
entidades permaneceram.

Aí ela insistiu pela razão, passou por cima de si mesma, enxugou as lágrimas e bateu
pela razão, houve a desincorporação de todo mundo. Aí ela pediu aos Aparás que se
sentassem, se acomodassem, aos Doutrinadores que se levantassem, conduziu a emissão
do Mantra Simiromba, três Entregas, e aí, em prantos, ela falou:
“Em Nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, pelos olhos que entreguei a Jesus, neste
instante, trezentos exus voltaram para Deus!”

Passado algum tempo, numa das primeiras aulas dos primeiros Cursos de Centúria, ela
repentinamente vira e fala assim:
“Vocês se lembram daquele despacho, e tal, que fizeram lá na Estrela?”

Aí todo mundo:
“Lembro”

Ela pegou e falou:


“Pois é, a pessoa que pagou a demanda, que contratou a demanda para nos destruir.
Vocês se lembram que trezentos espíritos voltaram para Deus? Pois é, mas não o
chefão, porque ele, muito sagaz e esperto, quando ele chegou com a Legião dele, que
ele olhou a estrutura pré-disposta, ele falou: “Não, não vou entrar nessa não.”
Mas mandou o povo dele e ele ficou de fora. Perdeu todo o seu povo. Naturalmente ele
partiu em busca de quem contratou a demanda para cobrar aquilo que perdeu. Aquele
que contratou a demanda, já não tendo mais saída de tanta atuação e tantos problemas
só teve uma saída: entrar para a Corrente do Vale que ele tentou destruir, e hoje é um
dos nossos Mestres Centuriões...”

132
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Até curiosamente, na hora muita gente falou: Quem É? Quem é? Ela começou a rir e
falou:
“Mas nunca que eu vou dizer...”

Ele só teve uma saída: entrar pra Corrente. Agora vejam que isso aconteceu em 1976! O
Beto (Trino Ajarã) tá sugerindo que foi o Irley (Adjunto Agrano)...

Esses dias, numa das reuniões nossas aqui, numa das reuniões com os Presidentes, a
gente teve que, para deixar um tratado bem evidente, tivemos que nos reportar a Moisés
e à Lei Mosaica, não é? Olho por olho, dente por dente, e cortar a mão de quem roubava
e tudo mais, e o Beto (Trino Ajarã) lembrou do Jorgito (Mestre Devas) com o dedinho...
Salve Deus!

Irley, conheço um bom advogado viu? Então, eu contei esta pequena história, este
pequeno fato real para ilustrar. Observem, 1976, os Sandays ainda não estavam
avinhados em Cultura, que vieram muito tempo depois, mesmo a Junção que
dispúnhamos já nesse tempo era a Evangélica, numa outra formação, e a Linha de Passe
ainda não era Sanday. Passe, era Linha de Passe.

Quer dizer então, observemos o transcorrer do tempo, não havia Turigano, não havia
Sublimação, não havia Randy, não havia Leito Magnético, perfeito? Agora mestres, nos
transportemos no tempo e imaginemos o que é esta Cultura hoje, o que é que está sendo
realizado naquela Estrela!

Passado algum tempo, ainda para ilustrar o potencial que graças a Deus, não podemos
nos esquecer, que graças a Deus dispomos. E o que queira Deus que consigamos fazer
jus a preservar, manter e continuar enquanto Deus nos permitir, pelo tempo desta
missão, porque a Tia chegou a esclarecer que a nossa missão tem um tempo de duração
de trezentos anos na Terra. Esta missão tem trezentos anos aproximadamente, de
responsabilidades para cumprir. Só tem um problema, ela não nos disse quando
começou esta Contagem. Salve Deus!

Passados alguns anos, aí começou a estrutura dos Sandays. Ela veio por ordem, na
época, colocou a elipse no centro da Mesa Evangélica, veio a elipse e veio os véus.
Anteriormente a isso era só a imagem de Jesus naquela estrela de madeira e tudo mais, e
a imagem de Jesus, correto?

Então, o princípio da estrutura de Sandays, ela colocou a elipse. Quer dizer, o portal de
desintegração no centro da Mesa e o véu. O Trono, aí então foi feita aquela remodelação
e passou a Sanday Tronos com o sistema de manifestações em Indumentárias, com a
Indumentária. Aí Cura, Junção, Indução, Passe, certo? Mesa, Elipse, Véu, Trono, Cura,
Junção, Indução, Passe.

Randy, Leito Magnético, Turigano, Estrela Sublimação. Mas aí, também nessa ordem,
veio também Abatás, e o último que foi o Alabá.

Deveria ter vindo mais um, mas aí ela partiu antes de escrever a sua Lei, que seria o
Agamar, que seria o último Trabalho nessa ordem: Abatá, Alabá, Agamar. Mas o
Agamar, ela chegou a distribuir o desenho da formação da estrutura mediúnica, mas aí
não escreveu a Lei.

133
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Na época haviam muitas distonias também, ela tinha mil preocupações, já mil
problemas de saúde. Do primeiro projeto dela, você vê que a gente sobe na Estrela, tem
aqueles esqueletos ali, ao lado do buraco, onde os Adjuntos juraram em 1978. Você vê
que tem um princípio ali, alguns banquinhos, meio dispostos no sentido da Mesa
Evangélica, não tem? Está lá meio desprezado assim num canto entre a Estrela e o lago.

Ali foi a primeira iniciativa de construção da Estrela Sublimação, e depois alterou a


Contagem, e ela teve que fazer aqui, já foram mudanças do Plano Espiritual. Ali era
para ser a Estrela Sublimação no primeiro projeto, no projeto inicial.

Vejam que até eles também, há seus remanejamentos, suas preocupações com a área
física, coisas que eles escolheram:
“Não, será assim...”
“Não, será melhor assim”

Motivos de avaliação, de estudos. Nossos mecanismos de trabalho são trazidos direto do


Plano Espiritual resultados de estudos, de pesquisas também dos próprios espíritos,
adaptados às nossas possibilidades e necessidades na Terra. Quer dizer, tudo é resultado
de trabalho, de conquista, de elaboração, etc. Salve Deus!

Mas aí, depois que veio o Leito Magnético e etc., repentinamente num certo dia nós
fomos surpreendidos numa aula de domingo, ela alertando os Comandantes da Estrela:
“Vocês não tenham ideia de poder...”

Salve Deus!

Olhem a ideia de poder, ideia de poder que a gente tem. Por exemplo, se eu falar parte
evangélica do Sistema Candente, aí fala:
“Ah, aquilo em relação a mim não é nada”

Não é assim? A gente não tem umas ideias assim? Temos uma visualização física,
proporção e tudo mais, e se estabelece uma ideia de grandiosidade, de volume, de
tamanho, de peso e medida, aí ela chega neste domingo e fala assim:
“Senhores Comandantes Janatã, por favor, tenham muito cuidado esta semana...”

Silêncio absoluto.
“Esta semana o Leito Magnético de quarta-feira proporcionou condições às Legiões,
pela força magnética do trabalho de arrebanhar espíritos, que vocês vão passar a
semana todinha na Estrela Candente trabalhando eles, vocês vão passar a semana
todinha tratando deles lá. Tomem muito cuidado...”

Observem mestres, e vejam se também tem muitos anos, foi só alguns anos depois desse
1976, que aqueles fatores vitais ofereceram aquela base ao mundo espiritual claro, de
que trezentos espíritos voltassem para Deus.

Agora vamos pensando no transcorrer dos anos e as culturas que se foram formando,
trazidas, avinhadas, e o quê é que hoje nós estamos proporcionando para que o Plano
Espiritual trabalhe. Não é? Salve Deus!

134
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então, é fundamental que a gente realmente esteja alerta, e essas pequenas historinhas
assim, de pequenos fatos, de narrações de pequenos fatos que são tão simples, e a gente
percebe a força, o quanto ela nos impressiona.

Podem observar, eu fico impressionado, realmente é impressionante, e essa impressão é


muito boa, é muito bom esta impressão natural causada por valores reais. E que no
instante que você está num ritual que você se lembra, você cresce interiormente,
dinamiza o seu campo vibratório, se preocupa um pouco mais com o equilíbrio da sua
mente, com a sua harmonia, se sintoniza com mais convicção, com mais amor, com
mais segurança, e naturalmente você oferece, é mais um que passa a oferecer muito
mais possibilidades, quer dizer, possibilidades acima do seu comum, do trato comum
em favor de que realmente grandezas como estas se operem, já que sabemos que o Céu
só opera na Terra através do homem, e nós somos os homens dos quais o Céu necessita
pra operar em nosso Sistema. Salve Deus!

Amanhã é a sexta e a sétima. A sexta e a sétima. É realmente uma jornada intensa, há


um desgaste muito grande, e a gente percebe que vai conseguindo conduzir, você vê que
em nenhum instante nós caímos o padrão, não é? O padrão que foi começado nós
estamos conservando ele até agora, e isso é magnífico e graças, eu só tenho que
agradecer a Deus Pai Todo Poderoso porque em nenhum instante o nível caiu, sofreu,
não é? Cada dia a gente um pouco mais cansado, vai acumulando o cansaço, o desgaste
físico e psíquico, realmente é uma coisa anormal, não é? É uma coisa típica de fim de
ciclo, de fim de tempo, é uma coisa típica de necessidade, não é?

Como a gente estava comentando hoje, que amanhã ou depois de amanhã, quando vocês
começarem a partir, cada um para um mundo, qual será a próxima vez que poderemos
estar aqui reunidos?

Porque aquele que puder vir, vai vir ele, talvez um ou outro, mas nós, quando estaremos
novamente? Só Deus, não é? Provavelmente 1º de maio do ano que vem, quem sabe só
na Consagração de Adjuntos e Componentes, quando?

Por exemplo, observem bem jaguares, que cada Estado deste País, os espíritos como são
distribuídos em ações. Continentes também são localizados em Estados e cidades de
acordo com um esquema Espiritual.

Chegar num Templo de Uberlândia e esperar chegar em Marabá e ser o mesmo clima, o
mesmo ambiente, a mesma característica, mas nunca! É o mesmo Povo? É o mesmo
Povo. É o mesmo Pai? É o mesmo Pai. Mas nuances, condições, circunstâncias,
características, mas tudo altera, dentro de uma Contagem única. Esperar chegar em
Pirapora e esperar encontrar o clima de Céu Azul, só se for doido.

E o Donato tem não sei quantos Templos, distribuídos dentro de várias regiões, e
mesmos Templos dentro do Mato Grosso não é a mesma coisa, nenhum Templo é igual!

Quer dizer, cada um estará localizado dentro de um desafio totalmente caracterizado.


Onde também num Curso, terá um grupo e uma característica, e uma segunda turma
para um segundo Curso é um outro Curso, um outro lugar, será outra característica,
outro clima, outro aspecto vibracional, outro conjunto de valores, quer dizer, o desafio
não para, sempre é um novo desafio, sempre uma nova lição.

135
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E o aspecto mais importante de tudo isso, é onde o Instrutor tem um privilégio, é que,
cada um dos que estão assistindo têm uma lição diferente, e ele tem o privilégio de
canalizar estas sintonias em torno dele e aprender neles com eles do que é deles,
ensinando a cada um deles aquilo que lhe compete.

E cada vez que alguém chegar para ele em busca de lição, sobretudo tem ele, pela sua
condição, muito mais possibilidade de aproveitamento daquela lição da qual ele é
portador.

Uma das coisas que mais caracteriza o mestre, é em nenhum aspecto menosprezar o
discípulo. Pode acontecer também, e no trato da conquista, não sabe ele e nem imagina
que pode ser ele hoje o mestre, e amanhã em um instante difícil de sua vida, se vir a cair
ou escorregar, pode estar naquele discípulo a mão estendida para o mestre... Aí dizia
Tia:
“Se você está agora subindo e ao seu lado passa alguém descendo, cuidado com o que
você pensa, com o que você fala, porque pode ser que amanhã, quando você estiver
descendo, seja justamente ele que passa ao seu lado subindo...”

Salve Deus! Minha cota acabou.

(Mestre Alceu, Presidente de Templo Externo)


Bálsamo, eu peço permissão ao Trino, para voltarmos à pergunta do Doutor sobre o
aborto.

Eu deparei com uma pergunta e não obtive resposta, não sei se agrada ou não agrada,
mas a resposta que eu preciso é a seguinte: se realiza na Terra, segundo a vontade e sob
as bênçãos de Deus, Deus só age na Terra através do homem, então, o ciclo menstrual
de trinta em trinta dias, vem o óvulo, e esse óvulo está à espera da fecundação. Então é
o primeiro preparo para a gestação, para a fecundação.

Quando se aceita sobre o casal o pedido: queremos um filho, então se inicia nos Planos
Espirituais também a preparação para essa fecundação. Como nós sabemos sobre o
Sono Cultural, a fila daqueles espíritos que estão esperando a oportunidade para verem
cumprida a sua missão nesse plano físico.

Então, como aquele casal pediu, ele quer que venha esse filho, então se inicia através
dos Planos Reencarnatórios, na Legião, aqueles médicos irão preparar, e ali, quando se
aproxima de noventa dias, aqueles médicos vêm à Terra em busca do pai e da mãe que
serão o pai e a mãe daquele espírito que se prepara.

Ficam os três frente a frente e será formado o acordo. Eles ficam na ânsia de vir aqui, a
cumprir a sua missão, ele até se fantasia. E ali será colocado para o pai e a mãe a missão
dele aqui no plano físico.

Então naquele instante, pela vaidade do próprio espírito, vai ser um momento decisivo,
se aceita ou não aceita como filho, devido à missão, às vezes ele pode vir, o que ele
pediu a Deus para cumprir aqui, seria um deficiente físico, um mongoloide, etc. Então,
o pai e a mãe vão recusar, não vão aceitá-lo, e o livre arbítrio, a Espiritualidade vai
respeitar o livre arbítrio do pai e da mãe, e então não se fecunda o óvulo.

136
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então será não um aborto, mas sim a expulsão daquele óvulo que foi retardada a sua
expulsão, que seria o ciclo menstrual. Então é apenas a expulsão daquela matéria que ali
estava no ventre da mãe. Então se retarda mais uma vez a vinda daquele espírito porque
o pai e a mãe não aceitaram ele como filho, porque eles esperavam dali um filho
perfeito, um filho como eles sonhavam.

Então, essa foi a resposta que eu tive, ao procurar a resposta para esta pergunta. Não sei
se agradei, mas foi o que me passaram. Salve Deus!

Concluindo, aí está a razão dessa grande afinidade, desse grande compromisso entre o
pai e a mãe para com o filho, porque o pai e a mãe também irão passar pelo Sono
Cultural, porque eles sabem do compromisso do filho aqui. Então eles se comprometem
até aos dezoito anos conduzir essa criança, é onde a mãe dá a própria vida pelo filho,
pela responsabilidade que ela passa a assumir perante a Espiritualidade em conduzir
aquele filho. Quer dizer, nunca acaba esse compromisso do pai e da mãe com o filho.
Salve Deus!

(Mestre Bálsamo)
Uma das situações que foram se caracterizando aqui que está mais me agradando, é com
essa liberdade de manifestação do Alceu, um Presidente, Instrutor, essa sua liberdade
não será a nível dos Instrutores de Centúria que estão aqui formalmente, mas está se
sentindo tão à vontade que se manifesta, já várias vezes se manifestou e se sente
perfeitamente à vontade, quer dizer, esse é o ambiente perfeito, esse é o ambiente que a
gente precisa. Salve Deus!

Mas, o Beto (Trino Ajarã) sugeriu, com a humildade que lhe é peculiar, porque o Beto é
muito humilde, falou:
“Mas não vai ter nem um tempo para as perguntas?”

E quem é que vai contrariar o Trino aqui? Alguém é besta? Salve Deus!

(Mestre que assistia a aula)


Bálsamo, eu gostaria que você falasse um pouco sobre o Portal de Desintegração,
reportando a Estrela Candente, em que se fala num Portal de Desintegração. Esta
desintegração como é que ela se processa, como é que ela é feita?

(Mestre Bálsamo)
Não tinha uma pergunta mais humilde não? Eu vou responder, a pequena parcela, desse
tamanhozinho que eu tenho eu vou te dar ela. Mas, eu gostei de ver, o Trino Herdeiro
ele começar a dizer algo.

Bom, as poucas vezes que Tia, poucas vezes para mim, pode ser que para outros tenham
sido muitas vezes, mas quando ela se referia a um Portal de Desintegração, ela
curiosamente procurou sempre para efeito de ilustração, lembrar em termos de poder,
em termos de gabarito, em termos de potencial, o Triângulo das Bermudas, que já é um
Portal de Desintegração de ação negativa. Quer dizer, os Vales Negros, esses grandes
cientistas conseguiram estabelecer um determinado ponto do Oceano, realmente uma
coisa terrível.

137
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Para se ter uma ideia, essa Estrela Candente, ela dizia que tudo que sobrevoasse esta
área, inclusive aviões, aves, o que fosse, corria perigo de desintegração, tudo! Porque é
um ponto de contato direto, onde o Nêutron, ele está muito mais permeável. Então
impactos magnéticos, a facilidade para acesso de determinadas forças, para
determinadas manipulações, então o Portal é como um canal direto.

Então no caso, há todo um sistema de proteção especial nesse ciclo de espaço e espaços
que estão direcionados ao centro da Estrela Candente. E tudo, da mesma maneira
também um Templo. Você vê que a gente tem um cuidado muito grande de ensinar aos
Mestres que ao cruzarem o centro do Templo, que ele faça a reverência. Por quê? É um
jogo de equilíbrio entre o plexo e o impacto da Corrente que mantém, preserva a
condição dele no seu equilíbrio, perfeito?

Mas curiosamente você percebe pacientes, meninos, mesmo um Médium passa e não
acontece nada. Mas por quê? Porque ininterruptamente existem Falanges ali cuidando,
protegendo, preservando, ela inclusive lembrava assim, nos seus momentos íntimos:
“Meus filhos, vocês já ouviram falar, pela história, sobre determinados grupos que por
exemplo, alguém que se aventurava a entrar numa Pirâmide, dependendo do seu
propósito não encontrava a saída? E nunca mais saia? Quer dizer, a mesma força que
circulava ali dentro, ela está contida no Templo, é um imenso poder em circulação no
Templo”.

Mas da mesma maneira como existem ali entidades, entidades e mais entidades que se
revezam por exemplo junto à fonte de água. Não existe alguém que vá ali com sua
garrafinha de água, que não existam ali entidades especializadas para o trabalho, para
aquele trabalho específico, porque a água não é fluidificada em si, ela é comum. Agora,
na hora que a pessoa coloca o vasilhame é que ela começa a ser fluidificada pelos
Mentores que ali estão, perfeito? Então ela não sai fluidificada, ela não é fluidificada,
não. Ela é água comum, agora, ela é fluidificada no vasilhame, perfeito. Então existe
ininterruptamente alguém ali de honra e guarda.

Como a Estrela, entrar naqueles dois portões, mesmo indiferente ao Ritual, existe um
Guardião nesse momento lá. Existem Guardiões no Templo, aquela luz da Pira não pode
ser apagada. O Oráculo lá sob o Pai tem uma luzinha que não se apaga, o Oráculo da
Cruz do Caminho não pode ficar escuro, a Presença Divina, o Cerne, o centro não pode
ficar no escuro.

São pontos que estão sempre atuando no Campo Energético de acordo com a
necessidade, e existem sempre Guardiões, tem sempre alguém cuidando e nivelando. E
no caso especificamente de um poder como é aquele ali, o que aumentou incrivelmente
o Poder Desobsessivo na Mesa Evangélica foi justamente aquela Elipse, ali existe um
Portal.

Agora, é claro, aí existem dimensões, existem proporções, existem gabaritos,


proporcionais ao próprio propósito, ao próprio objetivo, não é? Vejam que, mesmo a
despeito de um pequeno Portal, vamos chamar de pequeno para a ideia de uma maior
proporção do Portal que está na Estrela, pequeno, e vamos situar a Estrela como um
grande Portal, isto falando em capacidade, ou da linha de capacidade, eu sou incapaz de
encontrar a linguagem adequada.

138
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então, de acordo com a minha possibilidade de linguagem, vou sintetizar, lá é grande e
aqui é pequeno. Mesmo sendo um pequeno Portal que facilita essa passagem de
espíritos, mas vejam que já falamos no princípio que às vezes ficam espíritos que não
foi possível de serem passados num trabalho de Mesa e ficam dependendo de um outro
trabalho. Por quê?

Porque mesmo a despeito do Portal, já tem um processo de energização através do


ectoplasma, já existe dependência de um outro recurso, quer dizer, proporcional à
emissão ectoplasmática ali naquela área, facilita em muito a passagem. Porque até a
vela por exemplo ali na Mesa, ela tem um efeito técnico.

Nós não cultuamos vela, mas a vela ali no caso, ela tem um efeito técnico. A chama da
vela ali, elas são sete pelo simbolismo relacionado ao Sol Simétrico e seus Sete Raios.
São sete velas pela simples associação de reverência ao Sol Simétrico e seus Sete Raios.
Agora, estão acesas porque a luz da vela auxilia na impermeabilização do Nêutron,
facilitando a passagem dos espíritos. Então, é o efeito técnico.

E é um efeito mais ou menos similar, me perdoem a pobreza da linguagem, mas o


sentido é esse, por exemplo, a Defumação, esta rezina, esta rezina quando entra em
contato com a brasa, o sistema de combustão libera energias contidas naquela rezina,
que ela auxilia também a impermeabilização do Nêutron de maneira muito especial,
facultando às Entidades a elevação das correntes que competem àquele Trabalho.

Então tanto a vela, naquele aspecto, como a vela, pode observar, velas há uma
pontuação delas onde há uma Linha mais Desobsessiva, onde há, existem tratos de
passagens. Porque a gente se ilude muito também com a Linha de Passe.

Linha de Passe não há comunicação formal. Linha de Passe não há passagem de


espíritos. Mas observa bem que na parte da manhã principalmente num Retiro, ou no
primeiro Intercâmbio do Trabalho Oficial, que está na ordem de força do Retiro, então
altera demais, e altera de uma certa forma, que é onde mais se precisa do médium e da
permanência do médium no Templo.

Porque são forças que se alteram, e ela não tem muito critério em horários, não há
respaldo do Sistema Iniciático e nem o respaldo da Corrente, então ela é sustentada pela
estrutura da Mesa como bateria do Templo, mas depois tudo compete na ação dos
Caboclos, onde existem muitos espíritos, quer dizer, muitos pacientes que chegam ali, e
muitos é claro portando Espíritos.

Então já tem várias situações que eles já têm de perceber e começar um trabalho. Quer
dizer, isso é facultado pela condição do Caboclo, com a segurança da estrutura da Mesa
com os Faróis, então ali eles já arrebanham, ali eles já seguram, ali eles já sustentam.
Mas tem que ficar junto com eles num outro Templo, que está similar ao Templo físico,
que é o Templo Etérico. A parte Etérica daquela estrutura, quer dizer, o Templo físico e
o Templo Etérico Espiritual que ali está também, perfeito?

Então, ali eles têm o seu sistema, os seus locais. Então arrebanham, ali sustentam
situações, circunstâncias, até que, a partir da movimentação na parte da tarde, com a
segurança da ação da Corrente para o equilíbrio de toda a estrutura do Templo e o

139
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
conjunto de Emissões Ectoplasmáticas, aí facultam a eles a possibilidade de passar os
espíritos, passar as Correntes, e uma série de acúmulos que não foi possível cedo.

Eles sustentam, mas sem possibilidade de passagem, há a dependência também do


Plasma. Mas aí já existem outros aspectos que os senhores têm de convir comigo, não é
possível dizer, e nem ainda que entender também.

Porque se você começa a pensar no Triângulo das Bermudas, que ela falou sim,
situando exemplo como referência, para você ter uma noção do que se traduz deste, mas
ela não entrou no mérito, perfeito? Por que não entrou no mérito? Porque ainda não é
tempo de dizer, não é? E nem eu vou me aventurar aqui, porque até eu me sinto incapaz
de dar a extensão compreensível desta realidade, está certo?

Mas ela dizia, principalmente, havia todo um cuidado com o médium no ritual, que os
médiuns a partir da Elevação, realmente eles soubessem como se conduzir, porque o
Poder que se movimenta ali, ela dizia que era além demais, é extraordinário demais.
Para se ter uma ideia, por cada passo, quer dizer, a partir do momento que se desce a
rampa para aquela concentração na área Iniciática, antes mesmo da Fila Magnética para
o coroamento, a partir daquele instante ela já dizia que não era permitido mais dialogar,
conversar ou falar. Aquela concentração já é o deslocamento de uma Amacê e uma
preparação no Etérico.

Então, vai para a reverência, depois começa o coroamento, já é uma outra força e uma
outra Amacê. Depois inicia a Jornada, quando se para de frente para a Cachoeira para
fazer a primeira reverência, há uma outra força em projeção. Aí como se sobe, aquele
instante que se espera do Comando, que é o deslocamento do Mestre Sol, há uma outra
condição de força. Quando se desce para a Anodização, na estrutura de colunas de
Delphos, há uma outra estrutura de preparação.

Então, a preparação final é quando se dão as mãos, e ali está concluindo a preparação.
Vejam só a Estrela! Toda esta estrutura ritualística preparatória: chacras e plexos,
energias, sintonia. Para dar condição de deitar realmente no esquife, o Apará estar em
plenas condições de sua concentração, o Doutrinador em plenas condições de, naquele
deitar, que realmente o Caboclo venha em seu complemento de projeção, e faça a
emissão ectoplasmática no plexo daquele ali deitado, que seja de valores proporcional a
quem será trazido.

Vocês vejam só a infraestrutura preparatória, para resultar naquele breve instante


deitado no esquife, levantar-se e:
“Vamos fazer as puxadas...”

Toda a estrutura que foi formada para criar segurança, para criar condição de passagem,
quer dizer, então é gigantesco.

Então, como em todos os aspectos nossos, funciona como poupança, sistema de


investimento. A dimensão dos nossos trabalhos é tão grandiosa, que não é só você
chegar e fazer, mas há toda uma estrutura de emissões, de emissões ectoplasmáticas, de
rituais, para que você chegue ao processo básico.

140
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Observem a abertura do Trabalho Oficial: fila magnética, invocação da Corrente,
preparações individuais, concentração na Parte Evangélica. Salve Deus!

Então, vejam bem: fila magnética, invocação da Corrente, preparações individuais,


concentração na Parte Evangélica. Após a concentração, aqueles três que estão
representando a Corrente se deslocam para o Radar, a abertura terá que ser do Radar,
mas todos os demais em concentração na Parte Evangélica.

Aí, os Comandantes já começam a distribuir os médiuns em formação da Mesa,


perfeito? Depois do Radar há uma harmonização, a leitura do Evangelho, e a leitura do
Evangelho ali não é figurativa, há a necessidade da Força Evangélica.

Ela vem num ponto de horários desde o princípio da U.E.S.B. O Evangelho é o nosso
ponto, é uma referência numa condição de força que só vem por ela. Ela é força
fundamental. Antes de todo o processo, emissões, etc.:
“Vamos todos emitir o Mantra Oficial...”

Emissão ectoplasmática, não é só deferência ao Pai, é a deferência ao Pai, quer dizer, ao


mentor supremo do sistema, é o Orixá dos Orixás, é o nosso Orixá, mas nada é
simplesmente como deferência. Tem de cantar porque é uma homenagem ao Pai? Não!
É Emissão ectoplasmática.

Então observemos, termina aquele sistema ectoplasmático, de emissão ectoplasmática,


aí vem a emissão do Mantra Simiromba em conjunto. A Corrente já está, ela foi
invocada, a Corrente foi invocada, ela vai passar, a base que ela está dispondo no
princípio de invocação é a corrente mediúnica estruturada no Templo.

Aí começa toda uma estrutura ectoplasmática de manutenção. É tudo relacionamento


magnético, e já começa um sistema de “poupança”, quer dizer, um investimento
energético para assegurar parcela daquilo que terá que passar, o que precisará passar.
Não poderá ficar simplesmente na dependência de equilíbrio, de estrutura mediúnica,
ele já dispõe de um pouco mais, para trabalhar com mais e mais possibilidades do que
se possa esperar do que você possa dar.

Olhem só a sabedoria! Porque aquela energia toda emitida, ela não é emitida não, ela é
toda trabalhada! Existem os especialistas, há falanges especializadas no campo de
controle do sistema ectoplasmático, então, vem a emissão do Mantra Simiromba, quer
dizer, todo um conjunto de ordens foi confirmada, afirmada, reafirmada, estruturada, e
assegurada, está na mão.

Aí os três entram com a emissão individual e a Chave de Abertura. Quer dizer, chave e
emissão, outras ordens e linhas. No caso do Trabalho Oficial inclusive com uma
característica, é o único ponto onde não se fala “Louvado seja Nosso Senhor Jesus
Cristo” para se fazer a Chave de Abertura Evangélica. Em todos os trabalhos tem que
usar. Ao usar a Chave Evangélica é preciso que se use: “Louvado seja Nosso Senhor
Jesus Cristo” três vezes. Usa-se a Chave Evangélica mais emissão, e a conclusão com
“Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo”. Por quê?

Porque “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo” é Linha dos Pretos-Velhos. Ela é
uma confirmação de forças e assistência na ordem dos Pretos-Velhos, que precede

141
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
chave e emissão. Aí você se localiza pela chave dentro de uma Ordem de Iniciado,
buscando a permissão, buscando assistência, buscando a condição. Se identifica em seus
prefixos, e aí conclui novamente, reafirmando a força de Origem Nativa que é o
comando daquele trabalho, volta a falar “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo”.

Se está num Retiro, também esse é o procedimento para a abertura do Intercâmbio, mas
no Trabalho Oficial já mudou toda a ordem. A partir de quinze horas, já não se fala
“Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo”, tem que entrar direto na emissão, porque
você não começa pela chave “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo”, não são os
Pretos-Velhos que têm o comando do sistema, ali é outra ordem.

A harmonização, preparação, emissão do Mantra Simiromba, o Hino Oficial do Vale, e


imediatamente entrar na ordem. Naquele instante você não está puxando a ordem, a
linha dos Pretos-Velhos, você está um Orixá, se dirigindo diretamente ao seu Orixá.
Você não se dirige a Pai Seta Branca, você está se dirigindo a Seta Branca, é de Orixá
para Orixás.

Mãe Yara, na Ordem, é sempre mãe, mas o Pai naquele instante não é Pai. É de Orixá
para Orixás. Você é um Comando, você é o governo do Templo, você é um soberano.
Você também passa a ser um Orixá de Orixás. Todos que estiverem no Templo estão
sob sua aura, estão sob seu comando, estão na sua força decrescente.

Então, terminou esse aspecto preparatório, a última condição que você se expressa,
porque é a última linha de forças que vem em confirmação, elas se deslocam em ordem,
mas a última, que vem pela ordem do comando, é a ordem dos Pretos-Velhos.

É claro, muita gente está fazendo, falando “Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo”.
Nossos Adjuntos mesmos, na grande maioria fazem, certo Mário? Agora que estamos
batendo, agora que eu estou tendo oportunidade também de falar, de alertar.

É curioso, que é um aspecto tão pequeno que nem se dá importância, e curiosamente


nunca foi preocupado em falar ou escrever, porque era naturalmente assim conduzido,
mas foi passando o tempo e começou a embolar o meio de campo. Uns falam, outros
não falam, aí repentinamente o outro está falando, e um fala:
“Puxa, será assim mesmo?”

Aí daqui um pouco vê que um outro não falou e fala assim para ele:
“Não, não é assim não, tem que falar...”

E as coisas vão se perdendo no sistema da memória, certo? Salve Deus!

Mas isso é o procedimento real, estamos falando em linhas de forças e ordens. Como é
que abre lá o Comandante da Estrela Candente?
“Meus Mestres, vamos harmonizar e dar o primeiro passo desta Consagração...”

E aí o que vem depois?


“Oh Jesus!...”

142
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Prestem atenção:
“Meus Mestres, vamos harmonizar e dar o primeiro passo desta Consagração...”

Como é que ele fala? Ele entra numa ordem, agora, depois desta ordem de afirmações,
aí ele:
“Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo”

Ele entra em todo um conjunto de ordens primeiro, para depois puxar também esta
ordem.

E aí ela já ganha dimensão de importância, porque você vê. Ela já é reafirmada mais
uma vez, então é isso. Mas também lá não finaliza falando, ela está contida no meio das
forças que são invocadas. Ela não é princípio e nem finalização, ela está contida no
centro. Ela volta a ser invocada para a passagem dos espíritos, que é uma outra ordem, é
uma outra Contagem.

E já na abertura de um Retiro, na abertura da Mesa, na abertura dos Tronos, você


imediatamente entra:
“Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo”

É a ordem, porque ali exige, e você vai abrir um Retiro:


“Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo”

É a ordem, prevalece a condição evangélica e onde a linha predominante é deles!

Mas para a abertura de um Trabalho Oficial, já altera a Contagem também. Na Estrela


você sente a alteração da Contagem, ela não abre e nem finaliza, está contida no meio, e
já na abertura do Trabalho Oficial ela é o fechamento do ciclo da Contagem da abertura.
Salve Deus!

É danado, não é? De todo jeito que a gente pensa que sabe, a gente tem é que procurar
realmente estar sempre querendo saber, e como saber, não é? Porque observamos que
realmente as respostas também não vêm dentro daquilo que queremos, mas dentro
daquilo que podemos, dentro daquilo que é possível, não é? É como dizia Tia inclusive:
“Você vai ver sempre muitas pontinhas de linhas se destacando do novelo ou do
carretel. Não chega e puxa não, fica atento, você já sabe onde está, não é? Pode ter
certeza que na hora certa ela desenrola o necessário, mas não deixe de buscar...”

Porque é claro, nós sabemos que é perigoso demais para o nosso meio também,
estacionar, acomodar, é a própria condição inclusive anti-Crística, já que Jesus é a mais
alta expressão revolucionária da vida. Realmente é a dinâmica da vida, da busca, da
procura e da luta, não há possibilidade de estacionarmos. Salve Deus!

São muitas circunstâncias, por exemplo, pela própria intensidade também do que
estamos tratando, pela profundidade e intensidade do que estamos tratando, mas eu
evitei muita coisinha, pela intensidade do que está sendo tratado. Como eu estou
falando, isso aqui é uma condição anormal, em busca de uma normalidade, não estou
falando de quem está fazendo Centúria, estou falando com quem irá fazer uma Centúria.
E cercado de Veteranos aqui, quer dizer, é um ambiente totalmente extraordinário. Não

143
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
tem nada comum aqui, de trato normal, tem? Tudo aqui é especial, podem observar,
tudo aqui está especial, mas graças a Deus.

Agora, vejam bem, por exemplo, que existem nuances que eu evitei realmente tratar
aqui, como por exemplo no caso de um espírito já no desencarne. Que o desencarne dele
já foi dentro de uma circunstância violenta, de relacionamento de ódio intenso, já
sabemos. Como vocês sabem, vocês receberam, então nem me preocupei em falar na
hora, mas depois eu voltaria a falar por uma questão de ilustração, mas nós sabemos que
não há nem possibilidade de Pedra Branca, nem do trato normal.

E pela intensidade do ódio, já sabemos que ele altera até a sua estrutura molecular. Quer
dizer, a intensidade dele no ódio é tão grande, quer dizer, saindo do corpo, o
deslocamento, o desligamento, ele saiu, até a estrutura dele, quer dizer, até a formação
humana, a estrutura anatômica do espírito, ela se altera.

O ódio é tão grande, e como a estrutura molecular do espírito, quer dizer, ela é física,
mas dentro de uma outra característica molecular desta estrutura molecular física, é uma
outra estrutura, mais permeável, mais sutil, perfeito?

Então ele se concentra, quer dizer, pela forma humana que teve, pela forma espiritual
somos a imagem e semelhança. Então repentinamente se concentrar, ficar como Tia
dizia, do tamanho aproximado da palma de uma mão, como se fosse uma cabeça de
macaco, quer dizer, pernas, braços, tudo, pelo ódio, há toda uma transformação
estrutural.

É tão terrível que ele sai urrando, como sabemos, ele sai urrando, já contraria todo o
princípio que tratamos a princípio, mas o que tratamos aqui foi dentro de princípios de
uma normalidade, aí já estamos falando de um aspecto anormal, não é? É o aspecto
anormal do desencarne.

Então ele sai urrando. E tem um ponto no espaço que ele fica ali, urrando e em torno de
si mesmo, do seu próprio ódio, até que a bênção de Deus o atinja e de acordo com
relação ou relacionamentos, então determinadas Legiões vêm e pegam esse espírito e o
conduzirão a uma condição compatível. Porque aí é muito relativo a eu poder ter a
pretensão aqui de falar: Não, aí acontece isso..., não, isso é muito relativo.

Quando terá a oportunidade da cobrança? Como será? Não! Aí já é cada caso. Para você
ter uma ideia por exemplo, o Canal Vermelho dispõe de vinte e um departamentos. Um
dos departamentos mais enchido - desculpe a expressão - de cuidados do Canal
Vermelho, é um departamento específico para esses Elítrios.

Agora, esses Elítrios que já são conduzidos para um desses vinte e um departamentos do
Canal. Também existe uma característica de Cobrança, não é simplesmente a esmo,
tudo obedece a uma programação, a um conjunto de teses. E onde, de lá, ele projeta sua
vítima, ele é assistido dentro de um nível de possibilidade.

Mesmo não havendo condição, estrutura de trazê-lo para a localização de um corpo já


do reencarne, porque sabemos inclusive que cada pessoa, cada espírito que reencarna,
no mínimo três Elítrios já encarnam junto, já vem junto. Desculpe, encarna não, mas já
acompanha o feto, eles já ficam ali localizados.

144
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Como também no desencarne, aquele espírito, sendo ainda portador de Elítrios, o Elítrio
continua agasalhado em seu sistema. Mudou o organismo, a constituição orgânica, mas
é o mesmo organismo, ele continua dentro. Salve Deus!

Só um detalhe, observem que, é por isso que eu não queria entrar, eu não queria entrar
agora, porque é muito complexo, e da maneira como sempre foi transmitido, e da
maneira como sempre foi transmitido, foi profundamente restrito, sempre foi tratado
muito “raso”, correto? Então, eu queria um outro momento, eu tentei evitar agora, mas
já estamos dentro, não é?

Então vocês agora, principalmente pelo que está sendo transmitido, tem que saber
acompanhar, lembrem-se do limite daquilo que foi dado, lembrem-se do limite do que
está sendo tratado, e você vai desenvolver dentro de um outro limite. Porque tem coisas,
temos que saber discernir entre coisas que há possibilidades de você aprofundar, de
você dar extensão, forma à informação, mas tem uma série de informações que temos
perguntas, mas que é impossível uma resposta definida, você tem uma informação para
aspectos gerais, perfeito.

Como no caso de vidas. Aí falamos, por exemplo aqui, e como é que fica a condição do
bebê de proveta? Ora, são pessoas normalmente que já temos que pensar, o que é a
Elipse para o Templo? O que é a Elipse para o Vale?

A Cruz sempre foi um símbolo do Cristianismo, mas o que se traduziu pela Cruz? A
Cruz se traduz por evolução através do martírio. Então o que é a Elipse? É a evolução
dessa condição, é estar além desta proposta inicial da Cruz. Até ontem, antes de Tia
Neiva, se pensava que era somente possível evoluir pela dor, então, a partir de Tia
Neiva, através do símbolo da Elipse, ficamos sabendo que existem possibilidades
científicas de você amenizar a dor e evoluir também, tendo como respaldo a ciência,
perfeito?

Então, aonde está sintetizada esta mensagem? É a Evolução da ideia puramente do


martírio como redenção. Quer dizer, a ideia de possibilidade única de redenção pela dor,
para a ideia de redenção também que pode ser amenizada por uma ciência de
comportamento.

Então aí voltamos à ciência, mas voltamos à Ciência do Comportamento, quer dizer, ela
simboliza então a evolução do Cristianismo de sua fase do martírio para sua fase
Científica. Quer dizer, a utilização de um conjunto de comportamentos em ciência, em
técnicas, e você ameniza sua dor como lhe é facultado amenizar a dor do seu próximo,
já que é dando que se recebe, e esta atitude é uma ciência. Então, é nesta possibilidade
científica que está contida a Elipse, perfeito?

Então, por que a Ciência da Terra? Por que a Medicina da Terra? Porque Deus facultou
aos homens que se dispuseram a essa condição missionária, a cada vez mais terem
acesso a entenderem o funcionamento do organismo humano, e poder desenvolver em
laboratórios remédios, maneiras de aliviar a dor. É um processo também similar à
bênção de Deus, são espíritos também especializados em auxiliar também à sua maneira
de auxílio.

145
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Porquê da mesma maneira como milhares de vidas que iam encontraram o Templo,
encontraram o Kardecismo, um Terreiro, para o alívio de sua condição em dor, são
milhares e milhares que iriam povoar hospitais, e que Deus permitiu a bênção também
de um desenvolvimento pela ciência, que ela pudesse também amenizar a dor, a partir
do momento que cem por cento, cem por cento meus mestres, dos que estão nos
hospitais são problemas originados do espírito.

Então, se não é possível facilitar na Linha Desobsessiva, pela própria ignorância com a
qual nos localizamos, então Deus, através dos médicos facultou o desenvolvimento pela
Ciência para amenizar também a dor. Mais uma vez é Jesus intercedendo através do
homem em favor do homem.

Por isso é que eu não queria entrar, mas é esse o assunto, e esta a realidade. Tia Neiva
dizia que uma simples dor no dedão, isto está escrito numa das três únicas Cartas que
foram escritas em 1976, que é uma das Cartas que eu espero a hora de poder mostrar.

Porque por ser tão simples, tão importante, só vou distribuir quando tiver um limite,
porque prefiro pagar o preço da omissão, no momento que vivemos, do que da má
divulgação. Prefiro responder depois desta vida física por não ter feito sabendo porque
não fiz, do que fazer pela simples pretensão de demonstrar que estou fazendo.

Mas como muitas outras coisas guardadas da simplicidade daquela mulher missionária,
ela afirma taxativamente que uma simples dor no reflexo, não pode ser desprezado o
fator obsessivo, o fator espiritual. Porque o que nos trouxe para a Terra tem origem no
espírito. Salve Deus!

Quando falei, quando falamos, porque eu não falo, eu não tenho, mas tudo que
transmito é com base também naquilo que os senhores buscam também buscando,
contido nas páginas da Clarividente Neiva, toda e qualquer coisa que aqui transmito é
com base nela, extraído dela, tirado dela.

Então, daí todo esse cuidado, às vezes eu me limito, às vezes eu me prendo, às vezes
administro, pela própria consciência também da minha incapacidade muitas vezes de me
localizar, perfeito? É importante demais.

E por exemplo, ela mesma nunca afirmou numa aula o que eu acabo de afirmar, sendo
que ela é o sinônimo de tudo. Observem bem que as Amacês poderiam perfeitamente já
estar se localizando neste plano, e balançar a estrutura psicológica dos homens, e
mostrar a eles. Mas por que não? Por amor elas não se apresentam, por amor elas não se
manifestam, para não ferir a própria estrutura psicológica natural dos homens do
planeta. Vejam o que é o amor! Não é?

Então uma série de afirmações, você vê que Ministros, quantos deles se dispõem para ir
atender ou para se misturarem com Exus, para começar a doutriná-los. Quer dizer,
quantas vezes os senhores souberam de notícias de médiuns que nos procuraram nos
Templos, ou em nosso Templo, e:
“Escuta, eu fui no terreiro Fulano de Tal, passou uma Preta Velha lá e falou assim:
Meu filho, procura o Vale...”

146
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E ele trabalhando lá, cruzado com Exus. Por quê? Por amor! Porque sabia que um dos
filhos vivia lá, ou pela bênção de Deus iria encontrar esses recursos, e ele vai lá e vela a
sua luz, se envolve, se infiltra por amor, para dar uma indicação do caminho, e depois
vem junto, porque aqui também é o seu lugar.

Quer dizer, o Ministro Ypuena por exemplo, nos terreiros da Bahia, evoluiu muitos
Exus e eles nem tinham noção que se tratava de um grande ministro espiritual. E muitas
vezes ele imitava os próprios, se fazendo de um, para conquistar seu coração. Isso é
amor! Quer dizer, então, isso é que é amor, quer dizer, é ter a luz e ocultar a luz, velar a
própria luz, numa luta gigantesca para ocultar sua grandiosidade, para tornar-se
pequeno, não constranger os demais, conviver com eles, conquistar seus corações e
voltar junto a eles aonde é possível voltar. Quer dizer, isso é Doutrina do Amanhecer,
não é?

Vocês são muito enxeridos, não é? Quer dizer, o ambiente está bonito e as perguntas, e
vai acabando levando a gente a falar mais, não é? Salve Deus!

Se eu continuar falando aqui, eu vou começar a falar pelas tripas. Então, há um limite
também energético, realmente as observações que o mestre Ataliba fez, realmente é um
assunto sério, é compatível da gente tratar. Nós temos mais um dia amanhã, mas é pelo
próprio limite de energias, está certo?

Você vê por exemplo num Milenar, a preocupação nossa de esclarecer ali não é porque
passa tanto espírito, ali é um espírito, dois ou três, porque tecnicamente nós nunca
podemos deixar de preservar nossos Aparás. Porque há um limite do conjunto
ectoplasmático, um limite da cultura psíquica, da formação da energia psíquica, a
energia orgânica, quer dizer, então há um desgaste energético.

Você observa que você trabalha em volta de uma Mesa, você fica numa condição, e
você percebe que sofreu alteração. Se você pegar ali uma Indução tudo bem, você abre
duas seguidas, você sente. Uma terceira, então proporcional, você vai sentir todo um
desgaste no campo energético, não é?

Então, esse nosso ambiente aqui realmente está nos trazendo muito, então eu realmente
cheguei ao meu limite. Então continuar falando aqui, daqui um pouco eu vou falar
besteira, e aí eu não quero isso de jeito nenhum, não é? Porque há uma relação, está
certo?

Observem bem que a minha última exteriorização aqui, por mais que ela tenha sido
inteligente e verdadeira, e ela tenha sido de profundidade, mas eu alterei várias vezes a
maneira como eu tenho transmitido. Eu revelei fatalmente uma alteração psíquica na
maneira como transmiti, podem observar que meu ritmo ao falar não foi o mesmo das
Aulas anteriores, o meu padrão não foi o do começo, quer dizer, não caiu a faculdade.
Graças a Deus, não caiu a verdade, não caiu a autenticidade, foi profundo, mas eu não
fui o mesmo, eu já estou alterado, e fiquei agressivo.

Se eu estivesse realmente equilibrado em minha tônica energética, tem três tratados aqui
que eu não teria tratado. Observa que a minha resposta por exemplo em alguns aspectos,
são resposta direta aos médiuns, não foi para vocês, perfeito? Então isso não é certo. Eu

147
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
sei conhecer meus limites. Se eu não conhecesse meus limites na proporção que
conheço, não teria me sido dado aquele pouco que eu sei.

Podem me chamar de bobo, mas pelo pouco que foi dado, os senhores podem perceber
que o lastro da bagagem aqui tem um pouco de respaldo, não tem mestres? Deixa eu
perder um pouco a humildade, está certo? Me dá dois minutos para eu perder a
humildade, já que eu entrei um pouco em desequilíbrio, certo?

Mas podem observar que isso aqui não é resultado.... Não se compra na feira o que foi
falado aqui. Há um lastro de dezenove anos. É muito pouco tempo, mas é um lastro de
convivência, então está extraído lá, lá na luz, então eu conheço meus limites.

Se os senhores observarem o que está sendo transmitido aqui, isso não é resultado de
aprendizado aqui e agora, mas isso, são a muito tempo, são a muitos anos esses valores
estão contidos, esperando o tempo certo. E podem ter certeza que existem muitos outros
valores, e que normalmente, possivelmente, jamais serão transmitidos, como
possivelmente muitas coisas jamais serão reveladas.

Quando tratamos de Cabala meus irmãos e meus mestres, não são para homens que
queiram saber, a Magia De Jesus não é magia exposta, não é magia que se ensina, são
raríssimos aqueles que conseguem conquistá-la.

Lembro aos senhores Zoroastro, um dos mais importantes missionários que estiveram
neste planeta, e sua maior frustração foi morrer sem conhecê-la, mas não foi somente
ele. A esses notórios missionários que estiveram na Terra, nem foi dado saber sobre a
existência do Sol Simétrico. Não foi dado a eles saberem o que seria o charme, e nem
este nome conheceram, e o nosso Sistema é Cabalístico, é o Sistema da Cabala. O
Homem ele tem aqui somente aquilo que é proporcional realmente à sua necessidade
associada ao merecimento, e é impossível estabelecer limite naquilo que foi transmitido,
porque desde que foi transmitido é dentro de um limite, dentro de um limite possível
dentro do sistema inspirativo daquilo que está sendo oferecido pelo ambiente formado.

Mas se bem soubéssemos, aqueles que aqui pensam que sabem, muito mais do que se
sonha existe de possibilidade de ser conhecido. Quando falei aos senhores para saberem
discernir entre aquilo que vai ser possível ser dado, é porque eu sei, eu sei o que é
caminhar com limites, caminhar servindo líderes, caminhar servindo homens, e servi-los
em silêncio sabendo não ser minha hora. Eu sei o que é amargar o silêncio.

E o mais doloroso do conhecimento, é você quando conhece não ter compreensão


daquilo que sabe, porque você tem um conflito proporcional ao saber, um conflito
proporcional à intensidade do saber, e sobretudo alimentado pela própria
incompreensão, e quando isso acontece o sofrimento é muito grande.

Então, uma coisa que nunca podemos descuidar realmente é o coração, é dar
simplicidade no íntimo. Enquanto dentro de uma tônica, dentro da minha condição, eu
jamais teria proporcionado o que proporcionei aqui, como também não teria permitido
que certas perguntas fossem feitas aqui. Salve Deus!

148
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Curso para Instrutores de Centúria (1994)
Adjunto Jaruã – Mestre Bálsamo
Sexta Aula

Salve Deus!
A gente precisa, esta Sexta e Sétima Aulas, a gente vai ter que, por exemplo, onde o
assunto central dela, o assunto central da Sexta Aula é a Subdivisão do Sistema
Coronário. E a Sétima Aula, o assunto central é o Oráculo de Ariano, o Sol Simétrico.

Portanto, são dois assuntos fundamentais, extremamente importantes, mas também a


gente nunca encontra uma base assim ainda, na percepção mental, para desenvolvê-los
com muita amplidão.

E na própria Centúria, na grande realidade, a preocupação que parece que tinha Pai
João, ou tinha por propósito, era mesmo só dar a ideia, porque há muitas informações
que a gente recebe na Doutrina, que podem observar que você sabe, você recebe o
nome, você recebe uma denominação, mas você nunca recebe uma explicação. Por quê?
Porque eles estão mais interessados em favorecer a um conjunto de sintonias.

Por exemplo, até hoje nunca foi explicado o que é Consagração, Sublimação,
Anunciação, Cruzada, perfeito? E já desde 1975, quer dizer, com a primeira
movimentação no mestrado que foi falado, mas nunca foi explicado. Por quê? Porque o
Plano Espiritual não tinha interesse de explicar isso, não há porque explicar,
principalmente porque é uma das coisas que estão contidas nestas revelações do
processo da conquista pessoal. Então, por quê falar? Falar porque é fundamental no
campo de sintonização, quer dizer, também é base física, é por sintonias para a
afirmação destas forças.

Na Estrela por exemplo, quando se fala em Amacês, quer dizer, só fala em Amacês, o
que mais que a gente tem de informação? Sabe que é nave. Não se sabe de mais nada.
Mas não importa saber, e nem é dado saber, salvo lá longe, sabe Deus saber. Por quê?
Porque era fundamental que aqueles que fossem para a Estrela depois da Centúria, que
eles soubessem que tem uma estrutura de naves ali assistindo. Quer dizer, então a
sintonia favorece a ação, favorece a presença deles, favorece das sintonias uma ação
Espiritual, então é pela ideia.

Essa ideia é fundamental, porque ela auxilia tecnicamente o contato, perfeito? Mas não
é fundamental que se entenda realmente, nem deve ir além do que é essa base da ideia,
esse princípio de ideia.

Nêutron por exemplo, que é outro item, o que se falar sobre o nêutron além daquilo que
ela falou? Bom ela só dizia o seguinte:
“O que é o nêutron? Nêutron é a energia que divide os Planos Vibracionais.”

Quer dizer, nós estamos aqui encarnados e não vemos nada. Quer dizer, o Etérico está
aqui, está também o Espiritual. Quer dizer, são dimensões, mas você não percebe, você
não vê, porque o nêutron está entre esse plano e o outro plano.

149
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E o que mais? Nada! Curioso! Por quê não falar mais? Não é dado saber, para quê
saber? Porque também tem esse aspecto, eu até coloco uma pequena passagem no
prefácio da Autobiografia, uma sequência de acontecimentos, e esse acontecimento
inclusive foi comigo:
“Tia Neiva, porquê...”

E ela:
“Pra quê?”

Certo?
“Tia Neiva, porquê...”

E ela:
“Pra quê?”

E agora? Para quê? Nós temos que assimilar esses aspectos também. Isso também é
muito conjugado, por exemplo, principalmente na Terra, a gente tem muito o hábito, a
gente formaliza mil sonhos, mil concepções:
“Ah, eu gostaria disso, eu queria isso, eu acho que eu deveria inclusive, porque se Deus
quiser, Deus vai me ajudar que eu consiga isso...”

Você tem sempre um conjunto de valores que você desenvolve, de valores que você
quer, e nossos mentores não estão interessados em nenhum aspecto que a gente caminhe
em direção àquilo que a gente quer. Fundamentalmente interessa àqueles que nos
regem, que a gente caminhe de encontro àquilo que nos pertence, àquilo que é nosso,
não é?

Essa chave inclusive, é curioso, foi um daqueles muitos instantes da intimidade assim,
ela virava para alguém e falava:
“Oh filho, eu vou pedir a Jesus que ele te ajude a encontrar o que é seu”

Quer dizer, aquilo ficou martelando. Quer dizer, veja que curioso:
“Oh filho, eu vou pedir a Jesus para que você consiga ir de encontro ao que é seu”

Quer dizer, então a gente quando está dentro de uma jornada deste nível Evangélico,
Iniciático, quer dizer, então isso é uma marcha em direção não a sonhos, não a ilusões,
não a deformações mentais, não a pretensões de uma simples visão psíquica, de
carências psíquicas, mas esta é uma marcha em direção à realidade. À realidade do
espírito encarnado que somos, em luta para conquistar condições de, quando partir desse
plano físico, estar em condições de retornar à sua Origem Espiritual, porque aí é a
realidade das realidades, a suprema realidade é a Origem. Quer dizer, o que hoje a gente
fala como um sonho, na grande realidade é o retorno ao sentido original do espírito que
somos, não é? Salve Deus!

É importante se saber que nas Invocações, quando nós invocamos e ultrapassamos esse
nêutron, a força também desta Invocação, tanto quanto a força da Emissão, e tanto
quanto a força da Elevação ou Entrega, o efeito, quer dizer, a base indutora, o que dá
condição de força.... Porque é curioso, o que chamamos de força? Qual a diferença entre
força e energia? Falamos energia e falamos força, não é? O que é que difere energia de

150
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
força? Sinteticamente o Plano Espiritual chama de força a energia em movimento,
certo? É a energia em ação.

Agora, curiosamente, a importância de Koatay 108 está contida justamente nisso:


Invocação, Emissão, o gabarito que temos de ultrapassar o Nêutron, que vem pelas
Consagrações, vem pelas Iniciações. A força, o gabarito da Elevação ou Entrega. Esta
força que nós dispomos está contida na força dos Mantras de Koatay 108. Aquela
sequência de Mantras conquistados por ela, uma parcela é que envolve esta
possibilidade de força.

Para se ter uma ideia por exemplo, a Entrega são quatorze palavras:
“Oh Obatalá, Oh Obatalá, entrego neste instante mais esta ovelha para o Teu redil.”

O fenômeno de cada Entrega dura aproximadamente um minuto. Quer dizer, nós


fazemos a doutrinação do espírito, fazemos a Entrega, e passamos para o outro Apará, e
o fenômeno ainda está em vigência, dura aproximadamente um minuto.

Quer dizer, quando o mestre, o médium, ele faz a chave, um lençol de forças se desloca
e o fenômeno dura aproximadamente um minuto. E nesse minuto, dependendo de quem
fez a Entrega, não só o espírito que ele doutrinava, ali em espírito e em verdade, é
beneficiado pela possibilidade aos mentores que ali estão no deslocamento do Plano que
está para um outro, bem como outros espíritos podem ser trazidos e passados pela
condição ectoplasmática por ele emitidas. E pode chegar a passar até sete espíritos
dentro da estrutura de sua Entrega ou Elevação. Tudo depende do mestre.
“Oh Obatalá, Oh Obatalá”

Quer dizer, nesse instante o fenômeno se opera no campo de força em Koatay 108,
vejam só, é conquista dela. Aí um lençol de força se desloca. Ele rompe também,
porque aquilo abre o nêutron. É uma força de desintegração e de reintegração. Então o
lençol de força se desloca imediatamente e opera-se o fenômeno. Um minuto
aproximadamente dura o fenômeno.

É até estranho que isso nunca tenha sido falado. É interessante, é tanta coisa que ficou
assim restritas as informações, é muita coisa. Está na hora inclusive, eu espero esse ano
que vem, no máximo, a gente começar a falar por exemplo, a Linha do
Desenvolvimento do Apará e do Doutrinador no próprio Desenvolvimento. Existem
linhas de ação espiritual que realmente não competem ao Apará, principalmente a linha
do desenvolvimento intelectual, atrapalha muito ele.

Então, se ele já tem a tendência nativa ou de Origem que ele tenha a linha intelectual,
ela vem, mas num outro tempo. Porque a princípio ele precisa ser preservado, porque o
que ele tá precisando não é interpretação da visão em si, opera-se um fenômeno
diferenciado do Doutrinador. Enquanto o Doutrinador tem que estar alerta e aprender,
colher todas as informações possíveis, já o Apará já é um sentido mais inverso, já está
mais centralizado na interiorização do fenômeno, a vivência interiorizada do fenômeno,
da manifestação, da assimilação desta simbiose, desta relação, ele íntimo, suas
sensações e as sensações de quem projeta, de quem chega, de quem se aproxima. E esta
variação de sensações entre quem é de luz, e a sensação de quem não é iluminado.

151
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então é fundamental no Apará é a descontração, é o relaxamento, é a volta para dentro,
é estar atento às suas reações. E, portanto, a este conjunto de influências que chega
através do preto-velho, que ele vai perceber de acordo com o que ele for realmente
sendo conduzido a assimilar, ele vai percebendo que há uma característica diferenciada
da outra característica vibracional do caboclo e da outra característica vibracional do
médico, e, portanto, as três totalmente diferenciadas da característica do sofredor, e,
portanto, de sofredor para sofredor, intensidades variáveis. E nunca foram tratados esses
aspectos. E observem que são aspectos primários, não é? Acabamos de falar aqui em
assuntos primários dentro desta estrutura que vivemos, e que nunca foram tratados. Mas
é bom, é bom porque a gente vai se mantendo alerta, acordado para o quê é que a gente
realmente sabe.

se a gente retornar ao desenvolvimento hoje, na condição de jaguares que somos, já


dentro de uma linha de amadurecimento de uma cultura, se a gente hoje retornar ao
Desenvolvimento, ou cada se propor a uma reciclagem, chegar lá e ficar quietinho num
cantinho ali, para observar, sentir o ambiente, ele vai perceber uma dimensão muito
maior. E por mais que ele pense que está percebendo, ele está percebendo exatamente
proporcional à sua capacidade de perceber, então, portanto, existe muito mais para ser
percebido.

Por exemplo, no Desenvolvimento é muito raro um Apará ser desenvolvido já com o


seu mentor. As entidades que vão chegando ali, vão auxiliando no Desenvolvimento,
são espíritos que estão tendo a oportunidade, que estão nas Escolas, que já estão recém
libertos do carma, alguns até ainda tem um restinho de carma, e está tendo a feliz
oportunidade de “faturar” também, de fazer a sua parte, de partir em busca de um
amigo, de um irmão, de um pai, de uma mãe, de um restinho que ele deixou na Terra.
Então ele também está em Desenvolvimento. Depois que ele prepara o médium, aí sim,
no ato da Iniciação, aí sim, é o mentor realmente do aparelho. Mas é muito raro ser o
próprio mentor que acompanha. Muitas vezes o sistema é semelhante, são médiuns
novos e são espíritos novos, ou seja, dentro da própria linhagem deste Amanhecer.

Podem ser entidades recém filiadas ao Sistema, podem ser grupos de kardecistas que já
se evoluíram, ou podem ser umbandistas, podem ser católicos, podem ser protestantes
que estiveram na Terra e já se libertaram e tudo mais, ouviram falar, e falaram:
Puxa, lá tem tanta oportunidade, é o mundo de Seta Branca, é o governo de Seta
Branca,”

E ele chega e:
“Como é que é?”

E tem a oportunidade, ele vai, ele é ingressado nas escolas de Mayanty, começa a fazer
as suas preparações, a receber as suas aulas, se preparar, e aí tem a honra de um dia
falarem:
“Hoje se você quiser ir, há um Trabalho com – 0 – em Cristo Jesus...”

E se ele quer realmente, ele:


“Não, por favor, eu quero esta oportunidade!”

Então ele é trazido, e ele está num processo de aprendizado tanto quanto o médium.
Então muitas vezes está o médium ali todo inseguro:

152
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
“Meu Deus, eu vou incorporar, será que bicho é esse?”

E está todo inseguro, e aquele espírito, muitas vezes também com a mesma preocupação
daquele aparelho:
“Meu Deus, como é que eu faço?... “

E aí vêm aquelas entidades veteranas deste Amanhecer, caboclos ou pretos-velhos,


quem está designado também em sua área espiritual, orientando, esclarecendo:
“Olha, é assim que você procede... “

Quer dizer, há todo um trabalho também de preparação. Não é? E existe muito mais!

Até a condição energética, a energização do ambiente do Desenvolvimento, ele é


totalmente alterado. Podem observar quando você vai no domingo, procura relaxar
mesmo, se mediunizar, forme uma mediunização, se desarme realmente, e fica bem
“pequenininho” assim, entra no Desenvolvimento, fica num cantinho ali, e tenta sentir o
clima.

Você vai perceber que o sistema energético do processo de Desenvolvimento é


totalmente diferenciado de todos os outros trabalhos que você realiza, de qualquer
Retiro, de qualquer Trabalho Oficial. O que caracteriza o Desenvolvimento é totalmente
original. Alteração de forças, concepção de linhas, os espíritos que ali estão, as linhas de
comando, tudo se altera, é um outro plano muito mais sutil. Não é? É extraordinário o
nosso sistema.

Mas, é tão extraordinário, que já começa quando o médium chega ali e fala:
“Eu quero dar meu nome para desenvolver, as entidades disseram que é para mim
desenvolver.”

Imediatamente, quando ele dá o nome e a idade, já há um registro automático. Naquela


noite, quando ele vai deitar, o espírito já é pego e é levado. Já é levado para começar a
receber no espaço o Desenvolvimento na linhagem desta linguagem, porque senão ele
não vai ter estrutura para receber aqui embaixo. A preparação começa no espaço. Ele
começa a ser preparado lá para receber o que receberá aqui. Porque senão, ele não terá
condição de assimilação.

Esta linguagem é muito nova, principalmente para almas de espíritos que encarnaram
poucas vezes, que não tem linhagem, que não fizeram dentro de suas culturas
reencarnatórias condições mínimas, então é muito mais difícil, ele não tem bagagem
para aquilo. Ele se distanciou muito, demais!

Um espírito por exemplo, esses nossos irmãos jaguares que a gente puxa no trabalho de
Sessão Branca por exemplo, é um tremendo trabalho para eles terem uma assimilação,
quer dizer, eles estão tendo fora da matéria uma preparação junto com a gente quando
vêm trazendo as energias das matas, e energias inclusive de herança transcendente, e
levando a impregnação do nosso sistema doutrinário. Que é fundamental o sistema
nosso, onde é muito enriquecido pela Força Evangélica, pela força realmente
Doutrinária, que eles são extremamente carentes dessa condição.

153
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
São espíritos extraordinariamente endurecidos, e por isso é que vieram como indígenas.
Eles são tão endurecidos, descambaram tanto, se envolveram tanto no primitivismo, que
nem poder reencarnar numa grande São Paulo, num Rio, numa Brasília, quer dizer, em
grandes centros, nem isso foi dado a ele a possibilidade. Só existia uma possibilidade de
ele reencarnar, era como índio, na triste e difícil encarnação como indígena.

Ele está primitivo agora, ele está exatamente como ele se conduziu na Terra, sempre de
maneira primitiva. Então, quer dizer, alcançar um espírito desses ainda encarnado com
uma mensagem como essa, é totalmente impossível. Mas eles particularmente, como
são irmãos, são jaguares, são espíritos de convivência transcendente, então há uma
bagagem. Bagagem a ponto de facultar inclusive uma Sessão Branca. Então, não
trazemos outras tribos, não, não trazemos, mas essa tribo está vindo. Por quê? Porque já
há um mínimo de possibilidade também na relação de transcendência.

E eles, como Deus Pai Todo Poderoso, quer dizer, o Sistema Divino nunca dá “murro
em ponta de faca”, era preciso que reencarnassem, reencarnaram. E estão encarnados
numa região onde há imensa concentração de herança, e eles também contribuíram para
as edificações.

Então, quando a gente mentaliza para virem aqui, as energias das matas, a energia das
águas, quer dizer, é energia vital extra-etérica dessas energias que vêm pelo Prana e se
agasalham nas Matas. Então lá há uma concentração muito grande de mata nativa. O rio
particularmente, que é o Xingu, é um rio que, em sua maior extensão ele é impossível
de ser navegado, é pedra demais, é um rio muito acidental, mas é muita pedra, ele tem
muito gabarito de receptividade energética... Porquê que o Templo é de Pedra? Muita
água no Vale? Porque tudo isso auxilia a atração magnética.

Então em seu campo, na região onde vivem, não só é um campo muito rico de forças
concentradas das matas, na manipulação de águas, cachoeiras, mas fundamentalmente
energias de heranças de períodos inclusive encantatórios que ali tivemos, que ainda não
foi descoberto, mas que Tia garantiu que antes do final da década de 90 seria. Já
estivemos ali, temos heranças lá, e hoje estão sendo transferidas e esses indígenas
inconscientemente estão sendo um meio direto, os transportadores desta concepção de
herança.

Ela aqui chegando, então ela é manipulada, mas também na inconsciência dos nossos
mestres, e aí ela retorna aos grandes reservatórios universais já manipuladas, e no
instante preciso então são trazidas, de acordo com a vontade de Deus para hospitais,
presídios, escolas e etc., etc., etc. Ou nos instantes que abrirmos um Trabalho Oficial
aqui, ou um dia lá o Seu Alceu (Presidente de Templo externo) tá lá e repentinamente
uma corrente negativa desequilibra seus médiuns, e ele acaba sendo envolvido, e tá
cheio de pacientes, e repentinamente o trabalho vai funcionar bem a despeito dele ou de
outros. Da aonde? O investimento do reservatório universal, e depois ele quando estiver
bem harmonizado com seu povo ele vai pagar! Mas há uma possibilidade de
investimento. Salve Deus!

Meus mestres, observem, eu estou achando extraordinário, eu estou achando magnífico,


entendeu André? Eu estou achando magnífico, eu nunca pensei que ia começar a tratar
dessas coisinhas bobas nossas aqui. Eu falo bobas porque são coisas que estão contidas
aí, e não se trata, não se fala, e é claro, cada vez mais é difícil falar, porque

154
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
principalmente a gente percebe, infelizmente, que muitos daqueles que tiveram laços de
convivência, eles começaram a inverter a posição:
“Não, eu não tenho mais nada que saber, nós já aprendemos tudo com Tia.”

Existe uma tendência muito grande aqui, quem tem um mínimo de convivência aqui
deve perceber, e lá nos Templos já têm manias, não é Alceu?

Você já deve ter um monte de sabidos lá, não tem um num Templo seu que não tenha
convivido com um monte de “esperto”:
“Ah, eu não preciso saber de mais nada, eu já tenho tudo, eu já sei tudo.”

Não é assim? Há uma tendência natural da vaidade, do orgulho de espartano:


“Não, eu não preciso saber nada, já sei tudo.”

Sabe uma ova! Eu que não sei nada, e olha lá que eu posso trazer um monte de surpresa.
E sabendo que, puxa vida, do que eu disse aqui, olha, essa madrugada eu perdi o sono
também, até seis e pouco da manhã eu fiquei lá igual uma vaca velha.

E eu pensando assim:
“Meu Deus, meu Deus, eu não estou me sentindo mal, quer dizer, minha consciência
está bem, mas, meu Deus, como é que é, eu fui deixado para encontrar até uma
resposta da minha consciência me condenando? Ou como é que é?”

Quer dizer, eu estou preocupado até agora com muita coisa que foi falada, em Cristo
Jesus, na convicção de ser verdadeiro, mas sempre me questionando:
“Meu Deus, era para ter falado?”

Bom, eu não preciso dizer que já saí daqui meio esfolado, não é? Teve três momentos
aqui da reunião, depois eu fiquei me condenando mesmo! Não porque seja falso, em
nome de Jesus, não, isso não. Graças a Deus eu acho que tem um limite assim que, meu
medo já é grande o suficiente para cometer essa tolice de falar uma inverdade, perfeito?
Em Cristo Jesus. Isso não. Mas, se era tempo de dizer.

Então, o meu consolo volta a ser o Araújo aqui, numa reunião de Presidentes, quando
repentinamente esses cabras aqui formaram um ambiente tão bacana, que quando eu me
surpreendi assim, a gente soltando umas coisas assim, falei:
“Nossa Senhora, isso não é para o trato comum!”

Depois eu mesmo falando, falei:


“Não, mas o ambiente foi tão natural que realmente sentindo segurança de ter falado, é
porque há respaldo espiritual, porque senão eu teria sido cortado!”

Não é? Aí o próprio Araújo depois nos garantiu, quer dizer, me devolveu a garantia, não
é? Salve Deus!

É esse mesmo aspecto, é que me deixou mais ou menos tranquilo, mas mesmo assim
sabendo que realmente eu excedi, não é? Em alguns aspectos eu fui além dos limites, o
que eu espero que não aconteça hoje. Salve Deus!

Transgressão às Leis Naturais conscientemente, não é? Salve Deus!

155
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Mas inclusive, mais algumas coisas que foram ditas aqui, sabemos que também nem é
bom entrar nesses assuntos agora não. Deixa isso para lá, deixa por um bom tempo
muito médium por aí “raspar a poupança no chão” também. Deixa se esfolar um pouco
também em dúvidas, em conflitos, porque é fundamental também para ele se
amadurecer, para ele se estruturar, para ele ter gabarito de aprender, não é?

Muitas coisas inclusive que estamos recebendo também aqui, dá um tempo, deixa. Se
limite mesmo a um aspecto mais sintético do programa, e o resto conserve na
individualidade, desenvolvam na individualidade, amadureçam na individualidade, não
é? Esses valores são muito caros também para ficarem assim, nós temos que nos
valorizar mais como Doutrinadores, temos que valorizar mais nossos Aparás, não é?

Nós temos que estar sempre alertas para isso. Às vezes tem dois, três desequilibrados
num Templo, aí você observa:
“Ah, esses Aparás nossos...”

Quer dizer, a gente tem que discernir, não! É dois, três ali, que têm problemas
obsessivos acentuados, mas está ali oitenta por cento desses que são honestos, estão
buscando aprender, estão buscando realmente a jornada, às vezes você chega num lugar
tem dez, quinze Doutrinadores só aporrinhando, enchendo o saco, mas em compensação
tem noventa, cem, que querem aprender, que querem caminhar, que quer fazer o certo.
A gente tem que discernir!

Inclusive, é uma coisa aqui no Vale que a gente está precisando mudar a mentalidade:
“Não se pode fazer negócio com jaguar, só tem desonesto”
“Ah não, o Vale é lugar de doido”

Ora, que Vale é lugar de doido? Então essa mentalidade, a gente está precisando
começar a mudar de dentro, a transformar isso. Não, não é lugar de doido não!

É uma estrutura técnico-doutrinária que visa a Cura Desobsessiva. Então quem tem
problemas espirituais obsessivos acentuados, então esse é o seu lugar. Mas a maioria
que está aqui não problemas acentuados. Tem problemas manifestados de outras
naturezas, com outras reações, não é? E a gente começar a discernir os valores, a
começar a colocar as coisas no seu devido lugar, não é sair embolando o meio de
campo, denegrindo tudo.

Então, quer dizer, porque uma mulher é assim então todas as mulheres são assim? Não!
Então a gente precisa acordar realmente, está havendo muito descuido com a língua,
muito descuido com o comportamento, não é? E é total ausência de lógica. Por um
comportamento, por uma pessoa, por uma mediunidade, aí denegrir toda a casta, quer
dizer, toda a elite, quer dizer, toda a estrutura que dispomos. Nós estamos precisando
bater um pouco em cima disso... bater um pouco.... Haja batida!

Então jaguares, percebemos que a força de Koatay 108, da simplicidade da Entrega ou


Elevação à Invocações, a Emissões, Cantos, quer dizer, o que dá o gabarito, o que
faculta esta condição de ação localizada singular em cada um, também está contido na
força de Koatay 108.

156
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Para a gente ter uma ideia da dimensão, da importância da conquista de Tia Neiva. Quer
dizer, como é que a gente pode se distanciar de Tia? Como é que a gente pode ficar
distante de Tia Neiva? Como é que a gente pode eliminar a sua importância dentro do
Sistema, se tudo que fazemos em seus aspectos mais fundamentais, na relação da força e
forças, nós dependemos deste conjunto de conquistas dela, que ela nos transferiu, que
está inserida no conjunto de Forças Iniciáticas que recebemos. Quer dizer, é impossível,
não é mesmo?

É intrínseco, como o ar que respiramos, e o Sistema Doutrinário deste Amanhecer,


equilibrados, harmonizados dentro do Ciclo, a ação básica de força, de possibilidades de
força para a nossa ação, está contida naturalmente em Koatay 108. Não é a pessoa de
Tia Neiva, mas o resultado de sua conquista na condição Iniciática que a levou a
receber, a conceber o título de Koatay, que significa Original. Original – Koatay –
Original. É uma mulher, foi uma mãe, é mãe, é Original. É o sentido original do
princípio da vida.... Original!

108 – É, o Plano Espiritual fazia questão que se integrasse o “108”, porquê cento e oito
Mantras é sua conquista. E quando alguém consegue atingir cento e oito Mantras,
conseguiu atingir a estrutura completa do mestrado. E chegando a esta condição, aí sim,
realmente faz jus ao Santo Nono. Que é a mais alta expressão possível de ser alcançada
por um ser humano enquanto encarnado. Ela foi além dos limites!

O conceito de interpretação de vida na Terra, ele é binário. O máximo que a Teologia


aceita é que o ser humano na Terra ele é o conjunto de Corpo e Alma. E quando se fala
em Espírito, normalmente ele é confundido com Alma, Espírito e Alma não têm
diferença, Espírito e Alma é a mesma coisa, não é?

Então a importância desse item 3 que é o Sol Interior, é que já a partir da Centúria, o
que foi proporcionado de aberturas em plexos e chacras daquele médium, então a sua
mente já precisa ser sintonizada dentro desse princípio de conhecimento da realidade do
que é o ser humano na Terra. Quer dizer, ele é três em um, e Alma é extremamente
diferente de Espírito, não é?

Então há necessidade de esclarecer, mas é fundamental para a cultura dele na jornada,


que ele receba este princípio. Inclusive é um princípio que na grande realidade, o Nestor
(Trino Arakén) sempre se comportou extremamente certo. Ele é muito limitado, e é
fundamental dar só esse limite mesmo, essa limitação. Por quê? Porque o que importa é
a ideia! Esse três em um, quer dizer, Corpo Físico, a Alma, onde está o agasalho do
Sistema Psíquico, a Alma revela-se pelo que pensamos, pelo que sentimos, e também
por nossos atos, que é resultado do que sentimos e pensamos. Naturalmente então a
atitude, o ato é uma revelação dessa Alma, não é?

É claro que a natureza, a maneira de pensar, a maneira de sentir é que resulta na sua
exteriorização psíquica, seu gabarito psicológico. Mas a essência original desta vida, o
sentido original, a fonte, a origem da vida, não está neste corpo, e também nesta alma, e
sim no espírito.

Sempre que for transmitido esse assunto, haverá dúvidas! É impossível transmitir esse
conhecimento e deixar esclarecido. Não tem jeito. Para quem proporciona não tem jeito,
porque quem está proporcionando recebeu o seu ponto, recebeu o seu princípio e tem

157
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
toda uma jornada para desenvolver e ir penetrando esse “além das cortinas”, quer dizer,
além da aparência. E quem está recebendo está num ciclo muito anterior ao ciclo de
quem está dando. E até o conflito é fundamental, a dúvida é essencial. Por quê? Porque
ele nunca vai estacionar, ele vai sempre estar persistindo em querer saber, é
fundamental.

Até, uma “pausa para os comerciais”, porque os Aparás por exemplo, você vê que os
médiuns Aparás, eles são muito mais acentuados em conflitos na relação da
manifestação, de consciência, quer dizer, manifestação e consciência de manifestação, e
se acentua muito mais na hora da comunicação, o seu conflito, as suas preocupações, a
sua honestidade, e:
“Puxa, quando sou eu e quando é o espírito?”

E pela própria natureza consciente desses missionários do Deus Ministro Olorum atual,
as pedras principais que irão formar o alicerce dos nossos Aparás em seu futuro, estão
contidas justamente nos seus conflitos. É fundamental. É claro, isso eu estou falando
para nós, eu adoro ver um Apará conflitado. Salve Deus!

Porque ele está se estruturando, ele está buscando, ele está questionando, e ele está
buscando, quer dizer, o Apará não pode estacionar realmente, este conflito é
fundamental, porque aí ele não permite ao seu fator psíquico o condicionamento, e o
condicionamento é extremamente perigoso inclusive. É perigoso, a acomodação,
entenderam como é que é? Deixar de se preocupar. Isso é extraordinariamente perigoso.
Principalmente pela sutileza da mediunidade que vocês têm, afinal de contas vocês são
“quintais sem cerca”. Salve Deus!

O muro, a cerca do Apará, vai sempre se edificar através do comportamento, da


honestidade de propósitos e da pureza de motivos. Então é uma coisa que vai levando
tempo, é estrutural, não é definitivo. E como Fé. E como a maioria dos nossos aspectos,
aí você fala:
“Puxa, mas Jesus é maravilhoso!”

E você dispõe dessa condição? Não! Aí você percebe que há uma imensa jornada de
conquista, de conflitos, de preocupação, de escorregão, e tenta novamente, e tenta
novamente, é uma luta danada e você está sempre caminhando, e você nunca encontra
com Ele, você vai se aproximando, mas nunca:
“Ah, eu tenho Jesus no coração. ”

Tem uma ova, nós sabemos que não. Mas é uma permanente busca, é uma busca
permanente, e estes aspectos contidos no Doutrinador e no Apará, é busca permanente.
Tem que estar sempre buscando, tem que estar sempre procurando, tem que estar
sempre insistindo. Quando para de procurar, de buscar, de insistir, se perde.

Muito bem. Mas, para a ação de cada um desses três reinos: reino físico, reino psíquico
e reino espiritual, observem as linguagens, é um corpo, é uma alma e é um espírito,
vamos conservar espírito, por enquanto, não é?

Mas então, para a ação ou manutenção, ou manutenção e ação de cada um desses três
reinos: reino físico, reino psíquico e reino perispiritual, existe um plexo. Portanto, como
são três corpos, são três plexos. Funcionam como esfera sobre esfera.

158
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então, em função de manutenção do corpo físico, está o plexo físico. Para a ação do
sistema psíquico que se exterioriza através do plexo físico, portanto corpo físico, há o
Micro Plexo. E para a ação deste terceiro aspecto que tratamos, que na realidade não é
terceiro e sim primeiro, que é o Espírito, então está o Macro Plexo.

O Físico é o terceiro reino, o Psíquico é o segundo reino, e o Perispiritual é o primeiro


reino. Macro Plexo, Micro Plexo e Plexo Físico. Corpo Físico, Alma e Perispírito. E aí
está um princípio de revelação do Mistério da Santíssima Trindade. Salve Deus!

Isto é um assunto puramente Iniciático! Este é um conhecimento puramente Iniciático!


Para o ajuste, quer dizer, o grande segredo de uma vida, viver bem esta vida, é aprender
a harmonizar esses três reinos: o Físico, o Psíquico e o Espiritual. Agora, só é possível
harmonizar esses três reinos, pela atitude Evangélica contida na Humildade de
Tratamento, Tolerância de Compreensão e Amor Incondicional. A chave de
possibilidade de contato com o Sistema Iniciático sempre estará contida nos princípios
do Santo Evangelho.

Aí, 2000 anos depois, vem um Caboclo por nome Seta Branca e deixa por escrito:
“O princípio para se voltar ao Supremo é preciso aprender um ramo de conhecimento
diferente, que está contido no Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.”

E que, graças a uma reunião como esta, nós podemos sintetizar numa só palavra: atos!
De atitudes, que é o maior desafio do ser humano. Traduzir tudo aquilo que sabe ser
certo, importante, em atitudes. E aí foi onde Tia conseguiu a mais significativa de suas
Consagrações em Agla! Que é a expressão completa do ato!

Existem Sete Origens, Espíritos de Sete Origens na Terra. Cada Origem, todas em Deus,
espíritos todos iguais perante Deus, mas são como sete famílias. Portanto, famílias que
têm características também próprias, maneiras próprias, não é?

Aqueles por exemplo que se agregam, como um princípio, por exemplo, religioso como
o Católico, onde há uma crença, uma crença por exemplo num paraíso com todas
aquelas características, não é? De muitas árvores, de muitas plantas, muitas frutas, muita
paz.

E Tia Neiva afirmou, sob juramento, que existe! Existe uma Origem que realmente é
compatível com esses aspectos. E assim, portanto, cada uma dessas Sete Origens é o
retorno pleno do espírito em sua Origem, quer dizer, é o seu sentido original, é o seu
princípio original. E já descambaram espíritos de todas essas Sete Origens, e elas estão
distribuídas geograficamente, localizadas por regiões distintas na Terra. O que nos
caracteriza particularmente hoje sob o governo desta Obra, regidos por uma Doutrina
Universal é que pelo fato de termos por várias vezes provocado desatinos de influência
coletiva, mas também sempre vindo com responsabilidades de ação de reflexo coletivo,
hoje nós somos uma Origem que também tem responsabilidades sobre todos os demais.
E um dos aspectos que mais nos levam a ter dor de cabeça em nossos Templos, são
muitas vezes espíritos de outras Origens, que não têm também bagagem suficiente para
assimilação de nossa mensagem, mas que precisam ser beneficiados pela nossa
mensagem, e vivem convivendo com a gente, aporrinhando e trazendo problemas, e
nunca se sentindo no dever de nos compreender, sempre atrapalhando e usufruindo, mas

159
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
que nos compete, jaguares de todos os tempos e em todos os Templos, desenvolver o
gabarito de compreendê-lo. Já que nem a eles compete realmente compreender-nos.
Eles precisam ser, realmente, sobretudo, serem compreendidos. Esse é um dos preços
que pagamos na linhagem de encarnações coletivas, de valores que deixamos de fazer.
Porque tanto quanto muito fizemos e a muitos beneficiamos, nesses instantes que
sofremos o impacto de outras vidas junto a nós, já são reflexos daquilo que também
deixamos de fazer por outras passagens.

Também é possível acontecer em nossa jornada amigos que surgem do nada, de coisa
alguma, e repentinamente pessoa que nunca vai pôr uniforme, nós não aceitamos
donativos, nós não aceitamos dinheiro, nós não aceitamos ajuda de espécie alguma de
estranhos, mas repentinamente chega alguém que conquista seu coração, conquista
você, daqui um pouco ele deixa uma parcela, ele contribui com a sua presença, como
uma expressão, some, desaparece... É uma outra natureza de alguém de uma outra
Origem, e que havia um haver, ele também veio somar.

Como em famílias em Jesus, e repentinamente a bênção de Deus permite um espírito


com menos carma, com menos envolvimento, com mais neutralidade, dentro da relação
do Élan Magnético do Carma que envolve aquelas vidas, e vem aquele espírito só trazer
alegria, ou também muita tristeza no campo do despertamento da piedade por uma
doença, que muitas vezes elimina o impacto do ódio entre os demais, e converge pela
ternura a atenção dos demais, auxiliando que os demais então passem a conviver
melhor. Danado, não é? Salve Deus!

Nossa Origem é Capela. Capela.... Então, a nossa Origem é Capela. E Capela é físico,
depois do Sol. É claro que, físico de uma outra constituição molecular desta concepção
molecular física da Terra. Então, quando a gente desencarna, esse plexo físico, esse
corpo físico, ele se deteriora. Esse conjunto micro-macro, então, proporcional à jornada
evolutiva desse espírito, a libertação de seu carma, etc., ele vai se evoluindo,
automaticamente essas células, as células do corpo perispiritual, inclusive, não tratamos
um espírito encarnado na Terra falando do Macro Plexo, falando no espírito. Porque
realmente quem está na Terra está “cumprindo pena”, quem está na Terra está
“cumprindo pena”.

Então é um espírito realmente condicionado ao corpo, e para esse espírito exercer, ter
um mínimo de possibilidade de influência, até o Sistema Psíquico, que é o responsável
pela transmutação através do corpo, ele depende do Macro Plexo, quer dizer, a mesma
função do Plexo Físico para a ação do Sistema Psíquico, tem então o Macro Plexo para
a ação de influência do espírito se transmutando para a alma e, portanto, para a
exteriorização da realidade física.

É claro que aqui nesse momento, já fomos bem além do que normalmente é tratado, mas
chega por aí! Deus me livre, porque isso é para ficar no coração, ficar na mente, e aí
vocês vão pensando nisso. Normalmente não se fala também, é para amadurecer. Muito
cuidado com isso, é um conhecimento complexo, ele não é simples, e é um
conhecimento que só muito recentemente foi permitido saber. Quer dizer, um Iniciado,
transmitindo isso para discípulos, para adeptos que nós temos noção, só Tia Neiva.

Então aí, morreu na Terra, deixou de ser um espírito encarnado, então o conjunto
Micro-Macro, quer dizer, alma e espírito, e aí empreende a sua jornada evolutiva.

160
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Automaticamente, com as impregnações da Terra, por exemplo, o espírito mesmo
quando tem a possibilidade já de chegar no Canal Vermelho, porque o Canal Vermelho,
como um plano de adaptação, como uma cidade de readaptação, uma gigantesca cidade
de adaptação e readaptação dos espíritos, o espírito no mínimo cinco anos, ele vai levar
lá no mínimo cinco anos dentro de seu estágio, só para perder as emanações da Terra.

No mínimo cinco anos dentro da contagem da Terra, ele leva só para perder a emanação
da Terra, para termos uma noção do quanto realmente essas vibrações do Planeta, elas
realmente impressionam o Sistema, o organismo, não é?

Inclusive até, o Canal Vermelho, muito particularmente assim... Querem saber um


pouco mais do Canal Vermelho? Então você, consigo mesmo assim, como instrutor, não
como instrutor para os outros, mas como instrutor para você, leia “Nosso Lar”. Que não
é o Canal Vermelho, mas é muito similar. É uma outra casa transitória no espaço, que é
muito similar à ação do nosso Canal Vermelho. É claro que há imensas diferenças,
porque o Canal Vermelho já é totalmente adequado, ele já é todo atualizado dentro de
uma dinâmica do nosso Sistema, não é?

Inclusive em proporções assim fantásticas! Porque até a preocupação de desenvolver a


implantação no Canal Vermelho de templos protestantes, há uma cópia de um Templo
como o nosso aqui, há Igrejas Católicas. Tudo que favoreça a readaptação do espírito,
quer dizer, ao ajuste do espírito à sua condição. Então ele vai encontrar lá um padre, ele
vai encontrar um pastor, vai encontrar um umbandista. Isso vai ser mais fácil para
aquele espírito se relacionar, ele estar vestido de branquinho, ter um terreiro. Quer dizer,
ele vai ter tudo, para ele até ir começando a desassimilar, e ter condições no seu sistema
psíquico, ainda impregnado, ainda cheio de condicionamentos de sua vivência na Terra,
até ele ter condições realmente de ir assimilando proporcionalmente, gradualmente,
gradativamente que não há religiões no espaço. De que não há Católico, Espírita ou
Protestante. Que existe um Sistema Único contido em Deus Pai Todo Poderoso que é a
mensagem do Amor Universal. O que é Deus a não ser a manifestação suprema das
forças?

(Mestre que assistia a palestra)


Tia Neiva fazia um comentário sobre isso.... Ela falou que estava fazendo uma viagem
com Amanto e ela viu um templo que tinha um idoso, não é isso?

(Mestre Bálsamo)
Ah, é Umatã! É o templo Umatã!

(Mestre que assistia a palestra)


Dava demônio, freira...

(Mestre Bálsamo)
É de acordo com a sintonia, inclusive. É tão prático o sistema, quer dizer, eles são tão
modernos, que altera. Quer dizer, se um espírito é umbandista, ele vem, então está lá
Umbanda. É de acordo, o padrão dele estabelece. Então é muito sutil. E tem até esse
templo lá com o nome de Umatã, e é uma linha predominante de Umbanda,
curiosamente. Que na grande realidade eles se envolvem, mas não tem nada daquilo,
mas tem. Até que ele devagarzinho, então o negócio dele é um padre, então tem lá um
padre para recebe-lo. A entidade de batina e tudo mais. Quer dizer, é todo um trabalho,

161
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
observem bem as técnicas que eles utilizam. Quer dizer, tem centros de recuperação, por
exemplo, um centro de recuperação de um espírito que tenha morrido alcoolizado e que
tenha feito jus ao encaminhamento. Porque isso é muito relativo. Alguém estar bêbado
ou drogado. É, por exemplo, o suicídio. Então existe um estigma sobre o suicídio como
se o suicídio fosse a pior coisa do mundo! Mas precisa-se saber quem se suicidou se foi
suicídio. Muitas vezes a pessoa, todo mundo pensa que a pessoa cometeu suicídio, ele
não foi suicida. Ele pegou o revólver e deu um tiro no ouvido e não foi ele. Pode ter
sido outra pessoa.

Ainda é muito relativo esse quadro de suicídio. O cara morreu drogado, ele foi um
suicida, tudo bem. Mas muitas vezes ele tomou uma besteirinha qualquer e ele foi
condenado por morrer como drogado, como suicida e nós sabemos muito bem que
quantas composições químicas que podem exteriorizar aquele tipo de avaliação e não
condiz. Então são aspectos demais! A gente não tem nem como estabelecer que o
indivíduo foi suicida a gente pode estabelecer.
“Ah não, ele subiu lá e se jogou da torre.”

Será que foi ele quem subiu e se atirou da torre? Será que eu fumando três maços de
cigarros conscientemente não estarei sendo muito mais suicida do que aquele que se
atirou da torre? Correto? Então vejam bem que a gente não tem como realmente pré-
estabelecer um julgamento. O Beto (Trino Ajarã) não! É cinco ou seis cigarros por dia,
é muito mais controlado, eu conheço, conheço a muito tempo. Salve Deus!

Então vejam bem:


 Item 1: nêutron,
 Item 2: Invocações,
 Item 3: Sol Interior

Que é a subdivisão do Sistema Coronário. Origem, Canal Vermelho. O Canal Vermelho


inclusive, pela localização dele em dimensão, ele pode ser considerado o primeiro
degrau celestial.

É curioso porque o espírito, quando ele tem o privilégio de ir para o Canal, é porque ele
já está numa condição que mesmo que ele não tenha se libertado do carma, mas ele já
tem tão mínimo. Já está inserido dentro de um contexto de valores cármicos, de
circunstâncias cármicas, que já é, da mesma maneira como esse monte de espíritos
como todos os espíritos da Terra estão endividados mas têm por herança o privilégio de
uma Doutrina como essa, e que a despeito de suas dificuldades, suas mazelas, está
representando um sacerdócio e ganhando seus bônus, e se recompondo, ir agindo,
também lá existe esta possibilidade. De trabalhos em hospitais, em albergues, nos
próprios Templos, então muitas vezes ele já pode esperar lá mesmo aquela vítima vir,
ou ele pode adquirir condições em determinado tempo de trabalho, de ajuste, de
tratamento, e também vir, de partir em missão com – 0 – a convite das Legiões. Então,
chegar no Canal Vermelho é até:
“Puxa vida, Graças a Deus!”

É o primeiro degrau celestial. Porque de lá também, lá ele vai complementar a Cura


Perispiritual. A espécie dolorosa que temos, quer dizer, o aspecto que dói aqui, não é o
Plano Físico, sabemos disso. A espécie dolorosa é o perispírito que é realmente o corpo

162
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
dos corpos. Belisquei você, a sua dor está contida no perispírito. E não me venham com
perguntas. Salve Deus!

Então, por exemplo, uma série de enfermidades que se exteriorizam aqui fora no corpo
das pessoas, certas inflamações, certas situações, câncer, etc., etc., vejam bem, a atuação
do elítrio ou do obsessor em seu ódio, chega a ser tão intensa e localizada, quer dizer,
então foi no pulmão que você deu a facada, foi na garganta, foi de porretada que você
bateu na cabeça, foi de porrete que você bateu no intestino, que você bateu nas costas,
que você bateu nas pernas, ou você bateu no braço, ou você bateu na mão, prestem
atenção!... Eu não quero perguntas também desse assunto não.

Então aí repentinamente você começa a sentir uma dor na perna, uma dor no braço, uma
dor na cabeça, uma dor na garganta, uma dor no estômago, uma dor no joelho, uma dor
no pé.... Aonde está concentrado o campo de atuação dele, também o efeito é similar à
causa gerada. Salve Deus!

Mas por quê? Porque centralizada naquele campo, as células daquele local começam a
morrer. Cada corpo é uma constituição molecular, mas qual é a mais frágil? Você está
encarnado, então aonde vem o reflexo do problema e da doença? Salve Deus!

Então muitas vezes, aí então eu desencarno, mas existem reflexos na estrutura celular do
campo inorgânico ali contidos. Então, os Indus tinham por hábito de considerar como o
mais significativo de todo um conjunto de uma vida, justamente o perispírito.

E eles costumam inclusive dizer, eu estou citando aqui porque a própria Tia fez questão
de colocar numa de suas Cartas, que os Indus inclusive, por considerarem o perispírito o
mais significativo de todos, então o chamavam de “Rosário de Pétalas”. Porquê
“Rosário de Pétalas”? Pela sutileza, no caso da reação, diante da ação quando negativa,
ele sofre.

Então vejam bem, o que é uma Entidade de Luz? Por que há a Entidade de Luz? Por quê
quando se vê a vê iluminada? Na grande realidade é Luz para nós, mas ela está na sua
estrutura molecular natural. Por quê? Porque todas as suas células são sãs, não há
células mortas. E proporcional à evolução daquela entidade, daquele espírito, daquele
Caboclo, daquele Preto-Velho, daquele Médico, então automaticamente a intensidade
energética de suas células. E, portanto, no conjunto de células que está contido o seu
corpo. E, portanto, a sua irradiação. Então, de acordo como ela se concentra no seu
instante também de prece em busca de Deus, em favor de alguém, então pela sua
concentração ou pela sua manifestação, portanto a intensidade de sua luz natural. Salve
Deus!

Entenderam meus mestres? Por isso é que, vejam bem, o que tratamos agora nunca foi
tratado! O que falamos agora nunca foi falado! E não esperem que volte a ser falado,
talvez nunca mais seja falado. Talvez seja falado, mas isto é cultura pessoal, tem que ser
desenvolvido no coração, não é para ser transmitido. Os senhores vão transmitir um
início, e um início bem aquém disso aqui, não é?

Esse também é mais um instante que eu pergunto assim:


“Por quê que eu estou dizendo?”

163
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Eu preciso acreditar que há uma coisa que extrapola esse ambiente também físico. Tem
que haver uma situação espiritual aqui dentro que não é restrita para isso aqui, porque
também seria hipocrisia pensar que esse ambiente é nosso. Nós estamos sendo
instrumentos de um ambiente para uma condição que na realidade não conhecemos.
Porque eu até agora não tenho resposta porquê é que eu estou dizendo.

Porque é claro, eu não sou proprietário do que sei. O pouco, o mínimo da parcela que
disponho não é meu, veio de alguém. Eu estou sendo o instrumento, médium,
intermediário de uma vontade, de uma coisa que também não é minha, de uma força que
também não é minha. Quer dizer, então, o que é que caracteriza o médium? É o fato de
ser meio, é de ser intermediário, não é?

Médium, meio, intermediário, está entre uma situação e outra. Especificamente o que
caracteriza o médium ser humano é o fato de ser alguém que se situa, quer dizer, entre
uma força espiritual em favor de alguém na Terra, ou em favor de outros espíritos. Aí já
é aquela outra concepção de mediunidade, já não é a mesma concepção de mediunidade
que já tratamos aqui, porque são duas diferentes, não é? E que não se separam, é a
mesma condição em extensão mais ampla.

Só que agora, repentinamente já voltamos ao primeiro conceito da mediunidade. Se


você chegar por exemplo no Espiritismo tradicional, na Umbanda, e falar mediunidade,
no máximo você vai receber o que eu agora acabo de tratar, mas muito além disso que
tratamos já falamos, não é? Então são coisas para a composição do seu sistema íntimo.
Salve Deus!

Então, o nêutron é a força que divide os planos vibracionais. Plexo Físico, Micro Plexo
e Macro Plexo. Proporcional a eu ir, pela minha conduta, pela minha luta, pelo meu
trabalho, pela minha insistência, também pela minha “birra”, porque nessa jornada às
vezes precisa ser meio “birrento” também, porque senão você não rompe as barreiras.
Às vezes precisa ser um pouco desaforado porque senão você cai pela estrada, não é?

Tem que ter determinação, tem que ter constância, tem que ter espírito de luta, garra,
mas tem hora que tem que ter uma boa dose de “birra” também, porque senão você
empaca no meio do caminho. Tem que ter uma dose de desaforo também porque senão
você fica para trás. Às vezes são forças demais, é atuação demais, situações demais que
tentam impedir você de continuar caminhando, e se você não é um pouco “embirrado”
você fica.

São valores demais em jogo na Terra, e muitas vezes não sabemos os valores, não é? A
intensidade do nosso carma, então tem momentos realmente que não temos explicação,
e se a gente não insistir em continuar caminhando, a gente realmente pode se perder
naquele instante.

Mas é proporcional através dessa luta, na busca de alicerçar-se em atitudes dentro


desses princípios de Humildade de Tratamento, Tolerância de Compreensão, que
resultam no Amor Incondicional, que é o que faculta o equilíbrio desses três reinos da
nossa natureza, então proporcional à condição que vamos tendo de manutenção do
equilíbrio desses três reinos, é que vai começando a ser formada a Luz ou Chama do
nosso Sol Interior.

164
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então, o Sol Interior é resultante da harmonia dos três reinos de nossa natureza.
Proporcional então à minha manutenção do equilíbrio, porque desequilíbrio é natural,
mas o tempo que eu levo para me reequilibrar, quer dizer, meu propósito, meu motivo,
minha honestidade, minha luta, minha disposição, então proporcional à jornada, aí eu
vou estabelecendo pela constância, pela manutenção do meu padrão, também um estado
de iluminação desse Sol Interior. Aí começa a ser formado o meu Aledá, a minha
Presença Divina.

Até que chegará um dia em que eu me torne a própria Presença Divina. Dispomos do
Aledá lá no Templo, em nossos lares, muitos de nós têm um lugar para colocar o nosso
Aledá. Quer dizer, então ali temos um ponto de referência para a nossa prece, para a
nossa busca. Por que temos um Aledá em casa? Porque nós não temos um Aledá dentro
de nós. Por que é que eu preciso formar um ponto de referência para buscar aquilo que
preciso ou pretendo em favor de alguém? É porque ainda não tenho a segurança dessa
mesma condição em meu próprio coração.

As imagens nós dispomos como auxílio técnico para uma referência mental de
sintonias. E temos o dever da Preparação na Pira porque realmente é o centro de
referência de ação de forças no Templo, e a mais alta expressão do símbolo de um
Aledá contida no Aledá.

Agora aquele Aledá que ali está, todos nós, pela condição de mestrado que temos, se
quisermos continuar caminhando, temos que insistir nos princípios da Humildade de
Tratamento, Tolerância de Compreensão que resultam no Amor Incondicional, que dá
origem à formação do Sol Interior, e que resulta no nosso Aledá. Salve Deus!

A Sexta Aula já foi dada. É claro que vão perceber que será possível falar uma média de
uma hora, uma hora e meia, dentro do assunto, porque todos os assuntos da Centúria, se
há espaço para relacionar-se, vai sempre sentir-se no dever de voltar a falar. Como
insistir com uma Preparação, com as Chaves corretas, com o procedimento adequado no
Templo, o respeito às hierarquias, o cuidado com os uniformes. Quer dizer, então, são
sentidos que sempre estão retornando ao princípio, e sempre haverá um processo
induzindo, um processo indutor, um estímulo indutor de falar, de tratar sempre os
princípios: Conduta Doutrinária, o relacionamento, a hierarquia, não é?

Bater na tecla, por exemplo, o simples fato de alguém se dispor como Instrutor, ele
passa por todo um processo de Desenvolvimento, de aberturas, preparação de chacras,
repentinamente depois quer deixar de ser Instrutor, da mesma maneira como os médicos
fizeram toda uma Preparação para ele ficar em condições da função que irá
desempenhar, eles vêm trabalhá-lo também num novo reajuste em chacras e plexos para
o recondicionamento numa outra função.

Então, imaginemos então para ilustrar para eles, há um Presidente de Templo, a


bagagem, o gabarito, a estrutura de Desenvolvimento que requer um Presidente,
principalmente que ele lá, ele é a fusão de Trinos de toda uma infraestrutura operante no
Templo, concentra-se nele lá.

Então, um Presidente não é só um indivíduo e um título. Não existe um Presidente com


expressão de indivíduo ou por questão de título, mas ele é resultante de toda uma
estrutura de Desenvolvimento, e não podemos esquecer que todos os fatores Cármicos,

165
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
quer dizer, relacionados entre uma ação coletiva dos adeptos ali congregados, estão
naturalmente ligados àquela condição daquele indivíduo, porque toda a ação de forças
vem na condição decrescente daquilo que ele representa.

Quer dizer, o Templo se compõe no continente para aquele Presidente, como o


Continente, o Povo aqui se traduz para o seu Adjunto Maior. E ainda com uma
diferença, sendo que o Adjunto Maior no caso do Templo-Mãe, ele só recebe seus
seguidores, ou adeptos, ou agregados depois de terem concluído uma Centúria. Ele só
tem autorização, dentro do contexto do Templo-Mãe para se localizar num Continente,
depois de estar preparado. E observamos que lá fora, há um acompanhamento desde o
princípio, da condição de paciente, até a condição de integração, em todo o processo!
Quer dizer, a simbiose, a ligação, a intimidade, o Élan, ela se traduz numa
responsabilidade muito maior, muito mais diretamente ligada, o que requer de nossa
parte sempre um tratamento carinhoso, cuidadoso, nesses aspectos. Salve Deus!

Da minha parte, pararíamos agora. Então na Sétima, assim que entregar as Energias a
gente se encontra, é também um assunto muito importante, também de nível Iniciático,
mas sintético. Aí vai resultar no tempo para perguntas que se relacionem em toda a
extensão do que foi tratado até aquele instante na Sétima, e que a gente fale sobre
pequenos aspectos que foram deixados de falar. Digo pela importância do que foi
tratado, da maneira como foi tratado.

(Pergunta de um mestre que assistia a aula)

(Mestre Bálsamo)
Se nós observarmos, aí já é um assunto contido no item 01, do roteiro nº 01 da 1ª aula: o
que é a Doutrina do Amanhecer.

Então a gente quando começa a formar esta relação Doutrina do Amanhecer, a mesma
Doutrina de Jesus, quer dizer, Jesus foi um grandioso Iniciado, Executor de um plano de
dimensões realmente universais, porque a partir do momento do advento da vinda do
Cristo, quer dizer, Jesus, Jesus Cristo Nosso Senhor, falamos Jesus aquele que
encarnou, agora quando falamos Cristo, falamos no Mentor de Jesus, não é?

Para percebermos a importância, a dimensão de Cristo, o Mentor de Jesus, o Sistema


tem seu nome: Sistema Crístico, não é? Porque a partir do momento de Jesus então
voltando ao Plano Espiritual, assumiu Ele o Comando de toda essa condição, então Seu
Mentor uma outra condição, e assim é o Ciclo Evolutivo. Então, Jesus é o Governo de
todo o Sistema Crístico neste ciclo de 2000 anos, não é?

Mas, Jesus foi um, está certo? E Cristo foi seu Mentor. Agora, a relação foi tão íntima
como a água e o copo dizia Tia, foi perfeito. Então, falar Jesus e falar o Cristo, é como
falar no mesmo, tal a integração, tal a situação. Salve Deus!

Mas, o interessante é que, a partir da vinda de Jesus, quando Deus Pai Todo Poderoso
permitiu esse início de Ciclo do qual Ele foi Executor, então todo o Sistema Planetário
de relação a este planeta, ele passou por uma modernização, por uma atualização,
distribuição de hospitais, o próprio processo reencarnatório sofreu uma atualização, quer
dizer, tudo foi movimentado, visando proporcionar a maior possibilidade evolutiva
possível de espíritos em trânsito...

166
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
E Jesus contido, inclusive mais uma vez um aspecto em relação ao que é a obediência às
Leis Naturais, porque Jesus ocupou um corpo físico carnal. Ele nasceu dentro de um
processo biológico natural. E mesmo sendo o gigantesco Iniciado que foi, era necessário
que Seu plexo físico, quer dizer, Seu corpo físico, precisaria também pelas Leis Naturais
passar por um Sistema Iniciático compatível para receber a Consagração no físico.
Então, a mais alta, digamos assim, estirpe, ou elite, que continham esses segredos do
Sistema Iniciático, era o Tibet. Portanto foi para lá que Ele foi levado por José de
Arimatéia, esse outro Grande Iniciado, então lá, Jesus recebeu então a Iniciação, a
Consagração em seu plexo físico.

Quer dizer, o que resulta hoje no capuz da nossa Iniciação Dharman-Oxinto, o capuz
não era utilizado antes de Jesus ter ido até lá. Mas os próprios Monges Tibetanos, ao
verem a honra que a eles foi conferida da Iniciação de Jesus, e aqueles Videntes
Iniciados, percebendo a dimensão da importância da missão daquele Espírito, a
iluminação que emitia, a grandiosidade, então a maneira natural que eles encontraram,
na humildade do Iniciado que tem consciência daquele que se encontra perante ou
diante, então decidiram iniciá-Lo com seus rostos cobertos.

Ao perceberem a dimensão daquele Espírito, eles não conseguiram, só acharam


possibilidade de iniciá-Lo... E aí, pela tradição Iniciática, a partir desse instante, vem
então por herança, Tia Neiva preservando esse critério, deste simbolismo do capuz
sobre o rosto. É como a velação, é como a busca de ocultar a sua Luz, a sua Evolução, o
seu progresso, em detrimento de uma Luz Maior manifesta, de uma Evolução Maior
manifestada. É o Simbolismo do coração de joelhos, do discípulo perante o mestre.
Salve Deus!

(Pergunta de um mestre que assistia a aula)


Eu gostaria de fazer uma pergunta. Nós sabemos que na Bíblia, no Apocalipse, ensina
muita destruição, muitas revelações, e que está contido nessas revelações do
Apocalipse, então essas revelações (...)

(Mestre Bálsamo)
Não sei. Nunca me dediquei a ler o Apocalipse. Acho ele muito chato, por isso nunca li.

(Pergunta de um mestre que assistia a aula)


Sabe por que? Koatay 108: 8 + 1, 9. (...) na Bíblia, 144.000. Vamos somar: 1 + 4 + 4, dá
9. Então um número do Apocalipse que é 666, somando 6 + 6 + 6, dá 18, 8 + 1, 9.

(Mestre Bálsamo)
Pode ser. Eu prefiro me restringir dentro do aspecto da linha de informação, a essa
segurança oferecida pelo sistema. E isso já vem dentro do aspecto da conjuntura do
pesquisador, que é certa, mas que eu preferia não ser tratada dentro daquilo que é a
proposta atual.

(Pergunta de um mestre que assistia a aula)


Bálsamo, como se classificam os espíritos sofredores?

(Mestre Bálsamo)
Como sofredores mesmo.

167
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
(Pergunta de um mestre que assistia a aula)
Não existe uma classe?

(Mestre Bálsamo)
Ah sim, são várias! Muitos deles chamamos de sofredores, o próprio Exu, para nós é um
espírito sofredor. O Vale das Sombras é um espírito sofredor. Então sofredor quando
falamos é geral. Agora é claro, se você for subdividir assim com mais intimidade.... Aí
você pensa assim por exemplo, um sofredor realmente, você imagina as pessoas que
estão por aí vagando, não é? Então sofredor, está cheio de pessoas pelas ruas, pelas
estradas, sofredores. Têm muitos! Tem muitos inclusive tentando chegar aqui, e são
impedidos pelas Legiões. São atrapalhados, tem muita gente também, tem muita gente
sonhando em vir um dia no Vale, para conhecer, a “Tia Nelva, ou Tia Nelza”, como
muitos falam. Tentando um dia juntar um dinheirinho para vir aqui. Está repleto de
espíritos por aí que já ouviram a repercussão do Vale, e:
“Puxa, eu quero chegar lá, eu gostaria de ir lá....”

Você vê por exemplo o próprio “Alaruê”, que a Tia colocou inclusive na Lei do
Adjunto, não é? Quer dizer, são Falanges de Espíritos tão desclassificados, quer dizer,
eles só se realizam provocando o desequilíbrio das pessoas, mas são tão “abestados”
que eles desequilibram e eles não gostam de pessoas desequilibradas, ele não tem noção
dos valores. Aí Ela fala, que repentinamente alguém faz uma prece em voz alta e eles
tocam no sentido e voltam para Deus.

Olha que coisa mais curiosa! E existem milhares de espíritos nessa condição de
“Alaruê”. Eles são totalmente desclassificados, quer dizer, olha o termo, é
desclassificado. São espíritos desclassificados, não têm propósito, não têm motivação,
não têm objetivo, não têm nada. Ele gosta de chegar lá e aporrinhar as pessoas. Agora
quando ele aporrinha e desequilibra, ele sai de perto porque não gosta. Ele perturba um,
aí a pessoa desequilibra assim e ele cai fora, foge de perto, fala: Cruz credo! Agora,
olhem que desclassificação, que natureza! Que vida é essa? Aí repentinamente alguém
faz uma prece:
“Pai Nosso que está nos céus...”

E aí quem está ali por perto escuta e fala:


“Puxa!...”

Sai da sintonia, o padrão, entra numa realidade, ele forma uma sintonia que faculta o
Plano Espiritual chegar e levar. Não é curioso? O quanto é sutil esse plasma no Etérico.

Você vê por exemplo que tem determinados planos já, o espírito chega numa
condensação tão terrível, que ele se lança a um aspecto dimensional que inclusive é
alterado da dimensão dos sofredores que tratamos. Já é uma outra dimensão.

Quer dizer, no campo concepcional que ele fica, ele tem tanta deformação mental que
ele assume uma forma de um bicho. Ele é um “bicho ambulante”, mas um bicho dentro
da dimensão que está, pelo acrisolamento da própria mente.

168
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
(Trino Ajarã, Mestre Gilberto Zelaya)
Bálsamo, uma vez eu estava no Sétimo de mamãe, e ela viu um espírito... Naquele
tempo, aquela entrada da ponte, era uma tábua de madeira, e ela gritava:
“Meu filho, chama muito doutrinador, muito doutrinador, muito doutrinador!”
“O que é mãe?”
“Tem um espírito que está chegando aqui e a calda dele está na ponte!”

Quer dizer, da distância da casa dela para aquela ponte. E eu fiz a doutrina, e ele não
falava. (...) E a reação, da Clarividente, do apará é que precisaria de muito doutrinador
para fazer a Elevação.

(Mestre Bálsamo)
A benção de Deus é tão grandiosa, que como existem dimensões no Plano Espiritual,
existem dimensões no Sistema Etérico. Vejam o que é a bênção de Deus. Vejam que o
Elítrio por exemplo, ele sai urrando e tudo mais, mas ele já não fica na dimensão do que
tratamos aqui, já é uma outra dimensão. Como a dimensão daqueles também com
deformação, quer dizer, a ponto de parecerem animais, é uma outra condição, onde ele
próprio se conduz pela mente similarmente, perfeito?

A Centúria, por mais que a Centúria tenha importância, você não vai ter estrutura para
penetrar em determinados assuntos, você ainda vai pegar muito Médium
“impressionado”, e muitas vezes você não sabe se a Herança que ele vai receber, se ele
vai ter uma tendência muito mais destrutiva do que construtiva, você vai se surpreender
muito se o Centurião que você formar, se ele descambar, tanto quanto você vai se
surpreender com grandes companheiros de jornada, você pode se surpreender com um
Centurião que você nunca mais vai ver, e ele vai ter que cumprir um tempo lá fora, foi
muito grande o impacto pra ele.

(Trino Ajarã, Mestre Gilberto Zelaya)


E esse condicionamento, o outro extremo, mamãe dizia que tinha a magia negra mesmo,
mas a possibilidade (....)

(Pergunta de um mestre que assistia a aula)


Mestre Bálsamo, para não insistir nessa mesma pergunta que eu fiz, nós temos aqui os
“sexus, os “murumbus” ou como o senhor poderia nos aperfeiçoar nisso aí para um
melhor discernimento nas nossas instruções?

(Mestre Bálsamo)
Com relação a ter que buscar, destrinchar assim, porque eu não acredito que um
médium na Centúria, eu acho a Centúria tem uma importância (...). Isso faz muito
médium impressionado e muitas vezes você não sabe qual é a herança que ele vai
receber de Esparta ali, se ela vai ter uma tendência muita mais destrutiva do que
construtiva. Você vai se surpreender com muitos Centuriões que você formar que vai
descambar. Tanto que você vai se surpreender com tantos companheiros de jornada,
você pode se surpreender também com um Centurião que você nunca mais vai ver. Ele
vai ter que cumprir um tempo lá fora, foi muito grande o impacto para ele.

Então é muito relativo, formar um grupo de Centuriões e esperar que todos sejam
realmente Centuriões, isso também é hipocrisia de nossa parte. É impossível! Porque a
herança que o consagrará pode trazer uma enfermidade, pode trazer um tremendo

169
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
desequilíbrio, onde ele será sustentado pela cultura da força daquilo que ele concebeu na
Centúria, mas ele poderá sempre ser distanciado, ou se distanciar em busca de questões
que não estão contidas ali, ou em busca também de algo que te pertence e que também
não está ali, ou ser afastado também por outros valores, ou por fraqueza pessoal, ou por
fraqueza induzida pelo processo de atuação.

Porque proporcional também à estrutura dele, algo também que ele ainda não tinha
condições de receber, mas que também é dele, mas que já está passando o tempo de
chegar poderá ser trazido. Então por isso é que existe um limite dentro daquilo que deve
ser informado, porque nunca você sabe qual espírito você está lidando com ele, qual o
relacionamento cármico dele.

Então, é sempre construtiva a bagagem que a Centúria oferece, a Contagem que a


Centúria oferece, a preparação que a Centúria oferece, todo o conjunto de preparação
ele é altamente construtivo, mas por simplesmente ela dar base, pela própria força da
bagagem que ela dá, ela também abre perspectivas para que ele passe a receber dores
que ontem ele não recebia porque não tinha estrutura, então deu o que ele pode receber,
mas você não pode prever a reação dele, perfeito?

Então, tem que haver sempre um cuidado com naquilo que falamos e como falamos,
porque tudo que temos é a aparência, na realidade não sabemos o que está na
transcendência, perfeito?

(Mestre que assistia a palestra)


Inclusive eu presenciei um caso aonde um Instrutor de Centúria explicou esboçando a
figura desses espíritos nome por nome e a moça quando chegou em casa, assistiu a aula,
quando chegou em casa disse ter visto um espírito e se desequilibrou.

(Mestre que assistia a palestra)


Pelas bênçãos de Deus, se um indivíduo que é portador de câncer (...) será que ele
consegue se libertar desse elitrio?

(Mestre Bálsamo)
Depende muito do caso, isso é muito relativo. Cada caso é um caso. Estamos entrando
no mundo dos relativos onde é impossível estabelecer um conceito único. Cada caso é
um caso.

Por exemplo, eu nunca soube de um mestre ou ninfa nesta Corrente, que ouvisse Tia
falando sobre sexo, ou em sexo, numa aula. Nunca, em hipótese nenhuma Tia tratou
esse aspecto em uma aula. E muitas vezes também eu fui intuído, também sempre
preservei. Ela nunca tocou nesse assunto.

E a única referência desses valores contidos, está numa das Palestras de Umahã com ela,
numa das Aulas de Umahã, uma Carta da década de 60, foi escrita lá em Taguatinga.
Taguatinga foi a partir de 14 de fevereiro de 1963. Então foi uma situação em que ela
pensou:
“... uma coisa que pairava no meu pensamento....

Está por escrito.

170
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então, em resposta ao que pairava no meu pensamento, a voz então falou: Sexo é
decorrência natural da natureza dos homens.

Só: “Sexo é decorrência da natureza dos seres encarnados.” Só.

Então por exemplo, ela fez questão dentro de determinadas linhagens, tem sexús,
murumbús, e bandidos do espaço. Especificamente foram as três categorias, que ela
citou parcialmente, porque eu nunca tentei me aventurar a ir além, fiquei dentro do que
ela falou.

O murumbú por exemplo, são Legiões terríveis, e são espíritos que desenvolveram o
gabarito da hipnose. Eles têm a capacidade de hipnose, de hipnotizar um espírito e fazer
o que bem pretenda.

E sexús, como o próprio nome sugere, como o próprio nome sugere, então da mesma
maneira como existem Legiões que já se especializaram na ação da catalisação
plasmática, controle de mentes, formação de correntes naqueles que são viciados em
drogas, em meio aos toxicômanos, traficantes, então sabemos que existem aqueles que
se especializam no campo também do alcoolismo, naturalmente também sexús, sexo,
sensualidade, então há também toda uma infraestrutura que tenta induzir, tenta
desenvolver, tenta influenciar, este campo também de ação, em desequilíbrio, formar
níveis que favoreçam, não é? Salve Deus!

Então, bandidos do espaço também, Tia também fez uma referência, porque são
perigosíssimos, muito astuciosos, e frios realmente, especializados em também
escravizar espíritos, que também, me parece, aí já é hipotético, então não afirmo,
também tem o gabarito de hipnose, eu não sei se contratam esses outros, fazem
pagamento para que hipnotizem em favor deles, e eles então levam, e trocam através de
energias, e outros valores que determinados Exus, negociam, são mercadores de vidas.
Então são muitas as situações.

Mas aí também, entra também no aspecto do relativo: “


Ah, é relativo... “

E sabendo que o Vale é “terra de relativo”, a gente tem aspectos que só se tratam dentro
daquele limite. Não é porque alguém insiste que é dado saber. Para quê saber mais?

Eu nunca me aventurei por incapacidade, e também por pressentir que não devo falar,
não devo insistir, não há como construir, não há como você ser construtivo, o que é que
você está construindo com essas informações? Não! Então você dá um sentido de alerta,
a pessoa tem então uma noção de muita coisa assim na Terra como no Céu, mas é a
gente se exige mais nos aspectos mais fundamentais, que se traduz pela preparação do
Homem na sua jornada.

Então tem aspectos também que eu tomo cuidado, porque aí eu vou entrar no campo
hipotético. Por mais que se já tenha mais desenvolvido ao longo dos anos, na minha
percepção, na minha experiência, mas é uma coisa tão pessoal aqui, para mim é tão
inútil... e não é! Mas, para que?

171
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
(Mestre que assistia a palestra)

(Mestre Bálsamo)
Olha, a grande proteção de qualquer homem, de qualquer ser, e particularmente alguém
que é tão visado, exposto à Justiça Universal como é particularmente o médium
Iniciado, é o equilíbrio da mente, é o sentimento, é o comportamento.

Porque proporcional a essa condição, então ele desenvolve em sua própria força, na sua
própria ordem, na sua própria iodização. São defesas naturais que o fortalecem em
possíveis atuações. Mas, toda a proteção normalmente, ela sofre a dependência
justamente dos valores do íntimo.

Embora é claro, quantas vezes nos nossos momentos de deslize, e tudo mais, e de
fraquezas nas diferentes atuações, então intercede em nosso favor o nosso mentor, o
nosso guia. A gente tem essa vantagem de estar sempre junto a um padrinho, alguém
que nos ama, alguém que está por Deus auxiliando a gente. A Tia inclusive dizia o
seguinte:
Olha, cuida sempre da tua guarda em termos de sua frente, com o que você se depara,
com o que você se confronta, porque nas suas costas ninguém te pega.”

Tem sempre alguém protegendo suas costas Jaguar. Você nunca tem que se prevenir.
Agora, te compete a ação do que vem pela frente. Então, você tem que estar atento, tem
que estar de guarda, tem que fazer por onde. Então é proporcional a essa iniciativa, a
essa disposição íntima que você se resguarda mais.

Eu me lembro que no meu tempo: Olha, então, nêutron é a força que divide os Planos.
Segundo, o ser humano na Terra tem três plexos: Plexo Físico, Micro Plexo e Macro
Plexo. Um Plexo é o Perispírito, outro Plexo é a Alma e o outro Plexo é o Corpo.
Terceiro item...

Agora, antes da Centúria, o Obatalá por exemplo era de várias formas. Antes realmente
da forma Iniciática do Vale, do Templo:
“Oh Obatalá, Meu Divino Obatalá...

E inclusive você ser surpreendido no meio ali:


“Oh Obatalá, Oxente...”

E tudo tinha um meio e o espírito passava, não é? E de vez em quando ela falava:
“Não, tem que falar direitinho...”

Ela nunca falou que eram quatorze palavras:


“Oh, faz direitinho, não é assim não...”

Mas todo mundo falava:


Oh Divino Obatalá...

E um peteco danado, mas ninguém dava informação. Então, essa estrutura formal de
conhecimentos começou a partir da Centúria:
“Olha, a Entrega é quatorze palavras, a Chave de Preparação...”

172
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
“Chave?”
“É, Chave de Preparação...”

Tem até aquele caso por exemplo, quando dependendo do espírito que incorpora no
Apará, quer dizer, você percebe ali um espírito realmente terrível, um espírito difícil, e
aí chega o Doutrinador e
“Oh Obatalá...”

Faz a Entrega e ele continua ali. Aí você pressente, intuitivamente você percebe que há
necessidade de maior de volume de liberação ectoplasmática, de mais força de Entrega,
e que você já viu que é possível utilizar. Você chamar mais dois Doutrinadores e junto a
você, e os três juntos, numa só voz, fazer as três Entregas. Quer dizer, vai aumentar,
triplicar a Força da Entrega e, portanto, de emissão ectoplasmática.

Então, chegou até aquele caso assim, começou a avinhar, falar:


“Chave? O quê que é Chave?”

É Chave, como chave de carro, quer dizer, se você não estiver com a Chave certa você
não abre a Preparação. Quer dizer, alguém chegar e incorporar alguém lá na Mesa e aí o
Doutrinador falar:
“Escuta, vem cá mais dois Doutrinador, vamos lá fazer uma Entrega em conjunto....”

Ela falou assim:


“ – Não senhor! A Entrega é uma Chave! Nunca vi enfiar três chaves no mesmo
buraco!”

Quer dizer, então existem todas essas fases que a gente vai passando pelo
conhecimento, não é? Aí, quando a Tia falou que é Chave, e todos:
“Chave?”

É, é uma Chave, é um conjunto de palavras:


“Senhor, Senhor, faze a minha preparação, para que neste instante, possa eu estar
Contigo.”

Então é uma Chave, é Chave! Porque você tem que fazer correto, é uma Chave.

Mas, anterior a esse período de 1976, a importância da Centúria se caracteriza por isso.
Porque hoje por exemplo, nem o Desenvolvimento ensinava naquela época isso, não é?
Mas aí então a Centúria começou a permitir à Tia, no momento certo, na hora certa,
então a informação de muitas perguntas que tínhamos, mas não tinha respostas. Claro,
ela sabia, e ainda nem era permitido ainda ensinar, não é?

Aí então em 1976 começou a formalizar esses aspectos:


“Olha meu filho, a Preparação é uma Chave. São quatorze palavras, é preciso fazer
corretamente.”
“Olha, a Entrega é quatorze palavras....”

Então, tudo que foi ensinado da Elevação é que eram quatorze palavras. Então sempre
vem batendo nesta tecla. Então, o que é a Entrega? A Entrega é uma Chave de quatorze

173
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
palavras. Quer dizer, vejam bem que tantos anos depois, é a primeira vez que se trata da
maneira como foi tratado foi hoje.

Mas o que é realmente a Iniciação? O que é que foi falado? A Iniciação é uma
Iniciação! Qual é a resposta mais certa? Foi dada alguma? Nunca foi dada! E aqui no
meio de tantos valores, o que é que foi falado? Nada. Só o mínimo!

E vejam que de 1958, 1959, princípio da jornada da Clarividente até 1976, nunca foi
tratado. Agora, ela sabia! Mas ainda não havia uma cultura formalizada para ela dar esse
princípio do cuidado dos espíritos.

Eu na minha época inclusive, eu me lembro de quando eu cheguei aqui, eu cheguei, eu


tinha momentos que eu estava bem tranquilo assim, daqui um pouco começava com
uma falta de ar tremenda, quase morrendo afogado, e um dia eu cheguei lá e falei:
“Tia, eu não aguento mais...”

Ela virou e falou:


“Tenha amor, trabalha muito Espiritual...”

Eu pensei:
“Mas que diabo dessa velha, olha o quê que ela me fala! Eu estou quase morrendo aqui
e ela fala em ter amor e trabalhar espiritual!”

Passou muito tempo depois, mas muito tempo depois, já tinha acabado, eu nem
lembrava mais que tinha tido aquele problema, um dia eu conversando com ela assim,
eu falei:
“Tia, estou lembrando agora de uma falta de ar que eu tinha, e que eu cheguei pra
senhora e...”

Ela pegou e falou:


“Pois é, e eu te falei só pra ter amor. Era um Elítrio.”

Eu falei:
“Ora, porque a senhora não me falou naquele tempo?”
“Porque se eu te falasse naquele tempo você teria ficado enlouquecido, teria ficado
louco...”

Então, por exemplo, você tem uma estrutura hoje. Mas você deverá sempre desenvolver
a condição de estar atento para as possibilidades daquele que está diante de você. Nunca
trabalhe alguém pela sua possibilidade, procure descobrir sim, a possibilidade da
pessoa, para que você dê a ele sob medida. E também, um outro aspecto, não se dá para
a pessoa o que ela pede, muito menos o que ela quer. Na sua vida não foi assim! Na sua
vida jamais será assim, você não tem o que pede e o que quer. Você pode perceber que
você vai recebendo e vai concebendo de conformidade com a luta, com o trabalho, com
uma conquista.

Portanto, você tem que saber administrar também aquilo que sabe e dispõe. Sobretudo
em respeito também àquele que te procura. O que caracteriza realmente um mestre desta
Doutrina, é a faculdade de estar sempre atento às possibilidades do discípulo, e não agir
por sua condição de mestre.

174
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
O Mestre se caracteriza por estar sempre de acordo com o Discípulo, nas possibilidades
do próprio Discípulo, e não impor no Discípulo a sua condição de Mestre. Observa que
é impossível exigir que o Discípulo suba até você. Então, enquanto isso ainda não é
possível, compete a você descer até onde está ele.

Esse é o Mestrado, esta é a conquista do coração, é não se prevalecer sobre ninguém.


Por quê? Porque você não pode, você não tem o direito! É covardia prevalecer com o
imenso valor que você tem sobre alguém que não tem nenhum.... Tem, mas ainda não
descobriu. Tem, mas ainda não despertou. Tem, mas ainda não aplica. Tem, mas ainda
não acordou. Tem, mas ainda está dormindo. Ele precisará primeiro ser Iniciado, ou
seja, ser acordado, ser despertado dentro de um princípio de possibilidades. Salve Deus!

Todo o nosso Sistema é por princípios espontâneos. A Doutrina é um princípio


espontâneo que não tem começo nem fim, mas sim pontos de partida. Princípios
espontâneos. Porquê é que Tia sempre alertava os Doutrinadores para não forçar um
Apará a incorporar? E quando acontecer de ter o privilégio de ter um Médium
incorporado para um Trabalho, não tentar forçar comunicação, arrancar coisas. Por quê?

Porque podem ter certeza, e todos aqui sabem disso, tudo aquilo que precisou saber,
veio no momento que menos esperou. Às vezes até atendendo um caso, foi lá dar só um
passe magnético num Apará, mas percebeu que era preciso chamar o Mentor dele para
reequilibrar ele, e repentinamente a Entidade transmite alguma coisa que ele precisava.
Repentinamente está o outro Aparelho lá, trabalhando com outro Doutrinador, e
repentinamente, sem menos esperar:
“Olha, estão te chamando ali....”

Aí você vai lá e recebe aquilo que você está precisando e nem sabia, você já tinha até
desligado.

Quer dizer então, esse conjunto de manifestações espontâneas, nós temos que cultivar
no íntimo. Nada forçado em nosso Sistema é bom! Ele é extremamente prejudicial. Nós
temos que preservar o princípio espontâneo, o princípio da manifestação espontânea.
Quer ter um Apará propenso a interferência? Força a Incorporação, induza
comunicação, exija uma mensagem, questione o Espírito....

Então, principalmente pela sutileza do Apará, nós não podemos forçar. Sobretudo no
Apará tem que ser o princípio espontâneo. Deixe que venha, deixe que venha de quem
sabe a hora, não é? Não você!

Vibre, vibre com carinho! Você quer uma resposta, você está em conflito, então:
“Jesus, me ajude a encontrar a minha resposta...”

Mas não force! Vibre interiormente, pede com carinho:


“Oh meu Deus, a hora que o Senhor achar que é hora de eu saber, e se eu preciso
saber realmente, se eu posso saber, então me mostre o caminho, me esclareça...”

E caminhe! E caminhe! Deixe que surja por manifestação espontânea, porque aí vem
muito mais verdadeiro, vem muito mais adequado, não é? Salve Deus!

175
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
É bom a gente encerrar agora, então a Sétima Aula. Ela é também uma Aula assim,
porque é o seguinte, está contido aqui inclusive um princípio curioso: chegar num
Templo Externo e exigir do Presidente que ele seja rigorosamente como no Templo
Mãe. O Templo Externo tem que ser o Templo Mãe...

Meu Deus, como é que vai se exigir, dentro de um princípio Evangélico, que a princípio
espontâneo, princípio ainda de busca, de conquista, de localização, de adequação, que se
localize como um Sistema Iniciático onde não há “senão”? Não há meio termo, já é a
estrutura formal realmente do Sistema, que já passou por um período de adaptação, de
ajuste, de formação, de aculturação, de estruturação de Chaves, de composição. É
totalmente oposta as situações.

O Templo vive muito mais momentos espontâneos do que a formalização de uma


estrutura contida, já agasalhada, já descrita, já estrutural. Não, o Templo está
predominantemente em fase estrutural na maioria deles, ele está em fase estrutural.

Ah não, o Templo já está todo construído.... Construído a sua avó! Ele está construído
de Pedra! Mas e a estrutura mediúnica? Quer dizer, e ainda dispõe de uma dificuldade
muito maior, porque a nossa estrutura hierárquica ela tem Trino Presidente, ela tem
Trinos Herdeiros, ela tem Adjuntos Arcanos, tem Adjuntos Arautos, tem Adjuntos de
Povo. São contagens diferenciadas, são raízes diferenciadas, tem o RAMA 2000 que é a
estrutura, é a Cultura da Contagem na esperança, é a hierarquia da esperança, vem o
Sétimo Raio, já é diferente do RAMA 2000 agora. O Rama 2000 é uma outra expressão
hierárquica.

A ninfa tem culturas diferenciadas. A ninfa que chega agora não é a mesma ninfa que já
está!
“Ah, mas ela é Iniciada, Elevada...”

Não, mas uma Missionária é uma estrutura de cultura diferenciada, não é? Então por
exemplo, aí lá no Templo Externo não tem. Quer dizer, dispõe da força, mas não tem
esses limites em ação direta permanente. Então, até a estruturação ela é um pouco mais
penosa. Por isso sofre por depender de deslocamentos físicos para a busca por que
precisa ou fica na dependência do deslocamento físico dessa cultura que vá até lá. É
diferente do Templo-Mãe. São valores demais no Templo, que nós precisamos
realmente desenvolver aqui. Por que? Por realidade de fato! Então lá não é mais ameno,
não é mais fácil. Se for estabelecer o conceito de pesos e medidas, no templo externo é
muito mais difícil do que aqui. As possibilidades são oferecidas, as mesmas, dentro do
potencial evangélico. Mas veja que o gabarito iniciático, é conduzido pelo, proporcional
ao que o Adjunto vai dispondo daqueles que vão conquistando o gabarito de
Consagrações a nível de uma linha iniciática e vão começando a ter acesso a uma
cultura iniciática, a um comportamento iniciático, aí é que se vai dispondo de uma outra
ordem, para uma força decrescente dentro da realidade iniciática. Mas até que isso se
forme, até que isso se concretize, tudo o que ele dispõe é uma força evangélica: estática,
descontraída, desconjuntada, indefinida, mais problemática do que caracterizada. Salve
Deus!

176
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Curso para Instrutores de Centúria (1994)
Adjunto Jaruã – Mestre Bálsamo
Sétima Aula

Teve a pretensão de esclarecer sobre chacras. Ela que entregou os olhos para Jesus a
bem da verdade, ela que jurou uma ciência, ela que foi alguém que via e conduzia toda
essa multidão. Quer dizer, ela só com pontos mínimos, falou em pontos mínimos para
evitar complicações, então já era o que? Já percebendo, já prevendo que informações
além de um trato básico só iria confundir ao invés de esclarecer. Só iria atrapalhar ao
invés de ajudar.

Tratado sobre plexos, os senhores irão encontrar, mas há centenas, em todas as línguas,
principalmente na língua maçônica. Mas veja bem que o tratado que você já conheceu,
quando você pega na simplicidade da Clarividente, da nossa caminhoneira (...)

Em todos os aspectos da onde ela, o pouco que ela fala dessa condição coronária, quer
dizer, esse sistema da subdivisão do sistema coronário, você depende: amor,
comportamento, amor, conduta, equilíbrio, harmonia. Quer dizer, tudo que ela trata, na
relação do conhecimento iniciático, está sempre contido:
“Primeiro, procurar o equilíbrio físico moral, individualizando-se em perfeita sintonia
em Deus, para que a força da inteligência se torne perceptível por sua expressão
vibratória.

Ai mais um pouco na frente:


“Este Sol deve ser desenvolvido sempre com o objetivo de favorecer o bem acima de
tudo, na Lei do Auxílio, completando sempre o ciclo iniciático nos três reinos desta
natureza.”

Então tudo antes ela coloca a conotação iniciática e imediatamente ela destrincha o
campo de um comportamento evangélico. Olha o cuidado! E não é uma linguagem
intelectual expressiva, há uma linguagem original simples. Sintética, precisa e definida!
Recheada de errinhos de português, de “s” no lugar de “z”, de “z” no lugar de “s”, de
“ss” onde só cabe um “s”. Às vezes você encontra “s” até onde até não devia ter, mas é
ali que está contido. É a emanação, é a impregnação, resultado de uma luta de séculos.
Você pode pegar qualquer Carta que trate qualquer assunto de nível, você sempre
encontra precedendo a colocação de uma expressão iniciática, um alerta em relação a
uma atitude, um comportamento. E depois que você lê, você encontra novamente um
conjunto de mais uma vez alertando para o comportamento! Tem sempre uma coisa
envolvendo!

Uma Carta Aberta nº 01, ela dá um toque, ela fala de um “Sol Interior”, ela não fala em
plexo. Quer dizer, quantas cartas depois ela vem falar em plexo? É curioso!
“Todos nós temos um Sol Interior.”

Ela fala:
“E pela força do seu pensamento tem como medida o grau de evolução”

177
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Muito bem, aí depois:
“Este Sol deverá ser desenvolvido, sempre com o objetivo de favorecer o bem acima de
tudo, na lei de auxílio.”

Então ela é sempre recheada. Você pega uma Carta por exemplo, que é a Carta que trata
o micro mapa da Estrela Candente, que até observe uma característica, que aquela Carta
nem aqui foi escrita. Ela não foi escrita aqui! A condição dela é tão excepcional que,
todas as Cartas que você pega da Tia tem:
“Vale do Amanhecer, tanto do tanto, tanto tanto.”

Aquela não!
“Reino Central, 07 de agosto de 1977.”

Curioso! Foi escrita do Reino Central! Ela transpassou a cópia aqui.


“Reino Central, 07 de agosto de 1977.”

Aí você pega: “Magos do Evangelho” e tal, e tal. Aí você pega, no centro dela está
contido todo o conjugar de equilíbrio, de manifestação, de expressão, de força de
expressão. Contido em que? Em comportamento moral.

“O equilíbrio moral é o princípio e o poder de todas as coisas.”

Ela faz uma estrutura inicial, fecha com um tampo de uma maneira fantástica, mas
sempre contido um princípio relacionado ao Evangelho, relacionado ao amor,
relacionado a humildade, relacionado a tolerância, relacionado sempre em indutor,
indutor de você visualizar no seu próximo uma razão de sua existência. Você visualizar
no seu próximo uma razão de seu conhecimento. Você visualizar no seu próximo o seu
propósito básico. Nunca você está sendo visualizado em você, para você, mas está
sempre de você para alguém para que você receba então aquilo que te pertence. Salve
Deus!

Não tem saída! A, mas tanto quanto já se houveram recepções de pessoas caindo, mas
vai cair gente demais! Muito mais do que se imagina, vai cair, infelizmente! É para
poucos!
“Ah mestre, mas seria muita hipocrisia a gente realmente...”

Claro, isso aqui nós estamos tratando, nós estamos falando aqui abertamente. É com
jaguares de nível, de peso, homens e mulheres já com lastros. Não, mas cair, vão cair
muitos mais!

O planeta Terra tem, no momento, aproximadamente quase 6 bilhões de vidas. São


bilhões de vidas nesse etérico pesado. Sabemos que o comando desses Vales Negros,
quer dizer, prevalece a linha de comando na mais alta expressão hierárquica dos vales
contidas em quem? Em espíritos que conheceram Jesus, que ouviram falar de Jesus, que
leram Jesus, que conhecem o Evangelho, e estão lá.

Porque realmente enquanto se percorre esse caminho somente visualizando aspectos


filosóficos, a busca do entendimento intelectual desde de Jesus e sua doutrina, até ai
tudo bem! Mas, e quando o indivíduo se depara com aquele instante em que ele é

178
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
exigido para transpor realmente valores fundamentais, quando ele é exigido dentro do
comportamento daquilo que ele aprendeu a conhecer dentro da visualização intelectual?
Ai falta tudo! Por que? Porque somente ele pode se proporcionar. Ele tem que ter
atitudes. Ele tem que ter um comportamento alicerçado naquele princípio. Jesus na
mente não resolve. Só é possível só solução em Jesus, quando ele se traduz no coração.
É o centro da emoção, do sentimento. Então a partir então desse princípio de amor
contido na emoção, então há o envolvimento no campo intelectual. Aí começamos a
caminhar falando em outra linguagem, para o sistema do raciocínio. A precisão da
mente, a precisão da decisão, a precisão do discernimento, a precisão da razão.

Fé e ciência! Amor e razão! Fé nós já sabemos que não é:


“Ah, eu tenho fé em Pai Seta Branca.”

Hipocrisia!
“Ah, eu tenho acredito em Tia Neiva.”

Hipocrisia! Isso é tudo hipocrisia. Quem fala que tem fé é um hipócrita. Fé não é uma
conquista, nós já falamos aqui, uma vez para sempre. Uma das maneiras como Tia fez
analogia da fé: o que é a fé?
“Fé é determinação permanente de pensamentos construtivos.”

Me aponte uma pessoa que tem ininterruptamente pensamentos construtivos! Então


todos os instantes que eu vacilo, todo os instantes que eu escorrego, o que é que me
faltou? Não faltou a fé? Então como é que eu tenho essa fé uma vez para sempre?

Mas é uma busca permanente! Você se perde dela, aí encontra com ela, e perde dela, se
reencontra com ela, quer dizer, essa é a jornada! Essa é a luta! É a insistência! Pode
observar, qualquer um que chegue lá no Pai Seta Branca e tudo mais, quando acontece
aquele probleminha que o contraria, que o contradiz, que o faz sofrer, a primeira coisa
que ele faz é condenar o Pai. Condenar os espíritos, condenar o Vale, condenar as
pessoas, condenar todo mundo! Coloca em xeque toda a justiça divina!

Enquanto ele está bem, dinheirinho no bolso, conta bancária, a mulherzinha, está tudo
bem em casa, carro, tipo prêmio família, está tudo certo!
“Graças a Deus! Eu amo todo mundo!”

Agora deixe acontecer aquele problema que (...) Salve Deus!

É esse é um assunto complexo também. Para nós termos uma ideia, quer dizer, veja bem
que já em 59, foi quando Tia recebeu Mayanty, Tia já tinha um princípio de cultura que
já facultou acesso ao ingresso na Alta Magia de Jesus. Veja que em 59 ela já tinha
passado pela Dharmo-Oxinto, ela já tinha passado pela sua Elevação, já tinha recebido
algumas Consagrações complementares como aquela que nós falamos, a Consagração
dos Caboclos, na energia das matas. Mas recebendo as lições, quer dizer, as aulas dela
com Mestre Umahã começaram no princípio de 60. Durou 4 anos. E você vê, que aí
quando teve um instante que nós estávamos reunidos aqui que falamos que a Elevação
de Espadas veio em 75, e falamos que a Centúria começou em 76 e até aqueles instantes
da Centúria, nem a Entrega como chave de 14 palavras ainda era tratado. Quer dizer,
então, todos aqueles que já seguiam Tia anterior a esse sistema, todos tinham muitos
conflitos, muitas perguntas, e tudo mais, e um mínimo de respostas. O mínimo de

179
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
respostas definidas. Quer dizer, foi a partir desse instante foral desse curso é que então
estas chaves começaram a ganhar conotação. Aí começamos a chave correta:
“Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.”
“O que é?”
“É isso!”
“Salve Deus! Graças a Deus!”

E tal. Chave de Preparação, Chave de Entrega, Chave de Encerramento. Então esses


valores começaram então a ser ilustrados. Então, por exemplo, falar sobre o que falamos
aqui: o reencarne, o desencarne, o sono cultural, o charme e Origens. Quer dizer, há
quantos anos ela sabia, já tinha sido revelado e ela carregava em silêncio, aguardando a
autorização para poder começar a falar. Quer dizer, foi necessário todo um processo não
só de aculturação individual, mas que também sofreu, sofreu dependência até que ela
atingisse o número de adeptos, de seguidores, de espíritos afins que iriam chegar no
futuro de sua missão, que depois de tantos anos receberiam a Iniciação Dharmo-Oxinto.
Porque essa Iniciação forma coletiva contida na Dharmo-Oxinto, a primeira foi em 73.
73, 74, quer dizer, dois anos depois a Elevação. Mas isso eram valores que desde o
princípio da jornada para ela não eram mistérios. Agora veja os critérios que teve que
romper através do tempo para que assuntos tão, que hoje nós tratamos de maneira tão a
vontade, precisaram esperar no tempo para serem tratados. Quer dizer, houve
necessidade de uma preparação. E é curioso, que todos esses aspectos que tratamos aqui
a gente perde até essa noção de importância ou de dificuldade comum em entendimento
a profanos. Mas lembremos que até no Desenvolvimento, o indivíduo chega:
“Eu quero... uma entidade me convidou para desenvolver, eu quero dar meu nome para
o Desenvolvimento.”

Naquele instante é nome e idade. A primeira avaliação dos médicos de cura é a


condição cardíaca do paciente para saber como localiza-lo na mediunidade. A primeira
avaliação é cardíaca. A noite quando ele vai dormir, depois que ele deu o nome, então já
vem entidades no nosso corpo, já vem, pega esse espírito e leva. Já, dentro de uma
visualização do seu quadro, aí ele recebe a primeira cultura lá! Porque senão quando ele
chegar no domingo aqui ele não terá a menor possibilidade de entender essa cultura e
assimilar essa condição ali. Então primeiro é preparado o espírito lá para depois ele
começar a receber o preparo aqui.

Quer dizer, é aí que ele começa a se tornar receptivo a essa mensagem e a assimilação
desse conjunto de forças diretas. Então há todo um tratado, há todo um cuidado nos
menores aspectos de nossa Corrente. Salve Deus!

Então, chacras e tudo o que ela falou foi... quem ouviu falar além? José Carlos, você
nunca ouviu. Ela ir além de: o chacra frontal, os dois, a linha de comando, da vida e da
morte e do interoceptível. E pressentimos (...) já pela curiosidade nativa de que existe
toda uma distribuição e tal e tal e tal. Talvez alguém que tenha tido acesso a um
conjunto de Cartas bem mais avançados, já chegou a ler quando ela fala no Princípio
Euro físico, os pontos euro físicos do corpo. Mas isso é uma outra história! Mas ela não
se preocupou com isso, ela nunca falou além disso! A preocupação era entender o
interoceptível, esta linha de comando da vida e da morte.

Quer dizer, era fatal, era fundamental esclarecer sobre a importância do equilíbrio, sobre
o que resulta o desequilíbrio de uma pessoa. Quer dizer, ela sempre se restringiu a

180
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
aspectos básicos, embora todo esse sistema de conhecimento avançado, justamente
esteja contido nesse princípio. Mas que também não é para o trato vulgar simplesmente
de alguém que fale com a pretensão de falar. Mas para o encontro individual daquele
que faz por conquistar esse descortinar, essa revelação. Ai já não vem pelo plano da
informação, mas pelo plano da revelação. O sistema do ensinamento formal pelo
instrutor, pelo Adjunto ou pelo Trino, e esse já é o sistema contido pela revelação. É a
busca do discípulo, aquele que realmente está se situando ao alcance dos mestres. Então
vindo a ele proporcional, a necessidade de merecimento.

É preciso demais! Não é como queremos! É como é necessário, é pelo aspecto


necessário. É um aspecto preciso! Simples, objetivo, descomplicado. Pode perceber que
todas as complicações contidas em nosso meio, não são complicações do sistema
técnico-doutrinário. São complicações do nosso fator psicológico. Todas as
complicações que nós encontramos em nosso meio, estão contidas no comportamento
humano-psíquico, não contidos no sistema técnico-doutrinário. Nós somos aqueles que
complicamos e a Doutrina é a expressão que simplifica. Salve Deus!

Jaguares, essa sequência de Cartas, estas sete Cartas que acompanham os Roteiros, por
mais que os senhores tenham lido, ontem, antes de ontem, em seu tempo, em seu tempo
de acesso, os senhores vão perceber que a partir das leituras agora vai ter um impulso
extraordinário no descortinar dos valores ali contidos.

Esta Carta inclusive, a Carta da 6ª Aula, é até extraordinário um aspecto aqui, porque,
inclusive nem há uma preocupação de tratar esse assunto não. O que nós tratamos sobre
Origem aqui é o básico. O que falamos de Canal Vermelho, o que falamos de Origem.
Capela, para a gente aqueles pequenos aspectos são mais do que suficientes. Porque
lembrem-se: o importante é a sintonização daquele médium com esta realidade! Mas
esta Carta por exemplo aqui, a da penúltima aula.
“Salve Deus meu filho jaguar,
Como existem muitas formas diferentes de vida no corpo humano e cada forma
separada e colonizada, existem muitas colônias.”

Observem, é uma Carta que faz parte da contagem original desde o princípio da
Centúria, mas observem que só aqui são uma, duas, três, quatro. Essas quatro linhas são
valores que nunca foram tratados. Que nunca é tratado aqui e realmente a gente sente
que não tem nem a segurança de começar a tratar. A gente começa a desconfiar do
imenso acervo de informações que está contido aqui. Então existem muitos valores que
você vai passar, você vai transmitir a Carta, isso aqui vai para ele, ele vai ler, e como até
hoje, há vários anos isto está por aí, muitos já jogaram fora, muitos até já esqueceram,
mas muitos guardam, muitos conservam, mas está dentro de uma linha de informação
que para o indivíduo começar a realmente ter acesso, ele vai depender de muita coisa
dentro do seu coração e sua mente. E é muito relativo à sua necessidade também. A
condição missionária, são muitos aspectos. Até que ponto importa saber? Aí voltamos a
Tia:
“Tia por que?”
“Pra que?”

E aí silêncio absoluto. Mas olhe só, quatro linhas.


Como existem muitas formas diferentes de vida no corpo humano.”

181
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
É lógico? É totalmente lógico. Olha a seriedade!
“...e cada forma separada e colonizada...”

Existem muitas colônias.


“À proporção que o homem se torna mais inteligente, estas formas de vida se tornam
cada vez mais sintéticas e simétricas. Existem muitas formas de vida na forma mais
alta animal.”

E podemos afirmar, sem susto, que 99% dos nossos homens já pensam que não tem
nada mais para saber, que já sabem tudo. Quer dizer, só em 4, 5 linhas aqui já
desmontou a estrutura do saber de todos vocês que estão aqui dentro! De todos nós que
estamos aqui dentro! Quem é que tem capacidade de dizer que sabe depois dessas linhas
aqui? Como é possível se permitir ficar estático? Se acomodar dentro das linhas do
saber, depois de umas linhas como essas?

É desconcertante, quer dizer, Tia Neiva foi extraordinária! Nós não podemos nos
permitir estacionar. Realmente não há possibilidade de dar uma aula tranquilo. Você
não tem condições de tem possibilidade de chegar que você dê 100 1ª aula de Centúria,
200 aulas de 7ª aula de Centúria e você chegar e falar com tranquilidade. Você tem que
estar sempre inquieto, sempre provocado, sempre desafiado. Por que não serão sempre
os mesmos homens, às mesmas correntes, as mesmas projeções, às mesmas
circunstâncias, os mesmos aspectos. Não tem possibilidade!
“Não eu não preciso saber mais, eu já...”

Como é que é? Salve Deus!

“Existem muitas formas de vida na forma mais alta animal.


Colonizado, o homem atual, este homem, sabemos que vive no segundo ciclo. De
acordo com o seu ciclo, desenvolvendo as formas coloniais de vivência, formas de vida
que podemos ver a olho nu. A grande obra que está sendo realizada nos planos
superiores vai eliminar do corpo humano todas as formas inferiores de vida.”

Isso aqui é uma linha de despertar dentro da mais alta expressão da psicologia. Então,
quem somos nós? Nós somos uma porção de analfabetos em busca do saber. E
precisamos continuar pensando assim. Quando estivermos diante dessa ideia do saber é
colocar o joelhinho, de joelho, o coração e falar:
“Oh meu Deus, me ajuda.”

Porque nunca sabemos realmente! Quanto mais pensamento que temos, é muitas vezes
quando não temos. Não nos esquecer de Jesus em seu alerta:
“Ao que tem ser-lhe-á dado, e ainda sobre o que tem ser-lhe-á acrescentado, porém
muito será exigido; e ao que não tem, ainda o que pensa ter ser-lhe-á tirado”

Isso é uma realidade, entenderam? Porque Paulo de Tarso, por exemplo, sempre
buscava se preservar:
“Não sou eu quem digo, é o Cristo que vive em mim...”

Em todos os instantes, nos aspectos de sua jornada, ele sempre afirmava uma condição
que não era dele, mas uma condição que vinha através dele. Ele acordou cedo, mesmo

182
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
tendo ouvido aproximadamente cinquenta anos depois, quer dizer, nem tendo conhecido
Jesus pessoalmente, mas ali em seu campo de informação ele logo percebeu:
“Nossa, eu não sou nada! E só sou quando age através de mim...”

Ele imediatamente acordou para esse aspecto, e sempre insistia nesse aspecto. Salve
Deus!

Casas Transitórias e Estrelas, no exemplo de uma série de valores que tiveram que
aguardar muito tempo, este é um dos aspectos que mais tiveram que esperar. E que pelo
que concebemos de lição de Tia, de extensão de sua jornada, não era nem para ser
tratado. Isso já está contido num dos aspectos da mais alta expressão de conquista de
Tia. Porque sabemos, ela afirmou sob juramento:
“Pelos Olhos que entreguei a Jesus”

Como ela dizia:


“A minha missão terminou em 1974”

Então, a missão de Tia Neiva terminou em 1974. Tudo que veio depois disso foi por
acréscimo.

E observamos, por exemplo, o Curso Estrelas, esse foi um período inclusive que a gente
pressentiu, depois que a gente foi perceber toda uma característica Iniciática, dolorosa,
dolorosa!

Ela imediatamente, quando começou o avinhamento dessa ela começou a preparar o


Mário Sassi (Trino Tumuchy) para dar um Curso sintetizado em nove Aulas, para jogar
as mentes na Sintonia das Estrelas.

Então, ela preparou o Mário Sassi (Trino Tumuchy). Esclareceu, esclareceu como nós
estamos falando aqui, dessa maneira informal, não é? Para dar um Curso, sintonizar as
mentes dentro desse conjunto de valores: Casas Transitórias, Sandays, etc., e já naquele
tempo os Turnos começaram a se tornar uma realidade. O planejamento era colocar
aqueles Turnos em evidência, mas que nunca funcionaram, e a gente não sabe quando
será possível, colocar isso realmente em evidência. Turno Avagano, Turno isso, Turno
aquilo, etc. Mas foi também nesse período.

Bom, imediatamente ela cai, e uma daquelas quedas “brabas” da saúde dela, e foi
imediatamente internada. Aquela Terceira Aula por exemplo, a Terceira Aula o Mário
Sassi (Trino Tumuchy) nem pode ministrar. Ele correu lá no Nestor (Trino Arakén),
convidou o Nestor, o Nestor veio e deu essa Terceira Aula, e ele foi lá dar assistência no
hospital, etc. Ela estava na UTI. Então, nove Aulas, onde você percebia nitidamente o
constrangimento, o “Seu” Mário estava numa fase de ascensão mesmo, muitíssimo bem,
quer dizer, bem pelo menos aos nossos olhos, no campo da informação, da segurança, e
tudo mais.

Então Estrelas, foi a primeira vez que se falou em Harpázios, Sivans, Taumantes,
Acelos, Gestaes, quer dizer, tudo, todas essas Estrelas, foi a primeira vez então que se
falou nesses nomes. Então, ela começou a sintonizar nossas mentes com esses aspectos,
porque logo em seguida foi facultada a Consagração. Aí dentro do Mestrado, então

183
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
passou a ser incluída essa condição na linha da Consagração. Mas primeiro era preciso a
informação para a sintonização mental.

E se observarmos, tem uns aspectos assim extraordinários! Por exemplo, quando fala na
Nave Mãe, essa Amacê, essa Nave Mãe que tem o comando básico da Estrela Candente,
por exemplo, é extraordinária a ideia de proporções pelas nossas concepções.

Quer dizer, aí você:


“Tia, e qual o tamanho dela?”
“Ela não pode pousar aqui...”
“Por quê? ”
“Porque aqui não tem espaço para ela...”

Quer dizer, são dimensões. Então as pequenas naves, são pequenas naves que se
deslocam, as Chalanas ou Cassandras, dentro de um atendimento mais direto, mais
próximo da nossa realidade. Então são pequenas naves que se deslocam dela, porque ela
não tem nem possibilidade de uma aproximação, de ficar mais próxima. São gigantescas
ela dizia, gigantescas, mas gigantescas!

Quer dizer, então é um assunto complexo, delicado, onde a preocupação é só a sintonia


do médium. Quer dizer, esses nomes, Acelos, Harpázios, são Estrelas, são naves
gigantescas, que vêm de Capela. São naves que, para terem acesso a esse plano de
relação, então passam pelo Portal de Desintegração que é a Lua, lá ele entra dentro de
uma outra composição molecular, e aí vem até nós, até esse Plano. E agem, ajudam,
auxiliam, projetam, etc., etc. E quando retornam para Capela, passam novamente pela
Lua, há um imenso Portal de Desintegração ali contido, reintegram sua estrutura
molecular original, e então volta para Capela. Salve Deus!

Casas Transitórias – Aí citamos, na intimidade do nosso convívio ali, de Instrutor para


Instrutores, de Mestres ensinando a Mestres, Mestres aprendendo com Mestres, que
“Nosso Lar” é um dos exemplos de Casa Transitória. Dos níveis de um processo de
atendimento similar ao Canal Vermelho, que também é uma, curioso, uma gigantesca, é
como uma Nação, mas é uma Casa Transitória.

Mayanty – Um corpo, um ponto no espaço, gigantesco, mas intermediário de todo um


campo de ação de forças, comandos, níveis, projeções, etc., relacionadas ao nosso
Sistema, e é também uma Casa Transitória.

************************

Salve Deus!

Tem que ser pela energia, né? Quando a gente falou naqueles outros aspectos dos
acontecimentos de Pai Zé Pedro, Pai João, Pai Joaquim e mais outros pretos-velhos e
pretas-velhas, na realidade, aqueles 108 pretos-velhos ali, e falamos que naquele
período eles estavam reconquistando o direito da Corrente Mestra africana que opera no
Templo-Mãe. Agora naquele instante também aquele episódio por eles vivido, estava ali
sendo formado o Adjunto de Jurema. Então, é esse o Adjunto que nos governa agora. É
o executivo da Doutrina espiritual quem é? Pai João. Aí vem Pai Zé Pedro, Pai Joaquim.
Então nossas princesas, quer dizer, então aqueles espíritos ali estavam compondo o

184
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Adjunto de Jurema. E estavam na Terra e estavam sob o governo de um outro Adjunto.
Aqueles que se evoluíram, que se libertaram, naturalmente passaram a ser responsáveis
pelos (...) que outros anteriormente ocupavam e aqueles que estava então naquele Ciclo
passaram a um outro Ciclo. Aqueles de nós aqui que conseguiram se libertar do carma,
manipular o charme, cumprir sua missão, estará compondo um Adjunto de governo no
amanhã desta mesma Doutrina. Salve Deus!

Então, por exemplo, quem orientava Pai Zé Pedro, orientava Pai João, era mais
frequentemente um Vovô Agripino, um Vovô Indu, etc. Então hoje já estamos em outro
Ciclo e naquele Ciclo que então que eles ocupavam em seu tempo, esse era o processo
evolutivo. E assim esse é o ciclo da vida. Inclusive até, tive o privilégio muito maior do
que aqueles que (...) por que nós antigamente dispomos, em herança de transferência
dessa Corrente Africana, nós também dispomos da Corrente Indiana. E estamos
formando uma outra corrente. Salve Deus!

Pois é, então além da Corrente Africana e da Corrente Indiana, nós estamos formando
uma outra corrente através do Turigano. O Turigano é como se fosse o canal direto com
as heranças contidas em Delphos, no período de Pythia ali viveu e ali está sendo
formada a Corrente do Amanhecer. A corrente original, nessa ordem, dessa tribo. É
curioso que muitas vezes em momentos assim de luto, tempestades, que as pessoas
pensam:
“Puxa, mas como será o nosso futuro?”

E as pessoas questionam as nossas possibilidades:


“Oh, como a gente vai se manter agora que aconteceu isso?”

E na grande realidade o processo está é duplicando em poder e em corpo, em


possiblidades. Então naquele instante que nós falamos em termos de investimento, o
investimento aqui foi grande demais para que ficasse na dependência de um ou outro
indivíduo. E nisso inclusive está contido uma das maiores sagacidades do plano
espiritual. Quando a gente fala em contagem, de maneira geral, a gente pensa na
contagem que é feita ali, que a gente faz ali na Entrega das Energias, pode ser a
contagem tradicional. Mas existem sete posições ritualísticas ali contidas nesse sistema.
Agora tudo é contagem! O Adjunto Koatay 108 é uma contagem. Carapuana, isso é uma
contagem. Você não está só, tem muitos outros. Turnos são contagens, dentro de uma
contagem.
“Mestre luz da falange de Sublimação.”

É uma outra contagem.


“Mestre da falange de Consagração.”

É uma outra contagem. Então existe uma multiplicidade de contagens compostos em


nosso sistema que torna totalmente impossível haver quedas dentro da cultura espiritual
de Mãe Tildes. O plano espiritual fez um investimento alto demais para ficar na
dependência de um indivíduo e quando por onde se pensa existe uma infraestrutura
operante no campo de força decrescente. Cada falange simboliza um poderoso ponto
cabalístico: Sublimação, Consagração, Sacramento, etc. Por que Sublimação,
Sacramento, Consagração, essas falanges? É a possibilidade de um mestrado completo.

185
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Tudo que compõe uma ritualística completa, quer dizer, uma estrutura completa, está
contido justamente no (...) de cada uma destas falanges. Elas representam em si as
forças universais que são invocadas nas aberturas de uma Unificação ou de um ritual
onde a Yuricy você percebe a sintonia da invocação, você vê a conotação, as sete linhas
universais. Este é o sentido completo do mestrado.

Por exemplo, a Igreja Católica não tem seus sacramentos? Então ela dispõe da força.
Não consagra? Não há o batismo? Não há o matrimônio? A consagração do
matrimônio? Salve Deus!

É, foi difícil! Agora passa o que eu digo com essa tranquilidade, com essa simplicidade.
Mestrado completo! Você veja que aquela mulher Neiva, nossa Mãe, nós temos todas
essas culturas universais aqui representadas. E o que nos faculta todo esse acervo de
possibilidades. A consagração do matrimônio. Por que? Porque nós temos a força da
consagração. Nós não fazemos casamentos no Vale, não existe casamento no Vale. Nós
consagramos o matrimônio, quer dizer, depois que o indivíduo, ele é casado no civil, ele
passa pelas leis físicas, então ele tem acesso a nossa cultura, quer dizer, ao nosso ritual
cigano, e dentro da força dos ciganos ele recebe a consagração do matrimônio. Nós não
casamos ninguém. Se fizéssemos casamento seria contrariar a lei física. Salve Deus!

Então, vejam bem, Tia se fizéssemos um casamento nós estaríamos contrariando as leis
físicas, naturais. Então compete a justiça, quer dizer, existe até toda essa estrutura
disposta no planeta para esses eventos, quer dizer, é ele que casa! Agora nós
consagramos o matrimônio, na força dos ciganos, na nossa força cigana. Agora
consagramos esse matrimônio. Vejam bem, que nós seguimos, somos tão criteriosos
que uma criança ou qualquer pessoa que tenha sido batizada por uma linha protestante
ou católica, não importa a religião, que ele tenha tido acesso a um batismo, então você
não pode batizar a criança, ele já foi batizado. Agora muitas vezes a gente permite que
passe, ele vai ter acesso ao sal, vai ter acesso ao perfume, vai perante as entidades, mas
o batismo original é respeitado, ele já é batizado.

Então o que tem ali? É só uma ilustração dentro da condição já inserida, é só mais uma
força que ele vai receber, mas já foi batizado. É o sistema universal. Então é magnífico!
Se nós observarmos, realmente em nossa Doutrina não existe a menor possibilidade da
gente sermos contestados. Nossas posições são muito claras, são muito límpidas, são
abertas, são expostas, não há mistérios! Não há mistérios! Dentro do trato normal desse
mundo não existe um só mistério do Vale, nenhum mistério na Doutrina. Nenhum
mistério! É totalmente exporto e totalmente à vontade, quer dizer, tudo é preservando
essa integridade da lei física, preservando a integridade das leis naturais do governo,
preservando o predisposto pela ONU, é tudo aqui é rigorosamente (...) e preservando
todos os valores naturais. (...) transita princípios naturais.

Agora é claro dentro da linha iniciática, evangélica, é claro que aí a penetração é um


mistério, mas é o mistério da penetração do íntimo. É a transcendência da aparência do
indivíduo, quer dizer, ai sim! Aí é que são os valores que nos ensina a caminhar, lutar,
em direção ao coração, em direção a mente, em direção ao plexo. Aí é uma outra
estrutura. A gente falando em termos assim (...) não existe um só mistério aqui dentro,
não há um só constrangimento em nada do que tratamos aqui. Tudo é exposto a
qualquer homem físico. Salve Deus!

186
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então é isso aí: Sublimação, Sacramento, Consagração. É o mestrado completo. Então
cada um dentro de uma estrutura cabalística de precisão onde existem falanges ou
legiões, que cuidam, que preservam, que projetam nos momentos certos. Presidem,
dentro dos rituais que se manifestam em nome do amor e do perdão, quer dizer, que
representam Jesus, o verdadeiro Mestre dos Mestres, etc., etc., etc. Esse é que é o
mestrado! Claro, falamos num outro aspecto. É um outro tratado. Salve Deus!

Mas, essa 7ª aula, ela é centralizada tanto quanto a 6ª, quer dizer, a aula anterior, ela é
centralizada na subdivisão do sistema coronário que é o conhecimento dos três plexos:
plexo físico, micro plexo e macro plexo, essa 7ª ela se centraliza no Oráculo de Ariano,
o Oráculo de Simiromba. Este é o tema básico.

Então aquele que tem acesso ao Curso de Centúria, ele precisa saber desse Oráculo. É
fundamental que ele tenha essa noção, pelos mesmos fatores que tratamos anteriormente
que é simples sintonização. Há um ponto contido na Centúria que ele precisa saber que
existe esse Oráculo de Simiromba ou Oráculo de Ariano, por sintonização. É claro que
aquele mesmo prefixo já começamos a desenvolver a sintonia mais avançada, irá ajudá-
lo em sua jornada, tomando dimensões. Mas esse Oráculo é presidido pelo Pai.
Naturalmente se levarmos em consideração pegando por base os raios que é Arakén,
Oner, Adones, Alufã, Akhenaton, etc, são sete raios. Fala-se Oráculo de Olorum. Nós
não falamos Oráculo de Olorum? É ele que preside toda essa linha dos nossos aparás.
Aí falamos o Oráculo de Obatalá. Para quem entregamos:
“Oh, Obatalá!”

Agora vejam bem, dentro desse conjunto de valores, no ciclo de evolução e evoluções, o
Oráculo que tem a responsabilidade dos espíritos de presidir os destinos desse planeta e
o ciclo de relação até a Origem nesse plano é o Oráculo de Ariano, é o Oráculo de
Simiromba. Então tanto quanto dispomos em nossos Adjuntos a base (...) nesse Oráculo,
o Oráculo também Olorum decresce até Obatalá, por sua vez até Ariano, por sua vez,
até nós.

Arakén, o grande Mestre Arakén, era o responsável pela Lei de Causa e Efeito que
governa esse planeta. Então dentro disso nós temos uma ideia (...) é um dos raios de
Simiromba. Então imaginemos quem é Simiromba, um dos seus raios presidem, tem o
governo de todas as vidas. E não é somente os destinos, quer dizer, a Lei de Causa e
Efeito que governa esse planeta, mas todo o sistema de transporte, todos esses valores
em relação ao sistema, ele é a execução nesse sistema. Nós temos uma ideia, nós damos
importância do grande mestre Humahã, aquele mestre designado pelo próprio Pai para
fazer a cultura evangélica iniciática de Tia Neiva, compete a ele, a conquista, então,
desse Oráculo (...), o Arakén ser levado a outra cultura, a outra condição, e mestre
Humahã passará o governo (...) dessa condição, dessa execução. Salve Deus!

É interessante no transcorrer, que todos os aspectos que formos tratando do primeiro


encontro até agora, do primeiro roteiro, da primeira aula até chegarmos agora a essa
sétima, que todas as vezes, em qualquer assunto que tenhamos tratado: iniciaticamente
(...), tecnicamente, filosoficamente, em todos os instantes, em todos os tratados que
tivemos, nós sempre fomos naturalmente induzidos a falar de (...).

Nós sabemos que tudo aquilo que encontramos de mais avançado e intermediário aqui,
sempre está contido na humildade, na tolerância e no amor.

187
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então falamos hoje na subdivisão do sistema coronário e do segredo realmente da
mediunidade é justamente harmonizar esses três reinos do sistema coronário.
Proporcionar a manutenção desse equilíbrio desses três reinos, aí então começa a
formação do seu Sol Interior. E esse Sol, (...) necessidade ou não, depende exatamente
da conduta. E a base de equilíbrio, de harmonia desses três sistemas do reino coronário,
então nós afirmamos mais uma vez, depende da humildade, da tolerância e do amor. E
para se ter contato com esse Oráculo de Ariano, não existe outro caminho a não ser
também por esses princípios. E curiosamente não há somente dentro desse princípio: da
humildade de tratamento, tolerância e compreensão a resultar no Amor Incondicional,
não! Mas olhando para esse Sol Interior, sempre dentro desses três princípios, contidos
no ato, na atitude, no comportamento, é que por sua vez estabelece um contato com o
Sol Simétrico. Salve Deus!

Prestem bem atenção jaguares! A chave de contato com o Sol Simétrico é o Sol Interior.
Nós temos um Ritual, quer dizer, uma Estrela, os diversos rituais que a gente tem, tudo
bem! O Oráculo imediatamente pela infraestrutura ritualística de emissões e cantos,
então a força, o poder vem, de acordo com a necessidade daquela estrutura ritualística.
Mas você como indivíduo, para que essa realidade (...), ela bata no uniforme, só é
possível pelo Sol Interior.

O que é que caracteriza o sábio, por exemplo, Tia, porque que é que o mundo iniciático
chegavam nela e davam uma orientação? Não era somente pelo aspecto da
clarividência, ou seja, a faculdade de ver o passado, o presente, o futuro, mas, lógico,
ela era uma sábia.(...) tem a segurança de chegar nela com os nossos problemas, e você
saber que teria a precisão de uma resposta, a segurança de uma orientação, não é isso?
Aí nós retornamos a Carta Aberta nº 3 quando ela escreve e deixa claro o seguinte:
“Pois o espírito na Terra está sempre indeciso, entre as solicitações de duas potências:
Sentimento e Razão, para terminar este conflito é preciso que a luz se faça em nós.”

Por que observe, a respeito da hierarquia contida no Trino, contida no Adjunto, contida
nos Devas, contida nos regentes, nos presidentes, nos Ramas, em todos nós, nos poderes
que representamos, nós ainda tivemos maiores dificuldades que Tia quando (...) nós
percebemos (..) a esse aspecto sentimento e esse aspecto razão, nós sempre fomos muito
mais felizes do que (...)

(Inteligível)

Para que esses poderes do Oráculo de Ariano em sua simetria, em sua precisão tenham
base de ação realmente que compense esse investimento de projeção, de ação, Tia Neiva
precisou distribuir, então, em Continentes (...). Porque é a melhor forma, aquela (...)
distribuída de ação desse poder. E podemos contar com ele, dentro dessa necessidade
atual do planeta, realmente, é um Continente que favorece essa ação de forças. O
Adjunto maior, mestres vamos pegar a formação original, anterior a esse processo de
vários ramos hierárquicos que sugiram, que competiram aos mestres Devas nas
Consagrações. A linha original dessa formação ela é indiana: o Adjunto se traduz pelo
Arjuna-Rama, os VII Raios se traduzem pelo D’Havaki Gita, que é a Multiplicação
Divina. O que se traduz dentro do VII Raio D’Havaki Gita, a Multiplicação Divina, que
o Adjunto Maior, é o resultado da multiplicação. Depois temos o D’Hira, que é o VI,
essa é a continuação. A ninfa é Arunã, é a ternura, é a expressão da ternura. O ajanã é o
Purã, é o servido pela Divindade.

188
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então há toda uma distribuição básica dentro do Continente do Adjunto que favorecem
a decrescência dessas forças. E quando falamos em Oráculo de Simiromba, falamos
nesse Oráculo que se traduz por Raízes do Céu, numa força básica, mas poderes
imensos, (...) ou esses poderes, também são contidos por eles em outros Oráculos que
para ali decrescem de acordo com a vontade de Deus Pai Todo Poderoso em
conformidade com as necessidades de povo e povos nesse planeta.

Então o Continente ele é completo. Como base humana, mediúnica no físico, para
garantir esse sistema de manipulação. Daí então a preocupação de Tia Neiva em relação
ao Adjunto, ao Continente, a hierarquia e o respeito a essa condição. Porque em termos
de nosso plano, então a base, o Trino Presidente, os Adjuntos Arcanos. Quer dizer,
então, ela vai... então todo o Continente, não há menos ou mais importante, mas ela é
predisposta toda dentro de uma Contagem de precisão.

A hierarquia, nós precisamos cuidar muito deste conceito porque ela é fundamental
dentro da nossa cultura. E é uma hierarquia similar a uma hierarquia existente no plano
espiritual. Hierarquia nas Legiões.

E quando se fala em Legiões é curioso também que se diga que ficou estabelecido
assim, no nosso conceito de trato diário, quando você fale “Legião” você lembra só do
grandioso Mestre Lázaro. Não é assim? Ou quando muito fala em “Legiões”, aí você
fala “Legiões, então plural, aí você fala tem a Legião do grandioso Mestre Lázaro, e tem
a Legião, vamos supor, dos Cavaleiros, dos Caboclos, do grandioso Oxóssi. Não! Os
pretos-velhos é uma outra Legião, dentro de uma outra estrutura. Os médicos formam
também uma outra Legião. Então são Legiões com forças, com especialidades
específicas, etc.

E o Continente na Terra é composto pelo Adjunto aqui. Este Arjuna-Rama, os D’Havaki


Gita, D’Hira, Purã, a ninfa, no aspecto, quer dizer, esta é a base que faculta o acesso de
todas essas forças que falamos aqui. É a ação de benefício individual, mas sobretudo a
ação de forças concentradas na manipulação coletiva, para alcançar povo e povos na
necessidade desse planeta, não importa o continente ou nação. Pela soma com esses
princípios simples, porém precisos do nosso sistema. Nada aqui é por acaso! Tudo é de
extrema importância.

A mesma importância dentro de uma contagem numa ordem de poderes, numa ordem
de forças, que está contido na distribuição das falanges do mestrado, nós só vamos
encontrar uma outra ordem também de poderes e forças numa ordem decrescente,
contida na Centúria ao receber o povo. Ali também se localizam turnos: Tumarê,
Ibaporã, Carapuana. Também é a representatividade de legião e legiões. São também
turnos. Ai você ainda vem depois Reili, Dubali, Doragana, Sabarana. É outros turnos.
São outras estruturas. São outras Contagens. Forças e poderes em Contagem, em
multiplicidade de Contagem. Como é que com essa multiplicidade de Contagem nós
podemos sequer temer pelos destinos desta obra, pelas repercussões de um ou outro
indivíduo?

Quer dizer, o Pai jogou muito alto, foi um investimento alto demais! O que foi exigido
de Tia Neiva em termo de jornada física foi alto demais para que ficasse a mercê de um
ou outro indivíduo. Então onde quer que você pense que falta, já está reposto. Aonde

189
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
você pelo menos imagina que não tem, já está contido. São as minhas colocações.
Aonde você sonhar, ou imaginar, ou desconfiar que falta, já está posto.

Da mesma maneira como as entidades não tem muita preocupação de falar seu nome
completo, dizer onde nasceu, data de nascimento, apresentar PIS, CPF, carteira de
identidade, para eles isso é indiferente! Ele chega e dá o nome e muitas vezes não dá
nem o nome dele. Por exemplo: quantas vovós Cambina? Por que? Porque as vovós
Cambina, uma Cambina, não é simplesmente uma preta-velha Cambina! Falamos aí
também a nível de uma orixá! Ela é uma das 108 linhagens, é um poder hoje no espaço!
Então tantas quantas se agregam a essa ordem, a essa condição, primeiro para ela voltar,
qualquer uma delas que se localizam nessa Legião, voltar para a Terra, atingir uma
chamada das Legiões, porque aqui é uma (...). Em segundo ela pode ter a necessidade de
a pessoa não notar a diferença e (...).

(Inteligível)

Ela pertence a Legião de Cambina, para ela chegar aqui, ela quer dar outro nome? Que
nada! Ela também é Cambina! Para ela é uma honra! É um privilégio dizer: vovó
Cambina. O que importa é o resultado, o que importa é a honra que ela está dispondo no
seu trabalho. Quantos pais José de Aruanda? Mas por que quantos? Você não está
tratando de um simples preto-velho, quer dizer, simplesmente você falando de um
espírito, que individualmente (..). Você está falando muitas vezes de uma Legião! Ele
também é um 108. Salve Deus jaguares!

Então quando se formava o Adjunto de Jurema lá na Cachoeira do Jaguar, aqueles 108


pretos-velhos ali, aquela Contagem ali, todos aqueles (...) que conseguiram voltar para
Deus, que hoje formam o governo do nosso Ciclo, são Iniciados do mais alto respeito!
Do mais alto conceito! Não é somente um espirito ter evolução e ser grandioso, mas são
milhões e milhões de espíritos grandiosos no planeta. Mas coube a Seta Branca, o irmão
de Jesus esta obra. Analise que tem que haver muito lastro! Tem que haver uma relação
fantástica! Tem que haver muito conceito para edificar essa obra! Para compor no céu o
que existe composto aqui. Tem que ser realmente, tem que ser! Não é?

E se formos percorrendo esses processos aqui, o Vale está contido, o que é que está
contido no Vale? Aí então formamos alguns (...): Sublimação, Consagração,
Sacramento. Sabemos agora então que isso se traduz pela cultura de um mestrado
completo. Não é assim? Mas já precisava de uma outra ordem de conquista: Devas. É
uma ordem totalmente já.... É um conceito original de relação a esses princípios que já
tratamos.

Então conhecer alguém realmente do nível de Tia, e olha bem que o Pai Seta Branca,
quer dizer Humahã quantas vezes alertou Tia e falou:
“Olha filha, Seta Branca está incessantemente vigilante sobre pena de vires a falir”

Porque realmente corria-se o risco! Pelo acervo, pelo volume, atuações, projeções,
problemas, situações, circunstâncias, etc., etc., etc. Salve Deus!

Até há uma frase que estará contida no roteiro aqui:

190
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
“Um povo já descrito para um adjunto. Além de suas atribuições e responsabilidades
doutrinárias, em sua conduta doutrinária e espiritual... Não é somente ser um povo
dinâmico, e sim um povo em harmonia doutrinária.”

“Faça de tua parte e eu farei da minha.”

Voltamos a Jesus. Então muitas vezes, aí voltamos a Jesus travesseiro, Jesus cama, aí o
camarada acomoda na concepção de Jesus, o negócio para ele é o seguinte: então Jesus
tem que ser bem bonzinho. Não precisa nem fazer mais nada, é só sentar e:
“Oh Jesus, me ajude!”

E ficar quietinho! Quer dizer, é se perder de todos os princípios da linha da atitude, da


ação, do levantar e agir, do fazer a sua parte.

Vibração. A importância do aspecto vibracional, do levantar e pensar, do insistir, do


caminhar, do enfrentar, do não condicionar, não só buscar, não buscar condicionar
pessoas, como também não permitir em si um coração e mente, um condicionamento. É
estar sempre propenso a caminhar, a buscar. Não é?

Então o Oráculo de Simiromba ou Oráculo de Ariano, Raízes do Céu de onde parte o


Sol Simétrico, é o Oráculo, é a força do raciocínio, a força da razão. Chave de contato,
Sol Interior. Não existe outra possibilidade.

Percebemos então que para que eu consiga, conquistar amanhã uma mente, uma
confiança mental para decidir, para discernir, para solução dos meus problemas, para
solução dos problemas daqueles que hão de necessitar de mim, observa todo o conjunto
de valores com os quais eu tenho que realmente trabalhar, lutar, enfrentar, conjugar,
impor em meu coração, em minha mente, para que proporcional a isso vá resultando
naturalmente num gabarito de precisão, de simplicidade, de objetividade, de
possibilidades simples, objetivas e precisas, e de discernir e portanto de decidir. É um
valor que também não está assim, tem que ser conquista. E voltamos a lembrar:
contidos nos princípios básicos da Doutrina de Jesus.

Já falamos em tantas coisas: Sistema Crístico, Filosofia Cristã, Individualidade e


Personalidade, já falamos pelo charme, desencarne, sono cultural, reencarne, estamos
chegando aqui no Oráculo de Ariano e não teve um só instante, uma só aula em que não
tivéssemos que tocar nesses três princípios contidos na Doutrina de Jesus. Para a gente
ter a visão da importância desse Espírito! E lembrando quando Tia alertava, quando Pai
João alertou naquele pequeno episódio que tratamos, de quando falássemos esse nome
“Jesus”, deveríamos realmente estar com o coração de joelhos, porque não era
simplesmente um nome, mas realmente um Mestre! Um Mestre! O Verbo manifesto!
Jesus foi o Verbo manifesto! A presença Divina na Terra através de um Ser. Salve
Deus!

Jaguares, dentro do que, voltando um pouquinho nos aspectos, na primeira aula nós
falamos, no primeiro item: “O que é a Doutrina do Amanhecer”. Depois o segundo item
é Médium, mediunidade, mediunismo, mediunização, Individualidade e Personalidade,
Filosofia Cristã e Sistema Crístico. Nós estamos agora nesse instante voltando a
primeira.

191
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Alguma pergunta? Eu antes de por acaso surgir, se tiver que surgir alguma pergunta, eu
quero lembrar aqui um aspecto para pessoas que estão presentes e que não estão
participando desde o princípio, ou que participaram esporadicamente. Isso aqui nós
temos uma reunião realmente a nível bem avançado tratando com mestres que já
passaram pela Centúria e são pessoas que estão de ombro a ombro ligadas a presidentes,
pessoas que não tem como descartar problemas também, que tem que enfrentar
problemas, não é Beto? Não há como ficar transferindo problemas, é descartar, mas
enfrentar, manipular. Então são homens que vão assumir a responsabilidade da Centúria
de vários templos levando essa Centúria, então nós não estamos muito preocupados aqui
com limites. Nós estamos tratando de maneira muito aberta, informal, descontraída, e
que deve sobretudo para se irmanar esse ambiente, e formar uma sintonia com muito
carinho com a gente, está aqui realmente um carinho muito grande, uma preocupação
muito grande de buscar aquilo que nos compete, aquilo que é possível. Porque são
homens que agora daqui um pouco vão partir e nem sabemos mais quando teremos
outra possibilidade de estarmos reunidos, quantas vezes terão oportunidade de vir no
templo-mãe buscar nessa chamada “fonte” os valores, então estamos aqui de peito
aberto mesmo, tratando nossas coisas, nossos valores, sem nenhum pingo de
constrangimento. Salve Deus!

(Mestre faz pergunta – inteligível)

(Mestre Bálsamo)
Salve Deus! Ambiente é fundamental! Vibração é fundamental! Nós estamos tendo
aqui, vocês através de mim o reflexo de uma circunstância oriental. Falamos e temos
que estar sempre atentos, não é? Sempre atentos ao ambiente. Sempre atentos a forças,
vibrações, sintonias. E muitas vezes você vai estar totalmente à vontade para tratar as
coisas mais simples deste Amanhecer e repentinamente você vai sentir uma imensa
dificuldade de deslanchar aspectos dos mais simples. Você nunca saberá o que estará
em projeção. Quantos espíritos também foram trazidos para te ouvir, alguém que entra
no ambiente e não está um pingo harmonizado com aquele presidente, que não vai com
a sua cara, que não está nem aí para você, e ele entra com uma força indestrutível, e ele
vai provocar uma alteração no campo magnético. Quer dizer então são muitos os valores
que temos que estar prevenidos. Nesta condição de estar sempre tendo o privilégio de
estar junto a um grupo e te competir falar, dizer, ensinar, então há sempre um conjunto
de influências, de valores que podemos ficar à mercê deles.

Principalmente uma das coisas que mais atrapalha e que ela é muito aproximada da
característica da esquizofrenia de Hórus, é aquilo que está contido em determinados
homens na linha da pretensão onde ele sabe mais do que todos. Todos são ignorantes,
então só ele sabe. Ou qualquer homem que se condicione a um aspecto em que ele
julgue que não precisa mais aprender, ele já sabe tudo, ele não tem o que aprender,
ninguém tem nada mais para ensinar para ele. Ele já sabe. Então ele é aquele eterno
questionador que quando ocorre de te fazer uma pergunta, você nem faz assim para
responder e ele já continua falando e não deixa você nem falar. Então pode observar,
você veja já enfrentou esse problema, não vai parar de enfrentar, não tem um presidente.
E como é que enfrenta isso? Quantos você já enfrentou desse tipo e vai enfrentar?

Nós aqui temos muitos e os senhores conhecerão muitos e muitos estarão por aí
espalhados. E é curioso! A lavadeira lava um lençol, leva as vezes uma hora, duas horas
para deixar o lençol branquinho, limpinho, arrumadinho e coloca para secar. Vem uma

192
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
criança de dois aninhos, e titica só com a pontinha do dedinho, chega no lençol e faz
assim. Ela tem que retornar todo o lençol para o tanque e esfregar com o mesmo
trabalho para que disponha de equilíbrio. Não para embarrear, para ferir, para denegrir,
para agredir, para tudo isso é muito fácil! Ah, mas como é fácil denegrir! Como é fácil
transgredir, como é fácil agredir os valores. Um só indivíduo em desequilíbrio não sabe
ele o imenso desgaste, o imenso problema que ele cria, principalmente esse tipo, essa
espécie de desequilíbrio consciente. Não estamos falando numa pessoa obsediada que já
esteja tomada, falamos em pessoas presunçosas, orgulhosas, prepotentes, vaidosas.
Você entendeu como é que é? Estas criam tumultos extraordinários! Extraordinários!
Haja cabeças unidas, haja cabeças harmonizadas para manter um só resultado de uma
cabeça em desequilíbrio consciente. É danado!

É quando você carrega esganado! Faz das tripas um coração para conservar esse sentido
da não reação porque normalmente o centro nervoso físico estimula você furar na goela,
e sabendo que não podemos. Mas quantos problemas as vezes se alastram dias, meses,
as vezes anos no reflexo de uma pessoa desajustada. Uma pessoa que não conhece o
mínimo sentido do que é conviver, do que é um equilíbrio, do que é uma harmonia.

Então os senhores irão enfrentar muito isso. Já falamos inclusive, parece que na segunda
ou terceira, no nosso primeiro ou segundo encontro que Tia Neiva reunida com
Adjuntos. Porque muitas vezes ela chegava para um Mário Sassi e falava:
“Quer ir dormir, Mário?”

Não é? E daqui a um pouco se sentava aqui do lado dela e falava assim:


“Senta ali um pouco.”

Ela remanejava. E muitas vezes acontecia de estar todo aquele grupo sentado na frente e
ela de repente:
“Oh, meu filho, senta aqui.”

Ela o deslocava de lugar. Já tratamos aqui que isso era condição técnica. Vibração,
fluido, característica magnética. Estamos tratando aqui de uma Doutrina ao nível da
ciência que essa Doutrina comporta! Salve Deus!

Então mestres, dois aspectos nós tratamos certo? O que é médium? Médium é um
intermediário, médium é aquele, é por onde se opera a Cura Espiritual. Mas este mesmo
médium falamos também na mediunidade, falamos até da importância dessa condição
mediúnica, até da estruturação física do indivíduo, quer dizer, crescimento, formação,
cérebro, espinhal, etc., etc..

Já sabemos agora através desses nossos encontros que na mediunidade é haver uma
importância é muito além do que normalmente se trata. Sabemos que o conceito normal
da parapsicologia por exemplo, ela é muito similar ao conceito tradicional das religiões
espíritas tradicionais. Umbandistas ou kardecistas, que reduzem a condição de médiuns
somente aqueles que apresentam características anormais ou características
paranormais. São um privilégio de poucos ser médium. E sabemos então que Tia Neiva
deixou bem claro que todo ser humano é médium, quer dizer, não tem como! Todo ser
humano é médium! Por que? A mediunidade, essa energia mediúnica é a única
possibilidade de contato com o sistema espiritual, o contato com o espírito e o físico, é a
única possibilidade de contato com o transcendente, de contato com o carma.

193
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Quer dizer, então nós já tratamos isso de maneira. Mediunidade é a maneira como essa
condição mediúnica se estabiliza. Mediunidade dessa ou daquela ou dessa ou daquela.
Existem várias espécies de mediunidade. Várias maneiras de estabilização dessa
condição mediúnica. E sabemos que no Vale tudo está centralizado no desenvolvimento
de somente de dois tipos de mediunidade com duas diferentes características. Só! É o
doutrinador e o apará. Por que? É uma forma de precisão, nosso sistema de precisão. É
um sistema objetivo, simples. Sabemos que cada vez mais a humanidade vive um
momento difícil, de impacto, onde cada vez mais o estudo no campo mental, psíquico, é
cada vez mais acelerado, mais intenso, e fatores como vidência, audiência, olfato, a
própria psicografia, quer dizer, tudo são valores passíveis de interferência, e onde cada
vez menos que a pessoa normal, a pessoa sem essas características de acréscimo de
valores mediúnicos, as pessoas que não veem, normalmente um ser humano
considerado normal, já tem mil dificuldades para ter equilíbrio, para ter harmonia, para
encontrar o sentido de sua própria vida, imagine, então, um homem com características
mediúnicas? Principalmente levando-se em consideração aberturas proporcionadas por
Iniciações como o nosso sistema, que é um sistema de precisão, que amplia o gabarito
do médium em seu campo de recepção, manipulação e emissão. Se começássemos a
permitir que o plano espiritual permitisse que realmente se envolvesse os outros
aspectos da mediunidade, naturalmente triplicaria a facilidade de desequilíbrio em nosso
meio. Observem que o médium quando já é nativo e ele tem isso na transcendência
missionária dele, quer dizer, ele como missionário de Olorum, quantas vezes ele esteve
aqui e agora ele está propenso também a essa mesma condição que é nativa de sua
herança!

Agora observando essa quantidade enorme de aparás que temos e hoje dispomos do
acesso ao Salão Iniciático, como é que iria ficar? Porque associado a possibilidade das
aberturas da Iniciação e Consagrações, na dilatação de sua sensibilidade, nós não
podemos também nos esquecer que associado ao impacto do carma atualmente na vida
desse mesmo missionário é muito mais intenso! Hoje está ele aqui sob o impacto de
dezenove ou talvez até vinte e uma encarnações. Então tudo isso era preciso ser
preservado, trabalhado, contido, administrado. E como simplificar? Como sintetizar? A
maneira encontrada pelos planos superiores que nos rege, foi conter todos esses
aspectos simplesmente no doutrinador e no apará. Salve Deus!

(Pergunta de um mestre que assistia o curso)


Bálsamo, Salve Deus! Você falou sobre o Oráculo...

(Mestre Bálsamo)
A mediunização por exemplo. Mediunização, nós falamos aqui, por exemplo, aquele
cuidado. Por exemplo, Tia Neiva não estimulava os nossos médiuns nem a leitura dos
nossos livros. É até desenganado, coisa chata, é coisa dos Devas! Mas por que? Já era
um sacrifício em detrimentos, até nas coisinhas dela. Para realmente não estimular a
leitura, sabendo que pessoas propensas a leitura, elas levam um longo período na
jornada para começar a discernir o que é realmente que é possível ler. Ter critério de
leitura!

194
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Então, aí você vê, isso já é uma das linhas de informações assim, que é até desagradável
falar, é vago, e tão vago, você tem a ideia, mas da mesma maneira carregamos por
muitos anos:
“O que é Sublimação, mestre?”

E você nunca teve resposta:


“Escuta, qual a diferença de Sublimação, Consagração, Sacramento, qual que é?”

Ontem, também era vago. Repentinamente nós começamos a ter uma forma, quer dizer,
uma maior concepção mental do que está contido dentro desta ideia.

Por enquanto, pelo que eu percebo em mim mesmo, o que é possível ainda sobre
Estrelas e Casas Transitórias é o que acabo de passar.

Quem sabe no futuro tenhamos maiores possibilidades de abarcar um pouco mais estas
informações, não é? Mas por enquanto... Salve Deus!

Dentro do que pude perceber agora, salvo eu estar muito enganado, tudo foi tratado.
Agora, agora é a hora.... Muito bem, vamos às perguntas.... Eu quero meu advogado!

(Pergunta de um mestre que assistia o curso)


Mestre Bálsamo, a gente tem aquele princípio que a gente está vivendo reencarnações,
quer dizer, a gente está voltando para a Origem como é que é isso?

(Mestre Bálsamo)
A mais remota informação a nosso respeito vem do Pai, através do Pai, quando Ele
esclareceu Tia da primeira condição que tivemos, quer dizer, a primeira condição
encarnatória desta Tribo, que foi como os Equitumans, responsáveis pela distribuição
geográfica do Planeta. Depois vieram os Tumuchys, e tal.

E você vê que o Pai, em 1984, só em 1984, num instante feliz para nós, Mestre Humarã
então deixa uma Carta, em que ele começa a proporcionar um princípio de
esclarecimento sobre o Desenvolvimento deste sistema orgânico, quer dizer, deste corpo
orgânico físico, desta constituição molecular física do corpo que dispomos, que esse
princípio foi desenvolvido em Amacês.

Aí começamos a compor no “quebra cabeças” particular, que espíritos que se


interessaram, sempre existiu o Livre Arbítrio, o livre optar, o livre decidir, mas
perceberam que pela própria característica vibracional do Planeta, era impossível o
Espírito, dentro de sua constituição viver aqui, ficar aqui. Então ele iniciou a Sabedoria,
como dizia Tia:
“Deus se fez Homem...”

Então ele, em pleno conhecimento, cientistas que somos dentro da integridade de nossa
Origem, então estudamos uma maneira de desenvolver um corpo que proporcionasse
condições de aqui ficarmos. E nesta mesma Carta, de maneira tão simples, como é tão
nativo, tão natural de nosso Espírito, então o Mestre Humarã começa a falar assim:
“A este homem, Deus se fez homem... começou a se promover esfera sobre esfera, em
ritmo de luzes e sombras, em ritmo de paz e guerras..."

195
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Ele saia do corpo, ele ainda era muito consciente, ele vagava fora do corpo, retornava,
mas ele começou a perder uma coisa essencial:
Calor, indução, o sentido original do seu princípio eterno, a integração em Deus Pai, um
Princípio Superior. A falta de contato... Termos de Humahã...

E você pegando esta Carta, que aquele que tiver interesse e não a tiver, a gente vai
tentar fazer essa cópia, porque já que a gente está tratando, então é proporcionar cópia,
não é não?

Mas, é uma Carta onde eu nunca vi tantas reticências. Ela foi ditada, Tia foi recebendo e
me ditando, e eu anotando. Aquela última sequência de seis Cartas dos Adjuntos, toda
ela foi... não, minto, não foram todas ditadas porque uma delas eu encontrei no acervo, e
cometi a tolice de mostrar para ela, o que a levou a não se dispor a escrever uma outra.

Eu me arrependi profundamente, podia ter escondido realmente, para ela escrever uma
outra, não é? Porque era uma Contagem, eu falei:
“Oh Tia, a Carta de Tânia e Zacarias...”

E ela:
“Oh, que ótimo, não preciso escrever outra.”

Eu falei:
“Oh que raiva! Porquê que eu não esperei, não é?”

Mas então, só Tânia e Zacarias, porque era uma Carta que ela já tinha desenvolvido esse
assunto desde a UESB, perfeito? Ela anotou aquelas coisas e um dia transformou em
Cartas. Mas as outras, todas foram diretamente ligadas a mim, ela ia ditando e tudo
mais, eu anotando, e datilografei todas elas.

E esta é uma Carta que bate recordes de reticências, você percebe que Mestre Humarã
trata o assunto, Ele vai e... três pontos, vai e... três pontos.

Quer dizer, o assunto é extremamente complexo, um cuidado todo carinhoso, não por
parte dele em relação a ele, mas em parte em relação a nós que iríamos no futuro dispor.

Quer dizer, tantos anos depois então ele esclarece que a primeira civilização, esses
Equitumans que aqui habitaram, quer dizer, eles desenvolveram um corpo físico na
Amacê. Aí depois sim, começou a vir a esse processo que todos conhecemos já do
Desenvolvimento, perfeito?

Agora, ele alerta na finalização desta Carta para a ausência de contato, ausência de
contato, quer dizer, o distanciamento do princípio da individualidade do transcendente,
quer dizer, então, isso remonta desde o princípio, quer dizer, perder-se do princípio
original, distanciar-se da Individualidade transcendente, distanciar-se da ideia do
espírito, aí então começou a resultar nesse distanciamento.

Como tudo é em governo de Leis Naturais, então muitos foram descambando, então
naturalmente já foi se tornando imperativo de onde contraiu, então seria de onde teria
que ressarcir. Naturalmente outras vidas contidas na Origem se preocupando, iam

196
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
também pedindo permissão para interceder, para tentar ajudar, e muitos foram
descambando.

Muitos por curiosidade no Livre Arbítrio, intenções naturais no Livre Arbítrio, sempre o
livre optar, o livre decidir, isso não vem daqui de baixo para cima, esse Livre Arbítrio,
livre optar, livre decidir vem de cima pra baixo. E por aí vai... E por aí vai.

Então Mestres, vamos parar por esse “por aí vai”, concordam? Porque senão como vai,
e aí, com o risco da hipótese: e aí eu acho, desconfio, almejo, espero, quem sabe, talvez,
é bem provável, porque eu realmente não teria condições de definir, não é? Então eu
paro no “por aí vai”, e contido na Carta de Humarã, está certo? Salve Deus!

(Pergunta de um mestre que assistia o curso)


Mestre Bálsamo, eu queria que você desse uma maior explanação em relação a Jesus e
ao Cristo, sobre o que falou que Cristo não é o mesmo Jesus?

(Mestre Bálsamo)
É, Jesus, Jesus, e Cristo foi o Mentor de Jesus. Enquanto Jesus desenvolvia toda essa
Sistemática nesse Plano, então esse Espírito conjugado com sua tarefa, Ele ia
comandando também essas organizações que formaram e que levou o seu nome.

Mas, depois de Jesus passar deste Plano, então coube a Ele, assumiu Ele o comando
desse mesmo Sistema que leva o nome de seu mentor. Jesus, e Cristo seu mentor. A
fusão, a simbiose foi tão grande entre Tutor e Tutelado, vamos dizer assim no latim
vulgar, que é impossível estabelecer as dimensões da obra citando somente o executor,
mas também o seu mentor.
Quer dizer, você sempre fala: Tia Neiva fez, é nossa mentora terrena, mas você nunca
desassocia do Pai, porque tudo que ela fez veio por ele, não é assim? O mesmo acontece
com Jesus e o Cristo, entenderam? Salve Deus!

(Pergunta de um mestre que assistia o curso)


Mestre Bálsamo, no caso do desencarne, por exemplo, por acidente, por exemplo, uma
explosão, onde o corpo físico se decompõe e pronto, e também o desencarne do recém-
nascido, qual é o processo para esse Espírito sair do corpo?

(Mestre Bálsamo)
Você vê, quando a gente cita dentro dessa linha de informação geral, aí nós nos
preocupamos em falar no corpo na posição de decúbito dorsal, quer dizer, ele está de
barriga para cima, então o Espírito sai naturalmente pela boca, e tal, e tal, e tal.

No caso de uma explosão, quer dizer, a abertura, é a abertura básica, então raciocina,
não é? Salve Deus!

Falamos aqui na abertura tradicional, não é? Então, têm aberturas opcionais. Mas é
muito sério, é muito sério e, inclusive, são pontos assim, por exemplo, que, se a gente
não está harmonizada, a tendência natural é um coice, não é uma resposta.

E muita gente já sofreu muito aqui no nosso meio pelas funções de ensinar, e quando
questionado dentro desses aspectos que você é provocado ao raciocínio, nunca há

197
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
condições de você dar uma forma na resposta, então a primeira reação imediata é soltar
os cachorros e vamos passar pra frente, não é?

Da mesma maneira que eu estou aqui me controlando, vocês se preparem para se


controlar.

Olha, é doloroso, aí você recebe, por exemplo, os jornalistas, aí então você vive o clima:
Ah, o Pai Seta Branca, Mãe Yara, você é o trato comum.

Aí ele fala assim:


“Quem é esse Seta Branca aí?”

Para ele é normal a maneira como ele falou, mas você já se irrita e pensa:
“Puxa, ele tá falando do meu Pai!”

E você:
“Pai Seta Branca é uma Entidade Espiritual...”

“Quê que é uma Entidade Espiritual? O quê que você quer dizer com isso?”

“Bom, quero dizer com isso que Ele é um Espírito...”

“Ah, quer dizer então que vocês acreditam em Espíritos?”

Quer dizer, então é danado, quando você pega alguém que não tem um mínimo de
convivência com este sistema de informação, é doloroso. Muitas vezes o camarada
atravessa mares, muitas vezes já aconteceu comigo, aí é inevitável, aí levam lá onde eu
estou, aí senta aquele monte de gente importante, tudo bonitão, charmoso e tudo mais, e
eu falo: Lá vem as perguntas...

Quer dizer, tem todo um acervo de valores, quantas vezes eu recebi a imprensa aqui, o
cara chega e fala assim:
“Puxa, vocês são cheios de dar água aqui né? Como que é esse negócio dessas Cartas
aqui?”

Quer dizer, ele é um jornalista, ele veio em função de um Sistema Doutrinário, e ele não
tem uma preocupação, ele:
“Como é que é a água daqui?”

Quer dizer, ele atravessou um Continente, e você está aguardando uma pergunta
Doutrinária e ele fala:
“Não, e a água daqui, como é que é?”

Ora, a água daqui como é que é! Realmente é danado, então são muitos aspectos, e você
observa como surge uma série de perguntas aqui que nós vivemos esse trato, esse
tratado, mas é difícil você, no campo da forma, exteriorizar, intelectualmente você dar a
forma dessa condição.

Então para ele, ele faz perguntas tão....

198
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
“Eu cheguei aqui e reparei esse monte de mulheres aí, cada uma vestida de uma forma
diferente, que negócio é esse aí?”

Justifica! Quer dizer, então, aquilo que a gente não está nem preocupado mais em saber,
quer dizer, que nem nos preocupamos em fazer perguntas, e pra ele já é, e você se
surpreende numa coisa tão simples, não é? Salve Deus!

Olha, nós observamos mestres, por exemplo, dentro do próprio trato, quer dizer, dentro
do próprio sistema coletivo de informação, o sistema básico de informação contido em
toda a nossa Cultura Doutrinária, vocês observem por exemplo, o Evangelho por
exemplo, o Evangelho tratado na sus Expressão Iniciática, todo ele está contido nas
Cartas Abertas. O Evangelho Iniciático é o que está contido nas Cartas Abertas.

A Tia inclusive tinha um carinho todo especial pela Carta Aberta número 1, porque é
como Ela falava:
“Aqui está contida a primeira página do Evangelho Iniciático.”

Então, tudo que precisamos é a disposição na Lei de Auxílio, quer dizer, associado à
disposição em compreender os valores, e transformar em atitude íntima, para que essas
Cartas então, por si só nos revelem o campo Iniciático contido deste Evangelho
tradicional.

Então, na realidade não é difícil, nós já temos tudo pronto, tem uma das Cartas da Tia
mesmo que ela fala, aqui é tudo mais fácil, mais prático, mais objetivo, não só pela
nossa condição, não só pelo que é transmitido pelos Instrutores, por aqueles que estão à
nossa frente, que caminharam um pouco mais, que chegaram antes de nós, bem como
pela própria condição natural da Mediunidade, das Aberturas, das Iniciações, das
Consagrações.

Então, nós temos todas as possibilidades à nossa disposição para ir descortinando esses
Mistérios, e para dar forma àquilo que ainda hoje nós temos dificuldades de falar, não
é? Então está tudo contido já, tudo já foi escrito, tudo que falta da nossa parte realmente
é interesse em pesquisar, interesse em ler, interesse em praticar, e todas as vezes que
agredidos, não importa em qual aspecto, maneira ou forma que venha essa agressão, que
saibamos transformar dentro da linha do entendimento, dentro da linha de compreensão,
para que cada vez mais a gente vá se assegurando nos termos desta jornada. Salve Deus!

Tem um conjunto inclusive de orientações que foi feito pelo Beto, que o Beto precisa
passar, e esse conjunto de orientações, de esclarecimentos, terá que ser por aí.

Agora, veja bem, cumprir com a integridade deste Curso em relação a quem participa,
faça o possível para dar em cada Aula a Carta que acompanha anexo ao Roteiro, junto
ao Roteiro de cada Aula. Eu sei que muitas vezes vai ser muito sacrificado, mas a sua
preocupação, o seu sacrifício, nunca esqueça que emana força vital para a vida de seu
trabalho.

Não importa o sacrifício que tenha para promover o roteiro de Cartas, para proporcionar
aos seus mestres, dentro desse sentido original, porque esse sacrifício que porventura
tenha, ou às vezes um gasto mais do que o necessário, tudo isso está contido num

199
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
princípio fundamental: sacrifício é emanação, é o princípio também indutor, é indução,
emanação, calor, vibração, vida.

No nosso Sistema, na jornada Doutrinária, quando você fala em Doutrina, coisas fáceis
não são boas, tanto quanto coisas forçadas. Então realmente esses aspectos que exigem
um mínimo de sacrifício, esteja disposto a esses mínimos, porque inclusive são os
mínimos que nos garantem para os máximos, não é?

Então por exemplo, no princípio, nunca devem se comportar da maneira como eu me


comportei, quer dizer, aqui nós estamos muito informais, então são mestres veteranos
aqui nesta informalidade, na confiança na Cultura que está formada.

É imprescindível a Contagem, uma Contagem, é imprescindível uma Contagem. É


imprescindível porque a natureza dessa Força, quer dizer, é uma Consagração a nível de
Esparta, a natureza das informações, a segurança do ambiente pela própria cultura que
ela dispõe, então sabemos que ali ela atrai correntes, ou são correntes induzidas ou
atraídas, Espíritos, muitos podem ser trazidos pelos próprios Mentores para assistirem a
Aula, não é?

Como pode também ter espíritos que cheguem por quê? Porque é uma forma deles
receberem uma Doutrina indireta ou direta, e muitas vezes, são casos demais, e a
Contagem ela é um trabalho de precisão, como bem sabemos, que é fundamental.

Fazer uma abertura, uma harmonização, distribuir o material, quanto à distribuição eu


nunca gostei de distribuir antes que eu desse a Aula, sempre distribui depois da Aula.

Normalmente quando o sujeito pega uma Carta que tem várias páginas, e puxa daqui,
puxa dali, e atrapalha, quer dizer, tira quem está do lado de sintonia, então até por
preservação das sintonias eu nunca distribui, mas eu, não é? Isso vai de cada um. Se eu
estivesse dando uma Aula de Centúria aqui eu estaria dando o roteiro.

Porque olha, principalmente nessa condição, realmente é bom a gente alertar, aí


voltamos a falar naquele princípio onde o Templo predominantemente Evangélico, ele
vive um aspecto, ele vive realmente um aspecto também de descontração até no campo
de Forças, não é? E o Presidente mesmo, se ele se exigir um comportamento
rigorosamente seguindo os princípios do Templo Mãe, ele não consegue ir para a frente.
Ele tem que se adaptar, ele tem que ser criativo, porque muitas vezes surgem problemas
que ele não dispõe de recursos, ele não dispõe de uma cultura técnica ainda pronta,
avinhada, ele não dispõe de médiuns toda hora que ele quer, quer dizer, são situações
demais com as quais os senhores vão se deparar, que vão até se chocar, mas tem que
saber assimilar, saber compreender.

Então nós não podemos chegar em nenhum lugar e exigir ou impor linhas de
comportamentos do Templo Mãe, porque são muitas situações em jogo, são muitas
situações. Por isso temos que ficar alertas, porque toda espécie de problemas, não
importa qual problema ou circunstância que se apresente, que nos afete dentro da linha
até da própria concepção até de tradição que dispomos, não importa o aspecto, nós
temos que insistir em compreender antes de reagir, antes de falar, antes de fazer, é
fundamental a busca da compreensão. A gente vai cada vez mais se surpreender.

200
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Agora, eu tenho certeza que o Gilberto, nosso Trino Ajarã tem também um conjunto de
recomendações, pela experiência na convivência, para nos dizer, para nos passar,
relacionadas inclusive à nossa tarefa, não é? Salve Deus Trino.

(Trino Ajarã – mestre Gilberto Chaves Zelaya)


Olha, antes de mais nada, hoje, concluindo um trabalho, mais uma vez a certeza da
emanação, de fato, até mesmo com a preocupação, porque vejam bem, nós temos hoje
aqui Ceará, Pará, Maranhão, Rio de Janeiro, da Bahia, Minas, São Paulo, um trabalho e
um objetivo, que eu tenho certeza que nós agredimos, nós extrapolamos a nossa
condição física.

Mas o amor e o respeito, o desejo de servir superou a condição física de cada um de nós.
Nós estamos a quase cinquenta horas aqui, porque até mesmo nos intervalos nós nos
preocupávamos em comentar o que o Bálsamo nos passou, não é?

Eu não tenho dúvida nenhuma de que a missão maior de nossa Mãe, que foi o
Doutrinador, olha, o que se faz presente nesta sala é o bastante, eu tenho certeza, para
movimentar todo esse Universo. Se fala em qualidade, se fala em quantidade. Eu
particularmente nunca soube o que é quantidade e o que é qualidade, porque o que é
quantidade para a Espiritualidade? Agora, ao nível de qualidade, eu tenho certeza que
nós estamos tendo.

Quando da abertura desse nosso encontro, nós contamos com a presença do Mestre
Trino Sumanã, vibrando com a nossa iniciativa e nos desejando boa sorte. Hoje, pelo
menos não foi convidado por mim, contamos com a presença do Mestre que representa
o Sacerdócio Tumuchy na Terra. Como se não bastasse, também não foi convidado para
vir, meu irmão, meu amigo, 1º Filho de Devas Mestre Barros.

Assim eu tenho certeza que, a força que predominou nesse ambiente nesses dias, nessas
noites que nós aqui convivemos foi a Força de Nossa Mãe, portanto, eu digo a vocês: eu
sou um Trino feliz! Salve Deus!

E tudo que você entender que está errado em um Templo não me interessa, não traga
para mim. Enquanto eu for Coordenador dos Templos, não teremos isso. Eu trabalho e
acredito no homem, e acredito principalmente nas nossas Consagrações.

Mestres, não estou oferecendo a vocês nada mais do que trabalho, e muito trabalho,
porém eu sou consciente e vocês também, de que só mesmo o trabalho incessante nos
livrará do mal, e que é com trabalho é que adquirimos os nossos bônus, e é com os
nossos bônus é que nós poderemos amenizar os nossos carmas.

Não tenho medo do carma, e gostaria de deixar aqui um exemplo também do que eu
faço e do que fizemos. Eu vou convidar um por um aqui na minha frente, e se um
Templo quiser patrocinar a sua ida, eu nunca aceitei, eu nunca aceitei! Por isso, o que eu
estou oferecendo para vocês é o trabalho.

Vai de carona, vai a pé, ou até mesmo não vai, mas a coisa começa por aí, não aceite
nada! Eu nunca aceitei nada, e Deus me livre de aceitar. E eu nunca saí com recursos do
Templo quando eu vou para um Ritual.

201
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo
Primeiro, a nossa condição quando nós partimos para uma empreitada dessas, como
vocês, nós somos ricos de uma maneira diferente, as pessoas costumam até dizer:
“Ah! É um mestrão.”

De repente a gente pode ser mal interpretado e aí vem o que falei para vocês. Não é
demagogia, graças a Deus eu tenho condição de me deslocar e ficar num hotel, mas eu
acho que não é bem assim.

Se você não tem onde dormir e não te ofereceram nada, dorme ali na Cura, eu já dormi
na Cura. Não estabeleça um preço para o seu trabalho, eu tenho certeza que o Pai fará
tudo para o cumpri mento de sua missão.

Não se envolvam nunca, em hipótese nenhuma, com os problemas administrativos do


Templo, mesmo que seja do seu próprio Adjunto, você está ali para ministrar um Curso
de Centúria, para servir e ir embora. No momento que você estabelece esse respeito para
com o Adjunto Presidente, você tem condição moral também. Não entre no carma de
ninguém, certo? Não faça a “Oitava Aula”, são sete.

Futuramente nós vamos procurar identificá-los junto aos mestres Devas, que os
senhores têm a função de autorizar ou não ao mestre consagrar a Centúria. Contudo,
acreditando na Consagração do Adjunto, se um Adjunto autorizar também será
Consagrado. Salve Deus!

202
Curso para Instrutores de Centúria – Mestre Bálsamo

Você também pode gostar