Você está na página 1de 133

Astrologia Alquímica

Curso Preparatório
Astrologia Alquímica

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
2
Sumário
1. Introdução ..................................................................................................................................... 04
2. O Mapa Natal – Casas, Planetas e Signos .................................................................................... 10
3. Signos ............................................................................................................................................ 11
4. Planetas ......................................................................................................................................... 12
5. Casas ............................................................................................................................................. 14
6. Familiarizando-se com o Mapa Natal ............................................................................................. 17
7. Aspectos ........................................................................................................................................ 20
8. Visão Alquímica de Mapa Natal ..................................................................................................... 22
9. Casas e Chakras ............................................................................................................................ 23
10. Casas e Elementos ...................................................................................................................... 25
11. Casas e Substâncias.................................................................................................................... 28

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
3
INTRODUÇÃO

Astrologia é o estudo da relação entre o Homem e o Universo, através da simbologia dos corpos celestes.

É uma linguagem simbólica para o estudo da Consciência e é baseada no seguinte princípio: “O que está em
cima está em baixo”. Estuda a relação entre o Universal e o Individual e se desenvolve através da interpretação
simbólica da posição relativa dos astros e da terra.

A nossa relação com o Todo (o Universal) não é estática nem linear, pois se desenrola no tempo. Por isso, só
é compreendida em sua totalidade quando estudamos os seus vários momentos, ciclos e etapas.

Tomando um indivíduo como “centro”, temos essa dinâmica retratada no mapa astral. Essa perspectiva pessoal
é apenas uma entre as múltiplas áreas que esse estudo abrange.

A Astrologia parte de uma perspectiva geocêntrica. Assim, todos os fatores astrológicos são interpretados
segundo as suas posições vistas a partir da Terra. Em termos simbólicos, este é o primeiro passo para
correlacionar diretamente os eventos celestes (o que está em cima) com acontecimentos terrestres (o que está
em baixo).

Na interpretação leva-se em conta os planetas segundo a sua posição por signo. Na Astrologia, os planetas
têm um valor simbólico; o estudo dos planetas como corpos físicos é da área da Astronomia. Todos esses
fatores formam um todo: o mapa astrológico, do qual é possível extrair uma imagem simbólica, um padrão
comportamental, aplicável tanto aos seres humanos, individualmente, como aos eventos coletivos.

A Astrologia sempre foi alvo de extremadas reações: alguns a condenam totalmente, outros a aceitam sem
questionar; poucos lhe ficam indiferentes. Contudo, qualquer dessas posturas é fruto do desconhecimento. O
equilíbrio reside em perceber que antes de crer é preciso compreender.

Os astrólogos partem do princípio que os acontecimentos da terra, individuais e coletivos, refletem a dinâmica
representada nos céus. É a partir dessa premissa que se desenvolve o conhecimento astrológico.

A Astrologia é uma das mais antigas formas de conhecimento. Tem atravessado séculos, civilizações e Eras,
deixando suas marcas. Em determinadas épocas foi dignificada como linguagem reveladora da alma humana
e de seu papel na ordem universal; noutras, foi deturpada, espoliada de seu caráter “sagrado” e reduzida a
simples “arte divinatória”. Entretanto, em todas elas, conseguiu manter a capacidade de interpretar as
necessidades e a dinâmica humana.

Os símbolos presentes numa carta natal representam, entre outras coisas, a posição relativa dos signos e dos
planetas. Interpretando esses símbolos, o astrólogo compreende, em níveis cada vez mais profundos, a
dinâmica interna do indivíduo ou do acontecimento ali representado. Ou seja: lê nos céus o que se passa na
Terra.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
4
Existe uma relação simbólica entre a posição relativa dos astros, no céu, e a vida humana, na Terra. É a relação
entre o Todo e a Parte: o ser humano é, em pequena escala, um reflexo do céu. Esse conceito nada tem a ver
com as supostas influências gravitacionais, radiações, ou outras, que os corpos celestes possam ter sobre a
vida em nosso planeta.

Em Astrologia, a relação entre o Todo e a Parte não é física, mas simbólica. A posição relativa dos astros é um
símbolo: representa um momento específico, com toda a sua dinâmica de probabilidades. A pessoa que nasceu
naquele momento terá uma relação direta com o que ali está representado. Ao longo da vida, essa pessoa irá
“desenrolar” as probabilidades ali representadas e se deparar com os obstáculos ali descritos.

Existe ainda outro aspecto: a consciência. Um mapa natal é o grau de consciência pessoal que determina até
que ponto cada indivíduo está condicionado. Quanto maior for o grau de consciência de si mesmo e do Todo,
maior será a possibilidade de escolha pessoal, maior será o grau de liberdade (livre arbítrio) e menor será o
condicionamento ditado pelo exterior. Compreender a relação entre o Todo, a Parte e a Consciência é, portanto,
o primeiro passo para o estudo da Astrologia.

Um Pouco de História

Provavelmente a Astrologia teve sua origem em tempos remotos, quando a vida dos seres humanos estava
intimamente ligada aos ciclos da natureza: os lunares e os das estações. Esses ciclos condicionavam a caça e
o tipo de alimentos disponíveis. A observação desses ciclos naturais levou o ser humano a criar uma base de
conhecimentos. A vertente simbólica e mística desses conhecimentos constituiu a base da Astrologia, enquanto
o aspecto matemático, a base da Astronomia. Durante muito tempo, na história da humanidade, essas duas
vertentes foram indissociáveis.

Embora o vestígio mais antigo de observação astrológica/astronômica seja de 15.000 a.C., a Astrologia, como
a entendemos hoje, só começou a se desenvolver com o sedentarismo causado pelo aparecimento da
Agricultura (10.000 a 5.000a.C.). A necessidade de compreender os ciclos tornou-se vital para as colheitas.

Os primeiros astrólogos apareceram em 4.000a.C. com o desenvolvimento das civilizações mesopotâmicas e


egípcias no Oriente Médio. Surgem os métodos de observação e cálculo astronômico e as bases da Astrologia:
o conceito de Zodíaco, características planetárias e a atribuição das regências. O panorama religioso era
favorável ao desenvolvimento da Astrologia, que era utilizada para o estudo e previsão de eventos coletivos.
Os horóscopos individuais raramente eram utilizados, com exceção dos reis e de outras figuras importantes
para a nação.

Posteriormente, a civilização grega (700a.C.) deu um grande impulso ao desenvolvimento da Astrologia.


Surgiram aí, as teorias geométricas e as bases filosóficas da Astrologia moderna. Sua função religiosa foi
substituída por uma função intelectual, escolástica.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
5
Foi no 1º milênio da Era Cristã que os horóscopos individuais passaram a desempenhar um papel importante.
Desenvolveu-se a Astrologia Natal: implementaram-se e reestruturam-se os conceitos de Ascendente e Casas
Astrológicas. Tratados foram escritos, surgiram pensadores e astrólogos.

Com a constante hostilidade por parte do Cristianismo crescente, a Astrologia refugiou-se no mundo árabe. Os
astrólogos conquistaram um papel importante na sociedade, atuando como conselheiros junto a reis e nobres.
Entretanto, os atritos com a Igreja romana continuaram, atingindo o auge durante a Inquisição, em 1536. A
Astrologia começou a decair.

A separação entre a Astrologia e Astronomia aconteceu em 1650 e, em 1770, saiu do mundo acadêmico: foi
excluída do currículo da Universidade de Salamanca, onde era ensinada.

As tentativas de ajustar o conhecimento simbólico e metafísico da Astrologia à visão mecanicista do


racionalismo científico causaram uma excessiva simplificação e, assim, uma perda de qualidade. A descoberta
dos planetas Urano e Netuno aniquilaram a suposta perfeição do antigo sistema astrológico. Astrólogos, na
tentativa de explicarem cientificamente a Astrologia, deturparam os princípios fundamentais desse ramo de
conhecimento.

Na segunda metade do séc.XIX ocorreu uma revitalização do esoterismo e da espiritualidade no Ocidente.


Muitos ramos do conhecimento começaram a ser estudados e recuperados, entre eles a Astrologia.
Infelizmente, com a popularização, surgem os almanaques, que passam a divulgar uma Astrologia
demasiadamente simplificada e popular: nascem conceitos como “signo solar” e os primeiros “horóscopos de
revista”.

Com o séc.XX surgem novas correntes da Astrologia. Com o aparecimento da Psicologia e o crescente
interesse pelo desenvolvimento pessoal nasce a Astrologia Humanista (ou Psicológica).

Nos anos 60, uma cultura pró-espiritual surge no Ocidente. Temas como Reencarnação, Karma, meditação e
yoga começaram a ser falados. Esse influxo de novas ideias afetou também a Astrologia. Enfatizou-se a
Astrologia Kármica. Entretanto, a maior parte das bases espirituais da Astrologia foi perdida ou esquecida há
1.500 anos. Todos os atuais conceitos esotéricos foram reconstruídos recentemente.

Hoje, a Astrologia enfrenta grandes desafios e perigos. A sua crescente popularidade fez com que muitas
opiniões, escassas de conhecimento, sejam reconhecidas como sérias. Entretanto, existem movimentos de
recuperação e de estudo dessa Arte.

A Astrologia sempre acompanhou a Humanidade ao longo de sua evolução, assumindo um papel ativo na
história do desenvolvimento humano.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
6
A Visão Clássica

A Astrologia começou como um conhecimento de foro religioso, místico e iniciático. Sua função era dar ao ser
humano uma linguagem que lhe permitisse relacionar-se com as verdades ocultas e metafísicas do universo.
Mais tarde, essas verdades foram aprofundadas e estruturadas na sua forma atual.

Apesar de tudo, sempre existiu uma vertente popular da Astrologia. Para as massas, o seu lado divinatório e
preditivo foi sempre muito enfatizado. Devido à incapacidade de compreensão metafísica do ser humano
comum, a prática da Astrologia reduziu-se, desde muito cedo, a presságios fatalistas e predestinações sinistras,
deturpação da sua verdadeira natureza.

Nesta abordagem da Astrologia, o ser humano não era muito importante. O seu objeto de análise eram os
momentos favoráveis ou desfavoráveis e os acontecimentos mundanos. Predominavam as vertentes Horária e
Mundana da Astrologia.

Atualmente, o ser humano é considerado o centro do Universo. Esse pensamento, no entanto, não é novo. Ele
já era tema de discussão das grandes mentes do planeta, milênios antes da nossa era, embora só hoje tenha
chegado às massas.

Essa perspectiva centrada no ser humano modificou grandemente as artes e ciências. A Astrologia não foi
exceção. Com o aparecimento da Psicologia e das Ciências Sociais, no início do séc. XIX, surgiram na
Astrologia movimentos ideológicos que apelam para o seu uso como ferramenta de autoconhecimento.
Adaptou-se, então, a linguagem psicológica à Astrologia surgindo uma excelente ferramenta de
aconselhamento. Isso influenciou e determinou todas as linhas de desenvolvimento da Astrologia no séc. XX.
Desenvolveu-se a linha Humanista.

A Astrologia Natal, que estuda o horóscopo individual, tornou-se a forma mais praticada, relegando para uma
posição secundária outras linhas, como a Mundana e a Horária.

Astrologia Natal

Este é o ramo mais utilizado atualmente. Seu objeto de estudo é o ser humano. O mapa utilizado é o mapa
natal, calculado pela data, hora e local de nascimento. Considera-se o momento do nascimento aquele em que
o bebê respira pela primeira vez. Hoje, esse ramo da Astrologia, assumiu um caráter de estudo psicológico. O
objetivo dessa abordagem é auxiliar o interessado no seu autoconhecimento e desenvolvimento pessoal.
Antigamente, esse ramo da Astrologia era raro, devido à falta de registro da hora de nascimento.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
7
Astrologia Mundana

Esta é a Astrologia dos grandes acontecimentos e dos movimentos coletivos. É considerada a mais nobre de
todas as vertentes da Astrologia, pois estuda o macrocosmo, os desígnios da divindade e o desenrolar do
divino.

Este ramo é muito complexo e tem vários níveis de abordagem. Aborda as influências cíclicas, os grandes
alinhamentos, os eclipses e, em geral, os fatores de grande impacto, capazes de afetar a Humanidade como
um todo. Inclui também a Astrologia Política, que estuda os mapas de países e eventos políticos.

Astrologia Horária

Esta vertente da Astrologia foi a mais utilizada no passado. Sua filosofia diverge das restantes: procura resposta
direta a perguntas específicas. Para isso, estuda-se o mapa natal do momento em que a pergunta é feita,
acreditando-se encontrar nele, através da Lei da Sincronicidade, a resposta. Rege-se por regras e simbolismo
muito específicos.

Este processo sempre foi questionado devido ao seu uso abusivo como sistema divinatório, de que foi vítima
ao longo das Eras. Neste ramo inclui-se a Astrologia Eletiva, cujo objetivo consiste em saber o melhor momento
para um evento ocorrer. Ex.: coroação de um rei, fundação de uma empresa etc.

Astrologia Humanista

Baseia os conhecimentos da Astrologia centrada no ser, considerando seus aspectos psicológicos contidos nas
informações do mapa, ampliando a leitura para além dos aspectos preditivos. A Astrologia pode então ser usada
para dizer ao Homem como ele pode preencher melhor as potencialidades inerentes à sua natureza e, deste
modo, levar uma existência mais plena e mais segura.

Astrologia Médica

Este ramo tem como objetivo compreender as condições físicas de um indivíduo. É uma especialização
combinada da Astrologia Natal e da Horária. Aqui, os fatores astrológicos são interpretados como partes do
corpo (os signos), funções fisiológicas (os planetas) e áreas de expressão (casas).

Na Universidade de Bologna (Itália) e na Universidade de Salamanca (Espanha), duas das mais antigas da
Europa, a Astrologia Médica era uma disciplina do curso de Medicina. Em Bologna essa matéria começou a ser
lecionada a partir do ano 1125. Uma frase famosa da Universidade na época era “um médico sem Astrologia é
como um olho sem vista”. Esse tipo de Astrologia caiu em desuso com o aparecimento da Medicina moderna.
Atualmente, sofre avivamento devido ao ressurgimento das chamadas medicinas alternativas.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
8
Astrologia Kármica

Utiliza as informações contidas no mapa natal relacionando-as com questões de outras vidas, relações entre
parceiros e familiares, doenças, e as tarefas dessa encarnação, visando sair da Roda da Reencarnação. O
indivíduo ficaria, assim, livre da lei da ação e reação.

Astrologia Alquímica

Esse estudo fundamenta-se na teoria de Hermes Trismegistus e é um ramo que permanece fiel aos
ensinamentos da Alquimia. As casas astrológicas, os planetas e os signos estão relacionados aos componentes
da Árvore da Vida, segundo a Alquimia: os chakras, as três substâncias e os quatro elementos.

A partir da análise das costuras do DNA pelo Oitavo Corpo Umeral, o Espírito marca o seu mapa astral pelo
princípio da correspondência – o que está no alto é o mesmo que está embaixo, deixando as marcas potenciais
através das posições dos planetas e seus aspectos. O mapa natal constitui ferramenta importante para o
trabalho do alquimista e a análise desse conjunto serve como suporte para o trabalho alquímico.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
9
O MAPA NATAL – CASAS, PLANETAS E SIGNOS

O termo “Mapa Natal” (também chamado “Mapa Celeste” ou “Carta Natal”) nos dá a ideia de orientação espacial
no vago, no etéreo, no translúcido, no domínio do invisível. Mas, se por um lado, o céu é uma realidade visual
sem corporeidade, por outro, ele nos envolve em seus movimentos cíclicos e naturais: o dia, a noite, as
estações, os planetas.

O Mapa Natal é uma estrutura que simboliza a tensão entre o visível e o invisível. Ele traz o céu para perto de
nós, traduzindo seus movimentos. Assim, nada mais natural do que nos basearmos nele para estruturarmos
nosso interior.

A Carta Natal representa o céu na terra, o infinito no finito, em uma relação que distingue dois conceitos
fundamentais: espírito e matéria, ou ainda, energia e forma, mercurius e súlfur.

Existe uma relação lógica entre o macro e o micro e é isso que o Mapa Natal nos revela. Ele é uma mandala e,
como toda mandala, remete a um princípio básico no nosso psiquismo, o contato entre a nossa consciência
cotidiana e um nível da totalidade. O ponto central simboliza o homem, a forma, a matéria mais densa e estável,
a manifestação e a multiplicidade dessa matéria; e o círculo das casas, na periferia, a energia, a totalidade, o
volátil, o Espírito. No Mapa Natal, essa dinâmica do centro para a periferia, da periferia para o centro, do interior
para o exterior e vice-versa, é uma constante.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
10
SIGNOS

Os signos são calculados pelo trânsito anual do Sol, definido pelas quatro estações. A mandala astrológica,
representada por um círculo de 360º, é dividida em 12 signos de 30º cada um, correspondentes às constelações
da Via Láctea, no Sistema Solar.

Os signos representam arquétipos universais que vêm desafiar o Espírito na matéria.

Áries: arquétipo das batalhas.

Touro: arquétipo das posses materiais.

Gêmeos: arquétipo da comunicação e da intelectualidade.

Câncer: arquétipo das raízes e da família.

Leão: arquétipo da personalidade.

Virgem: arquétipo da organização.

Libra: arquétipo dos relacionamentos.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
11
Escorpião: arquétipo das transformações.

Sagitário: arquétipo dos ideais.

Capricórnio: arquétipo da responsabilidade.

Aquário: arquétipo da ousadia.

Peixes: arquétipo da espiritualidade.

PLANETAS

Os planetas trazem para a ação os desafios apresentados pelos signos. Eles dão materialidade ao arquétipo
que o signo representa. Assim, é através deles que as energias dos signos são canalizadas até nós. Por
exemplo, enquanto o signo de Áries é o arquétipo das batalhas, Marte, seu regente, representa o arquétipo do
guerreiro.

Os planetas são os representantes legais dos signos na Terra. Por terem uma relação eletromagnética com os
signos, podemos chamá-los de “Regentes”.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
12
Marte
Regente do Áries das batalhas pessoais, Marte representa o arquétipo do guerreiro. Aquele que luta
por seus objetivos, sem medo, de modo impulsivo. Sombra: covardia.

Vênus
Regente de Touro e Libra – das posses e dos relacionamentos –, Vênus representa o ambicioso
(Touro), o dependente do outro (Libra). O apegado, aquele que está sempre à procura de algo ou
alguém. Sombra: frustração material e solidão.

Mercúrio
Regente de Gêmeos e Virgem – do intelecto e da organização –, Mercúrio é o arquétipo do comunicador
e intelectual (Gêmeos), ou do metódico e organizado (Virgem). Sombra: dificuldades no aprendizado e
desorganização.

Lua
Regente de Câncer das raízes e da família, a Lua representa a maternidade, nosso lado sensível. A
personalidade volátil, os diferentes temperamentos que se manifestam de acordo com as situações
que se apresentam. Sombra: carência afetiva familiar.

Sol
Regente do Leão da personalidade, o Sol representa a identidade pessoal. Tudo aquilo que achamos
que somos. É o ego. Sombra: falta de personalidade.

Plutão
Regente do Escorpião das transformações, Plutão é aquele que se analisa continuamente, que
mergulha no fundo de todas as coisas, que se baseia sempre nas imperfeições na tentativa de
alcançar o perfeito. O crítico. Sombra: autopunição e autoflagelação.

Júpiter
Regente de Sagitário dos ideais, Júpiter é o buscador de novos mundos, novas paragens. Aquele que
não se acomoda, que está sempre à procura de algo que engrandeça seu Espírito. O idealista que crê
em seus valores pessoais. Sombra: acomodação e conservadorismo.

Saturno
Regente do Capricórnio das responsabilidades, Saturno exige compromisso com a vida. Aquele que
cobra a responsabilidade pelos próprios atos. Aquele que rege nosso karma. É o advogado, o juiz, o
promotor público. Sombra: irresponsabilidade, negligência.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
13
Urano
Regente do Aquário da ousadia, Urano é o arquétipo do vanguardista, quebrador de paradigmas.
Aquele que está sempre eliminando o velho em busca do novo, do moderno. O sonhador, o utópico, o
vidente. Sombra: cafonice, obsoletismo.

Netuno
Regente do Peixes da espiritualidade, Netuno é o próprio Espírito encarnado. Aquele que usa a força
espiritual para sua evolução sobre a matéria. É o religioso, o espiritualista, aquele que crê. Sombra:
Falta de fé, descrença.

CASAS

O círculo central da mandala astrológica corresponde às Casas Astrológicas, numeradas de I a XII. A divisão
das casas é dada em graus, minutos e segundos. Elas são fixas e variam apenas no tamanho: mais ou menos
30º, dependendo da Latitude e Longitude na hora do nascimento.

Há uma correspondência intrínseca entre os doze signos, as doze casas e os planetas. As casas são fixas,
mas o cinturão zodiacal circula em torno delas ao longo do dia. Os planetas, assim como os signos, estão
sempre em constante movimento também. Mas por se tratarem de campos magnéticos, não importa onde
estejam o signo de Áries e seu regente Marte, por exemplo, eles sempre estarão se relacionando entre si e
com a casa 1 fixa. E assim será com todos os outros signos, seus respectivos regentes e casas. Ao mesmo
tempo, os diferentes signos e planetas levam seus arquétipos para todas as casas em que se encontrarem.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
14
Ex.: Áries, o primeiro signo, corresponde à primeira casa. Mas em função da rotação diária da terra, Áries
permanece no horizonte apenas por duas horas na casa I; depois disto, será o signo seguinte de Touro que irá
direcionar seu campo magnético para essa primeira casa, desafiando o guerreiro (casa 1) a lutar por coisas
materiais (touro). Assim, a cada duas horas, os signos subsequentes irão desafiar esta casa e em vinte e quatro
horas todo o zodíaco terá passado por ela. Isto acontece, respectivamente, com todas as demais casas. Já os
planetas trarão a parte mais densa dos arquétipos para a realidade de cada casa, exigindo ação, que aquilo
não seja apenas um desafio (signo), mas que seja colocado em prática. Assim, Marte na casa 2 indicaria, por
exemplo, uma pessoa ambiciosa que luta indiscriminadamente por bens materiais; o típico materialista.
Considerando agora o signo de Áries na casa 2, poderíamos estar diante de uma pessoa que precisa lutar
pelas coisas materiais.

Casa I - Área das batalhas


Signo de Áries
Planeta regente - Marte

Casa II - Área das posses materiais


Signo de Touro
Planeta regente - Vênus

Casa III - Área da comunicação e da intelectualidade


Signo de Gêmeos
Planeta regente - Mercúrio

Casa IV- Área das raízes e da família


Signo de Câncer
Planeta regente - Lua

Casa V - Área da personalidade


Signo de Leão
Planeta regente - Sol

Casa VI - Área da organização


Signo de Virgem
Planeta regente - Mercúrio

Casa VII - Área dos relacionamentos


Signo de Libra
Planeta regente - Vênus

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
15
Casa VIII - Área das transformações
Signo de Escorpião
Planeta regente - Plutão

Casa IX - Área dos ideais


Signo de Sagitário
Planeta regente - Júpiter

Casa X - Área das responsabilidades


Signo de Capricórnio
Planeta regente - Saturno

Casa XI - Área da ousadia


Signo de Aquário
Planeta regente - Urano

Casa XII - Área da espiritualidade


Signo de Peixes
Planeta regente - Netuno

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
16
FAMILIARIZANDO-SE COM O MAPA NATAL

Cúspides

São as linhas que dividem as casas de um mapa astrológico.


Cada cúspide corta um signo num determinado grau e é nesse grau que a casa se inicia. As cúspides indicam
o grau exato do início de cada uma das casas.

Casas Vazias

São casas que não têm planetas e, portanto, não estão muito estimuladas. Essas casas acabam ficando
ofuscadas por outras que contenham mais planetas e aspectos.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
17
Ascendente (ASC)
O Signo Ascendente é o signo da cúspide da casa I.
O Signo Ascendente é aquele que ascende, que sobe na linha do horizonte, num determinado lugar e momento.
A sequência dos signos começa sempre no signo de Áries e a sequência das casas começa sempre no
ascendente.

Descendente (DESC)
O Signo Descendente está localizado na cúspide da casa VII.
As casas I (ASC) e VII (DESC) formam o eixo dos relacionamentos: na casa I, a relação do indivíduo com o EU
e, na casa VII, como o indivíduo se relaciona com os outros.

Meio do Céu (MC)


É o ponto em que o Sol atinge a sua altura máxima; equivale às 12hs. Localiza-se na cúspide da casa X.
Esta casa, relacionada à responsabilidade, é a casa que sintetiza todo o mapa, sinalizando a missão de vida
do indivíduo.

Fundo do Céu (FC)


O Meio do Céu é considerado o ponto máximo de exteriorização, enquanto o Fundo do Céu (Imum coeli) é o
ponto máximo de interiorização. Localiza-se na cúspide da casa IV.
Demonstra o que o indivíduo tem como base, suas raízes; o que é necessário para se sentir seguro.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
18
Interceptação
A interceptação ocorre quando nenhuma cúspide corta o signo. Isto acontece sempre em um eixo, ou seja: são
dois signos opostos, que não são cortados por nenhuma cúspide. Quando nenhuma cúspide corta o signo, ele
fica completamente preso dentro de uma casa. A cúspide é a porta de acesso da casa astrológica por onde o
desafio do signo entra após os 28 anos. Se os signos não entram, pois não têm este acesso, ocorrem
dificuldades para que o indivíduo vivencie as qualidades dos signos.

Planetas Retrógrados

A retrogradação é o período em que um planeta nos dá a impressão de se mover para trás quando os vemos
contra o fundo fixo das estrelas. Esse fenômeno se deve à nossa perspectiva, baseada no ponto de vista da
terra. Esse fenômeno acontece com a maioria dos planetas do Zodíaco, menos com os luminares (Sol e Lua).
Para a Alquimia, um planeta retrógrado representa a antítese do seu arquétipo:

 Marte Retrógrado representa o covarde.


 Vênus Retrógrado representa a insegurança material, o desleixo pessoal (Touro); a solidão (Libra).
 Mercúrio Retrógrado representa a dificuldade de aprendizagem (Gêmeos); a desorganização (Virgem).
 Plutão Retrógrado representa a crítica pela crítica, a autopunição.
 Júpiter Retrógrado representa a falta de ideais.
 Saturno Retrógrado representa a irresponsabilidade.
 Urano Retrógrado representa a falta de visão, a cafonice.
 Netuno Retrógrado representa a falta de fé.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
19
ASPECTOS

A divisão do círculo (360°) forma ângulos. Os aspectos são formados pelos ângulos, determinados em graus,
que envolvem dois ou mais planetas. Os mais importantes aspectos para a Astrologia Alquímica são:

OPOSIÇÃO ÂNGULO 180º


 Percepção
 Diligência
 Equilíbrio
 Cooperação
 Conflito

Representado no centro do círculo por linhas vermelhas que o cortam, dividindo o círculo (360°) em 2, portanto
em 180°. Envolve dois planetas e tem uma distância de 180° entre si.

QUADRATURA ÂNGULO 90º


 Desafio
 Ação frequentemente dinâmica
 Tensão
 Realização
 Pontos de Mutação

Também representado por uma linha vermelha, mas que divide o círculo em 4 partes, portanto em 90°. Envolve
dois planetas e tem uma distância de 90° entre si.

TRÍGONO ÂNGULO 120º


 Abundância e conforto
 Idealismo
 Inspiração
 Harmonia
 Indolência

Representado por linhas azuis, que determina a divisão do círculo em 3, portanto em 120°. Envolve dois ou
mais planetas e tem uma distância de 120° entre si. São aspectos favoráveis, desde que não envolva planetas
retrógrados.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
20
CONJUNÇÃO ÂNGULO 0º
 Ênfase
 Início
 Concentração
 Nova atividade

Pode envolver 2 ou mais planetas com uma distância entre si de 0° a 10°.


Representa um foco, onde duas (ou mais) energias são somadas, formando uma espécie de "lente" que amplia
as questões envolvidas. Pode ser construtivo, ou não.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
21
VISÃO ALQUÍMICA DO MAPA NATAL

Casa
Casa 10 Casa
11 09
Casa Casa
12 08

Casa Casa
01 07

Casa Casa
02 06
Casa Casa
Casa
03 05
04

O primeiro círculo da mandala astrológica corresponde ao cinturão zodiacal. Os signos neste círculo podem
variar em sua posição dependendo do mapa, pois representam um movimento constante no céu. As casas
astrológicas, porém, variam apenas de tamanho e permanecem fixas no mapa. Os símbolos dentro das casas
representam os planetas do sistema solar e também se mantêm em constante movimento.

As casas astrológicas são os referenciais mais importantes para a Astrologia Alquímica, pois representam o
Oitavo Corpo ou Corpo Celeste: o desenho do Espírito, a síntese de todas as experiências vividas durante
todas as nossas existências.

Cada casa é responsável por uma informação específica e movimenta-se de acordo com a química dos quatro
elementos, mas usa apenas um elemento de cada vez para atender suas doze sessões do Corpo Umeral. Os
elementos representados no mapa, porém, diferem totalmente dos elementos de Gaia. Astrologicamente, eles
fomentam a energia do arquétipo de cada signo. Por exemplo, quando preciso de fogo para levantar de manhã
e ir trabalhar, utilizo o fogo de Gaia, da bioquímica estrutural. Mas se preciso de fogo para seguir um ideal,
utilizo o fogo arquetípico da Casa 9 de Sagitário.

Em relação às Três Substâncias da Alquimia, sob o ponto de vista do Mapa Natal, os signos estão relacionados
à substância Mercurius, os planetas ao Sulphur e as casas se relacionam com o Sal.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
22
CASAS E CHAKRAS

As informações na Aura - ou memória – estão organizadas em 7 departamentos, os chakras. Quando a mesma


informação começa a transitar livremente por todas as áreas, torna-se plena e de coloração branca. Nesse
momento, essa informação não tem mais espaço, não tem cor; é absorvida pelo Oitavo Chakra Umeral.
Também chamado de A Asa do Anjo pela Alquimia, esse chakra está localizado nas costas e se comunica com
o corpo através do Chakra Cardíaco. A função do Oitavo Chakra Umeral é distribuir as informações geradas na
Aura como um todo pelos 12 departamentos representados no mapa pelas casas astrológicas (o Corpo
Celeste). As casas se organizam no sentido anti-horário, a partir do lado direito do Chakra Cardíaco.

A Casa I Marte/Áries do guerreiro e a Casa VII Vênus/Libra das associações são merecedoras de uma atenção
especial na nossa leitura, pois influenciam bastante o equilíbrio em relação a como expressamos nossa
personalidade e a como nos relacionamos. Elas correspondem ao Chakra Cardíaco.

O Chakra Umbilical está relacionado à Casa II Vênus/Touro - das conquistas materiais, da emoção de ter "algo"
-, e à Casa VI Mercúrio/Virgem - das emoções, expectativas, seletividade, trabalho, saúde e organização.

O Chakra Esplênico corresponde à Casa III Mercúrio/Gêmeos - da expressão e da comunicação através do


corpo, da inteligência na prática - e à Casa V Sol/Leão - da autoestima (sentir-se forte e confiante), da
sensualidade, gravidez, da sede de conquista.

A Casa IV Lua/Câncer atinge diretamente a base e a estrutura familiar. As nossas raízes. Ela está relacionada
ao Chakra Básico.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
23
A Casa VIII Plutão/Escorpião - realização do discurso na mente concreta, reflexão, transformação - e a Casa
XII - da espiritualidade, do verbo - estão relacionadas ao Chacra Laríngeo.

O Chakra Frontal corresponde à Casa IX Júpiter/Sagitário da intuição e percepção de si mesmo e à casa XI


Urano/Aquário da visão de futuro, ousadia e mudança de padrões.

A Casa X Saturno/Capricórnio representa o maior compromisso em relação à responsabilidade nesta vida.


Refere-se ao Chakra Coronário.

Quando planetas se encontram retrógrados ou mal aspectados dentro das casas, eles indicam problemas de
saúde diretamente relacionados aos chakras referentes a esta área.

Chakra Coronário Casa X 42 a 49 anos - 91 a 98 anos


Chakra Frontal Casas XI e IX 35 a 42 anos - 84 a 91 anos
Chakra Laríngeo Casas XII e VIII 28 a 35 anos - 77 a 84 anos
Chakra Cardíaco Casas I e VII 21 a 28 anos - 70 a 77 anos
Chakra Umbilical Casas II e VI 14 a 21 anos - 63 a 70 anos
Chakra Esplênico Casas III e V 7 a 14 anos - 56 a 63 anos
Chakra Básico Casas IV 0 a 7 anos - 49 a 56 anos

CHACRAS E
SUA RELAÇÃO
COM O OITAVO
CORPO UMERAL

coronário
frontal
laríngeo

cardíaco
umbilical
esplênico
básico

62

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
24
CASAS E ELEMENTOS

Em Astrologia, assim como na Alquimia, consideramos quatro Elementos. Existem três signos de cada
Elemento = Triplicidades: de Fogo, de Terra, Ar e Água. Os elementos no mapa natal, porém, são diferentes
dos elementos de Gaia. Astrologicamente, eles dão movimento aos arquétipos de casa signo, e a falta ou
excesso de algum deles afeta diretamente a expressão da qualidade inerente ao signo.

Elemento Fogo

 Casa I: Áries, Marte


 Casa V: Leão, Sol
 Casa IX: Sagitário, Júpiter

CASA I: MARTE

CASA V: SOL

CASA IX: JÚPITER

36

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
25
Elemento Terra

 Casa II: Touro, Vênus


 Casa VI: Virgem, Mercúrio
 Casa X: Capricórnio, Saturno

Elemento Ar

 Casa III: Gêmeos, Mercúrio


 Casa VII: Libra, Vênus
 Casa XI: Aquário, Urano

CASA III: MERCÚRIO

CASA VII: VÊNUS

CASA XI: URANO

44

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
26
Elemento Água

 Casa IV: Câncer, Lua


 Casa VIII: Escorpião, Plutão
 Casa XII: Peixes, Netuno

Z
Y
CASA IV: LUA

CASA VIII: PLUTÃO

R CASA XII: NETUNO

48

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
27
CASAS E SUBSTÂNCIAS

Em relação às 3 substâncias da Alquimia, podemos relacionar as casas a diversos pontos de vista. No


momento, porém, só abordaremos dois aspectos:

1. Agrupando-as a partir da casa 1, levando em consideração os elementos correspondentes a cada casa.


O primeiro fogo será sulfúrico, o segundo salino e o terceiro mercurial. E assim por diante com os demais
elementos.

Casas Sulfúricas:

 Casa I do Fogo do Guerreiro, da força, energia, vitalidade


 Casa II da Terra da matéria que traz para si
 Casa III do Ar da expressão, da comunicação, do intelecto
 Casa IV da Água da nutrição, da família, das raízes

GRUPO DE CASAS
Casa I

Casa II
Casa III
Casa IV

29

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
28
Casas Salinas:
 Casa V do Fogo que atrai, magnetiza
 Casa VI da Terra da ordem
 Casa VII do Ar que se relaciona
 Casa VIII da Água que muda de identidade, forma, que gera a transformação

Casa VIII

Casa VII
GRUPO DE CASAS

Casa VI

Casa V

31

Casas Mercuriais:
 Casa IX do Fogo que se expande através dos ideais
 Casa X da Terra da responsabilidade, do compromisso
 Casa XI do Ar expansivo que possibilita conexão com ideias ousadas
 Casa XII da Água do espírito, universal, sem limites

Casa X Casa IX

Casa XI

Casa XII
GRUPO DE CASAS

33

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
29
2. Relacionando Planetas – Signos – Casas:

Os Planetas apresentam a energia contraída e são internos às Casas, ligados ao passado, portanto sulfúricos.
Os Signos, desafios do espírito, localizados externos às Casas, representam o futuro, são mercuriais. E as
Casas, que fazem a interface espírito-matéria, representam o presente, são salinas.

Resumindo:

Substância relacionada ao
Planetas Casas Signos Elementos
corpo umeral
Marte I Áries Fogo Sulphur
Vênus II Touro Terra Sulphur
Mercúrio III Gêmeos Ar Sulphur
Lua IV Câncer Água Sulphur
Sol V Leão Fogo Sal
Mercúrio VI Virgem Terra Sal
Vênus VII Libra Ar Sal
Plutão VIII Escorpião Água Sal
Júpiter IX Sagitário Fogo Mercurius
Saturno X Capricórnio Terra Mercurius
Urano XI Aquário Ar Mercurius
Netuno XII Peixes Água Mercurius

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
30
© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016
Todos os direitos reservados.
31
Curso
Astrologia Alquímica

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
32
Sumário

1. Conceitos alquímicos relacionados à astrologia ............................................................................ 34


1.1. Conceitos alquímicos relacionados ao espírito humano. O desencarne. .................................... 34
1.2. Conceitos alquímicos relacionados ao espírito humanos. O retorno à Terra .............................. 37
1.3. Os doze signos e a formação do oitavo corpo umeral, ou corpo celeste .................................... 39
1.4. A segunda fase encarnatória.A entrada do Flungistom no sistema solar e sua chegada à terra.42
1.5. A memória humana ..................................................................................................................... 43
1.6. Conclusão ................................................................................................................................... 49
2. Conhecendo o mapa astrológico .................................................................................................... 49
3. Ascendente .................................................................................................................................... 50
4. O signo no Ascendente .................................................................................................................. 51
5. Os planetas nas casas ................................................................................................................... 63
6. Os planetas nos signos .................................................................................................................. 79
7. Os aspectos astrológicos ............................................................................................................... 84
8. Planetas retrógrados ...................................................................................................................... 85
9. Os Quatro Elementos ..................................................................................................................... 87
10. As 3 Substâncias.......................................................................................................................... 90
11. As Flores Astrológicas do Kit Zodiacal ......................................................................................... 91
12. Roteiro de Atendimento................................................................................................................ 97
13. Complementos ............................................................................................................................. 99
13.1. Tabela casas - Signos - Planetas - Elementos .......................................................................... 99
13.2. Entrada do Sol nos Signos ...................................................................................................... 101
13.3. Lilith – Roda da Fortuna – Cabeça do Dragão ........................................................................ 102
13.4. Horário de Verão Brasileiro ..................................................................................................... 105
14. Mensagem ................................................................................................................................. 114
15. Mapa do Kit Zodiacal .................................................................................................................. 115
16. Tratamento e Fórmulas .............................................................................................................. 116

Anexos
1. Resumão Astrologia
2. Costuras no Corpo Umeral

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
33
CONCEITOS ALQUÍMICOS RELACIONADOS À ASTROLOGIA

Conceitos alquímicos relacionados ao espírito humano. O desencarne.

Para a Alquimia, o espírito, também chamado Flungistom, não tem forma definida. Para compreender
adequadamente esse tema, é melhor partir do ponto de vista do ser encarnado, o ser humano. Somos um
emaranhado de informações. Temos lembranças desta vida desde a infância. Uma identidade dada pela família.
Podemos afirmar categoricamente quem somos usando apenas uma palavra – nosso nome. Sabemos onde
estão nossas emoções, por mais confusas que sejam. Diante de um dilema mental, podemos discernir sobre a
informação que flui do conhecimento adquirido ou das intuições. É muito fácil saber se somos racionais ou se
agimos movidos por sensações.

Onde está o intelecto, a razão de nossas decisões ou mesmo a sensibilidade? Posso mensurar meus
sentimentos, do mais grosseiro até o mais nobre. Habito em um mundo tridimensional, onde posso trafegar em
altura, largura e profundidade. Posso classificar as pessoas como boas, más, poderosas, gentis, lindas, feias e
outras centenas de adjetivos. Meu corpo, assim como todas as coisas que me circundam, é feito de uma só
coisa, o átomo. Este mundo material onde o espírito encarnado habita é de fácil compreensão para a Alquimia.
Limitado e previsível. É fácil saber quando estamos amando ou sentindo raiva. O desgosto e a depressão são
facilmente identificáveis, assim como a euforia e a felicidade. Enfim, estar vivo, para a Alquimia, é saber onde
as coisas estão. Estar vivo é também participar ativamente do processo de evolução das espécies. A nossa,
humana, é o topo da pirâmide.

Além de caminhar com todo o conhecimento que trazemos da vida espiritual, ainda temos um conhecimento
corpóreo que vai sendo passado de pai para filho e lapidando um corpo herdado de nossos antepassados
através do DNA. Para a Alquimia, o ser possui as suas memórias espirituais, as memórias do cotidiano e as
memórias dos antepassados, que vêm através dos códigos genéticos.

Diante de uma criatura humana, temos que levar todas essas leituras em consideração. Uma boa tradução dos
símbolos alquímicos pode ajudar a desvendar um sentido maior para a vida do consulente. Esse sentido pode
estar em vários níveis de consciência, desde o mais mundano e simples até o mais complexo e profundo. Aqui
temos também o sexo, feminino ou masculino, que nos limita numa série de coisas, das mais orgânicas às mais
conceituais. Esse é o mundo dos encarnados, como já mencionado antes, bastante previsível.

Agora imagine o momento da morte. O desenlace da matéria. Vamos partir para outro mundo, o imaterial. As
leis que regem o mundo imaterial são muito diferentes das que regem o mundo dos encarnados. Ali não existe,
para a Alquimia, uma organização como a que é regida pelo átomo. Ao passarmos para o estado espiritual, nos
tornamos energia pura. Lá se foi nossa identidade! Na condição de espírito, as diversas identidades estão
fundidas em uma só. Se aqui me chamava Joel, como me chamarei do lado de lá, se me recordo agora de
todas as vidas vividas anteriormente?

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
34
Esse fato não invalida as conhecidas manifestações espirituais através do fenômeno da mediunidade; é que os
espíritos, quando se aproximam dos médiuns, procuram se manifestar de acordo com a sua última identidade,
até porque deve existir algum motivo para essa comunicação. Ninguém melhor que o conhecido médium Chico
Xavier para proporcionar a real compreensão desse assunto. Conhecer sua obra ajuda a mergulhar ainda mais
nesse entendimento.

Retornando ao raciocínio alquímico, no momento da partida deste mundo material, a primeira coisa de que
vamos nos livrar é o corpo físico, que retornará para Gaia (a Terra), e o espírito se libertará dele imediatamente.
A segunda fase do desencarne é um pouco mais difícil, pois assim como nos libertamos do átomo, temos que
nos libertar do cotidiano, da identidade. Essa identidade, gravada na memória desde o dia em que nascemos,
precisa voltar a sua forma natural de energia; é claro que agora ela terá muito mais dados, experiências vividas
ao longo da existência terrena. Em termos gerais, a saudade, a dor da perda e o contínuo culto aos mortos, da
forma como pratica a sociedade em geral, dificultam para o espírito o desenlace de sua identidade, já que há
pessoas vibrando mentalmente no mundo dos vivos por ele. A saudade e a dor da perda são uma forma de
manifestação que deve ser vivida, mas não sofrida eternamente. Talvez seja este um dos motivos pelos quais
em 90% da obra de Chico Xavier os espíritos geralmente imploram que a família compreenda o momento do
desenlace e continue a viver sem cultivar a perda de forma sofrida.

Até aqui vimos, então, que quando perdemos o nosso corpo físico nos sutilizamos bastante para continuar o
processo de partida para o plano mais sutil do espírito. A segunda fase é perder o corpo mental, a memória, e
para isso precisamos contar com a ajuda de amigos e familiares, que quanto mais rápido deixarem de lamentar
nossa morte mais nos ajudam a nos desvencilhar da identidade adquirida neste plano. Nessa fase morre o
ego. Nesse instante, as energias que estavam ligadas ao ego, como emoções, sentimentos, sexualidade,
instintos, a mente mais racional, mais intuitiva, e a criatividade, perdem sua primeira forma organizada para
fundir-se em uma só energia, não mais fragmentada. Todas as nossas identidades se fundirão em uma só.
Somos agora luz, consciente de muitas vidas. O ser começa a lembrar-se dos reais propósitos de sua vinda
à Terra, tem mais consciência de sua predestinação. Ele perde a identidade, o nome, e cria mais consciência
espiritual.

A passagem por essas duas etapas desprende bastante o ser deste mundo, mas ele ainda não saiu
totalmente dele. Para isso terá que cumprir a última fase da transcendência corpórea. Essa última etapa está
além dos limites do ego, da identidade, do cotidiano. Ela se relaciona com o corpo mais sutil, chamado pela
Alquimia de corpo umeral ou, por Paracelsus – alquimista suíço que viveu por volta de 1450 e é considerado
por muitos o pai da medicina –, de corpo celeste. É nessa região mais periférica que nos rodeia que
guardamos as informações mais ligadas aos arquétipos, que se relacionam com as energias de cunho
coletivo. Carl Gustav Jung, psiquiatra suíço discípulo de Freud, foi, talvez, quem mais estudou essa área da
psique humana. Seu trabalho faz uma excelente síntese do conhecimento relacionado ao inconsciente
coletivo. A energia envolvida nessa área é o que existe de comum a todos nós. Enquanto a identidade é
muito pessoal e específica, os arquétipos ligados ao mundo pertencem ao todo, ao coletivo.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
35
Um exemplo básico para facilitar a compreensão: quando alguém pede o numero do seu CPF, é para identificá-
lo como único, essa é uma informação muito pessoal. Seu RG ou mesmo o trabalho que você desenvolve em
seu emprego são coisas que se relacionam apenas com você e pertencem às suas memórias individuais.
Vejamos agora o caso dos mineiros soterrados recentemente numa mina no Chile: para cada um deles, a
experiência pode ter sido individual, mas para nós, que assistimos ao sofrimento e à agonia que eles viveram
até o resgate, é uma lembrança coletiva. Podemos chamá-los de heróis? Sim, podemos. Nesse exemplo, a
figura do herói faz parte do inconsciente coletivo em nós. Assim como a figura do guerreiro. Podemos associar
cada um a essa figura que sobrevive aos mais diversos desafios. Em qualquer lugar do planeta, se
perguntarmos o que é um guerreiro, independentemente da cultura local, as pessoas descreverão a mesma
figura que você já conhece em sua cultura.

O dinheiro, os ganhos, as posses são também figuras fortes do inconsciente coletivo. Todos no planeta praticam
essa forma de troca. Em todos os países, os negócios são praticados de forma semelhante. O conhecimento
intelectual, a família, as associações, as crenças são informações que pertencem a todos, de forma
generalizada. Pode-se viver essas energias coletivas de maneira muito particular, no cotidiano, na
personalidade, mas na essência elas pertencem ao todo, ao coletivo. Esse corpo espiritual coletivo que nos
circunda, que se relaciona com o conhecimento coletivo, deve se fundir também, não pode estar separado. A
separação das coisas dentro de nós faz parte do processo de organização deste planeta, e já não somos parte
dele. Teremos que voltar à forma original de energia pura, sem compartimentos ou fragmentos. O espírito não
tem forma definida, isso é coisa da matéria. O espírito não tem emoções, sentimentos, intelecto, sexualidade
ou sexo, essas coisas pertencem ao mundo material. No plano espiritual, tudo está fundido como uma só coisa.

Na terceira etapa, então, fundimos o corpo celeste e voltamos a ser uma unidade no espírito. A consciência
una reina em nós, não há mais dúvidas. Conseguimos nos enxergar por inteiro. Não precisamos mais nos
separar. Temos a visão do todo em nós. Somos espíritos novamente.

Essas três fases de separação do mundo terreno são um grande alívio. As coisas ficam mais claras e
conscientes. Algumas pessoas demoram mais para fazer o desenlace. Não é necessário aqui dizer que
quanto mais demorado for, maior será o sofrimento. Em qualquer nível que se dê o desenlace, a demora
sempre se traduz em sofrimento. Compreender essas etapas é fundamental para ter uma visão mais ampla
do consulente.

Agora que conhecemos o processo de desencarne, que tal viajar na direção contrária? Isso vai nos ajudar a
compreender ainda melhor o pensamento alquímico. A Alquimia é a arte de curar o espírito. Esse é o seu
verdadeiro sentido. O seu foco. Para a Alquimia, as respostas a todas as perguntas estão no espírito. Quando
nos encaminhamos para a vida material já temos um projeto, já traçamos uma linha e um sentido para nossa
vida. Quando começamos a nos organizar para a vida material, nos contraímos em torno de nosso centro, e
a partir daí tudo passa a acontecer em prol de um grande objetivo: a evolução. Este é um momento muito
especial. Não há mais dúvida. Sabemos o que queremos e quem seremos, como será nossa morada, nossa
família. Conhecemos a razão e o propósito do processo encarnatório. A verdade reina em nosso ser espiritual.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
36
Conceitos alquímicos relacionados ao espírito humano. O retorno à Terra.

Imagine o espírito, sem forma, sem fragmentos, sem compartimentos. Sem identidade, uma consciência única.
Energia pura. Internamente, ele sente desejo de retornar a este plano. Muitas coisas irão acontecer a partir
desse momento. Não nos cabe aqui descrever todas essas etapas, mas podemos fazer uma boa síntese a fim
de compreender melhor todo o processo.

O espírito humano, então, depois de decidir internamente seu retorno, se prepara para cumprir três etapas
necessárias para encarnar, da mesma maneira que precisou de três fases para desencarnar. A recíproca é
verdadeira: para o retorno, ele terá de cumprir as três etapas até a carne.

No espaço, ele terá seu primeiro desafio: começar o processo de contração até a matéria. Imagine agora
uma energia sem nenhuma identidade, onde tudo se mistura, se dir ecionando para a Terra; ela precisa de
um rumo, de um sentido, de um momento adequado para isso. Ela precisa de uma bússola, algo que
indique o caminho. Afinal, essa energia nada mais tem a ver com a matéria, está num mundo distante, sem
profundidade, sem altura e sem largura. Um mundo onde não existe o átomo, onde todas as coisas estão
misturadas. É preciso fazer o caminho de volta, se organizar outra vez.

Caminhando no espaço, o espírito vislumbra o primeiro portal, um círculo perfeito, e tem que caminhar até
esse túnel. Esse vai ser o seu primeiro desafio. A energia pura avança e se atira nesse círculo formado por
doze constelações que chamamos de signos.

Veja, na ilustração a seguir, o espírito dentro desse túnel. Lembre-se, ele iniciou agora sua caminhada, e vai
utilizar esses campos magnéticos para começar a formatar o que futuramente será seu corpo celeste. Ele vai
caminhar aí por um tempo determinado por ele, de acordo com suas necessidades. Esse anel é chamado de
cinturão zodiacal. Se você olhar na linha do horizonte neste momento, um signo desse anel estará lá. Eles
estão no caminho do Sol. Portanto, do nascer do Sol até o outro dia, os doze signos passarão pelo nascente.
Como eles estão inseridos dentro de um círculo de 360 graus, cada um mede trinta graus.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
37
Esse cinturão se move, circula, o espírito entra em movimento, e as forças magnéticas correspondentes a cada
signo vão separando e organizando no espírito exatamente os doze arquétipos mais importantes que temos no
corpo celeste. Aquela energia que estava toda misturada e não tinha mais identidade começa, então, a se
segmentar em doze áreas distintas, mudando assim sua característica de energia pura para o que na Alquimia
chamamos de Flungistom.

Para compreender mais facilmente, observe novamente a ilustração e imagine que essa nuvem disforme seja
o espírito humano. A partir do momento em que ele entra nessa centrífuga, assume um movimento circular, e
como cada signo tem um campo magnético diferente do outro, cada um vai atraindo as informações que lhe
correspondem.

Depois de um período que é muito relativo para cada espírito, ou melhor, agora para cada Flungistom, está
formado o corpo celeste, e ele já carregará doze arquétipos. Nessa viagem de conquista o ser pode enfatizar
alguns arquétipos por tê-los vivido em outras vidas na Terra. Pode também não enfatizar alguns por não
achar interessantes ou mesmo não ter essas informações dentro dele. Depende da experiência de cada um;
a manipulação desse processo é muito específica de cada ser. Devemos lembrar também que isso serve de
filtro. Esses campos devem ter alguma sintonia com o espírito, caso contrário ele não conseguirá nascer. A
energia envolvida aqui é muito sutil, relaciona-se com o todo, o coletivo, são forças que pertencem ao
inconsciente coletivo no planeta; portanto, quanto mais evoluído o espírito, mais fácil fica lidar com essas
energias, e quanto mais inexperiente, mais difícil é trilhar essa senda.

Na ilustração a seguir, vemos como ficará a pequena nuvem depois da conquista do corpo umeral ou celeste.

Não é a mesma energia pura, temos agora ao seu redor todos os doze arquétipos, ligados a cada um dos
signos, que foram sendo “puxados” do todo da energia para a periferia. Agora o Flungistom tem doze
personalidades organizadas como um grande círculo ao redor do que restou da nuvem. O que ficou no centro

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
38
é uma energia mais pesada, e, à medida que ele caminha no túnel em direção à nova etapa, esse resíduo
também vai se organizando.

Descreveremos a seguir cada uma dessas personalidades, como cada signo no túnel influenciou a massa de
energia para que ela se organizasse seguindo o seu padrão vibratório. Vale lembrar que cada constelação do
zodíaco corresponde magneticamente a um planeta do sistema solar, chamado de planeta regente do signo.

Os doze signos e a formação do oitavo corpo umeral, ou corpo celeste

ÁRIES No céu este signo é o das lutas, do guerreiro, representado por um


carneiro que aponta para seu objetivo e vai. A astrologia o considera o primeiro signo
do zodíaco. Traduz a coragem e a paixão que o ser tem pela vida. Seu elemento é o
fogo, para a Alquimia o fogo mais sólido. Por ser o primeiro signo, serve de guia para a
entrada do espírito no nível mais material. No momento em que a nuvem entra no túnel,
tudo o que existe na energia pura que tem a ver com lutas, guerras, com a figura do
guerreiro vai sendo puxado para um canto e já formando o arquétipo número 1 do corpo
espiritual. É o início de um processo onde todos os signos vão ajudando o Flungistom a se organizar para que no
fim de um ciclo tenhamos então o corpo umeral pronto, com os doze arquétipos.

TOURO Este é o signo das posses. Tudo aquilo que, no Flungistom, se


relacione com posses, dinheiro e ganhos que venham do mundo exterior tem relação
com este signo. Ele será o filtro que ajudará a formar a segunda área no corpo celeste.
É um signo que se movimenta segundo a química do elemento Terra. E esta terra é
a terra mais pesada, mais sólida.

GÊMEOS A área do intelecto, da mente humana. Tudo o que aprendemos


na vida com a mente será organizado por este signo. Todos os livros que lemos,
nossa biblioteca interior. É um signo mental. Seu elemento, o ar, é o mais pesado e
sólido ar do zodíaco.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
39
CÂNCER Este signo ajudará o corpo celeste a organizar toda a base
necessária para a vida. Raízes, antepassados. Este signo representa a família, a
família em que nascemos e que nos ajudou a encarnar e a dar os primeiros passos
em direção à casa do Pai. Signo de água, água densa e viscosa, água sulfúrica, como
é chamada pela Alquimia.

Já falamos de quatro signos e quatro regiões do corpo mais sutil. Observe que os elementos que eles carregam
são mais densos. Esta densidade não deve ser encarada como uma informação pejorativa, mas sim como um
dos três estados da matéria: sólido, líquido e gasoso. Neste caso, como são os primeiros, serão mais “sólidos”
ou, usando o termo alquímico, serão signos sulfúricos. Os próximos quatro signos, diferentemente dos quatro
acima são mais “líquidos”; na Alquimia chamamos de signos salinos.

LEÃO Este signo ajuda a construir a personalidade mais atuante.


Lembre-se de que os signos influenciam todos os doze arquétipos básicos da
humanidade, mas este é o que vai organizar todas as pessoas que fomos em nossas
diversas existências e fixar mais a pessoa que seremos nesta vida. Seu elemento é
o fogo salino.

VIRGEM O signo da disciplina, organização e métodos. Ajuda a criar o


senso da organização em todos os níveis da vida. É o signo da saúde e do trabalho.
Tudo aquilo que em nós tenha a ver com esses aspectos será levado para a região
de Virgem no nosso corpo espiritual. Seu elemento é a terra, uma terra salina.

LIBRA O signo da justiça e do discernimento. Desperta em nós a noção


de associação. Ajuda a recuperar as memórias que se
relacionam com os outros: casamentos, sociedades e qualquer forma de compartilhar
algo. Seu elemento é o ar, um ar salino.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
40
ESCORPIÃO Signo que ajuda a organizar a capacidade de nos
transformarmos constantemente. É uma área delicada, está sempre reciclando as
informações contidas nela. Por estar continuamente mudando não é fácil lidar com
essa energia no corpo celeste e, como é exigente, as mudanças têm que ser para
melhor. Seu elemento é a água. Enquanto o signo de Câncer tem uma água
sulfúrica, Escorpião tem uma água mais salina, mais líquida.

Os próximos signos são aqueles que chamamos signos mercuriais, ou de elementos em estado gasoso:

SAGITÁRIO Tudo aquilo que no espírito tenha a ver com ideais vai para a
área correspondente a este signo. É um signo de fogo mercurial, fogo mais gasoso,
mais mental. A crença nas próprias ideias interiores é a tônica desta energia.

O décimo signo do zodíaco. Aqui vai ser filtrada e


CAPRICÓRNIO
construída a responsabilidade perante a vida. Se olharmos
para o zodíaco e considerarmos sua geografia partindo do signo de Áries em
sentido anti-horário, veremos que ele é o mais alto. Imponente, observa das
alturas todos os que estão abaixo dele. Creio que seja o signo mais revelador e
interessante. Esta área merece ser muito explorada, pois tem grande potencial de
energia espiritual. Seu elemento é a terra mercurial ou gasosa.

AQUÁRIO Este signo leva à reflexão a respeito do futuro. Aí guardamos


energias potenciais. Temos a visão clara do que está por vir. A intuição que abre as
portas da sensibilidade para enxergar longe. O seu elemento é o ar, um ar gasoso,
ou, como a Alquimia prefere chamar, um ar mercurial.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
41
PEIXES O signo da espiritualidade, da fé, da esperança, da crença em uma
coisa maior. É nele que fechamos o círculo de experiências sutis e espirituais. Esta é
literalmente a casa do espírito. Tudo aquilo que estiver relacionado à fé será
organizado por ele. Seu elemento é a água mercurial.

É assim, portanto, que se processa a formação do corpo mais sutil do espírito. No momento em que ele entra
no cinturão zodiacal, cada um dos doze signos vai filtrando e formatando as informações que têm a ver com
seu campo magnético. Para facilitar ainda mais nosso aprendizado, chamaremos cada uma dessas regiões
do corpo umeral de casa astrológica. E, assim, depois de uma longa viagem, o espírito, digo, o Flungistom,
parte para a segunda etapa.

A segunda fase encarnatória. A entrada do Flungistom no sistema solar e sua chegada à


Terra.
Depois da caminhada no círculo zodiacal, o Flungistom avista o sistema solar. O Sol será seu guia em direção
ao planeta Terra. Ele agora tem mais consciência dos arquétipos interiores. Cada um foi retirado de si mesmo
e formatado de acordo com os campos magnéticos de cada signo. A ilustração a seguir mostra como fica
aquela parte mais densa que ficou no interior do Flungistom e ainda não foi formatada.

Sabemos que a energia solar no planeta Terra se manifesta em sete frequências diferentes que chamamos
de espectro solar. Usaremos então o espectro para organizar a parte mais densa da memória. Essas
frequências ajudarão a organizar as memórias ligadas ao ego mais cotidiano, o segundo corpo espiritual, a
aura humana.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
42
Ao nos aproximarmos do planeta já temos esta carinha: doze segmentos ao nosso redor, no corpo mais sutil,
que a Alquimia chama de corpo celeste ou umeral – as casas astrológicas; e na parte interna, mais densa,
uma energia colorida que obedece os padrões do espectro, onde ficarão registradas as memórias mais
densas, ligadas ao ego, que a Alquimia chama de aura ou memória humana.

Só uma última etapa nos resta agora, que conquistaremos dentro de uma mulher que será a nossa mãe. Nesta
terceira fase nos direcionamos para ela e nos projetamos sobre sua cabeça, onde está a região organizada
pelo signo de Capricórnio. Na Alquimia, essa região na mulher é chamada de matrix. É através dessa porta que
o espírito entra na mulher. E a partir daí cai em direção à área IV, no arquétipo da família onde irá nascer.
Durante a queda ele vai usando o corpo umeral da mãe para acelerar e ajudar no processo de encarne.

Este assunto é vasto e merece estudos profundos das teorias alquímicas dos mais diversos alquimistas. O aqui
esboçado é apenas uma síntese do que é o processo de encarnação segundo estes magos.
Durante a estada no útero materno, o Flungistom vai impregnando em suas células todos os seus potenciais e
promovendo a gênese do gameta, depois passa para a categoria de embrião e então de feto. Alguns meses
mais tarde se torna um ser humano perfeito e nasce para cumprir sua predestinação.

A memória humana

É importante também nos aprofundarmos no tema da memória humana para esclarecer ainda mais os conceitos
da arte alquímica. Na entrada do Flungistom no sistema solar ele transforma seus potenciais mais densos em
cores. Cada uma dessas cores vai sustentar uma série de informações que ele, como ser encarnado, vai manter
e continuar armazenando na memória a cada dia. O corpo mais sutil interage com a aura – que para a Alquimia
nada mais é que a memória humana – e esta interage com o corpo físico, como uma reação em cadeia do
plano mais etéreo ao mais denso. É importante saber como funciona essa máquina, isto facilitará a caminhada
rumo à compreensão da totalidade do consulente.

Para dar continuidade a este trabalho, devo narrar rapidamente minha experiência como sensitivo, para
facilitar a compreensão das conclusões a que cheguei. Em 1987 tornei-me médium espontâneo e clarividente,

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
43
fato que mudou radicalmente minha vida. Resolvi morar definitivamente em São Paulo, abandonando minha
profissão de supervisor de trens do metrô e a luta sindical no Recife. Passei a dedicar--me à mediunidade,
tentando entender essa nova condição; tornei-me massagista, orientado espiritualmente a não revelar minha
clarividência antes de um ano de trabalho como médium massoterapeuta.

Foi um ano muito difícil, pois precisava me acostumar a ver espontaneamente aquela energia que rodeava as
pessoas e que, futuramente, eu chamaria de aura. Durante os atendimentos observava cada pessoa, para
depois as desenhar e colorir, guardando todos os desenhos e anotando o que conversava com cada paciente.
No início não sabia absolutamente o que significava aquele brilho que envolvia as pessoas, mas podia sentir
que existia uma forma geral igual para todos.

Observei também fatos interessantes. Às vezes via na aura dos pacientes formas estranhas, incomuns e, quando
as “tocava”, eles reclamavam de dores locais no corpo físico, na mesma altura das manchas na aura, ou tinham
marcas de queimaduras, operações ou acidentes que haviam sofrido. Comecei por relacionar os fatos e observar
melhor aquele campo. Tentei ainda perguntar aos amigos se sabiam algo a respeito dessa energia que nos
permeia, e as respostas foram bastante diversas. Controlando minha ansiedade, continuei a fazer meus estudos
sozinho. O número de pessoas que me procuravam a cada dia aumentava, obrigando-me a providenciar um
consultório.

Depois de um ano atendendo pude assumir, diante das pessoas, aquilo que enxergava com minha
sensibilidade. Àquela altura, já chegara às minhas próprias conclusões a respeito do que era a aura humana.
Minhas anotações já mostravam com clareza o que era esse campo luminoso que envolve os seres vivos,
principalmente depois que comecei a observar um fato muito interessante: todas as vezes que “tocava” aquelas
manchas na aura dos pacientes, eles começavam a lembrar de episódios que jaziam adormecidos na memória,
como se eu a estimulasse e aquele movimento luminoso entrasse no corpo do paciente, trazendo à tona
acontecimentos passados.

Observei também que todas as vezes que alguém se esforçava para lembrar algum fato perto de mim, a aura
da pessoa se movia em determinados lugares, e quando impulsos luminosos se direcionavam dali para o corpo,
a pessoa dizia: “Lembrei”. Não tive mais dúvida. O que muitos chamavam de aura humana nada mais era do
que a memória do indivíduo em forma de luz. Procurei então me informar com médicos, psiquiatras, professores
da área médica, cirurgiões e neurologistas, para saber onde fica guardada a memória humana. Nenhum deles
tinha a resposta, ou melhor, cada um tinha uma resposta diferente. Fiquei encantado com a descoberta, e aqui
tentarei descrever a ideia em termos gerais.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
44
Observe a ilustração acima: a aura humana como um todo. Ela começa a vibrar dos pés até o alto da cabeça
e se divide em sete segmentos diferentes e coloridos. A aura foi criada com a ajuda do movimento espectral
que permeia toda a atmosfera.

Nas vibrações estão decodificadas todas as sensações que temos através dos sentidos físicos. No campo
colorido guardamos imagens, sons, momentos em forma de luz. Quando queremos lembrar qualquer coisa,
essas “luzes” penetram o corpo físico até o cérebro e trazem a lembrança.

Para entender como acontecem as gravações na memória, observe a próxima ilustração. Se você recebe uma
imagem através dos olhos, ela está sendo transformada em um comprimento de onda (luz) pelo neurônio em
seu cérebro: nesse instante você tem a sensação de visão. Quando essa luz se apaga no interior da cabeça,
para onde vai a informação? É absorvida pela medula e jogada na aura por canais em forma de cornetas, que
se projetam a partir da coluna vertebral.

Cada cor representa um canal responsável pela transmissão de dados do corpo para a aura (memória), e da
aura para o corpo físico (lembrança).

Pare de ler por um momento e ouça os sons ao seu redor. Cada vibração sonora que entrou pelo seu ouvido
foi, da mesma forma como a visão, transformada num comprimento de onda pelo neurônio, e você nunca mais
a esquecerá. O mesmo processo se daria se estivesse comendo alguma coisa ou sentindo algum cheiro – os
neurônios receberiam os impulsos e os transformariam em luz. É interessante observar que, apesar de visão,

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
45
gosto, som e cheiros serem sentidos bastante diferentes entre si, no cérebro todos serão transformados em
uma única coisa – a luz.

Assim vamos construindo ou somando as informações que estão na nossa aura ou memória.

As cornetas coloridas não passam de órgãos, como nariz, olhos, ouvidos, boca. Assim como esses órgãos se
responsabilizam por transportar informações para dentro e para fora do corpo físico, também as cornetas levam
e trazem informações da aura para o corpo e vice-versa. Cada seção de cor é responsável por guardar inúmeras
informações do cotidiano. Sentimentos, emoções, medos, força, desejos são traduzidos pelos neurônios e
transformados em ondas coloridas que são armazenadas na memória para uso posterior.

No desenho a seguir, vê-se apenas uma dessas cornetas – na realidade elas são sete. A cada seção da
memória corresponde um centro energético, chamado pelos hindus de chakra. Os chakras giram nos dois
sentidos para fazer a transmissão de dados: da aura para o corpo e do corpo para a aura. Quando as
informações contidas ali são densas e não ajudam no processo evolutivo do ser, devem ser descartadas ou
aprimoradas. Todo movimento dessas “rodas” está baseado na química dos quatro elementos.

Para melhor entender a questão, falaremos de cada uma dessas vibrações, começando pelo vermelho. Por
exemplo, o alimento de que nos servimos será transformado em energia pelo corpo e também pelos neurônios:
a vibração dessa operação é vermelha e fica armazenada na parte inferior da aura – aí reside nossa força
vital. Outro exemplo de energia vermelha é a energia sexual: quando se deseja alguém, os neurônios
transformam essa informação em ondas vermelhas que serão captadas pela medula e absorvidas pelo chakra
básico. Assim como as anteriores, estas lembranças ficarão armazenadas na parte inferior da memória.

Observe que em qualquer lugar do planeta o vermelho é sempre ligado à sexualidade, independentemente da
cultura. As gueixas, no Oriente, só podem usar quimonos vermelhos; na Índia, as mulheres que fazem amor
livremente identificam-se com um rubi incrustado no umbigo; e, em qualquer cidade do mundo, as luzes
vermelhas servem para sinalizar casas de prostituição.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
46
No vermelho também estão nossas raízes e, na astrologia, essa cor é a da casa IV do corpo umeral, a que foi
formada com a ajuda do signo de Câncer. Quando essas duas forças se relacionam, nos dão sustentação,
suporte, nos mantêm em pé. Aí está o segredo que nos sustenta. Quando esta base está enfraquecida, nos
sentimos solitários no mundo, sem raízes, sem chão, sem defesas, sem instinto de preservação.

Na região laranja, as vibrações estão mais ligadas ao prazer, à sensualidade. É a área do chakra esplênico, e se
relaciona às casas III e V da astrologia, casas construídas com a ajuda dos signos de Gêmeos e Leão. Nesta
parte da memória se guardam não só as relações humanas ligadas à sensualidade, mas também a relação do
ser consigo mesmo. O amor-próprio, o orgulho pessoal. Essas forças dão sustentação à forma como nos impomos
ao mundo, quem somos, nossa base de conhecimento e como projetamos o ego. Elas enfraquecem ou ficam
arrogantes e poderosas quando se consideram absolutas sobre todas as outras.
A cor amarela do chakra umbilical traduz as emoções ligadas ao medo, às expectativas, ao materialismo e à
forma como lidamos com as energias que vêm de fora e nos penetram até o estômago. É também a região que
nos nutre, nos alimenta de tudo aquilo que vamos buscar fora de nós. Esta área é aquela que pode nos dar a
tendência ao materialismo sem controle, sem discernimento. A perda desse controle pode nos lançar num
mundo de caos e desordem, já que não podemos controlar sempre o que vem de fora. Relaciona-se com as
casas II e VI, organizadas com a ajuda dos signos de Touro e Virgem.

No verde do chakra cardíaco guardamos nossos sentimentos mais ligados ao amor, aos amigos, à família, aos
amantes. Pode-se observar que quando se perde alguém amado, a primeira parte do corpo que dói é o peito.
Aí também está o meio do corpo, o centro da aura, onde reside o coração, órgão mais importante da estrutura
corpórea, que nos mantém vivos com o constante vaivém de sístole e diástole. Aí mora também o eu superior,
a sabedoria, o guerreiro. Relaciona-se com as casas I e VII, montadas com a ajuda dos signos de Áries e Libra.
É sem dúvida o centro das nossas escolhas.

A partir de agora vamos adentrar uma área muito diferente de todas as que discutimos até agora. Observe que
estamos subindo na aura. Os primeiros chakras se relacionam aos sentimentos mais corpóreos, viscerais,
sentimentais. São energias da ação, da matéria, das escolhas manifestando-se no mundo tridimensional. Nas
áreas do meio da aura para baixo, a vida acontece. As experiências são vividas e vívidas. O mundo em que
vamos entrar agora é o mundo superior, o mundo onde transitam os pensamentos, as mudanças interiores, as
decisões baseadas na experiência interna. As energias estão em potencial, são poderosas, governam a mente
e o inconsciente. Não são tão limitadas quanto as energias corpóreas.

O azul é a mente mais concreta. Quando falamos de mente concreta, não se deve confundir com mente de
concreto. A mente concreta traduz a sabedoria, o sentir. Nesta área guardamos o poder do Verbo, do
aconselhamento, da responsabilidade com relação àquilo que proferimos, que deve sempre expressar a
verdade de nossos sentimentos ou pensamentos. É com esta parte do campo mental, do chakra laríngeo, que
operamos grandes mudanças, com base nos movimentos de transformação espiritual e autocrítica. As casas
ligadas a esta área da memória – VIII e XII – são inspiradas pelos signos de Escorpião e Peixes.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
47
Na cor índigo, a mente se amplia ainda mais; é nesta área que guardamos a capacidade de observação mais
profunda, a inteligência, a percepção aguçada do mundo interno e também do externo. O chakra frontal se
relaciona com as casas IX e XI, dos signos de Sagitário e Aquário.

Enfim, chegamos ao topo, à casa X, região da luz violeta na aura humana, casa construída com a ajuda do
signo de Capricórnio. Poderíamos ficar falando dessa casa e desse signo durante o dia todo; as palavras são
pequenas para descrever a totalidade das qualidades dessa energia. Discutir essa parte do zodíaco é inebriante
e fascinante para os amantes da arte alquímica. Guardamos na memória o melhor em relação às outras seis
cores da aura. No chakra coronário está a sabedoria do cotidiano. Uma coisa muito interessante de observar é
que, quando queremos nos inspirar ou mesmo lembrar alguma coisa, é comum coçarmos o alto da cabeça. O
metal associado ao signo de Capricórnio é o chumbo. Vale lembrar que uma das misteriosas missões do
alquimista, na Idade Média, era transformar chumbo em ouro. O modo de conseguir tal intento estaria descrito
na fórmula magistral da pedra filosofal. Esta casa, esta região simboliza tudo isso, e sempre um pouco mais.

Conclusão

No princípio de tudo, quando Deus disse “Faça-se a luz”, e a luz se fez, nasceu o Flungistom em toda a sua
grandeza. Uma centelha divina, criada à imagem e semelhança d’Aquele que a criou, se lança neste universo
infinito buscando processos de individuação para se conhecer e aperfeiçoar. Internamente ela aceita os desafios
da separação do Todo Criador. Está por conta própria agora, deixa a condição de criatura para buscar a de
criadora. Baila no universo, sabe que tem infinitas possibilidades a explorar. Sua busca gira em torno de si
mesma. Tem sede de viver, descobrir novas paragens. Deleita-se com a fonte da divina Presença que carrega
nas profundezas do espírito. Criança, eterna criança. Não cansa de aprender. No portal das estrelas, lança-se,
contrai-se, entrega-se, integra-se ao útero da criação. Sente a paz e o silêncio levando-a em direção a mais uma
jornada terrena. Torna-se inconsciente para aperfeiçoar a consciência de que a vida é eterna. Dividida será, na
dualidade dos corpos materiais, para nunca se sentir completa e perseverar na busca pela individualidade.
Muitas vezes irá projetar essa busca nos corpos que a completam, mas logo verá que a busca é sempre interior.
Procura respostas, que muitas vezes não vêm porque estão sendo procuradas no lugar errado, embora muitas
vezes no momento certo. Por vezes a busca é dolorosa, se traduz em doenças e sintomas, pesa, levando o ser
ao caminho exatamente oposto, o da revolta.

A Alquimia é a ciência do espírito. Quando se propõe a criar ferramentas para o autoconhecimento o faz com
responsabilidade, com base nos princípios herméticos e suas tecnologias. A astrologia se apresenta como mais
uma das ferramentas, das infinitas possibilidades do maravilhoso universo dos símbolos que traduzem a ânsia
e os desígnios do Flungistom encarnado.

*Trecho extraído dos cap. 5 a 9 do livro “O Tarot Alquímico” de Joel Aleixo, Ed. Ground.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
48
CONHECENDO O MAPA ASTROLÓGICO

A palavra Horóscopo significa, em grego, "considerar os céus" ou "ver a hora". O horóscopo representa o
aspecto do céu, visto a partir da Terra, num determinado dia, hora e local. O mapa natal é, portanto, uma
representação bidimensional do conjunto dos corpos celestes do Sistema Solar e das estrelas que formam o
Zodíaco. O que está representado num mapa natal são os signos, os planetas e as casas. Existem muitos
outros fatores astrológicos, mas estes são, sem dúvida, os principais.

Os doze signos astrológicos constituem doze "modos" ou "estados do ser", através dos quais a natureza
humana se manifesta. Estes signos formam uma "cintura", que tem o nome de Zodíaco (em grego: "roda da
Vida" ou "círculo de animais"). Quando observamos os planetas a partir da Terra, estes parecem movimentar-
se ao longo desta "cintura".

Existem dez corpos celestes que em Astrologia recebem a designação genérica de "planetas": Mercúrio, Vênus,
Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno, Plutão e ainda os Luminares: o Sol e a Lua. Considera-se que a
designação de planeta ("corpo errante" em grego) aplica-se a todos os corpos que circulam através do Zodíaco,
incluindo-se o Sol e a Lua.

Quanto às Casas Astrológicas, elas representam o corpo umeral e são o fator primordial do mapa. As Casas
são projeções geocêntricas, calculadas a partir do horizonte. Simbolizam as doze áreas de vida onde vamos
viver os desafios indicados pelos signos, através dos aspectos indicados pelos planetas. Por exemplo: se
tivermos o planeta Vênus no signo de Gêmeos e na Casa VII, podemos inferir que a nossa função afetiva e
relacional (Vênus) expressa um tema de comunicação, troca de ideias e curiosidade (Gêmeos) na área dos
relacionamentos (Casas VII). Assim, podemos concluir várias coisas: que temos a capacidade de nos relacionar
de forma viva, rápida e "cerebral"; que procuramos parceiros com estas características; que a nossa curiosidade
e versatilidade de relacionamento nos levam a ter várias relações; ou ainda que somos demasiado "leves" e
descomprometidos para ter uma relação séria! Todos estes fatores são apenas um aspecto da nossa natureza.
Este aspecto deverá ser comparado com o resto do mapa natal para termos uma ideia mais completa.

Podemos comparar o mapa natal a uma peça de teatro: os Signos seriam os "papéis" que nos compete
desempenhar; os Planetas seriam os "atores" que os desempenham, enquanto as Casas são os "palcos" ou
áreas de vida onde representamos esses papéis.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
49
Existe ainda outro fator: os aspectos, ângulos formados pelos planetas entre si, vistos do ponto de vista
terrestre. São geralmente representados por linhas no centro do mapa. Dizem-nos o tipo de relacionamento
que os planetas (os fatores da personalidade) têm entre si. Na comparação com a peça de teatro, seriam os
diálogos entre os vários atores.

ASCENDENTE

O Ascendente é um dos fatores mais complexos do mapa astrológico. Representa o impulso inicial para a vida,
o momento do nascimento, o primeiro choro do bebê. Mostra a qualidade do primeiro contato com o mundo.
Neste ponto, inicia-se a primeira casa, na qual o indivíduo vai perceber qual é o seu valor e a capacidade de
interpretar o mundo.

O signo que se encontra no Ascendente indica a primeira impressão que se causa e a forma como o indivíduo
inicia seus projetos. Pode igualmente dar-nos pistas sobre o aspecto físico, alguns hábitos e maneirismos
pessoais, a "máscara" exterior (física, emocional e intelectual).

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
50
Os Planetas conjuntos ao Ascendente têm uma importância primordial na expressão imediata da personalidade.
A presença de um planeta muito próximo a ele pode tornar-se a característica marcante da personalidade,
ofuscando até o próprio signo ascendente.

É por esta razão que encontramos, por exemplo, indivíduos com ascendente Áries que, em vez da tradicional
impulsividade e objetividade, tem um aspecto comedido e até mesmo um tanto receoso. Um Saturno próximo
a ele, entre outros fatores, pode ser a causa desta retenção das energias de Áries.

O Ascendente é uma energia que se desenvolve ao longo da respiração sulfúrica e, a partir dos 28 anos, quando
o espírito acaba de encarnar, ativa a roda dos signos e os seus desafios em todas as casas do mapa natal.

O SIGNO NO ASCENDENTE

ÁRIES

Áries é o primeiro signo do zodíaco. Construtor da Casa 01 do Corpo Umeral.


Responsável direto pela primeira costura do DNA.
Por ser o primeiro signo de fogo, este fogo será sulfúrico. Em qualquer casa que
estiver, ele desafiará o arquétipo da casa a lutar batalhas sem medir consequências.
Representa a paixão do espírito pela vida corpórea. Em conjunto com o signo de Libra
(Casa 07) ativa a nossa primeira respiração e fixa o espírito na segunda respiração,
aos 28 anos.

Desafios de Áries:

 Ativar o temperamento instintivo, agressivo, energético.


 Acender o entusiasmo que não se amedronta, mesmo perante as adversidades.
 Estimular o indivíduo a não ter medo de correr riscos, enfrentar os obstáculos no seu caminho, ter pressa
de se realizar.

Ascendente Áries e Casa 1:

A primeira abordagem da vida, a expressão imediata da personalidade, é feita através do Fogo Sulfúrico: a
identidade em ação. Quem tem Ascendente Áries entra na vida como quem entra num desafio: com
impulsividade, pioneirismo, ousadia, impaciência. A expressão é ativa, espontânea, competitiva, direta e
objetiva.

Quem tem este ascendente tende a acreditar que o caminho mais curto entre dois pontos é uma reta e a pôr
isso em prática em todas as circunstâncias da vida, independentemente das consequências. O indivíduo tem

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
51
necessidade de se pôr continuamente à prova através da ação. Na verdade, só tem a sensação de existir, de
estar vivo, se estiver fazendo alguma coisa.

Quando aprende a agir por vontade e escolha própria, em vez de reagir continuamente à necessidade de se
afirmar, o indivíduo consegue vivenciar plenamente as qualidades de ação, objetividade e decisão associadas
ao seu signo ascendente.

Em termos físicos, o Ascendente Áries pode caracterizar-se por uma postura enérgica, viva, rápida e
impaciente. Os movimentos são repentinos, por vezes até bruscos e diretos. O olhar é vivo, franco e direto.

TOURO

Touro é o segundo signo do zodíaco. Construtor da casa 02 do Corpo Umeral.


Responsável direto pela conquista material e a nossa ambição. Por ser o primeiro
signo de Terra, esta terra será sulfúrica. Em qualquer casa que estiver, ele a desafia
a transformar sua energia em realização material para se sentir seguro e com os pés
no chão. Ele dá forma ao arquétipo da casa. Representa o bom gosto e a sofisticação.
Em conjunto com o signo de Virgem (casa 06) ativa as nossas emoções no DNA.

Desafios de Touro:

 Estimular o gosto pelas coisas materiais e o apego ao seu canto e as suas coisas pessoais: seu terreno,
sua casa, seu curral.
 Ser perseverante e confiante quando traça seu destino material, suas conquistas através da obstinação.
 Ser concreto e construtor de bases sólidas onde se assentam o controle das suas emoções.

Ascendente Touro e Casa 1:

A primeira impressão é vivenciada através da Terra Sulfúrica: segurança e continuidade na concretização de


objetivos. O Ascendente Touro entra na vida com calma, ponderação e segurança. Há que avançar sem pressa,
experimentar bem o terreno e medir cada passo. O avanço é lento, mas é também seguro: uma vez conquistado
o terreno, raramente recua.

Existe geralmente uma habilidade natural em lidar com os recursos materiais, tendo em vista a estabilidade e
a abundância material. A abordagem é prática, física e sensorial: pode haver uma sensualidade forte, simples
e desinibida, certa tendência à gula e, em geral, uma grande capacidade de apreciar os confortos e prazeres
da vida. O sentido estético, que está quase sempre presente, pode ser também simples e um pouco rústico,
dando preferência ao que é natural e confortável.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
52
Com a maturidade, a necessidade de segurança material e financeira pode ser gradualmente substituída pela
segurança emocional e pela estabilidade interior; nessa altura, o Ascendente Touro descobre a sua faceta mais
espiritualizada, capaz de vislumbrar beleza e transcendência nas formas concretas.

Existem dois tipos físicos bem distintos que podem ser considerados associados ao Ascendente Touro. Um é
pesado e sólido, com pescoço forte e tendência a aumentar de peso; o outro apresenta uma constituição
harmoniosa, delicada e elegante. Alguns indivíduos reúnem características de ambos os tipos.

GÊMEOS

Gêmeos é o terceiro signo do zodíaco. Construtor da Casa 03 do Corpo Umeral.


Responsável direto pela nossa capacidade de se comunicar gestual e
intelectualmente. Por ser o primeiro signo de Ar, este ar será sulfúrico. Em
qualquer casa que estiver, ele desafiará esta casa à comunicação, à inteligência
e ao uso do intelecto para manifestar o seu arquétipo. Agitador da mente concreta
e da curiosidade. Representa os estudos, as pesquisas, os intercâmbios e a arte
comunicativa. Em conjunto com o signo de Leão (Casa 05) ativa a nossa
sensualidade no DNA.

Desafios de Gêmeos:

 Ativar o prazer pela leitura, pesquisa, estudos, comunicação, diálogo, contatos, conversas, integração
social e tudo aquilo que exige o intelecto para se desenvolver no meio social.

Ascendente Gêmeos e Casa 1

A primeira abordagem à vida é feita através do Ar Sulfúrico: aprendizagem, comunicação, razão e intelecto no
plano mental. Com Ascendente Gêmeos abordamos a vida de forma ligeira, curiosa e um tanto dispersa. Há
uma forte necessidade de compreender as coisas mentalmente e de apreender todas as faces da realidade.

A diversidade da vida diária, com todos os seus pequenos e variados acontecimentos, é um elemento-chave
para a expressão imediata da individualidade. Há uma tendência natural para se identificar com as ideias ("sou
aquilo que penso"), embora estas possam estar continuamente em mudança. A comunicação é também uma
importante via de expressão pessoal. Quando aprende a seguir um rumo de pensamento, entre a multiplicidade
dos seus apelos mentais, o indivíduo com ascendente Gêmeos começa a manifestar o que de mais elevado
existe no signo: a capacidade de relativizar e de compreender, no plano mental, todas as faces de um assunto
ou situação.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
53
Os fatores físicos geralmente associados ao Ascendente Gêmeos são uma figura ágil e um tanto andrógina,
que tende a manter o aspecto juvenil até muito tarde. As mãos e braços podem estar em evidência, tanto pelo
gesticular contínuo como pela sua elegância e delicadeza. O rosto pode ser vivo, móvel, expressivo e marcado
por um ar de eterna adolescência.

CÂNCER

Câncer é o quarto signo do zodíaco e construtor da Casa 04 do Corpo Umeral.


Responsável pelas nosssas raízes, nossa família e antepassados. Por ser o
primeiro signo de água, esta água será sulfúrica. Em qualquer casa que estiver,
sempre a transformará num forte elo de ligação com a família, o que muitas vezes
proporciona a este arquétipo um apego forte ao lar que o gerou. Em conjunto
com o signo de Capricórnio (Casa 10) é responsável pela construção e fixação do
DNA, trazendo para o físico a arquitetura genética dos nossos antepassados.

Desafios de Câncer:

 Despertar a ternura, o amor maternal por todos que o cercam. O sentido profundo do cuidado e da
proteção, do amor incondicional por aqueles que nos cercam.
 Oferecer colo, carinho, atenção e dar segurança e base principalmente àqueles que não tem o sentido
da união do que é uma verdadeira família.

Ascendente Câncer e Casa 1:

A primeira impressão da vida é sentida através da Água Sulfúrica: ação motivada pelos sentimentos.
Expressão cautelosa e grande necessidade de segurança emocional são características de quem tem
Ascendente Câncer. A expressão da individualidade é cautelosa e "tradicional", aparentemente pouco marcada
e pouco objetiva.

Há uma qualidade mimética, camaleônica na expressão pessoal: o indivíduo procura confundir-se com o
ambiente, e não se mostra competitivo, chegando por vezes ao ponto de apresentar comportamentos
desprotegidos ou mesmo "infantis". Pode manter-se sempre muito próximo da mãe ou da família de origem (do
ponto de vista físico e/ou emocional). Ao evitar uma imagem saliente e agressiva, evita também ser ameaçado
ou agredido.

Esta camuflagem pode, contudo, ser apenas aparente. Por detrás dela esconde-se, por vezes, uma grande
tenacidade e uma inesperada capacidade de se "agarrar" teimosamente a comportamentos de preservação
(física e emocional) e a situações em que sinta familiaridade e segurança, mesmo que esta segurança seja feita
à custa de outros. Na maturidade, o indivíduo experimenta toda sensibilidade e riqueza emocional associadas
a este signo.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
54
O aspecto físico ligado a este ascendente é arredondado, agradável e um pouco infantil. Um rosto redondo e
um tronco desenvolvido são características comuns. Alguns indivíduos, contudo, apresentam um rosto oblongo
e uma figura esguia.

LEÃO

Leão é o quinto signo do zodíaco. Construtor da Casa 05 do Corpo Umeral.


Responsável pela nossa força interior e nossa autoestima. Nossa capacidade de
dominar através da liderança e autoconfiança interior. Em qualquer casa que estiver
estimula a personalidade desta casa. Por ser o segundo signo de fogo, este será
salino. Desperta o poder pessoal, o orgulho e a energia coletiva onde ancoramos a
nossa personalidade. Em conjunto com o signo de Gêmeos, desperta a
sensualidade e a capacidade de procriar.

Desafios de Leão:

 Ter autoridade.
 Não ter medo de impor a sua real personalidade diante dos outros.
 Ser firme, direto, objetivo, audaz, orgulhoso, leal, sincero, claro e centralizador, sem perder a ternura
salina.
 Sentir-se amado, admirado e aceito. Ser exemplo para todos que o cercam.

Ascendente Leão e Casa 1:

A entrada na vida surge através do Fogo Salino: segurança na expressão da identidade. Quem tem Ascendente
Leão entra na vida com grandes passadas: a expressão pessoal é calorosa, "quente", digna e poderosa. O
mundo, os outros e as circunstâncias em geral podem ser vistas como um grande palco onde, ao longo de
diversos atos e cenas, a individualidade vai manifestar-se de forma brilhante e poderosa. A necessidade de
protagonizar é imperativa e quase constante.

O indivíduo com este ascendente tende a dominar as situações com a sua projeção carismática; esta atitude,
contudo, pode ser demasiado abrupta, autoritária ou avassaladora, tocando mesmo, em casos extremos, as
raias da arrogância.

Ao longo da vida, esta forte expressão tende a ser posta em causa e a modificar-se. Na maturidade, poderá
deixar de encarar a vida como um grande palco e passar a vê-la como uma oportunidade criativa. Nessa altura,
as manifestações pomposas e gratuitas, de caráter personalista, dão lugar a uma atitude verdadeiramente
criativa, generosa, desinteressada e vitalizante.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
55
Ao aspecto físico ligado a este ascendente está associado, em geral, uma atitude naturalmente altiva, quase
régia, e uma cabeleira bonita, volumosa.

VIRGEM

Virgem é o sexto signo do zodíaco. Construtor da Casa 06 do Corpo Umeral.


Responsável direto pela capacidade de organização e disciplina. Associado a Touro
(Casa 02) cuida das nossas emoções e da nossa saúde de uma forma geral. É o
segundo signo de Terra, por isso esta terra será salina. Meticuloso e interessado pelos
detalhes práticos da vida material. Em qualquer casa que estiver, cobrará dela a
organização daquele arquétipo. Criar disciplinas que facilitem a conquista do que está
sendo desafiado.

Desafios de Virgem:

 Moderação, organização, disciplina, planejamento, método, perspicácia, engenhosidade. Sentido de


comércio, análise, precisão e especialização.

Ascendente Virgem e Casa 1:

O primeiro contato com a vida é feito através da Terra Salina: aprendizagem e experimentação das coisas
concretas. Para quem tem Virgem ascendente, a vida é um "projeto de perfeição". Todas as atitudes, funções,
relações e comunicações são, por isso, sujeitas a uma forte crítica, revelando-se sempre aquém de tão
exigentes expectativas.

A expressão pessoal tende a ser precisa, funcional, ordenada e ergonômica. Tudo é feito com método,
funcionalidade, detalhe e eficiência, tendo em vista a ideia de perfeição. "A qualidade acima da quantidade"
poderia ser o seu lema.

Esta forma de abordar a vida pode levar a uma atitude de crítica implacável, que se torna muito desmoralizadora
e, em casos extremos, chega a se tornar paralisante. A partir de uma certa fase da vida, o indivíduo com este
ascendente começa a aprender que a perfeição está subjacente a tudo, mas que não tem possibilidades de se
manifestar plenamente no plano físico. Nessa altura, a tolerância e a compreensão começam a temperar o seu
sentido crítico, levando-o a encarar todas as coisas (e a si mesmo) como manifestações terrenas do arquétipo
da Perfeição.

Um ar limpo, preciso e resistente, ao mesmo tempo aprumado e simples, são qualidades típicas do Ascendente
Virgem. O aspecto geral pode ser bastante juvenil, mantendo uma figura delgada e muita vivacidade.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
56
LIBRA
Libra é o sétimo signo do zodíaco. Construtor da Casa 07 do Corpo Umeral. Em
conjunto com o signo de Áries é responsável pela primeira costura do DNA. Por
ser o segundo signo de Ar, este ar será salino. Desperta uma constante busca
pela integração do nosso eu com o nosso ego (casa 01) e lança esta busca no
outro que está do lado de fora, no mundo externo. Respira uma constante busca
pelo equilíbrio e discernimento nas relações. Dinamizador das associações em
todos os níveis da vida, sejam pessoais ou empresariais. A casa que o receber
será desafiada ao equilíbrio constante e ao discernimento de que a vida tem dois
pesos e duas medidas.

Desafios de Libra:

 Justiça, discernimento, equilíbrio, justa medida.


 Respeito aos sentimentos alheios e aos seus.
 Amor, relacionamentos, casamentos, compreensão, afeto e sensibilidade.
 Arte e harmonia.

Ascendente Libra e Casa 1:

A primeira abordagem à vida é feita através do Ar Salino: discernimento e diálogo em relação aos
relacionamento sociais. Com Libra ascendente, a expressão pessoal é pensada, medida e considerada, levando
sempre em conta a opinião ou a reação dos outros. A atitude geral é de cooperação e de busca de harmonia.
Pode haver uma qualidade estética e uma elegância natural nos gestos, na fala e na escolha de roupas e
adornos.

O sentido de justiça e de equilíbrio inerente a este signo confere-lhe graça e harmonia. Pode, contudo, tornar-
se obstáculo sempre que as circunstâncias exijam decisões diretas e imediatas. Quando tem de atuar sozinho
e de escolher por si mesmo, o indivíduo pode sentir-se perdido. Em casos mais extremos, a tendência para se
apoiar nos outros degenera em sociabilidade exagerada, falta de descriminação nos relacionamentos, inércia,
preguiça e dependência emocional.

Quando aprende a equilibrar sua necessidade de ouvir os outros e os seus próprios desejos e vontades, o
indivíduo com este ascendente ganha a capacidade de harmonizar, com ligeireza e desembaraço, todas as
polaridades da vida: eu/o outro; pessoal/social; formal/informal; mundano/sagrado.

O tipo físico associado a este ascendente é proporcionado, naturalmente ágil e elegante, apesar de um pouco
roliço e com tendência a ganhar peso.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
57
Escorpião é o oitavo signo do zodíaco. Construtor da casa
ESCORPIÃO
08 no Corpo Umeral. Por ser o segundo signo de água,
esta água será salina. Possui uma forte ligação com o signo de Peixes (Casa 12).
Estimula o autoconhecimento, a autocrítica, a curiosidade a respeito de si mesmo.
Dotado de uma energia mental que aprofunda os temas até a exaustão. Possui
um temperamento instintivo, crítico, curioso e profundo. Pensador silencioso e
tenaz. Calculista e exigente. Quando está diante de qualquer casa é objetivo e
exigente em relação às transformações que aquele arquétipo deve sofrer nas suas
entranhas.

Desafios de Escorpião:

 Transformar-se a cada segundo da vida.


 Aceitar riscos calculados.
 Ser exigente consigo, crítico, provocador, intrigante, desafiador.
 Manobrar intelectualmente seus interlocutores.
 Aconselhar, mostrando o que deve ser trabalhado.

Ascendente Escorpião e Casa 1:

É através da Água Salina que as primeiras impressões da vida são sentidas: intensa necessidade de segurança
e transformação interior. Para o Ascendente Escorpião, a expressão pessoal é intensa, carismática, poderosa
e sempre um tanto secreta. Para ele, a vida é uma batalha, onde vitórias e derrotas marcam e transformam a
expressão individual.

O indivíduo com este ascendente pode ver-se como um lutador, um reformista ou um investigador. O seu
carisma que a princípio o faz fascinante, pode também torná-lo obsessivo ou mesmo belicoso. Todos os
aspectos da vida são sentidos com grande intensidade, mas também com uma profunda contradição interior.
Perante qualquer desafio imediato (simples, do dia-a-dia), reage com um misto de atração e repulsa, avidez e
desconfiança, desejo e negação do próprio desejo. Esta turbulência emocional leva-o ao principal tema deste
signo – o da morte e transformação.

Ao compreender que a verdadeira batalha é interior, o Escorpião Ascendente inicia uma nova fase na sua vida:
deixa de lutar contra inimigos exteriores e se lança na cruzada contra os seus demônios interiores, trazendo-os
para a luz da consciência e transcendendo-os. É nessa altura que descobre em si recursos e capacidades que
até então desconhecia. Deixa de ser um lutador e se torna um guerreiro espiritual.

Olhos de expressão intensa e profunda, sublinhados por sobrancelhas espessas e bonitas, são característicos
deste ascendente.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
58
Sagitário é o nono signo do zodíaco. Construtor da Casa 09 do
SAGITÁRIO
Oitavo Corpo Umeral. Por ser o terceiro signo de fogo, este fogo
será mercurial. Possui uma ligação com o signo de Aquário. É um signo dinâmico,
didático e idealista; muito mental e otimista; com um grande poder de percepção
sensorial para a vida. Quando está diante de qualquer casa, amplia os seus horizontes
e a desafia para se mover com idealismo. É cheio de recursos que dão sentido à vida
de uma forma geral.

Desafios de Sagitário:

 Generosidade, filosofia, lealdade, franqueza, afetuosidade, compreensão.


 Ser democrático e manter a sua opinião com sabedoria e prudência.
 Explorar as experiências interiores com sabedoria. Apegar-se ao que foi positivo.

Ascendente Sagitário e Casa 1:

A primeira abordagem da vida é feita através do Fogo Mercurial: busca de novos ideais para novas identidades.
Quem tem ascendente Sagitário tende a entrar na vida como quem começa uma viagem: com entusiasmo,
curiosidade, otimismo e boa-disposição. Na sua abordagem existe sempre um componente de aventura,
descoberta.

O indivíduo com este ascendente lança-se à descoberta de uma nova fronteira, de uma nova ideia ou da solução
para os problemas globais com o mesmo entusiasmo e convicção com que parte em busca de um tesouro,
descobre um novo disco ou, mais prosaicamente, explora a despensa em busca de guloseimas. É otimista:
acredita que "hão de acontecer coisas boas" e que a vida, afinal, "não é assim tão má". Com a sua fé jovial e
inabalável, encara tudo como um jogo e não hesita em correr riscos. “O que poderá correr mal?...”.

O seu entusiasmo e idealismo são contagiantes e, na maior parte dos casos, contribuem para o bem-estar geral.
Contudo, o indivíduo com este ascendente corre o risco de se tornar pomposo, arrogante e "doutrinário". Quer
que os outros "acreditem" naquilo que acha que está certo e não hesita em "ensinar" ou mesmo impor as
atitudes e conceitos morais que considera corretos.

Quando passa da atitude de sabedoria pomposa à de partilha de conhecimentos, dá um importante passo em


direção à maturidade. Esta etapa, que é alcançada através do controle da fala e dos pensamentos (evitando
exageros e indiscrições), vem trazer à sua vida o sentido e a sabedoria que tanto procurou. O aventureiro
transforma-se, então, no sábio idealista.

Associa-se a este ascendente um aspecto descontraído e jovial. Pode ter um rosto aberto, com um grande
sorriso e cabelos encaracolados (às vezes arruivados), coxas fortes e tendência a aumentar de peso.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
59
CAPRICÓRNIO

Capricórnio é o 10º signo do zodíaco. Além de ser construtor da Casa 10, é também
responsável por ancorar na mulher a energia da matrix. Com a Casa 04, é respónsável
pela costura definitiva do DNA humano. Por ser o terceiro signo de terra, esta terra
será mercurial. É um signo de grandes responsabilidades, o mais alto do zodíaco.
Quando desafia qualquer casa, não existe outro acordo que não seja
“responsabilidade total com o arquétipo”. Para as mulheres tem um peso duplo, pois
serve como base para a entrada do espírito no Corpo Umeral da mulher.
Responsabilidade perante a vida é o seu nome e o seu lema.

Desafios de Capricórnio:

 Um forte sentido de dever e responsabilidade.


 Integridade em todas as atitudes da vida.
 Exigência, seletividade, integridade, seriedade, rigor e consciência.

Ascendente Capricórnio e Casa 1:

A entrada na vida é feita através da Terra Mercurial: responsabilidade e reflexão sobre tudo que se realiza. O
Ascendente Capricórnio entra na vida com os passos firmes, medidos e planeados de quem escala uma
montanha. Não brinca em serviço: a expressão pessoal é séria, responsável, convencional, retraída e um pouco
seca.

Avalia a si mesmo e aos outros pelas conquistas profissionais, a carreira e o estatuto social. As figuras de
autoridade o impressionam. Há uma tendência latente para a inibição, a rigidez e a depressão. Longe de ser
nefasta, essa depressão revela-se fundamental para o crescimento da individualidade: abala a rigidez,
permitindo uma reestruturação em moldes mais abrangentes e flexíveis. As qualidades de resistência,
planejamento e estratégia passam, então, a ajudar a transformação, em vez de lhe resistirem.
É por isso que, frequentemente, os indivíduos com Ascendente Capricórnio vêm ao mundo com uma postura
sisuda, triste e desmotivada, mas ao longo dos anos eles aprendem a gozar as coisas boas da vida. Dir-se-ia
que rejuvenescem com a idade. Na maturidade, é comum serem muito mais descontraídos, simpáticos e
comunicativos do que foram enquanto jovens. Esta alegria interior representa o culminar das qualidades de
trabalho associadas a este ascendente. É uma marca de Sabedoria.

Um aspecto magro, tenso e seco pode ser associado a este ascendente. As maçãs do rosto são marcadas.
Algumas pessoas (principalmente mulheres) têm uma beleza refinada, assentada no equilíbrio de linhas e na
elegância da estrutura óssea.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
60
AQUÁRIO

Aquário é o 11º signo do zodíaco. Construtor da Casa 11 do Corpo Umeral. Por ser
o terceiro signo de Ar, este ar será mercurial. Em conjunto com Sagitário na Casa
09, será um forte estímulo à nossa capacidade de ver ao longe, interna e
externamente. Dotado de reflexos indomáveis e capacidade de antever o futuro.
Possui uma grande tenacidade mental para o novo e o ousado. Desafia as casas a
revolucionarem a visão pessoal dos seus arquétipos com as tendências mais
modernas.
Desafios de Aquário:

 Modernidade, ousadia, flexibilidade, premonição, revolução, tolerância e independência.


 Ser indomável pela própria natureza.
 Aventureiro, criativo, inventivo e aberto ao novo, sempre.
 Surpreender, contradizer e se mostrar através do absurdo.

Ascendente Aquário e Casa 1:

É através do Ar Mercurial que se faz a primeira entrada na vida: segurança na intuição, no futuro e nos pontos
de vista globais. Quem tem Aquário Ascendente baseia a sua expressão pessoal numa aparente contradição.
Tem uma necessidade imperativa (embora por vezes disfarçada) de ser único, diferente e não convencional,
mas precisa ser aceito pelo coletivo, pela sociedade. Em outras palavras: tem que ser diferente e, ao mesmo
tempo, igual; é simultaneamente rebelde e gregário.

A solução deste conflito interno varia de indivíduo para indivíduo. Alguns sufocam o seu individualismo em prol
da aceitação social. Mantém-se numa atitude de falso conformismo, mas correm o risco de "explodir".
Outros se proclamam "espíritos livres" e mantêm-se à margem da sociedade. Ganham "liberdade" para serem
ousados e fora de padrão, excêntricos, rebeldes e até chocantes, mas perdem a companhia humana.

Na maior parte dos casos, contudo, a faceta experimental e pioneira deste signo consegue encontrar soluções
originais e equilibradas (geralmente depois de várias tentativas). Pode juntar-se a grupos diferentes e originais
que lhe deem espaço e liberdade; pode ter diversos grupos de amigos, que representem diversas facetas da
sua personalidade; ou pode tentar compartilhar o seu "mundo paralelo", onde reina a busca da liberdade e a
visão do futuro.

Ao compreender que não precisa se rebelar para ser livre, o indivíduo com este ascendente começa a encarar
a vida como uma grande experiência de solidariedade. Descobre, então, que tem a capacidade de partilhar com
toda a humanidade as suas ideias globais, numa perspectiva de serviço, esperança e fraternidade. As utopias
tornam-se, então, ideias realizáveis. Este ascendente é associado a figuras grandes, altas e a rostos de
expressão aberta. Podem ter uma espécie de "aura elétrica", que lhe dão um toque excêntrico.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
61
PEIXES

Peixes é o 12º signo do zodíaco. Construtor da casa 12 do Oitavo Corpo Umeral. Tem
uma ligação forte com o signo de Escorpião (Casa 08) e está ligado à transformação
espiritual pela fé. Como é o terceiro signo de água, esta água será mercurial. É movido
pela religiosidade e apego a rituais e dogmas. Quando desafia uma casa, a envolve
com um sentimento de fé e espiritualidade. É o último signo; nele se encerra a Mandala
Zodiacal. Representa o batismo e, enquanto Escorpião se transforma pela
compreensão de si mesmo, Peixes se transforma pelo autoperdão.

Desafios de Peixes:

 Ternura, afetuosidade, perdão, fé, inspiração espiritual, aconselhamento espiritual e sensibilidade.


 Silêncio e recolhimento.

Ascendente Peixes e Casa 1:

A primeira impressão da vida é sentida através da Água Mercurial: percepção sensível ao todo, aprendizagem
do sentir espiritual. Uma espécie de névoa vaga e, intangível, parece permear a expressão pessoal de Peixes
Ascendente. Ao expressar-se, o indivíduo procura incluir nessa expressão algo mais abrangente, total e
inclusivo, muito maior do que o próprio "eu". Esta "névoa" confere empatia e permeabilidade, mas, ao mesmo
tempo, traz um certo isolamento e distanciamento. Assim, o indivíduo pode ter sentimentos e comportamentos
contraditórios.

Em determinadas situações pode entrar em sintonia emocional com toda a Humanidade e procurar redimi-la
dos seus sofrimentos. Nessa altura, a sua sensibilidade manifesta-se como compaixão, expressão artística ou
devoção mística. No momento seguinte, contudo, pode perder o foco e passar a centrar-se apenas nas próprias
necessidades emocionais. Cai então num caos emocional, numa autopiedade, da qual só sairá (segundo julga)
se vier alguém salvá-lo.

Se conseguir o distanciamento necessário para distinguir os seus problemas e os dos outros, o indivíduo com
este ascendente poderá utilizar a sua enorme sensibilidade a serviço do coletivo. Assim, deixa de oscilar entre
os papéis de salvador e vítima, tornando-se capaz de passar da empatia emocional à ajuda efetiva, mesmo
que isso implique em sacrifícios pessoais.

Um aspecto físico vago, etéreo e um pouco "perdido" pode ser a marca deste signo ascendente. Alguns
indivíduos são verdadeiros "espelhos vivos", refletindo e imitando tudo o que os impressiona.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
62
OS PLANETAS NAS CASAS

REGENTE DE ÁRIES – CASA 01 Marte


FOGO – EXPANSÃO - CORAGEM

INDICA O GUERREIRO QUE EXISTE EM


NÓS.
NA CASA – A FORÇA QUE ALIMENTA A
NOSSA VONTADE PESSOAL.
NO SIGNO – DESAFIO

MARTE NOS LEVA A EXTERIORIZAR A


VONTADE, EXPRESSAR O SEU PODER
DE AÇÃO. NOS LEVA À LUTA, À
CONQUISTA, A IMPOR OS NOSSOS
DESEJOS E VONTADES SOBRE O
MUNDO QUE NOS RODEIA.
SIMBOLIZA A ENERGIA DO “MACHO”,
DO YANG, DA CAPACIDADE DE
ENFRENTARMOS DE PEITO ABERTO AS
“GUERRAS” NO MUNDO.

Marte é o símbolo do desejo. Ele representa a nossa capacidade de ação, de movimento, de expressão
física. Indica a agressividade, a impulsividade e tudo o que diz respeito à atividade.

Casa 1: Impõe-se e firma sua personalidade no meio em que vive. É dinâmico, ativo, reivindicativo. Não se
contém diante das lutas.

Casa 2: Fixa as suas energias para obter e se apropriar de tudo. Exerce um forte domínio sobre seus bens
materiais.

Casa 3: Sente grande necessidade de exercer suas influências sobre os outros. Traduz imediatamente suas
ideias em atos.

Casa 4: Concentra seu poder no seio familiar. Defensor da família e um guerreiro quando se trata de recompor
as suas raízes.

Casa 5: Ser criativo, enérgico. Temperamento ardente e sensual. Um guerreiro vaidoso e orgulhoso das suas
lutas.

Casa 6: Não age gratuitamente. Necessita de organização e disciplina quando vai traçar objetivos de luta.

Casa 7: Tem uma necessidade natural de se impor perante seus associados. Estimula e apoia materialmente
as suas relações.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
63
Casa 8: Ressurge rapidamente das cinzas. Força os seus limites interiores para se autoprovocar e provar a si
mesmo que venceu.

Casa 9: Curioso, busca o desafio daquilo que não conhece. Adora competir, explorar, apostar.

Casa 10: Deseja alcançar o topo, o êxito, o triunfo. Aspira representar papéis de chefia, de controlador da
responsabilidade.

Casa 11: Estimula-se através dos contatos vivificantes e instigantes. Realiza diversas atividades
simultaneamente.

Casa 12: Aspira sublimar seus atos e seus desejos. Dá o melhor de si mesmo nas suas ações. Tem muita fé
em tudo que objetiva.

A Vênus de Touro REGENTE DE TOURO - CASA 02


TERRA – CONTRAÇÃO – POSSES
QUANDO A VÊNUS ESTIVER NA CASA2
EM QUALQUER SIGNO, ELA SERÁ SEMPRE
DE TOURO (A CASA É MAIS IMPORTANTE).

QUANDO ESTIVER NA CASA 10, 11, 12, 01,


03, NÃO SENDO NO SIGNO DE LIBRA, ELA
SERÁ DE TOURO.

QUANDO ESTIVER NA CASA 07, EM


QUALQUER SIGNO, ELA SERÁ SEMPRE DE
LIBRA.

QUANDO ESTIVER NAS CASAS 04, 05, 06,


08, 09, ELA SERÁ DE LIBRA SE NÃO
ESTIVER NO SIGNO DE TOURO.

INDICA A BELEZA, A FORMA, OS PRAZERES DA


VIDA.
NA CASA – REPRESENTA AS NOSSAS
CONQUISTAS MATERIAIS, O QUERER, O NOSSO
ENVOLVIMENTO COM A MATÉRIA.
NO SIGNO – DESAFIO.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
64
REGENTE DE LIBRA - CASA 07
TERRA – EXPANSÃO – ASSOCIAÇÕES
A Vênus de Libra
QUANDO A VÊNUS ESTIVER NA CASA
7 EM QUALQUER SIGNO, ELA SERÁ
SEMPRE DE LIBRA (A CASA É MAIS
IMPORTANTE).

QUANDO ESTIVER NA CASA 04, 05, 06,


08, 09, NÃO SENDO NO SIGNO DE
TOURO, ELA SERÁ DE LIBRA.

QUANDO ESTIVER NA CASA 02, EM


QUALQUER SIGNO, ELA SERÁ SEMPRE
DE TOURO.

QUANDO ESTIVER NAS CASAS 10, 11,


12, 01, 03, ELA SERÁ DE TOURO SE
NÃO ESTIVER NO SIGNO DE LIBRA.

INDICA O CASAMENTO, OS
RELACIONAMENTOS, AS
ASSOCIAÇÕES.
NA CASA – REPRESENTA OS
ENVOLVIMENTOS AMOROSOS, A
BUSCA PELA ALMA GÊMEA.
NO SIGNO – DESAFIO.

Vênus simboliza a capacidade que temos de dar valor e qualificar. Representa o modo como valorizamos
nossa vida afetiva, a troca e partilha de valores.

Casa 1: A aparência física, o gosto pelo belo, o sentido de harmonia e equilíbrio, a necessidade de seduzir para
saciar a sua sede de amor.

Casa 2: Integra-se em seu meio natural de forma simples e bela. Sente necessidade de segurança no conforto
e no bem estar com o outro.

Casa 3: Uma forte necessidade de estabelecer câmbios afetivos e fraternais no meio social onde se movimenta.

Casa 4: Muito unido ao seu ambiente familiar. Quer ser o centro das atenções afetivas no seio familiar.

Casa 5: Possui um grande amor pelas crianças e forte sentido estético. Dá uma importância muito grande aos
sentimentos e prazeres da vida.

Casa 6: Gosta de viver num meio bem definido e de planificar e organizar tudo ao seu redor. Disto dependerá
sua saúde interna.

Casa 7: Cultiva as relações pelo amor e nunca se envolve com nada que não seja através de sentimentos puros
e verdadeiros.

Casa 8: Apresenta a tendência de fazer sacrifícios em nome do amor. Vive amando platonicamente e em
segredo.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
65
Casa 9: Possui profundos interesses pelas questões humanitárias. Ama mais os ideais do que a forma ou
posses.

Casa 10: Preserva sempre as relações com os outros. Sente-se autônomo para viver amores extraordinários.

Casa 11: Seus amores se transformam em amizades e suas amizades, em amores.

Casa 12: Procura sempre uma dimensão maior para o amor e a forma. Muitas vezes sente-se incompreendido
pelo amante e opta pela sublimação.

REGENTE DE GÊMEOS - CASA 03 Mercúrio de Gêmeos


AR – EXPANSÃO - MOVIMENTO
QUANDO MERCÚRIO ESTIVER NA CASA 03
EM QUALQUER SIGNO, ELE SERÁ SEMPRE
DE GÊMEOS (A CASA É MAIS IMPORTANTE).

QUANDO ESTIVER NA CASA 10, 11, 12, 01,


02, NÃO SENDO NO SIGNO DE VIRGEM, ELE
SERÁ DE GÊMEOS.

QUANDO ESTIVER NA CASA 06, EM


QUALQUER SIGNO, ELE SERÁ SEMPRE DE
VIRGEM.

QUANDO ESTIVER NAS CASAS 04, 05, 07, 08,


09, ELE SERÁ DE VIRGEM SE NÃO ESTIVER
NO SIGNO DE GÊMEOS.

INDICA A EXPRESSÃO, A COMUNICAÇÃO, O


MOVIMENTO.
NA CASA – COMO A PESSOA “CONVERSA” COM
ELA MESMO, COMO PENSA, COMO DESENVOLVE
SEU INTELECTO.
NO SIGNO – DESAFIO
DE UMA FORMA GERAL, ESTE PLANETA É O
INDICATIVO MÁXIMO DA FORMA QUE NÓS
ENCONTRAMOS PRA NOS COMUNICAR. INDICA
OS NOSSOS GESTOS, A NOSSA MÍMICA, O
NOSSO RELACIONAMENTO CORPO E MENTE.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
66
Mercúrio de Virgem REGENTE DE VIRGEM - CASA 06
AR – CONTRAÇÃO - ORGANIZAÇÃO

QUANDO MERCÚRIO ESTIVER NA


CASA 06 EM QUALQUER SIGNO, ELE
SERÁ SEMPRE DE VIRGEM (A CASA É
MAIS IMPORTANTE).

QUANDO ESTIVER NA CASA 10, 11, 12,


01, 02, NÃO SENDO NO SIGNO DE
VIRGEM, ELE SERÁ DE GÊMEOS.

QUANDO ESTIVER NA CASA 03, EM


QUALQUER SIGNO, ELE SERÁ SEMPRE
DE GÊMEOS.

QUANDO ESTIVER NAS CASAS 04, 05,


07, 08, 09, ELE SERÁ DE VIRGEM SE
NÃO ESTIVER NO SIGNO DE GÊMEOS.

INDICA A ORGANIZAÇÃO PESSOAL, A


DISCIPLINA, O TRABALHO.

NA CASA – COMO A PESSOA AGILIZA SEUS


TRABALHOS, SUAS PRIORIDADES.
NO SIGNO – DESAFIO.

Mercúrio representa nossa capacidade de comunicação. Ele simboliza a fala, a escrita e toda a capacidade
de transmitir ou receber informação. Nele está expresso o modo como falamos, raciocinamos e nos
comunicamos.

Casa 1: Comportamento intelectual. Pessoa Inteligente, rápida nas ações. Apresenta-se jovialmente. Tem
gestos espontâneos.

Casa 2: Inteligência prática, versatilidade e habilidade para conquistar bens materiais. Riqueza de
pensamentos.

Casa 3: Talento para a comunicação. Grande capacidade de estudo. Aprendizado rápido. Curiosidade.

Casa 4: Inteligência sensível. Imaginação versátil e criativa. Alegre e brincalhão em casa.

Casa 5: Gosta de exibir a sua inteligência. Ações e pensamentos criativos. Boa comunicação com os filhos.

Casa 6: Mente analítica e organizada. Trabalha com agilidade e decisão. Soluções inteligentes para processos
intrincados.

Casa 7: Sociabilidade e comunicação com os parceiros. Facilidade para as trocas intelectuais. Intermediário de
parcerias.

Casa 8: Pensamento investigativo, curiosidade pelo oculto. Profundidade intelectual. Intuição mental.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
67
Casa 9: Gosto pelo pensamento filosófico. Comunicador vivaz e ativo: ágil nas conversações. Fé intelectual.

Casa 10: Organizador flexível e eficiente. Versátil em assuntos variados e facilidade de transmissão de
conhecimento.

Casa 11: Visão do futuro curiosa e alegre. Identificação rápida com os grupos afins aos seus ideais. As
amizades fluem agradavelmente.

Casa 12: Pensamentos esotéricos. Estudos da espiritualidade e busca da transcendência. Intuição profunda.

REGENTE DE CÂNCER - CASA 04 A lua


ÁGUA – CONTRAÇÃO - PROTEÇÃO

INDICA O TEMPERAMENTO MAIS


VOLÁTIL (Passageiro)
NA CASA – COMO INTERAGE
CONSIGO, COMO ANCORA SUAS
EMOÇÕES.
NO SIGNO – DESAFIO

DEPOIS DO SOL, A LUA É O ASTRO


“MAIS” IMPORTANTE NO MAPA. ELA
DÁ SEMPRE UM INDICATIVO DO
ENVOLVIMENTO “FAMILIAR” QUE A
PESSOA TEM EM RELAÇÃO AO
MUNDO EM QUE VIVE.
A PERSONALIDADE LUNAR PODE SE
FIXAR MUITO NOS NATIVOS DE
CÂNCER OU QUE TENHAM O
ASCENDENTE EM CÂNCER.

A Lua simboliza a capacidade de sentir, de nos sensibilizar ao meio ambiente. Representa a vida emocional,
o instinto e a autopreservação. Indica-nos o relacionamento com o feminino, com a imagem da mãe e com a
procura de alimento (físico ou psíquico).

Casa 1: Caráter forte, porém muito maternal e de proteção a todos que o cercam.

Casa 2: Provedor e com fortes sentimentos de caridade. Adora ajudar os outros finaceiramente. Tende a
comer muito.

Casa 3: Falador e comunicativo. Sabe ouvir e adora discutir ideias que ativem o intelecto. São excelentes
conselheiros.

Casa 4: Forte senso de maternidade. Amoroso e ligado aos filhos e à familia. Ligado à casa e tradições.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
68
Casa 5: Temperamento forte e controlador. Dotado de muita sensualidade e vaidade. Romântico e amoroso
com os filhos.

Casa 6: Perfecionista e, às vezes, largado. Tem uma necessidade de tudo dirigir e organizar.

Casa 7: Vive para o outro. Tem uma grande tendência a controlar o esposo(a) como se fosse a mãe dele(a).

Casa 8: Visceral e tempestuoso. As emoções transitam entre à flor da pele e os lugares mais profundos da
alma.

Casa 9: Possui ideias generosas, nobres e elevadas. É suscetível a mudar de lugares, onde está sempre
buscando novas aventuras.

Casa 10: Tem consciência e um forte senso de responsabilidade com os seus antepassados e família de uma
forma geral.

Casa 11: Senso de maternidade. É moderno e desapegado. Adora coisas novas e diferentes. Ousado e
revolucionário em suas ideias.

Casa 12: Sensibilidade forte e profunda. Ligado às coisas do espírito e possuidor de forte sensibilidade
mediúnica.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
69
O Sol representa o Consciente, a capacidade de percepção e consciência do ser humano. Representa o
modo como tomamos consciência do mundo ao nosso redor e o nosso sentido de identidade.

O Sol na Casa influencia nosso comportamento, já que acordamos todos os dias sobre forte influência deste
planeta na linha do horizonte. Na casa, ele representa o sentimento que o SER tem da sua personalidade e
existência, enquanto que o Signo em que ele se encontra representa os referenciais externos que a sociedade
tem em relação a ELE.

O Sol na casa demonstra bem as características essenciais da nossa personalidade até os 28 anos de idade.
A partir dos 28 anos, começa a reinar o desafio do signo ascendente. Nesta fase, o Espírito já está encarnado
e começa a abrir o Corpo Umeral para a energia dos signos que entram desafiando cada casa.

Quando mal aspectado ou diretamente ligado a um planeta retrógrado (conjunção), o Sol perderá seu brilho e
tornar-se-á opaco, obrigando o Ser a estar sempre dinamizando-o e enfrentando-o para a conquista do seu
brilho pessoal.

O Sol deve ser o primeiro planeta observado, pois ele nos aponta a essência da personalidade do cliente.

Casa 1: Brilhante e carismático, um guerreiro obstinado que necessita sempre sentir e ver as suas lutas
reconhecidas pelos outros.

Casa 2: Necessidade de ter, possuir tudo aquilo que objetiva na vida. Não mede esforços para conseguir o que
quer e necessita de muita segurança material.

Casa 3: Apresenta características muito sociais, pois é um excelente comunicador. Muito gestual e carismático,
necessita estar sempre trocando ideias e fazendo contatos.

Casa 4: Muito ligado à familia. Preza o relacionamento com as suas raízes, onde mantem um papel dominante.

Casa 5: Possui muita alegria de viver, muita energia e muita saúde. Exuberante nos trajes e ufanista pela própia
natureza.

Casa 6: Dedica-se a tarefas concretas e organizadas. Tem consciência da necessidade de se viver o presente
de uma forma disciplinada e organizada.

Casa 7: Tem necessidade de se associar e manter relacionamentos constantes. Não sabe viver sozino.

Casa 8: Apresenta tendência a exilar-se sempre, a fim de mudar radicalmente a sua vida. Tem um
temperamento forte e crítico. Vive as experiências da vida com bastante intensidade.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
70
Casa 9: Vive sempre em busca de aventuras e de outros lugares. Seu mundo é amplo e vasto. Gosta de explorar
países e culturas diferentes da sua.

Casa 10: Tem necessidade de impor o seu prestígio e a sua personalidade de forma responsável e austera.
Muito independente, necessita obter uma posição social importante.

Casa 11: Esta é a representação de um visionário. Muitas vezes pode aparentar ser uma pessoa indomável e
rebelde. Possui uma grande percepção do mundo ao seu redor.

Casa 12: Possui uma força interior latente e subjetiva. Deseja sempre transformar-se, moral e espiritualmente.
Tem inclinação à solidão e ao resguardo, onde se sente bem e fortalecido.

Plutão REGENTE DE ESCORPIÁO – CASA 08

ÁGUA – CONTRAÇÃO - AUTOCRÍTICA

INDICA A PERSONALIDADE MAIS


OBSCURA, MAIS PROFUNDA.

NA CASA – A CAPACIDADE DE SE
AUTO CRITICAR, SE PUNIR, SE
TRANSFORMAR.
NO SIGNO – DESAFIO.

PLUTÃO INDICA O MOVIMENTO DE


CONSTRUÇÃO E DESTRUIÇÃO DAS
COISAS.
A SUA ENERGIA EQUIVALE À IMAGEM
DAS ÁGUAS OBSCURAS E
PANTANOSAS.
AUTO ANÁLISE E AUTO PUNIÇÃO. A
DOR DA CONSCIÊNCIA PASSA POR
PLUTÃO.

Plutão representa a capacidade de transformação do ser. Simboliza nossa capacidade de lidar com os
aspectos mais sombrios da personalidade. Indica também nossa resistência à transformação e nossa expressão
de poder.

Casa 1: Presença forte, poderosa, incontornável. Concentração de energias. Interessante combinação de


intensidade e reserva. Pode passar por grandes alterações físicas ao longo da vida.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
71
Casa 2: Necessidade compulsiva de ter e acumular recursos. Há uma tendência precoce de prover seu próprio
sustento.

Casa 3: Comunicação profunda e perspicaz. Palavra penetrante e até com poder destrutivo. Capacidade
analítica. Os processos de aprendizagem podem ser marcados por teimosia ou obsessão.

Casa 4: A vida interior é palco de profundas crises emocionais. Alguma figura poderosa pode ter marcado sua
infância. Família é a base dos processos de transformação.

Casa 5: É na área da criatividade que enfrenta os maiores desafios de transformação. Apego. A criatividade e
o poder pessoal dependem diretamente da capacidade de transformação emocional.

Casa 6: Agente transformador no cotidiano, através do trabalho e saúde. Bom médico e alquimista.

Casa 7: Acessa o poder de transformação através das relações que estabelece. Sedução. Manipulação.
Necessidade de estabelecer parcerias como forma de garantir seu equilíbrio emocional.

Casa 8: As questões de poder pessoal revestem-se de importância fundamental. A sexualidade é


experimentada como algo secreto e profundamente transformador.

Casa 9: Ideais, crenças transformadoras. Inquietação, aventura. Dificuldade de expressão do poder pessoal,
que é exercido de forma inconsciente.

Casa 10: Compromisso em ser agente de transformação no âmbito coletivo. Dificuldade em aceitar a autoridade.
Perfeccionista.

Casa 11: Ousadia e transformação como caminhos para a libertação e renovação. Leal, senso comunitário.
Interessado em participar de movimentos de melhorias sociais.

Casa 12: Espiritualidade como agente de transformação. É preciso que descubra seus medos e frustrações
para tirá-los de seu inconsciente com paciência e compreensão.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
72
REGENTE DE SAGITÁRIO – CASA 09
Júpiter FOGO – EXPANSÃO - IDEOLOGIAS

INDICA OS NOSSOS IDEAIS, A BUSCA


CONSTANTE POR NOSSOS OBJETIVOS
MAIS PROFUNDOS.

NA CASA – OS IDEAIS INTERIORES,


TUDO AQUILO EM QUE SE ACREDITA.
NO SIGNO – DESAFIO

O MAIOR PLANETA DO SISTEMA


SOLAR. INDICA NO MAPA O
POTENCIAL DA PROSPERIDADE,
A SEGURANÇA INTERIOR.
AMPLIA AS QUALIDADES DA CASA E
DO SIGNO EM QUE SE ENCONTRA.

Júpiter simboliza a capacidade de expansão. Indica nosso sentido ético, filosófico, religioso e ideológico.
Representa a capacidade de percepção das leis.

Casa 1: Aura de confiança. Seguro de si. Aparência digna. Otimista.

Casa 2: Sorte com os bens materiais. Ganhos através dos ideais. Compartilha o seu conforto e segurança
material.

Casa 3: Pensador expansivo e bem focado. Eleva a qualidade dos estudos cotidianos. Fala com inspiração.

Casa 4: Muito unido ao seu ambiente familiar. Generoso e afetuoso no seio familiar.

Casa 5: Expansão aos sentimentos e prazeres da vida. Confiança nas suas ações. Otimista e alegre.

Casa 6: Gosta de planificar e organizar tudo ao seu redor. Excepcional terapeuta. Trabalha com bom humor.

Casa 7: Idealiza os relacionamentos. Tem entusiasmo pelo parceiro. As parcerias se fundamentam pelos ideais
em comum.

Casa 8: Profundidade baseada na fé. Intuição com nobreza e conhecimento. Grande capacidade de
transformação.

Casa 9: Visão interior ampla e verdadeira. A fé amparada no conhecimento. Filosofia com base espiritual.

Casa 10: Reconhecimento social pelas suas capacidades. Responsabilidade com fé. Comando e sabedoria.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
73
Casa 11: Visão ampla e otimista do futuro. Sonhador idealista. Percepção segura.

Casa 12: Inspirado e otimista no trabalho para o outro. Doador generoso. Poder de oração e meditação.

REGENTE DE CAPRICÓRNIO - CASA 10 Saturno


TERRA – CONTRAÇÃO - RESPONSABILIDADE

INDICA A SABEDORIA E A
RESPONSABILIDADE PERANTE À VIDA.
NA CASA – A DISCIPLINA QUE COBRA
DE SI MESMO.
NO SIGNO – DESAFIO

SATURNO É UM DOS PLANETAS MAIS


COMENTADOS NO MAPA, POIS PODE
DAR UM INDICATIVO DO KARMA
PESSOAL DO INDIVÍDUO EM RELAÇÃO À
VIDA.
ANCORA FORTEMENTE A ENERGIA DAS
CASAS E SIGNOS EM QUE ESTÁ,
TRAZENDO ESTES ASPECTOS PARA A
INTROSPECÇÃO.
NOS LEMBRA SEMPRE O QUE ESTÁ POR
TRÁS DA NOSSA MISSÃO NA TERRA.

Saturno é o último planeta visível da Terra. Ele representa o limite do pessoal, ou seja, os nossos próprios
limites. Indica os medos, bloqueios e barreiras pessoais. Superados os obstáculos, ele é também o símbolo da
maturidade, da estrutura e da solidez.

Casa 1: Impõe a si próprio uma disciplina severa. Vive com a sensação de não ter cumprido com as suas
obrigações. Fecha muito o individuo.

Casa 2: Bloqueia seus ganhos e a capacidade de adquirir coisas materiais. Sensações de culpa quando cobra
por seus trabalhos.

Casa 3: Trava a capacidade de se comunicar através dos gestos. Bloqueia a sensualidade e dá sentimentos
de timidez vocal.

Casa 4: Grande dificuldade com a família. No seio familiar, muitas confusões são geradas em relação a ele.
Dificuldades de entrega sexual.

Casa 5: Sentimentos de mal querer. Não acredita nos potenciais internos e se sente muito inseguro em
relação ao mundo e aos filhos.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
74
Casa 6: Desorganizado e com a saúde fragilizada. Não cria métodos e disciplina para facilitar o trânsito das
coisas ao seu redor.

Casa 7: Bloqueia as suas relações com os sócios e com o casamento. Pode gerar sensações de depressão
por se sentir sozinho.

Casa 8: Fortes sensações de culpas por se autopunir constantemente em relação aos seus erros no
cotidiano.

Casa 9: Bloqueia a mente para as coisas novas. Teimoso e arredio quando tenta mudar as suas ideias.

Casa 10: Cria a tendência de cobrar a responsabilidade como desencargo de consciência por não conseguir
cumprir a sua.

Casa 11: Bloqueia a mente e provoca insegurança quando se trata de vislumbrar coisas fora do padrão
estabelecido.

Casa 12: Transita entre a fé obsessiva e a total falta de fé. Tem uma enorme dificuldade de se humilhar
perante a espiritualidade.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
75
Urano representa a capacidade de quebrar barreiras, ultrapassar os limites pessoais. A capacidade de
individualização das massas e a liberdade pessoal.

Casa 1: Impulso para ser diferente e único, grande individualismo. Original, irreverente, excêntrico.

Casa 2: A individualidade e o direito à diferença podem ser valores fundamentais. Ganho financeiro através de
áreas inovadoras, inesperadas, excêntricas.

Casa 3: Rapidez mental, originalidade. Capacidade criadora. Gosto por assuntos, abordagens e métodos de
ensino diferentes.

Casa 4:Contraria os padrões familiares; tendência a se libertar da família desde cedo.

Casa 5: Será reconhecido por ser diferente, exótico, excêntrico. Pode identificar-se com a imagem do rebelde.

Casa 6: Possibilidade de exploração de novas técnicas no trabalho ou na área da saúde. Detesta a rotina.

Casa 7: Diferente e libertário nas associações e relações. Escolhe parceiros originais, criativos, excêntricos e
imprevisíveis.

Casa 8: Liberdade emocional, marcada por medos e restrições inconscientes. Pode experimentar situações
diferentes na área da sexualidade.

Casa 9: Liberdade de pensamento amplo. Renovação das crenças e da visão de si mesmo. Fortes “insights”.
Inquietação interior.

Casa 10: É responsável por ser ousado, por trazer mudanças. Lutador. Pode rebelar-se contra autoridades.
Original, altruísta e humanitário.

Casa 11: Sua vida em grupo e o papel no social podem ocorrer de forma não usual. Faz amigos com facilidade,
mas foge de relacionamentos íntimos.

Casa 12: Necessidade de se libertar das exigências da sociedade. Busca do sagrado de forma moderna e
ousada.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
76
Netuno REGENTE DE PEIXES – CASA 12
ÁGUA – CONTRAÇÃO - ACONSELHAMENTO

INDICA O MOVIMENTO ESPIRITUAL.

NA CASA – A INTROSPECÇÃO, A
ORAÇÃO, A CAPACIDADE DE
ACONSELHAR COM SABEDORIA.
NO SIGNO – DESAFIO

NETUNO É O REGENTE DO ÚLTIMO


SIGNO E REPRESENTA AS FORÇAS DO
ESPÍRITO ENCARNADAS NO VERBO.
A MEDITAÇÃO, A CRENÇA, A
RELIGIOSIDADE FUNDIDAS NA FÉ
PESSOAL.
O FIM E O COMEÇO DO CICLO DA
VIDA.

Netuno simboliza o contato com o absoluto. Representa todos os processos que nos unem emocionalmente
ao coletivo. É tanto símbolo da união com o absoluto, da expectativa mística, como símbolo da ilusão, do engano
e da decepção.

Casa 1: Guerreiro espiritual. Expressão difusa, misteriosa. A sensibilidade apurada transforma-se facilmente
em susceptibilidade.

Casa 2: Necessidade de se espiritualizar através da confiança e da fé para conquistar a matéria.

Casa 3: Intelecto e expressão relacionados às questões espirituais. Expressão vaga, indefinida. Grande
sensibilidade ao ambiente.

Casa 4: A família dará a base para a espiritualidade. Nostalgia da infância perdida.

Casa 5: Reconhecimento, autoconfiança pela fé. Atrai e magnetisa pela espiritualidade. Quer expressar o
absoluto. Projeta sonhos e ilusões. Vago, indefinido.

Casa 6: A saúde, o trabalho e a ordem são expressões da fé.

Casa 7: Uniões são sagradas. Há o perigo de endeusar os parceiros. Através das desilusões, aprende a amar
de forma equilibrada.

Casa 8: Sensibilidade psíquica. Expectativa nas áreas do oculto e da sexualidade.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
77
Casa 9: Ideais e crenças espiritualizados. Profunda sensibilidade às correntes emocionais do coletivo.
Dificuldade em diferenciar realidade e fantasia.

Casa 10: Responsabilidade com o sagrado. Missão espiritual de servir à humanidade. Idealismo.

Casa 11: Ousadia em relação à espiritualidade, às novas crenças. Pressentimentos corretos.

Casa 12: Força espiritual. Pode ser fonte de sabedoria e compreensão intuitiva, desde que enfrente a realidade.
Apesar da necessidade de ajudar os outros, sofre de profunda solidão.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
78
OS PLANETAS NOS SIGNOS

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
79
© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016
Todos os direitos reservados.
80
© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016
Todos os direitos reservados.
81
© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016
Todos os direitos reservados.
82
© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016
Todos os direitos reservados.
83
OS ASPECTOS ASTROLÓGICOS

Chamam-se aspectos os ângulos que os planetas fazem entre si ou com eixos e outros elementos do mapa
astrológico. Quando um astrólogo diz que o planeta Vênus faz um aspecto determinado à Lua, está dizendo
que entre Vênus e a Lua existe um ângulo específico. Os aspectos são muitas vezes representados no mapa
por linhas que unem os planetas.

Existem vários tipos de relações angulares ou aspectos. Estes resultam da divisão da roda zodiacal, originando
ângulos de 0º, 30º, 90º, 120º etc. Quatro aspectos são relevantes para o estudo da Astrologia Alquímica.

Conjunção: surge da divisão do Zodíaco por 1. Ocorre quando os planetas estão num ângulo de cerca
de 0º. Indica uma fusão das características representadas pelos dois (ou mais) planetas envolvidos. Pode
indicar uma relação conflitante ou harmoniosa, dependendo da natureza dos planetas envolvidos.

Oposição: surge da divisão do Zodíaco por 2 e relaciona planetas em signos opostos - ângulo de 180º.
Indica um conflito por oposição dos fatores psicológicos representados pelos planetas envolvidos. Geralmente
projeta-se no exterior como um conflito de relacionamento ou vivido no relacionamento. É um confronto entre
o indivíduo e outro "objeto" exterior a ele. Qualquer dos planetas envolvidos representa o objeto e o indivíduo.

Quadratura: surge da divisão do Zodíaco por 4 e relaciona planetas a 90º de distância, ou seja, em signos
do mesmo modo mas de elemento diferente. Indica uma tensão no relacionamento dos planetas envolvidos,
tensão que o indivíduo vai viver como uma pressão e conflito interior. Exterioriza-se por esforço, conquista e
transformação.

Trígono: surge da divisão por 3, uma relação angular de 120º. Este aspecto relaciona planetas em signos
do mesmo elemento e por isso indica uma relação harmoniosa e fluída entre as duas (ou mais) qualidades
psicológicas. Embora seja fluído, este aspecto é pouco dinâmico e transformador, podendo expressar-se tanto
por talento como por indolência.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
84
PLANETAS RETRÓGRADOS

De acordo com seu movimento e sua órbita, diante de um planeta mais rápido, o planeta mais lento
aparentemente parece estar andando para trás, movimento chamado retrógrado (Rx). A retrogradação, porém,
é uma Ilusão de ótica.

Para a Astrologia, esta aparente retrogradação dificulta a manifestação das qualidades do planeta, inclusive
trazendo o efeito inverso ao natural: as suas qualidades ficam aprisionadas. Isto ressalta a sombra, ou o oposto
das características do planeta.

Muitas vezes os planetas retrógrados são uma bênção, funcionando como travas de segurança e que sem elas
a pessoa se desestruturaria de alguma forma, causando mais danos que benefícios. Muitas vezes os aspectos
que parecem difíceis estão ali pra auxiliar o processo encarnatório – nada é ruim, e isso pode auxiliar no
amadurecimento pessoal e nas escolhas a serem feitas. A dificuldade causada por um retrógrado pode
instrumentalizar e preparar a pessoa para seus desafios. Podemos levar em consideração, também, que a vida
transforma através da experiência do tempo/espaço percorrido e podemos crer que, no percurso da existência,
as pessoas tenham trabalhado alguns destes aspectos desafiadores em si mesmas.

A grande diferença entre a Astrologia convencional e Astrologia Alquímica é que para a convencional a pessoa
é assim e não tem o que se possa fazer. Para a Astrologia Alquímica a transformação é possível, pois existem
técnicas e florais que permitem a abertura dessas travas com as quais nascemos, nos capacitando e ensinando
a melhor forma de utilizarmos todas as ferramentas que possuímos na busca da saúde e do crescimento interior.

Os planetas retrogradam em tempos previstos por suas órbitas. Mercúrio, por exemplo, pode passar por várias
retrogradações durante o ano; já os planetas lentos passam grande parte do tempo no movimento retrógrado,
podendo ficar até metade do ano. A Lua e o Sol não retrogradam.

Possíveis significados para os planetas retrógrados:

Marte retrógrado:
A ação, a energia e a iniciativa ficam emperradas. Quando Marte está retrógrado, a pessoa tende a ser menos
competitiva. Por isso, Marte, que naturalmente vai à luta, fica covarde, medroso. Esse indivíduo é mais
premeditado. Perde-se a espontaneidade e a impetuosidade do guerreiro. Há dispêndio de energia, tomando
necessário refazer o que já foi feito.

Vênus retrógrado:
O planeta do afeto, do impulso social e dos valores em movimento retrógrado impede a capacidade de
demonstrar amor, provoca timidez. O processo de amadurecimento pode ser lento; consequentemente, a
abordagem do amor se torna imatura. Vênus de terra, que iria atrás de dinheiro, se acomoda na miséria; Vênus
de ar não se sociabiliza, se isola, não interage.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
85
Mercúrio retrógrado:
Quando o planeta da capacidade de raciocínio, da mente e da comunicação está retrógrado, o processo de
pensamento parece ser mais complicado; pode-se ficar elaborando demais e não chegando a nenhum lugar.
Algumas pessoas parecem ter dificuldades para se expressar e se refugiam no silêncio. O Mercúrio de ar que
deveria se comunicar e ter leveza, se cala, perde a agilidade; o Mercúrio de terra fica desorganizado e
indisciplinado, hipocondríaco, fica no caos.

Plutão retrógrado:
Plutão é o planeta da transformação e das crises. Quando Plutão fica retrógrado, não transforma, não renasce,
só manipula e tenta controlar. Há uma tendência à autopunição e autoflagelação.

Júpiter retrógrado:
O planeta da expansão, do otimismo e do idealismo no movimento retrógrado faz o indivíduo experimentar o
fanatismo: suas ideias e ideais têm de prevalecer, mesmo sob circunstâncias desfavoráveis. Não aceita
opiniões dos outros. Júpiter não se expande, fica limitado, embota as possibilidades, se torna ignorante.

Saturno retrógrado:
No movimento retrógrado, o planeta da disciplina, que rege o impulso de segurança e proteção, mais do que
os outros planetas discutidos, faz a pessoa se sentir frustrada, presa, ressentida, séria demais. Trava-se uma
luta contra o processo de aprendizado. Saturno retrógrado só piora suas características: torna o indivíduo mais
conservador, mais rígido; quase paralisado, tirânico.

Urano retrógrado:
Estamos lidando com o planeta da liberdade, o despertador e inovador. Neste caso, Urano não se renova, se
acomoda no conhecido, não se liberta. Há o impulso de dominar os outros.

Netuno retrógrado:
A intuição e o despertar espiritual podem ficar embotados. A pessoa tende a ficar desiludida e cética. Neste
movimento, Netuno não ajuda a esclarecer nada; pelo contrário, a pessoa pode viver num profundo mundo
irreal de sonhos e se iludir completamente. Netuno se torna cético, descrente, sem fé, iludido, perdido e se
sentindo sempre o mártir.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
86
OS QUATRO ELEMENTOS

Os Elementos são os componentes básicos da estrutura do Universo. Eles representam os estados de energia
fundamentais da manifestação. Em Astrologia, assim como na Alquimia, consideramos quatro Elementos: o
Fogo e a Terra, de polaridade masculina ou Yang, e a Água e o Ar, de polaridade feminina ou Yin.

Os Elementos Yang têm um relacionamento fácil entre si, dizemos que são compatíveis por serem da mesma
polaridade. O mesmo acontece entre os dois Elementos Yin. Podemos também relacionar os elementos levando
em consideração as substâncias. Súlfur tem a natureza quente e seca do Fogo e da Terra. Água e Ar se
relacionam com Mercurius, de natureza úmida e fria. Já o Sal tem afinidade com todos os elementos.

A exaltação e a precipitação são os movimentos dos elementos em relação ao ecossistema em que se


manifestam. A Água e a Terra têm o mesmo movimento de precipitação; o Fogo e o Ar possuem o mesmo
movimento de exaltação.

Assim, a combinação entre signos e casas de Fogo e Terra, Fogo e Ar, Terra e Água, Água e Ar têm afinidade
entre si e formam boas combinações. Já Fogo e Água e Terra e Ar entram em atrito e dificultam uma boa
química e reação entre si.

Os signos de Fogo são Áries, Leão e Sagitário:

Os três signos de Fogo têm em comum as características do elemento: expansão,


otimismo, afirmação, etc., mas cada um deles vai vivê-las à sua maneira. Assim, o Fogo
de Áries poderia ser representado por uma faísca ou por um fogo de palha: acende-se
rapidamente, mas também se apaga depressa. O Fogo de Leão seria as labaredas de
uma grande fogueira ou o fogo do próprio Sol: brilha com intensidade e constância, é
bem visível e deslumbrante. O Fogo de Sagitário poderá ser comparado ao fogo de uma
vela ou ao de uma chama de altar: é um fogo controlado, serve um propósito mais definido e exterior que o do
EU.

Este elemento simboliza o espírito, os planos superiores, a vitalidade, a identidade pura. Relaciona-se com a
função da Intuição: entusiasmo, paixão e individualismo.

A predominância do elemento Fogo em um mapa natal sugere um indivíduo enérgico, apaixonado, auto-
expressivo, ativo, intenso, alegre e com uma fé natural e espontânea na vida. Quando existe excesso deste
elemento, estamos perante um ser exagerado, pouco sensível e egocêntrico. A falta de Fogo indica uma pessoa
desalentada, "apagada", que raramente se entusiasma, dificilmente acredita e que tem medo de se afirmar.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
87
Os signos de Terra são Touro, Virgem e Capricórnio:

Os três signos de Terra têm em comum as características do elemento: objetividade,


capacidade de realização, sentido prático etc., mas cada um deles vai vivê-las à sua
maneira. A Terra de Touro é comparável à terra da Primavera, cheia de sementes em
germinação e de pequenos organismos: é rica, fértil, fervilhante de vida. A Terra de
Virgem seria a dos campos depois das colheitas: solta e repousada depois de ter dado
os seus frutos, receptiva a futuras sementeiras. A Terra de Capricórnio é a terra do
Inverno: aparentemente dura, gelada e árida; guarda em si, secretamente, as sementes que germinarão na
Primavera seguinte.

Este elemento simboliza as sensações e a identidade através delas. Corresponde à função da


Sensação/Experiência: segurança no que é sólido, objetividade, ação, pensamento concreto, o corpo, a
substância, a matéria.

Muita Terra no mapa indica um indivíduo prático, objetivo, com boa noção do real, estável e responsável.
Excesso deste elemento pode indicar algum materialismo, tendência à valorização da posse e excessiva ligação
aos sentidos (percepção física das coisas). A falta de Terra leva a uma perda de contato com a realidade, falta
de sentido prático e incapacidade de prover as próprias necessidades físicas e materiais.

Os signos de Ar são Gêmeos, Libra e Aquário:

Os três signos de Ar têm em comum as características do elemento: comunicação, troca


de ideias, tendência para os relacionamentos sociais, etc., mas cada um deles vai vivê-
las à sua maneira. O Ar de Gêmeos pode ser comparado ao de um pequeno redemoinho:
rápido, ligeiro, instável. O Ar de Libra, um vento de fim de tarde: tranquilo, descansado,
gentil. O Ar de Aquário, um vento das altas camadas atmosféricas: forte, direcionado,
capaz de alcançar longas distâncias.

O Ar simboliza as ideias coletivas, a intelectualidade, a identidade através dos relacionamentos. Está


relacionado com a função do pensamento: comunicação mental, leve e penetrante.

Muito Ar indica pessoa que gosta de comunicar, de partilhar ideias, sociável e com capacidade natural de
adequação aos outros. Excesso de Ar num mapa natal revela excessiva intelectualidade, gosto pelos contatos
"mentais" e tendência para "viver no mundo das ideias", a ser "cerebral" e de pouco contato com a realidade
física. A falta do elemento Ar indica alguém com dificuldade em racionalizar e conceituar, falta de pensamento
abstrato, pouca curiosidade e deficiente capacidade de se relacionar.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
88
Os signos de Água são Câncer, Escorpião e Peixes:

Os três signos de Água têm em comum as características do elemento: recolhimento,


memórias, sentimento etc., mas cada um deles vai vivê-las a sua maneira. A Água de
Câncer é comparável a dos lagos tranquilos, cheios de vida, ou à água do útero materno:
é nutriente, maternal e protetora. A Água de Escorpião é semelhante a dos pântanos, a
da retorta do alquimista ou a do caldeirão da bruxa: é misteriosa, secreta, destrutiva ou
profundamente transformadora. A Água de Peixes é a do próprio mar: imensa,
abrangente, total, variável, incontrolável, fonte de vida e de morte.

A Água simboliza o inconsciente, o irracional, o caos. Relaciona-se com a Função do Sentimento/Emoção:


preservação, fertilidade, osmose, sensibilidade, esfera psíquica, renovação, memórias.

Preponderância deste elemento no mapa natal indica tendência natural à simpatia, compreensão, sintonia,
imaginação, nutrição física e emocional, proteção e comunhão. Excesso deste elemento indica forte ligação ao
passado, alienação das emoções, dificuldade de expressão dos sentimentos e medo de ficar excessivamente
envolvido nas ligações emocionais. A falta deste elemento leva a uma dificuldade de estabelecer laços afetivos,
medo das emoções; a pessoa pode ter dificuldade em identificar os próprios sentimentos e necessidades
afetivas e ser totalmente "impermeável" aos sentimentos alheios.

Tabela de pontuação dos Elementos no mapa

Os elementos na tabela de pontuação representam os arquétipos dos elementos em relação ao ecossistema


do indivíduo. Por exemplo, alguém com pouco Fogo na tabela pode ser um guerreiro nato, corajoso, mas não
conseguirá fazer nada com esta qualidade porque a vida não lhe trará batalhas para lutar, ideais para seguir.
E um indivíduo realizador pode não ganhar dinheiro com seus projetos, caso o elemento terra esteja ausente
no seu mapa. Quando há falta dos elementos na tabela, a manifestação desses arquétipos não acontece na
vida da pessoa porque talvez ela tenha o elemento dentro dela, mas não fora; nada flui porque não existe
ressonância do elemento no indivíduo com o elemento no meio externo.

Ao contrário, alguém com muito ar na tabela, terá esse elemento sempre estimulado pelo meio ambiente –
casará com um intelectual, virá de uma família de professores –, mas talvez não tenha esse elemento dentro
de si – tenha grandes dificuldades de aprendizado, por exemplo. E uma pessoa com muita água no mapa, terá
os arquétipos desse elemento sempre estimulados na vida através da família, da transformação e da
espiritualidade.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
89
AS 3 SUBSTÂNCIAS

Em relação às 3 substâncias da Alquimia, podemos relacionar as casas e signos a diversos pontos de vista.
No momento, porém, abordaremos apenas dois aspectos:

1. Agrupando-as a partir da casa 1, levando em consideração os elementos correspondentes a cada casa.


O primeiro fogo será sulfúrico, o segundo salino e o terceiro mercurial. E assim por diante com os demais
elementos.

 Casas Sulfúricas: I, II, III e IV


 Casas Salinas: V, VI, VII e VIII
 Casas Mercuriais: IX, X, XI e XII

2. Relacionando Planetas – Signos – Casas:

 Os Planetas são sulfúricos: apresentam a energia contraída e são internos às Casas, ligados ao
passado.
 Os Signos são mercuriais: representam desafios do espírito, localizados externos às Casas,
ligados ao futuro.
 As Casas são salinas: fazem a interface espírito-matéria, representam o presente.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
90
AS FLORES ASTROLÓGICAS DO KIT ZODIACAL

As flores astrológicas são as mais apropriadas para se obter indicação de natureza espiritual. Elas revelam as
tendências que, no momento vivido pelo cliente, determinam o caminho do predestinado, esclarecendo as
solicitações que o espírito faz à personalidade, a fim de torná-la consciente da missão que ele veio cumprir no
mundo. São elas:

 ARRUDA DE ÁRIES

Áries: Este signo rege a casa 1 do zodíaco e representa a força do guerreiro, cuja natureza se traduz no ato de
seguir em frente sem medo, com plena convicção da vitória, mesmo em situações adversas.

Aura
Basicamente sua aura tem apenas uma cor: vermelho intenso. Mesmo florida, não apresenta outros tons:
apenas amplia seu campo magnético. O vermelho continua reinante e mais intenso.

Tintura
Sua tintura deve ser utilizada com cautela e jamais por mulheres grávidas, por ser abortiva. É forte tônico e
estimulante do chakra sexual e de todo o sistema urogenital. Promove a limpeza do chakra básico e a descarga
de energias densas dos corpos físico e astral. Por ter esse poder de penetração no primeiro corpo, dinamiza a
base instintiva de todos os chakras, melhorando o fluxo de energia vital por todo o corpo. Combate a fraqueza
física nas pernas, a dor ciática, impotência e vermes. Pode ser utilizada em banhos de assento por pessoas
que apresentam fungos ou bactérias na região genital e aplicada em forma de compressas com água nas
irritações dos olhos.

Floral
Proporciona limpeza e proteção, ampliando a força espiritual. Indica a necessidade de se proteger
espiritualmente. Ativa o fogo interior e penetra a base da memória, potencializando todos os chakras.
Indicado para aqueles que estão se sentindo “carregados”, com o fluxo de energia vital fraco ou que sofrem
com pesadelos noturnos. Também é indicado para profissionais que lidam com muitas pessoas, como
professores, médicos, psicólogos, terapeutas etc. e para os que são sensíveis aos lugares públicos, como
shoppings, mercados e outros.

 ALECRIM DE TOURO

Touro: Signo que rege a casa 2 do zodíaco e representa a capacidade do ser de se organizar materialmente,
de lutar para adquirir bens materiais e manter tudo aquilo que conquista.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
91
Aura
Apresenta todas as cores do espectro solar. É extremamente radiante e vibrante. Seu campo magnético é de
uma riqueza de cores, onde o verde e o rosa se destacam. Quando apresenta flores, essas cores se
incandescem. A aura do alecrim lhe dá uma personalidade única. Dificilmente encontramos uma erva que
apresente uma riqueza de cores e vibrações como a dele.

Tintura
É eficaz no tratamento da região do peito, melhorando o fluxo de energia vital no coração, pulmões, brônquios,
braços e mãos (região predominantemente verde e rosa).
É indicada para o tratamento de asma, bronquite, depressão física e mental; artrite, bursite na região dos braços,
insuficiências cardíaca e renal. É um excelente tônico.
Em nível mais profundo de atuação, a tintura dinamiza o quarto corpo (sentimental) e ajuda as pessoas que são
acometidas de depressão, dando-lhes energia e força vital. Também é indicada para os que utilizam a energia
das mãos no trabalho: massagistas, curadores.

Floral
Dinamiza a área sentimental, despertando sentimentos escondidos por trás da depressão. Combate o mal
provocado por lembranças negativas e ajuda a transformar mágoas e ressentimentos em perdão. Potencializa
a vontade de viver, despertando alegria e amor por tudo que nos cerca.
Indicado para depressões momentâneas provocadas por falta de estímulos sentimentais, revoltas com o
mundo, cansaço e estafa. Ativa o perdão e o vínculo com a vida pelo coração. Auxilia a reformular todos os
sentimentos interiores e a lutar contra a depressão. Incentiva-nos a termos melhor relacionamento com o mundo
que nos cerca.

 HORTÊNSIA DE GÊMEOS

Gêmeos: Signo que rege a casa 3 do zodíaco e representa a comunicação e o intelecto.

Aura
É formada por espirais que se expandem nas cores azul, índigo e violeta. Seu movimento é lento e harmonioso.

Floral
Abre os chakras mentais, sensibilizando-os. Integra-os, aumentando as capacidades intuitiva e racional.
Combate a tendência excessiva para a autocrítica. Alivia a pressão na cabeça originada pelo excesso de leitura
e pela hiperatividade racional.
Indicado para as tensões na cabeça, principalmente na altura dos olhos, provocadas por excesso de leitura e
comportamento muito racional.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
92
 BÁLSAMO DE CÂNCER

Câncer: Signo que rege a casa 4 do zodíaco e representa a base de que nos originamos: a família e nossos
antepassados. Corresponde à energia de proteção materna e compassiva.

Aura
É fosca, de coloração verde, e com espirais que se contraem em tons de amarelo vibrante. No período de
floração, a cor verde expande-se e seu movimento de contração adquire brilho e tamanho maiores do que o
normal.

Tintura
Ao penetrar a região do esôfago, estômago e intestinos, o bálsamo envolve esses órgãos, criando uma película
protetora e cicatrizante sobre os mesmos. Por isso, é muito eficaz no tratamento de úlceras e gastrite.

Floral
Trabalhando diretamente no plexo emocional e sentimental, abranda as emoções que estão retidas e ajuda a
liberá-las de forma suave, feminina.
Indicado para aqueles que não podem se expressar por força de conceitos estabelecidos ou repressão
educacional. Também para as pessoas endurecidas ou que não se expõem emocionalmente, traumatizadas
por terem se exposto anteriormente e sofrido com isto.

 GIRASSOL DE LEÃO

Leão: Este signo rege a casa 5 do zodíaco e representa a força do amor-próprio e a capacidade de liderar.

Aura
Chama a atenção por possuir cores que vibram intensamente a partir de seu núcleo. Pulsa constantemente em
tom extremamente avermelhado e, subitamente, muda para o violeta intenso. Esses dois momentos duram
aproximadamente um minuto. Depois, ela vibra em torno de si numa coloração dourada, para novamente
recomeçar seu movimento em tom vermelho e violeta.

Floral
Integra as forças do Eu Superior e do Eu Inferior, fortalecendo a personalidade e o espírito. Desperta a
consciência dessa dualidade, favorecendo a capacidade de liderar naturalmente e com discernimento.
Indicado para aqueles que precisam ter consciência interior das forças que regem “Deus” e o “Diabo”. Aos que
são líderes naturais, que precisam assumir os momentos de dizer sim e não, diante do coletivo. Indicado
também para o fortalecimento da personalidade.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
93
 PRIMAVERA DE VIRGEM

Virgem: Signo que rege a casa 6 do zodíaco e representa a organização e a saúde pessoal.

Aura
Possui todas as cores. Vibra durante todo o dia e sua irradiação aumenta várias vezes.

Floral
Vibra em todo corpo, penetrando e dinamizando todos os chakras e meridianos. Estimula o despertar de um
novo momento. Indicado para trazer à prática tudo sobre o que se reflete. Renova a esperança de encontro
com o novo.

 ALFAZEMA DE LIBRA

Libra: Este signo rege a casa 7 do zodíaco e representa as associações e relacionamentos estáveis, como
casamento, sociedades e amizades. Indica a convivência com o outro e a harmonia que deve existir nos
relacionamentos.

Aura
Sua aura é brilhante e possui a riqueza dos tons azuis, principalmente o índigo. Quando acontece a floração,
as cores verde e rosa sobressaem-se, tanto quanto os azuis.

Tintura
Apesar de ter propriedades calmantes, por seu campo magnético apresentar uma forte radiação, a alfazema
acalma sem entorpecer. É eficaz no tratamento de problemas de origem nervosa. Acalma o sistema nervoso
central, melhorando o fluxo de energia dentro da medula, proporcionando relaxamento dos músculos. Combate
nevralgias, torcicolo, vertigens, excitação excessiva e traumas na coluna vertebral.

Floral
Promove o discernimento sobre a realidade favorecendo o ato de refletir. Equilibra o sistema nervoso central,
auxiliando a tomada de decisões com segurança. Combate o nervosismo, a histeria, a ansiedade e a
insegurança mental. Indicado principalmente aos que têm a tendência de agir precipitadamente por precisarem
tomar decisões diariamente.

 MARGARIDA DE ESCORPIÃO

Escorpião: Este signo rege a casa 8 do zodíaco e representa a capacidade de se transformar por meio da auto-
análise e da autocrítica

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
94
Aura
Há um forte anel amarelo em volta da flor, com movimento de constante contração, circundado por um anel
azul-claro brilhante, em movimento de expansão.

Floral
Contrai e fortalece as emoções, conduzindo a energia mental dispersa, os medos e inseguranças para a
realidade da mente concreta, de modo a permitir que as informações sejam exploradas com mais segurança.
Indicado para combater a alta ansiedade, medos do futuro, cobranças emocionais interiores. Ideal para pessoas
que precisam aprender a lidar com a realidade.

 GERÂNIO DE SAGITÁRIO

SAGITÁRIO: Este signo rege a casa 9 do zodíaco e representa os ideais interiores, bem como a capacidade de
perceber o mundo externo a partir das ideias que defende.

Aura
Apresenta os tons laranja e vermelho, cercados por um azul claro. Enquanto os tons quentes se direcionam
para baixo, o azul, frio, se projeta para cima.

Floral
Estimula as forças vitais, trazendo sensações de prazer e de realização quanto a tudo o que projetamos ou nos
propomos fazer. Aumenta o fluxo de energia na mente concreta, integrando-a com as partes baixas do corpo.
Indicado para aqueles que precisam despertar as forças da sensualidade, estimular e melhorar o
relacionamento do corpo com a mente objetiva. Aos que precisam ter prazer naquilo que realizam ou projetam.

 ROSA DE CAPRICÓRNIO

Capricórnio: Este signo rege a casa 10 do zodíaco e representa a responsabilidade e a disciplina para lidar com
todas as questões da vida.

Aura
Possui somente os tons rosa-forte e dourado. O seu movimento de pulsação é a partir do centro da flor para
fora. Observa-se também uma espiral que se projeta a partir do centro.

Floral
Amplia as energias do coração, amplifica a capacidade de cura, e libera as energias do Eu Superior. Desperta
a consciência do amor ao próximo e da responsabilidade em relação ao exemplo de vida, abrindo nossa
percepção ao amor universal.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
95
Indicado para curadores e todas as pessoas que amam o próximo, que são exemplos de vida, e às que precisam
acordar para o amor universal.

 ORQUÍDEA DE AQUÁRIO

Aquário: Rege a casa 11 do zodíaco e representa a ousadia e a coragem de ser futurista e diferente.

Aura
Redonda e com uma grande espiral que se projeta do centro da flor para fora. Possui somente a cor violeta em
tom muito forte, que se aproxima do ultravioleta.

Floral
Estimula o centro coronário, ampliando sua energia e a sensibilidade mediúnica. Abre os canais de
comunicação telepática com as esferas elevadas e nos coloca em condições de atuar como instrumentos da
inspiração divina, a fim de que ajudemos, por meio de aconselhamentos, aqueles que nos buscam.
Indicado para conselheiros espirituais, médiuns de inspiração e professores; pessoas abertas e intuitivas, que
se permitem ser canais para ajudar outras, através de palavras.

 LÓTUS DE PEIXES

Peixes: Rege a casa 12 do zodíaco e representa nossa relação com a espiritualidade e nossa fé pessoal.

Aura
Em volta da planta há um aro dourado sendo formado por vibrações coloridas, que vêm de toda a parte.

Floral
Reorganiza o caos interior. Trabalha com todos os níveis da memória. Para momentos de iniciação. Indicado
para aqueles que estão acordando para um trabalho de autoconhecimento e consciência, que estão assumindo
suas limitações e seus karmas, respondendo com dignidade por todas as suas ações, e vencendo o medo de
ter que se enfrentar e se conhecer.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
96
ROTEIRO DE ATENDIMENTO

Avaliar:

1. A leitura do mapa de um Homem é diferente do de uma mulher.

2. O setênio em que a pessoa se encontra. A importância da fase que vai dos 28 a 33 anos.

3. Sol e sua atuação no corpo Umeral - o Sol ilumina a casa onde está: é a âncora da personalidade encarnada,
personalidade estável.

4. Lua - a Lua tem fases, personalidade instável, sentido de nutrição básica e familiar.

5. Saturno - rege o processo criativo (diferente para a mulher e para o homem), sentido de responsabilidade e
de compromisso com a encarnação.

6. Retrógrados.

7. Elementos/Substâncias.

8. Signos Interceptados.

9. Casas vazias - funcionalidade das casas.

10. Ascendente e Meio do Céu a partir dos 28 anos.

11. Outros planetas (principalmente os retrógrados):

11a. Mercúrio de ar - intelecto, comunicação (lado Solar do mapa).

11b. Mercúrio de terra – organização, saúde (lado Lunar do mapa).

11c. Vênus de terra – relacionamento com a matéria, conforto material (lado Solar do mapa).

11d. Vênus de ar – relacionamento interpessoal (lado Lunar do mapa).

11e. Marte – o Guerreiro, força vital, ação, início do movimento.

11f. Júpiter – expansão, ideais do espírito, consciência.

11g. Urano – agente da renovação, ousadia.

11h. Netuno – sentido de fé, conexão espiritual.

11i. Plutão – agente da transformação.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
97
12. Os Elementos que desafiam as casas.

13. Os aspectos:

13a. Oposição – necessidade de escolha. Oscilação entre os polos opostos.

13b. Quadratura – apegos, necessidade de integrar os 4 Elementos para fazer a roda girar.

13c. Conjunção – intensidade da união de um ou mais planetas que incidem no corpo, podendo criar estados
degenerativos.

13d. Trígonos – aspecto harmônico que envolve, na maior parte das vezes, o mesmo Elemento.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
98
COMPLEMENTOS

Tabela Casas – Signos – Planetas – Elemento

Casas Signo Planeta Elemento Palavra-chave Descrição


Regente
I Áries Marte Fogo Guerreiro Casa I - Batalhas:
Ação A casa I começa no Ascendente e é um
Instinto dos pontos mais importantes da carta
Vontade natal. Representa: “como vou à luta”;
não ter medo de correr riscos; pressa de
se realizar; a autoimagem que levo para
o mundo exterior; o que faz com que eu
tenha coragem de ser eu mesmo.
II Touro Vênus Terra Ambição Casa II - Posses e Materialidade:
Afetividade Habilidade para acumular bens
Prazer materiais. Coisas e valores que a pessoa
Dinheiro se apega sem a interferência ou sugestão
dos outros. A maneira de lidar com o
dinheiro. O conforto. Terras,
propriedades. A posse constitui parte da
personalidade.
III Gêmeos Mercúrio Ar Movimento Casa III - Comunicação e Expressão:
Adaptação As oportunidades básicas que o
Pensamento indivíduo tem para aprender a se
Intelecto comunicar com os outros. A capacidade
intelectual: pensar, aprender, trocar
informações. O comércio, a
intermediação. Tudo aquilo que exige o
intelecto para se desenvolver no meio
social.
IV Câncer Lua Água Memória Casa IV – Raízes e Família:
Origem Esta casa está ligada ao inconsciente
Mãe individual e contém os sentimentos mais
Inconsciente profundos que fazem parte das raízes da
nossa segurança emocional. Intensa
ligação com a hereditariedade, origens.
A infância e o seu entorno. O clã.
Abrigo. Útero. Proteção. As coisas
necessárias à sobrevivência.
V Leão Sol Fogo Vitalidade Casa V – Autoexpressão e Ego
Magnetismo A casa da criatividade. A expressão do
Filhos ego, a fixação da singularidade da
Liderança personalidade. Sensualidade, namoro,
jogo da sedução. Dramaticidade.
Autoafirmação. O prazer em competir. A

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
99
alegria de mostrar o que sabe fazer. O
lúdico. Os filhos.
VI Virgem Mercúrio Terra Aperfeiçoamento Casa VI – Organização e Saúde
Senso prático A inteligência prática. Análise, método,
Disciplina sistema. A organização da rotina no
Saúde trabalho. A ordem e a higienização
quanto à saúde. Aperfeiçoamento.
Minúcia.
VII Libra Vênus Ar Harmonia Casa VII – Sociedades e Parcerias
Beleza A capacidade de ouvir e julgar. A arte e
Justiça a harmonia. O casamento e as parcerias
Discernimento de longo prazo. A capacidade de receber
o outro, de adaptar-se, de ceder para
estabelecer a harmonia nas relações.
VIII Escorpião Plutão Água Estratégia Casa VIII – Transformação e Crítica
Sexo A capacidade transformadora dos
Mistério valores e das ideias. Olhar crítico.
Sublimação Percepção extrassensorial. Sexualidade.
Morte do egoísmo. Autopunição.
Superação.
IX Sagitário Júpiter Fogo Filosofia Casa IX – Visão Interior e Ideais
Busca Idealismo. O início do processo do mais
Lei alto nível de inteligência. Ensinar os
Ideais outros. Viagens e aventuras. Inspiração
sem perder o juízo crítico. Visão interior
e do mundo. A ética.
X Capricórnio Saturno Terra Responsabilidade Casa X – Responsabilidade
Reputação Social O pináculo da fase universal da
Retidão experiência. Plena responsabilidade
Autoridade pelas palavras, ações e objetivos. As
honrarias. O reconhecimento pelo
trabalho realizado.
XI Aquário Urano Ar Tecnologia Casa XI – Liberdade e Ousadia
Rebeldia Antevisão do futuro. Ruptura com os
Modernidade padrões estabelecidos. Vanguardismo. O
Intuição indivíduo que procura propósitos e
objetivos socialmente significativos.
XII Peixes Netuno Água Fé Casa XII – Espiritualidade e
Misticismo Transcendência
Trabalho O senso de autossacrifício, o sentimento
Voluntário Silêncio de transcendência, solidão
contemplativa, a piedade e a caridade. A
poesia da unidade. Encontro com a
verdade. Depuração dos aspectos
existenciais.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
100
Entrada do Sol nos Signos
(Há variação de ano a ano. Tabela referente ao ano 2012)

Signo Símbolo Entrada


Áries 20/03

Touro 19/04

Gêmeos 20/05

Câncer 21/06

Leão 22/07

Virgem 22/08

Libra 22/09

Escorpião 23/10

Sagitário 21/11

Capricórnio 21/12

Aquário 20/01

Peixes 19/02

Símbolos:
Planeta Retrógrado
Asc Ascendente
MC Meio do Céu

Nodo Norte (ou Cabeça do Dragão) – DNA Espiritual. A Família Espiritual. A nossa egrégora.

Roda da Fortuna – Gaia. A boa fortuna. A vida gira em torno do arquétipo da casa onde a Roda da Fortuna
se encontra. Para quem está conectado com Gaia, há sempre a potencialidade da casa disponível para si.

Lilith – O pecado da vida passada.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
101
Lilith – Roda da Fortuna – Cabeça do Dragão

 Lilith: abuso das qualidades da casa. Pecado da última encarnação.


Na vida passada, a pessoa cumpriu o arquétipo da casa, mas de maneira deturpada. Qualquer Lilith tem que
ser bem elaborada, transformar o karma em redenção, se não a tendência de repetir o mesmo padrão nessa
encarnação é grande, pois a pessoa sente-se culpada e com medo, e tem dificuldade de entrar em contato com
o ambiente da casa nessa encarnação. Qualquer Lilith representa um aspecto desafiante, mas nenhuma é
melhor ou pior do que outra, com exceção da Lilith de casa X que tem o agravante de interferir em todo o mapa
(assim como tudo que está na casa X).

Casa 1 – um mercenário, um guerreiro cruel, injusto, que atirou pelas costas; lutou suas guerras de maneira
bruta, injusta e criminosa.
Casa 2 – abusou da matéria, roubou, espoliou, prejudicou materialmente; pode gerar culpa e dificuldade para
lidar com questões materiais; pode abrir mão da matéria, viver endividado em função dessa culpa, como
também ajudar outros a cuidar melhor da matéria para se redimir.
Casa 3 – abusou da comunicação, mentiu, enganou, agora pode ter medo de se expressar; em geral, as
pessoas não confiam no que esta pessoa expressa - mesmo falando a verdade, não passa credibilidade, nem
para si mesmo.
Casa 4 – mafioso, usou da autoridade familiar de forma deturpada; abusou da família; rompeu e levou outros a
romperem com suas origens; pode ter medo da relação familiar, medo de perder a família, tem uma família
complicada e desagregada. Sente muita culpa por qualquer problema que ocorra no ambiente familiar.
Casa 5 – usou mal o poder pessoal; arrogância; pode indicar uma liderança opressora e centrada no ego, em
detrimento do outro. A casa 5 é ligada ao chakra esplênico, então usou mal o poder de sedução, a sensualidade,
questões ligadas ao prazer.
Casa 6 – uma pessoa que só viveu o trabalho em detrimento de tudo na vida. Workaholic. Abusou da saúde,
não cuidou do corpo.
Casa 7 – abusou dos parceiros; pode ter sido bígamo, polígamo, promíscuo. Rompeu acordos feitos, abusou
da boa fé alheia.
Casa 8 – foi uma pessoa de múltiplas personalidades; que se autoflagelava em nome da transformação pessoal.
Casa 9 – a pessoa criou sistemas de crenças perversas em outras vidas; desvios de caminhos; tortura
ideológica (inquisição); fascismo; abuso do conhecimento e de paradigmas, fanatismo, fundamentalismo.
Casa 10 – não teve responsabilidade com a própria vida. Pode ser indicativo de suicídio. Brincou de ser Deus;
um fanático que se acha no poder de decidir o que é justo ou injusto; o que é verdade ou mentira – um líder
religioso, por exemplo, que leva seus súditos ao suicídio coletivo; ou uma pessoa que acha que pode fazer
justiça com as próprias mãos.
Casa 11 – Um Dom Quixote, que vive a utopia, mas não a transforma em realidade; alguém moderno demais,
que perde o controle, podendo chegar até à loucura. Um Salvador Dali, um Howard Hughes.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
102
Casa 12 – Indica que a pessoa usou de forma errada o Verbo; um fanático religioso que comprometeu o
caminho espiritual de muita gente, aconselhando mal, como um padre na Inquisição, por exemplo.

 Roda da Fortuna: Gaia, a boa sorte.


É um ponto calculado matematicamente. Representa a ajuda constante de Gaia relacionada à casa onde se
encontra; a vida gira em torno do arquétipo da casa, trazendo seu potencial para o cotidiano da pessoa. É
necessário, porém, estar em ressonância com Gaia, caso contrário, a boa sorte se transforma em azar. Não
adianta, por exemplo, ter a Roda da Fortuna na Casa 2 e ser um madeireiro que destrói a natureza
indiscriminadamente. Ou ter a Roda na Casa 10 e fazer abortos.

Casa 1 – se em ressonância com Gaia, a pessoa terá coragem, força e energia para vencer as batalhas da
vida.
Casa 2 – se em ressonância com Gaia, a pessoa terá tudo que deseja materialmente; terá sorte na aquisição
de bens materiais, de dinheiro.
Casa 3 – se em ressonância com Gaia, a pessoa será um grande comunicador, uma pessoa que influencia e
inspira outras através da palavra, do intelecto.
Casa 4 – se em ressonância com Gaia, a pessoa terá, onde quer que esteja, a proteção e o aconchego familiar.
Casa 5 – se em ressonância com Gaia, a pessoa poderá ser um líder com grande carisma; cativará a todos
com seu brilho pessoal.
Casa 6 – se em ressonância com Gaia, nunca faltará trabalho para essa pessoa. Será um trabalhador árduo e
eficaz. Terá uma saúde de ferro.
Casa 7 – se em ressonância com Gaia, a pessoa nunca estará sozinha; terá um bom casamento; grandes
amigos e associações.
Casa 8 – se em ressonância com Gaia, a pessoa sempre encontrará auxílio nos processos profundos de morte
e renascimento; de transformação pessoal.
Casa 9 – se em ressonância com Gaia, a pessoa terá à sua disposição todas as ferramentas – através de
viagens, ensinamentos, conhecimento – para colocar em prática seus ideais e valores.
Casa10 – se em ressonância com Gaia, a pessoa terá o potencial de cumprir sua missão de vida; terá sempre
contato com o processo criativo.
Casa 11 – se em ressonância com Gaia, a pessoa sempre estará conectada com o novo, o ousado, a liberdade,
a criatividade do vanguardismo.
Casa 12 – se em ressonância com Gaia, a pessoa sempre terá conforto espiritual, a vida lhe trará oportunidades
para entrar em contato com pessoas, situações e lugares que a estimularão e auxiliarão nas questões
espirituais.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
103
 Cabeça do Dragão (Nódulo Norte) e Cauda do Dragão (Nódulo Sul)
É um ponto calculado matematicamente. Representa a egrégora espiritual da qual o indivíduo faz parte e que
o auxilia nessa encarnação. É o anjo da guarda, o santo pessoal que nos lembra continuamente: “nada tema,
você não está sozinho”. A cabeça e a cauda do dragão se posicionam em casas opostas. A cabeça indica que
a proteção espiritual se relaciona com o arquétipo da casa onde ela se encontra . É um indício de que muitos
desafios terão origem naquela casa e, por isso, precisaremos de uma ajuda extra, espiritual, para enfrentá-los.
Já a cauda do dragão nos indica o modo como devemos lidar com esses desafios, a direção que devemos dar
à cabeça do dragão. É quem dá o movimento à casa onde está a cabeça.

Casa 1 – a proteção espiritual encontra-se na casa 1 e a cauda na casa 7. Teremos sempre força, coragem e
facilidade para enfrentar as batalhas da vida se incluirmos o outro nas nossas decisões e ações.
Casa 2 – a proteção espiritual encontra-se na casa 2 e a cauda na casa 8. Teremos sempre facilidade na
aquisição de bens materiais se não nos apegarmos a isto, se não usarmos essa benção em detrimento da
transformação interior e do processo evolutivo pessoal.
Casa 3 – a proteção espiritual encontra-se na casa 3 e a cauda na casa 9. Teremos grande poder de
comunicação e persuasão se não usarmos isso sem ideais ou para tentar doutrinar o outro.
Casa 4 – a proteção espiritual encontra-se na casa 4 e a cauda na casa 10. Teremos sempre o apoio familiar
se tivermos responsabilidade, compromisso e consideração com nossa família.
Casa 5 – a proteção espiritual encontra-se na casa 5 e a cauda na casa 11. Teremos o carisma pessoal e o
potencial para ser um líder ousado e moderno, se não nos perdermos na utopia e no devaneio.
Casa 6 – a proteção espiritual encontra-se na casa 6 e a cauda na casa 12. Teremos grande poder de trabalho
e disciplina, se não esquecermos também o serviço à Deus e ao próximo, a compaixão.
Casa 7 – a proteção espiritual encontra-se na casa 7 e a cauda na casa 1. Estaremos sempre cercados de
amigos e parceiros, se não nos tornarmos dependente do outro e irmos à luta sozinho, também, quando
necessário.
Casa 8 – a proteção espiritual encontra-se na casa 8 e a cauda na casa 2. A transformação pessoal e interior
é facilitada se não perdermos a conexão com a materialidade, com o que conquistamos materialmente.
Casa 9 – a proteção espiritual encontra-se na casa 9 e a cauda na casa 3. Não dá para seguir um ideal
cegamente, irracionalmente. É preciso razão e intelecto.
Casa 10 – a proteção espiritual encontra-se na casa 10 e a cauda na casa 4. Aqui a cabeça do dragão nos dá
a consciência necessária para vivermos nossa predestinação; mas é necessário o auxílio da família para nos
conduzir em direção à nossa missão.
Casa 11 – a proteção espiritual encontra-se na casa 11 e a cauda na casa 5. A pessoa tem grande potencial
de se tornar um artista ousado, um visionário, se tiver uma personalidade forte e segura.
Casa 12 – a proteção espiritual encontra-se na casa 12 e a cauda na casa 6. A cabeça do dragão não poderia
estar em melhor lugar. É exatamente onde mora o anjo protetor. Mas para invocarmos esse anjo, precisaremos
de disciplina espiritual; é necessária a organização do nosso templo.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
104
Horário de Verão Brasileiro

Sobre o horário oficial (marcado na certidão de nascimento), subtrair 1 hora quando a data em
questão estiver nos períodos discriminados abaixo, nos estados brasileiros citados.

Subentende-se que, por exemplo, deve-se fazer a correção do horário quando o nascimento ocorrer
ENTRE o dia 03/10/1931, a partir das 11h00 ATÉ às 0h do dia 31/03/1932; portanto devem-se
considerar FORA do horário de verão os nascidos às 10h59 do dia 03/10/1931 bem como do dia
31/03/1932 às 0h01.

Dados oficiais extraídos de http://pcdsh01.on.br/ (Observatório Nacional, Ministério da Ciência e


Tecnologia).

Revisado em Fevereiro de 2012, por Cristina Maruju.

A partir da data Até a data


Estados brasileiros
Ano de Início (dia, mês e hora) (dia, mês ano e
participantes
hora)
1931 03/10 – 11h 31/03/1932 – 0h Todos
1932 03/10 – 0h 31/03/1933 – 0h Todos
1949 01/12 – 0h 16/04/1950 – 0h Todos
1950 01/12 – 0h 31/03/1951 – 0h Todos
1951 01/12 – 0h 31/03/1952 – 0h Todos
1952 01/12 – 0h 28/02/1953 – 0h Todos
1963 23/10 - 0h * Espírito Santo
Guanabara
Minas Gerais
Rio de Janeiro
São Paulo
1963 09/12 – 0h *01/03/1964 – 0h Todos

*Em 1963, a partir de dezembro, o horário de verão foi estendido a todo o território nacional, por isso as duas datas de início diferentes.

1965 31/01 – 0h 31/03/1965 – 0h Todos


1965 30/11 – 0h 01/03/1966 – 0h Todos
1966 01/11 – 0h 01/03/1967 – 0h Todos
1967 01/11 – 0h 01/03/1968 – 0h Todos
1985 02/11 – 0h 15/03/1986 – 0h Todos
1986 25/10 – 0h 14/02/1987 – 0h Todos
1987 25/10 – 0h 07/02/1988 – 0h Todos

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
105
1988 16/10 – 0h 29/01/1989 – 0h Alagoas
Bahia
Ceará
Distrito Federal
Espírito Santo
Fernando de Noronha
Goiás
Ilhas Oceânicas
Maranhão
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraíba
Paraná
Pernambuco
Piauí
Rio de Janeiro
Rio Grande do Norte
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
Sergipe
1989 15/10 – 0h 11/02/1990 – 0h Alagoas
Bahia
Ceará
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Ilhas Oceânicas
Maranhão
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraíba
Paraná
Pernambuco
Piauí
Rio de Janeiro
Rio Grande do Norte
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
Sergipe
Tocantins

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
106
1990 21/10 – 0h 17/02/1991 – 0h Bahia
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
1991 20/10 – 0h 09/02/1992 – 0h Bahia
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
1992 25/10 – 0h 31/01/1993 – 0h Bahia
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
1993 17/10 – 0h 20/02/1994 – 0h Amazonas
Bahia
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
107
1994 16/10 – 0h 19/02/1995 – 0h Bahia
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
1995 15/10 – 0h 11/02/1996 – 0h Alagoas
Bahia
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
Sergipe
Tocantins
1996 06/10 – 0h 16/02/1997 – 0h Bahia
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
Tocantins

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
108
1997 06/10 – 0h 01/03/1998 – 0h Bahia
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
Tocantins
1998 11/10 – 0h 21/02/1999 – 0h Bahia
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
Tocantins
1999 03/10 – 0h 27/02/2000 – 0h Alagoas
Bahia
Ceará
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Maranhão
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraíba
Paraná
Pernambuco
Piauí
Rio de Janeiro
Rio Grande do Norte
Rio Grande do Sul
Roraima
Santa Catarina
São Paulo
Sergipe
Tocantins
2000 08/10 – 0h *15/10/2000 – 0h Pernambuco
Roraima

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
109
2000 08/10 – 0h *22/10/2000 – 0h Alagoas
Ceará
Maranhão
Paraíba
Piauí
Rio Grande do Norte
Sergipe
2000 08/10 – 0h *18/02/2001 – 0h Bahia
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
Tocantins

*Em 2000 aconteceram alterações nos decretos, por isso as datas diferentes.

2001 14/10 – 0h 17/02/2002 – 0h Alagoas


Bahia
Ceará
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Maranhão
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraíba
Paraná
Pernambuco
Piauí
Rio de Janeiro
Rio Grande do Norte
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
Sergipe
Tocantins

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
110
2002 03/11 – 0h 16/02/2003 – 0h Bahia
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
Tocantins
2003 19/10 – 0h 15/02/2004 – 0h Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
2004 02/11 – 0h 20/02/2005 – 0h Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
2005 16/10 – 0h 19/02/2006 – 0h Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
111
2006 05/11 – 0h 25/02/2007 – 0h Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
2007 14/10 – 0h 17/02/2008 – 0h Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
2008 19/10 – 0h 15/02/2009 – 0h Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
2009 18/10 – 0h 21/02/2010 – 0h Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
112
2010 17/10 – 0h 20/02/2011 – 0h Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
2011 16/10 – 0h 26/02/2012 – 0h Bahia
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraná
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
113
© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016
Todos os direitos reservados.
114
© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016
Todos os direitos reservados.
115
TRATAMENTO E FÓRMULAS

O tratamento com os florais astrológicos é o início de uma nova etapa, um aprofundamento do trabalho
alquímico. O Kit Zodiacal é o mais sutil do Sistema Joel Aleixo, trata de questões do espírito. Na hora de avaliar
as pessoas que estão prontas ou não para entrar neste universo, estejam conscientes da repercussão dos
efeitos do remédio no consulente. Avalie e acompanhe cada etapa do tratamento atentamente para enriquecer
continuamente a sua experiência e a da pessoa à sua frente.
De um modo geral, é aconselhável seguirmos algumas premissas básicas, mas que podem ser mudadas à
medida que o terapeuta fique mais experiente:

1. Analisar o mapa astrológico a partir do ascendente.


2. Preparar floral preparatório, se necessário.
3. Observar a tabela de pontuação dos ELEMENTOS no mapa e, caso exista carência de algum, ministrar
os florais zodiacais dos elementos que faltam no mapa.
4. Se existir signos interceptados, a INTERCEPTAÇÃO deve ser o primeiro aspecto tratado.
5. Na sequência, tratar a primeira OPOSIÇÃO a partir do ascendente, bem como todas as subsequentes.
6. Posteriormente, tratar as QUADRATURAS.
7. E por último tratar as CONJUNÇÕES.
8. Os PLANETAS RETRÓGRADOS podem ser tratados a qualquer momento do tratamento, contanto que
depois da interceptação.
9. As CASAS VAZIAS podem ser tratadas a qualquer momento do tratamento. Podem ser ministradas no
começo do tratamento para estimular as potencialidades dos arquétipos, antes de se tratar aspectos
mais desafiadores.
10. Os Florais Zodiacais podem ser manipulados em qualquer composto em spray, mas evitar os compostos
da Linha Limpeza e o Proteção, por serem muito sulfúricos, o que reduz o padrão vibratório do
tratamento zodiacal, que lida com assuntos do Espírito.
11. Os Florais Zodiacais devem ser tomados preferencialmente à noite, antes da meia-noite. A posologia é
de 12 borrifadas à noite, para fórmulas de 28 dias; e de 6 a 12 borrifadas, 3x ao dia, para fórmulas de
14 dias.
12. Toda vez que for preciso começar um segundo/terceiro vidro de floral e ainda restar floral no vidro
anterior, colocar o que sobrou num copo d´água e beber de uma vez na manhã seguinte ao prazo final
de toma, antes de iniciar os vidros subsequentes à noite. Por exemplo, nas fórmulas de 14 dias, tomar
no 15º dia pela manhã o que restou do primeiro vidro e à noite começar o segundo. Nas fórmulas de 28
dias, tomar o que restou do primeiro vidro no 29º dia pela manhã e começar o segundo vidro no 29º dia
à noite.
13. Coincidir a toma do floral quando se detecta a lua em trânsito no céu, passando pelo signo em que o
aspecto acontece, potencializa os florais e os ancora mais eficazmente no corpo físico e no DNA volátil.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
116
É bastante indicado para casos graves, de pessoas que estejam desconectadas com o Espírito, mas
não é obrigatório.
14. As fórmulas são indicadas para pessoas de qualquer idade. Não é mais necessário utilizar diferentes
fórmulas para pessoas com menos de 28 anos.
15. Ministrar nas fórmulas apenas uma gota da Síntese Zodiacal.
16. É aconselhável sempre acrescentar o floral Primus a todas as fórmulas astrológicas. Este procedimento
ajuda a integrar a fórmula zodiacal ao cotidiano do consulente. Peça para o consulente escolher um
floral Primus para cada vidro/composto da fórmula.

Floral Preparatório

Antes de iniciar o tratamento com fórmulas para aspectos mais desafiadores do mapa, pode-se prescrever o
seguinte floral preparatório:

• Floral Zodiacal dos Elementos que faltam no mapa - analisar a tabela de pontuação
• Floral Zodiacal do Signo em que o Sol está, desde que não possua aspectos desafiadores
• Floral Zodiacal do Signo Ascendente, desde que não possua aspectos desafiadores
• Síntese Zodiacal
• Floral Primus

Sugestão: você pode acrescentar neste preparatório, a fórmula das casas vazias. Use no máximo duas
casas e do mesmo elemento ou do mesmo eixo (fogo e terra, fogo e ar, agua e ar, agua e terra). Também
pode-se escolher casas dos elementos que faltam no mapa.

Signos Interceptados

O objetivo desta fórmula é trazer a energia arquetípica dos signos interceptados para a matéria, para a
bioquímica estrutural do corpo. Provavelmente quem tem uma interceptação, não vivencia as qualidades nem
supera os desafios inerentes dos signos interceptados na vida cotidiana. Sugere um karma a ser cumprido, um
compromisso onde não existe arbítrio. Pode também indicar que existe uma negação dos arquétipos dos
signos.

1º Vidro – 28 Dias

 Floral Zodiacal dos Signos anteriores e posteriores aos interceptados


 Síntese Zodiacal
 Floral Primus

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
117
2º Vidro – 28 Dias

 Floral Zodiacal dos Signos interceptados


 Floral Zodiacal dos Signos donos das casas onde ocorre a interceptação
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus

Oposição

De uma maneira geral, as oposições representam escolhas que não foram feitas ou muitas dúvidas diante do
caminho a trilhar. Denota sempre algum conflito. O objetivo desta fórmula é trazer uma maior consciência destes
aspectos ao consulente.

As oposições geralmente acontecem entre casas e signos opostos, porém se um planeta estiver muito próximo
à cúspide da casa ou o tamanho das casas estiver muito alterado, esta configuração não é respeitada. Por
exemplo, um planeta na casa 1, na maioria das vezes, fará oposição a outro na casa 7. Em alguns mapas,
porém, um planeta na casa 1 pode estar em oposição a outro na casa 6 ou 8 se ele estiver muito próximo à
cúspide ou se o tamanho das casas for desproporcional entre si.

A fórmula da oposição é dividida em 3 vidros e 3 fases distintas. Formulamos o primeiro vidro com o primeiro
planeta a partir do Ascendente e tomamos o floral por 14 dias, 6 a 12 borrifadas 3 x ao dia. No 15º dia, ao
acordar, colocamos o que restar da fórmula num copo d´água e tomamos tudo de uma vez. À noite iniciamos o
segundo vidro com o outro lado da oposição por mais 14 dias. Repetimos o procedimento com a toma do
restante do floral do segundo vidro no 15º dia pela manhã, e à noite iniciamos o terceiro vidro, que devemos
tomar até acabar.

Evite utilizar o Proteção e os compostos da Linha Limpeza porque são muito fortes. Para qualquer outro
composto não há contraindicação em tomar o que restar da fórmula de uma vez, pela manhã, porém é
aconselhável tomá-la com bastante água.

Sugestão: Um dos compostos utilizados nas fórmulas de oposição pode ser o Concentração. Este composto
ajuda o consulente a ter mais consciência do processo que envolve suas escolhas e a ter mais segurança e
confiança durante a toma dos florais.

Na oposição de planetas com o Ascendente, prescrever os compostos em spray Purificação Sentimental ou


Alegria para evitar que o cliente se deprecie durante a toma dos florais.

Se o Sol ou a Lua for um dos planetas nas oposições podemos acrescentar 3 gotas da Síntese Total do Kit das
Serpentes à fórmula.

Acrescentar o Rescue Cardíaco do Kit 4Elementos e DNA nos 3 vidros de todas as fórmulas para evitar que o
consulente se deprecie, já que todas as oposições cruzam o chakra cardíaco.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
118
Observação: note que o último vidro sempre contém todos os florais dos primeiros vidros, acrescentados de
outros florais.

Oposição entre dois Planetas

1º Vidro – 14 dias

 Floral Zodiacal do Planeta em oposição


 Floral Zodiacal do Signo em que ele está
 Floral Zodiacal do Elemento referente ao planeta
 Síntese Zodiacal
 Rescue Cardíaco
 Floral Primus
 Caso o planeta seja o Sol ou a Lua, adicionar 3 gotas da Síntese Total do Kit das Serpentes

2º Vidro – 14 dias

 Floral Zodiacal do Planeta em oposição


 Floral Zodiacal do Signo em que ele está
 Floral Zodiacal do Elemento referente ao planeta
 Síntese Zodiacal
 Rescue Cardíaco
 Floral Primus
 Caso o planeta seja o Sol ou a Lua, adicionar 3 gotas da Síntese Total do Kit das Serpentes

3º Vidro – 28 dias

 Floral Zodiacal dos 2 Planetas em oposição


 Floral Zodiacal dos 2 Signos em que eles estão
 Floral Zodiacal dos Elementos referentes aos 2 planetas
 Síntese Zodiacal
 Rescue Cardíaco
 Floral Primus
 Floral Zodiacal dos Signos donos das casas onde os planetas estão
 Floral Zodiacal dos Signos dos planetas em oposição
 Caso o planeta seja o Sol ou a Lua, adicionar 3 gotas da Síntese Total do Kit das Serpentes

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
119
Oposição entre Planeta e Ascendente

1º Vidro – 14 dias

 Floral Zodiacal do Signo Ascendente


 Floral Zodiacal do Signo dono da Casa 1 (Áries)
 Floral Zodiacal dos Elementos - uma gota de todos os elementos
 Síntese Zodiacal
 Rescue Cardíaco
 Floral Primus

2º Vidro – 14 dias

 Floral Zodiacal do Planeta em oposição


 Floral Zodiacal do Signo em que ele está
 Floral Zodiacal do Elemento referente ao planeta em oposição
 Síntese Zodiacal
 Rescue Cardíaco
 Floral Primus
 Caso o planeta seja o Sol ou a Lua, adicionar 3 gotas da Síntese Total do Kit das Serpentes

3º Vidro – 28 dias

 Floral Zodiacal do Signo Ascendente


 Floral Zodiacal do Signo dono da Casa 1 (Áries)
 Floral Zodiacal dos Elementos - uma gota de cada elemento
 Síntese Zodiacal
 Rescue Cardíaco
 Floral Primus
 Floral Zodiacal do Planeta em oposição
 Floral Zodiacal do Signo em que ele está
 Floral Zodiacal do Elemento referente ao planeta
 Floral Zodiacal do Signo dono da casa onde o planeta está (pode ser casa 6, 7 ou 8: Virgem, Libra ou
Escorpião)
 Floral Zodiacal do Signo do planeta (se for Vênus, o floral é de Libra; Se for Mercúrio, o floral é de
Virgem)
 Caso o planeta seja o Sol ou a Lua, adicionar 3 gotas da Síntese Total do Kit das Serpentes

Sugestão: nas oposições de planetas com o Ascendente, prescrever os compostos em spray Purificação
Sentimental ou Alegria para evitar que o cliente se deprecie durante a toma dos florais.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
120
Oposição entre Planeta e Meio do Céu

1º Vidro – 14 dias

 Floral Zodiacal do Signo que entra no Meio do Céu


 Floral Zodiacal do Signo dono da Casa 10 (Capricórnio)
 Floral Zodiacal dos Elementos - uma gota de cada elemento
 Síntese Zodiacal
 Rescue Cardíaco
 Floral Primus

2º Vidro – 14 dias

 Floral Zodiacal do Planeta em oposição


 Floral Zodiacal do Signo em que ele está
 Floral Zodiacal do Elemento referente ao planeta
 Síntese Zodiacal
 Rescue Cardíaco
 Floral Primus
 Caso o planeta seja o Sol ou a Lua, adicionar 3 gotas da Síntese Total do Kit das Serpentes

3º Vidro – 28 dias

 Floral Zodiacal do Signo que entra no Meio do Céu


 Floral Zodiacal do Signo dono da Casa 10 (Capricórnio)
 Floral Zodiacal dos Elementos - uma gota de cada elemento
 Síntese Zodiacal
 Rescue Cardíaco
 Floral Primus
 Floral Zodiacal do Planeta em oposição
 Floral Zodiacal do Signo em que ele está
 Floral Zodiacal do Elemento referente ao planeta
 Floral Zodiacal do Signo dono da casa onde o planeta está (pode ser casa 3, 4 ou 5: Gêmeos, Câncer
ou Leão)
 Floral Zodiacal do Signo do planeta (se for Vênus na casa 3, o floral é de Touro; Vênus na casa 4 ou
5, o floral é Libra. Se for Mercúrio na casa 3, o floral é de Gêmeos; na casa 4 ou 5, Virgem).
 Caso o planeta seja o Sol ou a Lua, adicionar 3 gotas da Síntese Total do Kit das Serpentes

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
121
Quadratura

As quadraturas representam os apegos que criamos e onde depositamos nossas desculpas para não promover
as mudanças necessárias na nossa vida. Representa também o materialismo. Para a Alquimia, este é um
aspecto ainda mais desafiador do que as oposições. Enquanto as oposições têm 180º (ângulo mais
existencialista, espiritualista) e geram conflitos internos que levam o indivíduo a querer mudar, as quadraturas
têm 90º (ângulo mais materialista) e geram acomodação e apego a bens externos que impedem o indivíduo de
promover mudanças em sua vida.

Nestas fórmulas, o segredo está em analisar os elementos que faltam na quadratura, sempre sob o ponto de
vista dos elementos dos signos em que os planetas estão. É a carência destes elementos que atrapalham a
realização das mudanças necessárias para alcançarmos nossos objetivos. Por exemplo, num mapa onde os
planetas em quadratura estão nos signos de Touro (terra) e Leão (fogo), os elementos que faltam são ar e água
(signos de Gêmeos e Câncer). Uma interpretação possível nesta configuração poderia ser a de uma
personalidade que não consegue ter discernimento nem adaptabilidade para enfrentar os desafios ou
mudanças externas que lhe aparecem. Ou pode ser alguém preguiçoso intelectualmente (ar de Gêmeos) ou
que não quer constituir família (água de Câncer).

Para potencializar as fórmulas das quadraturas e trazer os arquétipos elementais dos signos para a bioquímica
estrutural do corpo, acrescentamos 3 gotas da Síntese dos elementos do Kit 4 Elementos e DNA.

Quadratura entre dois Planetas

1º Vidro – 28 dias

 Floral Zodiacal dos 2 Planetas em quadratura


 Floral Zodiacal dos 2 Signos em que eles estão
 Floral Zodiacal dos Elementos que faltam na quadratura, levando em consideração os elementos dos
signos em que os planetas estão
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Síntese dos Elementos do Kit 4 Elementos e DNA

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
122
2º Vidro – 28 dias

 Floral Zodiacal dos 2 Planetas em quadratura


 Floral Zodiacal dos 2 Signos em que eles estão
 Floral Zodiacal dos Elementos que faltam na quadratura, levando em consideração os elementos dos
signos em que os planetas estão
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Síntese dos Elementos do Kit 4 Elementos e DNA
 Floral Zodiacal dos Elementos referentes aos planetas
 Floral Zodiacal dos Signos dos planetas em quadratura
 Floral Zodiacal dos Signos donos das casas onde os planetas estão

Quadratura entre Planeta e Ascendente

1º Vidro – 28 dias

 Floral Zodiacal do Signo Ascendente


 Floral Zodiacal do Signo dono da Casa 1 (Áries)
 Floral Zodiacal dos Elementos - uma gota de cada elemento
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Síntese dos Elementos do Kit 4 Elementos e DNA

2º Vidro – 28 dias

 Floral Zodiacal do Signo Ascendente


 Floral Zodiacal do Signo dono da Casa 1 (Áries)
 Floral Zodiacal dos Elementos - uma gota de cada elemento
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Síntese dos Elementos do Kit 4 Elementos e DNA
 Floral Zodiacal do Planeta em quadratura
 Floral Zodiacal do Signo em que o planeta está
 Floral Zodiacal dos Elementos que faltam na quadratura, levando em consideração os elementos dos
signos em quadratura
 Floral Zodiacal do Elemento referente ao planeta em quadratura
 Floral Zodiacal do Signo do planeta em quadratura
 Floral Zodiacal do Signo dono da casa onde o planeta está

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
123
Quadratura entre Planeta e Meio do Céu

1º Vidro – 28 dias

 Floral Zodiacal do Signo que entra no Meio do Céu


 Floral Zodiacal do Signo dono da Casa 10 (Capricórnio)
 Floral Zodiacal dos Elementos - uma gota de cada elemento
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Síntese dos Elementos do Kit 4 Elementos e DNA

2º Vidro – 28 dias

 Floral Zodiacal do Signo que entra no Meio do Céu


 Floral Zodiacal do Signo dono da Casa 10 (Capricórnio)
 Floral Zodiacal dos Elementos - uma gota de cada elemento
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Síntese dos Elementos do Kit 4 Elementos e DNA
 Floral Zodiacal do Planeta em quadratura
 Floral Zodiacal do Signo em que o planeta está
 Floral Zodiacal dos Elementos que faltam na quadratura, levando em consideração os elementos dos
signos em quadratura
 Floral Zodiacal do Elemento referente ao planeta em quadratura
 Floral Zodiacal do Signo do planeta em quadratura
 Floral Zodiacal do Signo dono da casa onde o planeta está

Conjunção

É a soma de energias que podem ser ressonantes ou conflitantes. Todos os planetas que estejam em conjunção
e não apresentem aspectos desafiadores (retrógrados, em oposição ou em quadratura) representam uma
conjunção positiva.

A presença de conjunções no mapa é um indicativo de que o Espírito está repetindo padrões, características
que trouxe de outras vidas. As fórmulas aqui apresentadas são para que as energias envolvidas na conjunção
tenham seus aspectos desafiadores transformados e as qualidades ampliadas para que o Espírito consiga
manifestar todo seu potencial na matéria.

Acrescente às fórmulas das conjunções, o floral rescue dos chakras do Kit 4 Elementos e DNA correspondente
às casas onde os planetas em conjunção estão. Este procedimento tem o objetivo de trazer a energia sutil do

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
124
corpo umeral para o corpo físico e o DNA volátil. Por exemplo, se os planetas em conjunção estiverem na casa
1, acrescentamos o Rescue Cardíaco à fórmula. Se estiverem em duas casas, por exemplo 1 e 2,
acrescentamos o Rescue Cardíaco + o Rescue Umbilical.

Conjunção entre Planetas

1º Vidro – 28 dias

 Floral Zodiacal dos Planetas em conjunção


 Floral Zodiacal dos Signos em que eles estão
 Floral Zodiacal dos Elementos referentes aos planetas em conjunção
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Rescue dos chakras do Kit 4 Elementos e DNA correspondente às casas onde os planetas estão

2º Vidro –28 dias

 Floral Zodiacal dos Planetas em conjunção


 Floral Zodiacal dos Signos em que eles estão
 Floral Zodiacal dos Elementos referentes aos planetas em conjunção
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Rescue dos chakras do Kit 4 Elementos e DNA correspondente às casas onde os planetas estão
 Floral Zodiacal dos Signos dos planetas em conjunção
 Floral Zodiacal dos Signos donos das casas onde os planetas estão
 Floral Zodiacal do Signo dono da casa oposta à casa onde os planetas estão
 Floral Zodiacal do Signo que entra na casa oposta.

Conjunção entre Planetas e Ascendente

1º Vidro – 28 dias

 Floral Zodiacal do Signo Ascendente


 Floral Zodiacal do Signo dono da Casa 1 (Áries)
 Floral Zodiacal dos Elementos - uma gota de cada elemento
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Rescue Cardíaco

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
125
2º Vidro – 28 dias

 Floral Zodiacal do Signo Ascendente


 Floral Zodiacal do Signo dono da Casa 1 (Áries)
 Floral Zodiacal dos Elementos - uma gota de cada elemento
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Rescue Cardíaco
 Floral Zodiacal dos Planetas em conjunção
 Floral Zodiacal dos Signos em que eles estão
 Floral Zodiacal dos Elementos referentes aos planetas em conjunção
 Rescue dos chakras do Kit 4 Elementos e DNA correspondente às casas onde os planetas estão
 Floral Zodiacal dos Signos dos planetas em conjunção
 Floral Zodiacal dos Signos donos das casas onde os planetas estão
 Floral Zodiacal do Signo dono da casa oposta à casa onde os planetas estão
 Floral Zodiacal do Signo que entra na casa oposta.

Conjunção entre Planetas e Meio do Céu

1º Vidro – 28 dias

 Floral Zodiacal do Signo que entra no Meio do Céu


 Floral Zodiacal do Signo dono da Casa 10 (Capricórnio)
 Floral Zodiacal dos Elementos - uma gota de cada elemento
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Rescue Coronário

2º Vidro – 28 dias

 Floral Zodiacal do Signo que entra no Meio do Céu


 Floral Zodiacal do Signo dono da Casa 10 (Capricórnio)
 Floral Zodiacal dos Elementos - uma gota de cada elemento
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Rescue Coronário
 Floral Zodiacal dos Planetas em conjunção
 Floral Zodiacal dos Signos em que eles estão
 Floral Zodiacal dos Elementos referentes aos planetas em conjunção

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
126
 Rescue dos chakras do Kit 4 Elementos e DNA correspondente às casas onde os planetas estão
 Floral Zodiacal dos Signos dos planetas em conjunção
 Floral Zodiacal dos Signos donos das casas onde os planetas estão
 Floral Zodiacal do Signo dono da casa oposta à casa onde os planetas estão
 Floral Zodiacal do Signo que entra na casa oposta.

Planetas Retrógrados

Em alguns casos, os planetas retrógrados são verdadeiras travas no caminhar da pessoa. Eles viram um polo
de atração e contaminam todas as outras casas. O mapa fica resumido neste aspecto retrogrado. Por exemplo,
Marte retrógrado faz com que nosso guerreiro seja afetado em todos os departamentos da vida.

 Floral Zodiacal do Planeta


 Floral Zodiacal do Signo do planeta
 Floral Zodiacal do Signo dono da casa onde o planeta está
 Floral Zodiacal do Signo em que ele está
 Floral Zodiacal do Elemento referente ao planeta
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus

Trígonos entre Planetas

Esta fórmula tem como objetivo despertar potencialidades. Geralmente as pessoas não exploram seus
potenciais porque se apegam ao que não dá certo. Os trígonos, portanto, podem estar adormecidos no mapa
e utilizamos esta fórmula para despertar os arquétipos positivos inerentes aos planetas no indivíduo.

 Floral Zodiacal dos Planetas


 Floral Zodiacal dos Signos em que os planetas estão
 Floral Zodiacal dos Signos donos das casas onde os planetas estão, caso os planetas sejam
retrógrados
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
127
Meio do Céu - Expansão da Consciência

O meio do céu é a síntese de tudo que viemos fazer na vida. Esta fórmula é indicada para direcionar a pessoa
para seu destino, para sua maturidade. Para ter-se a consciência de que está no caminho certo.

 Floral Zodiacal do Signo dono da Casa 10 (Capricórnio)


 Floral Zodiacal do Signo que entra no Meio do Céu
 Floral Zodiacal do Signo de Leão
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus

Casas Vazias - Busca de Potencialidades

Esta fórmula tem como objetivo despertar no indivíduo as potencialidades inerentes a cada casa. É um estímulo
espiritual.

 Floral Zodiacal do Signo dono da casa vazia


 Floral Zodiacal do Signo que entra na casa
 Floral Zodiacal do Elemento referente à casa
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus

Casas Cheias – Consciência e Cura

Esta fórmula tem como objetivo ampliar a potencialidade de todos os aspectos das casas cheias e para
amenizar seus desafios. É uma fórmula indicada para expandir a casa, pois ela se contrai em demasia com
tantos aspectos. É preciso deixar “as portas e janelas” abertas.

 Floral Zodiacal do Signo dono da casa


 Floral Zodiacal do Signo que entra na casa
 Floral Zodiacal dos Planetas que estão na casa
 Floral Zodiacal dos Signos referentes aos planetas, caso eles sejam retrógrados
 Floral Zodiacal do Elemento referente à casa
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus

Alinhamento da Coluna Vertebral – Centrar o Corpo, Coração e Mente

Esta é uma fórmula para pessoas desconectadas com o Espírito, com muitas oposições nestas áreas
e/ou com problemas físicos na coluna (lordose, sifose, etc). Podemos potencializar a fórmula com o
Kit 4 Elementos e DNA (o Rescue Andrógino ou a Pequena Cruz).

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
128
 Floral Zodiacal dos Signos donos das casas 1, 4, 7, 10
 Floral Zodiacal dos Planetas das casas 1, 4, 7, 10
 Floral Zodiacal dos Elementos - uma gota de cada elemento
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Rescue Andrógino do kit 4 Elementos e DNA ou
 A Pequena Cruz do Kit 4 Elementos e DNA

Cabeça do Dragão – Força Espiritual

Esta é uma fórmula para momentos de crise espiritual, quando perdemos a fé. Deve ser tomada em dois
compostos em spray.

1º Vidro – pela manhã, 12 borrifadas. Referente à Cauda do Dragão.

 Floral Zodiacal do Signo dono da casa onde está a cauda do dragão


 Floral Zodiacal do Signo em que está a cauda do dragão
 Floral Zodiacal do Planeta referente à casa onde está a cauda do dragão
 Floral Zodiacal dos Planetas que estão na mesma casa da cauda do dragão
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Rescue Básico do Kit 4 Elementos e DNA

2º Vidro – antes de dormir, 12 borrifadas. Referente à Cabeça do Dragão.

 Floral Zodiacal do Signo dono da casa onde está a cabeça do dragão


 Floral Zodiacal do Signo em que está a cabeça do dragão
 Floral Zodiacal do Planeta referente à casa onde está a cabeça do dragão
 Floral Zodiacal dos Planetas que estão na mesma casa da cabeça do dragão
 Síntese Zodiacal
 Floral Primus
 Rescue Coronário do Kit 4 Elementos e DNA

Pode-se prescrever o composto Alegria + Rescue Cardíaco do Kit 4 Elementos e DNA para ser tomado à tarde,
12 borrifadas.

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
129
© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016
Todos os direitos reservados.
130
© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016
Todos os direitos reservados.
131
© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016
Todos os direitos reservados.
132
www.joelaleixo.com

© 2013 Astrologia Alquímica – 2ª edição em 16/agosto/2016


Todos os direitos reservados.
133

Você também pode gostar