Você está na página 1de 2

Processo diagnóstico tipo compreensivo

O processo diagnóstico é a forma resultante de determinada organização e estruturação


dos elementos de um estudo de caso, realizado segundo certa concepção diagnóstica. O
psicodiagnóstico é classificado em Processo Psicométrico (é aquele que tem, no psicólogo, um
simples aplicador e avaliador de testes psicológicos, cuja finalidade é auxiliar o trabalho de
outros profissionais, já o instrumento psicométrico é desenvolvido a partir da matemática e da
estatística); Processo Comportamental (é prioridade os dados de observação objetiva, com
exclusão de apreciações a respeito do mundo interno, sendo como referencia a Psicologia da
Aprendizagem ou Experimental); Processo Psicanalítico (a Psicanálise constitui-se em modelo de
trabalho para os profissionais que utilizam este processo, sendo que a concepção predominante
é de que o diagnóstico deve configurar uma espécie de antevisão dos fenômenos que a prática
psicanalítica bem-sucedida encontraria no paciente); Processo baseado no modelo médico
(transposição para o diagnóstico médico, vindo do diagnóstico clinico da medicina, sendo que
toma a vida emocional, como é empregado com organismo); Processo compreensivo (série de
situações que inclui, o aspecto de encontrar um sentido para o conjunto das informações
disponíveis, tomar aquilo que é relevante e significativo na personalidade, em que tem seus
fatores estruturantes).

Um dos principais fatores estruturantes é a importância dada pelo psicólogo ao


esclarecimento do significado dos desajustamentos que ocasionaram a procura pelo
atendimento psicológico. No modelo compreensivo, dizemos que o diagnóstico psicológico
abrange a explicitação das funções das perturbações e dos motivos inconscientes que as
mantêm. O psicólogo tem o objetivo de elucidar os determinantes, e se possível a origem das
perturbações da personalidade, por isso é necessário o esforço, para elucidar os componentes
do mundo interno.

A estruturação do processo diagnóstico de tipo compreensivo requer a familiarização


do profissional com a Psicanálise e os fenômenos mentais, assim como reconhecer os
fenômenos inconscientes dos conflitos, dinâmica familiar, estrutura e a organização latente da
personalidade. O psicólogo costuma prestar atenção aos fenômenos da transferência e da
contratransferência, durante o processo diagnóstico. A utilização de entrevista livre e semi-
estruturadas, e o uso de testes projetivo atestam a ênfase do referencial psicanalítico, em que
obtêm o uso modificado da técnica de associação livre com finalidades diagnósticas. A
decifração do conteúdo inconsciente das mensagens que emergem no processo diagnóstico.

O psicólogo interessado em estruturar um diagnóstico psicológico de tipo compreensivo


realiza um levantamento exaustivo de dados e informações. A coleta de dados abrangem os
aspectos da personalidade, sendo que a coleta esta definida no contexto do diagnóstico ( tudo
que ocorre de modo significativo na realização de determinado estudo diagnóstico, desde o
inicio do contato até o desligamento com o paciente). O tipo de diagnóstico, destaca sobre que
avaliação psicológica é uma operação que atinge o paciente em sua totalidade. Na avaliação
diagnóstica compreensiva, é realizado um balanceamento geral das forças que compete
examinar. Diante disso, o interesse é pelas estruturas psicopatológicas e as disfunções
dinâmicas, da personalidade e a suas bases de funcionamento, organização, e estrutura. Por isso
considera o diagnóstico psicológico, como uma síntese dinâmica e estrutural da vida psíquica.
Os fatores de interação com a personalidade é a força intra-psíquica (marcas que se expressam
nos processos evolutivos); a força intra-familiar (é via pela qual o paciente tem suas
determinações, é decisivo em termos psicopatológicos e psicopatogênicos) e a força sócio-
cultural (constitui em dados básicos, que não podem ser negligenciadas).

O tipo de processo diagnóstico pressupõe do profissional a habilidade de discernir quais


dados são significativos, para o estudo do caso. Por isso focaliza o essencial, e separa o
incidente, assim como não mistura aspectos relevantes com irrelevantes. Por isso, que um dos
objetivos do diagnóstico da personalidade, é levantar e descrever os focos de angustia e
fantasias inconscientes que provocam desajustamentos emocionais. É pertinente destacar, que
o profissional tem que líder com a heterogeneidade das situações mentais, sendo que os fatores
decisivos são uma sólida formação profissional aliada a sensibilidade humana e a experiência
clinica. O modelo diagnóstico de tipo compreensivo não dispensa o uso de testes psicológicos
objetivo, mas os coloca a serviço do julgamento clinico. Para estruturação de um processo
diagnóstico, se empregam técnicas e métodos especializados de exame psicológico. No
diagnóstico do tipo compreensivo, os modelos mais usados são os que fundamentam os
princípios de associação livre de Freud.

O processo diagnóstico de tipo compreensivo é influenciado, pela forma da relação do


psicólogo com seu trabalho (formação humanística e desenvolvimento emocional indica uma
direção de escolha profissional); a forma da relação psicólogo-paciente (observação e apreensão
de fenômenos emocionais); leque de finalidade práticas; posicionamento epistemológico do
psicólogo (o profissional se orienta, pela visão que toma a personalidade) e o sistema de
referenciais múltiplos.

Referencia

TRINCA, Walter. Processo diagnóstico tipo compreensivo. Em: TRINCA, W. Diagnóstico


Psicológico: a prática clínica. São Paulo:

Compartilhe !

Você também pode gostar