Você está na página 1de 6

Guia de Instalação para

Iluminação de Baixa Voltagem em


Ambientes Externos
Outubro -2003

SunLab Power  - Divisão da Lábramo Centronics Ind. e Com. Ltda. http://www.sunlab.com.br.


considera o retorno de investimento e o custo x
benefício.
APRESENTAÇÃO:
Rendimento: As fontes de luz compactas
proporcionam o maior índice de luz (em lúmen) por
A iluminação de baixa tensão é a solução ideal área quadrada e o menor em consumo Watt por
para quem deseja economizar energia sem ter que lúmen. Veja como pode ser planejada, escolhida e
racionalizar seu uso. instalada de forma segura, combinando a beleza
Devido ao desenvolvimento de novas tecnologias com a técnica aos efeitos de luzes.
em emissores de luz através de materiais
semicondutores, sua aplicação torna-se altamente
interessante em áreas externas, locais remotos, INICIANDO:
em veículos, embarcações, sinalização, decoração Use sua imaginação! : Observe o local que
e muitas outras aplicações. deseja iluminar e os efeitos entre luz e sombras,
Este manual foi elaborado para dar subsídio a criados pelo Sol e pelo luar. Ao anoitecer verifique
profissionais da área de construção, arquitetura, os contrastes criados entre as áreas iluminadas e
iluminação e decoradores que pretendem criar um sombreados. Imagine como poderia recriar estes
ambiente externo mais bonito, valorizar detalhes efeitos usando as três técnicas básicas de
de edificações e ambientes, através da luz e iluminação:
querem utilizar esta nova tecnologia de baixa  Iluminação baixa
tensão.  Iluminação indireta
 Iluminação direcional
A linha de luminárias da SunLab possui vários
produtos disponíveis e muitos outros em Atente para detalhes como:
desenvolvimento que logo estarão disponíveis aos
interessados. Sua grande vantagem se deve aos  Escadas: Podem se tornar verdadeiras
seguintes fatores que superam a iluminação armadilhas no escuro.
convencional:  Caminhos na entrada e os passeios: Podem
ser transformados em caminhos elegantes e
Segurança: Além de prover de vários modelos guiar com segurança seus convidados e
para as mais diversas aplicações, resistentes ao moradores.
tempo, o sistema de baixa voltagem reduz os  Caminhos de entrada de garagem ou
riscos de curto-circuito e choques, minimizando estacionamento: Os motoristas podem ser
danos conseqüentes em instalações, animais ou guiados com maior segurança através de luzes
pessoas. de balizamento.
 Árvores e arbustos: Servem de pontos focais
Economia: O sistema proporciona condições de de atenção dando leveza, harmonia e
alto retorno do investimento devido a: naturalidade ao ambiente.
 Áreas escuras: Iluminar sombras ao redor de
portas, janelas e cantos é questão de
Redução no Consumo: reduz em até 85% o
segurança, pois podem ser utilizados como
consumo de eletricidade, sem perda da qualidade
esconderijos, ideais para intrusos.
e potência, comparado à iluminação convencional.
 Caminhos em jardins: Iluminados se
Esta condição permite uma melhor competitividade
transformam em locais de passeio agradáveis
na implantação de sistemas alternativos, reduzindo
e românticos à noite.
o numero de painéis solares, capacidade de
 Laterais de pátios e decks: Com a iluminação
armazenamento, potência em geradores eólicos e
adequada são transformados em ambientes
inclusive na energia elétrica convencional através
mais alegres e festivos.
de conversores AC-DC.
 Estátuas e fontes de água: Focalize a atenção
em detalhes e com luzes adequadas fontes e
Manutenção: Além do baixo consumo, as luzes pedras aumentam o encanto e a magia do
utilizadas passam a ter até 10.000 horas de vida ambiente.
útil. Quando utilizados os emissores de luz
Sunlux esta durabilidade aumenta para 100.000
horas, permitindo a instalação em locais de difícil
acesso, onde nos sistemas convencionais
demandariam altos custos na periodicidade de
manutenção.

Versatilidade: Podem ser adaptados a


superfícies planas, fixados em concreto ou na terra
com o auxilio da “flechas”. Além de modelos
adaptáveis à aplicação, há a condição de se ter
várias cores, tanto no corpo da luminária quanto na
cor de luz. A expansão de luminárias passa a ser
modular conforme a disponibilidade de geração de
energia utilizada.

Durabilidade: Trabalhando dentro do conceito de


fornecer o que há de mais novo em tecnologia no
"estado da arte", o fornecimento de produtos de
alta durabilidade é requisito básico para quem

SunLab Power  - Divisão da Lábramo Centronics Ind. e Com. Ltda. http://www.sunlab.com.br.


Iluminação Baixa: Iluminação Direcional:

A luz é direcionada no intuito de destacar objetos


A luz direcionada para baixo, serve de balizamento ou criar efeitos de luz e sombras. Pode ser
para quem está transitando. O foco de luz reflete aplicada de baixo para cima quando se deseja
na horizontal em pequena escala, servindo como realçar a base ou de cima para baixo para
ponto referencial e para baixo em maior focalização sobre objeto. Aplique em:
intensidade, iluminando o solo e criando as
passagens. Devem ser aplicadas: 1. Destaque na exposição de objetos.
2. Iluminação de árvores.
1. Ao longo de passeios, calçadas, 3. Acentuar arbustos, pedras, avisos,
caminhos e escadas. colunas, etc...
2. Balizamento em estacionamentos e 4. Iluminação de efeito em fontes, cascatas,
entradas de residências, garagens, postos monumentos e estátuas.
de gasolina, motéis, hotéis, etc...
3. Focar contornos de jardins e floreiras.
4. Acentuar pátios e decks. ESCOLHA SUA ILUMINAÇÃO:

Luminosidade: Existem normas que conceituam e


especificam as grandezas utilizadas na
luminotecnica.
Fluxo luminoso é a quantidade de luz emitida por
uma fonte luminosa e é medida em lumens (lm) na
tensão nominal de funcionamento.
Intensidade luminosa é o fluxo luminoso irradiado
em uma determinada direção e é medido em
“candela” (cd).
A incidência de luz sobre uma superfície a uma
determinada distância é chamada de luminância e
medida em lux (lx). Na prática, é a quantidade de
luz dentro de um ambiente. Como esta iluminação
geralmente não é uniforme, utiliza-se a media de
lux (Em) medidas no ambiente. Para facilitar
trataremos por vezes a luminância por intensidade.

Iluminação Indireta: Para ambientes externos que é nosso objetivo,


alguns pontos devem ser observados:

Escolha a luminosidade levando em conta como


A luz é focada indiretamente, de forma que o orientação prática:
reflexo formará um fundo de efeito, dando
destaque aos relevos em primeiro plano, sem que A utilização de alta luminância (acima de 700 lux)
a pessoa tenha visualização da fonte de luz. deve ser restrita a espaços onde há atividade
Aplique em: constante e exista a necessidade de percepção de
detalhes, profundidade e largura do local.
Procure explorar ao máximo a possibilidade de
1. Detalhes de arquitetura e fachadas. foco direto sobre objetos e;
2. Áreas escuras atrás de arbustos e A fonte de luz não deve interferir no campo de
vegetação. visão de quem está no local.
3. À volta de janelas e portas.
4. Acentuar arbustos. A utilização de media luminância (150 a 700 lux)
5. Iluminação de corredores e cercados. pode ser aplicada genericamente, onde há
atividade eventual e não há necessidade de
percepção de detalhes, somente do espaço.
Passagens, corredores, alas, pátios e decks são
os mais usuais.

SunLab Power  - Divisão da Lábramo Centronics Ind. e Com. Ltda. http://www.sunlab.com.br.


Escolha o tipo de projeção ou “fluxo” de luz a ser
A iluminação de baixa luminância (menos de 150 utilizado em sua aplicação. Intensidades e cores
lux) pode ser explorada em locais de intensa aqui colocadas são apenas orientativas:
escuridão, complemento à iluminação de
intensidade media e em pontos de distinção. É Tier: para agrupar e demarcar locais utiliza-se em
usual se utilizar este tipo de iluminação para fileiras alinhadas, espaçadas entre 1
marcar caminhos, balizamento, decoração, etc... a 3 metros conforme a altura dos
suportes. Sua projeção é aberta e
Cuidado para não criar sombras “fantasmagóricas” concentrada para baixo. Intensidade
ou com a iluminação, não deixar qualquer sombra, baixa e cores entre 400 a 3500K
pois neste caso perde-se a impressão de espaço e
dimensão entre os planos e objetos.
Tall: Utilizada da mesma forma que a anterior,
porém em suportes de 0,70 m. a 2,0
m. de altura. Seu espaçamento é de
3 a 10 metros. É interessante a
utilização de abas refletoras para não
ofuscar a visão. A projeção é aberta e
concentrada para baixo. Intensidade
media/alta e cores entre 1000 a 5500K.

Mix: Suponha que além da demarcação, se queira


iluminar a fachada ou muro na lateral
de um caminho. Este tipo permite as
duas funções. Sua projeção é dupla,
concentrando para cima e para
baixo.Espaçamento de 3 a 6 m. É
imprescindível a utilização de abas
em intensidade media/alta. Cores entre 500 a
5500K

Low: Para balizamento e iluminação do solo. O


facho de luz é concentrado para
baixo, não ofuscando a vista.
Espaçamento entre 1 a 3 metros.
Intensidade baixa e cores entre 500
a 3000K

Cor da Luz:
Flood: Fluxo de luz concentrado e direcional.
Em geral, a iluminação de ambientes externos não
Aplicado através de projetores ou
possuem exigências para cor.
spot. Utilizado para iluminação de
Para definir um critério de cor de uma luz é
destaque. Instalação individual ou
utilizada a expressão de “temperatura de cor”,
em pequenos agrupamentos.
medido em Kelvin (K), passando do vermelho até
Intensidade alta e cores entre 3500
ao branco como ocorre ao esquentarmos um
a 6500K
metal. Quanto mais branca é a cor, maior é a sua
temperatura de cor. Uma luz amarelada tem
aproximadamente 2700K.
Deck: Iluminação de media/baixa intensidade,
Não é valido dizer que quanto maior a temperatura
utilizada normalmente embutida ou
mais potente é a luz.
sobrepor sobre paredes para
Para criar ambientes mais aconchegantes, utiliza-
destaques, em escadas para
se tonalidade mais próxima do amarelo. É
segurança ou promover iluminação
interessante ressaltar que insetos são atraídos por
de fundo em ambientes abertos. O
raios UV (ultravioleta) e estes são os maiores
fluxo luminoso é direcionado para
responsáveis pelo envelhecimento e mudança na
baixo ou para cima. A intensidade e cores são
cor de objetos e pinturas. Quanto mais perto do
adaptáveis ao ambiente e efeitos desejados.
amarelo, temos menos radiação UV.
Emissores de luz semicondutivos (ou led´s) não
emitem UV, por isso não atraem insetos assim
como não envelhecem os materiais.
A tonalidade sugerida para iluminação de Deco: Iluminação de media/baixa intensidade,
ambientes externos é de 2500 a 4000 K. No utilizada para efeitos decorativos e
entanto tonalidades entre 400 a 2500K podem ser ou balizamento. Em geral o fluxo
utilizadas em decoração e criação de efeitos. luminoso é aberto auxiliado por
material ótico translúcido ou
Projeção de Luz trabalhado de forma a não ofuscar
a visão. A intensidade é baixa e as
cores são adaptáveis ao ambiente
e efeitos desejados.

SunLab Power  - Divisão da Lábramo Centronics Ind. e Com. Ltda. http://www.sunlab.com.br.


FAÇA UM LAYOUT:

1) Utilize um papel quadriculado e desenhe a área, incluindo os caminhos, passeios, escadas, pátios, jardins,
etc...
2) Coloque detalhes como: árvores, arbustos, pedras, fontes, portas, janelas, etc, indicando todos os pontos
de especial interesse de visualização.
3) Posicione as luzes no papel de acordo com o efeito desejado, tomando por base o descrito anteriormente.

4) Para efetuar o posicionamento, circule os pontos de iluminação com o formato do fluxo de luz e área
estimada do facho de luz. Verifique a informação de espaçamento e distribuição de cada luminária a ser
instalada.

5) Finalizado o layout, separe os setores que


trabalharão parcialmente e aqueles que permanecerão
ligados a noite inteira. Esta separação é interessante
principalmente se formos instalar sistemas de sensores
e timers para o controle automático.

6) Calcule o consumo em Watts das luminárias: Ex.: Se


for escolhido 5 luminárias de 10W que trabalham 6
horas e 4 postes com duas lâmpadas de 9W que
trabalham 12 horas teremos:

5 x 10 = 50 Watts/h x 6 horas = 300W


(4x2) x 9 = 72 Watts/h x 12 h = 864W

Este sistema consumirá 1.164 Watts por dia.


Utilizando a fórmula (W = T x A), calcule a corrente do
sistema. Ex.: Se a tensão de alimentação for de 12
Volts então:

1164 = 12 x A
A = 1164 / 12
A = 97

O sistema consome 97 Ampères/dia.

SunLab Power  - Divisão da Lábramo Centronics Ind. e Com. Ltda. http://www.sunlab.com.br.


7) Para o calculo da fiação a ser utilizada, a grandeza aplicada é a corrente elétrica em Ampère. É
recomendável que o calculo seja por grupo energizado. Como no exemplo há dois grupos energizados
separadamente, um que funciona 6 horas e outro 12 horas, neste caso vamos supor que a distância entre a
fonte e o ultimo ponto de consumo será de 25 metros. Utilizando a tabela abaixo:

Corrente consumida:
o
1 . Grupo: 50Wh = 50/12 = 4,2 A . Acima de 4 estabelecemos a linha de 6 Amp. Para 25 metros o
diâmetro da seção do fio recomendado será de 10 mm.
o
2 . Grupo: 72/12 = 6 A. A fiação também será de 10 mm.

8) A resistência de fios elétricos são críticos em sistemas de baixa voltagem. É sempre recomendado
diâmetros iguais ou imediatamente superiores aos definidos na tabela.

9) Para sistemas em 24 Volts duplica-se a distância e assim por diante proporcionalmente.

Lábramo Centronics Ind. e Com. Ltda.


Divisão SunLab Power.
Ver. 01/2003

Ultima revisão: 02/11/2003

Esta literatura tem como objetivo fornecer subsídios à compreensão básica para a utilização de iluminação à
baixa tensão gerada por meios alternativos tais como a energia solar.
Os conceitos aqui aplicados são de conhecimentos abertos à divulgação pública.
A estruturação, opiniões e considerações gerais assim como as figuras aplicadas são propriedades da
Lábramo Centronics Ind. e Com. Ltda e só podem ser difundidas com a plena permissão desta, por escrito.
Devido ao desenvolvimento contínuo a Lábramo Centronics, poderá alterar a qualquer momento que julgar
oportuno o seu conteúdo, introduzindo e/ou alterando informações aqui presentes.

SunLab Power  - Divisão da Lábramo Centronics Ind. e Com. Ltda. http://www.sunlab.com.br.