Você está na página 1de 38

Aprendizagem Geografia e História

Aap1
1)
A Educação Infantil é a primeira etapa da Educação Básica, ou seja, é o início e o
fundamento do processo educacional. Essa etapa atende crianças de 0 a 6 anos e
tem como objetivo principal o desenvolvimento integral da criança, portanto,
envolve aspectos sociais, psicológicos, intelectuais e físicos desses sujeitos.
 
Nesse contexto, o corpo da criança deve ser tomado como elemento central dos
processos de ensino e aprendizagem, visto que perpassa os cinco campos de
experiências propostos pela BNCC.
Analise as afirmações referentes ao trabalho com o corpo da criança na Educação
Infantil:
I - O corpo é uma ferramenta para a criança explorar o mundo, brincar e criar
conhecimentos sobre si e sobre os outros.
II - A consciência corporal é desenvolvida em etapa posterior à Educação Infantil,
quando o trabalho com o corpo da criança ultrapassa o aspecto do cuidar
característico dessa etapa.
III - O trabalho com o corpo na Educação Infantil deve ter como objetivo o
desenvolvimento da comunicação, da criatividade, da liberdade e da autonomia da
criança.
Assinale a alternativa que apresenta todas as afirmações corretas:

Alternativas:

 a)

Apenas I.

 b)

Apenas II.

 c)

Apenas III.

 d)

Apenas I e III.

 e)

Apenas I e II.

2)
Nos anos iniciais, é recorrente e legítima a preocupação em garantir que os alunos
sejam devidamente apresentados ao mundo das letras e dos números. Por isso,
muitos professores investem mais tempo nas aulas de Língua Portuguesa e
Matemática. Porém, ignorar ou minimizar a importância das Ciências Humanas,
traduzidas pelas disciplinas de História e Geografia, faz com que as crianças não
explorem todas as possibilidades de interpretar o mundo e se inserir nele de
maneira consciente e atuante. O trabalho com as duas áreas desenvolve
competências importantes, que vão muito além da capacidade de decorar datas ou
nomes de capitais, rios ou heróis, como ainda se vê.  Os estudos geográficos focam
nas mudanças do espaço e em suas representações.
 Analise as seguintes asserções e a relação proposta entre elas:
 I. É latente a importância da implantação de projetos que envolvam a Geografia e
a História nas séries iniciais, assim, as novas demandas sociais pelo uso da leitura e
da escrita histórica e geográfica, mediante o estado ou condição que adquire um
grupo social ou um indivíduo como consequência de ter-se apropriado da escrita e
de suas práticas sociais requer uma escola mais bem preparada para receber
alunos em nível de alfabetização, devendo, entre outras coisas, proporcionar
situações nas quais os alunos sejam colocados em contato com as práticas sociais
da História e da Geografia.
 PORQUE
  
II. O professor que lida desde a Educação Infantil às séries iniciais do Ensino
Fundamental, necessita (re)conhecer, primeiramente, a importância da área para,
posteriormente, repassar aos seus alunos tais valores. E é disso que nossas
crianças precisam para desenvolverem o gosto pela História e pela Geografia e,
consequentemente, crescerem valorizando essas áreas do conhecimento.
 
MOREIRA, Geraldo Eustáquio ; COELHO, Hilbernon Fernandes ; SANTOS, C. R. . O
ensino de História e Geografia na Educação Infantil e nas séries iniciais do Ensino
Fundamental: desafios permanentes. Revista de Ensino de Geografia , v. 5, p. 148-
163, 2014.
A respeito dessas asserções assinale a alternativa correta:

Alternativas:

 a)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa


da I

 b)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma


justificativa da I.

 c)

As asserções I e II são proposições falsas.

 d)
A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.

 e)

A asserção I é uma proposição falsa, e a II é uma proposição verdadeira.

3)
Estudar História e Geografia na Educação Infantil e no Ensino Fundamental resulta
em uma grande contribuição social. O ensino da História e da Geografia pode dar
ao aluno subsídios para que ele compreenda, de forma mais ampla, a realidade na
qual está inserido e nela interfira de maneira consciente e propositiva. Responder
estas questões significa contribuir para o nosso esclarecimento pessoal acerca da
(re)organização didático-pedagógica do ensino de História e Geografia para os
miúdos, uma vez que os atores sociais envolvidos neste processo carecem de
esclarecimentos e ajuda para desenvolverem um trabalho didático relevante do
ponto de vista da formação crítica. É, também, uma oportunidade de refletir sobre
a complexa temática do ensino de História e Geografia na Educação Infantil e nas
séries iniciais do Ensino Fundamental, como tem apontado distintos pesquisadores
(CAVALCANTI, 1998; FONSECA, 2003; PENTEADO, 1995; STRAFORINI , 2004).
 
Sobre o ensino de Geografia na Educação Infantil:
 
I. No caso específico da Geografia, trata-se de ajudar alunos a desenvolver modos
de pensar geográfico: internalizar métodos e procedimentos de captar a realidade,
ter consciência da espacialidade das coisas, esse modo de pensar geográfico é
importante para realização de práticas sociais variadas, já que elas são sempre
práticas socioespaciais.
II. Não se faz relevante a adoção de novos procedimentos didáticos, sendo
fundamental a aula expositiva e, com menor frequência, estudos do meio (isto é,
trabalhos fora da sala de aula), dinâmicas de grupo e trabalhos dirigidos, debates,
uso de computadores (e suas redes) e outros recursos tecnológicos, preocupações
com atividades interdisciplinares e com temas transversais etc.
III. O entendimento deve ser de que há um movimento dialético entre as pessoas e
os espaços, formando espacialidades. Esse fato torna o conhecimento geográfico
importante para a vida cotidiana.
IV. Cabe à Geografia a denominação da espacialidade do universo vivido e
percebido pelas crianças, para que evidenciem as contradições da sociedade
contemporânea a partir do seu lugar vivido, conectado à totalidade-mundo.
 
MOREIRA, Geraldo Eustáquio ; COELHO, Hilbernon Fernandes ; SANTOS, C. R. . O
ensino de História e Geografia na Educação Infantil e nas séries iniciais do Ensino
Fundamental: desafios permanentes. Revista de Ensino de Geografia , v. 5, p. 148-
163, 2014.
 
Em relação ao contexto apresentado é correto o que se afirma em:

Alternativas:
 a)

I, II e III apenas.

 b)

II, III e IV apenas.

 c)

I, II e IV apenas.

 d)

I, II, III e IV.

 e)

I, III e IV apenas.

4)
Há tempos, são questionadas as finalidades de práticas pedagógicas de Geografia
pautadas em metodologias de ensino que giram em torno do uso exclusivo de uma
apostila ou de um livro didático. São questionadas, também, as aulas de Geografia
direcionadas pela exposição oral de conteúdos listados e subdivididos em unidades
temáticas que pouco, ou nada, se relacionam umas com as outras. São práticas
pedagógicas em que o giz, a lousa e o material impresso (apostila ou livro didático)
imperam como únicos recursos didáticos. Esses recursos estão sempre em posição
de destaque em detrimento dos demais aportes disponíveis no contexto atual.
Aulas que se pautam em conteúdos estipulados em currículos instrumentais, que
desconsideram os alunos e os seus desejos, os seus contextos de vida, as suas
realidades, os seus sonhos e as suas potencialidades.
Analise as seguintes asserções e a relação proposta entre elas:
I. É indispensável ao ensino de Geografia propiciar ao aluno desafios intelectuais e,
por conseguinte, ultrapassar o saber comum, uma vez que, nem sempre o desafio
intelectual do aprendiz e a atividade de estudo vão ser mobilizados quando os
professores ficam ancorados nos contextos de vida, assim, é preciso ir além,
sabendo que aprender geografia é uma atividade intelectual e que só há
engajamento do aluno quando este confere sentido à atividade realizada.
 PORQUE
 II. O currículo deve propiciar a ampliação do universo cultural do aluno, contudo,
precisa se pautar pelo critério da relevância e não do excesso, no caso da BNCC,
percebemos a seleção de conteúdos relevantes, mas, por outro lado, o excesso é
uma marca da proposta, uma vez que, há uma grande quantidade de conteúdos
elencados para o ensino fundamental e, quando grandes quantidades de conteúdos
são prescritas de fora para dentro, seja por uma comissão seja pelo ministério, os
professores passam a preocupar-se com a forma de dar conta deles.
 
GUIMARÃES, Iara Vieira. Ensinar e aprender Geografia na Base Nacional Comum
Curricular (BNCC). Ensino Em Re-Vista. Uberlândia, MG. v.25. n. Especial. p.1036-
1055, 2018
A respeito dessas asserções assinale a alternativa correta:
Alternativas:

 a)

As asserções I e II são proposições falsas.

 b)

A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.

 c)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma


justificativa da I.

 d)

A asserção I é uma proposição falsa, e a II é uma proposição verdadeira.

 e)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa


da I.

Aap2
1)
Leia o fragmento de texto que segue:

Por um lado, você tem um mundo de documentação muito mais amplo. Pode-se
fazer uma busca por um termo, por exemplo, “inquisição”; no Google aparecerão
coisas que não poderia imaginar. Mas, ao mesmo tempo, o documento não faz
nada em si, é sempre a conceitualização do historiador que torna o documento
importante ou não. Os estudantes devem aprender que a conceitualização é o
ponto de partida e que o documento só serve para certos fins. Um documento pode
dizer coisas diferentes a pessoas diferentes.
No texto, o influente historiador expõe sua ideia acerca da relação entre o enfoque
do profissional e as fontes documentais. Esse paradigma fenomenologista aponta
para:

Alternativas:

 a)

uma História estruturalista, na qual a fonte adquire papel central na


produção do conhecimento a partir de sua conceitualização.

 b)
uma grande dificuldade operativa da História, uma vez que, mesmo
apresentando grande profusão documental, apenas a análise objetiva do
historiador apontará a validade da fonte.

 c)

uma ciência subjetiva, na qual a fonte não é o elemento gerador da História


e sim a análise subjetiva do historiador.

 d)

uma ciência cada vez mais produtiva em virtude da abundância de fontes


documentais, oferecendo instrumentos objetivos na construção dos
saberes.

 e)

uma História altamente subjetiva, na qual as fontes perdem sua


importância e significado, uma vez que todo o saber criado independe de
sua análise. Trata-se de pautar opiniões.

2)
A Pedra de Roseta: fragmento de granito negro contendo inscrições associadas ao
Egito Antigo.

Aap3
1)
Leia atentamente ao fragmento de texto que segue:

“Outro fator importante são os recursos tecnológicos que chegam à escola do


século XXI (Data-show, Televisão, Programas de computador, DVD) e tendem a
auxiliar consideravelmente o trabalho do professor dentro e fora da sala de aula,
facilitando a aprendizagem dos estudantes. Dessa forma esses recursos contribuem
para a possibilidade de não ver e ter o livro didático de Geografia como único
recurso didático em sala de aula.
No entanto, destacamos em nossas observações e nas entrevistas com os
professores de Geografia que mesmo cientes das contribuições benéficas que
outras fontes e recursos didáticos podem oferecer para o enriquecimento da
aprendizagem dos estudantes, isso não acontece segundo os professores, pela
indisciplina dos alunos, em alguns casos torna-se impossível o desenvolvimento de
uma aula mais dinâmica. Os professores nos relataram que em algumas aulas a
tentativa de abrir o debate sobre o tema estudado, tornou-se insuportável devido o
barulho das conversas paralelas e da falta de respeito e de interesse dos alunos. ”
 
 
Fonte: PINA, P. P. G. do N. A relação entre o ensino e o uso do livro didático
de geografia. 2009. 104f. Dissertação (Mestrado) – Centro de Ciências Exatas e
da Natureza, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal da
Paraíba, João Pessoa, 2009. p. 93.
 
 

Considerando o exposto no texto-base, avalie as seguintes asserções e a relação


proposta entre elas.
 
 

I. Muitas vezes os educadores se acomodam e se limitam ao uso do Livro Didático


como principal, e eventualmente, único instrumento de aplicação dos conteúdos
educacionais, que no caso ficam limitados ao chamado currículo oficial que se
apresenta de como pré-ativo.
 
PORQUE
 
 
II. O desenvolvimento de um currículo interativo passa a oferecer uma maior
variedade de análises e situações, possibilitando um processo de ensino-
aprendizagem mais significativo e completo, exigindo dos educandos
comprometimento e do educador disposição para desenvolver um currículo oculto
eficiente.
Pensando nas diversas formas de apresentação dos currículos e sua relação com o
Livro Didático, analise as asserções propostas verificando sua veracidade e a
possível relação de causa e efeito entre elas, assim, assinale a alternativa correta.

Alternativas:

 a)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa


da I.

 b)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma


justificativa da I.

 c)

A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.

 d)

A asserção I é uma proposição falsa, e a II é uma proposição verdadeira.

 e)

As asserções I e II são proposições falsas.


2)
Analise atentamente a imagem seguinte:

O objeto é um dos achados mais importante para a egiptologia, uma vez que
permite a identificação dos códigos de escrita dessa civilização antiga.
Há na historiografia uma antiga discussão acerca das fontes aceitáveis para a
realização das pesquisas. Com a gênese das escolas marxista e fenomenológica se
ampliou o escopo de objetos que podem ser considerados fontes históricas e a
Pedra de Roseta é um deles, podendo ser classificada como:

Alternativas:

 a)

fonte material, pois se trata de um objeto muito utilizado no processo de


traduções quando de sua criação.

 b)
fonte escrita já que apresenta inscrições de códigos linguísticos, podendo
ser analisada por análises paleográficas.

 c)

fonte iconográfica, uma vez que utiliza símbolos em sua linguagem


primitiva, mas sua análise é quase inviável.

 d)

fonte paleontológica, pois está vinculada a uma sociedade antiga, que


carece de fontes documentais.

 e)

fonte numismática calcada na exposição de símbolos de utilização mercantil


entalhados em objetos rígidos.

3)
Leia atentamente o texto que segue:

Uma das modificações mais importantes foi a nova posição do camponês. Enquanto
a sociedade feudal permanecia estática, com relação entre senhor e servo fixada
pela tradição, foi praticamente impossível ao camponês melhorar sua condição.
Estava preso a uma camisa-de-força econômica. Mas o crescimento do comércio, a
introdução de uma economia monetária, o crescimento das cidades,
proporcionaram-lhe os meios de romper os laços que o prendiam tão fortemente.
Neste trecho de sua aclamada obra, o autor expõe um método de pensamento
fundamental ao Materialismo Histórico e Dialético marxista, isso porque

Alternativas:

 a)

considera os fatos sociais e históricos em sua amplitude, excedendo uma


visão estruturalista limitada às relações de produção, pois a visão de
relação fixada pela tradição extrapola o conflito de classes.

 b)

avalia a sociedade e seu processo histórico como uma sucessão de eventos


fundamentados em contradições de classes que não levam a uma evolução,
pois o camponês se torna proletário.

 c)

enxerga a História como uma estrutura rígida de eventos, no qual apenas o


ordenamento objetivo dos fatos, isentos de avaliações pessoais, permitiria
alcançar uma História factual.

 d)
toma a sucessão de eventos históricos como uma subjetiva sucessão de
fatos que não se traduz necessariamente em um processo evolutivo.

 e)

apresenta uma visão histórica calcada no estruturalismo linear, a partir do


qual as tensões e contradições dos modos de produção levam ao seu
esgotamento e superação.

4)
Observe atentamente a figura que segue:

Figura 1 – Supercontinente Pangea.


 

A análise da dinâmica natural que levou o supercontinente Pangea a se dividir, se


movimentar e formar os atuais continentes terrestres considera processos muito
lentos e antigos, devendo regredir a cerca de 250 milhões de anos.
Assim, em se tratando de processos de dinâmica da litosfera, pode-se dizer que a
modalidade de Tempo utilizada nesse tipo de estudo é:

Alternativas:

 a)

Tempo Cronológico.

 b)

Tempo Natural.
 c)

Tempo Geológico.

 d)

Tempo Histórico.

 e)

Tempo Historiográfico.
Fonte:https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Wikipedia_AZ_v01.pdf – Acesso em
03 jul 2016.
 
 
 
Muito se discute atualmente sobre os rumos da educação pós-moderna. Nesse
contexto há grande preocupação quanto: às técnicas e tecnologias empregadas no
processo; ao livre e intenso acesso às informações virtuais; como conceber e
executar o conteúdo ou currículo ligado aos processos de ensino-aprendizagem.
 
 

Assim, sobre os tipos de currículo e sua definição, marque V para verdadeiro ou F


para falso:
 

( ) O currículo oculto é aquele que se dá à margem da grade oficial, sendo


resultado da dinâmica de vivência e inter-relações entre professores e alunos,
estando muito próximo às múltiplas possibilidades do ambiente virtual.
( ) O currículo em espiral é uma nova modalidade de aplicação do currículo oculto,
na qual os conteúdos retornam em diferentes estágios do aprendizado, sendo de
difícil aplicação em conjunto com conteúdos virtuais.
( ) O currículo oficial é aquele construído verticalmente, geralmente atendendo aos
projetos e objetivos do Estado, apresentando um caráter homogeneizador, podendo
no entanto prever a utilização específica ou geral da internet.
( ) O currículo dinâmico se caracteriza por negar categoricamente o currículo oficial,
uma vez que este representa uma forma de opressão estatal, estando então
diretamente voltado às fontes virtuais não oficiais.
A partir da relação entre fontes de informação, em especial as virtuais e a aplicação
do currículo, assinale a alternativa que apresenta a sequência correta:

Alternativas:

 a)

V–F–V–V

 b)

F–F–V–V

 c)

F–V–F–V

 d)

V–V–F–F
 e)

V–F–V–F

3)
Leia o texto a seguir:
 
“A autora Circe Bittencourt divide estes materiais em duas categorias: os que ela
denomina como “Suportes Informativos e Documentos”.
Para a autora “suportes informativos, correspondem a todo discurso com intenção
de comunicar elementos do saber das disciplinas escolares” (BITTENCOURT, 2011).
Também dizem respeito a todos aqueles materiais que já no seu processo de
criação são pensados diretamente para a escola como material pedagógico. [...]
Então, esses suportes informativos são: todas as publicações de livros didáticos e
paradidáticos, atlas, dicionários, apostilas, cadernos, além das produções de
vídeos, CDs, DVDs, assim como materiais de computador (CD-ROMs, jogos, etc.).
Já os “Documentos”, encaixam-se em outro grupo de materiais didáticos.
Pertencem a todo o conjunto de signos, visuais ou textuais, que foram ou são
produzidos em uma perspectiva que não a mesma dos saberes das disciplinas
escolares, e foram posteriormente incorporados pelos professores com uma
finalidade pedagógica em suas aulas.
Esses documentos não foram produzidos com intenção de pertencerem ao espaço
escolar, porém, passaram a pertencer ao universo escolar pelo fenômeno da
ressignificação. Seu objetivo era de atingir um público mais amplo e diversificado,
porém acabou sendo inserido nas atividades escolares. ”
 
Fonte: INSAURRIAGA, M. M.; JARDIM, R. B. Entre textos e imagens: ensino de
história uma abordagem generificada dos livros didáticos dos anos noventa e dois
mil, do acervo do LEH/UFPEL. Aedos, Porto Alegre, v. 7, n. 16, p.112-130, jul.
2015. Disponível em: <http://www.seer.ufrgs.br/aedos/article/view/57011>.
Acesso em: 13 jun. 2017. p. 118.
 
 

De acordo com o que afirma a autora, associando concepções de currículo com


paradigmas das ciências sociais, avalie as seguintes asserções e a relação proposta
entre elas.
 
I. A concepção de documento, associada à fonte documental, está muito ligada aos
paradigmas historiográficos e das ciências sociais, sendo visto pela fenomenologia
como única fonte fidedigna e aceitável nos estudos das sociedades.
 
PORQUE
 
 
II. Na concepção de documento associado ao currículo, associado ao pensamento
positivista, limita a visão do documento ao que foi feito oficialmente, assim como os
documentos metódicos.
Analisando a concepção da autora acerca do currículo, avalie a veracidade das
asserções e sua possível relação de causa-efeito. Assinale a opção correta.

Alternativas:

 a)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa


da I.

 b)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma


justificativa da I.

 c)

A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.

 d)

A asserção I é uma proposição falsa, e a II é uma proposição verdadeira.

 e)

As asserções I e II são proposições falsas.

4)
Observe atentamente o mapa seguinte:
 
https://goo.gl/hcaVjV – Acesso em 03 jul 2017.
 

O mapa nos apresenta o sistema mundial de fusos horários de forma bastante


clara. Pensando na relação entre o uso do recurso iconográfico e o conceito
geográfico demonstrado, avalie as seguintes asserções e a relação proposta entre
elas.
 
 

1. Apesar de partir de um pressuposto natural que é o movimento de rotação


terrestre, a concepção do conceito de fusos horários é essencialmente política,
sendo definida pelos países.
 

PORQUE
 

2. Ao observarmos o mapa podemos identificar locais nos quais as linhas


definidoras dos fusos se moldam aos territórios dos países, ampliando ou
diminuindo a quantidade de fusos de cada um.
Após analisar o mapa, a veracidade das asserções propostas no texto e sua possível
inter-relação, podemos concluir que:
Alternativas:

 a)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa


da I.

 b)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma


justificativa da I.

 c)

A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.

 d)

A asserção I é uma proposição falsa, e a II é uma proposição verdadeira.

 e)

As asserções I e II são proposições falsas.

Aap4
1)
A organização e instituição de objetivos, diretrizes, conteúdos e práticas
educacionais tem sido papel do Estado desde sua constituição moderna enquanto
Estado-Nação na Europa pós Idade Média. Ao longo dessa história os diferentes
Estados têm construído arcabouços legais particulares para exercer seu poder de
executor das políticas oficiais. No Brasil, desde o século XIX, com a efetivação de
nosso Estado-nação, são propostas e criadas leis e decretos voltados a fomentar e
controlar o desenvolvimento dos processos educativos. Em tempos mais
contemporâneos foram criados instrumentos importantes, os quais deveriam ser
coerentes entre si para promoverem uma Política de Estado para a Educação. Nesse
contexto, tendo em mente o Ensino de Geografia, associe o instrumento legal (em
proposta ou efetivo) com sua função ou objetivos de aprendizagem de seu processo
educacional.
 
Associando o conhecimento sobre os objetivos e princípios de cada um dos
instrumentos legais com sua concepção acerca da Geografia, assinale a alternativa
que contém a sequência correta da associação.

Alternativas:

 a)

1 – I; 2 – III; 3 – II.

 b)

1 – III; 2 – I; 3 – II.

 c)

1 – II; 2 – III; 3 – I.

 d)

1 – III; 2 – II; 3 – I.

 e)

1 – II; 2 – I; 3 – III.

2)
A gênese das políticas públicas educacionais se dá com o início da estruturação do
Estado no Brasil. Nesse primeiro momento, a educação tem a função de demarcar
as diferenças entre as elites, com acesso a esse serviço, e o restante da população.
Com o intenso processo de industrialização do país, mais especificamente no
período chamado de Nacional-Desenvolvimentista (1945-1964), passa a ser
necessária uma ampliação do acesso à educação básica, com vias de atender à
demanda por formação de uma mão de obra minimamente qualificada. As últimas
revoluções educacionais observadas datam do final dos anos 1980, década de 1990
e início dos anos 2000, nas quais se propôs a efetivação de uma educação mais
plural, diversificada e ativa. Nesse contexto, avalie as afirmações a seguir.
 

I. Com a reestruturação produtiva toyotista, passou-se a demandar outro tipo de


trabalhador, um que fosse mais autônomo, tivesse mais iniciativa e uma
qualificação mais apurada.
II. A demanda cada vez mais intensa por uma mão de obra tradicional manteve
uma organização fordista nas escolas e o foco em uma formação rápida e de baixa
qualificação.
III. A necessidade de uma mão de obra mais qualificada era coerente com uma
demanda social por maior participação e protagonismo, que se refletiu em novas
políticas educacionais.
Ao relacionarmos a terceira revolução industrial em curso com as novas propostas
educacionais observadas ao final do século XX, podemos dizer que é correto o que
se afirma em
Alternativas:

 a)

I, apenas.

 b)

I e II, apenas.

 c)

I e III, apenas.

 d)

I, II e III.

 e)

II e III.

3)
Leia atentamente o texto para responder à questão:
 

“Dentro do espírito da correção de tendências elitizantes, a história e a geografia


do Brasil são constituídas em disciplinas autônomas, para garantir um estudo mais
profundo e eficiente da realidade do país. Porém, a política educacional do “Estado
Novo” acaba instituindo um sistema educacional dual sendo um dos segmentos
destinados aos jovens da classe trabalhadora e outro aos jovens destinados ao
comando, reproduzindo uma situação preexistente. As pressões para a quebra
desta dualidade chegam a nossos dias. O resultado destas políticas foi o de terem
substituído qualquer possibilidade de democratização por um zelo pela qualidade,
que acirrou o rigor acadêmico e os mecanismos seletivos em geral. ”
 
Percebe-se no texto que há uma dualidade entre os interesses científicos de
desenvolvimento do pensar o os interesses políticos de utilizar esse pensar como
ferramenta de dominação e desenvolvimento direcionado. Nesse sentido, durante a
industrialização do país a organização educacional passou a refletir a organização
industrial. Assim, o _________ se insere na organização pedagógica, __________
os saberes e seguindo a especialização produtiva. O objetivo era produzir um
conhecimento ___________ visando atender às demandas ___________. Esse
modelo resistiu até a 3ª revolução industrial e deixa marcas até hoje em nossos
processos de ensino-aprendizagem.
Ao pensar na relação intrínseca entre as políticas educacionais e os interesses
hegemônicos do capital, assinale a alternativa que melhor preenche as lacunas,
respectivamente.
Alternativas:

 a)

Marxismo – democratizando – libertário – sociais.

 b)

Capitalismo – qualificando – autônomo – evolutivas.

 c)

Construtivismo – relativizando – significativo – formativas.

 d)

Fordismo – fragmentando – operacional – do mercado.

 e)

Toyotismo – flexibilizando – autônomo – tecnológicas.

4)
Analise atentamente a tabela e o texto seguintes para responder à questão.
 
 
BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Proposta
preliminar. Segunda versão revista. Brasília: MEC, 2016. p. 323. Disponível em:
<http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf>. Acesso
em: 10 set. 2017. 
 
 
A tabela apresenta propostas de habilidades da Base Nacional Comum Curricular a
serem desenvolvidas pelos alunos de Geografia no primeiro ciclo do ensino
fundamental. Considerando que a BNCC tem por principal objetivo construir um (a)
____________, pode-se concluir que os objetivos de aprendizagem para alunos do
ensino fundamental (ciclo I) estão direcionados ao desenvolvimento de
_______________ ao desenvolvimento do pensamento geográfico, o que se
confirma ao identificarmos que verbos como ____________ e ___________
predominam na definição das habilidades a serem desenvolvidas.
A partir das concepções curriculares expressas na Base Nacional Comum Curricular
e na tabela, assinale a alternativa que melhor preenche as lacunas,
respectivamente.
Alternativas:

 a)

Parâmetro curricular – engajamento cívico – identificar – discutir.

 b)

Currículo mínimo – conteúdos avançados – elaborar – descrever.

 c)

Currículo mínimo – habilidades fundamentais – identificar – descrever.

 d)

Diretriz curricular – capacidade crítica – observar – criar.

 e)

Parâmetro curricular – habilidades avançadas – elaborar – observar.

Adg1
)
Observa-se a relevância da apropriação dos saberes históricos pelos alunos dos
anos iniciais do ensino fundamental para a leitura e problematização do contexto
social. Segundo a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) essa disciplina auxilia
no entendimento sobre as relações entre o passado e o presente e por isso deve
constar nos currículos escolares. Com base no exposto na BNCC sobre os processos
imperativos para o desenvolvimento e aprendizagem dos alunos dos anos iniciais
do ensino fundamental, em relação ao ensino de História, avalie as afirmativas a
seguir:
I - Trabalhar a comparação, identificação e contextualização é necessário para a
aprendizagem de saberes históricos.
II - Analisar e estudar os conhecimentos históricos por meio de uma perspectiva
técnica e tradicional auxilia na aprendizagem dos alunos.
III - Estudar os conceitos com base na interpretação e a análise crítica dos objetos
históricos é relevante para a aprendizagem no processo escolar.
 
Assinale a alternativa que apresenta todas as afirmações corretas:

Alternativas:

 a)

Apenas a afirmação I está correta.


 b)

Apenas as afirmações I e II estão corretas.

 c)

Apenas a afirmação II está correta.

 d)

Apenas a afirmação I, II e III.

 e)

Apenas as afirmações I e III estão corretas.

2)
Ao analisar a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é possível observar a
presença de 10 competências gerais, as quais devem impulsionar habilidades,
conhecimentos e valores, preparando o aluno para as situações da realidade social.
Em relação aos objetivos para o ensino de História para essa etapa de ensino,
avalie as afirmativas a seguir e marque V para verdadeiro e F para falso:
( ) A construção do eu, por meio do entendimento do “eu”, do “outro” e do
“coletivo”, se configura como um objetivo para o ensino de História.
( ) O reconhecimento sobre o espaço e tempo, com base na referência da
comunidade que pertence, pode ser compreendido como objetivo para o ensino de
História.
( ) A noção dos processos históricos para a manutenção das desigualdades sociais e
para melhoria da vida das minorias pode ser observado como um objetivo para o
ensino de História.
 
Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta:

Alternativas:

 a)

F - F - F.

 b)

F - F - V.

 c)

V - V - F.

 d)
F- V - F.

 e)

V - F - V.

3)
Leia com atenção o texto que referente a alfabetização cartográfica: Os alunos
precisam entender a função dos mapas para que possam interpretar e produzir
suas próprias representações do espaço. A cartografia, é um conteúdo essencial
para a compreensão das relações entre espaço e tempo, e consente ao aluno
compreender às necessidades do seu cotidiano. Deste modo as representações do
espaço geográfico devem ser apresentadas ao aluno desde cedo.
 
Em relação a alfabetização cartográfica, leia as afirmativas que seguem:
 
I. É importante que os conhecimentos cartográficos sejam ensinados a partir de um
processo que envolva a realidade vivenciada pelos alunos apenas da Educação
Infantil.
II. O processo de alfabetização cartográfica deve ocorrer ao longo dos anos iniciais
do Ensino Fundamental para que os alunos tenham domínio na elaboração de
mapas e gráficos.
III. No processo de alfabetização cartográfica deve ser desenvolvido competências
e habilidades que possibilitem o reconhecimento do espaço vivido.
IV. O pensamento espacial e o raciocínio geográfico são conceitos centrais para a
prática de Geografia, e devem ser elencados ao processo de alfabetização
cartográfica.
Agora, assinale a alternativa CORRETA:

Alternativas:

 a)

Apenas as afirmativas II, III e IV estão corretas.

 b)

Apenas as afirmativas I, II e III estão corretas.

 c)

Apenas as afirmativas II e III estão corretas.

 d)

Apenas as afirmativas I e IV estão corretas.

 e)

Apenas as afirmativas I e II estão corretas.

4)
A Base Nacional Comum Curricular estabelece para a Educação Infantil cinco
campos de experiências, que constituem um arranjo curricular que acolhe as
situações e as experiências concretas da vida cotidiana das crianças e seus saberes,
entrelaçando-os aos conhecimentos que fazem parte do patrimônio cultural.
(BRASIL, 2018, p. 40).
BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC,
2018.
 
Abaixo estão listados os campos de experiência propostos pela BNCC. Indique V
para aqueles que fazem parte do documento e F para os que não fazem:
(  ) O eu, os outros e o nós.
(  ) Corpo, gestos e movimentos.
(  ) Política e territórios.
(  ) Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações.
(  ) Temporalidade e espacialidade.
Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta:

Alternativas:

 a)

V – V – V – V – V.

 b)

V – F – V – F – V.

 c)

V – F – V – V – F.

 d)

V – V – F – V – F.

 e)

F – V – F – V – V.

Adg2
1)
A ciência geográfica está presente em muitos aspectos do nosso cotidiano, nos
levando a refletir sobre uma exigência cada vez maior deste conhecimento em
nossa sociedade, pois envolve política, economia e negócios, entre outros aspectos.
Na Educação Infantil, de acordo com Silva e Cabó (2014), a Geografia “pode
ampliar na criança o desenvolvimento das noções de representação e orientação de
lugar, paisagem, lateralidade, espaço e tempo”. Para esses autores, pode-se
potencializar o aprendizado dos discentes “com estratégias de ensino que possam
vir a ajudá-los no seu desenvolvimento cognitivo, cultural e social ao longo da
vida”, reafirmando a importância dessa abordagem para esse segmento da
educação.
Analise as seguintes asserções e a relação proposta entre elas:
I. O estudo de Geografia possibilita, aos alunos, a compreensão de sua oposição no
conjunto das relações da sociedade com a natureza; como e por que suas ações
individuais ou coletivas, em relação aos valores humanos ou à natureza têm
consequência tanto quanto para a sociedade. Permite conhecer e compreender as
diferentes relações que são estabelecidas na construção do espaço geográfico no
qual se encontram inseridas, tanto em nível local como mundial.
 PORQUE
 II. O estudo da Geografia torna-se importante por proporcionar às crianças, em
seu nível de conhecimento, o estabelecimento de relações entre o lugar em que
vivem e outros lugares, questionar e apresentar suas próprias concepções sobre
natureza e sociedade.
 
A respeito dessas asserções, assinale a alternativa correta.

Alternativas:

 a)

As asserções I e II são proposições verdadeiras e a II justifica a I.

 b)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não justifica a I.

 c)

A asserção I é uma proposição verdadeira e a II, falsa.

 d)

A asserção I é uma proposição falsa e a II, verdadeira.

 e)

As asserções I e II são proposições falsas.

2)
É no espaço físico que a criança consegue estabelecer relações entre o mundo e as
pessoas, transformando-o em um pano de fundo no qual se inserem emoções [...]
nessa dimensão o espaço é entendido como algo conjugado ao ambiente e vice-
versa. Todavia é importante esclarecer que essa relação não se constitui de forma
linear. Assim sendo, em um mesmo espaço podemos ter ambientes diferentes, pois
a semelhança entre eles não significa que sejam iguais. Eles se definem com a
relação que as pessoas constroem entre elas e o espaço organizado. O espaço
criado para a criança deverá estar organizado de acordo com a faixa etária da
criança, isto é, propondo desafios cognitivos e motores que a farão avançar no
desenvolvimento de suas potencialidades. O espaço deve estar povoado de objetos
que retratem a cultura e o meio social em que a criança está inserida. Gandini
(1990, p.150) diz que: “o espaço reflete a cultura das pessoas que nele vivem de
muitas formas e, em um exame cuidadoso, revela até mesmo as camadas distintas
dessa influência cultural”.  Reconhecendo que a criança é fortemente marcada pelo
meio social em que se desenvolve, e que também deixa suas próprias marcas neste
meio, que tem a sua família como o seu principal referencial, apesar de todas as
relações que ocorrem em todos os níveis sociais, o espaço infantil deve priorizar
remeter a história da criança para o seu contexto e através disto promover a troca
de saberes entre as crianças.
 
Sobre a linguagem como recurso de localização no tempo e no espaço na Educação
Infantil:
 
I. As crianças constroem o conhecimento a partir das interações que estabelecem
com as outras pessoas e com o meio em que vivem, assim, o conhecimento não se
constitui em cópia da realidade, mas sim, fruto de um intenso trabalho de criação,
significação e ressifignificação, através das múltiplas linguagens da infância.
II. As interações que ocorrem dentro dos espaços são de grande influência no
desenvolvimento e aprendizagem da criança.
III. Os espaços construídos para criança e com a criança devem ser explorados pela
mesma, em uma relação de interação total, de aprendizagem, de troca de saberes
entre os pares, de liberdade de ir e vir, de prazer, de individualidades, de partilhas,
enfim, de se divertir aprendendo.
IV. Brincando nos espaços com seus brinquedos e objetos variados e escolhendo o
espaço que deseja brincar e com quem deseja brincar, é uma atividade
enriquecedora visto que, as trocas de saberes que ocorrerão naturalmente através
das diversas linguagens sejam elas: oral, corporal, gestual, musical retratando a
realidade de cada um.
 
SANTOS, C. R. ; MOREIRA, G. E. ; COELHO, H. F. . O ensino de História e Geografia
na Educação Infantil e nas séries iniciais do Ensino Fundamental: desafios
permanentes.. Revista de Ensino de Geografia , v. 5, p. 148-163, 2014.
Em relação ao contexto apresentado é correto o que se afirma em:

Alternativas:

 a)

I, II e III apenas.

 b)

II, III e IV apenas.

 c)

I, II e IV apenas.

 d)

I, II, III e IV.


 e)

I, III e IV apenas.

3)
O Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (RCNEI) de 1998, vol. 3,
que trata de natureza e sociedade, ou seja, o ensino de Geografia para a primeira
infância, estabelece alguns objetivos e seus conteúdos a serem desenvolvidos de
acordo com a faixa etária atendida. Dentre seus objetivos estão:
 
- Explorar o ambiente para que possa se relacionar com pessoas,
estabelecer contato com pequenos animais, com plantas e com objetos
diversos, manifestando curiosidade e interesse;
- Interessar-se e demonstrar curiosidade pelo mundo social e natural,
formulando perguntas, imaginando soluções para compreendê-lo,
manifestando opiniões próprias sobre os acontecimentos, buscando
informações e confrontando ideias;
- Estabelecer relações entre o modo de vida característico de seu grupo
social e de outros grupos;
- Estabelecer relações entre o meio ambiente e as formas de vida que ali se
estabelecem, valorizando sua importância para a preservação das espécies e
para a qualidade da vida humana. (RCNEI, v. 3, 1998, p. 175).
Sobre o ensino de geografia para crianças de 0 a 3 anos, o trabalho acontece
inserido e integrado a seu cotidiano, destacando-se ideias relacionadas aos
objetivos estabelecidos e que podem estar presentes nos mais variados contextos
da rotina infantil. Assim, o que é correto afirmar?
 
I. Participação em atividades que envolvam histórias, brincadeiras, jogos e canções
que digam respeito às tradições culturais de sua comunidade e de outros grupos.
II. Exploração de diferentes objetos, de suas propriedades e processos de
transformação.
III. Contato com pequenos animais e plantas.
IV. Conhecimento do próprio corpo por meio do uso e da exploração de suas
habilidades físicas, motoras e perceptivas.
 
 
Fonte: https://educacaopublica.cederj.edu.br/artigos/18/13/o-ensino-de-geografia-
na-educao-infantil. Acesso em 24 jul. 2019.
 
Em relação ao contexto apresentado é correto o que se afirma em:

Alternativas:

 a)

I, II, III e IV.


 b)

I, III e IV apenas.

 c)

I, II e III apenas.

 d)

II, III e IV apenas.

 e)

I, II e IV apenas.

4)
Os Campos de Experiência propostos pela Base Nacional Comum Curricular para a
Educação Infantil “constituem um arranjo curricular que acolhe as situações e as
experiências concretas da vida cotidiana das crianças e seus saberes, entrelaçando-
os aos conhecimentos que fazem parte do patrimônio cultural.” (BNCC, 2018, p.
40) Entre os campos temos dois, em especial, que tratam do trabalho com o corpo
da criança, interconectado ao seu reconhecimento das transformações do tempo e
do espaço, sendo eles, “Corpo, gestos e movimentos” e “Espaços, tempos,
quantidades, relações e transformações”.
Para o desenvolvimento de atividades dentro desses campos de experiência é
importante o trabalho com a:

Alternativas:

 a)

Psicologia

 b)

Psicomotricidade

 c)

Fisioterapia

 d)

Psicopedagogia

 e)

Fisiologia
Adg3
1)
“O currículo oficial, exigência de uma política nacional, através da tentativa de uma
padronização do ensino, tem-se mantido a uma distância do que realmente se
ensina nas escolas. Talvez por serem impostos por agentes externos às escolas, ou
seja, durante a sua elaboração, a maioria dos professores é negligenciada sobre
sua discussão. Neles, são determinados os tipos de conhecimentos que deverão se
tornar de fato oficial ou não.
Mas, a questão levantada [...] é justamente a presença, nas escolas, de dois tipos
de currículos. Então, podemos dizer que o conhecimento que é produzido na escola,
não pode ser uma mera reprodução do currículo oficial imposto a ela. É então que
surge o currículo que Giroux (1997) denomina de currículo oculto.
Para compreender esse tipo de currículo é necessário recorrer à análise do saber
escolar e como este é produzido nas escolas. Para tanto, recorremos novamente a
Giroux (1997), quando nos diz que os estudantes aprendem nas escolas muito
mais do que conhecimentos e habilidades instrucionais, e que uma criança pode
aprender muito mais do que está no currículo formal. ”
 
Fonte: SAMPAIO, J. J. A.; ALBUQUERQUE, M. A. M. O Livro Didático de geografia
e a construção do saber escolar. UFPB. Disponível
em:  http://www.geociencias.ufpb.br/posgrad/sernne/artigo29.pdf - Acesso em 13
jun 2017. P. 4 e 5
 
 

De acordo com as autoras, o ___________ é construído ___________, levando em


conta as relações entre educadores e educandos, permitindo ____________ na
relação entre currículo e prática da aula. Assim, ele pode culminar em uma maior
valorização dos conteúdos, pois estes se tornam mais ______ e ______ aos alunos.
Após analisar corretamente o texto e verificar a concepção de currículo
apresentada, assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas,
respectivamente.

Alternativas:

 a)

Currículo oficial – formalmente – maior rigor – rígidos e pré-definidos.

 b)

Currículo oculto - às escuras – as intervenções – próximos e significativos.

 c)

Currículo linear – verticalmente – maior rigor – rígidos e pré-definidos.

 d)
Currículo oficial – horizontalmente – a flexibilização – pré-definidos e
significativos.

 e)

Currículo oculto - informalmente – a flexibilização – próximos e


significativos.

2)
“O livro didático em Geografia tem se mostrado ao longo do tempo, mais do que
um simples suporte de conteúdo, ele tem sido responsável pela disseminação do
saber, independente do tipo de Geografia trabalhada nas escolas, se Tradicional ou
Crítica. [...]
Outra questão a ser posta, é a importância do auxílio que o livro didático executa
na representação das imagens. Sabemos das dificuldades que os professores
enfrentam em sala de aula com a falta de recursos didáticos para ministrar os
conteúdos, principalmente os professores de Geografia, já que essa disciplina
necessita da visualização dos fenômenos para poder representá-los. Assim, o livro
didático tem se tornado bastante importante na retratação das imagens, auxiliando
assim, as explicações dos fenômenos por ele abordados. [...]
Atualmente, a riqueza iconográfica ilustrada nos capítulos dos livros de Geografia é
cada vez mais frequente. Mapas, gráficos tabelas, figuras e até charges
complementam as explicações dos conteúdos na tentativa de chamar a atenção dos
alunos bem como, facilitar a compreensão dos assuntos por ele abordados. ”
 
Fonte: 
SAMPAIO, J.J.A.; ALBUQUERQUE, M.A. M. O Livro Didático de geografia e a
construção do saber escolar. UFPB. P. 7

De acordo com o autor, a Geografia é uma disciplina especialmente dependente do


Livro Didático em função de seus recursos iconográficos. Pensando em como esse
tipo de recurso é útil aos estudos geográficos, nesse sentido, avalie as afirmações a
seguir.
 
I. Ao estudar demografia, se faz fundamental comparar os tipos de pirâmides
etárias, gráficos que apresentam a composição da população por idade.
II. Análises de composição étnica das populações podem ser mais claras a partir de
gráficos setoriais que demonstram a composição do todo por suas partes
percentuais.
III. Ao tentar entender o dinamismo econômico relacionado ao trabalho, em
geografia se costuma utilizar gráficos, em colunas ou setoriais, com a distribuição
da PEA (população economicamente ativa) por setores da economia.
Analise a concepção da autora sobre a relação entre a disciplina de Geografia e o
Livro didático, em seguida avalie as assertivas. É correto o que se afirma em:

Alternativas:

 a)

I, apenas.
 b)

I e II, apenas.

 c)

I e III, apenas.

 d)

II e III, apenas.

 e)

I, II e III.

3)
“O conhecimento no modelo curricular dominante é tratado basicamente como um
domínio dos fatos objetivos. Isto é, o conhecimento parece objetivo no sentido de
ser externo ao indivíduo e de ser imposto ao mesmo. Como algo externo, o
conhecimento é divorciado do significado humano e da troca intersubjetiva. Ele não
é mais visto como algo a ser questionado, analisado negociado. Em vez disso, ele
se torna algo a ser administrado e dominado. Neste caso, o conhecimento é
separado do processo de geração de nosso próprio conjunto de significados, um
processo que envolve uma relação interpretativa entre conhecedor e conhecido.
Uma vez perdida a dimensão subjetiva do saber, o propósito do conhecimento
torna-se a acumulação e a categorização. [...] Quando os professores não
equacionam suas próprias concepções básicas a respeito do currículo e da
pedagogia, eles fazem mais do que transmitir atitudes, normas e crenças sem
questionamentos. Eles inconscientemente podem acabar endossando formas
existentes de opressão institucional. [...] qualquer currículo destinado a introduzir
mudanças positivas nas salas de aulas irá fracassar, a menos que tal proposta
esteja enraizada em uma compreensão das forças sócio-políticas que influenciam
decisivamente a própria textura das práticas pedagógicas cotidianas em sala de
aula. ”
 
Fonte: GIROUX, H. A. Os professores como intelectuais: rumo a uma
pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997. P. 45,
48 e 61
 
O autor propõe a superação de uma concepção de currículo que, em sua visão,
apenas reproduz as relações de poder e não as questiona. Para ele, a atuação
docente é fundamental para a construção de um currículo mais plural e
significativo, para tal feito ele deve romper com as ideias pré-estabelecidas e
compreender a dialética das forças envolvidas no processo educacional.
Nesse sentido, podemos afirmar que o currículo a ser superado, o que deve
substituí-lo e como ele pode se apresentar, são respectivamente:

Alternativas:

 a)
Currículo interativo – currículo em espiral – currículo pré-ativo.

 b)

Currículo oculto – currículo pré-ativo – currículo oficial.

 c)

Currículo oficial – currículo interativo – currículo oculto.

 d)

Currículo pré-ativo – currículo linear – currículo em espiral.

 e)

Currículo linear – currículo oficial – currículo interativo.

4)
No mapa político do Brasil podemos identificar informações sobre a sistematização
dos fusos horários no país. Pensando na necessidade de se ensinar a dinâmica
desse sistema para alunos do ensino básico e nos recursos disponíveis, avalie as
afirmações a seguir:
 
I. O recurso iconográfico se torna plenamente descartável no estudo dos fusos uma
vez que estes são estabelecidos politicamente e não naturalmente.
II. Somente o recurso iconográfico do Livro Didático pode ser utilizado uma vez que
os fusos são definições políticas e estas se submetem ao Estado.
III. O uso de recursos digitais ou físicos que possibilitem observar grande
quantidade de mapas sobre fusos e vídeos sobre o movimento de rotação podem
trazer mais significado a esse sistema.
Considerando a informação expressa no texto e as afirmações sobre a relação entre
o conceito, seu conteúdo político e instrumentos de demonstração, é correto o que
se afirma em.

Alternativas:

 a)

I, apenas.

 b)

II, apenas.

 c)

III, apenas.

 d)
I e II, apenas.

 e)

II e III, apenas.

Adg4
1)
Dentro dos estudos jurídicos é comum se analisar a hierarquia entre as “peças”
legais, não em termos de poder, mas sim em termos de abrangência de suas
atribuições e objetivos. Na estruturação de um arcabouço jurídico, a organização
das políticas educacionais também apresenta essa hierarquia organizadora e
direcionadora das ações estatais. Nesse sentido, analise as produções legais e seu
principal objetivo.
 

1. Lei de Diretrizes e Bases da educação – disciplina a educação escolar e o ensino


e instituições próprias.
2. A Base Nacional Comum Curricular – estabelecer conteúdos mínimos para cada
disciplina.
3. Constituição Federal 1988 – define a educação como direito de todos e dever do
Estado e da família.
4. Diretrizes Curriculares Nacionais – desenvolver atividades para ampliar o acesso
à escola e promover a pluralidade e tolerância.
No contexto da evolução jurídica dos documentos educacionais oficiais, assinale a
opção que apresenta a sequência correta, em ordem temporal e de hierarquia,
desses documentos.

Alternativas:

 a)

1 – 3 – 4 – 2.

 b)

3 – 2 – 4 – 1.

 c)

1 – 3 – 2 – 4.

 d)

4 – 3 – 1 – 2.

 e)

3 – 1 – 4 – 2.
2)
Analise os textos e as imagens para responder à questão.
 

Fonte: BRASIL. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases


da Educação. p. 4. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2017.
 
 

Ao longo de seu desenvolvimento, a estrutura legal concebeu a educação, na


grande maioria das vezes, a um papel instrumentalizador, para atender às
demandas de desenvolvimento, ou seja, para manter as estruturas de poder.
Atendendo às demandas de regulamentação de dispositivos da Constituição Federal
de 1988, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (nº 9. 394/96), acaba por
consolidar uma nova concepção para a educação. Nesse sentido, avalie as
seguintes asserções e a relação proposta entre elas.
 

I. A educação deixa de ser apenas um instrumento fornecedor da mão de obra ao


se destinar à orientação da prática social, ou seja, passa a se preocupar com
construções ideológicas, culturais e políticas da formação cidadã.
 

PORQUE
 

II. Com a ascensão da democracia, visível na Constituição, aumentam as demandas


por construir instituições públicas que sejam mais democráticas e que tomem o
cidadão como elemento ativo das políticas públicas, além do fato de a globalização
ter intensificado o acesso às informações e o desejo de construção de novas
realidades.
A respeito da veracidade dessas asserções e de uma possível relação de causa-
efeito entre elas, assinale a opção correta.

Alternativas:

 a)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa


da I.

 b)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma


justificativa da I.

 c)

A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.

 d)

A asserção I é uma proposição falsa, e a II é uma proposição verdadeira.

 e)

As asserções I e II são proposições falsas.

3)
Desde 2014 tem-se desenvolvido uma proposta muito polêmica no meio
educacional, a Base Nacional Comum Curricular, a qual tem por objetivo efetivar
um currículo mínimo para os processos educacionais em todo o país. Depois de
passar por algumas etapas, em função da constante rejeição às propostas, a BNCC
tem sofrido críticas contundentes por parte de várias associações de classe. A
ANPUH (Associação Nacional de História) tem sido uma das mais críticas à
proposta, chegando a publicar uma carta/manifesto em repúdio a ela em seu site
acusando-a de ser anacrônica, ineficiente, reducionista e promotora de uma
concepção de Tempo Histórico marcada por um nacionalismo arcaico. Em seu
trecho final a carta afirma que:

“Ao invés de questionar cronologias, o currículo da BNCC traz visões distorcidas do


passado, como se toda a história anterior às expansões marítimas modernas não
estabelecesse relação com o próprio significado que adquire a América neste
cenário. No conteúdo da BNCC, a formação territorial e nacional não se conecta
com a história global, como se ideias, pessoas e objetos não circulassem. ”

Fonte: http://site.anpuh.org/index.php/bncc-historia?start=28 – Acesso em 27 jul


2017.
A partir desse contexto, ao relacionar as críticas da ANPUH quanto ao anacronismo
e reducionismo da BNCC expressas em seu texto final, podemos afirmar que a
concepção historiográfica presente na base se caracteriza como sendo:
Alternativas:

 a)

Materialista, muito limitada às relações de produção e distribuição do


capital.

 b)

Fenomenológica, demasiadamente subjetiva e não democrática.

 c)

Positivista, de uma história fragmentada e vinculada às cronologias.

 d)

Metódica, reducionista por negligenciar demasiadamente a história


europeia.

 e)

Marxista, cuja historiografia se limita a discutir a desigualdade regional.

4)
Analise atentamente o texto para responder à questão.

“Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo


físico, social e cultural para entender e explicar a realidade (fatos, informações,
fenômenos e processos linguísticos, culturais, sociais, econômicos, científicos,
tecnológicos e naturais), colaborando para a construção de uma sociedade
solidária. [...]

Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de


conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as relações próprias do
mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas ao seu projeto de vida pessoal,
profissional e social, com liberdade, autonomia, consciência crítica e
responsabilidade. ”
 

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Proposta


preliminar. Segunda versão revista. Brasília: MEC, 2016, p. 18. Disponível em
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/documentos/bncc-2versao.revista.pdf.
Acessado em jun. 2017.
 
 

Ao analisarmos essas Competências Gerais propostas pela Base Nacional Comum


Curricular, podemos identificar uma concepção curricular ampla. Pensando-se na
relação entre os currículos oficial e oculto e na proposta da BNCC, avalie as
asserções a relação proposta entre elas.
 

I. As competências propostas na BNCC extrapolam o campo de ação do currículo


oficial, inserindo objetivos de aprendizagem a serem trabalhados pelo currículo
oculto.
 
 

PORQUE
 

II. A BNCC apresenta uma junção entre a fenomenologia e o marxismo ao associar


a ideia de uma formação cidadã solidária com a explicação da realidade a partir da
análise de fenômenos e processos linguísticos e culturais.
Considerando as ideias expostas no texto, avalie a veracidade das asserções e a
possível relação de causa-efeito entre elas.

Alternativas:

 a)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa


da I.

 b)

As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma


justificativa da I.

 c)

A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.

 d)

A asserção I é uma proposição falsa, e a II é uma proposição verdadeira.

 e)

As asserções I e II são proposições falsas.

Você também pode gostar