Você está na página 1de 3

Vereação do Partido Socialista

DECLARAÇÃO DE VOTO
RELATÓRIO DE ACTIVIDADES E CONTA DE GERÊNCIA DA
CÂMARA MUNICIPAL DA COVILHÃ DO ANO DE 2010

Apresentamos, preliminarmente, o nosso veemente protesto pelo facto


de não nos terem sido disponibilizados com maior antecedência os
documentos com as contas da Câmara.
Fomos informados no final da tarde de segunda-feira, por correio
electrónico, de que aqueles elementos estariam ao nosso dispor no Serviço de
Apoio aos Órgãos. Pelo que, na prática, apenas tivemos três dias para recolher
e tratar tal informação, o que nos impediu de efectuar uma análise e estudo
mais aprofundados da mesma.
Assim, com a análise que o curtíssimo espaço de tempo nos permitiu
efectuar, constatamos que o Relatório e Contas do exercício de 2010 retrata e
confirma a complicada situação financeira decorrente da estratégia de
realização, há muitos anos levada a cabo por esta maioria, assente no
sobreendividamento.
E se é certo que se verificou uma redução da dívida, que desceu de 95
milhões para 89 milhões de euros, esforço esse que registamos positivamente,
a verdade é que a Câmara está muito dependente de fundos externos (estatais
e comunitários), sendo que, para além do facto de os fundos comunitários
terminarem em 2013, a difícil situação económica e financeira do país nos diz
que as transferências do Orçamento de Estado tenderão a diminuir, pelo que,
reiteramos a nossa mais profunda preocupação com a futura sustentabilidade
financeira do município da Covilhã.
Acresce que, e importa sublinhá-lo, a dívida da Câmara é muito superior
aos 89 milhões plasmados no Relatório, uma vez que aí não estão agregados
os passivos da ICOVI, da SRU, e das participações do município na ADC –
Águas da Covilhã, no Parkurbis e nas Águas da Serra, estimando nós que o

1
Vereação do Partido Socialista

perímetro de consolidação de todas as contas ronde os 100 milhões de euros,


que nos hão-de carregar sobre os ombros durante muitos anos.

Da análise efectuada às contas em apreço salientamos ainda o


seguinte:
Desde logo importa referir que em 2010 se verificou uma ligeira
diminuição de receita relativamente ao ano de 2009. As receitas desceram de
38 milhões para 36,9 milhões de euros.
Razão por que em 2010 a receita executada foi de 34,71%, quando no
ano de 2009 tinha sido de 38, 87%.
Por sua vez, a despesa executada (32,6 milhões de euros) foi de
30,67%, também ligeiramente inferior à de 2009, ano em que registou uma taxa
de execução de 31,90%.
A taxa de execução das Grandes Opções do Plano, que foi de 19,70%,
é praticamente idêntica à de 2009, ano em que atingiu 19,18%, mantendo-se,
assim, num dos mais baixos níveis de execução dos últimos anos, ou seja,
foram executados 17,4 milhões de euros quando estava previsto executar 88,3
milhões de euros.
Também a despesa com o pessoal (7 milhões de euros) face às
despesas totais registou um ligeiro aumento de 21,28%, em 2009, para 22%
em 2010, assim se mantendo uma preocupante tendência de crescimento de
tais despesas, que, para melhor compreensão, comparamos com as de 2008,
ano em que elas ascenderam a 5,7 milhões de euros, representando então
apenas 8,92% das despesas totais do município.
Este quadro mostra-nos que a situação financeira da Câmara da Covilhã
nos continua a preocupar e que urge proceder ao equilíbrio das contas da
autarquia. E não se objecte com o facto de a dívida de curto prazo se encontrar
assegurada.
Hoje, mais do que nunca, temos que programar e desenvolver
estratégias de longo prazo, deixando de navegar à vista…

2
Vereação do Partido Socialista

Os momentos de aperto económico e financeiro que o país e a Europa


atravessam exigem e obrigam-nos a governar com contenção e rigor.
Daí que, o caminho que nos conduzirá à sustentabilização financeira da
Câmara Municipal da Covilhã não é aquele que estas contas de gerência
mostram.
Porém, o pequeno esforço desenvolvido no sentido de reduzir a dívida
deve ser prosseguido, designadamente através da redução da despesa.
Assim, pelas razões expostas, os Vereadores do PS decidem abster-se
relativamente a estes documentos.

Covilhã, 1 de Abril de 2011

Os Vereadores do Partido Socialista,

Vitor Pereira,

Graça Sardinha,

João Correia,

Você também pode gostar