Você está na página 1de 4

Artigo Cargo Abril 2011

Livro Branco e novo Porto de Jade-Weser, na Alemanha

Livro Branco

A Comissão Europeia apresentou recentemente o novo livro branco para os transportes da


União Europeia, que designou por “Roteiro do espaço único europeu dos transportes – Rumo a
um sistema de transportes competitivo e económico em recursos”.

No que ao transporte marítimo e aos portos diz respeito, a principal novidade é o objectivo de
criação de uma “cintura Azul” no mar, em torno da Europa e países vizinhos, onde o transporte
marítimo beneficie com a facilitação de procedimentos para os serviços intra-europeus e com
países próximos. No entanto, nada é referido sobre como deverá ser prosseguido este
objectivo, que parece muito importante, mas que encontra adversários nas diferentes
alfândegas e entidades públicas portuárias europeias.

Por outro lado, prevê o aumento do número de portos e da sua eficiência e ligações com
sistemas de informações e à rede de transportes, para que mais tráfego chegue a qualquer
ponto do território sem ter que utilizar o transporte terrestre. No entanto, os recentes
documentos da RTE (Redes Europeias de Transporte), que definem os portos a serem apoiados
financeiramente pela União Europeia no seu esforço de investimento, apenas contemplam os
grandes portos europeus, deixando de lado os pequenos portos, como é o caso dos
portugueses.

No livro branco assume-se uma lógica de corredores e de ligação ferroviária a todos os portos,
com simplificação do tráfego ferroviário de mercadorias na Europa, para que tenha sucesso à
semelhança do que sucede nos EUA. Mas ninguém sabe como vão ser sanadas as diferenças
entre os sistemas ferroviários nacionais na União Europeia.

Um objectivo importante enunciado é a redução até 2030 de 30%, e até 2050 de 50%, do
tráfego rodoviário além de 300 km, com transferência para o modo marítimo, fluvial e
ferroviário, reservando para a rodovia o papel apenas nas pontas finais do transporte. Este é
um objectivo recorrente, agora quantificado, que carece de medidas concretas para ser
realizado, nada sendo referido sobre, por exemplo, o ecobono, que incentivaria os
transportadores rodoviários a utilizar o short-sea.

É um facto que o livro branco da Comissão aposta muito forte no ambiente e na mudança das
fontes de energia utilizadas em todos os modos de transporte, propondo-se, no caso do
transporte marítimo, reduzir 40% as emissões de CO2 na União Europeia com bancas de
navios, até 2050. Aposta ainda na segurança de portos e navios, de cargas e passageiros,
reforçando os direitos dos utilizadores dos transportes e dos portos.

Existe no livro branco forte ênfase na aplicação dos princípios do utilizador-pagador e do


poluidor-pagador, procurando evitar subvenções e apoios que distorçam a concorrência e
procurando que cada um pague os custos das externalidades ambientais negativas do modo
que utiliza. Também aqui faltam medidas concretas.

A liberalização do acesso aos serviços portuários e controlo do financiamento dos portos pelos
Estados, para que não se distorça a concorrência, é referido levemente. Existe também uma
aposta na qualidade, acessibilidade e fiabilidade dos serviços de transporte, bem como na
integração intermodal, sendo tocado o tema das auto-estradas do Mar, que recentemente
deixaram de ser apoiadas pela União Europeia, por motivos da não distorção da concorrência.

No fundo, trata-se mais de um livro verde de intenções, onde não estão especificadas acções
muito concretas para serem atingidos alguns objectivos enunciados, que são quase poéticos.

Novo Porto de Jade-Weser

A Alemanha tem em construção um novo grande porto de contentores em Jade-Weser,


Wilhelmshaven, na Baixa Saxónia, que é considerado o projecto do século e do qual se
esperam importantes benefícios económicos e sociais, nomeadamente a criação de emprego,
efeitos multiplicadores e receitas fiscais municipais e estaduais.

As obras iniciaram-se em Março de 2008, devendo o novo porto ser inaugurado em Agosto de
2012. Vai ter 18 metros de fundos e poderá receber navios até 16,5 m, preparando-se para ser
a porta do Norte Europeu e Rússia, com ligações ferroviárias a toda a Europa.

Na autoridade portuária, a JadeWeserPort Realisierungs GmbH & Co. KG, o estado da Baixa
Saxónia detém uma participação de 50,1% e o estado de Bremen 49,9% (através de
bremenports GmbH & Co. KG).

O porto designado também por JadeWeserPort, é um complemento aos grandes portos


existentes na Alemanha e tem como base a premissa de que uma nação comercial líder
depende dos seus portos marítimos eficientes e competitivos. Além disso, este porto é de
interesse europeu dentro do contexto do alargamento da União Europeia a leste e da
intensificação das relações comerciais com a Rússia.

O volume de investimento total da infra-estrutura e super-estrutura é de 950 milhões de


euros, sendo comparável à construção dos portos modernos de Bremerhaven ou
Wilhelmshaven no século XIX.
http://www.jadeweserport.de/

A localização foi escolhida com simulações náuticas que confirmaram ser adequado para
grandes navios porta-contentores até 430 metros de comprimento e 16,50 metros de calado.
O cais terá 1,725 Km e permitirá colocar 16 pórticos de contentores, fundamentais para fazer
face ao crescimento previsto do mercado de contentores nos próximos anos.

Após a sua conclusão, JadeWeserPort será o porto de águas profundas mais oriental na faixa
norte da Europa (entre Le Havre e Hamburgo). Sua capacidade é de cerca de 2,7 milhões de
TEU, com cerca de dois terços de contentores em trânsito de mar e terrestre para distribuição
no continente Europeu e portos da Escandinávia, mar Báltico e Rússia. O projecto é uma parte
importante da rede trans-europeia de auto-estradas do mar.

À área do terminal, que abrange 130 hectares de terrapleno, irá juntar-se uma zona logística
com 160 hectares com terrenos necessários para a instalação de empresas industriais e de
logística portuária. As áreas de interface para a integração dos modos de transporte ferroviário
e rodoviário, bem como para a construção de bancos de protecção contra as inundações terão
cerca de 70 ha. Prevê-se também uma cidade de serviços logístico-portuários próxima, com
mais de 400 hectares.
http://www.google.com/images?hl=pt-
pt&rlz=1B3RNFA_enPT269PT291&q=jade+weser&um=1&ie=UTF-
8&source=og&sa=N&tab=wi&biw=1016&bih=537

Você também pode gostar