Você está na página 1de 36

Se você e seus pais

quiserem perguntar
alguma coisa para a
autora deste livro, ou
quiserem mandar
alguma história que
aconteceu com sua
família, ou alguma
ideia, escrevam para:
UFPR - Departamento
de Psicologia -
Professora Lidia Weber -
Praça Santos Andrade,
50 - I o andar - 80060-000
- Curitiba/PR. Ou
mandem um e-mail
para lidiaw@uol.com.br
4a Edição - 11a Tiragem
Revista e Atualizada

EDITORA AFILIADA
Copyright 2005 by Lidia Natalia Dobrianski Weber
Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial
de qualquer forma ou por qualquer meio, salvo autorização por escrito
da autora.

Impresso no Brasil / Printed in Brazil

Capa e Ilustrações: Benett

Revisora: Antônia Schwinden

Diagramação: Atilio Cropolato Castanho

1a edição: 2005

Visite nosso site na Internet: www.jurua.com.br


e-mail: editora@jurua.com.br

^ mm m m m Brasil - Av. Munhoz da Rocha, 143 - Juvevê - Fone: (41) 4009-3900


jg I I I D I Ifj Fax: (41) 3252-1311 - CEP: 80.030-475 - Curitiba - Paraná - Brasil
^ Europa - Escritório: Av, da República, 47 - 9o Dt° - 1050-188 - Lisboa - Portugal
EDITORA Loja: Rua General Torres, 1.220 - Lojas 15 e 16 - Centro Comercial
D'Ouro - 4400-096 - Vila Nova de Gaia/Porto - Portugal

Editor: José Ernani de Carvalho Pacheco

Weber, Lidia.
W373 Eduque com carinho: para crianças./ Lidia Weber./ 4a ed.,
11a tir./ Ilustrações de Benett./ Curitiba: Juruá, 2012.
32p.; 15,3 x 21cm.

1. Educação. I. Título.

CDD 370.1 (1a ed.)


ISBN: 978-85-362-3971-2 CDU 37.013
Curitiba
J u ru á Editora
2012
á C rianças que moram com o pai e a mãe, que

H moram só com a mãe ou só com o pai. Há


outras crianças que moram com avós, ou tios,
outras pessoas. Logo, existem vários tipos de família.
Por isso, daqui para frente, sempre que falarmos "pais",
lembre-se que pode ser seu pai, sua mãe, ou outras pessoas
que cuidam de você todos os dias.

Você faz parte de uma família com pessoas que amam


muito você. Uma delas comprou um livro para aprender
melhor como educar crianças e, junto com o livro dela, veio
este livro para você aprender a se dar bem com seus pais e
com outros adultos e, também, para você se sentir bem
com você mesmo!
Com quem você mora?
desenhe aqui
a sua família:

E|. COLEGUlNHA...
QUE TAL VOCI
PESENHAR AQUI I
A SUA FAMÍLIA?

— ____________________________________ _____________ ____________ __________________________________


Vamos apresentar dois novos amigos que vão
acompanhar você nesta leitura.

É uma menina de 6 anos, que tem um irmão


mais velho. E muito alegre e faladeira, gosta de
dançar, adora sorvete de morango e bife bem fininho
e não gosta de mamão e alface.
CADU É um menino de 8 anos, tem uma irmã mais
/
velha e um irmão mais novo. E divertido e estudioso,
adora jogar bola, gosta de comer pizza e
macarronada, mas não gosta de feijão nem camarão.

Você vai saber algumas histórias sobre Juju e Cadu


em cada capítulo deste livro especial para crianças.
Vamos aprender algumas coisas com eles?

o
Cadu estava brincando no quarto, sua mãe veio chamar
para almoçar e aproveitou para dar um abraço bem apertado
nele. Ele gostou e foi até a mesa abraçado com a sua mãe.
Cadu é muito carinhoso. Sempre abraça os pais, dá beijos
estalados, diz que gosta muito deles e vê como eles f icam
felizes! Ele fica contente
quando recebe um beijo
ou outro carinho, pois
sabe que isso é um
jeito de seus pais
mostrarem o
quanto o amam.
Você já ouviu dizer que "pai e mãe são sempre iguais
e só mudam de endereço?" Pois é, em algumas coisas são
mesmo! Por exemplo, os pais adoram receber muitos
beijos, abraços bem apertados, desenhos e cartinhas
feitos especialmente para eles! 6ostam muito de ouvir
seus filhos dizerem o quanto os amam! O que você acha
de fazer estas coisas com os seus pais? Isto os deixará
muito felizes e orgulhosos de você!
Os pais também gostam de dar carinho e
atenção. Sabe por quê? Porque querem mostrar
o amor que sentem por você! Cada pai ou mãe
tem um jeito diferente de fazer isso.
Uns beijam e abraçam, outros falam
"eu te amo", outros fazem a comida
preferida, outros levam para
passear, compram um sorvete,
outros brincam junto, andam
de bicicleta, preocupam-se
com suas notas e com seus
amigos e tantas outras
coisas. Por isso, quando
seus pais fazem alguma
dessas coisas, você só
tem motivos para se
sentir muito feliz, pois
eles estão mostrando
que amam muito você,
de verdade!
Juju estava brincando com suas roupas de dança,
quando ouviu o barulho do carro do pai estacionando na
garagem. Ela correu para abrir a porta para o pai e, vendo
o seu rosto cansado, ela perguntou por que ele estava
assim. O pai sorriu, disse que tinha ido ao supermercado
e pediu ajuda com as sacolas de compras.
Contente, Juju pegou algumas
sacolas e guardou cada
alimento no lugar certo e
o pai a ajudou a colocar
as latas na prateleira
de cima. Os pais de
Juju têm muito
orgulho da filha,
pois ela sempre
quer saber como
eles estão e adora
ajudá-los quando
possível.
Vamos ver o que Juju realmente fez?

1) Abriu a porta para o pai.

2) Viu o rosto cansado do pai.

3) Perguntou por que ele estava assim.

4) Ajudou seu pai com as compras.

Veja que Juju participa da vida do seu pai, ela se


envolve com a sua família. O que é isso? E estar perto, estar
junto, é como o pão que envolve a salsicha no cachorro-

-quente! E ded\car-se às pessoas que se ama, observar se
elas estão tristes ou alegres, conversar com elas, dar-lhes a
nossa opinião, participar das decisões, prestar atenção nos
momentos em que precisam da nossa ajuda.
Lembre-se que você é um
membro importante da sua família e
por isso deve participar dela! O que você
acha de se interessar pelos seus pais e
irmãos? Procure perguntar como eles estão se
sentindo hoje, o que estao fazendo, se precisam de
ajuda. Imagine como f icará legal a sua casa se todos se
envolverem com a família!
Todo dia, Cadu arruma a cama logo depois de acordar;
não fica perfeita, mas ele ainda está aprendendo a dobrar
direito a colcha. Ele fica orgulhoso de si mesmo porque
consegue fazer sozinho as coisas. Ele toma café e escova
os dentes. Vai à escola e, quando volta, só pode brincar
depois de fazer as tarefas de casa. Cadu joga bola com
seus amigos do condomínio e tem hora certa para voltar
para casa. Uma vez ele esqueceu a hora. Cadu chegou
atrasado e sua mãe estava preocupada. A mãe explicou que
seis horas escurece, e ele precisa entrar, pois é perigoso.
Cadu entendeu a preocupação da sua mãe e agora ele
aproveita o máximo até às seis horas e sempre volta para
casa na hora que sua mãe pediu. Mãe tranquila fica mais
boazinha!

Veja que Cadu segue algumas regras: arrumar a cama,


escovar os dentes depois das refeições, fazer a tarefa de
casa, brincar depois da tarefa, voltar
para casa às seis horas.
Por que existem regras? Regras são os combinados
entre as pessoas. Imagine como seria o mundo se não
houvesse regras. Você já pensou se as pessoas não
seguissem horários, não respeitassem as filas, não
parassem no sinal vermelho? Veja como as regras são
importantes para nossa vida.
As regras existem para nos dizer o que é certo e o
que é errado, para que possamos saber que uma coisa vem
depois da outra, para colocar ordem no mundo! Quando
somos crianças, nossos pais precisam ensinar e explicar
por que algumas coisas podem ser feitas e outras não.
Depois, quando crescemos, os pais não precisam mais nos
dizer o que fazer; as regras passam para dentro de nós e
saberemos sozinhos como nos comportar. As crianças que
não aprendem regras com seus pais ficam crianças muito
chatas. Elas não obedecem, gritam e fazem escândalo
quando querem alguma coisa, não respeitam ninguém,
podem até ser agressivas. Não é uma boa.

Pr e s t e atençao tam bém

NAS REGRAS DE BOA

EDUCAÇ&O, DIGA “ MUITO

OBRIGADO", “ fOR FAVOR” ,

“ COM LICENÇA” , SEGURE

A PORTA DO ELEVADOR

PARA OS MAIS VELHOS.

ISSO VAI AJUDÁ-LO NO

RELACIONAMENTO COM AS

PESSOAS E V O CÊ VAI SE

SENTIR MUITO BEM.


Hoje a arniga da Juju foi almoçar na casa dela.
Seu nome é Lili. Quando Lili chegou, Juju ficou
impressionada com seu penteado e disse "Puxa, Lili que
legal que esta seu cabelo, foi voce mesma quem
arrumou?" Lili respondeu que sim e ficou muito alegre por
sua amiga ter gostado de seu cabelo. As duas almoçaram
a comida que a mãe de Juju fez especialmente para elas.
Estava uma delícia, e Juju deu um forte abraço em sua
mãe, agradecendo por ela ter feito uma comida tão
gostosa. E Lili também disse "Adorei, tia".
/

E comum perceber só os defeitos dos outros.


Quando prestamos mais atenção, percebemos que há
muitas coisas legais nas pessoas à nossa volta. Lembre de
algumas coisas que você gosta em algum parente ou amigo
e siga o exemplo:
As coisas legais que você percebe nos outros
devem ser elogiadas. Todas as pessoas ficam felizes
com um elogio. Portanto, quando você elogia, você deixa
o outro mais alegre e se torna uma criança mais
agradavel e querida por todos! Você pode fazer isso
com sua mãe, seu pai, seus irmãos, seus amigos, a
professora e outras pessoas. Mas seja sempre sincero!
Mentir só para ser bonzinho não vale.

Da mesma forma, quando você faz coisas legais


para as outras pessoas, isto é valorizado! E você sabe o
que são estas coisas legais que você pode fazer? Você
pode ajudar seus pais em casa, guardando seus
brinquedos ou deixando o seu quarto arrumado. Ou então
você poderá tomar banho e escovar os dentes antes de
eles mandarem você ir. Você poderá marcar um horário
para estudar e assim poder tirar boas notas na escola.
Você vai perceber que fazendo muitas destas coisas,
você se sentirá muito orgulhoso de si próprio! Vai se
sentir uma pessoa cada vez mais importante e valorizada.
Juju adora dançar. Um dia ela pegou um CD do seu
irmão. Quando o irmão descobriu, ficou superbrabo com
Juju, ela sempre pegava as suas coisas sem pedir. A mãe de
Juju já tinha explicado várias vezes que não se pode pegar
coisas dos outros sem pedir antes. Desta vez, a mãe teve
que tomar uma atitude. Explicou para Juju que ela ficaria
um dia sem o seu som para aprender a pedir permissão.
Juju ficou triste, mas entendeu o que fez de errado.

Vamos entender o que aconteceu:

1) Juju fez algo errado: pegou o CD do irmão


sem pedir.

2) A mãe tirou o som da Juju por um dia.

3) Juju aprendeu que precisa pedir antes de pegar


coisas dos outros.

A mãe de Juju deixou a filha de castigo (sem o som)


porque precisava corrigir o comportamento de sua filha.
Isto não signif ica que a mãe dela não a ame! Os pais amam
seus filhos por completo, em todos os momentos. Mas, às
vezes, quando as crianças agem de forma errada, os pais
precisam corrigir o comportamento. Na tentativa de
mostrar o que e certo, muitos pais gritam, batem, xingam,
dão broncas enormes, e muitas vezes não sabem o que
fazer. Às vezes os pais também perdem o controle, e,
cá entre nós, também vamos ensmar a seus pais que
isso não é certo! Mas, os pais podem usar alguns
castigos se seus f ilhos não seguem as regras, não é?
Castigo são as consequências que acontecem quando
você não segue as regras.

SERA QUE TEREI


QUE A30ELHAR NAQUELE
MILHO? OU PIOR...
COMER AQUELE
MILHO???
Mas os castigos não são legais para você, é
uma situação chata, você fica triste e magoado, e seus
pais também. Para evitar essas situações, você poderá
prestar atenção para não fazer coisas erradas. Que
coisas são estas? Voce poderá evitar as brigas com seus
irmãos. Voce não precisa falar palavrões ou gritar quando
estiver conversando com sua família e seus amigos. Veja
só, seus pais lhe ensinam uma porção de coisas que você
pode e não pode fazer. Eles entendem
melhor como o mundo funciona,
como são as regras entre as
pessoas, para que as
pessoas vivam
melhor!

DICA:

ANTES DE FAZER ALGUMA COISA


DA QUAL VOCÊ NÃO TEM CERTEZA,
PERGUNTE A SEUS PAIS.
CAPÍTULO6

COMUNIQUE-SE

Cadu ficou muito triste porque um colega na escola o


chamou de balofo, só porque ele adora comer pizza.
Quando ele chegou da escola, contou para seu pai. O pai o
abraçou, disse que se a gente não da bola para os
apelidos, os outros não acham graça e param de apelidar.
Cadu perguntou a seu pai se isso já tinha acontecido com
ele, e seu pai contou várias histórias. Foi uma conversa
muito legal, Cadu se sentiu bem melhor depois de falar
com seu pai.
Você sabe por que é
tão bom conversar com o
pai e com a mãe? Para que
vocês se entendam melhor
e também sejam amigos.
Nós não podemos adivinhar
o que os outros pensam ou
sentem, por isso é sempre
bom ter o costume de
conversar com as pessoas
de quem gostamos. Muitos
problemas entre pais e
filhos existem por falta de
comunicação. E quando nós f içamos zangados não vale
gritar, porque os outros ficam tristes, e nós também.

Marque um X nos itens que você faz:

1.( ) Ouvir o que os pais estão dizendo.

2.( ) Contar para os pais coisas legais e coisas tristes


que te acontecem.

3.( ) Perguntar para eles como eles estão se sentindo.

4.( ) Mostrar sua ideia sobre alguma coisa.

5.( ) Pedir a opinião de seus pais.

6.( ) Explicar porque você fez aquilo de errado.

7.( ) Tirar dúvidas com seus pais.


Esses itens mostram formas diferentes de conversar.
Veja que o Cadu fez o item dois (contou uma coisa triste).
Você pode treinar aqueles itens que você não faz, voce vai
perceber que isso vai ajudar a melhorar a sua relaçao com
seus pais! e também com as outras pessoas.

l ) SETK SEM?RE SINCERO. 2 ) a U *W > 0


ESTIVER BRABO, RES?IRE FÜW>0, CONTE M Í
10 E JOGUE &G U K HO ROSTO KMTES Í E
CONVERSAR COM M.GÜÍM...
CA?ÍTÜLO 7
B P © E > K m «

VAMOS VER DE NOVO O QUE VOCÊ APRENDEU?

1) Dar carinho para meus pais e amigos é muito importante.


2) E preciso estar interessado na vida dos meus pais e ajudá-los.

3) As regras são úteis para minha vida.

4) Perceber coisas legais nos outros e elogiar é algo muito bom.

5) Meus pais podem usar alguns castigos para me educar e, por


isso, preciso fazer as coisas que eles pedem.

6) Conversar com meus pais e algo que devo fazer sempre que
tiver vontade.

Com tudo isso que você aprendeu, você pode fazer uma importante
escolha. Se você escolher fazer estas coisas legais, poderá viver
melhor com sua família e ser mais feliz. Quando você tiver filhos,
você não gostaria que eles fossem assim como você?

O que você mais gostou de aprender?


Se seus pais compraram este livro é porque querem fazer
um esforço para que vocês sejam felizes juntos. Se você faz a
sua parte e eles fazem a deles, vai ser muito mais fàcil! Para
você fazer a sua parte, aqui tem um espaço só para você
treinar fazer estas coisas boas...

1. Mostre amor e carinho!


Descubra quais são os carinhos que
seus pais gostam de receber. Depois
escreva aqui tudo que você descobriu
sobre o que eles gostam. Lembre-se que
sua mãe pode gostar de um tipo de
carinho e seu pai pode gostar de outro tipo de carinho, então
procure descobrir o que cada um deles mais gosta.
Pergunte ao seu pai e à sua mãe quais as coisas
que eles querem que você ajude e escreva aqui:

Pergunte ao seu pai ou à sua mãe o que eles mais gostam de


fazer no trabalho ou quem são os melhores amigos deles e por quê?
Peça para alugarem um filme e assistirem junto com você. Quando
sua mãe chegar cansada, faça uma massagem no seu ombro.
Invente outras coisas que você pode fazer junto com sua família.

Quais são as regras que você segue na sua casa? Não sabe
bem? Então que tal con\/ersar com os seus pais e anotar aqui?
Você também pode negociar algumas regras para eles, do tipo,
deixar o meu brinquedo favorito em cima da mesa e não no
armário. Faça uma reunião com eles para vocês decidirem, ok?
: 4. Faça elogios!
Faça um elogio bem
legal para alguém (pode
ser para seus pais,
irmãos, amigos ou
outra pessoa). Depois
desenhe aqui a cara que
esta pessoa fez quando
você a elogiou.

5. E os castigos?
Nós não queremos que você fique
castigo. Seus pais não querem colocar
você de castigo. Você não quer ficar de
castigo, não é? Você pode sentar com os
seus pais e fazer alguns acordos. Você
deve saber quais são as consequências se você fizer
alguma coisa errada. Por exemplo, você deve primeiro fazer as
atividades da esco\a depois ver televisão, e o que acontecera
(quais serão as consequências) se não cumprir o combinado?
Faça uma lista e dê as suas ideias! Ah, nós estamos ensinando a
seus pais que dar palmadas e surras não é legal.
“1

6. Comunique-se!
Para fazer este treino, você tem duas opções
(se quiser, pode fazer as duas):

Contar para seu pai ou para sua mãe alguma coisa


(alegre ou triste) que você viveu na última semana.

Perguntar para seu pai ou para sua mãe alguma


curiosidade (por exemplo: o que você gostava de fazer
quando era criança?).

Escolha abaixo a figura que mostra como você se


sentiu ao conversar com seu pai ou sua mãe.
Se você quer mandar
um desenho ou saber
como é que se faz
desenhos tão legais,
mande um e-mail para
o Benett:
benett74@uol.com.br
Eduque com Carinho para Crianças

A obra traz exercícios, conceitos e reflexões importantes que a criança


aprenderá de seus pais, como: mostrar carinho e envolvimento, entender
regras fazer elogios, evitar os castigos e comunicar-se corretamente.
O livro ensina a criança a compreender esses temas e usá-los no dia a dia
com seus pais e com outras pessoas.
Ilustrado por Benett com lindos e divertidos cartuns, esta obra certamente
proporcionará deliciosos momentos na relação entre pais e filhos.

"Meus pais nunca batem em mim. Eles explicam as coisas direitinho. Eu


gosto demais deles." (Paulinho, 6 anos)

"Eu adoro quando meu pai brinca comigo e com meu irmão; ele finge que é
um monstro e que vai pegar a gente." (Carolina, 7 anos)

"Minha mãe sempre me diz o que eu devo fazer, mas também deixa eu es­
colher algumas coisas sozinho." (João Pedro, 7 anos)

"Meus pais, especialmente a minha mãe, sempre me enche de beijos. Eu


finjo que não gosto e ela corre atrás de mim, aí eu gosto!" (Alex, 8 anos)

"Meus pais assistiram uma palestra sobre educação de filhos e começaram


a brincar mais comigo e agora quando dizem não é não mesmo!" (Igor,10
anos)

"Meus pais trabalham muito, mas sinto que eles se importam muito comi­
go." (Sofia, 12 anos)

"Às vezes fico brava com meus pais, mas no final vejo que estão certos. Eu
amo meus pais e eles são as melhores pessoas do mundo." (Ana, 13 anos)

"Meus pais não são perfeitos, o segredo é ver o lado positivo e eles são bons
exemplos pra mim!" (Letícia,14 anos)

"Os pais são sempre um pouco do que seremos mais tarde. Os meus são
carinhosos e estão sempre ao meu lado." (Márcia, 15 anos)