Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

DISCIPLINA ANATOMIA PATOLÓGICA

3ª AVALIAÇÃO TEÓRICA

1.Marque F para falso e V para verdadeira nas afirmativas abaixo (0,25 pt cada):

( ) As lesões clássicas da colite intestinal amebiana são placas de necrose na mucosa.

( ) O abscesso hepático amebiano forma nodulações de consistência endurecida e cor


branca.

( ) Podemos encontrar necrose hepatocitária durante o ciclo biológico larvário da


ascaridíase.

( ) A enterobíase intestinal pode levar a prolapso retal.

2. Correlacione as descrições histológicas com os diagnósticos (1pt):

a. Mucosa gástrica antral com aumento da celularidade mononuclear do córion,


capilares congestos e infiltrado de neutrófilos permeando as criptas, que mostram
presença de células caliciformes e absortivas no epitélio de revestimento.

b. Mucosa antral com celularidade mononuclear do córion discretamente aumentada,


capilares congestos e criptas de padrão habitual.

c. Mucosa antral com celularidade mononuclear do córion aumentada, com a formação


de folículos linfóides, capilares congestos e moderado infiltrado de neutrófilos
permeando o epitélio de revestimento das criptas.

d. Mucosa antral com celularidade mononuclear do córion discretamente aumentada,


capilares congestos e criptas permeadas por neutrófilos.

e. Mucosa antral apresentando epitélio de revestimento superficial focalmente


recoberto por crosta fibrino-leucocitária, permeado por neutrófilos. Na lâmina própria,
há infiltrado de mononucleares com a formação de folículos linfóides com centros
germinativos proeminentes e ainda polimorfonucleares. Há diminuição do número de
glândulas, algumas revestidas por células caliciformes e absortivas e fovéolas alongadas
e hiperplásicas.

( ) Gastrite antral folicular em atividade moderada.

( ) Gastritrite antral crônica ativa moderada com focos de metaplasia intestinal.

( ) Gastrite antral crônica leve e sem atividade.


( ) Gastrite antral folicular em atividade com focos de metaplasia intestinal, erosão e
atrofia glandular.

( ) Gastrite antral crônica em atividade.

3. Cite as complicações das úlceras pépticas. (0,5pt)

4. Cite os três tipos de pólipos intestinais neoplásicos. (0,5pt)

5. Cite os critérios utilizados na classificação de Sydney para as gastrites. (0,5pt)

6. Quais as características microscópicas do Tumor Carcinóide? (0,5pt)

7. São fatores predisponentes para pielonefrite exceto (0,25 pt):

a) obstrução das vias urinárias

b) refluxo vésico-ureteral

c) gravidez

d) diabetes

e) imunossupressão

f) trauma cirúrgico

g) idade

8. Marque “v” se verdadeiro ou “f” se falso, nas afirmativas abaixo (0,25 pt cada):

a. (___) A pielonefrite crônica apresenta superfície renal finamente granulosa.


b. (___) A glomérulonefrite crônica apresenta na superfície renal cicatrizes
grosseiras, irregulares, profundas.
c. (___) Na glomerulonefrite aguda pós-estreptocócica em crianças encontramos,
por vezes, história clínica de piodermite.
d. (___) Na nesfroesclerose maligna a superfície renal apresenta lesões
hemorrágicas puntiformes que no microscópio correspondem a necrose
fibrinóide e a arteriolite hiperplásica na parede das arteríolas.
e. (___) Na nefroesclerose benigna de longa duração, encontramos superfície renal
de aspecto granuloso e no microscópio hialinose e elastose arteriolar.
f. (___) A nefroesclerose é o substrato anatômico renal da hipertensão essencial.
g. (___) A urinocultura da pielonefrite aguda apresenta contagem de colônias de
bactérias em torno de 1000/ml

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

DISCIPLINA ANATOMIA PATOLÓGICA


3ª AVALIAÇÃO PRÁTICA

1. Corte de fígado mostrando “Áreas de necrose hepatocitária e hemorragia


distribuídos irregularmente pelo lóbulo hepático. Nota-se também esteatose,
degeneração hidrópica hepatocitária e infiltrado mononuclear”. Pergunta-se:

a) Qual o seu diagnóstico?

b) Cite os exames complementares utilizados de rotina para seu diagnóstico:

2. Cirrose hepática:

a) Faça sua correlação anátomo-clínica:

b) Qual seu mecanismo de óbito?

3. Colite amebiana:

a) Como se apresenta macroscopicamente?

b) Qual seu prognóstico?

4. Adenocarcinoma gástrico:

a) Quais os exames complementares importantes para seu diagnóstico?

b) Como se apresenta macroscopicamente?