Você está na página 1de 39

Nutrição e adubação de

Frutíferas Tropicais

José A. Quaggio - Centro de Solos e


Recursos Agroambientais - IAC
Considerações gerais sobre frutíferas tropicais
no Brasil

Escassez de informações científicas sobre manejo


dessas culturas. Adubação maior limitação;

Principal limitação do agronegócio com frutas:


Baixa produtividade e qualidade dos frutos;

A adubação atual pouco considera as análises de


solo e folhas. Desequilíbrios nutricionais;

É necessário mais investimento em pesquisa com


fruticultura, para o Brasil ser grande exportador
de frutas.
Estratégias de adubação de frutíferas:

Demanda distinta por nutrientes nas fases de


formação e de produção;

Necessidade de ajustar a adubação com a


exportação de nutrientes pela colheita

Equilíbrio na adubação é mais importante à


produção e qualidade dos produtos, do que a
dose total de nutriente aplicada
Exportação de nutrientes com a colheita de
culturas perenes
Culturas N P K S Produção
-1 -1
--------------- kg t ------------ t ha
Abacate 2,8 0,3 2,0 0,2 12-18
Abacaxi 0,7 0,1 0,9 0,1 30-50
Banana Nanicão 2,1 0,3 5,0 0,1 30-60
Laranja 2,4 0,2 2,0 0,1 20-60
Pêssego 3,6 0,3 2,1 0,1 12-25
Manga 1,3 0,2 1,6 0,2 10-15
Pecã 10,5 1,3 3,6 0,9 1-2
Macadâmia 8,8 0,6 4,3 0,8 3-5
Café Beneficiado 34,0 4,0 52,0 3,0 1-5
Cacau amêndoas. 32,0 6,0 48,0 2,7 1-3
Fonte: Quaggio et al. (1996)
Como fazer bom diagnóstico da
fertilidade do solo em fruticultura ?
A m o s tra g e m :
• D e fin ir g le b a s h o m o g ê n e a s
p a ra a im p la n ta ç ã o d e ta lh õ e s ;

• S e p a ra r ta lh õ e s h o m o g ê n e o s ,
p o r id a d e , e p ro d u tiv id a d e ;

• C o le ta r a m o s tra s d e s o lo e
fo lh a s p o r g ru p o ;

• C ria r h is tó ric o p a ra c a d a
c o n ju n to
Padrões para interpretar a fertilidade do
solo para frutíferas: Macronutrientes

Saturação
Classes P resina Potássio Magnésio por bases
3 (1)-----
mg/dm3 ----- mmolc dm %

Muito baixo <6 <0,8 - <26


Baixo 6-12 0,8-1,5 <4 26-50
Médio 13-30 1,6-3,0 4-8 51-70
Alto >30 >3,0 >8 >70
Curvas de reposta dos citros à
Aumento de produção, t/ha potássio

20
M uito baixo

15

10 Baixo

5 M é dio

0
Alto

-5

-10
0 100 200 300
100

Fonte: Quaggio et al. (1998)


Curvas de reposta dos citros à fósforo

25
Aumento de produção, t/ha

20 Muito baixo

15

10 Baixo

5 Alto

0 Mé dio

-5
0 50 100 150

Fósforo, kg/ha
Fonte: Quaggio et al. (1998)
Curvas de reposta dos citros à
nitrogênio
15
Aumento de produção, t/ha

N=23
12
N=25

9
lim ão

6
3 N=28

0
-3
0 100 200 300

Nitrogênio, kg/ha Fonte: Quaggio et al. (1998)


CURVAS DE CALIBRAÇÃO DE 120
NITROGÊNIO NAS FOLHAS DE
CITROS 100

80

120 60 y = -1,356x2 + 44,1x - 259,4


Citros R2 = 0,61
100
40
Produção relativa, %

80 10 12 14 16 18 20 22
Leaf N, g kg-1
60

40 Y = - 1 1 3 1 +8 6 .4 N - 1 .5 1 N 2 N nas folhas, g/kg


( R =0 .9 8 *)

20
22 24 26 28

Fonte: Quaggio et al. ( 1998, 2001)


N nas folhas, g/kg
Adubação com micronutrientes
na fruticultura

Necessidade de bom diagnóstico!


Correlações entre análises de solo e de
folhas para micronutrientes em citros

400
Boro na folha, (mg kg -1)

60 R2 = 0,98*
R2 = 0,96*

Zn na folha, (mg kg-1)


300 50
R2 = 0,97*
R2 = 0,99*
200 40

100 30

0 20
0,0 0,5 1,0 1,5 2,0 2,5 0,0 3,0 6,0 9,0 12,0 15,0
-3
B no solo, (mg dm ) Zn no solo, (mg dm-3)

24 meses após aplicação dos fertilizantes Fonte: Quaggio et al. (2003)


Curvas de calibração de análises de solo
para micronutrientes na citricultura

30 32
R2 = 0,85*
Produção, (t ha-1)

Produção, ( t ha-1)
30
25
R2= 0,86*
28
2 R2 = 0,97*
20 R = 0,96**
26

15 24
0,0 0,5 1,0 1,5 2,0 2,5 0,0 3,0 6,0 9,0 12,0 15,0
-3
B no solo, (mg dm ) Zn no solo, (mg dm-3)

Fonte: Quaggio et al. (2003)


Padrões para interpretar a fertilidade do
solo para fruticultura: Micronutrientes

Classes S-SO4 B Cu Mn Zn
-3
-------------------mg dm -------------------

Baixo <10 <0,6 <2,0 <3,0 <2,0


Médio 10 -20 0,8 – 1,2 2,0 - 5,0 3,0 - 6,0 2,0 – 5,0
Alto >20 >1,2 >5,0 >6,0 >5,0
Limitações da análise foliar para
micronutrientes em frutíferas:

A coletada de folhas é definida para o melhor


diagnóstico dos macronutrientes;

A deficiência de alguns micronutrientes afeta o


crescimento do limbo foliar, o que aumenta a
concentração deles nas folhas;

Aplicações foliares com fertilizantes ou


defensivos com micronutrientes, deixam resíduos
na superfície das folhas .
Deficiência
de boro em
frutíferas
Resposta do mamoeiro variedade Solo ao boro,
em plantas com diferentes inflorescências

Boro nas Altura da Diâmetro Planta Planta


Boro
folhas planta do caule fêmea hermafrodita
kg/ha mg/kg ---------- cm ---------- ---------- t/ha ---------

0 25 186 b 4,1 b 72,6 b 48,3 c


2,3 34 195 a 4,3 ab 71,3 ab 50,4bc
4,5 40 190 ab 5,0 ab 78,9 a 57,0 b
6,8 65 195 a 5,4a 79,7 a 61,5 a

Fonte: Perez & Jurado (1983)


Distúrbios fisiológicos
da falta de boro:
Mal funcionamento do
floema
Prejuízo no transporte
de carboidratos para as
raízes

Perda de dominância apical e


brotação lateral

Redução no crescimento do
caule
Toxidez de boro
Aplicação de boro
com herbicida
Concentrações gerais de micronutrientes
para aplicação foliar em frutíferas

Zinco: 500 a 1000 mg/L de Zn


Manganês: 300 a 700 mg/L de Mn
Boro 200 a 300 mg/L de B
Cobre 600 a 1000 mg/L de Cu
Ferro 400 a 800 mg/L de Fe
Molibdênio 100 a 200 mg/L de Mo
Diagnóstico da fertilidade do solo e
adubação da mangueira
Nutrição da mangueira

120
Produção relativa, %

100

80 Avilan
(1974)
Young &
60 Koo (1965)
Young &
Koo (1974)
40 Young &
Koo (1962)
20

0
0.8 1.0 1.2 1.4 1.6

Nitrogênio nas folhas, %


Fonte: Quaggio (1996)
Amostragem de folhas
em mangueiras

Coletar folhas
no meio do tufo
de vegetação,
em ramos com
inflorescência
Análises de folhas para a mangueira
Faixas de teores
Nutrientes ______________________________________
Deficiente Adequado Excessivo
______________________________________________
------------------------g/100g-------------------------
N <0.80 1.20 a 1.40 >1.60
P <0.05 0.08 a 0.16 >0.25
K <0.25 0.50 a 1.00 >1.20
Ca <1.50* 2.00 a 3.50** >5.00
Mg <0.10 0.25 a 0.50 >0.80
S <0.05 0.08 a 0.18 >0.25
----------------------mg/kg-------------------------
B <10 50 a 100 >150
Zn <10 20 a 40 >100
Mn <10 50 a 100 nd
Fe <15 50 a 200 nd
Cu <5 10 a 50 nd
Cl nd 100 a 900 >1600
________________________________________________

Fonte: Quaggio et al. (1996)


Nutrição mineral e adubação da mangueira
Adubação de formação da mangueira
_____________________________________________________________________
3 3
P-resina, mg/dm K trocável, mmol(c) dm
______________________ ________________________
Idade N <6 6-12 13-30 >30 <0,8 0,8-1,5 1,6-3,0 >3,0
______________________________________________________________
g/planta P2O5, g/planta K2O, g/planta----

0- 1 30 0 0 0 0 40 0 0 0
1- 2 60 160 120 80 0 80 40 0 0
2- 3 120 240 160 100 0 160 120 80 40
3- 4 160 320 240 120 0 240 180 120 80
____________________________________________________________

Fonte: Quaggio et al. (1996)


600

500 1962

FRUTOS POR PLANTA Nitrogênio: nutriente


400

300
de manejo mais difícil
200

100 Y = - 1 8 7 7 +3 5 2 8 N - 3 4 6 ,7 N 2 ( R =0 ,6 8 *)

0
0.8 1.0 1.2 1.4 1.6 1.8

400 20

FRUTOS COM SOFT NOSE, %


1965 Y = - 3 1 ,2 + 3 3 ,4 N ( R =0 ,6 8 **)
FRUTOS POR PLANTA

300 16

200 12

8
100

Y =- 2 7 8 6 +4 8 1 6 N - 1 8 ,6 N 2 ( R =0 ,7 4 **)
4
0
0.8 1.0 1.2 1.4 1.6
0
NITROGÊNIO NAS FOLHAS, %
0,8 1,0 1,2 1,4 1,6

Fonte: Quaggio (1996)


Adubação nitrogenada e vigor da mangueira

N folhas = 1,5% , Soft-nose =30% N folhas = 0,9% , Soft-nose =0%


Nutrição da mangueira

120
Produção relativa, %

100

80 Avilan
(1974)
Young &
60 Koo (1965)
Young &
Koo (1974)
40 Young &
Koo (1962)
20

0
0.8 1.0 1.2 1.4 1.6

Nitrogênio nas folhas, %


Fonte: Quaggio (1996)
Adubação de produção da mangueira

_______________________________________________________________
3 3
Produção N folhas, % P, mg/dm K, mmol(c) dm
________________ _________________ ___________________
esperada <1,2 1,2-1,4 >1,4 <6 6-12 13-30 >30 <0,8 0,8-1,51,6-3,0>3,0
______________________________________________________________________
t/ha kg/ha de N kg/ha de P2O5 kg/ha de K2O

<10 20 10 0 30 20 10 0 30 20 10 0
10-15 30 20 0 40 30 20 0 50 30 20 0
15-20 40 30 0 60 40 30 0 60 40 30 0
>20 50 40 0 80 60 40 0 80 50 40 0
_______________________________________________________________

Fonte: Quaggio et al. (1996)


Resposta da mangueira à adubação e
qualidade dos frutos
_________________________________________________________________________________
Tratamentos Frutos Ca solo N/Ca folha Frutos normais
(1
_____________________ Planta ______________ __________ ___________
N P2O5 K2O gesso 1988 1991 1988 1991 1988 1991
_________________________________________________________________________
3
------- g/planta ------------- meq/100cm ------ %--------

0 0 0 0 139 0.9 1.1 1.0 1.0 15 40


150 200 480 0 162 0.5 2.4 1.0 0.9 46 86
300 200 480 0 155 0.4 1.6 1.0 0.8 44 83
0 200 480 0 203 0.8 2.4 0.9 0.8 40 92
150 200 480 2.9 245 1.6 3.1 0.9 0.4 40 97
300 200 480 2.9 198 1.6 3.5 1.0 0.5 33 58
600 200 480 2.9 194 2.5 1.0 0.7 0.5 35 89
________________________________________________________________________

Fonte: Pinto et a. (1994)


Micronutrientes: deficiência de zinco e
mal formação de panículas

N= 1,2 %
P= 0,12
K= 0,6
Ca= 2,3
Mg= 0,3
S= 0,14
Fe=198 mg/kg
Mn= 369
Zn= 4
B =11
Boro: deficiência e toxidez em mangueiras

Boro nas folhas = 9 mg/kg Boro nas folhas = 350 mg/kg


Resposta de variedades de manga ao boro
V a rie d a d e s P ro d u ç õ e s p o r p e río d o s F a to r d e B n a s fo lh a s
1993 a 1995 1996 a 98 a u m e n to e m 1 2 /9 8
------------ k g /h a ---------- m g /k g
P a rc e la s s e m b o ro
W in te r 8379 19489 2 ,3 7 ,7
T o m m y A tk in s 6816 9807 1 ,4 7 ,6
Van D yke 3608 2697 0 ,7 8 ,2
Haden 2H 1951 3375 1 ,7 8 ,8
M é d ia s 5188 8842 1 ,7 8 ,1 -
P a rc e la s c o m b o ro
W in te r 6426 17114 2 ,6 2 6 ,2
T o m m y A tk in s 4288 16272 3 ,8 2 9 ,9
Van D yke 1288 16874 1 3 ,1 2 3 ,9
Haden 2H 1406 14820 1 0 .5 2 9 ,6
M é d ia s 3352 16270 4 ,9 2 7 ,4

Fonte: Rossetto et al. (1999)


Teores de boro em folhas, flores e frutos da
mangueira
Copa Boro Folhas Flores Frutos
-1
Kg/ha --------- mg kg ----------

Winter 0,0 15,3 15,9 10,3


2,0 39,9 21,6 14,0
T. Atkins 0,0 12,9 15,2 9,5
2,0 50,6 21,3 15,3
Haden 0,0 11,8 15,0 8,6
2,0 27,6 17,7 12,6
Van Dyke 0,0 12,2 14,5 9,6
2,0 30,1 20,0 14,3
Adubação e
qualidade dos
produtos
Colapso interno de frutos de manga
80
Soft nose, %
60

40

20

0
1.0 1.6
1.5 1.4
2.0 1.2
2.5
Ca, % 3.0 1.0 N, %

Fonte: Quaggio (1996)

Você também pode gostar