Você está na página 1de 12

UNIVERSIDADE VIRTUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

Carlos Alberto Ferreira Maganha

O uso da Produção mais limpa em processos: um estudo de caso

Vídeo do Projeto Integrador

<link>

Serrana - SP
2020
UNIVERSIDADE VIRTUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO
(Fonte: Arial ou Times 16)

Reaproveitamento de efluentes dos processos de uma Industria


Farmacêutica

Relatório Técnico - Cientifico apresentado na


disciplina de Projeto Integrador para o curso de
(Engenharia de Produção) da Universidade Virtual do
Estado de São Paulo (UNIVESP).

Serrana - SP
2020
MAGANHA, Carlos Alberto Ferreira. Reaproveitamento de efluentes dos processos de uma
Industria Farmacêutica. 00f. Relatório Técnico-Científico. Engenharia de Produção –
Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Tutor: Márcia Regina Osaki. Polo Serrana,
2020.

RESUMO

A presente proposta tem como objetivo apresentar os levantamentos dos resíduos efluentes
gerados no processo produtivo de uma indústria farmacêutica. Em um processo industrial faz-se
uso de uma quantidade elevada de água seja para composição dos produtos ou para
complementar os processos necessários durante a industrialização, principalmente os processos
que envolvem osmose reversa onde a água é dessalinizada parra que atenda parâmetros da
ANVISA. Após o uso dessa água a mesma é conduzida pelos componentes produtivos do
processo para um sistema de captação ou descarte. Algumas empresas erradamente realizam esse
descarte nas redes pluviais, em alguns casos as indústrias tem um sistema de reuso dos efluentes
tratados, conduzindo para atividades de limpeza e jardinagem, porém o volume diário produzido
é tão elevado que a demanda é muito baixa fazendo com que o excedente de efluente tratado seja
descartado sem o seu devido reaproveitamento. Uma proposta de reutilização ou comercialização
compartilhada desses efluentes tratados proporciona uma economia para a empresa,
reaproveitando os efluentes industriais para uso, não potável, da própria empresa e o seu
excedente ser comercializado para uso em atividades de limpeza e manutenção de terceiros que
situam na região da indústria.

PALAVRAS-CHAVE: água; reaproveitamento; efluentes; economia; osmose.


SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO.......................................................................................................................5
2. DESENVOLVIMENTO.........................................................................................................7
2. 1. Problema e objetivos.............................................................................................................7
2. 2. Justificativa............................................................................................................................7
2. 3. Fundamentação teórica .........................................................................................................8
2. 4. Aplicação das disciplinas estudadas no Projeto Integrador ..................................................9
2. 5. Metodologia ..........................................................................................................................9
3. RESULTADOS .....................................................................................................................10
3.1. Protótipo inicial....................................................................................................................10
3.2. Protótipo Final .....................................................................................................................10
4. CONSIDERAÇÕES FINAIS................................................................................................10
REFERENCIAS .......................................................................................................................11
ANEXOS ...................................................................................................................................12
1. INTRODUÇÃO
Com o avanço acelerado da tecnologia e os processos industriais se desenvolvendo
rapidamente, fomentam o surgimento de novas industrias, novos processos produtivos, novos
equipamentos e novos métodos de gestão entre outras ferramentas atuais que auxiliam e
proporcionam qualidade e desenvolvimento para as indústrias no século XXI.
A indústria farmacêutica cresce a cada ano, pois a cada dia surge novos desafios e
soluções na área de fármaco, e as indústrias passam por constantes processos de evolução e
investimentos em maquinários e processos para atender a demanda que o mercado solicita.
A indústria farmacêutica localizada em uma cidade do interior de São Paulo atua, em sua
maior participação, na produção de bolsas de sangue e soluções para setor médico, com isso faz-
se necessário equipamentos específicos para sua produção como osmoses, autoclave,
maquinário de produção plástica entre outras, usando diversos recursos naturais para sua
produção como água e consumo de energia. Em especial os equipamentos de osmose requerem
uma alta concentração do uso de água onde a mesma passar por um processo de osmose reversa
para remoção do sódio visando atender os parâmetros definidos pela ANVISA.
Após esse processo ser executado, parte dessa água retorna por meio de sistemas
gravitacionais para um reservatório onde é reutilizado para procedimentos de limpeza,
jardinagem entre outros excetuando consumo, haja vista a água não ser adequada para consumo.
Devido a produção da indústria e seu principal produto serem as bolsas que passam pelo
equipamento de osmose, a produção de resíduo liquido é constante na indústria gerando maior
quantidade de água do que sua capacidade de armazenar e o excedente dessa água é despejado
no sistema pluvial gerando desperdício e impactando o meio ambiente, gerando um volume alto
de despejo para o sistema público de tratamento de água.
O descarta desse excedente de água gera custos para a empresa e realizar um
procedimento que visa reaproveitar o excedente ou deslocar parte dessa água para outra
finalidade proporciona uma economia para a empresa e o melhor aproveitamento desses resíduos
liquido gerado contribuindo junto a outras medidas já adotadas pela empresa na preservação
ambiental e abordando um projeto de produção mais limpa.
O projeto de reaproveitamento e uso comercial do excedente da água utilizada na empresa
contribui para a evolução e desenvolvimento tanto da empresa quanto dos profissionais
envolvidos, em um processo de produção onde existe um recurso insubstituível como a água e
gerando resíduo após a utilização principal, trabalhar com essa dinâmica e transferir esses
recursos como fonte de retorno financeiro para empresa auxilia na redução do custo desse insumo
já que o custo da água já foi computado e pago, com a proposta de fornecer parte desse resíduo
para uso de limpeza e manutenção para um terceiro agrega valores ambientais além de reduzir o
custo do m³ de água gasto pela indústria.
Este projeto de estudo tem como motivação o reaproveitamento, do excesso, de água
utilizados pela indústria farmacêutica na qual desperdiça litros de água e consequentemente
valores monetários com esse desperdício.
Com foco no uso da água dentro dos processos de uma indústria farmacêutica, será
estudado os processos de produção, qual o volume de água necessário para que a indústria
trabalhe pelo período de 24 horas bem como sua produção média desse período, o volume de
água descartado após todo o processo e estimar o volume de água reutilizado pela própria
empresa. Essas informações concatenadas ao estudo da vizinhança levanta a possibilidade de
comercializar o excedente da água para comercio ou condomínio na região da indústria bem
como o possível investimento desprendido para que essa comercialização seja efetivada.
2. DESENVOLVIMENTO

2.1 Problema e objetivos


Considerando o grande investimento mundial em educação ambiental e a indústria
crescer de forma acelerada, nota-se que as indústrias continuam com processos gerando resíduos
que possam ser reutilizados, porém ainda erram na sua destinação proporcionando desperdício
de recursos naturais e econômicos gerando custos para a empresa que poderiam ser evitados.
Conhecer o processo dentro da indústria farmacêutica que utilizam água, como um
insumo, gerando seus efluentes e entender como são destinados, tratados e seus métodos de
reutilização auxiliará no desenvolvimento do projeto de destinação do excedente dos efluentes
gerado pela indústria e não reutilizados para limpeza ou jardinagem, proporcionando avaliar a
viabilidade de destinar esse excedente para comercializar entre comércios ou condomínios
residenciais na proximidade da indústria com a finalidade de uso destinado a limpeza, jardinagem
e limpeza ou manutenção de piscinas.

2.2. Justificativa

O projeto contribui socialmente na preservação de recursos naturais e na redução dos


desperdícios desses recursos. Com a implantação de um projeto de reutilização dos efluentes
para uso interno da indústria e comercialização do excedente com conceitos de produção mais
limpa motivará outras indústrias do mesmo segmento investir e propor praticas similares visando
reduzir o custo do m³ de água e oferecendo um destino correto para os excedentes dos efluentes
gerados e devidamente tratados sem haver a necessidade de descarte, gerando economia para a
empresa e empresas de outras atividades ao redor da área industrial, incentivando o uso de água
não potável para realizar atividades que a mesma não seja obrigatória. O projeto agregará
conceitos ambientais para a empresa, melhorando sua visibilidade quanto a responsabilidade
ambiental agregando valores perante a sociedade.
Para o meio acadêmico o projeto contribui com novas metodologias de reutilização do
aproveitamento dos efluentes gerados e tratados na indústria farmacêutica e motivando
profissionais da área de engenharia em desenvolver melhorias no projeto apresentado, seja em
caráter de processos e equipamentos de engenharia, engenharia econômica ou ambiental.
2. 3. Fundamentação teórica
O uso dos sistemas naturais renováveis vem sendo altamente estudado e com isso cresce
a preocupação entre os órgãos regulamentadores e as empresas consumidoras desses insumos. A
água é tida como objeto de estudos no meio industrial haja vista sua presença em diversos
processos, produzindo um fluxo de efluentes, na qual devem ser tratados para seu posterior
descarte.
A utilização dos recursos hídricos gera mutas linhas de estudos, pela grande preocupação
dos órgãos ambientais pela quase certeza de escassez. Bilhões de pessoas não tem acesso a água
potável com confiabilidade da fonte, quase dois bilhões vivem em regiões com escassez de água,
e aproximadamente quatro bilhões de pessoas em até 2025 estarão na mesma situação, Silva
(2005).
Dentro dos processos industriais a água se faz como um dos principais insumos, havendo
a necessidade de passar por tratamento antes da sua utilização nos processos, haja vista, em sua
maior parte devem ser dotadas de qualidade superior as exigidas para consumo, viabilizando a
redução de sólidos suspensos e dissolvidos e separação de materiais orgânicos.
Na indústria farmacêutica é comum o uso de osmose reversa nos processos produtivos, o
uso desse equipamento proporciona que a indústria consiga produzir água altamente pura e
dessalinizada, estando em condições apropriadas para a produção industrial.
O tratamento da água por meio de osmose, consiste em de forma forçada fazer a água
limpa passar por uma membrana semipermeável, onde permitirá apenas a passagem da água,
retendo as substâncias presentes no insumo, proporcionando a produção água mais pura. A
osmose é utilizada em alguns países para fazer a dessalinização da água marinha para uso nas
usinas da região.
A indústria farmacêutica, alvo deste trabalho, atua com processos de osmose reversa na
sua produção, e após o uso da água esses efluentes, não apropriados para consumo devido não
conterem sais minerais e por serem produtos industriais, são armazenados para uso interno da
empresa, porém, com o alto fluxo da produção a sua demanda é muito maior que a produção,
necessitando o descarte de grande parte desse efluente nas vias pluviais. A água processada pela
osmose reversa tem um grau de pureza altíssimo, entretanto, essa água está suscetível a
proliferação de bactérias devido a ausência de flúor, não sendo recomendado o seu consumo para
humanos, mas cria barreiras quanto seu uso para manutenção predial.
2.4. Aplicação das disciplinas estudadas no Projeto Integrador
Os conteúdos ministrados nas aulas de economia, ciência do ambiente e sociedade e
cultura proveram conhecimentos específicos primordiais para o desenvolvimento do estudo em
questão.
Entender e trabalhar os conceitos de economia já apresentados em conjunto a medidas
sustentáveis ambientais proporcionam um horizonte de informações de extrema importância para
o desenvolvimento do referido projeto, integrando na prática o conteúdo teórico estudado onde
por meio de processos de engenharia reuniu-se informações de áreas distintas que se relacionam
em um projeto.

2.5. Metodologia
As metodologias empregadas neste projeto são as pesquisas bibliográfica e a pesquisas
de ação.
Segundo Fonseca (2002, p. 32), a pesquisa bibliográfica:
[...] é feita a partir do levantamento de referências teóricas já analisadas, e publicadas
por meios escritos e eletrônicos, como livros, artigos científicos, páginas de web sites.
Qualquer trabalho científico inicia-se com uma pesquisa bibliográfica, que permite ao
pesquisador conhecer o que já se estudou sobre o assunto.

Já a pesquisa-ação pressupõe:

[...] uma participação planejada do pesquisador na situação problemática a ser


investigada. O processo de pesquisa recorre a uma metodologia sistemática, no sentido
de transformar as realidades observadas, a partir da sua compreensão, conhecimento e
compromisso para a ação dos elementos envolvidos na pesquisa. (FONSECA, 2002, p.
40).

Inicialmente foi utilizada a pesquisa de ação em campo, com responsáveis técnicos dos
setores de relevância visando conhecer o processo produtivo e o destino dos efluentes.
Foi realizado a pesquisa bibliográfica contemplando o que a literatura aborda sobre a
produção de efluentes na indústria e seus métodos de tratamento para posterior descarte ou
reutilização. A literatura aborda diversos assuntos sobre a qualidade e tratamento dos efluentes,
porém poucas informações sobre a capacidade de comercialização dos efluentes tratados.
Junto com as pesquisas bibliográficas, foi realizado pesquisa nos códigos ambientais,
coletado informações sobre condições de preservação ambiental e os procedimentos de
tratamento do efluentes antes do seu devido descarte.
3. RESULTADOS
O trabalho foi comprometido em seu percurso devido os acontecimentos mundiais, porém
a pesquisa foi desenvolvida, foi constatado que os efluentes gerados na indústria farmacêutica
provenientes de osmose reversa, não são compatíveis para consumo, porém sua utilização para
manutenção predial faz-se de grande importância entre os fatores econômicos da empresa.
Devido o alto grau de pureza da água após a passagem pela osmose não é recomendado
armazenar esse efluente por muito tempo, seu armazenamento pode auxiliar na proliferação de
bactérias prejudiciais aos seres humanos e ao meio ambiente.
O armazenamento da água para uso interno e comercialização deve observar o fluxo de
produção e consumo, visando armazenar sempre o volume mais recente, fazendo uso da água
armazenada por um período maior dentro dos tanques.
O protótipo foi prejudicado devido a burocracia da empresa e o cenário mundial de
pandemia, restringindo o acesso as dependências da empresa bem como a produção e orçamento
dos materiais necessários para prototipagem, com isso o trabalho apresentou alto potencial de
funcionalidade para a indústria porém os resultados não foram conclusivos por falta de acesso.

3.1. Protótipo inicial


O protótipo inicial era composto por análise de produção dos efluentes e volume de
descarte, com as informações coletadas, os efluentes após seu devido tratamento são
armazenados em caixas de contenção para uso da própria indústria.

3.2. Protótipo Final


Após os estudos do protótipo inicial a pesquisa foi direcionada para a possibilidade de
comercialização do excedente não utilizado para uso próprio da indústria, para um condomínio
residencial situação na região próxima da indústria, os efluentes comercializados teriam a
finalidade de limpeza ou manutenção do condomínio excetuando o consumo. Os protótipos
foram prejudicados com a burocracia da empresa perante o cenário mundial.
4. CONSIDERAÇÕES FINAIS
O projeto não foi totalmente conclusivo quanto a possibilidade de comercialização dos
efluentes tratados pela indústria farmacêutica, tanto nas literaturas observadas quanto nos
códigos ambientais e sanitário existem poucas informações quanto a comercialização de
efluentes, em sua grande maioria os artigos e referências abordam métodos e ferramentas para o
correto tratamento antes do seu devido descarte.
A teoria desenvolvida com base no volume de efluentes, consumo interno da empresa
para rotinas de limpeza e manutenção, mostra que a empresa descarta um alto volume de efluente
diariamente para as redes pluviais da cidade, gerando assim maior fluxo para tratamento público.
A possibilidade de comercializar esses efluentes para terceiros ao redor da empresa, geraria uma
redução dos custos do m³ de água para a empresa, redução dos custos com tratamento dos
efluentes dispensados nas galerias pluviais, gerando benefícios para a indústria, meio ambiente
e administração pública.
REFERÊNCIAS

SILVA, Maurício Kipper da. Estudo da influência das monocloraminas sobre membranas
de poliamida na osmose reversa. Dissertação (Mestrado) – Curso de Engenharia Química,
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.
BRUM, L. F. W., SANTOS JÚNIOR, L. C. O., BENEDETTIC, S.. Reaproveitamento de água
de processo e resíduos da indústria de laticínios, International Worshop Advanced in Cleaner
Production, 2009.

Você também pode gostar