Você está na página 1de 1

PEC 28/2021 (REFORMA ELEITORAL)

APROVAÇÃO:

• Mulheres e Negros eleitos contarão em dobro pra fins de cálculo do valor


do FP e do FEFC da eleição de 2022 até a eleição de 2030 (Mulher negra
só conta em dobro 1x);

• Constitucionalização das Regras de Fidelidade partidária: Perda de


mandato de deputados e vereadores que se desligarem do partido, salvo
nos casos de justa causa, nos termos da lei, e anuência do partido;

• Plebiscito municipal sobre questões aprovadas pela Câmara,


concomitante às eleições municipais;

• 1 regra partidária transitória, enquanto não sobrevier lei específica, acerca


da incorporação de partidos prevendo que as sanções aplicadas aos
dirigentes do partido incorporado não passam ao incorporador.

REJEIÇÃO:

• Volta das coligações nas eleições proporcionais (extinta na Reforma


Eleitoral de 2017);

• Aplicação do princípio da anterioridade eleitoral valerá tb para decisões


administrativas e judiciais do STF e do TSE que tratem sobre o processo
eleitoral (hj a CF só se refere à lei);

• Posse de PR em 05/jan e de governadores e vices em 06/jan, a partir da


eleição de 2026 (hj tudo em 1°/jan);

• Mudança de Critérios para apresentação de PL de iniciativa popular:


100mil eleitores e formato eletrônico (hj, 1% do eleitorado nacional, em pelo
menos 5 Estados, com no mínimo de 0,3% de cada estado);

• 2 regras partidárias transitórias, enquanto não sobrevier lei específica:


- Alteração dos estatutos: TSE só pode analisar os dispositivos mudados;
- Fundações partidárias podem dar cursos de formação em geral, até de
formação profissional.