Você está na página 1de 12

Boletim j

Manual de Procedimentos
Legislação Trabalhista
e Previdenciária
Fascículo No 22/2014

// Trabalhismo Veja nos Próximos


Suspensão disciplinar. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 01 Fascículos

// IOB Setorial a Adicional de periculosidade


Saúde a Copa do Mundo de 2014
Transferência de médico-residente. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 07 a Transferência de empregados

// IOB Perguntas e Respostas


Suspensão disciplinar
Curso do aviso-prévio. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 09
Prazo máximo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 09
Prazo para aplicação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 09
RSR - Efeitos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 09
© 2014 by IOB FOLHAMATIC EBS > SAGE

Capa:
Marketing IOB FOLHAMATIC EBS > SAGE

Editoração Eletrônica e Revisão:


Editorial IOB FOLHAMATIC EBS > SAGE

Telefone: (11) 2188-7900 (São Paulo)


0800-724-7900 (Outras Localidades)

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Legislação trabalhista e previdenciária :


suspensão disciplinar : IOB setorial :
transferência de médico-residente. -- 10. ed. --
São Paulo : IOB SAGE, 2014. -- (Coleção manual de
procedimentos)

ISBN 978-85-379-2169-2

1. Previdência social - Leis e legislação -


Brasil 2. Trabalho - Leis e legislação - Brasil
I. Série.

CDU-34:368.4(81)(094)
14-04167 -34:331(81)(094)
Índices para catálogo sistemático:
1. Brasil : Leis : Previdência social : Direito
previdenciário 34:368.4(81)(094)
2. Leis trabalhistas : Brasil 34:331(81)(094)

Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução total ou parcial desta obra, por qualquer
meio ou processo, sem prévia autorização do autor (Lei no 9.610, de 19.02.1998, DOU de 20.02.1998).
Boletim IOB

Impresso no Brasil
Printed in Brazil
Boletim j

Manual de Procedimentos
Legislação Trabalhista e Previdenciária

a Trabalhismo
Suspensão disciplinar A legislação trabalhista, entretanto, impõe limites
ao poder disciplinar do empregador, visando impedir
SUMÁRIO
1. Introdução arbitrariedades deste e perseguições aos empregados.
2. Poder disciplinar do empregador
3. Gradação das penalidades aplicadas 2. Poder disciplinar do empregador
4. Suspensão disciplinar - Aplicação - Critérios
5. Princípios a serem observados na aplicação da Conforme vimos, o empregador tem o poder de
suspensão comando da empresa, cabendo-lhe, na hipótese de
6. Comunicação da penalidade - Recebimento - Recusa falta cometida pelo empregado, o direito de puni-lo,
7. Efeitos da suspensão disciplinar no contrato de observando, para esse fim, os limites estabelecidos
trabalho
8. Suspensão disciplinar no curso do aviso-prévio pela legislação.
9. Documentos - Prazo de conservação
10. Formulário - Modelo As penalidades previstas no âmbito trabalhista
11. Jurisprudência consistem em advertências (verbais ou escritas),
suspensões e despedimento.
1. Introdução
A advertência consiste em um aviso
O contrato de trabalho enuncia os
Quando cujo objetivo é prevenir o empre-
direitos e as obrigações recíprocas
o empregado não gado sobre a ilicitude de seu
que regulam a conduta do empre-
observa as suas obrigações, comportamento.
gador e do empregado, observa-
faculta-se ao empregador, na
das as disposições de proteção A suspensão disciplinar
condição de comandante da
ao trabalho, as determinações é pena pessoal aplicada ao
empresa, aplicar as medidas
dos contratos coletivos que lhes empregado faltoso, que acar-
cabíveis no intuito de corrigir
sejam aplicáveis e as decisões reta a proibição da prestação
esse comportamento
das autoridades competentes. de seus serviços à empresa e a
faltoso
Portanto, ambas as partes (emprega- consequente perda de seu salário
dor e empregado) têm o dever de cumprir durante o período em questão, bem como
com zelo as obrigações assumidas. dos respectivos repousos.

Quando o empregado não observa as suas 3. GRADAÇÃO DAS PENALIDADES APLICADAS


obrigações, faculta-se ao empregador, na condição
de comandante da empresa, aplicar as medidas cabí- O comportamento ilícito do empregado autoriza
veis no intuito de corrigir esse comportamento faltoso. o empregador, no uso de seu poder disciplinar, à
É o chamado “poder disciplinar do empregador”, aplicação das penalidades legalmente previstas.
caracterizado pela faculdade de impor penalidades
aos empregados que descumprirem suas obrigações A limitação legal a esse poder, entre outras, é
contratuais, previamente assumidas. consubstanciada na obrigatoriedade de a penalidade
aplicada ser proporcional à falta cometida. Assim, às
O objetivo primordial do exercício do poder dis- faltas leves devem ser aplicadas punições também
ciplinar é a manutenção da ordem e da disciplina no leves, sob pena de o empregador ser responsabili-
âmbito da empresa, com vistas a preservar a hierar- zado pelo abuso do poder de comando, causador de
quia, a convivência harmoniosa e o bem comum. injustiças.

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Maio/2014 - Fascículo 22 CT22-01


Manual de Procedimentos
Legislação Trabalhista e Previdenciária

As penalidades devem ser aplicadas de modo gador providencia a aplicação da pena em um prazo
gradual, sendo agravadas conforme haja repetição razoável, a partir do momento em que o fato chega
da falta, pois têm por fim, precipuamente, propor- ao seu conhecimento e a autoria está devidamente
cionar ao trabalhador a oportunidade de corrigir seu comprovada.
comportamento.
Deve-se observar, porém, que, em determinadas
4. SUSPENSÃO DISCIPLINAR - APLICAÇÃO - situações, ou em decorrência da complexidade da
CRITÉRIOS falta cometida, é aceitável o transcurso do tempo
necessário à apuração dos fatos e das respectivas
Neste trabalho, abordamos apenas as questões responsabilidades, pois não é possível punir uma
relativas à suspensão disciplinar, a qual deve ser apli- falta antes de se conhecê-la e saber quem a praticou.
cada de modo que o empregado faltoso entenda que Nessa hipótese, mesmo sendo a falta antiga, esta se
ela foi necessária para a manutenção da disciplina torna atual a partir do momento em que venha a ser
e da ordem que devem imperar na empresa. Jamais conhecida e comprovada.
deve ensejar a ideia de que foi adotada por persegui-
ção ou injustiça. Ressaltamos, por oportuno, que o ônus de provar
o cometimento da falta, bem como a sua autoria, é do
A penalidade deve ser aplicada com moderação e empregador, e somente após a obtenção de provas
critério, pois implica prejuízos ao próprio empregador irrefutáveis do cometimento do ato faltoso e da sua
(ausência da prestação de serviços) e ao empregado respectiva autoria é que este poderá aplicar as san-
(perda do salário). Além disso, este tem o direito ções cabíveis ao empregado responsável.
de pleitear em juízo a sua anulação, de modo que,
consequentemente, aquele sofrerá com o aumento 5.2 Unicidade da pena
dos transtornos em função de comparecimento em
audiências, arrolamento de testemunhas etc. Para cada falta cometida haverá aplicação de
apenas uma penalidade, ou seja, o empregado não
Acrescente-se, ainda, que os tribunais não inter- pode ser punido mais de uma vez por uma só falta
ferem na vida disciplinar da empresa, entendendo-se, cometida. Logo, se o empregador suspende o empre-
portanto, que a sentença tão somente pode manter gado, cumprida a suspensão, não pode, de imediato,
ou revogar, nunca reduzir ou ampliar, os efeitos da pela mesma falta, aplicar-lhe uma advertência.
sanção aplicada. Esse procedimento obriga o empre-
gador a usar de bom-senso e, sobretudo, justiça ao No caso de reincidência, o empregador deve apli-
aplicar a punição. car outra punição; nessa hipótese, nada impede que,
na comunicação da nova punição, haja referência a
penalidades já aplicadas, caracterizando, assim, a
5. Princípios a serem observados na
prática reiterada de atos faltosos.
aplicação dA SUSPENSÃO
Na aplicação da penalidade de suspensão, o 5.3 Proporcionalidade
empregador deve observar certos princípios, quais
sejam imediatidade, unicidade e proporcionalidade. A penalidade aplicada deve ser proporcional
à falta cometida. Assim, às faltas leves devem ser
Qualquer que seja a punição a ser aplicada aplicadas punições também leves, sob pena de o
(advertência, suspensão ou ruptura contratual por empregador ser responsabilizado pelo abuso do
justo motivo), o empregador deve proceder com a poder de comando, causador de injustiças.
maior discrição possível, evitando expor o trabalhador
a constrangimentos e vexames ou utilizar o fato como Na aplicação da penalidade, deve o empregador
exemplo para os demais empregados. pautar-se pelos critérios de bom-senso, razoabilidade
e justiça, levando em consideração determinadas
situações, tais como:
5.1 Imediatidade da punição
a) a condição pessoal do trabalhador, como o
A punição deve ser aplicada, tanto quanto
seu grau de instrução;
possível, logo em seguida à falta cometida, ou seja,
entre a falta e a punição não deve haver período b) a vida funcional pregressa do empregado;
demasiadamente longo, sob pena de se caracterizar c) as circunstâncias em que o ato faltoso foi co-
o perdão tácito. Vale dizer: cometida a falta, o empre- metido.

22-02 CT Manual de Procedimentos - Maio/2014 - Fascículo 22 - Boletim IOB


Manual de Procedimentos
Legislação Trabalhista e Previdenciária

Exemplos
WD 7. Efeitos da suspensão disciplinar no
1) Empregado contratado há 5 anos, com vida funcional sempre contrato de trabalho
irrepreensível, faltou injustificadamente ao trabalho por 1 dia e o
empregador aplicou-lhe uma suspensão disciplinar também de Conforme dito anteriormente, a suspensão
1 dia. disciplinar é pena pessoal aplicada ao empregado
Nessa situação, observa-se que o empregador utilizou-se de rigor
excessivo ao penalizar o trabalhador, uma vez que a falta injus-
faltoso que acarreta a proibição da prestação de seus
tificada eventual é falta leve, a qual poderia ter ocasionado uma serviços à empresa e a consequente perda de seu
advertência verbal ou, no máximo, escrita. salário durante o período em questão, bem como dos
2) Empregado já advertido anteriormente em decorrência de
outro ato faltoso, sem motivo justificado, ofende, verbalmente, a respectivos repousos.
honra ou a boa fama de colega de trabalho. O empregador, como
punição, aplica-lhe uma suspensão de 3 dias.
Nessa situação, a penalidade foi bem dosada, considerando-se 7.1 Efeito nas férias
que o empregado já apresentava procedimento faltoso - tendo
sido, inclusive, submetido a penalidade mais branda (advertên- As suspensões disciplinares são caracterizadas
cia) - e não se corrigiu, praticando novo ato faltoso, o qual autori- perante a legislação trabalhista como faltas injustifi-
zou a aplicação de penalidade mais gravosa (suspensão). cadas.

5.4 Prazo máximo A duração das férias é determinada em função


da assiduidade do empregado no decorrer do pe-
A suspensão disciplinar, por disposição legal, não ríodo aquisitivo, e a ocorrência de faltas sem justo
pode ser superior a 30 dias consecutivos, sob pena de
motivo implica a redução proporcional do respectivo
importar na rescisão injusta do contrato de trabalho.
período.
A lei é clara e categórica: reconhece ao empre-
Assim, considerando que as ausências em virtude
gador o direito de suspender o empregado durante o
de suspensões disciplinares equivalem a faltas injus-
período máximo de 30 dias consecutivos, valendo por
tificadas, estas são computadas para a aplicação do
despedida injusta se superior a este período.
art. 130 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT),
diminuindo, se for o caso, o período de férias.
6. Comunicação da penalidade -
Recebimento - Recusa 7.2 Décimo terceiro salário
Na hipótese de o empregado faltoso recusar- Para efeito de pagamento e cálculo do valor do
-se, injustificadamente, a assinar a comunicação da 13º salário, é necessária a apuração, mês a mês, das
penalidade imposta, tendo em vista a inexistência de faltas não justificadas (entre as quais se incluem as
dispositivo legal expresso que discipline a questão, decorrentes de suspensão disciplinar), a fim de se
recomenda-se que o empregador ou o empregado verificar se houve pelo menos 15 dias de trabalho.
que detiver o poder para representá-lo solicite a
presença de duas testemunhas e, após ler o inteiro Assim, para cada mês, restando um saldo
teor da comunicação na presença do trabalhador de, no mínimo, 15 dias após o desconto das faltas
faltoso e das testemunhas, insira na comunicação injustificadas nos respectivos meses, assegura-se ao
uma observação quanto à leitura realizada e à recusa empregado o direito de 1/12 de 13º salário.
do trabalhador em assinar o documento, após o que
deverão ser colhidas as assinaturas das testemunhas 7.3 Repouso Semanal Remunerado (RSR)
e do empregador ou de seu representante.
Perderá a remuneração do dia de repouso sema-
Modelo da observação nal o empregado que, sem motivo justificado ou em
virtude de punição disciplinar, não tiver trabalhado
Considerando a recusa do empregado em acusar o recebimento
da presente comunicação, foi procedida, por mim, a leitura do durante toda a semana, cumprindo integralmente o
seu inteiro teor na sua presença e na das testemunhas a seguir seu horário de trabalho.
identificadas, aos (data).
______________________ Lembramos que os dias de repouso eventu-
Empregador ou seu representante almente não pagos ao empregado durante o ano,
_______________________ em decorrência de falta injustificada ou punição
1ª testemunha disciplinar, não poderão ser computados para efeito
_______________________ da contagem dos 15 dias trabalhados no mês para o
2ª testemunha
empregado fazer jus a 1/12 de 13º salário proporcional

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Maio/2014 - Fascículo 22 CT22-03


Manual de Procedimentos
Legislação Trabalhista e Previdenciária

por mês de serviço, conforme tratado no subitem 7.2, integra o tempo de serviço do empregado para todos
tampouco para efeito de redução proporcional do os efeitos.
período de férias mencionado no subitem 7.1. Esse
critério é adotado para que não haja dupla penali- Assim sendo, se durante o curso do aviso-prévio
dade ao empregado, ou seja, uma vez por ocasião do trabalhado, o empregado, de alguma forma, violou
desconto do repouso e outra para fins de diminuição com certa gravidade as regras e a disciplina normal
da contagem da proporcionalidade do 13º salário e/ da empresa, é lícito ao empregador aplicar-lhe a
ou férias. suspensão disciplinar como medida corretiva ao seu
comportamento profissional.
8. Suspensão disciplinar no curso do
aviso-prévio 9. Documentos - Prazo de conservação
A legislação vigente não contém dispositivo que Os documentos relativos às punições aplicadas
impossibilite o empregador de aplicar penalidades ao aos empregados devem ser conservados pela
empregado que comete ato faltoso durante o cumpri- empresa, uma vez que poderão ser exigidos como
mento do aviso-prévio, mesmo porque esse período comprovantes em eventuais reclamações trabalhistas.

10. FORMULÁRIO - MODELO

22-04 CT Manual de Procedimentos - Maio/2014 - Fascículo 22 - Boletim IOB


Manual de Procedimentos
Legislação Trabalhista e Previdenciária

11. Jurisprudência 03926-2003-022-12-00-0 - (05865/2005) - Florianópolis -


3ª Turma - Rel. Juiz Gerson Paulo Taboada Conrado - J.
Recurso ordinário da reclamante e recurso adesivo da
16.05.2005)
reclamada - Nulidade da suspensão disciplinar - Suspen-
são disciplinar - Indenização por dano moral - Hipótese em
Recurso ordinário - Configuração de dupla punição -
que a reclamada não consegue provar os fatos que deram
Impossibilidade de dispensa por justa causa - Tendo sido
ensejo à suspensão disciplinar, de modo que merece ser
punida com a pena de suspensão disciplinar, não poderia,
mantida a sentença de primeiro grau quanto à declaração
a trabalhadora, pelos mesmos fatos, ter sido despedida,
de nulidade da penalidade. Por outro lado, a reclamada,
caracterizando-se a sua dispensa, portanto, em rescisão
ao acusar a trabalhadora de ter entregado seu crachá para
imotivada. Com efeito, dentro do seu poder disciplinar, tem
que colega de trabalho efetuasse os registros de ponto,
o empregador o direito de punir o empregado faltoso, apli-
causou lesão à sua auto-estima, sendo devido o paga-
cando a penalidade que mais se ajuste à falta praticada,
mento de indenização por dano moral. Recurso ordinário
de acordo com a gravidade da mesma. Escolhida e apli-
da reclamante provido no tópico. (TRT 4ª Região - RO
00813-2004-022-04-00-7 - Relª Juíza Maria Beatriz Con- cada a pena disciplinar de advertência, não mais cabia a
dessa Ferreira - J. 14.06.2006) penalidade de dispensa por justa causa, com fundamento
nas mesmas faltas já punidas, tendo em vista que o poder
Dano moral - Nexo causal entre a conduta patronal lesiva disciplinar esgota-se, em relação ao fato punível, com a
e o sofrimento causado à trabalhadora provados. Indeniza- aplicação da pena escolhida. Portanto, deve ser mantida
ção devida. A conduta patronal, de negligência no forne- a r. Sentença, que considerou imotivada a dispensa, defe-
cimento de troco para o regular funcionamento da venda rindo as verbas rescisórias. (TRT 15ª Região - RO 01867-
de bilhetes, expôs a reclamante, enquanto bilheteira, à 2004-016-15-00-8 - (61095/2005) - Rel. Juiz Luiz Carlos de
fúria e aos insultos do usuário agressivo e à situação publi- Araújo - DOESP 12.12.2005)
camente vexatória, para a qual a mesma não contribuiu.
Soma-se a este lamentável episódio, a injusta punição Pena de suspensão - Acidente de veículo - Inexistência
disciplinar aplicada à trabalhadora, que além das ofensas, de culpa do trabalhador - Restando demonstrado que a
sofreu também o impacto financeiro resultante da suspen- atitude do reclamante (deixar de puxar o freio do veículo)
são disciplinar e do desconto dos dias de inatividade. A decorreu de ato oriundo de força maior (ataque de enxame
lesão extrapatrimonial é indiscutível, caracterizando-se o de abelhas), não se pode imputar ao obreiro culpa no aci-
dano moral e impondo-se, por corolário lógico, a respec- dente envolvendo o veículo que conduzia, de modo que
tiva indenização, pela aplicação do art. 159 do Código não é legítima a imposição de pena disciplinar ao recla-
Civil, com a redação vigente à época dos fatos. (TRT 2ª mante, porquanto não se pode exigir que o obreiro colo-
Região - RO 00995-2002-040-02-00 - (20050265681) - 4ª casse em risco a sua vida ou a sua integridade física para
Turma - Rel. p/o Ac. Juiz Paulo Augusto Camara - DOESP preservar bem material da empresa. Recurso ordinário não
13.05.2005) provido neste aspecto. (TRT 15ª Região - RO 00083-2004-
058-15-00-4 - (63525/2005) - Rel. Juiz Lorival Ferreira dos
Poder disciplinar do empregador - Exercício e limites - Proi- Santos - DOESP 19.12.2005)
bição da dupla punição - Se, diante de uma única falta, o
empregado já foi efetivamente punido, mais precisamente Dano moral - Ausência dos elementos configuradores -
com a sanção da suspensão disciplinar, não mais poderá Improcedência do pedido - A causa de pedir explicitada
seu empregador, sob pena de caracterizar-se bis in idem, na petição inicial notícia que o ex-empregador, ora recor-
pelo mesmo fato, novamente puni-lo, despedindo-o por rente, teria acusado “injustamente e de forma totalmente
justa causa. Sentença que se confirma. (TRT 5ª Região - desmotivada de ter desviado o combustível pago pela
RO 01076-2003-002-05-00-9 - (3.388/05) - 4ª Turma - Relª Empresa Reclamada para o abastecimento do veículo da
Juíza Débora Machado - J. 01.03.2005) empresa” por intermédio de advertência disciplinar escrita.
Entretanto, o teor desse documento, trazido aos autos com
Poder disciplinar do empregador - Autolimitação - Pre- a defesa, notícia apenas que a advertência foi porque o
ponderância - Embora não haja previsão legal para reclamante teria descumprido a ordem geral de se fazer
que as punições a empregados observem um regime acompanhar pelo gerente no reabastecimento do veículo.
de progressão (advertência, suspensão e demissão, A segunda advertência e a suspensão disciplinar decor-
sucessivamente), tal regime deve ser acatado quando o reram da recusa do reclamante em colocar o seu “ciente”
empregador, por ato unilateral e espontâneo, o assegure nessas comunicações. Ademais, o próprio reclamante
ao empregado. Assim, notificando, no comunicado de reconheceu, em seu depoimento, que após a fiscalização
advertência ao empregado, que a próxima falta ensejará intensa pela empresa, houve redução do consumo de
suspensão, não pode o empregador, ocorrida a falta, punir combustível, fato corroborado pela testemunha indicada
o trabalhador com a pena máxima. Recurso conhecido e pela empresa. Portanto, tendo a recorrente exercido o seu
parcialmente provido. (TRT 10ª Região - RO 00373-2004- direito diretivo, disciplinar e de defesa de seu patrimônio,
811-10-00-7 - 3ª Turma - Rel. Juiz Alexandre Nery de Oli- sem cometer excessos, sem expor o reclamante, pelo con-
veira - J. 02.02.2005) trário, outras pessoas findaram por tomar conhecimento
das punições disciplinares exatamente em razão da deci-
Suspensão disciplinar - Ato discriminatório - Anulação - são do autor em se recusar a apor o seu ‘ciente’ nessas
Impõe-se manter a sentença que determinou a anulação comunicações disciplinares, dá-se provimento ao recurso
da suspensão disciplinar de 30 dias, quando comprovado para julgar improcedente o pedido. (TRT 21ª Região - RO
que o ato praticado pelo reclamante era comum entre os 00512-2005-004-21-00-0 - (57.628) - Red. Des. José Bar-
demais empregados e tolerado pela ré, sem aplicação bosa Filho - DJRN. 21.12.2005)
de qualquer punição. Penalizar somente um empregado,
isentando outros que já adotaram o mesmo procedimento, Configuração da justa causa - Não reconhecimento - Pela
infringe a regra da não-discriminação, fato este que retira análise dos autos, o fato da prática da insubordinação está
a eficácia da medida punitiva. (TRT 12ª Região - RO-V-A evidente, ou seja, o empregado, sem qualquer elemento

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Maio/2014 - Fascículo 22 CT22-05


Manual de Procedimentos
Legislação Trabalhista e Previdenciária

razoável, não cumpriu com as ordens emanadas do seu 2) o segundo, a rasura, onde deveria haver a suspensão.
superior. Resta saber, pois, se esse fato justifica a justa Contudo, a reclamada não observou essa gradação, pois,
causa. A caracterização da justa causa exige um fato grave ao invés da suspensão pela rasura, aplicou a reclamante a
e contemporâneo, o qual justifica a quebra da confiança justa causa. Como a reclamada não observou a gradação,
que o empregador tenha em relação ao seu empregado. não se reconhece a justa causa, pelo excesso quanto ao
Pelo exame dos autos, não visualizo outras situações nas exercício do seu poder diretivo. (TRT 2ª Região - RO 49812
quais o empregado tenha sido insubordinado, a não ser - (20030460780) - 4ª Turma - Rel. Juiz Francisco Ferreira
a que ocorreu em 1999 e pela qual foi advertido. Não há Jorge Neto - DOESP 12.09.2003)
uma reiteração de atos de desídia, de indisciplina ou de
insubordinação do reclamante. O que se tem são fatos iso- Poder disciplinar do empregador - Suspensão do contrato
lados, pontuais, logo, no máximo, o que se poderia aplicar de trabalho - Validade - Não obstante o empregador possa
ao autor, no dia dessa insubordinação, seria a suspensão aplicar a penalidade disciplinar que entende necessária,
e não uma dispensa por justa causa, dosando, assim, o pautada pelos princípios da pedagogia e da proporcio-
poder disciplinar do empregador. Por esses elementos, nalidade, desestimulando o empregado de persistir na
rejeito, pois, a tese da justa causa. Determino o paga- conduta faltosa, não pode agir com rigor excessivo e
mento dos títulos rescisórios. (TRT 2ª Região - RO 00390 desnecessário, sob pena de cancelamento da pena de
- (20040627629) - 4ª Turma - Rel. p/o Ac. Juiz Francisco suspensão, irregularmente aplicada. (TRT 3ª Região - RO
Ferreira Jorge Neto - DOESP 26.11.2004) 7504/03 - (00133-2003-026-03-00-3) - 1ª Turma - Rel. Juiz
Manuel Cândido Rodrigues - DJMG 04.07.2003)
Suspensão aplicada - Conversão em justa causa - Impos-
sibilidade jurídica - Independentemente da gravidade da Dispensa por justa causa - Necessidade de gradação das
falta praticada, o fato de a suspensão não ter se exaurido penalidades - A gradação de penalidades o mecanismo de
com o cumprimento do afastamento imposto pelo empre- realização do caráter pedagógico do exercício do poder
gador não autoriza a revogação da medida e ampliação da disciplinar. Não obstante o critério pedagógico de grada-
sanção de modo a convertê-la em justa causa, visto que a ção de penalidades não seja absoluto e universal (possí-
punição, como elemento sancionador, já havia se consu- vel a ocorrência de faltas que, por sua intensa e enfática
mado através da comunicação da pena disciplinar menor. gravidade, propiciem de imediato a aplicação da pena
Uma vez dada ciência ao trabalhador da suspensão, máxima), as punições aplicadas no âmbito empregatício
juridicamente inaceitável o cancelamento da medida e sua têm de ser gradualmente dosadas, em proporção cres-
substituição pela pena capital trabalhista, se não houve cente, desde a penalidade mais branda até a mais elevada
qualquer alteração no fundamento da punição, tendo o no topo da escala gradativa de punições (ilustrativamente,
empregador esgotado seu direito de punir pelo mesmo advertência verbal; advertência escrita; suspensão de um
fato. A doutrina agasalha o princípio do non bis in idem que dia; suspensão de alguns dias; dispensa por justa causa).
impede a dupla punição por uma mesma prática, militando Ora, no caso em exame, a reclamada tinha condições de
em favor do empregado a exigência de proporcionalidade exercer o seu poder disciplinar gradativamente, o que não
entre a falta e a sanção. Recurso ordinário a que se dá fez, como bem ressaltado pelo juízo de origem, sendo certo
provimento. (TRT 2ª Região - RO 02506 - (20040201575) - que os atrasos e faltas da autora não constituem comporta-
4ª Turma - Rel. p/o Ac. Juiz Ricardo Artur Costa E Trigueiros mento que pudesse ensejar a ruptura abrupta do contrato
- DOESP 07.05.2004) de trabalho por justa causa, sobretudo considerando que
tal dispensa se deu com base nas alíneas “a” e “h” do art.
Justa causa - improbidade - Dupla punição - Não configu- 482 da CLT. (TRT 3ª Região - RO 8061/03 - 1ª Turma - Rel.
ração - Constatada a falta grave do empregado, optou a Juiz Maurício José Godinho Delgado - DJMG 18.07.2003)
reclamada, ao invés de dispensá-lo de imediato, em face
da quebra da confiança que deve existir entre as partes Suspensão do empregado - Punição abusiva - Declaração
na relação de emprego, em aplicar-lhe suspensão de 03 de nulidade - Limite ao poder patronal de direção e disci-
(três) dias para, ao depois, quando de seu retorno ao plina - Certo que o empregador detém poderes inerentes à
trabalho, dispensá-lo, terminando, assim, por puni-lo duas sua atividade, dentre eles o diretivo e disciplinar. Entretanto,
vezes pelo mesmo ato, vulnerando princípio de direito não menos certo que tais poderes encontram limitações e,
indispensável à validade da justa causa: O da proibição do quando exercidos de forma abusiva e questionados judi-
non bis in idem. Na hipótese, se não restou demonstrada cialmente, sofrem os efeitos da declaração de nulidade do
que referida suspensão se dera para que se ultimassem ato punitivo, uma vez que ao juízo vedado dosar, reduzir ou
investigações em torno do fato delituoso, claro está que a aumentar a penalidade aplicada pelo empregador. In casu,
reclamada não necessitava de tempo para avaliá-lo, esgo- restou comprovado que o reclamante, estando legalmente
tando-se ali o seu poder disciplinar em relação ao mesmo, afastado de suas funções e no pleno exercício de sua
que deixou de constituir a justa causa para a resolução atividade sindical, adentrou nas dependências da recla-
do contrato de trabalho. Sentença que se mantém... (TRT mada, tendo distribuído, aos colegas, jornal de publicação
23ª Região - RO 00778-2003-005-23-00-6 - Rel. Juiz Bruno da entidade sindical, contendo notícias de interesse da
Weiler - DJMT 29.04.2004) classe. Não há no acervo probatório comprovação de que
tal ato, por si só, tenha comprometido o bom andamento
Poder disciplinar do empregador e a justa causa - O Ju- da dinâmica empresarial, capaz de respaldar a punição de
diciário Trabalhista não pode adentrar ao poder diretivo vinte cinco dias de suspensão aplicada pelo empregador.
do empregador, contudo, diante do caso concreto pode A penalidade abusiva e passível de nulidade, mormente
avaliar se a medida aplicável é a correta. A doutrina, a ju- quando se verifica que o empregado estava no exercício
risprudência e prática trabalhistas, admitem uma gradação de sua atividade sindical, acrescendo-se, ainda, que não
nas penalidades, a saber: advertência, suspensão e justa há prova de que o autor tenha sido anteriormente punido,
causa. Nos autos, pela seqüência analisada, a reclamada não obstante laborar por mais de quinze anos na empresa.
não observou essa gradação, já que dois foram os fatos: Destarte, a declaração da nulidade do ato se impõe com
1) o primeiro, a falta, a qual deveria haver a advertência; o conseqüente pagamento ao reclamante dos respectivos

22-06 CT Manual de Procedimentos - Maio/2014 - Fascículo 22 - Boletim IOB


Manual de Procedimentos
Legislação Trabalhista e Previdenciária

dias. Recurso empresário desprovido. (TRT 3ª Região - RO quer forma, enquanto que a rescisão contratual levada a
0618/03 - 5ª Turma - Relª Juíza Maria Cristina Diniz Caixeta efeito sem justa causa consiste em direito potestativo do
- DJMG 15.03.2003) empregador. Recurso desprovido... (TRT 4ª Região - RO
00267.271/00-0 - 7ª Turma - Relª Juíza Conv. Carmen Gon-
Suspensão - Fato causador - Ônus da prova - É do zalez - J. 02.04.2003)
empregador o ônus de demonstrar, de forma robusta, a
ocorrência de falta capaz de motivar suspensão disciplinar Justa causa - Gradação de penalidades - Dupla punição
do empregado. (TRT 4ª Região - RO 00497.661/00-4 - 4ª - Impossibilidade - Conquanto o ordenamento jurídico não
Turma - Relª Juíza Conv. Beatriz Renck - J. 25.09.2003) subordine a despedida do empregado faltoso à obediên-
cia de uma gradação de penalidades, a doutrina e juris-
Suspensão disciplinar - Hipótese em que a atitude do prudência mais modernas acentuam que sua observância
reclamante, de adentrar o ambiente de serviço em horário é critério a ser observado. Assim, a simples admoestação
de expediente, sem autorização da administração do hos- revelaria a primeira reprimenda, atuando a suspensão
pital reclamado, para distribuir panfletos elaborados por como a segunda medida disciplinar. A terceira atitude, aí
seu sindicato, caracteriza a exorbitância no desempenho sim, seria a pena máxima. Apenas nas hipóteses em que
de suas atribuições sindicais, justificando a suspensão a falta cometida é sobremaneira grave é que se admitiria
disciplinar que lhe foi imposta. Recurso ao qual se nega a despedida direta por justa causa. Ocorre que, ao punir
provimento. (TRT 4ª Região - RO 00289-2002-861-04-00-0 a reclamante pelos atos de indisciplina com advertências
- 5ª Turma - Rel. Juiz João Ghisleni Filho - J. 17.06.2003) e suspensões, a reclamada não mais poderia infligir pena-
lidade pela prática dos mesmos atos, sob pena de bis in
Dispensa por justa causa - Duplicidade de punição - idem. Apenas o cometimento de nova conduta irregular é
Inviável - No direito pátrio, a duplicidade de punição ao que abriria espaço para a pena máxima. (TRT 9ª Região -
empregado para a mesma falta é rechaçada pela maciça Proc. 02769-2002-664-09-00-1 - (5-2003) - Rel. Juiz Celio
doutrina e jurisprudência. Aplicada suspensão à recla- Horst Waldraff - J. 05.12.2003)
mante, tem-se por punida a obreira pelas faltas ao serviço.
A despedida por justa causa promovida imediatamente no Falta disciplinar - Não-comprovação - Efeitos - Não tendo a
retorno da suspensão é ilegal, tendo em vista que essa empresa se desincumbido de provar, conforme lhe compe-
causa extintiva contratual é a penalidade máxima de que tia, a participação do reclamante nos atos delituosos a ele
dispõe o empregador no exercício de seu poder discipli- imputados, não merece censura a decisão que determinou
nar. Bis in idem que se repudia. Recurso da autora provido. a anulação da suspensão disciplinar, bem como a devo-
(TRT 4ª Região - RO 00089-2002-811-04-00-1 - 3ª Turma lução das verbas retidas e o cancelamento dos registros
- Rel. Juiz Hugo Carlos Scheuermann - J. 07.05.2003) referentes ao ato. (TRT 12ª Região - RO-V 01399-2002-001-
12-00-7 - (0284338552/2002) - Florianópolis - 3ª Turma -
Da inexistência de dupla penalização pela mesma falta Relª Juíza Lília Leonor Abreu - J. 20.03.2003)
- Não há dupla penalização pela mesma falta grave
praticada, quando, em que pese a gravidade da falta (Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, arts. 130, 474 e
que ensejaria a despedida por justa causa, a empresa 482; Regulamento do Repouso Semanal Remunerado, aprova-
aplica a penalidade de suspensão disciplinar de 30 dias do pelo Decreto nº 27.048/1949, art. 11)
e, após, rescinde o contrato sem justa causa. Emprego
que não estava protegido contra a despedida sob qual- N

a IOB Setorial
Saúde Os programas de residência têm a duração
mínima de 1 ano, correspondendo ao mínimo de
Transferência de médico-residente 1.800 horas de atividade.

1. Introdução
2. Programa de Residência Médica -
A residência médica constitui modalidade de Transferência
ensino de pós-graduação, destinada a médicos, sob
a forma de cursos de especialização, caracterizada A transferência de médico residente de um
por treinamento em serviço, funcionando sob a res- Programa de Residência Médica (PRM) para outro,
ponsabilidade de instituições de saúde, universitárias da mesma especialidade, decorrente de solicitação
ou não, sob a orientação de profissionais médicos de do próprio residente, somente será possível a partir
elevada qualificação ética e profissional. do segundo ano de residência médica, obedecidas

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Maio/2014 - Fascículo 22 CT22-07


Manual de Procedimentos
Legislação Trabalhista e Previdenciária

as disposições internas e as resoluções da Comissão quanto aos conhecimentos, habilidades e atitudes,


Nacional de Residência Médica (CNRM). com o objetivo de se estabelecer plano de estudos
e a devida adaptação e capacitação, devendo ser
Ressalte-se que a transferência somente poderá realizada por uma banca composta pelo supervisor
ocorrer após a análise e aprovação da CNRM, que do programa de destino e por 3 especialistas desig-
avaliará a procedência da exposição de motivos, nados pela CNRM, cabendo a esta a decisão final
a comprovação da existência de vaga e bolsa e a sobre este processo.
concordância das Comissões de Residência Médica
(Coremes) de origem e destino, bem como das O médico residente transferido será alocado
Comissões Estaduais de Residência Médica (Cerem) no nível de treinamento compatível com o grau de
dos Estados envolvidos. conhecimentos, habilidades e atitudes demonstrados
na análise de equivalência acima citada.
2.1 Procedimentos para a solicitação
No caso de ser constatada a necessidade de o
O residente interessado deverá elaborar solici- médico residente refazer parte do período já cursado,
tação de transferência à Coreme da instituição onde a instituição de origem deverá arcar também com o
está cumprindo o PRM, acompanhada de exposição financiamento do período adicional necessário.
de motivos e de documento da Coreme de destino,
comprovando a existência de vaga, de pagamento
O médico residente transferido que estiver insa-
da bolsa e de concordância com a transferência,
tisfeito com a decisão poderá recorrer à CNRM, em
devendo constar, ainda, parecer favorável da Cerem
um prazo de 5 dias úteis, a partir da sua notificação.
dos Estados de origem e destino.

A documentação deverá ser entregue à Coreme No caso de uma instituição solicitar o descreden-
de origem, que analisará e encaminhará para a ciamento de um PRM por considerar-se insuficiente
Cerem onde se localiza o PRM que o médico está para a sua adequada condução, deverá arcar com a
cursando. A Cerem de origem é responsável por responsabilidade da completa formação dos médicos
encaminhar à CNRM a solicitação para análise e residentes matriculados, de acordo com critérios da
parecer final. CNRM expressos em parecer específico.

2.2 Programa de Residência Médica - 2.3 Bolsa - Pagamento - Responsabilidade


Descredenciamento
O pagamento da bolsa continuará a cargo da
Nos casos de descredenciamento de um PRM instituição de origem pelo tempo necessário para a
pela CNRM, os médicos residentes deverão ser conclusão do PRM, desconsideradas as eventuais
transferidos para programas credenciados da mesma reprovações por parte dos médicos residentes trans-
especialidade, em outras instituições. feridos.

Os médicos residentes de programas descre-


denciados serão realocados, preferencialmente, em 2.4 Programa de Residência Médica - Certificado
vagas credenciadas ociosas ou, conforme determi- de conclusão
nação da CNRM, em vagas credenciadas em caráter
O certificado de conclusão do PRM será regis-
extraordinário, as quais serão automaticamente desa-
trado pela CNRM, consignando como emissora:
tivadas ao término do cumprimento do programa pelo
residente transferido. a) a instituição de destino do médico residente
transferido.
As instituições credenciadas pela CNRM ficam b) a instituição de origem, nos casos de transfe-
obrigadas a receber os médicos residentes transfe- rência em período igual ou inferior a 6 meses
ridos, conforme determinação do plenário da CNRM. para a conclusão do programa do médico re-
sidente transferido.
Nos casos de transferências por descredencia-
(Lei nº 6.932/1981; Resolução CNRM nº 6/2010)
mento, o médico residente transferido será submetido
a uma análise documentada de grau de equivalência N
22-08 CT Manual de Procedimentos - Maio/2014 - Fascículo 22 - Boletim IOB
Manual de Procedimentos
Legislação Trabalhista e Previdenciária

a IOB Perguntas e Respostas


Suspensão disciplinar A lei é clara e categórica: reconhece ao empre-
gador o direito de suspender o empregado, durante
Curso do aviso-prévio período máximo de 30 dias consecutivos, valendo por
despedida injusta, se superior àquele período.
1) A empresa pode aplicar a penalidade de sus-
pensão disciplinar ao empregado no curso do aviso- (Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, art. 474)
-prévio trabalhado?
O comportamento ilícito do empregado autoriza Prazo para aplicação
o empregador, no uso de seu poder disciplinar, a 3) Existe prazo na legislação trabalhista para a
aplicar-lhe as penalidades legalmente previstas. aplicação da suspensão disciplinar?
A aplicação dessas penalidades, entretanto, deve
ser feita de forma gradual, sendo elas agravadas Não. Entretanto, na aplicação da penalidade de
conforme houver repetição da falta, pois têm por fim, suspensão, o empregador deve observar certos prin-
precipuamente, proporcionar ao trabalhador a oportu- cípios, dentre eles, o da imediatidade. Dessa forma,
nidade de corrigir seu comportamento. a punição deve ser aplicada, tanto quanto possível,
logo em seguida à falta cometida, ou seja, entre a
A suspensão disciplinar é sanção comumente falta e a punição não deve haver período demasiada-
aplicada ao empregado que comete falta de certa mente longo, sob pena de se caracterizar o perdão
gravidade e penalidade pessoal que o proíbe da tácito.
prestação de serviço, com a consequente perda do
salário e dos respectivos repousos durante o período Sendo cometida a falta, o empregador providencia
de sua duração. a aplicação da pena em um prazo razoável, a partir do
momento em que o fato chegar ao seu conhecimento
A legislação vigente não contém dispositivo que e a autoria estiver devidamente comprovada.
impossibilite o empregador de aplicar suspensão dis-
ciplinar ao empregado que comete ato faltoso durante Deve-se observar, porém, que em determinadas
o cumprimento do aviso-prévio, mesmo porque esse situações, ou em decorrência da complexidade da
período integra o tempo de serviço do empregado. falta cometida, é aceitável o transcurso do tempo
necessário à apuração dos fatos e das respectivas
Assim, é lícito ao empregador suspender o responsabilidades.
empregado que cometeu ato impróprio que justifique
a aplicação dessa penalidade durante a vigência do Nessa hipótese, mesmo sendo a falta antiga,
aviso-prévio. esta se torna atual a partir do momento em que
venha a ser conhecida e comprovada, bem como da
Cabe ressaltar, porém, que, por mais que o motivo apuração das responsabilidades, pois não é possível
seja justo, a suspensão disciplinar, por disposição punir uma falta antes de conhecê-la e saber quem a
legal, não pode ser superior a 30 dias consecutivos, praticou.
sob pena de importar na rescisão injusta do contrato
de trabalho. Ressalta-se que o ônus de provar o cometimento
da falta, bem como sua autoria, é do empregador e
(Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, art. 474)
somente após a obtenção de provas irrefutáveis do
cometimento do ato faltoso e de sua respectiva auto-
Prazo máximo ria é que ele poderá aplicar as sanções cabíveis ao
2) Existe limite de dias previsto na legislação para empregado responsável.
aplicação da suspensão disciplinar?
RSR - Efeitos
De acordo com o art. 474 da CLT, a suspensão
disciplinar não pode ser superior a 30 dias conse- 4) As ausências do empregado em virtude de sus-
cutivos, sob pena de importar na rescisão injusta do pensão disciplinar interferirão no pagamento do Re-
contrato de trabalho. pouso Semanal Remunerado (RSR)?

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Maio/2014 - Fascículo 22 CT22-09


Manual de Procedimentos
Legislação Trabalhista e Previdenciária

As suspensões disciplinares são caracterizadas mês para o empregado fazer jus a 1/12 de 13º salário
perante a legislação trabalhista como faltas injustifi- proporcional por mês de serviço, tampouco para
cadas. efeito de redução proporcional do período de férias.

Assim, o empregado que, em virtude de puni- Esse critério é adotado para não haver a ocor-
ção disciplinar, não tiver trabalhado durante toda a rência de dupla penalidade ao empregado, ou seja,
semana, cumprindo integralmente o seu horário de uma vez por ocasião do desconto do repouso e outra
trabalho, perderá a remuneração do dia de RSR. para fins de diminuir a contagem da proporcionali-
dade do 13º salário e/ou férias.
Convém ressaltar que os dias de repouso que
eventualmente não tiverem sido pagos ao empregado (Regulamento do Repouso Semanal Remunerado, aprova-
durante o ano em decorrência de falta injustificada do pelo Decreto nº 27.048/1949, art. 11)
ou punição disciplinar não poderão ser computados
para efeito da contagem dos 15 dias trabalhados no ◙

22-10 CT Manual de Procedimentos - Maio/2014 - Fascículo 22 - Boletim IOB

Você também pode gostar