Você está na página 1de 7

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS

CURSO EM ENGENHARIA MECÂNICA

2° QUESTIONÁRIO DISCIPLINA DE TRIBOLOGIA PROF. GILMAR CORDEIRO DA SILVA

ALUNO (A) GUSTAVO CHAVES PEIXOTO | MATRÍCULA 673907 DATA:28/08

1) Faça uma analogia entre os parâmetros abaixo e descreva as possíveis vantagens e


desvantagens de cada um deles. Ra e Rc; Ry e Rz; Ra e Rq
Rugosidade Média (Ra): É a média aritmética dos valores absolutos das ordenadas dos
afastamentos dos pontos do perfil de rugosidade, em relação à linha média, dentro do
percurso de medição lm.
Ra – Vantagens
• Parâmetro mais utilizado.
• Aplicável à maioria dos processos de fabricação.
• Quase todos os equipamentos de medição apresentam esse parâmetro.
• Riscos inerentes ao processo alteram pouco seu valor.
Ra – desvantagens
• Seu valor não define a forma das irregularidades e pode ser associado a diferentes
processos.
• Presença de um pico ou vale atípico oriundo do processo não é identificado e pode
ocultar um defeito.
• Não distingue picos de vales.
• Para processos com frequência muito alta de vales ou picos (sinterização), não é
adequado pois a distorção provocada pelo filtro ocasiona erros grandes.
Raiz quadrada das médias dos quadrados (Rq)
• O parâmetro Rq é definido como a raiz quadrada da média dos quadrados das
ordenadas do perfil R em relação à linha média em um comprimento l de avaliação. O
gráfico de análise do Rq é idêntico ao gráfico do Ra.
A aplicação maior de Rq ocorre na indústria de fabricação óptica e eletrônica, devido à
capacidade para se descobrir picos e vales, onde estas imperfeições comprometem a
qualidade potencial e ou distorções locais

Média das amplitudes contidas no perfil (Rc): Muito parecida com o parâmetro Ra e RQ porém
considera também os vales
Ry–Rugosidade máxima (atual Rt) -Definido como o maior valor das rugosidades parciais
(Zi) que se apresenta no percurso de medição (lm).
Ry – Vantagens
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS
CURSO EM ENGENHARIA MECÂNICA

• Informa sobre a máxima deterioração da superfície vertical da peça. É de fácil obtenção


quando o equipamento de medição fornece o gráfico da superfície. -Tem grande
aplicação na maioria dos países.
Ry - Desvantagens
• Nem todos os equipamentos fornecem o parâmetro.
• Pode dar uma imagem errada da superfície, pois avalia desvios localizados.
• Presença de riscos feitos após a usinagem, que não caracteriza o processo, levam a
resultados incorretos.
Rt ou Rmax = Rugosidade Total (atual Rz)
• Corresponde à distância vertical entre o pico mais alto e o vale mais profundo no
comprimento de avaliação (lm), independente dos valores de rugosidade parcial (Zi).
Rt ou Rmax = Rugosidade Total (atual Rz)
Vantagens
• Considera todo o comprimento de avaliação.
• Tem o mesmo emprego do Ry, é mais abrangente, pois é determinado considerando o
comprimento total de avaliação ( lm ).
• Tem as mesmas vantagens de Ry.
Desvantagens
• a avaliação pode levar a resultados enganosos, por exemplo, presença de vales
profundos.

2) Defina Perfil R

Perfil R é o perfil cujo se mede a Rugosidade do material. Diferentemente do Perfil P, que se


observa imperfeições no perfil primário da peça e o Perfil W que é o de ondulação.

3) Em uma situação em que é necessário o contato superficial entre duas partes como sede do
cilindro e anel de segmento, descreva o motivo da operação de brunimento e “Plateu” nesta
operação

O brunimento é o processo de acabamento da superfície interna de um cilindro. Ele é disperso


em ângulos que podem variar entre 90 e 120 graus e serve para a vedação da estrutura. O
brunimento também permitirá o controle do consumo e a retenção de óleo lubrificante
necessário para o funcionamento da estrutura montada e a dissipação do calor interno e
levará em conta a rugosidade específica de cada material usinado. Bem feito, o brunimento
corrige e evita problemas relacionados com o diâmetro interno e a geometria do furo, sua
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS
CURSO EM ENGENHARIA MECÂNICA

cilindricidade e circularidade, alcançando a rugosidade específica do material e realizando,


com movimentos verticais oscilantes, o processo de preenchimento de poros sólidos.

4) Explique a relação de razão de contato e o desgaste superficial ao longo do tempo

Quanto maior for a área de contato efetiva (real) entre os materiais maior será o desgaste
superficial, tendo em vista que ao longo do tempo ocorre uma perda progressiva de material
sólido devido a ação mecânica que está ocorrendo entre os corpos.

5) Explique o conceito de contato real.

A área de contato EFETIVA(OU REAL) em nível microscópico entre os dois sólidos é muito
menor do que a área APARENTE (área em nível macroscópico tomada como área de contato)
pois os dois corpos se tocam apenas em alguns “pontos” (pequenas superfícies) dessa área.
Eles se tocam onde os picos da superfície real coincidem.

6) Pela teoria da adesão, explique a diferença entre força de atrito estático e atrito dinâmico

Força de atrito cinético (ou dinâmico): é uma força que surge em oposição ao movimento de
objetos que estão se movendo.

Força de atrito estático: atua sobre o objeto em repouso e dificulta ou impossibilita que ele
inicie o movimento.

7) Mostre como o coeficiente de atrito está relacionado com a tensão de cisalhamento e a tensão
de deformação:
Atrito é o mecanismo pelo qual se desenvolvem forças de resistência superficiais ao
deslizamento de dois corpos em contato. Estas forças aparecem devido à interação de
irregularidades microscópicas presentes nas superfícies (rugosidade) e que apresentam
resistência ao cisalhamento. Ou seja, em materiais muito rugosos, o coeficiente de atrito é
alto, consequentemente a resistência ao cisalhamento e deformação também será.

8) Descreva atrito em metais:

Quando superfícies metálicas são colocadas em movimento, fortes ligações metálicas se


formam através da interface e quando superfícies são separadas o metal é transferido de um
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS
CURSO EM ENGENHARIA MECÂNICA

corpo para outro com pouca ou nenhuma contaminação. Em muitas aplicações práticas, os
metais deslizam uns contra os outros no ar. Coeficientes de atrito são então muito menores
do qu no vácuo, e tipicamente para deslizamentos não lubrificados, encontram-se no
intervalo de 0,5 e 1,5. Todos os metais oxidam no ar até certo ponto formandofilmes de
óxido entre 1 e 10mm de espessura dentro de alguns minutos de exposição de uma
superfície atomicamente limpa. Dentro do vácuo ocorre uma forte aderência.

9) O coeficiente de atrito varia com a carga normal? Explique.

De acordo com a primeira lei do atrito, para alguns materiais, principalmente os metais e ligas
metálicas, sob condições de deslizamento, com ou sem lubrificação, a primeira lei é válida.
Entretanto, a primeira lei não atende bem aos polímeros e pode não ser satisfeita para alguns
casos especiais, como por exemplo, para materiais que formam filmes superficiais através de
reações com o ambiente, que fazem com que o atrito diminua, e na medida em que a carga
normal aumenta e consegue destruir o filme de óxido, o coeficiente de atrito
consequentemente aumenta.

10) Como varia a força de atrito com a área de contato? Explique.

A intensidade máxima da força de atrito depende do número de “pontos” de contato entre os


dois sólidos, ou dizendo de outra maneira, depende da área EFETIVA e não da
área APARENTE. A área EFETIVA de contato, mantida a área APARENTE constante, é
diretamente proporcional à intensidade da força de compressão (força normal à superfície de
contato). Dizendo de outra forma, mantida a área APARENTE constante, a
área EFETIVA aumenta conforme aumenta a pressão. No entanto, esta lei pode não ser
atendida para materiais muito macios ou para superfícies muito planas (i.e., área real
aproximadamente igual à área aparente). Por exemplo, no rolamento dos pneus automotivos
sobre uma rodovia, o coeficiente de atrito aumenta com a largura do pneu.

11) Explique o que é crescimento da junção.

O fenômeno conhecido por crescimento de junção ocorre quando um elemento de área de


um material interno a uma placa por exemplo, está sujeito a compressão uniaxial por uma
tensão normal e pode-ser assumir que ela seja um ponto de escoamento, visto que sabe-se
que quse todo contato de asperidades entre metais são plásticos. Quando uma tensão
tangencial é então aplicada a uma junção de asperidade, oelemento do material experimenta
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS
CURSO EM ENGENHARIA MECÂNICA

uma tensão de cisalhamento adicional. Para o material permanecer no ponto de escoamento,


a tensão normal sobre o elemento deve ser reduzida. Se a carga normal permanecer
constante, então a área de conato deve crescer.

12) Explique o índice de plasticidade para metais, cerâmicos e polímeros.

O indice de plasticidade é o mesmo que a capacidade do material se deformar plasticamente


sem romper, está diretamente ligado a propriedade ductilidade, que quanto maior é, maior é
o coeficiente de atrito do material. Materiais cerâmicos tem um indice de plasticidade
extremamente baixo, pelo fato de em condições de temperatura e pressão ambiente ter uma
dureza elevada, consequentemente um baixo coeficiente de atrito. Ja os metais, tem um indice
de plasticidade intermediário comparado com os materiais cerâmicos e poliméricos. E os
materiais poliméricos tem um alto índice de plasticidade o que propicia uma alta ductilidade
e alto coeficiente de atrito, tendo em vista que a sua área de contato aparente também é bem
próxima da área de contato real.

13) Pela teoria do atrito, durante o escorregamento o coeficiente de atrito é função da adesão e
da deformação das asperezas (rugosidade). Explique cada parcela e seus valores.

Pela teoria, o coeficiente de atrito total é igual a soma do coeficiente de atrito de adesão que
é função da força de adesão divida pela carga normal, com o coeficiente de atrito devido a
indentação que é função da força de endentação dividida pela carga normal. De acordo com
a teoria do modelo de Bowden e Tabor, os valores para coeficiente de atrito de adesão e de
indentação são respectivamente: 0,2 e 0,1. Logo o coeficiente de atrito total gira em torno de
0,3.

14) Explique como uma interface de baixa tensão de cisalhamento pode reduzir coeficiente de
atrito
.
Se a interface tem uma baixa tensão de cisalhamento significa na maioria das vezes que a
Rugosidade é baixa, ou tem algum elemento diminuindo a área de contato real entre as
superfícies. É sabido que, quanto menor a área de contato real entre os elementos menor
será o coeficiente de atrito.
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS
CURSO EM ENGENHARIA MECÂNICA

15) Como a concentração de oxigênio pode alterar o coeficiente de atrito?

Em alguns casos com cargas normais baixas, os filmes de óxido nas superfícies dos
materiais separam as superfícies que estão em contato, fazendo com que haja pouco ou
quase nenhum contato metálico real. Ou seja o filme de óxido atua como um filme de baixa
resistência ao cisalhamento, pois a baixa ductilidade do óxido limita o crescimento da junção.

16) Explique o que é Stick-Slip.

Atrito em escala atômica, foi observado a primeira vez com uma ponteira de tungstênio
varrendo uma superfície de grafite. Viu-se que o processo de deslizamento da ponteira sobre
a superfície não é em geral uniforme, mostrando um comportamento de stick-slip, isto é,
"cola-desliza". Este movimento é um dos grandes fatores de desgaste das superfícies.
O stick-slip pode ser irregular ou ter um comportamento periódico mas a força de atrito é
sempre maior na parte estática, isto é quando as duas superfícies estão coladas. Quando a
força restauradora do cantilever entortado se faz grande o suficiente para ultrapassar o atrito
estático, a ponteira começa a deslizar sobre a superfície, em incrementos discretos. O
deslizamento ocorre instantaneamente dentro da escala de tempo resolvida
experimentalmente de 200 ms, enquanto que, entre um deslizamento e outro, a ponteira se
move solidária com a superfície. No caso da ponteira de tungstênio sobre grafite foi
observado que os deslizamentos mostram a mesma periodicidade espacial que a superfície
de grafite, levando à conclusão de que a estrutura superficial atômica influencia as
propriedades de atrito da interface ponteira-amostra

17) Como funciona a variação do coeficiente de atrito em relação à rugosidade ao atritar


Cu/Cu no regime plástico?

A medida que a carga normal é aumentada, ocorre uma transição para um valor alto do
coeficiente de atrito, no caso do cobre em experimentos observou-se menos de 0,5 a maior
que 1,5. A trilha do controle deslizante agora exibe danos consideráveis na superfície com
evidências de transferência de material, a resistência elétrica do contato cai para um valor
baixo, e deduz-se que o contato metálico está ocorrendo entre as asperezas do cobre.
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS
CURSO EM ENGENHARIA MECÂNICA

18) Explique como a estrutura cristalina pode alterar o coeficiente de atrito em metais.

Cada estrutura cristalina tem uma concentração especifica de átomos por área, e quanto
maior essa concentração maior será a dureza, ou seja, dependendo da estrutura cristalina,
ela faz com que o coeficiente de atrito aumente ou diminua, tendo em vista que, em materiais
ducteis o coeficiente de atrito é maior do que em materiais duros.

19) Os gráficos µdin versus Carga Normal (N) representam o deslizamento de:

(a) Aço-alumínio (b) Cobre-cobre . Explique a diferença das curvas baseado na natureza
da superfície metálica.

Para alguns materiais, principalmente os metais e ligas metálicas, sob condições de


deslizamento, com ou sem lubrificação, a primeira lei do atrito é válida (Figura a). Entretanto,
a primeira lei não atende bem aos polímeros e pode não ser satisfeita para alguns casos
especiais, como por exemplo, para materiais que formam filmes superficiais através de
reações com o ambiente. Na Figura b, pode ser observada uma região de transição de um
baixo para um elevado coeficiente de atrito com o aumento da carga normal, o que contradiz
a primeira lei. Neste caso, como o cobre rapidamente se oxida em contato com o ar, um baixo
coeficiente de atrito é alcançado a cargas baixas, porém, com o aumento da carga normal, a
camada de óxido é degradada, e o contato que antes era entre as camadas de óxido formadas
na superfície dos metais, passa a ser entre metais. Isto resulta em um aumento do coeficiente
de atrito, uma vez que, ao contrário dos óxidos, os metais são dúcteis e favorecem os
mecanismos de adesão e crescimento de junções.

Você também pode gostar