Você está na página 1de 7

Discente : Kallen Cristina Ribeiro Garcia

Docente: Saulo Henrique


Disciplina: Geometria Euclidiana

Trabalho 01

1) Demonstrar os casos de congruência de triângulos: ALA, LLL, LAA o e congruência de triângulos


retângulos.
O conceito abstrato de congruência entre triângulos é definido da seguinte maneira: Dois
triângulos são denominados congruentes se tem ordenadamente congruentes os três lados e os três
ângulos. Exemplo: Os triângulos ABC e A’B’C’ são congruentes.

Em dois triângulos congruentes, são congruentes entre si:


a) os lados opostos ângulos congruentes;
b) os ângulos opostos a lados congruentes;
Casos de congruência
A definição de congruência de triângulos das 5 condições que devem ser satisfeitas para que
dois triângulos sejam congruentes. Existem condições mínimas para que dois triângulos sejam con-
gruentes. Estas condições são denominadas casos ou critérios de congruência. O presente trabalho
pretende apresentar apenas 3 dessas 5 definições, sendo: congruência de triângulos: ALA, LLL, LAA
o e congruência de triângulos retângulos.
1° Caso (ALA): Se dois triângulos têm ordenadamente congruentes dois ângulos e o lado
adjacente a esses ângulos, então eles são congruentes.
Os ângulos adjacentes ao lado BC são B e ˆ C; os adjacentes ao lado ˆ B'C' são Bˆ' e Cˆ'.

Nota: Todas as imagens foram retiradas do livro, Elementar Fundamentos de matemática elementar 9: geometria plana /
Osvaldo Dolce, José Nicolau Pompeo. -- 9. ed. -- São Paulo : Atual, 2013. Disponível em: file:///C:/Users/kalle/Down-
loads/livro-09.pdf.
Hipótese: 𝐵̂ ≡ 𝐵
̂′ (1); ̅̅̅̅̅
𝐵𝐶 ≡ ̅̅̅̅̅̅
𝐵 ′ 𝐶 ′ (2); 𝐶̂ ≡ 𝐶̂ ′ (3)) ⇒ ∆ 𝐴𝐵𝐶 ≡ 𝐴′𝐵′𝐶′ :Teste.

Demonstração:
𝐵𝐴 ≡ ̅̅̅̅̅̅
Vamos provar que ̅̅̅̅ 𝐵′𝐴′ pois com isso recairemos no 1° caso.
Pelo postulado de transporte de segmentos, obtemos na semirreta → um ponto X tal que
𝐵′𝐴′

𝐵𝑋 ≡ ̅̅̅̅̅̅
̅̅̅̅ 𝐵′𝐴′. Portanto:
̅̅̅̅̅ ≡ ̅̅̅̅̅̅
𝐵𝐶 𝐵 ′ 𝐶 ′ 𝐿𝐴𝐿 ̂′
{ 𝐵̂ ≡ 𝐵̂ ′ } ⇒ ∆𝐴𝐵𝐶 ≡ ∆𝑋𝐵 ′ 𝐶 ′ ⇒ 𝐵𝐶̂ 𝐴 ≡ 𝐵 ′𝐶 𝑋.
̅̅̅̅̅ ≡ ̅̅̅̅̅̅
𝐵𝐴 𝐵′𝑋 ′
̂′ ̂′
Da hipótese B𝐶̂ A ≡ 𝐵 ′𝐶 𝐴′, com B𝐶̂ A ≡ 𝐵 ′𝐶 𝑋 e com o postulado do transporte de ângulos,
decorre que ↔ 𝑒 ↔ = ↔ interceptam – se num único ponto X = A’.
𝐵′𝐴′ 𝐶′𝑋′ 𝐶′𝐴′

𝐵𝐴 ≡ ̅̅̅̅̅̅
De X = A’, decorre que ̅̅̅̅ 𝐵′𝐴′. Então:
𝐿𝐴𝐿
̅̅̅̅ ≡ 𝐵
𝐵𝐴 ̅̅̅̅̅̅ ̂ ≡ 𝐵̂ ,
′ 𝐴′ , 𝐵 ̅̅̅̅ ≡ ̅̅̅̅̅̅
𝐵𝐶 𝐵′𝐶 ′) ⇒ ∆𝐴𝐵𝐶 ≡ ∆𝐴′𝐵 ′ 𝐶 ′

Exemplo: Os triângulos ABC e A’B’C’ da figura são congruentes pelo caso ALA. Observe:

O esquema abaixo explica:

NOTA: Com base no 1º caso (ALA), pode se provar a recíproca do teorema do triângulo
isósceles: “Se um triângulo possui dois ângulos congruentes, então esse triângulo é isóscele.” Consi-
derando um triângulo isósceles ABC de base BC, basta observar os triângulos ABC e ACB e proceder
de modo análogo ao do teorema direto.

2° Caso (LLL) Se dois triângulos têm ordenadamente congruentes os três lados, então eles são
Nota: Todas as imagens foram retiradas do livro, Elementar Fundamentos de matemática elementar 9: geometria plana /
Osvaldo Dolce, José Nicolau Pompeo. -- 9. ed. -- São Paulo : Atual, 2013. Disponível em: file:///C:/Users/kalle/Down-
loads/livro-09.pdf.
congruentes.
Hipótese: ̅̅̅̅ ̅̅̅̅̅̅
𝐴𝐵 ≡ 𝐴 ′ 𝐵 ′ (1); ̅̅̅̅̅
𝐴𝐶 ≡ ̅̅̅̅̅̅ ̅̅̅̅ ≡ ̅̅̅̅̅̅
𝐴′ 𝐶 ′ (2); 𝐵𝐶 𝐵 ′ 𝐶 ′ (3)) ⇒ ∆ 𝐴𝐵𝐶 ≡ 𝐴′𝐵′𝐶′ :Teste

Demonstração:
Pelo postulado do transporte de ângulos e do transporte de
segmentos, obtemos um ponto X tal que: 𝑋𝐴̂′ 𝐵 ′ ≡ 𝐶𝐴̂𝐵 (4) onde
̅̅̅̅̅ ̅̅̅̅ (5) estando X no semiplano oposto ai de C’ em relação
𝐴′ 𝑋 ≡ 𝐴𝐶
à reta ⃡𝐴′ 𝐵 ′ . De ̅̅̅̅̅
𝐴′ 𝑋 ≡ ̅̅̅̅
𝐴𝐶 (5) e ̅̅̅̅̅
𝐴𝐶 ≡ ̅̅̅̅̅̅
𝐴′ 𝐶 ′ (2), vem: ̅̅̅̅̅
𝐴′ 𝑋 ≡
̅̅̅̅̅̅
𝐴′ 𝐶 ′ (6), seja D o ponto de interseção de ̅̅̅̅̅̅̅
𝐶 ′ 𝑋 ′ com a reta ⃡𝐴′ 𝐵 ′ .
Portanto:
𝐿𝐴𝐿 3
(1), (4), (5) ⇒ ∆𝐴𝐵𝐶 ≡ ∆𝐴′ 𝐵 ′ 𝑋 ′ (7) → ̅̅̅̅̅ ̅̅̅̅ ⇒ ̅̅̅̅̅
𝑋𝐵 ′ ≡ 𝐶𝐵 𝑋𝐵 ′ ≡
̅̅̅̅̅̅
𝐶 ′ 𝐵 ′ (8)
̅̅̅̅̅ → 𝐴′𝐶
(6) → ∆𝐴′ 𝐶 ′ 𝑋 é 𝑖𝑠ó𝑠𝑐𝑒𝑙𝑒𝑠 𝑑𝑒 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝐶′𝑋 ̂′ 𝑋 ≡ 𝐴′𝑋̂𝐶′ (9)

(8) → ∆𝐵 ′ 𝐶 ′ 𝑋 é 𝑖𝑠ó𝑠𝑐𝑒𝑙𝑒𝑠 𝑑𝑒 𝑏𝑎𝑠𝑒 ̅̅̅̅̅ ̂′ 𝑋 ≡ 𝐵′𝑋̂𝐶′ (10)


𝐶′𝑋 → 𝐵′𝐶
Por soma ou diferente de (9) e (10), D seja interna ou não ao segmento ̅̅̅̅̅̅
𝐴′ 𝐵 ′ temos que :
̂′ 𝐵 ≡ 𝐴′𝑋̂𝐵′(11)
𝐴′𝐶
7
(6), (11), (8) → ∆𝐴′ 𝐵 ′ 𝐶 ≡ ∆𝐴′ 𝐵 ′ 𝑋 ⇒ ∆𝐴𝐵𝐶 ≡ ∆𝐴′𝐵′𝐶′
Exemplo: Os triângulos ABC e A’B’C’ da figura são congruentes pelo caso LLL.

O esquema abaixo aplica a semelhança:

3° Caso (LAAo) Quando dois triângulos possuem um lado, um ângulo adjacente e um ân-
gulo oposto a esse lado congruentes, então esses dois triângulos são congruentes. Novamente a or-
dem deve ser respeitada. Por exemplo, se o segundo ângulo observado não for oposto ao lado obser-
vado, então não existem garantias de que os dois triângulos sejam congruentes.

Nota: Todas as imagens foram retiradas do livro, Elementar Fundamentos de matemática elementar 9: geometria plana /
Osvaldo Dolce, José Nicolau Pompeo. -- 9. ed. -- São Paulo : Atual, 2013. Disponível em: file:///C:/Users/kalle/Down-
loads/livro-09.pdf.
Fonte: https://www.preparaenem.com/matematica/casos-congruencia-triangulos.htm

Observe a ordem de congruências nos triângulos acima:

AB = ED = 3, ângulo A = ângulo E = 90 e ângulo C = ângulo F = 56,31

Portanto, esses dois triângulos se enquadram no caso LAAo. Demonstrando, temos:

Hipótese: 𝐵𝐶 ̅̅̅̅̅̅
̅̅̅̅ ≡ 𝐵 ̂ ≡ 𝐵̂ (2); 𝐴̂ ≡ 𝐴̂ (3)) ⇒ ∆ 𝐴𝐵𝐶 ≡ 𝐴′𝐵′𝐶′ :Teste
′ 𝐶′ (1); 𝐵

Existe três possibilidades para 𝐴𝐵 ̅̅̅̅̅̅


̅̅̅̅ ≡ 𝐴 ′ 𝐵′:

1°) ̅̅̅̅ ̅̅̅̅̅̅


𝐴𝐵 ≡ 𝐴 ̅̅̅̅ < ̅̅̅̅̅̅
′ 𝐵′ 2°)𝐴𝐵 𝐴′ 𝐵′ 3°)𝐴𝐵 ̅̅̅̅̅̅
̅̅̅̅ > 𝐴 ′ 𝐵′

Se a 1° se verifica, temos:

̅̅̅̅̅̅ ̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅
𝐿𝐴𝐿
̅̅̅̅ ≡ 𝐴
(𝐴𝐵 ̂ ≡ 𝐵̂ , 𝐵𝐶
′ 𝐵′, 𝐵 ̅̅̅̅ ≡ 𝐵 ′ 𝐶′) ⇒ ∆𝐴𝐵𝐶 ≡ ∆𝐴′𝐵′𝐶′ Se a 2° se verificasse, tomando um

𝐵𝐷 = ̅̅̅̅̅̅
ponto D na semirreta → tal que ̅̅̅̅ 𝐴′𝐵′ (postulado do transporte de segmentos, teríamos:
𝐵𝐴
𝐿𝐴𝐿 3
( ̅̅̅̅ ̅̅̅̅̅̅
𝐷𝐵 ≡ 𝐴 ̂ ≡ 𝐵̂ , 𝐵𝐶
′ 𝐵′, 𝐵 ̅̅̅̅ ≡ (𝐵
̅̅̅̅̅̅ ̂ ≡ 𝐴̂ ⇒ 𝐴̂ ≡ 𝐴̂, o que é ab-
′ 𝐶 ′ ) ⇒ ∆𝐴𝐵𝐶 ≡ ∆𝐴′ 𝐵 ′ 𝐶 ′ → 𝐷

surdo, de acordo com o teorema do ângulo externo no ∆𝐴𝐷𝐶. Logo, a 2° motivo, com a diferença de
̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅
que D estaria entre A e B. Como só pode ocorrer a 1° a possibilidade, temos: ∆𝐴𝐵𝐶 ≡ ∆𝐴′𝐵′𝐶′

Caso especial de congruência de triângulos retângulos:


Se dois triângulos retângulos têm ordenadamente congruentes um cateto e a hipotenusa, então
esses triângulos são congruentes. Observe:

Nota: Todas as imagens foram retiradas do livro, Elementar Fundamentos de matemática elementar 9: geometria plana /
Osvaldo Dolce, José Nicolau Pompeo. -- 9. ed. -- São Paulo : Atual, 2013. Disponível em: file:///C:/Users/kalle/Down-
loads/livro-09.pdf.
̅̅̅̅ ≡ ̅̅̅̅̅̅
Hipótese: 𝐴̂ ≡ 𝐴̂ (𝑟𝑒𝑡𝑜𝑠)(1); 𝐴𝐵 ̅̅̅̅̅̅ (3)) ⇒ ∆ 𝐴𝐵𝐶 ≡
̅̅̅̅ ≡ 𝐵′𝐶′
𝐴′𝐵′ (2); 𝐵𝐶

𝐴′𝐵′𝐶′ :Teste

Demonstrando: Tomemos o ponto D na semirreta oposta à semirreta 𝐴′𝐶′, tal que ̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅
𝐴′𝐷 ≡ ̅̅̅̅
𝐴𝐶
(postulado do transporte de segmentos).
̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅
(𝐴𝐵 ≡𝐴 ̅̅̅̅̅̅ ̅̅̅̅̅̅ 𝐿𝐴𝐿
′ 𝐵 ′ , 𝐴̂ ≡ 𝐴̂ , ̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅̅
𝐴𝐶 ≡ 𝐴′𝐷) ̅̅̅̅ ≡ ̅̅̅̅̅
⇒ ∆ 𝐴𝐵𝐶 ≡ 𝐴′ 𝐵 ′ 𝐶 ′ → 𝐵𝐶 𝐵 ′ 𝐷(4)𝑒 𝐶̂ ≡ 𝐷
̂
̅̅̅̅ ≡ ̅̅̅̅̅
(4) E (3) → 𝐵𝐶 𝐵 ′ 𝐷 → ∆ 𝐵 ′ 𝐶 ′ 𝐷é 𝑖𝑠ó𝑠𝑐𝑒𝑙𝑒𝑠 𝑑𝑒 𝑏𝑎𝑠𝑒 ̅̅̅̅̅
𝐶′𝐷 → ̂ ̂ (6)
𝐶′ ≡ 𝐷
̂
(5) E (6) → 𝐶̂ ≡ 𝐶′
̅̅̅̅ ≡ 𝐵
Considerando agora os triângulos ABC e A’B`C`, temos: 𝐵𝐶 ̅̅̅̅̅̅
′ 𝐶 ′ , 𝐶̂ ≡ ̂
𝐶 ′ , 𝐴̂ ≡ 𝐴̂)
𝐿𝐴𝐴𝑜
⇒ ∆ 𝐴𝐵𝐶 ≡ 𝐴′𝐵′𝐶′

2 – Demonstre as desigualdades:
a) Ao maior lado opõe-se o maior ângulo;
Se dois lados de um triângulo não são congruentes, então os ângulos opostos a eles não são con-
gruentes e o maior deles está oposto ao maior lado.
̅̅̅̅ > 𝐴𝐶
Hipótese: 𝐵𝐶 ̅̅̅̅ → 𝐵𝐴̂ 𝐶 > 𝐴𝐵̂ 𝐶 :Teste ou a > b → Â > 𝐵̂, observe: 𝐵𝐶
̅̅̅̅

̅̅̅̅ tal que ̅̅̅̅


Consideramos D em 𝐵𝐶 𝐶𝐷 ≡ ̅̅̅̅ ̅̅̅̅ > ̅̅̅̅
𝐶𝐴. : 𝐵𝐶 𝐴𝐶 →
𝐷 é 𝑖𝑛𝑡𝑒𝑟𝑛𝑜 𝑎𝑜 𝐶𝐴̂ 𝐵 → 𝐶𝐴̂ 𝐵 > 𝐶𝐴̂ 𝐷 ( 𝐼)
∆𝐶𝐴𝐷 𝑖𝑠ó𝑠𝑐𝑒𝑙𝑒𝑠 𝑑𝑒 𝑏𝑎𝑠𝑒 ̅̅̅̅
𝐴𝐷 → 𝐶𝐴̂ 𝐷 ≡ 𝐶𝐷
̂ 𝐴 (𝐼𝐼)

Portanto I e II 𝐶𝐴̂ 𝐷 > 𝐶𝐷


̂ 𝐴 (1)
̂ 𝐴 é ángulo externo no ∆𝐴𝐵𝐷 → 𝐴𝐵̂ 𝐷 ≡ 𝐴𝐵̂ 𝐶 (2)
𝐶𝐷
De (1) e (2), vem: 𝐶𝐴̂ 𝐵 > 𝐴𝐵̂ 𝐶 𝑜𝑢 𝑠𝑒𝑗𝑎 𝐴̂ > 𝐵̂ .

Nota: Todas as imagens foram retiradas do livro, Elementar Fundamentos de matemática elementar 9: geometria plana /
Osvaldo Dolce, José Nicolau Pompeo. -- 9. ed. -- São Paulo : Atual, 2013. Disponível em: file:///C:/Users/kalle/Down-
loads/livro-09.pdf.
b) (desigualdade triangular) Em todo triângulo, cada lado é menor que a soma dos outros dois.

̅̅̅̅ < 𝐴𝐶
Hipótese: A, B e C não colineares → 𝐵𝐶 ̅̅̅̅ + 𝐴𝐵
̅̅̅̅ :Teste
Ou a, b e c lados de um triângulo → a < b + c.
Demonstração:
Considerando um ponto D na semirreta oposta à semirreta 𝐴𝐶 , 𝑡𝑎𝑙 𝑞𝑢𝑒 ̅̅̅̅̅
𝐴𝐷 ≡ ̅̅̅̅̅
𝐴𝐵 (1)
̅̅̅̅ ̅̅̅̅̅ + 𝐴𝐷
𝐷𝐶 ≡ 𝐴𝐶 ̅̅̅̅̅ ⇒ ̅̅̅̅̅
𝐴𝐶 + ̅̅̅̅̅
𝐴𝐵 (2)
(1)

(1) → ∆𝐴𝐵𝐶 isósceles de base ̅̅̅̅̅ ̂ 𝐵 ≡ 𝐴𝐵̂ 𝐷 (I)


𝐵𝐷 → 𝐴𝐷
A é interno ao ângulo 𝐶𝐵̂ 𝐷 → 𝐴𝐵̂ 𝐷 (II)
Portanto I e II → 𝐶𝐵̂ 𝐷 → 𝐴𝐷
̂ 𝐵 ≡ 𝐶𝐷
̂ 𝐵 (3)
No triangulo BCD com (3) e o teorema anterior, vem:
̅̅̅̅ < 𝐷𝐶
𝐵𝐶 ̅̅̅̅ e com (2) 𝐵𝐶
̅̅̅̅ < 𝐴𝐶
̅̅̅̅ + 𝐴𝐵
̅̅̅̅, ou ainda:
𝑎 <𝑏+𝑐
1ª) A desigualdade triangular também pode ser enunciada como segue:
Em todo triângulo, cada lado é maior que a diferença dos outros dois.
2ª) Se a, b e c são as medidas dos lados de um triângulo, devemos ter as três
condições abaixo:
a<b+ c
b<a+c
c< a+b

Referencias:
Congruência de Triângulos. Disponível em: /kalle/OneDrive/Área%20de%20Trabalho/Facul-
dade%20-%20Kallen/Geometria%20Euclidiana/Congruência%20de%20Triângulos%20-.pdf
Acesso em: 20 maio 2021.
Casos de Congruência de Triângulos. Disponível em: https://www.preparaenem.com/matema-
tica/casos-congruencia-triangulos.htm. Acesso em: 31 maio 2021.

Nota: Todas as imagens foram retiradas do livro, Elementar Fundamentos de matemática elementar 9: geometria plana /
Osvaldo Dolce, José Nicolau Pompeo. -- 9. ed. -- São Paulo : Atual, 2013. Disponível em: file:///C:/Users/kalle/Down-
loads/livro-09.pdf.
Nota: Todas as imagens foram retiradas do livro, Elementar Fundamentos de matemática elementar 9: geometria plana /
Osvaldo Dolce, José Nicolau Pompeo. -- 9. ed. -- São Paulo : Atual, 2013. Disponível em: file:///C:/Users/kalle/Down-
loads/livro-09.pdf.

Você também pode gostar