Você está na página 1de 71

Instalações elétricas

Ismael Carlet

1
Responsável por executar, manter e
realizar manutenção em redes de
baixa tensão

2
A PROFISSÃO ELETRICISTA
• Ser Eletricista é muito mais de saber trocar uma
resistência do chuveiro como nossos vizinhos pensam,
e como pensam!!!
• O Eletricista pode seguir, basicamente, três áreas de
atuações: Predial, Residencial ou Industrial e o que
podemos adiantar é que independente da área
escolhida este profissional contará com a
responsabilidade de executar tarefas como por
exemplo:
• Manutenção Corretiva/Preventiva e Preditiva
• Elaboração de pequenos projetos
• Execução de instalações
• Elaboração de propostas comerciais
• Vistoria de instalações, etc..

3
Se fossemos listar aqui tudo o que o eletricista em suas
diversas áreas e seguimentos faz, escreveria um texto
gigantesco, o intuito é abranger de uma forma genérica e
transparente para que seja possível tirar dúvidas e auxiliar
alguns de vocês na tomada de decisão na escolha de uma
profissão que eu enxergo como profissão de sucesso.

4
• O Eletricista possui diversas áreas de atuação,
mas é fato que, esta profissão é e será sempre
muito bem requisitada, podemos dizer que
não existe automação que substitua esta mão
de obra e é sem sombra de dúvidas uma
profissão que permite você iniciar um
trabalho autônomo com um investimento
inicial muito, mas muito baixo em relação as
5
demais profissões.
Diferença entre técnico e engenheiro
• Técnico:
- Salário menor, piso de salário mínimo conforme legislação
do CREA;
- Média de dois anos de curso;
- Curso normalmente prático;
- Auxilia no trabalho do engenheiro;
Engenheiro:
- Piso salarial de $1800 mais ou menos conforme o CREA;
- Mínimo 5 anos de curso;
- 3 primeiros anos de curso muita teoria principalmente de
cálculo, física e eletromagnetismo, depois um pouco de
prática;
• - Desenvolve e projeta sistemas elétricos.
Matéria
no núcleo de átomo temos os prótons (+) e os nêutrons e na
eletrosfera os elétrons (-)

materiais melhores condutores de


eletricidade são os que contem mais
elétrons

6
Circuito elétrico
• A palavra circuito nos remete a um caminho
fechado onde o fim é também o começo. O
termo circuito elétrico é explicado como
sendo um ou mais caminhos fechado em que
se percorre a corrente elétrica, simples assim
como parece. Mas é necessário entender
outros elementos presentes em um circuito
elétrico.

7
• Todo circuito elétrico funcional é composto
por uma fonte de tensão, podendo ser uma
tomada, uma bateria, uma pilha e uma carga
que irá consumir energia elétrica podendo ser
uma lâmpada, um motor, etc.

8
Corrente elétrica (A)
• é o movimento ordenado entre as cargas
elétricas presentes em um condutor metálico.
Essa organização de movimento acontece
quando se cria um campo elétrico dentro
desse condutor, fazendo com que seus
elétrons livres desenvolvam um movimento
ordenado.

9
• Há dois tipos de corrente elétrica: corrente
contínua - gerada por pilhas e baterias
e corrente alternada - gerada por usinas que
transformam qualquer tipo de energia em
elétrica, a qual chega até nossas casas.

10
Corrente contínua

11
Corrente alternada

12
Tensão elétrica (V)
• Tensão elétrica ou diferencial de
potencial (ddp) é a diferença de
potencial entre dois pontos. A tensão
elétrica também pode ser explicada
como a quantidade de energia
gerada para movimentar uma carga
elétrica.
13
Polos opostos se atraem

14
Resistência elétrica (R)
• é a capacidade de um corpo qualquer se opor
à passagem de corrente elétrica mesmo
quando existe uma diferença de potencial
aplicada.

15
Lei de ohm
• O cientista Georg Simon Ohm (1787 – 1854), a
partir de suas medidas experimentais, chegou
a conclusão de que todos os materiais sujeitos
a uma diferença de potencial apresentam uma
resistência de valor constante à passagem
da corrente elétrica.

16
Segunda lei de ohm
• Pegando um condutor cilíndrico de
comprimento L e de secção transversal A,
veremos que sua resistência elétrica será
maior quando o comprimento L for maior e a
secção A for menor, e a resistência elétrica
será menor quando o comprimento L for
menor e a secção A for maior, e depende do
material do qual é constituído o condutor.

17
18
Potência Elétrica (P)
• Todos nós já ouvimos alguma vez a palavra
potência, talvez quando nos referimos ao
motor do carro, ao dizer que um carro é mais
potente que outro, seja para dizermos sobre a
potência de um chuveiro elétrico é alta
quando ele aquece muito ou que é baixa a
potência quando ele aquece menos.

19
• A potência elétrica pode ser definido como o
trabalho elétrico desenvolvido pela corrente
elétrica num período de tempo.
• No caso do chuveiro, quanto maior potência
elétrica, maior a quantidade de calor que ele
gera para aquecer a água.

20
Formulas

21
Porque corrente alternada
• No final do séc. XIX com o crescimento
econômico e as novas invenções em
• máquinas elétricas, foram propostas duas
formas de distribuição de eletricidade:
• corrente contínua e corrente alternada.

22
Corrente alternada
• O uso de corrente contínua foi proposto por
Thomas Edison, contra a distribuição
• de corrente alternada de Nikola Tesla.
• Ganhou a corrente alternada,
• por se mostrar mais eficiente, basicamente
pela possibilidade do uso de transformadores

23
Transformador
• O transformador permite a transferência de energia
entre dois circuitos através
• de um acoplamento magnético. São duas bobinas
enroladas sobre um núcleo ferromagnético
• em comum, aonde a primeira bobina produz o fluxo
magnético, que
• atravessará a segunda bobina. Pela Lei de Faraday,
haverá uma
• tensão induzida na segunda bobina proporcional à
variação do fluxo magnético
• e o número de espiras (voltas) da bobina.

24
Trasformador

25
Da geração a distribuição

26
Sistema elétrico
• 1. A geração, captando energia de diversas fontes, realizada
com tensões relativamente baixas, devido à limitações das
máquinas.
• 2. O transformador elevador, instalados próximos dos
geradores, aonde consegue-se tensões que podem chegar
a 750 kV, como é o caso do Brasil, e proporcionalmente
reduzindo as correntes, possibilitando a transmissão da
eletricidade.
• 3. A rede de transmissão, que interliga os diversos núcleos
geradores e consumidores.
• 4. O transformador abaixador, instalados próximos as
centros consumidores, permite reduzir as tensões para
níveis de utilização urbanos.
Padrão de entrada
• Padrão mais conhecido como entrada de luz
• Pode ser subterrâneo ou aéreo.
• RGE é a distribuidora de energia na nossa
região portanto, devemos adotar as regras
básicas de instalação para que a energia seja
ligada.
• As regras ou normas são da CPFL 13/2.11
Padrão de entrada
Padrão de entrada
• Podem ser monofásicos, bifásicos ou trifásicos

• Monofásico: Fase e neutro


• Bifásico: 2 fase e neutro
• Trifásico: 3 fase e neutro
• Assim podemos diferenciar as fases chamando de R S T
• Fase 1 (R) fase 2 (S) fase 3 (T)
• Neutro (Azul Claro)
• Fase preto ou 3 cores distintas também podemos
nomear com RST se todos condutores forem pretos
• Terra verde ou verde tarjado.
CORES DO CONDUTOR
Cálculo da Demanda
• Se observarmos o funcionamento de uma
instalação elétrica, seja residencial, comercial ou
industrial; poderemos constatar que a potência
elétrica consumida pela mesma é variável a
cada instante. Esta variação ocorre também ao
longo dos dias da semana e até mesmo das
estações do ano. Tal fato ocorre porque as diversas
cargas que compõem a instalação não
estarão todas em funcionamento simultâneo.
Cálculo da Demanda
A potência total solicitada pela instalação à rede
a cada instante, será, portanto, função da
quantidade de cargas em operação e da
potência
elétrica absorvida por cada uma delas.
NÚMERO MÍNIMO DE TOMADAS EM
FUNÇÃO DA ÁREA CONSTRUÍDA
• ÁREA N° SUB N° DE SUB TOTAL =TOTAL DE TOTAL TOMADAS TOTAL
• TOMADAS I P/ COZINHA II SUB I + SUB II
• (m²) (100 W) (W) (600 W) (W) (W)
• <8 1 100 1 600 700
• 8 < S < 15 3 300 1 600 900
• 15 < S < 20 4 400 2 1200 1600
• 20 < S < 30 5 500 2 1200 1700
• 30 < S < 50 6 600 3 1800 2400
• 50 < S < 70 7 700 3 1800 2500
• 70 < S < 90 8 800 3 1800 2600
• 90 < S < 110 9 900 3 1800 2700
• 110 < S < 140 10 1000 3 1800 2800
• 140 < S < 170 11 1100 3 1800 2900
• 170 < S < 200 12 1200 3 1800 3000
• 200 < S < 220 13 1300 3 1800 3100
• 220 < S < 250 14 1400 3 1800 3200
FATORES DE DEMANDA REFERENTES A TOMADAS E
ILUMINAÇÃO RESIDENCIAL
• CARGA INSTALADA FATOR DE (kW) DEMANDA
• 0<C<1 0,86
• 1<C<2 0,75
• 2<C<3 0,66
• 3<C<4 0,59
• 4<C<5 0,52
• 5<C<6 0,45
• 6<C<7 0,40
• 7<C<8 0,35
• 8<C<9 0,31
• 9 < C < 10 0,27
• C > 10 0,24
FATORES DE DEMANDA DE CHUVEIROS, TORNEIRAS,
AQUECEDORES DE ÁGUA DE PASSAGEM E FERROS
ELÉTRICOS
APARELHOS FATOR DE DEMANDA N° DE APARELHOS FATOR DE DEMANDA

• 1 1,00
• 2 1,00
• 3 0,84
• 4 0,76
• 5 0,70
• 6 0,65
• 7 0,60
• 8 0,57
ATERRAMENTO
ATERRAMENTO
Tipos de aterramento
Assim não pode
Quadro de Distribuição (QD) ou
Quadro de Luz (QL)
Componente de uma instalação elétrico
destinado a abrigar um ou mais dispositivos de
proteção e/ou de manobra e a conexão de
condutores elétricos interligados aos mesmos,
com o fim de distribuir a energia elétrica aos
diversos circuitos. Recebe os condutores (Ramal
de
Alimentação) que vêm do medidor ou centro de
medição.
CD – centro de distribuição
As partes componentes de um quadro de distribuição são:

- Disjuntor Geral;
- Barramento de Interligação das Fases;
- Disjuntores dos Circuitos Terminais;
- Barramento de Neutro;
- Barramento de Proteção;
DR IDR e DDR
DR
• A Norma Brasileira de Instalações Elétricas –
ABNT NBR 5410 (uso obrigatório em todo
território nacional conforme lei 8078/90, art.
39 – VIII, art. 12, art. 14), defina claramente a
proteção de pessoas contra os perigos dos
choques elétricos que podem ser fatais, por
meio do uso do Dispositivo DR de alta
sensibilidade (< 30 mA).
DDR
Como montar o QD
EXEMPLO
Quero ligar um chuveiro de 7500 W de potencia
qual é o cabo necessário para esse uso?

Em 220V?

Em 110V?

E o disjuntor de
Quantos Amperes?
Diagrama unifilar
Simbologia gráfica
Simbologia gráfica
Passa fio – sonda
Ferramentas do eletricista
tomadas
Interruptores
• dispositivo pelo qual se interrompe (de forma
reversível) a passagem de um sinal em um
circuito elétrico ou eletrônico.
Tipos de interruptor
• Existe três tipos de interruptores;

• Simples (tecla simples)

• Paralelo (tecla hotel ou three-way)

• Intermediário (four-way)
Interruptor simples
Interruptor paralelo
Interruptor intermediário
campainha
Detector de tensão
Multímetro
Alicate amperímetrico
emendas
Fita isolante
isolações