Você está na página 1de 6

Corporativo

Procedimentos de acesso as áreas PP..


controladas para outras manutenções Revisão 00
Página 1/7

CONTROLE DE REVISÕES:

Revis Data Descriç


ão ão
00 27/12/20 Emissão inicial
20

*É mantido o histórico das 3 últimas revisões além da linha da revisão “00”, que informará a
data de emissão do documento.

Guilherme
Camargo / Antônio
Valença
Elaborador (es) /revisor Verificador Aprovador
(es)
Data: Data: Data:

Proibida sua cópia, reprodução, modificação sem autorização do QSSMA


Documento de propriedade do Grupo Opersan
Corporativo
Procedimentos de acesso as áreas PP.
controladas para outras manutenções Revisão 00
Página 2/7

1. OBJETIVO

Definir procedimentos técnicos e condições mínimas de segurança para a realização de outras


atividades em Áreas Controladas, visando a prevenção de acidentes.

2. APLICABILIDADE

<Aplicável para todas atividades de projéto, instalação, manuenção, reparos, modificações,


ampliações, limpeza e demais serviços realizados no interior de áreas controladas para outras
atividades>.
<Aplicável ao CTO Sta. Cruz/RJ>

3. TERMOS DE DEFINIÇÕES

ÁREA CLASSIFICADA: Local com potencialidade de ocorrência de atmosfera explosiva.

ATMOSFERA EXPLOSIVA: Mistura com o ar, sob condições atmosféricas,de substâncias


inflamáveis na forma de gás, vapor, névoa, poeira ou fibras, na qual, após a ignição, a combustão
se propaga.

BARREIRA: Dispositivo que impede qualquer contato com partes energizadas das instalações
elétricas.

DIREITO DE RECUSA: Instrumento que assegura ao trabalhador a interrupção de uma atividade


de trabalho por considerar que ela envolve um grave e iminente risco para sua segurança e saúde
ou de outras pessoas.

EQUIPAMENTO SEGREGADO: Equipamento tornado inacessível por meio de invólucro ou


barreira.

ISOLAMENTO ELÉTRICO: Processo destinado a impedir a passagem de corrente elétrica por


interposição de materiais isolantes.

PERIGO: Situação ou condição de risco com probabilidade de causar lesão física ou dano à
saúde das pessoas por ausência de medidas de controle.

RISCO: Capacidade de uma grandeza com potencial para causar lesões ou danos à saúde das
pessoas.

ZONA DE RISCO: entorno de parte condutora energizada, não segregada, acessível inclusive
acidentalmente, de dimensões estabelecidas de acordo com o nível de tensão, cuja aproximação
só é permitida a profissionais autorizados e com a adoção de técnicas e instrumentos apropriados
de trabalho.

Proibida sua cópia, reprodução, modificação sem autorização do QSSMA


Documento de propriedade do Grupo Opersan
Corporativo
Procedimentos de acesso as áreas PP.
controladas para outras manutenções Revisão 00
Página 3/7
ZONA CONTROLADA: entorno de parte condutora energizada, não segregada, acessível, de
dimensões estabelecidas de acordo com o nível de tensão, cuja aproximação só é permitida a
profissionais autorizados.

ÁREA CLASSIFICADA: local com potencialidade de ocorrência de atmosfera explosiva.

TRABALHO EM PROXIMIDADE: trabalho durante o qual o trabalhador pode entrar na zona


controlada, ainda que seja com uma parte do seu corpo ou com extensões condutoras,
representadas por materiais, ferramentas ou equipamentos que manipule.

ATERRAMENTO ELÉTRICO TEMPORÁRIO: ligação elétrica efetiva confiável e adequada


intencional à terra, destinada a garantir a equipotencial idade e mantida continuamente durante a
intervenção na instalação elétrica.

ATMOSFERA EXPLOSIVA: mistura com o ar, sob condições atmosféricas, de substâncias


inflamáveis na forma de gás, vapor, névoa, poeira ou fibras, na qual após a ignição a combustão
se propaga.

INFLUÊNCIAS EXTERNAS: variáveis que devem ser consideradas na definição e seleção de


medidas de proteção para segurança das pessoas e desempenho dos componentes da
instalação.

PRONTUÁRIO: sistema organizado de forma a conter uma memória dinâmica de informações


pertinentes às instalações e aos trabalhadores.

QSSMA: Setor de Qualidade, Segurança, Saúde e Meio Ambiente

4. DOCUMENTOS REFERENCIADOS

 Portaria Nº 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego


 NORMA REGULAMENTADORA - NR 10: SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS
EM ELETRICIDADE
 ABNT NBR 14.039 – INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE MÉDIA TENSÃO DE 1,0 KV A 36,2
KV
 ABNT NBR 5419 - PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS
 ABNT NBR 5410 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO

5. PROCEDIMENTO

5.1. Fluxograma

Não aplicável.

5.2. Responsabilidades e autoridades

Setor Manutenção Brasil


Proibida sua cópia, reprodução, modificação sem autorização do QSSMA
Documento de propriedade do Grupo Opersan
Corporativo
Procedimentos de acesso as áreas PP.
controladas para outras manutenções Revisão 00
Página 4/7
 Assegurar que qualquer componente deve possuir características adequadas ao local onde é
instalado, que lhe permitam suportar as solicitações a que possa ser submetido. Se, no
entanto, um componente não apresentar, por construção, as características adequadas, ele
pode ser utilizado sempre que provido de uma proteção complementar apropriada, quando da
execução da instalação.

Encarregados de manutenção, Supervisores e Coordenadores.


 Liberação das atividades em áreas de acesso controladas que envolva trabalhadores na
execução destas atividades;
 Revisar todas atividades junto as áreas controladas e que possua risco ou perigo ou que
sejam no seu interior;
 Manter todo o pessoal envolvido no processo especifico de manutenção em áreas
controladas de devidamente treinado e capacitado a efetuar atividade em área de risco.
 Sanar as dificuldades encontradas pelo pessoal de campo durante o procedimento de
execução de atividades na área controlada;
 Manter registros das não conformidades e soluções encontradas pelo pessoal de campo nas
instalações em áreas controladas;
 Aplicar as devidas punições quando identificado desvios na segurança praticado pelos
empregados.

Eletricistas, Eletromecânicos, Técnicos em elétrica e Operadores:


 Seguir as instruções para efetuar as atividades em áreas controladas em condições
especificas e autorizadas passadas pela liderança e em treinamento;
 Seguir as Normas de Segurança implantadas pela Opersan;
 Responsabilizar-se pela guarda e conservação dos materiais e dispositivos de sinalização
recebidos;
 Informar à supervisão qualquer dificuldade e não conformidades encontradas nas instalações
nas áreas controladas para a aplicação do procedimento de bloqueio e etiquetagem, além das
medidas corretivas;
 Participar dos treinamentos quando solicitado.

Equipe QSSMA
 Realizar inspeções visuais a qualquer tempo ou programadas em áreas controladas com o
pessoal qualificado do CTO Santa Cruz;
 Identificar e Sinalizar as Áreas Controladas;
 Fiscalizar junto às contratadas, subcontratadas e prestadores de serviços o cumprimento
deste procedimento;
 Notificar ou interditar, conforme o caso, as sinalizações que não atenderem este
procedimento, além dos requisitos da legislação vigente

5.3. Sistemática

5.3.1. Atividades em Áreas Controladas

Proibida sua cópia, reprodução, modificação sem autorização do QSSMA


Documento de propriedade do Grupo Opersan
Corporativo
Procedimentos de acesso as áreas PP.
controladas para outras manutenções Revisão 00
Página 5/7
 Atividades em instalações no interior de áreas controladas que apresentam risco de acidentes
a terceiros de acordo com a avaliação de risco, devendo ser efetuado APR antes de
qualquer ;

 Serviços em espaços confinados em conjunto com atividades elétricas;

 Serviços de elevação e movimentação de cargas, proximo as áreas controladas;

 Obras e empreendimentos de montagem industrial, construção civil, demolições e reformas


no interior ou nas proximidades das áreas controladas;

 Serviços de carga e descarga de líquidos combustíveis e inflamáveis, junto as áreas


controladas;

 Serviços com produtos químicos perigosos que afete a terceiros e ao meio ambiente, nas
proximidades de área controlada;

 Serviços mecanizados ou manuais de limpeza de rua, poda de árvores, corte de grama,


pinturas de faixas, reparos em asfaltos, escavações, desvios e galerias pluviais, proximo a
área controlada;

 Serviços de limpeza industrial com hidrojateamento, com risco na área controlada ou em sua
proximidade;

 Trabalhos em altura que apresentem riscos de queda de objetos ou ferramentas sobre:

 pessoas devendo ser isolado o piso superior e inferior(es);

 Áreas de risco por queda de estruturas ou parte destas, suscetíveis a desmoronamento;

 Abertura de pisos, alçapões, bueiros e similares que apresentem risco de queda;

 Áreas, máquinas e/ou equipamentos onde houver acidentes enquanto não houver
liberação pela comissão de investigação;

 Áreas bloqueadas (através de bloqueio e sinalização);

 Equipamentos e máquinas em operação (ou potencialmente podendo ser operado) sem


proteção de partes móveis ou rotativas até a (re)colocação das proteções;

 Toda atividade que gere risco de acidentes a pessoas não envolvidas na atividade.

Importante: A definição dos trabalhos em proximidade ou mesmo dentro de áreas controladas


deverá estar inserida na APR de cada atividade.
5.3.2. Equipamentos de Proteção
Os principais Equipamentos de Proteção Individual utilizados na área elétrica são assim descritos:
 Cintos de segurança para eletricista, com talabarte;
 Capacetes classe "B", aba total (uso geral e trabalhos com energia elétrica, testados a
30.000 V);
 Botas com proteção contra choques elétricos, bi-densidade, sem partes metálicas;
 Óculos de segurança para proteção contra impacto de partículas volantes, intensos raios
luminosos ou poeiras, com proteção lateral;
 Protetores faciais contra impacto de partículas volantes, intensos raios luminosos ou
poeiras;
 Braçadeiras ou mangas de segurança para proteção do braço e antebraço contra choques
Proibida sua cópia, reprodução, modificação sem autorização do QSSMA
Documento de propriedade do Grupo Opersan
Corporativo
Procedimentos de acesso as áreas PP.
controladas para outras manutenções Revisão 00
Página 6/7
elétricos, e coberturas isolantes;
 Luvas de cobertura para proteção das luvas de borracha;
 Bolsas para içamento de ferramentas;
 Luvas de borracha com as classes de isolamento.

Os principais Equipamentos de Proteção Coletiva utilizados na área elétrica são assim descritos:
 Fita zebrada, para isolamento de área;
 Cone de segurança;
 Cerquite de isolamento de área;
 Cabrado de bloqueio de paineis;
 Aterramento fixo ou temporario
 Extintor de segurança, principalmente o de CO², que é especifico para circuitos energizados;
 Placas de sinalizações de segurança;
 Tapete de borracha isolante elétrico para operação de equipamentos energizados;
 Detector de tensão;
 Corda de segurança;
 Porta corta fogo;
 Para Raio;
 Radio de comunicão de baixa frequencia para trabalhos em área controlada.

6. INFORMAÇÃO DOCUMENTADA A SER MANTIDA (REGISTROS)

Registro (s)
Itens de
controle
Distribuição Eletrônica e Física
Acesso Manutenção, Operação e QSSMA
Recuperação Por unidade / Por ano
Uso Manutenção Brasil
Eletrônico: W:\Industrial\Manutenção\Manutenção
Armazenamen Brasil\Sinalização e isolamento de área
to Físico: Pasta da manutenção de sinalização
Eletrônico: Back-up
Preservação
Físico: Pasta de
arquivo
Retenção Back-up / 2 anos.
Disposição Destruir ou tirar de controle
7. Anexos
Não aplicável.

Proibida sua cópia, reprodução, modificação sem autorização do QSSMA


Documento de propriedade do Grupo Opersan