Você está na página 1de 7

CLARETIANO – REDE DE EDUCAÇÃO

MARCUS DANILO FERREIRA DA SILVA


RA 8142457

FUNDAMENTOS E MÉTODOS DO ENSINO DE LÍNGUA


PORTUGUESA E MATEMÁTICA

PORTFÓLIO - CICLO 4

OSASCO-SP
2021
INTRODUÇÃO
No processo de alfabetização as práticas utilizadas são, muitas vezes, baseadas na
junção de silabas simples, com a utilização da fonética e dos sons para a formação das
palavras.
Segundo Ferreiro (2017) “O desenvolvimento da alfabetização ocorre, sem dúvida,
em um ambiente social (Teoria de Vygotsky). Mas as práticas sociais assim como as
informações sociais, não são recebidas passivamente pelas crianças.”. Atualmente, muitos
professores ainda definem erroneamente o processo de alfabetização como sinônimo de uma
técnica. De acordo com suas experiências com crianças, Ferreiro (2015), esquematiza
algumas propostas fundamentais sobre o processo de alfabetização inicial. – Restituir a língua
escrita seu caráter de objeto social; – Desde o início (inclusive na pré-escola) se aceita que
todos na escola podem produzir e interpretar escritas, cada qual em seu nível; – Permite-se e
estimula-se que a criança tenha interação com a língua escrita, nos mais variados contextos; –
Permite-se o acesso o quanto antes possível à escrita do nome próprio; – Não se supervaloriza
a criança, supondo que de imediato compreendera a relação entre a escrita e a linguagem.
Ferreiro (2015) afirma que a alfabetização não é um estado ao qual se chega, mas um
processo cujo início é na maioria dos casos anterior a escola, ou seja, a criança começa a ser
alfabetizada no ambiente familiar e no convívio social, comunitário, e não termina ao finalizar
a escola primária.

DESENVOLVIMENTO

1- Contextualização do Trabalho
Os vídeos criados por Magda Soares, discute as concepções de alfabetização e
letramento, afirmando que a aprendizagem do sistema de escrita deve ocorrer
contemporaneamente à aprendizagem dos usos sociais desse sistema. Nesse mesmo sentido,
Magda Soares aborda a questão das teorias e práticas voltadas à alfabetização, explica que não
deve haver um único método a ser seguido. Magda Soares aborda a teoria da Psicogênese da
língua escrita, desenvolvida por Ferreiro e Teberosky (1999), apresentando evidências de
todos os estágios que compõem essa teoria através de exemplos produzidos por alunos em
processo de alfabetização. Magda Soares evidencia em sua fala a tentativa de articulação entre
a
Linguística e a Educação.
2- Reflexão da pratica alfabetizadora
Escrita 1 – Antônio: Nível 4- silábico alfabético.

Escrita 2 – Odirley: Nível 2- pré-silábico.

Escrita 3 – Fernando: Nível 4- silábico alfabético

Escrita 4 – Pedro: Nível 4- silábico alfabético.

Escrita 5 – Daiana: Nível 2: pré-silábico.

Escrita 6 – Talita: Nível 3- silábico sem valor sonoro.

Escrita 7 – Cleonilda: Nível 3- silábico com valor sonoro.

Escrita 8 – Taís: Nível 3- silábico sem valor sonoro.

Escrita 9 – Ricardo: Nível 3- silábico com valor sonoro.

Escrita 10 – Fábio: Nível 2- pré-silábico.

3ª etapa: Sondagem e avaliação diagnóstica na alfabetização

Nome da Criança:  Gabriel dos


Santos                                                                              
Data da Sondagem: 24/05/2021

Data de Nascimento (completa): 10/08/2014


MODELO DE SONDAGEM
1 palavra polissílaba - Mariposa
1 palavra trissílaba - Formiga
1 palavra dissílaba - Tigre
1 palavra monossílaba - Rã
1 frase do mesmo campo semântico (assunto) das palavras e que tenha a repetição de
uma das palavras da lista. – A formiga picou o meu pé

Hipótese de escrita da Criança: Alfabética


 

Análise da amostra de escrita da criança entrevistada:

Realizei a sondagem por vídeo chamada no whatsapp com o Gabriel filho de um


amigo.
1º passo: Pedi ao Gabriel que pegasse um caderno e lápis e que sentasse na mesa que
eu seria professor dele e passaria um ditado de algumas palavras.
2º passo: Pedi para o Gabriel escrever as palavras conforme eu ditava em forma de
lista, a primeira palavra mariposa, ele chegou e me questionar se a mariposa é uma
borboleta. Fiz uma pesquisa rápida no google e expliquei que a diferença entre elas é a
posição das asas em relação ao corpo - as borboletas deixam suas asas elevadas,
enquanto as mariposas mantêm suas asas sempre abertas Gabriel sorriu e falou
entendi. Ele teve dificuldade apenas na palavra Tigre, ficou pensativo no GRE e eu
repeti de forma pausada a palavra. Já a frase, Gabriel repetiu em voz alta e teve um
pouco de dificuldade em separar as palavras, então fiz o mesmo processo de ditar de
forma pausada e pedi para ele me acompanhar na fala.
Dessa forma, conclui que a escrita corresponde ao nível 5 – Alfabético. Segundo
Ferreiro e Teberosky (1999), “aqui a criança já compreendeu que cada um dos
caracteres da escrita corresponde a valores menores que a sílaba. Isto não quer dizer
que todas as barreiras tenham sido superadas: a partir deste momento, a criança se
defrontará com as dificuldades da ortografia, mas não terá mais problemas de escrita,
no sentido estrito.”

4ª etapa: Observação e Análise da prática pedagógica de Alfabetização

Os vídeos relatam o programa de Formação de Professores Alfabetizados, realizado


pelo MEC, se orienta pelo objetivo de desenvolver as competências profissionais necessárias
a todo professor que ensina a ler e escrever
Podemos observar nos vídeos as didáticas aplicadas para a alfabetização nas salas de
aula. Os alunos formam duplas para realizar as atividades como juntar as sílabas para formar
as palavras, escrever as palavras formando uma lista, dessa forma, ocorre a alfabetização.
5ª etapa: Planejamento da ação docente.

1. Título da aula: Construindo meu nome.


2. Tempo necessário: 1 aula.
3. Etapa de ensino e Ano: Ensino Fundamental – 1º ano
4. Objetivos da aula
Essa aula tem como objetivo fazer com que os alunos identifiquem seus nomes no painel de
nomes da sala de aula e qual som inicial e final do seu nome.
5. Competências e Habilidades a serem desenvolvidas:
(EF01LP05) Reconhecer o sistema de escrita alfabética como representação dos sons da fala.
(EF01LP06) Segmentar oralmente palavras em sílabas.
6. Práticas de Linguagem/ Objetos do Conhecimento (Conteúdos)
Análise linguística/semiótica (Alfabetização).
Construção do sistema alfabético e da ortografia.
7. Estratégia de Ensino
Realizaremos a atividade oral falando o nome de um aluno e a turma será desafiada a contar
as sílabas, desenvolvendo suas próprias estratégias para isso.
8. Detalhamento da Aula:
Primeiro vou entregar para cada aluno as fichas individuais já cortadas com cada silabas do
seu nome, pedindo para que seja escrita em uma folha de papel. Vou observar e fazer
intervenções até que o nome esteja escrito de forma correta. Após isso vamos embaralhar as
fichas formando um quebra-cabeça e pedindo para o aluno formar o nome.
Por último vou utilizar o painel de nomes, apontar para um nome no painel de nomes e
perguntar de quem é este nome?
Assim observamos quais crianças conseguem ou não identificar os próprios nomes.
9. Recursos/materiais
Para a aula será necessário o painel com nomes de todas as crianças, escritos com letra de
forma maiúscula e em estrutura de uma lista. E também usaremos fichas individuais com o
nome de cada criança, escrito com letras de forma maiúsculas e cada sílaba separada por uma
barra.
10. Avaliação
Será utilizada a avaliação diagnóstica através dela podemos identificar o que os alunos sabem,
o que não sabem e o que precisam aprender.
11. Referências
http://www. https://studos.com.br/conheca-os-4-tipos-de-avaliacao-escolar/
Acesso em 25 de maio de 2021
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf.
Acesso em: 25 de maio de 2021

6º Etapa - Análise do projeto de prática, articulando teoria e prática.


O objetivo do projeto é mostrar a importância da sondagem e do letramento no
processo de alfabetização.
A alfabetização é a base para uma educação construtiva, o qual ajuda as pessoas a
desenvolver a leitura, a escrita, a comunicação, as ideias e os pensamentos, o letramento
utiliza a escrita para resolver problemas do dia a dia, facilitando assim suas práticas sociais
podendo produzir gêneros textuais.
Assim podemos dizer que os processos de alfabetização e letramento estabelecem
estreita relação de sentido, e, cabe ao educador, através de sua ação cotidiana em sala de aula,
mediar intencionalmente situações que levem o educando a adquirir estes estados de
compreensão linguística no processo de ensino e aprendizagem.

7º Etapa - Considerações finais


A alfabetização é a habilidade de ler e escrever pequenos textos de maneira coerente,
já o letramento está relacionado as práticas sociais da leitura e da escrita. Com base nestes
conceitos, o alfabetizar letrando possibilita além do aprender a ler e escrever. Dando enfoque
na prática da leitura e escrita conforme a realidade social em que os sujeitos estão inseridos.
Sendo assim, o papel do educador é de mostrar aos sujeitos atuantes que, aprender a ler e
escrever é importante para cada um em sua própria formação como cidadão no contexto
social. Ler e escrever não é para a escola nem para o educador, mas sim para que cada sujeito
se constitua, desenvolva e perceba sua prática no dia a dia.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FERREIRO, Emília. Alfabetização em Processo. - São Paulo: Cortez, 2017.

FERREIRO, Emília. Com todas as letras. - São Paulo: Cortez, 2015.

FERREIRO, Emília. Reflexões Sobre Alfabetização. - São Paulo: Cortez, 2018.


FERREIRO, Emília; TOBEROSK, Ana. Psicogênese da Língua Escrita. - São Paulo: Penso,
1999.