Você está na página 1de 3

Curso de Matemática - Licenciatura: Claretiano – Centro Universitário de Batatais

RELATÓRIO DO VÍDEO QUE APRESENTA A PRÁTICA DOCENTE NÃO PRESENCIAL DO PROFESSOR DO

CLARETIANO - COLÉGIO SÃO JOSÉ DE BATATAIS

Nome do estagiário: Anne Karyne Cunha Martins


Nível de Ensino: ( ) Educação Infantil ( ) Ensino Fundamental I ( X ) Ensino Fundamental II ( ) Ensino Médio
Séries: 6º, 7º, 8º e 9º anos

CARACTERIZAÇÃO DO/A PROFESSOR/A:

Através da análise do vídeo do professor Eduardo Nascimento Stoppa, professor de matemática dos anos finais
do Ensino Fundamental (6º, 7º, 8º e 9ª anos), percebemos inicialmente que trata-se de um profissional capacitado
para desempenhar a importante função que ocupa, o mesmo possui graduação em matemática, especialização em
ensino da matemática e dez anos de experiência em sala de aula, características que reforçam o compromisso da
instituição em oferecer aos seus discentes educação e conhecimentos de qualidade.
No dia 17 de março de 2020 os professores da instituição receberam orientações da coordenação pedagógica
acerca de como atuariam durante o período de isolamento social e consequente paralisação das atividades
presenciais do colégio (aulas e atividades extracurriculares). O dia 18 de março de 2020 ficou estabelecido como
início das atividades não-presenciais e, após isso, o primeiro passo tomado pela coordenação pedagógica foi
estabelecer os objetivos daquele período, sendo assim foram traçadas prioridades e metas para aquele período
não-presencial, porém, naquele momento, acreditava-se que seria uma situação que duraria cerca de dois meses,
então traçou-se os seguintes objetivos principais: auxiliar o estudante a ser protagonista na construção do seu
conhecimento e garantir que as competências e habilidades de aprendizagem e alfabetização, além das
competências socioemocionais, preconizadas na BNCC fossem priorizadas.
Diante do cenário emergencial anteriormente descrito, as ações dos docentes e do colégio necessitaram ser
reestruturadas e tinha-se então o desafio de transformar as aulas presencias em não-presenciais. Os docentes da
educação básica da instituição já faziam uso da tecnologia em sala de aula, então este não seria um desafio 100%
novo, mas teria que ser adaptado ao modo completamente não-presencial e achar uma forma eficaz de interagir e
ser eficiente com os os alunos e suas famílias. De 18 de março a 3 de abril o Colégio São José de Batatais optou
por adotar aulas assíncronas, desta forma os professores gravavam suas aulas e passavam atividades extras aos
seus alunos, neste momento eles optaram por não utilizarem as atividades das suas apostilas. Diariamente, durante
este período, os professores tinham reuniões online com a equipe pedagógica, os técnicos de TI e o pessoal do
setor audiovisual da escola, o que enfatiza a preocupação da instituição em manter um feedback e apoio diários
com seus docentes e equipe, desta forma busca-se minimizar erros e compartilhar experiências em prol de todos
diante de um momento tão novo. Paralelamente entende-se que os professores foram submetidos a um treinamento
feito pela escola acerca do uso das ferramentas tecnológicas que a instituição possuía. As famílias eram contatadas
através do aplicativo da escola e através deste canal elas recebiam os comunicados necessários sobre como as
aulas remotas seriam desenvolvidas.
O professor relata que, após finalização do treinamento anteriormente citado, a partir do dia 6 de abril passaram
a usar apenas os recursos e aulas síncronas. Sobre os materiais dos alunos, os pais eram comunicados através do
aplicativo da escola quando deveriam buscar na escolas as apostilas novas, bem como os materiais dos alunos (giz
de cera, lápis de cor etc) que são entregues à escola no começo do ano letivo foram devolvidos a eles para que
pudessem realizar as atividades em casa, já quando os professores precisam para suas aulas que os alunos
utilizarem materiais extras, os pais são comunicados uma semana antes através do correio da SAV, para que desta
forma eles possam providenciar o necessário.
A execução das aulas do professor Eduardo tem sido feitas da seguinte forma: o link da aula síncrona é enviado
através do correio da SAV e desta forma os estudantes e suas famílias se conectam a elas, a chamada é realizada
e registrada diariamente no diário de classe e o professor tenta conduzir sua aula da forma mais interativa possível
com seus alunos, buscando sempre a participação de todos. As aulas estão sendo de 45 minutos, porém o
professor relata que procura prender a atenção dos alunos na aula expositiva apenas durante 20 minutos e deixa o
tempo restante para realização de exercícios e assim dar a eles o momento de fixar o conhecimento, algo que
considero essencial em qualquer aula, pois todo conhecimento precisa ser reforçado e fixado através de exercícios,
principalmente em uma disciplina como a matemática, a qual necessita de prática. Para os exercícios ele usa a
apostila da instituição no ambiente virtual e faz uso da ferramenta word para desenvolver as equações e problemas
de forma síncrona com seus alunos. O docente mostra a sua preocupação em realizar uma aula dinâmica e ser
eficaz na transmissão do conteúdo, além de preocupar-se em estar atento aos alunos e sanar suas dúvidas, reforça
que realiza suas aulas solicitando aos alunos que permaneçam com a câmera ligada, para que desta forma eles se
sintam mais acolhidos e próximos a ele, este ponto evidencia a preocupação dele em se sentir próximos aos
discentes e resignificar essa nova modalidade de aula. O professor deixa claro que as aulas ficam gravadas, para
que desta forma os alunos que não tiveram como participar de forma síncrona possam assisti-las no momento que
tem disponibilidade, isto para mim reforça a preocupação deles em atender a todos e a compreensão com esse
período atípico nas famílias, algo essencial dentro de uma comunidade escolar. O professor também sinaliza que
possui como ponto a seu favor o fato de que não há desigualdade de condições tecnológicas entre seus alunos, o
que dá tranquilidade à ele e à instituição, desta forma todos conseguem se fazer presentes nas aulas on-line.
Relata-se também que há um cuidado especial com todos os estudantes, principalmente os da educação especial,
desta forma há a preocupação de elaborar atividades adequadas a cada um deles, adaptando elas à realidade de
cada um.
Para dar sequência aos eixos de aprendizagem e aos campos de experiência, competências e habilidades
preconizadas pela BNCC, a instituição preocupou-se em fazer alterações nos planos de ensino e de aula, desta
forma definiu-se que o plano de aula seria semanal, contendo o conteúdo essencial, os objetivos, a metodologia, as
habilidades e competências da BNCC e os instrumentos avaliativos que o professor adota. Nota-se então que os
pontos direcionados pela BNCC continuam sendo levados em conta pela escola e sua equipe pedagógica neste
novo momento, que apesar da peculiaridade dele não deixou-se de lado a essência do objetivo maior da escola.
O professor nota que através desse período remoto os estudantes estão desenvolvendo habilidades que não
eram de seu costume, então que o período veio também a acrescentar a eles, trazendo-os maior autonomia, maior
acesso e familiaridade com a tecnologia, maior atenção e paciência, já que neste momento ser protagonista de seu
conhecimento exige isto, estão também aprendendo a ter higiene redobrada, algo essencial ao momento que vivem,
além de adquirirem maior senso de cuidado com os idosos e desenvolverem maior envolvimento pessoal com suas
família. Logo, percebe-se que o professor está atento a conscientizar seus alunos de que este momento atual
também é enriquecedor e que o aprendizado remoto também é eficaz, mostrando a eles de que podem ser
protagonistas de seu conhecimento.
O professor relata que o momento também é enriquecedor a ele, não só aos seus alunos, pois o mesmo
cresceu profissionalmente e pessoalmente, também teve acesso a ampliar seus conhecimentos tecnológicos, e
enfatiza que precisou reinventar-se, ponto este que considero intrínseco a nossa prática como professor, considero
que ser professor é um eterno reinventar-se, não existe uma metodologia única e até dentro de uma aula presencial
temos que saber usar de diferentes metodologias de acordo com cada aluno que temos, pois dentro de uma sala de
aula temos uma pluralidade imensa, às vezes um aluno não aprende através dos métodos que a maioria da sala de
aula aprende. Desta forma, o professor Eduardo demostra um pensamento bem similar ao meu no momento em
que relata que leva deste momento e experiência o aprendizado de que podemos diversificar a forma de levar
conhecimento aos nossos alunos, mesmo que estejamos longe deles.
Por fim, sinalizo que acredito que ficará desse período em todos a experiência de vivermos uma realidade
educacional nova para nossos costumes e a possibilidade de vivermos uma educação mais autônoma, mesmo
diante das dificuldades do período que estamos. Ficou claro que todos tem se esforçado para dar seu melhor e que
estão dispostos a concluir o ano letivo remoto de forma proveitosa, assim como no “ano letivo normal”. Friso que
fica também evidente a contribuição de uns com os outros na troca de informações e ajudas com as dificuldades
encontradas, além da participação ativa das famílias, fatores que em um “ano letivo remoto” deixou as pessoas
mais próximas e solidárias.

Você também pode gostar