Você está na página 1de 902

APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.

COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Atas os
on os e
cu un ura
guia de Localização

Ednéa Iara Souza Martins


APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

fl. t !as los


Pontos de
Jl.cup untura
Çjuia áe Localização
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

O GEN 1 Grupo Editorial Nacional reúne as editoras Guanabara Koogan, Santos. Roca,
AC Farmacêutica, Forense, Método, LTC, E.P.U. e Forense Universitária, que publicam nas
áreas científica, técnica e profissional.

Essas empresas, respeitadas no mercado editorial, construíram catálogos inígualáveis,


com obras que têm sido decisivas na formação acadêmica e no aperfeiçoamento de
várias gerações de profissionais e de estudantes de Administração, Direito, Enferma-
gem, Engenharia, Fisioterapia, Medicina, Odontologia, Educação Física e muitas outras
ciências, tendo se tornado sinônimo de seriedade e respeito.
Nossa míssão é prover o melhor conteúdo cientifico e distribuí-lo de maneira flexível e
conveniente, a preços justos, gerando benef!cios e servindo a autores, docentes, llvrei-
ros, funcionários, colaboradores e acionistas.
Nosso comportamento ético incondicional e nossa responsabilidade social e ambiental
são reforçados pela natureza educacional de nossa atividade, sem comprometer o cres-
cimento continuo e a rentabilidade do grupo.
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Jlt!as áos
ontos
untura
(juia de Loca{ização

Ednéa Iara Souza Martins


Cirurgiã Dentista pela Universidade de São Paulo (USP). Pós-graduada em Microbiologia e Imunologia pela USP.
Curso de Especialização em Saúde Pública -Administração em Serviços de Saúde Básico e Odontológico pela USP.
Curso de Especialização em Acupuntura pelo Instituto de Estudos Homeopáticos E em convênio com o Fundo de Apoio ao Ensino
de Pesquisa e Extensão da Universidade de Ribeirão Preto. Curso Superior de Auriculoterapia realizado na cidade de Havana, Cuba.
Ex-professora Assistente de Microbiologia e Imunologia do Departamento de Patologia da Faculdade de Ciências Médicas de
Santos, Fundação Lusíadas. Especialista em Acupuntura pelo Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP).
Especialista em Saúde Coletiva pelo CRO-SP. Especialista em Acupuntura Tradicional pelo Conselho Brasileiro de Acupuntura.
Habilitada em Terapias Orientais pelo Sindicato de Acupunturistas e Terapeutas Orientais do Estado de São Paulo.

R OCA
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
• A autora e a editora empenharam-se para citar adequadamente e dar o devido
crédito a todos os detentores dos direitos autorais de qualquer material utilizado
neste livro, dispondo-se a possfveis acertos caso, inadvertidamente, a Identificação
Material
de algum deles tenha sido omitida.

Não é responsabilidade da editora nem da autora a ocorrência de eventuais perdas


Suplementar
ou danos a pessoas ou bens que tenham origem no uso desta publicação.

• Apesar dos melhores esforços da autora, do editor e das revisoras, é inevitável


que surjam erros no texto. Assim, são bem-vindas as comunicações de usuários
sobre correções ou sugestões referentes ao conteúdo ou ao nível pedagógico que
auxiliem o aprin1oramento de edições futuras. Os comentários dos leitores podem Este livro conta com materiais
ser encaminhados à Editora Roca.
suplementares.
• Atlas dos Pontos de Acupuntura: guia de localização
ISBN 978-85-7288-934-6 O acesso é gratuito, bastando que o
Direitos exclusivos para a língua portuguesa leitor se cadastre em
Copyright e 201 1 by http://gen-io.grupogen.com.br.
Editora Roca
Uma editora integrante do GEN 1 Grupo Editorial Nacional

Rua Dr. Cesá.rio Mota Jr., 73


CEP: O1221-020 - São Paulo - SP
Tel.: ( 11 ) 3331 -4478 - Fax: ( l l) 3331 -8653
www.grupogen.com.br

• Reservados todos os direitos. ~proibida a duplicação ou reprodução deste volume,


no todo ou em parte, sob quaisquer formas ou por quaisquer meios (eletrônico,
mecànjco, gravação, fotocópia, djstrib11ição na internet ou outros), sem permissão
expressa da editora.

Revisão de texto: Karina Sávio, Marta P. Martinez e VUma Baraldi.

Capa: Rosangela Bego.

Diagramação: Denise Nogueira Moriama, Ercílio Jono Dallazen Júnior e Rita Chabo.

Imagens: Dayanne Café \"1antuil, Denise Nogueira Moriama, &cílio João Dall32Aln
Júnior e Rosangela Bego.

• CIP-BRASIL CATALOGAÇÃO-NA-FONTE
SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ.

M342a
Martins, Ednéa Iara Souza, 1943-

~
Atlas dos pontos de acupuntura: guia de localização / Ednéa Iara Souza Martins.
· São Paulo: Roca, 2011.
Inclu.i bibliografia
Apêndice
------ ~..-,-N------
ISBN 978-85-7288-934-6 G&HO (GJ!N 1tnf0<maçio Ooline}t o repo<it6rio de ...,lerioJ
auplrmc:otar e de tcMçot relacionados QODl livrw publioe1dos pcJo
!. Pontos de acupuntura • Atlas. 2. Acupuntura • Atlas. l. Titulo. CEN 1Grupo Editor.ia.! Naciono.l. o maior conglomerado bra.sildro
de cdi:or.u do ramocientüko-tknico-profusional composto por
11 -5029. CDD: 615.8920223 Guanabar1 Koogan, Santos, Roca. AC Farmacêutica, Fc:nns~
CDU: 615.814.1(084.42) Mérod~ LTC E.P.U e Forense Unlver!ãtíria.
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
VI - PREFÁCIO E AGRADECIMENTO
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
saúde na China até os dias de hoje.Assim,em novembro de 1997, das conexões neuronais, e podem promover a neuromodulação de
o Panei fssue Consensus Statement on Acupunture, do National longo alcance. A neuromodulação pode se produzirem nível local,
Health fnstitul, publicou um relatório sobre as indicações de acu- nível segmentar e nível dos centros superiores.
puntura para gr.tnde variedade de problemas de saúde. Para o tratamento da dor e a resposta dos órgãos, a acupuntura
Embora a eficácia clínica da acupuntura tenha sido reconhe- utiliza, sem dúvida, os sistemas nervosos central e autônomo, via
cida no ocidente, o domínio do pensamento que íormou o mode- processo estímulo-resposta. No entanto, a acupuntura faz uso de
lo teórico da Medicina Tradicional Chinesa não é passível de mecanismos sutis que promovem a reação do organismo no sentido
coexistir com o sistema organizado de ideias e conceitos científi- da autocura. Estes mecanismos não estão totalmente esclarecidos.
cos. Problemas conceituais e operacionais relacionados com as A verificação científica da acupuntura desafia a ciência não
teorias do modelo do Yin-Yang , do Qi e dos Jingluo (Canais de apenas por sua base filosófica . A acupuntura incorpora, em sua
Energia) são incompatíveis com o modelo ocidental de julgamento prática, um alcance potencialmente complexo de componentes: é
de valor. que s6 aceita como verdade aquilo que pode ser mensu- feita sob medida para o indivíduo, é participativa, apresenta di-
rável e objetivamente verificado por dados concretos confirmados versidade de ideias e abordagens.
com procedimentos e afirmações que possam ser replicáveis em A complexidade do tratamento com acupuntura começa pelo
qualquer parte do planeta. diagnóstico tradicional. O diagnóstico tradicional é subjetivo,
O modelo de avaliação objetivo científico exige testes que envolve aspectos diferentes do raciocínio ocidental, exige os sen-
garantam sua segurança e eficácia cm determinadas doses, fre- tidos do profissional, inclusive a palpação. Em seguida há neces-
quentemente controladas por teste de estudo duplo-cego (com sidade de um plano de tratamento que julgará o número de agulhas,
aplicação ativa e não ativa, em que nem paciente nem profissional a técnica de inserção, a profundidade da aplicação, a sensação do
sabem quem está recebendo as devidas aplicações). De Qi, o método de estimulação, a direção do Qi num trajeto
A falta de comprovação não permite à teoria tradicionalista específico, etc.
passar pelo crivo do conjunto de regras da metodologia científica; O tratamento com acupuntura para uma determinada condição
por isso.sua teoria é considen1da incoerente, antiquada, obsoleta, pode variar muito, dependendo do seu método específico, que.em
exótica e pré-científica. A proposta científica apresentada, em geral, envolve outros componentes além da inserção da agulha. É
geral, pela ciência ocidental considera a acupuntura como um frequente o tratamento combinar a acupuntura com a aplicação de
epifenômeno do sistema nervoso. um ou mais dos seguintes itens: moxabustão, ventosa, massagem,
Estudos modernos admitem que o meio ambiente apresenta algum tipo de fisioterapia, indicação de exercícios específicos,
rica variedade de informações, funcionando como estímulos ex- modificações dietéticas. Também é acompanhada pela explicação
ternos que penetram no organismo por diferentes fontes. Para a das causas do desequiliôrio, com orientação na mudança de com-
adaptação ao seu meio, o organismo vivo, como resposta aos es- portamento diante das situações. Os esclarecimentos sobre o es-
tímulos externos, reage com alterações estruturais que culminam tilo de vida podem in tegrar aspectos fragmentados da experiência
com mudanças no ambiente da fibra nervosa. Num organismo vivo do paciente na patologia e na manutenção da saúde, a fim de en-
complexo há uma riqueza de terminações receptoras livres, per- volvê-lo ativamente no processo de sua cura.
mitindo que o sistema homeostático, acionado por um determina- Além disso, o tratamento sofre adaptações de acordo com as
do estímulo (elétrico, térmico, quím.ico, magnético, radioativo, reações individuais do paciente e conta também com a importância
radiação luminosa, pressão, massagem, picada, vibração, etc.), da intenção do profissional. A empatia paciente-profissional e a
dirija-se às diversas estruturas neurorrcceptoras. Esse fato desen- esperança de cura do paciente atuam no cérebro deste para a fabri-
cadeia uma reação local, onde as descargas elétricas provocadas cação de endorfinas, as quais auxiliam no processo de autocura.
pelo estímulo são acompanhadas de uma reação vegetativa local No caminho percorrido pela Medicina Tradicional Chinesa,
que induz a uma série de reações. esta medicina aliviou o sofrimento de sua população por longo
É neste terreno que a acupuntura atua, ajudando o próprio cor- período de tempo. Foi aceita por se estruturar acompanhando a
po a entrar novamente em equilíbrio frente ao acometimento de maneira de pensar, sentir e agir de seu povo. Seus resultados foram
fatores patogênicos, às influências do meio ambiente e outras cau- comprovados pelos relatos dos casos clínicos com 1nétodos que
sas que possam perturbar seu equilíbrio e seu funcionamento ideal. incluem sinto1nas do paciente e o processo desenvolvido por ava-
A acupuntura funciona como mecanismo de reação a um es- liação médica. Essa metodologia está primariamente focada na
tímulo em pontos específicos da superfície corpórea. Quando um interpretação do profissional ou do paciente. Para a ciência obje-
estímulo físico provocado por algumas das técnicas de acupuntu- tiva moderna, a sensação de melhora da doença por parte do
ra penetra no organismo, corpúsculos especiais (receptores peri- paciente ou a avaliação pessoal do profissional são dados inter-
féricos) são excitados por alguma frequência e liberam molécula pretativos. A interpretação subjetiva e influenciada por crenças
mensageira para que a informação seja transformada em energia pode ser tendenciosa e faltar com a verdade. Esta avaliação não é
elétrica. O organismo responde a esses eslímulos por meio de suficiente para considerar uma experiência como cientificamente
mecanismos bioqufmicos e bioffsicos sensfvcis. A lesão provocada comprovada. Para um cientista, a eficácia da acupuntura só pode
pela inserção da agulha gera sinais que são transmitidos através ser aceitável com urna confirmação objetiva.
PREFÁCIO E AGRADECIMENTO - VI I
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
A história da humanidade tem mostrado que o conhecimento clássica que foi estabelecida por convenção internacional para
humano é provisório e subjetivo, sendo continuamente transfor- pontos de acupuntura. Explicam a manutenção dos nomes por
mado. A Medicina Tradicional Chinesa apresenta um corpo de simplesmente não haver nenhum outro esquema aceito. Em adição,
conhecimento milenar e método de prática cujo modelo terapêu- os profissionais da área de saúde que desejam estudar acupuntura
tico diversificou-se com muitas vozes e estilos (tanto no passado ainda se valem de textos baseados no Nei Jing, escrito a aproxi-
quanto no presente). Ela já teve que se adaptar à aculturação, re- madamente 2.000 anos.
aculturação, novas culturas e novos territórios (China, Japão , A atual polêmica entre acupuntura tradicional chinesa e acu-
Coreia, Vietnã e, posteriormente, ocidente). Evidenciou muitas puntura cientffica contemporânea e a intercomunicação moderna
tradições , com frequência contraditórias, com muitas ideias e faz dessa discussão um assunto abrangente. O que se pode afirmar
métodos, em vez de práticas com modelos contínuos ou coerentes. é que apesar de a acupuntura tradicional chinesa não ter sido,
Todas essas experiências, cm ccno grau, a modificaram e, com ainda, comprovada, ela também não foi refutada.
ccneza, a enriqueceram. Com seu modelo único, sobreviveu por Para ganhar suficiente sustentação, a acupuntura deve ser
longo tempo mantendo sua linguagem especial, apesar de se pensada e repensada com imparcialidade, conservando a mente
transformar continuamente no processo dinâmico da sociedade aberta para se aceitar a sua argumentação com espírito científico
que a representa. Ela está em constante evolução. Neste momen- e tendo como meta apenas a busca da verdade a respeito do ser
to histórico, sua evolução deve ser testada pelas descobertas e humano como parte do universo manifesto.
pelos princfpios científicos. Os avanços tecnológicos e o conhecimento científico permi-
Embora apresente linguagem antiquada, preenchida com tiram desvendar o mundo macro e micro. Dentro das teorias da
conceitos aparentemente ilusórios e explicações imperfeitas, a biologia moderna foram introduzidos conceitos de atratores, re-
maioria dos trabalhos c ientíficos realizados para comprovar a acu- tratos de fase, diagramas de bifurcação, fractais, estruturas dissi-
puntura é executado nos pontos clássicos de acupuntura tradicio- pativas,auto-organização e redes autopoiéticas, oferecendo, assim,
nal. Além disso, não existe nenhum sistema moderno e científico uma linguagem eficaz para explicar os s istemas complexos. Ape-
capaz de substituir os antigos diagramas dos Canais de Energia e sar dos avanços, falta-nos, ainda, conhecimentos, metodologia e
de seu pontos. tecnologia para entender o mecanismo da vida. Estamos cami-
O sistema de numeração de pontos é ainda mantido por alguns nhando para explicar os fenômenos obtidos na estimulação de uma
autores de acupuntura médica contemporânea. White, Cummings e agulha e, talvez, um dia venhamos a conseguir explicar o que a
Filshie , no livro A11 /111roducrio11 ro ivesrern Medical Acupunclure, tradição quis di.z er com o uso de termos como Qi , Shen, Canais
comentaram que continuam usando a nomenclatura e a numeração de Energia e processo de transformação Yi11-Ya11g.

***

Este livro foi escrito obedecendo à estrutura que fundamenta a os colaboradores da Editora, nosso especial agradecimento à de-
Medicina Tradicional Chinesa. No entanto, ele ficaria incompleto dicação de Denise Nogueira Moriama e Karina Sávio na finaliza-
se eu não agradecesse às pessoas e aos fatos que, direta ou indi- ção e revisão do trabalho gráfico.
retamente, participaram de sua confecção. Agradeço ao Toxoplas111a gondii, que, insistentemente, me
Em primeiro lugar, agradeço ao editor da então Editora Roca, estimulou a entender o que é a vida.
Sr. Casimiro Payá Piqucrcs, que não apenas me convenceu a escre- Finalmente, e mais importante, meu afetuoso agradecimento
ver este livro, como me disponibilizou os recursos humanos e ma- ao meu marido Anthony Maximino Martins, que, nestes anos
teriais par.i que a obra fosse realizada em tal qualidade e beleza. todos , me ofereceu os suportes físico, material e espiritual para
Aos modelos fotográficos, que se prestaram ao trdbalho com que minhas buscas se concretizassem. Ele sempre me acompanhou
dedicação e paciência. Ao Renato Rodrigues, que, além de gastar com paciência, compreensão e amor, permitindo dividir seu tempo
muitas horas para fotografar, serviu de modelo para a foto de para meus estudos, tr.ibalhos e livros. Além disso, ele me propor-
calvície.Agradeço também à fotógrafa P'c1trfcia Bruni,que realizou cionou a possibilidade da maternidade e, por conseguinte , a melhor
as fotos complementares para que o texto apresentasse o aspecto tarefa da minha vida: a de ser avó.
visual obtido. Dedico este livro ao meu Anlhony, aos meus filhos Alexandra,
À artista gráfica Oayanne Café Wantuil, que se sentou pacien- Anthony José e Ana Paula e às minhas netas Gaia e Mariana, meus
temente para trabalhar os desenhos explicativos e as capas dos incentivos na tarefa de viver.
capítulos, transformando a ideia transmitida em arte. Entre todos
EDNÉA IARA SOUZA MARTINS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

A presente obra, como o próprio nome evidencia, tem como maté- acontecem as interações do exterior com o interior e do interior
ria principal os pontos de acupuntura.sua localização, suas funções com o exterior, servindo de entrada ou safda de energia.
e aplicações. Deste modo, é forçoso iniciar o estudo de tal conhe- Em circunstâncias naturais, esses pontos de c-0municação da
cimento com uma breve explanação sobre os pontos de acupun- pele são estimulados pelas condições do meio exterior, sofrendo
tura , qual sua origem, como entendê-los e quais suas divisões. atuação de vários agentes sutis como calor, frio, secura, umidade,
Para viver é necessário incorporar a fonte de Energia, rejeitar S-Om, pressão (inclusive a atmosférica), movimento, etc. A tradi-
o descartável, defender-se, regenerar-se e multiplicar-se. As con- ção chinesa, aproveitando-se dessas propriedades, criou técnicas
dições exigidas para a sobrevivência são oferecidas pelo meio de estimulação não naturais, inicialmente por agulhas, que, por
ambiente, por condições ou situações que em si mesmas perturbam esse motivo , ficaram conhecidas sob a denominação de pontos
o meio interno do organismo, exigindo respostas de adaptação. O de acupuntura.
Frio deve ser transformado em Calor, a fome incita a busca do Na te-0ria da medicina tradicional, visualizando o organismo
alimento, o Calor precisa ser refrescado ... como circulação de Qi, os pontos de acupuntura representam locais
A tarefa de viver exige a conservação do padrão de organiza- específicos ("buracos")
,
na superffcie do corpo, onde o Qi e o
ção inte.rna. As estimulações externas e as necessidades produzem Sangue dos Orgãos Internos vertem, convergem e congregam,
tensões que rompem o equilíbrio interno. Para conservar a própria sendo, portanto, regiões de comunicação do corpo com o meio
vida, o equilfbrio constantemente rompido deve ser reajustado em ambiente no ajuste homeostático diante das variações externas.
certo grau de constância e estabilidade. Este equiliôrio dinâmico Os pontos de acupuntura conseguem comunicar o Qi dos
é conseguido graças à homeostase, o mecanismo de regulação Órgãos Internos à superffcie do c-0rpo e desta aos Órgãos, por
obtido por reações fisiológicas coordenadas. estarem ligados aos Canais de Energia.
Todos os organismos, unicelulares e multicelulares, exibem Os Canais de Energia, também conhecidos pela denominação
bomeostase. Um ser unicelular, uma ameba, por exemplo, reage de Meridianos, são os trajetos do fluxo da Energia no organismo,
aos estímulos da vida como uma única célula. Um ser complexo o sistema de conexão que permite a comunicação das partes e
permite que sua adaptação se complete por meio de comporta- garante a integridade orgânica do ser.
mentos altamente sofisticados, adquiridos por evolução das partes Existe relação inalienável entre os pontos de acupuntura, os
somáticas relacionadas. Os organismos complexos adquiriram Canais e Colaterais e os Órgãos Internos. No sistema de Canais e
sistemas neurais que funcionam com os princípios básicos de Colaterais existem pontos em catorze Canais: nos Canais de Energia
excitação química e condução elétrica, os quais transformam as Principais e em dois Canais Extraordinários, D11 Mai e Ren Mai.
informações do meio ambiente. Os pontos dos Canais Principais sã.o bilaterais e simétricos. Como
Estudos histológicos da superffcie dos seres complexos evi- exceção dos pontos dos Canais do Sa11jiao e do Pericárdio, tais
denciam que, comparadas às partes vizinhas, existem regiões pontos correspondem a determinados órgãos. Os Canais Extraor-
pontuais com maior condutividade elétrica, maior concentração dinários não apresentam pontos próprios, são estimulados por
de terminações nervosas receptoras, terminações livres, capilares meio de pontos que se situam nos Canais Principais e apresentam
e mastócitos. a capacidade de agir como pontos de Abertura desses Vasos.
No circuito potencialmente criado dentro da natureza bioelé- Por comunicar o interior com o exterior, um ponto de acupun-
trica do organismo, essas regiões pontuais apresentam as caracte- tura toma-se reativo (sensível, levemente dolorido ou até muito
rísticas de receber, amplificar e propagar as correntes muito fracas dolorido) quando seu órgão correspondente apresenta um dist6r-
e conduzi-las para serem traduzidas e transformadas dentro do bio patológico, sendo aproveitado, por isso, para diagnóstico do
organismo. Além disso, permitem permuta de informações entre estado do Órgão Interno. Pelo fato de comunicar o exterior com
as partes internas do corpo que emergem à superffcie da pele e se o interior, os pontos podem ser utilizados terapeuticamente para
abrem às influências do mundo. Através dessas regiões pontuais atuar nesses Órgãos.
X - INTRODUÇÃO
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
Os pontos de acupuntura apresentam propriedades e funções Na China, os Pontos de Acupuntura dos Catorze Canais de
características, de tal maneira que, por sua estimu lação é possível Energia apresentam nomes que indicam o significado próprio. Sua
atuar sobre os diferentes desequilíbrios; por exemplo, aumentar o denominação baseia-se em vários aspectos:
caudal de Energia, quando houver Deficiência ou diminuí-lo, em
caso de Excesso. De maneira geral, no tratamento de acupuntura • De acordo com a teoria Yin-Yang: por exemplo, IG-5 (Yangxi
e moxabustão, aplicam-se técnicas apropriadas nestes pontos com [Riacho do Yang]), SJ-4 (Ya11gslii [Lago do Yang]), B-67 (Zhiyin
a finalidade de regular as atividades funcionais e fonalecer are- [Onde Começa o l'i11]), etc.
sistência corporal, a fim de prevenir e tratar as doenças. • De acordo com a teoria dos sistemas de Canais e a teoria dos
Os pontos de acupuntura costumam ser divididos em três órgãos internos e das substâncias básicas: Ba-6 (Sanyinjiao
categorias, denominadas Pontos de Acupuntura dos Catone Canais [Reunião dos Três Canais Ymj), SJ-8 (Sanyanglllo [Conexão
de Energia, pontos Extraordinários e pontos Ashi: dos Três Colaterais Yang]), B-20 (Pis/111 [Ponto do Baço]), Ba-13
(Fusfie [Moradia das Vísceras)), E- 11 (Qishe [Residência do
• Pontos de Acupuntura dos Catorze Canais: os 361 principais Pon- QíJ), Ba-10 (Xuehai [Mar do Sangue]), etc.
tos de Acupuntura dos Catorze Canais, também chamados re- • De acordo com a terminologia anatômica: Ren-12 (ZJ1ongwan
sumidamente de "Pontos de Acupuntura dos Canais", estão [Meio do Epigástrio]), Du-14 (Dazhui [Grande Vénebra]), ID-4
distribuídos ao longo dos Doze Canais, acrescentados dos pon- (Wangu (Osso do Punho]), etc.
tos do Re11 e do Du Mai, e apresentam propriedades terapêuti- • De acordo com a localização: ponto extra Sha11gjingmi11g (Aci-
cas comuns para tratar as síndromes dos Canais relacionados . ma do Ponto Jingn1ing), ponto extra Xiaoji11g1ning (Abaixo do
• Pontos Extraordinários: são pontos com nomes regu lares Ponto Ji11gn1i11g), etc.
e localizações defi n idas, além do Sistema dos Catorze • De acordo com a etio logia tradicional: B- 12 (Fe11gme11 [Pona
Ca nais. São especialmente efet ivos no tratamen to de de- do Vento]), C-7 (She111nen [Porta do EspfritoJ), E-13 (Qihu
terminadas doenças. [Lugar do QiJ), etc.
• Pontos Ashi: também chamados de pontos sensíveis, pon tos • De acordo com seus efeitos clínicos: Du- 15 (Ya111e11 [Pona para
suscetíveis ou pontos não fixos. Não apresentam nomes espe- Curar a Mudez]), 10- 19 (1inggong [Palácio ela Audição]),
cíficos , nem localizações definidas. Esses pontos sensíveis ou VB-41 (Zulinqi [Controle das Lágrimas!), E- 1, (Chengqi [Re-
doloridos são considerados como locais para inserção de agu lhas cipiente das Lágrimas]), etc.
e/ou moxabustão. A maioria deles localiza-se ao redor dos focos, • Nomes que se baseiam em analogias a animais, plantas ou
mas nem todos. Eles aparecem de forma imprevisível em rela- utensílios: E-32, (Futu [Coelho Escondido]), P- 10 (Yuji [Borda
ção aos sintomas individuais. de Peixej), E-35 (Dubi [Nariz do Bezerro]), etc.
• Nomes que se baseiam em analogias ao fluxo da água, monta-
O conceito de localização do ponto de acupuntura na Medicina nhas e vales: IG-11 (Qllchi [Lagoa Tonuosa]), P-5 (Chize
Tradicional Chinesa tem como base a experiência prática milenar, [P"antano de Um Pé]), P-9 (Taiyuan [Abismo Profundo]), Sj-6
sendo imprescindível para o tratamento bem-sucedido. A teoria (Zhigou [Vala do BraçoJ), etc.
básica dos pontos de acupuntura define sua classificação, locali- • ornes que se baseiam em analogias a estruturas arquitetônicas:
zação (grau de exatidão de sua localização), funções energéticas C-7 (Slien111en [Pona do Espírito]), E-16 (Yingd11mng [Janela
e indicações. do Tórax]), Ren-18 (Y111a11g [Salão de Jade]), etc.
Na clínica, a localização anatômica dos pontos de acupuntura • Nomes que se baseiam em analogias a fenômenos astronômicos
baseia-se em medidas padronizadas. Para se ter uma ideia clara e meteorológicos: VB-24 (Riyue [Sol e Lua]), VB-20 (Fengchi
deste método, os chineses desenvolveram um sistema especial de [Lagoa dos Ventos]), P-2 (Y11n111en [Pona das Nuvens]), etc.
mensuração correspondente à construção corporal do paciente
com medidas proporcionais e medidas digitais. Referências ana- Cada ponto de acupuntura transmite o Qi do Canal. Na des-
tômicas do paciente auxiliam na localização de muitos pontos. crição de algumas propriedades específicas, alguns pontos apre-
Para unir interna e extema1nente órgãos, tecidos, órgãos dos sentam características que lhe conferem nomes especiais.
sentidos e todas as abcnurns do corpo em um todo orgânico, cada Os pontos Shu antigos ou pontos de Transporte representam
Canal de Energia está distribuído ao longo corpo e m direções cinco pontos específicos pertencentes aos doze Canais Pri ncipais,
defin idas por subida, descida, entrada e saída. localizam-se abaixo de cotovelo ou joelho. São eles: Jing (Poço),
No ocidente, a no1nenclatura dos pontos de acupuntura apre- Ying (Manancial), Shu (Riacho),Jing (Rio) e He (Mar). Os nomes
senta sistema de numeração dos pontos que contém a abreviatu.ra dos cinco pontos Shu supõem o fluxo do Qi no Canal de Energia
alfabética do Canal de Energia correspondente acrescida de um em analogia ao fluxo da água no rio. O fluxo do Qi nos Canais de
número que representa a sequência do ponto no respectivo Canal. Energia segue elas extremidades para cotovelo ou joelho e floresce
Esta nomenclatura foi oficializada por convenção em 1° janeiro de gradualmente nesse sentido (em tamanho e profundidade). O
1991, assentida pela Organização Mundial ela Saúde, pelo Minis- fluxo do Canal é mais estreito e superficial nos dedos e mais largo
tério da Saúde da China e por várias universidades e institutos. e profundo em cotovelos e joelhos. O ponto Poço situa-se no lugar
INTRODUÇÃO - XI
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
em que o Qi do Canal de Energia começa a borbulhar (entrada de Os pontos de Conexão (luo) ou Passagem ligam ou comuni-
Energia nos Canais). O ponto Manancial fica onde o Qi do Canal cam os Canais relacionados correspondentes ao mesmo elemento
de Energia começa a jorrar. No ponto Riacho, o Qi do Canal co- (por exemplo, Estômago/Baço [TerraDe apresentam a função de
meça a florescer. No ponto Rio, o Qi do Canal verte abundante- comunicar o exterior com o interior, Yin e Yang e de normalizar a
mente e, no ponto Mar, ocorre a confluência dos rios no mar. circulação do Qi e do Sangue.
Cada ponto Poço fica localizado na ponta do dedo; em todos O ponto de Acúmulo (X1) é o local em que o Qi e o Sangue
os Canais, o ponto Manancial é o segundo ponto ao longo do do Canal de Energia convergem profundamente. São, ao todo,
Canal em seu trajeto às aniculações do tornozelo e do punho; dezesseis pontos: um para cada um dos doze Canai de Energia
exceto no caso do Canal da Vesícula Biliar, o ponto Riacho é o regulares e dos quatro Canais de Energia Extraordinários (Yi11qiao;
terceiro ponto: os pontos Rio encontram-se nos antebraços e nas Yangqiao; Yi11wei e Yangwe1) . Os pontos de Acúmulo são empre-
pernas; os pontos Mar situam-se próximos às aniculações de gados para tratar doenças agudas na área suprida por seu Canal
cotovelo e joelho. de Energia e/ou de seu órgão correspondente.
Os cinco pontos de Transporte são também utilizados de Os oito pontos de Abertura referem-se aos pontos nos mem-
acordo com os cinco elementos. O ponto Poço dos Canais Ym bros, em que os Canais de Energia Principais se comunicam com
pertence à Madeira e o ponto Poço dos Canais Yang pertence ao os oito Canais de Energia Extraordinários. São usados para tratar
Metal. O uso dos cinco pontos Shu de acordo com o princípio dos uma variedade de distúrbios correspondentes aos Canais de Ener-
elementos leva em consideração o Ciclo da Geração dos Cinco gia Extraordinários.
Elementos: no caso da Deficiência do Canal, podemos escolher Os pontos de Transporte Dorsais (Shu Dorsai.s) localizam-se
o ponto correspondente ao elemento "Mãe", empregando-o com o na região dorsal do tronco e transportam o Qi aos Órgãos Internos.
método de Tonificação; no caso de Excesso, podemos escolher Cada ponto carrega o no1nc do Órgão que se comunica diretamente,
o ponto correspondente ao elemento "Filho", para dispersá-lo. Por como, porexemplo,o B- 13 (Feishu [pont0Sh11 Dorsal do Pulmão));
exemplo, se o Fígado estiver deficiente (ele pertence à Madeira e B- 15 (Xinshu [ponto Sh11 Dorsal do Coração]). A localização dos
'
a Agua é a Mãe da Madeira), seleciona-se (e tonifica-se) o ponto pontos de Transporte Dorsais é paralela com a cadeia ganglionar
F-8 (Q11qUl1n), o elemento Água correspondente. No caso de Ex- do sistema nervoso simpático, sob os mósculos paravertebrais. A
cesso do Fígado, pelo 1nétodo de Dispersão, seleciona-se o ponto vi11culação destes pontos com os Órgãos faz com que se tomem
F-2 (Xingjian), correspondente ao elemento Fogo, já que o Fogo sensíveis cspontaneruncntc ou sob pressão, ou ainda se apresentem
é "Filho" da Madeira. com nódulos quando os Órgãos lntcmos estiverem afetados. São,
O ponto de Tonificação e o ponto de Dispersão de um Canal por essa razão, muito utilizados no diagnóstico por meio da pal-
apresentam natureza tonificadora ou dispersora, ou seja, a capa- pação. São também muito uteis no tratamento com agulhas , mo-
cidade de. respectivamente, aumentar ou diminuir o caudal de xabustão, ventosa e outras técnicas. Há um ponto de Transporte
Energia do Canal. Seguindo este princípio no caso de Excesso Dorsal para cada Órgão Yin e Yang. Todos ficam situados no Canal
de Energia, pode-se escolher o ponto de Dispersão. Nos casos de de Energia da Bexiga, 1 ~ cun distante da linha mediana posterior,
Deficiência, escolhe-se o ponto de Tonificação, utilizando a técni- no nível do espaço intervertebral.
ca da inserção de agulha adequada. Os pontos de Alanne ou de Coleta Frontal (M11) estão locali-
Não se deve esquecer que, além da natureza tonificadora ou zados em tórax ou abdome (face Yin , ventral) e , em sua maioria,
sedativa de um ponto, este frequentemente apresenta outras ca- estão sediados aproximadamente ao nível dos órgãos correspon-
racterísticas. Por exemplo, em virtude de serem pontos Poço, em dentes, comunicando-se também diretamente com estes. São os
casos agudos, os pontos de Tonificação C-9 (Shaochong), Pc-9 pontos em que a Energia dos órgãos se infunde e converge, con-
(Zhongchong) e B-67 (Zhiyin) são também muito utilizados para centrando-se; por isso, eles representam um papel significante no
Dispersão. O ponto de Dispersão do Coração, C-7 (Shenmen), é diagnóstico e no tratamento dos distúrbios dos Órgãos Internos.
trunbém muito utilizado para tonificar o Sangue do Coração, com Como ocorre com os pontos de Transporte Dorsais, no caso de
a finalidade de nutrir a mente. JG-11 (Quchi LPonto de Tonificação]) desequilíbrio de um Órgão, podem ocorrer frequentemente dor
também esfria o Sangue e liberta o Exterior, sendo, por natureza, sob pressão na região do ponto, nódulos, alteração da condutivi-
um ponto de Dispersão. Ba-2 (Dadun [ponto de Tonificação]) não dade elétrica cutânea, etc. São utilizados clinicamente para regu-
é o ponto mais indicado para tonificar o Baço, uma vez que é lar os Órgãos, suple1nentar o Qi e regular o Yin.
muito empregado nas patologias febris para eliminar o Calor e Os pontos de lntersecção, Encontro ou Cruza.m eato são aque-
promover a sudorese. les em que há intersecção de dois ou mais Canais no trajeto com-
Os pontos Fonte (l'í1an) são os locais em que o Yuan Qi é re- plexo desta rede de Canais de Energia. Estes pontos são capazes
tido e são utilizados para tratar os distúrbios ou os diagnóstico dos de influenciar mais de um Canal e estão distribuídos, principal-
órgãos internos. Relacionados com o Qi Pré-natal (Yttan Qi), cada mente , em cabeça, face e tronco e são pontos importantes ao
um dos doze Canais Principais possui um ponto Fonte (Yuan), que tratamento das alterações que cnvol vem os Canais que se cruzam.
reflete o estado do Qi Pré-natal de cada órgão. Por exemplo, o ponto Du- 14 (Daz}un) é ponto de Encontro de
XII - INTRODUÇÃO
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
todos os Canais Yang; por isso, apresenta o efeito de regularizar (Lieque) , para a região da cabeça e pescoço; 10-4 (Hegu), para a
a circulação do Qi de Lodo o organismo, sendo utilizado para região de face e boca; Pc-6 (Neiguan), para a região do tórax ;
expelir o Calor patogênico e a sudorcsc. O ponto Ba-6 (Sanyinjiao) Du-26 (Rlre11mo11g), para ressuscitação.
é o ponto por onde passam os Canais do Fígado e do Rim; dessa Não se pode esquecer que os pontos principais estão ligados
maneira, ele trata não apenas o Baço, mas os outros dois Canais. ao sistema de Canais, onde o Qi e o Sangue circulam e o Yin e o
Também, quando a área do ponto de Encontro estiver afetada, Yang são regulados. Os Canais e Colaterais são territórios que, em
pontos dos Canais que atravessam o ponto podem ser utilizados. condições normais, acompanham o Sangue, o Qi e o ímpeto para
Os oito pontos de Influência ou Reunião (Hui) são aqueles em movimentar os processos funcionais e, cm condições de dcscquí-
que o Qi dos órgãos e várias espécies de tecidos corporais (Qi, hôrio, desencadeiam os processos patológicos.
Sangue, tendões , medula , ossos, vasos sanguíneos) se acumulam Com base nestas proposições, o livro foi organizado de ma-
na superfície do organismo. Estes pontos exercem influência di- neira didática, a fim de facilitar o acesso do leitor às informações.
reta sobre as estruturas do corpo anteriormente citadas; por isso, Deste modo, o Capítulo 1 (Método de localização dos pontos) foi
são empregados quando há enfermidades em tais partes do corpo. dedicado a explicar as medidas proporcionais e as referências
Eles são F-13 (Z'1ang1nen), Ren- 12 (Zllongwan), Ren-17 anatômicas que servem de base para localização dos pontos.
(Tanzhong), B-1 1 (Gesllu), VB-34 (Yangli11gquan), P-9 (Taiyuan), Os Capítulos seguintes deta.lham os pontos de acupuntura dos
B-11 (Dazhu) e VB-39 (Xuanzhong), os quais dominam, respecti- catorze Canais e o último capítulo dedica-se aos pontos Extraor-
vamente, os órgãos Z.Ong, os órgãos Fu, Qi, Sangue, tendões, dinários mais empregados.
vasos sanguíneos, ossos e medula. Clinicamente, cada ponto de Os trajetos específicos dos diferentes Canais (Canais Principal,
I níluência pode ser empregado para tr.ilar descquil fbrios dos órgãos de Conexão, Muscular e Divergente) estão descritos e enriqueci-
e dos vários tecidos corporais. dos com figuras representativas. Descrevem-se as relações dos
Além disso, cada um dos seis Órgãos Fu possui outro ponto Canais Principais com outros Canais, órgãos internos e seus pon-
He (Mar) nos três Canais de Energia Principais Yang do Pé, co- tos de intersecção; representam-se as conexões dos Canais Mus-
nhec idos como ponto He (Mar) Inferior ou de União Inferior. culares com os outros Canais Musc ulares e seus pontos de
Neles, o Qi do Canal de Energia é transportado às vísceras, nor- Encontro; resumem-se também os sintomas de desequilíbrio dos
malizando suas funções energéticas. Três destes pontos coincidem Canais de Conexão e Muscular de cada Canal.
com os pontos Slru Antigos, correspondentes ao "Mar", nos Canais Cada ponto é descrito obedecendo a seguinte ordem: nome
de Estômago, Bexiga e Vesícula Biliar. Os pontos He Inferiores em chinês e português; características; nota de localização, sen-
dos Canais dos Intestinos Grosso e Delgado estão situados no do que em a.lgumas delas se propõe a posição adequada do pa-
Canal do Estômago. O ponto He Inferior do Sanjiao está sediado ciente, conseguida, às vezes, por intermédio de manobras do
no Canal da Bexiga. Assim, por exemplo, E-37 (Slrangju.xu) é profissional; método de inserção da agulha; funções energéticas;
utilizado para tratar diarreia crônica e Umidade-Calor do Intestino indicações; e combinações com outros pontos. Figuras em cama-
Grosso; E -39 (Xiajuxu), para tratar dor abdominal; e B-39 das superficiais, médias e profundas facilitam a visualização da
(Weiyang). para tratar enuresc (se reforçado , quando o Jüw lnfe- localização de cada ponto.
rior estiver em Deficiência) ou retenção urinária e edema (se Com a finalidade de facilitar o e xercício da prática clínica,
dispersado, quando o Jiao Inferior estiver em Excesso). legendas orientam, em cada ponto, o tamanho e a inclinação da
Os 12 pontos Estrelas Celestiais de Ma Dan Yang são pontos agulha, o sentido das sensações obtidas, as precauções e a utili-
de natureza maravilhosa, ou talvez recebam a inftuência dases- zação ou não de moxabustão e ventosa.
trelas. Inicialmente, 11 pontos foram citados no Jade Dragon Além disso, serão descritos: os pontos Slru Antigos (Poço,
Man11al, escrito em 1329, por Ma Dan Yang , um dos taoístas Manancial, Riacho, Rio e Mar) com os e lementos a eles corres-
chineses mais famosos. Xu Fcng, um século depois, acrescentou pondentes; pontos de Tonificação e Dispersão; pontos Fonte
mais um ponto. São eles: E-36 (Z.Usanli), E-44 (Neiting), IG-4 (Yua11); pontos de Conexão (Luo); ponto de Acúmulo (Xi); ponto
(Heg11) , IG-l I (Que/ri), B-40 (Weizhong), B-51 (Chengshan), F-3 de Abertura dos Canais Extraordinários; ponto de Transporte
(Taichong), B-60 ( K1111l1111) , Vl3 -30 (Huantiao), VB-34 (Ya11gling- Dorsal (Sllu) e de Ala.r me ou de Coleta Frontal (M11); pontos de
q11an) , C-5 (To11gli) e P-7 (Lieque). Encontro, de Intersecção ou Cruzamento; ponto Mar Inferior (He
Os pontos de Comando de Gao Wu gerenciam urna parte do lnferior); ponto Estrela Celestial de Ma Dan Yang; ponto de Co-
organismo, cogitados como pontos adicionais para suplementar mando (Gao Wu).
ou aumentar a eficácia do tratamento. Era , originalmente, um O Atlas dos Pontos de Acupuntura: guia de localização traz
grupo de quatro pontos descritos por Gao Wu na dinastia Ming, todas as informações necessárias de forma prática e simples,
aumentados para um total de seis: E-36 (Zusanli), para a região proporcionando fácil acesso para a prática do acupunturista.
do abdome; B-40 (Weizhong), para as regiões dorsal e lombar; P-7 Boa leitura!
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

.lege áos Ícones

A cor da circunferência do ícone corresponde à relação da cor do


Canal de Energia.
Pequena, média ou grande

1. Tamanho possível da agulha na técnica usada:


'
2. AnguJo de inser ção da agulha:

l / Horizontal
Pequena: até 0,5 cun
-
/ Inclinado
1
1
Média: entre O,5 cun - 1 cun -
1 / Perpendicular

Grande: mais de 1 cun


-
Suas combinações serão idenúficadas pela intensidade da cor
da agulha (quando estiver apagada, ela não será utilizada).
Suas combinações serão identificadas pela intensidade da cor
da agulha (quando estiver apagada, ela não será utilizada).
Por exemplo: 3. Sensação da inserção da agulha:

Localizada
Pequena ou média

1 Grande ou média Expande-se


XIV - LEGENDA DOS ÍCONES
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
4. Cuidado ou precauções:
Pode ser localizada ou expandida
Quando o ícone apresenta apenas este ponto de
exclamação, não existe precaução. O desenho
atrás do ponto de exclamação indica o órgão que
pode ser atingido

Membro superior em direção à sua extremidade


Este desenho atrás do ponto de exclamação in-
dica que a inserção é muito dolorida

Membro superior em direção ao tórax


5. Utilização de moxabustiio:

Permi tida
Membro superior para o tórax ou para
a extremidade •

Proibida
Membro inferior cm direção à sua extremidade

Membro inferior em direção ao tórax Muito favorável


Membro inferior para o tórax ou para Alguns autores dizem que ela é permitida,
a extremidade outros proíbem

Desce no tórax 6. Utilização de aplicação de ventosa:

Sobe no tórax - Permitido

Sobe ou desce no tórax Muito favorável


APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
/

I

Capítulo 1
Métcxio de ~aJi.zação dos Pontos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . l

Capítulo2
Canal de Energia do Pulmão (Taiyin da Mão) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47

Capítulo 3
Canal de Energia do Intestino Grosso (Yangming da Mão) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 75

Capítulo 4
Canal de Energia do Estômago (Yangming do Pé) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . • . . . . . . . . . . . 121

Capítulos
Canal de Energia do Baço (Taiyin do Pé) . . . . . . . • . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . • . . . . . . . . . . . 219

Capítulo 6
Canal de Energia do Coração (Shaoyin da Mão) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . • . . . . . . . . . . . 267

Capítulo 7
Canal de Energia do Intestino Delgado (Taiyang da Mão). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 291

Capítulo 8
Canal de Energia da Bexiga (Taiyang do Pé) . . . . . . . . . . . . . . . . . • . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . • . . . . . . . . . . . 335

Capítulo 9
Canal de Energia do Rim (Shaoyin do Pé) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . • . . . . . . . . . . . 475

Capítulo 10
Canal de Energia do Pericárdio (Jueyin da Mão) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 535

Capítulo 11
Canal de Energia do San Jiao (Shaoyang da Mão)..... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 559

Capítulo 12
Canal de Energia da Vesícula Biliar (Shaoyi11 do Pé).... ... ..... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . • . . . . . . . . . . . 611

Capítulo 13
Canal de Energia do Fígado (Jueyi11 do Pé) . . . . . . . . . . . . . . . . . . • . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . • . . . . . . . . . . . 707

Capítulo 14
Re11 Mai (Vaso Concepção). . ...... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 741

Capítulo 15
Du Mai (Vaso Governador). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . • . . . . . . . . . . . 793
XVI - ÍNDICE
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
Capítulo 16
Pontos Extras e Novos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 853
Referências . ............................... .......... . .... . ............................... .......... . 873

ú itura Complementar . ............................... . . . . ............................... ............. . 875


,
lndice Remissivo . . . . . . .. . . . .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .. . . . .. . . . . . ... . .. .. . . .. . . . . . . . 877

f ndice de Pontos ............................... ............................... ....................... . 88l


APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Capítufo 1

étoáo áe Lo ~~ ~
áos Pontos
2 - MÉTODO D E LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Introdução Medidas proporcionais


Cada ponto de acupuntura constitui-se em locais específicos em
que o Qi dos Órgãos 'Za11gfu e do Canais de Energia são trans-
emcun
portados para a superffcie do organismo. A eficácia terapêutica da Observando a proporcionalidade de algumas medidas da anatomia
acupuntura depende da seleção de pontos de acordo com a dife- humana, os profissionais tradicionais de medicina chinesa padro-
renciação de síndromes, da correta localização dos pontos e da nizaram alguns segmentos corporais, dividindo-os em unidades.
técnica de manipulação empregada. Estas medidas, denominadas cun, são llio práticas e precisas como
Para facilitar o processo de localização. este capítulo será método para localização de pontos que têm sido empregadas pelos
apresentado na seguinte ordem: terapeutas há alguns milhares de anos.
O sistema de medidas em cun é igualmente aplicável a adultos
• Medidas proporcionais: ou crianças ou em qualquer tamanho de organismo (Fig. 1.1).
- Dos dedos. Como a unidade de medida cun V'Mia de pessoa para pessoa,
- De cabeça e pescoço. na clínica, o profissional deve comparar suas medidas com as do
- De tórax e abdome. paciente, empregando-as proporcionalmente.
- De membro superior. O sistema de medidas em cu11 utiliza o comprimento e a largura
- De membro inferior. de certas partes dos dedos da mão como critério de localização dos
• Referências anatômicas fixas: pontos de acupuntura.
- De cabeça e pescoço.
- De tórax e abdome. Unidade de medidas dos dedos
- De membro superior.
- De membro inferior. As unidades de medidas dos dedos silo explicitadas na Figura 1.2
• Referências anatômicas equivalentes. e na Tabela 1.1.
• Referências anatômicas ressaltadas por movimentos.
• Anatomia palpatória para a localização dos pontos de acupuntura.
• Anatomia profunda para os cuidados e precauções na profundi-
dade e no ângulo da inserção da agulha.
l
2"""

A .__ _. B ......._...l c D ' -- --'


Figu ra 1.2 - (A - O) Unídade de rnedídas proporcionais dos
dedos.

Tabela 1.1 - Medidas digitais de comprimento mais comumente


...I usadas
Distância Cun Figura
Entre as extremidades das pregas das 1 1.2 A
articulações lnterfalânglcas do dedo médio
Da largura da articulação ínterfalãngica do 1 1.2 B
polegar
Da largura dos dedos médios e Indicador 1,5 1.2 e
mantidos juntos no nível da prega dorsal
da articulação interfalênglca proximal do
dedo médio
Da articulação interfalênglca proximal e a ponta 2 1.2 A
do dedo indicador
Da largura dos dedos médios e Indicador e 2 1.2 D
6
anular mantidos juntos no nlvel da prega

....-- -
dorsal da articulação lnterfalãngíca proximal
do dedo médio
Da largura dos quatro dedos mantidos juntos 3 1.2 D
no nlvel da prega dorsal da articulação
Fig ura 1.1 -Proporcionalidade do sistema de medidas em cun. interfalãngica proximal do dedo médio
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 3
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
Segmentos particulares do organismo foram medidos em cun.
As medidas proporcionais das diferentes partes do serão vistas
a seguir.

8 cun
Medidas proporcionais
de cabeça e pescoço
As medidas proporcionais de cabeça e pescoço são expostas na ã
Figura 13 e na Tabela 1.2. -"' 5 cun

Figura 1.5- (A e B) Medidas proporcionais de tórax e abdome.

9cun
<
.t ' •
.. Tabela 1.3 - M edidas em cun de tórax e abdome
• Distância entre Cun Figura
3cun A ponta do processo de acrômio e a linha 8 1.4 B
mediana anterior
c Vlt
As bordas mediais da escápula 6 1.4 A
A e
Os mamilos 8 1.4 B
Figura 1.3 - (A e B) Medidas proporcionais de cabeça e pes· Os pontos centrais das clavículas 8 1.4 B
coço. C VII =vértebra cervical VII.
A sínfise xífosternal e o centro da cicatriz 8 1.5 B
umbilical
O centro da cicatriz umbilical e a sínfise púbica 5 1.5 B
Tabela 1.2 - Medidas em cun da cabeça e do pescoço A prega axilar anterior e a borda inferior da região 12 1.5 A
Distância entre Cun Figura do hipocôndrio (extremidade da costela XI)
As linhas anterior e posterior do couro cabeludo 12 1.3 A A borda inferior da região do hipocôndrio 12 1.5 A
..,'°... (extremidade da costela XI) até a proeminência
°'
• A linha anterior do couro cabeludo e a glabela 3 1.3 B
00 lateral do trocanter maior
00
....
N Os processos mastoides 9 1.3 e
.,.,'
"I' Os ângulos do contorno do couro cabeludo 9 1.3 B
....
00

A linha posterior do couro cabeludo e a borda inferior 1.3 e


°' 3
do processo espinhoso de vértebra cervical VII Medidas proporcionais )

de membro superior
As medidas proporcionais de membro superior são expostas na
Tabela 1.4.

Medidas proporcionais
de tórax e abdome Tabela 1.4 - Medidas em cun do membro superior
As medidas proporcionais de tórax e abdome são mostradas nas
Distância entre Cun Figura

Figuras 1.4 e 1.5 e na Tabela 1.3. As pregas axilar anterior e cubital 9 1.6,Ae1 .7, Ae8
As pregas cubital e da articulação 12 1.6,Ae1 .7, Ae8
da mão

acun Medidas proporcionais


de membro inferior
6cun lcun
4 As medidas proporcionais de membro inferior são expostas na
""'llt ~·
Figura 1.6, na Tabela 1.5 e na Figura 1.7, re.~pectivamente.

B Nota: O malélo medial forma uma proeminência larga, situada a


Figura 1.4 - (A e B) Medidas proporcionais do tórax. um nível mais alto e um pouco mais distante que o malélo lateral.
4 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

B e
Figura 1.6 - Medidas proporcionais do membro superior (A)
e do membro inferior (8 e C).

Tabela 1.5 - Medidas em cun do membro inferior 16 cun


1 cun
Distância entre Cun Agura 15cun

A proeminência lateral do trocanter maior e o 19 1.68e1.78


centro da prega poplltea
Da borda superior da slnfise púbica à borda
superior do epicõndilo do fêmur
18 1.6 e '
A margem Inferior do cõndilo medial da tlbia 13 1.6Ce1.7A Figura 1.7 -(A e 8) Medidas proporcionais do corpo humano.
e a proeminência do meléoio medial
O centro da prega poplítea e a proeminência 16 1.68e1.78
do meléolo lateral
O centro da prega poplltea e a proeminência 15 1.7 8
Referências anatômicas fixas
do maléolo medial
<
A proeminência do maléolo lateral e a sola
Referências a11atô111icas )

3 1.6 8
A prega glútea e o centro da prega poplitea 14 1.7 8
fixas de cabeça e pescoço
As bordas superior e inferior da patela 2 1.6 e

Os p<>ntos de acupuntura estão localizados na superfície do


corpo. Várias super!Tcies ósseas, devido à consistência, imobilização
e localização superficial, tomam-se facilmente identificadas por
palpação. Na prática clínica, estas referências anatômicas são ex-
celentes para orientar a localização desses pontos. Algumas
referências são fixas, podendo ser evidenciada por inspeção está-
tica, como, por exemplo, pregas cutâneas normais, saliências
ósseas e musculares, su lcos e depressões. Algumas referências são
facilmente encontradas com movimentos, como, por exemplo,
abdução completa do braço, sal ientando depressões no ombro. Ou-
tras referências são equivalentes a certas regiões anatômicas, por
exemplo, a linha horizontal traçada entre os dois acrômios passa Figura 1.8 - Regiões anatômicas da cabeça (vista anterior). 1 = vér-
abaixo do processo espinhoso da vértebra cervical VII (C Vil). tice; 2 = =
região frontal; 3 glabela; 4 =região temporal; 5 =
osso
= = =
nasal; 6 margem supraorbital; 7 margem infraorbital; 8 osso zi-
Par.i facilitar a localização dos pontos, é preciso saber que tipo gomático; 9 = arco zigomático; 1O = maxila; 11 = mandíbula; 12 =
de referência utilizar. sulco mentolabial; 13 = forame infraorbital.
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - S
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

3
2

Figura 1.9 - Regiões anatômicas da


cabeça (vista lateral). 1 =vértice; 2 =
frontal ; 3 =parietal; 4 =osso zigomá-
tico; 5 = arco z.igomático; 6 = osso
nasal; 7 = ângulo mandibular; 8 =
sulco mentolabial; 9 =temporal; 1O=
maxila; 11 = mandlbula.

• Vértice: parte mais alta do crânio (Figs. 1.8 e 1.9). • Foran1e infraorbital: 7 ou 8mm abaixo da margem infraorbital
• Região frontal: região do osso frontal (Figs. 1.8 e 1.9). (Fig. 1.8).
• Glabela: no centro da protuberância frontal média (Fig. 1.8). • Osso zigon1ático: inferior e lateral à órbita, formando a proe-
• Região parietal: região do osso parietal (Fig. 1.9). minência da bochecha; a margem posterior é facilmente
• Região ten1pora/: região do osso temporal (Figs. 1.8 e 1.9). palpável (Figs. 1.8 a 1.10).
• Ossos nasais: dois pequenos ossos oblongos, colocados lado a lado • Arco zigomático: anterior à orelha; é sentido em todo seu com-
nas porções média e superior da face.a "ponte" do nariz(Fig. 1.9). primento; sua extremidade posterior, situada um pouco acima do
• Margens supraorbital e infraorbital: margens superior e inferior nível do trago, é estreita; sua extremidade anterior é larga e con-
das cavidades orbitais (Figs. 1.8 e 1.9). tinua no osso de zigomático (Figs. 1.8 a 1.10).A margem inferior
é mais visível que a superior, ocultada pelo anexo da fáscia tem-
poral (Fig. 1.10).
• • Maxila: osso par da face, abaixo da cavidade orbital (Figs. 1.8

e 1.9).
• Mandíbula : osso ímpar móvel da região inferior da face
(Fig. 1.8).
, • Sulco 111ento/abial: sulco formado entre o lábio inferior e a
protuberância mcntual (Figs. 1.8 e 1.9) .

• Angulo da mand1ôu/a: angulação fonnada entre o corpo e o
4
ramo da mandíbula (Figs. 1.8 a 1.10).
• Articulação ten1poro1na11dibular: superficial. abaixo e posterior
1 à extremidade do arco zigomático, na frente do meato acústico
Figura 1.10 - Crânio (vista lateral). 1 =articulação temporo- externo, entre a cabeça da mand.í bula e a fossa mandibular do
mandibular; 2 = arco zigomâtico; 3 = osso zigomâtico; 4 = temporal. Sua posição pode ser evidenciada, definindo a cabeça
ângulo da mandlbula. mandibular (Fig. 1.10).

2 3
Figura 1.11 - Regiões anatômi·
4
cas da cabeça (vista dorsal). 1 =
processo mastóldeo; 2 = osso
occiptaJ; 3 = protuberância occlp-
tal externa; 4 = crista occiptal
externa.
6 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Unhe ......... cio


couro.-udo

UlllllO poslooioo do couro - Figura 1.12 - Couro cabeludo: linhas


anterior (A) e posterior (8).
e

• Processo nu.1st6ideo: constitui o tubérculo posterior robusto da A linha anterior do couro cabeludo limita a pele da face com
parte pet:rosa do osso temporal; projeta-se para baixo e para trás o crânio; a linha posterior do couro cabeludo limita a pele do
da orelha. Ao exame superficial, sentem-se suas bordas ante- crânio com a pele do pescoço.
riores e posteriores, o ápice da superfície externa. A borda Os míisculos do couro cabeludo são tão finos que os ossos
anterior localiza-se imediatamente atrás do pavilhão auricular, abaixo deles se tomam perceptíveis. Os míisculos da face são
c o ápice situa-se no nível do lóbulo auricular (Fig. 1.11). pequenos, cobertos por pele macia, frequentemente por uma
• Occipital: osso ímpar, localizado na parte posterior do crânio; camada considerável de gordura, com contornos ocultados.
articula-se com os ossos parietais, temporais, esfenoide e com • Pavilhões a11ric11lares: representam a parte externa do aparelho
a primeira vértebra cervical - o atlas (Fig. 1. 11). auditivo, constituída de estruturas cartilaginosas elásticas. Vi-
• Crista occipital exter11a: crista óssea, vertical e central na su- síveis, apresentam forma de co nchas situadas nas regiões
perfície ex tema do osso occipital (Fig. 1.11 ). laterais da cabeça (Fig. 1. 13). Ligam-se diretamente ao canal
• Protuber/111cia occipital externa: localizada entre o ápice do auditivo. Em cada pavilhão auricular destacam-se as seguintes
occipital eo forame magno (Fig. 1.1 1). partes: lóbulo. trago. incisura supratrágica, hélice, antélice,
• Forame n1ag110: (ponto que separa o conteúdo cerebral da me- incisura intcrtrágica, antirrago.
dula espinhal) é o principal acidente anatômico do osso O lóbulo representa a porção carnosa inferior do pavilhão da
occipital, situa-se anteromedialmente à base do osso, no plano orelha; o trago, uma pequena proeminência localizada na região
traçado na altura do palato. anterior da concha e abaixo do hélice; o antitrago, outra pequena
• Couro cabeludo: é a pele que reveste o crânio (couro cabeludo), proeminência triangular, situa-se abaixo da antélice e lateral ao
em geral, possui cabelo (Fig. 1.12). trago; a incisura intettrágica constitui-se da depressão formada

• •
7

Figura 1.13 - Regiões da orelha. 1 = lóbulo; 2 = trago; 3 =


antitrago; 4 = incisura intertrãglca; 5 = incisura supratrágica;
6 =hélice; 7 = antélice; 8 =transição da concha da orelha. Figura 1 .14 - Músculo esternocleidomastóideo (vista anterior).
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 7
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

••

Figura 1.15 - Osso hioide (2), cartilagem tireóidea (3) e cartilagem cricóidea (4) (vista anterior). 1 =proeminência laríngea.

catre trago e antiLrago; a incisura supratrágica retrata a depressão occipital, passando pela face lateral do processo mastóideo do
formada por hélice e bordo superior do trago; a mais excêntrica temporal (Fig. 1.14).
das proeminências do pavilhão denomina-se hélice, começa na • Osso hioide: situa-se na região anterior do pescoço, logo abaixo
cavidade da concha por uma crisla oblíqua para cima e para fren- da mandíbula. E logo aci1na da laringe. Articula-se com os
te, e termina na parte superior do lóbulo; a proeminência outros ossos por meio de ligamentos (Figs. 1.15 e 1.16).
concêntrica à hélice recebe o nome de antélice. • Proeminência laríngea: refere-se à extremidade anterior da
• Músculo es1ernocleido1nas1dideo: localizado na face lateral do cartilagem tireóidea que compõe o esqueleto junto à laringe,
pescoço, apresenta iníluência importante como referência de em geral, visível, podendo ser tocada. Graças à atuação da
alguns pontos. Insere-se por duas conexões tendfncas inferiores testosterona, esta estrutura desenvolve-se mais nos homens
na face anterior do man6brio do esterno e na extremidade me- (Figs. 1.15 e 1.16).
dial da clavícula. As duas cabeças (estemal e clavicular) diri- • Fossa supraclavicular. representa a fossa acima da clavícula.
gem-se oblíqua e lateralmente pelo pescoço; em sua metade, Afossa s11praclavic11/ar TT1e11or situa-se entre as cabeças estemal
unem-se cm apenas um tendão na linha superior da nuca, no e clavicular, na forma de um triângulo estreito (Fig 1.17).

Figura 1.16 - Proeminência laríngea (1 ), osso hióide (2), cartilagem tireóidea (3) (vista late1al).
8 - MCTOOO OC LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
A parte superior do osso esterno, o manúbrio, une-se ao
corpo do esterno, formando uma elevação transversal bem defi-
nida: o llngulo esternal (Fig. 1.19), estrutura importante cm
virtude de ser palpável, permitindo identificar o local em que a
segunda cartilagem costal se insere (Fig. 1.20). Os espaços in-
tercostais podem ser contados a partir do ângulo esternal. O
processo xifoide (Fig. 1. 19) refere-se ao último segmento do
1

/
2
esterno; a princípio cartilaginoso, ossifica-se por volta dos qua-
renta anos de idade. Serve de inserção para a linha alba e o
músculo diafragma. Pode ser facilmente palpado na depressão,
onde as margens costais se encontram na porção mais superior
Figura 1.17 - Fossa supraclavicular (1). 2 =fossa supraclavi- da parede anterolateral do abdome.
cular menor. Na linha mediana anterior, ao longo do comprimento do es-
terno , a sobreposição dos músculos peitorais forma um sulco
superficial largo nas partes superior e inferior e estreito no centro:
o sulco esternal (Figs. 1.19 e 121),qae finda na sfnjisexifosterna/,
a qual pode ser identificada pela palpação da margem inferior do
corpo do esterno.
Na borda superior do manúbrio do esterno, encontra-se a incisura
jugular (Figs. 1.19 e 1.21), côncava, cujas partes laterais são ocul-
tadas pela origem do tendão do músculo estemocleidomastóideo.
Na região superior do tórax, o espesso m1ísc11lo peitoral n1aior
prolonga-se em formato de leque desde a prega axi lar anterior e
a maior pane da parede anterior da axila até a metade csternal da
clavícula e a face anterior do esterno. A borda mais inferior situa-se
praticamente na linha da quinLa costela (Figs. 1.19 e 1.21). Este
músculo oculta, em pane, as carri/agens costais e as costelas (Figs.
1.19 e 121). As costelas são fitas ósseas arqueadas, que se esten-
dem das junções com a coluna vertebral à porção anterior da
parede do tórax, dando forma à cavidade torácica.
Em geral, a margem superior do músculo peitoral maior é
mediaimente nftida, formando o limite de uma depressão triangular,
a fossa infraclavicular que separa o peitoral maior do nuíscu/o
de/toide (Fig. 1.21).
Figura 1.18 - Músculo trapézio.
O n1úsculo serrdtil anterior, largo, quadrangular, com bordo
denteado, recobre a região lateral do tórax, formando uma marca
de superfície muito característica. A região mais alta visível do
• M1ísculo trapézio: constirui-se no mais superficial dos músculos serrátil anterior indica a sexta costela (Figs. 1. 19 e 121).
da região posterior do tronco e do pescoço. Insere-se mediai- Apesar de coberta por músculos, as costelas podem ser sentidas
mente na linha nucal superior, ligamento nucal e processos sem di ficu Idade, como elevações com intervalos correspondentes
espinhosos da sétima cervical até a décima segunda vértebra aos espaços intercostais. Os espaços intercostais situados entre
torácica; lateralmente, liga-se ao terço lateral da clavícula, acrô- as segundas e terceiras costelas são mais largos , os espaços si-
mio e espinha da escápula. A linha da borda inferior estende-se tuados entre as quanas e quintas costelas são um pouco mais
do processo espinhoso da décima segunda vértebra torácica à estreitos, e os demais, com exceção dos últimos dois , são compa-
borda vertebral da escápula e à raiz da espinha (Fig 1.1 8). rativamente estreitos.
A primeira costela, quase completamente coberta pela clavícu-
la, podeserdistinguidaapcnasem uma pequena parte de sua extensão.
Referências anatômicas fixas
Os contornos achatados e largos das costelas e os contornos mais
da região de tórax e abdo1ne arredondados das cartilagens costais ficam frequentemente defi-
Osso esterno é a denominação de uma placa óssea mediana, osso nidos na lateral do tórax, da axila para baixo (abaixo da margem
longo e estreito, localizado na parede anterior do tórax, sentido inferior do músculo peitoml maior). Na superficie dorsal, cada
ao longo de todo o comprimento (Fig. 1.19). Constitui-se de três costela pode ser distinguida , exceto nos locais em que é cobena
panes: 1nanúbrio, corpo do esterno e processo xifoide. pela escápula (Fig. 1.22).
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 9
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
9
2

11
..,...
'9

.."',...

~
12


;;i

!;;

Figura 1.19 - Regiões anatômicas de tórax e abdome (vista anterior). 1 =músculo peitoral maior; 2 =fossa infraclavicular; 3 =
músculo deltoide; 4 =sulco estemal; 5 = esterno; 6 = manúbrio do esterno; 7 =ângulo esternal; 8 =processo xifoide; 9 = incisura
jugular; 10 =cartilagem das costelas VII, VIII e IX; 11 =espaços intercostais; 12 =fossa epigástrica; 13 = músculo serrátil anterior.

Antcrionncnte, as costelas acompanham a superfície da pare-


de torácica (Figs. 1.19 e 1.21). Na região dorsal, os ângulos das
costelas localizam-se numa linha obliqua, inclinando-se inferior-
mente (Fig. 1.23). Lateralmente, curvam-se formando uma
superfície convexa com alguma distância do processo espinhoso
vertebral, que é preenchido por músculos, formando duas grandes
... massas elevadas, laterais à coluna vertebral.
Na região frontal, o li1nite inferior da caixa costal é formado
por processo xifoide,cartilagens das sétima, oitava, nona e décima
costelas, e as cxtre1nidades das cartilagens das décima primeira e
décima segunda costelas.
A fossa epigástrica, depressão triangular entre as extremida-
Figura 1.20 - Relação espacial entre ângulo estemocostal e car- des estemal das sétimas cartilagens costais e abaixo da sínfise
tilagem da segunda costela Seta= segundo espaço intercostal. xifoestemal, abriga o processo xifoide.

t
12

Figura 1.21 - Regiões anatômicas de tórax e abdome (vista anterolateral). 1 = músculo peitoral maior; 2 =fossa infradavicular; 3 =
músculo deltoide; 4 =sulco esternal; 5 =esterno; 6 = rnanúbrio do esterno; 7 =ângulo esternal; 8 =processo xifoide; 9 = incisura
jugular; 1o= cartilagem das costelas VII, VIII e IX; 11 = espaços intercostais; 12 =fossa epigástrica; 13 =músculo serrátil anterior.
10 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
No homem, o n1amilo fica situado no quarto espaço intercos-
tal, 4 cun distante da linha média, ou a 2cm da junção costocondral.
O ei xo ósseo do corpo é a coluna vertebral (Fig. 1.24), esten-
de-se do crânio até a pelve. Dividida de acordo com sua
localização em coluna cervical (sete vértebras no pescoço), colu-
na torácica (doze vértebras no tórax), coluna lombar (cinco
vértebras no lombo), coluna sacra/ (cinco vértebras fundidas no
osso sacro) e cerca de 4 vértebras coccígeas (cóccix). A parte
subcutânea dos ápices dos processos espinhosos das vértebras é
distinguível ao fundo de um s11/co que corre abaixo a linha me-
diana da região dorsal, desde a protuberância occipital externa até
o sacro. Na região torácica, o sulco é superficial.
A sétima vértebra cervical apresenta processo espinhoso longo
e proeminente, facilmente visível na superfície da nuca. Para iden-
tificar os processos espinhosos. deve-se contar a proeminência
causada pela sétima vértebra cervical e primeira vértebra torácica;
destas, a última é a mais proeminente (Fig. 1.23). O processo
espinhoso da sexta vértebra cervical às vezes forma uma projeção;
os outros processos espinhosos cervicais são afundados. mas o do
áxis (segunda cervical) pode ser sentido. Na reg ião lombar, o
sulco é profundo e os processos espinhosos são, em geral, eviden-
ciados por pequenas concavidades ou depressões, principalmente
quando os múscul os dessa região estiverem bem desenvolvidos.
Figura 1.22 - Costelas (vista posterolateral).
Na região sacral, o su lco é mais superficial, apresentando uma
área plana que termina na região inferior, na parte mais proemi-
As mamas apresentam tamanhos suje itos a grandes variações nente da superfície dorsa l do sacro (processo espinhoso da
e suas formas dependem da combinação de seu apoio anatômico terceira vértebra sacra!). O hiato sacra{ (Fig.1.25) representa a
(de seu suporte, que provêm principalmente dos ligamentos de abertura caudal do canal sacra! limitada por dois cornos sacrais
Coopere do tecido torácico subjacente sobre o qual descansa). Na palpáveis, imediatamente acima do cóccix, na linha mediana. Na
mulher adulta, estende-se verticalmente da segunda à sexta cos- parte inferior do sulco sacra! pode ser sentida a superfície irregu-
tela, e transversalmente ocupa posição parasternal em direção à lar do osso e, abaixo deste , no sulco profundo que corre ao ânus,
linha axilar média. o cóccix (Fig .125).

Figura 1.23 - Regiões anatômicas de tórax e abdome (vista posterior). C =vértebra cervical; T = vértebra torácica.
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 11
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.25 - Região sacroíllaca (vista posterior). 1 =forama


sacral li; 2 =espinha ilíaca posterossuperior; 3 = hiato sacral;
4 = cóccix.

Figura 1.24 - Coluna vertebral: vistas anterior (A), lateral (8)


e posterior ( C).

A correlação dos corpos vertebrais favorece a localização de


estruturas superficiais e vice-versa (Fig. 1.26). Na prática clínica,
utiliza-se esta correlação como referência para a localização dos
pontos de acupuntura:

• O processo transversal do atlas (primeira vértebra cervical) fica


cerca de tem abaixo e medial ao ápice do processo mastoide.
• O nível descendente da imagem do osso hioide em relação às
terceira e quarta vértebras cervicais (Fig. 1.27).
• A proemin~ncia laríngea localiza-se na quinta vértebra cervi-
cal. O nível superior da cartilagem tireoide, pela palpação,
corresponde a um plano que identifica a transição das terceira
e quarta vértebras cervicais; inferiormente, esse plano define
a transição das quinta e sexta vértebras cervicais.
• O processo transversal da sexta vértebra cervical é oposto à
...!. IV
cartilagen1 cricoide; abaixo da cartilagem cricoide fica o pro-
cesso transversal da sétima vértebra cervical.
• A prir11eira vértebra torácica situa-se um pouco abaixo do
istmo da glândula tireoide.
• Os ápices pulmo11ares correspondem à altura da prirneira vér-
tebra torácica.
• A incisura jugular posiciona-se no mesmo plano horizontal
que a margem inferior do corpo da segu11da vértebra torácica
(Fig. 1.27).
Figura 1.26 - Relações espaciais entre as vértebras e as re-
• O ângulo esternal fica no nível da quinta vértebra torácica giões anatômicas do tórax. C =vértebra cervical; L = vértebra!
( Fig. 1.27). lombar; T = vértebra torácica.
12 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
• A segunda cartilagem costal situa-se no plano da quarta vér-
tebra torácica.
• A sínjisexifoesternol corresponde à fibrocartilagem entre a nona
e a décima vértebra torácica (Fig. 1.27).
• O ângulo superior da escáp11la localiza-se na altura da segllflda
costela (Fig. 1.28).
• A raiz da espinha da escáp11la fica no nfvel da ponta do pro-
cesso espinhoso da terceira vértebra torácica (Fig. 128).
• O ângulo inferior da escáp11la nivela-se com o do processo
espinhoso da sétima vértebra torácica (Fig. 1.28).
• O plano transpilórico contém a prin1eira vértebra lombar.
• O segmento mais inferior da nwrgeT11 costal apresenta-se na
cartilagem costal da décima costela, que se encontra em posição
Figura 1.28 - Escápula (vista posterior). 1 = clavlcula; 2 =
oposta ao corpo vertebral da terceira vértebra lor11bar. escápula; 3 = acrômio; 4 = espinha da escápula; 5 = ângulo
• O ponto n1ais alto da crista ilíaca correspondente à quarta superior da escápula; 6 = ângulo inferior da escápula ; 7 =
vértebra lombar, permitindo calcular a altura das outras vérte- ângulo lateral da escápula; 8 =margem medial da escápula;
9 = processo coracoide; 1O = articulação acromioclavícular; 11 =
bras. Aproximadamente Scr11 posterior,,1ente à espinha ilíaca úmero; 12 =fossa infraespínhal; 13 = fossa supraespínhal.
an1eross11perior, o lábio externo da crista projeta-se para formar
o tubércu lo da crista. Este se situa ao nível do corpo vertebral
da quinta vértebra lo111bar. Referências anatômicas fixas
• A espinha ilfaca posterossuperior localiza-se na extremidade
dorsal da crista ilíaca, lateral à base do sacro, no nível da se-
da extremidade superior
gunda vértebra sacral (Fig. 1.25). O membro superior é formado por cíngulo do membro superior
• As espinhas ilíacas posteroiriferiores passam pelo plano na (escápula e clavícula), braço, antebraço e mão (carpos, metacar-
altura da terceira vértebra sacra/, onde também termina o cólon pos, falanges).
descendente e se inicia o reto. A clavícula é um osso longo, palpável, em formato de um S,
situada na região anterossuperior do tórax: juntamente com a
escápula, ela forma a cintura escapular, que liga os membros su-
periores ao tronco (Figs. 1.28 e 1.29).
A escápula , osso grande, plano, triangular, situada na região
posterossuperior do tórax, apresenta três ângulos (inferior, lateral
e superior), duas faces (anterior e posterior) e três bordos (superior,
interno e externo). Apresenta ainda uma incisura escapular e três
fossas (subescapular, infraespinhal e supraespinhal) (Fig. 1.29).
Na face posterior da escápula, projeta-se uma lâmina óssea, a
espinha da escápula (Figs. 128 e 129), facilmente apalpada, que
separa as fossas supra e infraespinhal. A espinha escapular termina
na face lateral, numa apófise externa volumosa, o acrômio (Figs.
1.28 e l .29), cujo bordo interno apresenta urna faceta articular
para a clavícula. O processo coracoide da cscápula situa-se infe-
rior ao acrômio, cerca de 2cm abaixo da junção dos terços
intermediário e lateral da c lavícula; apresenta formato de um dedo
fletido, que serve para inserção muscular; esta estrutura anatômi-
ca pode ser palpada no trígono c lavipeitoral (Fig. 1.29).
Na região posterolateral da escápula, no ângulo externo, exis-
te uma cavidade articular pouco profunda: a cavidade glenóidea,
que se articula com a cabeça do úmero (Fig. 1.29).
O úniero é o maior osso do membro s uperior; articula-se,
proximalmente, com a cavidade glenóidea da escápula (Figs. 129
e 1.30); distal mente, participa da articulação do cotovelo; lateral-
Figura 1.27 - Relações espaciais entre as vértebras e as re- mente, com o rádio; e, mediaimente, com a ulna.
giões anatômicas do abdome. 1 = hioide; 2 = incisura jugular;
3 =ângulo eS1ernal; 4 = slnfise xifoesternal. C =vértebra cer- A ulna, o osso mais longo do antebraço, articula-se com a
vical; T = vértebra torácica. tróclea do t1mero no cotovelo com o rádio (proximalmente, por
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 13
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.29 - Clavícula e escãpula: vistas anterior (A) e pos·


terior (B). 1 =clavícula; 2 = escãpula; 3 = acrômio; 4 =espinha
da escápula; 5 = processo coracoide; 6 = cavidade glenoide;
7 =úmero. Figura 1.31 - Processo estiloide do rádio (seta).

meio da incisura radial); distalmente, articula-se com os ossos do e o processo coronoide encaixam-se na tróclea do úme.r o, seme-
carpo no punho e com a incisura ulnar do rádio (Fig. 1.30). Com o lhante à maneira como a chave inglesa envolve um tubo. A
braço em posição anatômica, a ulna localiza-se mediaimente. O extremidade proximal da ulna é maior que a extremidade distal,
olécrano (saliência arredondada da extremidade umcral do cúbito) pequena e arredondada, denominada cabeça. Os principais aci-
dentes ósseos importantes para a localização dos pontos de
acupuntura da ulna são: o olécrano, posicionado proximal mente,
e o processo estiloide, posicionado distal e medial mente.
O rddio (Fig. 1.30), o mais curto dos ossos do antebraço,
localiza-se lateralmente quando o braço permanece cm posição
anatômica. Sua extremidade distal possui uma incisara mediana,
na qual a cabeça da ulna se encaixa, formando a articulação
radioulnar distal. A face inferior da extremidade distal do rádio
é lisa e côncava no local em que se articula com o punho ou
ossos do carpo.
O tubérculo radial dorsal do rddio localiza-se na metade da
10 extremidade inferior da superfície dorsal do rádio, mais bem per-
cebido com o punho ligeiramente dobr.ido. O processo estiloide
do rddio representa uma saliência localizada na extremidade dis-
tal do rádio, em sua face lateral (Fig. 1.31).
Os ossos da mão fonnam uma fileira proximal de ossos carpais
(de lateral para medial: ossos escafoide, semilunar, piramidal e
pisiforme; e de uma fileira distal: trapézio, trapezoide, capitato
e hamato) (Fig. 1.32).
Na região anterior do punho existem duas eminências subcu-
tâneas, uma no lado radial, maior e aplainada, produzida pelo osso
escafoide, e outra na face ulnar, pelo pisiforn1e (cerca de lcm
distal à exltemidade inferior da ulna e apenas dista l ao nível do
processo estiloidc do rádio).
As demais superfícies anteriores dos ossos carpais são cober·
Figura 1 .30 - Regiões anatômicas do membro superior (vista
anterior). 1 = escápula; 2 = úmero; 3 = epicôndilo medial do tas por tendões e pelo ligamento carpa! transversal, ficando
úmero; 4 = epicôndilo lateral do úmero; 5 =articulação do om· completamente ocultas, com exceção do hãmulo do osso harnato,
bro; 6 = rádio; 7 = processo estiloide do rádio; 8 = ulna; 9 = que é dificil definir. Na superficie dorsal do carpo, apenas o osso
processo esliloide da ulna; 1o = articulação do cotovelo; 11 = piramidal pode ser sentido com nitidez.
eminência tenar; 12 =eminência hipotenar; 13 = metacarpais;
14 = cabeças dos ossos metacarpals; 15 = falange proximal; Os ossos seguintes, os metacarpais, em número de cinco
16 = falange média; 17 = falange distal. longos ossos, são numerados a partir da face lateral (Fig. 1.32).
14 - Má"ODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

i t

Figura 1.34 - Mão salientando a cabeça dos ossos metacarpais


(setas) (vista dorsal).

Figura 1.32 - Ossos da mão e do punho direitos (vista poste-


rior). 1 = ulna; 2 = rádio; 3 = semilunar; 4 = escafoide; 5 = pi-
siforme; 6 =piramidal; 7 = capitato; 8 = hamato; 9 =trapezoide;
10 =trapézio ; 11=metacarpais ;12 = falange proximal; 13 =
falange média; 14 = falange distal.

A superfície dorsal dos ossos metacarpais, com exceção do


quinto, ocultados pelos tendões dos músculos extensores, tomam-
-se visíveis apenas em mãos muito magras; o quinto metacarpal
é subcutaneamente distinguível em quase todo seu comprimento.
Dorsalme nte, a base do osso metacarpal do dedo polegar é proe-
minente, distal ao processo estiloide do rádio; o corpo do osso é
facilmente palpável, terminando a cabeça cm uma proeminência
aplainada (Fig. J .33).
Em suas extremidades distais, os metacarpos apresentam ca-
beças, que se articu lam com as falanges (Fig. 1.34). Os contornos
das cabeças dos ossos metacarpais ficam evidenciados cm relevo
saliente sob a pele com a mão fechada; a cabeça do terceiro dedo
é o mais proeminente.

Figura 1.33 - Mão direita (vista dorsal). Figura 1.35 - Músculos deltoide (1) e bíceps braquial (2).
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 15
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
Na região da articu lação do ombro, importante para a locali-
zação de alguns pontos de acupuntura, encontra-se o n1úscu/o
de/toide superficial subcutâneo. Este músculo origina-se em cla-
vícula e escápula; insere-se oo úmero, situando-se na face externa
da articulação glenoumeral (Fig. 1.35).
O músculo bíceps braquial situa-se na face anterior do braço,
formado por duas porções (curta e longa) (Fig. 1.35).
A linha da arriculaç<io do cotovelo (visível com o antebraço
flexionado) é 1igeirarnente curva, estendendo-se de um cpicôndilo
ao outro. Na visão antcroposterior do cotovelo, sua articulação é
ligeiramente distal ao centro da prega; a extremidade lateral da
porção radioumeral fica situada cerca de 2cm distais ao epicôndi-
lo latera.1; a e xtremidade medial da porção ulnoumeral fica cerca
de 2,5cm distais ao epicôndilo medial. A posição da articulação
radioumeral pode ser evidenciada, sentindo o encaixe leve ou
depressão entre a cabeça do rádio e o capítulo do úmero, na região
dorsal da articulação do cotovelo (Fig. 1.36).
Durante a extensão, a borda superior do olécrano fica ligeira-
mente acima do nível do epicôndilo medial e mais próximo deste
do que do epicôndilo lateral (Fig. L.37).
A fossa antecubita/ é a região anatômica de forma triangular,
anterior ao cotovelo, limitada pelo músculo pronador redondo e
pelo músculo braquirradial (Fig. 1.36, B).

Figura 1.36 - Face anterior do antebraço salientando a linha


de articulação do cotovelo (A) e os músculos relacionados à
fossa antecubital (B). 1 =fossa antecubítal; 2 = músculo bra·
quiorradial; 3 = músculo pronador redondo.

Na palma, os ossos metacarpais, cobertos por músculos, ten-


dões e aponeuroses, evidenciam apenas suas cabeças.
As 14 falanges (5 proximais, 4 médias e 5 distais) formam
os ossos dos dedos. O polegar não apresenta a falange média
(Fig. 1.32). As falanges podem ser sentidas em suas extremida-
des aumentadas.
A articulação acro1nioclavicular situa-se no plano sagital, que
passa pela linha mediana da região frontal do braço. Em geral, sua
posição pode ser verificada pela extremidade acromial ligeiramente Figura 1.37 - Regiões anatômicas do membro supe rior (vista
aumentada da clavícula (na forma de uma eminência arredondada), posterior). 1 = clavlcula; 2 = acrômio; 3 = músculo deltoide;
que se projeta sobre o nível do acrômio (Fig. 1.28). 4 = úmero; 5 =articulação do ombro; 6 = rádio; 7 = ulna; 8 =
olécra no; 9 = articulação do cotovelo; 1 o = articulação do pu-
A articulação do onibro, situada profundamente, não pode ser nho; 11 =metacarpais; 12 =cabeças dos ossos metacarpais;
sentida por palpação (Fig. 130). 13 = falanges.
16 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

12

Figura 1.38 - Face anterior do punho salientando sua linha de


articulação.

O epic{)ndilo medial do úmero é mais proeminente que o


epic{)11dilo lateral do úmero; entretanto, o cume supracondilar 16
medial é muito menos marcado que o lateral e, como regra, não é
palpável (ver Fig. 1.30).
A posição da articulação radioulnar proximal é marcada na
Figura 1.39 - Regiões anatômicas do membro superior (vista
superfície à região dorsal do cotovelo pela covinha que indica a anterolateral). 1 = clavlcula; 2 = escápula; 3 = acrõmio; 4 =
posição da cabeça do rádio (Fig. 1.36, A). processo coracoide; 5 = articulação acromioclavicular ; 6 =
A arric11/ação do punho desenha uma linha curva, com soa músculo deltoide; 7 = úmero; 8 = articulação do ombro; 9 =
rádio ; 10 = ulna; 11 = olécrano; 12 =articulação do cotovelo;
convexidade para cima, entre os processos estiloides de rádio e 13 =articulação do ombro; 14 = metacarpais; 15 =cabeça dos
ulna; o ápice da convexidade situa-se aproximadamente lcm acima ossos metacarpais; 16 = falanges.
do centro da linha reta que liga os dois processos (Fig. 1.38).
O local da articulação radioulnar distal pode ser definido ao
sentir o encaixe leve à parte dorsal do punho entre a cabeça proe-
minente da ulna e a extremidade inferior do rádio , quando o
antebraço está em pronação quase completa (Figs. 1.39 e 1.40).
Das três pregas cutâneas transversais na pele da região frontal
do punho ("consequência" dos movimentos fisiológicos), a articula-
ção do punho corresponde, com bastante precisão, ao sulco central;
a mais distal representa a posição da articu.lação carpaJ média.
Na região da mão, as arric11lações metacarpofalíingicas estão
siruadas distal mente às proeminências das articulações (Fig. 1.41 );
as articulações in1erfalâ11gicas são indicadas pelos sulcos volares; •
e as rugas nas soperffcies dorsais .ficam distinguíveis ao exame de
superffcie.
Os tendões dos músculos extensores podem ser observados e
sentidos na parte dorsal do punho (Fig. 1.42). Lateralmente, fica
o cume oblíquo produzido pelo músculo extensor longo do polegar.
O músculo extensor longo radial do carpo raramente é palpável,
mas o m6sculo extensor curto radial do carpo pode ser identifica-
do como um cume vertical que emerge abaixo da borda ulnar do
tendão do músculo extensor longo do polegar, quando o punho
estiver estendido; medial a este, podem ser sentidos os tendões do
Figura 1.40 - Regiões anatômicas do membro superior (vista
m6sculo extensor dos dedos; o m6sculo extensor próprio do quin-
posterolaterai). 1 = escápula; 2 = músculo deltoide; 3 =úmero;
to dedo está separado dos tendões do mtísculo extensor comum 4 = oiécrano; 5 = ulna; 6 = rádio; 7 = articulação do ombro; 8 =
dos dedos por um leve sulco. articulação do cotovelo; 9 = articulação do punho.
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 17
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

2
1
,-eª
Figura 1.41 - Regiões anatômicas da 10
11
mão (vista anterior). 1 = rádio; 2 = ulna;
3 = pisiforme; 4 = escafoide; 5 = semilu-
=
nar; 6 metacarpais; 7 = falange proxi-
mal; 8 =falange média; 9 = falange distal;
1o = eminência tenar; 11 = eminência 8
hlpotenar; 12 =músculo radial do carpo;
13 = músculo palmar longo. 9

põe dois terços superiores desta estrutura; o ísquio constitui os


terços inferior e posterior; e o púbis forma os terços inferior e
anterior. O ílio articula-se com três ossos: sacro, fêmur e ilíaco do
lado oposto, por intermédio da sínfise púbica (Fig. 1.43).
O (fio (Fig. 1.43) apresenta um corpo (lâmina larga, relativa-
mente fina e levemente ondulada) separado da asa por uma linha
arqueada (relevo ósseo da face medial, oblíquo de cima para bai-
xo e de trás para frente).
A crista ilíaca (borda superior da asa), dividida em lábios
interno e externo, local de inserção de mósculos, termina anterior-
mente numa protuberância romba, a espinho iffaca anterossuperior,
acompanhada de uma incisura e uma segunda protuberância, a
espinho ilfaca anteroinferior, à qual se segue o corpo do púbis,
com a e111inência iliopectfnea. A crista ilíaca termina posterior-
mente na espinha iUaca posterossuperior (Fig. 1.43).
Na superfície, os ossos do quadril, cobertos por mósculos,
permitem visualização de apenas algumas estruturas anatômicas.
Na região anterior, a espinha ilíaca a1uerossuperíor é distinguível;
em pessoas magras, salienta-se como uma proeminência na extre-
midade lateral da prega da virilha; em pessoas gordas, sua posição
é indicada por uma depressão oblíqua, ao fundo da qual se sente o
processo ósseo (Fig. 1.43).
Figura 1.42 - Músculos do membro anterior: vistas anterior A espinha ilfaca posterossuperiorsitua-se ao nível do proces-
(A) e posterior (B). 1 = deltoide; 2 = braquial; 3 = radial do so espinhoso da segunda vértebra sacral, local indicado por uma
carpo; 4 = palmar longo; 5 = flexor curto do polegar; 6 = del-
leve depressão (Fig. l.43).
toide; 7 = trfceps braquial; 8 = braquial; 9 = extensor radial
longo do carpo; 10 =abdutor longo do polegar; 11 =extensor O ligan1e1110 inguinal é uma região anatômica que corre desde
curto do polegar; 12 = extensor dos dedos. o tubérculo pllbico do osso púbis até a espinha ilíaca antcrossupc-
rior do osso ílio, correspondendo à margem inferior da aponeurose
do músculo oblíquo externo (Fig. 1.44). Fixa-se lateralmente na
Referências anatômicas fixas espinha i1faca antcrossuperior, curva-se inferior e mediaimente para
se ligar ao tubérculo póbico.
da extremidade inferior Sínfise plÍbica é uma articulação semimóvel situada na linha
O membro inferior é formado pelo cíngulo do membro inferior, mediana entre os dois púbis, unindo-os e formando a bacia (cin-
coxa, perna, pé. tura pélvica), que é composta por sacro, cóccix e dois ossos do
O cfngulo do membro i11ferior, raiz de implantação deste mem- quadril (Fig. 1.43 e 1.44). A crista plÍbica corresponde à saliência
bro, compõe-se por ilíaco, osso plano.chato, irregular, par,formado alongada presente na face superior do púbis, mediaimente ao tu-
pela soldadura de três ossos: o ílio, dirigido superiormente, com- bérculo púbico.
18 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

A B

Figura 1.43 - Regiões anatômicas do clngulo do membro inferior: vistas anterior (A) e posterior (8) . 1 = lllo; 2 =crista maca; 3
=espinha maca anterossuperlor; 4 = espinha illaca anteroinferior; 5 =espinha ilíaca posterossuperior; 6 = lsquio; 7 =púbis; 8 =
=
sacro; 9 = fêmur; 10 = slnfíse púbica; 11 túber isquiâtico.

17

Figura 1.44 - Regiões anatômicas do membro


inferior (vista anterior). 1 = espinha maca antero-
posterior; 2 = triângulo femoral; 3 = ligamento
inguinal; 4 = slnfise púbica; 5 = tuberosidade
púbica; 6 = músculo sartôrio; 7 = músculo adutor
longo; 8 = trocanter maior; 9 = pateta; 1O = tlbia;
11 = flbu la; 12 = articulação do quadril; 13 = arti-
culação do tornozelo; 14 = maléolo lateral; 15 =
maléolo medial; 16 = ossos metatarsais; 17 = veia
14
safena magna.
15
13
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 19
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
O tubérculo p1íbico projeta-se na margem superior da porção
média do ramo superior do púbis, onde se liga o ligamento ingui-
nal (Fig. 1.44). Em pessoas magras aparece njtidarnente como
urna pequena protuberância, no obeso é ocultado pela gordura
púbica; porém, pode ser percebido subindo pelo tendão de origem
do músculo adutor longo (Fig. 1.44). Outra parte da pelve óssea
que fica acessível ao toque é o túber isquiático, situado inferior-
mente ao músculo glúteo máximo, sentido quando o quadril é
dobrado, já que é coberto por músculos (Fig. 1.43).
Em postura ereta, a linha que liga o tubérculo público ao topo
do trocanter maior fica praticamente horizontal; o meio deste
encobre a linha, o acetábulo e a cabeça do fêmur.
Na região superior interna da coxa encontra-se o triângulo
fenioral (Fig. 1.44), uma região anatômica, Limitada superionnen-
te pelo ligamento inguinal, lateralmente pelo nuísculo sart6rio e
medialmente pelo músculo adutor longo. No triângulo femoral,
localizam-se de medial para lateral a veia femoral, artéria femoral
e nervo femoral (Figs. 1 .44 e 1.45).
O fêmur, osso mais longo e forte do esqueleto, articula-se com
~
... três ossos: ilíaco, patela e tíbia. Em sua borda superior apresenta Figura 1.45- Vascu larização e inervação do triângulo femoral.
~
oo o trocanter maior - eminência grande, irregular e quadrilátera, 1 =nervo femoral; 2 =artéria femoral; 3 = veia femoral.
00

~ importante na orientação da localização de vários pontos de acu-


'I' puntura (Figs. 1.44 e l.46).
ie
"' O côndilo lateral do trocanter 111aior é sentido mais facilmente
que o medial; ambos os epicôndilos podem ser prontamente identi-
ficados e, à parte superior do côndilo medial, pode ser reconhecido,
sem dificuldade, o tubérculo pontiagudo do mú.<;eulo adutor.
Posterionnente, a prega glútea cruza a parte inferior da náde-
ga, bifurca praticamente à margem inferior do glúteo máximo
e é muito evidente durante extensão da articulação do quadril
(Fig. 1.46).
A pateta (Figs. 1.44, 1.47 e 1.48), osso triangular (considerado
sesamoide), chato e arredondado, apresenta duas faces (anterior, con-
vexa e posterior, lisa e oval) e três bordas (a proximal, base; a medial ,
converge distalmente; a lateral, fina e converge distalmente).
A superfície anterior da pateta é subcutânea. Quando o joelho
está estendido, a borda medial do osso é um pouco mais proemi-
nente que a lateral e, se o quadríceps femoral está relaxado, o osso
pode ser movido de lado a lado. Quando a articulação é dobrada,
a patela retrocede no buraco entre o cõndilo do fêmur e a extre-
midade superior da tiôia, tomando-se firmemente unida ao fêmur.
A fossa poplítea (Figs. 1.46 e 1.49, A) é limitada superior e
mediaimente pelos tendões dos músculos semimembranáceo e
se1nitendlneo (Figs. 1.46 e 1.49); superior e lateralmente, pelo
tendão do músculo bíceps femoral; inferior e mediaimente, pela
cabeça medial do n1úscufo gastrocnêmio; inferior e lateralmente,
pela cabeça lateral dos músculos gastrocnêmio e plantar.
Dos ossos da perna, a ifbia é o maior (segundo osso mais
longo do esqueleto), localiza-se na parte medial da perna, articu- Figura 1.46 - Reg iões anatômicas do membro inferior (vista
lando-se com três ossos: fêmur, fíbula e tálus (Figs. 1.44, 1.46, posterior). 1 = trocanter maior; 2 = fêmur; 3 =fossa poplitea;
4 = libia; 5 =flbula; 6 =calcâneo; 7 =articulação tornozelo; 8 =
1.47 e 1.50).
maléolo lateral; 9 = malêolo medial; 10 = metatarsais; 11 =
O intervalo entre tfbia efên1ur pode ser facilmente sentido; se músculo bíceps femo ral; 12 = músculo gastroc nêmio; 13 =
a articulação do joelho fica estendida, este intervalo está em um prega glútea.
20 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
nível mais alto que o ápice da patela (Fig. 1.44); mas, se a articu-
lação está ligeiramente dobrada, fica diretamente atrás do ápice.
Quando o joelho fica semitlexionado, as bordas mediais da patela
e do côndilo medial do fêmur e a borda superior do côndilo medial
da tibia salientam uma área deprimida triangular que indica a
posição da articulação.
Lateralmenre, a tíbia é acompanhada pclaffbula, com a qual
está conectada superior e inferiormente. Grande parte da tíbia é
subcutânea. O côndilo da extremidade superior pode apenas ser
sentido abaixo do joelho; sua parte medial é larga e plana, e
aprofunda-se na superfTcie subcutJlnea do corpo; o côndilo lateral
é mais estreito e mai.s proeminente.
As partes subcurãneas da ffbula são a cabeça, a parte mais
inferior do corpo e o maléolo lateral. A cabeça da fTbula situa-se
atrás e lateral ao côndílo lateral da tíbia; sua posição pode ser
localizada seguindo descendentemenre o tendão do mllsculo bíceps
femoral (Figs. 1.44, 1.46, 1.47 e 1.48).
Os maléolos são eminências ósseas das extremidades distais
• da nbia e da fibula. O maléolo medial si rua-se na superficie medial
da tíbia (piramidal, achatado) e o n1aléo/o lateral, uma proemi-
nência comprida e estreita, situado no terço inferior lateral do
Figura 1.47 - Regiões anatômicas do membro inferior (vista corpo da fíbula (Figs. 1.44, 1.46 e 1.48).
medial). 1 = trocanter maior; 2 =fêmur; 3 = patela; 4 = tibia ; 5 = Em posição neutra, o eixo de movimento da articulação do
fíbula; 6 = articulação do tornozelo; 7 = maléolo lateral; 8 = tornozelo passa pelo maléo/o medial, pelo corpo do tálus e abaixo
calcâneo; 9 = metatarsais; 10 = músculo gastrocnêmio. do maléolo lateral (Figs. 1.44, 1.46, 1.47 e 150).
O pé é formado pelos ossos tarsais (em número de 7: calcâneo,
tálus, navicular, cuboide, cuneiforme l, U e W), metatarsais (5: l
a V) e falanges ( 14: 5 proximais, 4 médias e 5 distais). O hálux
não apresenta a falange média (Figs. 150 e 151 ).
No dorso do tarso, distingue-se o ttflus, que fonna uma pro-
jeção am:dondada anterior à articulação do tornozelo quando o
pé está muito estendido (Figs. 150 e 151 ).
(
A 1uberosidade navicu/ar é aproximadamente palpável, 2,5 a )

3cm an1eriores ao maléolo medial.


A 1uberosidade do calctlneo situa-se na face lateral do pé, o
ponto ósseo mais posterior.
Articulação taloriavicularé posterior à tubcrosidade navicular
e anterior à proeminência arredondada que a cabeça do tálus for-
ma quando o pé é estendido com força.
A primeira arriculação tarsometatarsal corresponde a um en-
caixe que pode ser sentido fazendo pressão firme na borda medial
do pé, 2,5cm anteriores à tuberosidadc do osso navicular; a posição
da segunda articulação tarSometatarsal é l ,25cm posteriores a esta.
As articulações metatarsoíalilngicas são aproximadamente 2,5cm
posteriores às redes dos dedos do pé correspondentes.
Na face medial do pé, o processo medial da tuberosidade
do calcâneo e o cume separam a superffcie posterior da medial do
osso; em frente a este e abaixo do mal6olo medial, encontra-se o
sustenttfcu/o do tá/us.
O corpo do primeiro osso metatarso/ apresenta uma cabeça
Agura 1 AS - Regiões anatômicas do membro inferior (vista expandida em relação à primeira falange.
lateral). 1 = trocanter maior; 2 =fêmur; 3 = patela; 4 = tibia; 5 =
fíbula; 6 =articulação tornozelo; 7 = maléolo lateral; 8 = calcã- O quinto osso n~tatarsa/ é proeminente, sendo possível loca-
neo; 9 = metatarsais; 10 = gastrocnêmio. lizar o corpo expandido de sua cabeça.
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 21
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.4 9 - Músculos que limítam a fossa poplítea. (A) Vista


posterior. (B) Vista lateral. 1 = semimembranáceo; 2 = semiten-
díneo; 3 = bíceps femoral ; 4 = plantar; 5 = gastrocnêmío; 6 =
B
sartório; 7 =grácil; 8 = semimembranáoeo; 9 = semitendfneo.

As superfícies dorsais dos ossos r11euuarsais são definidas; as O conhecimento da localização das relações das linhas de
superfícies plantares são ocultadas por músculos. Suas falanges superfície entre as estruturas apresenta importância na determina-
são palpáveis em toda a extensão. ção da profundidade e da angulação da inserção da agulha nos
pontos de acupuntura.

Referências anatômicas • linha rnediana (anterior e posterior): linha do plano vertical


equivalentes que passa longitudinalmente através do corpo, dividindo-o em
duas metades direita e esquerda.
As linhas de superfície facilitam a localização dos pontos de acu- • Linha pararnediana: linha do plano vertical que corta o cor-
puntura e são desenhadas por meio de planos imaginários traçados po no sentido anteroposterior, a qual passa lateralmente à
a partir das regiões aoa!Õmicas (Fig. 1.52). linha mediana.

1.Á-
5

7 8

Figura 1.50 - Regiões anatômicas do pé (vista medial}. 1 =tíbia; 2 = articulação do tornozelo; 3 =articulação talonavicular;
4 = tuberosidade do calcâneo; 5 = tuberosidade navicular; 6 = maléolo medial; 7 = tálus; 8 = calcãneo; 9 = metatarsal 1.
22 - Má"ODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.51 - Regiões anatômicas do pé (vista


lateral). 1 = calcâneo; 2 = tálus; 3 = cuboide; 4 =
navicular; 5 = cuneiforme lateral; 6 = cuneiforme
intermediário; 7 = metatarsais; 8 =falanges proxi-
mais; 9 = falanges médias; 1o =falanges distais; 11 =
fibula; 12 = tlbla.

• Linha es1ernal: linha vertical que passa lateralmente ao longo • Linha da cris1a ilíaca: horizontal pelos pontos mais altos da
da borda estemal. crista ilíaca, passa também pelo processo espinhoso da quarta
• Linha parasrernal: linha vertical que passa à meia distância vértebra lombar (ta1nbém conhecida como linha de Tuffier).
entre a Linha estemal e a bemiclavicular. • Linha 1ransversa inferior ou linha intertubercular: traça-se
• Linha hemiclavicular ou mamária: passa verticalmente no entre os rubérculos da crista ilíaca; corresponde ao corpo da
ponto médio da clavícula (onde se estabelece o posicionamen- quinta vértebra lombar, e passa pela válvula ileocecal, onde o
to do complexo aréolo-mamilar). intestino delgado se une ao intestino grosso.
• Linha mica/: superior horizontal que passa na protuberância • Linha axilar anterior: vertical que desce da prega axilar anterior.
occipital e xterna. Em sua direção lateral, encontra-se a porção • Unha axilar 111édia: vertical que desce do ponto médio entre as
mastoide do osso temporal. linhas axilares, anterior e posterior.
• Linha acrontial: entre os dois acrômios. • Linha axilar posterior: vertical que desce pela prega axilar
• Linha verlebral: vertical que passa sobre os processos espinho- posterior.
sos das vértebras.
• Linha paravenebral: vertical que passa à meia distância entre )


as linhas vertebral e escapular.
Linha escapular: vertical que tangencia a borda medial da
Referências anatômic as
escápula. ressaltadas por movimen tos
• Linha alba: linha mediana da região frontal , no meio de um
sulco da parede abdominal, uma faixa tcndínca que se estende
do processo xifoide à sínfise púbica. A porção supraumbilical
Linlza a1zterior
é mais larga em virtude do afastamento dos músculos retos. do couro cabeludo
• Linha 1rans11mbilical: secciona a cicatriz umbilical ao meio, no
O couro cabeludo é a pele que reveste o crânio do ser humano
sentido transversal. O umbigo situa-se ao nível da fibrocartila-
e, em geral, possui cabelo. A linha anterior do couro cabeludo
gem enire a terceira e a quarta vértebra lombar.
• Linha 1ranspilórica (Addison): faz intersecção com o piloro; na limita a pele da face com o crânio.serve de referência para alguns
região ventral, faz intersecção com a nona cartilagem costal; e, pontos muito utilizados na prática. Quando o paciente é calvo
na região dorsal , faz intersecção com o bordo inferior da pri- ou careca, ~ preciso imaginar a linha anterior natural do couro
meira vértebra lombar. No plano transpilórico, situam -se o cabeludo o mais parecida possível com a linha anterior de uma
piloro do estômago, a curvatura duodeno-jcjunal, o pâncreas, pessoa não calva (de forma irregular e mantendo as e ntradas
a artéria mesentérica, os bilos renais, as artérias illacas e as naturais do paciente). O desenho da linha anterior varia e pode
artérias renais. ser visualizado a partir da prega superior da fronte quando o pa-
• Unha subcostal: desenhada do ponto mais baixo do arco subcos- ciente franze a testa. Siga o exemplo das fotos: na primeira, vê-se
tal (décima cartilagem costal). na região dorsal intersecciona o a linha; na segunda, imagina-se a linha pela prega superior da
corpo da terceira vértebra lombar. testa franzida (Fig. 1.53).
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 23
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
• • •• • •• ••• •• 1

- - - - 12

. ..~
•• • .. •••

A
s ...·· B

< >

Figura 1.52 - Linhas de superfície das


regiões frontal (A) , dorsal (B) e lateral (C)
do tórax e do abdome. 1 =linha hemlcla-
vlcular ou mamária; 2 = linha paraester-
nal; 3 = linha transpilórica ; 4 = linha
umbilical ; 5 = linha esternal; 6 = li-
nha mediana anterior; 7 = linha mediana
posterior; 8 = linha paravertebral; 9 = li-
nha escapular; 10 = linha nucal; 11 = linha
acromlal; 12 =linha da crista maca; 13 =
linha axilar anterior; 14 = linha axilar
média; 15 = linha axilar posterior.

14 13

e
24 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Músculos te1nporal e masseter Músculo esternocleidomastóideo


Os músculos masseter e temporal são superficiais, claramen- Fica mais visível se o paciente girar a cabeça, contra a resis-
te visíveis e de fácil palpação. Ligam a mandíbula ao crânio tência, para o lado oposto ao exame (Fig. 1.55).
e fazem parte do grupo de músculos da mastigação. O mas-
seter, de grande espessura, forte , quadrilátero, situa-se na face Artic11.lação temporotnandib11.lar
lateral do ramo da mandíbula (Fig. 1.54) .
A articulação temporomandibular é a articulação do processo
O temporal , o mais potente dos músculos da mastigação,
condilar da mandíbula com o osso temporal. A cabeça da
preenche completamente a fossa temporal e reveste o corpo
mandíbula muda de posição quando a boca abre, situação em
adiposo da face; por causa da ausência de cabelo na pele que
que se desloca para baixo e para frente da fossa mandibular
cobre sua porção anterior, esta se toma mais marcada que a
em direção ao tubérculo articular, quando se sente uma de-
posterior, salientando-se à medida que os arcos dentais
pressão na região da articulação. (Fig. 1.56) .
ocluem. Ao apertar os dentes, contrai-se a musculatura masti-
gatória bilateral e simultaneamente, com máxima intercuspi-
dação dentária. Tocando a região destes míisculos, enquanto Sulco nasolabial
o paciente aperta firmemente e solta os dentes, pode-se sentir As duas dobras da pele em cada lado do rosto, desde a lateral do
tanto o masseter na mandíbula quanto o temporal na região nariz aos cantos da boca, separando o lábio superior das boche-
de mesmo nome. chas, ficam mais evidenciados quando o paciente sorri (Fig. 1.57).

Figura 1 .53 - Linha anterior do couro cabeludo em pessoas


calvas. Figura 1.54 - Músculos masseter (1) e temporal (2).
MÉTODO DC LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 25
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Triângulo deltopeitoral
O triângulo dellopeitoral representa uma pequena depressão
triangular. Situa-se abaixo do terço externo da clavícula, sendo
limitado pelos músculos peitoral maior e deltoide. Esta região
anatômica fica evidenciada se o paciente, sentado ou em pé, ~
loca a mão no quadril e inclina o ombro para tr.ís. (Fig. 1.59).

Figura 1.55 - Músculo esternocleidornastóideo.

Fossa supraclavicular menor


Situa-se entre as cabeças cstemal e clavicular. Fica visível e pal-
pável por rotação da cabeça para o lado oposto ao desejável e
contra a resistência (Fig.1.58).

Figura 1.56 - Articulação ternporomandibular. Figura 1.57 - Sulco nasolabial.


26 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Margem costal (limite itiferior


da região frontal do tórax)
Corresponde à margem inferior, curva, da parede torácica,
sendo formada anteriormente pelas cartilagens costais de
sétima, oitava, nona e décima costelas (Fig. 1.60), e, poste-
riormente, pelas cartilagens da décima primeira e da décima
segunda costela. O segmento mais inferior da margem costal
apresenta-se na cartilagem costal da décima costela, que se
encontra em posição oposta ao corpo venebral da terceira
vértebra lombar. A décima segunda costela pode ser cuna e
de difícil identificação pela palpação.
O limite inferior da região frontal do tórax fica claramen-
te evidenciado ao dobrar o corpo para trás, sendo formado
por processo xifoide, cartilagens das sétima, o itava, nona e
décima costelas.e as extremidades das cartilagens das décima
primeira e décima segunda costelas.

/ Processos espinhosos
das vértebras
As marcas dos processos espi nhosos ficam mais ou menos
distinguíveis pedindo-se ao paciente que se incline para fren-
Figura 1.58 - Fossa supraclavicular menor (seta). te (Fig. 1.61) .

Figura 1 .59 - Triângulo deltopeitoral (seta). 1 =músculo deltoide; 2 =músculo peitoral maior.
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 2 7
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

C VII
C VIII
C IX
ex

Figura 1.60 - Fossa supraclavicular. C =vértebra cervical.

Depressões no ombro
As depressões (anterior e posterior) situadas no limite do múscu-
lo deltoide e ombro ficam evidenciadas em abdução horizontal do
braço (Fig. 1.62). Figura 1.61 - Vista da coluna inclinada.

Tendão do músculo Epicôndilo lateral do úmero


bíceps braquial A posição do epicôndilo lateral do úmero é mais bem destacada
O tendão do músculo bíceps braquial fica perceptível com o durante a semiilexão do antebraço, o cume supracondilar lateral
cotovelo flexionado e com flexão do punho contra a resistência fica fortemente marcado, acompanhado por uma depressão que
(Fig. l.63). corre para cima (Fig. 1.64).

Figura 1.62 - Fossa supraclavicular. Músculo deltoide (seta).


28 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.63 - Tendão do músculo biceps braquial. Figura 1.64 - Epicôndilo lateral do úmero.

Tendão do músculo flexor


ulnar do carpo
Localiza-se na porção ventromedial do punho, mais bem eviden-
ciado se o paciente flexionar o punho. Pode ser palpado até o osso
pisiforme, na base da eminência hipotcnar. Localiza-se imediata-
mente anterior ao feixe vásculo-nervoso da artéria e ao nervo ulnar.
O pulso da artéria ulnar pode ser palpado até a base da eminência
hipotenar (Fig. 1.65).

Flexor radial do carpo


Situado na região ventrolateral do punho. Encontra-se mais cen-
tralizado em relação ao punho quando comparado com o flexor
ulnar do carpo. A artéria radial situa-se lateralmente ao tendão
radial do carpo. Sua palpação deve ser realizada com flexão do
punho concra a resistência (Fig. l .66).

Tendão do 111úsculo flexor palmar longo


Situado ao nível da linha média da face anterior do punho. Tor-
na-se mais evidente com o punho flexionado, realizando uma
pinça digital entre os dedos mínimos e polegar. Sua palpação fica Figura 1.65 - Tendão do músculo flexor ulnar do carpo.
MÉTODO OC LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 29
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.66 - (A e EJ) Tendão dos múscu los flexor radial do carpo (1) e flexor palmar longo (2).

facilitada com a flexão do punho contra a resistência. Em aproxi- Cabeças dos ossos 1netacarpais
madamente 20% dos indivíduos, este tendão está ausente em um
ou nos dois braços. Na ausência do tendão do 1núsculo palmar Os contornos das cabeças dos ossos mctacarpais ficam evidencia-
longo, localize os pontos do Canal de Energia do Pericárdio na dos em relevo sa.liente sob a pele com a mão fechada; a cabeça do
face ulnar do tendão do flexor radial do carpo (Fig. l.66). terceiro é o mais proeminente. Dorsalmente, a base do osso me-
tacarpal do dedo polegar é proeminente, distal ao processo
estiloide do rádio; o corpo do osso é facilmente palpável, termi-
Tendão dos músculos extensores dos dedos nando à cabeça em uma proeminência aplainada. Na palma, os
Esses tendões podem ser palpados ao nível do dorso da mão quan- ossos metacarpais,cobenos por músculos , tendões e aponeuroses,
do os dedos são mantidos em hiperextcnsão (Fig. 1.67). são sentidos apenas cm suas cabeças (Fig. 1.68).

Figura 1.67 - Tendão dos músculos


extensores dos dedos.
30 Má"ODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.68 - Cabeças dos ossos metacarpals. Figura 1.70 - Tabaqueira


anatômica.

Figura 1.69 - Proemínêncías das falanges.

Proeminências das falanges


Figura 1.71 - Projeção dos músculos ínterósseos dorsaís.
Os dígitos curvados evidenciam melhor as falanges proximais,
que formam proeminências (Fig. 1.69).

Mtísculo interósseo dorsal posterior I


Tabaqueira anatômica
Pressionando o polegar contra o dedo indicador, há uma projeção
A tabaqueira anatô11lica ou fossa radial apresenta-se como de- muscular do músculo interósseo dorsal posterior 1 (Fig. 1.71).
pressão triangular observável na face dorso lateral do punho, região
do escafoide e trapézio. Limita-se mediaimente pelo tendão do
músculo extensor longo do polegar e lateralmente pelos tendões
Músculo gastrocnêmio
dos extensor curto do polegar e abdutor longo do polegar, proxi- Peça para a pessoa ficar apoiada nas pontas dos pés para salientar
malmente à extremidade distal do rádio (Fig. 1.70). os mliseulos gastrocoêmios (Fig. l.72).
MÉTODO DE LOCAUZAÇÁO DOS PONTOS - 31
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.74 - Tendão dos músculos extensores longos dos


dedos do pé.

Tettdão dos mtísculos extensor


Figura 1.72 - Músculo gastrocnêmio. 1011go do l1álux e tibial anterior
Ver Figura 1.73.

Tendões dos músculos extensores


longos dos dedos do pé
Peça ao paciente para abduzir os dedos do pé para salientar os
tendões dos músculos extensores longos dos dedos (Fig. 1.74).

Anatomi a palpatóri a
1
para a localização dos
2
pontos de acupuntura
A anatomia palpatória consiste na identificação das estruturas do
sistema musculoesquelético a partir do tato como importante
ferramenta utilizada pelo acupunturista para determinar a situação
topográfica dos pontos de acupuntura.
As principais referências anatômicas obtidas por palpação são
expostas a seguir.

Forame infraorbital
Figura 1.73 - Tendão dos músculos extensor longo do hálux Pode ser sentido por palpação abaixo da margem do osso orbital,
(1) e tibial anterior (2). 0,3 cun abaixo da margem (Fig. 1.75).
32 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.77 - Palpação de clavlcula e fossa supraclavicular.

Vértice
Tocar con1 os dedos mínimos cada ápice das orelhas do paciente.
fazendo os polegares encontrarem-se na linha mediana da cabeça
(Fig. 1.76).

Clavícula (fossa supraclavicular)


Figura 1.75 - Palpação do forame i nfraorbital (seta). Palpar o corpo da clavícula desde a área medial na articulação
estemoclavicular até a área lateral na articulação acromioclavicular
(Fig. 1.77).

Espaços i1ztercostais
Para localizar e contar as costelas,eneontreo ãngulo formado pela
junção do manúbrio com o corpo cstema1 (ãngulo estcmal). O
ãngulo estema1 serve de referência para localizar a cartilagem
costal da segunda costela e, em seguida, o segundo espaço io-
tercostal (Fig. 1.78).

Costelas
As costelas são contadas a partir da segunda (Fig. 1.79). As car-
tilagens das costelas Vlll, lX e X unem-se sucessivamente e, em
conjunto, se ligam à costela Vil, pela qual chegam indiretamente
ao esterno. Para localizar a extremidade livre da costela XI. man-
tenha contato com a mão toda (para ajudar a reduzir a hipersen-
sibilidade) na região superior do abdome e com pressão digital
suave apalpe desceodeotemente ao longo da margem costal, até a
extremidade da costela, que fica situada um pouco acima do nível
da cicatriz umbilical. Para localizar a ex1remidade livre da décima
segunda costela, continue a palpar ao longo da margem inferior
da caixa torácica até a extremidade livre da costela, palpando a
Figura 1.76 - Localização do vértice. região lombar lateral.
MÉTODO DE LOCAUZAÇÁO DOS PONTOS - 33
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.80 - Palpação do ângulo esternocostal.

Angulo esternocostal
Figura 1.78 - Palpação do segundo espaço lntercostal (seta). O ângulo cstemocostal varia em abertura clc acordo com a altura da
pessoa. É localizado correndo ascendentemente o dedo indicador ao
longo da margem inferior da caixa costal, com a depressão imedia-
tamente abaixo da parte óssea sólida do esterno (onde o processo
cartilaginoso xifoiclc encontra o osso esterno). O processo ltifoide
pode variar substancialmente em tamanho, tornando-se visível e
palpável ou invisível e impalpável. Nos idosos, o processo xifoide
pode calcificar, consideração importante para não confundir o nível
inferiordoestemocon1 o nível inferior do proccssoxifoide(Fig. 1.80).

Vértebras
• Nem todas as pessoas apresentam vértebras claramente definidas.
A maneira mais fácil de localizar as vé.rt.ebras cervicais e torácicas
li
consiste em localizar a sétima vértebra que, por ser facilmente
notada, principalmente em peSS-Oas mais magras, é chamada de
"proeminente... O processo espinhoso vertebral palpável da C VI
"' toma-se impalpável quando o paciente estende o peSC-OÇO (Fig.
V 1.81 ). As vértebras T 1 até aproximadamente T IX são contadas a
partir de CV li para baixo.
VI
Peça ao paciente para encostar o queixo no pescoço para evi-
denciar duas vértebras proeminentes na linha média do pescoço.as
quais supõe-se serem C VII e T 1. Coloque o dedo médio sobre a
V~ suposta T 1e o dedo indicador sobre C Vil. Sem perder o contato
IX
com as vértebras, peça ao paciente para levantar e rodar a cabeça.
A CVIl movimenta-se mais que a TI.
As vértebras lombares são contadas a partir do ponto mais alto
das cristas ilíacas, que podem ser sentidas ao longo de todo seu
comprimento, estendendo-se da espinha ilíaca anterossuperior,
anteriormente, até a espinha ilíaca postcrossuperior. posterior-
Figura 1.79 - Palpação dos espaços intercostais. mente. Coloque as mãos abertas ao lado da pelve, descansando as
34 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.81 - Palpação das vértebras cervicais VI e VII.

extremidades dos dedos indicadores sobre o ponto mais alto da


crista ilíaca; estenda os dedos polegares mediaimente para se
encontrar diretamente na linha mediana posterior. As pontas dos
dedos polegares se encontrarão no nível do espaço entre os pontos
altos dos processos espinhosos das vértebras L IV e de L V. A
partir deste ponto localize as outras lombares até T X (Fig. 1.82).

função lombossacral (inferior a L V) Figura 1.83 - Palpação da junção lombossacral.


Sinta urna depressão pronunciada após correr o dedo ascendente-
mente na região dorsal do sacro cm direção ao primeiro espaço
intervertebral palpável (Fig. 1.83). Estes pontos ficam evidencia- A anatomia dessa região é muito variável: cm algumas pessoas,
dos colocando um travesseiro abaixo da região inferior do abdome a primeira vértebra sacral tende a ocupar o espaço lombar, ficando
do paciente, que, além de deixar o paciente mais confortável, palpável como uma vértebra lombar adicional; em outras pessoas,
apresenta a finalidade de criar urna curvatura que serve para abrir a quinta vértebra lombar ocupa posição sacral, fundind<>-se com
os espaços intervertebrais. o resto do sacro.

Forames sacrais
Divida a linha entre a base do sacro e do hiato sacral na linha
mediana em cinco espaços iguais, usando as quatro pontas dos
dedos de uma mão. Cada ponta do dedo deve descansar nos qua-
tro processos espinhosos sacra is (às vezes palpáveis). Os forames
sacrais (palpáveis em alguns indivíduos e , portanto, facilmente
localizados) situam-se em d.istância relativamente regulares, late-
ralmente aos processos, no mesmo nível, e a aproximadamente
metade da distância (ou seja, 0,75 cun) entre a linha média e a
linha do Canal de Energia da Bexiga (linha dos pontos Shu Dor-
sais). Descendenternente, a linha dos forarnes sacrais corre
ligeir'dIIlente em direção à linha média.
O segundo forame sacra! localiza-se aproximadamente no
ponto central de uma linha imaginada enlre a espinha ilíaca supe-
roposterior e o hiato sacral (Fig. 1.84 ).

Hiato sacral
O hiato sacral está localizado entre os cornos sacrais e o cóccix,
na depressão inferior ao processo espinhoso da vértebra sacral IV
Figura 1.82 - Palpação das vértebras lombares. (Fig. 1.85).
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 35
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM

,
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

---

Figura 1.84 - Palpação dos foramas sacrais. Figura 1.8 5 - Hiato sacra! (seta).

Figura 1.86 - Palpação


do trocanter maior.

Trocanter maior distribuindo suas mãos de maneira uniforme; os polegares se tocam


no ponto médio (Fig. 1.87).
Quando a coxa é dobrada, especialmente se é cruzada em cima
da oposta, o trocanter produz uma eminência cega na superfície
(Fig. 1.86).
Anatomia projUnda
Determinação do ponto Cuidados e precauções
médio de um trecho longo na inserção da agulha
Para encontrar o ponto médio de distâncias maiores, coloque os O princípio fundamental da prática da acupuntura consiste na
dedos mínimos das mãos nas extremidades do trecho em questão, inserção da agulha evitando lesar vasos sanguíneos ou órgãos
36 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
internos. Para minimizar os riscos é preciso conhecer a anatomia apenas para a prática clínica, mas também para entender a locali-
profunda do organismo para evitar inserir as agulhas com profun- zação dos pontos de acupuntura (Fig. 1.88). A seguir, estão
didade e ângulo que possam atingir alguma estrutura importante. descritos os órgãos situados cm pescoço, tórax e abdome e um
Na região da cavidade torácica ventral ou dorsal , assim como na breve relato dos sistemas circulatório e nervoso.
região supraclavicular existem órgãos que podem ser lesados por
inserção perpendicular ou oblfqua profunda, provocando algum Pul1nões e pleura
dano. O conhecimento da anatomia interna é imprescindível não
Compondo dois órgãos (direito e esquerdo), os pulmões situam-se
no interior da cavidade torácica , estendem-se da fossa supracla-
vicular até o diafragma, que os apoia , preenchendo a cavidade
pleural. Apresentando fonna de semicone com ápice superior e
base inferior, são protegidos pelas costelas, separados entre si, em
grande parte, pela área cardíaca (Figs. 1.89 e 1.90) .
O ápice de cada pulmão encontra-se na região supraclavicular;
a linha que passa pelo ápice destes dois órgãos situa-se, em média,
cerca de 2,5cm acima da clavícula, chegando a estender-se até 4
•• Y, • ou 5cm (Fig. 1.91). Os ápices pulmonares colocam-se mais próxi-
• • •
•• • • • • • • • 'V.J
... . .. .\
mos da borda anterior do que da posterior do músculo estemo-
cleidomastóideo, descendo mediaimente em direção à articulação
estemoclavicular e ao manúbrio do esterno, aproximando-se, ou
quase encontrando, de seu par do outro lado, no ponto central da
sínfise manúbrio-estemal. Daí, desce ao longo da linha estemal
mediana, até o nível das quartas cartilagens costais. Desta região,
a borda anterior do pulmão direito continua em direção ao nível da
sexta cartilagem costal, de onde segue latera 1e descendentemente;
e o pulmão esquerdo alcança a linha parastcmal na quinta carti-
lagem costal, continua até a sexta cartilagem costal ligeiramente
lateral para baixo; desce lateralmente, cruza a sétima cartilagem
costal, em nível ligeiramente mais baixo que a linha do lado di-
reito. O pulmão esquerdo apresenta uma concavidade que forma
a incisura cardíaca.
Em virtude de acomodar o ffgado, o diafragma é mais alto no
lado direito; por isso, o pulmão direito toma-se um pouco mais
curto que o esquerdo; a concavidade da base é mais profunda; o
pulmão direito é mais espesso, mais largo que seu oposto, seu
volume supera em 1/15 em relação ao e squerdo .
k.'._ Os pulmões são revestidos externamente por uma membrana
denominada pleura. A pleura reveste a cavidade torácica inter-
namente, incluindo a superfície superior do diafragma e do
mediastino lateral e os grandes vasos (pleura parietal); em conti-
nuidade com a pleura parietal em suas linhas de reflexão, penetra
nas fissuras pulmonares. A pleura também reveste os pulmões
separadamente (pleura visceral). O espaço virtual denominado
espaço pleural apresenta pequena quantidade de líquido para di-
minuir o atrito durante os movimentos pulmonares. Em condições
patológicas, este espaço pode aurncntar.
Cada pulmão apresenta três faces (costal, mediastinal,
diafragmática), um ápice (levemente arredondado e voltado cra-
nialmente), tri!s margens (anterior, posterior e inferior) e uma base
(circunferência inferior, côncava); é septado pelas fissuras interlo-
bulares, que o dividem em partes denominadas lobos pulmonares
(três no pulmão direito e dois no pulmão esquerdo).
Figura 1.87 - Determinação prática do ponto médio de trecho A propriedade mais característica do pulmão é sua elasticidade,
longo. dilatando-se e voltando ao seu volume inicial nas fases da respi-
MÉTODO OC LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 37
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.88 - Vistas frontal (A) e laterais esquerda (B) e direita (C) dos órgãos internos.

Figura 1.89 - Região frontal do abdome, mostrando a locali- Figura 1.90 - Região lateral do abdome, mostrando a localização
zação dos órgãos internos, salientando os pulmões. dos órgãos internos e a relação dos pulmões com as costelas.
38 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

'1
1
1
1
1
1

Figura 1.91 - Vista lateral do tórax, mostrando sinais de su-


perflcie para ossos, salientando o pulmão.

ração , fato que faz variar o nível da 1nargem inferior do pulmão.


Na posição de descanso, o nível do pulmão permanece nos dois
espaços costais acima da reflexão pleur.tl anterior, medial e late-
ralmente. Ao expirar, a margem inferior do pulmão apresenta uma
linha ligeiramente curva, com convexidade descendente, da sexta Figura 1.92 - Região frontal do abdome, mostrando a locali-
zação dos órgãos Internos, salientando a traqueia.
junção esternocostal até o processo espinhoso da décima vértebra
torácica. Esta linha cruza a linha hemiclavicular na sexta costela
e a linha rutilar mediana na oitava. As bordas posteriores dos pul-
mões são indicadas por linhas traçadas do nível do processo
espinhoso da sétima vértebra cervical, abaixo ou lateral à coluna
vertebral, pelas articulações costovertebrais, inferiormente no
processo espinhoso da décima vértebra torácica.

Traqueia
A traqueia. parte do sistema respiratório, constitui-se de um tubo
cilíndrico fibrocartilaginoso formado por numerosos anéis. Este
órgão estende-se entre a laringe e os brônquios. situando-se na
pane frontal do esôfago. Medindo e ntre 10 e 12cm e 1,5 a 2,5cm
de diâmetro, inicia-se a partir da vértebra cervical VI e termina no
nível da torácica IV ou V. Na região anterior, o ponto de bifurca-
ção corresponde ao ângulo estemal , dividindo-a em brônquio
principal direito e esquerdo (Fig. 1.92).

Esôfago
O esôfago representa um tubo muscular do sistema digestório com
cerca de 20 a 25cm de compri1nento que liga a faringe ao estômago.
Localiza-se atrás da traqueia, sendo dotado de movimentos pcris-
tálticos (Fig. 193).
Na região dorsal, a extensão do esôfago pode ser indicada por
uma linha do processo espinhoso da sexta vértebra cervical ao Figura 1.93 - Região frontal do abdome, mostrando a locali-
nível da nona torácica, 2,5cm à esquerda da linha mediana. zação dos órgãos internos, salientando o aparelho digestório.
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 39
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Coração um ponto na borda mais baixa da segunda cartilagem costal, a


2,5cm da linha estemal lateral esquerda (Fig. 1.94, 8).
O coraçlio é um mlisculo oco do tamanho do punho de um adulto, Nos casos patológicos de hipertrofia cardíaca, a inserção pro-
de contorno quadrangular, com massa de, em média, 250 a 300g funda de pontos de acupuntura na área epigástrica pode alcançar
(em mulheres e homens adultos). Está instalado na região anterior o músculo do coraçlio, danificando-o; por isso, deve-se tomar
do tórax, entre os pulmões, por trás da parede estemocostal, na cuidados especiais ao inserir,porexemplo,Ren-14 (Juque), Ren- 15
parte média do mediastino médio inferior, acima do diafragma, (Jiwei), R-21 (Yo111nen), E-19 (Burong).
sobre o qual repousa, e à frente da coluna vertebral; estende-se
em área do segundo ao sexto espaço intercostal e da área paraes- Estômago
ternal direita até quase à linha mamilar esquerda, sua maior porção
fica a esquerda (dois terços) do plano mediano (Fig. 1.94, A). O estômago segue o esôfago como um alargamento do tubo diges-
tivo, formando uma espécie de bolsa em forma da letra J maiúscu-
Dispõe-se obliquamente tomando a base medial e o ápice
la. Topograficamente, o estômago fica na região epigástrica, na
lateral. Apresenta três eixos: longitudinal (de cima para baixo com
parte superior e central do abdome, logo abaixo do diafragma, no
aproximadamente 12cm de comprimento); transversal (orientado
lado esquerdo da cavidade abdominal. Superiormente, comunica-se
da direita para a esquerda, 9cm de largura em sua parte mais am- com o esôfago pela cárdia, região que recebe esse nome pela pro-
pla); posteroanterior (correspondente à sua amplitude, 6cm de ximidade com o coração. A comunicação deste órgão com o intes-
espessura). O eixo longitudinal é o maior, oblíquo, e forma um tino deve-se ao piloro (Fig. 1.95).
ângulo de aproximadamente 40° com o plano horizontal e também Costuma ser dividido em dois segmentos (superior, segmento
com o plano mediano do corpo. vertical, e inferior, segmento horizontal) e três porções: fundo
Percebido como um ponto por sua pulsação, o ápice do cora- (porção mais alta, ligeiramente posterior à sexta costela esquerda),
ção situa-se no quinto espaço intercostal, 6cm à esquerda da linha corpo (entre fundo e antro) e antro (entre corpo e piloro). A cur-
estemal esquerda. À direita, o coração apresenta três pontos de vatura menor, côncava para a direita, situa-se na borda direita; a
referência: o limite mais baixo do coraçlio descansa no diafragma, curvatura maior, convexa para a esquerda, situa-se à esquerda.
à sétima articulação esternocostal; um ponto na borda superior da A forma, a posição e o tamanho do estômago sofrem alterações
terceira cartilagem costal direita, a !cm da linha estemal direita; constantes, dependendo da fase particular do processo digestivo, do

A B

Figura 1 .94 - Região frontal do abdome, mostrando a localização dos órgãos internos. salientando o coração (A) e as relações
de coração, vasos sanguíneos e parede torácica anterior (8).
40 - MÉTO D O DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Intestino delgado
Representa a parte mais longa do trato gastrintcstinal (de 5 a 6m
de comprimento). Recebeu o nome de intestino delgado por ser
estreito (apenas 2 a 4cm dediâmetro),comp arado com o intestino
grosso (6cm de diâmetro).
O intestino delgado consiste de três partes distintas. O duode-
no, sua menor pane, posicionado após o estômago, seguido por
jejuno e aeo.
O duodeno, a parte inicial do intestino delgado, apresenta-se
como um tubo fixo de aproximadamente 2 a 3cm de diâmetro e
25cm de comprimento. O duodeno é um órgão retroperitonial , por
se localizar quase totalmente posterior ao peritônio.
Possui a forma de um G dividido em quatro partes (superior,
descendente, inferior, ascendente). Sua parte superior é horizontal,
estendo-se do piloro (separada pelo esffncter pilórico) à linha la-
teral direita; a parte descendente corre mediaimente à linha lateral
direita , ela linha transpilórica a um ponto na metade da distância
entre as linhas transpilórica e transtubercular. A parte horizontal
dirige-se à esquerda, com leve angulação superior à extremidade
da pane descendente da linha mediana; a parte ascendente é verti-
cal, alcançando a linha lranspilórica cerca de 2,Scm à esquerda da
Linha mediana, onde termina na flexura duodenojejunal.
Os segmentos do intestino delgado ocupam a região frontal
do abdome. A maior parte dos segmentos do jejuno (cerca de 2,5m
Figura 1.95 - Região frontal do abdome, mostrando a locali-
zação dos órgãos internos. salientando o estômago.

estado das vísceras circunvizinhas, da quantidade e do caráter de


seus conteúdos; seu volume varia de 50mL (vazio), expandindo-se
até cerca de 1L depois de uma refeição, podendo chegar até 4L.
A superfície do estômago não pode ser indicada com precisão;
quando este órgão fica moderadamente preenchido e o corpo
permanece na posição supina, a cárdia localiza-se posterior à sé-
tima cartilagem costal esquerda, aproximadamente 2,5cm laterais
ao esterno (correspondendo ao nível ela décima vértebra torácica).
O piloro coloca-se cerca de lcm à direita da linha mediana, na
linha transpilórica (situada no nível da primeira vértebra lombar),
ou Sem abaixo da sétima articulação estemocostal direita. A de-
nominada curvatura menor é representada pela linha curva,
convexa, descendente e à esquerda, unindo a cárdia ao piloro. Na
esquerda, a linha começa no quinto espaço intercostal ou a sexta
cartilage1n costal, um pouco abaixo do ápice do coração. A cur-
vatura maior, representada por uma linha curva descendente e
lateral, estende-se do quinto espaço intercostal (acima da sexta
costela esquerda) e desce para a esquerda, virando finalmente em
direção medial ao piloro.
A porção do estômago que entra em contato com a parede
abdominal representa grosseiramente uma área triangular; a base
desta área é formada por uma linha desenhada da ponta da décima
cartilagem costal esquerda para a ponta da nona cartilagem costal
direita; suas laterais são representadas por duas linhas traçadas ela
extremidade da oitava cartilagem costal esquerda para a extremi- Figura 1.96 - Região frontal do abdome, mostrando a locali-
dade da linha-base. zação dos órgãos internos, salientando o intestino delgado.
MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 41
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
O cólon ascendente sobe pela região lombar direita em di-
reção cranial, lateral à linha lateral direita, fixado à parede
posterior do abdome; sobe até o fígado e, sob este, dobra para
continuar no cólon transverso. A ílexura cólica direita está situa-
da no ângulo superior e direito da intersecção das linhas
subcostal e lateral direita, marcando o limite entre cólon ascen-
dente e transverso. O cólon transverso cruza o abdome nos
limites das regiões umbilical e epigástrica, sua borda inferior
situa-se num nível ligeiramente acima do umbigo; sua borda
superior, exatamente abaixo da maior curvatura do estômago. A
Hexura cólica esquerda marca o limite entre cólon transverso e
descendente. O cólon descendente, fixado à parede posterior do
abdome, segue em trajeto aproximadamente venical do ângulo
esquerdo superior da intersecção entre as linhas lateral esquerda
e transpilórica para baixo, pela região lombar esquerda, lateral
à linha lateral esquerda, até a crista ilíaca. O cólon sigmoide
segue da extremidade do cólon descendente à linha lateral es-
querda em trajeto sinuoso, dirigindo-se para o plano mediano da
pélvis , sendo seguido pelo reto.
O reto, a parte final, estreitada, denomi nada canal anal, abre-
·se no exterior através do ânus.

Fígado e vesícula biliar


O fígado, o maior órgão do corpo humano, situa-se na cavidade
Figura 1.97 - Região frontal do abdome, mostrando a locali· abdominal, abaixo do diafragma, na área subcostal direita, late-
zação dos órgãos internos, salientando o intestino grosso. ralmente ao estômago; estende-se pela linha média na área epigástri-
ca, anteriormente à vesícula biliar, protegido pelas últimas costelas.
O limite superior do lóbulo direito do fTgado nonnal, na linha medi-
de comprimento, com inõmeras curvas ou asas intestinais) si-
ana, situa-se ao nível da sínfise xifocstemal; à direita, a linha deve ser
tua-se no quadrante superior esquerdo (Fig. 1.96).
O íleo, porção final do intestino delgado, constitui-se de sua levada para cima, até a quinta cartilagem costal na linha mamáóa,
parte mais longa, medindo cerca de 2 a 4m de comprimento, e segue para baixo até a sétima costela na lateral do tórax (dois terços
< )

também descreve inõmeras curvas. O íleo situa-se à direita (regiões de seu volume estão à direita da linha mediana e um terço à esquerda
lombares e ilíacas direita, na região inferior da cavidade abdomi- da linha mediana). O Fígado é duplamente revestido pelo peritônio
nal, na metade direita da região umbilical, na região hipogástrica); (parietal e visceral), que o fixa e o sustenta (Fig. 1.98, A).
uma porção do Oeo fica dentro da pelve. A extremidade do íleo, a Este órgão apresenta duas faces: a diafragmática (em contato
junção ileocecal, fica ligeiramente abaixo e medial à intersecção com o músculo diafragma) e a visceral (voltada para as vísceras
das linhas lateral direita e transtubcrcular. abdominais. Divide-se em quatro lobos anatômicos: dois maiores
e dois menores: direito, esquerdo, quadrado e caudado. Os lobos
direito e esquerd.o unem-se, na face anterossuperior, pelo ligamento
Intestino grosso falciforme; e fazendo a junção entre fígado e músculo diafragma
O intestino grosso, tubo musculoso, mede cerca de l ,Sm de compri- há dois ligamentos: triangular e coronário.
mento; divide-se em ceco, cólon ascendente, cólon transverso, cólon O limite superior do lóbulo esquerdo pode ser definido conti-
descendente, cólon sigmoide e reto. A saída do reto chama-se ânus nuando esta linha para baixo e à esquerda para a sexta cartilagem
e é fechada por um mõsculo que o rodeia, o esfíncter anal (Fig. 1.97). costal, 5cm da linha mediana. O limite inferior pode ser indicado
O ceco localiza-se nas regiões ilíaca direita e hipogástrica; sua por uma linha desenhada, lcm abaixo da margem inferior do tórax,
posição varia com seu grau de distensão, mas o ponto central de no lado direito, até a nona cartilagem costal, obliquamente para
uma linha tirada da espi nha ilíaca superoanteriordireita à margem cima, para a oitava cartilagem costal esquerda, cruzando a linha
superior da sínfise púbica indica aproximadamente o meio de sua mediana anterior acima do plano tr.1nspilórico e, finalmente, com
borda inferior. uma leve convexidade esquerda para a extremidade da linha que
A posição da base do processo vermiforme é indicada por um indica o limite superior. A margem inferior do lobo direito apre-
ponto na linha lateral no nível com a espinha ilíaca superoanterior. senta um contato com o intestino grosso.
42 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.98 - Região frontal do abdome,


mostrando a localização dos órgãos inter-
nos, salientando ligado (A) e vesícula
biliar (8) .
A B

Nos casos de aumcnlo de volume do Cígado, esle órgão emer-


ge abaixo da margem costal direita, estendendo-se também mais
amplamente na área epigástrica.
A vesícula biliar, órgão oco de paredes musculosas, é uma
pequena bolsa de armazenamento em forma de pera, que contém
a bile produzida pelo ffgado. Mede cerca de Sem de comprimento
e 3cm de largura. Apresenta um único orifício de entrada e saída,
(
através do qual se comunica com o dueto cístico. O fundo da )

vesícula biliar chega à superffcie atrás da extremidade anterior da


nona cartilagem costal direita, próximo da margem lateral do
músculo reto abdominal (Fig. 1.98. 8).

Baço e pâncreas
Baço
O baço situa-se logo abaixo da hemicúpula diafragmática esquer-
da, na região do hipocôndrio esquerdo, entre o fundo do
estômago e o diafragma, sob nona, décima e décima primeira
costelas, proLegido por csLas; sua cxLrcmidade cranial eslende-se
na região epigástrica, seu longo eixo é mapeado na décima coste-
la; verticalmente, siLua-se entre a borda superior da nona costela
e a borda inferior da décima priineira costela. O ponto mais alto
fica 4cm da linha med.iana das costas, ao nível da ponta do nono
processo espinhoso torácico; o ponto inferior fica na linha axilar
média, ao nível do primeiro processo espinhoso lombar (Fig. 1.99).
Apresenta duas faces: visceral (em íntimo contato com as
vísceras) e diafragmática (em Cntima relação com o diafragma). Figura 1.99 - Região frontal do abdome, mostrando a locali-
O baço possui íntima relação com o rim esquerdo. zação dos órgãos internos, salientando o baço.
MÉTODO DE LOCAUZAÇÁO DOS PONTOS - 43
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
No caso de aumento do baço, ele se estende anterior e inferionnen- peritônio e a parede posterior do abdome. Apresenta aproximada-
te, e aexlremidade emage abaixo e à frente da margem oostal e.squerc!a; mente 11 cm de comprimento, S a 7,Scm de largura e pouco mais
em casos extremos, pode se esrender até a fossa ilíaca direita. que 2,5cm de espessura. O rim direito encontra-se logo abaixo do
fígado e o esquerdo abaixo do baço. Devido ao grande tamanho
Pâncreas do lobo direito do fígado, o rim direito situa-se, normalmente,
O pâncreas é um órgão glandular de forma alongada e cônica, cerca de 1cm abaixo do esquerdo; entretanto, para propósitos
achatado no sentido anteropostcrior, com comprimento entre 12,5 práticos, são tomadas marcas de superfície semelhantes para cada
a l Scm. Situa-se transversalmente na parte superior da cavidade um deles (Figs. 1.100 e 1.101, A).
abdominal, posterior ao estômago, na frente da segunda vértebra Estão localizados na parede abdominal posterior, por isso são
lombar. Apresenta duas faces (anterior e posterior) e bordas supe- descritos como órgãos retroperitoneais. Estendem-se entre a décima
rior e inferior. O pâncreas divide-se em cabeça (ocupa a curva do primeira costela e o processo transverso da terceira vértebra lombar.
duodeno), colo, corpo (dividido em três partes: anterior, posterior O polo superior de cada rim está encostado nas décima primeira e
e inferior) e cauda. A cabeça do pâncreas (porção mais larga) situa- décima segunda costelas. Na região frontal do abdome, o polo su-
-se interiormente à curvatura do duodeno, é indicada pelas mesmas perior fica na metade da distância entre o plano da extremidade
linhas citadas neste órgão; o colo do pâncreas corresponde ao inferior do corpo do esterno e o plano uanspilórico, Sem distantes
piloro e o corpo do pâncreas (porção central e mais extensa) cru- da linha mediana. O polo inferior está situado na metade da distân-
za a cavidade abdom.inal, projetando-se à esquerda, por trás do cia entre o plano transpilórico e intertubercular, 7cm distante da
estômago e à frente da coluna vertebral; estende-se ao longo da linha mediana. Seus limites das linhas médias direita e esquerda
linha transpilórica, sua extensão total repousa sobre esta linha; a distanciam-se, traçando uma linha vertical afastada um dedo de
cauda (porção mais fina e estreita) prolonga-se ligeiramente à distância; lateralmente, traça uma linha vertical Sem distantes da
esquerda do abdome, na região esquerda do hi pocôndrio e acima linha média.
da região transpilórica, próximo do baço. Por isso, pontos do Canal de Bexiga acima de B-24 (Qihaishu)
O pâncreas possui íntima relação com o estômago e com o devem ser inseridos obliquamente, em direção à coluna vertebral,
cólon descendente. já que a i nscrção perpendicular pode lesar o rim.

Rins Bexiga
Os rins formam um par de órgãos excretores em forma de feijão A bexiga, um órgão muscular oco, elástico, localizada, quando
cm cada lado da coluna vertebral, logo acima da cintura, entre o vazia, inferiormente ao peritônio, atrás da sínfise púbica; nos

Figura 1.100 - Regiões dorsal (A) e frontal


(B) do abdome, mostrando a localização
dos órgãos internos, salientando os rins.

A B
44 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.101 - Região frontal


do abdome, mostrando a loca-
lização dos órgãos internos,
salientando aparelho urinário
(A) e bexiga (8').

A B

homens, situa-se diretamente anterior ao reto e, nas mulheres, à


frente da vagina e abaixo do útero (Fig. l .10 l, 8).
Como funciona como um reservatório temporário para o ar-
mazenamento da urina, quando cheia, sua superfície interna fica
lisa e se eleva para a cavidade abdominal.
O tamanho da bexiga depende da quantidade de urina em seu
interior; quando cheia, estende-se acima, na área bipogástrica,
possivelmente próximo a Ren-4 (Guanyuan). É aconselhável
pedir ao paciente para esvaziar a bexiga antes da inserção de
agulha nessa área.

Vasos sanguíneos e 1tervos


Cada parte do organismo necessita de fornecimento de oxigênio,
substâncias nutritivas e hormônios, além de eliminar os produtos
finais do metabolismo (excretas como C02 e ureia) até os órgãos
responsáveis por sua eliminação. Este trabalho é exercido pelo
aparelho circulatório. Os vasos sanguíneos são tubos (artérias,
veias e capilares) distribuídos por todo o corpo, por onde o sangue
circula (Figs. l.102 e l.103).
Alguns pontos de acupuntura situam-se próximos de vasos san-
guíneos maiores. Quando um vaso é inserido por agulha (mais para
artérias, que para veias), isso resulta em sensação de pontada ou dor;
diferente da sensação de deqi (chegada do qi) , caracteriza-se por
sensação de peso, entorpecimento ou dor. Se a inserção da agulha
penetrar um vaso, retire-a e recoloque, mudando a direção.
Para promover ajustamento do organismo ao ambiente, per-
cebendo e identificando as condições ambientais externas e as Figura 1.1 02 - Região frontal do organismo, mostrando o
condições intenas do próprio organismo e elaborar respostas que sistema circulatório.
MÉTODO OC LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS - 45
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.103 - Regiões dorsolateral (A) e frontal


(B) do organismo, mostrando o coração e as
artérias.
46 - MÉTODO DE LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Figura 1.10 4 - Regiões frontal (A) e dorsolateral (8) do corpo humano, mostrando
a distribuição dos órgãos Internos, salientando os sistemas nervoso e circulatôrlo.

se adaptem a essas condições, o sistema nervoso também está prestando-se atenção à sensação induzida pela inserção da agulha.
distribuído por todo o organismo (Fig. 1. 104). Quando ocorrer sensação elétrica, isso indica estimulação direta
Ourante a prática clínica, a inserção da agulha deve ser diri- de um nervo, até certo ponto aceita como chegada antecipada do
gida de fonna a evitar lesão de nervo. O risco de lesar nervos que qi (deqí); evite, nesses casos, manipulação da agulha. Se a sensa-
se situam próximos de nervos maiores pode ser minimizado, ção for muito forte, retire a agulha e recoloque, evitando o nervo.
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Capítufo2
48 - CANAL D E ENERGIA DO PULMÃO (TAIYIN DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Canal Principal
Origina-se no Jiao (Aquecedor) Médio, na região do
estômago, recebendo sua Energia do Canal Principal
do Fígado; desce para se conectar com o intestino grosso.
p
Retoma ao estômago, passando pelo orifício da cárdia;
atravessa o diafragma; penetra o pulmão (órgão a ele
associado); sobe à região da garganta•; daí, desce inter-
na e obliquamente na direção anterolateral do tórax ,
emerge no ponto P-1 (Zho11gfu); sobe o espaço de um
c11n ao ponto P-2 (Y11nmen), na depressão do triângulo
deltopeitoral. Segue ao longo do aspecto anterolateral
da região superior do braço, lateral aos Canais Principais
do Pericárdio e do Coração, passando por P-3 (Tianfu)
e P-4 (Xiba[), respectivamente, 3 e 4 cun abaixo da ex-
tremidade anterior da prega axilar; segue para a fossa
cubital do cotovelo em P-5 (Chize), do lado radial do
tendão do músculo bíceps braquial . Continua ao longo :S 00
do aspecto anterolateral do antebraço, em direção à cio
margem anterior do processo estiloide do rádio, passan-
do por P-6 (Kongwi), 7 cu11 acima de P-9 (Taiyttan); ;2
i
alcança P-7 (üeqtte) na depressão entre os tendões dos t
músculos abdutor longo do polegar e braquiorradial.
Segue a borda da artéria radial do punho, passando por
P-8 (Ji11gqu), 1 cun acima da prega transversa do punho,
até P-9 (Taiyuan), do lado radial da prega anterior do
punho, onde penetra. Atravessa a eminência tenar, emerge
sobre os músculos tenares, continua ao longo da borda
radial; passa por P-10 (Yuji), no ponto médio da face
palmar do osso metacarpal 1, e termina no ângulo radial
do polegar no ponto P-11 (Shaosha11g).
Relaciona-se com os seguintes órgãos internos :
• Estômago.
• Pulmão.
• Intestino Grosso.
Relaciona-se com os seguintes Canais Principais :
• Do Intestino Grosso. transferindo sua Energia (P-7
~ IG-1), anastomose Yin-Yang.
• Do Baço, recebendo um ramo superficial (Ba-20 ~
P- 1, eixo Taiyin), anastomose Yin-Yin .
• Do Fígado, recebendo parte de sua Energia (primeira
circulação do Ying Qi em profunda ligação Yin-Yin),
estabelecida por ramo interno, que se inicia no Fí-
gado e passa através do diafragma para se espalhar
no Pulmão, onde se liga com o Canal Principal do
Pulmão** .
Pontos de Intersecção do Canal Principal:
• Nenhum.

• Segundo Sulinas er ai., 2000 (p. 73) e Yitian Ni, 1996 (p. 16), na
garganta, passa próximo a Ren·22 .
•• De acordo com o capítulo 16 do ling Shu, 1995 (p. 234), rclociooa·llC
com Rui Mai e Du Mai (segunda cin:uluçiío do Ymg Q1).
CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYINOA MÃO) - 49
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Canal de Conexão
A partir da borda lateral do rádio, acima do processo
estiloide, um pequeno ramo colateral separa-se do
Canal em P-7 (l.ieque), encaminha-se diretamente à
face radial do dedo indicador, para se 1igar com o Canal
Principal do lntestino Grosso (interior-exteriormente ~...
,
relacionado), no ponto IG-1 (Shangyang).
O ramo longitudinal segue para a palma e se dis-
semina na cmi nência tcnar.
Quando este Colateral está comprometido, pode
ocorrer sensação de calor na palma e no dorso da mão
nos casos de Excesso, bocejos e excesso de urina nos
casos de Deficiência• .

• Shl X•t·mln'1 CtNnprthtnSiV< Twbooot of AcMpunct•n and MoxJ-


hwtion, '1007 (p. 63).
50 - CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO (TAIYIN DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

p Canal Muscular
Origina-se cm P-11 (Shaosha11g), na margem ungueal
radial do polegar. Sobe ao longo da face radial do po-
legar, para ligar-se na eminência tenar. Circunda os
1núsculos tenares. Segue encontrando P-9 (Taiyua11)
para se ligar à borda radial do punho. Continua pela
face anterolateral do antebraço, a fim de se unir no
meio da prega do cotovelo (tendão do bíceps), em P-5
(Cltize). Daí, segue o músculo bíceps braquial; cobre
as fibras anteriores do músculo deltoide, liga-se ao
aspecto anterior do ombro, próximo à articulação acro-
mioclavicular. Penetra na cavidade torácica, passando
abaixo da axi la*; faz um trajeto sob o mõsculo peitoral
maior e emerge em frente da clavícula; o Canal faz
conexão na região anterior do ombro, anteriormente
ao ponto 10 - 15 (Jianyu). Acima, na região de E- 12
(Quepe11), penetra o centro da fossa supraclavicular,
desce no tórax, atravessa o diafragma, ramifica-se;
espalha-se pela cárdia do estômago, a fim de convergir
nas costelas flutuantes.
Quando este Canal está desequilibrado, os sintomas
incluem: convulsão e dor intensa na área cm que ele
passa, massa no hipocôndrio direito com fluxo inver-
tido do Qi, massas pulmonares e hemorragia••.

Conexões d o Canal Muscular d o Pulmão


com os outros Canais Musc ulares:
• Do Coração e do Pericárdio***.
Pontos de Encontro do Canal Muscula r
y;,. da mão:
• VB-22 (Yiianye), 3 cw1 abaixo da axila, altura do 4°
espaço intcrcostal .

• Para Salinas <tal•• 2000(p. 77).cm dircçlo a VB·22 (Yuanyc), poo-


IO de Encontro dos Canais Musculares l'in da Mio .
•• Shi Xue·min ·, Comprelu:nsfr• Tutbook o/ At •puncture and Moxi·
bustlon, 2007 (p. 71 ) •
••• Mnciocia, 2008a (p. 250).
CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO) - 51
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Canal Divergente
Diverge do Canal Principal do Pulmão e, no aspecco anterior da fossa axilar (próximo a VB -22 [Yt1a11yel), segue anteriormente ao
Canal do Pericárdio para dentro do tórax; conecta-se com o pulmão e desce para o intestino grosso. Um ramo sobe do pulmão, emer-
ge na fossa supraclavicular, segue o aspecco lateral da garganta (entre as cabeças cstcrnal e clavicular do músculo
estemocleidomastóideo) e converge com o Canal Principal do lnteStino Grosso no pescoço, na área do ponto IG-18.
52 - CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

P-1 (Zhongfu) - Palácio Central


• Ponto Mudo Pulmão.
• Ponto de Encontro com o Canal do Baço.
• Importante para o tratamento de doenças respiratórias.
p
CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO) - 53
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

p
Locaüw,ção
Região superolateral do tórax, 6 c11n laterais à linha
mediana anterior, no primeiro espaço intercostal, li-
geiramente medial ao limite inferior do processo
coracoide da clavícula, l cu1i abaixo de P-2 (Yunmen).

Nota de localização
Tendo como referência anatômica o centro do triângulo
deltopeitoral, deslize o dedo 1 c11n para baixo, pela
margem do músculo deltoide, ou meça 6 c11n a partir
da linha mediana anterior, na altura do músculo deltoide
na clavícula (ver Cap. 1, Triângulo deltopeitoral).

Método
0,3 a 0,8 cun, em direção à face lateral do tórax.

Funções energéticas
• Regula, hannoniza, circula, promove e desce o Qi
do Pulmão.
• Descongestiona o Qi do Júw Superior, aliviando
tosse e falta de ar.
• Elimina o Calor patogênico, transforma a Fleuma e
. ,
regula a Via das Aguas.
• Dispersa a plenitude do tórax.

Indicações
Tosse; dispneia; asma; bronquite; pneumonia; plcurite;
enfermidades cardiopulmonares; tuberculose pulmo-
nar; tonsilite; infecção aguda e febril com congestão
da garganta; dor em região e scapular, costas, lateral do
tórax e região anterior do ombro; dor/plenitude/opres-
são torácica; neuralgia intercoslal.

Exe1nplos de combinações
• B-44: plenitude torácica.
• Ren- 17, P-5: asma.
• C-9: dor torácica.
• Reo- 16: constrição esofágica, com dificuldade de
ingestão e vômito.
• P-9, E-36: tuberculose pulmonar.
54 - CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO (TAIYIN DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

P-2 (Yunmen) - Porta das Nuvens

p /
CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO (TAIYINOA MÃO) - 55
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Locali11lção
Região superolateral do tórax, na borda inferior da
clavícula, 6 cun laterais à linha mediana anterior, oo
centro do triângulo deltopeitoral, onde se palpa a arté-
ria subclávia.

Nota de localíIPção
Para evidenciar o triângulo deltopeitoral. peça ao pa-
ciente para colocar a mão no quadril, inclinando o
ombro para trás (ver Cap. 1, Triângulo dcltopcitoral).

~ Método
~
~ 0,5 a 0,8 cun, em direção à face lateral do tórax.
l Funções energéticas
s:
• Estimula a função de descida e dispersão do Pulmão.
• Alivia tosse e asma e reduz a febre.
• Dispersa a plenitude do tórax.

Indicações
Tosse; dispneia; asma; bronquite; pneumonia; dor/
opressão/plenitude torácica; dor abdominal, oo bn1ço
e nas costas; dor da região escapular; inílamação peri-
focal do ombro; alterações do Canal do Pulmão, tal
como síodro1ne da obstrução dolorosa do ombro, co1n
incapacidade de abduzir o braço.

Exemplos de combinações
• P-6: bronquite aguda.
• E-9 , R-25: tosse intensa com dispneia sem remissão.
• E-9 t R-251 Ren-22' t P- 1'
Ren-20 'B-37 Ren-17
'
Ren-21, IG-3: asma brônquica.
• P-2, Ba- l , F-14, B-13, B-47, Pc-7: dor torácica. P-2
• Moxa em P- 1, P-2, P-3, Ren-20, B- 13: dispneia. 1cun/
P-1 I
I
56 - CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO (TAIYIN DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

P-3 (fianfu) - Palácio Celeste


• Ponto Janela do Céu.

p
CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO (TAIYINDA MÃO) - 57
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
Localiuzçã-0
Numa depressão dolorosa, na face anterolateral do
braço, na margem radial do bíceps braquial, 3 cun
distais à prega axilar anterior.

Nota de localiuzção p
Dividir a distância entre a prega axilar anterior e a
prega do cotovelo em três panes iguais, o ponto situa-
-se na junção do terço superior com o terço médio. Uma
maneira simples de achar sua localização: o paciente
estende o braço em direção ao rosto, a ponta do nariz
toca o ponto•.

Método
0,3 a 0,5 cun.
Funções energéticas
• Regula e resfria o Qi do Pulmão.


Elimina o Calor patogênico do Sangue e alivia epistaxe.
Expele o Vento.
---
/
• Tranquiliza o Po , apresentando efeito psicológico -
poderoso sobre todas as alterações emocionais de-
-
correntes de desarmonia do Pulmão.

Indicações
. ----i
Tosse com catarro amarelo ou sangue, dispneia, asma, -
bronquite, resfriado, sensação de plenitude/opressão -
torácica, bócio, sede brusca, epistaxe, precordialgia,
dor/inchaço/rubor na face medial do braço, patologia
-
cerebrovascular, vômito, malária, vertigem, estados -
mentais depressivos e maníacos, tristeza sem causa,
estado de torpor, depressão, memória fraca, dis-
túrbios dos sonhos, amnésia, agorafobia, confusão -
-
menta.!, delírio.

Exemp/()S de combinações
• IG-4: cpistaxe.
• Du-20, IG- 11, P-7: amnésia.
• SJ-13, E-11: bócio, tumor do pescoço com garganta
inflamada.
• Moxa e1n P-1, P-2, P-3, Ren-20, B- 13: dispneia.
• Moxaem Ren-22, P-2,IG- 14,IG-11,F-4,Ren-17,
YB-20, Du-14, E-11, SJ-13, P-3, E-42: bócio simples.
• E-36, Ba-3, Ren-6, B-20, B-2 1, Du-20 , C-7, B-15,
B- 13, B-44, 8 -42: mente enfraquecida por Defi-
ciência de Qi.
• R-27, R-25: dispneia e falia de arem decorrência de
Qi Invertido.

• u Ding. l996 (p. 93).


58 - CANAL D E ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

P-4 (Xiabai) - Branco Pressionado

p
CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO) - 59
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Localiwção
Face anterolateral do braço,4 cun distais à prega axilar
anterior, na face radial do músculo bíceps braquial.

Nota de localização ...


Dividir a distância entre a prega axilar anterior e a
prega do cotovelo em duas partes iguais (ver Cap. 1,
Determinação do ponto médio de um lrecho longo);
o ponto situa-se O,5 cun proximal ao ponto médio.
Antigamente, para localizar o ponto, pressiona-
~ va-se os braços contra o tórax; o ponto situa-se onde
~. o braço toca o mami lo pintado com tinta preta.

gg
!:! Método
~
!;; 0,3 a 0,5 cun .

Funções energéticas
• Regula o Qi do Pulmão, promovendo sua descida.
• -
-
• Regula Qi e Sangue do tórax.

Indicações
- -
<
Tosse, asma, dispneia, bronquite, pleurite, epistaxe, dor
no ombro irradiando-se para o braço, dor na face medial
do braço, taquicardia, opressão/plenitude torácica, vômi-
- - >

to sem ingestão de comida, náusea, dispepsia, angústia.

Eu mplos de combinações
-
• C- 1: dor torácica com enjoo, irritação e sensação de
plenitude.
• 8 - 17, F-13: perfuração aguda de úlcera gástrica e
duodenal com dor corácica, tosse seca e irritabilidade.
• IG - 16, SJ- 17, P-5, SJ-6, C-7, Pc-7: tranquiliza a
mente por meio da alimentação do sangue, amacia
os tendões e drena o Canal.
60 - CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

P-5 (Chize) - Pântano de um Pé


• Ponto He (Mar) do Canal.
. ,
• Movimento Agua.
p • Ponto de Dispersão do Canal.

)
CANAL DE ENERGlA DO PULMÃO (TAIYINDA MÃO) - 61
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
Loca/ir.ação
a depressão da face lateral do tendão do ml1scu lo
bíceps braquial, ao nível da prega do cotovelo.
Nota de loca/ir.ação
p
O tendão do músculo bíceps braquial fica evidenciado
com ligeira nexão do antebraço. O ponto deve ser lo-
calizado e inserido com a mão aberta e o cotovelo
ligeiramente Hexionado (ver Cap.l, Tendão do músculo
bíceps braquial). E.~ra região é vascularizada pelos ramos
de artéria e veia radiais recorrentes e veia cefálica.
Método
05 a 0,8 cun ou sangrar com agulha triangular•.
Funções energéticas
• Dispersa, elimina Calor e Vento do Jiao Superior.
• Desce o Qi, aliviando plenitude do Qi do tórax.
• Regula e abre a Via das Águas e beneficia a Bexiga.
• Relaxa os tendões do braço ao longo do Canal e
beneficia o cotovelo.
l ndicações
Tosse, asma, dispneia, hemoptise, pneumonia, pleurisia, •
escarro hcmoptoico, hematêmese,expectoração amarela,
sede, epicondilite, bronquite, coqueluche, dor e edema
de garganta, dor/opressão/plenitude torácica, edema e
dor cm cotovelo e braço, agitação psíquica. initabilidadc,
preocupação, tristeza, febre vespertina, febre recorrente,
doença das vias urinárias, convulsão infantil, mastite
aguda, erisipela.
Exen1plos de combinações
• 10- 11 : elimina o Calor do Pulmão, estimula ades-
< >
cida, dor/espasmo do cotovelo.
• P-9: pcriartrite da articulação do ombro.
• Pc-3: linfangite aguda.
• Ren-22: tosse.
• P-7: laringofaringite ou tosse.
• R-7: Calor do Pulmão danificando Fluidos Corporai .
• R-6: desobstrui o Pulmão e alivia a garganta.
• Sangrar B-40: erisipela.
• 10-11, Ba-10, B-40: eczema seco de bebê.
• P-6 e 10-16: catarro hemóptico.
• P-1 O, E-40: 212 estágio da coqueluche.
• Du-14, N-DC-6 (Jiehex1te - 3,.5 c1tn lateral a Du-14),
Rcn-20, Ren-2 1: tuberculose pulmonar.
• B-13, B-43, E-36, N-DC-6 (Jiehex11e - 3,.5 cun la-
terais a Du-14): tuberculose pulmonar.

• ~undo o lllMsrratiOfl of ClotlnMls and l'tJillU for Aálp'°""'4tt and


Mo:cibustion and Qi&ong (1992). livro de n:fcitnci• cin ocupunlura
e Qigong da EdilOra de Ciência e Tecnologia de Hunan. China.
62 - CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

P-6 (Kongzui) - Buraco Convergente


• Ponto de Acúmu lo (X1) do Canal.

p
CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO (TAIYINOA MÃO) - 63
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

p
Localiuzção
Face radial da superffcie palmar do antebraço, na linha
de união do ponto P-5 (Chize) a P-7 (Lieq11e); 7 c1m
acima do espaço da articulação da mão, no punho.

Nota de locali.zoção
Divida a distância entre P-9 (Taiyuan) e P-5 (Chi'll!) pela
metade (verCap.I, Tendão do mdsculo bíceps braquial),
o ponto localiza-se 1 cun acima do ponto médio.

Método
0,5 a 0,8 cun.
- -.. •
Fu11ções energéticas - ...
• Regula e harmoniza o Qi do Pulmão, desce o Qi - ...
invertido e auxilia a função de dispersão, alivia - .
tosse.
Dispersa Calor do Pulmão e do Sangue, reduz a
febre e interrompe sangramento.
-~
.
1 cun _ ..·.1--

.
··-\--
..
• Domina a abenura e o fechamento de poros.
• Promove a circulação de Sangue.
- ..
-~
• Alivia as condições externas agudas.
- "..

Indicações .

Tosse com catarro amarelo. viscoso e eventualmente


.•
com sangue; infecção febril; asma; hemoptise; dispneia; --
dor no tórax; pneumonia; tuberculose; crise asmática
agravada; dor em cotovelo e braço; gripe; cefaleia;
tonsilite; laringite; afonia; dor na face anterior do pes-
coço; epistaxc; hemorroidas hemorrágicas.

Exemplos de combinações
• B- 13, P- 1, P-7, R-6, B-17: tosse com sangue.
• E-36, Ba-6, Ren-4, Ren-3, R-3: hemorragia uterina
d isfuncional.
• ID- 17. lG-4: dor de garganta.
• Du- 14, P-5, E-40: tosse espasmódica.
• 8 - 13, Ren -22, Du- 14: febre alta, tosse e dor torácica.
• P-7, B- 13, P-1 , Ren-22, Re n-1 7, E-40, Pc-6: bron-
cos pasmo.
• B- 13, IG- 11: hemoptise.
64 - CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

P-7 (Lieque) - Brecha Divergente


• Ponto de Conexão (luo) do Canal.
• Ponto de Abertura do Ren Mai.
p • Ponto Estrela Celestial de Ma Dan Yang.
• Ponto de Comando (Gao W11) para a região da nuca.

(,

I
CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO) - 65
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
Localiuzçã-0 Exemplos de combinações
Na face radial do anLebraço, diretamenLe proximal ao • Ba-6: enurese. ,
processo estiloide do rádio , 1~ cun acima do ~paço da • Ba-9: abre a Via das Aguas, trata retenção urinária
articulação da mão no punho, laternlmenLe à artéria radial , e dor durante a micção.
numa pequena depressão entre o músai lo braquiorradial • B-63: abre a Via das Águas, promove micção e ces- p
e o tendão do músculo abdutor longo do polegar. sa dor urinária.
• IG-4: invasão por Vento-Frio e Vento-Calor ou res-
Nota de localiwção
tabelece a descida do Qi do Pulmão e alivia ou
Faça os dedos indicador e polegar de uma de suas mãos consolida o Exterior, pode também fortalecer o Qi
cruzarem o dedo indicador e o polegar da mão do pa-
Defensivo.
ciente. A ponta de seu dedo indicador direcionada para
• ID-3: cefaleia, dor e rigidez cervical.
o processo estiloide encontra o ponto numa pequena
• R-6: inflamação da garganta, tosse, asma, edema da
depressão (espaço entre os tendões dos músculos abdu-
tor longo do polegar e braquiorradial). Este espaço é face, olhos secos; problema da fala , laringite e sín-
facilmente percebido deslizando-se o dedo. drome do climatério.
Esta região é vascularizada pela veia cefálica e pelo • IG-20: obstrução nasal, rinorreia.
ramo da artéria radial. • VB-20: elimina o Vento e alivia dor.
• P-9, B-13, E-40, B-20, E-36: tosse.
Método
0,3 a 0,8 c1111, inserção em direção à articulação do
cotovelo ou ao dedo indicador (levantar a dobra cutâ-
nea, beliscando).

Funções energéticas
• Principal ponto para dispersar o Vento patogênico.
• Harmoniza. redireciona promove a circulação do
Qi do Pulmão.
• Tonifica o Qi Defensivo e alivia a dor de garganta.
• Promove a dispersão do Yang excessivo do Pul-
mão, abrindo o tórax.
• Elimina Qi patogênico, regula a sudorese.
• Elimina Vento, Umidade e Calor em face e
Pulmão.
• Controla as áreas de pulmão, garganta, nariz , nuca
e cabeça.
• Promove o peristalti smo inLestinal.
• Regula e desobstruí
, o Qi do Ren Mai.
• Abre a Via das Aguas, beneficia a Bexiga.
• Tonifica o Qi do corpo e harmoniza o Shen.
• Efeito psicológico, liberta a tensão emocional.

Indicações
Hemicrania, resfriado, tosse, bronquite, dispneia, rini-
te crônica, alergia, sinusite, espirros, aversão ao frio,
trismo, odontalgia, dor e edema da garganta, secura na
garganta e nos olhos, neuralgia do trigêmeo, angina,
dor e/ou fraqueza do punho e do cotovelo, dor e/ou
fraqueza de ombro e coluna cervical, vazio ou opressão
torácica, paralisia facial, lombalgia, patologia dos te- Músculo abd utor Múscu lo
cidos moles que rodeiam o punho, desmaio, calor na longo do polegar b raqulo rrad lal
palma da mão, fraqueza, anodinia, amenorreia, retenção
delóquios, dor nagcnitá.lia, doenças das vias urinárias,
obstipação, amnésia, convulsão infantil, tristeza, de-
pressão, introspecção, astenia ger.il, distúrbios mentais
depressivos e maníacos, risos inccssanLesealucinações.
66 - CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

P-8 Oingqu) - Passagem do Qi do Canal


• Ponto Rio (Ji11g) do Canal.
• Movimento Metal.
p


CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO (TAIYINOA MÃO) - 67
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Localiwção
p
Na face radial da superfície palmar do antebraço, de-
pressão entre o processo estiloide do rádio e a artéria
radial, l cu11 acima do espaço da articulação da mão,
no punho.
Medial ao processo estiloide do rádio.

Nota de localiuição
Colocar o dedo indicador sobre P-9 (Tayuan) e movê-
-lo proximalmente sobre o processo estiloidc do rádio,
ele naturalmente cairá no ponto.
Esta região é vascularizada por artéria e veia radial
na face lateral do tendão do flexor radial.

M étodo
O;t. a O,3 c11n, inserção perpendicular ou inserção obl(qua.
~ Funções energéticas
!8 • Reduz febre e dor de garganta, tosse e asma.
..
~ • Auxilia a função de dispersão e descida do Qi do
~ Pulmão.

Indicações
Tosse, dispneia, asma, bronquite, angina, tonsilite, dor
de punho, dor no nervo radial, hemoptise, faringite,
espasmo do esôfago, palpitações, dor torácica, dor de
garganta, náusea, febre.

Exe111plos de combinações
• E-4: tosse com rosto inchado, mas sem edema
verdadeiro.
• Ba-2: doenças febris.
• B- 17: doreinchaçodega rganta. ..
• VB-40: tensão do tórax e das costas com sensação
de inchaço do peito.
• B- 1, B-2, VB-20, IG-4, VB-12: lacrimejamento.
• Pontos locais, ID-3, B-40, B-60. B-62: dor nas
costas.
• R-7, B-23, B-17,F-2: Deficiência de Yin do Pulmão
cdo Rim.
• Ponto Ashi, IG- 11, P-7, IG- 15: epicondilitc umeral.
• P-7 , P-9: sensação de queimação da mão.
• B- 11 , B- 13, Ren-22, P-5, SJ-5, Ba-6: bronquite.
• VB-20, B- 14. B-15,P-9, C-9, Pc-5, B-64, B-<íO, R-2:
dor na região do Coração.
68 - CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

P-9 (faiyuan) -Abismo ProfUndo


• Ponto Shu (Riacho) do Canal.
• Movimento Terra.
p • Ponto de Tonificação.
• Ponto Fonte (Yuan) do Canal.
• Ponto de Influência (Hui) que domina os vasos sanguíneos.


CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO) - 69
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
Loca/ir.ação
Face anterior do punho, no espaço da articulação da
mão, entre a margem lateral da artéria radial e o mús-
culo abdutor longo do polegar.

Nota de localização p
A prega do punho é variável; deve-se procurar o espa-
ço da articulação com a mão relaxada; a localização
deste ponto é obtida em relação ao espaço da articula-
ção da mão; o ponto fica na mesma linha traçada desde
o osso pisiforme, que serve de referência como locali-
zação do ponto C-7 (Shenn1en) . Faz-se leve flexão do
punho para facilitar a visualização.
Esta região é vascularizada por artéria e veia radial
na face lateral do tendão do músculo flexor radial no
punho.

Méto®
0,2 a 0,5 cun.

Funções energéticas
• Tonifica, regula e harmoniza o Qi e aumenta a cir-
culação do Sangue do Pulmão.
• Transforma a Mucosidade e a Umidade-Calor.
• Dispersa Vento patogênico.
• Promove a ligação do Jiao Superior com Qi do
Pulmão.
• Descongestiona o tórax e acalma a tosse.
• Como ponto Shu do Canal Taiyin da Mão pode re-
gular o Canal do Baço.

Indicações
Tosse, asma, hemoptise, expectoração espessa e amare-
la, bronquite, coqueluche, dispneia, enfisema, tu-
berculose pulmonar, cefaleia, odootalgia , dor de
garganta, tonsilite, dor nos olhos, conjuntivite, afonia ,
voz fraca , dor torácica, dor no braço e na região esca-
pular, dorsalgia, doenças que afetam a região do punho,
dor do punho, patologia dos tecidos moles que rodeiam
o punho, palpitações, fraqueza geral, gripe, resfriado,
insônia, mal -estar provocado pela ansiedade, distúrbio
mental depressivo e maníaco, delírio.

Exe111plos de combinações
• B-13, E-36, Ba-3: asma por Deficiência de Puhruio.
• B- 13, B-20, E-36: coqueluche (convalescença).
• P-5, P-7, B- 12: tossecomcatarrod eestadogripal.
• Pc-6, C-5, E-36, Ren-17: insuficiência cardíaca.
• B- 13, Ren- 13,E-38,Ba-l: insônia.
• P-7, P-5 , E-36: hemoptise em ruberculose pulmonar.
• Pc-7, Pc-6, IG-11 : dor no aspecto late.ral do peito.
70 - CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

P-10 (Yuji) - Eminência Tenar ou Borda do Peixe


• Ponto Manancial (Ying) do Canal do Pulmão.
• Movimento Fogo.
p

/
CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO) - 71
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
Loca/ir.ação
Margem palmar, centro do osso metacarpal, na linha
em que há mudança da cor da pele da palma e do dorso
da mão.

Nota de localização p
Polegar relaxado, palpar a eminência tcnar até encon-
trar o osso metacarpal 1. O ponto situa-se no centro.

Método
0,5 a 0,8 cun.

Funções energéticas
• Regula e faz circular o Qi do Pulmão.
• Principal ponto para resfriar o Calor do Pubnão.
• Dispersa o Vento-Calor e resfria o Calor do Sangue.
• Faz circular, beneficia o Qi da garganta (resolve a
dor provocada por Vento-Calor) e reduz a febre.
• Harmoniza o Estômago e o Coração.

Indicações
Tosse, hemoptise, asma , tuberculose, pneumonia,
bronquite, hematêmese, expectoração purulenta, dor
~ e inOamação de garganta, laringofaringite, afonia, fe-
"'
.o bre, febre e síndrome de má nutrição infantil, febre e
~
:::i
calafrios, dor torácica, dor abdominal. lombalgia, te-
.o oossinuvite do adutor do polegar, sensação de febre na
~
palma da mão, mastite, nódulos mamários, distúrbios
emocionais, distúrbios mentais depressivos e maníacos,
ansiedade, tristeza, temor, desânimo, delírio.

Exen1plos de combinações
• SJ-2: garganta seca, tonsilite.
• R-3, Ren-23 alternada com R-6, P-7, IG- 18: dor de
garganta por Deficiência de Yin.
• IG- 16, P-5, P-3: hemoptise.
• Rcn-23, IG- 17,E-5,JG- 18: rouquidão.
• C-3, LD-7, IG- 1 1: delírios.
• R-6: dor de garganta com Deficiência de Yin .
• R-3: nutrir o Yin e reduzir o Fogo.
• Ba- 15, IG-4, R-7,E-44: suor abundante.
• IG-4 R-7: suor noturno.
• P-7, P-6, 10- 11, P-1: dispneia por Frio Externo e
Calor 1ntemo.
• Re n- 12, Re n-6, E-30, IG-4, E-36, E- 18, Ren- 17,
Pc-7: hematêmese.
• P-5, P- 1, Du-1 4 , Ba-6: resfriado por Calor no
Pu lmão.
72 - CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

P-11 (Shaoshang) - Pequeno Mercador


• Ponto Poço (Jing) do Canal.
• Movimento Madeira.
p

•,__
CANAL DE ENERGIA DO PULMÃO ( TAIYIN DA MÃO) - 73
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
Loca/ir.ação Indicações
Margem ungueal radial do polegar, 0,1 cun posterior Faringite, tonsilite, resfriado, febre, epistaxe, tosse cro-
ao canto da unha. nica, pneumonia, parotiditc, resfriado, asma, conjunti-
vite, perda da consciência, choque, desmaio, doença
Nota de localir.ação
imagine duas tangentes que passam pela unha: uma
cerebrovascular, icterícia, distúrbios mentais depressivos p
e maníacos, epilepsia, ansiedade, p icose, delírio, indi-
pela face superior e a outra pela face lateral. O ponto
gestão iofantil,epilepsia. Usado nas afecções energéticas
situa-se na intersecção destas linhas.
do Calor pard fazer transpirar no tratamento em decor-
Método rência do Vazio de Energia Ancestral.
0,2 a 0,3 cun, obliquamente em direção à articulação
Exemplos de combinações
do punho ou usar agulha triangular pan1 sangrar.
• lG-4: expelir o Vento-Calor e aliviar tonsilite aguda.
Funções energéticas
• IG-1 1: sede em decorrência da Deficiência de Sangue.
• Faz circular o Qi do Pulmão e do Estômago. • IG-1: para reduzir o Calor e desintoxicar.
• Elimina Vento-Calor e Calor do Pulmão.
• Com outros pontos Jing: apoplexia, abre oriffcios,
• Estimula a dispersão e a descida do Pulmão.
promove ressuscitação.
• Dispersa o Calor do Sangue e reduz a febre.
• P-7,IG-4, B-13: tossecomdoreinch açodegarganta.
• Desestagna o Qi da garganta, aliviando a dor.
• Beneficia a faringe. • IG-4, Ren-22: dor c inflamação da garganta.
• Beneficia os dedos. • Du-26, R- 1, E-36: estado de coma por acidente
• Abre os orillcios e restaura o Qi do Yang colapsado, vascular cerebral.
reanimando o estado de inconsciência e promoven- • Du-14, B-13, P-7: eliminar o Calor, nutrir o Yi11 e
do ressuscitação. resgatar o fluxo normal do Qi.
• Acalma o Shen. • IG-4, IG-11 , SJ-5 , B-12, B- 13, Du- 14, VB-20,
Du- 16: resfriado em decorrência de Vento-Calor.
• IG-4, IG-L 1. Ba-9. Ren- 13, SJ-5, Du-14: resfriado
em decorrência de Vento-Umidade-C alor.

•••
•• ••••


APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Capítufo3
76 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Canal Principa l
Começa no ângulo radial do dedo indicador, receben-
do sua Energia do Canal Principal do Pulmão, de um
ramo que liga o ponto P-7 (üeque) a IG-1 (Slra11g-
yang). Segue ao longo da face radial do dedo indica-
dor, passando por IG-2 (Erjia11) e IG-3 (Sanjian) para
emergir em IG-4 (Hegu), entre os ossos metacarpais l
IG e li. Penetra na depressão entre os tendões dos mús-
culos e xte nsores (longo e curto) do polegar, em IG-5
(Ya11gxi). Percorre a face anterolateral do antebraço,
onde estão localizados IG-6 (Pianli), IG -7 (Wenliu),
IG-8 (Xialia11), lG-9 (S/ranglian) e IG- 10 (Shousan/1),
até a extremidade lateral da depressão do cotovelo,
onde se situa IG-11 (Quc/11). Sobe o aspecto antero-
lateral do braço, alcança IG-14 (Binao) no ápice do v
do músculo deltoide, seguindo em direção ao ponto
mais alto do ombro, em IG-15 (Jianyu ). Gira em tomo
do ombro, seguindo a margem anterior do acrômio,
fazendo um trajeto até lG-16 (Jugu), entre a espinha
da cscápula e a extremidade lateral da clavícula. Se-
gue cm direção medial, passando por 10- 12 (Bi11g-
fe11g), no centro da fossa supraclavicu lar, em direção ~
a Du-14 (Daz/ru1) 1, exatamente abaixo do processo V: ...
espinhoso da vértebra cervical vn (C VII). A partir ~
de Du-14 (DazJ1ut), entra na fossa supraclavicular2, ~
onde o Canal se bifurca. Um ramo toma-se profundo. -·
Penetra no tórax até atingir o pulmão, órgão de seu
Canal acoplado, atravessa o diafragma e estende ra-
mos para o intestino grosso (órgão a ele ~ociado), na
área de E-25 (1íanshu). Outro ramo da fossa supracla-
vicular sobe ao longo do aspectO lateral do pescoço,
no músculo estemocleidomastóideo; passa por LG-18
(F11t11), cruza a face na bochecha e penetra nas gengi-
vas dos dentes inferiores\ onde se ramiflca; emerge
lateralmente na comissura labial em E-4 (Dicang),
circunda o lábio superior, cruza Du-26 (Renz/rong),
no filtrO, alcança IG-19 (Kouheliao), lateral a Du-26
(Renz}1011g); termina em IG-20 (Yingxiang), do lado
opostO no sulco nasolabial. De IG-20, une-se com o
Canal do Estômago por um ramo profundo que en-
contra o Canal da Bexiga em B- 1 (Jing111ing).
O üng Shu descreve ainda outro ramo que se separa
do Canal Principal no intestino grosso, desce o membro
e emerge em E-37 (Shangjuxu), ponto de União Inferior
do Canal do Intestino Grosso, localizado na pcma4 •

' De acordo com o capítulo 10 do Ling Shu. 1995 (p. 137). todos os
Canais Yang do pé e do braço cocontnun·sccm Du-14 (DaQt•1) ,
2 Apesar de E· l2 (Qucpc'n) não eotar classicamente declarado como

ponto de Eooontro oom o Canal Principal do lnu:stino Oro.so, alguns


outotts. como Dr.adman a ai., 2001, Solinas <1 al., 2000 e o próprio
texto de Ouoj ie cHua Wang, 1996(p. 25), colocom CilC Canal pa.nan·
do por E-12 (Qli•pc'~).
J De acocdo oom o <Oj>Ítvlo 2 1 do Ling Sltu. 1995 (p. 255). o Canal do
lntallno ~ pcndr.I profundamente na mandlbula.
' Li111 Shu, 199S (p. 82).
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANCMINC DA MÃO) - 77
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

O Canal Principal relaciona-se com os


seguintes órgãos internos: IG
• Intestino Grosso, Pulmão e Estômago 1•

O Canal Principal relaciona-se com os seguin-


tes Canais Principais:
• Do Pulmão (relação Ym- Yang), recebendo sua energia
(P-7-+ IG-1 [Shangyang]).
• Do Estômago, unidade Yangming (conexão Yang-
• Yang), fornecendo sua energia (IG-20-+ B-1 -+ E-1 ).

Pontos de Intersecção do Canal Principal:


• 1D-12 (Bingfeng); Du-14 (Dazhui); E-4 (Dicang);
E- 12 (DazJ1111); Du-26 (RenzJ1ong)2.

Canal de Conexão
Canal de Conexão, trajeto:
Separa-se do seu Canal Principal em seu ponto de
Conexão (luo), IG-6 (Pianú), localizado 3 cun acima
da prega do punho no aspecto lateral do rádio; daí, um
ramo transverso conecta-se ao Canal Principal do Pul-
mão. Um ramo longitudinal sobe em direção ao ombro
no ponto 10-15 (Jianyu); prossegue para o ângu lo da
mandíbula, dividindo-se em um ramo que se espalha
nos dentes e outro que penetra na orelha, para juntar-se
a Zong Mai, onde se unem os Canais de Intestino
Grosso. Estômago, Intestino Delgado, Vesícula Biliar,
SanJiaQJ.
Quando este colateral está comprometido,em casos
de Excesso, os sintomas são cárie e surdez; nos casos de
Deficiência, insensibilidade dentária c distensão na área
da bochecba4 •

' OºConnore Ben•ky. 1996 (p. 146).


2 Ocadmuo ti ai .• 2001 (p. 96), consideru como ponto de cncotJltO
turnbém o Rcn·24 (Chengjiang). Como dccl11r11do untcriormente.
ou troo COn•ídcrun & 12 (Q~pe11).
s Oc1dman ti ai.• 2001 (p. 98).
' Shi X•e·min ·, Compnhensive Textbook of Acupunctu,. and Mo.d·
bwtion, 2007 (p. 64).
78 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANCMING DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Canal Muscula r
Inicia-se na extremidade lateral do dedo indicador no
IG ponto T0-1 (Sha11gyang), segue ao longo da face ra-
dial do dedo indicador, até IG-5 (Ya11gxi), na tabaqueira
anatômica, na qual se liga; prossegue subindo a face
anterolateral do antebraço e se conecta no aspecto la-
teral do cotovelo; daí, sobe pela face lateral do braço.
liga-se ao aspecto lateral do acrômio na área de IG-15
(Jia11yu). A partir do ombro, um ramo colateral gira
em tomo da escápula, em direção à coluna vertebral· .
O ramo principal prossegue do ponto mais alto do
ombro, corre por cima da fossa supraclavicular; sobe
ao longo do aspecto lateral do pescoço, liga-se ao ân-
gulo da mandíbula. Daí, ele se divide em dois ramos:
um ramo passa sobre o zigomático até o lado do nariz.
O outro ramo vai pelo aspecto lateral da face , ante-
riormente ao Canal Muscular do Intestino Delgado, al-
cança a área temporofrontal, une-se aos outros Canais
Musculares Yang da Mão em VB-13 (Benshen), cruza
por cima do crânio, termina no ângulo da mandíbula,
do lado oposto.
Quando este canal está desequilibrado, podem
ocorrer contrações e espasmos nas áreas por onde
passa e língua dobrada•• .

Conexões do Canal Muscular do Intestino Grosso


co1n os outros Cana.i5 Musculares:
• Do Intestino Delgado, Bexiga e Estômago.

Pontos de Encontro do Canal Muscular Yang


da Mão:
• Os três Canais Yang da Mão: VB-13 (Towe1)' .. e E-12
(Quepen), que é o ponto de cru.zamento de quatro
Canais Musculares: Bexiga, Vesícula Biliar, Estô-
mago e Intestino Grosso.

• Segundo Solinas et ai., 2000 (p. 89), lig•·SC de C VII à véncl>rn tora·
cica V (I' V), entre Du-14 (DaV.ul) e Du-1l (Sh.,ll/110).
•• S/1/ Xut ·min 's Comprthénsive Twbo<>kofAct1p11nct11r• and MOJr/bu.•·
1/0<1, 2007 (p. 70).
• •• Squndo Yilian Ni , 1996 (p. ~).os~ Canais Mu<euleres ~mg da
Mio encontram-se em E-8.
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGM/NG DA MÃO) - 79
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

IG

Canal Divergente
Separa-se do seu Canal Principal na mão, sobe segu indo o Canal Principal do antebraço ao ombro, até o ponto IG-15 (Jianyu), na de-
pressão anterior e inferior ao acrômio; daí, viaja medialmente para coluna vertebral em direção à C VII. Cruza a fossa supraclavicular
e desce tórax, peito e pulmão, até intestino grosso. Um ramo ascende da fossa supraclavicular ao longo do aspecto lateral do pescoço,
convergindo com o Canal Principal do Intestino Grosso.
80 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

IG-1 (Shangyang) - Mercador do Yang


• Ponto Poço (Jíng) do Canal do Intestino Grosso .
• Movimento Metal.
• Ponto de Partida do Canal Muscular do Intestino Grosso.
- ..
IG lí / ~ 1
1

••

••
• ••
.....• .
< )
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANCMINC DA MÃO) - 81
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

Localização
Margem ungueal radial do dedo indicador, cerca de
0,1 cun proximal à base da unha. IG
Nota de localiwção

O ponto situa-se na intersecção das linhas imaginárias
tangentes às faces superior e lateral da unha do dedo -----~.7'""----...__
•• • •• • •• • • •••
indicador. •

Método
0,2 a 0,3 cun em direção ao punho ou fazer sangria
com agulha triangular.

Funções energéticas
• Revigora, regula e faz a difusão do Qi do Pulmão.
• Dispersa Calor e Vento e reduz a febre.
• Dispersa Calor da superfície.
• Remove obstruções e move o Qi estagnado.
• Alivia edema ao redor da mandíbula e da garganta,
fonalecendo o Qi da garganta.
• Restaura a consciência.
Indicações
Acne; odontalgia; inchaço e dor na mandíbula; es-
tomatite; gengivite; neuralgia facial; dor de gargan-
ta; parotidite; tinido; surdez; enfermidade febril sem
transpiração; tonsilite aguda; glaucoma; conju ntivi-
te; aden ite submaxilar; encefalite; resfriado; perda
da consciência; tontura; delírio; apoplexia; anestesia
dentária; distúrbio mental; estado maníaco; depres-
são; dor, inflamação e parestesia nos dedos da mão;
epicondilite; bursite; dor do ombro. Condições agudas
em decorrência de Vento-Calor, inclusive afetando os
olhos, coma hiperpirético, choque.

Exemplos de combinações
• SJ- 17, E-6, IG-4, SJ-5, VB -20, P- 11: caxumba
com dor.
• Du-26, Du-20, Pc-6: perda de consciência por
ac idente vascular cerebral ou choque.
• P- 11 , Pc-9, E-45: febre alta sem transpiração.
• Picar P- 11 , IG-1 , E-45: hipenensão inLracraniana.
• SJ-3 , VB-40: febre intermitente.
82 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO)
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952

IG-2 (Erjian) - Segundo Intervalo


• Ponto Manancial ( Ying) do Canal .
. ,
• Movimento Agua.
• Ponto de Dispersão do Canal.

IG /


CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANCMINC DA MÃO) - 83
APOSTILASMEDICINA@HOTMAIL.COM
PRODUTOS: http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_161477952
Localiuzçã-0 Indicações
Margem radial do dedo indicador, na depressão radial Epistaxe; odontalgia; inflamação e dor da garganta;
distal da articulação metacarpofaJângica TI, na transi- visão turva; conjuntivite; cefaleia; paralisia ou espas-
ção da mudança da cor da pele. mo muscular facial; dor em ombro, escápula e cotove-
lo; neuralgia do trigêmeo; secura na boca; sede; febre
Nota de localiuição com dor abdominal; fezes ressecadas; obs tipação por
Este ponto é mais facilmente localizado se o dedo Calor no Intestino Grosso; artrite dos dedos.
indicador estiver relaxado e levemente flexionado . Exemplos de combinações IG
Deslizar o dedo ao longo da falange n até encontrar a
• R-3 , R-4, R-6 , F-10: histeria com sonolência.
depressão citada anteriormente.
• IG-20, Du-16: rinite com sangrarnento nasal.
Método • lG-5, P-7, IG-3 , SJ-2, Du-23: dor ocular.
• IG-13, R-3 R-4, R-6: sonolência.
0,2 a 0,3 cun, inserção inclinada, ou 0,5 cun, inserção • IG-1, SJ-5, SJ-2 e SJ-9: dor de dente da mandíbula.
perpendicular, em direção à palma da mão. • Moxa em IG-4, B- 18, E-36: olhos avermelhados,
inchados, dolorosos.
Funções energéticas • E-6, SJ-17, IG-4, SJ-5 , P-7 , pontos extras Huatuo-
• Limpa Canais e Colaterais, a fim de aliviar dor de jiaji de T l a T IV: acupuntura cutânea, parotidite.
garganta. • E-44, E-36: fortalecer a função de Baço e Estômago
• Como ponto Manancial, cli1nina o Calor do Canal e para suplementar Qi e produzir Sangue.
do órgão e reduz a febre. • Acupuntura cutâoea em B-13, B- 12, Rcn - 12, E-40,
• Faz circular o Qi do Canal e acalma o Shen. P-5, Huatuojiaji (extra, 0,5 cun lateral à linha media-
na posterior da extremidade inferior do processo
espinhoso da TI a T4): coqueluche.
84 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO)

IG-3 (Sanjian)- Terceiro Intervalo


• Ponto Riacho (Shu) do Canal.
• Movimento Madeira.

IG
......... ---


CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANCMINC DA MÃO) - 85

Localiuzçã-0 Indicações
Na margem radial do dedo indicador, proximal à ar- Odontalgia, visão turva, inflamação e dor ocular, he-
ticulação metacarpofaJangica, na Lransição do corpo morragia nasal. patologia febril, tonsilite, asma brôn-
para a cabeça do osso metacarpal n. quica, gastrenterite, adenitc submandibular, paralisia
facial, neuralgia do trigêmeo, escapulalgia e dorsal -
Nota de localização gia, dor e inflamação dos dedos, dor em ombro eco-
Este ponto é facilmente localizado no prolongamento tovelo, inflamação do dorso da mão, artrite da mão,
da dobra de flexão proximal da articulação citada com eritema da mão, malária. calor no corpo, sensação de
opressão torácica, borborigmo. Usado como ponto IG
a mão fechada sem força .
único para insônia.
Método
Exemplos de combinações
0,3 a 0,5 cun , inserção inclinada; 0,5 a 1,5 cun, inser-
• P-5: obstrução na garganta.
ção perpendicular cm direção a LD-3 (Houx1).
• ID-3,&u-ie(pontocxtra.nas membranas interdigitais,
no dorso da mão): entorpecimento e dor nos dedos.
Funções energéticas
• 7 cones de rnoxaem IG4, IG-3: dordedentes inferio~ .
• Harmoniza o Qi do Intestino Grosso. • Ren-23, Ren-22, IG-4, Pc-5: laringofaringite com
• Transforma a Umidade-Calor, dispersa o Vento estagnação de Qi e Sangue.
Externo e alivia rigidez das articulações. • VB-20 ' Du-23 t B- 1' JG-4 Pc-7 C-5 , °o-44 ' B-60 t
t t

• Beneficia garganta (dev ido ao trajeto do Canal), B-62, B-67, VB-44: dor nos olhos.
faringe, dentes e mãos; faz brilhar os olhos; subjuga • B-2: reduzir Calor e melhorar a visão.
a inflamação; alivia a dor. • IG4, E-44, VB- LO, VB - 14: odontalgia.
86 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANCMING DA MÃO)

IG-4 (Hegu) - Vale Circundado


• Ponto Fonte {liwn) do Canal. • Ponto de Comando (Gao Wu) da face e da boca.
• Ponto de analgesia com efeito geral. • Ponto Estrela Celestial de Ma Dan Yang.

IG /

Localização Método
Na face radial da mão, entre os ossos mctacarpais 1e II, mais pró- 05 a 0.8 cun, inserção pc.rpcndicular; inserção obliqua, la 1.5 cun.
ximo do segundo, aproximadamente na metade do rnetacarpal ll,
na saliência muscular quando se faz adução do polegar. Funções energéticas
• Ativa a circulação do Qi e do Sangue nos vasos sanguíneos,
Nota de locali211ção desobstruindo o Qi estagnado dos Canais de Energia.
Mão reta, pressionar o polegar contra o dedo indicador para que • Hannoni1..a a subida e a descida do Qi e suprime a dor.
o músculo adutor do polegar empurre o músculo interósseo dor- • Tonifica o Qi, estimula a função dispersora do Pulmão e o Wei
sal para cima; a agulha deve ser inserida na saliência nivelada Qi, transforma Fleuma.
com a terminação da prega entre os dedos polegar e indicador • Dispersa Vento, Calor, libera Calor patogênico interno à super-
(ver Cap. 1, Múscu lo interósseo dorsal, Fig. 1.7 1). Sua apl icação fície, regu la a transpiração e reduz a febre.
é proibida em grávidas. • Dispersa excesso de Qi do Coração e acalma a mente. Inter-
Posicione a mão do paciente sobre sua palma, coloque a prega rompe convulsões e restaura a consciência.
distal do polegar sobre a margem estendida entre o polegar e o dedo • Facilita o trânsito dos alimentos do estômago para os intestinos.
indicador do paciente. O ponto situa-se onde a ponta do indicador
• Clareia olhos, abre orifício do nariz.
toca o dorso da mão.
• Beneficia o útero e promove o trabalho de parto.
Afastando polegar e indicador, situa-se no meio da distância
ao longo da linha de conjunção dos ossos metacarpais T e U e o
ponto médio da margem da linha entre o polegar e o dedo indicador.
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANCMING DA MÃO) - 87

lndicQfôes • IG- 11: aliviam sintomas exteriores e reduzem Calor ou terço!.


Cefaleia; alterações nas regiões de face , boca e garganta; disp- • B-6: dor de dente da mandíbula.
• P-9: equilibra Yin e Yang, tonifica Pulmão, fortalece Wei Qi,
neia; resfriado; febre com anidrose; epistaxe; tonsilite; odontal-
consolida exterior.
gia; gengivite; periodontitc; trismo; surdez; neuralgia do trigê-
• P- 11: expelir Vent<T'Calor e aliviar dor de garganta.
meo; obsbUção nasal; espirro: tosse; faringite; laringofacingite;
• P-3: tratar epistaxe.
nasossinusite; rinorrcia; rinite alérgica e outras alergias; úlceras
• VB-37: reduzir Calor e melhorar a visão.
bucais; parotidite; paralisia facial; hemiplegia; afonia; dor, infla-
• B-36: ascender o ümpido e desceoder o turvo.
mação e rubor ocular. conjuntivite; hiper-hidrose; artrite tempo-
romandibular; epigastralgia; regurgitação; má digestão; obstipa-
IG
ção/diarreia; disenteria; hemorroida: rigidez e dor cervical; dor
e paralisia dos membros superiores; espasmos dos dedos; dor em
geral; dor abdominal; febre ondulante; parto prolongado; aborta-
mento de feto mono; abono; dor intestinal e uterina; epilepsia;
depressão; mania; acidente vascular cerebral (AVC); histeria;
ansiedade; amenorrcia; dismenorrcia; neurose; distúrbio mental;
esquizofrenia; irritabilidade; convulsão infantil; anestesia por
acupuntura em cabeça e pescoço.

E xemplos de combinações
• J0-4, F-3 (os "Quatro Portões"): expelem Vento fnterior e Ex-
terior da cabeça e da face, regulam subida e descida do Qi,

;.. harmonizam topo e base, interrompem dor, assentam o H11n,


acalmam a mente, eliminam Calor, drenam Fogo e acalmam o

~ . Fígado.
Ba-6: facilita1n o parto, amenorreia, dor abdominal.
• Pc-6: várias anestesias.
• VB-20: resfriado.
• R-7: falta de transpiração; regula a transpiração, tanto estimular
como cessar.
• Ren-6: aumenta o Qi do Baço.
• P-7: invasão de fatores patogênicos exógenos; restabelece a
descida do Qi do Pulmão.
88 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO)

IG-5 (Yangxi) - Riacho do Yang


• Ponto Rio (Ji11g) do Canal.
• Movimento Fogo.
• Ponto importante para o tratamento de problemas do punho.

IG /


CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANCMINC DA MÃO) - 89

Localiuição
Na extremidade radial do espaço da aniculação da
mão, no punho, na depressão no fundo da tabaqueira
anatô1nica (entre os músculos extensores longo e cur-
to do polegar).

Nota de localização IG
Polegar abduzido, a tabaqueira anatômica forma uma
fossa situada no lado radial do punho, entre os te ndões
dos músculos extensor longo e curto do polegar (ver
Cap. 1, Tabaqueira anatômica). Em analogia com a
natureza , o ponto fica numa depressão, como um ria-
cho entre duas colinas, fato que lhe rendeu o nome de
Riacho do Yang. Esta região é vascularizada por veia
cefálica e ramo carpa! dorsal da artéria radial.

Método
0,3 aO,S cun.
i Funções energéticas
gg
!:! • Dispersa Vento-Calor, elimina Fogo patogênico,
~ transforma Umidade"Calor e liberta o Exterior.
!;; • Acalma o Shen.
• Elimina dor.
• Beneficia a articulação do pu.o ho.

Indicações
Cefaleia, ri nite purulenta, hemorragia nasal , patolo-
gias ocu lares, to nsiJite , surdez, tinidos, odontalgia,
urticária, distdrb io digestivo das crianças e adolescen-
tes, dor na raiz da lín gu a, patologias dos tecidos moles
do punho , rigidez e dor do punho e da mão , artrites
e artroscs nos membros s uperiores, epilepsia, depres-
são e mania, inquietação no caso de febre , patologia
maníaco-depressiv a, doença mental.

Exemplos de combinações
• P-7: tenossinovitc do punho.
• ID-5: conjuntivite e dor nos olhos.
• 10 - 15: urticária em decorrência de Calor.
• SJ-4, TD-5. SJ-5: dor no punho.
• SJ-4, 10-3, SJ-9, C-3: dificuldade de intorsão e ex-
torsão da mão.
• 10-4, ID -5, ID-9 VB- 11 , VB-43, 10-1 , B-8, T0 -2:
tinido com som de campainha.
• Pontos Ashi, I0-12, IG-11, P-7, P-8: epicondilitc
umeral externa e tenossinovite estenosantc.
• 10-16, SJ- 1, SJ-2, SJ-3: dor auditiva.
90 - CA" W. DE ENERGIA DO llllTESTINO GROSSO
(YM GM INC DA MÃO)

IG-6 (Pianli) - Passagem Divergente


• Ponto de Conexão (Luo) do Canal .

-
/
IG

-·- .. .
-
-
- 9 cun

-
-
-
-
•••
- cun
3

~.I
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO) - 91

Localização
Na margem posterolateral do antebraço, na linha que
liga IG-5 (Yangx1) a IG-11 (Q11ch1), 3 cufl proximais
a IG-5.
Nota de localiUição
Localizar com o cotovelo flexionado com a face radial
do antebraço para cima e medir 3 cun em relação ao
IG-5 (Fig. A). IG
Cruzar o dedo indicador e o polegar da mão do
paciente com seu polegar e dedo indicador (oo proces-
so estiloide do rádio, localizando P-7). Seu dedo médio
deve ficar ao lado do indicador. Gire ambas as mãos, A
sem variar o ângulo de preensão. IG-6 fica diretamen-
te abaixo da ponta do dedo médio (Fig. C e D).
Método
0,5 a l cun.

Funções energéticas
• Harmoniza a Via das Águas.
• Dispersa Calor e Vento patogênico e remove Umidade.
• Limpa Qi do Puhnão.
• Descongestiona o Qi estagnado na garganta.
• Beneficia a face.
Indicações
Epistaxe; surdez; tinido; odonlalgia; oonsilile; dor de
garganla; gengiviLe; hiperemia da conjuntiva; parali- e
sia facial; edema; distúrbio das vias urinárias; dor do
antebraço; epilepsia; tristeza; depressão e mania; con-
vulsões infancis com desvio na rima bucal; edema da
face e dos braços; sensibilidade e dor em mão, braço e
cocovelo; artrite no polegar e no indicador.
Exemplos de combinações
• P-9: doença que afeta o Canal de Energia do Pulmão.
• P-7, IG-4, Ba-9, B-39: edema Yang.
• Queimar 14 cones de moxa em Du-23, 7 cones em e
SJ-17, TD-19, B-23, SJ-5, 10-6 e IG-4: surdez.
• B-23, Du-19, B-2, B-60: cegueira.
• P-9, B-13: Deficiência de Yin de Pulmão.
• Ren-9, Ren -6, B-22, E-36: edema de membros
superiores.
• SJ-2, VB-43: febre alta e inflamação aguda.

D
92 - CA" W. DE ENERGIA DO llllTESTINO GROSSO
(YM GM INC DA MÃO)

IG -7 (Wenliu) -A qu ec en do o Canal
• Ponto de Acúmulo (X1) do Canal.

-
/
IG

-·- .. .
-
-
- 7cu n

-
-
•• ••
-
-
- 5 cun

-:_ .1
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO) - 93

Localização • Elimina Vento e Calo r, reduz a febre, cessa a dor.


Na face radial da superfrcie dorsal do antebraço, 5 cun • Umedece e beneficia garganta e fonalece língua.
proximais ao espaço da articulação da mão, no punho, • Acalma o Shen.
na linha traçada entre 10 -5 (Yangx1) e 10 -11 (Quchl). Indicações
Nota de localização Patologias de boca, língua e garganta; estomatite; glos-
Localizar com o cotovelo flexionado com a face ra- site; acne; paralisia facial; dor e edema da garganta;
dial do an1ebraço para cima e dividir a distância entre parotidite; cefaleia; edema facial; episuue; epilepsia;
I0-5 e I0-11 na metade. O ponto fica 1 cun distal ao depressão e mania; atordoamento; histeria; verborra- IG
ponto médio. gia; estado de furor; alucinações; faringite; dor em om-
bro, escápula, braço e cotovelo; dor abdominal; diar-
Método reia; borborigmo; flatulência; síndrome da obstrução
O,5 a 1 cun, inserção perpendicular ou em direção ao dolorosa do canal.
cotovelo.
Exemplos de combinações
Funções energéticas • IG-11: dor de garganta com perda de voz.
~ • Limpa e harmon iza o canal para promover a circu- • B-6 1: depressão.
~ lação de Sangue. • 10-6, IG-2, E-44: desvio da boca.
~ • Fortalece o Qi dos Canais do intestino Grosso e do • I0 -4, I0- 11, E-21, E-34, E-44: sangramento gengi-
.o Estômago. val por Calor no Estômago.
:;;
• Transfo rm a a Umidade. • SJ -2; B-64: mania .




1;.2

INC DA MÃO)
94 - CA."'IAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YM 'GM

IG -8 (X ia lia n) - Bo rd a In fe rio r do Paralelogramo

IG

_. .. .,
- 4 cun

-
-
••• ••• •
-
- 8 cun
-
-
-
-
-

CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO) - 95

Localização Indicações
Na face radial da superfície dorsal do antebraço, na Dor abdominal, dor periumbilical, indigestão, borbo-
linha ttaçada entre IG-5 (Ya11gx1) e IG-1 1 (Quchi).4 cun rigmo, enterite, cistite, dor ocular, cefaleia, to nturas e
distais a IG- 11 (Quchi). vertigem, afecções da mama, mas ti te, dor em cotovelo
e braço, enfraquecimento motor dos membros supe-
Nota de localização
riores, asma, bronquite, pleurite, tuberculose.
Localizar com o cotovelo flexionado, com a face ra-
dial do antebraço para cima e dividir a distância entre Exempws de combinações
IG-5 e IG- 11 em três partes. O ponto situa-se na jun- • E-16, VB-4 l , R-23, E-18, E-36, E-39, Ba- 18, VB-43: IG
ção do terço proximal com o terço médio. abscesso da mama.
• IG-11, YB-21: dor e frio no braço.
Método • IG-9: diarreia por indigestão alimentar.
0,5 a 0 ,8 cun.

Funções energéticas
• Expele Vento, elimi na Calor, reduz febre.
• Promove a circulação do Qi.
• Acalma o Slien .


11.3 V.3
INC DA MÃO)
96 - CA."'IAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YM 'GM

IG -9 (S ha ng lia n) - Bo rd a Su pe rio r do Paralelogramo

/ 1 l
- 1

IG

_.
-
.. . ' 3cu n

-••••• 1

-
--
-- 9 cun

-
--

CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANCMINC DA MÃO) - 97

Localiuzçã-0 Indicações
Na face radial da superffcie dorsal do antebraço, na Dor abdominal; indigestão; náuseas; enterite; obstipa-
linha traçada entre IG-5 (Yangx1) e TG- 11 (Qucht), 3 ção; borborigmo; blenorragia; cistite; hemiplegia; dor
c1in dista.is a IG- 11 (Quchi). em ombro, dorso e escápula; cpicondilitc; artrite no
cotovelo; dormência e edema nos membros superio-
Nota de localiuição res; enfraquecimento motor nas extremidades supe-
Localizar com o cotovelo ílexionado, com a face ra- riores; sequela de apoplexia; distensão; parcstesia em
d.ial do antebraço para cima. Divida a distância entre mãos, braços e pernas: cotovelo de tenista; patologias
IG-5 e IG-11 cm quatrO pa.rtcs iguais (ver Cap. 1, De- reumatológicas do ombro; cefaleia. IG
terminação de um ponto médio de um trecho longo).
Exemplos de combinações
O ponto situa-se na junção do terço proximal com os
três terços distais, numa depressão bem palpável e • SJ-10, IG-1 l, SJ-5, P-8, SJ-6, IG-5, TD-4, IG-4:
sensível sob pressão. sfndrome do túnel do carpo.
• Primeiro estimule VB-21 , lG- 11, IG- 10, TG-8, em
Método seguida insira lG-13, lG-9 e P-8: braquialgia causa-
05 a 0,8 cun. da por Vento-Frio.
• VB-34, VB-41: plenitude abdominal e na região
Funções energéticas costal.
• Expele Vento e elimina Umidade. • F-14 e Ren-12: dispneia com incapacidade de andar.
• Beneficia braço, cotovelo e ombros.
"i' • Reduz a febre.
~
~
.;,
00
oO
S;

< • )

• •

V,4
INC DA MÃO)
98 - CA."'IAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YM 'GM

IG -1 0 (S ho us an li) -T rê s Distâncias do Braço

/ 1 J
1
IG

_. ....,
- 2cu n

• •• •
-
-
- .....,.
~

- '

..,..
10 cun ;::!
- 00

'.e
.,.
- •

-
-
-

< )
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANCMINC DA MÃO) - 99

Loca/ir.ação Indicações
a face radial da superfície dorsal do antebraço, na Dor em ombro, braço, antebraço e cotovelo; rigidez
linha traçada e ntre IG-5 (Yangxi) e lG- 11 (Q11chl), em cotovelo e ombro; parcstesia/fraqueza /paralisia/
2 c11n distais a IG- 11. dcscquiliôrio motor do membro superior; costalgias:
lombalgia; cansaço; dispneia; parotidite; odontalgia;
Nota de localização dor abdominal; diarreia; vômito; indigestão; gas-
Flexionar o cotovelo em um ângulo de 90º , com a face tralgia; tílcera gástrica; edema da região malar e da
radial do braço voltada para cima, localize IG- 11 e mandiôula; paralisia facial; tonsilitc aguda; fraqueza
meça 2 cun distais a ele. geral; hipertensão; síndrome da obstrução dolorosa; IG
síndrome de atrofia; e seque la de apoplexia.
Método
0,8 a 1,2 cun. Exemplos de combinações
• E-6: odontalgia.
Funções energéticas
• SJ-5: ativa a circulação do Sangue.
• Harmoniza Qi de Estômago e Intestinos. promoven- • E-36: massas abdominais por estagnação do alimen-
do as funções gastrintestinais. to; regula o peristaltismo estomacal.
• Regula e harmoniza o Qi do Jiao Médio. • Ren-12, E-36: tílcera gástrica.
• Tonifica Qi e Sangue. • Pontos H11at11ojiaji das vértebras torácicas I a fV,
• Faz transitar e desobstruir o Qi nos Colaterais e IG-15, IG-4, lG- 11 : ncurite periférica.
ai ivia a dor. • IG-11 , C-3, SJ- 10: espasmo no cotovelo com difi-
• Dispersa o Vento patogênico. culdade de estendê-lo.
• Re força fluxo de Qi nos Canais do braço. • IG-11, IG-15, SJ-5, IG-4: dor no ombro e parcstcsia
dos membros superiores.
• IG-11 , IG-4, SJ -4, VB-12: espasmos dos deOOs das mãos.

< >
100 - CANAL DE ENERGIA DO INTCSTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO)

IG-11 (Quchi)-Lagoa Tortuosa


• Ponto Mar (He) do Canal.
• Movimento Terra.
• Ponto de Tonificação do Canal.
• Ponto FantaSma de Sun Si Miao.
• Ponto Estrela Celestial de Ma Dan Yang.

IG
lí /
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANCMINC DA MÃO) - 101

Localização doenças epidérmicas, sarampo, alergias, diarreia, di-


senteria, dor abdominal, vômito, diabetes, epicondili-
Depressão na extrem.idade externa da prega de flexão
do cotovelo ou a meia distância entre P-5 (Chize) e te , cervicobraquialgia, inflamação e dor em cotovelo
e braço, desequilíbrio motor das extremidades supe-
epicôndilo lateral com o cotovelo cm flexão de 90º.
riores, dor artrítica de membros superiores, paralisia,
Nota de localização hemiplegia, sequela de apoplexia, hipertensão, rigidez
Com o cotovelo flexionado em ângulo de 90º, procu- cervical, pleurite, anemia, dor menstrual, menstrua-
rar a partir da prega transversal do cotovelo a depres- ção irregular, cefaleia, epilepsia, depressão e mania,
são do mllsculo extensor radial longo do carpo. angústia, amnésia. IG
Método Exemplos de co1nbinações
1 a 1,5 cun ou uni-lo a C-3 (Shaoha1). • P-5: eliminam o Calor do Pulmão e estimulam a
descida do Qi do Pulmão.
Funções energéticas • Ba-10: eliminam o Calor e refrescam o Sangue.
• Elimina o Calor de Intestino Grosso e Estômago. • ID-l: epilepsia e convulsões.
• Elimina Vento patogênico e Umidade. • IG-4: inflamação da garganta.
• Harmoniza o Qi, fortalece e resfria o Sangue. • E-36: regulação geral de Energia; harmonização do
• Regula e umedece o Intestino Grosso. alto e do baixo, do Ytn e do Yang; e eczema seco.
• Regula Qi Nutritivo, Qi Defensivo e Qi do Pulmão. • Du-14, Pc-6, B-40: insolação moderada.
• Elimina sCndrome exterior e reduz a febre. • IG-4, Yinrang (extra, linha mediana anterior entre as
• Fonalece tendões e articulações. sobrancelhas), P-1 1: sarampo.
• Desobstrui os Canais do braço. • Du-14 , F-3, E-36, 10-4: pllrpura trombocitopêoica
idiopática.
Indicações • Du-14, E-36, Ba-10: urticária e prurido na pe.le.
Doenças febris, sudorese, gripe, febre com calafrios, • Du-14, SJ-5, VB-20, Taiyang (extra,depressão J cun
rinom:ia, olhos vennelhos e doloridos, tonsilitc, cpis- lateral ao meio da linha que une a extremidade late-
taxe, odootalgia, secura da garganta, gengivite , ade- ral das sob rancei ha e o canto externo do olho):
nopatia cervical por tuberculose, dores generalizadas, cefaleia, febre, invasão do corpo por Ventcrfrio.

Músculo extensor
radial longo do carpo



102 - CANAL DE ENERGIA DO INTCSTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO)

IG-12 (Zhouliao)-Fend a do Cotovelo

IG
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO) - 103

Localização Indicações
Com o cotovelo flexionado em 90°, na face lateral do Parestesia; edema; contratura e dor em cotovelo, bra-
braço, 1 cu11 acima de IG-11 (Q11ch1), oa margem ra- ço e ombro; epicondilite umeral lateral; parestesia do
dial do úmero. membro s uperior; inflamação do epicôndilo lateral
do õmero; tosse; malária; sequela de apoplexia.
Nota de localização
Com o cotovelo flexionado, o ponto pode ser encon- Exempws de combinações
trado na transição do corpo para o epicôodilo lateral • IG-11, SJ-6, SJ- 13, JD-4: polineurite com mãos
do tímero, exatamente anterior à crista supracondi- entorpecidas. IG
lar lateral. • Pontos Ashi no cotovelo, IG-11 , IG-10: epicoodilite
lateral do õmero.
Método • VB-34: tendinite do cotovelo.
0,5 a 1 c11n de profundidade.

Função energética
• Relaxa músculos e tendões locais, facilitando o
movimento da articulação do cotovelo.



104 - CANAL DE ENERGIA DO INTCSTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO)

IG-13 (Shouwuli)- Cinco Distâncias do Braço

IG
















-

.





• •
••







•• • • • •
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO) - 105

IG

Locaümção
Na face lateral do braço, na margem anterolateral do
úmero, 3 cun proximais à prega do cotovelo, sobre a
linha que liga IG- 11 (Quch1) a JG-15 (Jianyu).

Nota de localimção
Situa-se na distância de quatro dedos do ponto IG-1 1
(Quchi), na depressão do músculo bíceps braquial
com o úmero. Localiza-se a u1n terço da distância en-
tre IG- 11 (Quclii) e a prega a xilar.

Método
0.8 a l cun.
Funções energéticas
~ • Resolve a Fleuma.
~ • Promove fluxo do Qi para remover estase de Sangue
r- e relaxa o Qi dos tendões.
:i.·
oo • Reduz a febre.
!;;
Indicações
Patologias de cotovelo, braço e ombro; cpicondilite
umeral lateral; dor e espasmo em ombro e braço; cervi-
cobraquialgia; anrite reumatoide; pneumonia; pleurite;
peritonite; adenopatia cervical por tuberculose; hemop-
tise; sequela de apoplexia; ametropia; ncurite óptica.

Exen1plos de combinações
• F-4: icterícia com febre leve e ocasional.
• Primeiro estimule VB-2 1, JG- 11 , IG-10, JG-8, em
seguida insira JG- 13, JG-9 e P-8: braquialgia causa-
da por Vento-Frio.
• IG -1 1, lG- 10: cpicondilitc umeml lateral.
• IG- 14: adenopatia ccrvica.I por tu berculose.
• E-9: adenopatia cervical por tuberculose.
106 - CANAL DE ENERGIA DO INTCSTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO)

IG-14 (Binao) -Proeminência Muscular do Braço


• Ponto de Encontro com os Canais do lntesúno Delgado e da Bexiga* e Yang We/ Mar• .

IG

• Deadmantta/.,2001 (p.115).
•• Ellis ti ai.• 2004 (p. 103).
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO) - 107

Localização • Dispersa Vento e Vento-Calor.


Face lateral do braço, na inserção do músculo del- • Auxilia o Pulmão a dispersar o Qi.
toide, sobre a linha que liga IG- 11 (Quchi) a IG-15 • Beneficia o ombro e relaxa o Qi dos tendões.
(Jianyu), 7 cun acima de IG- 11. • Melhora a acuidade visual e ilumina os olhos.
• Usado para analgesia.
Nota de localizafão
O ponto fica no antebraço, na depressão visível e sen- Indicações
sível formada entre a inserção distal do músculo del- Braquialgia, afecções da articulação do ombro, om-
toide e o músculo braquial. Para facilitar sua localiza- bro doloroso, dor nas costas, distensão musculares do
IG
ção, peça ao paciente para flexionar o cotovelo co1n braço, rigidez da nuca, paralisia do membro superior,
o braço ligeiramente abduzido, a fim de evidenciar o doenças oculares, tuberculose ganglionar, hipertireoi-
músculo deltoide. dismo, diminuição da acuidade visual.
Método
ExempÚ>s de combinações
0,5 a 1 cun, inserção perpendicular, ou 0,8 a 1,2 cun,
inserção oblíqua. • IG-11: urticária.
• IG-12: dor com incapacidade de levantar o braço.
Funções energéticas • B-l,E-1: doenças do olho.
• Promove a circulação do Qi, removendo obstrução • Unir a Naoshang (extra, no meio do músculo deltoide)
dos canais e colaterais. ou IG- 11: ombralgia ou braquialgia.
• Dispersa estase de Sangue, resolve Fleuma e desfaz • Unir a IG-15: para fazer anestesia de tórax.
tumores. • IG-13: adenopatia cervical por tuberculose.

Músculo deltoide
108 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO)

IG-15 Gianyu) - Dobra do Ombro


• Ponto de Intersecção com o Yang Qiao Mai.

/
IG


CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO) - 109

Localiuiçã-0 Indicações
No ombro, superior ao milscu lo deltoide, na depres- Linfadenite cervical tuberculosa, odontalgia, dermatose,
são anterior e inferior ao acrômio, quando se abduz o bemiplegia, dor de braço e ombro por Vente>-Umidade,
braço, paralelamente à linha do horizonte, l cun para cervicobraquialgia, transtornos motores do ombro, rigi-
fora do acrômio. dez de pescoço, hipertensão arterial, dor articular, atrofia
e desequihôrio motor dos braços superiores, hiper-hidr<>-
Nota de localiuição se axilar, urticária, rubéola.
Quando o membro superior está em abdução comple-
ta, duas depressões ficam visíveis e palpáveis. O pon-
Exemplos de combinações IG
to situa-se na depressão anterior. • IG-11: ativam a circulação do Qi e do Sangue e
expelem Vento.
Método • IG-5: urticária.
Inserir 1 a 1,5 cun obliquamente para baixo, com o • Pontos Ashi, ID-10, IG-11 , VB-34: articulações
braço aduzido. 0,5 a 1 cun, inserção perpendicular, doloridas.
com o braço abduzido. • SJ-14, IG-11, SJ-5, lG-4: lesão do nervo radial.
• IG-11, IG-4, SJ-5: paralisia de membros superiores.
Funções energéticas • E-38, B-57, SJ- 14,VB-34: bursite aguda.
• Regula e promove a circulação de Qi, Sangue e • Ba-9, E-38, B -57, SJ- 14, ID-9, 10- 11: ombro con-
Fleuma; desfaz nódulos. gelado.
• Dissipa Vento e Umidade patogênicos Externos e • Sangria venosa combinada com ventosa e ID- 10:
Calor do Yang111ing. cervicobraqu ialgia.
• Relaxa o Qi dos tendões; fortalece as articulações • SJ-14, IG-11, IG-4, VB -30, VB-20, VB-34, E-36,
dos membros superiores e alivia a dor. VB-39: apoplexia.

< )
11 O - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANCMINC DA MÃO)

IG-16 Gugu)- Osso Largo


• Ponto de Lntersecção com Yang Qiao Mai.
• Dele um ramo segue a Du-14.

ÍJ /
IG
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANCMINC DA MÃO) - 111

Localização • Fortalece o Qi do ombro, relaxando músculos e


Na face superior do ombro, na depressão medial ao tendões e beneficiando as articulações.
processo acromial da escápula e entre a extremidade • Desce o Qi do Pulmão, e domina o Qi Invertido.
lateral da clavícula e a espinha escapular. • Abre o tórax .

Nota de localização l11dicações


Busque a articulação acrômio-claviculnr e a transição Braquialgia, cervicobraquialgia, doenças da articula-
entre espinha da escápula ao acrômio, sobre a porção ção do ombro e partes moles, dificuldade para elevar
lateral do músculo trapézio e supraespinhal. Loca lizá- o braço, dor e dcscquillbrio motor nas extremidades
IG
-lo com o ombro relaxado. superiores, hemoplise, tosse, asma, tuberculose dos
Método nódulos linfáticos cervicais, dispneia, bócio, convul-
sões infantis, odontalgia.
0,5 a 0,8 cun.
Segundo Deadman, inserção profunda em direção Exemplos de combinações
medial pode causar pneumotórax em pacientes muito
magros• . • IG-15: tendinite supraespinhal e patologi~ do ombro.
• ID-2: dificuldade de levantar ombro e braço.
Funções energéticas • Unir a SJ-14, C- 1, e VB-34: periartrite do ombro.
• Promove a limpeza dos canais, expelindo Vento , • P-6, P-5, P-10: catarro hemóptico.
dispersando Frio patogênico para eliminar o Sangue • Du-14. ID-15, Ren- 17, E- 18, Pc- 17, R-1: hemoptise.
estagnado. • VB-20,E-25, Du-14, 10-3, B-60, B-62: dor no pescoço.

• Dcadman <1ai•• 2001 (p. l 17).


112 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO)

IG-17 (fianding)- Utensílio do Paraíso

IG


CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO) - 113

Localização Indicações
Região anterolateral do pescoço, sobre a margem Tonsilite, afecções da garganta, adenopatia cervical,
posterior do músculo estemocleidomastóideo, 1 c11n paralisia do músculo hioglosso, afonia aguda, soluço,
abaixo da proeminência laríngea. bócio, afasia, soluço nervoso, linfadenite cervical tu-
berculosa, tosse, asma, laringite, paralisia das extre-
Nota de localizafão
midades superiores.
Peça ao paciente para girar a cabeça para o lado con-
trário ao ponto e aplique resistência ao seu queixo; o Exemplos de combinações
músculo estemocleidomastóideo ficará aparente (ver • P-5: perda da voz. IG
Cap.l, Músculo estemocleidomastóideo). A vascula- • SJ-13, Ren-22, IG-4, E-36: bócio.
rização é realizada pela veia carótida externa. • B-12, B-60, Ren-4, SJ-1: cefaleia com tontura.
• Ren-23,e-5,IG- 18,p-10: rouquidão.
Méto<kJ • SJ-3, Ren-22 , IG-4, E-36: bócio simples e hiper-
O,3 a O,5 cun, inserção perpendicular; O,5 a O,8 cun, tireoidismo.
inserção oblíqua. • Ren-17, Ren-6, Pc-6, B-21, Ba-6, Zhongkui (extra,
na ponta do osso, na articulação falângica proximal
Funções energéticas
ao dedo médio, na face dorsal), B-19, 10-4: náusea
• Faz a limpeza do Qi do Pulmão, promovendo o e vômito.
fiuxo do Qi, remove ndo estase de Sangue.
• Libera a garganta, beneficia laringe e faringe.

Músculo
esternocleidomastóideo
114 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO)

IG-18 (Futu) - Borda do Hioide


• Ponto Janela do Céu.

/
IG -


o
CANAL DE ENERGIA DO INTESTI NO GRO SSO (YANCMINC DA MÃO) - 115

Localização • Elimina Vento do pescoço e regula o fluxo do Qi e


a circulação do Sangue.
Na face lateral do pescoço, na altura da proeminên-
cia laríngea. entre as cabeças estemal e clavicular do • RemoveCa.l ordo tórax e da garganta, umedecendo-a.
músculo estcmocleidomastóideo. Indicações
Nota de localização Afasia, tonsilite, distensão e dor de garganta, faringite,
expectoração espessa, catarro, tosse, asma, dispneia,
Peça ao paciente para girar a cabeça para o lado con-
respiração difícil, caxumba, laringite, dislalia, nódu-
trário ao ponto e aplique resistência ao seu queixo; o
mllsculo esternocleidomastóideo ficará aparente (ver
lo nas cordas vocais, dor em ombro e braço, afonia IG
Cap. l , Mllsculo estemocleidomastóideo}. Nas mu- aguda, ronco, soluço, bócio, linfadenite cervical tu-
lheres, a proeminência laríngea é indistinta, palpar a berculosa, hipertensão, neurose, histeria, esquizofre-
depressão formada pelo osso hioide e a borda superior nia, anestesia por Acupuntura em cirurgia de tiroide,
da cartilagem lireóidea na linha média, lateralmente a dificuldade para deglutir, hemiplegia.
E-9 (Renying). Esta região é vascularizada pela artéria Exemplos de combinações
cervical ascendente.
• VB-30: hemiplegia.
Método • Ren-22, IG-4: voz rouca.
0,3 a 0,5 cun, inserção perpendicular; 0,5 a 0,8, inser- • Ren-22, R-3: dispncia e ruídos da garganta.
ção oblíqua. • Ren-23, YB-20, IG-4: disfagia.
• Ren-23, C-5, IG-4: mudez.
Funções energéticas • Ren-22, IG-4, R-3: dis lalia.
• Circula e difunde o Qi do Pulmão, transforma a • IG-4, Pc-5: voz rouca.
Fleuma e alivia a tosse. • IG-4, Ren -22: congestão na garganta.

Músculo
estemocleidomas tóideo
116 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO)

/ ,
IG
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO) - 117

Localiuzçã-0 Indicações
0,.5 c11n lateral ao ponto Ou-26 (Rllenzhong), situado Paralisia facial, rinites, epistaxe, obstrução nasal, des-
na face medial da ala nasal. maios, perda da consciência, desvio da comissura dos
lábios, trismo, sinusite.
Nota de localiU1Ção
Du-26 (Rhenz.Jwng) situa-se no philtru1n, na junção Exemplos de combinações
do terço superior e dois terços inferiores. • Ren-23: reduz Calor e extingue sangramento.
• &4, E-2, VB-14: paralisia facial .
Método • Qianmeng (extra, região pré-auricular, 0,.5 c11n an- IG
0,3 a 0,.5 cun . terior ao lóbulo da orelha), E-4 , E-2, VB - 14:
paralisia facial.
Funções energéticas
• Yintong (extra, linba mediana anterior, entre asso-
• Reduz a febre. brancelhas), P-7: epistaxe ou obstrução nasal.
• Expele Vento. • Du-23, Taiyang (extra, 1 cun posterior ao ponto
médio entre a extremidade lateral da sobrancelha e
o epicanto lateral do olho): rinite atrófica.
• E-7. Taiyang (extra, depressão 1 c11n lateral ao meio
da linha que une a cxtrernidadc lateral da sobrance-
lha e o canto externo do olho), IG-4, E-44, R-3: dor
de dente na região anterior.

0,5 cun
118 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANGMING DA MÃO)

IG-20 (Yingxiang) - Fragrância Acolhida


• Ponto de Encontro com o Canal do Estômago.

/
IG --

)
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO GROSSO (YANCMINC DA MÃO) - 119

Localização aguda e crônica, espirro, rinorreia, ascaridíase das


vias biliares, tique, glaucoma, congestão da conjunti-
No sulco nasolabial, ao lado do ponto médio da borda
lateral da asa do nariz, 1 cun superior e lateral a JG- l 9 va, lacrimação, miopia, dor de dente.
(Heliao).
Exemplos de combinações
Nota de localização • IG-4: prurido facial.
O sulco nasolabial fica visível pedindo-se ao paciente • B- 12: bronquite aguda.
que sorria (ver Cap. 1, Sulco nasolabial). • E-2: ascaridfasc biliar.
• IG-4, Du-23: epistaxc.
IG
Método
• Unir lG-20 com Bitong (extra, na intersecção do
0.2 a 0,3 cu11 , inserção perpendicular, ou 0,3 a 0,5 cun, nariz com a face), IG-4, IG- 11: dermatoses.
inserção obliqua ou transversa.
• P-7, Bitong (extra, na intersecção do nariz com a
Funções energéticas face), IG-4, Yintang (extra, linha mediana anterior
• Dispersa Vento, Vento-Frio e Vento-Calor. da face, entre as sobrancelhas): secreção nasal es-
pessa e pegajosa.
• Dispersa Calor patogênico e reduz a febre.
• Remove a estagnação do Qi do nariz, abre os ori- • E-2, IG-18, IG-4: dor maxilar.
fícios nasais. • Du-23, Yintang (extra, linha mediana anterior da
• Remove a estase de Sangue. face, entre as sobrancelhas), IG-4: rinite, obstrução
• Melhora a acuidade visual. nasal , sinusite.
• Traia ascaridíase do trato biliar. • VB-20, P-7, IG-4, SJ-5: resfriado por Vento-Frio e
obstrução nasal.
Indicações • IG- 11 , VB -20, SJ-5: obstrução nasal e rinorreia
Obstrução nasal , patologias do nariz, episraxe, anos- de gripe.
mia, paralisia facial, neuralgias do trigêmeo (ramo Il), • Du-16, VB-20, Du - 14, Ren-23 , IG-4, P-9, E-36:
prurido facial, edema de face e nariz, sinusite, rinite disosmia, Umidade-Calor.

)
Capítufo 4

,
122 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

Canal Principal
Recebe sua Energia do Canal Principal do Intestino
E Grosso por um ramo profundo que se separa no pon-
to IG-20 (Yingxiang), na face lateral da asa do nariz.
Sobe para o canto interno do olho e encontra o Ca-
nal de Energia da Bexiga, no ponto B-1 (Jing1ning).
Segue lateralmente, descendo para a margem inferior
da órbita, ao longo da face lateral do nariz; chega ao
ponto E-1 (Chengqi), ponto inicial do Canal. Desce
penetrando na gengiva dos dentes superiores e se une
a Du Mai (Du-26 (Renzhong]), pouco acima do pon-
to médio do philtru111, local em que também encon- ~
'
tra sua contrapartida do lado oposto. Circula ao redor ~
gg
dos lábios até a linha mediana e cru1.a com o ponto
Ren-24 (Chengjia11g), no sulco mcntolabial. Corre ao
longo do lado inferior da bochecha, alcançando E-5
*
"'
(Daying), na borda anterior do músculo masseter,
curvando-se ao longo do ângulo da mandíbula em E-6
(Jiache); sobe anterior à orelha, via E-7 (Xiaguan),
cruza por VB-3 (Shangguan). acima da borda supe-
rior do aroo z:igomático. Segue o contorno da linha
anterior dos cabelos da região temporal até o ponto
E-8 (Touwei), passando por VB-6 (Xuan/1) e VB-4
(Hanya11)º . Continua pela linha anterior dos cabelos
para encontrar o Du Mai no ponto Du-24 (Shenring).
De E-5 (Daying), outro ramo desce ant.e rionnente
à margem do músculo esternocleidomastóideo na gar-
ganta, percorre um trajeto por E-9 (Renying) na borda
anterior deste músculo, até a fossa supraclavicular,
passando por E-11 (Qishe), no ângulo encre suas cabe-
ças esternal e c lavicular. enviando ramo à coluna em
Du-14 (Dav1ui)*• .

• Se11undoSoline.s.ral.• 2000 (p . 98).eDeadmane1al .. 200I (p. 126).


passa uunbérn porVll-5 (X1w11/,,).
•• Em Du-14 (Dazhul) enconlnl os outros cinco Canais Principais Yang.
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 123

- -

Do ponto E-12 (Quepen), no centro da fossa suprd-


clavicular, o Canal segue dois cursos: um profundo e
outro superficial. O curso profundo penetra no tórax, '•

atravessa o diafragma, penetra no estômago (órgão a ·. E


ele associado). A partir da cárdia, uma pequena rami- ....
ficação sai para o ponto Ren-13 (Shangwan), na linha
mediana,5 cun acima da cicatriz umbilical; conecta-se
com o baço (órgão de seu Canal acoplado), segue para
o ponto Ren-12 (Zhongwan), 4 cun acima da cicatriz
umbilical. A partir do piloro*, segue dentro do abdome i
e emerge em E-30 (Qichong), no nível da margem
.... ...
.•

superior da sínfise púbica. •
No curso superficial do E-12 (Quepen), ao longo
da linha mamilar (4 cun laterais à linha mediana ante-
rior), até o espaço intercostal V, em E-18 (Rugen), e,
depois, segue a linha 2 cun laterais à linha mediana;
desce direto pelo abdome em direção a E-30 (Qichong),
local em que s e encontra com o ramo profundo.
A panir de E-30 (Qichong) desce ao longo do as-
pecto anterolateraJ da coxa, atravessando E-31 (Bigua11)
e E-32 (Futu). Do fêmur, alcança o joelho, lateralmen-
te ao ligamento patelar, onde está localizado E-35
(Dayi11g). Continua para baixo, num trajeto ao longo
da margem anterior do aspecto lateral da tuberosidade
tibial. Atravessa o dorso do pé e alcança a face lateral
do segundo artelho em E-45 (Lidui).
A partir de E-36 (ZusMh), 3 cun abaixo da borda
inferior da patela e lateral à tuberosidade tíbia!, um
ramo vai para baixo até a extremidade do artelho ili.
A partir de E-42 (Chongyang), localizado entre os
ossos metatarsais n e III e o cuneiforme, sobre a arté-
ria dorsal do pé, um ramo segue a Ba-1 (Yir1bal), no
ângulo medial da unha do hálux. •

* Segundo Solinas et ai., 2000 (p. 98), • pmir do piloro, dentro do ubdo·
me, um ramo nlcança Rcn-10 (Xiawan).


•••
: \ 1


••
•• •

124 - CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMING DO PÉ)

O Canal Principal relaciona-se com os seguintes


órgãos internos:
• Estômago e Baço, Intestino Gros o e Oelgado1•

O Canal Principal relaciona-se com os seguintes


Canais Principais:
• Do Intestino Grosso, recebe sua Energia (JG-20 ~
E-1) (conexão Yang- Yang da unidade Yang1ning).
• Do Baço, ao qual transmite sua Energia (E-42 ~
Ba- 1) (dupla Yln- Yang).

Pontos de Intersecção do Canal Principal:


E • IG-20 (Yingxiang), B-1 (Jingn1ing), VB-3 (Shang-
g11a11), VB-4 (Hanyan), VB-6 ( Xuan/1), Du-14 (Da-
zhu1), Rcn-24 (Chengjiang), Du-24 (Shenting),
Du-26 (Renzhang), Da-28 (Y"m jiao), Ren-12 (Zhong-
wan), Ren- 13 (Shangwan)2•

Canal de Conexão
Canal de Conexão, trajeto:
Separa-se do seu Canal Principal em E-40 (Feng-
long), 8 cun acima do m.a léolo lateral. Divide-se cm
dois ramos: transverso e longitudinal. O ramo trans-
verso segue o aspecto medial da região inferior da
perna e conecta-se ao Canal Principal do Baço. O ramo
longitudinal segue o aspecto anterolateral da perna,
passa pela coxa e pelo tronco, alcança o aspecto lateral
do pescoço. Daí sobe para a nuca e a.lcança a cabeça,
local do Qi de outros Canais Yang, segue internamen-
te para terminar na garganta.
Alguns autores consideram ainda que a partir do
pescoço, um segundo ramo dirige-se à garganta.
Quando o Qi deste Colateral fica invertido, podem
ocorrer dor e inchaço na garganta, com perda de voz.
Nos casos de Excesso de Energia neste Canal, os sinto-
mas podem ser esquizofrenia e epilepsia; nos casos de
Deficiência, atrofia e dificuldade motora. Para tratar
estes sintomas, pode-se eleger o ponto E-40 (Fenglong/3.

Grande Luo do Estômago (Xu Li):


Localizado no lado esquerdo do tórax, onde oco-
ração batee pode ser palpado. Origina-se no estômago,
atravessa o diafragma4 , ramifica-se em pulmão, traqueia
e laringe, segue ao coração.

' Segundo o livro Acupuntura - U1t1 TtJrlO Comprun.>fvtl, da PaculdJJdc


de Medicina Chinesa de Shangbai. 1996 (p. 48), rclocionu·M: com o
Conçilo.
2 Segundo SolillM tt ai., 2000 (p. 99), VB-3 (SlwnggWJn) e Rc11· 10 (X.ia·
""") slo wm~m ponlOS de Eocontzo dc>lc Canal; de ooordo com
Dcadman tt a/,2001 (p. 126), pes.sa-hém p<ll'V8-S (X.-lu),c VB-21
(J.iaAjin&) e Rcn·24 (Clrm&fia"&) oão poolOO de Encontzo dc!IC Caml.
l SJti Xw4'·lflin'1 Compnlomsive Texlbo<M of~ and MoxJ/Jus.
tion, 2007 (p. 6S).
• ~ndo Solin1S., ai., 2000 (p. 107), na án:.t do diafragma, uJ»SC a
R<n 17 (Shanzhong).
CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) 125

Canal Muscular
Inicia na extremidade dos artelhos íl, fTI e IV, segue
ao longo do dorso do pé na região desses três dedos e
dos ossos metatarsais II, ID e IV e se liga em t0mo de
E-41 (Jiexi), onde se divide em dois ramos.
Um ramo anterolateral ascende obliquamente o as-
pecto lateral da perna, liga-se ao aspecto lateral do joelho
(corre ao longo do aspecto anterolateral da coxa). Liga-se
ao aspecto anterior do quadril. Segue pela parede ante-
l rolateral do abdome até as costelas flutuantes. Gira em
:i; tOmo da base do tórax, alcançando a coluna vertebral nos
~ aspectOs dorsal e inferior do tórax, onde se liga.
~ O outro ramo sobe verticalmente pela tfbia, seguin-
s; do pelo aspecto anterior da perna, ao longo da canela,
até o joelho; abaixo do joelho, liga-se ao nível da pa-
tela, encontrando a cabeça da fibula e estende uma
pequena ramificação que se conecta com o Canal Mus-
cular da Vesícula Biliar.em tomo de VB-34 (Yangling-
q11an). O raino principal continua ao longo do aspecto
anterior da coxa, alcança E-32 (Futu), 6 cu11 acima do
bordo superior da pateta, a fim de se conectar na região
pélvica, local em que se liga aos órgãos reprodutores•;
sobe venicalmente pelo abdome e pelo tórax, conecta·
-se com a clavícula, sobe pelo aspecto anterolateral do
pescoço, a.lcança o ângulo da mandfbula, onde se liga.
A partir daí, um sub-ramo circunda a boca e, a panir
do canto dos lábios, sobe para a parte lateral do nariz,
onde se conecta ao Canal Muscular da Bexiga; estende-
-se sobre a pálpebra inferior, servindo, deste modo,

• Scaundo Solinas., al., 2000 (p. 101). n.,,10 local une-se n Rcn-2 (Qug•)
e a Ren-3 (Zlwngjr).
126 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

para formar, junto com o Canal Muscular da Bexiga,


E
uma rede muscular ao redor do olho. Um sub-ramo
parte do ângulo da mandíbula para tenninar na frente
da orelha• .
Quando este canal está desequilibrado, podem
ocorrer espasmos e dor em dedo médio e tíbia, rigidez
no pé, espasmos e dor na coxa, inchaço na região fron-
tal da coxa, hérnia, contração muscular no abdome
irradiando-se par-.i fossa supraclavicular e bochecha,
súbito desvio da boca. Quando o Frio patogênico in- ~
vade os músculos da bochecha, podem ocorrer desv io .;.
da rima bucal e incapacidade de fechar os olhos. Quan- ~
do o Calor patogênico invade tais músculos, podem gg
aparecer desvio da rima bucal e flacidez dos tendões
com incapacidade de abrir os olhos**. "'
*
Conexões do Canal Muscular do Estômago com
os outros Canais Musculares:
• O Canal Muscular de Estômago conecta-se com os
Canais Musculares de Vesícula Biliar, Lntestino
Grosso e Bexiga.

Pontos de Encontro do Ca.na.l Muscular Yang


do pé:
• E-12 (Quepen) é ponto de Cruzamento de quatro
Canais Musculares (Bexiga, Vesícula Biliar, Estô-
mago e fnte~tino Grosso).

• Segundo Sollnu. 2000 (p. 102). oulrO sub-ramo vai para o osso zigo-
málico. onde enconllll os OUll'O> Canais Musculares YanR do pt, cm
ID-18 (Q1@1/ÚJO).
•• Siri Xue·min '1 Compn1/1t11sive Twbook o/,.,cupuncture a11d Moxibus·
tÍOll, 2007 (p. 68).
CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 127

Canal Divergente
Diverge do seu Canal Principal na coxa, abaixo de
E-31 (Bigua11), no aspecto anterolateral da coxa, en-
tre os músculos sartório e tensor da fáscia laia; sobe
em direção ao abdome, na região da virilha peneira
mais profundamente, próximo a E-30 (Qicho11g), 2
c11t1 latem.is a Ren-2 (Qugu). Dirige-se ao estômago,
dispersa-se ao alcançar o baço, ascende para peneirar
no coração, corre ao longo da gargania até a chanfra-
dura cstcmal, faz um trajeto através do ponto E-12
(Q11epen), no meio da fossa supraclavicular; ascen-
de ao longo da garganta, na borda anterior do mús-
culo estemocleidomastóideo, para encontrar seu Ca-
nal Principal e o Canal Divergente do Baço em E-9
(Renying)*. Emerge na boca, corre ao longo da asa do
nariz, conecta-se com os olhos, a fim de se unir com
seu Canal Principal no ponto E-l (Che11gqi).

* 1!51e 1ajcto foi retirado do Solinas et al., 2000 (p. 109).


128 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-1 (Chengqi) - Recipiente das Lágrimas


• Ponto de Encontro com Yang Qiao Mai e Ren Mai e, segundo Auteroche, Du Maiº.
• O Canal Divergen1e une-se com o Canal Principal.

~ 1
1

• Segundo Sohiw., aJ•• 2000 (p. 238).


CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 129

Localização • Dispersa Vento, Calor e reduz Fogo patogênico do


Na face, entre o bulbo do olho e o centro da margem Yangming.
infraorbital, 0,7 cun diretamente abaixo da pupila, • Clareia e beneficia a visão e interrompe lacri-
quando o paciente olha diretamente para frente. meJamento.

Nota de localização Indicações


Com o paciente olhando diretamente para frente , des- Doenças oculares de qualquer espécie como hiperemia
lize o dedo na pálpebra inferior até encontrar a região da conjuntiva aguda e crônica, atrofia do nervo óptico,
infraorbital. lacrimejamento (por Vento), ne uralgia oftálmica, es-
Cuidados especiais trabismo convergente, miopia, astigmatismo, daltonis-
mo , retinite pigmentosa, glaucoma , cegueira noturna ,
Proteja o bulbo do olho, pedindo ao paciente que vire
o olho para cima; empurre suavemente o bulbo do olho hipermetropia, catarata, paralisia/espasmo da pálpebra,
ceratite, paralisia facial, cefaleia frontal, enxaqueca
E
e insira a agulha ao longo da margem orbital. Devem
ser evitadas manobras de aprofundar e retirar a agulha. (ponto contralateral), neuralgia do trigêmeo.
Esta região é vasculariz.ada pelos ramos das artérias e
veias infraorbitais e oftálmicas.
Exempws de combinações
Como a região é muito vascularizada, avise ao • E-2: paralisia do músculo reto inferior do bulbo
paciente que mesmo após compressão prolongada do olho.
existe possibilidade de formar hematoma. Nesta região, • B-1, VB -20, E-36, B- 18, B-23: atrofia do nervo
e ncontram-se ramos de artéria e veia oftálmicas. óptico.

i
~
'":-
Método
0,3 a 0,7 cun.
• B-1, B-2, VB -20, 10 -4, VB -37: miopia.
• Taiyang (extra, depressão 1 cun lateral ao meio da
linha que une a extremidade lateral das sobrancelha
~ Funções energéticas
S;
e o canto externo do olho) , 10-4, lG-11, E-2: terço!
• Ativa a circulação do Qi e do Sangue nos Canais e com edema na pálpebra superior.
Colaterais. • E-40,Ba-16, Ba- 13: obstipação.
130 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-2 (Sibai) - Tudo Brilhando


• Ponto de Encontro com o Yang Qiao Mai* .

•...

• Solinu <t ai.. 2000 (p. 254).


CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) 131

Loca/ir.ação • Elimina Vento patogênico, Frio e Calor.


• Clareia e beneficia a vis ão.
Na face, 0,3 cun distal a E-1 (Chengq1), na depressão
• Relaxa o Qi dos músculos faciais e alivia a dor.
óssea do forame infraorbital, 1 cun abaixo da pupila,
• Trata ascaridíase nas vias biliares.
quando o paciente olha diretamente para frente.
• Utilizado em analgesia para cirurgias oculares.
Nota de loca/ir.ação Indicações
O forame infraorbital pode ser sentido por palpação
Espasmo ou paralisia facial, desvio da comissura de
abaixo da margem do osso orbital, 0,3 c1111 abaixo da
boca e o lhos, espasmo palpebral, afecções oculares,
margem (vcrCap. 1, Forame infraorbital). Nesta região, conjuntivite, hiperemia ocular, neuralgia do trigêmeo
encontram-se ramos de artéria e veia oftálmicas. (ramo I), visão turva, ccratitc, miopia, dor e prurido
ocular, dor na face , sinusite maxilar, edema facial alér-
Método
gico, edema e cefaleia oculares, tontura e vertigem,
E
0,2 a 0,4 cun, inserção perpendicular; 0,3 a 0,5 cun, rinite, ascaridíase nas vias biliares.
inserção horizontal em direção à articulação, ao ponto
10 - 18 (Q1wnliao) ou IG-20 ( Yingxiang) , etc. Exemplos de combinações
• E-4, VB-20, IG-4, VB - 14, SJ-17: paralisia facial.
Funções energéticas • IG-4, E-6, VB-14, SJ- 17: espasmo facial.
• Suaviza a circulação do Qi e do Sangue nos Colaterais. • VB-20, IG-4, Ba-6: terço!.
• Faz difusão do Qi do Fígado e fortalece o Qi da • E-7, E-4, E-6, ID-8, JG-4: paralisia facial, frêmito
Vesícula Biliar. dos músculos faciais.
132 - CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ)

E-3 (Juliao) - Grande Fenda


• Ponto de Encontro com o Yang Qiao Mai.


CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANGMING DO PÉ) - 133

Localização • Relaxa o Qi dos músculos faciais e me lhora a acui-


Na face, abaixo de E-2 (Sibai), lateral ao sulco naso- dade visual.
labial, no cruzamento da linha horizontal que passa
Indicações
pela margem inferior da asa do nariz com a linha ver-
úcal traçada ao nível da pupila, quando o paciente olha Afecções oculares, dor ocular, glaucoma, hiperemia
diretamente para frente. da conjuntiva, espasmos de pálpebras e nariz, lacri-
mcjamento, miopia, prurido ocular, cpistaxe, inna-
Nota de localiztlção
mação e dor em bochecha e lábios, rinite, obstrução
A linha venical deve ser imaginada com o paciente nasal, neuralgia do trigêmeo (ramo 111), odontalgia,
olhando diretamente para frente e cruzar a linha do nariz. paralisia facial.
M étodo
Exemplos de combinações E
0,3 a 0,5 cun, inserção perpendicular, horizontal em
direção à articulação, ao ponto E-4 (Dicang) ou ID-18 • E-6, SJ-17, IG-4: desvio da comissura de boca
(Quanliao), etc. e olho.
• E-7. E-4, E-6, TG-4: paraiis ia facial com desvio
Funções energéticas da boca.
• Dispersa Vento e Frio Externo. • SJ-17, E-4, E-2: tremor dos músculos faciais.
• Expele o Vento da face e reduz febre. • E-2, IG-20, E-7, E-44, SJ- 17: neuralgia do trig<!meo
• Desobslrui o Canal, alivia a dor e d issipa edema. (ramo II).
• Ativa a circulação de Sangue nos Canais. • E-7 , P-5, E-43: dor na região zigomática.


;







• • • • •
134 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-4 (Dicang) - Celeiro da Terra


• Ponto de Encontro com Yang Qiao Mai, Canal do Intestino Grosso e, segundo Ellis, com Ren Mat .

• Ellis" al.. 200ol (p. 116).


CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) 135

Loca/ir.ação • Fonalece as funções energéticas do Estômago.


• Fonalece o Wei Qí (antipatogênico).
Na face, 0 ,4 cun lateral ao canto da boca, na linha
• Relaxa a musculatura da face.
perpendicular da pupila, com o paciente olhando dire-
tamente para frente. Indicações
Nota de loca/ir.ação Desvio da comissura labial e dos olhos, paralisia facial ,
neuralgia do trigêmco (ramo II), Irismo, odontalgia,
Este ponto fica no sulco nasolabial. O sulco nasolabial
inflamação da bochecha, espasmos muscular facial ,
fica mais acentuado pedindo-se ao paciente que sorria.
contração muscular das pálpebras, impossibilidade de
Nesta região, encontram-se artérias e veias faciais do fechar os olhos, sialorreia, afasia, convulsões infantis.
músculo orbicular da boca. Esta região é vascularizada
por artéria e veia faciais. Exemplos de combinações
• ID-3: tremor da boca.
E
Método • Ren-24, lG-4: salivação excessiva.
0,2 cun , inserção perpendicular, 0,3 a0,5 cun, inserção • E-2, >ú)·ao (extra, no meio da sobrancelha, na Linha
oblíqua, lateral ou venical. la 2 cun, inserção horizon- vertical acima da pupila, com o paciente olhando
tal cm direção a E-6 (Jiache), lG-20 (Yingxiang), etc. diretamente para frente): neuralgia do trigêmeo.
• E-6, IG-20, IG-4: paralisia facial.
Funções energéticas • VB-14, E-2, E-6, IG-4 , E-7, ID- 18: paralisia facial .
• Regula a circulação de Qi, dispersa Vento e Frio do • E-6, E-7, JG-4: em todas as afecções da boca.
Ya11gmi11g. • E-6, Ren-12, R-2 1, Pc-7, E-39, R-2: sialorreia.
• Suaviza circulação de Qi e Sangue nos Colatc.rais e • B-2, VB-14, SJ-23, E-2, IG-20, E-6, VB-20, IG-4:
alivia a dor. paralisia facial por Deficiência de Fígado e Rim.









...... ..•


136 - CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANGMING DO PÉ)

E-5 (Daying) - Grande Reunião


• Deste ponto, o Canal de Energia do Estômago se divide em um ramo ascendente e um descendente.
• Ponto de Encontro com o Canal de Energia da Vesícula Biliar*.

• Solinas., ai., 2000 (p. 207).


CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 137

Localiuzçã-0 Indicações
Região lateral e um pouco acima da margem da man- Odontalgia, inflamação da bochecha, trismo, dor de
díbula, na margem medial do músculo masseter, onde pescoço, dor da face, rigidez da Língua, desvio da co-
se palpa a artéria facial. missura labial, paralisia facial, parotidite, bócio, doen-
ças das cordas vocais.
Nota de localiuzção
Peça ao paciente para cerrar os dentes fortemente para Exemplos de combinações
evidenciar o mósculo masseter (ver Cap. 1, Mósculos • IG-3, VB-17: dor e perda de dente.
temporal e masscter). • ID-18, VB -2, TG-1 1: dor de dente com aversão
Neste ponto existe o ramo mandibular do nervo ao frio.
facial e o nervo auricular maior. • Ren-23, lG-l 7, lG-18, P- 10: rouquidão.
• Ren-23, E-7: estomatite. E
Método • VB- 14, Tayang (extra, depressão 1 cun lateral ao
0,3 a 0,5 cun, inserção oblíqua ou horizontal, em dire- meio da linha que une a extremidade latcra.1 das
ção a E-6 (Jiache), 8-4 (Jiache), etc. sobrancelha e o canto externo do olho).
• E-8, E-7: neuralgia do trigêmeo (ramo IH).
Funções energéticas
• Du-26, Ren-24, E-4, E-6, 10-18, VB-14, E-2, IG-4:
• Regula os Canais e Colaterais. paralisia facial.
• Promove o fluxo de Qi e Sangue. • E-2, E-3, E-4, SJ- 17, VB - 12, VB-20, E-6, E-36,
Re n-6, SJ-5, JG-4: desvio da comissu ra de boca
e ol hos.
• E- l , E-2,e-3,JG- 1.9, VB-3, fD- 18, Du- 18, VB-20,
IG-20 e Du-26: desvio da comissura da boca com
incapacidade de falar.
138 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMAGO (YANGMING DO PÉ)

"
E-6 (Jiache) - Veículo do Angu.lo da Mandíbula
• Ponto Fantasma de Sun Si Miao.
• Ponto de Encontro com o Canal de Energia da Vesfcula Biliar*.
• Ponto de Encontro com o Canal Muscular do San Jiao• •.

( )

• Solinas <I ai .• 2000 (p. 207).


•• LinK Sllu, 1995 (p. 215).
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANGMING DO PÉ) - 139

Localização • Elimina o Vento da face e alivia espasmos c dor.


Na bochecha, 1 cun superior ao ângulo anterior e acima • Diminui a sialorreia.
da mandíbula, na proeminência do músculo masseter. I ndicações
Nota de localização Desvio da comissura labial, odontalgia, trismo, para-
Peça ao paciente para apertar e relaxar a mandíbula lisia facial. dor e rigidez cervical, parotidite, espasmo
antes de localizá-lo (ver Cap. 1. Músculos temporal do músculo masscter, artrite tcmporomandibular, dor
e masseter). e edema de bochecha e face, neuralgia do trigêmeo.
caxumba, dor mandibular, histeria.
Método
Exemplos de combinações
1nserção perpendicular, O,3 a O,5 cun, inserção oblíqua
em direção a E-4 (Dicang), 0.8 a 1 cun, ou 1 a 2 cun, • IG-4: paralisia facial.
E
inserção horizontal até o ponto E-4. • E-4, SJ-17: desvio da comissura de boca e olhos.
• Pc-9, Du-26, TG-4, F-3: convulsão infantil com
Funções energéticas Irismo.
• Harmoniza o Qi do Estômago. • IG-4, SJ-17: parotidite.
• Fortalece os dentes, relaxa mllsculos faciais e faci- • SJ-17,SJ-15,IG-1 1, IG-4:caxumba.
1ita a abertura da mandíbula e melhor.a o Qi da arti- • Ren-24, IG-4: Irismo.
culação te1nporomandibular (ATM). • SJ-1, SJ-2: tinido e surdez.
• Dispersa Vento, Frio c limpa o Calor patogênico. • SJ-7, SJ-17: surdez.

Músculo masseter
140 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-7 (Xianguan) - Barreira Inferior


• Ponto de Encontro com o Canal de Energia da Vesícula Biliar.

/ )

E
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANGMING DO PÉ) - 141

Localização • Melhora funções do ouvido e da ATM.


Na face, distalmente ao osso zigomático, no centro da • Alivia espasmos e dor.
depressão entre a incisura da mandíbula ea borda inferior Indicações
do arco zigomático, anterior ao processo condilar da
Odontalgia, desvio da comissura de olhos e boca, sur-
mandlbula, na margem posterior do ml1sculo masseter.
dez, tinido, gengivite ulcerativa nccrosante aguda,
Nota de localiwção artrite temporomandibular, espasmo do músculo mas-
Peça ao paciente para fechar a boca com força para seter, neuralgia do trigêmeo (ramo III}, otite média,
localizar o ml1sculo masseter (ver Cap. I, Ml1sculos otalgias, infecção no ouvido. tinidos, otorreia, dor.
temporal e masscter) e palpe a depressão abaixo do desequiliôrio motor da mandíbula, surdimutismo.
aico zigomático. Exemplos de combinações
Método • IG-4: dor na ATM, artrite na ATM.
E
0,3 a 0,5 cun, inserção perpendicular; la l,5 cun , in- • &6, SJ-7. IG-4: espasmo do músculo masseter.
serção horizontal em direção a E-6 (Jiaclie), ID-19 • IG-4, E-6, SJ-17: odontalgia.
(Tinggo11g) ou ID-18 (Qua11/iao). • SJ-2, VB-20, IG-4, E-6, SJ-5: dor de dente por
Vento-Fogo.
Funções energéticas • SJ-21, ID-19, SJ-17, SJ-5: surdez, tinido, dor de
• Dispersa Vento, Vento-Calor e Frio do Ya11g111i11g. ouvido.
• Desobstrui o Canal, ativa os Colaterais e regula o Qi. • E-4, ID-18, IG-20, E-6, lG-4: paralisia facial.

Músculo masseter
142 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-8 (Touwei) - Canto da Cabeça


• Ponto de Encontro com o Canal da Vesícula Biliar e Yang ~Vei Mai . Segundo Yiliao Ni, os Canais Musculares Yang da Mão se en-
contram próxi mo a este ponto•.
• Ponto Janela do Céu.

~ 1
1
E

• Yitian Ní.1996(p. 85).


CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 143

Loca/ir.ação
Face lateral da cabeça, no nível do ângulo fronto-
temporal (Ver Cap.l, Músculos temporal e masscter),
0,5 cun internamente à linha anterior do couro ca-
beludo, 4,5 cun laterais a Du-24 (Shenting), na linha
mediana anterior.

Nota de localização
O ponto encontra-se 0,5 c1111 internamente da linha
anterior do couro cabeludo. Pode ser localizado co1n
várias referências.
Intersecção da linha vertical que pane 0,5 cun E
dentro da linha anterior do couro cabeludo, na têmpo-
ra com a linha transversal que passa pelo ponto Du-24
(Slienting) (Fig. A).
a linha horizontal que passa 0,5 cun dentro da
linha anterior do couro cabeludo lateral ao ponto VB-15 A
(Toulifl(/t), situado na intersecção desta linha com a linha
vertical da pupila quando o paciente olha diretamente
para frente, em distância igual a este ponto com Du-24
(She111i11g), na linha mediana anterior (Fig. 8).
Intersecção da linha vertical que parte 0,5 c11n
dentro da linha anterior do couro cabeludo com a linha
vertical, 0,5 c11n lateral em relação ao ponto extra
Taiyang ( 1 cun posterior ao ponto médio entre a exue-
midade lateral da sobrancelha e o epicanto lateral do
olho) (Fig. C).

Método
0,5 a 1 cun, inserção horizontal para baixo ou para trás.

Funções energéticas
• Elimina o Calor ascendente.
• Dispersa Vento,CaloreFogopatogênicosdo Yang1ni11g.
• Alivia a tontura e a dor. B
• Beneficia a visão, ilumina os olhos e interrompe o
lacrimejarnento.
1
Indicações
1
Cefaleia frontal, cefaleia unilateral, enxaqueca, pato- !

logias oculares como dor nos olhos, tique das pálpebras,


~E-8
:::i'
conjuntivite, visão turva, lacrimejamento (Vento), di- CJ!
111 :
minuição da acuidade visual, neurite óptica, paralisia o"':
1
facial, vertigem, tontura, psicose, esquizofrenia. •Tslyang

Exemplos de combinações
• P-7: enxaqueca.
~'
• VB-14, SJ-17, E-4, IG-20: par.ilisia facial.
• VB-7, E-7, E-6, IG-4: atonia mastigatória.
• Unir F-3 com R- 1, unir IG-4 com 10 -3: psicose.
• VB-20, Yi111a11g (extra, linha mediana anterior, entre
as sobrancelhas), Pc-6: tontura, vertigem.
e
144 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-9 (Renying) - Boas-vindas do Homem


• Ponto de Encontro com o Canal da Vesícula Biliar.
• Ponto Janela do Céu.
• Ponto Mar do Qi.

~ 1
1
E


;
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 145

Localiuzçã-0 • Dispersa Calor; alivia febre, asma e edema.


Região anterolateral do pescoço, na altura da proemi- • Fortalece e umedece a garganta.
nência laríngea, na margem anterior do músculo ester- • Remove obstrução dos Canais e Colaterais para re-
nocleidomastóideo, entre a artéria carótida e a borda gular Qi e Sangue.
lateral da cartilagem tireóidea. • Desfaz nódulos e massas.

Nota de localizaçã-0 Indicações


Para evideociar o músculo estemocleidomastóideo, peça Hipertensão ou hipotensão arterial , asma, afonia, di sp-
ao paciente para girar a cabeça para o lado contrário ao neia, soluços, eructação, náusea, vertigem, cefaleia,
ponto e aplique resistência ao seu queixo e o músculo
estemocleidomastóideo ficará aparente (ver Cap.l,
sensação de plenitude no tórax com dificuldade de ,
respirar, hipertireoidismo, dificuldade na fala, faringi-
Músculo esternocleidomastóideo). Para inserir o ponto te, tonsilitc, clisfagia, linfadenite tuberculosa cervical, E
com o paciente deitado, sem travesseiro, palpe a proe- bócio, rubor facial, colelitfasc.
minência larCngea; lateralmente, a borda lateral da
cartilagem tireóidea; e, um pouco mais lateralmente, Exemplos de combinações
sinta a artéria carótida. Insira a agulha entre a artéria e • Pc-6, Pc-5, B-15, B-1, B-2, E-1: reduz o batimento
a margem do músculo. Nas mulheres, palpe a depressão
cardíaco.
formada pela borda inferior do osso hioide e a borda
• IG-11, E-36: hipertensão arterial.
superior da cartilagem tircóidca. A vascularização fica
• Du-20, Du-26, Pc-6, F-3, B- 17, B-20, B- 18: hipo-
por conta da artéria tircóidea superior, artéria carótida
tensão arterial.
ex tema , veias carótidas interior e superficial.
• Du-26, F-3, Du-25, Pc-6: hipotensão arterial.
Método • E- 10: hipertrofia das cordas vocais.
0,5 a 0,8 CUll. • IG-4, F-3, R-3: hipertensão.
• E-9, Pc-6, Ba-6 (sangramento com agulha nor de
Funções energéticas ameixeira): hipertensão.
• Regula o Qi Invertido.
• Tonifica o Qi e difunde o Qi do Pulmão.

Músculo
esternocleldomatóldeo

Proeminência - - -
laríngea
146 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-10 (Shuitu) - forro de Líquido


'
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 147

Localiuzçã-0 Funções energéticas


Margem anlerior do ml1sculo estemocleidomasLóideo, • Remove estagnação do Canal.
levemente distal à cartilagem tircóidca, ou no meio da • Regula o Qi do Pulmão, alivia Losse e asma.
distância entre E-9 (Rer1ying) e E-11 (Qishe). • Elimina o Vento do pescoço e beneficia a garganta.
• Reduz a febre.
Nota de localização
A margem do músculo estemocleidomastóideo fica Indicações
evidenciada girando a cabeça do pacienle do lado con- Tonsilite, tosse, asma, dispneia, edema e dor de gar-
trário ao que vai ser inserido, aplicando contra resistência ganta, doenças das cordas vocais, regurgitação, soluço,
ao queixo (verCap. 1, Músculoestcmocleidomastóideo). coqueluche, linfadenile tuberculosa cervical, parai isia
Localiz.e o ponto E-9, na altura da proeminência laríngea; do músculo estemocleidomastóideo, bócio.
o E-1 1, na margem superior da extremidade estemal da
Exempws de co1nbini1fÕes
E
clavícula; o E-10, na metade da distância entre os dois.
Para inserir a agulha, volte a cabeça para o lugar. • Zeqian(ponto extra,! cun distal ao P-5 [C/iize)),na
Esta região é vascularizada pela artéria carótida comum. linha reta a partir do dedo médio), Ren-22, IG-4,
IG- J l , E-9 e agulhas cutânea5 na área afelada: bócio.
Méto<ÚJ • IG-17, Ren-22: bócio.
0,3 a 0,5 cun. • E-1l: inchaço da garganta.

< )

·······················r······· ··
Y.2

+
••••••••••••••••••••••• J••••••
148 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMAGO (YANGMING DO PÉ)

E-11 (Qishe) - Residência do Qi


) 1
1


( )
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANGMING DO PÉ) - 149

Localização
No pescoço, na margem superior da extremidade es-
temal da clavícula, entre as inserções teodíneas do
mõsculo estemocleidomastóideo.
E
Nota de /oca.lização Músculo esternocleldomastóldeo

Veja referências anatômicas fixas de cabeça e pescoço


(ver Cap. J, Referências anatômicas fixas de cabeça e
pescoço).Antcriormcnte,o músculo cslemocleidomas-
tóideo (ver Cap. 1, Mõsculo estcmocleidomastóideo)
apresenta uma parte tendfnea arredondada na extremi-
dade superior medial do manúbrio do esterno; poste-
riormente, o mõscu lo apresenta unia parte lendfnca
mais larga e mais plana, no terço estemal da clavícula.
O ponto situa-se onde forma um triângulo estreito, na
região da articulação esten1oclavicular.
.. .
Método
0,3 a 0.S cun.
F11nções energéticas
~ • Remove estase de Sangue.
~
; • Regula o fluxo do Qi e remove o Calor do Pulmão.
r:- • Resolve Fleuma patogênica.
~ • Beneficia a garganta, o pescoço e desce o Qi.
,,.
:;;
Indicações
Tonsilite, tosse,asma, linfadenite tuberculosa cervical,
soluço, torcicolo, dispncia, faringite, bócio, inflamação
e dor de garganta, rigidez e dor na nuca, bronquite,
indigestão.

Exemplos de combinações
1 = Inserção esternal
• B-42: tosse com Qi Invertido. 2 = Inserção clavlcular
• P-3, SJ-13: bócio e inchaço da garganta.
• E-9, E- 10, JG-4, R-6: circula e reforça o Qi, nutre o
l1n,dissolve massas na área local e resolve edema, dor
de garganta, laringite, voz rouca e hipertireoidismo.
150 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-12 (Quepen) - Bacia Vazia


• Ponto de Encontro com os Canais de Energia de Intestino Grosso, Intestino Delgado, San Jiao e Vesícula Biliar· .
• Ponto de Encontro dos três Canais Yang do Pé.

• Solinos., ai., 2000 (p. 260), c Ocodman., ai .. 2001(p. 139).


CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 151

Localização
E
No centro da fossa supraclavicular. 4 cw1 laterais à
linha mediana anterior.

Nota de localização
De frente para o paciente, coloque o quinto dedo na
cabeça estcmal da clavícula e o primeiro dedo na ca-
beça acromial da clavícula; o dedo médio cai sobre a
fossa supraclavicular (ver Cap. 1, Referências anatômi-
cas fixas de cabeça e pescoço). Ou palpe a clavícula e
meça aprox imadamente 4 cun laterais à linha mediana
anterior, sinta a fossa supraclavicular.

Mitodo
0,2 a 0,4 cun.

Funções energéticas
• Harmoniza a inversão do Qi e alivia tosse e asma.
• Elimina Calor do tórax,suaviz.ando a opressão torácica.
• Ativa o Canal e alivia dor.
• Melhora distúrbio diafragmático.

Indicações
Tonsilitc, edema e dor de garganta, tosse, asma, disp-
neia, soluço, pleurisia, neuralgia intercostal, regurgi-
tação, linfadenite tuberculosa cervical, dor na fossa
supraclavicular, dor no ombro, ansiedade, insônia.

Exemplos de combinações
• F- 14: Calor no tórax.
• Ren- 17, Rcn-14: tosse.
• SJ- 16, Du- 11 , B- 11 , Ren-22, E-28, lG- 16: dor em
ombro e costas.
152 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-13 (Qihu) - Lugar do Qi

11
1


CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANGMING DO PÉ) - 153

Localização • Melhora o distúrbio diafragmático.


No peilo, abaixo do ponto médio da borda inferior da • Redireciona o Qi lnvenido e alivia tosse e asma.
clavícula, 4 cun lalerais à lin ha mediana anlerior. • Remove o Calor.
• Neste ponto, o Qi Peitoral entra e sai.
Nota de localização
Indicações
Encontre o ponlO E-12 (Quepen); esle ponlO situa-se
imediatamente abaixo de E- 12, 2 cun laterais a R-27 Dor e plenitude em tórax e hipocõndrio, sensação de
(Shufu); ou meça 4 cun de distância a partir da linha opressão torácica e no hipocôndrio, dor no tórax e nas
mediana anterior e abaixo da clavícula. costas, tosse, dispneia, asma, bronquite, eructação,
expectoração purulenta, soluço, neuralgia intercostal.
Método
Exempws de combinações
0,5 a 0,8 cun. E
• Ren-20: dor crônica na região costal lateral.
Funções energéticas • P-2, P-3 e C-7: dispneia com rebelião do Qi, falta
• Regula o fluxo do Qi para suavizar a opressão de ar com elevação dos ombros, falta do sentido do
torácica. paladar .


154 - CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ)

E-14 (Kufang) - Casa do Armazém


CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) 155

Localização
No espaço intercostal 1, 4 cun laterais à linha mediana
anterior.

Nota de localização
Primeiro localize a cartilagem costal da costela rr,que E
se sirua nivelada com o ângulo estemal (ver Cap. 1,
Espaço lnterc:ost.al li
Espaços intercostais); depois, localize o espaço inter-
costal acima dela. O espaço intercostal faz. curva as-
cendente lateralmente; por isso, o ponto fica superior
a Ren-20 (Huagaí).

Método
Inserção oblíqua, 0,5 a 0,8 cun, no sentido lateral ou
medial ao longo do espaço intercostal; inserção hori-
zontal superior ou inferiormente ao longo do Canal.

Funções energéticas
• Regula o fluxo do Qi Invertido.
• Reduz a febre.
• Suaviza opressão torácica e beneficia as mamas.
• Regula o fluxo do Qi e resolve Fleuma patogênica.

Indicações
Bronquite, tosse, asma, expectoração purulenta, disp-
neia, dificuldade para respirar, tosse com dispncia,
hematêmcse, dor, opressão, sensação de distensão em
tórax e hipocôndrios, plenitude torácica, neuralgia
intercostal, soluços, eructação.

Exemplos de combinações •
• E-12,Rcn-17,Ren -14,P-10,P-7, ID- 1, B-15: tosse
de bronquite.
• E-15, B-43: tosse.
156 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-15 (Wuyi)-Telhado do Quarto

--

.-

""--

---·-

CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 157

Localiz.ação
No tórax, espaço intercostal II, 4 cun laterais à linha
mediana anterior.
Nota de localização E
Primeiro localize a cartilagem costal da costela lJ , que
está nivelada com o ângulo estemal (ver Cap. 1, Espa-
ços intercostais); depois, localize o espaço intcrcostal Espaço lnten:ostal li
li abaixo dela. O espaço intercostal faz curva ascen-
dente lateralmente; por isso, o ponto fica superior a
Ren-19 (Zigong).
Método
Inserção oblíqua, 0,5 a 0,8 cun, no sentido lateral ou
medial ao longo do espaço intercostal; inserção hori-
zontal superior ou inferiormente ao longo do Canal.
Funções energéticas
~ • Redescende o Qi do Pulmão e alivia edema, tosse,
~ asma e prurido.
~ • Resolve Fleuma no tórax e beneficia as mamas .

..
.;,
op • Reduz a febre .
:;:;
Indicações
Traqueftc; bronquite; tosse; asma; tosse com dispneia;
expectoração purulenta; dor, distensão, plenitude e
sensação de opressão cm tórax e hipocôndrio; neural-
gia intcrcostal; mastite; displasia mamária.
Exen1pl'1s de combinações
• VB-21, Ren-17, VB-41,E-18: hiperplasiadaglân -
dula mamária. •
• Ren-17. !G-4, VB-21, ID-11, B-18: tumor de mama.
• ID-11. B-18, Ren-17, E-36: hiperplasia mamária.
• Ren-17, lG-4,8-18: dor na mamaeestagnaçãodeQi.
• Ren- 17, IG-4: hiperplasia da glândula mamária.
158 - CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMING DO PÉ)

E-16 (Yingch uang)- Janela do Tórax

11
1

E
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 159

Localil.llção
Tórax, espaço intercostaJ ILI, 4 cun laterais à Li nha
med iana anterior.
Nota de localização E
Primeiro localize a cartilagem costal da segunda cos-
tela, que está nivelada com o ângulo estemal (ver
Espaço lntarcostal li
Cap. 1, Espaços interoostais); depois, localize o espaço
intercostal lJ e, em seguida, abaixo dela, localjze o
espaço intercostal rn.
Método
Inserção oblíqua, 0,5 a 0,8 cun, no sentido lateral ou
medial ao longo do espaço intercostal; inserção hori-
zontal superior ou inferiormente ao longo do canal.
Funções energéticas
• Regula fluxo de Qi para promover a circulação de
Sangue.
• Reduz febre e aJjvia depressão mental.
• Alivia tosse, falta de ar e beneficia as mamas.
Indicações
Tosse; asma; bronquite; illspneia; neuralgia intercostal;
mastite; distensão, dor e plenitude em tórax e hipocôn-
drio; diarreia; borborigmo; expectoração purulenta; dor
de cntcrocele.
Exen1plos de combinações
• VB-4 l.R-23.E-18,E-36,E-39, IG-8, Ba-18, VB-43:
abscesso da mama.
• B-18, VB-34, E-40, E-36, Ren-17, E-18: mastopatia
e estagnação de Qi.
• Rcn -17, E-18 , VB-34, Ba-10: hiperplasia mamária,
estagnação de Qi e estagnação sanguínea.
160 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-17 (Ruzhong) - Centro da Mama


Locali;.ação Funções energéticas
No centro do mamilo, no espaço inrercostal IV, 4 cun • Serve de referência para localizar pontos em tórax e
laterais à linha mediana anterior. abdome (a distância entre os dois mamilos é de 8 cun).

Método
Proibido inserir agulha ou uúlizar moxa.


CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 161

E
162 - CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ)

E-18 (Rugen) - Raiz da Mama

/ 1 1
1

, .•
CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) 163

Localização
No tórax, espaço intercostal V, 4 cun laterais à linha
mediana anterior, diretamente abaixo do mamilo.

Nota de localização
Primeiro localize a cartilagem cosi.ai da costela n que
está nivelada com o ângulo esternal (ver Cap. 1, Espa-
ços intercostais); depois, localize o espaço intercostal
n abaixo dela e, em seguida, localize o espaço inter- E
costal V. Nas mulhcres,estc ponto fica na raiz da mama.

Método
Inserção oblíqua, 0,5 a l cun, no sentido late.ral ou
medial ao longo do espaço intercostal; inserção hori-
zontal superior ou inferiormente ao longo do Canal.

Funções energéticas
• Remove a estagnação do Qi do tórax e do Fígado.
• Difunde o Qi do Pulmão e expande e relaxa o tórax,
aliviando a tosse e a falta de ar.
• Promove a lactação e aumenta a circulação de Qi, a
fim de remover a estase de Sangue.
• Alivia as mamas e reduz edemas.

Indicações
Hipogalactia, galactorreia, mastite, patologias do ma-
milo, excesso de desenvolvimento mamário, flacidez
dos seios, displasia mamária, distensão e dor em tórax
e hipocôndrios, neurite intercostal, tosse, asma, bron-
qu ite, expcctoração purulenta, dispneia , alterações
gastrintestinais, soluços, vômitos, náuseas , dor epigás-
trica, diarreia, borborigmo, distensão abdominal, difi-
culdade de parto.

Exemplos de combinações
• E- 16, VB-41, R-23, E-18, E-36, E-39, IG-8, Ba-18,
VB-43: abscesso da mama.
• R-27, Ren-22, Ren-17, B- 13 , E-36, Ren- 12, B-38,
Ren-6, Ren-4: asma intensa.
• VB-21, E-36, ID- 1: mastite aguda.
• B- 17, B-46, B-18, Ren-12, E- 18 (com ventosas):
espasmo diafragmático.
• TD- 1, Ren- 17: hipogalactia, mastite.
• B- 19, F- 14, R-21, E-36, Ren- 17: náusea e vômito
por doença gastrintestinal.
• SJ-6, VB-34, Pc- 1: dor no hipocôndrio por estagna-
ção do Qi do Fígado.
164 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-19 (Burong)- Limite do Recipiente

~ 1
1

....2am -
. •

..•

- ..•
...
- !::

- ...
.•

- il
..•
..•
• -. •

--

,, --

....

••

CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 165

Localização
Região superior do abdome, 6 c11n acima da cicatriz
un1bilical, 2 c11n laterais à linha mediana anterior.

Nota de localização
A distância do ângulo estemocostal ao centro da cica-
E
triz umbilical é de 8 cun (ver Cap. 1, Medidas propor-
cionais de tórax e abdome); este ponto fica 2 cun
abaixo do ãngulo estemocostal e 2 cun laterais à linha
mediana anterior. O músculo reto abdominal serve de
referência.

Método
0,5 a 0,8 cun. Se o ponto se situar sobre o arco costal,
a inserção deve ser horizontal.

Funções energéticas
• Alivia flatulência.
• Regula a função do Jiao Médio e do Estômago.
• Desce o Qi e alivia tosse e asma.

Indicações
Dilatação gástrica, neuralgia intercostal, gastralgia,
vômito, estase gástrica, plenitude e distensão abdomi-
nal, anorexia, diarreia, distensão e dor em tórax e hi-
pocôndrio, dor cpigástrica, borborigmo, hcmaté!rneso,
dor do hérnia, acúmulo de Reuma no Pulmão, cxpec-
toração purulenta.
••
Exemplos de combinações
• Ren- 14, VB-34, F-3, F-14: nematoide no trato biliar. •
f~ •

'f • Ren- 14,Ren-15, Ren-13,Ren- 12: alfviodadorem


~ ascaríase no trato biliar.
~ • Ren- 13, Reo-10, Ren-12, Ren- 15, Ren- 17, E-20,
-, E-21 , E-23, E-25, E-26, B-21: torção gástrica por
&; estagnação de Qi no Estômago e obstrução do Yang.
• Rcn- 14, Rcn-10, E-23 (cletroacupuntura): vômito
por distúrbio neurológico.
166 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-20 (Chengman) - Recebe e Fica Bem Cheio

...• 2c:m -
.•
.•
.
•.•
. - e:

• ...s
'
.•• - ~
.•
- "'•. ........"'
....'
'1"
...
_

. •
- •
..


"'
i'
"'

-
~

""•
~

-
CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) 167

Localização
Região superior do abdome, 5 cun acima da cicatriz
umbilical, 2 cun lalerais à linha mediana anterior. E
Nota de localização
A dislllnc ia do ângulo eslemocostal ao centro da c ic a-
lriz umbilical é de 8 cun (ver Cap. 1, Medidas propor-
cionais de tórax e abdome); este ponto 6ca 5 cun acima
da Linha horizontal que passa pela cicalriz umbilical e
2 cun laterais à linha mediana anterior. O músculo reto
abdominal serve de referência.

Método
O,5 a O,8 cu11, inserção perpendicular. Se o ponto se
siluar sobre o arco costal, a inserção deve ser horizontal.

Funções energéticas
• Fonalcce Baço e Estômago.
• Desce o Qi Invertido do Pulmão e do Estômago.
• Regula o Estômago para eliminar alimentos não
digeridos.

Indicações
< Dor no hipocôndrio; dor de hérnia c rônica; d islensão/ >
plenitude/contração dos músculos do abdome; maslite;
alterações gatri ntestinais como gastr.ilgia, dor epigás- ~ '
lrica e diarreia; gastrite aguda e gases intestinais; indi- ••

ges tão; espasmo gástrico; borborigmo; anorexia; ( t


hcmatêmese; vômito; cólica; icterícia.

Exemplos de combinações
• Ren- 13, Ren-12, Re n-10, E- 19 , B-2 1, E-36, Ren-6:
gastroptose.
• B- 10, B- 11, B-17, B-18, B -22, E-2 1: prolapso de
estô mago.
168 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMAGO (YANGMING DO PÉ)

E-21 (Liangmen) - Porta do Alimento

11
1

··2Qlll.-







.

•.•
-5
- ••.
.••
.• -.
.• -. •

• - ··
< ,


,.,- ·•
-

~

• -


CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 169

r '-iiiilf':'

'

Localização
E
Região superior do abdome, 4 cun acima da cicatriz
umbilical e 2 cun laterais à linha mediana anterior.

Nota de localização
A distância do ângulo estemocostal ao centro da cicatriz
umbilical é de 8 cun (ver Cap. l, Medidas proporcionais
de tórax e abdome); o ponto fica na metade desta dis-
tância, e 2 cun laterais à linha mediana anterior (ver
Cap. 1, Determinação do ponto médio de um trecho
longo). O músculo reto abdominal serve de referência.

Método
0,5 a 0,8 cun.
Funções energéticas
~ • Harmoniza a inversão do Qi e alivia a dor.
....
:i; • Eleva o Qi e interrompe diarreia.
~ • Harmoniza o Qi do Estômago e dos Intestinos.
";"
:;;i • Harmoniza, regula o Qi do Jiao Médio e elimina a
i;; estagnação alimentar.

Indicações
Disfunção gástrica; dilatação gástrica; náuseas; vômi-
tos; anorexia; dor epigástrica em queimação; úlcera
gástrica ou duodenal; gastrite aguda, crônica ou ner-
vosa; gastralgia; sede; dor de hérnia; dor e distensão
abdominal por plenitude de Qi, diarreia.

Exen1plos de combinações
• E-44: sede e queimação no epigástrio.
• E-34: paclrao agudo de dor gástrica.
• Ren- 12, IG-10, E-36: úlcera gástrica.
• Rcn- 12, R-21, B- 18, B-20, B-21 (com ventosa):
úlcera gastroduodenal.
r
-t
170 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-22 (Guanmen) - Eixo da Porta

•. 2etn-

.•

.••
..

-
.•

•.• -··..•
• -5





- .....
_ •


,,.,-·• --

r

• -
••

CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 171

E
Localiz,ação
o abdome, 3 cun acima da cicatriz umbilical, sobre
a linha horizontal que passa 2 c11n laterais à linha me-
diana anterior.

Nota de locaJWição
A distílncia do ângulo estemocostal ao centro da cica-
triz umbilical mede 8 cun (ver Cap. l , Medidas pro-
porcio nais de tórax e abdome e d etermi nação do
ponto médio de um trecho lo ngo); este ponto fica 3 c11n
acima da linha horizontal que passa pela cicatriz um-
bilical e 2 cun laterais à linha mediana anterior. O
músculo reto abdominal serve de referência.

Método
1 a l,2 c11n.

Funções energéticas
• Regu la o Qi e alivia a dor.
• Tonifica o Estômago e promove a digestão, regulan-
do Estômago e Intestinos.
• Desfaz o acúmulo dos alimentos.
• Beneficia a micção.

Indicações -•
••

+•
Dore distensão abdominal, patologias gástricas, anore-
xia, meteorismo.diarrei a, edema, borborigmo, vômito, - ••

plenitude torácica, disenteria, obstipação, espasmo
f - ••
•••
gástrico. .!
E.uniplos de combinações
• C-7, B-40: enurese.
• P- 1, C-7: enurese.
172 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-23 (faiyi)- Grande Yi

1 1
]

. . 2 cun -







.

..





- c:Un
1


r "

-.


,,.,,-•
--



y

• -



CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANGM/NG DO PÉ) - 173

Localização
Região superior do abdome, 2 c11n acima da cicatriz
umbilical sobre a linha horizontal que passa 2 cun la- E
terais à linha mediana anterior.

Nota de localização
A distância do ângulo esternocostal ao centro da cica-
triz umbilical é de 8 cun (ver Cap. 1, Medidas propor-
cionais de tórax e abdome); este ponto fica 2 cun acima
da linha horizontal que passa pela cicatriz umbilical e
2 cun laterais à linha mediana anterior. O músculo reto
abdominal serve de referência.

Método
1a1,5 c11n.

Funções energéticas
• Regula a função energética de Estômago e Intestino.
• Elimina a Fleuma patogênica para acalmar a mente.
• Harmoniza o Jiao Médio e alivia flatulência.
• Elimina alimentos não digeridos.

Indicações
Gastralgia, ptose gástrica, gastrite, úlcera gástrica,
"' indigestão, dor intestinal, borborigmo, anorexia, vômi-
~ to, diarreia, distensão abdominal, hérnia intestinal,
gg•
....
N edema, enurese, beribéri, distúrbio mental, epilepsia,
.;,
00

insanidade, depressão e mania, ansiedade, irritabilida-
00
!;:; de, angústia.

Exemp/.os de combinações
• Ren- 14, Ren- 10, E-19 (eletroacupuntura): vômito
de fundo neurológico.
• B-58, E-24: mania.
• Eletroacupuntura,Ren-14 associado a Ren-10 , E-19
associado a E-23: vômito de fundo neurológico.
174 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-24 (Huaroumen) -Aliviando o Portão da Carne


V

··2CUI.-
• .•
.•

.••
.••
.•
... -
•..• -....·
1 cun

-.
,,,,......-
,. -



'
~




- .•
••
• •
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 175

Localiwção
Região superior do abdome, 1 cun acima da cicatriz E
umbilical, 2 cun laterais à linha mediana anterior.

Nota de localiwçiW
A distância do ângulo estemocostal ao centro da cica-
triz umbilical é de 8 cun (ver Cap. 1, Medidas propor-
cionais de tórax e abdome); este ponto fica 1 cun acima
da linha horizontal que passa pela cicatriz umbilical e
2 cun laterais à linha mediana anterior. O músculo reto
abdominal serve de referência.

Método
1 a 1.5 cun, inserção perpendicular.

Funções energéticas
• Regula as funções eneigéticas de Estômago e Intestino.
• Fortalece o Estômago para tratar vômitos e regula a
função do Jiao Médio para remover Umidade.

Indicações
Náuseas, vômitos, borborigmo, diarreia , anorexia,
gastralgia, doenças mentais, epilepsia, síndrome de
depressão maníaca, esquizofrenia, convulsões, mania,
••
ascite, dor de estômago, gastrite aguda e crônica, obs- ••
.
~

tipação.dor periumbilieal, distensão abdominal, hema- •


+•
têmese, rigide.z da língua. .
-..
Exemplos de combinações -...•


• B-58 , E-23: psicose.
• C-3, IG-7: língua rija. , fi
176 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-25 (fianshu)-Pivô Celeste


• Ponto de Alanne (Mu) do Intestino Grosso.

...
•.2QJll-

..
... - ··.•
..• - e:••
: - i'I
.: - "'..
..
.. - .. •

..



_.•

y •
••

-




CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 177

Localização
Região média do abdome, sobre a linha horizontal que
passa pela cicatriz umbilical, 2 cun laterais a ela.

Nota de localização
A partir da cicatriz umbilical, medir 2 cun laterais a ela.

Método
1 a 1~ cun, quando oblíqua, no sentido caudal; para E
doenças ginecológicas, em direção ao útero.

Funções energéticas
• Elimina o Calor, aquece o Frio e cessa a dor.
• Produz líquido orgânico.
• Desobstrui e regula a circulação de Qi e Sangue.
• Resolve Umidade, Umidade-Calor e Umidade-Frio.
• Harmoniza o Qi Nutritivo, fortalece Baço e E.~tôma­
go, remove a estagnação do Qi e dos ali mentos do
Estômago e dos Intestinos (promove a evacuação),
expulsa parasitas.
• Regula a mensl111ação.

Indicações
Lombalgias, dor/distensão abdominal, edema.doenças
de Intestino Grosso e Baço devido ao Calor, todas as
afecções crônicas de Estômago e Intestino (vômitos,
verminoses, indigestão, borborigmo, disenteria, dia r-
reia, paralisia intestinal, dor cm tomo da cicatriz um-
bilica l, dores intestinais, ascite, obstipação co1n fezes
secas, pus ou sangue nas fezes, muco, colite ulcerativa,
apendicite aguda, gastrite aguda e crônica, periton ite,
enterites agudas e crônicas), todas as afecçõcs gineco-
:•
lógicas (mcnsl111ação irregular, dismenorreia, infenili-
dade, endometriose, e ndometrite). irritação mental, - •

....
ansiedade, esquizofrenia.
-••
1

Exemplos de combinações -•
••
• E-37: consolidar intestino e extinguir diarreia; di- +•
senteria aguda ou apendicite. ...'•


• R-5: mensl111ação irregular.
~ • SJ-6: vômitos com ou sem diarreia e obsti pa- f +
;

~. çilo in test ina l.


..
s;
• Ba-6, Rcn-4: alteração ginecológica .
~ • B-25, SJ-6, R-6:
obstipação.
• Ren-4, Ren-7: dismenorreia.
• Ba-9, Ba-6: patologia do sistema urinário.
• Ren-6, E-37: diarreia crônica por Deficiência de Baço.
178 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-26 (Wailing) - Colina Exterior

••

• ••

.....•
•.








- •

• •
-




.•• •
• •
.•• -••
.•


-




-


-. J

CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 179

Localização Funções energéticas


Na região inferior do abdome, 1 cun abaixo da cicatriz • Regula a função do Estômago para remover Umidade.
umbilical e 2 cun laterais à linha mediana anterior. • Regula o Qi, promove a circulação do Sangue e
alivia a dor.
E
Nota de localil.llção
Indicações
A distância entre a cicatri.z umbilical e a margem su-
Patologias do abdome, sistemas urinário e reprodutivo,
perior da sínfise púbica mede 5 c11n (ver Cap. 1, Me-
distensão e dor abdominais, hérnia, distensão e dor no
didas proporcionais de tórax e abdome). Dividir esta
baixo-ventre, borl>origmo, diarreia, dismenorreia, mens-
distância em cinco partes iguais, o ponto situa-se na
truação irreguJar,díscinesias intestinais, enterites aguda
junção do quinto superior com os quatro quintos infe- e crônica, apendicite, obstipação, disllria.
riores, 2 cun laterais il linha mediana.
Exemplos de combinações
Método • E-25: dor abdominal intensa.
1a1,5 cun. • Moxa em Ren-6: hérnia.

1
1
1
• •

-
180 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-27 (Daju) - Grande Gigante

1 1
1

••
••










--



•.

-•

• •






--•





-••

• •





--

••
_.


,.
• "'

-
••
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANGM/NG DO PÉ) - 181

Localização Indicações
Na região inferior do abdome, 2 cu11 abaixo da cicatriz Dor, plenitude e distensão abdominal; dor e distensão
umbilical e 2 cu11 laterais à linha mediana anterior. no baixo-ventre; borborigmo; diarreia; obstipação;
obstrução intestinal; enterite; apendicite; disúria; re-
Nota tk localização tenção urinária; cistite; enurese; hérnia; ejaculação
A distância entre a cicatriz umbilical e a margem su- precoce; espermatorreia; impotência; menstruação ir-
perior da sínfise púbica mede 5 cim (ver Cap. 1, Me- regular; dismenorreia; hemiplegia; insônia; cansaço;
didas proporcionais de tórax e abdome). Dividir esta peso nos membros.
distância ao meio, o ponto situa-se O,5 cun acima do
ponto médio, 2 cun laterais à linha mediana. Exemplos de combinações E
Método • Ren-4,Ren-3,E-28,Ba-10,Ba-6: menstruação difícil.
• Ren-12, E-21, Ren-6, E-30, E-25, E-29,Huatiwjiaji
1 a 1,5 c11n.
(extra da T Vil! - T XII): paralisia dos músculos
Funções energéticas abdominais.
• E-25, Ba-15, Ren-10, Ba-6, E-36: dor abdominal por
• Regulariza o Qi do Estômago.
Frio no intestino.
• Remove a Umidade e regula o fluxo do Qi para
• Ren-6, Ba-6: palpitação e insônia.
eliminar alimentos não digeridos.
• Ba-8, F-6: palpitações e insônia.
• Beneficia o Rim e firma a Essência, fortalecendo a
resistência corpórea; promove a micção.

1
1
T
1
1
f t
1
'

- •
182 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-28 (Shuidao) - Passagem da Água

11
1

••
.•• ••



-. :s
00

..•
• '
00
• \"
....
• ...,


.

-•

00
00
'
~

- "''

• •
•.




.
• •
-
• •
• •
-

• •
..•

••
• ~
"'•
-•

--




I
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANGMING DO PÉ) - 183

Localiwção • Beneficia o útero e regulari.z a a menstruação.


• Cessa a dor.
Na região inferior do abdome , 3 cu11 abaixo da cicatriz
umbilical e 2 cun laterais à linha mediana anterior. Indicações
Nota de locali<11ção Edemas, dismenorreia, impotência, infertilidade, re-
A distância entre a cicatriz umbilical e a margem su- tenção urinária, disúria, anúria , obstipação, afecções
perior da sínfise púbica mede 5 cut1 (ver Cap. 1, Me- ginecológicas, asei te, nefrite, c istite, orquite, distensão
didas proporcionais de tórax e absome). Dividir esta e dor no baixo abdome, plenitude abdominal. dor ab-
distância ao meio, o ponto s itua-se 0,5 cun abaixo do dominal que se irradia para os genitais externos, bor- E
ponto médio , 2 cun laterais à linha mediana. borigmo, hérnia, diarreia.

Método Exemplos de combinações


1 a 1,5 c11n. • Ren-4, Ren-3,E-27, Ba-10, Ba-6: menstruaçãodiffcil.
• Ren-4 , Ba-6: inflamação pélvica crônica.
Funções energéticas • Re n-9, Ba-9, E-36: ascite.
• Fonalece o Qi da Bexiga, beneficia a micção. • Rea-3, Ba-6, Ba-9: retenção urinária por acúmulo
• Limpa e regula a Via das Águas e remove a Umidade. de Umidade e Calor.
• Dispersa o Calor patogênico do Sat1 Jiao e reduz a • Ren-6, Ren-4, Ren-2, Ba-6, B-23, 8 -28, VB -34:
febre. incontinência urinária.

1
1
t"
1
...1
1
1
1

- -
I
184 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-29 (Guilai) - Retorno

l1
1

••
• •
..• •
• ~


.• • •

.••

-••

-

.•• •
• •
..• •
••

-



-






,. -




'"•



,_•


CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 185

Localização • Regula a menstruação e beneficia a região genital.


• Interrompe leucorreia.
Na região inferior do abdome, 4 cun abaixo da cicatriz
umbilical e 2 cun laterais à linha mediana anterior. Indicações
Nota de localiuição Orquite, endometrite, salpingite, anexite, dismenorreia,
A distância entre a cicatriz umbilical e a margem su- amenorreia, menstruação irregular, leucorreia, prolap-
so uterino, dor na genitália externa, epididimite aguda,
perior da sínfise púbica mede 5 c11n (ver Cap. 1, Me-
didas proporcionais de tórax e abdome). Dividir esta impotência, hérnia, innamação pélvica crônica, infer-
tilidade masculina e feminina , dor e distensão no baixo-
dislância em cinco partes iguais, o ponlo situa-se na
-ventre, dor abdominal, disúria, borborigmo, diarreia.
junção dos quatro quintos superiores com o quinto
inferior, 2 cun laterais à linha mediana. Exemplos de combinações
Método • F-3: para elevar o Yang e acabar com o abatimento;
E
1a1,5 cun. dismenorreia/dor pélvica crônica.
• Du-20, Ren-6, Ren -12, E-36: prolapso u1erino por
Funções energéticas deficiência de Qi.
• Regula o Ouxo do Qi para promover a circulação de • R-3 , Ren-6 e R-7: vaginite por trieomonas.
Sangue. • E-25, Ba-6, Ba-10 (cletroacupuntura): amenorreia.
• Fortalece a função do Fígado e do Rim. • Ba-6, Du-20: leucorreia e prolapso uterino.
• Dispersa o Calor. • IG-4, E-36, Rcn-20: prolapso uterino.
• Aquece o Jiao Inferior. • F- 1, Ba-6: testículos retraídos e inchados.

1
1
~
..
s:'
l!ii
....
-r
1

..:2
....' 1
1

"' 1
1
T

- • T
1
1 ...

I
186 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-30 (Qichong)- Qi Torrencial


• Ponto de Encontro com o Chong Mai e, segundo Auteroche, com a Vesícula Biliar•.
• Ponto Mar do alimento.
• Ascende o Qi do corpo.

1

• •

..•

~


• •
• •
-•
.






-•




.

-



• -

• Solinu n al., 2000 (p. 207).


CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANGMING DO PÉ) - 187

Localização Indicações
Na margem superior da sínfise pdbica, 5 cw1 abaixo da ci- Doenças dos órgãos reprodutores, dor em pênis e/ou
catriz umbilical e 2 cun laterais à linha mediana anterior. testículos, edema dos genitais externos, menstruação
Nota de localizilção irregular, infertilidade, impotência sexual, dismenor-
reia, lombalgias, vômito, distensão e dor no baixo-
Encontrar a sínfise pdbica e medir 2 cun laterais à linha
-ventre, borborigmo, diarreia, hérnia, disúria; para
mediana.
revitalizar sistema digestivo, para tonificar Qi caso
M étodo esteja deslocando para o alto do corpo e o abdome
loscrção perpendicular a O,5 a 1 cun. Jnserção oblíqua distendido e doloroso.
em direção aos genitais externos 1 a 2 cun.
Esta região é vascularizada pelas anérias epigás- Exemplbs de combin ações
trica inferior e ilíaca circunflexa superficial. • F-8, F-3: hérnia inguinal. E
F unções energéticas • Ren-4, Ren-3, Ba-6: infecções do trato urinário.
• F-3,R-3,Ba- 11: ausência de pulso no membro inferior.
• Tonifica a função, remove a estagnação do Qi do
• Ba-8,Ba-13: inflamação pélvica porestaSedeSangue.
Estômago.
• Ren-3, Ren-1, Ba-9, Ba-6, R-6, F-3: prurido vulvar
• Harmoniza e promove o Qi Nutritivo e tonifica o
Sangue. crônico.
• Regula o Qi dos Jiao Médio e inferior. • Ren-10, Rcn-4, Pc-7, Ba-9: hcmatúria.
• Regula as funções energética~ do dtero e do Cfwng Mai. • F-11, F-14, Ba-9, Ba-6, R-6, P-3: alimenta Yin e
• Harmoniza o Qida Bexiga, dos niúsculosedosteodões. Sangue, relaxa espasmo e diminui o Vento.
• Reduz a febre e remove a Umidade.

1
1
( T )

1
1
T
1
1
T
1

T
1 ..
r"'-

1
L

,,
,I
188 - CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMING DO PÉ)

E-31 (Biguan) - Articulação Femoral

11
1










< >
CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) 189

Localização
Na face anterior da coxa, na linha que une a espinha
ilíaca anterossuperior e o canto superolateral da patela,
ao nível do períneo, quando a coxa é flexionada , na
depressão lateral do músculo sartório; ou no centro da
região anterior da coxa, no nível da raiz do pênis.

Nota de localização
O nível horizontal pode ser calculado ao longo da margem
inferior da sfnfise púbica. O músculo sanório liga-se na
E
espinha ilíaca anterossuperior e segue mediaimente pela
coxa até o joelho; na região inguinal, este músculo fica
evidenciado com rotação lateral da coxa.

Método
1 a2cun.

Funções energéticas
• Promove a circulação de Qi e Sangue, removendo a
obstrução do Canal.
~ • Dispersa Vento e Frio patogênico e transforma a
~ Umidade.
'7 • Fortalece o Qi do quadril.
~ • Relaxa músculos e tendões, ativa os Colaterais, regu-
s; la o fluxo do Qi para aliviar rigidez das aniculações.

Indicações
Hemiplegia, fraqueza, dormência, dor/atrofia/edema/
parestcsia/paralisia dos membros inferiores, atrofia
muscular, fraqueza/dor nas coxas, dor no baixo-ventre,
dor abdominal, sensação de frio nos joelhos, lombalgia,
reumatismo, artrite de joelho, linfadenite da região
inguinal, atrofia muscular, beribéri.

Exen1plos de combinações
• E-36, E-41, VB-30, VB-34 , VB-39, Ba-6, B-60,
pontos Huaruojiaji da L 1 a L V: sequela de paralisia
de membro inferior.
• VB-30, Ba-10, E-34, E-36, VB-34, E-41, VB-39:
síndrome Wei da perna.
• B-40, B-36: artrite coxofemoral.
• Terapia de injeção- IG-15,IG-l l ,SJ-5, B-36, VB-34,
VB-39: paraplegia.
• B-32, E-33, VB-31, pontos Aslzi: neurite do nervo
cutâneo lateral da coxa.
• E-36, VB-34, Ba-9, B-55, Ba-6, VB-39, B-37, F-14,
B-ro. R-3: sequela de paralisia infantil com flacidez
na perna.
• E-35, VB-34: formigamento do joelho.
AG O (YA....CM JNC DO PÉ)
190 - CANA!. DE ENERGIA DO ESTÔM

E-32 (Futu) - Coelho Esco n d id o

/ 1J
1






-. .....


- •








- •

-f •
• e::
- e:: •
u
u
IO •
IO

• •
- L
CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) 191

Localização
Na face anterior da coxa, 6 cu11 proximais à marge1n su-
perior da patela, na linha desenhada entre a marge1n
superior da patela e a espinha ilíaca anterossuperior. ...
Com a perna estendida, a musculatura anterior da E
perna mostra uma proeminênciacompardda aum coelho.

Nota de localização
A distância entre a margem superior da sínfise púbica
e a margem superior da patela tem 18 CUll. Dividir esta
distância cm três partes iguais; este ponto fica na junção
do terço inferior com os dois terços superiores. Se a
agulha alcançar o fêmur, modifique levemente a direção
lateralmente ao longo do osso.

Método
1a2 cun .

Funções energéticas
• Dispersa Vento e Calor e transforma a Umidade.
• Remove obs1:n1ção do Canal e alivia dor.
• Beneficia o quadril e as pernas.
• Regula o tluxo do Qi , a circulação do Sangue e
alivia os Colaterais.

Indicações
Dor na cintura e nos testículos, dor ilíaca, dor lombar,
fraqueza, Frio e desequilíbrio motor, parestesia, para-
lisia dos membros inferiores.sensação de frio no joelho,
artrite reumatoide, dor pélvica, hérnia, lombalgia, ar-
trite do joelho, urticária, fraqueza do músculo quadri-
ceps, beribéri.

Exemplos de combinações
• E-31, E-33, VB-31 , pontos Aslii: neurite do nervo
cutâneo lateral da coxa.
• Du-4, Huatuojiaji (extra, L 1 - L IV), E-33, E-36:
lesão do nervo femoral .
• Du-4, Du-3, 8 -23, VB-30, VB-3 1, VB-34, F-3: pa-
ralisia de membro inferior.
192 - CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMING DO PÉ)

E-33 (Yinshi) - Mercado Yin

l1
1


-. . . . . •
.
-
- •

- •




- •

- •

- •

- •

- •

- •

- •

-
_T . •


3 cun 3 cun
- •
-
-
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANGMING DO PÉ) - 193

Localização Indicações
Com joelho flexionado, na depressão 3 cun acima Artrite; sensação de frio no joelho; dormência; sensi-
da margem supcrolateral da patela, na linha que une bilidade; atrofia, fraqueza e paralisia do membro infe-
a margem superolateral da patela com a espinha rior; dor surda e lancinante da coxa, do joelho ou da
ilíaca anterossupcrior. perna; dor na face anterior da coxa; dor no baixo-
-ventre; hérnia; ascite; distensão abdominal; unitária
N ota de localização
aguda; beribéri; edema; diabetes 1nelli1us.
O ponto situa-se quatro dedos acima da margem supe-
rior da patela. Exempws de combinações
• C-3: dor no coração com tremores da mão.
Método
• B-18,B-23,Du-3, VB-34, VB-39, R-3, IG-11 , E-36,
1 a2cun. E-34: sequela de paralisia com debilidade dos mo- E
vimentos do joelho.
Funções energéticas
• VB-31: sensação de grande fraqueza nas pernas.
• Remove a Umidade. • E-31, E-32, VB-31: neurite do nervo cutâneo lateral
• Expele Vento. da coxa.
• Du-4, Huatuojiaji (extra L 1 - L TV), E-32, E-36:
lesão do nervo femoral.

?""___,-...-e-=-- ..-..---"'""""~ --
194 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-34 (Liangqiu)-Cum e da Colina


• Ponto de Acómulo (X1) do Canal.








-· • • •

• •


• •
- ....
• ~

- • •

• ...,
"'•
....
....

• ...
i'
• °'
- •

- •


2cun
e::
:::i

u •
-
CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) 195

Localiuição
Com joelho flexionado, na face anterior da coxa, 2 c11n
acima da margem laterossuperior da palela, sobre a
linha de conexão entre a espinha ilíaca anterossuperior
e o canto lateral da patela.

Nota de localização E
Na depressão palpável no músculo vasto lateral, for-
mada quando a perna está distendida.

Método
O,8 a 1). cun. Empiricamente, o método dispersante
vigoroso acua rapidamente nas peristalses gástrica e
intestinal• .

Funções energéticas
• Fortalece e circula o Qi do Estômago, promovendo
sua função e domina a inversão do Qi.
• Pacifica o EstômagoehannonÍ7.ao QidoJiaoMédio.
• Expele Umidade e Vento.
• Ativa os Canais, relaxa os músculos e alivia a dor.

Indicações
Gastralgia, gastrite, epigastralgia, náusea, vômitos,
soluço, cructação, ólcera estomacal, diarreia, dor ab-
dominal aguda, parestesia, afecções do joelho e das
partes moles adjacentes, desequilíbrio motor nas ex-
tremidades inferiores, artrite, roastite.

Exen1plos de combinações
• F-3: mastite aguda.
• VB -42: abscesso das mamas.
• E-21: dor epigá~trica aguda.
• Ren-12, Pc-6: gastrite.
• Ren- 12, B-20, Ren-10, IG-4, E-40, E-36, B-21,
Ba-6: massas abdominais por retenção de alimento
e mucosidade.
• Ren-12 , Pc-6, Ba-4, E-36: dores epigástrica e
abdomi nal.
• IG- 11, !G- 10, E-36, Ba-6, Ba-10, SJ-5, IG-4: poli-
neurite pós-infecciosa por Calor-Umidade em Baço
e Estômago.

• Focl<s. 2006 (p.162).


196 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMAGO (YANGMING DO PÉ)

E-35 (Dubi) - Nariz do Bezerro

/ ll
1

1
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 197

Localiw çiio
Sobre o joelho, na depressão fonnada quando o joelho Patela
é flexionado, imediatamente abaixo da patela e lateral E
ao ligamento patelar.

Nota de localiZllfãO
Localizar com o joelho nexionado por meio de um
suporte, observando a depressão na margem infralate-
ral da patela e lateral ao ligamento patelar.
As depressões bilaterais formadas abaixo da patela
dão a esta região a aparência de foc inho de bezerro.

Método
1 a 1,5 c11n, inserção perpendicular em direção ao
ponto B-40 (Weizhong), ou 0,8 a 1,5 cu11, inserção
oblíqua em sentido med.ial.

Funções energéticas
-a • Elimina Frio e Umidade do joelho e o fortalece.
~ • Dispersa o Vento-Umidade e o Calor patogênico.
~ • Alivia edema .
...
:;!) • Limpa e ativa Canal e Colaterais e alivia dor.
...°'•
00

Indicações
Doenças dos joelhos e suas partes moles, parestesia da
articulação do joelho, rutrite reumatoide, parestesia das
extremidades inferiores, hérnia, beribéri, icterícia,
vômito, dor no tendão calcâneo.

Exempl.os de combinações
• E-34, Ba-10, VB-34, E-36: edema dos joelhos.
• E-36: paralisia de membros inferiores.
• E-34,VB-34: artrite de joelho.
• JG-11, VB-33, VB-34, E-34: artrite reumática crônica.
• F-7, E-36, VB -34: doenças do joelho e abaixo do
joelho.
198 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-36 (Zusanli)-Três Distâncias do Pé


• Ponto Mar (H e) do Canal. • Ponto Mar Inferior do aHmento.
• Movimento Terra. • Ponto de União Inferior do Estômago.
• Ponto de Comando (Gao Wu) para o abdome. • Ponto Estrela Celest.ial de Ma Dan Yang.

Localização Método
Na face antcrolatcral da perna, 3 cun diretamente abaixo de E-35 1a 2 cun.
(Dubi) e 1 cun lateral à margem anterior da tíbia entre os múscu-
Funções energéticas
los tibial anterior e extensor comum dos dedos.
• Regu lariza, harmoniza e fortalece o Qi do Jiao Médio e redire-
Nota de localização ciona o Qi do Estômago. Tonifica, faz circular o Qi , nutre San-
E-36 fica quatro dedos abaixo de E-35 (Dubi). Deslize o dedo gue e Yin.
subindo pela margem anterior da tíbia até que escorregue na de- • É um dos quatro pontos gerais de tonificação.
pressão lateral ao colo do côndilo. • Aumenta a função de contração do Estômago para espasmo e
relaxamento do piloro e regulariza a secreção gástrica.
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 199

• Fortalece as condições deficientes e as fraquezas. dade ou crabalbos excessivos; beribéri; cefaleia; visão fraca; febre;
• Tonifica o Wei Qi, restaura o Yang Qi e forma os líquidos cor- sudorese espontânea; mastite; deficiência da lactação; síndrome
porais, restaurando a função do corpo. dolorosa do joelho e pulso; perna dolorida. Usado quando o doen-
• Transforma Umidade e Umidade-Calor, resolve edemas. te sente dor que vai do joelho para a panturrilha, com a sensação
• Dispersa Vento e Frio e alivia dor. de perna quebrada.
• Regulariza e umedece os lntestinos. Exemplos de combinações
• Harmoniza e ton ifica o Qi do Pulmão
• Ba-4: regula o Jiao Médio e contém o Qi Rebelde do Estômago.
• Aumenta a Energia Essencial e acalma o Espírito.
• Ba-6: tonifica Baço e Estômago e o Qi geral.
• Estimula a contração da Vesícula Biliar.
• Ba- 10: trata cefaleia por Deficiência de Qi e Sangue.
• Ascende o Qi Límpido para a cabeça.
• Pc-6: trata náuseas, vômitos, deslaetação, a fim de harmonizar
• Beneficia o joelho.
o Jiao Médio e conter o Qi Rebelde do Estômago.
I ndicações • Ren-6: Lrala Deficiência de Qi. ou ascende o límpido e descen- E
Disulrbios do trato gastrintestinal, tais como gastrites aguda e de o turvo.
crônica, úlceras gástrica e duodenal, cpigastralgia, distensão • Ren-11: para fortalecer Baço e Estômago.
epigástrica e anorexia, enterites aguda e crônica, pancreatite • IG-4: trata neuralgia do trigêrneo por invasão de Vento Externo.
aguda, apendicite, indigestão, gastralgia, dor e distensão abdomi- • R-3, Ba-6: nutre o Yin do Estômago e do Rim.
nal, náuseas, soluço, borborigmo, disenteria, diarreia, vômito, • B-20: trdta terço! crônico.
obstipação, obstrução intestinal; disúria; enurese; anemia; alergia; • Rcn-4: trata fraqueza geral.
icterícia; asma; bemiplegia; hipertensão; hipotensão; lombalgia; • F-4, F-3: dor e dificuldade para andar.
convulsão; afecções do sistema reprodutor; edema; estados de • IG- 11 , IG-4, Ba-6: hipertensão.
inquietação; epilepsia; irritabilidade; palpitação; neurastenia; • Ren- 12, B-20, B-21: dor epigástrica.
neurose; estupor; depressão e mania; gritos histéricos; vertigem; • E-28, B-23: edema e disúria.
tontura; insônia; choque; fraqueza geral; apoplexia; emagreci- • Rcn-6, Ren- 12: para fortalecer a resistência do corpo.
mento por deficiência geral; cansaço; fadiga causada por debili- • Du-20, Du- 14, Ren- 12, Reo-6: cefaleia por Deficiência de Qi.
200 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMAGO (YANGMING DO PÉ)

E-37 (Shangjuxu) - Grande Vazio Superior


• Ponto de União Inferior (He Inferior) do Canal de Energia do Intestino Grosso.
• Ponto Mar do Sangue (Superior).

e::
ao
...
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 201

Localização
Na face anterolatera! da perna, 6 c 1111 abaixo do ponlo
E-35 (Dubi) ou 3 cun abaixo de E-36 ('Zunsanli) à
largura de um dedo lateral à margem anterior da tíbia,
no músculo tibial anterior. E
Nota de localização
E-37 fica quatro dedos abaixo de E-36 (Zusanli) , onde
existe uma pequena depressão.

Método
1 a 2 CU/1.

Funções energéticas
• Dispersa o Qi patogênico, transforma Umidade,
Umidade-Calor dos Intestinos.
• Faz descer a Energia do alto para o baixo.
• Regula as funções de Baço e Estômago e alivia diarreia.
• Harmoniza, circula e regula o Qi do Estômago e dos
Intestinos.
• Elimina estagnação e alivia dor.
• Alivia rigidez, elimina o vazio do tórax e acalma a
asma.

Indicações
Dor e distensão abdominal; hemiplegia; paralisia dos
mc1nbros inferiores; apendicite; enteritc; disenteria;
dia.rrcia; diarreia crônica; gastrite; diarreia com muco,
pus e Sangue; indigestão; borborigmo; obstipação;
beribéri; di spneia; asma; rigidez torácica; dor no joelho;
lombalgia. Estimulá-lo em todas as afccçõcs do intes-
tino grosso.

Exemplos de combinações
• E-25: consolida os Intestinos e extingue diarreia ou
enterite.
• E-39: diarreia por indigestão.
• IG-4: reduz o Calor e melhora a visão.
• E-39, B-1 l : tonifica o Sangue.
• B-25, E-25, Ren-6, E-36, Ba-6: dor abdominal infe-
rior por doença intestina!.
202 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-38 (fiaokou) - Abertura Estreita


• Ponto importante para 1ratar distúrbios do ombro com restrição de movimento.

e:
a
CIO

§
(,)
CIO
CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) 203

Localização
Na face antcrolateral da perna, 8 c11n abaixo de E-35
(D11bi), um dedo médio de distância lateral à crista
anterior da tfbia (ver Cap. 1, Determinação do ponto
médio de um trecho longo).
E
Nota de localização
Situa-se na metade da distância entre a articulação ti-
biofemoral e a proeminência do maléolo lateral. •



Métod-0 .

1 a 2 c11n.

Funções energéticas


• Harmoniza e tonifica o Qi de Baço e Estômago. •


• Faz circular o Qi dos Intestinos.

• Promove a circulação do Sangue.
• Relaxa músculos e tendões e beneficia o ombro.
• Expele Vento, Umidade e Frio e alivia dor.

Indicações •

Parestesia, sensibilidade, dor dos joelhos, atrofia mus- •

cular, desequilíbrio motor, dor e paralisia da perna, •
debilidade e enfraquecimento do pé, dor abdominal,
artrite de joelho, enterite, gastralgia, gastrite, hepatite, V.2
periatrite de ombro, rigidez; limitação de movimento, •

dor e inílamação do ombro, espasmo do músculo gas- •

trocnêmio , beribéri, tonsilite, convulsão, histeria, es- •


quizofrenia, hemíplegia. •


Exemplos de combinações ~
• IG- 15, SJ- 14, IG-14, IG-11 , SJ-5 , pontos Ashi: pe-
riartite do ombro.
~ • Transfixar E-38 e B-57, com agulha longa: ombro
~ doloroso agudo.
~ • VB-39, E-42: dor na face anterior da perna.
~ • B-67, R-2, R-1: Calor na planta do pé.
!;; • lD- 11, ID-4, IG-15, IG-1 1, IG-4: ombro doloroso.
• VB -34, VB-39: ciatalgia.
204 - CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMING DO PÉ)

E-39 (Xiaojuxu) - Grande Vazio Inferior


• Ponto He Inferior do Intestino Delgado.
• Ponto Mar do Sangue (Superior).

§
\)
,...
CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) 205

Localização
Na face anterolateral da perna, 9 c11n abaixo de E-35
(Dubi), na linha que une E-35 (Dubi) a B-4 1 (Jiexi) à
largura de um dedo médio da crista anterior da tíbia,
no músculo tibial anterior.

Nota de localização
Divida a metade da distância entre E-35 (D11b1) e a
-



E

proeminência do maléolo lateral; este ponto fica 1 c1m •



abaixo do ponto médio (ver Cap. 1, Detenninação do •
ponto médio de um trecho longo). •


Método
la2c11n .
112

Funções energéticas •


• Harmoniza Qi do Estômago e dos Intestinos. •

• Dispersa a Mucosidade e transforma Umidade-Calor. •

• Redireciona o Qi lnvertido para baixo, transforma a •

estagnação.
• ••
• Reduz o Calor, ativa o Canal e alivia a dor.

Indicações • •


Enterites aguda e crônica, fraqueza, entorpecimento, •

dor e paralisia do membro inferior, transton1os muscu- •

lares, dor abdominal, dor pélvica, dor lombar e nas •

escápu las, artrite reumatoide, artrite da articulação do
joelho, hepatite, em todas as afecções do intestino del-
gado, flatulência, borboógmo, urina turva e escura, dor
nas costas referente aos testículos , mastite, atrofia mus- •
cular, diarreia com sangue.anemia, beribéri, convulsão. •


Exemplos de combinações •

• E-41: paralisia dos extensores do pé.
• Ba-6: cessar a dor do abdome inferior.
• Ren-4, Rcn-3, Ba-6, Ymiaodian (extra, J cun abaixo
- •

de E-39): enurese infantil.


• E-37: dor nas pernas.
• E-37, B- 11 : tonificar o Sangue.
• B-22, B-23, E-36, Ba-9, Ba-6, R-7, Ren-9 , Ren-6:
edema das pernas.
• VB-20, B-11, B-18, F-14, F-3: regurgitação ácida.
206 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-40 (Fenglong) - Rico e Próspero


• Ponto Luo do Canal de Energia do Estômago.

§
u
CD

§
u
CD
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 207

Localiuzção
Na face anterolateral da perna, 8 cun abaixo da inter-
linha do joelho e 1 cun lateral a E-38 (1iaokou).

Nota de localização
Situa-se na metade da distância entre B-35 (Dubi) e a
proeminência do maléolo lateral (ver Cap. l , Determi-
nação do ponto médio de um trecho longo) e 1 cun
lateral a E-38 (7íaokou), entre os músculos exte nsor
longo dos dedos e fibular curto (dois dedos médios da
E
mrugem da uôia).

Método
1 a 2 cun.

Funções energéticas
• Regula a função de Estômago e Baço para resolver
~ Fleuma patogênica.
~ • Transforma a Mucosidade do Coração e acalma o Slu111.
r;- • Elimina o Calor do Estômago e o Calor patogênico.
:6 • Elimina Fleuma do Pulmão, acalma a asma e abre o
~ tórax.
Indicações
Tosse com catarro abundante; asma; dispneia; dor to-
rácica: sensação de peso na cabeça; hemicrania; verti-
gem; tontura; beribéri; tendinite do ombro; plenitude
torácica com dispneia; obstipação; hemorragia uterina
..... ••••
disfuncional; amenorreia; menopausa; hemorragia pós-
•parto; histeria; distúrbio mental; depressão; ansiedade;
)
fobia; mania; epilepsia; esquizofrenia; atrofia muscular;
enfraquecimento motor; dor, edema e paralisia das
extremidades inferiores; dor no joelho. A aplicação
frequente de moxa neste ponto, promove o apetite,
alivia o cansaço e previne o AVC.

Exemplos de combinações
• VB-40: dor em punhalada no tórax.
• B- 13: tosse com catarro abundante.
• Ba-3: tonificar o Baço, eliminar muco.
• Du-20, Du-26, F-3, R-1, os doze pontos Jing: sín-
drome tensa da apoplexia.
• Pc-6: abre e relaxa o tórax, regula o Jiao Médio,
elimina a Mucosidade, acalma a mente.
• Pc-5: elimina a Mucosidade do Coração, acalma e
abre oriffcios da mente.
• R-7: edema de membro inferior.
• E-42: manias, alucinações visuais.
208 - C A M l OE
El'iERCIA 0 0 ESTÔMAGO
(YA.'GMINC 0 0
PÉl

E-41 Oiexi) - Alív


io do Fluxo
• Ponto Rio (Jing) d
o Canal.
• Movimento Fogo
.
• Ponto de Tonificaç
ão do Can al.

(
'
CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 209

Localização
Na depressão central da prega dorsal transversa do
tornozelo, entre os tendões dos músculos extensor
longo do hálux e extensor dos dedos, ao nível da proe-
minência do maléolo externo.
Nota de localização
Peça ao paciente para estender o hálux com resistência,
de manei.ra a definir o tendão do músculo extensor
longo do hálux, e localize o ponto lateralmente a este
tendão, ao nível da proeminência do maléolo externo
(ver Cap. 1, Tendão dos músculos extensor longo do E
hálux e tibial anterior). Se o paciente estender todos os
dedos é possível definir os tendões dos músculos ex-
tensor longo do bálux e extensor dos dedos.
Esta região é vascularizada pelas anéria e veia ti-
biais anteriores.
Método
0,3 a 0,8 c11n, inserção inclinada, passa por baixo do
tendão cm direção lateral a VB-40 (Qiuxu) ou Ba-5
(Sha11gqí11).

Funções energéticas
• Harmoniza a função energética de Estômago e
Intestinos.
• Fonalccc o Qi do Baço, regulando sua função para
remover Umidade.
• Reduz o Calor para acalmar o Shen e clareia a mente.
• Tonifica o Qi de músculos e tendões, alivia a dor.
• Dispersa Umidade e Vento.
• Elimina Calor do Estômago e do Canal.
• Beneficia o tornozelo.
Indicações
Cefaleia, enjoo, vertigem, nefrite, enteritc, convulsão,
edema de face e região frontal, inchaço e dor em pé e
tornozelo, patologias do tornozelo e tecido conjuntivo
adjaccnte,descquillôrio motor,rurofia muscular domem-
bro inferior, tontura, distensão abdominal, obstipação,
dor epigástrica em queimação, doença ocular, palpitação,
distúrbio mental, depressão e estupor, epilepsia.
Exemplos de combinações
• IG-4: vertigem.
• VB-8: tontura e vertigem.
• P-7: cefaleia.
• B-62: depressão.
• E-36: distensão abdominal.
• Ba-9: fraqueza da perna.
• Ba-5 , VB-40, B-60,R-3: dor no tornozelo.
• Ren-22: fraqueza por distúrbios abdominais.
• B-23, R-7, Ba-9: nefrite.
210 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-42 (Chongyang) - Pulsação Yang


• Ponto Fonte (Yi1an) do Canal.

~ 1
1


CANAL OE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 211

Loca/ir.ação
1,5 c1111 abaixo de E-41 (Jiexi), sobre o ponto mais alto
do dorso do pé, entre os tendões dos músculos exten-
sores longos do hálux e dos dedos, onde se palpa a
artéria pediosa.

Nota de localir.ação
Deslize o dedo proximalmente do ponto B-43 (Xiangu)
em direção a E-41 (Jiex1), o ponto fica na depressão
aprox imadamcnte na metade da distância enlre os dois
pontos. O ponto situa-se medial à margem do tendão do
mtlsculoextensor longo do artelho II (verCap. 1, Tendão E
dos músculos extensor longo do hálux e tibial anterior).
Esta região é vascularizada por artéria e veia dorsais
do pé e pela rede venosa dorsal do pé.

Método
0,2 a 0,4 cun.

Funções energéticas
• Harmoniza a circulação de Qi dos Colaterais e alivia
a dor.
• Fortalece o Qi do Baço e do Estômago.
• Dispersa Umidade e Vento e elimina o Calor pato-
• •
gen1co.
• Dispersa o Frio das articulações e beneficia a face e
o pé.
• Acalma o Shen.
• ~ usado para palpar o pulso pedioso. •'
Indicações
J'
•'

Edema de face, cefaleia, tontura, par.ilisia facial,dcsvio '
da comissura de boca e olhos, odontalgia, gengivite,
parai isia, cn fraquecimento motor de pé ou braço, atro-
fia muscular do membro inferior, febre, vermelhidão,
inflamação, dor do dorso do pé, distensão abdomina.1,
dor epigástrica, gastralgia, epilepsia, insanidade men-
tal. venigcm, psicose, esquizofrenia, convulsões. de-
pressão, mania, histeria, síndrome dolorosa decorrente
,
de Frio, malária.

Exen1plos de combinações
.., • 10-4: venigem.
~ • Ren-22, P-2, IG-14, IG-11, F-4, Ren- 17 , VB-20,
~ Du -14, E- 11 , SJ- 13, P-3: bócio simples.
~ • 10-4, IG- IO,pontosAshi,JG -l l,SJ-5: tendinite do
~ cotovelo.
• SJ-4: tonifica poderosamente o Jiao Médio.
212 - C A M l OE
El'iERCIA 0 0 ESTÔMAGO
(YA.' G M IN C 0 0
PÉl

E-43 (Xiangu) - Va
le Profundo
• Ponto Riacho (Sh
u) do Canal.
• Movimento Made
ira.


CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANGM/NG DO PÉ) - 213

L<Jcaliuição
Depressão entre a junção dos ossos metatarsais ll e 111. E
Nota de localiuição
Deslize o dedo da margem da prega interdigital entre
os ossos metatarsais II e m até a depressão localizada
atrás das articulações metatarsofalângicas, 2 cun acima
da prega interdigital.

MétotúJ
0,3 a 0,5 cun.

Funções energéticas
• Harmoniza o Qi do Estômago e dos Intestinos.
• Remove obstruções.
• Reduz a febre para aliviar síndromes exteriores.
• Regula o Baço e transforma a Umidade e induz a
diurese.
• Elimina Vento, Calor e Umidade das articu lações
do pé.

Indicações
Edema facial, edema generalizado, conjuntivite, bor-
borigmo, distensão, dor abdominal, plenitude/dor nos
bipocôndrios, anasarca, ascite, doenças febris, resfria-
do comum e bronquite, gota do pé, inchaço, dor no
dorso do pé, dor nas pernas, tonsilite, histeria, síndro-
me da obstrução dolorosa.

Exemplos de combinações
• Du-23, VB-20: febres oscilantes.
• Du-14, IG-11 , B-54: erisipela.
• Ren-12, E-25, E-36, Ba-4, Sifeng (extra): alimento
causando distúrbio infantil de acúmulo.
214 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-44 (Neiting)-Sala Interna


• Ponto Manancial (Ying) do Canal.
.
• Movimento '
Agua.
• Ponto Estrela Celestial de Ma Dan Yang.

~ 1
1
E


CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 215

Localização
No dorso do pé, na depressão entre a segunda e a ter-
ceira falange proximal e proximal à margem da prega
interdigital.

Nota de localização
Orientar-se pela prega interdigital entre os segundo e
terceiro dedos do pé.

Método
0.3 a 0,5 cun.
Funções energéticas E
• Regula o Qi do Estômago e dos Intestinos e promo-
ve a digestão.
• Limpa o Calor patogênico, elimina plenitude e alivia
dor.
• Transforma a Umidade-Calor e dispersa o Vento-
-Calor.
• Relaxa diafragma e acalma o Espírito.
• Elimina Vento da face.
• Alivia garganta.

1ndiCQfÕes
Odontalgia da arcada superior; dor mandibular; epis-
taxc; dor e distensão abdominal; contraturas de mem-
bro inferior; edema e dor no dorso do pé; dor e edema
de face; neuralgia do trigémeo; doenças febris; tonsi-
lite; garganta dolorida; sede; regurgitação ácida; dor
epigástrica; gastralgia; diarreia; disenteria; cntcritcs
aguda e crônica; dor intestinal; hérnia inguinal; beri-
béri; obstipação; dor e prurido nos olhos; conjuntivite;
espasmo das cordas vocais, do estômago e do rnúscu-
lo diafragrna; aftas; sangramento gengival; cefaleia;
insônia; dismenorreia; urticária; inchaço; edema.

Exemplos de combinQfões
• e 7· ' nso• ma.
- . L .
• Ba-6: dismenorreia.
• Du-23: dor ocular.
• E-21: Calor no Estômago.
"?
;J; • VB -41: distensão da pelve.
~ • TD- 18: dor de dente superior.
~ • TG-4: tonsilite, odontalgia, laringite, faringite, gen-
:t!;; givitc, paralisia facial.
• IG-4, E-7: odontalgias ou tonsilite.
• E-36, Ba-6: dor e distensão abdominal.
• E-7, Taiyang (extra, depressão 1 cun lateral ao meio
da linha que une a extremidade lateral das sobran-
celha e o canto externo do olho), lG-4, R-3: dor de
dente superior.
216 - CANAL DE ENERGIA DO CSTÔMACO (YANGM/NG DO PÉ)

E-45 (Lidui) - Porta Fundamental


• Ponto Poço (Jíng) do Canal.
• Movimento Metal.
• Ponto de Dispersão do Canal.
• Ponto Distal para Calor na cabeça.

~1
1
E


CANAL DE ENERGIA DO ESTÔMAGO (YANCMINC DO PÉ) - 217

Localização
Margem ungueal lateral do segundo dedo do pé, O, 1cun
posterior ao canto da unha.

Nota de localiuição
Imagine duas tangentes que passam pela unha: uma
pela base e a outra pela face lateral. O ponto situa-se
na intersecção destas linhas.

Método
0.2 a 0,3 cun ou sangrar com agu lha triangular.

Funções energéticas E
• Hannoniza o Qi de Estômago e dos Intestino .
• Acalma o Shen e clareia os olhos.
• Elimina Calor e Umidade.
• Alivia retenção de alimentos .
• Restaura a consciência.
• Elimina Vento e Calor da face e reduz a febre.

Indicações
Edema generalizado, edema facial , odontalgia, epista-
xc, paralisia facial, tonsilite, garganta dolorida, bepa-
rite , aftas, perda do paladar, afecções febris, epistaxe,
transtornos mentais, epilepsia, isquemia cerebral, dis-
tensão abdominal , sensação de frio nos pés, anemia,
indigestão, neurastenia, sonolência, desmaio, alegria
excessiva, depressão e mania, histeria, insônia, distúr-
bio do sono, sensação de corpo estranho na garganta,
voz rouca.

Exe111plos de combinações
• Ba-1: acalmar a Mente e resolver insônia e sono com
pesadelos.
• B-40, Re n- 12, Ren-9, B-20, Ba-9, Ba-6, IG- 11 , B-8, •
••
V B-12: insônia por Mucosidade-Calor esgotando ••

••
a mente. ...... . ...
••
• Ren- 12, Pc-6, P- 11, IG- l: náusea e vômito por hi- •

pertensão intracraniana. ••

• Du- 16, VB-20, Du-23 , Yintang (extra, linha media-


na anterior, entre as sobrancelhas), Du- 14, VB-21 ,
IG-4, B-40, E-44: epistaxe.
• Du- 14, B-11, B- 12, B-13, IG-11 , IG-4, E-36, IG-1 ,
P- 11 , Pc-9: febre alta sem transpiração.
• Yi111a11g (extra, linha mediana anterior, entre asso-
brancelhas), Du-26, Du-27, Re n-24, IG-4 , Pc-8,
E-36, R-1: coma.
• VB-20, Du-16, Du-23, Du-26, IG-20, I0-4 , B-67:
obstrução nasal.
• B-67, R- 1, Pc-9 , SJ-1, VB-44 , P- 1, P- 11 , Ba-1:
paraplegia.
Capítufo 5
220 - CANAL DE ENERGIA 00 BAÇO (TNY//11 00 PÉ)

r,.,nrl Princip-1
Origina-se no aspecto medial do hálux, no ponto Ba-1
(Yinbal), recebendo sua energia do Canal Principal
do Estômago, de um ramo que o liga ao ponto E-42
(Clwngyang). Corre ao longo do aspecto medial do pé,
na margem em que a pele muda de cor, passando por
Ba-2 (Dadu), Ba-3 (Taiba1) e Ba-4 (Gongsun). Passa na
frente do maléolo medial, alcançando Ba-5 (Shangqiu).
Segue a borda posterior da tíbia, no aspecto medial da
perna. Cruza os Canais Principais do Fígado e do Rim
cm Ba-6 (Sw1yi11jiao), continua e, 8 cun acima do ma-
léolo medial, cruza o Canal de Energia do Fígado, tor-
nando-se anterior a este. Prossegue para cima ai.é Ba-9
(Yi11li11gqua11), na borda inferior do côndilo medial da
tíbia. Percorre um trajeto sobre o aspecto anteromedial
do joelho. Sobe ao longo do aspecto antcrornedial da
Ba coxa até a virilha, a fim de alcançar a pane inferior do
abdome, no ponto Ba-13 (Fushe), na linha mamilar, 0,7
cun acima do plibis. Segue em direção à linha mediana
no Ren-3 (ZJwngj1) e Ren-4 (Guany1wn), respectiva-
mente 1 e 2 cu11 acima da borda superior da sínfise pú-
bica. Segue cm direção a Ba-14 (F1yie), na linha mami-
lar, 3,7 cun acima do púbis. Alcança Ba-15 (D(lheng),
na linha mamilar, no nível da cicatriz umbilical. Vai para ~
Rcn-10 (Xiawan), 2 cun acima da cicatriz umbilical. '.:'.;
..
Deste ponto, divide-se; um ramo entra no baço (órgão a gg
ele associado) e se conecta com o estômago (órgão de .o
seu Canal acoplado), de onde um ramo profundo sobe :f
atravessando o diafragma, ao longo do esôfago. Alcan-
ça o coração, onde encontra o Canal Principal do Cora-
ção. O segundo ramo faz um trajeto por Ba- 16 (Fua1),
na linha mamilar, 3 cun acima da cicatriz umbilical.
Liga-se ao ponto VB-24 (Riyue), no espaço intercos-
tal VIJ; a F- 14 (Qinien), no espaço intercostal VI. Sobe
até Ba-20 (ZJwurong), sobre a linha para-axilar, no es-
paço intercostal a, terminando em Ba-2 1 (Dabao), no
espaço intcrcostal VI, na linha axilar média. A partir de
Ba-20 (ZJ1011rong), um ramo se estende ao ponto P-1
(Zhongfu), no espaço intercostal I, que segue em dire-
ção ao aspecto inferior da base da Ungua, dispersando
em sua superfície inferior.
Relaciona-se com os seguintes órgãos internos:
• Baço, Estômago e Coração.
Relaciona-se com os seguintes Canais Principais:
• Do Estômago, recebendo sua energia (E-42 ~ Ba-1)
(dupla Yin-Yang).
• Do Pulmão, para completar o eixo Taiyin (conexão
Yin-Yin).
• Do Coração, para o qual ele transmite sua energia
(conexão Yin-Yin).
Pontos de Intersecção do Canal Principal:
• P-1(ZJ1ongfu), Ren-3 (Zho11gj1), Ren-4 (Guanyuan),
Ren-10 (Xiawan), YB-24 (Riyue), F- 14 (Qimen)· .

• Scguodo Dcadmon et ai, 2001 (p. 178), O p(JDIO Rcn-17 (SllanzJwt&) t


ponto de Encontro clmsico do Canal de Energia do Baço com o R<n Moí;
.. dcscriç&s do 1tajctodo c.naI de Energia do Baço não mencionam isto.
CANAL DE CNlRCIA DO BAÇO (TAIYIN DO PÉ) - 221

Canal de r,,n,..-rão Ba
Separa-se do seu Canal Principal e m Ba-4 (Gongsun),
na depressão distal inferior à base do osso metatarsal
l, no aspecto medial. Divide-se cm dois ramos: lon-
gitudinal e Lr.insverso. O ramo transverso conecta-se
com o Canal Principal do Estômago e o ramo longi-
tudinal corre para c ima, no abdome, onde penetra e se
conecta com intestino Grosso e Estômago.
Quando o Qi deste Colateral fica invertido, podem
ocorrer sinlomas como diarreia grave. Nos casos de
Excesso de Energia neste Canal, os sintomas podem
ser: dor do tipo punhalada no cólon; nos casos de De-
ficiência, distensão abdominaL O ponto Ba-4 (Gong-
sun) pode ser utilizado para tratar tais casos• .

Grande Luo do Baço (Pi Zlli Da Luo, também


chamado Dabao):
Começa em Ba-2 1 (Dabao), no aspecto lateral do
tórax, na linha uilar média no sexto espaço intercos-
tal; espalha-se por tórax e região costal lateral, reunin-
do o Sangue dos Canais ú 10; ele mantém juntos os
vasos secundários que "envelopam" todo o corpo,
como uma rode.

• Shi X•t-mm '• Compmrtn.ri1'0 7imboolc o/Aeupunctw• andMoxíbustion,


2007 (p. 65).
222 - CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAJYIN DO PÉ)

Começa na cx1remidadc medial do bálux, corre ao


longo da borda medial deste dedo e do osso metatarSal
1, conecta-se no maléolo medial em Ba-5 (Shanggiu).
Corre ao longo do aspecto medial da tíbia, liga-se no
côndilo medial da tíbia cm Ba-9 (Yinlingquan), se-
Ba gue ao longo do aspect.o medial da coxa, a fim de co-
nectar-se com o quadril, na prega inguinal; converge
para a genitália, segue para a linha mediana em Ren-3
(Zho11gj1}., 1 cun proximal à sínfise púbica. Daí, um
ramo segue a linha mediana, liga-se na cicatriz umbi-
lical, penetra no abdome, liga-se nas costelas e rami-

,• • • .. :-..., .... ..
~.
••
fica-se para dentro da cavidade torácica. Outro ramo
(considerado, em alguns textos, como a continuação
• do ramo anterior) de dentro do tórax segue à coluna
vertebral, penetrando mais profundamente, e liga-se
à coluna, na área de B-20 (Pish11), 1,5 c1111 lateral ao
processo espinhoso da vértebra torácica XI (T XI).
Quando este Canal está desequilibrado, os sintomas
incluem: dor no hálux, im1diada ao maléolo medial;
dor espasmódica na pantunilha; dor no aspecto medial de
joelho e coxa, irradiando-se ao trocanter maior; dor na
genitália externa, irradiando-se a umbigo, bipocôndrio,
tórax e borda medial da coluna vertebral''.

Conexões do Canal Muscular do Baço com os


outros Canais Musculares:
• Do Fígado e do Rim.

Pontos de Encontro do Canal Muscular Yin do Pé:


• Os três Canais Yin do Pé: Ren-3 (Zhongjí).

• Segundo Solina.<" ai., 2000 (p. 119), no Rcn-3 (Zhongji),elecnoonira


os outros Camiis Muscuhll1!$ Yin do Pé.
• • Shi Xutt·111in 's Comprthtn.rivt 7txrbook o/Arup11ncrun and Moxibu..i;.
1lon. 2007 (p. 68).
CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAIYIN DO PE) - 223

Ba

Canq[ Divergente
i Diverge do seu Canal Principal no aspecto anterome-
~ dial da coxa; depois, corre paralelo com o Canal Di-
r;- vcrgente do Estômago* e prossegue para a garganta;
~
...
i;; penetra profundamente na língua, onde termina.

• Uns Shu. 199~ (p. 186).


2 24 - CANAL OE
[N [R C \A 0 0 BAÇO (TA
/YIN 0 0 PÉ)

Bt! ., ( " " b - · ) - B


ranco Escondido
• Ponto Poço (Jing) do
Canal.
• Movimento Madeira
• Ponto de Partida d o
Canal Muscular do Baç
• Ponto Fantasma de S o.
un Si Miao .

Ba
CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAIYIN DO PE) - 225

Localiwção
Margem ungueal medial do hálux, cerca de 0,1 cun
posterior ao canto da unha.

Nota de localização
hnagine o ponto na intersecção da tangente que passa pela
face medial da unha com a que passa pela base da unha.

Método
0,1cun,inseiçãooblíqua,ousangrarcornagulhatriangular.
Ba
Funções energéticas
• Harmoniza e tonifica o Qi do Baço.
• Restaura o Ya11g depauperado.
• Regulariza a circulação; harmoniza, nutre e aquece
Qi e Sangue, a fim de restaurar a consciência.
• Acalma o Shen e clareia a mente.
• Regula e faz conter o Sangue dentro dos vasos
sanguíneos.

Indicações
Febre, dispneia e plenicude do tórax, epistaxe, dor e
distensão abdominal, diarreia grave, peritonite, ente-
rorragia , metrorragia, menorragia, dismcnorreia, poli- •
menorreia, leucorreia profusa, hemacúria, convulsão ••
infantil. esquizofrenia, doença mental, transtornos dos •••
sonhos no sono, pesadelos, coma.

Exe111plos de combinações
.. •.........,• .... ••

• Ba-6: hemorragia uterina. ••••


• E-36: hemorragia uterina ou retal. •••
• B-40: epistaxe grave. •

• E-45: acalmar a mente/insônia. •

• B-67, P- 11, IG- 1, SJ- 1, Ren-23: epistaxc. •


• Ren-3, Ba-10, F-8: hemorragia uterina por Calor •
excessivo.
• Ba-6, Ba- 10, Ren-4, E-25: hemorragia uterina
disfuncional.
• B-20, B-21, E-36, E-25: dor e distensão abdominal.
• Ren-4, Ba-6, F-3, Ba-10: menstruação irregular com
Calor no Sangue.
226 - CANAL DE EN ERGIA DO BAÇO (TAJYIN DO PÉ)

Ba 'J (Dad 1) Grande Proeminência


• Ponto Manancial (Ying) do Canal.
• M ovimento Fogo.
• Ponto de Tonificaçiío do Canal.

~1
1

Ba


CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TNt'/111 DO PÉ) - 227

Loca/ir.ação Indicações
a margem medial do hálux, na transiçilo do corpo Apesar de ser ponto de tonificação, é mais utilil.ado
para a base da falange, na depressão distal à articulação para eliminar o Calor nos padrões de Excesso. Meteo-
meta~falângica. rismo, dor e distensão abdominal, afecções febris sem
transpiração, gastralgia, obstipação, náuseas, vômitos,
Nota de localização regurgitação, indigestão, anorexia, diarreia, epigastral-
Deslize o dedo na margem medial do hálux, cm senti- gia, sensaçilo de plenitude no tórax, edema dos mem-
do distal, até a depressão anterior ao joanete, na linha bros inferiores, lombalgia, coma por acidente vascular
de mudança da cor da pele. cerebral (AVC), pericardite, convulsão infantil.
Método Exemplos de combinações
0.2 a 0,5 cun. • P-8: febre sem transpiração.
• Ba-3, Ren-8: diarreia grave e distensão abdominal.
Funções energéticas
• SJ-1 , IG-4, F3: Frio nas quatro extremidades.
• Harmoniza e fortalece o Qi do Jiao Médio. • B-20,B-21 , Reo- 12, E-36, Ba-9, Ba-6,Ba-3,Reo-8:
• Promove a digestão e dissolve estagnação do tubo
Ba
indigestão.
digestivo. • Du-4, E-25, R-3, F- 1, C-4: tuberculose intestinal.
• Elimina o Calor.
• Restaura o Yang diminuído e retira o paciente do
colapso.

< >
228 - CANAL OE ENERGIA 00 BAÇO (TAIYIN 00 PÉ)

Ba-3 (Taibai) - Grande Branco


• Ponto Riacho (Shu) do Canal.
• Movimento Terra.
• Ponto Fonte (Yuan) do Canal.

Ba

)
CANAL DE CNlRCIA DO BAÇO (TAIYIN DO PÉ) - 229

Localiuzçã-0 Indicações
Na margem medial do pé, na depressão proximal à Por ser ponto Fonte, é o principal ponto para tonificar
cabeça do osso metatarsal 1, entre a pele da região o Baço; deve-se estimulá-lo quando o Qi do Baço es-
plantar e dorsal do pé. úver prejudicado por excesso de atividade mental.
Afecções do Estômago acompanhadas de distensão
Nota de localiuzção abdominal, plenitude torácica, borborigmo, náuseas,
Deslize o dedo na margem medial do primeiro meta- vômito, anorexia, diarreia. disenteria, obstipação , gas-
tarsal, até a depressão posterior ao joanete, na linha de trenterite aguda, plenitude epigástrica, epigastralgia,
mudança da cor da pele. gastralgia, lombalgia, hemorroida, cólera, disúria,
urina turva, paralisia da perna, sensação de calor e peso
Método
no corpo, edema, secreção vaginal, beribéri, cefaleia,
0,5 a 0,8 cun. memória fraca, pensamento confuso, entorpecimento
Funções energéticas da cabeça, palidez extrema.

• Transfornia a U111iáade (principal ponto). Exemplos de combinações


• Harmoniza, fortalece (principal ponto para tonificar
Ba
• C-5: estimular mente e inteligência.
o Qi do Baço). • E-36: náuseas , vômito, distensão abdominal e diar-
• Harmoniza o Qi do Estômago e dos Intestinos; aju- reia causada por disfunção de Baço e Estômago.
da a eliminar alimentos não digeridos. • E-40: tonificar o Baço e eliminar Mucosidade.
• Harmoniza o Qi do Jiao Médio. • F- 13: para revigorar o Yang de Estômago e Baço.
• Drena o Calor do Canal de Energia do Baço. • IG-4, P-7, Ren- 12, B-20, B-8: cefa leia por Umidade.
• Resolve Fleuma por Deficiência da função do Baço. • VB-34,Ba-6: oeuritc1núltiplados me1nbros inferiores.
• Estimula o cérebro, as faculdades mentais e promo- • Ren-12, E-25, E-36, E-37, Rcn-4: distensão abdo-
ve a memória. minal por Deficiência.
• Ba-7, E-36, E-41 , Bafeng (extra): polineurite do
membro inferior.
• B-20, F- 13 , Ren-12, E-36: diarreia crônica.

< )
230 - CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAJYIN DO PÉ)

ongs ) ~ Colaterais de Conexão Geral


• Ponto de Conexão (Luo) do Canal.
• Ponto de Abertura do Chong Mai.
• Ponto importante para tratar diarreia.

Ba


CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TNt'/111 DO PÉ) - 231

Loca/ir.ação • Reduz Calor e dissolve Umidade ou a combinação


de Umidade-Calor de Baço e Estômago, pacifica o
Face medial do pé, na depressão óssea distal à base do
Estômago.
osso metatarsal I, entre a pele da região plantar e o
dorso do pé. Indicações
Nota de locali111ção Afecções de Estômago e Baço com vômitos frequentes,
distensão e dor abdominal, diarreia, disenteria, sangue
Deslize o dedo na margem medial do joanete do pé,
nas fezes, úlcera gástrica, indigestão, dor e plenitude
até encontrar a depressão distal do osso metatarsal, na
epigástrica, bort>origmos, distúrbio do Baço provocado
linha de mudança da cor da pele. por Vento patogêni co, gastralgia , eoterites aguda e
Método crônica , miocardite, pleurisia, algomenorreia, mens-
truação irregular, e ndometrite, edema facial, dor no pé
O,5 a O,8 cun, em direção a R-1. e no tornozelo, convulsão, histeria, esquizofrenia.
Funções energéticas Exemplos de combinações
• Harmoniza e fortalece o Qi do baço e remove • Pc-6: dor no estômago ou patologia de coração. Ba
obstruções. tórax e Estômago.
• Harmoniza o Qi do Estômago, do Jiao Médio e do • E-36: regula o Jiao Médio e contém o Qi Rebelde
Jiao Inferior. do Estômago.
• Harmoniza o Qi do Chong Mai, regula o útero e • Reo- 12, Pe-6, E-36: vômito.
regulariza a menstruação. • Ren- 12, IG-4,F-3, E-36: diarreia.
• Protege Coração e tórax , acalma o Shen e c lareia • R-1,R-2 , E-36, E-34: lepra.
a mente. • E-36, Pc-6, E-44: hemorragia do trato digestivo alto.
232 - CANAL DE EN ERGIA DO BAÇO (TAJYIN DO PÉ)

Ba 5 (Sh~ u'liu)- Colina de Metal


• Ponto Rio (Jing) do Canal.
• Movimento Metal.
• Ponto de Dispersão do Canal.
• Ponto importante para tratar síndrome dolorosa decorrente de Umidade.

~ 1
1

Ba


CANAi. DE ENERGIA DO BAÇO (TAIYIN DO PÉ) - 233

Localização Indicações
Na face medial do tornozelo, na depressão anteroinferior Afecções da parte óssea/dor muscular no trajeto do
da intersecção das linhas retas que passam pela margem Canal, doenças do tornozelo e do pé, afecções das
inferior e pela margem anterior do maléolo medial. partes moles do tornozelo , dor e distensão abdominal,
borborigmo, vômito, indigestão, diarreia, obstipação,
Nota de localizafão
retenção de alimentos, anorexia , icterícia, gastrite,
Deslizar o dedo a partir da proeminência do maléolo enterite, hemorroida, rigidez e dor na língua, asma,
medial, na depressão facilmente palpável, na metade da tosse, beribéri, convulsão, histeria, palpitação, estupor,
distância entre maléolo e tuberosidade do osso navicular. insônia, depressão e mania.
Método
Exemplos de combinações
O,3 a O,5 cun, inserção perpendicular ou horizontal, em
direção lateral, 1 a 1,5 cun. • B-57: hemorroida, obstipação.
• VB-40: síndrome Bi ou distensão do tornozelo.
Funções energéticas • E-4 1,VB-40, B-60, R-3: dor no tornozelo.
• Fortalece o Qi do Baço e do Estômago, hannonizan- • E-25, Ba-9: enterite crônica.
do o Qi do Jiao Médio. • Ren-9, Ren-6, B-22, E-36, Ba-9, VB-4 1: edema dos
• Transforma estagnação e Umidade-Calor, benefi- membros inferiores.
ciando tendões e ossos. • Ba-6, E-29: infertilidade feminina.
• Regula a função de Intestinos e Baço. • P- 1O, P- 11, E-41, B-67, ID-4: cefaleia e ansiedade.
• Reduz a febre, tranquiliza o Shen. • E-25, Ren-4, E-36: diarreia.
234 - CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAJYIN DO PÉ)

Ba-6 (Sanyi j ·ao) - Reu11ião dos Três Yin


• Ponto de Encontro com os Canais de Energia de Fígado e Rim.

Ba


CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAIYIN DO PE) - 235

Localização Exemplos de combinações


Na face medial da perna, 3 cun acima da proeminência • E-36: tonificam fortemente o Jiao Médio.
do maléolo medial, na depressão facilmente palpável • E-36, VB-12: alteração gastrintestinal.
da margem medial da tíbia. • P-9: nutre o Yin do Pulmão.
• E-39: cessa a dor no abdome.
Nota de localiwção • F-1: drena o Fígado e diminui o Vento Interno.
Deslizar o dedo a partir da proeminência do maléolo • F-3: remove a estagnação de Qi e fortalece o Baço.
medial até a depressão facilmente palpável, quatro • C-7: insônia.
dedos acima. • Ren-4: dor abdomina.1, menstruação irregular ou
ejaculação precoce.
Método • Ren-3: incontinência urinária.
1 a 1,5 cun. • Pc-7, VB-12: insônia.
• IG-4: trabalho de parto prolongado.
Funções energéticas • IG-4, F-3: parto difícil.
• Harmoniza, fortalece e tonüica o Qi do Baço. • Ba-9: retenção urinária. Ba
• Tonifica o Qi do Rim e a Essência, nutre o Yin e • C-7, R-3: insônia.
beneficia a micção. • Ren-3, Ren-4: emissão seminal.
• Promove o Qi do Fígado. • B-23, B-28, Ren-3, F- 1: enurese noturna.
• Ren-6, Ren- 12: menstruação irregular.
• Fortalece o Qi dos três Canais Yin do Pé.
• Harmoniza e tonüica a circulação do Qi e do Sangue,
eliminando estase e esfriando o Sangue.
• Hannoniza o Qi do Estômago e dos Jiao Médio e
Inferior.
• Harmoniza a Via das Águas e transforma a Umidade.
• Harmoniza o Qi do útero e da próstata; regula a
menstruação.
• Cessa a dor e acalma a mente.

Indicações
Afecções do sistema reprodutor, digestivo e urinário:
indigestão, anorexia, fezes moles com alimento não
digerido, diarreia, distúrbio inflamatório intestinal,
borborigmo, dor e distensão abdominais, plenitude de
;'9~ tórax e abdo1ne, distensão e empachamento epigástri-
.o
*~ co, prurido na genitália externa, dor e distensão nos
testículos,prostatite,amenorreia,espennatorreia,emis-
~ são noturna, ejaculação precoce, impotência sexual,
menstruação irregular e dolorosa, dismenorreia, me-
trorragia, leucorreia, menorragia, prolapso do útero,
trabalho de parto difícil, retenção de placenta, inferti-
lidade da mulher, menopausa, dor no baixo-ventre,
retenção urinária, disúria, urina turva, incontinência
urinária, enurese, cistite, uretrite, blenorragia, edema,
hemorroida, hepatite, eczema, urticária, icterícia, atro-
fia muscular, hérnia,dor/parcstesia/enfraquecimento e
desequilíbrio motor, paralisia das extremidades infe-
riores, gota, astenia mental, tontura, vertigem, desmaio,
tinido, insônia, palpitação, estupor, cansaço crônico,
preocupação, sensação de calor, boca seca, tristeza,
choro, letargia, amnésia, neurastenia, irritabilidade,
sudorcsc noturna, beribéri.
236 - CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAJYIN DO PÉ)

Ba-7 (Lougu) - Vale do Escoamento

Ba


CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TNt'/111 DO PÉ) - 237

Localiwção
Na face medial da perna. 6 cun acima da proeminência
do maléolo medial, na depressão exatamente posterior
à margem medial da nbia. Ba
Nota de localiwção
Deslizar o dedo na linha que une a ponta do maléolo
interno a Ba-9 (Yinlingquan), medir 4 dedos acima de
Ba-6, na margem medial da tíbia.

Método
0,4 a 0,8 cun.

Funções energéticas
• Fortalece a função do Fígado e do Rim e a função
do Baço para remover Umidade.
• Regula 11tero e Sangue.

Indicações
Borborigmo; dismenorreia; infecção do trato uriná-
rio; espcrmatorreia; emissão noturna; retenção urinária;
distensão abdominal; dor, edema, frieza e paralisia nos
membros inferiores; dor e inflamação nos maléolos;
distensão no tornozelo; beribéri.

Exen1plos de combinações
• B-35 (Huiyang): Frio no abdome.
• Ren-3, F-5, B-36 e B -67: dificuldade de micção e
ejaculação.
• F-8: massa fonnada por estase de Sangue.
• Pc-7: hisLcria.
238 - CANAL DE EN ERGIA DO BAÇO (TAJYIN DO PÉ)

Ba-8 (O"ji) - E.;Yo da Terra


• Ponto de Acúmulo (X1) do Canal.

Ba


CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TNt'/111 DO PÉ) - 239

Localização
Face 111edial da perna, na linha que une a proeminência
do maJéolo medial e o Ba-9 (Yinlinquan), 5 cun abaixo
da articulação do joelho, na margem medial da tíbia,
ou a 3 cun abaixo de Ba-9 (Yinlinquan).

Nota de locali<.11ção
Deslize o dedo na linha que une a proeminência do
maléolo medial a Ba-9 e meça quatro dedos abaixo
Ba
deste ponto. Fica praticamente na junção do terço su-
perior da linha que divide em três partes iguais a dis-
tância entre a prega poplítea e a proeminência do
maléolo medial. Ba-9
Método
1a1,5 cun.

Funções energéticas
• Harmoniza e tonifica o Qi do Baço, regulando sua •
função.
• Trata a patologia do Sangue; fonalecendo-o e pro-
movendo sua circulação, removendo sua estase.

• Harmoniza a menstruação e o Qi do útero. '•
'
Indicações ''
Dor lombar com sensação de calor na parte superior e
dificuldade para mexer a cabeça, lombalgia, meteoris-
mo, distensão abdominal, dor na lateral do abdome,
ascite, algomenorreia, meoorragia, metrorragia, mio-
ma , dismenorreia, menstruação irregular, edema,
disúria, diarreia, emissão noturna, ejaculação precoce,
hemorroida, hérnia.

Exemplos de combiflllfões
...
~ • Ba- 1O: menstruação irregular.
~ • Ba- 1: problemas com o Canal de Energia do Baço.
~ • Ren-3: dismenorreia.
~ • Ren-3, Ba-6, F-3: dismenorreia.
• B-36: 101nbalgia, sensação de Calor na parte superior,
dificuldade de mexer a cabeça e corpo frio.
• Ba-6, B-28, E-29: eliminar a Umidade e a estagnação
do Jiao Inferior.
240 - CANAL OE ENERGIA 00 BAÇO (TAIYIN 00 PÉ)

Ba-9 (Yinlingquan) - Fonte da Colina Yin


• Ponto Mar (He) do Canal.
. ,
• Movimento Agua.
• Importante para eliminação da Umidade.

Ba
CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAIYIN DOPE) - 241

Localização
Na face medial da perna (com o joelho ílexionado), na
depressão óssea, na mesma altura da margem inferior
do oôndilo medial da uôia, na inserção do músculo
sanório e oposto a VB-34 (Yanglinquan) .
Nota de localização
Com o joelho Hexionado e ligeira rotação lateral do
quadril , utilizando um suporte, desli ze o dedo ascen-
dente1nente na linha da margem medial da tíbia, e1n
direção ao côodilo, até encontrar a depressão formada
no ângulo entre corpo e côndilo medial da tíbia.
Método
0,5 a 0,8 cun, inserção perpend.icular, lateralmente à
borda posterior da tíbia.
Ba
Funções energéticas
• Harmoniza, tonifica e aquece o Qi do Baço.
• Harmoniza o Qi do Estômago.
• Drena o Calor do Estômago e dos Intestinos.
• Beneficia a genitália.
• Harmoniza o Qi do Jioo Inferior e regula a Via das
Águas, remo~do a Umidade e beneficiando a micção.
Indicações
Ascite; edema; infecção no trato urinário; disúria;
enurese nocuma; urina turva; incontinência urinária;
espermatorreia; menstruação irregular; dor e distensão
abdominais; retenção urinária; gonalgia; dor nos geni-
tais externos; lombalgias; nefrite; dismenorrcia; secre-
ção vaginal; enterite; disenteria; diarreia com pus, muco
ou sangue; alimentos não digeridos; fezes co1n odor
desagradável; indigestão; pancreatite; icterícia; beribé-
ri; dor no joelho; edema nas pernas; parestesia das
extremidades inferiores; arcrite reumática e reumatoide;
entorse da aniculação do joelho.
Exemplos de combinações
. ,
• P-7: abrem a Via das Aguas.
• Ren-9: edema.
• F-13, Ren-4, Ba-4: diarreia crônica.
• VB-34: dor e inchaço na perna ou dor na região do
abdome.
• R-1: dor periumbilical intensa provocada por Calor.
• Ren-4, Ba-6, Ren-2: prostatite.
• Ren-3, VB-38, VB-34, E-36, B-20: dor no joelho.
• VB-34, E-34, E-35: dor na aniculação do joelho.
• C-8, P-7: dor no pênis.
• Ren-4, VB-4: incontinência urinária, enurese.
• Ren- 12, IG-11 , B-20, B-21, B-25, Du-1, E-44, Du-10:
diarreia (por Umidade-Calor).
242 CANAL OE L"'IERGIA DO BAÇO ITAIYlN 00 PÉ)

Ba-10 (Xu eha i)-M ar do Sangue


• Ponto Mar do Sangue.

Ba
CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAIYIN DO PE) - 243

Localização
Com o joelho flexionado, na face medial da coxa, na
depressão muscular no músculo vasto medial, 2 c11n
proximais à borda superior da patcla.

Nota de localização
Com os dedos juntos sobre a coxa e o polegar abduzido,
formando um ângulo de 45°, envolva com a palma da
mão direita a patela do joelho esquerdo do paciente. O
ponto situa-se na extremidade do polegar. Ba
M étodo
1 a 1,5 c11n.

Funções energéticas
• Harmoniza o Qi do Baço e fortalece o Ying Qi.
• Elimina o Vento, resfria o Sangue e regula a menstruação.
• Interrompe a hemorragia e regu la a função do Jiao
Inferior.
2 cun
• Regula o fluxo do Qi e promove a circulação do
Sangue, removendo estase.

Indicações
Disrúrbios ginecológicos ou epidérmicos causados por
Calor no Sangue ou estagnação sanguínea, tais como
menstruação irregular e dolorida, amcnorreia, disme·
norreia , mcnorragia, metrorragia, lcucorrcia, endome- .....
tritc, orquite, prurido na pele, eczema, erisipela, alergia, -·····
neurite, anemia, urticária devido ao Vento ou à Umi-
dade, dor na parte interna da coxa, distensão abdominal,
artrite na articulação do joelho.

E.ump/os de combinações
• lG- 11: clarear o Calor e refrescar o Sangue.
• IG- 11 , P-7, E-36, Ba-6: urticária.
• IG 1 1, B-40 eczema infantil.
<> • Ba-8, Ba-6, E-40, F-3: erisipela.
~ • SJ- 17,B-6,IG-4,SJ-5, VB -20,F-2: caxumba infantil
~ com orquite.
";'
::;i • B-28, Ren-3, Ba-9, Ba-6: disúria com hcmatúria.
~ • Ba-6, IG-4, Ren-3: ameaorreia.
• R-5, Ba-6, Ba-1: hemorragia uterina.
244 - CANAL OE ENERGIA 00 BAÇO (TAIYIN 00 PÉ)

Ba-11 Oinsen) - Porta do Cesto

Ba
CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAIYIN DO PE) - 245

Localir.ação
Na face medial dacoxa,6cun acima de Ba-10 (Xueha1),
na linha ve.rtical que liga Ba-12 (Chongmen) a Ba-10
(X11elia1). Ba
Nota de localização
Oito dedos acima de Ba-10 (Xuehai), onde se palpa a
artéria femoral na face lateral do músculo sartório. É
vascularizado pela veia safena magna profundamente I
e pelas artéria e veia femorais nas bordas mediais dos
mllsculos sartório e adutor longo.
Método
0,5 a 0,8 cun.

Funções energéticas
• Fortalece a função do Baço e regula o Jiao Inferior.
• Remove a Umidade, elimina o Calor e desobstruí a
Passagem das Águas.
• Acalma o Coração.
Indicações
Retenção de urina, disúria, enurcsc noturna, adenopa-
tia inguinal, dor e inchaço na região inguinal, urctrite,
obstrução uretra!, orquite, ejaculação precoce, atrofia
muscular,enfraquecimento motor e paralisia dos mem-
bros inferiores, hemorroidas, beribéri.
Exemplos de combinações
• C-5, F-1, B-28. F-3, B-40 e C-7: cnuresc.
• Moxa em B-23, Ren-4,Ren -l : eczema da genitália
esquerda.
246 - CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TNY//11 DO PÉ)

Ba-17 (ChongmE> ) - Porta Pulsátil


• Ponto de Encontro com o Canal de Energia do Fígado e Yin Wei Mai.

Ba
CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TNt'/111 DO PÉ) - 247

w calização
Na altura da margem superior da sínfise púbica, 3 ,5
c11n laterais à linha mediana.

Nota de localização
Na extremidade lateral do sulco inguinal, imediatamen-
te lateral à pulsação da artéria femoral, 3,5 c11n lateral-
mente à linha mediana anterior, ao nível da margem Ba
superior da sínfise púbica. É vascularizado pela artéria
epigá.strica superficial, artéria ilíaca circunflexa super-
ficial e artéria femoral na porção inferior da aponeuro-
se dos músculos oblíquo interno e exten10 do abdome.

Método
0,5 a l c11n.

Funções energéticas
• Promove e regula a circulação de Qi e Sangue ao
Jiao Inferior.
• Transforma Umidade-Calor.
• Regula a função do Baço.
• Fortalece a função do Rim.

l ndicações
Síndrome da obstrução dolorosa do quadril, in flnmnção
< vaginal, leucorreia, patologia inflamatória pélvica, >

~ orquite, endomelrile, dor abdominal, metrorragia, dor


o0 de hérnia inguinal, espasmo estomacal, hemorroida,
~ disúria, retenção urinária, adenopatia inguinal, dor na
.,. virilha, paralisia do nervo femoral, diarreia.
s;
Exemplos de combinações
• Pontos Ashi,pontosXidos Canais envolvidos, Ba-9:
linfangite aguda com membros inferiores afetados.
• E-30: para tonificar Yin do Rim (para direcionar o
Qi dos alimentos e nutrir a Essência do Rim).
• B-24, B-25, E-3, Ba- 10 Ba-9, Ba-6, moxa nos pon-
tos A1·lri: apendicite crônica.
248 - CANAL OE ENERGIA 00 BAÇO (TAIYIN 00 PÉ)

Ba-13 (Fushe) - Moradia das Vísceras


• Ponto de Encontro com o Canal de Energia do Fígado e Yin Wei Mai.

Ba

)
CANAi. DE ENERGIA DO BAÇO (TAIYIN DO PÉ) - 249

Localização
Na região inferior do abdome, 4 cu11 lateralmente à
linha mediana anterior, na linha horizontal que passa
O,7 c1111 acima da margem superior da sínfise púbica.

Nota de localização
Localize Ba-12, o ponto fica 0,5 cu11 lateral e 0,7 c1111
acima deste. Em pacientes muito magros, a inserção
da agulha pode alcançar o peritônio.

MétotúJ
0,8 a 1 Cllll.

Funções energéticas
• Aquece o Jiao Médio.
• Alivia a dor.
• Promove a circulação do Sangue, removendo estase,
dissipa acúmulos.

Indicações
Dor de hérnia inguinal, apendicite, anexite, peritonite,
enterite, linfadenite inguinal, dor pélvica, diarreia, dor
abdominal, obstipação, massa abdominal, distúrbios
ginecológicos como mioma e cistos ovarianos.

Exempl-0s de combinações
• E-36,R- 16,Pc-6,IG- ll,B-24,B-25: apendici-
te aguda.
• Ren-4 , Ba-6, E-28, Ba-8, E-30: inflamação pélvica
crônica com estase de Sangue.
• Ba-12: plenitude e massa abdominais.
250 - CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAJYIN DO PÉ)

Ba-14 (Fujie)- Convergência Abdominal

Ba

-
CANAL 0[ E/l;lRCIA DO BAÇO (TAIYIN DO PÉ) - 251

Localização Indicações
Na face anterolateral do abdome, 4 cun laterais à linha Dor periumbilical, dor de hérnia inguinal, dor abdo1ni-
mediana, 1,3 cun abaixo de Ba- 15 (Daheng). nal que melhora com o calor, diarreia, distensão e dor
abdominais, dor no baixo-ventre, obstipação, disente-
Nota de localização ria, peritonite, tosse com dispneia, apendicite, enterite.
Localize Ba- 15, o ponto fica 1,3 cun abaixo deste.
Exemplos de combinações
Método • Pc-6, Ba-6, F-13: prolapso de estômago.
0,8 a 1). cun. • Ren-8: dor periumbilical.
• VB-34: dor costal.
Funções energéticas • Terapia de injeção em B-23, Ren-4, Ba-9, E-36,
• Harmoniza a circulação de Qi. eliminando a estag- Ba-6, R-8, Ren-2: cálculo urinário.
nação de Qi e Sangue. • E-37, E-25, Ren-28: dor abdominal e diarreia.
• Aquece o Estômago. • Ba-13, E-37: obstipação.

Ba


252 - CANAL DE EN ERGIA DO BAÇO (TAJYIN DO PÉ)

Ba-15 (Daheng)-Grand e Linha Transversal


(Ren-8, R-16 E-15, Ba-15 e VB-26)
• Ponto de Encontro com o Ytn Wei Mai.

Ba

....
..s
'
00

,,--
., ... ..
"'
....'
N

'
• , "'
...
w

"'
- •
.(
CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAIYIN DO PE) - 253

L-Ocalização
Parede anterolateral do abdome, 4 cun laterais à cicatriz
umbilical , na linha vertical que passa pelo mamilo.

Nota de localização
••
Marcar 4 c un (linha mamilar) em relação à cicatriz •• •
•• Ba
umbilical. •• •
••
Método •• •
••
0,5 a 1 c11n. •• •
••
Funções energéticas •• •
••
• Harmoniza o Qi do Baço; tonifica o Baço; harmo-
niza , umedece e promove a função do Intestino
.:•••••
••
~ '""
•'
Grosso. •••
• Aquece o Jiao Médio, reduzindo o Frio, tratando •
•••
diarreia por Deficiência e Frio.
••• •
• Transforma a Umidade-Calor e e limina parasitose ••••••• ••••
intestinal. ••
• Resolve dor.
••

Indicações
Dor no baixo-ventre decorrente de Frio, distúrbio gas-
Lrintestinal com obstipação intestinal, diarreia crônica,
disenteria, paralisia intestinal, parasitose intestinal ,dor
e distensão abdominais.

Exen1pl-0s de combinações
• E-36: ascaríase no intestino de crianças.
• SJ-6: obstipação.
• VB-34: obstipação intestinal habitual.
• Ren-8 , E-37 , 'Zeqian (extra): prolapso de estômago.
• E-25, Rcn-6, Rcn-12: dor e distensão abdominais.
• Ren - 10, VB-34, Ren-6, F-3: obstipação por estag-
nação de Qi.
• Rcn - 12, Ren-6, Ba-4, E-36, IG-4: dor abdominal
infantil por parasita.
2S4 - CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAJYIN DO PÉ)

Ba-16 (Fu1º) Lamento do Ventre


• Ponto de Encontro com o Yin Wei Mai.

Ba

-

-
CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TNt'/111 DO PÉ) - 255

Localização
Na região superior do abdome, 4 c1m laterais à linha me-
diana anterior,3 c1m acima docen1roda cicatriz umbilical.
Ba
Nota de localiuição
Dividir a linha entre o ãngulo estemocostal e o centro
da cicatriz umbilical em duas partes iguais, o ponto
situa-se 1 cun abaixo do ponto médio, 4 c1111 laterais à
linha mediana anterior (Ver Cap. 1, Determinação de
um ponto 1nédio de um trecho longo). ••
Método
••
•• -
0,5 a 1 c11n.
••
•• -
V.2
Funções energéticas •••
"'~• Regula a função do Estômago e dos Intestinos. •••
~ • Fortalece o Jiao Médio.
is
•••
r- • Elimina a Umidade.
•••
~ Jndicações •
:;;
.....
: A c;LI~_.
Dor abdom inal, dor periumbiJica l, obstipação intesti-
nal, disen teria e dispepsia, hematêmese, borborigmo,
gastrite, úlcera péptica, enterite, indigestão.
•.• - 1;.2
3cun
Exemplos de combinações
•••
• Rcn- 12, E-21, Ren-6,E-30, E-25, E-27, E-29, Hua- •
tuojiaji (extra, 0,5 cun lateral à linha mediana poste- ·······•···

rior da extremidade inferior do processo espinhoso da ••
T vm a T XII): paralisia dos mlÍsculos abdominais.
• Ba-3: alimento não digerido nas fezes.
• Sj-6, VB -34: dor na região hipocondríaca.
256 - CANAL DE EN ERGIA DO BAÇO (TAJYIN DO PÉ)

Ba-17 (Shidou)-Cavida de Alimentar

Ba


CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TNt'/111 DO PÉ) - 257

Localiza.ção
Face lateral do tórax, espaço intercostal V, 6 cu11 laterais
à linha mediana anterior.
Nota de locali<11ção
Os espaços intercostais são mais facilmente encontra-
dos contando a panirdoespaço intercostal 11(verCap.1, Ba

Angulo cstemocostal). A linha 6 cu11 laterais à linha
mediana anterior fica situada a 2 cu11 da linha mamilar.
Nos homens, quase invariavelmente,o mamilo situa-se
no espaço inlercostal IV.
Método Eapeço lnltrCOfl•t li
0,5 a 1 cun.

Funções energéticas
• Regula a função do Baço para remover Umidade.
• Desce o Qi Invertido para suspender vômito e dis-
túrbios pulmonares. •açd l i:oaUllV
• Dissipa acúmulo de alimento e promove digestão.

Indicações
Distensão, sensação de plenitude e dor cm tórax e hipo-
côndrio, neuralgia intercostal, distensão abdominal e
borborigmo, indigestão, vômitoneurogênico, vômito com
alimento não digerido, eructação, regurgitação, ascite,
gastrite e retenção urinária,eclema, tosse e dispneia,asma,
enfisema, pneumonia, bronquite, pleurite.

Exen1plos de combinações
• Agulha cutânea em B-18,F-6,F-14, VB-34,SJ-6, B- 19,
VB-24, Huatuojiaji (extra, 0,5 cun lateral à linha
mediana posterior da extremidade inferior do proces-
so espinhoso da TV a T X): intercostalgia.
• 8 - 17, SJ-8 em direção a Pc-4, VB-34: plenitude e
dor em tórax e hipocôndrio.
258 - CANAL DE EN ERGIA DO BAÇO (TAJYIN DO PÉ)

Ba-18 (fianxi) - Riacho Celeste

Ba


CANAL 0[ E/l;lRCIA DO BAÇO (TAIYIN DO PÉ) - 259

Localização
Face lateral do tórax , depressão muscular do espaço
intercoslal IV e 6 cun laterais à linha mediana anterior.

Nota de li>calização Ba
Os espaços intercostais são mais facilmente encontra-
dos contando a partir do espaço intcrcostal II (ver
Cap. 1, Ângulo cstcrnocostal). A linha a 6 cun da
Linha mediana ante rior fica situada 2 c1111 laterais à linha at8 IV
mami lar. Nos ho mens, quase invariavelmente, o ma-
milo situa-se no espaço intercosta l IV.

Método
0,5 a 0,8 cun.
Funções energéticas
<>
.t • Regula o ftuxo do Qi e a circulação do Sangue.
~ • Restaura a menstruação e promove a lactação.
..
~ • Relaxa o tórax.
~
~ Indicações
Espaço lnterc09tal li
Sensação de plenitude e dor em tórax e bipocôodrio,
opressão torácica, tosse e dispneia, bronquite, asma
brôoquica, pleuritc, pneumonia, pleurisia,soluço, mas-
tite, hipogalactia.

Exemplos de combinações
• E-1 6, VB-41, R-23, E- 18, E-36, E-39, IG-8, VB-43:
abscesso da mama.
• VB-43: abscesso, ulceração e inchaço da mama.
260 - CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAJYIN DO PÉ)

Ba-19 (Xiongxiang) - Morada do Tórax

Ba


CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAIYIN DO PE) - 261

Localização
Face lateral do tórax, no espaço intcrcostal Ili , 6 cun
laterais à linha mediana anterior.
Ba
Nota de w ca/ização
Os espaços intercostais são mais facilmente encontra-
dos contando a partir do espaço intercostal n (ver Cap. 1,
A

Angulo csternocostal). A linha a 6 cun da linha media-


na anterior fica situada 2 cun laterais à linha mamilar.
Nos homens, quase invariavelmente, o mamilo situa-se
no espaço intercostal TV.
Método
0,5 a 0,8 cun.
Funções energéticas , Espaço lntarcostal Ili
~ • Regula o fluxo do Qi para aliviar a pressão torácica.
~ • Desobstruí e ativa os Canais e os Colaterais.
:::! • Regula o Qi do Pulmão.
~ Indicações
:;;
Sensação de pleni tude e dor na região de tórax e hipo-
côndrio, neuralgia intercostal,dificuldade de encostar-
·sec mover-se, dor nas laterais do tórax,dor nas costas,
tosse, dispneia, asma.
Exemplos de combinações
• Pc-6, B-15: dor torácica irradiando-se para as costas.
• P-7 e Ren- 17: tosse e asma.
262 - CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAJYIN DO PÉ)

Ba-20 (Zhourong) - Nutrição Total

~ 1
1

Ba


CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAIYIN DO PE) - 263

Localização
Face lateral do tórax, na depressão muscular do espaço
intercostal ll, 6 cun laterais à linha mediana anterior.

Nota de locali'lJlÇão Ba
Primeiro localize a canilagem costal da costela U que
está nivelada com o ângulo estemal, o espaço intercostal
IT situa-se abaixo desta. Seis c11n laterais à linha media-
na anterior podem ser medidos 2 cun laterais à linha
mamilar (ver Cap. 1, Ângulo estemocostal).

Método
0,5 a 0 ,8 Cl/11.
Funções energéticas
• Remove o Calor do Pulmão, alivia tosse e asma.
• Regula a função do Estômago. • Espaço intercostal li

Indicações
Plenitude e dor em tórax e bipocôndrio, tosse, soluço,
catarro, dificuldade em deglutir, neuralgia intercostal,
pleurisia, bronquiectasia, empiema pulmonar, disp-
neia, anorexia.

Exemplos de combinações
• F-2. E- 18, !G-1 l, Ren-17: intercostalgia.
• Ren-6, E-29,B-23, Ba-10,E-36, Ba-6: dismenorreia
com Qi e Sangue deficientes e Frio.
• B-25: dificuldade de ingestão com desejo de beber
Hquidos.
• P- 1, B-60, E-20 e P-10: dificuldade de ingestão.
264 - CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TAJYIN 00 PÉ)

Ba ?1 (Dabao) - Coordenador Geral


• Grande Luo do Baço.
• Ponto de Conexão geral.
• Ponto de Influência dos Colaterais.

Ba


CANAL DE ENERGIA DO BAÇO (TNt'/111 DO PÉ) - 265

Localiuzção
Face lateral do tórax, linha axilar média, no espaço
inten:ostal vr.6 cun abaixo da margem inferior do
músculo peitoral maior ou na linha mesoax ilar, no
ponto médio entre a axila e o cume da costela Xl.

Nota tk /ocalização
Os espaços inten:ostais são mais facilmente encontra-
dos contando-se a partir do espaço intcn:ostal n (ver
Cap. ! ,Ângulo estemocostal). A linha a 6 cun da linha
mediana anterior fica situada a 2 cun da linha mamilar.
Nos homens.quase invariavelmente, o mamilo situa-se
Ba
Ângulo esternal
no espaço intcrcostal IV.

Método
0,5 a 0,8 cun. Espaço
lntercostal li
Funções energéticas
• Harmoniza Qi e Sangue e promove sua circulação. y
• Expulsa o Qi patogênico. •
• Regula o Qi de todos os Colaterais Luo.
• Tonifica e controla o Qi de tendões, músculos e
ossos.

Indicações •

Dor torácica, dor nos hipocôndrios, intcrcostalgias, • •
dores generalizadas por corpo, lassitude, debilidade
geral, fraqueza das extremidades, asma, dispneia, ar-
·:8•- •

• •
E
trite reumatoide, pleurisia, pleuritc. ... •

Se o Grande Luo do Baço está em Excesso haverá •·-; ••


dor por todo corpo (dispersar).
Caso o Grande Luo do Baço estiver em Deficiência, s:

•e ••• --- espaço
lntercostal VI
todas articulações estarão frouxas (tonificar). ·-
. .J •
• ~
Exen1plos de combinações •

• ID-3, B-62, B-17, IG-15, IG-11, lG-4, SJ-4, VB-30, •
VB-34, VB -39,E-41: dores generalizadas pelo corpo.
• Ren- 12, B-21 , F-1 3, B-20, E-36, Ba-4, E-44: regular
a função de Baço e Estômago.
• Du- 14, Du- 12, Ren-17, Ren-6: sensação de peso
~ geral e fraqueza .
""gg • Moxa e m Ren-8, Ren-9, Ren-5, Re n- 17, Du-4,
~ Rcn - 11 , Ren-4, Reo-6 , R-27. VB-26, E- 13, pontos
l
!>:
Ashi: quiJl1ria.

• Scaundo Dcadman ., oi.• 200t (p. 204). e o Nup•"'"'° - u,,. raio


Compru1t1f\"d. 1996.situa-se no VII espaço inlen:l>SW.
Capítufo 6

a<. ' -
>


I
268 - CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO)

na face radial do tendão do músculo flexor ulnar do


Canal Principal carpo, respectivamente 1,5, 1 e 0,5 c1111 distante da pre-
Recebe sua Energia do Canal Principal do Baço no ga 1ransversa do punho. Corre por ci1na do osso pisifor-
coração (órgão a ele relacionado), emerge do sistema me e do aspecto ulnar da palma da mão, passando por
"cardíaco"*, dividindo-se em três ramos. C-8 (Shaofu ). Segue pelo dedo mínimo para tenninar
Um ramo desce profundamente pelo diafragma, a em C-9 (Shaochong), no ângulo ungucal radial.
fim de se conectar ao intestino delgado (órgão relacio-
Relacion a-se com os seguintes órgãos internos:
nado a seu Canal acoplado).
• Coração, Pulmão e lnt.estino Delgado.
Outro ramo separa-se profundamente do sistema
cardíaco, latcralmente ao esôfago, cruza a face para se Relaciona-se com os seguintes Canais Principais:
conectar com o "sistema ocular''... • Do Intestino Delgado, fornecendo sua Energia (C-9
O terceiro ramo sobe profundamente do sistema -+ ID· l), relação Yin-Yang.
cardíaco ao pulmão e desce para emergir na fossa axilar • Do Rim, para completar o eixo Shaoyin (conexão
no ponto C- 1 (Jiquan). Da axila, desce ao longo do Yin-Yin).
aspecto medial da região superior do braço, mediaimen- • Do Baço, do qual recebe sua energia (conexão Yin-
te aos Canais de Energia do Pulmão e do Pericárdio; -Yin), relação possível graças ao ramo que vai do baço
atinge a borda medial do cotovelo, no ponto C-3 (Sha- ao estômago, via diafragma, alcançando o coração,
oha1), na extremidade medial do sulco cubital transverso; onde se une com o Canal Principal do Coração.
segue ao longo do aspecto anteromedial do antebraço,
até o processo estiloide da ulna, passando por C-4 Pontos de Intersecção do Canal Principal:
(Lingdao), C-5 (Tongli), C-6 (Yinxi), C-7 (Shenmen), • Nenhum.

( )

-'

• Ei1.ru1ura que conccca o Coração aos outros órgãos, inclui Pericárdio,


vasos songllÍllcos e nervos oo redor do Coração.
• • f..6:tn11ura que cooccta 01 olhos aocérdJro. inclui tecidos. vasos sanguí·
ncoo e""""' oo redor e olris dos olhas.
CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO) - 269

Canal de Conexão
Separa-se do seu Canal Principal cm C-5 (To11gl1).
Divide-se nos ramos longitudinal e transverso. O ramo
transverso conecta-se com o Canal Principal do lntes-
tino Delgado. O ramo longitudinal segue o Canal Prin-
cipal do Coração ao longo do aspecto anteromcdial do
membro superior, vai para a axila, alcança o coração,
ascende para a raiz da língua, termina no olho*.
Quando este Canal Colateral está desequilibrado,
podem aparecer alguns si ntomas específicos: sensação
de calor em palma e dorso da mão, nos casos de Ex-
cesso de Energia neste Canal; bocejos e excesso de
micção, nos casos de Deficiência··.
< )

• Segundo Solinas •• al.• 2000 (p. 135), penetra no crtnio e csteodc ,...
mificaçõcs au! o c:6'cbro.
•• Shi X""·min's C<11npn/u!nsi>'• Texrlx>ok ofAc"P"ncrure arrd Moxibus-
rion. 2007 (p. 63).
270 - CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO)

Quando este Canal está desequilibrado, podem


Canal Muscular ocorrer contração torácica, massa na região superior ou
Origina-se no aspecto radial do quinto dedo da mão, inferior do abdome, massa cardíaca com desconforto,
imediatarnente proximal à base da unha; segue o as- contração, convulsão e sensibilidade na área afetada.
pecto anterior e radial do osso metacarpal V, conecta- Se a porção superior deste Canal estiver afetada, ocor-
-se ao osso pisifonne no punho em C-7 (Shenmen). rerá dificuldade de levant.a r ou estender o cotovelo**.
Corre pelo aspecto anterior e ulnar do antebraço, al-
cança C-3 (Slwoha1) e se liga ao epicôndilo medial do Conexões do Canal Muscular do Coração com
úmero, sobe até o aspecto medial. até a axila*; liga-se os outros Canais M uscuJarcs:
abaixo da axila, cruza o Canal Muscular do Pulmão, • Do Fígado e do Rim .
corre mediaimente ao longo da região mamária ao
centro do tórax , faz um trajeto profundo e nivela-se Pontos de Encontro do Canal Muscular Yin da
com o espaço intercostal IV, onde se localiza Rcn-17 Mão:
(Shanz}long); dirige-se à cárdia do estômago, atraves- • VB-22 (Yuanye), 3 c11n abaixo da axila, encontra-se
sa o diafragma, terminando na cicatriz umbilical. com os outros Canais Musculares Yin da Mão.

• PróJUmo a VB-22 ( Yuanye). na linha lllÚ!Ar máfia, oodc cnronlnl os


outros Canais MuscullrCS Y111 da Mio.
• • Shí X""·min ºs Comprt!hensfre T"""'°"" ofM"f'W'C/11.te and Moxibu.r·
,;,,,., 7007 (p. 71).
CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO) - 271

Canal Divergente
Diverge do seu Canal Principal na fossa axilar na área de C- l (Xiquan), penetra no tórax em
VB-22 (Yua11ye), 3 cu11 abaixo da ruUJa, na linha ruUJar média; alcança o coração• . sobe ao longo
da garganta, fazendo um trajeto através de Ren-23 (Lianquan), emerge na face, conectando-se
ao Canal Principal do Intestino Delgado, no canto interno do olho, no ponto B- 1 (Jingming).

• Segundo Solinas ti ai.. 2000 (p. 137), no COl'llÇlio. ele CJICX>Dtta os Canais Prioeipal e Divcrgcnce do tncestioo Oclgodo.
272 - CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO)

C-1 Giquan) - Nascente Suprema


• Ponto de Partida do Canal Divergente.
CANAL OE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO) - 273

Localização
No ponto mais alto da depressão no centro do cavo axilar,
posterior à anéria axilar, onde sua pulsação é sentida.

Nota de localização
Este ponto é localizado com o braço abduzido, desli-
zando o dedo na parede Lateral do tórax, entre os mús-
culos Iatíssimo dorsal posterior e peitoral ma.ior, em
direção ao centro do cavo axilar até seu ponto mais alto.

Método
0,3 a 1 cun cm direção a VB-2 1 (Jianji11g).
Funções energéticas
• Hannoniza o Qi do Coração e nutre o Yin .
• Regula o fluxo do Qi, promove a circulação do San-
gue, removendo a estase de Sangue e resolvendo
massas.
• Ativa o Canal. beneficia o braço e libera o tórax.
• Elimina o Calor por Deficiência.

Indicações
Dor fria cm braço e cotovelo, paralisia dos membros
superiores, afecções do ombro, artrite do ombro, inter-
costalgia, pleurite, náusea, icterícia, hipogalactia, dor na
região cardíaca, angina do peito, linfadenitc cervical
tuberculosa, secura na garganta, dor e plenitude em bi-
pocôndrio, sudorese noturna, agitação mental, insônia,
depressão, sequelas de acidente vascular cerebral (AVC).

Exemplos de combinações
• P-4: dor torácica com enjoo, irritação.
• SJ-5, VB-34: iotcrcostalgia.
• Unir LD-9 a C- l ,10-6 a Pc-6,E-38 ao B-67 e inserir
10 - 15 em três di reções diferentes: lesões da parte
mole dos ombros.
• R-24, VB-42, R-26: depressão mental.
• SJ-6, F-3: dor do hipocôndrio.
274 - CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO)

C-2 (Qingling) - Flexibilidade Verde

/ 11


CANAL OE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO) - 275

Localização
Na face ulnar do braço, na linha que une C- 1 (Jiq11a11)
a C-3 (Shaohai), 3 c11n acima da prega do cotovelo, no
sulco formado pelos músculos braquial c braquial radial.
Nota de localiUJfão
Com o braço flexionado, encontrar o sulco medial ao
mllsculo bíceps braquial, 3 cun proximais a C-3 (Sha-
ohaí). Esta região é vascularizada pela veia basílica e
artéria umera!.
Método
0,5 a 1 Cllll.
Funções energéticas
• Harmoniza Qi e Sangue, alivia dor.
~ • Remove a Umidade.
:b • Faz limpeza do Calor patogênico, reduzindo a febre.
00
"' • Relaxa Qi de músculos e tendões, resolvendo rigidez
J;
.. muscular e das articulações.
~
Indicações
Neuralgia intercostal, dor nos ombros e aos braços.dor
no hipocôndrio,dor na região cardíaca, costalgia, dor no
tórax, calafrios, fraqueza muscular do cotovelo e punho,
lesões dos nervos ulnar e mediano, icterícia, csclerótica
ictérica, cefaleia.
Exemplos de combinações
t.:.:;.3 ~~····· ··· ········••····•·••••·• ..
• Pc-4, Pc-6: neuralgia do trigêmeo.
• 8-15, Pc-4: angina do peito.
• IG-15, IG-1 1: dor oo ombro c parte superior do
Músculo bíceps braquial
braço.
• C- 1, IG-17, Pc-6, IG-4, P-5: lesão do plexo braquial. 1
• P-5,Naoshang (extra, no meio do músculo deltoide):
anestesia para o antebraço.
276 - CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO)

C-3 (Shaohai) - Pequeno Mar


• Ponto Mar (He) do Canal.
. ,
• Movimento Agua .


CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO) - 277

Localiuiçã-0
Face ulnar da dobra da pele, à meia distãncia entre o
epicôndilo medial do úmero e a face ulnar do tendão
do músculo bíceps braquial.

Nota de localização
Com o cotovelo flexionado em 90°, na concavidade si-
ruada na metade da distância entre a extrem.idade medial
da prega do cotovelo e o epicôndilo ulnar do úmero.
Se o braço estiver ligeiramente flexionado, na me-
tade da distância entre a face ulnar do tendão do mús-
culo bíceps braquial e o epicôndilo ulnar do úmero. Esta
região é vascularizada pela veia basílica e artéria ulnar
colateral inferior e artéria e veia ulnarcs recorrentes.

Método
0,5 a 1,5 cu11 (a moxabustão não deve ser realizada
diretamente sobre a articulação).

Funções energéticas
• Harmoniza o Qi do Coração, dispersa a Mucosidade
e elimina o Calor patogênico.
• Favorece a circulação de Qi do Pericárdio.
• Regula o Qi e promove a circulação do Sangue.
• Acalma o Shen, fortalece a mente e guarda a vontade.
• Alivia a dor. ·"
.~2 ·
•••
Indicações
Dor precordial com náuseas e vômitos, angina dopei-
to, dor na região cardíaca, dor no llipocôndrio, dor na
axila, tremor nas mãos, afecções do cotovelo, edema/
dor/ fraqueza/parestesia dos membros superiores, inter-
coslalgia, neuralgia do nervo ulnar, dor na nuca, cefa-
leia, pleurite, tuberculose, dor de dente, linfadenite
axilar tuberculosa, tontura, epilepsia, distúrbio do sono,
distúrbios psíquicos, neurastenia, depressão, angústia,
estados maníacos e de confusão, palpitação, estupor,
retardamento mental, sequelas de AVC.

Exen1plos de combinações
• ID-3: tremor das mãos.
• lG- 10: parestesia do membro superior.
• IG-1 1: cotovelo dolorido e parestesia da mão.
• E-33: dor torácica com tremor de mão.
• ID-9, ID-8, C-7, 10-3, LD-4, SJ-3, ID-1: lesão do
nervo ulnar.
• IG-10, SJ-4, IG-5, 10-3, SJ-9: dificuldade em mo-
vimentar a mão.
278 - CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO)

C-4 (Lingdao) - Caminho da Inteligência


• Ponto Rio (Jing) do Canal.

1/
CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO) - 279

Localização • Re move a obstrução do Canal e da mente e acalma


Na face palmar do antebraço, 1,5 cun acima do espaço o She11.
anterior da articulação da mão, no punho, ou 1,5 cun • Interrompe convulsões.
• Fortalece a voz.
acima do ponto C-7 (She1u11en), radial ao tendão do
mt1sculo flexor ulnar do carpo (ver Cap. 1, Tendão Indicações
do mt1sculo flexor ulnar do carpo).
Precordialgia, dor cardíaca, taquicardia, artrite do
Nota de localização membro superior, dor na articulação de punho e coto-
Com a palma da mão para cima, o tendão do músculo velo, dor espasmódica de cotovelo e braço, neuralgia
flexor ulnar do carpo toma-se bem evidente, nas faces do nervo ulnar, dor torácica. náusea, insônia, perda
anterior e ulnar do antebraço. Baseie-se no osso pisi- súbita da voz, doenças mentais, histeria, psicose, sonhos
forme para encontrar o espaço anterior da articulação excessivos, tristeza e suspiro.
da mão. Esta região é vascularizada pela artéria ul nar. Exemplos de combinações
Método • IG-15, IG-7, E-36, E-38, E-39: mastite aguda.
0,3 a0,5 c11n, inserção perpendicular; inserçãoobllqua, • B- 18, B-23,Du-3, VB -34, VB-39, R-3, IG- 11 , E-36,
0,5 a 1 c11n. Pc-5, Pc-6: sequela de pol iomielite com dificuldade
de dobrar os dedos.
Funções energéticas • Du-15 , Ren- 23, IG-4, Pc-5 , SJ-6, R- 1: rouquidão e
• Nutre o coração, revigora o Qi, ali via o estresse afonia.
me ntal. • Du-4, Ba-2, E-25, R-3, P- 1: diarreia por deficiência
• Harmoniza o Qi do Coração. do Rim.
280 - CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO)

C-5 (Tongli) - Comunicação Interior


• Ponto de Conexão Luo do Canal.
• Ponto Estrela Celestial de Ma Dan Yang.


CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO) - 281

Localiuzçã-0 Indicações
Na face anterior do antebraço, 1 cun acima do espaço Distúrbios cardiovasculares funcionais; visão turva;
anterior da articulação da mão, no punho, ou 1 cun tosse; asma; afasia; afasia com rigidez da 1íngua; afasia
acima do ponto C-7 (Shenmen), radial ao tendão do histérica; disartria, dor e inflamação da garganta; dor
músculo flexor ulnar do carpo. torácica; dor/artrite em punho, braço e cotovelo; pre-
cordialgia; cefaleia; sede; gosto amargo na boca; úlce-
Nota de localiuição
ra bucal; distúrbios psíquicos; taquicardia com
Com a palma da mão para cima, o tendão do músculo angústias; bradicardia; palpitação; medo; tontura; ver-
flexor ulnar do carpo toma-se bem evidente, na face tigem; neurose; histeria; psicose; esquizofrenia; astenia
anterior e ulnar do antebraço (ver Cap. 1, Tendão do mental; neurastenia; afonia súbita; insônia; hemarúria;
músculo flexor u ln ar do carpo). Baseie-se no osso pi- sensação de queimação ao urinar; sangr.imento uterino
siforme para encontrar o espaço anterior da articulação funcional.
da mão. Esta região é va.scularízada pela artéria uloar.
Exemplos de combinações
M étodo
• R-4: sonolência.
0,3 a 0,5 cun, inserção perpendicular; inserção oblíqua, • B- 15: arritmia cardíaca.
0,5 a 1 cun. • Ba-3: estimular mente e inteligência, fortalecer a
Funções energéticas memória.
• C-7, F-3: demência.
• Principal ponto para harmonizar e tonificar o Qi do
• Du-15, Ren 23: afasia e rigidez da língua.
Coração.
• Pc-6, B-1 5, Ren- 17, Ren- 6: fadiga por Deficiência
• Elimina o Calor do Coração e domina o Vento Interno.
de Qi do Coração.
• Acalma o Shen e fortalece a mente, alivia o estresse
• F-2, Ba-6: hemorragia uterina.
mental.
• Beneficia a língua.
• Favorece a Bexil!a.
282 - CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO)

C-6 (Yinxi) - Fenda do Yin


• Ponto de Acómulo (X1) do Canal.


CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO) - 283

Localiuiçã-0 Indicações
O,5 cun acima do espaço anterior da articulação da mão, Distúrbios cardiovasculares funcionais, angina do peito,
ao punho, ou 0,5 cufl acima do ponto C-7 (Shenniet1), taquicardia, precordialgia, palpitação, dor na região do
radial ao tendão do músculo flexor ulnar do carpo. coração, sudoresc noturna, cefaleia, tonsilitc, epistaxe,
bematêmese, hemoptise, tremor de medo, boca seca,
Nota de localização estados de inquietação mental, astenia mental, neuras-
Com a palma da mão para cima, o tendão do músculo teaia, insônia, transtornos de sonhos, histeria, náusea,
flexor ulnar do carpo toma-se bem evidente, na face calafrio, amnésia, rouquidão súbita. febre vespertina.
anterior e ulnar do antebraço (ver Cap. l , Tendão do
músculo flexor ulnar do carpo). Baseie-se no osso pi- Exemplos de combinações
siforme para encontrar o espaço anterior da articulação • ID-3: cessa transpiração noturna decorrente da falta
da mão. Esta região é vascularizada pela artéria ulnar. de Yin do Coração.
• Ren- 4, Ren- 8, ID-3: sudorese na síndrome flácida
Método de AVC.
0,3 a0,5 cun, inserção perpendicular; inserção oblíqua, • R-7: sudorese noturna decorrente da falta de Yin do
0,5 a) Cllfl. Coração; ou harmonizar o Coração e o rim; ou para
sadorese espontilnea.
Funções energéticas
• Rea-3, E-5, E-36, E-7, IG-4: estomatite e dlceras
• Tonifica o Qi e nutre o Yin do Con1ção. bucais infantis por Fogo decorrente de Deficiência
• Limpa e ativa os Canais e Colaterais. de Yin.
• Transforma a Mucosidade e elimina Calor do Coração.
• Fortalece e circula o Sangue.
• Acalma o Shen e clareia a mente, alivia o estresse
mental.
• Cessa sudorese.
284 - o .N A l OE ENER
GIA D O CORA
ÇÃO (SHAOY
IN D A M Ã O)
C-7 ( S h e n m e n
)- Porta do Espírit
• Ponto Riacho (S
hu) do Canal.
o
• Movimento Terr
a
• Ponto de Dispers .
ão do Canal.
• Ponto Fonte ( Yu
an) do Canal.
CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO) - 285

Localização distúrbios mentais , retardamento mental nas crianças,


No punho, na pequena depressão na ex Item idade ulnar histeria, epilepsia, pavor, ansiedade, palpitação e lfngua
do espaço anterior da articulação da mão, no punho, pálida, neurastenia, irritabilidade, falta de memória,
quando a mão está em posição supina. radialmente à depressão, insônia, sono com pesadelo, indisposição,
inserção do tendão do músculo flexor ulnar do carpo. sonhos excessivos, esclcrótica ictérica, delírio, coma,
psicose e mania. Estimulá-lo quando o Calor patogê-
Nota de localização nico penetrar o Canal de Energia do Coração com
Com a palma da mão para cima, o tendão do mllsculo sintomas como mal-estar no coração. desejo de água
flexor ulnar do carpo toma-se bem evidente, na face gelada, calafrios prolongados, febre de curta duração.
anterior e ulnar do antebraço (ver Cap. 1. Tendão do É um dos pontos para tratar síncope ou coma provoca-
músculo flexor ulnar do carpo). Baseie-se no osso pi- dos por distúrbio dos Canais Divergentes de Pulmão,
siforme para encontrar o espaço anterior da articulação Rim, Coração e Estômago.
da mão. Esta região é vascularizada pela artéria ulnar.
ExempÜJs de combinações
Método
• Ren-13: distúrbio mental do tipo que corre em volta
0,3 a 0,4 cun (a moxabustão não deve ser realizada
furiosamente.
diretamente sobre a articulação).
• R-3: hannoniza Coração e Rim.
Funções energéticas • R-9: harmoniza Coração e Rim, nutre Rim, alivia
opressão torácica e acalma a mente.
• Null'e Sangue e Yi11 do Coração.
• Pc-6: angina do peito.
• Harmoniza o Qi e transforma a Mucosidade do
Coração. • VB-40: tonifica o Qi do Coração e ela Vesícula Biliar,
• Faz a li1npcza do Calor do Coração, acalmando-o. acalma a mente, auxilia na tomada de decisões.
• Abre os orifícios, acalma o Shen, tranquiliza e reduz • ID-5: nutre o Coração, acalma a mente e abre os
a ansiedade. orifícios da mente.
• Refresca o Calor do Sangue, reduzindo a febre. • VB-20, Du-20: neurastenia, falta de memória e
insônia.
Indicações • Pc-6, B-15: angina do peito.
Taquicardia, dor cardíaca, doença cardíaca, angina do • B-15, B-23, VB-34, Ba-9, Pc-6: arritmia cardíaca.
peito, dor torácica, dor na região hipocondáaca, para- • ID-3, Ren- 15, B-15, Ren- 17: epilepsia.
lisia do músculo hloglosso, calor nas palmas das mãos, • Du-14, VB-20, Pc-6: psicose histérica e neurose.
286 - CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO)

C-8 (Shaofu) - Pequena Mansão


• Ponto Manancial (Ying) do Canal.
• M ovimento Fogo.
CANAL OE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO) - 287

Localiuzção
Na palma da mão, entre os ossos metacarpais TV e V.

Nota de localização
Este ponto, em geral, fica entre as duas pregas trans-
versas da palma, onde o dedo anular toca a palma da
mão, quando os dedos da mão são flexionados .

Método
0,5 cun.
Funções energéticas
• Harmoniza e fonalece o Qi do Cor.ição.
• Dissolve Umidade e transforma Umidade-Calor e
remove a estase de Sangue.
• Limpa Calor patogênico de Canal e Colateral e reduz
a febre.
• Transforma a Fleuma que obstrui a mente.
• Acalma o Shen e alivia o estresse mental.

Indicações
Arritmias, palpitação, taquicardia, angina do peito,
doenças cardíacas reumáticas, dor torácica, dor e con-
tratura no dedo mínimo, parestesia do braço e do an-
tebraço, sensação de febre na palma da mão, úlceras/
ardência na língua, úlceras bucais, tonsilitc crônica,
prurido na genitália externa, dor na região púbica, sede,
< gosto amargo na boca, enu rese, urina escura, retenção >
de urina, disúria, neurose, histeria, agitação mental,
llipomania, insônia com sonhos vívidos.

Exen1plos de combinações
• E-36: inconúnência urinária.
• Pc-7: calor na palma da mão.
l • Pc-6, Ba-6, R-23: angina do peito.
~ • E-5, Ba-9: prurido vulvar.
~ • C-5, Pc-6, Pc-7, C-9: arritmia cardíaca.
~ • Pc-3, Pc-4, Pc-5: doença cardíaca reumática.
r; • C-7, Ba-6, IG-11, Ren- 15, Du-19, B- 15, B-44: in-
sônia (Fogo no Coração).
• Rcn - 3, Ba- 10, Ba-1, F-8: hemorragia uterina por
Fogo excessivo no Coração.
• VB -20. Du- 11,Ren- 14,Pc-7,C-7, C-5,E-36, R-2,
R- 1: palpitação.
288 - CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO)

C-9 (Shaochong) - Precipitação do Yin Mínimo


• Ponto Poço (Jing) do Canal.
• Movimento Madeira.
• Ponto de Tonificação do Canal.

( )
CANAL DE ENERGIA DO CORAÇÃO (SHAOYIN DA MÃO) - 289

Localiuzção
Na margem ungueal radial do dedo mínimo da mão,
0,1 c11n lateral e proidmal à base da unha.

Nota de localiuzção
Imagine duas linhas tangentes à unha: uma pela face
superior e a outra pela face lareral. O ponto situa-se na
intersecção destas linhas.

Método
0,1cu11 ,inserçãooblíqua,ou sangrarcom agulha triangular.

Funções energéticas
• Harmoniza o Qi do Coração, promove a circu lação
do Qi e do Sangue e abre orifícios do Coração.
• Domina Vento, elimina o Calor do Coração e resfria
o Calor do Sangue.
• Clareia a mente; alivia o estresse mental e restaura
'A •
a oonsc1enc1a.
• Alivia a Plenitude.

Indicações
Palpitações, dor cardíaca, taquicardia, angina do peito,
miocardite, hepatite, icterícia, dor torácica e llipocon-
drfaca, tr.instornos menlais,coma por AVC , apoplexia,
...
sensação de plenitude na região do coração, doenças
febris, agitação, delírio, esquizofrenia, febre al ta, con-
.....••
.• "·
vulsões infantis, insônia, histeria, irritabilidade.

Exemplos de combinações
• Du-26, E-36, Pc-9: acidente vascular cerebral.
• Du-26, Ou-24, P-11, Du-25, Yintang (extra, linha
mediana anterior entre as sobrancelhas), E-6, Pc-9,
R- 1, pressão no ID- 17, massagem no pescoço, belis-
car com força o tendão abaixo do hipocôndrio, be-
liscar os tendões de B-40, B-60 e R-3, provocar
espirros: carboxiemoglobinemia, síndrome cspástica.
• Pc-9, R-3: sequela de sarampo infantil, com terror
noturno.
• VB-20, B-1 4,B-15, P-9,P-8 , Pc-5 , B-64, B-60, R-2:
dor na região cardíaca.
• P- 1: dor torácica.
< )
Capítufo 7

.-V

ao

. ....
)

,
j
292 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO CTAIYANG DA MÃO)

mandtbula, cruza a bochecba em ID-18 (Quanlíao), na borda inferior


Canal Principa l do arco zigomático, diretamente abaixo do canto externo do olho e
Origina-se na mão, oa face u1nar da base da unha do dedo mínimo, segue para o canto externo do olho, onde se une a VB-1 (Tongzílíao);
recebendo sua Energia do Canal Principal do Coração, do ramo que segue. em posição anterior à orelha, até SJ-22 (Erhelíao), e penetra na
liga o ponto C-9 (ShanViong) a ID-1 (Shoou). Sobe ao longo do as- orelha (ID-19 [7i11ggo11g]), onde o canal termina.
pecto ulnarda mão, passando por ID-2 (Qíangu), ID-3 (Houx1), ID4 De 10-18 (Quanliao), um sub-ramo vai, pelo bordo inferior do
(Wangu), 10-5 (Yanggu); emerge no processo cstiloidc da ulna, no arco zigomático, a B- l (Jíngming)3, logo acima do canto interno
punho, cm lD-6 (Yang/ao). Segue ao longo da face postcromedial do do olho, onde se conecta com o Canal Principal da Bexiga.
antebraço, passando por 10-7 (Zhiz}zeng). Emerge no cotovelo entre De acordo com o IJ11g Slut, a partir do intestino delgado, um ramo
une-se a E-39 (Xíajuxu), o ponto Mar laferior do intestino Delgado
ID o olécrano da ulna e o epicôndilo medial do úmero, no ponto ID-8
(Xiaoha1). Continua ao longo do a~pecto postcromedial da região - 9 cu11 abaixo da articulação do joelho, lateral à crista da tíbia.
superior do braço1 e emeige na articulação do ombro, oode alcança
ID-10 (Naoshu). Faz um zigue- zague ao redor da escápula, passa Relaciona-se com os seguintes órgãos internos: ~.
por ID-11 (Tranwng), oafossainfraespinhal,ascende atélD-12 (Bing- • Coração, &tõmago e Intestino Delgado. i:::
....
feng), na fossa supraclavicular, desce até fD-13 (QJJ)11011), no aspect0 ~
Relaciona-se com os seguintes ~ Principais: 'l"
medial da crista escapular; faz um trajeto via ID-14 (Jíanwaíshu), 3 •
• DoCoraçao,rcccbcndosu ~
aEnergiadaconexãoC-9clD- 1(dupla :,.
c1111 latcr.iis à borda inferior da vértebra torácica I (f I); e, em ID-15
l'Ín-Yang) .
(Jian;Jwngshu), 2 c1ui laterais à borda inferior do processo espinhoso
• Da Bexiga, ao qual ele fornece sua Energia - unidade Taíyang
da vénebra cervical Vil (C Vll), faz intersecção com B-4 l (Fufe11),
(conexão Yang-Yang).
3 c1111 laterais à T Il,e B-11(Daz/111),1 :'J cun lateral a T I,conect.a-
-se com Du-14 (Da</lui)2 , segue para o centro da fossa supraclavi-
Pontos de Intersecção do Canal Principal:
cular, de onde se divide.
• B-1 (Jíngming), Du-14 (DazJua), E-12 (Quepen), B-11 (Da<hu),
Um ramo profundo penetra no peito, para se conectar coro o
Ren-17 (Slu:urgz/1011g),Ren-12 (Zhongwan), VB-1(TongzílimJ), SJ-20
coração (órgão associado a seu canal acoplado). Faz intersecção no
(Jíaosun), B-4 l (Fufen). Ren-13 (Shangwan), SJ-22 (Erl~líao)S.
nível do ponto Ren-17 (Shan<hong), desce ao longo do esôfago.
Atravessa o diafragma, alcança o estômago, onde faz intersecção
com Ren-13 (Shangwan),3 cun acima da cicatriz umbilical e Ren-12 1 Segundo Ocadmon., ai., 2001 (p. 228), na região superior do bnlÇO. 1n~se
(Zho11gwa11), 4 cu11 acima da cicatriz umbilical. Finalmente, penetra com IG- 14 (Binao).
2 Em 01.1-14 (DaVr•1), encontra os ootros cinco Canais Principeis Yánl .
no intestino delgado (órgão a ele associado). 3 SegundoChcns Xlnnong, 1999 (p. 48) c Maciocia. 2008a (p. 73),o ramo que se dirige
O outro r.imo da fossa supraclavicular, superficial, sobe o aspecto a B-1 (Jingmina) sai do pescoço e não da bochechll.
4 ling Shu, l99S (p. 82).
lateral do pescoço em ID-16(Tumchuang)esedirigea ID-17 (1íanrong), 5 Segundo Ocadman., ai., 2001 (p. 228). na região superior do braço, faz a lnleniOCÇão com
anterior ao músculo estemocleidomastóideo, posterior ao ângulo da IG-14 (Bina<>) c. oo cobeça, faz inletSecçOO com VB-11 (7or"/ÍO-Oyin).
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO ( TA/YANG DA MÃO) - 293

ID
294 - CANAL DE ENERGIA DO INTCS flNO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

Canal de ConcYão Canal Musc11lar


Separa-se do seu Canal Principal no ponlo íD-7 (Zhizheng), so- Origina-se na extremidade ulnar do quinto dedo da mão, em
bre a borda posteromedial do antebraço, 5 cu11 acima do sulco ID-1 (Shaoze), estende-se ao longo da borda ulnar do dedo
do punho. Divide-se cm dois ramos: longitudinal e transverso. O mínimo da mão e osso metacarpal V. Alcança o ponto ID-5
ramo transverso corre mediaimente até encontrar o Canal Princi- (Yanggu), distalmente ao processo estiloide da ulna; une-se ao
pal do Coração. O ramo longitudinal ascende pelo braço, alcan- punho e segue a face ulnar do antebraço ao cotovelo, em ID-8
çando o ombro próximo de IG- 15 (Jianyu), anterior e distalmente (Xiaoha1), conecta-se com o côndilo medial do úmero , sobe ao
à extremidade lateral do acrômio' . longo do aspecto posterior do braço, liga-se ao aspecto posterior
Quando este Canal Colateral está desequilibrado podem apa- da axila, de onde um ramo corre por trás da axila. Desta região ,
recer alguns sintomas específicos: articulação do cotovelo flácida um ramo liga-se à prega axilar e o outro circunda a pane pos-
e atrofiada, nos casos de Excesso de Energia neste canal; verru- terior da eseápula, em direção ao aspecto lateral do pescoço,
gas podem ser evidenciadas nos casos de Deficiência. ID-7 (Zhi- anteriormente ao Canal Muscular da Bexiga. Une-se atrás da
zheng) pode ser selecionado para tratar tais sintomasº . orelha ao ponto VB - 12 (Wangu)'''. Um ramo separa-se nessa
região e penetra na orelha. Depois de emergir atrás e em tomo
da orelha, desce pela face e se conecta ao ângulo da mandíbula,
sobe à face lateral da órbita. onde se liga; faz um trajeto pela
área frontoparietal. Outro ramo bifurca-se do pescoço, segue
anreriormente a mandíbula, curva-se em direção aos dentes,
passa pelo arco zigomático até a face lateral da órbita.

ID

• Aliuns autores. como Solinas tt ai., 2000 (p. 147).concordam que o curso continua
doactemio. raz trajeto 116 E-12 (Qut~•). penetra no peito até enconuarocoraçio.
.. SltJ x,,,,.,,.;,. 'I C:0..l{N<htnsí"" Tt.nbook o/Al:"P""Cf•'" twl Mo.tibwtio1' ,1fX'IT (p. 64).
' " SltJ X,,,,-mín's ~tlllÍV<I Tt:nboo/c ofAl:"P""Cf•te twl Moxíbwtion, 'lfXll (p. 10).
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MAO) - 295

Quando este Canal está desequilibrado, os s intomas incluem


dor no dedo mínimo da mão, irradiando-se ao olécrano, dor ao
longo da borda medial do braço abaixo da axila, dor na borda
posterio.r da axila, irradiando-se para escápula e pescoço. Tinido
e dor na orelha, irradiando-se ao queixo; dificuldade de enxergar
sem antes fechar os olhos durante algum tempo; constricção no
pescoço. Quando o Calor patogênico invade o Canal, os tendões
do pescoço atrofiam e inflamam·.

Conexões do Canal Muscular do Intestino Delgado com


os outros Canais Musculares:
• Da Bexiga, do Intestino Grosso, do San Jiao (Triplo Aquecedor)
e do Estômago.

Pontos de Encontro do Canal Muscular Yang da Mão:


• VB- 13 (Benshen), onde se une com os outrOs Canais Muscula-
res Yang da Mão ...

ID

Canal Divergente
Separa-se de seu Canal Principal na área do ponto ID-1 O
(Naoshu), na articulação do ombro, penetra na axila, até
o peito, cruza o coração, onde une seu Canal Principal e o
Canal Divergente do Coração, desce ao abdome , para co-
nectar-se com o intestino delgado.

• Sq1Jnclo Yiblll Ni . 1996(p. 8S).os ires Canais Muscularcs Yang da Milococontr.un-se


cm ll-8.
•• Uni; Sim. t99S (p. 213).
296 - CANAL DE ENERGIA 00 INTCS flNO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

ID-1 (Shaoze) - Pequeno Pântano


• Ponto Poço (Jíng) do Canal.
• Movimento Metal.
• Ponto de Partida do Canal Muscular.

ID
CA."W. DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MAO) - 297

Loca/ir.ação Indicações
Margem ungueal ulnar do dedo mínimo da mão, 0,1 Cefaleia, distl1rbios da visão e da audição ,opacificação
cun lateral e inferior à raiz da unha. da córnea, dor/edema da garganta, mastite, distúrbio
de lactação, doenças febris, pterígio, afccções agudas
Nota de loca/ir.ação por Vento patogênico, convulsão, pleurite, distl1rbio da
lmagi nc duas linhas tangentes à base e à margem ulnar visão, conjuntivite, coma por acidente vascular cerebral
da unha; é o ponto na intersecção destas linhas. (AVC), febre alta, insônia, perda de consciência.
Método Exempws de combinações
O,l a O,2 c 11r1 , inserção obliqua em direção ao punho • VB-20: nucalgia e cervicalgia.
ou sangrar com agu lha triangular. • F-3: move o Qi do Fígado nas mamas.
• Ren-17: deficiência de lactação.
Funções energéticas
• E-8, Ren- 17, IG-4: hipogalactia e mastite.
• Dispersa Calor e Vento patogênicos. • VB-21, E-18, E-36: mastite aguda.
• Dispersa Calor do Coração.
• Abre os orifícios, para restaurar a consciência.
• Ativa os Colaterais para promover lactação.
• Beneficia cabeça e pescoço.

ID

.
...
....
.
••
.•
.. .. . . .......... .. .
•.
• ••
298 - CANAL DE ENERGIA DO INTCS fl NO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

ID-2 (Qiangu) Vale Frontal


• Ponto Manancial (Ying) do Canal.
. '
• M ovimento A gua

~ 1
1

ID

CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MÃO) - 299

Localização • Elimina Calor na Bexiga.


Na margem ui nardo dedo mínimo, no limite dorsoven- • Umedece a garganta.
tral da extremidade ulnar da prega transversa da mão, • Melhora o Qi do ouvido e beneficia os olhos.
distalmente à articulação metacacpofalângica deste
dedo quando a mão está fechada sem força, na transição
Indicações
do corpo para a base da falange proximal. Braquialgia, parestesia de dedos da mão.dor no ombro,
surdez, inchaço dos dedos, dor e afecções oculares,
Nota de localização
cefaleia, dor e edema da garganta, epistaxe, tosse,
Deslize o dedo na margem ulnar do dedo mínimo, em distensão/plenitude no tórax, tinidos , afecções febris
direção ao punho, na trans ição entre a superffcie palmar sem transpiração, distúrbio da lactação, mastite, urina
e o dorso da mão (onde a pele muda de cor), até en- avermelhada, malária, epilepsia.
contrar o ângulo formado pela base com o corpo na
articulação proximal da falange citada anteriormente. Exemplos de combinações
Método • Du-20, P-8: malária.
0,2 a 0,3 cun, inserção perpendicular em d ireção • ID-1, ID-3, ID-5, VB- 12, C-3 , 8 -2: torcicolo es-
à palma. pasmódico.
• C-8, B-66, IG-1 1, Ba-10, 8 -63: hematúria por Calor
Funções energéticas oa Bexiga.
• Dispersa Vento-Calor e reduz inchaço e febre. • Re n-3, B-28, 8 -22, Ba-9, B-66, B-63, IG- ll , C-8:
• Elimina Calor; alivia o estresse mental. síndrome da micção dolorida por Fogo do Coração.
ID
300 - CANAL DE ENERGIA DO INTCS flNO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

ID-3 ouxº) Riacho Posterior


• Ponto Riacho (Shu) do Canal.
• Movimento Madeira.
• Ponto de Tonificaçiio do Canal.
• Ponto de Abertura do Du Mai.
• De acordo com Hterarura médica da dinastia Ming, ponto de Encontro com o Du Mai° .

/ ~ 1
1

ID

• Ll Ding, 1996 (p. 379).


CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MÃO) - 301

Localização Indicações
Na margem ulnar da mão, na depressão proximal à Cefaleia occipital; dor e rigidez cervical; plenitude
cabeça do osso metacarpal V. torácica; deslocamento lombar agudo; cervicalgia;
lombalgia; dorsalgia; intercostalgia; dor, entorse e
Nota de localiulção contratura de cotovelo, ombro, braços e dedos; dores
Pedir ao paciente para fechar a mão e deixar relaxada; em todos os dedos; malária; tinidos; vertigem; epistaxe;
surdez; surdimutismo; sudorese noturna; sudorese fria;
o ponto situa-se sobre a extremidade da prega de flexão
doenças febris; pleurite; pterígio; conjuntivite; afecções
ventral, na região de mudança da cor da pele entre as
ocular e auditiva; dor e edema de garganta; odontalgia;
regiões palmar e dorsal da mão. icterícia; distúrbios mentais; convulsão; meningite;
Método epilepsia; histeria; mania; tremor.

0,5 a 1 c1m em direção ao lado oposto da mão. Exempws de combinações


• B-60: harmonizar subida e descida do Qi , expelir
Funções energéticas Vento.
• Ativa os Canais e Colaterais e alivia dor. • lG-1 1: febre intermite nte.
• Dispersa Calor do Coração e tranquiliza e revigora • VB-30: dor nas pernas.
a mente. • Pc-8: icterícia.
• Expele Vento Exterior e reso lve a Umidade. • B-5 1: torção da região lombar.
• Afa~ta o Calor Interno e reduz a febre. • B-57: espasmo do músculo gastrocnêm io.
• C-6: transpiração noturna por Deficiênc ia de Yin
• Harmoniza o Qi do Du Mai.
do Coração.
• Resolve icterícia, trata epi leps ia. • IG-3: contratura e entorse dos dedos.
• Dispersa o Qi dos Canais Mu sculares e benefic ia • Ren-15, C-7: epilepsia.
ID
tendões. • Du- 14, Pc-5: malária terçã.
• Alivia garganta e beneficia região occipital, costas • B-62: cefaleia Taiyang ou afecções das regiões lom-
e pescoço. bar e dorsal ou epilepsia, mania, depressã.o , histeria.
302 - CANAL DE ENERGIA DO INTCS flNO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

ID-4 (Wa gu) - Osso do Punho


• Ponto Fonte (Yi1an) do Canal.
• Movimento Madeira.

/ ~ l
1

ID
CA."W. DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MAO) - 303

Loca/ir.ação Indicações
Na margem ulnar da mão, na depressão entre a base Artrite de punho, cotovelo e dedos; contratura; tremor
do osso metacarpal V e o osso piramidal (ver Cap. 1, e impotência funcional do punho; dor de punho, braço,
Fig. 1.32). ombro, pescoço, hipocôndrio e costas; rigidez cervical;
cefaleia; diabetes; gastrite; náusea e vômito; pleurite;
Nota de loca/ir.ação
tinido; icterícia; hepatite; colecistite; pterígio; doenças
Com a mão fechada, deslize o dedo sobre margem febris sem transpiração; depressão; palpitação; histeria;
ulnar da mão até encontrar a depressão interóssea for-
esquizofrenia.
mada pelos ossos mencionados anteriormente.
Exemplos de combinações
Método
• F-3: mover o Qi do Fígado na região de hípocôndrio
0,3 a 0,5 c11n.
e escápula.
Funções energéticas • B-62, SJ-5, R- 1: icterícia do tipo Yin.
• Ativa os Canais e alivia a dor. • ID-7, P- 10, C-3, IG- 11 : mania.
• Elimina Calor e Vento patogênico e reduz a febre. • IG-11 , SJ-6, SJ- 13, IG-12: mãos entorpecidas.
• Limpa Umidade-Calor do Canal e resolve icterícia. • Du-19, VB-29, B- 10, B-60: cefaleia parietal.
• Remove a estagnação do Qi do Canal Muscular, • SJ-13,10-8,IG-l l, SJ-5, LD-3,SJ-3, C-7 , SJ-2,IG-4:
aliviando a rigidez de mt1sculos e tendões. paralisia do nervo ulnar.

ID
304 - CANAL DE ENERGIA DO INTCS flNO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

ID-5 (Yanggu) - Vale do Yang


• Ponto Rio (Jing) do Canal.
• M ovimento Fogo.

/ ~ 1
1

ID


CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MÃO) - 305

Localiwção
Face ulnar do punho, na depressão interóssea localiza-
da na altura do espaço lateral da articulação da mão,
no punho, entre a cabeça da ulna e o osso piramidal
(ver Cap. 1, Fig. 1.32).

Nota de localização
Deslize o dedo sobre a margem ulnar da mão até en-
contrar a depressão interóssea formada pelos ossos
mencionados anteriormente. Se o paciente deixar o
punho relaxado, o espaço na articulação na região ulnar
pode ser palpada com facilidade.

Método
0,3 a 0,5 cun.

Funções energéticas ID
.., • Elimina Calor e Fogo patogênicos e reduz a febre.
~ • Dispersa Umidade-Calor e reduz inchaço.
'l'
gg • Dispersa o Qi estagnado dos Canais Musculares.
!:!
:2 • Expele Vento e limpa Canais e Colaterais, a fim de
.o
b;
ai iviar a dor.
• Acalma a mente.

Indicações
Dor em punho, braço, antebraço e ombro: inchaço em
pescoço e região suhmandibular; doenças febris; paro-
tidite; tinidos; tontura; resfriado; cárie; dor de gargan-
ta; dor ocular; surdez; enjoo; dor de cabeça; rigidez da
lfngua: disn1rbio mental; depressão; mania; histeria;
esquizofrenia; convu lsão infantil; retira a Umidade dos
joelhos quando quentes e inchados

Exemplos de combinações
• C-7: nutre o Coração, acalma a mente e abre os
orifícios da mente.
• P-7: assenta a Alma Corpórea e acalma a mente.
• VB-40: efeito mental cm situações de escolha.
• IG-4, ID-3: dureza nos dedos da mão.
• SJ-4, I0-5. SJ-5: dor no punho.
• SJ-5: paralisia dos extensores da mão.
306 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MÃO)

ID-6 (Yanglao) - Nutrição do Idoso


• Ponto de Acúmu lo (X1) do Canal.

/
1

ID


CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO ( TA/YANG DA MÃO) - 307

Localiuzçã-0 • Reduz a febre.


Na fenda óssea radial e proximal ao processo estiloide • Clareia a visão.
da ulna, l cun acima da prega da pele dorsal do punho. • Relaxa tendões e músculos.
• Beneficia ombros e braço.
Nota de localização
O paciente deve nexionar o cotovelo ligeiramente e Indicações
colocar a palma da mão sobre o tórax. Deslize seu dedo Paralisia/artrite de membros superiores; lombalgia
da porção d.ista.I do processo estiloidc da ulna, palpan- aguda; intercostalgia; rigidez cervical e do ombro;
do para encontrar a fenda óssea. cefaleia occipital; doenças dos olho ; visão fraca; visão
Peça ao paciente que descanse o braço ao lado do borrada; dor em ombro; dor em punho. braço, cotove-
corpo com sua palma para baixo (posição de pronação). lo e escápula; hemiplegia; apendicite; dor de hérnia.
Coloque seu indicador na parte mais saliente do pro-
cesso estiloide da ulna e gire a mão para a po ição de Exemp!Ds de combinações
meia supinação; seu dedo desliza sobre a fenda óssea.
• Pc-6: soluço.
Método • B-1 O: visão turva.
0,5 a0,8 cun. • Unir ID-6 a Pc-6 e unir ID-9 a C-1: periartrite de
ombro.
Funções energéticas • E- 1, B-1, IG-4: miopia.
• Ativa o Canal e alivia a dor. • IG-10, IG-4 (moxabustão): furúnculos na mão.
• Dispersa o Vento e modera condições agudas. • VB-20, F3, IG-4, E-36, VB-37: catarata.

ID

< )
308 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MÃO)

ID-7 (Zhizheng) - Ramificação do Canal Energético


• Ponto de Conexão (luo) do Canal.

ID

• •
)
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MÃO) - 309

LocaliI.ação
Na face ulnar da superfTcie posterior do antebraço, na
margem posterior da ulna, 5 cu11 acima de ID-5 (Yang-
gu) e 7 CUll abaixo de ID-8 (Xiaohaí), sobre a linha de
conexão destes dois pontos.

Nota de localização
Paciente deitado de costas, cotovelo flexionado, com
o braço descansando no tórax. Dividir a distância entre
ID·5 e ID-8 c m duas partes iguais (ver Cap. 1, Deter-
minação do ponto méd io de um trecho longo); o ponto
situa-se 1 cun distal ao ponto méd io.

Método
ID
0,5 a0,8 cun.

Funções energéticas •

• Ativa os Canais e alivia a dor. •


• Acalma o She11 e clareia a mente. •

• Remove Calor do Sangue, e reduz a febre.
• Relaxa mi1sculos e tendões e articulações. e:
~
\)
I ndicações li)


Rigidez cervical; espasmo e dor em cotovelo, braço e •

dedos; inchaço da maxila: visão turva; sensação de frio •
e febre; cefaleia; tontura; vertigem; resfriado; diabetes
nrellitus; patologia da tireoide por Fleuma; doenças
mentais; neurose; neurastenia; insanidade; esquizofre-
• •

nia depressiva e maníaca; histeria. •
• -
Exemplos de combinações •

• 8 -22: cefaleia e tontura.



• 8 -58: tontura rotatória.
~ • IG-6: patologia da tireo ide decorrente de Fleuma.
'
!!il • P-1 0, C-3, IG-4, IG - 11 , ID-4: mania.
~ • Du- 14, 8 - 10, 10- 14, VB-39, ID-3: torcicolo com
~ dificuldade de girar o pescoço.
• 8 -8, B-58, B- 13, B-22: vertigem rotatória e tinido. •




310 - CA"IAL OE ENERGIA DO 11'.TESTINO DELGADO CTAIY
ANC DA MÃO)

TD 8 (Xiz h.,. ·) - M ar do Intestino Delgado


• Pon to Mar (He) do Canal.
• Movimento Terra.
• Ponto de Dispersão do Canal.

ID
CA."W. DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MAO) - 311

Localização
Na depressão óssea da face posteromedial do cotovelo,
na incisura do nervo cubital, e na metade da distância
entre o olécrano da ulna e o epicôndilo medial do úmero.

Nota de localização
Com o cotovelo flexionado, deslize o dedo a partir da ulna
em direção ao úmero até encontrar a depressão citada.
Esta região é vascularizada pelas anérias colaterais ulna-
res inferior e superior e artéria e veia ulnares recorrentes.

Método
0,3 a 0,5 cun, inserção perpendicular; 0,5 a 1 cu11,
inserção oblíqua para cima ou para baixo, seguindo
o Canal.

Funções energéticas
ID
• Dispersa as Energias patogênicas, resolve a Umida-
de-Calor.
• Ativa a circulação do Sangue, removendo estasc.
• Relaxa músculos e tendões.
• Reduz a febre .
• Acalma o Shen e restaura a consciência.

Indicações
Lnchaço de bochecha; cefaleia; parotidite; gengivite;
odontalgia; surdez; tontura; dor em ombro, nuca, pes-
coço e região escapular; inflamação e dores em coto-
velo, braço e antebraço; dor no baixo-ventre; coreia;
rigidez cervical; neuralgia e paralisia do nervo ulnar;
transtornos mentais; epilepsia; esquizofrenia; convul-
sões; psicose.

Exemplos de combinações
• IG-4, F-3: dor no pescoço.
• B-2, Du-19, Du-18: convulsões epilépticas.
• 10-4, fD-3, ID-2, ID-7, B-2, B-3, B-60: cefaleia
Taiyang.
• Taiya11g (extra, depressão 1 cun lateràl ao meio da
linha que une a extremidade lateral das sobrancelha
e o canto externo do olho): cefaleia.
• SJ-3, IG- l l , SJ-5, ID-4, ID-3, SJ-3, C-7, SJ-2, IG-4:
paralisia do nervo ulnar.
312 - CANAL DE ENERGIA DO INTCS flNO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

ID-9 Oianzhen) - Normalização do Ombro

1 1
1

ID

CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO ( TA/YANG DA MÃO) - 313

Localização
1 cun diretamente acima da terminação posterior da
prega axilar posterior, quando os braços estão em adução.

Nota de localização
Este ponto itua-se na depressão exatamente abaixo da
margem inferior do deito ide.
Músculo deltolde
M étodo
0,8 a J ,2 CUfl.

Fllnções energéticas
• Dispersa o Ve nto patogênico e beneficia o ombro,
• Ativa a circulação de Sangue, removendo estase de
Sangue. ID
• Elimina o Calor.
• Alivia dor.

Indicações
Braquialgia, enfraquecimento motor dos braços, para-
lisia de membros superiores, afecções do ombro, om-
bralgia, tinidos, odontalgia, tuberculo e ganglionar
cervical. tinido. surdez, hipcr-hidrosc axilar, doenças
febris, inftamação dos tecidos moles do ombro.

Eumplos de combinações
• IG-15, SJ-14, LD- 10: dor na articulação do ombro.
• B-17, B-19, SJ- 14: paralisia dos músculos extenso-
"' res do ombro.
;!.
.o
~
..
"' IG- 15, SJ- 14: articulação dolorida do ombro.
Du-14, P-5, Pc-6, IG-4: lesão do nervo mediano.
r;-
l . ID-8, C-7, LD-3: lesão do nervo ul nar.
s: • IG- 15, SJ- 14, IG- 14 (ele1roacupuntura): periartrite
da articulação do 01nbro.
• B-9, E--38, B-57, IG- 15, SJ- 14, lG- 11: periartrite
umeroescapular.
314 - CANAL DE ENERGIA DO INTCS flNO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

,.
ID-10 (Naoshu) -Ponto do Umero
• Ponto de Encontro com os Canais de Energia da Bexiga, Yang Wei e Yang Qiao.

~ l
1


ID
CA."W. DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MAO) - 315

Localização
Aspecto posterior do ombro, diretamente acima da
terminação posterior da dobra axilar, na depressão
inferolatcral da espinha da escápula.

Nota de /ocaliwção
Coloque o polegar em ID-9 (Jianl.Mn) e empurre em
ascendência ao longo da pele, até sentir obstrução; pode
haver sensibilidade.

Método
O,6 a 1 c11n, inserção perpendicular com leve inclinaçiio
para baixo ou inserção oblíqua, externamente.

ID
Funções energéticas
• Dispersa o Vento patogênico e remove a Fleuma-
-Calor.
• Relaxa tendões e músculos.
• Alivia dor e parestesía.
• Aquece o ombro congelado.

Indicações
Dor escapular, braquialgia, fraqueza e paralisia dos
membros superiores, afecções de articulação e tecidos
moles do ombro, ombralgia e dor nas imediações, dor
e intumescimento de cotovelo e braço, hemiplegia,
tuberculose ganglionar cervical.

Eun1plos de combinações
• IG- 15, SJ- 14, ID-9: dor na articulação do ombro.
• IG- 15: cervicobraquialgia.
• 10-9, IG- 15, TG-1 I, SJ-5: dor em ombro e braço.
• Ren-22, VB-20: ombralgia com nucalgia.
• IG -15, SJ- 14, ID-6: ombralgia e impotência funcio-
nal do ombro.
• IG-15,SJ- 14,fD-14, lG- 11,IG-10,SJ-5,ID- 4,IG-4:
dor da articulação na parte anterior do 01nbro.
316 - CANAL DE ENERGIA 00 INTCS flNO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

ID-11 (fianzong)- Convergência Celestial

ID

CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO ( TA/YANG DA MÃO) - 317

L-Ocaliz;ação
No ponto médio entre as margens lateral e medial da
escápula, um terço da dis1ãncia entre o pon10 médio
da espinha da escápula e o ângulo inferior da escápula.

Nota de localização
Caso haja dificuldade cm palpar o ângulo inferior da
escápula, peça ao paciente para relaxar o ombro e de-
senhe um triângulo equilátero em que um dos lados é
a distância entre 10-9 e 10- 1O.

Método
0,5 a 1,5 CUll .
• • ID-10
Funções energéticas •

• Dispersa o Ven10 pa1ogênioo.






• •
••
.o•
ID

• Dispersa acúmulo de massa. • • • •
ID-11 • • •
•• • •


Relaxa músculos e tendões.
Desfaz a pleni1ude do tórax.
•• •





• • •
• •• •
• Reduz febre; alivia depressão mental . • • •
• • •


I ndicações ••
• · ·o ,D-9

Dor em escápula, ombro e dorso; dor em co1ovelo e

braço no aspecto lateropostcrior; impossibilidade de •
elevar cotovelo e braço; sensação de peso no ombro; •

dor em pescoço e tecidos moles adjacentes; desloca-
mento lombar: inchaço e dor cm bochecha e maxila; •
caxumba; bronquite; mastitc; asma. •


Exemplos de co"1binações •


• ID-12, ID- 14, B-43: dor na cscápula.
.., • lG-15, SJ-14,VB-34: inflamação da articulação do
~ ombro.
~ • Rcn- 17, E- 18, 10- 1: mastitc e hipogalactia.
<;-
... • IG-15, SJ-14, lG- 11 , 10-6: periartrite do ombro.
~ • VB-21, ID- 15,ID- 14, ID- 12,SJ-6, ID -3, ID-4: dor
~
na região escapular.
• VB-2 1, B- 18: hipcrplasia da glândula mamária.
318 - CANAL DE ENERGIA DO INTCS flNO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

ID-12 (Bingfeng)-Rece ptador do Vento Patogênico


• Ponto de Encontro com os Canais de Energia do Intestino Grosso e da Vesícula Biliar e, segundo alguns autores, com o Sanjiao• .

/ ~ 1
1


ID

• Ocodman, 2001 (p. 243); Solinas et ai., 2000. (p. 190); Ellis, 2004 (p. 184).
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MAO) - 319

Localiwção
No ponto médio da fossa supraespinal da es~pula,
diretamente acima de ID-11 (Tianzong).

Nota de localiwção
Na depressão que pode ser facilmente palpada quando
se levanta o braço. É o ponto médio entre 10- 13
(Q11y11an) e lG- 16 (Jugu).

Método
O,3 c11n, inserção perpendicular, e O,5 a 1 cun, inserção
oblíqua.

Funções energéticas ID
• Dcsobstrui e ativa Canais e Colaterais.
• Regula o fluxo do Qi e expele Vento e Frio patogênioos.
• Relaxa mllsculos e tendões.
• Beneficia ~pula e ombro.

Indicações
Enfraquecimento motor/inchaço/do r/parestesia de
membro superior cm sentido geral, dor no ombro com
dificuldade de elevar o braço,dor na região escapular,
cervicalgia, rigidez cervical, artrite reumatoide. Esti-
mulá-lo quando o Vento patogênico atacar a região
do ombro.

Exen1plos de combinações
• 1D-IJ.10-l4,B-43 :dornacscápula.
• IG- 15 , JG-11 , E-38, SJ-14, pontos Ashi (extra):
perianrite do ombro.
• VB-20, B-10: cervicalgia.
• 1D- 1l, ID-9: dor escapular.
• VB -2 1, lD-15, ID-14,ID- l I, SJ-6, ID-3, 10-4: dor
na região escapular.
320 - CANAL DE ENERGIA DO INTCS fl NO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

ID-13 (Quyuan) - Muro Curvado


ID
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MAO) - 321

Localir.ação
Na cscápula, na depressão superior à extremidade
medial da espinha escapular, à meia distância entre
10- 10 (Naoshu) e o processo espinhoso da vénebra
torácica n.

Nota de localiuição
Dcsl ize o dedo mediaimente ao longo da margem supe-
rior da espinba escapular até palpar a depressão sensível
exatamente lateral à margem medial da escápula.

Método ID
0,3 a 0,5 cun, inserção perpendicular; 0,5 a 1 cun, in-
serção oblíqua.

Funções energéticas
• Expele o Vento.
• Ativa os Colaterais e remove estasc de Sangue.
• Relaxa a rigidez de músculos e tendões.
• Beneficia ombro e escápula .

Indicações
Contratura e dor em ombro, pescoço, costas e braço;
~ afecções das partes moles do ombro; tendinite do mús-
°' culo supraescapular; espasmo muscular da região es-
~ capular; dor da região escapular.
«> Exemplos de combinações
s:
• Ventosa em Du- 14, B- 12, B-13, B-38: bronquite.
• E-6, lG-4 , E-5.SJ-17 , VB-20, E-36 , E-8, E-7, VB-12 ,
B- 11: caxumba.
• IG- 14, VB-34: tendinite do tendão do músculo su-
praespinal no lado afetado.
322 - CANAL DE EN ERGIA DO INTCS fl NO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

ID-14 Gianwaishu) - Ponto ao Lado da Escápula

1/
/:v
)

ID
CA."W. DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MAO) - 323

L-OcallzaflúJ
Nas costas, na junção da linha traçada pela margem
medial superior da escápula com a que passa 3 c11n
laterais ao processo espinhoso da vértebra torácica l.

• •
Nota de /ocaliuição •
• •
Com o ombro relaxado, a linha a 3 cun corresponde à •

margem medial da escápula. •
• •
• •
Método • •
0 ,3 a 0,8 CUll.
• • • • • • • • • • • •• •

• • • • • •


• • • • • •
• •
• •
Funções eriergéticas • • ID
• •
• Elimina o Vento patogênico. •

• Dispersa o Frio e alivia dor. •
• •
• Alivia a rigidez das articulações.

Indicações

~


3cun - •



• •
Rigidez do pescoço e da nuca, dor nas costas, lombal- • •
gia, inflamação e dor em ombro e região escapular, • •

sensibilidade e dor na região posterior do ombro, sen- •
• •
sação de dor e frio em cotovelo e braço, paralisia das •
extremidades superiores. • •
• •
• •
Exemplos de combinações • •
• •
• ID- 11 , ID-12, B-43: dor na escápula. • •
• •
• ID- 11 , lD-14, lG- 15, IG-11 , IG-4, E-38: ombro • •
• •
congelado. •

• VB-21, ID-15, ID-1 2, ID-11 , SJ-6, ID-3, ID-4: es- •
capulalgia. •

• Du- 14, B- l l , ID-15: epicoodilose cervical (com
hidroacupuntura).
• B- 11 , Du-14, VB-21, Du-1 6, B- 12, Hua111ojiaji
(extra de e l 8 e IV): torcicolo.
324 - CANAL DE ENERGIA DO INTCS fl NO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

ID-15 Oianzhongshu) -Ponto Central do Ombro


/'v
)

ID

CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MÃO) - 325


C VII

LocaliI.ação
Nas costaS, 2 cun laterais à margem inferior do processo
espinal da vértebra cervical vn.

Nota de localização
O ponto fica a dois terços da distância entre a tinha
mediana e a margem medial da cscápula, na depressão
medial ao ângulo superior da escápu la. A C VIl é a
vértebra cervical proeminente. Coloque os dedos indi-
cador e médio sobre as vértebras C VI e C VII e peça
ao paciente para flexio nar a cabeça para frente e para
trás. A C VII permanece palpável e a C V l desliza e
não é mais sentida à palpação (ver Cap. 1, Vértebras).

Método ID
0,3 a 0,8 cun.

Fllnções energéticas
• Ativa o Canal e alivia dor.
• Elimina o Calor patogênico.
• Faz a difusão do Qi do Pulmão e alivia tosse e asma.
• Transforma Fleuma e Umidade-Calor.
• Reduz a febre, melhora a acuidade visual.

I ndicQfões
Rigidez e dor no pescoço; dor no ombro. no dorso e
região escapular; tosse; bronquite; asma; dispneia;
bronquiectasia; hemoptise; hematêmese; visão turva;
sensação de frio e febre.

Exemplos de combinações
• Moxa cm Re n-2 1, Re n-20, Ren-17, VB-21, P -9,
~ E-36: asma .
.o • Du- 12, Du-9, P-9: bronqu iectasia.

..:;;;~ .
1ii • B- 13, Pc-6, E-36: bronquite .
Du-14, B- 11 , !D- 14: e picondilose cerv ical (com
-· hidroac upunrura).
• Du-14, IG- 16, Ren- 17, E- 18, Pc-7, R- 1: hemoptise.
326 - CANAL DE ENERGIA DO INTCS fl NO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

ID-16 (fºanchuang) - ]anela do Paraíso


• Ponto Janela do Céu.

ID

IG-18
> •
E-9 10-16
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MAO) - 327

Localiwção
Na face lateral do pescoço, margem posterior do mús-
eu lo estcmocleidomastóideo, O~ cun posterior a IG-18
(Furu), 3~ cun laterais à proeminência laríngea.
Nota de localiwção
Peça ao paciente para girar a cabeça para o lado con-
trário ao ponto e aplique resistência a seu queixo e o
músculo estemocleidomastóidco ficará aparente (ver
Cap. 1, Músculo estemocleidomastóideo). Nas mulhe-
res, a proeminência laríngea é indistinta, palpar a de-
pressão fonnada pelo osso hioide e a margem superior
da canilagem tireóidea na linha mediana. Esta região
é vascularizada pelas artéria e veia auriculares poste-
riores, ramos das artéria e veia occipital.
Método
O~ a 0,8 cun. ID
Funções energéticas
• Ativa o Canal, elimina o Calor e reduz a febre.
• Resolve a Umidade-Calor.
• Melhora audição, aliviador de gaiganta, melhora a voz.
Músculo
• Acalma a mente.
estemocleldo mastóideo
Indicações
Surdez, tinido, dor e contratura no pescoço, hipertireoi-
dismo, garganta seca e dolorida, tonsilite, afasia e
afonia, bócio,dorde garganta, inflamação da bochecha,
perda súbita da voz, resfriado, afa~ia por AVC, hiper-
tensão arterial , esquizofrenia.
Exemplos de combinações
• Du-20 (moxabustão): hemiplegia.
• SJ- 13: bócio.
• VB-3. E-7, &2, Du-20, Du-22, SJ- 17, SJ-2 l, VB-4,
IG-5, SJ-1, SJ-2, SJ-3: tinido e surdez.
• !G-18, Ren-22, E-12, R-27, P-1, Ren-17, IG-4, Shi-
xuan (extra, pontos no meio das pontas dos dedos
da mão, O,l cun distante da unha), P-7: hipcrtireoi-
dismo com crescimento do pescoço.
• P-7: hipertireoidismo com crescimento do pescoço.
• !G-5, SJ-1, SJ-2 e SJ-3: dor auditiva, tinido e surdez
• Du-16, P-8: dor de garganta.
• SJ-6, IG-18, VB-7, C-14: perda de voz súbita.
328 - CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MÃO)

ID-17 (fianrong) - Hóspede Celestial


• Ponto Janela do Céu.
• Segundo alguns autores, ponto de Encontro do Canal de Energia da Vesícula Biliar* .

ID •

• Yitilln Ni. 1996 (p. 89); Ellis et ai.• 2004 (p. 296); Shaogbai College of
Traditional Chincsc Medicine, 2003 (p. 73); Li Ding, 19% (p. 278).
CA."W. DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MAO) - 329

Localiuzção
Parle superior lateral do pescoço, na depressão do
llngulo da mandfbula, na margem anterior do músculo
esternocleidomastóidco.

Nota de localização
Peça ao paciente para girar a cabeça para o lado con-
trário ao ponto e aplique resistência ao seu queixo e o
mõsculo e Lemocleidomastóideo ficará aparente (ver
Cap. 1, Músculo estemocleidomaslóideo). Nas mulhe-
res, a proeminência laringea é indistinta: deve-se palpar
a depressão formada pelo osso hioidc e a margem su-
perior da cartilagem tireóidea na linha mediana. Esta
região é vascularizada pela veia jugular superficial
externa e pelas artéria e veia jugulares internas.

Método ID
0,5 a 0,8 c11n.
Funções energéticas
Músculo
• Harmoniza a circulação de Qi e melhora a circulação
estemocleldomas tóldeo
de Sangue para aúvar os Colaterais.
• Faz limpeza do Calor patogênico e resolve a Umi-
dade-Calor.
• Reduz febre, alivia edema.
• Umedece a garganta, beneficia os ouvidos.

Indicações
! Angina, afonia, tonsilite, faringite, distensão, edema,
~ rigidez, sensibilidade, adenite ou cisto cervical, paro-
.. tiditc, bócio, asma, tosse intensa, surdez, tinido, dor na

~
nuca , dor/sensação de corpo estranho na garganta, in-
chaço da bochecha, bócio, otite média.

Exemplos de combinações
• 10-5: opressão torácica e respiração curta.
• 10-4: cm todas as afecções energéticas da garganta.
• Du-26, Ren-24,P-l l, Du-25,l'intang (extra, na linha
mediana anterio r, e ntre as sobrancelhas), E-6, Pc-9,
C-9, R- t, pressão em ID-17 e massagear pescoço,
ombro e fossa rutilar: carboxi-hernoglobinemia gra-
ve, síndrome cspástica.
• 10-4, P-1 1: tonsilite.
• 10-4, Ba-10: faringite.
330 - CANAL DE ENERGIA DO INTCS fl NO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

ID-18 (Qua iao) Fenda Zigomática


• Ponto de Encontro com o Canal de Energia do San Jiao e, segundo Auterocbe, com os Canais Musculares Yang do Pé*.

ID

• Salinas <t ai.•2000 (p. 102. IS8. 209).


CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MAO) - 331

LQcali1.llção
Na face, na intersecção da vertical que passa pelo can-
to externo do olho com a depressão muscular abaixo da
margem inferior do arco zigomático, na margem anterior
do 1núsculo masseter, no nível de IG-20 (Yi11gxia11g).

Nota de localiwção
Dcsli:zc perpendicularmente o dedo a partir do canto
externo do olho até palpar a depressão siruada na mar-
gem inferior do arco zigomático, na margem anterior
do músculo masseter (ver Cap. 1, Referências ana-
tômicas fixas). Ao punturar, segure a cabeça do pacien-
te com a outra mão.

Método
0,3 a O.S c11n, inserção perpendicular; 1 a 1,5 c11n , in-
serção oblíqua em direção a E4 (Dicang), E-7 (Xia-
guan), IG -20 (Yingxia11g), E-6 (Jiaclie). ID
F1'nções energéticas
• Dispersa Vento e Frio patogênicos e alivia a dor.
• Faz a limpeza do Calor patogênico.
• Ativa os Canais para remover estase de Sangue.
• Reduz febre e acalma a mente.
• Analgesia para cirurgia do crânio.

Indicações
Desvio da comissura da boca e dos olhos, papos sob
os olhos, edema da bochecha, gengivi te, odontalgia,
paralisia facial, contração espasmódica das pálpebras,
csclcrótica ictérica, neuralgia do trigêmco,espasrno do
nervo facial, dor na face, caxumba.

Exen1plos de combinações
• Taiya11g (exlra, depressão 1 cun lateral ao meio da
linha que une a extremidade lateral da sobrancelha
co canto externo doolho),SJ-23, E-4, E-6: espasmo
do nervo facial e paralisia facial.
• Du-26, Ren-4, E-4, E-6, VB- 14, E-2, E-5, 10 -4:
paralisia facial.
• E-7, E-6, VB-3, SJ-21, IG-4, 10-18 (com agulha
aquecida): síndrome de Costen.
• Taiya11g (extra, depressão 1 cun lateral ao meio da
linha que une a extremidade lateral da sobrancelha
e o canto externo do olho), ID-18, E-6 (sangria e
ventosa): atrofia muscular facial por fatores patogê-
nicos crônicos nas regiões musculares.
332 - CANAL DE ENERGIA DO INTCS flNO DELGADO (TNYANG DA MÃO)

ID-19 (fº nggo g) - Palácio da Audição


• Ponto de Encontro dos Canais de Energia do San Jiao e da Vesícula Biliar.

........_ -

ID

-
CANAL DE ENERGIA DO INTESTINO DELGADO (TA/YANG DA MÃO) - 333

Localização • Harmoniza o Qi da audição e alivia o tinido.


Na face, na depressão anatômica que se forma quando • Acalma o Shen e beneficia a mente.
se abre a boca, localizada na região anterior ao trago Indicações
da orelha, entre o trago e a articulação mandibula.r, no
Tmido, surdez, surdimutismo, otalgia, o torrcia, otite
ponto médio entre SJ-21 (Erme11) e VB-2 (1i11gl11u).
média, inflamação do meato auditivo externo, tonturas,
Nota de localização vertigens, paralisia facial, odontalgia, parotidite, lrismo,
Pedir ao paciente que mantenha a boca ligeiramente enfraquecimento motor da articulação mandibular.
aberta para palpar a depressão anterior ao trago da transtornos mentais, esquizofrenia, convulsões.
orelha, pois a abertura da boca desliza o processo con- Exemplos de combinações
dilar da mandíbula para frente (verCap. ! ,Articulação
• SJ-17, 10-4, SJ-5: otitc média.
teroporomandibular). Esta região é vascularizada pelos
• SJ-17, SJ-3: tinido e surdez.
ramos auriculares da artéria temporal superficial.
• Técnica de injeção VB-12, VB-20, SJ-17, B- 15,
Método B- 18, B-23: surdimutismo.
0,3 a 1 Cllll. • SJ-17, VB-40 , IG-4: timpanite.
• Ren-17,B-13, P-9, Ren-6, Du-20, SJ-16: tinido por
Funções energéticas fraqueza do Qi em San Jiao.
• Remove a obstrução de Qi e Sangue dos vasos • VB-2, SJ-17, SJ-7, VB-1 1, SJ-3, VB -38: surdez.
sanguíneos. • SJ-17 Du-15,Ren-23,SJ-5, SJ-3, IG-4: surdi mutismo.
• Ativa os Colaterais, alivia dor e espasmos e reduz a • B-2, VB- 1, VB-8, SJ-23: espasmo do facial.
febre. • R-6, Pc-5, Ba-6, Pc-6: melancolia.
ID

'


'' L


I

( 1l '
t r;


Capítufo 8
336 - CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TAIYANC DO Pt)

linha mediana, abaixo do processo espinhoso de T 11,


Canal Principa l desce verticalmente, seguindo pelas regiões torácica e
O Canal inicia-se na depressão superior e medial ao lombar das costas. Chega à região glútea (na altura do
canto interno do olho, no ponto B- 1 (Jing1ning), re- forame sacral IV), desvia-se, passa pelo ponto VB-30
cebendo sua energia do Canal Principal do Intestino (Huanriao), posteriormente ao trocantcr maior. Segue
Delgado por um ramo que se liga ao ponto 10-18 ao longo do aspecto posterolateral da coxa para encon-
(Quanliao) 1• Sobe verticalmente pela região frontal trar o ramo medial no meio da fossa poplítea em B-40
até o ponto B-3 (Meichong), 0,5 cun para dentro da ( Weizhong). Daí, o Canal corre pelo músculo gastroc-
linha anterior do couro cabeludo, onde forma dois pe- nêmio até B-57 (Chengshan), desvia-se lateralmente a
quenos ramos (um une-se ao ponto Du-24 [Shentingj, B-58 (Feiyang), entre o tendão do calcllneo e a ffbu la.
na linha mediana; o outro se une a VB-15 [Toulinqi] , Faz um trajeto ao aspecto posterior do maléolo lateral.
diretamente acima da pupila, 0,5 cun para dentro da Segue ao longo da face lateral do pé no osso metatarsal
linha anterior dos cabelos). O Canal dirige-se 1,5 V. Termina no ângulo lateral da unha do quinto artelho,
cun lateral à linha mediana, até B-4 (Quchai), segue em B-67 (Zhiyin).
a B-7 (Tonglian), 4 cun para dentro da linha anterior De acordo com o capítulo 4 do Ling Shu, o Canal
dos cabelos, une-se a Du-20 (Baih111), no vértice da Principal da Bexiga faz conexão com seu ponto de
cabeça.Daí, um ramo desce à parte superior da orelha. União Inferior em B-40 (Weimong)4 •
Cruza o Canal Principal da Vesícula Biliar nos pontos
VB-8 (Shuaigu), VB-7 (Qubin), VB-9 (Tianchong)2, O Canal Principal relaciona-se com os seguin-
VB- 10 (Fuba1), VB- 11 (Touqiaoyin) e VB- 12 (Wan- tes Canais Principais:
gu) . O outro ramo reto do vértice penetra mais pro- • Do Intestino Delgado (eixo 1àiyang), do qual recebe
fundamente no cérebro para reemergir em Du-17 (Na- sua Energia (ID- 18 ~ B-1), na conexão Yang-Yang.
ohu), segue à nuca e aos músculos do aspecto medial • Do Rim, ao qual fornece sua Energia(B-67 ~ R-1 ),
da escápula. na relação Yu1-Yang.
Da nuca, divide-se cm dois ramos: medial e lateral,
descendo a região dorsal mediaimente à escápola e O Canal Principal relaciona-se com os seguintes
lateralmente à coluna vertebral. órgãos internos:
O ramo medial desce ao longo do aspecto posterior • Rim e Bexiga.
do pescoço, faz intersecção com Du-14 (Dazhui)3 c
continua até Ou- 13 (Taodao). Depois desse corto des- Pontos de Intersecção do Cana l Principal:
vio, une-se a B-11 (Dazhu), localizado 1,5 cun lateral • Du-24 (Shenling), Du-20 (Baihu1), Du-17 (Naohu)S,
ao processo espinhoso da T 1, desce ao longo da colu- Du- 14 (Dazhui), Du- 13 (Taodao), VB-30 (Huan-
na, 1,5 c1m lateral à linha 1ncdiana, e chega à região tiao) , VB- 11 (Touqiaoyin), VB- 10 (Fubai), VB-8
lombar (a partir do ponto B-23 [Shenshu]). Daí, um (Shuaigu), VB-9 (Tíanchong), VB-7 (Qubin), VB-12
ramo penetra profundamente, via músculos paraverte- (Wangu), VB- 15 (Toulinqi)6. ~
o.
brais, conecta-se com o rim (órgão relacionado ao seu Y'
Canal acoplado) e a bexiga (órgão a ele associado); ~
00

um ramo medial desce ao forame sacral IV, volta para ~


cima em direção ao forame sacra! 1, desce novamente b.
seguindo a linha dos outros foramesaté B-35 (Huiyang) 1
De ICOtdo com o capftulo 21 do LJng Shu, l 99S , o Canal de Energia
- na linha horizontal da ponta do cóccix, O5 cun late- da Bc"'ga penetra cm profundid:lde no maxilar e se fia• à raiz dos
dcn1e1 1upcriores.
ral à linha mediana; corre ligeiramente obliqua e la- 2 Eslc ponto é oitadopor Oeadman <1ai., 2001 (p. 252).e Li Ding. 1996
teralmente por cima da nádega. Cruza o aspecto (p. 236).
3 Em Du· l4 (Dav111i) enconiraosoutros cinco Canais Principais Yang.
posterior da coxa; alcança B-40 (Weizhong), na parte 4 Ung Shu, 19'JS (p. 82).
laterdl do sulco do joelho na fossa popütea. • Segundo Yilian Ni, 1996 (p. 59), e Li Dina. 1996 (p. 236). o Can:~
O ramo lateral do pescoço desce do ponto B- 10 Principal íaz inittseCÇão iambém com Du· 16 (Ftngfu).
• Dcadman ttal .• 2001 (p. 252).dizque 1rad1cionalmen1e os pontos de
(1ianzh11), em direção à borda medial da escápula, lntersccçlo com o Canal de Enerii• da BexiJa são iambém: IG-14
corre em sentido a B-41 (Fufen), 3 cun distantes da (8111ao). ID-IO (Naoshu) e VB-23 (ZMjl~).
PÉ} - 337
RGIA DA BEXIGA (TAJYANc D O
CANAi. DE ENE

OU- DU-20

.. .
• • '.
• •
•• ••
•• ••

.•• "•

• •



'•
338 - CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TAIYANC DO Pt)

Canal de Conexão Canal Muscula r


Canal de Conexão, trajeto: Origina-se no canto lateral do artelho menor, segue ao longo do
Separa-se do seu Canal Principal em B-58 (Feiyang}, 7 cun aci- aspecto lateral do quinto artelho, do aspecto lateral do osso meta-
ma do maléolo lateral, na margem posterior da ITbula, conecta-se tarsal V em direção ao maléolo lateral, próximo a VB-40 (Qiuxu),
com o Canal Principal do Rirn 1• onde se liga. Sobe ao longo do aspecto lateral da perna e se liga à
Quando este Canal Colateral está desequilibrado podem apa- cabeça da ITbula, unindo-se ao Canal Muscular da Vesícula Biliar,
recer alguns sintomas específicos: corrimento ou obstrução nasal, em tomo de VB-34 (Ya11glinquan}. O trajeto principal desce pelo
cefaleia, costalgia, nos casos de Excesso de Energia neste Canal; maléolo lateral ao calcâneo, onde se liga. Daí, um ramo segue o
epistaxe pode ser evidenciada nos casos de De!lciência2 . tendão calcilneo e se une à fossa poplítea. Outro ramo sobe, liga-se
pela margem lateral da panturrilba e sobe à fossa poplftca. Da
fossa poplítea, os dois ramos correm sobre os músculos da parte
1
Solinas trai., 2000 (p. 161) .<lcsc='cm um ramo llaru•-crso. o qual$<: ooocct.acom posterior da coxa, unindo-se na região gh1tea, de onde continuam
o Clnal Pnncipal do Rim e um ramo loogirudinal (nlo dcJc:rito nos IC.lllOS elássic:os). sobre os músculos da nádega, sobem pelos músculos paraverte-
que segue o C&naJ Principal da Bexiga cm B-58 (F<iyot0g) . alcança a cabeça e pcne-
ua no IWU.
brais cm uma faixa larga, dirigindo-se para a nuca. Da nuca, um
2 Shi Xw·Mins~r.-e TOlbockofAaipwtctweONJ Moxi/JMJ1ion,2fXJI (p.65). ramo penetra mais profundamente até a base da língua.

. ......"""'
' ........... • •
...• • ·~

..: :
:i
...11...
,..
<.
'

......•
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 339

O ramo principal liga-se ao ossooccipital,corre sobre o crânio,


lateral à linha mediana; dirige-se ao vénice da cabeça, desce à Canal Divergente
face, segue ao canto interno do olho, ligando-se ao aspecto lateral Diverge do seu Canal Principal na fossa poplítea, ao redor de B-40
do nariz. Um ramo vai pela pálpebra superior e forma uma malha (WeizJwng ). sobe ao sacro no ponto 5 cun abaixo do sacro. Liga
acima do olho, liga-se ao zigomático. o ânus a B-36 (Clu!11gfu}3, une-se à bexiga, dispersa-se no rim,
Ao longo do seu curso dorsal, na altura da prega posterior da sobe ao longo da coluna, na musculatura paravenebral, alcança
axila, o canal forma dois ramos: um ramo vai para o ombro, alcan- e se dissemina na região cardíaca; sobe à nuca, onde se une com
ça a borda anterior e inferior da articulação acrõmio-clavicular, em o Canal Principal da Bexiga e com o Canal Divergente do Rim 4•
~ 10-15 (Jia11yu); o outro ramo penetra na axila, sobe o tórax, emer-
~ gindo na fossa supraclavicular e se divide em 2 sub-ramos: um
· sub-ramo ascende para o processo mastóideo até VB-1 2 (Wangu),
~ o outro sub-ramo
s; sai pela cavidade supraclavicular, sobe obliqua-
mente e sai pelo osso zigomático1•
Quando este Canal está desequilibrado, os sintomas incluem
dor e inchaço no dedo mínimo do pé, calcanhar, espasmo da fossa
poplítea, convulsões, espasmo na nuca, dificuldade para levantar
o ombro, dor nas fossas axilar e supraclavicular e dificuldade para
girar o corpo2 •

Conexões do Canal Muscular da Bexiga com os outros


Canais Musculares:
• De Intestino Grosso, Intestino Delgado, Vesícula Biliar, Estô-
mago e Rim.

Pontos de E ncontro do Canal Muscular Yang do Pé:


• ID- 18 (Quanliao).

1 Secundo ocapllulo 13 do Uns Sllu. 199S (p. 200).


2 SlllXMe·Mill '1Campmtmsive Teirtboolctf~andAfazilJwtiDtr, 1fX11 (p.61).
i Uns SllM. 199S (p.181).
• Solinas <1 oi., 2000 (p. 163), descrc\-c que este Canal cncon1111 o Canal Divergente
do Rim cm B· 10 (1üuttft•).
340 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-1 (Jingming) - Olhos Brilhantes


• Ponto de Encontro com os Canais de Intestino Delgado, Estômago, Yin e Yang Qiao Mai e Du Mai. Segundo Deadman, com os
Canais da Vesícula Biliar e San Jiao•.

1 l
1

• Dcadman ti ai., 2001 (p. 256).


CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 341

Loca/ir.ação Exemplos de combinações


No canto interno do olho, 0,1 cun superior e medial ao • VB-20: estrabismo divergente.
ângulo interno do olho, próximo à margem da órbita. • VB-20, E-1 : alterações oculares.
• R-6 , Ba-62: sonolência ou insônia.
Nota de localir.ação • B-18, B-23,VB-37: cegueira noturna.
Peça ao paciente para fechar os olhos, deslize o dedo • VB-20, IG-4, E-1 : miopia.
pela margem anterior da órbita e encontre um pequeno • VB-20, Taiyang (extra, depressão 1 cu11 lateral ao meio da linha que une
sulco acima da pálpebra superior. A região é vascula- a extremidade lateral da sobrancelha e o canto externo do olho), IG-4, F-2:
rizada por anéria e veia do canto inte rno do olho, su- congestão, inchaço e dor no olho.
pratrocleares, infratrocleares e oftálmicas.

Cuidados na inserção da agulha


Os olhos do paciente devem girar o máximo possível
para o lado contrário ao ponto dur.inte a inserção da
agul ha e, com o dedo indicador, deve-se cuidadosa-
mente afastar o bulbo do olho e mantê-lo firmemente
distante do osso. A agu lha deve ser inserida vagarosa-
mente, posterior e lateralmente, nutn ângulo de 85º ao
osso medial da órbita.
Não se deve aprofundar muito a agulha para evitar
a cavidade cranial, nern é permilido manipulações vi-
gorosas de pcnctroção, retirada e rotação da agulha.

Método
0,3 a0,5 cun.

Funções energéticas
• Dispersa Calor e Ve nto patogê nicos.
• Dispersa Calor do Coração.
• Abre os oriffcios, a fim de restaurar a consciência.
• Ativa os Colaterais para promover lactação.
• Beneficia a cabeça e o pescoço.
• Tonifica o Qi Defensivo. Melhora a acuidade visual,
interrompe prurido e lacrimcjamento e cessa a dor.

Indicações
Utilizado no tratamento de todas as doenças oculares,
conjuntivites aguda e crônica, miopia, hipermetropia,
astigmatismo, ceratite, cer.ttoleucoma, retinite, atro-
fia do nervo óptico, neuri le óptica, estrabismo, opa-
cidade do vítreo, cegueira noturna , daltonismo, olhos
secos, glaucoma, lacrimcjamento, neuralgia oftálmi-
ca, prurido no ângulo interno dos olhos , visão turva,
paralisia facial , alucinação vi sual nervosa, estágio
recente de catarata, ptcrfgio, insônia, sonolência, ver-
tigem , hemianópsia.
342 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-2 (Zanzhu)-Sobran celhas Unidas


• Ponto importante para tratar a região dos olhos.

/
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 343

Localiuzçã-0 Indicações
Numa pequena depressão óssea superior ao canto Espirros, sinusite frontal, parai isia facial, espasmos
interno do olho, próximo à extremidade medial da palpebral/facial, conjuntivite, lacrimejamcnto exces-
sobrancelha. sivo, cegueira noturna, miopia, glaucoma, blcfarite,
ceratoleucoma, neuralgia do trigémeo, nevralgia oftál-
Nota de localiuição mica, visão turva, cefaleia frontal, vertigem, dor na
Deslize o dedo na sobrancelha em direção medial até região supraorbital, nistagmo, falta de visão.
palpar a depressão da fissura infraorbital, diretamente Exemp/,os de combinações
acima de B-1 (Jingtning). A região é vascularizada
• &8: dor nos olhos.
pelas artéria e veia frontais.
• VB-20: dor supraorbital.
Método • IG-3: reduzir o Calor e melhora a visão.
• ID-3, SJ-2: hiperemia da conjuntiva.
0,3 a 0,5 cun, inserção perpendicular, oblíqua para
• fuyao (extra, no meio da sobrancelha, na linha ver-
baixo ou horizontal (unindo-o ao B-1 ); 1 a 1,5 cun,
tical acima da pupila, com o paciente olhando dire-
penetrando no Yityao (extra, no meio da sobrancelha,
tamente para frente), SJ-23, VB-20, IG-4: miopia.
na linha vertical acima da pupila, com o paciente
• Taiyang (extra,! cun posterior ao ponto médio entre
olhando diretamente para frente); ou sangrar para de- a extremidade lateral da sobrancelha e o epicanto
sequilíbrio do Calor. lateral do olho), VB- 14, VB -20, SJ-17, B-67: neu-
Funções energéticas ralgia do trigémeo.

• Clareia a visão e alivia a dor.


• Dispersa Vento e Calor patogênico e reduz a febre.
344 - CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TAJYANG DO PÉ)

B-3 (Meichong) - Fluir da Sobrancelha

l1
1
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 345

Localização Funções energéticas


Na fronte, diretamente acima da exb'Cmidade medial • Elimina Vento e Calor da região frontal.
da sobrancelha, 0,5 cun acima da linha anterior do • Beneficia olhos e nariz.
couro cabeludo, entre Du-24 (Shenting) e B-4 (Qucha1). • Alivia depressão mental.
• Reduz a febre e alivia a dor.
Nota de localização
Meça 0,5 c1m aci.m a da linha do couro cabeludo e ilna- Indicações
gine uma linha vert.ical de intersecção que passa pela Cefaleia frontal, vertigens, tontura, afecções oculares,
extremidade medial da sobrancelha. Caw as linhas epilepsia, lacrimejamento, conjuntivite, obstrução
anterior e posterior do couro cabeludo estejam indisún- nasal, rinite, sinusite frontal, neuralgia do trigêmeo,
tas, lembre-se que a medida entre o ponto extra Yintang convulsão, epilepsia.
(na glabela) e 1 cun abaixo da protuberância occipital
externa mede 15 c1111. A linha anterior do couro cabe-
Exemplos de combinações
ludo situa-se 3 cun acima da glabela. (Verifique também • ID-4, ID-3, I0-2, ID-7, 10-8, B-2, B-60: cefaleia
no Cap.1, Linha anterior do couro cabeludo.) Taiya11g (extra, 1 cun posterior ao ponto médio entre a
extremidade lateral da sobrancelha e o epicanto late-
Método ral do olho).
0.5 a0,8 cun. • B-15: agitação e plenitude no coração com ausência
de transpiração.
• Du-23, J0-20, I0-4: cefaleia com congestão nasal.

-
. ...

0,5 cun •.
~
.••••..••. :tr••••••••.•.•••••• :. ...
..
..
.
.
.
.
...
.
346 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-4 (Quchai) - Virada Irregular


CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TAJYANC DO PÉ) - 347

L-OcalilJlção
Na fronte , 0,5 cun acima da linha do couro cabeludo,
1,5 cun do ponto Du-24 (Shenting ), um terço de dis-
tância e ntre Du-24 (Shenting) e E-8 (To11we1).

Nota de localiI.llção
Meça 0,5 cun acima da linha do couro cabeludo e 1,5
cw1 di stante da linha med.iana anterior. Caso as linhas
anterior e posterior do couro cabeludo estejam indis-
tintas , lembre-se que a medida entre o ponto extra
Yintang (na glabela) e 1 cun abaixo da protuberância
occipital mede 15 cu11. (Verifique também o Cap. I ,
Linha anterior do couro cabeludo.)

M étodo
0,5 a 0 ,8 cun.

Funções energéticas
l • Elimina Vento e Calor, especialmente dos olhos e
~
N
do nariz.
~ • Reduz a febre e alivia a dor.
.o • Alivia a cabeça para melhorar a acuidade visual.
!;;
1ru/icações )

Cefaleia frontal, dor no vértice, asma, resfriado, obs-


trução nasal , epistaxe, rinite, sinusite, doenças dos
olhos, visão turva, falha de visão e visão 1urva, ceguei-
ra , neurite óptica, vertigem.

Exemplos de combinações
• ID-6, IG-4, VB-20, B-5: visão embaçada.
• Du-23, Yintang (extra), B-12,lG-4: sinusite crônica.
• 1D-6, IG-4: diminuição da visão.
• Du-23: halitose.
348 - CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TAJYANC DO PÉ)

B-5 (Wuchu) - Quinto Lugar

( )
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 349

Locali;,ação
0,.5 c1111 acima de B-4 (Quchai); 1 c1111 acima da linha
frontal do couro cabeludo, 1,.5 cun lateral à linha me-
diana anterior, na altura do ponto Du-23 (Sltangxing).

Nota de localiI.llÇão
Imagine a intersecção das linhas que passam 1 cun
acima da linha frontal do couro cabeludo e 1.5 c1111 la-
teral à linha mediana anterior. Caso as Linhas anterior
e posterior do couro cabeludo estejam indistintas,
lembre-se que a medida entre o ponto e xtra Yintang (na
glabela) e 1 c11n abaixo da protuberância occipital mede
15 cu11. (Verifique também o Cap.I, Linha anterior do
couro cabeludo.)

M étodo
0,3 a0 ,8cun.

Funções energéticas
• Domina o Vento patogênico e desce o Yang.
• Desobstruí Canais e Colaterais e reduz a febre.
• Acalma a mente e melhora a acuidade visual.
• Restaura a consciência e beneficia o nariz.

Indicações
Cefaleia, epilepsia, tontura e vertigem, visão turva,
cegueira, glaucoma, conjuntivite, rinite, sinusite, epis-
taxe, rigidez infantil na coluna durante doença febril ,
convulsão, rigidez lombar.

Exen1plos de combinações
• ID-6, IG-4, B-4, VB-20: visão embaçada.
• Du- 12, B-40, B-60, Du-28, VB-3, E-5, SJ- 17: opis-
tótonos em crise tõnico-clõnica.
• Du-12, B-40, B-39: esquizofrenia depressiva e cefaleia. 1,1 A#t
• Du- 12, B-4-0, B-39 e B-60: opistótonos, espasmo
clõnico, epilepsia, cefaleia.
• Du-23, 10-20, IG- 19: congestão nasal com incapa-
cidade de distinguir as fragrâncias.
350 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-6 (Chengguang) - Recebendo a Luz


CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TAJYANC DO PÉ) - 351

Locali1.flção
2,5 cun acima da linha anterior do couro cabeludo, 1,5
cun lateral à linha mediana anteroposterior da cabeça.

Nota de locali1.flção
Imagine a intersecção das linhas que passam 2,5 cun
acima da linha frontal do couro cabeludo e 1,5 c11n la-
teral à linha mediana anterior. Caso as linhas anterior
e posterior do couro cabeludo estejam indistintas ,
lembre-se que a medida entre o ponto extra Yin1a11g (na
glabela) e l cun abaixo da protuberância occipital mede
15 cun. (Verifique também o Cap.l , Linha anterior do
couro cabeludo.)

Método
0,3 a 0,5 cun, inserção horizontal.

Funções energéticas
• Elimina Vento Externo.
• Clareia Fleuma e Calor obstruindo a mente e abre
os orifícios.
• Reduz a febre e cessa as convulsões.
• Desobstruí Colaterais para melhorar a visão.
)

Indicações
Cefaleia, vertigem, atordoamenlO, visão turva, glauco-
ma, miopia, rinite, secreção e obstrução nasal , resfria-
do , anosmia , náuseas , desvio da comissura da boca,
doenças febris sem tranSpiração.

Exemplos de combinações
• Ba-2: vômito.
• IG- 1, E-3, VB-3, VB-1, B-8: cegueira verde.
• B-7: usado pelos antigos acupunturistas para tratar
cefaleia, vertigem e tontura (nutre o Yin e acalma o
Fígado para disseminar o Vento, ativando o Sangue
e desobstruindo os canais).
• Ou-20, VB-20, B-7: paraplegia.
352 - CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TAJYANC DO PÉ)

B-7 (fongtian) - Atravessando o Céu


o

( )
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 353

Localiwção
4 cun diretamente acima da linha anterior do couro
cabeludo, 1,5 cun lateral à linha mediana anteroposte-
rior da cabeça.
Nota de localiZJZção
Imagine a intersecção das linhas que passam 4 c11n
acima da linha frontal do couro cabeludo e 1,5 cw1 la-
teral à linha mediana anterior. Caso as linhas anterior
e posterior do couro cabeludo estejam indistintas,
lembre-se que a medida entre o ponto extrd Yinta11g (na
glabela) e 1 c11n abaixo da protuberancia occipital mede
15 cun. (Verifique também o Cap.I, Linha anterior do
couro cabeludo.)
Método
0,3 a0,5 cun.
Funções energéticas
~ • Ativa Canais e Colaterais e expele Vento.
"',o Abre os orifícios e acalma a mente.

~
• Limpa o nariz, ilumina os olhos.
~ • Interrompe convulsões e restaura a consciência.
""
s; • Reduz a febre
.
Indicações
Cefaleia sobre o vénice, tontura e vertigem, rinite, si-
nusite. secreção e obstrução nasal, cpistaxc, riaorrcia,
anosmia, pólipo nasal, rigidez cervical, inconsciência,
patologias oculares, visão turva, convulsão, epilepsia,
desmaio, psicose, mania, confusão mental, hemiplegia.
Exemplos de combinações
• B-6: desvio da boca e rinorrcia aquosa.
• F-3: hemiplcgia por Deficiência.
• Du-20,Du-16: ataque de Vento nos Canais e Colaterais.
• Du-20, VB-20, B-6: paraplegia.
• Du-23, Yintang (extra, linha 1nediana anterior, entre
as sobrancelhas), IG-4: rinite.
354 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-8 (Luoque)-Declín io dos Vasos

o

CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 355

Localiwção
5 ,5 cun acima da linha anterior do couro cabeludo, 1,5
cun lateral à linha mediana da cabeça.

Nota de localização
Imagine a intersecção das linhas que passam 5,5 cun
acima da linha frontal do couro cabeludo e 1,5 cun la-
teral à linha mediana anterior. Caso as linhas anterior
e posterior do couro cabeludo estejam indistintas,
lembre-se que a medida entre o ponto extra Yintang (na
glabela) e l cun abaixo da protuberância occipital mede
15 cu11. (Verifique também o Cap.1, Linha anterior do
couro cabeludo.)

Método
0,3 a 0,8 cun.
Fllnções energéticas
• Dispersa Vento e Fleuma patogênicos.
• Acalma a mente; alivia convulsões.
• Reanima a consciência.
• Melhora a acuidade vi sual .

Indicações
Rinite, epistaxe, obstrução nasal , anos mia, doenças dos
olhos, glaucoma, visão turva, dor e hiperemia da con-
juntiva, miopia, cefaleia de vértice, epilepsia, convul-
sões, tontura e venigem, tinido , inflamação da nuca ,
paralisia facial, apoplexia, bócio, vômjto, esquizofre-
nia, desmaios , estados maníacos , depressão.

Exemplos de combinações
• IG-1, E-3, VB-3 , VB- 1, B-6: cegueira verde.
• VB-2, Du-12: melancolia e penurbação mental.
• B-23, B-52, Du-4, Du- 14, Rcn-4, R-3 , R-7 , E-36,
Ba-6, Du-20, B- 1O: mente enfraquecida (Deficiência
de Yang do Rim).
• VB-16, Du-20, B-62, B-67: vertigem rotatória.
356 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-9 (Yuzhen) - Travesseiro de Jade

.·. ... .... .........·


CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TAJYANC DO PÉ) - 357

Localização
2,5 c11n acima da linha posterior do couro cabeludo, na
depressão superiorda protuberiinciaoccipital extema, 1,3
cw1 lateral à linha mediana, na altura de Du- 17 (Naoshu).

Nota de localiwção
Para localizar Du-17 (Naosh11),dividaem quatro a linha
que passa por Du-20 (Baih11i) e Du- 16 (Feng/11), na
depressão imediatamente abaixo da protuberância
occ ipital externa. Du-17 situa-se na linha que divide o
quarto inferior.

Método
0 ,3 a 0,8 c11n.

Funções energéticas
• Elimina o Vento.
~ • Desobstrui e ativa Canais e Colaterais.
"'.o • Melhora a acuidade visual .
l!!i
~ Indicações
·......................··•
°' Ce faleia de vértice , cervicalgias, vertigem, vômi to,
conjuntivite, visão turva, miopia, glaucoma.dor ocular,
neurite óptica, obstrução nasal , rinite, anos mia , confu-
são mental , epilepsia.

Eumplos de combinações
• B- 10, 10-3, B-59: cefaleia occipital .
• E-2, Shangjingming (extra), Ba-6: cegueira.
• Rcn-22: cefaleia por invasão de Vento Externo.
358 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-10 (fianzhu) - Pilar Celestial


• Ponto Janela do Céu.
• Segundo Auteroche, ponto de Encontro com o Canal Divergente do Rim•.

1 l

·.... .... .........·•


• Solinos., ai., 2000 (p. 163).


CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 359

Localização
Na nuca, na margem inferior do occipúcio, na área da
inserção do músculo trapézio, 1,3 c1m lateral ao ponto
Du- 15 ( Yamen).

Nota de localização
Localize Du- 16 (Fengfu), na depressão imediatamente
abaixo da protuberância occipital externa entre o mús-
culo trapézio de ambos os lados, depois encontre Du- 15
( Yamen), na depressão0,5 cun abaixo de Du-16(Feng-
fu); deslize o dedo lateralmente até encontrar a depres-
são do músculo trapézio.

Método
0,5 a 1 c11n.

F 11nções energéticas
• Dispersa Vento, Vento-Frio, Ve nto-Calor, Mucosi-
dade, Calor patogênico e Frio.
• Abre os o ri fícios , acalma e forta lece a mente e be-
neficia a visão.
• Relaxa e fortalece mú sculos e tendões.
• Nutre o cérebro e a medula.
• Reduz a febre e interrompe a dor.

Indicações
Vertigem , cefaleia occipital ou do vénice, dor em om-
bros e costas . diminuição da acuidade visual, dor/rigi-
dez cervical, lombalgia, resfriado com febre , dor/
edema de garganta, obs trução nasal, doença febril ,
miopia, distúrbios da menstruação, faringite, doença
neurológica e d istúrbios mentais, insônia, epilepsia,
esquizofrenia, histeria, memória fraca , distúrbio do
sono, neurastenia , falta de concentração , convulsão,
rinorreia e lacrimejamento, massagem para manter o
bom humor e promover boa memória.

Exen1plos de con1binações
• P-11: faringite, tosse crônica.
• lD-3: contusão do pescoço.
• ID-5: ombralgia.
• VB-20: rigidez e dor no pescoço.
• 10-15,JG-J l ,IG-4,SJ-5,Du-4: sequela de poliomielite.
• L11o'l.hen (extra, no dorso da mão, entre as articula-
ções metacarpofalãngicas li e Ili): cervicalgia.
• B-9, TD-3, B-59: cefaleia occipital.
360 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-11 (Dazhu) - Grande Lançadeira


• Ponto de Influência (Hui) dos ossos.
• Ponto de Encontro oom o Canal de Energia do Intestino Delgado e , segundo outros autores, oom os Canais de Energia de San Jiao,
Vesícula Biliar• e, ainda, Du Mat • .
• Ponto Mar do Sangue.

• .. •• •• ••
..... •
•• ••
• • • • • •••• • •
. .. ..
•• • • • • • • •••• • • •
•••• •• • •


••
••
•••
•• •
•• • ••
•• • ••
.
-
. .. ••

• Ellis ti ai.• 2004 (p. 201).


•• Dcadman ti ai., 2001 (p. 265).
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 361

Localização • Nutre e favorece a circulação do Sangue e alivia dor.


Nas costas, inferior ao processo espinhoso da vértebra • Fortalece o Qi dos ossos e alivia a rigidez das
torácica 1, 1:S cun lateral à linha mediana posterior. articu lações.

Nota de localização Indicações


Deslize seu dedo na linha mediana posterior do pesco- Resfriado com febre, dor de garganta, cefaleia, febre
ço. O primeiro processo espinhoso palpável é C VI; sem sudorese, afecçõcs pulmonares e pleurais, tosse.
se o paciente estender seu pescoço, este processo tor- asma brônquica, pneumonia, pleurisia, rigidez cervical.
na-se impalpável. o próximo processo é da e vn. artrite , dor no ombro, cervicalgia, lombalgia, escapu-
sendo palpável cm extensão do pescoço. O processo lalgia, dorsalgia, parestesia das mãos e dos pés, pro-
espinhoso abaixo da C VU é o T l (ver Cap. l , Vérte- blemas cm ossos e articulações, promove formação
bras). Peça ao paciente para rodar o pescoço para os óssea infantil, impede degeneração óssea nos idosos,
lados, esta vértebra gira. T 1, a vértebra mais proemi- tuberculose óssea, convulsões, epilepsia, em psiquia-
nente da base do pescoço, não roda. tria, nos casos de alegria e xcessiva com contratura
muscular, malária.
Método
Exemplos de combinações
O:S a 0,8 cufl, inserção medial cm d ireção à coluna
vertebral, 1 a 1:S c1111, inserção horizontal. • VB-39: síndrome dolorosa dos ossos.
• B-10: afecçõcs da cabeça.
Funções energéticas • Re n-17, E-40: asma.
• Exterioriza o Calor s uperficial. • VB-20 , B-12, B- 13: resfriados.
• Elimina o Vento patogênico e o Frio. • Du-14, TG-4, B-1 3: tosse, asma, gripe.
• Difunde o Qi do Pu lmílo, harmonizando o tórax. • B-41, Ren-9: contratura muscular paravertcbral.
362 - CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TAJYANG DO PÉ)

B-12 (Fengme n)-Porta do Vento


• Ponto de Encontro com o Canal do Du Mai.

TI

•• • • •• T Ili •
••• • • •••
: •
• • • • •• •• •••
.. .. • • • •••
• • • ••

•• • • • • • • •
••• •
•••



•••
• • •

t • ••
• • •
.J. •• •
• ••
•~ ..

LH
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 363

Localiuzçã-0 • Ajusta os níveis nutritivos (Yi11g Qi) e defensivos


Nas costas, na margem inferior do processo espinhoso (Wei Qi).
da T II, 1,5 cun lateral à linha mediana posterior. • Be neficia o nariz.

Nota de localiuzção Indicações


E ncontrar o proces o espinhoso da T I (como explica- Urticária, coriza, rinite, sinusite, resfriado com febre,
do noCap. 1, Vértebras), deslizar o dedo até o próximo asma, tosse cm decorrência de resfriado, bronquite,
processo espinhoso e medir 1,5 cun lateral. pleurisia, pneumonia, febre. predisposição à infecção,
Método cefaleia, rigidez da nuca, distensão do ombro, patologia
do tecido mole adjacente ao ombro, cervicalgia, dor-
0,5 a 0,8 cufl. inserção perpendicular ou inclinada
salgia, lombalgia.
medial em direção à coluna vertebral; 1 a 1,5 cun, in-
serção horizontal. Exemplos de combinações
Funções energéticas • B-13, VG 14, P-7, IG-4: asma por Vento-Frio.
• Elimina Vento e Frio patogênicos e liberta o Exterior. • IG-11, P-7, Ba-10: urticária.
• Reduz o Calor para remover edema. • Du-14, IG-4; gripe.
• Traosfonna a Umidade-Calor. • P-7, IG-4, E-40: coqueluche (tosse inicial).
• Harmoniza, difunde o Qi do Pulmão, regulando sua • B- 13, ID-3: resfriado com dor em pescoço e dorso.
função.
364 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-13 (Feishu) - Ponto do Pulmão*


• Ponto Shu Dorsal do Pulmão.

iT 1

• • • ••
..... •
••• Tlll
••• • •• ••
•• •• •• • •

• • • • • • • •••

• . .. •
••
••••••

• •••

••

••
•• •
•• ••


•• • •
• ••
... ....•

L li

• Todos os pontos SIM< Do<W. slo localizados ! .$ cun lo"'ral à linha mi!dia
posu:rior (linha interna do Canal de Energia da Bexiga). N• pratico, porun,
ele$ ficam si•Wldotl ""linha que com: oo longo dos pontos lllllis ailoo dos
mllsculm ponw:spínais.A cfut!ncia real deles cm rclaçlo à coluna ,·enebmJ
varia um pouco, sendo mais cuna aa rcgiJo aoricica superior e nas rqiõcs
lombln:s e ....-.is.e maior nA rcgilo IOnlcK:a m6dia.
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 365

Localiuzçã-0 • Dispersa as energias patogênicas.


Nas costas, na margem inferior do processo espinhoso • Baixa a febre e cessa a tosse.
da vértebra torácica UI , 1,5 c11n lateral à linha mediana • Recupera a perda de Qi por esforços.
posterior. • Regula os níveis nutritivos (Yi11g Q1) e defensivos
(Wei Qi).
Nota de localiuição
Encontrar o processo espinhoso de T 1 (como explica- Indicações
do no Cap. 1, Vértebras), deslize o dedo mais dois Afecção pulmonar (técnica Shu-Mu), tosse, resfriado,
processos espinhosos e meça 1,5 c11n lateral. A inserção rinorreia, plenitude torácica, asma, expectoração san-
da espinha da escápula pode servir de referência; ela guinolenta, respiração cuna, dispneia, pleurisia, he-
projeta-se, em geral, no processo espinhoso da vértebra moptise, dor e sen ação de frio nas costas, dor torácica,
torácica UI quando os braços penderem para baixo. bronquite, pneumonia aguda, febre vespertina, tuber-
Dica auxiliar: o paciente põe sua mão sobre o ombro culose pulmonar, sudorese noturna e espontânea.
contralateral no início da nuca; a ponta do dedo médio
aponta, então, para B- t 3•. Exemplos de combinações
Método • P- 1: tosse e asma.
• Ren-22: tosse.
0,5 a 0,8 cu11, inserção medial em direção à coluna
• Ren-14: plenitude torácica.
vertebral; 1 a 1,5 c11n , inserção horizontal.
• P-7, TG-4: tosse por invasão de agente patogênico
F unções energéticas Externo.
• Harmoniza o Qi cio Pulmão, dispersa o Calor e nutre • IG-20, Du-23: diminuem a secreção nasal.
o Yin. • P-5, 10-4, P-7: bronquite aguda.

..

•• ••••
••• • • • • • • •• •

. ..
• • • •• ••
•• • • • • • • ••• • • • •

•·.. ••• ..
(


••

••
•••
• •••
•••••

• Bahr" ai•• 2007 (p. 212).


366 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-14 Oueyinshu) - Ponto do Pericárdio


• Ponto Shu Dorsal do Pericárdio.

TI

Tlll
•• • ••
... .. •••

•••
• • • • •• • •
• • •• • •
• •
•• •• •••••••
• •
•••
•• • •
••••
••
••
•• ....:s
.,..'
•••
•••
•• • ••
• •• .
....
st
;s'
f'

.... .. • ••
°'
a
.. T

Ln
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TAJYANC DO PÉ) - 367

Localização • Harmoniza, tranquiliz.a e tonifica o Qi do Coração.


• Acalma o Shen .
Nas costas, horizontalmente à margem inferior do
processo espinhoso da vértebra torác ica IV, 1,5 c1m • Harmoniza o Qi do corpo e ativa a circulação do
lateral à linha mediana posterior. Sangue.

Nota de localização Indicações

Encontrar o processo espinhoso da T 1 (como explicado Doença cardíaca reumática, patologjas coronárias, dor
no Cap. 1, Vértebras), deslizar o dedo contando até o cardíaca, rrúocardite, angina do peito, dor precordial,
processo espinhoso da T TV e medir 1,5 c11n lateral. A arritmias, taquicardia, palpitação, ansiedade, estupor,
inserção da espinha da escápula pode servir de referência, tosse com catarro, vô1nitos, úlcera, náuseas, espasmo
ela projeta-se, em geral, no processo espinhoso da vér- gástrico, gastrite, neurastenia, opressão torácica, cefa-
tebra torácica lll, quando os braços pendem para baixo. leia do vértex, neuralgia intercostal.

M étodo Exemplos de combinações


O,5 a O,8 c11n , inserção medial em direção à coluna • B-15, Ren-14, C-7, Pc-6 , B-23, R-3: palpitação com
vertebral; 1 a 1.5 c11n, inserção horizontal. hiperatívidade do Fogo.
• B-15, Ba-6: doença cardiorreumática.
Funções energéticas • C-8, C-5: taquicardia.
• Regula a função do Qi do Pulmão e do Estômago • Ren- 17,Pc-6,SJ-6, VB -34,F-3,B- 17, B-15,B- 18:
para tratar vômito. dor torácica por estagnação de Qi.
• Regula o Qi do Fígado e alivia o tórax. • Ren-17, Pe-6, B- 17, Ba- 1O: dor no peito.

••
•• •

•• • • •• • • ••
• • • • • •••
• • •• • •
•• • • • • • •••
• •••
• ••
••• •

•••••••••••••• • .. ..-· ...... .


••

••

••
••

••
• •
• ••
••• •

~
-----e:'.~
368 - CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TAJYANC DO PÉ)

B-15 (Xinshu)-Ponto do Coração


• Ponto Shu Dorsal do Coração.

TI

•• •••
..... •• • T Ili

• • •••••• • ••
••• • • • • • • • ••• ••• • •
• • ••
•• • • • •

:··

••
••
••
•• •
•• •
••
• • •
•• ••
. .... •

L li
( )
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 369

Loca/ir.ação • Fortalece e clareia a mente.


• Estimula o cérebro.
Nas costas, horizontalmente à margem inferior do
processo espinhoso de TV, 1,5 cun lateral à linha me- Indicações
diana posterior.
Distúrbios cardfacos como tosse por fibrilação atrial,
Nota de loca/ir.ação taquicardia, palpitações, arritmias, doença cardíaca
reumática, dor cardíaca, memória fraca, emissão no-
Encontrar o processo espinhoso de T 1 (como explica-
turna, hemoptise, neuralgia intercostal, lesão dos teci-
do no Cap. 1, Vértebras), deslizar o dedo até o processo
dos moles das costas, s udorese noturna, amnésia,
espinhoso de TV e medir 1,5 cu11 lateral. A inserção distúrbios psíquicos, retardamento mental infantil,
da espinha da escápula pode servir de referência; ela depressão, estupor, psicose, melancolia, neurastenia,
projeta-se, cm geral, no processo espinhoso da vértebra epilepsia, esquizofrenia, ansiedade, histeria , irritabili-
torácica Ili quando os braços penderem para baixo. dade, insônia.
Método Exemplos de combinações
0,5 a 0,8 cun, inserção medial em direção à coluna • B-14: doença cardíaca reumática.
vertebral; 1 a 1,5 cun, inserção horizontal. • B-23: espermatorrcia, harmonização entre cordção
enm.
Funções energéticas • Ba-6: palpitação.
• Harmoniza e tonifica o QidoCoraçãoe libera o tórax. • Du-11: epilepsia em crises frequentes.
• Harmoni za Qi e Sangue e elimina Calor. • Ren-14: ansiedade, neurastenia.
• Nutre e acalma o Shen . • Pc-6: arritmia e angi na do peito; arritmia.

•• ••••
.• ..... • •• •• • •
• .. ..
••
•• • •
••• •• • • • • • •••
• ••

••
• ••
••
•••
••
••

•• • • • • • • • • • • • • • • •· .. •• ..... .
·~
• •
• •
•• •

•• ••
•••••••
370 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-16 (Dushu) - Ponto do Du Mai


• Ponto Shu Dorsal do Ou Mai.

TI

••••
..... •••

• iT Ili
:• ...... • •••••••••

.. .. ..
• • • • • • • •• • •
• ••
••••• •

••

•••
•• •


• ••
••
• •• ••
... .. ••

Lll
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 3n

Localização • Fortalece o diafragma.


Nas costas, horizontalmente à margem inferior do • Regula o Qi e a função do Coração.
processo espinhoso da vértebra torácica VI, 1,5 cun Indicações
lateral à linha mediana posterior.
Endocardite, pericardite, miocardite, dores pré-cordial
Nota de localiUição e abdominal, angina do peito, hipertensão arterial. ta-
Encontrar o processo espinhoso de T l (como explica- quicardia, dispneia, espasmo do músculo diafragma,
do no Cap. 1, Vértebras), deslizar o dedo até o proces- dor/espasmo gásuico, úlcera gástrica,gastrite, mastite.
so espinhoso de T V1 e medir 1,5 cun lateral. A inserção alopecia, doenças da pele, prurido, psorfase, borborig-
da espinha da escápula pode servir de referência, ela mo, eructações, dor torácica, gripe com febre.
projeta-se, em geral, no processo espinhoso da vértebra Exemplos de combinações
torácica 111 quando os braços penderem para baixo.
• Du-14, B-15, B-1 7: abscesso e furúnculo .
Método • B-13, B-1 7, IG-11 , Ba-10: psorfase.
0,.5 a 0,8 cun , inserção medial em direção à coluna • Eletroacupuntura e m Pc-6, Ren- 17, B- 15. B- 14:
vertebral; 1 a 1,.5 c1111, inserção horizontal. angina do peito.
• Pontos locais, Du-1 4, Du-12, Du-9, B- 14, 10- 11 ,
Funções energdticas SJ-5, VB-34 , B-(i(): neurite múltipla.
• Harmoni za o Qi do tórax, relaxando-o. • Ren-17, IG-4, IG- 11 : mastite aguda.
• Promove a circulação e resfria o Calor do Sangue. • B-22, B-32: pielonefrite crônica.

••••
•• • •

• • • •• •
• • • • • • ••

•• •
•• ••
•• • • • • • ••• • • • •
• • •••
•• • •
•••

•••
••
••

•••.•......... ~~~. ·- •
... • .........
••
•• ••

. ••
• •

•••••
372 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-17 (Geshu)-Ponto do Diafragma


• Ponto Sh11 Dorsal do diafragma.
• Ponto de Influência (H111) do Sangue.

TI

•••••
... .. ••
•••
••• •• •
• • • ••• •••
• • • • • • • ••• • • • •
••• • • •• • •
••• •
••
••
•••
•••
• ••
• • ••

•• • ••

.. .. •

< )
LI
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 373

Localização • Fortalece o Ying Qi.


Nas costas, horizontalmente à margem inferior do • Facilita a formação de Jinye.
processo espinhoso da vértebra torácica VII, 1,5 cun • Elimina Umidade e restaura a consciência.
lateral à linha mediana posterior. Indicações
Nota de localiUição Anemia crônica, patologia hemorrágica crônica, para-
Encontrar o processo espinhoso de T 1(como explicado lisia e espasmos do músculo do diafragma, sensação
no Cap. 1, Vértebras), deslizar o dedo até o processo de peso/plenitude/dor torácica, plenitude epigástrica,
espinhoso de T VII e medir 1.5 cu11 lateral. A inserção estenose esofágica, vômito e náusea neurogênica, tos-
da espinha da escápula pode servir de referência, ela se espasmódica, asma, hemoptise, soluço, eructação,
projeta-se, em geral, no processo espinhoso da vértebra tuberculose dos gânglios linfáticos, dor cardíaca, cân-
torácica m quando os braços penderem para baixo. cer do estômago, espasmos do esôfago, febre vesper-
tina, bematêmese, sudorese noturna, dificuldade para
Método engolir, urticária, sarampo.
0,5 a 0,8 cu11, inserção medial cm direção à coluna
Exemplos de combinações
vertebral; 1 a 1,5 c1m, inserção horizontal.
• P-8: edema de garganta.
Funções energéticas
~
'l'
.
Nutre , revigora, harmoniza e regula a circulação e


B-18: nutrir o Sangue do Fígado.
B-15: nutrir o Sangue do Coração.

~ refresca o Calor do Sangue, recuperando as Deficiên-


cias do nuxo do Qi.
• B-20: estimular a função de produzir Sangue do
~ Baço.
~ • Harmoniza o Qi do tórax e fortalece o diafragma. • Ren- 12: soluço.
Harmoniza o Qi do Estômago e do Baço. • B-19: moxa direta, tonificação geral de Qi e Sangue.

••
••• • • •• • •••••
•• •
• • ••
••
• • • • • • • • • ••
•• • • • • ••
• •
••••••

•••
••
• •
• •
•• • •
•• •
••
' ......... .... .
•• ••
:
374 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-18 (Ganshu) -Ponto do Fígado


• Ponto Shu Dorsal do Fígado.

iT 1

Ili
•••• ••
..... • •'
•• •• • •••
••• •• • •
•• • • • • • • ••• •• • •
• • ••
•• • • •
••• •
••


•••

••
• •••
• •
•• ••
•• •
••
•~ .. T

L li

LV
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 375

Localiuzçã-0 • Refresca o Calor do Sangue, acalmando a mente, e


alivia depressão mental.
Nas costas, horizontalmente à margem inferior do
processo espinhoso da vértebra torácica TX, 1,5 cun Indicações
lateral à linha mediana posterior.
Hepatites aguda e crônica, hepatomegalia, patologia
Nota de localiuição gástrica, dor/distensão cpigástriea, intercostalgia,
opressão torácica que melhora com suspiros, dor lom-
Encontrar o processo espinhoso de T 1 (como explica-
bar, dor nos hipocôndrios, regurgitação ácida, náuseas ,
do no Cap. 1, Vértebras), deslizar o dedo até o proces- cefaleias, tosse de origem hepática, hemoptise, icterícia,
so espinhoso de T IX e medir 1.5 cun lateral. A epistaxe,colecistite, patologia ocular crônica, hcmcra-
vértebra lombar IV também pode servir de referência Jopia, olhos doloridos e edemaciados. imagens flu-
na contagem dos processos espinhosos das vénebras. tuantes no campo de visão, cegueira noturna, glaucoma,
visão turva, hiperemia da conjuntiva , miopia, afecções
Método
dos genitais externos, menstruação im:gular, disme-
0,5 a 0,8 c1m , inserção medial em direção à coluna oorreia, transtornos mentais, neurastenia, vertigem,
vertebral; 1 a l :S c1111 , inserção horizontal. histeria, esquizofrenia, epilepsia, convulsões, irritabi-
lidade, acidente vascular cerebral (AVC).
Funções energéticas
• Regula o Qi e afasta a Um idade do Fígado e da Exemplos de combinações
Vesícula Biliar. • B- 17: nutre o Sangue do Fígado.
• Regula e nutre o Sangue do Fígado, c lareia e forta- • Du-4: catarata.
lece a visão. • VB-34: patologias do Fígado e da Vesícu la Biliar.
• Elimina o Vento Interno e beneficia os tendões. • E-36: indigestão.
• P.acifica o Estômago. • Pc-6: dor e m tórax e hipocôndrio.

•••

•• • • • • • • ••

l
376 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-19 (Danshu) - Ponto da Vesícula Biliar


• Ponto Shu Dorsal da Vesícula Biliar.

TI

• • •• T Il i
... .. •
•• • •
• • •••••••••
• • ••••
•• • • • • • • • • • • •
•• ••
••
• ••
:··

••

•••
••
• • ••
• •
•• • •
•. ••
... ...•

Lll
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 377

Loca/ir.ação • Tonifica a Deficiência.


• Regula a função do Jiao Médio.
Nas cosias, 1,5 cun la1eral à linha mediana pos1erior,
• Alivia sell.53çào de peso no lórax e relaxa o diafragma.
horizon1almen1e à margem inferior do processo espi-
• Oareia a visão.
nhoso da vénebra IOrácica X.
Indicações
Nota de loca/ir.ação
Palpitação, insônia, dor em hipocôndrios e tórax,
Encontrar o processo espinhoso da vértebra 1orácica 1
distensão abdominal, sensação de plenitude sob o dia-
(como explicado no Cap. 1, Vértebras), deslizar o dedo
fragma, colecistite, hepatite, gastrite, esofagospasmo,
até o processo espinhoso T X e medir 1,5 cu11 la1cral. ascaridíasc do dueto biliar, náuseas e vômito, soluço,
A vértebra lombar lV 1ambém pode servir de referência,
icterícia, gosto amargo na boca, dor/distensão abdomi-
na contagem dos processos espinhosos das vértebras.
nal, ciatalgia, tuberculose pulmonar, tuberculose gan-
glionar, pleurisia, febre vespenina.
Mltodo
0,5 a 0,8 cun , medial em direção à coluna vertebral; 1 Exemplos de combinações
a 1,5 cun, inserção horizon1al. • F-3: intercostalgia.
• SJ-6: dor no hipocôndrio.
Funções energlticas • B-15, Ren-14, C-7, Pc-6, E-40: palpitação acompa-
• Harmoniza e 1onifica o Qi e elimina o Fogo do Fí- nhada de Fleuma.
gado e da Vesícula Biliar. • F-3, Ou-9, E-36: hepatite infecciosa aguda.
• Reduz Calor e remove Umidade. • E-2, VB-34: ascaridfasc biliar, dor em cólica intensa,
• Pacifica e harmoniza o Qi do Es1ô1nago. colelitíase.

• ••
••• • • • • •••••••• • •
•• • ••• •
••••
•••
••

•••
•• •• ••

••
.+-J._
..,_ •• •
••
••••••

~ 1...........
••••.........
378 - CANAL DE lNERCIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ)

B-20 (Pishu)-Ponto do Baço


• Ponto Shu Dorsal do Baço.

iT 1
• •••
..... •
••• • T Ili
:• .....
• •••• • •• • ••
• • ••• • ••••

•• •
• •• •
••••• • •
•••
•••
••
••
• • ••
•• ••
•• ••
• .-... • •

Ln
CANAL DE ENERGIA DA BEXIGA (TA/YANG DO PÉ) - 379

Localiuzçã-0 • Ascende o Qi para a cabeça.


• Beneficia visão e melhora a palpitação.
Nas costas, 1,5 cun lateral à linha mediana posterior,
horizontalmente à margem inferior do processo espi- Indicações
nhoso da vértebra torácica Xl. Gastrite, prolapso gástrico, úlceras gástrica e duodenal ,
Nota de localização dor epigástrica, hepatite, enterite, fezes com sangue,
icteócia, náuseas, vômito neurogênico, disenteria, diar-
Palpar do processo espinhoso da vértebra torácica XII reia, anorexia, indigestão, anemia , edema, doenças
a partir da inserção da costela mais inferior e subir até a crônicas, urticária, paralisia dos músculos abdominais,
vértebra torácica XI (ve