Você está na página 1de 2

02/09/2021 Facebook

"De todos os numerosos escritos de Tomás de Aquino (que supostamente somam 17 volumes), tenho
apenas sua Suma Teológica, seus Comentários sobre os Evangelhos e as Epístolas de São Paulo. COLETAR
TODAS AS PASSAGENS, com as quais essas duas apresentações estão repletas, seria uma tarefa
igualmente prolixa e improdutiva. MINHAS CITAÇÕES, PORTANTO, SERÃO POUCAS E CURTAS; COMO
PODEM SER SUFICIENTES PARA EVIDENCIAR, QUE ESTE PAPISTA ESCOLÁSTICO, EM MUITOS
IMPORTANTES PONTOS A RESPEITO DO PRESENTE ARGUMENTO, DE SEU TÚMULO APERTA AS MÃOS,
COM SEUS IRMÃOS MAIS JOVENS, OS ARMINIANOS MODERNOS. Com relação ao 'Livro da Vida', diz ele,
'é a inscrição daqueles que são ordenados para a vida eterna. Quem está atualmente na posse da graça, é,
em virtude dessa mesma posse, MERECEDOR DA VIDA ETERNA. ESTA ORDENAÇÃO, NO ENTANTO, ÀS
VEZES FALHA, pois algumas pessoas são ordenadas para ter vida eterna, pela graça '[inerente]' que
possuem, DA QUAL A VIDA ETERNA, ELES, NÃO OBSTANTE, FICAM AQUÉM, PELO ATO DO PECADO
MORTAL. Aqueles que são designados para a vida eterna, não pela predestinação de Deus, mas somente
pela graça'. [Eles são participantes de], 'dizem que estão escritos no Livro da Vida, NÃO
ABSOLUTAMENTE, MAS SOB CERTAS LIMITAÇÕES'. Permitam-me acrescentar uma palavra deste autor, a
respeito da justificação, que ele supõe ser sinônimo de infusão da graça: 'Livre-arbítrio', diz ele, 'é
essencial para a natureza do homem: consequentemente, naquela pessoa, que tem o uso de seu livre-
arbítrio, DEUS NÃO OPERA NENHUM MOVIMENTO PARA A JUSTIÇA SEM O MOVIMENTO DO LIVRE
ARBÍTRIO DO HOMEM’. EM SEU COMENTÁRIO SOBRE A PRIMEIRA EPÍSTOLA A TIMÓTEO, ELE AFIRMA A
MÉRITO DAS OBRAS: 'O TESOURO ESPIRITUAL NADA MAIS É DO QUE UMA REUNIÃO DE MÉRITOS;
CUJOS MÉRITOS SÃO A BASE DAQUELE FUTURO EDIFÍCIO QUE ESTÁ PREPARADO PARA NÓS NO CÉU:
POIS TODA A PRERPARAÇÃO DA GLÓRIA FUTURA É PELOS MÉRITOS, que nós adquirimos pela graça; e
esta graça é a fonte do mérito'.
AGORA, DEIXE QUALQUER HOMEM JULGAR, SE ESTE ESCRITOR PAPISTA NÃO FALA, NESTAS E EM
PASSAGENS SEMELHANTES, A LÍNGUA DE PELÁGIO. QUE ELE ÀS VEZES TROPEÇA EM GRANDES E
PRECIOSAS VERDADES, NÃO PODE SER NEGADO. Onde for esse o caso, que ele tenha seu devido elogio.
MAS O MÍNIMO QUE PODE SER DITO É QUE AQUELAS DE SUAS ELUCUBRAÇÕES QUE EU ENCONTREI
ESTÃO REPLETAS DE SUPREENDENTES AUTO-CONTRADIÇÕES, QUE SÓ PODEM SER COMPARADAS NAS
PUBLICAÇÕES INSIGNIFICANTES COM AS QUAIS O SR. JOÃO WESLEY EDIFICOU SEUS LEITORES.
Certo. Há algo fora do comum para Tomás de Aquino. A seguir, para o célebre bispo africano; a respeito
de quem, o Sr. Sellon assim declara: 'Os escritos de Agostinho são julgados para confirmar as doutrinas
papais tanto, que a figura daquele pai é colocada com três outros, para apoiar a cadeira papal. E suponha
que eu fizesse a figura de Armínio servir de perna para minha cadeira, daí se seguiria que seja um
arminiano? DE MODO ALGUM SE SEGUE QUE A DOUTRINA DA PREDESTINAÇÃO ENSINADA POR SANTO
AGOSTINO, É A DOUTRINA RECEBIDA DE ROMA, apenas porque o Papa se propõe a sentar-se sobre os
ombros da imagem de madeira de Agostinho. SE MEU ADVERSÁRIO TIVER APENAS ESSES ARGUMENTOS
DE MADEIRA PARA INSISTIR, OS INTERESSES DE SEU AMADO ARMINIANISMO SERÃO RICIDULARMENTE
E TÃO FRACAMENTE APOIADOS, COMO É A CADEIRA DO PAPA PELA FIGURA COMIDA POR VERMES. É
VERDADE QUE O SISTEMA DE GRAÇA, MANTIDO POR AGOSTINHO, É DEFENDIDO PELA IGREJA
ROMANA? MUITO PELO CONTRÁRIO. Os escritores dessa comunhão, de fato, fazem uso muito pomposo
do nome de Santo Agostinho, e fingem prestar não pouca deferência à sua autoridade: mas com a
mesma sinceridade, como o Sr. Sellon professa reverenciar e defender a Igreja da Inglaterra. Os papistas
deslumbram o vulgo com a menção de Santo Agostinho, PARA QUE O BRILHO DE SEU NOME POSSA
TORNAR IMPERCEPTÍVEL A APOSTASIA DE SUAS DOUTRINAS.
Com que propriedade a imagem de Santo Agostinho empresta seu ombro às nádegas do Papa, pode-se
julgar a partir do seguinte breve esboço da doutrina de Agostinho; que darei nas palavras do honesto e
erudito Sr. Du Pin:
'Pecadores', diz Santo Agostinho, 'pecam voluntariamente e sem compulsão: e eles não podem reclamar
que Deus lhes negou sua graça, ou o dom da perseverança, ou o dom da perseverança, uma vez que ele
não deve sua graça para ninguém'. O historiador prossegue: 'Ele [Agostinho] novamente insiste no
mesmo assunto, e nos mesmos princípios, em ambos os livros que escreveu em resposta às cartas de
https://www.facebook.com 1/2
02/09/2021 Facebook

Hilário e Próspero. O primeiro é 'Da Predestinação dos Santos'; e o segundo - 'Do Dom da Perseverança';
nos quais demonstra que o princípio da fé e dos bons propósitos é dom de Deus; E QUE, PORTANTO,
NOSSA PREDESTINAÇÃO, OU VOCAÇÃO, NÃO DEPENDEM DE NOSSOS MÉRITOS . O segundo livro trata
do 'Dom da Perseverança'; QUE MOSTRA DEPENDER IGUALMENTE DE DEUS, COMO O INÍCIO DA NOSSA
CONVERSÃO. Santo Agostinho redigiu esses tratados no ano de 429.
‘Os princípios de Santo Agostinho, concernentes à predestinação e reprovação, concordam exatamente
com sua opinião tocante à graça. Ambos aqueles decretos, segundo ele, supõem a presciência do pecado
original e da corrupção de toda a humanidade. Se Deus permitisse que todos os homens permanecessem
ali, ninguém poderia reclamar dessa severidade, visto que todos são culpados e condenados à
condenação, por causa do pecado do primeiro homem. Mas Deus resolveu, desde toda a eternidade,
livrar alguns, a quem ele havia escolhido por pura misericórdia, SEM QUALQUER CONSIDERAÇÃO ÀS
SUAS OBRAS FUTURAS; e, desde toda a eternidade, ele preparou, para aqueles que foram assim
escolhidos, aqueles dons e graças que são necessários para salvá-los infalivelmente: e a estes ele os
concede a tempo. Todos aqueles, portanto, que fazem parte do número dos eleitos, ouvem o evangelho,
crêem e perseveram na fé trabalhando por amor até o fim de suas vidas. Se porventura se desviarem do
caminho certo, voltam e se arrependem de seus pecados: e é certo que todos morrerão na fé em Jesus
Cristo '.
QUE O LEITOR COMPARE O RESUMO ACIMA DA DOUTRINA DE SANTO AGOSTINHO COM AS
DETERMINAÇÕES DO CONCÍLIO DE TRENTO, CITADAS NO 3º DIA DAS SESSÕES ANTERIORES; E ELE VAI,
A PRIMEIRA VISTA, PERECEBER QUÃO POUCA ÊNFASE DEVE SER COLOCADA SOBRE O PAPA REPOUSAR
SEUS LOMBOS SOBRE A FIGURA DE SANTO AGOSTINHO, ENQUANTO ELE PISOTEIA AS DOUTRINAS
PRINCIPAIS DAQUELE SANTO PREDESTINARISTA E AMALDIÇOA TODOS OS QUE O ABRAÇAM.
SE EU TIVESSE QUALQUER TIPO DE RELAÇÃO COM SUA SANTIDADE ARMINIANA DE ROMA, EU O
ACONSELHARIA A IMPEDIR QUE A IMAGEM DE SANTO AGOSTINHO LHE SERVISSE DE APOIO PARA A
SUA POLTRONA. Eu recomendaria a ele um tronco, feito de cinza de Ledsham: que ele poderia obter em
breve, ordenando a um de seus emissários (do qual ele tem muitos) neste reino, uma figura do Sr. Walter
Sellon, quase parecida com o original, como pode ser feito; para servir - não, de fato, após a devida
lembrança, como um suporte para o trono de sua Santidade - nem mesmo como um suporte para seu
banquinho - mas, o que seria perfeitamente característico, como uma perna para uma certa conveniência
(a sella perforata, embora não a sella porphyretica) sobre a qual, presumo que sua Santidade se digne,
ocasionalmente, sentar-se: e que, A FIGURA DE MADEIRA DESTE ARMINIANO DE MADEIRA, com toda
propriedade e graciosidade imagináveis, AJUDARIA A APOIAR"(Augustus Toplady[1740-1778], Ministro
Anglicano, 'O ARMINIANISMO DA IGREJA DE ROMA'[Seção 5 - 'REFUTADA A OBJEÇÃO, EXTRAÍDA DO
SUPOSTO CALVINISMO DE TOMÁS DE AQUINO, COM UMA PALAVRA A RESPEITO DE SANTO
AGOSTINHO'; The Complete Works of Augustus M. Toplady, 1869, pp.75-77).

https://www.facebook.com 2/2

Você também pode gostar