Você está na página 1de 20

INSTITUTO FEDERAL DA BAHIA

Brenno Souza de Oliveira


Bruna Silva Amorim
Débora Meireles Amaral
Fiacre Mahugnon Aizoun
Gabriel Soares Filardi
Jean Michel Castro Silva Cardoso

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE CAPTAÇÃO, ADUÇÃO E


RESERVAÇÃO DO CONDOMINIO HARAS RESIDENCE – VITORIA DA
CONQUISTA (BA)

Vitória da Conquista – BA
2021
Brenno Souza de Oliveira
Bruna Silva Amorim
Débora Meireles Amaral
Fiacre Mahugnon Aizoun
Gabriel Soares Filardi
Jean Michel Castro Silva Cardoso

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE CAPTAÇÃO, ADUÇÃO E


RESERVAÇÃO DO CONDOMINIO HARAS RESIDENCE – VITORIA DA
CONQUISTA (BA)

Memorial descritivo do projeto de


captação, adução e reservação de água do
condomínio Haras Residence referente a I
Unidade da disciplina de Abastecimento de
Água, ministrada pelo Prof. Dr. Altemar
Vilar dos Santos no Instituto Federal da
Bahia.

Vitória da Conquista – BA

2021
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO ...................................................................................................... 2

2. OBJETIVOS.......................................................................................................... 3

3. CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA DE ESTUDO ...................................................... 4

3.1. Localização .............................................................................................. 4

3.2. Recursos Hídricos ................................................................................... 5

3.3. Relevo ..................................................................................................... 6

3.4. Climatologia ............................................................................................. 6

4. IMPACTOS SOCIAIS, ECONÔMICOS E AMBIENTAIS ....................................... 8

5. ESTUDO DEMOGRÁFICO E DEMANDAS ........................................................ 12

5.1. População de projeto ............................................................................. 12

5.2. Estudo da demanda local ...................................................................... 13

6. DESCRIÇÃO DO SISTEMA ............................................................................... 13

6.1. Dados da tubulação ............................................................................... 13

6.2. Captação ............................................................................................... 14

6.3. Adução .................................................................................................. 15

6.4. Estações Elevatórias ............................................................................. 15

6.5. Reservação ........................................................................................... 16

7. CROQUI ESQUEMÁTICO .................................................................................. 16

8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ................................................................... 17


LISTA DE FIGURAS

Figura 1. Localização do Condomínio Haras Residence – BA .................................... 4


Figura 2. Imagem aérea da área de Lazer e lotes do Haras Residence. .................... 4
Figura 3. Espaço de Lazer - Haras Residence. ........................................................... 5
Figura 4. Rio Verruga, Vitoria da Conquista – BA. ...................................................... 6
Figura 5. Quadro que representa estimativa de densidade demográfica em função da
área do terreno. ......................................................................................................... 13
Figura 6. Tubo PVC-O adotado em projeto. .............................................................. 14
Figura 7. Croqui do sistema de abastecimento – Haras Residence. ......................... 16

LISTA DE QUADROS

Quadro 1. Matriz de Impactos Ambientais. ............................................................... 12


1. INTRODUÇÃO

Este arquivo tem por função demostrar o embasamento teórico utilizado para projetar
o sistema de abastecimento de água do Condomínio Haras Residence, situado na
BR-116, km 809, Vitória da Conquista – BA. O projeto é dividido em três etapas
fundamentais: captação de água no Rio Verruga, traçado da adutora e resevação.

As normas utilizadas para o dimensionamento e traçado assertivo foram:

• NBR 12.213 – Projeto de Captação de água de superfície para abastecimento


público;
• NBR 12.215 – Projeto de Adutora de água para abastecimento público;
• NBR 12.217 – Projeto de Reservatório de distribuição de água para
abastecimento público;
3

2. OBJETIVOS

Geral:

• Assegurar o abastecimento de água em quantidade suficiente para os


moradores do Condomínio Haras Residence em Vitória da Conquista – BA.

Específicos:

• Propor uma solução técnica visando a captação e adução via canal de


regularização, através do manancial Rio Verruga;
• Assegurar que a população do condomínio seja abastecida com pressão
necessária para o bom funcionamento dos aparelhos hidrossanitários.
4

3. CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA DE ESTUDO

3.1. Localização

O Haras Residence é um condomínio localizado no município de Vitoria da


Conquista – BA, mais especificamente na BR116 (km 109). O empreendimento fica a
13km de distância do centro da cidade e possui uma área de 800.000m², com 674
(seiscentos e setenta e quatro) lotes residenciais, 27 (vinte e sete) lotes comerciais,
área institucional com 48.000m², além de salão de eventos, espaço ecumênico, curral
de manejo, piscina fechada e sauna, cinema, brinquedoteca, academia e salão de
jogos, entre outros equipamentos.

Sua arquitetura é inspirada na Europa, com uma concepção inovadora e ousada,


caracterizada como um condomínio de alto padrão. Em termos de altimetria, o terreno
situa-se entre as cotas topográficas de 911 e 925 metros, aproximadamente.

Figura 1. Localização do Condomínio Haras Residence – BA

Fonte: Google MyMaps

Figura 2. Imagem aérea da área de Lazer e lotes do Haras Residence.


5

Fonte: Prisma Construtora e Incorporadora (2021)

Figura 3. Espaço de Lazer - Haras Residence.

Fonte: Prisma Construtora e Incorporadora (2021)

3.2. Recursos Hídricos

O condomínio Haras Residence está situado dentro dos limites do município de


Vitória da Conquista, a qual possui os recursos hídricos da bacia do rio verruga. O Rio
Verruga nasce na Reserva do Poço Escuro, em Vitória da Conquista. Seus afluentes
mais importantes, da margem direita, são o riacho Santa Rita, Córrego Lagoa de Baixo
e Rio Periquito, enquanto que, da margem esquerda, são os Córregos Leão, Jeribá,
Córrego do Moreira e rios D’Água Fria, dos Canudos, Santa Maria, riacho José
6

Jacinto, córrego Riacho Seco e riacho da Areia. Com base nessa situação, o rio
verruga proverá recursos para o abastecimento da população moradora do
condomínio em questão.

Figura 4. Rio Verruga, Vitoria da Conquista – BA.

Fonte: BLOG DO ANDERSO (2013).

3.3. Relevo

Seu relevo é geralmente pouco acidentado na parte mais elevada, suavemente


ondulado, com pequenas elevações de topos arredondados. Seus vales são largos,
desproporcionais aos finos cursos d'água que aí correm, de fundo chato e com
cabeceiras em forma de anfiteatro. Ocorrem no platô elevações geralmente de
encostas suaves (embora existam aquelas com encostas íngremes), que podem
atingir 1.000m ou mais. A Serra do Periperi, por exemplo, localizada a Norte/Noroeste
do núcleo urbano de Vitória da Conquista, tem cota máxima de de 1.110 metros e
mínima de 1.000m, enquanto que seu entorno próximo apresenta altitudes que variam
de 830 a 950 metros.

3.4. Climatologia

Vitória da Conquista tem um clima tropical de altitude por causa da elevação da


cidade, com média de 923 metros e mais de 1 100 m nos bairros mais altos. Por isto,
7

seu clima é um dos mais amenos da região Nordeste do Brasil, registrando


temperaturas inferiores a 10 °C em alguns dias do ano.

A pluviosidade média anual é de 760 milímetros (mm). As "chuvas de neblina" ou


de "inverno", como são chamadas, concentram-se no período de maio a setembro, já
"as chuvas das águas" ou "de verão" (mais intensas e fortes) ficam concentradas nos
extremos do ano.

Maiores acumulados de precipitação em 24 horas


registrados em Vitória da Conquista por meses (INMET)

Mês Acumulado Data Mês Acumulado Data

Janeiro 105,6 mm 04/01/2018 Julho 19,8 mm 28/07/2000

Fevereiro 95,3 mm 15/02/2007 Agosto 100,9 mm 25/08/1986

Março 106,2 mm 25/03/2004 Setembro 70,5 mm 25/09/1977

Abril 53,4 mm 10/04/2006 Outubro 84,1 mm 11/10/1995

Maio 43 mm 27/05/2005 Novembro 99,8 mm 22/11/2004

Junho 48 mm 27/06/1989 Dezembro 129,6 mm 02/12/1998

Período: 01/01/1976-presente[12]
8

4. IMPACTOS SOCIAIS, ECONÔMICOS E AMBIENTAIS

Um abastecimento de água potável adequado contribui imensamente para o


desenvolvimento e qualidade de vida da população. A implementação desse projeto
tem função social e econômica, uma vez que promove saneamento para os
moradores do município de Vitoria da Conquista – BA, livrando-os de doenças
relacionada ao consumo de água não potável, e economicamente pois valoriza o
empreendimento e traz recursos e investimentos para a cidade.

Ou seja, de modo geral, a implementação dessa obra promoverá:

• Controle e prevenção de doenças;


• Melhores condições sanitárias (higienização intensificada e aprimoramento das
tarefas de limpeza doméstica em geral);
• Desenvolvimento de práticas recreativas e de esportes;
• Maior número de áreas ajardinadas, parques, etc;
• Desenvolvimento turístico, industrial e comercial.

Os impactos ambientais, oriundos da ampliação do sistema de abastecimento das


localidades previamente mencionadas, não serão muito expressivos.

A matriz de impactos ambientais apresentada a seguir, indica as medidas a


serem tomadas de modo a minimizar, corrigir ou prevenir os impactos gerados com a
implantação do empreendimento e operação do sistema. Estes estão discriminados
de acordo com o meio, caracterizados levando em conta as particularidades locais, e
classificados quanto a natureza e potencial de intervenção.

MEIO IMPACTO CARACTERIZAÇÃO CLASSIFICAÇÃO MEDIDAS MITIGADORAS


O abastecimento Adotar métodos
Direto;
do Haras Residence construtivos adequados;
Benéfico;
fará com que a Garantir funcionamento
Permanente;
FÍSICO

Recursos Hídricos população local pleno das estações


Médio e longo
tenha acesso a elevatórias contando com
prazo;
água tratada fontes alternativas
Irreversível;
diretamente nas responsáveis pelo
9

suas residências, Local; Alta fornecimento de energia


aumentando a significância. elétrica; Manter rigor nas
confiabilidade no inspeções e manutenções
que se refere à dos componentes do
qualidade, e sistema.
eliminando a
necessidade de
captação da água
fontes não seguras.
Será necessário a
implantação de
reservatórios em
alguns pontos da Direto;
Assegurar que a
rede ampliada para Benéfico;
implantação ocorra
garantir que a água Permanente;
Implantação de conforme determinado no
tratada chegue aos Médio e longo
FÍSICO

Componentes do projeto; Manter inspeção


pontos de consumo prazo;
Sistema e manutenção dos
com pressão Irreversível;
componentes ao longo da
suficiente, além de Local; Alta
operação do sistema.
assegurar o significância.
abastecimento
contínuo da
população.
MEIO IMPACTO CARACTERIZAÇÃO CLASSIFICAÇÃO MEDIDAS MITIGADORAS
Direto;
O aumento das
Adverso; Supervisionar as obras
ações humanas na
Permanente; adequadamente, e
BIÓTICO

região,
Fauna Curto prazo; garantir recomposição
possibilitado pelo
Irreversível; paisagística utilizando
abastecimento de
Local; Baixa vegetação nativa.
água, culmina num
significância.
10

declínio de espécies
de fauna nativa.

Assegurar que a retirada


da cobertura vegetal seja
Os biomas
exclusivamente nas faixas
predominantes na
de terreno necessárias
região são Caatinga
para a obra de
e Mata Atlântica.
Direto; implantação da rede (o
Haverá perda da
Adverso; mesmo se aplica a
cobertura vegetal
Permanente; eventuais obras que
BIÓTICO

existente na área
Flora Curto prazo; venham a ser executadas
de implantação da
Reversível; na região); Realizar o
rede de adutora,
Local; Baixa replantio imediato nas
bem como nos
significância. áreas interferidas,
locais onde serão
utilizando espécies de
implantados os
flora nativa, com a
reservatórios e
supervisão e aval de
seus acessos.
profissional habilitado
nesta especialidade.
MEIO IMPACTO CARACTERIZAÇÃO CLASSIFICAÇÃO MEDIDAS MITIGADORAS
O sistema de Desenvolvimento do
abastecimento de Direto; Programa de Educação
água operando da Benéfico; Ambiental para esclarecer
SÓCIO- ECONÔMICO

maneira correta, Permanente; a comunidade e envolvê-la


garante água em Médio e longo de modo participativo no
Saúde Pública
boas condições de prazo; bom desempenho do
potabilidade nas Irreversível; sistema, para evitar gastos
residências da Local; Alta desnecessários de água e
população significância. sempre comunicar
contemplada, vazamentos existentes no
11

reduzindo sistema; Implementar


significativamente alterativas para
os riscos de destinação de águas
doenças de servidas da maneira mais
veiculação hídrica. segura possível,
Os impactos na considerando as
saúde pública são condições locais.
mais assegurados
com a implantação
conjunta de uma
rede coletora e um
sistema de
tratamento de
esgoto.
Elaborar estudo de
viabilidade econômica do
A população da empreendimento, com
região onde será atenção especial à
implantado o possibilidade de subsídio
Direto;
sistema, em sua para consumidores de
Adverso;
SÓCIO- ECONÔMICO

maioria, é de baixa baixa renda; Incorporar ao


Permanente;
renda, o que indica programa ambiental o
Renda Familiar Curto prazo;
que a tarifa a ser desenvolvimento de
Irreversível;
cobrada pelo campanhas de
Local; Alta
abastecimento da esclarecimento da
significância.
água pode pesar na população sobre os
economia mensal benefícios decorrentes da
das famílias. implantação do sistema,
reforçando a sua
importância.
12

Apesar de gerar um
impacto
inexpressivo no que Indireto; Elaboração de campanhas
se refere a Benéfico; de educação ambiental,
SÓCIO- ECONÔMICO

empregos Permanente; com foco na utilização da


permanentes, a Médio a longo água; Elaboração de Plano
Economia
oferta de água tem prazo; de Aproveitamento do
potencial para Irreversível; Recurso Hídrico ofertado
impactar Local; Alta pela implantação do
positivamente a significância. sistema.
economia da região
nos próximos anos.
Quadro 1. Matriz de Impactos Ambientais.

A partir da observação da matriz de impactos, é possível notar que o


empreendimento possui benefícios altamente relevantes para a melhoria das
condições de vida da população

5. ESTUDO DEMOGRÁFICO E DEMANDAS

5.1. População de projeto

A realização de um projeto para abastecimento público de água potável deve


ser estudada de modo que atenda com segurança e eficiência toda a população. Por
isso, estudar, estimar e fazer uma prospecção precisa da quantidade de moradores
daquele condomínio é um exercício fundamental.

Fontes bibliográficas indicam que em situações onde projeções indicam


crescimento demográfico, como cidades, o dimensionamento deve prever essa
variação num período de 30 anos. No entanto, por se tratar de um Condomínio
residencial, o Haras Residence possui uma ordem de grandeza populacional máxima
em função da capacidade das áreas dos lotes.

Seguindo os estudos de Fernandes (1977), considerou-se que a densidade é


de 75 hab/ha, pois a maioria das unidades residenciais do condomínio são isoladas,
com lotes médios.
13

Figura 5. Quadro que representa estimativa de densidade demográfica em função da área do terreno.

Fonte: Fernandes (1977)

Sendo a área total igual a 80 hectares, pode-se supor que o Haras Residence
possui condições de manter até 6.000 moradores. Onde:
ℎ𝑎𝑏
Á𝑅𝐸𝐴 𝑇𝑂𝑇𝐴𝐿 (ℎ𝑎) 𝑥 𝐷𝐸𝑁𝑆𝐼𝐷𝐴𝐷𝐸 ( ) = 𝑃𝑂𝑃𝑈𝐿𝐴ÇÃ𝑂 𝑀Á𝑋𝐼𝑀𝐴
ℎ𝑎

80ℎ𝑎 𝑥 7,5 = 𝟔𝟎𝟎𝟎 𝒉𝒂𝒃𝒊𝒕𝒂𝒏𝒕𝒆𝒔

5.2. Estudo da demanda local

Também de acordo com Fernandes (1977), por não possuir estudo preliminar que
indique o valor de consumo per capita, adotou-se o seguinte parâmetro:

• Se P ≤ 10 000 habitantes → 150 ≤ q ≤ 200l/hab.dia;


• Se 10 000 ≤ P ≤ 50 000 habitantes → 200 ≤ q ≤ 250l/hab.dia
• Se P for superior a 50 000 habitantes → qmin = 250l/hab.dia;

Adotou-se o consumo de 200l/hab.dia uma vez que a população é inferior a 10.000


(dez mil) pessoas. O detalhamento dos cálculos para o consumo de água consta no
Memorial de Cálculo.

6. DESCRIÇÃO DO SISTEMA

6.1. Dados da tubulação

A tubulação a ser adotada, seguiu parâmetros como custo, disponibilidade no


mercado, facilidade de manutenção e instalação, resistência, leveza, e questões que
envolvem particularidades para atender demandas de pressão, carga hidráulica e
inclinação tendo como base o relevo que o projeto abraçará.
14

Optou-se, portanto, pela linha Amanco BIAX Tubos de PVC orientado (PVC-O)
que possui a função de adução e distribuição de água bruta e potável. A ficha completa
do material está contida no Anexo I.

Figura 6. Tubo PVC-O adotado em projeto.

Fonte: Ficha técnica AMANCO (2021).

6.2. Captação

O local onde é feita a captação da água deve ser motivo de muito estudo para
a realização do projeto, pois a escolha equivocada pode comprometer a qualidade da
água e onerar a execução. Para atender as condições deste projeto, a captação
ocorrerá através de um canal de regularização, localizada as margens do Rio Verruga,
que nasce na reserva do poço escuro em Vitória da Conquista - BA e desagua no Rio
Pardo em Itambé.

A tomada de água ocorrerá próximo a BR-116, nas seguintes coordenadas:


14°50’21.71’’S e 40°50’15.11’’ O, e será bombeada até a ETA posicionada as margens
da BR-116, zona rural de Vitória da Conquista, nas seguintes coordenadas:
14º50’2.90”S e 40º50’23.85”O . A distância do ponto de captação até o reservatório
de distribuição é de 13,4km e possui cota topográfica de 1.113,64 metros.
15

6.3. Adução

Neste projeto, a adução tem o objetivo de promover o transporte da água em


um sistema de abastecimento. Portanto o processo pode ser descrito da seguinte
forma:

• Adutora de água bruta: seguirá por bombeamento do ponto de captação, altura


manométrica da bomba 47 m.c.a, vazão de 50l/s, diâmetro de recalque DI
211,22mm.

• Adutora de água tratada, sairá de reservatório elevado de 10m, até o


reservatório elevado no Haras de 5m. Tubulação de PVC-O dn 200, necessário
01 VRP (válvula redutora de pressão) de 82,71 m.c.a para 55,14 m.c.a (o
equivalente a 2/3 conforme orientações do fabricante)

O projeto de adução será dividido em duas partes: adução de água bruta, com
1,2 km, e adução de água tratada, com 12,18 km, ambos trechos em série. O traçado
da adutora segue o percurso da BR-116, pois, essa é uma rodovia com um amplo
trecho em linha reta, facilitando o processo de execução na faixa de servidão que é
de domínio público.

Conforme dimensionamento desenvolvido no memorial de cálculo, comprova-


se que para a adutora de água bruta, serão necessárias 02 ventosas e 01 descarga.
E para a adutora de água tratada serão 08 ventosas e 03 descargas.

6.4. Estações Elevatórias

Como sabe-se, as Estações Elevatórias são caracterizadas por um conjunto


motobombas, válvulas e acessórios sendo responsáveis pelo recalque de água de
captação até as Estações de Tratamento de água (ETA).

Foi necessário 01 estação elevatória na saída da captação do manancial do


Rio Verruga. A topografia do local, permitia o posicionamento da ETA logo após a
captação, no entanto, por se tratar de uma zona urbana densa, não há local para a
construção da mesma, e, portanto, optou-se em bombear a água bruta para o ponto
mais alto (desnível de 24m) do traçado, ponto este que fica localizado as margens da
BR-116, e, consequentemente, a adutora de água tratada pôde funcionar totalmente
por gravidade.
16

6.5. Reservação

O reservatório será localizado na região sudoeste do condomínio, lado oposto


a estação de tratamento de esgoto e na cota topográfica mais elevada para favorecer
a distribuição para as residências, sendo ela 970m.

7. CROQUI ESQUEMÁTICO

Em suma, o sistema de abastecimento de água do Haras Residence operará


conforme fluxograma destacado na figura abaixo:

Figura 7. Croqui do sistema de abastecimento – Haras Residence.

Fonte: Autoria Própria. (2021)


17

8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 12.213: Projeto de


captação de superfície para abastecimento público – Procedimento. Rio de
Janeiro. 1992.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 12.215: Projeto de


adutora de água – Parte 1: Conduto forçado. Rio de Janeiro. 2017.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 12217: Projetos de


reservatório de distribuição de água para abastecimento público. Rio de Janeiro.
1994.

FERNANDES, Carlos. Abastecimento de água. Campina Grande: UFCG, 1977.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por


municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil».
Consultado em 24 de março de 2021.

Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). «BDMEP - série histórica - dados


diários - precipitação (mm) - Vitória da Conquista». Consultado em 24 de março
de 2021

INMET. «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Consultado em 24 de março


de 2021.

TSUTIYA, Milton Tomoyuki. Abastecimento de Água. São Paulo. 2006.

Você também pode gostar