Você está na página 1de 8

Painel / Meus cursos /

Orçamento Público /
Módulo 1: Orçamento Público: Conceitos e Fundamentos /
Exercício Avaliativo - Módulo 1

Iniciado em sábado, 18 set 2021, 15:50

Estado Finalizada

Concluída em sábado, 18 set 2021, 16:58

Tempo
1 hora 8 minutos
empregado

Avaliar 19,60 de um máximo de 20,00(98%)

Questão 1 O
conceito de orçamento público pode ser analisado sob diferentes perspectivas. Considerando a abordagem
Correto apresentada por Pascoal (2005), relacione as assertivas abaixo com os diferentes aspectos do orçamento. 
Atingiu 2,00 de 2,00

O
orçamento é discutido e aprovado pelo Congresso Nacional, órgão representativo
do povo, levando-se em consideração as necessidades coletivas.  Político

Otimização dos recursos financeiros do Estado, por meio do aumento ou redução dos
gastos públicos.  Econômico

Obrigatoriedade de observação das regras para a elaboração e execução


orçamentária, como classificações das receitas e despesas.  Técnico

Sua resposta está correta.


Pascoal
(2005) apresenta uma abordagem relacionada ao conceito de orçamento público, que se desenvolve
por meio de três aspectos: 
Político: o
parlamento, formado por representantes do povo, autoriza o gasto público, na medida em que vota a
lei orçamentária, levando em conta as necessidades coletivas. 
Econômico: instrumento de atuação do Estado, no domínio econômico, por meio do aumento e/ou redução dos
gastos públicos, por exemplo. 
Técnico: relaciona-se
à obrigatoriedade de observância da técnica orçamentária, sobretudo, em
relação à
classificação clara, metódica e racional da receita e da despesa. 

Questão 2 O Orçamento público se caracteriza como um instrumento fundamental para a atuação do Estado, no sentido
de alcançar resultados que promovam a estabilidade e sustentabilidade econômica
e uma maior qualidade de
Correto
vida à população. A respeito do Orçamento Público, julgue as seguintes assertivas em Verdadeiro (V) ou Falso
Atingiu 2,00 de 2,00 (F):
(  ) No Brasil, o orçamento se materializa por meio de uma lei e, por isso, a criação de uma nova despesa
depende de nova autorização legislativa.

(  ) Atualmente, o orçamento é um documento técnico que se restringe à previsão de receitas e despesas para
determinado período, sendo, assim, um documento meramente contábil
do setor público.
(  ) O orçamento moderno é uma lei que expressa as intenções do governo para determinado período, tendo o
gestor público total liberdade ajustá-la, por ato próprio, de acordo
com as necessidades que surgirem durante o
exercício, bastando, para isso, justificar a alteração.

(  ) O
Orçamento é um instrumento de política fiscal elaborado anualmente exclusivamente pelo Poder
Executivo para todos os Poderes e órgãos autônomos, mas que depende de autorização legislativa.

Escolha uma opção:

1. V, F, F, F 
2. F, F, V, F
3. F, F, F, F
4. F, V, F, V
5. V, F, F, V

Sua resposta está correta.


O gabarito da questão é: V, F, F, F.
A primeira questão é verdadeira pois o orçamento é uma lei de iniciativa do Poder Executivo,
mas que depende
de autorização do Poder Legistativo, não podendo o gestor
público executar despesas não previstas e
autorizadas na Lei Orçamentária.
A segunda questão é falsa porque o
orçamento moderno não se restringe a
um documento de caráter contábil,
sendo um instrumento de
planejamento e gestão
da ação pública estatal. Ademais, possui um grande caráter
político, permitindo o controle de um Poder sobre o outro.
A terceira questão é falsa pois o
orçamento é uma lei de iniciativa do Poder Executivo,
mas que depende de
autorização do Poder Legistativo, não podendo o gestor público
executar despesas não previstas e autorizadas
na Lei Orçamentária.
A quarta questão é falsa
pois o Poder Executivo não é responsável pela elaboração do orçamento dos
órgãos
dos Poderes Legislativo e Judiciário, bem como do Ministério Público e
da Defensoria Pública, tendo em vista
serem detentores de autonomia
orçamentária. Assim, o Poder Executivo, é responsável apenas pela
coordenação
da elaboração da proposta orçamentária, sua consolidação e encaminhamento ao
Poder
Legislativo, uma vez que detém a iniciativa das leis orçamentárias.

Questão 3 Acerca
da evolução do Orçamento Público, assinale a alternativa correta.
Correto

Atingiu 2,00 de 2,00


Escolha uma opção:

a.
O orçamento surge como forma de consolidar e fortalecer o poder do monarca, soberano absoluto, sobre o
órgão representante do povo.

b.
O desenvolvimento do orçamento público está relacionado ao controle do Poder Legislativo sobre o Poder
Executivo. 

Parabéns! Alternativa correta. O orçamento público surge e se desenvolve com a principal finalidade de ser
um controle dos órgãos de representação do povo sobre os órgãos executivos.

c.
O Brasil teve seu primeiro orçamento após a sua independência.

d.
Durante o Regime Militar, o orçamento era elaborado e aprovado pelo próprio Poder Executivo, não
necessitando de autorização legislativa, uma vez que o país vivia sob uma ditadura.

e.
No Brasil, o período de 1964 a 1984 foi marcado pelo fortalecimento do processo orçamentário, com ampla
participação do Congresso Nacional no aprimoramento da proposta encaminhada pelo Poder Executivo,
prezando pelos princípios do planejamento público, da transparência das contas governamentais.

Sua resposta está correta.


O gabarito da questão é a alternativa “b”.
O orçamento público é um instrumento de gestão de maior relevância e, provavelmente, o mais antigo da
administração pública. Utilizado pelos governos para organizar os seus recursos financeiros, surgiu com a
intenção de controlar as finanças públicas, por meio do controle do órgão representativo do povo sobre o Poder
Executivo, até então exercido por um monarca soberano.
No Brasil, o orçamento, tem evoluído constantemente, incorporando novas instrumentalidades e técnicas, com
o objetivo de garantir uma melhor utilização dos recursos públicos e dos meios para alcançar os objetivos
priorizados pela sociedade.
Questão 4 Em
relação às Técnicas Orçamentárias, julgue as afirmativas abaixo em Verdadeiro (V) ou falso (F).

Correto

Atingiu 2,00 de 2,00 A


principal função do Orçamento Clássico é propiciar o controle político sobre as
finanças públicas, buscando o equilíbrio entre receitas e despesas e evitando a Verdadeiro
expansão descontrolada dos gastos

O
Orçamento Participativo caracteriza-se por uma participação indireta e efetiva
da
população na elaboração da proposta orçamentária do governo. Por uma decisão
de Falso
governo, a sociedade civil é consultada quando da definição de metas e
programas
prioritários.

O
orçamento Base Zero tem como uma de suas características a análise, revisão e
avaliação de todas as despesas propostas e não apenas das solicitações que Verdadeiro
ultrapassam o nível de gasto já existente.

O
Orçamento de Desempenho constitui peça intimamente associada ao
planejamento,
traduzindo amplamente o plano de trabalho do governo, com a Falso
indicação dos
programas e das ações a serem realizadas.

Sua resposta está correta.


O
gabarito da questão é: V, F, V, F.
Desde a formação do instrumento
Orçamento Público, com a Carta Magna da Grã-Bretanha, até os dias de hoje
foram
desenvolvidas muitas técnicas orçamentárias, fazendo frente às exigências e
necessidades dos novos
arranjos entre o Estado e a sociedade. Dentre elas, se
destacam: o orçamento clássico ou tradicional, o
orçamento de desempenho, o orçamento-programa,
o orçamento base zero e o orçamento participativo.
A
principal função do Orçamento Clássico é propiciar o controle político sobre as
finanças públicas, buscando o
equilíbrio entre receitas e despesas e evitando a
expansão descontrolada dos gastos.
O
Orçamento Participativo caracteriza-se por uma participação direta e efetiva da
população na elaboração da
proposta orçamentária do governo. Por uma decisão de
governo, a sociedade civil é consultada quando da
definição de metas e
programas prioritários.
O Orçamento
Base Zero tem como uma de suas características a análise, revisão e avaliação
de todas as
despesas propostas e não apenas das solicitações que ultrapassam o
nível de gasto já existente.
O Orçamento-Programa constitui peça intimamente
associada ao planejamento, traduzindo amplamente o
plano de trabalho do
governo, com a indicação dos programas e das ações a serem realizados, bem como
dos
montantes e das fontes de recursos a serem utilizados em sua execução.

Questão 5 Relacione as funções


orçamentárias abaixo.
Correto

Atingiu 2,00 de 2,00

A
demanda social pela melhoria da mobilidade urbana tenderá a eleger
candidatos comprometidos com o aumento dos investimentos na área de
infraestrutura de transportes urbanos, os quais deverão alocar
maiores volumes Alocativa
de recursos orçamentários em despesas relacionadas
com esta política pública. 

A
concessão de Bolsa Família para as pessoas de baixa renda,
custeadas por meio
dos tributos pagos pela sociedade, inclusive por
cidadãos que não recebem esse Distributiva
benefício.

A
decisão do governo em reduzir o Imposto sobre Produtos
Industrializados – IPI,
que incide diretamente na produção de
eletrodomésticos e em seu preço final. É
uma forma de estimular o
consumo, estabilizando os níveis de emprego e Estabilizadora
promovendo o
crescimento econômico do país. 

Sua resposta está correta.


Função alocativa: com essa função o governo busca atender
a necessidades meritórias e sociais em áreas da
economia em que as
forças do mercado não conseguem assegurar resultados ótimos.
Assim, por meio da
alocação orçamentária o governo pode intervir
para que haja uma alocação de recursos mais eficiente.
Função Distributiva: diz respeito ao ajustamento da
distribuição da renda das pessoas e empresas para
assegurar uma
situação considerada socialmente justa e que cause o menor dano
possível ao funcionamento
eficiente da economia.
Função estabilizadora: tem como finalidade principal a
manutenção de um alto nível de utilização de recursos
econômicos
e de um valor estável da moeda, buscando o pleno emprego dos
recursos econômicos; a
estabilidade de preços; o equilíbrio da
balança de pagamentos e das taxas de câmbio, com vistas ao
crescimento econômico em bases sustentáveis.

Questão 6 Muitos
autores reconhecem que vários Princípios Orçamentários
Tradicionais estão acolhidos na ordem jurídica
Correto brasileira. No que
se refere aos princípios orçamentários clássicos, correlacione a
primeira coluna de acordo
com a segunda.
Atingiu 2,00 de 2,00

Todas
as receitas e todas as despesas devem constar
da lei orçamentária,
não podendo haver omissão. Princípio da Universalidade.

Esse
princípio diz respeito à garantia da
transparência e pleno acesso
a qualquer interessado
às informações necessárias ao exercício
da Princípio da Publicidade.
fiscalização sobre a utilização dos recursos
arrecadados dos
contribuintes. 

De
acordo com esse princípio, o orçamento não
poderá conter matéria
estranha à fixação das
despesas e à previsão das receitas. A
CF/1988
estabelece como exceções: autorização para abertura Princípio da Exclusividade.
de
créditos e para a contratação de operações de 
crédito.

Esse
princípio prega que todas as receitas e despesas
devem constar no
orçamento com somente seus Princípio do Orçamento-Bruto.
totais, sendo vedadas quaisquer deduções.

Os
dados apresentados devem ser homogêneos nos
exercícios, no que se
refere à classificação e demais
aspectos envolvidos na metodologia
de elaboração Princípio da Uniformidade.
do orçamento, permitindo comparações ao longo do
tempo. 

Os
valores autorizados para a realização das
despesas deverão ser
compatíveis com os valores
previstos para a arrecadação das
receitas no Princípio do Equilíbrio.
exercício. 

Esse
princípio diz que nenhuma parcela da receita
poderá ser reservada
ou comprometida para atender Princípio da não-afetação das receitas.
a certos ou determinados gastos.

Sua resposta está correta.


Princípio
da Universalidade: todas as receitas e todas as despesas devem
constar da lei orçamentária, não
podendo haver omissão.
Princípio
da Publicidade: esse princípio
diz respeito à garantia da transparência e pleno acesso a qualquer
interessado às informações necessárias ao exercício da
fiscalização sobre a utilização dos recursos arrecadados
dos
contribuintes.
Princípio
da Exclusividade: de acordo com esse princípio, o orçamento não
poderá conter matéria estranha à
fixação das despesas e à
previsão das receitas. A CF/1988 estabelece como exceções:
autorização para abertura
de créditos e para a contratação de
operações de crédito.
Princípio
do Orçamento-Bruto: esse princípio prega que todas as receitas
e despesas devem constar no
orçamento com somente seus totais, sendo
vedadas quaisquer deduções.
Princípio
da Uniformidade: os dados
apresentados devem ser homogêneos nos exercícios, no que se refere
à
classificação e demais aspectos envolvidos na metodologia de
elaboração do orçamento, permitindo
comparações ao longo do
tempo.
Princípio
do Equilíbrio: os valores
autorizados para a realização das despesas deverão ser compatíveis
com os
valores previstos para a arrecadação das receitas no
exercício.
Princípio
da Não-Afetação das receitas: esse princípio diz que nenhuma
parcela da receita poderá ser
reservada ou comprometida para atender
a certos ou determinados gastos.

Questão 7 O
entendimento dos princípios orçamentários é muito importante para
uma melhor compreensão dos temas e
Correto questões relacionadas aos
processos orçamentários. Em relação aos princípios Orçamentários
Modernos, julgue
em Verdadeiro
(V) ou Falso
(F) as afirmativas
abaixo.
Atingiu 3,00 de 3,00
(  ) O
Princípio da Simplificação estabelece que receitas e as despesas
devem aparecer no orçamento de
maneira discriminada, de tal forma
que se possa saber, pormenorizadamente, a origem dos recursos e sua
aplicação.
(  ) Conforme
o Princípio da Responsabilização, os gerentes/administradores
devem assumir, de forma
personalizada, a responsabilidade pelo
desenvolvimento de um programa, buscando a solução ou o
encaminhamento de um problema.
(  ) O
Princípio da Programação estabelece que o orçamento deve
relacionar os programas de trabalho do
governo, enfatizando as metas
e os objetivos a serem alcançados.
(  ) De
acordo com o Princípio da Descentralização, é preferível que a
execução das ações ocorra no nível mais
próximo de seus
beneficiários.

Escolha uma opção:

a. V, V, F, F
b. F, F, V, F
c. V, F, F, V
d. F, V, V, V 
e. F, V, F, F

Sua resposta está correta.


O
gabarito da questão é F, V, V, V.
A
primeira alternativa é falsa, pois descreve o Princípio da
Especificação e não o Princípio da Simplificação. Pelo
Princípio da Simplificação, o planejamento e o orçamento devem se
basear em elementos de fácil compreensão.
Já o
Princípio Clássico da Especificação ou Discriminação estabelece
que receitas e as despesas devem aparecer
no orçamento de maneira
discriminada, de tal forma que se possa saber, pormenorizadamente, a
origem dos
recursos e sua aplicação.
Conforme
o Princípio da Responsabilização, os gerentes/administradores
devem assumir, de forma
personalizada, a responsabilidade pelo
desenvolvimento de um programa, buscando a solução ou o
encaminhamento de um problema.
O
Princípio da Programação estabelece que o orçamento deve
relacionar os programas de trabalho do governo,
enfatizando as metas
e os objetivos a serem alcançados.
De
acordo com o Princípio da Descentralização, é preferível que a
execução das ações ocorra no nível mais
próximo de seus
beneficiários.

Questão 8 A respeito dos fundamentos legais do orçamento


público no Brasil, julgue em Verdadeira
(V) ou Falsa (F) as
afirmativas
a seguir:

Correto

Atingiu 3,00 de 3,00


A devolução da prerrogativa do Poder Legislativo
de propor emendas ao orçamento Verdadeira
foi uma das inovações da Constituição Federal de
1988.

A
Constituição de 1988 previu a criação de um Lei Complementar para dispor sobre o
exercício financeiro, a vigência, os prazos,
a elaboração e a organização das leis Falsa
orçamentárias, dando origem à Lei de
Finanças atualmente vigente.

A
Lei nº 4.320/64 criou a “regra de ouro”, que veda a realização de operações de
crédito que excedam o total das despesas de capital, inclusive as decorrentes
de Falsa
créditos suplementares e especiais.

O
Sistema de Planejamento e Orçamento Federal, previsto na Lei nº 10.180/01, é Verdadeira
formado pelo órgão central, órgãos setoriais e órgãos específicos.

Apesar das Unidades Orçamentárias serem agentes


do Sistema de Planejamento e
Orçamento, elas são agentes do Sistema,
desempenhando papel de coordenação do Verdadeira
processo de elaboração orçamentária e
estando sujeitas à orientação normativa e
supervisão do órgão central e do seu
respectivo órgão setorial.

Sua resposta está correta.


O
gabarito da questão é V, F, F, V, V.
O Orçamento Público, além de ser uma lei, é um
instrumento de gestão utilizado para organizar os recursos
financeiros. Para
isso, se baseia em regras, aprovadas pelo Poder Legislativo, as quais devem ser
cumpridas
pelos gestores públicos, tendo em vista o princípio da legalidade, e
acompanhadas pela sociedade.
A devolução da prerrogativa
do Poder Legislativo de propor emendas ao orçamento foi uma das inovações da
Constituição Federal de 1988. A Lei Complementar prevista pela
Constituição Federal ainda se encontra em
discussão no Congresso Nacional. A
Lei de Finanças atualmente vigente foi elaborada em 1964, tendo sido
recepcionada pela Constituição de 1988.
A “regra
de ouro” foi criada pela Constituição Federal de 1988, ela ressalva as despesas autorizadas mediante
créditos
suplementares ou especiais.
O
Sistema de Planejamento e Orçamento Federal, previsto na Lei nº 10.180/01, é
formado pelo órgão central,
órgãos setoriais e órgãos específicos.
Apesar das Unidades Orçamentárias serem agentes do Sistema de
Planejamento e Orçamento, elas são agentes
do Sistema e desempenham papel de
coordenação do processo de elaboração orçamentária, estando sujeitas à
orientação normativa e supervisão do órgão central e do seu respectivo órgão
setorial.

Questão 9 A respeito dos fundamentos legais do orçamento público no Brasil, julgue as seguintes assertivas:
Parcialmente correto

Atingiu 1,60 de 2,00 Uma das inovações da Constituição Federal de 1988 foi a devolução ao Poder Verdadeira
Legislativo da prerrogativa de propor emendas ao orçamento.

A Constituição de 1998 previu a criação de um Lei Complementar para dispor sobre o


exercício financeiro, a vigência, os prazos, a elaboração e a organização das leis Falsa
orçamentárias, dando origem à Lei de Finanças atualmente vigente.

A Lei 4.320/64 criou a “regra de ouro”, que veda a realização de operações de crédito
que excedam o total das despesas de capital, inclusive as decorrentes de créditos Falsa
suplementares e especiais.

O Sistema de Planejamento e Orçamento Federal, previsto na Lei 10.180/01, é Verdadeira


formado pelo órgão central, órgãos setoriais e órgãos específicos.

Apesar de as Unidades Orçamentárias não integrarem o Sistema de Planejamento e


Orçamento, elas desempenham papel de coordenação do processo de elaboração Falsa
orçamentária, estando sujeitas à orientação normativa e supervisão do órgão central
e do seu respectivo órgão setorial. 

Sua resposta está parcialmente correta.


Você selecionou corretamente 4.
O gabarito da questão é V, F, F, V, V.
O orçamento público além de ser uma lei é também um instrumento de gestão utilizado para organizar os
recursos financeiros e, para isso, se baseia em regras, aprovadas pelo Poder Legislativo, que devem ser
cumpridas pelos gestores públicos, tendo em vista o princípio da legalidade, e acompanhadas pela sociedade.
Uma das inovações da Constituição Federal de 1988 foi a devolução ao Poder Legislativo da prerrogativa de
propor emendas ao orçamento.
A Lei Complementar prevista pela Constituição Federal ainda se encontra em discussão no Congresso Nacional.
A Lei de Finanças atualmente vigente foi elaborada em 1964, tendo sido recepcionada pela Constituição de
1988.
A “regra de ouro” foi criada pela Constituição Federal de 1988, ela ressalva as despesas autorizadas mediante
créditos suplementares ou especiais.
O Sistema de Planejamento e Orçamento Federal, previsto na Lei 10.180/01, é formado pelo órgão central,
órgãos setoriais e órgãos específicos.
Apesar de as Unidades Orçamentárias não integrarem o Sistema de Planejamento e Orçamento previsto no
caput do art. 4º da Lei nº 10.180, de 2001, ficam sujeitas à orientação normativa e à supervisão técnica do órgão
central e também, no que couber, do respectivo órgão setorial, e desempenham o papel de coordenação do
processo de elaboração da proposta orçamentária no seu âmbito de atuação, integrando e articulando o
trabalho das suas unidades administrativas, tendo em vista a consistência da programação de sua unidade.

◄ Conteúdo - Módulo 1 Seguir para... Conteúdo - Módulo 2 ►

Você também pode gostar