Você está na página 1de 9

Vânia Rafael Cardoso

RELATÓRIO LEI DE OHM

Licenciatura em Ensino de Física

Universidade Púnguè
Extensão de Tete
2021
Vânia Rafael Cardoso

Licenciatura em Ensino de Física

Trabalho a ser apresentado ao curso de Física no


departamento de matemática e ciências naturais,
na cadeira de Laboratório de Electromagnetismo
como requisito de avaliação parcial.

Sob orientação da Docente: Inácia Macapa

Universidade Púnguè
Extensão de Tete

2021
Índice

1. Introdução ................................................................................................................................... 4

2. Resumo Teórico.......................................................................................................................... 5

3. Historial ...................................................................................................................................... 5

3.1. Interpretação da resistência eléctrica .......................................................................................... 5

4. Material para experiência ........................................................................................................... 6

4.1. Procedimentos ............................................................................................................................ 6

4.2. Resultados................................................................................................................................... 6

5. Conclusão ................................................................................................................................... 8

6. Referência Bibliográfica ............................................................................................................. 9


1. Introdução

Neste presente relatório, far-se-á o experimento de circuitos em serie a partir do simulador


virtual. Circuitos em serie a corrente elétrica tem so um caminho a percorrer e uma distribuição
proporcional da queda de tensão para cada resistência, neste experimento vamos comprovar todas
essas propriedades.
2. Resumo Teórico

3. Historial

A Lei de Ohm, assim designada em homenagem ao seu formulador — o físico alemão Georg
Simon Ohm (1789-1854) — afirma que, para um condutor mantido à temperatura constante, a
razão entre a tensão entre dois pontos e a corrente eléctrica é constante. Essa constante é
denominada de resistência eléctrica.

Quando essa lei é respeitada por um determinado condutor mantido à temperatura constante,
este é denominado condutor ôhmico. A resistência de um dispositivo condutor é dada pela
equação:

𝑽
𝑹=
𝑰

A diferença de potencial, V, dividido pela corrente eléctrica, I , é resistência do resistor, R, que é


denominada de Lei de Ohm: V = IR

Nesta expressão, é a diferença de potencial eléctrico, é a corrente eléctrica e é a resistência.

Essa expressão não depende da natureza do condutor: ela é válida para todos os condutores. Para
um dispositivo condutor que obedeça à lei de Ohm, a diferença de potencial aplicada é
proporcional à corrente eléctrica, isto é, a resistência é independente da diferença de potencial e
da corrente.

Entretanto, para alguns materiais como os semicondutores, a resistência eléctrica não é


constante. Mesmo que a temperatura seja, ela depende da diferença de potencial. Estes materiais
são denominados condutores não ôhmicos. Um exemplo de componente electrónico que não
obedece à lei de Ohm é o díodo.

3.1. Interpretação da resistência eléctrica

A resistência eléctrica pode ser entendida como a dificuldade de se estabelecer uma corrente
eléctrica num determinado condutor. Por exemplo, um fio de nicromo precisa ser submetido a
uma diferença de potencial eléctrico de 300 V para que seja estabelecida uma corrente de 1 A,
enquanto um fi o de tungsténio precisa ser submetido a apenas 15 V para que nele se estabeleça a
mesma corrente. Isto significa que a resistência eléctrica do nicromo é maior do que a do
tungsténio:
A resistência eléctrica de um condutor homogéneo, e de seção transversal constante, é
proporcional ao seu comprimento inversamente proporcional à sua área transversal e depende
da temperatura e do material de que é feito o condutor:

𝒍
𝑹=𝝆
𝑨

Essa relação e denominada a segunda lei de Ohm.

4. Material para experiência

Simulador do Phet
Resistências virtuais

4.1. Procedimentos

 Montar o circuito com uma certa voltagem e resistência e calcular a corrente;


 Alterar a resistência e ver o que acontece com corrente;

4.2. Resultados

Figura 1: Lei de Ohm no Simulador Phet.

Como 𝑹 = 𝟓𝟎𝟎𝛀 𝒆 𝑼 = 𝟒. 𝟓𝑽, 𝒆𝒏𝒕𝒂𝒐 𝒂 𝒄𝒐𝒓𝒓𝒆𝒏𝒕𝒆 (𝑰)𝒔𝒆𝒓𝒂:

𝑽 𝑽 𝟒.
𝑹= ⇔ 𝑰 = 𝟓𝑽 = 𝟎, 𝟎𝟎𝟗𝑨

𝑰 =
𝑹 𝟓𝟎𝟎𝛀
Figura 2: Lei de Ohm no Simulador Phet.

Usando o mesmo procedimento a corrente (I) será: I=16A

Figura 3: Lei de Ohm no Simulador Phet.

Usando o mesmo procedimento a corrente (I) será: I=6.2ª


5. Conclusão

Depois do experimento feito, cabe a nos concluir que a lei de Ohm e suficiente e útil para
relacionar as grandezas: voltagem, resistência e corrente eléctrica. Como constatamos, ao
aumentar a resistência a corrente diminui, e ao diminuir a resistência a corrente aumenta, ou
seja com base no experimento conclui-se que a resistência de um resistor é inversamente
proporcional a intensidade da corrente que o atravessa.
6. Referência Bibliográfica

1. https://phet.colorado.edu/sims/html/ohms-law/latest/ohms-law_pt_BR.html

2. DOCA, Ricardo Helou; BISCUOLA, Gualter José; BÔAS, Newton Villas. Tópicos de
física, Saraiva S.A 2012.

Você também pode gostar