Você está na página 1de 2

A pandemia provocada pelo novo coronavírus gerou diversos impactos na educação, tanto para

estudantes quanto para as instituições de ensino de mais de uma centena de países pelo mundo.
Diante do risco representado pelas aglomerações, comuns na educação presencial, autoridades
decretaram medidas bastante rígidas, começando por férias e suspensão temporária das aulas.
Durante o isolamento social, alunos e docentes têm aprendido de comunicação à distância e se
adequado às mudanças propostas pela necessidade de aliar modos de prevenção da saúde com a
continuidade das praticas escolares. Para isso, todos tiveram que fazer mudanças e se adequar, em
pouco tempo, a essa nova realidade de hoje. Com isso, surge diversas questões e desafios a serem
analisados e tratados nessa realidade.
Nessa nova realidade, que impõe inúmeros desafios pós-pandemia, a gestão pedagógica precisa
capacitar os docentes e buscar meios de se recriar ,e isso de forma rápida.
Um dos desafios é a falta de interesse de um numero de pessoas que, mesmo no cenário atual de
pandemia, não contribuem para a não propagação do vírus. Dada a complexidade que envolve esse
momento, vale ressaltar a importância da adaptação de hábitos individuais em prol da coletividade.
Pois , há muitas diretrizes a serem adotadas pela instituição para voltar às aulas de modo seguro e
reduzir o risco de contaminação da Covid-19.
Esse novo estilo de vida exige maior participação dos pais de alunos, para reduzir os pensamentos
negativos dessa situação tão incerta em relação às mudanças feitas após pandemia. Deste modo, o
plano de elaboração de reinício das práticas presenciais deve ser avaliado da melhor forma
possível. Ainda, é necessário analisar as atual situação e levar em conta, sobretudo, a importância da
prevenção da saúde de todos.
A desigualdade social se encontra como um dos principais desafios hoje em um mundo pós-
pandemia, pois, isso de certa forma gera uma uma forte desigualdade educacional. É preciso
entender que são necessárias políticas de inclusão para grupos que mesmo antes já haviam sido
prejudicados, como exemplo poderíamos incluir acesso à internet de forma gratuita às pessoas que
não a tem .

Dentre as estratégias mais comuns para amenizar os efeitos da pandemia e dar continuidade ao
processo de aprendizagem, vale destacar o ensino remoto.
A popularidade e a agilidade da internet permitem o compartilhamento de informações e a
comunicação entre a escola, pais e alunos, sendo uma opção importante para garantir as atividades
escolares em tempos de isolamento social.
No entanto, uma parcela expressiva dos estudantes não conta com acesso à rede, caracterizando o
primeiro grande desafio para as escolas, como já foi abordado acima.
Mais familiarizados com ferramentas de ensino a distância- EaD, professores e alunos do Ensino
Superior tem mais facilidade nessa situação. Também é necessário se adaptar às atividades não
presenciais, aproveitando ferramentas para se reunir e apresentar trabalhos em grupo e até os seus
TCCs. Entretanto, o ensino a distancia tem pode ser limitado para determinados ensinos, como
pratica laboratorial e outras atividade que necessita a presença do aluno.
Neste novo cenário, diante todos os desafios e dificuldades implicada pelo isolamento social,
podemos citar grandes perdas no processo de ensino da educação brasileira e no mundo, como na
qualidade, no preparo acadêmico, e na formação educacional. Essas perdas se refletem entre
escolas, faculdades, professores e alunos de todas as idades, exigindo a criação de estratégias para
que sejam minimizadas.
Para o futuro as instituições precisarão rever seus métodos, pois muitos discentes e docentes ainda
enfrentam muitas dificuldades nesse processo de ensino e aprendizagem.

Você também pode gostar