Você está na página 1de 7

AULA 03

TRATAMENTO DO CALDO

Visa a qualidade do produto final  coloração, evitar empedramento.

1. DECANTAÇAO
Separação física entre solido e liquido por diferença de densidade
Regido pela lei de Stokes.
1. LEI DE STOKES: Velocidade = constante que depende da forma da
partícula x diâmetro da partícula em cm 2(densidade da partícula em g\cm3-
densidade do fluido em g\cm3) isso tudo dividido pela viscosidade do fluido
em poise ou centipoise.

2. Uma das etapas mais importantes no processo de clarificação, purifica o


caldo pra remocao de compostos coagulados por sedimentação.
Boa cor e pouca impureza depende da qualidade da decantação.
Ocorre nos decantadores  convencional ou rápido  depende da velocidade
que quer que ocorra e da qualidade que quer.
Leva em cerca de 3h com o convencional e 1h no rápido.

3. Aplica-se floculantes na entrada do decantador pra unir as partículas


menores e formar as maiores pra decantar mais rápido  maior eficiência
Floculantes podem atuar de diferentes formas  eletrolíticas que descarregam
cargas elétricas, coagulantes que formam precipitados gelatinosos e Poloeletroliticos
que consistem em polímeros de alto peso molecular e de cadeia longa com um grande
numero de pontos eletricamente ativos, formando materiais com densidade maiores
Polimeros podem ser catiônicos ou aniônicos e recebem a denominação do
ultimo e são parcialmente hidrolisados.
Melhoram a floculação, decantação torna-se mais rápida e o volume do lodo
torna-se menor.
Dosagem e influencia de PH são extremamente importantes pq isso influencia no
resultado final, se o ph tiver muito alto ou muito baixo ele altera na coloração e a
dosagem é de 1 a 3 g por tonelada de cana pq se colocar muito ele acaba atrapalhando
na decantação.
4. POLIMEROS  a quantidade de polímeros adicionada, se for muito baixa a
precipitação é fraca, se for a quantidade recomendada tem melhor eficiência
e em excesso rola repulsão e não floculação

DECANTADOR
A qualidade de um clarificador é determinada pelo tempo de retenção necessário
para permitir a sedimentação do lodo.
Quanto maior a área por unidade de volume, mais rápida a decantação e maior a
eficiência e menor vai ser o volume que vai ter que retirar dps.
Se for muito pequeno as partículas não conseguem chegar no fundo pq tem
outro.
Decantador deve ser esvaziado a cada 6 semanas pq senão gera contamincaçao
por muito lodo parado  contaminação bacteriana, microrganismos.
Separa o lodo do caldo alimentado  veio de caldo misto e agr é chamado de
caldo clarificado.
Lodo tirado do decantador ainda possui grande quantidade de sacarose 
necessária pra produzir o açúcar  entao reutiliza no processo dnv pra filtração pra
gerar o caldo filtrado.
CALDO CLARIFICADO  sai da decantação
CALDO FILTRADO  sai do filtro rotativo, sai do lodo e pode voltar na linha
de produção(recirculado) ou ir pra produção de álcool.

TIPOS DE DECANTADOR
1. RAPIDO
Não tem bandeja lá dentro, equipamento único e o caldo é retirado por calhas e o
lodo pelo fundo com auxilio de pás raspadoras.
Tanque sem separação interna.
No rápido o lodo pouco tempo ali, cerca de 1h, entao a contaminação não rola.
No processo de filtração o lodo é separado dnv  gerando lodo e liquido, o
liquido volta pro processo e o lodo é descartado.
VANTAGENS: Tempo de retenção baixo, pequenas perdas por inversão
(sacarose não inverte em outros açucares), menor volume e tempo de liquidação (tira
cada vez mais volume e material sólido) e menor custo de implementação.

DESVANTAGENS: Sensível a variação de fluxo (tem que ta em rotação sempre


pra não gerar contaminação), auto consumo de polímeros\ floculantes (pra que decante
mais rápido), produz lodo menos concentrado (pq nem tudo decanta em 1h e o lodo é
menos concentrado entao tem que recircular mais vezes e a perda de material e energia
é maior), não decanta caldos cm brix (mede o teor de açúcar no caldo) elevado (arrasta
muita partícula contaminante), Não é indicado pra produção de álcool (tem que limpar
primeiro pra depois fazer a destinação pra essa produção).

2. CONVENCIONAL
Tem bandejas internas que fazem cm que eles vao circulando lá dentro, entao
tem bastante etapas de decantação conforme o caldo for passando pelas bandejas.
Possui abertura central que faz comuncacao entre todas elas e é por ai que sai o
lodo.
VANTAGENS: Alta estabilidade pra qualquer variação de fluxo (não precisa
ter automatização controlada), lodo mais concentrado e menor recirculação ( lodo em
volume maior e mais compacto), baixo consumo de floculantes (pq demora mais tempo
e passa por varias etapas, da tempo de decantar), decanta caldos cm alto ou baixo teor
de sacarosa (brix) e não depende da produção cm vazão constante.

DESVANTAGENS: tempo de redencao demorado, maior queda de PH (por


conta do anterior mas noa é tao acentuada), volume inoperante na parte superior
(aumenta o nível de contaminação, pq o liquido que entra em cima fica muito tempo em
contato cm o solido que ta no compartimento 1), o caldo das bandejas inferiores recebe
lodo das bandejas superiores (movimento do caldo leva um pouco do lodo pra baixo) e
tem alto custo de implementação (por ser mais complexos)

PRA ESCOLHER ENTRE OS DOIS  tempo, qualidade, custo,

EXPLICOU OQ CONSTITUI UM DECANTADOR (CADA PEDAÇO DO


EQUIPAMENTO) EM 36:11ATÉ 39:00
2. FILTRAÇAO
Torta utilizada como fertilizante e parte do caldo volta pra linha de produção pra
aumentar a produtividade, pq ele ainda n tem qualidade boa mas ainda contem sacarose.

O lodo vem pra filtração (rotativo ou prensa), na maioria usa o rotativo.


Obejtivo é de recuperar o açúcar do lodo que ta retido la (fosforo,
enxofre...nutrientes) e volta pro caldo filtrado que é reprocessado.
Nutrientes fundamentais pra qualidade final.

FILTRAÇAO  Lodo recebe pequena quantidade de polímeros que ajuda na


separação das impurezas e depois recebe bagacilho (resto de material solido da própria
moagem, pedaço de cana dps que moeu a cana) que aumenta o rendimento da extracao.
Quanto maior o teor de sacarose, maior a produção.

CONDICOES NECESSÁRIAS  TEMPERATURA que influencia na


viscosidade (viscosidade deve diminuir com o aumento da temperatura), filtrar acima
de 80 graus. REAÇAO: os caldos alcalinos são mais facilmente filtrados que os
caldos ácidos ou neutros, entao acrescenta cal ao lodo antes de filtrar.

Parametros de filtração explicado de 50:00 ate 59:00

FILTRO PRENSA
Equipamento pouco usado hj em dia
Usado em indústria alimentícia e farmacêutica
Exige mao de obra mas exige de muita mao de obra
Ciclo total é de 3h, sendo que a montagem e desmontagem tem que ser
feita a cada ciclo.
Deixou de ser usado em indústrias com grande produção.
FILTRO ROTATIVO
Filtro mais utilizado nas usinas de açúcar e que trabalham à vácuo.
Composto por um tambor perfurado que gira em volta do eixo horizontal (
e a medida que ele vai girando vai percorrendo todo o caldo) e parcialmente
submerso no líquido a ser filtrado, nesse caso a própria lona, a própria superfície,
por ser furada, faz a filtração.
O que é líquido escorre pra dentro do tubo (tambor) e o que é sólido fica
retido na superfície.
Em resumo: cilindro que fica girando em torno do seu próprio eixo,
passando por dentro da área que possui o que quer filtrar (submerso no líquido
misturado com o sólido não muito compacto), a superfície suga o material
líquido pra dentro do tambor e conforme vai passando pelas seções (e girando) o
que fica em cima é a torta seca (material compacto).
A periferia é o tambor (superfície filtrante) dividida em 24 seçoes (malhas
filtrantes) e cada uma delas ocupa 15 graus da circunferência e se extende por
todo o comprimento do tambor.
Gira lentamente pq cada vez que gira acontece uma fase do processo de
filtração, puxar, lavar, separar e secar o material na saída.
A raspadeira que possui retira o descarte que foi filtrado e na saída gera o
caldo filtrado.

FILTRO ROTATIVO
Na suspensão de lodo a ser siltrada adicona o bagacilho pra aumentar o
teor de sacarose e o volume de mateial solido, que aumenta o processo de
compactação. 6 a 15 kg por tonelada de cana que foi moído no começo do
processo
Trabalha com fases de ciclo (absorve, lava, secar e descartar).
1. Formaçao e crescimento da torta  succiona o material e o material
fica compacto na superfície dele.
2. Filtraçao: Filtra e as partes liquidas passam pelas conecxoes que tem
dentro do filtro e a solida fica na superfície.
3. Lavagem: Pra retirar o máximo de sacarose contido na torta
4. Secagem: Pra facilitar o descarte
5. Quebra o vácuo e descarga da torta: quebra o vácuo e chega próximo
as raspadeiras, ,pra fazer o descarte

FUNCIONAMENTO DO FILTRO ROTATIVO


Trabalha com secoes.
Regiao de baixo vácuo  evita a compactação da torta de sólidos e
bagacilho, se essa compactação acontecer gera bloqueio da passagem de liquido.
Forma a camada de torta porosa (facilita na lavagem)
A secao submersa do filtro vai emergir com a camada de torta já formada
e acontece uma transição para o auto vácuo
Alto vácuo  ´pra prender a torta no filtro e ela não cair conforme ele
gire, pra compactar a torta que já foi formada cm o vácuo baixo.
Depois que passa a linha do centro do tambor, começa a lavagem da torta,
pra retirar o maior teor de sacarose, feita pulverizando agua quente  objetivo de
extrair o máximo de sacarose possível  embebiçao o nome dessa fase de
lavagem
Secagem da torta acontece cm alto vácuo que vai até a metade de uma
câmara e antes da borda superior da raspadeira
E a capacidade e a eficiência da filtração esta ligada a velocidade
periférica do tambor (continua cm alto vácuo senão ele vai desprender e vai cair
fora do compartimento)
Quanto mais lenta a rotação, melhor a lavagem e secagem das tortas.
Por fim, as raspadeiras retiram o material conforme o tambor vai girando.
Material sólido volta pro cocho depois que é retirado e recomeca todo o
ciclo, até que for observado que o processo já terminou (quantidade de torta no
cocho já foi filtrado)

COMPONENTES:
Tambor rotativo de aco inox
Contra tela (circulação do fluo de caldo filtrado pela superfície externa do
tambor)  pra fixar as telas
Tela  permitir passagem do fluxo de filtrado, retendo a torta
Tubulacao da sucção  p
Cabeçote  proporciona secao de vácuo na superfície filtrante (baixo e
alto vácuo)
Coxo  onde fica o liquido, tanque de armazenamento
Agitador de lodo  que fica dentro do coxo pra que o material fique em
constante movimento que não tenha a decantação ali
RASPA  raspadeira pra tirar a torta do filtro
Sistema de lavagem de torta  tubulação de agua quente instalada em
cima do tambor pra lavar a torta
Bomba de vácuo  pra controlar o alto ou baixo nível
CAIXA DE CALDO FILTRADO  Onde recebe todo o caldo e não tem
contaminação
Moega de torta  recolhe a torta
Descarte da torta  na plantação pra adubo

Você também pode gostar