Você está na página 1de 71

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA


CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL

Tópicos Integradores
(Orçamento)
Prof. Me. Cristiany Moscoso

BELÉM – PA
2020
2

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Custo de Equipamento

• Valor de um equipamento → definido por hora utilizada

Compra ou Alugar ?
3

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Custo de Equipamento
• Custo horário Total

𝐶ℎ = 𝐷ℎ + 𝐽ℎ + 𝑃ℎ + 𝐺ℎ + 𝐿ℎ + 𝑀𝑂ℎ + 𝑀ℎ
Custo de Custo de
Propriedade Custo de Operação
Manutenção

Ch → custo horário TOTAL (R$/h)


Dh → custo horário de DEPRECIAÇÃO (R$/h)
Jh → custo horário de JUROS (R$/h)
𝐶ℎ = 𝐷ℎ + 𝐽ℎ + 𝐸ℎ + 𝑀ℎ Ph → custo horário de PNEUS (R$/h)
Gh → custo horário de COMBUSTÍVEL (R$/h)
Lh → custo horário de LUBRIFICAÇÃO (R$/h)
MOh → custo horário de mão de obra
de OPERADOR (R$/h)
Mh → custo horário de MANUTENÇÃO (R$/h)
Eh → custo horário de energia elétrica (R$/h)
4

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Custo de Equipamento
• Hora produtiva • Hora improdutiva

• Hora de trabalho efetivo; • Hora disponível mas sem estar


• Custo de: propriedade; trabalhando efetivamente;
operação; • Custo de: propriedade;
manutenção. mão de obra de operação.

𝑪𝒉 𝒑𝒓𝒐𝒅 = 𝑪𝒉 = 𝑫𝒉 + 𝑱𝒉 + 𝑷𝒉 + 𝑮𝒉 + 𝑳𝒉 + 𝑴𝑶𝒉 + 𝑴𝒉 𝑪𝒉 𝒊𝒎𝒑𝒓𝒐𝒅 = 𝑫𝒉 + 𝑱𝒉 + 𝑴𝑶𝒉


5

Prof. Me. Cristiany Moscoso


6

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

propriedade
• Custo de Depreciação + custo de juros

• Depreciação horária → tarifa horária cobrada para reaver o valor


investido;

• Juros horário → remuneração do capital investido no equipamento;


7

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

propriedade
• DEPRECIAÇÃO

• Desvalorização do equipamento → entregue ao comprador;


idade;
tempo de uso ...
Custo da depreciação por hora (parâmetros): Valor de aquisição (Vo);
vida útil (VU);
valor residual (Vr).
Métodos para o cálculo da depreciação de equipamentos:
método linear;
método do saldo devedor;
método da soma dos anos.
8

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

propriedade
• DEPRECIAÇÃO - PARÂMETROS

Valor de aquisição (Vo) → é o valor do equipamento;

Vida útil (VU) → 𝑉𝑈 = 𝑛 × 𝑎 n→ vida útil em anos


a→ horas de utilização por ano (h/ano)

Valor residual (Vr) → 10% a 20%


9

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

propriedade
• DEPRECIAÇÃO – Método Linear

𝑉𝑜 − 𝑉𝑟 𝑉𝑜 − 𝑉𝑟
𝐷ℎ = =
𝑉𝑈 𝑛×𝑎
10

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

propriedade
• DEPRECIAÇÃO – Método Linear
• Por exemplo: Uma escavadeira foi comprada por R$200.000,00 e sua vida
útil é estimada em 5 anos, considerando-se uma utilização de 2.000 horas
por ano. O valor residual é de 10% do original. Calcular a depreciação
horária pelo método Linear.

𝑉𝑜 −𝑉𝑟 𝑉𝑜 − 𝑉𝑟 200.000−20.000 180.000


𝐷ℎ = = = = = R$18,00/h
𝑉𝑈 𝑛×𝑎 5×2.000 10.000
11

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

propriedade
• DEPRECIAÇÃO – Método Linear
• Por exemplo: Uma escavadeira foi comprada por R$200.000,00 e sua vida útil é
estimada em 5 anos, considerando-se uma utilização de 2.000 horas por ano. O valor
residual é de 10% do original. Calcular a depreciação horária pelo método Linear.
% de Depreciação Valor contábil
ANO
Depreciação ANUAL
• Dh = R$ 18,00 0 - - 200.000,00
1 20% 36.000,00 164.000,00
• 2000,00 x 18 = 36.000,00 2 20% 36.000,00 128.000,00
3 20% 36.000,00 92.000,00
4 20% 36.000,00 56.000,00
5 20% 36.000,00 20.000,00 = 𝑉𝑟
Total
෍ = 180.000,00
Depreciado
12

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

propriedade
• DEPRECIAÇÃO – Método do Saldo Devedor (Exponencial)
• Tornar a depreciação proporcional ao estado do equipamento
• Por exemplo: Calcular a depreciação do equipamento do exemplo anterior pelo método do Saldo devedor.
• Taxa de depreciação anual ANO
% de Depreciação Valor contábil
Depreciação ANUAL
2×100
•= = 40% 0 - - 200.000,00
5
1 40% 80.000,00 120.000,00
2 40% 48.000,00 72.000,00
• Dh = R$ 18,00 3 40% 28.800,00 43.200,00
4 40% 17.280,00 25.920,00
5 40% 5.920,00 20.000,00 = 𝑉𝑟
Total
෍ = 180.000,00
Depreciado
13

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

propriedade
• DEPRECIAÇÃO – Método da Soma dos Anos
• A taxa de depreciação anual
varia ano a ano. ANO
% de Depreciação Valor contábil
• Por exemplo: Calcular a depreciação do Depreciação ANUAL
equipamento do exemplo anterior pelo 0 - 200.000,00
método da soma dos anos.
1 5/15 60.000,00 140.000,00
• Vida útil = 5 anos 2 4/15 48.000,00 92.000,00
• 1+2+3+4+5 = 15 3 3/15 36.000,00 56.000,00

• Coeficientes são aplicados 4 2/15 24.000,00 32.000,00


sobre 5 1/15 12.000,00 20.000,00 = 𝑉𝑟
෍ = 15
Vo – Vr = 180.000,00
Total Depreciado
෍ = 180.000,00
14

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Custo de Equipamento
Comparação - Métodos de Depreciação
ANO LINEAR SALDO DEVEDOR SOMA ANOS 100.000,00
1 36.000,00 80.000,00 60.000,00
80.000,00
2 36.000,00 48.000,00 48.000,00
60.000,00
3 36.000,00 28.800,00 36.000,00
40.000,00
4 36.000,00 17.280,00 24.000,00
20.000,00
5 36.000,00 5.920,00 12.000,00
0,00
1 2 3 4 5
linear saldo devedor soma anos
15

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

propriedade
• JUROS
• Rendimento que o investimento alcaçaria ao longo de sua vida útil;
• Exemplo: Começo Depreciação acumulada (R$) Valor contábil do
• Um equipamento de valor do ano equipamento (R$)
1 0 200.000 = Vo
R$ 200.000,00, com vida útil de 5 2 40.000 160.000
Anos, depreciação linear e com 3 80.000 120.000
4 120.000 80.000
Valor residual nulo.
5 160.000 40.000
6 200.000 0 = Vr
෍ = 600.000

Investimento médio = Im = R$ 600.000/5anos R$120.000 /ano


16

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

propriedade
• JUROS
• Para valor residual NÃO NULO;
• Investimento médio: Juros horários:

(𝑛+1) 𝐼𝑚 ×𝑖
𝐼𝑚 = 𝑉𝑜 − 𝑉𝑟 × + 𝑉𝑟 𝐽ℎ =
2𝑛 𝑎

Onde: Onde:
Im → investimento médio; Jh → juros horários;
Vo → valor inicial; Im → investimento médio;
Vr → valor residual; i → taxa de juros;
n → vida útil (em anos) a → horas de utilização por ano
17

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

propriedade
• JUROS
• Exemplo: calcular o custo horário de juros para a escavadeira do
exemplo anterior , admitindo uma taxa de juros anual de 12%.
• Valor de aquisição (Vn) = R$200.000,00
• Valor residual (Vr) = 10% x R$200.000,00 = R$20.000,00
• Vida útil = 5 anos de 2.000 h/ano
• i = 12%
(𝑛+1) (5+1)
𝐼𝑚 = 𝑉𝑜 − 𝑉𝑟 × + 𝑉𝑟 = 200.000 − 20.000 × + 20.000 = 𝑹$𝟏𝟐𝟖. 𝟎𝟎𝟎, 𝟎𝟎
2𝑛 2×5

𝐼𝑚 × 𝑖 128.000 × 0,12
𝐽ℎ = = = 𝑹$𝟕, 𝟔𝟖/𝒉
𝑎 2.000
18

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Custo de Equipamento
19

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

Operação
• Pneus
• Combustível
• Lubrificantes – óleo, graxa, filtro, equipamento de lubrificação
• Energia – Caso o equipamento seja elétrico
• Operador
20

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

Operação
• PNEUS
• Vida útil dos pneus

𝑝 × 𝐶𝑝
𝑃ℎ =
𝑉𝑈𝑝

Onde:
Ph → custo horário de pneus;
P → número de pneus do equipamento;
Cp → Custo unitário do pneu;
Vup → vida útil do pneu.
21

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

Operação Onde:
Ph → custo horário de pneus;
P → número de pneus do equipamento;
• PNEUS → Vida útil dos pneus Cp → Custo unitário do pneu;
• Exemplo: Vup → vida útil do pneu.

Calcular o custo horário de pneus de um trator sobre pneus, que possui


dois pneus 12,4x24x6 e dois pneus 6x16x8. Adotar vida útil de 2.500
horas para ambos os tipos e preços unitários de R$900,00 e R$500,00
respectivamente.
𝑝 × 𝐶𝑝 2 × 900
Pneus 01 𝑃ℎ1 = = = 𝑹$ 𝟎, 𝟕𝟐 /𝒉
𝑉𝑈𝑝 2.500ℎ

𝑝 × 𝐶𝑝 2 × 500
Pneus 02 𝑃ℎ2 = = = 𝑹$ 𝟎, 𝟒𝟎 /𝒉
𝑉𝑈𝑝 2.500ℎ 𝑪𝒖𝒔𝒕𝒐 𝒉𝒐𝒓á𝒓𝒊𝒐 𝒕𝒐𝒕𝒂𝒍 = 𝑷𝒉
= 𝑹$ 𝟏, 𝟏𝟐 /𝒉
22

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

Operação
• COMBUSTÍVEL
• Custo horário de combustível;

• Potência média;
• Fator de eficiência;
• Fator de potência;
• Potência média corrigida;
• Consumo horário;
• → Custo horário
23

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

Operação
• COMBUSTÍVEL
• Exemplo: Uma carregadeira a diesel possui potência nominal de 160 HP. A carregadeira
trabalha a plena potência enchendo a concha durante 5 segundos. Nos 15 segundos
restantes do ciclo, assume-se que o motor trabalha com média potência. A carregadeira
trabalha em média 45 minutos por hora. Qual o custo horário de combustível (Ch), se 1
litro custa R$4,5?

• Potência média = 5𝑠𝑒𝑔 × 160 𝐻𝑃 + (15𝑠𝑒𝑔 × 80𝐻𝑃)


= 100𝐻𝑃
• Fator de eficiência; 20𝑠𝑒𝑔
100
• Fator de potência; (𝑓𝑎𝑡𝑜𝑟 𝑑𝑒 𝑜𝑝𝑒𝑟𝑎çã𝑜 = = 62,5%)
160
• Potência média corrigida;
• Consumo horário;
• → Custo horário
24

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

Operação
• COMBUSTÍVEL
• Exemplo: Uma carregadeira a diesel possui potência nominal de 160 HP. A carregadeira
trabalha a plena potência enchendo a concha durante 5 segundos. Nos 15 segundos
restantes do ciclo, assume-se que o motor trabalha com média potência. A carregadeira
trabalha em média 45 minutos por hora. Qual o custo horário de combustível (Ch), se 1
litro custa R$4,5?

• Potência média;
• Fator de eficiência =
45
= 𝟎, 𝟕𝟓
• Fator de potência; 60
• Potência média corrigida;
• Consumo horário;
• → Custo horário
25

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

Operação
• COMBUSTÍVEL
• Exemplo: Uma carregadeira a diesel possui potência nominal de 160 HP. A carregadeira
trabalha a plena potência enchendo a concha durante 5 segundos. Nos 15 segundos
restantes do ciclo, assume-se que o motor trabalha com média potência. A carregadeira
trabalha em média 45 minutos por hora. Qual o custo horário de combustível (Ch), se 1
litro custa R$4,5?

• Potência média;
• Fator de eficiência;
• Fator de potência = 0,625 × 0,75 = 𝟎, 𝟒𝟕
• Potência média corrigida;
• Consumo horário;
• → Custo horário
26

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

Operação
• COMBUSTÍVEL
• Exemplo: Uma carregadeira a diesel possui potência nominal de 160 HP. A carregadeira
trabalha a plena potência enchendo a concha durante 5 segundos. Nos 15 segundos
restantes do ciclo, assume-se que o motor trabalha com média potência. A carregadeira
trabalha em média 45 minutos por hora. Qual o custo horário de combustível (Ch), se 1
litro custa R$4,5?

• Potência média;
• Fator de eficiência;
• Fator de potência;


Potência média corrigida =
Consumo horário;
0,47 × 160 𝐻𝑃 = 𝟕𝟓 𝐻𝑃
• → Custo horário
27

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

Operação
• COMBUSTÍVEL
• Exemplo: Uma carregadeira a diesel possui potência nominal de 160 HP. A carregadeira
trabalha a plena potência enchendo a concha durante 5 segundos. Nos 15 segundos
restantes do ciclo, assume-se que o motor trabalha com média potência. A carregadeira
trabalha em média 45 minutos por hora. Qual o custo horário de combustível (Ch), se 1
litro custa R$4,5?

• Potência média;
• Fator de eficiência;
• Fator de potência;
• Potência média corrigida;
• Consumo horário = 0,15𝑙/(𝐻𝑃𝑥ℎ) × 75𝐻𝑃 = 𝟏𝟏, 𝟐𝟓 𝒍/𝒉
• → Custo horário
Consumo
adotado
28

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

Operação
• COMBUSTÍVEL
• Exemplo: Uma carregadeira a diesel possui potência nominal de 160 HP. A carregadeira
trabalha a plena potência enchendo a concha durante 5 segundos. Nos 15 segundos
restantes do ciclo, assume-se que o motor trabalha com média potência. A carregadeira
trabalha em média 45 minutos por hora. Qual o custo horário de combustível (Ch), se 1
litro custa R$4,5?

• Potência média;
• Fator de eficiência;
• Fator de potência;
• Potência média corrigida;
• Consumo horário;
• → Custo horário =

𝐶ℎ = 11,25 𝑙/ℎ × 𝑅$4,5/𝑙 = 𝑹$𝟓𝟎, 𝟔𝟐


29

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

Operação
• COMBUSTÍVEL
• Exemplo 2: Calcular o custo horário de óleo diesel para a escavadeira
do exemplo da depreciação, considerando uma potência de 165 HP,
fator de potência 55% e R$ 4,45 por litro.

𝐶ℎ = 0,15 𝑙 𝐻𝑃𝑥ℎ × 0,55 × 165𝐻𝑃 × 𝑅$4,45 /𝑙


= 𝑹$𝟔𝟎, 𝟔𝟖
30

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

Operação
• LUBRIFICANTES
• Potência do motor;
• Capacidade do cárter;
• Intervalo entre trocas de óleo.

𝐻𝑃 ×0,6 ×0,0027𝑘𝑔(𝐻𝑃𝑥ℎ) 𝑐
Q= +
0,893𝑘𝑔/𝑙 𝑡
Onde:
Q → consumo (l/h)
HP → potência do motor (HP)
c → capacidade do cárter (l)
t → intervalo de trocas (h)
31

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso


Onde:
Operação Q → consumo (l/h)
HP → potência do motor (HP)
c → capacidade do cárter (l)
• LUBRIFICANTES t → intervalo de trocas (h)

• Exemplo: Calcular o custo horário de óleo diesel para a escavadeira de


160 HP do exemplo da depreciação, considerando que o cárter tem
capacidade par 15 litros de óleo e as trocas periódicas são feitas a
cada 100 horas. O litro custa R$10,00
HP=160HP c=15l t=100h
𝐻𝑃 ×0,6 ×0,0027 𝑐 160 ×0,6 ×0,0027 15
Q= 0,893
+ 𝑡
= 0,893
+ 100
= 0,44 𝑙/ℎ

𝐶𝑢𝑠𝑡𝑜 ℎ𝑜𝑟á𝑟𝑖𝑜 ó𝑙𝑒𝑜 𝑑𝑜 𝑐á𝑟𝑡𝑒𝑟 = 0,44 × 10,00 = 𝑹$𝟒, 𝟒𝟎/𝒍


𝐿ℎ = 𝑅$4,40 + 50% = 𝑹$𝟔, 𝟔𝟎/𝒉
32

Custo de Equipamento – Custo de Prof. Me. Cristiany Moscoso

Operação
• ENERGIA ELÉTRICA
• Custo horário de energia

𝐸𝑛 = 𝐻𝑃 × 0,75 × 𝑐𝑢𝑠𝑡𝑜 𝑘𝑊/ℎ = 𝑘𝑊 × 𝑐𝑢𝑠𝑡𝑜 𝑘𝑊/h


33

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Custo de Equipamento – Custo de Operação


• MÃO-DE-OBRA DE OPERAÇÃO
• Custo do homem-hora de operador;

• Exemplo: Calcular o custo horário de operador para a escavadeira do


exemplo da depreciação considerando que a hora do operador custa
R$ 3,0 e os encargos 130%

𝑀𝑂ℎ = 𝑅$ 3,00 × 2,3 = 𝑹$ 𝟔, 𝟗/𝒉


34

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Custo de Equipamento
35

Custo de Equipamento - Custos de Prof. Me. Cristiany Moscoso

manutenção
• Manutenção;
• Reparos;
• Despesas fixas
36

Custo de Equipamento - Custos de Prof. Me. Cristiany Moscoso

manutenção
Onde:
• Método do coeficiente único Mh → manutenção horária
Vo → valor de aquisição (R$)
n → vida útil em anos
𝑉𝑜 a → número de horas de
𝑀ℎ = 𝑘 × utilização por ano
𝑛×𝑎

depreciação horária com valor residual nulo:


𝑀ℎ = 𝑘 × 𝐷ℎ
Onde:
K → coeficiente multiplicador
Dh → Depreciação horária
37

Custo de Equipamento - Custos de Prof. Me. Cristiany Moscoso

manutenção
• Método do coeficiente único
• Exemplo: Calcular o custo horário de manutenção da escavadeira do
exemplo da depreciação, considerando um coeficiente de 0,8.
• Valor de aquisição (Vo) =R$ 200.000,00
• Vida útil (VU) = 5 anos x 2.000 h/ano = 10.000 h
• K = 0,8

𝑉𝑜 200.000
𝑀ℎ = 𝑘 × 𝑛×𝑎
= 0,8 × 10.000
= 𝑹$ 𝟏𝟔, 𝟎𝟎/𝒉
38

Custo de Equipamento – TOTAL DO Prof. Me. Cristiany Moscoso

CUSTO
• Método do coeficiente único
• Exemplo: Totalizar o custo horário da escavadeira dos exemplos
anteriores Hora PRODUTIVA
• 𝐷ℎ = R$ 18,00 𝐶ℎ𝑝𝑟𝑜𝑑 = 𝐷ℎ + 𝐽ℎ + 𝑃ℎ + 𝐺ℎ + 𝐿ℎ + 𝑀𝑂ℎ + 𝑀ℎ
• 𝐽ℎ = R$ 7,68 18+7,68+0+24,50+6,60+6,90+16,00 =
R$ 79,68/h
• 𝐺ℎ = R$ 24,5
• 𝐿ℎ = R$ 6,50 Hora IMPRODUTIVA
• 𝑀𝑂ℎ = R$ 6,90 𝐶ℎ 𝑖𝑚𝑝𝑟𝑜𝑑 = 𝐷ℎ + 𝐽ℎ + 𝑀𝑂ℎ
18,00+7,68+6,90 = R$ 32,58/h
• 𝑀ℎ = R$ 16,00
39

Custo de Equipamento - Custos de Prof. Me. Cristiany Moscoso

manutenção
• Método do coeficientes múltiplos

• Tipo
• Horas de uso
• Vida útil em anos
𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑑𝑒 𝑎𝑞𝑢𝑖𝑠𝑖çã𝑜
• Temperatura Multiplicar os coeficientes correspondentes x
10000
• Condições de trabalho
• Ritmo de trabalho
• Qualidade do operador
• Qualidade do equipamento
• Manutenção
• Conhecimento do serviço
• Tipo de serviço
40

Custo de Equipamento - Custos de Prof. Me. Cristiany Moscoso

manutenção
• Método do coeficientes múltiplos
• Exemplo: Calcular o custo horário de uma escavadeira do exemplo anterior,
considerando que ela tenha boa manutenção, trabalhe em condições leves,
sob temperatura normal, com operador bon.

• Tipo: k1 = 1,4
• Qualidade do operador: k2 = 0,9
• Qualidade do equipamento: k3 = 0,9
• Condições de trabalho: k4 = 0,8 (Multiplicar os coeficientes correspondentes) x 𝑽𝒂𝒍𝒐𝒓 𝒅𝒆 𝒂𝒒𝒖𝒊𝒔𝒊çã𝒐
𝟏𝟎. 𝟎𝟎𝟎
• Manutenção: k5 = 0,9
• Vida útil: k6 = 0,9 𝟏, 𝟒 × 𝟎, 𝟗 × 𝟎, 𝟗 × 𝟎, 𝟖 × 𝟎, 𝟗 × 𝟎, 𝟗 × 𝟏 ×
𝟐𝟎𝟎. 𝟎𝟎𝟎
𝟏𝟎. 𝟎𝟎𝟎
• Demais coeficientes: k = 1,0
R$14,6/h
41

Custo de Equipamento – Prof. Me. Cristiany Moscoso

EQUIPAMENTO ALUGADO

• Porque alugar?

• Formas:
Tarifa;
Leasing;
Empreitada
Exercício
Atividade 03 para AV2
Enviar por email

cmoscoso.topicos9@gmail.com
11/06/2020
Prof. Me. Cristiany Moscoso

01.
• Calcular o custo horário produtivo e improdutivo de uma motoniveladora, de acordo com os
dados abaixo:

• Preço: R$ 350.000,00 Pneus: R$ 1.250,00 cada (x4)


• Vida útil: cinco anos de 2.000 h Vida útil dos pneus: 3.500 h
• Valor residual: 10% Taxa juros: 12% a.a
• Operador: R$ 6,90/h (encargos incluídos) Motor: 140 HP
• Fator de potência: 0,60 Capacidade do cárter: 54 l
• Período entre trocas de óleo: 80 h Preço do diesel: R$ 1,80
• Preço do óleo lubrificante: R$ 10,00 Manutenção: k=0,8
• Vo (sem os pneus) = R$345.000,00

(deixar memória de cálculo)


Prof. Me. Cristiany Moscoso

02.
• Seu chefe solicitou que você compare compra ou alugueu de uma
escavadeira de empresas de locação. Há prós e contras para ambas as
opções, mas a decisão gerencial precisa estar respaldada em critérios
técnicos.
• A maneira de resolver o impasse é verificar o custo do equipamento
próprio e compara-lo com o custo de locação de mercado.
• Sua decisão deve ser tomada da seguinte maneira: calcular o número de
horas anual para que o custo horário de equipamento próprio equivalha ao
custo horário de locação. Se o equipamento trabalhar por um ano mais do
que essa quantidade, vale a pena compra-lo; se a tendência for trabalhar
menos horas por ano, a locação é mais aconselhável.
DADOS

EQUIPAMENTO PRÓPRIO EQUIPAMENTO ALUGADO


• Preço: R$ 500.000,00 • Custo de locação: R$ 80,00/h
• Valor residual: 10% • OBS: construtora arca com as
• Vida útil: 5 anos despesas de operação e
manutenção
• Taxa de juros: 12% a.a

- Os custos de operação e de manutenção não precisam ser computados porque são iguais nos dois casos.
- Deixar memória de cálculo
2

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Preço de Venda e BDI


3

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Custo direto
• Todos os insumos incluídos em uma composição de custo unitário de
serviço;
• Mão-de-obra, materiais e equipamentos
4

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Custo indireto
• sãos que não são incorporados ao produto final, mas contribuem para a
formação do custo total:
• Administração Central da Empresa
• Custo financeiro do contrato
• Seguros
• Garantia
• Tributos sobre a Receita

• Todo custo que não apareceu como mão-de-obra, material ou equipamento;


5

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Preço de venda
• Custo
• + lucro
• + impostos → preço de venda

• É o valor final do orçamento 𝐶𝑈𝑆𝑇𝑂


𝑃𝑉 =
1 − 𝑖%

𝑖 → 𝑠𝑜𝑚𝑎𝑡ó𝑟𝑖𝑎 𝑑𝑒 𝑡𝑜𝑑𝑎𝑠 𝑎𝑠 𝑖𝑛𝑐𝑖𝑑ê𝑛𝑐𝑖𝑎𝑠 𝑠𝑜𝑏𝑟𝑒 𝑜 𝑝𝑟eço de venda


6

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Preço de venda
• Exemplo: Uma obra foi orçada em E$ 250.000,00 (custo total). Na
localidade da obra, os impostos atingem 7% e a lucratividade
desejada pelo construtor é de 8%. Calcular o preço de venda.

𝐶𝑈𝑆𝑇𝑂 250.000,00
• 𝑃𝑉 = = = 𝑅$ 294.117,65
1−𝑖% 1−(0,07+0,08)

• Será se está correto? Será se está correto?


Custo: R$ 250.000,00
Impostos = 7% x 294.117,65 = R$ 20.588,24
Lucro = 8% x 294.117,65 = R$ 23.529,41
SOMA 𝑅$ 294.117,65
7

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Preço de venda
• Custo

• Custo Direto;
• Custo Indireto
• Despesas: Administração central;
Custo financeiro;
Imprevistos;
Contingências
outros
8

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Preço de venda
• Despesas ou custos acessórios

• Administração central (AC) → % sobre os custos diretos mais indireto


% adotada
• Custo financeiro (CF) → % sobre os custos diretos mais indiretos
% adotada
• Imprevistos e contingência (IC) → % sobre os custos diretos mais indiretos
% adotada
• Seguro, outras despesas
9

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Lucro e Impostos
• Lucro → diferença entre receita e despesas;

• Lucratividade → relação entre o lucro e a receita. %

• Rentabilidade → relação entre o lucro e o investimento. %


10

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Lucro e Impostos
• Exemplo: Uma obra prevê um ganho de R$ 40.000,00 num contrato com
preço de venda orçado em R$ 300.000,00. A construtora irá desembolsar
R$ 250.000,00 na obra. Calcular Lucro, Lucratividade e Rentabilidade

• Lucro → R$ 40.000,00

𝑅$ 40.000,00
• Lucratividade → 𝑅$ 300.000,00
= 7,5%

𝑅$ 40.000,00
• Rentabilidade → 𝑅$ 250.000,00
= 16,0%
11

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Despesas tributárias
• Impostos
incidem sobre a obra

• COFINS; PIS;
• IRPJ; ISSQN;
• CSLL...
12

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Despesas tributárias
• COFINS
• Contribuição para Financiamento da Seguridade Social

• Competência: Federal;
• Base de cálculo: faturamento
• Alíquota: 3%
• Cálculo: 3% sobre o faturamento (ou preço de venda do contrato)
13

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Despesas tributárias
• PIS
• Programa de Integração Social

• Competência: Federal;
• Base de cálculo: faturamento
• Alíquota: 0,65%
• Cálculo: 0,65% x faturamento (ou preço de venda do contrato)
14

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Despesas tributárias
• ISSQN ou ISS
• Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza

• Competência: municipal;
• Base de cálculo: preço do serviço prestado (com deduções);
• Alíquota: variada. Belém → 5%
• Cálculo: 5% x preço do serviço (com deduções)
15

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Despesas tributárias
• IRPJ e CSLL
• Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ)
• Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL)

• Regime tributário da construtora:


Lucro real;
Lucro presumido.

Lucro REAL Lucro presumido


Competência: Federal; Federal;
Base de cálculo: Lucro preço de venda
Alíquota: IRPJ → 15 a 25% 1,5%
CSLL → 1% 1%
Cálculo: alíquota x base de cálculo
16

Prof. Me. Cristiany Moscoso

PREÇO DE VENDA E BDI


𝑃𝑉
• Benefícios ou Bonificações e Despesas Indiretas 𝐵𝐷𝐼% = −1
𝐶𝐷

é uma porcentagem aplicada sobre o custo direto total e que tem a


finalidade de contabilizar os custos indiretos do projeto além de estabelecer
o lucro do empreendedor;

é uma taxa que se adiciona ao custo de uma obra para cobrir as


despesas indiretas que tem o construtor, mais o risco do empreendimento,
as despesas financeiras incorridas, os tributos incidentes na operação ,
eventuais despesas de comercialização, o lucro do empreendedor e o seu
resultado é fruto de uma operação matemática baseados em dados
objetivos envolvidos em cada obra.
18

Prof. Me. Cristiany Moscoso

EXEMPLO:
• Calcular o BDI e gerar os preços de venda;
• Regime de tributação: Lucro real;
19

BDI – custo direto Prof. Me. Cristiany Moscoso

• 1. Orçamento do custo direto


20

BDI – custo indireto Prof. Me. Cristiany Moscoso

• 2. Orçamento do custo indireto


21

BDI - Despesas Prof. Me. Cristiany Moscoso

• 3. Despesas
• Administração central (AC) → 4% sobre os custos diretos mais indiretos (adotado)
4% x (2.582.000,00+250.560,00) → AC = R$ 113.302,40

• Custo financeiro (CF) → 1,5% sobre os custos diretos mais indiretos (adotado)
1,5% x (2.582.000,00+250.560,00) → CF = R$ 42.488,40

• Imprevistos e contingências → 1% sobre os custos diretos mais indiretos (adotado)


1% x (2.582.000,00+250.560,00) → IC = R$ 28.325,60

• Seguros, despesas comerciais ...


22

Prof. Me. Cristiany Moscoso

BDI
• 4. incidências sobre o faturamento (lucro + impostos)

• LUCRO → 8% sobre o faturamento (adotado)


• IMPOSTOS:
COFINS 3% sobre o faturamento
PIS 0,65% sobre o faturamento
ISS 5% sobre o faturamento

• Total de incidência → 8,65% + 8% = 16,65%


23

Prof. Me. Cristiany Moscoso

BDI
• 5 – Cálculo do preço de venda (PV) da obra

𝐶𝑈𝑆𝑇𝑂 3.016.676,4 3.016.676,4


𝑷𝑽 = = = = 𝑹$ 𝟑. 𝟔𝟏𝟗. 𝟐𝟖𝟕, 𝟖𝟐
1 − 𝑖% 1 − (0,08 + 0,0865) 0,8335

• CUSTO= custo direto (2.582.000,00)+


custo indireto (250.560,00)+
despesas (113.302,40+ 42.488,40+ 28.325,60)
24

Prof. Me. Cristiany Moscoso

BDI
• 6. Cálculo do BDI

𝑃𝑉
𝐵𝐷𝐼% = −1
𝐶𝐷

3.619.287,82
𝐵𝐷𝐼% = − 1 = 1,401 − 1 = 𝟎, 𝟒𝟎𝟐 = 𝟒𝟎, 𝟐%
2.582.000,00
25

Prof. Me. Cristiany Moscoso

BDI x 1,402

• 7. Cálculo dos preços unitários


dos serviços
• Preço unitário → custo
unitário x (1 + coeficiente BDI)
26

Prof. Me. Cristiany Moscoso

BDI
• 8. Identificar todas as parcelas

• Regime de tributação: Lucro real;


IRPJ = 15% x 289.543,03 = 44.781,45
CSLL = 9% x 289.543,03 = 26.058,87

Lucro líquido = R$ 218.702,71


27

Prof. Me. Cristiany Moscoso


28

Prof. Me. Cristiany Moscoso

Exercício – Atividade 04 de AV2

• https://forms.office.com/Pages/ResponsePage.aspx?id=FsH3ViN2r0m
VrXy-
MfmzM6KH_jafQMJKusRHCsIv8CtUQldNNkdMS0g3Q1VLQzNWVDBR
MDdSSkpFVS4u

Você também pode gostar