Você está na página 1de 13

1

ANHANGUERA
SISTEMA DE ENSINO A DISTÂNCIA
PEDAGOGIA

CARLEANE DOS SANTOS

PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR


“As manifestações culturais e artísticas na Educação Infantil”

Maceió
2021
2

CARLEANE ARAUJO DOS SANTOS CASADO


RA2334473904

PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR


“As manifestações culturais e artísticas na Educação Infantil”

Trabalho apresentado à Universidade


Anhanguera, como requisito parcial
para o aproveitamento da disciplina de
atividades interdisciplinares do 7°
semestre no curso de pedagogia.

Sumário Maceió
2021
3

INTRODUÇÃO.......................................................................................3
DESENVOLVIMENT
O
1 INTRODUÇÃO........................................................................................................4
2 REFERENCIAL TEÓRICO.....................................................................................5
2.1 Multiculturalismo e suas implicações na educação........................................5
2.2 Temas contemporâneos transversais na BNCC............................................6
2.3 Pedagogia em espaços não escolares...........................................................7
3 PLANO DE AÇÃO...................................................................................................8
4 CONSIDERAÇÕES FINAIS..................................................................................10
5 REFERÊNCIAS....................................................................................................11
4

1 INTRODUÇÃO

Educação é uma coluna indispensável para sociedade, também é


responsável por inúmeros conceitos na formação do ser humano , e o professor é a
chave mais importante no período do processo de desenvolvimento da criança. Os
incentivos que o professor apresentar a criança poderá estabelecer fatos de suam
importância no período de sua vida, durante ao seu sucesso ou espalhanço escolar.
Por isso, que o educador dos anos iniciais do ensino fundamental é tem uma
grande peleja , tendo em vista, que esse é o primeiro contato da criança com um
ambiente que não seja o familiar, um ambiente totalmente novo.
Nesse modo, o professor é responsável por aproximar-se dos alunos, criando
vínculos com eles, e procurar compreender das crianças sua personalidade para
trabalhar de maneira individual em seu processo de ensino-aprendizagem. Tendo
em vista que o educador tem o papel de controlar o processo de desenvolvimento
do educando, criar atividades de conforme com a indispensabilidade de cada um.
No decorrer deste trabalho iremos perceber a importância do educador qualificado
para trabalhar o multiculturalismo e todas as outras competências da Base Nacional
Comum Curricular, educando uma criança consciente e preparada para a vida em
sociedade dentro de qualquer que seja o ambiente em que ela for inserida.
5

2 REFERENCIAL TEÓRICO

2.1 MULTICULTURALISMO E SUAS IMPLICAÇÕES NA EDUCAÇÃO

Quando o assunto se trata de diversidade cultural, o nosso Brasil é excelente


exemplo nisto, mas com o assunto que iremos ainda falar que em nosso cotidiano
não é abordado com mais importância durante o processo de ensino-aprendizagem?
Diversidade cultural são os diferentes costumes de uma determinada sociedade, e
quanto ao Brasil temos um enorme exemplo de diversidade , e isto é resultado de
521 anos de história. Com a vinda de alguns estrangeiros para o Brasil com o
objetivo de conhecer as riquezas do pais, a cerca da década de 1530, cidadãos de
varias etnias vieram ao nosso pais, em especial os portugueses, holandeses e
franceses, mais na frente iniciou o regime escravocrata quando os africanos foram
trazidos ao Brasil em condições brutais, com isso houve então um miscigenação
racial, o que hoje podemos conhecer como o povo brasileiro com suas varias etnias
e culturas. Para entender melhor, vejamos:

A diversidade cultural brasileira se deu pelo processo de miscigenação entre


brancos, índios e negros e foi marcada por uma série de crenças, hábitos,
costumes e conceitos contraditórios, alimentando, assim, uma discussão
permanente a respeito dos direitos e deveres dos seres humanos,
principalmente no combate aos preconceitos remanescentes e oriundos
dessa relação que perdurou por séculos, trazendo sérias consequências a
uma imensa população de oprimidos, incluindo negros, índios, pobres,
portadores de algum tipo de deficiência, relações e diferenças sexuais,
doenças crônicas, dentre outras formas de relações consideradas por boa
parte da sociedade algo fora da normalidade e, por esse motivo, não
aceitáveis.( BARBOSA, 2014, p. 3).

Estudando e analisando o artigo “Multiculturalismo e suas consequencias na


educação” de Danielle Rodrigues e Sabrina Guedes podemos compreender que o
texto se baseia quanto ao multiculturalismo, quanto a variedade existente no
ambiente social e escolar. Com essa diversidade é bem clara que em nosso
cotidiano, um modo de compreendermos de maneira obvia é que ao andarmos nas
ruas de nosso dia a dia veinhemos notar varias pessoas com rostos, raças,
costumes, cores, religiões, entre inúmeros outros aspectos que caracterizam a
6

miscigenação. No entanto, ao mesmo tempo que estamos inseridos nessa


diversidade de pessoas é muito comum notarmos a desigualdade e o preconceito
que infelizmente ainda é presente em nossos dias. Em meio ao século XXI ainda
achamos diariamente o preconceito e desrespeitos as diversas culturas, deste
modo o objetivo é fazer com que os alunos possam socializar com as diversas
diferenças que vermos no cotidiano escolar.

2.2 TEMAS CONTEMPORÂNEOS TRANSVERSAIS NA BNCC.

Com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) transmitem as escolas os


Temas Contemporâneos Transversais e como temos que trabalhar em sala de aula,
de acordo com a BNCC esses temas precisam estar incluído no currículo escolar,
podendo ser inquirido de modo que influencie na vida dos alunos. Mostrando os
temas do nosso cotidiano de nosssa sociedade em conjunto com os conteudos que
já estão sendo ensinados.
Com os objetivos confirmado pela Base Nacional Comum Curricular, um
dos principais é favorecer a igualdade no processo da educação nas escolas
brasileiras visando que todos os alunos terminem a educação básica com as
disciplinas essenciais desenvolvidas seguindo a necessidade de cada um e também
como cidadão consciente em diversas formas para a vida em sociedade. Tendo
dea certeza que todas as aprendizagens de acordo com as competências e
habilidades que concebe parte deste documento, a BNCC mostra o que tem de ser
trabalhado em ambiente escolar. Com o objetivo nisto é diminuir a desigualdade do
que é ensinado no Brasil, vendo isto, é esperado a melhoria na qualidade da
educação do pais e reduzir as discrepâncias entre o nível de conhecimentos dos
alunos.
Com uma das competências certa que pela Base Nacional Comum Curricular
é o multiculturalismo a qual realça a necessidade das escolas tratarem o assunto
das diferenças culturais em sala de aula. Esse tema é apresentado na 3°
competência geral da BNCC:
3.Repertório Cultural — Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas
e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas
diversificadas da produção artístico-cultural. 3° competência geral da Base
Nacional Comum Curricular.
7

Neste modo cabe a instituição de ensino averiguar, pesquisar e assim


recorrer a um método de ensino que atendam a competência proposta pela Base
Nacional Comum Curricular, propondo as crianças uma conscientização e maior
conhecimento quanto as diferenças, eles devem ser conscientizados de que eles
vivem em um pais que encontrarão pessoas com as mais variadas característica em
sociedade e deverão respeitar-las.

2.3 PEDAGOGIA EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES

Embora a sociedade já tenha fixado em sua mente o conteudo de que um


profissional formado em pedagogia é um professor de educação infantil, atualmente
não e bem assim. O estudo de “O pedagogo e suas inúmeras funções nos diversos
espaços de trabalho” de Adrian Alvarez e Mariana Rigo, faz um analise disto,
fazendo uma analise das possíveis atribuições do pedagogo e sua área de trabalho
seja ela escolar ou extraescolar. Quando falamos da formação e do mercado de
trabalho deste profissional, vemos então que o assunto tem ganhado muito espaço
nas pesquisas dos educadores, e também nas grandes mídias do Brasil.
Algum tempo atrás a sociedade pensava que área de atuação do pedagogo
estava restrita apenas a sala de aula ou dentro de uma escola. Porém, com o passar
dos anos aconteceu uma mudança desta linha de pensamento de forma
significativa. Agora no século XXI podemos ver que o campo de atuação deste
profissional não está mais limitado as escolas . Pois antes a pedagogia era um
curso que capacitava o profissional apenas para ensinar nos anos iniciais do ensino
fundamental e a restritas funções dentro da escola. Entretanto, graças as mudanças
hoje o profissional formado em pedagogia está apto a trabalhar em inúmeras outras
áreas, nas quais necessitam doconhecnmeito pedagógico. Nas areas como: em
hospitais, recursos humanos, canais de televisão, museus, empresas, sistemas
prisionais, revistas infantis, editoras, em ONGs, entre outras.
Consequentemente, dadas essas transformações ao tempos vividos
atualmente no Brasil, a pedagogia também expandiu consideravelmente seu campo
de atuação, nesta forma as organizações tiveram que se alinhar com as novas
demandas do mercado de trabalho deixando de lado os processos convencionais.
Contudo, o profissional não está mais preso em barreiras que os limita ao ambiente
8

escolar para trabalhar, atualmente ele obtém varias possibilidades de atuação


dadas pela sua competência pedagógica.
9

3 PLANO DE AÇÃO

PLANO PARA O PROJETO


TEMA DO PROJETO: Somos todos iguais?

JUSTIFICATIVA: O projeto “somos todos iguais?” Nosso objetivo é propor uma


discussão entre as criança, a comunidade e toda a escola, sobre a identidade
cultural e as inúmeras culturas que existentes no Brasil.
Trabalhar com literatura infantil nessa faixa etária nos permite trabalhar com
diversas competências e habilidades, desse modo mostrando para eles a
história ” Cada um com seu jeito, cada jeito é de um!” texto de Lucimar Rosa
Dias, onde iremos ter uma conversa informal sobre o quanto os
heterogeneidade dentro da escola ,expondo situações como o do preconceito
racial , atuando as origens deles, suas descendências e culturas. Nesta forma,
mostraremos para eles as diversas culturas e suas características, formando
então cidadãos consciente dos seus direitos e deveres, e que é obrigação deles
acima de tudo respeitar as diferenças.
OBJETIVO GERAL: Aplicar nas crianças as Habilidades da BNCC abordando
de maneira que eles entendam a diferentes culturas e as caraterísticas de cada
uma , fazendo com que eles entendam que apesar de não sermos todos iguais
fisicamente temos que se respeitar . Com a conclusão deste projeto iremos ter
bons cidadãos conscientes da diversidade cultural e consciente ao respeito.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
 Valorizar variedade de características físicas existente.
 Reconhecer os diversos modos de vida e culturas no mundo.
 Respeitar as diferentes culturas.
 Imaginar a história do deu jeito.
METODOLOGIA: Seguindo a ideia de Vygotsky de que todo conhecimento é
construído a partir das relações humanas, esse projeto será desenvolvido nos
pequenos por meio da relação social entre eles, trabalharemos eles para mostrar
as diferenças .Nessa forma, a metodologia usada no projeto será uma ação
educativa que tem por objetivo assegurar que eles entendam e contemplem a
diversidade cultural. Tendo o projeto será dividido em semanas, onde:
1° Semana: Fazer uma roda e conversaremos sobre o tema do livro e
10

acompanhar os pensamentos deles .


2° Semana:. Realizar uma leitura coletiva .
3° Semana: Citar um país , onde cada turma ficará com uma cultura para
representar .
4° Semana: Então ocorrera a apresentação das culturas.

RECURSOS: O livro ” Cada um com seu jeito, cada jeito é de um!”, EVAs,
TNTs, Roupas típicas, comidas para apresentar as culturas escolhidas e
musicalização.
AVALIAÇÃO: A avaliação será por meio das observações que o professor fará
a partir do desenvolvimento dos alunos quanto ao conteúdo . O professor
também pode documentar os progressos da construção, das habilidades
conquistadas.
REFERÊNCIAS:
BRASIL. Secretaria Nacional de Direitos Humanos. Direitos humanos
no cotidiano . Manual. 1998.AZEVEDO, F.
A cultura brasileira . 5. ed. São Paulo: Melhoramentos, 1971.
GUSMÃO, Neusa M. M. Desafios da Diversidade na Escola. Revista Mediações,
Londrina, v.5, n.2, p.9-28, jul/dez, 2000.
11

4 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Realizando este trabalho tive a certeza da importância de conhecer a


realidade de uma criança, perceber suas necessidades , dificuldades e realidades
diante dos conteúdos que mostramos para elas em sala de aula. Em relação ao
ponto de vista de que nos anos iniciais do ensino fundamental é uma fase primordial
quanto ao progresso da criança, pois é nesta fase que a criança deixa o seu
ambiente familiar que já está acostumada e vai para algo novo que é a escola, com
diversas pessoas de diferentes idades, personalidades, características físicas. Cabe
ao educador lidar com essas diferenças.
Sendo assim , além disso o que a criança aprendera com esta fase da vida
irá levar por toda sua vida escolar. Portanto, o docente deverá ser o mediador e
facilitador do conhecimento durante esse processo, não se limitando apenas a quem
passa o conhecimento, mas ,tem de atuar de maneira que provoque o aluno a ser
curioso também e descobrir a parti de suas dúvidas, também tem que ser um
avaliador constante durante o desenvolvimento, incentivando para que o educando
reconheça suas barreiras para alcançar seus objetivos.
Portanto, é muito importante que o educador seja consciente do seu papel
como intercessor da experiência desta fase, e trabalhar da melhor maneira possível
para dar o processo de ensino-aprendizagem fase tão importante.
12

5 REFERÊNCIAS

www.youtube.com ( Nábila Quennet )

Amélia Hamze. IMPORTÂNCIA E ÁREA DE ATUAÇÃO DA PEDAGOGIA.


Disponível em: https://educador.brasilescola.uol.com.br /gestao-
educacional/importancia-area-atuacao-pedagogia.htm.Acesso em: 30/04/2021

GUSMÃO, Neusa M. M. Desafios da Diversidade na Escola. Revista


Mediações,Londrina, v.5, n.2, p.9-28, jul/dez, 2000.

Autor desconhecido. Jogos, brincadeiras antigas e cantigas de roda. Disponível em:


https://pedagogiaaopedaletra.com/jogos-brincadeiras-antigas-e-cantigas-de-roda/.
Acesso em: 31/04/2021

Autor desconhecido. Bullying. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br /soci


ologia/bullying.htm. Acesso em: 01/05/2021

FRISON, Lourdes Maria Bragagnolo. O pedagogo em espaços não escolares: novos


desafios. Ciência. Porto Alegre: n. 36, p. 87-103, jul./dez. 2004

BRASIL, Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.


Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

BRASIL, Ministério da Educação. Projeto de Lei: Plano Nacional da Educação –


PNE. Brasília: MEC, 2010.

SILVA, M.C.M. O primeiro ano da docência: o choque com a realidade. In: ESTRELA
M. T. Viver e construir a função docente. Lisboa: Porto, 1997, p.51 – 80.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em


Pedagogia, licenciatura. Resolução CNE/CP 1/2006. Diário Oficial da União, Brasília,
16 de maio de 2006, Seção 1, p. 11 nal de educadores. Educ. Soc., Campinas, vol.
27, n. 96 – Especial, p. 843-876, out. 20
13

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Rio de Janeiro: Vozes,


2012.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos: para quê? 12. ed. São Paulo:
AQUINO, Soraia Lourenço de. O pedagogo e seus espaços de atuação nas
representações sociais de egressos do curso de Pedagogia. 2011.
Dissertação(Mestrado) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2011.

Você também pode gostar