Você está na página 1de 2

Como Nossa Mornidão Começou APOCALIPSE 18

É impossível para qualquer pessoa em qualquer parte entender os acontecimentos atuais corretamente se tem os fatos
de seu passado distorcidos ou simplesmente não o conhece.

A última década do século 19 foi um período de trevas e confusão na sede de nossa Obra. Havia muito
progresso exterior que mascarava uma carência espiritual. Mervyn Maxwell descreve o claro contraste entre a
mensagem de 1888 e a condição espiritual da Igreja:

"A liderança, o laicato, as instituições, associações, campos missionários, e a Igreja como um todo, estavam
desesperadamente em necessidade de reforma. . . . [Ellen White disse] ter havido uma "assustadora apostasia"
com o povo de Deus. A igreja está "frígida", o seu primeiro amor congelado. Os dirigentes em Battle Creek
volveram costas ao Senhor; muitos membros da Igreja também tinham rejeitado o Seu senhorio e preferido a
Baal. Presidentes de associação estavam-se comportando como bispos medievais. . . . Uma "estranha cegueira"
adveio sobre o presidente da Associação Geral de modo que até ele estava agindo de modo contrário à luz. . .
'Todo o céu está indignado'." (Tell It to the World [Contai-o ao mundo], pp. 246, 247).

Qual era a verdadeira fonte da dificuldade espiritual? Eles tinham rejeitado o início da chuva serôdia e do alto
clamor. Haviam desperdiçado a maior oportunidade escatológica que jamais se oferecera a qualquer povo.

Ellen White cedo reconheceu que nosso problema era deixar o nosso "primeiro amor", uma perda de inti-
midade com Cristo por não apreciarmos o Seu amor sacrificial.

"O alto clamor do terceiro anjo já começou na revelação da justiça de Cristo. . . Este é o começo da luz do anjo
cuja glória encherá toda a terra." (ibid., 22 de novembro de 1892).

"Essa luz que deve encher toda a Terra com a sua glória foi desprezada por alguns que reivindicam crer na
verdade presente. . . . Eu não sei, mas alguns têm até agora ido longe demais para retornarem e se
arrependerem." (TM 89, 90; 1896).

Falando de uma reunião de líderes e ministros em 1890, Ellen White revelou o patético quadro de Jesus sendo rejeitado
tal como a enamorada em Cantares de Salomão 5:2ss fez o seu amado afastar-se: "Cristo bateu à porta em busca de
entrada mas não houve lugar para acolhê-Lo, a porta não foi aberta e a luz de Sua glória, tão próxima, foi
retirada" (Carta 73, 1890).

É chocante aos judeus ortodoxos que têm orado pela vinda do seu Messias reconhecer que Ele veio há muito
tempo mas foi rejeitado por seus antepassados. Não é menos chocante aos adventistas do sétimo dia que se
mantêm orando pelo derramamento da chuva serôdia reconhecer que a bênção veio um século atrás, mas foi
rejeitada por seus antepassados.

"Recebi uma carta há pouco do irmão Starr, da Austrália. Lerei duas ou três sentenças porque calham bem nesta parte
de nossas lições: 'A irmã White declara que temos estado no tempo da chuva serôdia desde a assembléia de
Mineápolis'". (GCB 1893, p. 377).

"Em 1888 na Conferência Geral realizada em Minneapolis, Minnesota, o anjo de Apocalipse 18 desceu para fazer
sua obra, e foi ridicularizado, criticado e rejeitado, e quando a mensagem que ele trouxer novamente, alargar-se
num alto clamor, será novamente ridicularizada, criticada e rejeitada pela maioria." E.G.White in Taking Up a
Reproach. Também encontrado em Some History, Some Experience, Some Facts, p. 1, por A.T.Jones.

"Vi que Jones e Waggoner tiveram sua contrapartida em Josué e Calebe. Como os filhos de Israel apedrejaram
os espias com pedras literais, vós apedrejastes esses irmãos com pedras de sarcarmo e ridículo. Vi que vós
voluntariamente rejeitastes o que sabíeis ser a verdade. Apenas porque ela era por demais humilhante para a
vossa dignidade. Vi alguns de vós em vossas tendas arremedando e fazendo toda a sorte de galhofas desses
dois irmãos. Vi também que se tivéssemos aceito a mensagem deles teríamos estado no reino
após dois anos daquela data, mas agora temos de retornar ao deserto e ficar 40 anos."
E.G.White, Escrito de Melbourne, Austrália, 09.05.1892.
"...se despertassem para um senso de seu dever, não reconhecerão a obra de Deus quando o alto clamor do
terceiro anjo for ouvido. Quando luz sair para iluminar a terra, em vez de virem em auxílio do Senhor, desejarão
amarrar Sua obra a fim de ajustar-se a suas idéias limitadas. Permitam-me dizer-vos que o Senhor operará nesta
última obra de um modo bastante fora do comum e de maneira que será contrária a qualquer planejamento
humano. . . . Os obreiros se surpreenderão com os meios simples que Ele empregará para pôr em andamento e
aperfeiçoar a Sua obra de justiça." (1º de outubro de 1885; TM 300).

"Vários têm-me escrito perguntando se a mensagem [de 1888] de justificação pela fé é a terceira mensagem angélica, e
tenho respondido: 'É a terceira mensagem angélica em verdade'. O profeta declara: 'Depois destas coisas vi descer do
céu outro anjo que tinha grande autoridade, e a terra se iluminou com a sua glória' [Apoc. 18:1]." (RH, 1º de abril de
1890).

Em 1892, ela estava pronta para declarar inequivocamente que a mensagem era realmente o início do
longamente aguardado alto clamor:

"O alto clamor do terceiro anjo já se iniciou na revelação da justiça de Cristo, o Redentor que perdoa o pecado.
Este é o começo da luz do anjo cuja glória encherá a terra toda." (RH, 22 de novembro de 1892).

"Nunca me esquecerei da experiência que tivemos em Mineápolis, ou das coisas que foram-me então reveladas
com respeito ao espírito que controlava homens, as palavras proferidas, as ações praticadas em obediência aos
poderes do maligno... Eles eram movidos na reunião por outro espírito, e ignoravam que Deus havia enviado
esses jovens homens... para apresentarem-lhes uma mensagem especial que trataram com ridicularia e
desprezo, deixando de reconhecer que inteligências celestiais estavam velando por elas... Eu sei que naquele
tempo o Espírito de Deus foi insultado." (Ct. 24, 1892).

“À igreja deixou de seguir a Cristo, seu líder, e está firmemente marchando em direção ao
Egito” (E.G.W., Testimonies, Vol. 5, p.217)

“Os fatos concernentes à real condição do professo povo de Deus fala mais alto
do que sua profissão e dixa claro que algum poder cortou o cabo que o
ancorava à Rocha Eterna, e que está se afastando para o alto-mar, sem bússola
nem mapa”(idem, Review and Herald, 24 de julho de 1888)