Você está na página 1de 6

Resumo Capítulo 1 – Livro: ALVES, RF., org.

Psicologia da saúde: teoria,


intervenção e pesquisa [online]. Campina Grande: EDUEPB, 2011. 345 p.
ISBN 978-85-7879-192-6. Available from SciELO Books. Disponível em:
https://static.scielo.org/scielobooks/z7ytj/pdf/alves-9788578791926.pdf. Acesso
em: 13 set. 2021.

RESUMO EM TÓPICOS

A PSICOLOGIA DA SAÚDE

1) DEFINIÇÃO:

 Surgimento:
o Década 70:
o Grandes alterações políticas, sociais, econômicas e culturais
o 1974 Relatório Lalonde
o 1979 Relatório Richmond
o 1978 Reunião Alma-Ata
o 1976 Relatório Task Force:
 Embrião da Psi Saúde
 Foco nas doenças físicas e na saúde
 Exclui saúde e doenças mentais
 Stone – 1979:
o 1ª definição
o Abrange todas as situações do campo da saúde
o Deu origem à Definição Clássica
 Matarazzo – 1980/1982:
o Definição Clássica
o Recorre aos conhecimentos da Psi para promover e proteger a
saúde, prevenir e tratar doenças, etiologia e diagnósticos,
doenças e disfunções, análise e melhoria do sistema de cuidados
de saúde e aperfeiçoamento da política de saúde.
 Conferência de Arden House – 1985:
o Contradita a Definição Clássica
o Campo genérico da Psi, com corpo próprio de teoria e
conhecimento, que se diferencia dos demais campos da Psi.
 OMS – 1986:
o Mudança do papel tradicional do Psi
o Foco na contribuição do Psi no “Saúde para Todos no Ano 2000”
 Focos da Psi Saúde:
o Para além da Saúde e Doenças não mentais, muda o foco da
“doença” e redireciona para a “saúde”
o Definição e métodos de intervenção e avaliação próprios

2) INTERESSE NA ÁREA

 Médicos e Psicólogos – relação de colaboração


 Década 80: explosão do interesse na área
 Razões:
o Fracasso modelo biomédico
o Preocupação qualidade de vida
o Estilo de vida nas doenças crônicas
o Maturidade das Ciências Comportamentais
o Alternativas aos cuidados de saúde tradicionais

3) PSICOLOGIA CLÍNICA, DA SAÚDE E CLÍNICA DA SAÚDE

 Psicologia Clínica
o Latim: clinicus – o que visita o doente na cama
o Século XIX – Witmer – função prática do psicólogo
o Século XX – ferimentos cerebrais, avaliação psicológica e auxílio
às vítimas da guerra.
o 1973 – Modelo Boulder Model – afasta-se da avaliação
psicológica – aproxima-se de modelos de intervenção baseados
na ciência psicológica
o Método Clínico (diagnóstico) = Modelo Científico (teoria)
 Psicologia da Saúde
o Fechamentos de Hospitais Psiquiátricos
o Psi foram para Hospitais Gerais
o Auxílio em doenças gerais
o Destaca-se como uma profissão da saúde
o Saúde geral – qualidade de vida
o Década 70: Sistema de Saúde, Cuidados de Saúde e
Fechamento dos Hospitais Psiquiátricos
o Empurram a Psi a repensar sua postura e teorias
 Psicologia Clínica da Saúde
o Ultrapassar a dualidade entre mente e corpo
o Corpo e Mente se unem em um só
o Psi da Saúde e Clínica se unem em uma só
o A união de ambas não é um consenso entre os estudiosos
o Proliferação de expressões
o Sherr (1996):
 Psicologia Clínica: problemas psicológicos com
intervenção psicológica
 Psicologia da Saúde: problemas médicos com intervenção
psicológica
 Psiquiatria: problemas psicológicos com intervenção
médica
 Medicina: problemas médicos com intervenção médica

4) CRÍTICAS À PSI DA SAÚDE


o 4 abordagens:
 Psi Clínica da Saúde (cuidados da saúde – biopsicossocial)
 Psi da Saúde Pública (multidisciplinar – promoção e educação
da saúde pública)
 Psi da Saúde Comunitária (investigação comunitária e
intervenção social)
 Psi da Saúde Crítica Analítica (como os processos
macrossociais, econômicos e o poder influenciam na saúde)
o Mente e corpo são indissociáveis
o Alguns dividem Psi Clínica (mente) e Psi Saúde (corpo)
o Mas por uma questão profissional e de cartel
o Reino Unido:
 Psi Clínica (mental e físico) - prática
 Psi Saúde (estudo do comportamento relevante para a saúde)
– estudo
 Prós: Psi Clínica abre campo da saúde.
 Contras: Psi Saúde não tem prática
o EUA:
 Psi Clínica da Saúde (foco nos problemas de saúde físicos,
interface entre comportamento e saúde)
o Portugal:
 Campo da Saúde – tudo que diz respeito à saúde, inclusive
cuidados de saúde
 4 pilares: biologia humana, meio ambiente, estilo de vida,
organização dos cuidados de saúde
o Brasil:
 Psi Hospitalar:
o Início: agrupar psi que trabalhavam em hospitais
o Se define pelo contexto onde se pratica
o Integra saúde e doença física e mental

5) ASPECTOS NOVOS DA PSI QUE SE PRATICA NO SISTEMA DE


SAÚDE
o Definição de quem é o cliente
 Cliente – aquele que pede ajuda ao médico
 Ajuda para o mal-estar causado por uma doença
 Médico pede ajuda ao Psi – apoio psicológico ou
psicoterapeuta
 Cliente então é o médico ou o sistema de saúde (e não o
doente)
 Psi – qual informação não deve ser divulgada e qual deve ser
compartilhada com a equipe multidisciplinar
o Alteração na relação psicólogo doente
 Psi atende na cabeceira do doente
 Demanda abordagem diferente
o Tempo de Intervenção
 Apoio breve

6) FORMAÇÃO EM PSI DA SAÚDE


o New York – 1983: requisitos
o Formação base deve ser genérica, mas deve haver sub-
especialização
o Matarazzo (1987) defende que deve haver aplicações diferentes,
mas não especialidades diferentes.

7) PRÉ-HISTÓRIA DA PSI DA SAÚDE, DA SAÚDE E DAS DOENÇAS:


- 5 PERÍODOS:
o Pré-científico até Séc. XVII:
 Engloba todas as concepções de saúde até a Renascença
 Sob perspectiva da cultura ocidental
 Tradição Hipocrática: deuses da medicina – Panaceia cuidava
da medicação da doença e Hygieia do bem-estar e
preservação da saúde
 Doença e Saúde já eram conceitos distintos
 Saúde relacionava-se com: equilíbrio entre os hábitos
alimentares, bebida, sexo, trabalho e recreação. Com o
ambiente, vento, água, clima, terra e alimentos.
 Idade Média – São Tomás de Aquino – Saúde é um hábito,
uma disposição habitual em relação à natureza.
 Meados Séc. XIX – modelo interativo, perspectiva ecológica:
interação entre fatores biológicos, ambientais e de
personalidade.
 Teoria Miasmática da Doença: cólera e peste negra eram
causadas por miasmas – maus ares.
o Período científico ou Modelo Biomédico:
 FOCO: doença
 Modelo Cartesiano ou Mecanicista: Galileu, Newton e
Descartes – princípios básicos da ciência
 O universo e o homem era uma máquina que funcionava como
um relógio: por meio de leis matemáticas
 Estudo por meio do método analítico: partes do conjunto
 “Doença consiste numa avaria temporal ou permanente do
funcionamento de um componente ou relação entre
componentes”
 Curar era concertar a máquina
 Modelo Biomédico = Reducionismo (os fenômenos derivam de
uma origem primária singular) + Dualismo (separa corpo de
mente)
 Teoria do Germe: um organismo patogênico específico estava
associado a uma doença específica – importante no combate
às grandes epidemias – vacinação.
o 1ª Revolução da Saúde no Séc. XIX:
 FOCO: prevenção das doenças
 Aplica o modelo biomédico na saúde pública
 No Séc. XVIII – Revolução Industrial – epidemias: tuberculose,
sarampo, gripe, varíola etc.
 Séc. XIX – usando a Teoria do Germe – Modelo Biomédico –
medidas sanitárias de canalização de água e esgoto, recolha
de lixos, ventilação e hospitais.
 Resultados espantosos e pouco evidenciados.
 Redução de cerca de 90% da mortalidade por tuberculose
 Doença ganha critérios universais: desvio de norma que gera
parâmetros fisiológicos específicos e mensuráveis – doenças
são classificadas e ganham identidade.
o 2ª Revolução da Saúde no início da década de 70:
 FOCO: Saúde
 3 características essenciais:
o Foco na Saúde, e não na Doença
o Comportamento humano era principal causa de
mortalidade e morbilidade
o Retorno à perspectiva ecológica
 Surge a Psi da Saúde
 Séc. XX: epidemia comportamental – estilo de vida, hábitos -
cigarro, drogas, álcool, acidentes
 Doenças cardiovasculares e cancro – etiologia
comportamental
 Necessidade de novos princípios
 Vacina agora deveria ser a modificação dos comportamentos
 Crítica às ciências médicas, que ignoravam as influências
externas e o comportamento humano como determinantes
primordiais da saúde.
 Clamor pela importância de se alterar o estilo de vida da
população: dormir, menos stress, boa alimentação, atividade
física.
 2/3 de todas as doenças e mortes são passíveis de ser
prevenidas através de intervenções comportamentais
o 3ª Revolução da Saúde:
 Elemento central: reduzir a aceleração dos custos de saúde
 Fatores que desencadearam:
o Alterações demográficas (envelhecimento,
diversificação familiar e migrações)
o Revolução tecnológica (aumenta os custos)
o Aproximação dos serviços de saúde à comunidade
o Aumento do poder de consumo (consumidores +
críticos, exigente, o que torna os políticos + sensíveis à
opinião pública)
o “Armadilha Demográfica”: aumento da expectativa de
vida (em 1920 era de 35,8 H e 40 M, em 2000 passou
para 70 H e 80 M)
 Mundo gerontológico: doenças crônicas
 Mundo pediátrico: doenças agudas
 Exigem sistemas de cuidados diferentes.

8) A PSICOLOGIA DA SAÚDE E O FUTURO:


o Após 2ª Guerra – alterações importantes no sistema de saúde
o Aparecimento novos medicamentos – penicilina, vacinas, técnicas
diagnósticas e novos tratamentos
o Novas técnicas impõe a pressão de constantes atualizações
o Psi Saúde nasceu década 70 – época de crise e de esperança –
orientação positiva da sociedade para com a saúde
o OMS (1948) – estado de bem-estar físico mental e social completo, e
não somente a ausência de doença ou incapacidade.
 Foca nos estados da saúde – e não nas categorias de
doenças
 Contexto alargado do bem-estar
o Na Psi, surge a Psi Positiva – aspectos positivos substitui a anterior
orientação da Psi para os aspectos negativos
o OMS (2001) – “foca no que as pessoas são capazes de fazer, ao
invés do que são incapazes de fazer” (p. 58)
o Psi Saúde – “necessita de estar em constante ajustamento às
mudanças políticas, econômicas e sociais” – isso a enriquece.