Você está na página 1de 20

OPERAÇÕES

UNITÁRIAS
Universidade Federal de Alagoas
Professor: José Roberto S. Júnior
E-mail: eng.robertojr@hotmail.com
FILTRAÇÃO

+ Consiste em separar mecanicamente


as partículas sólidas de uma
suspensão líquida com o auxílio de um
leito poroso.

Figura 01 – Princípio de funcionamento de um filtro.


Fonte: Gomide, 1980
A força propulsora da operação varia de um modelo de filtro para outro,
podendo ser:

▪ O próprio peso da suspensão;

▪ Uma pressão aplicada sobre o líquido;

▪ O vácuo;

▪ Uma força centrífuga


MEIO FILTRANTE
Critério de classificação dos filtros
- Variedade de meios filtrantes utilizados industrialmente:
▪ Leitos granulares soltos
▪ Leitos rígidos
▪ Telas metálicas
▪ Tecidos
▪ Membranas
TIPOS DE TORTA

Depende:

▪ Da natureza do sólido;

▪ Da granulometria e da forma das partículas;

▪ Do modo como a filtração é conduzida;

▪ Do grau de heterogeneidade do sólido


TIPOS DE TORTA

▪ Torta compressível

▪ Torta incompressível
TIPOS DE OPERAÇÃO

▪ Clarificação: clarificar de modo mais perfeito possível certos


líquidos (Exemplos: águas e bebidas)

▪ Extração: produzir uma lama espessa a partir de uma solução


mais diluída (Exemplos: filtração de cristais, pigmentos e outros
produtos sólidos valiosos)
TIPOS DE FILTROS

- Fatores que devem ser considerados para especificar um filtro:

▪ Fatores associados com a suspensão

▪ Características da torta

▪ Fatores associados com o filtrado

▪ Materiais de construção
TIPOS DE FILTROS
Critério:
Detalhes construtivos
▪ Filtros de leito poroso granular
▪ Filtros prensa
▪ Filtros de lâminas
▪ Filtros contínuos rotativos
▪ Filtros especiais
FILTRO DE
LEITO
POROSO
GRANULAR

Figura 02 – Filtro de leito poroso.


Fonte: Gomide, 1980
FILTRO PRENSA
▪ De câmaras

Figura 03 – Filtro Prensa. Tipo: câmaras.


Fonte: Gomide, 1980
FILTRO PRENSA
▪ De placas e quadros

Figura 04 – Filtro Prensa. Tipo: placas e quadros.


Fonte: Gomide, 1980
PRINCIPAIS VANTAGENS DOS
FILTROS PRENSA:
▪ Construção simples, robusta e econômica;
▪ Grande área filtrante por unidade de área de implantação;
▪ Flexibilidade;
▪ Não tem partes móveis;
▪ Os vazamentos são detectados com grande facilidade;
▪ Trabalham sob pressões até 50 kg/cm2;
▪ Manutenção simples e econômica
DESVANTAGENS DOS FILTROS PRENSA:

▪ Operação intermitente;

▪ O custo de mão de obra de operação, montagem e desmontagem é


elevado;

▪ A lavagem da torta, além de ser imperfeita, pode durar mais horas e será
tanto mais demorada quanto mais densa for a torta
FILTROS DE
LÂMINAS

Figura 05 – Filtro de lâminas. Fonte: Gomide, 1980


FILTROS CONTÍNUOS ROTATIVOS

▪ São de funcionamento contínuo, sendo indicados para


operações que requerem filtros de grande capacidade;

▪ A saída de filtrado, a formação, a lavagem, a drenagem e a


descarga da torta são realizadas automaticamente;

▪ Estes filtros geralmente operam à vácuo


▪ Filtro de tambor rotativo

Figura 06 – Filtro de tambor rotativo. Tipo Oliver. Fonte: Gomide, 1980


+Filtro de disco rotativo

Figura 07 – Filtro de disco rotativo. Fonte: Gomide, 1980


+Filtros contínuos horizontais

Figura 08 – Filtro Prayon. Fonte: Gomide, 1980


REFERÊNCIAS

Você também pode gostar