Você está na página 1de 258

Português 5.

º ano
Ana Santiago | Sof ia Paixão

RECURSOS
DO PROFESSOR
A
DOCUMENTOS FICHAS TESTES
PLANIFICAÇÃO
ORIENTADORES DE TRABALHO DE AVALIAÇÃO

GRELHAS TRANSCRIÇÕES GUIÕES DE RECURSOS


DE AVALIAÇÃO MULTIMÉDIA
Índice

Apresentação ..................................................... 3
Teste 2 – Unidade de diagnóstico – Ponto de
Documentos orientadores partida .................................................... 134
Programa e Metas Curriculares de Português Teste 3 – No tempo em que os animais
o
do Ensino Básico – 2. Ciclo ................................ 5 falavam – Fábulas e outros textos ................. 141
Lista de obras e textos para Educação Literária Teste 4 – No tempo em que os animais
o
– 2. Ciclo...................................................... 23 falavam – Fábulas e outros textos ................. 148
Teste 5 – Histórias com barbas – Contos
Planificação tradicionais, lendas e outros textos................ 157
Planificação anual ........................................... 25 Teste 6 – Histórias com barbas – Contos
Planificação por unidade .................................. 28 tradicionais, lendas e outros textos................ 164
Planos de aula................................................ 47 Teste 7 – Somos feitos de histórias – Textos
narrativos de autor e outros textos ................ 172
Contributo do Português para o PAA .................. 48
Teste 8 – Somos feitos de histórias – Textos
Fichas de trabalho narrativos de autor e outros textos ............... 180
o Teste 9 – Apanha-me um poeta – Poemas
Ficha 1 – Revisões do 1. Ciclo .......................... 51
e outros textos .......................................... 188
Ficha 2 – LE: Ortografia e translineação ............... 55
Teste 10 – Um pé no palco – Textos de
Ficha 3 – LE: Acentuação .................................. 56 teatro e outros textos ................................. 195
Ficha 4 – LE: Pontuação.................................... 58 Teste 11 – O mundo à nossa volta – Textos
Ficha 5 – LE: Dicionário .................................... 59 de imprensa e outros textos ......................... 203
Ficha 6 – LE: Texto narrativo ............................. 61 Testes de compreensão do oral
Ficha 7 – LE: Texto descritivo ............................. 63 Teste 1 – Unidade de diagnóstico – Ponto de
Ficha 8 – LE: Texto expositivo ............................ 65 partida .................................................... 209
Ficha 9 – EL: Narrativa 1 ................................... 67 Teste 2 – No tempo em que os animais
falavam – Fábulas e outros textos ................. 211
Ficha 10 – EL: Narrativa 2 ................................. 69
Teste 3 – Histórias com barbas – Contos
Ficha 11 – EL: Poesia 1 ..................................... 71
tradicionais, lendas e outros textos................ 212
Ficha 12 – EL: Poesia 2 ..................................... 73
Teste 4 – Somos feitos de histórias – Textos
Ficha 13 – EL: Teatro ....................................... 74 narrativos de autor e outros textos ................ 213
Ficha 14 – EL: Recursos expressivos .................... 76 Teste 5 – Apanha-me um poeta – Poemas
Ficha 15 – GR: Sons ......................................... 78 e outros textos ......................................... 215
Ficha 16 – GR: Sílabas ...................................... 79 Teste 6 – Um pé no palco – Textos de teatro
Ficha 17 – GR: Nome ....................................... 81 e outros textos ......................................... 216
Ficha 18 – GR: Determinante ............................. 87 Teste 7 – O mundo à nossa volta – Textos
Ficha 19 – GR: Pronome ................................... 89 de imprensa e outros textos ......................... 217
Ficha 20 – GR: Adjetivo .................................... 91 Soluções dos testes ...................................... 219
Ficha 21 – GR: Quantificador ............................. 97
Grelhas de avaliação
Ficha 22 – GR: Preposição ................................. 98
Domínio da Leitura – leitura em voz alta ........... 225
Ficha 23 – GR: Advérbio .................................. 100
Domínio da Oralidade – Apresentação de um
Ficha 24 – GR: Verbo ...................................... 102
tema selecionado ......................................... 226
Ficha 25 – GR: Formação de palavras ................. 108
Domínio da Oralidade - Apresentação
Ficha 26 – GR: Família de palavras e Relações de argumentos ............................................. 227
entre palavras ............................................... 110
Domínio da Oralidade - Interação discursiva .......228
Ficha 27 – GR: Tipos de frase / Frase afirmativa
Domínio da Escrita - Texto narrativo ................. 229
e frase negativa ............................................. 111
Domínio da Escrita - Texto descritivo ................ 230
Ficha 28 – GR: Funções sintáticas ...................... 112
Domínio da Escrita - Texto de opinião ............... 231
Soluções das fichas de trabalho .......................... 117
Transcrições
Testes de avaliação
Manual (vol. 1) ............................................ 233
Testes de avaliação escrita Testes de compreensão do oral........................ 239
Teste 1 – Unidade de diagnóstico – Ponto de
partida ................................................... 127 Guia de exploração de recursos multimédia ......... 243

© Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Apresentação

Palavra Mágica

Passar da palavra desconhecida ao sentido de um texto pode ser uma descoberta


reveladora e mágica. Com o projeto Palavra Mágica, procurou-se trazer para a escola, de
forma organizada e original, o fascínio das palavras de hoje e de ontem, de todos os
tempos.
A organização do projeto Palavra Mágica foi pensada por forma a abordar todos os
conhecimentos e capacidades previstos nos documentos orientadores, facilitando e
clarificando a progressão das aprendizagens.
As unidades do volume 1 do Manual estão organizadas tendo em conta os textos
predominantes – Textos narrativos, Textos poéticos, Textos dramáticos e Textos não
literários. Em cada momento, é sempre um texto a dar o mote para as abordagens nos
domínios da Oralidade, Leitura e Escrita, Educação Literária e Gramática. A seleção
textual foi efetuada a pensar no estabelecimento de relações entre sentidos e épocas,
procurando sempre um diálogo entre textos de outros tempos e textos com um toque de
modernidade. Nos diferentes domínios, as abordagens diversificadas e criativas
aproximam-se do universo dos alunos para o conduzirem de seguida a novas
experiências, que se constituem como o suporte de aprendizagens significativas.
Nas unidades, o conhecimento também se constrói através de momentos de
sistematização, apresentados em caixas informativas ou fichas de resumo, e de treino,
numa secção de exercícios de revisão.
No final do Manual, os guias práticos, de oralidade, escrita e gramática, articulam-se
com os conteúdos trabalhados ao longo do ano e possibilitam outros momentos de treino
e de sistematização das aprendizagens.
O volume 2 do Manual apresenta guiões de leitura de obras obrigatórias para a
Educação Literária, em articulação com as unidades do volume 1, e propostas de obras
para leitura autónoma.
A versão do professor do Manual especifica as Metas Curriculares trabalhadas em
cada momento e apresenta propostas de correção para todos os exercícios, bem como
remissões para os outros elementos do projeto e sugestões de atividades, que o
professor poderá desenvolver tendo em conta as especificidades de cada turma.
O Caderno de Atividades articula-se com os conteúdos trabalhados ao longo do manual,
propondo, a partir de uma organização clara, diversos exercícios de treino que favorecem a
mobilização dos conhecimentos e a sua aplicação em situações diversificadas.

© Texto | Palavra Mágica 5.o ano


O caderno Palavras Mágicas – Melhora os teus desempenhos, oferecido ao aluno,
pretende que as aprendizagens sejam aplicadas em situações lúdicas, onde a imaginação
só não é o limite porque a língua tem regras.
O Palavra Mágica – O jogo, é constituído por 35 cartões com perguntas de Leitura e
Escrita, Educação Literária e Gramática para três fases diferentes (1.o, 2.o e 3.o Períodos),
permite o treino e a avaliação dos conteúdos trabalhados no Manual, numa abordagem
lúdica com regras adaptadas a diferentes modalidades de jogo.
O Dossier de Recursos para o Professor, também disponível em versão editável,
apresenta diversos materiais, personalizáveis e em articulação com o projeto, tais como:
documentos de referência, planificações (anual, de unidade e de aula), fichas de trabalho
para vários domínios (que podem ser usadas com diferentes finalidades), testes de
oralidade, testes de avaliação diagnóstica e sumativa, grelhas de avaliação, transcrições
de áudios.
Os recursos disponíveis em proporcionam a articulação entre atividades do
Manual e diferentes registos multimédia (vídeos, áudios, grelhas de registo, por exemplo).
Assim, acreditamos que a pertinência e a coerência dos materiais que o compõem
tornam o projeto Palavra Mágica num instrumento que promove aprendizagens válidas e
descobertas significativas, reforçando o papel formativo da disciplina de Português.

© Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Documentos Orientadores

Programa de Português do Ensino Básico


2.oº CICLO 
2. CICLO
 

CARACTERIZAÇÃO 
Da monodocência do 1.º Ciclo, que contribui para uma relação mais próxima entre todas as 
componentes  do  currículo,  passa‐se,  no  2.º  Ciclo,  a  um  ensino  por  disciplina.  Por  um  lado,  o 
Português reforça a sua autonomia como objeto de estudo; por outro, torna‐se um veículo decisivo 
na construção dos saberes das outras áreas disciplinares.  A verdade é que a solidez das aquisições 
iniciais,  justamente  valorizada,  não  garante,  por  si  só,  que  os  alunos  saibam  lidar  com  a 
complexidade crescente de materiais e modos de ler com que vão sendo confrontados em cada uma 
das disciplinas curriculares (cf. Shanahan e Shanahan, 2008; Lee e Spratley, 2010). 
Este Ciclo é, assim, o da conclusão e consolidação das aprendizagens essenciais iniciadas no 
1.º Ciclo e simultaneamente o da abertura à especificação de  conceitos a dominar e de  aptidões a 
desenvolver.  Por  este  conjunto  de  razões,  nos  domínios  constitutivos  da  disciplina  de  Português, 
verifica‐se o equilíbrio entre a estabilização e a consolidação do aprendido e o aprofundamento e o 
alargamento inerentes à nova etapa de ensino. 
No domínio da Oralidade, pretende‐se que os desempenhos dos alunos revelem o respeito, 
já  constituído  como  rotina,  pelos  princípios  de  cortesia  e  de  cooperação  no  plano  da  interação 
verbal.  Pretende‐se  ainda  que  quer  a  compreensão  do  oral  quer  a  expressão  oral  ganhem  maior 
dimensão  e  formalidade.  Neste  Ciclo,  existe  uma  diversificação  dos  textos  orais  a  trabalhar  e  uma 
complexificação das tarefas solicitadas a propósito desses textos, tanto a nível da compreensão do 
oral como da expressão oral. Inicia‐se ainda a autonomização do discurso argumentativo, com vista a 
um trabalho cuja formalização prosseguirá no 3.º Ciclo e no Ensino Secundário. 
Leitura  e  Escrita  continuam  associadas  no  2.º  Ciclo.  Neste  domínio,  considera‐se  a 
pertinência  de  uma  prática  que  confirme  a  automatização  das  habilidades  de  identificação  das 
palavras  escritas  e  do  seu  uso  com  correcção  ortográfica,  e  da  produção  escrita  de  respostas  e 
pequenos  textos.  Um  dos  objetivos  é  o  da  progressão  do  trabalho,  pela  leitura  e  pela  escrita,  de 
textos mais ricos e complexos. É de referir que, neste domínio da Leitura e Escrita, se confere maior 
pertinência  a  determinados  géneros  escolares  e  categorias  de  texto,  na  sequência  do  trabalho 
iniciado,  no  domínio  da  Oralidade,  no  Ciclo  anterior.  São  assim  devidamente  explicitados  no 
Programa  as  categorias  e  os  géneros  textuais  considerados  como  prioritários  no  âmbito  da 
aprendizagem  formal,  ficando  reservada  uma  atenção  mais  genérica,  na  leitura  e  na  escrita,  para 
textos diversos. 
No  domínio  da  Educação  Literária,  no  2.º  Ciclo,  prossegue  o  estudo  de  obras  significativas, 
adequadas  a  esta  faixa  etária,  no  sentido,  sobretudo,  de  que  os  alunos  possam  ir  construindo  e 
consolidando a sua capacidade leitora, nomeadamente em torno dos géneros e textos eleitos, como 
fábulas,  lendas,  contos.  Inicia‐se  formalmente  neste  Ciclo  uma  análise  gradual  dos  recursos 
expressivos, bem como de textos literários com uma maior densificação temática. A Lista de obras e 
textos para Educação Literária é composta por oito títulos por ano de escolaridade. À semelhança do 
1.º Ciclo, também neste fica garantida a escolha pessoal fundamentada pelo aluno. Assim, a leitura 
de  obras  e  textos  constantes  daquela  Lista  será  complementada  com  a  promoção  da  leitura 
autónoma, para a qual são indicadas as listagens do Plano Nacional de Leitura (PNL). 

                                                       19 
Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5. ano
o
5
No  domínio  da  Gramática,  consideram‐se  adquiridos  os  conceitos  relativos  à  fonologia 
adequados  a  estes  níveis  de  ensino,  bem  como  o  essencial  da  representação  gráfica  e 
correspondente  correção  ortográfica  e,  ainda,  as  relações  semânticas  entre  palavras  (sinonímia  e 
antonímia). Torna‐se agora mais sólida a sua aquisição por uma retoma contextualizada e incide‐se 
essencialmente a atenção nas classes de palavras, na morfologia e na sintaxe. Aprofunda‐se, assim, o 
estudo  das  classes  de  palavras,  com  a  retoma,  a  consolidação  e  o  alargamento  em  relação  às 
aprendidas  no  Ciclo  anterior;  incide‐se  de  uma  forma  significativa  no  estudo  da  morfologia,  não 
apenas  no  que  aos  constituintes  da  palavra  e  processos  morfológicos  de  formação  de  palavras  diz 
respeito, mas, sobretudo, nos paradigmas flexionais, cuja cabal compreensão contribui para um uso 
seguro e adequado da língua; e faz‐se uma entrada plena na sintaxe, com o estudo da frase simples e 
correspondentes funções sintáticas dos seus principais termos. No final deste Ciclo, pretende‐se que 
os alunos dominem o essencial dos termos gramaticais adequados a este nível de ensino, tenham já 
um  conhecimento  reflexivo  e  explícito  das  regras  gerais  da  língua  e  das  suas  ocorrências  mais 
frequentes, e apliquem esse conhecimento fazendo um bom uso do português nas diversas situações 
de oralidade, de leitura e de escrita, de forma contextualizada e crítica. 
 

CONTEÚDOS 
No 2.º Ciclo, os domínios de conteúdos são quatro:  
• Oralidade (O)  
• Leitura e Escrita (LE)  
• Educação Literária (EL) 
• Gramática (G) 
 
A  operacionalização  dos  conteúdos  do  Programa  é  definida  nas  Metas  Curriculares.  Os 
objetivos  e  descritores  nelas  indicados  são  obrigatórios  em  cada  ano  de  escolaridade  e  devem 
continuar a ser mobilizados em anos subsequentes sempre que necessário. 
 

                                                       20 
6 Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano
5.º ANO 
 

DOMÍNIO  CONTEÚDOS  METAS 

    (O5) 
  Interação discursiva   
  Princípio de cooperação  3.1 
  ORALI‐
Informação, explicação; pergunta, resposta  3.2, 3.5, 3.6 
DADE 
   
  Interpretação de texto   
(O5)  Intenção  do  locutor;  tema;  assunto;  informação  essencial  e   
  acessória; facto e opinião; deduções  1.1 a 1.6 
  Manifestação de reação pessoal ao texto ouvido  1.7 
Reconto; paráfrase  1.8 
   
Pesquisa e registo de informação  2.1 a 2.3 
   
Produção de texto   
Géneros escolares: apresentação oral; argumentação favorável   
e desfavorável  3.4, 4.1, 4.2 
Planificação do discurso (tópicos)  3.3 
Vocabulário: adequação  3.7 
Estruturas  gramaticais:  concordância,  adequação  de  tempos   

verbais, expressões adverbiais de tempo  3.8 

    (LE5) 
  Fluência de leitura: velocidade, precisão, prosódia   
  Palavras e textos (consolidação e progressão)  5.1, 5.2 
LEITURA     
E  Compreensão de texto   
ESCRITA  Texto de características: narrativas; descritivas  6.1 
  Retrato, texto de enciclopédia e de dicionário, entrevista, texto   
(LE5)  publicitário, notícia, carta  6.1 
  Sínteses  parciais;  questões  intermédias;  antecipação  de   
  conteúdos; foco da pergunta ou da instrução  7.1, 7.2 
Informação essencial e acessória (tomada de notas)  7.3 
Inferências: sentidos contextuais; relacionação de informações;   
relações de semelhança e de oposição  8.1 a 8.3 
Opinião crítica textual e intertextual  10.1, 10.2 
   
Registo e organização da informação   
Aspetos nucleares do texto; intenção do autor  9.2, 9.3 
   
   

                                                       21 
Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 7
Ortografia e caligrafia   
Caligrafia  11.1 
Regras de ortografia e de acentuação  11.2, 13.1 
   
Produção de texto   
Géneros  escolares:  texto  de  características  expositivas  e  texto   
de opinião  15.1, 17.1 
Textos de características: narrativas; descritivas  14.1, 16.1 
Guião de entrevista; carta  18.1, 18.2 
Paráfrase  9.1 
Planificação  de  texto:  registo,  hierarquização  e  articulação  de   
ideias  12.1 
Textualização:  ortografia  e  acentuação;  pontuação  e  tipos  de   
frase;  parágrafos;  construção  frásica  (concordância  entre  os   
elementos  da  frase);  coesão  textual  (repetições,  substituições   
por  sinónimos,  por  expressões  equivalentes  e  por  pronomes   
pessoais,  referência  por  possessivos,  conectores  discursivos);   
vocabulário específico; apresentação do texto  13.1 a 13.7 
Revisão  de  texto:  planificação,  tema,  categoria  ou  género,   
estrutura, correção linguística  19.1 a 19.7 
    (EL5) 
  Leitura e audição   
  Textos da literatura para crianças e jovens, da tradição popular   
EDUCAÇÃO  e  adaptações  de  clássicos  (Lista  em  Anexo);  outros  textos   
LITERÁRIA  literários selecionados (Listagem PNL)  20.1, 22.1, 22.4 
     
(EL5) 
Compreensão de texto   
 
Texto  poético:  estrofe  (terceto,  quadra,  quintilha)  e  verso   
 
rimado e livre; sílaba métrica e sílaba gramatical; tema  20.2 a 20.4 
Texto  narrativo:  personagens  (principal  e  secundária),   
narrador,  contextos  temporal  e  espacial,  ação;  relações  entre   
personagens e entre acontecimentos  20.5, 20.6 
Géneros literários: fábula e lenda  20.9 
Inferências  20.7 
Relações intertextuais: semelhanças e contrastes  21.1 
Sentidos  da  linguagem  figurada;  recursos  expressivos:   
onomatopeia, enumeração, personificação, comparação  20.8 
Expressão de sentimentos, ideias e pontos de vista  20.10, 22.3 
   
Produção expressiva (oral e escrita)   
Leitura e declamação de poema  22.2 
Reescrita de texto com alterações  22.5 
Composição de texto por imitação criativa  22.6 

                                                       22 
8 Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano
    (G5) 
  Classes de palavras   
  Classes de palavras estudadas no ciclo anterior (retoma)1  24.1 
GRAMÁ‐  Verbo: principal e auxiliar (dos tempos compostos)  24.2 
TICA  Advérbio de modo, de tempo, de lugar; interrogativo  24.2 
     
(G5)  Morfologia e Lexicologia   
  Paradigmas flexionais dos verbos regulares  23.3 
  Modos  e  tempos  verbais  (verbos  regulares  e  verbos   
irregulares):  formas  finitas  –  indicativo  (pretérito  mais‐que‐  
perfeito composto); formas não finitas – infinitivo (impessoal) e   
particípio  23.4 
   

Palavras complexas; radical e afixos (alargamento)  23.1 
Derivação de palavras por afixação (prefixação e sufixação)  23.2 
Sinonímia e antonímia (alargamento)  26.1 
Famílias de palavras (alargamento)  26.2 
   
Sintaxe   
Pronome  pessoal  em  adjacência  verbal:  pronomes  átonos  em   
frases afirmativas e negativas  25.1 
Funções  sintáticas:  sujeito  (simples  e  composto),  vocativo,   
complemento direto, complemento indireto  25.2 

                                                            
1
  Nome  (próprio,  comum,  comum  coletivo);  adjetivo  (qualificativo  e  numeral);  advérbio  (de  negação,  de  afirmação,  de 
quantidade  e  grau);  determinante  (artigo  definido  e  indefinido,  demonstrativo  e  possessivo);  pronome  (pessoal, 
demonstrativo e possessivo); quantificador numeral; preposição. 

                                                       23 
Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 9
6.º ANO 
 
DOMÍNIO  CONTEÚDOS  METAS 
    (O6) 
  Interação discursiva   
  Princípio de cooperação  3.3, 3.4 
  ORALI‐    
DADE  Interpretação de texto   
  Informação implícita e explícita  1.1 
(O6)  Deduções e inferências; sentido figurado  1.2, 1.3 
  Manifestação e justificação de reação pessoal ao texto ouvido  1.4 
Síntese  1.5 
   
Pesquisa e registo da informação  2.1, 2.2 
   
Produção de texto   
Géneros escolares: apresentação oral; argumentação  3.2, 4.1 a 4.3 
Planificação do discurso (hierarquização de tópicos)  3.1 
Vocabulário: diversificação e adequação  3.5 
Estruturas  gramaticais:  concordância,  adequação  de  tempos   
verbais, expressões adverbiais, pronominalizações, marcadores   
discursivos  3.6 
    (LE6) 
  Fluência de leitura: velocidade, precisão, prosódia   
  Palavras e textos (consolidação)  5.1, 5.2 
LEITURA     
E  Compreensão de texto   
ESCRITA  Textos de características: narrativas; descritivas  6.1 
  Retrato,  texto  de  enciclopédia  e  de  dicionário,  entrevista  e   
(LE6)  texto publicitário, notícia, carta, roteiro  6.1 
  Sínteses  parciais;  questões  intermédias;  antecipação  de   
  conteúdos  7.1, 8.1 
Informação relevante, factual e não factual  7.2 
Inferências: sentidos contextuais; relacionação de informações  8.2, 8.3 
Estrutura do texto; relações intratextuais de causa – efeito e de   
parte – todo; aspetos nucleares do texto; síntese  9.3 a 9.6 
Opinião crítica textual e intertextual  10.1 a 10.3 
   
Pesquisa, registo e organização da informação  9.1 
   
Produção de texto   
Géneros  escolares:  texto  de  características  expositivas,  texto   
de opinião  14.1, 15.1 

                                                       24 
10 Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano
Texto de características narrativas  13.1 
Resumo  de  texto  de  características  narrativas  e  de  texto  de   
características expositivas  16.1 
Paráfrase  9.2 
Planificação  de  texto:  objetivos,  organização  segundo  a   
categoria  ou  género,  registo,  organização  e  desenvolvimento   
de ideias  11.1 a 11.3 
Textualização:  ortografia,  acentuação,  pontuação  e  sinais   
auxiliares  de  escrita;  construção  frásica  (concordância,   
encadeamento  lógico);  coesão  textual  (retomas  nominais,   
substituições  por  sinónimos  e  expressões  equivalentes  e  por   
pronomes,  ordenação  correlativa  dos  tempos  verbais,   
conectores); marcadores discursivos; vocabulário específico  12.1 a 12.5 
Revisão  de  texto:  planificação,  tema,  categoria  ou  género;   
estrutura  e  desenvolvimento  lógico  do  texto;  correção   
linguística  17.1 a 17.4 

    (EL6) 
  Textos da literatura para crianças e jovens, da tradição popular   
  e  adaptações  de  clássicos  (Lista  em  Anexo);  outros  textos   
EDUCAÇÃO  literários selecionados (Listagem PNL)  18.1, 20.1, 20.4 
LITERÁRIA     
  Compreensão de texto   
(EL6)  Texto  poético:  estrofe,  rima  (toante  e  consoante)  e  esquema   
  rimático (rima emparelhada, cruzada, interpolada)  18.2 
  Texto  dramático:  organização  estrutural  (ato,  cena  e  fala);   
sentido global  18.4, 18.5 
Géneros literários: conto e poema (lírico e narrativo)  18.9 
Relação  entre  partes  do  texto  e  estrutura  global  (modos   
narrativo e lírico)  18.3 
Inferências  18.6 
Comparação de versões de um mesmo texto  18.10 
Literatura, cinema e teatro: relações textuais  19.2 
Universos de referência e valores  19.1 
Recursos expressivos: anáfora, perífrase, metáfora  18.7 
Linguagem: vocabulário, conotações, estrutura do texto  18.8 
Expressão de sentimentos, ideias e pontos de vista  18.11, 20.3 
   
Produção expressiva (oral)   
Leitura dramatizada  20.2 
Apresentação de um texto  20.5 

    (G6) 
GRAMÁ‐  Classes de palavras   
TICA  Verbo: principal (intransitivo e transitivo), copulativo e auxiliar   
  (dos tempos compostos e da passiva)  22.1 

                                                       25 
Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 11
  Determinante interrogativo  22.1 
(G6)  Pronome indefinido  22.1 
  Interjeição  22.1 
   
Morfologia e lexicologia   
Modos  e  tempos  verbais:  formas  finitas  –  condicional  e   
conjuntivo  (presente,  pretérito  imperfeito  e  futuro);  formas   
não finitas – infinitivo (impessoal e pessoal) e gerúndio  21.3 
   

Derivação e composição  21.1, 21.2 
   
Sintaxe   
Pronome pessoal em adjacência verbal em frases que contêm   
uma  palavra  negativa,  frases  iniciadas  por  pronomes  e   
advérbios interrogativos  23.1 
Funções  sintáticas:  predicativo  do  sujeito,  complemento   
oblíquo, complemento agente da passiva e modificador  23.2 
Complemento  direto  e  complemento  indireto  e  pronomes   
correspondentes  23.3 
Frase ativa e frase passiva  23.4 
Discurso direto e discurso indireto  23.5 
Frase simples e frase complexa  23.6 

                                                       26 
12 Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano
METAS CURRICULARES DE PORTUGUÊS – 2.º CICLO 
5.º ANO 
 
Domínios de Referência, Objetivos e Descritores de Desempenho 
 
Os  objetivos  e  descritores  indicados  em  cada  ano  de  escolaridade  são  obrigatórios.  Sempre 
que necessário, devem continuar a ser mobilizados em anos subsequentes. 
 
__________________________________________________________________________________ 
ORALIDADE O5 
 
1.  Interpretar textos orais breves. 
1.  Indicar a intenção do locutor. 
2.  Referir o tema. 
3.  Explicitar o assunto. 
4.  Distinguir informação essencial de acessória. 
5.  Distinguir facto de opinião. 
6.  Fazer deduções. 
7.  Manifestar a reação pessoal ao texto ouvido. 
8.  Reformular enunciados ouvidos com recurso ao reconto ou à paráfrase. 
 
2.  Utilizar procedimentos para registar e reter a informação. 
1. Preencher grelhas de registo. 
2. Tomar notas. 
3. Pedir informações ou explicações complementares. 
 
3.  Produzir textos orais com diferentes finalidades e com coerência. 
1.  Usar oportunamente a palavra, de modo audível, com boa dicção e olhando para o 
interlocutor. 
2.  Informar, explicar. 
3.  Planificar um discurso oral definindo alguns tópicos de suporte a essa comunicação. 
4.  Fazer  uma  apresentação  oral  (máximo  de  3  minutos)  sobre  um  tema,  com  recurso 
eventual a tecnologias de informação. 
5.  Fazer perguntas sobre a apresentação de um trabalho de colegas. 
6.  Respeitar princípios reguladores da interação discursiva, na produção de enunciados 
de resposta e na colocação de perguntas. 
7.  Usar um vocabulário adequado ao assunto. 
8.  Controlar  estruturas  gramaticais  correntes  (concordâncias,  adequação  de  tempos 
verbais e expressões adverbiais de tempo). 
 
4.  Apresentar argumentos. 
1.  Construir  uma  argumentação  simples  (por  exemplo,  em  2  a  3  minutos,  breve 
exposição de razões para uma opinião ou atitude). 

                                                       64 
Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 13
2.  Enunciar argumentos em defesa de duas opiniões contrárias (dois argumentos para 
cada posição) sobre um mesmo tema, proposto pelo professor. 
 
__________________________________________________________________________________ 
LEITURA E ESCRITA LE5 
 
5.  Ler em voz alta palavras e textos. 
1.  Ler corretamente, por minuto, um mínimo de 110 palavras, de uma lista de palavras 
de um texto, apresentadas quase aleatoriamente. 
2.  Ler um texto com articulação e entoação corretas e uma velocidade de leitura de, no 
mínimo, 140 palavras por minuto. 
 
6.  Ler textos diversos. 
1.  Ler  textos  narrativos,  descritivos;  retrato,  textos  de  enciclopédia  e  de  dicionário, 
entrevistas, texto publicitário, notícias, cartas. 
2.  Ler roteiros e sumários.1 
 
7.  Compreender o sentido dos textos. 
1.  Realizar,  ao  longo  da  leitura  de  textos  longos,  sínteses  parciais  (de  parágrafos  ou 
secções),  formular  questões  intermédias  e  enunciar  expectativas  e  direções 
possíveis. 
2.  Detetar  o  foco  da  pergunta  ou  instrução  em  textos  que  contêm  instruções  para 
concretização de tarefas. 
3.  Detetar e distinguir entre informação essencial e acessória, tomando notas. 
 
8.  Fazer inferências a partir da informação contida no texto. 
1.  Identificar  pelo  contexto  o  sentido  de  palavras,  expressões  ou  fraseologias 
desconhecidas, incluindo provérbios. 
2.  Pôr em relação duas informações para inferir delas uma terceira. 
3.  Pôr  em  evidência  relações  intratextuais  de  semelhança  ou  de  oposição  entre 
acontecimentos e entre sentimentos. 
 
9.  Organizar a informação contida no texto. 
1.  Parafrasear períodos de textos lidos. 
2.  Indicar  os  aspetos  nucleares  do  texto,  respeitando  a  articulação  dos  factos  ou  das 
ideias, assim como o sentido do texto. 
3.  Indicar a intenção do autor, justificando a partir de elementos do texto. 
 
10.  Avaliar criticamente textos. 
1.  Exprimir  uma  opinião  crítica  a  respeito  de  ações  das  personagens  ou  de  outras 
informações que possam ser objeto de juízos de valor. 
2.  Exprimir uma breve opinião crítica a respeito de um texto e compará‐lo com outros já 
lidos ou conhecidos. 
                                                            
1
 Opcional. 

                                                       65 
14 Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano
 
11.  Desenvolver o conhecimento da ortografia. 
1.  Desenvolver e aperfeiçoar uma caligrafia legível. 
2.  Explicitar e aplicar as regras de ortografia e acentuação. 
 
12.  Planificar a escrita de textos. 
1.  Registar ideias relacionadas com o tema, hierarquizá‐las e articulá‐las devidamente. 
 
13.  Redigir corretamente. 
1.  Respeitar as regras de ortografia e de acentuação. 
2.  Aplicar  regras  de  uso  de  sinais  de  pontuação  para  representar  tipos  de  frase  e 
movimentos  sintáticos  básicos  (enumeração,  delimitação  do  vocativo,  encaixe, 
separação de orações). 
3.  Utilizar e marcar adequadamente parágrafos. 
4.  Controlar  estruturas  gramaticais  correntes  (concordâncias,  adequação  de  tempos 
verbais e expressões adverbiais de tempo). 
5.  Construir  dispositivos  de  encadeamento  (crono)lógico,  de  retoma  e  de  substituição 
que assegurem a coesão e a continuidade de sentido (  repetições;  substituições  por 
sinónimos,  por  expressões  equivalentes  e  por  pronomes  pessoais;  referência  por 
possessivos; uso de conectores adequados). 
6.  Utilizar vocabulário específico do assunto que está a ser tratado. 
7.  Cuidar da apresentação final do texto. 
 
14.  Escrever textos narrativos. 
1.  Escrever  pequenos  textos,  integrando  os  elementos  quem,  quando,  onde,  o  quê, 
como, porquê e respeitando uma sequência que contemple: apresentação do cenário 
(tempo  e  lugar)  e  das  personagens;  acontecimento  desencadeador  da  ação;  ação; 
conclusão; emoções ou sentimentos provocados pelo desfecho da narrativa. 
 
15.  Escrever textos expositivos/informativos. 
1.  Escrever pequenos textos com uma introdução ao tópico; o desenvolvimento deste, 
com a informação agrupada em parágrafos; e uma conclusão. 
 
16.  Escrever textos descritivos. 
1.  Escrever  descrições  de  pessoas,  objetos  ou  paisagens,  referindo  características 
essenciais e encadeando logicamente os elementos selecionados. 
 
17.  Escrever textos de opinião. 
1.  Escrever  textos  com  a  tomada  de  uma  posição  e  apresentando,  pelo  menos,  duas 
razões que a justifiquem e uma conclusão coerente. 
 
18.  Escrever textos diversos. 
1. Escrever guiões de entrevista e cartas. 

                                                       66 

Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 15


2. Escrever convites.1 
 
19.  Rever textos escritos. 
1.  Verificar se o texto respeita o tema proposto. 
2.  Verificar se o texto obedece à categoria ou ao género indicados. 
3.  Verificar se o texto contém as ideias previstas na planificação. 
4.  Verificar  se  o  texto  inclui  as  partes  necessárias  e  se  estas  estão  devidamente 
ordenadas. 
5.  Verificar se há repetições que possam ser evitadas. 
6.  Corrigir o que se revelar necessário, substituindo o que estiver incorreto. 
7.  Verificar a correção linguística. 
 
__________________________________________________________________________________ 
EDUCAÇÃO LITERÁRIA EL5 
 
20.  Ler e interpretar textos literários. (v. Lista em Anexo) 
1.  Ler  e  ouvir  ler  textos  da  literatura  para  crianças  e  jovens,  da  tradição  popular,  e 
adaptações de clássicos. 
2.  Identificar  marcas  formais  do  texto  poético:  estrofe  (terceto,  quadra,  quintilha)  e 
verso (rimado e livre). 
3.  Distinguir sílaba métrica de sílaba gramatical e segmentar versos por sílaba métrica, 
reconhecendo o contributo desta para a construção do ritmo do verso. 
4.  Identificar temas dominantes do texto poético. 
5.  Reconhecer  a  estrutura  e  elementos  constitutivos  do  texto  narrativo:  personagens 
(principal  e  secundárias);  narrador;  contextos  temporal  e  espacial,  ação  (situação 
inicial, desenvolvimento da ação – peripécias, problemas e sua resolução). 
6.  Compreender relações entre personagens e entre acontecimentos. 
7.  Fazer inferências. 
8.  Aperceber‐se  de  recursos  utilizados  na  construção  dos  textos  literários  (linguagem 
figurada;  recursos  expressivos  –  onomatopeia,  enumeração,  personificação, 
comparação) e justificar a sua utilização. 
9.  Distinguir, a partir de critérios dados, os seguintes géneros: fábula e lenda. 
10.  Responder, de forma completa, a questões sobre os textos. 
 
21.  Tomar consciência do modo como os temas, as experiências e os valores são representados 
nos textos literários. (v. Lista em Anexo e Listagem PNL) 
1.  Identificar  relações,  formais  ou  de  sentido,  entre  vários  textos,  estabelecendo 
semelhanças ou contrastes. 
 
22.  Ler e escrever para fruição estética. (v. Lista em Anexo e Listagem PNL) 
1.  Ler  e  ouvir  ler  textos  da  literatura  para  crianças  e  jovens,  da  tradição  popular,  e 
adaptações de clássicos. 
2.  Ler, memorizar e recitar poemas, com ritmo e entoação adequados. 
                                                            
1
 Opcional. 

                                                       67 
16 Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano
3.  Expressar  sentimentos,  ideias  e  pontos  de  vista  provocados  pela  leitura  do  texto 
literário. 
4.  Selecionar e fazer a leitura autónoma de obras, por iniciativa própria. 
5.  Reescrever  um  texto,  mudando  de  pessoa  (narração  de  1.ª  para  3.ª  pessoa  e  vice‐
versa) ou escolhendo as diferentes perspetivas das personagens. 
6.  Compor  textos  (por  exemplo,  poemas,  histórias),  por  imitação  criativa,  para 
expressar sensibilidade e imaginação. 
 
__________________________________________________________________________________ 
GRAMÁTICA G5 
 
23.  Explicitar aspetos fundamentais da morfologia. 
1. Deduzir  o  significado  de  palavras  complexas  a  partir  dos  elementos  constitutivos 
(radical e afixos). 
2. Detetar processos de derivação de palavras por afixação (prefixação e sufixação). 
3. Reconhecer e sistematizar paradigmas flexionais dos verbos regulares. 
4. Identificar  e  usar  os  seguintes  modos  e  tempos  dos  verbos  regulares  e  de  verbos 
irregulares de uso mais frequente: 
a) formas finitas – indicativo (presente, pretérito perfeito, pretérito imperfeito, 
pretérito mais‐que‐perfeito composto e futuro) e imperativo; 
b) formas não finitas – infinitivo (impessoal) e particípio. 
 
24.  Reconhecer e conhecer classes de palavras. 
1.  Reconhecer as classes de palavras estudadas no ciclo anterior (retoma).1 
2.  Integrar as palavras nas classes a que pertencem:  
a)  verbo: principal e auxiliar (dos tempos compostos); 
b)  advérbio: de modo, de tempo e de lugar; interrogativo. 
 
25.  Analisar e estruturar unidades sintáticas. 
1.  Aplicar  regras  de  utilização  do  pronome  pessoal  em  adjacência  verbal,  colocando 
corretamente os pronomes átonos em frases afirmativas e negativas. 
2.  Identificar  as  seguintes  funções  sintáticas:  sujeito  (simples  e  composto),  vocativo, 
predicado, complemento direto, complemento indireto. 
 
26.  Reconhecer propriedades das palavras e formas de organização do léxico. 
1.  Identificar  e  estabelecer  relações  de  significado  entre  palavras:  sinonímia  e 
antonímia. 
2.  Identificar e organizar famílias de palavras. 
 

                                                            
1
  Nome  (próprio,  comum,  comum  coletivo);  adjetivo  (qualificativo  e  numeral);  advérbio  (de  negação,  de  afirmação,  de 
quantidade  e  grau);  determinante  (artigo  definido  e  indefinido,  demonstrativo  e  possessivo);  pronome  (pessoal, 
demonstrativo e possessivo); quantificador numeral; preposição. 

                                                       68 
Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 17
METAS CURRICULARES DE PORTUGUÊS – 2.º CICLO 
6.º ANO 
 
Domínios de Referência, Objetivos e Descritores de Desempenho 
 
Os  objetivos  e  descritores  indicados  em  cada  ano  de  escolaridade  são  obrigatórios.  Sempre 
que necessário, devem continuar a ser mobilizados em anos subsequentes. 
 
__________________________________________________________________________________ 
ORALIDADE O6 
 
1.  Interpretar textos orais breves. 
1.  Distinguir informação implícita e informação explícita. 
2.  Fazer deduções e inferências. 
3.  Explicitar o significado de expressões de sentido figurado. 
4.  Manifestar, justificando, a reação pessoal ao texto ouvido. 
5.  Sintetizar enunciados ouvidos. 
 
2.  Utilizar procedimentos para registar e reter a informação. 
1. Preencher grelhas de registo. 
2. Tomar notas e registar tópicos. 
 
3.  Produzir textos orais com diferentes finalidades e com coerência. 
1.  Planificar um discurso oral, definindo alguns tópicos de suporte a essa comunicação e 
hierarquizando a informação essencial. 
2.  Fazer  uma  apresentação  oral  (máximo  de  4  minutos)  sobre  um  tema,  distinguindo 
introdução e fecho, com recurso eventual a tecnologias de informação. 
3.  Captar e manter a atenção de diferentes audiências (com adequação de movimentos, 
gestos e expressão facial, do tom de voz, das pausas, da entoação e do ritmo). 
4.  Respeitar  princípios  reguladores  da  interação  discursiva,  na  formulação  de  pedidos 
(com  uso  apropriado  dos  modos  imperativo,  indicativo  e  conjuntivo),  na 
apresentação de factos e de opiniões. 
5.  Tratar um assunto com vocabulário diversificado e adequado. 
6.  Controlar  estruturas  gramaticais  correntes  e  algumas  estruturas  gramaticais 
complexas (pronominalizações; uso de marcadores discursivos). 
 
4.  Compreender e apresentar argumentos. 
1.  Identificar argumentos que fundamentam uma opinião. 
2.  Justificar pontos de vista. 
3.  Construir uma argumentação em defesa de uma posição e outra argumentação em 
defesa do seu contrário (dois argumentos para cada posição) sobre um mesmo tema, 
proposto pelo professor. 
 
 

                                                       69 
18 Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano
__________________________________________________________________________________ 
LEITURA E ESCRITA LE6 
 
5.  Ler em voz alta palavras e textos. 
1.  Ler corretamente, por minuto, um mínimo de 120 palavras, de uma lista de palavras 
de um texto, apresentadas quase aleatoriamente. 
2.  Ler um texto com articulação e entoação corretas e uma velocidade de leitura de, no 
mínimo, 150 palavras por minuto. 
 
6.  Ler textos diversos. 
1. Ler  textos  narrativos,  descrições;  retrato,  textos  de  enciclopédia  e  de  dicionário, 
entrevistas, texto publicitário, notícias, cartas e roteiros. 
2. Ler sumários.1 
 
7.  Compreender o sentido dos textos. 
1.  Realizar,  ao  longo  da  leitura  de  textos  longos,  sínteses  parciais  (de  parágrafos  ou 
secções),  formular  questões  intermédias  e  enunciar  expectativas  e  direções 
possíveis.  
2.  Detetar  informação  relevante,  factual  e  não  factual,  tomando  notas  (usar  títulos 
intermédios, colocar perguntas, retirar conclusões). 
 
8.  Fazer inferências a partir da informação prévia ou contida no texto. 
1.  Antecipar  o  assunto,  mobilizando  conhecimentos  prévios  com  base  em  elementos 
paratextuais  (por  exemplo,  deteção  de  título,  subtítulo,  autor,  ilustrador,  capítulos, 
configuração da página, imagens). 
2.  Identificar,  pelo  contexto,  o  sentido  de  palavras,  expressões  ou  fraseologias 
desconhecidas, incluindo provérbios e expressões idiomáticas. 
3.  Pôr em relação duas informações para inferir delas uma terceira. 
4.  Extrair o pressuposto de um enunciado2. 
 
9.  Organizar a informação contida no texto. 
1.  Procurar,  recolher,  selecionar  e  organizar  informação,  com  vista  à  construção  de 
conhecimento  (de  acordo  com  objetivos  pré‐definidos  e  com  supervisão  do 
professor). 
2.  Parafrasear períodos ou parágrafos de um texto. 
3.  Relacionar a estrutura do texto com a intenção e o conteúdo do mesmo. 
4.  Distinguir relações intratextuais de causa – efeito e de parte – todo. 
5.  Indicar os aspetos nucleares do texto de maneira rigorosa, respeitando a articulação 
dos factos ou das ideias assim como o sentido do texto e as intenções do autor. 
6.  Explicitar, de maneira sintética, o sentido global de um texto. 
 
 
                                                            
1
 Opcional. 
2
 Opcional. 

                                                       70 
Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 19
 
10.  Avaliar criticamente textos. 
1.  Exprimir  uma  opinião  crítica  a  respeito  de  ações  das  personagens  ou  de  outras 
informações que possam ser objeto de juízos de valor. 
2.  Fazer apreciações críticas sobre os textos lidos (por exemplo, se o tema e o assunto 
são interessantes e porquê; se a conclusão é lógica; se concorda com o desenlace ou 
discorda dele e porquê; que alternativa sugere). 
3.  Exprimir uma opinião crítica a respeito de um texto e compará‐lo com outros já lidos 
ou conhecidos. 
 
11.  Planificar a escrita de textos. 
1.  Estabelecer objetivos para o que pretende escrever. 
2.  Organizar informação segundo a categoria e o género indicados. 
3.  Registar ideias, organizá‐las e desenvolvê‐las. 
 
12.  Redigir corretamente. 
1. Respeitar as regras de ortografia, de acentuação, de pontuação e os sinais auxiliares 
de escrita. 
2.  Controlar e mobilizar estruturas gramaticais adequadas. 
3.  Construir  dispositivos  de  encadeamento  lógico,  de  retoma  e  de  substituição  que 
assegurem a coesão e a continuidade  de sentido, nomeadamente substituições por 
pronomes (pessoais, demonstrativos); ordenação correlativa dos tempos verbais; uso 
de conectores adequados. 
4.  Utilizar unidades linguísticas com diferentes funções na cadeia discursiva: ordenação, 
explicitação e retificação, reforço argumentativo e concretização. 
5.  Usar vocabulário específico do assunto que  está a ser tratado, tendo em atenção a 
riqueza vocabular, campos lexicais e semânticos. 
 
13.  Escrever textos narrativos. 
1.  Escrever  textos,  integrando  os  seus  elementos  numa  sequência  lógica,  com  nexos 
causais, e usando o diálogo e a descrição. 
 
14.  Escrever textos expositivos/informativos. 
1.  Escrever pequenos textos com uma introdução ao tópico; o desenvolvimento deste, 
com  a  informação  agrupada  em  parágrafos,  apresentando  factos,  definições  e 
exemplos; e uma conclusão. 
 
15.  Escrever textos de opinião. 
1.  Escrever textos com a tomada de uma posição, a apresentação de, pelo menos, três 
razões  que  a  justifiquem,  com  uma  explicação  dessas  razões,  e  uma  conclusão 
coerente. 
 
16.  Escrever textos diversos. 
1. Resumir textos narrativos e expositivos/informativos. 

                                                       71 

20 Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


2. Escrever textos biográficos, cartas, sumários, relatórios.1 
 
17.  Rever textos escritos. 
1.  Verificar  se  o  texto  respeita  o  tema,  a  categoria  ou  género  indicados  e  as  ideias 
previstas na planificação. 
2.  Verificar  se  os  textos  escritos  incluem  as  partes  necessárias,  se  estas  estão 
devidamente ordenadas e se a informação do texto avança. 
3.  Corrigir  o  que,  no  texto  escrito,  se  revelar  necessário,  condensando,  suprimindo, 
reordenando e reescrevendo o que estiver incorreto. 
4.  Verificar a correção linguística. 
 
__________________________________________________________________________________ 
EDUCAÇÃO LITERÁRIA EL6 
 
18.  Ler e interpretar textos literários. (v. Lista em Anexo) 
1.  Ler textos da literatura para crianças e jovens, da tradição popular, e adaptações de 
clássicos. 
2.  Identificar  marcas  formais  do  texto  poético:  estrofe,  rima  (toante  e  consoante)  e 
esquema rimático (rima emparelhada, cruzada, interpolada). 
3.  Relacionar partes do texto (modos narrativo e lírico) com a sua estrutura global. 
4.  Reconhecer, na organização estrutural do texto dramático, ato, cena e fala. 
5.  Expor o sentido global de um texto dramático. 
6.  Fazer inferências. 
7.  Aperceber‐se  de  recursos  expressivos  utilizados  na  construção  dos  textos  literários 
(anáfora, perífrase, metáfora) e justificar a sua utilização. 
8.  Manifestar‐se  em  relação  a  aspetos  da  linguagem  que  conferem  a  um  texto 
qualidade literária (por exemplo, vocabulário, conotações, estrutura). 
9.  Distinguir os seguintes géneros: conto, poema (lírico e narrativo). 
10.  Comparar versões de um texto e referir diferenças. 
11.  Responder, de forma completa, a questões sobre os textos. 
 
19.  Tomar consciência do modo como os temas, as experiências e os valores são representados 
nos textos literários. (v. Lista em Anexo e Listagem PNL) 
1.  Identificar  os  contextos  a  que  o  texto  se  reporta,  designadamente  os  diferentes 
contextos históricos e a representação de mundos imaginários. 
2.  Relacionar a literatura com outras formas de ficção (cinema, teatro). 
 
20.  Ler e escrever para fruição estética. (v. Lista em Anexo e Listagem PNL) 
1.  Ler textos da literatura para crianças e jovens, da tradição popular, e adaptações de 
clássicos. 
2.  Fazer leitura dramatizada de textos literários. 
3.  Expressar,  oralmente  ou  por  escrito,  ideias,  sentimentos  e  pontos  de  vista 
provocados pela leitura do texto literário. 
                                                            
1
 Opcional. 

                                                       72 
Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 21
4.  Selecionar e fazer leitura autónoma de obras, por iniciativa própria. 
5.  Fazer uma breve apresentação oral (máximo de 3 minutos) de um texto lido. 
 
__________________________________________________________________________________ 
GRAMÁTICA G6 
 
21.  Explicitar aspetos fundamentais da morfologia e da lexicologia. 
1.  Distinguir regras de formação de palavras por composição (de palavras e de radicais). 
2.  Distinguir derivação de composição. 
3.  Identificar e usar os seguintes modos e tempos verbais: 
a)  formas  finitas  –  condicional  e  conjuntivo  (presente,  pretérito  imperfeito  e 
futuro); 
b)  formas não finitas – infinitivo (impessoal e pessoal) e gerúndio. 
 
22.  Conhecer classes de palavras. 
1.  Integrar as palavras nas classes a que pertencem: 
a)  verbo:  principal  (intransitivo  e  transitivo),  copulativo  e  auxiliar  (dos  tempos 
compostos e da passiva); 
b)  determinante interrogativo; 
c)  pronome indefinido; 
d)  interjeição. 
 
23.  Analisar e estruturar unidades sintáticas. 
1.  Aplicar  regras  de  utilização  do  pronome  pessoal  em  adjacência  verbal,  colocando‐o 
corretamente nas seguintes situações: em frases que contêm uma palavra negativa; 
em frases iniciadas por pronomes e advérbios interrogativos. 
2.  Identificar  as  seguintes  funções  sintáticas:  predicativo  do  sujeito,  complemento 
oblíquo, complemento agente da passiva e modificador. 
3.  Substituir o complemento direto e o indireto pelos pronomes correspondentes. 
4.  Transformar frases ativas em frases passivas e vice‐versa. 
5.  Transformar  discurso  direto  em  discurso  indireto  e  vice‐versa,  quer  no  modo  oral 
quer no modo escrito. 
6.  Distinguir frase complexa de frase simples. 
 

                                                       73 
22 Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano
LISTA DE OBRAS E TEXTOS PARA EDUCAÇÃO LITERÁRIA – 5.º ANO 
 
1  Escolher 6 poemas das seguintes obras: 

Álvaro Magalhães    O Limpa‐Palavras e outros Poemas 
Luísa Ducla Soares    A Cavalo no Tempo 
 
2  Alves Redol      A Vida Mágica da Sementinha 
 
3  Ilse Losa      O Príncipe Nabo 
 
4  Gentil Marques     “A lenda do milagre das rosas”, “A lenda das três Mouras  
encantadas”,  “A  lenda  da  Batalha  de  Ourique”,  “A  lenda  da 
Serra da Estrela”, “A lenda da Senhora da Nazaré”, “A lenda 
das amendoeiras”                 (escolher 3 lendas) 
OU 
João Pedro Mésseder e Isabel Ramalhete (sel., adapt., reconto)  Contos e Lendas de Portugal 
e do Mundo                 (escolher 3 contos ou lendas) 
 
5  Manuel António Pina    O Pássaro da Cabeça 
 
6  Sophia de M. B. Andresen  A Fada Oriana 
OU 
O Rapaz de Bronze 
 
7  La Fontaine      “A Cigarra e a Formiga”, “O Lobo e a Raposa”, “A Raposa e as 
Uvas”, “A Raposa e a Cegonha”, “O Leão e o Rato”, “O Velho,  
o Rapaz e o Burro”, “A Galinha dos Ovos de Oiro”, “A Lebre e 
a Tartaruga” in Fábulas               (escolher 4 fábulas) 
OU 
Esopo        Fábulas de Esopo                (escolher 4 fábulas) 
 
8  Virginia Woolf      A Viúva e o Papagaio 

                                                       94 

Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 23


LISTA DE OBRAS E TEXTOS PARA EDUCAÇÃO LITERÁRIA – 6.º ANO 
 
1  Alice Vieira      Rosa, minha Irmã Rosa 
OU 
Chocolate à Chuva 
  OU 
  António Mota      Pedro Alecrim 
 
2  Almeida Garrett    “A Nau Catrineta”; “A Bela Infanta” in Romanceiro 
 
3  António Sérgio      Contos Gregos 
  OU 
Maria Alberta Menéres   Ulisses 
 
4  Manuel Alegre      As Naus de Verde Pinho. Viagem de Bartolomeu Dias… 
 
5  Manuel António Pina    Os Piratas – Teatro 
 
6  Sophia de Mello Breyner Andresen (sel.) Primeiro Livro de Poesia     (escolher 6 poemas de autores 
                             portugueses e 6 poemas de autores lusófonos) 

 
7  Irmãos Grimm      Contos de Grimm (trad. Graça Vilhena ou Maria José Costa ou 
Teresa Aica Bairos)                 (escolher 2 contos) 
 
8  Escolher 4 textos1: 
Daniel Defoe      Robinson Crusoé (adapt. John Lang) 
Ali Babá e os Quarenta Ladrões (adapt. António Pescada) 

                                                            
1
  Neste  contexto,  o  termo  “texto”  refere‐se  a  excertos  que  tenham  unidade,  algum  tipo  de  autonomia  temática  e  uma 
extensão de, pelo menos, duas páginas. 

                                                       95 

24 Fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Planificação anual

Domínios de conteúdos Tempo


Objetivos Recursos o
Oralidade (O5), Leitura e Escrita (LE5), Educação Literária (EL5) Gramática 1. Período
ORALIDADE Unidade 0 – Ponto de partida Manual: ____ aulas
1. Interpretar textos Unidade 1 – Textos narrativos Vol. 1 pp. 9-56
orais breves. 1 No tempo em que os animais falavam – fábulas e outros textos Guias de oralidade, escrita
2. Utilizar o e gramática, pp. 209-240
procedimentos para O5 Revisões do 1. Ciclo ____ aulas
Interação discursiva em atividades de pré-leitura Sílabas Vol. 2
registar e reter a Guião de leitura e Obras
informação. Audição de textos Nome: próprio e comum
Argumentação, descrição (coletivo); flexão e variação para leitura autónoma
3. Produzir textos orais
com diferentes LE5 Determinante: artigo, Caderno de Atividades
finalidades e com Leitura de textos expositivos e informativos, provérbios, banda desenhada demonstrativo e possessivo
Escrita, revisão e reescrita de narrativas, texto informativo, texto expositivo Pronome: pessoal, Dossier de Recursos
coerência. do Professor: testes de
4. Apresentar EL5 demonstrativo e possessivo
Fábulas e outros textos narrativos Adjetivo: qualificativo e avaliação, fichas de trabalho
argumentos.
Elementos constitutivos da narrativa numeral; flexão e variação Jogo: Palavra Mágica
Personificação, comparação Família de palavras
LEITURA E ESCRITA
5. Ler em voz alta Expressão de pontos de vista
Relação entre textos
palavras e textos.
6. Ler textos diversos. Reescrita de texto
7. Compreender o Leitura integral de A viúva e o papagaio, Virginia Woolf
sentido dos textos. ____ aulas
Unidade 1 – Textos narrativos
8. Fazer inferências a
2 Histórias com barbas – contos, lendas e outros textos
partir da informação
contida no texto. O5 Quantificador Manual:
9. Organizar a Interação discursiva em atividades de pré-leitura Preposição Vol. 1 pp. 57-102
informação contida Audição de textos e registo de informações (notas e grelha de registo) Advérbio Guias de oralidade, escrita

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


no texto. Argumentação, explicação, reconto, apresentação oral Verbo: infinitivo impessoal e e gramática, pp. 209-240
10. Avaliar criticamente LE5 particípio, regular e irregular, Vol. 2
textos. Leitura de textos de enciclopédia, textos de dicionário, diálogo principal e auxiliar Guião de leitura e Obras
11. Desenvolver o Escrita, revisão e reescrita de narrativas, texto de opinião Tempos do modo indicativo para leitura autónoma
conhecimento da EL5 Palavra simples e palavra
Contos tradicionais, lendas e outros textos narrativos complexa Caderno de Atividades
ortografia.
12. Planificar a escrita Elementos constitutivos da narrativa Classes de palavras (revisões) Dossier de Recursos
de textos. Relação entre textos do Professor: testes de
Expressão de pontos de vista avaliação, fichas de trabalho
Escrita de reconto, imitação criativa de lenda, reescrita de texto com alterações
Jogo: Palavra Mágica
Leitura integral de A vida mágica da Sementinha, Alves Redol

25
26
Domínios de conteúdos Tempo
Objetivos Recursos o
Oralidade (O5), Leitura e Escrita (LE5), Educação Literária (EL5) Gramática 2. Período
13. Redigir Unidade 1 – Textos narrativos Manual: ____ aulas
corretamente. 3 Somos feitos de histórias – textos narrativos de autor e outros textos Vol. 1 pp. 103-139
14. Escrever textos Guias de oralidade, escrita
O5 Verbo: modo imperativo ____ aulas
narrativos. Interação discursiva em atividades de pré-leitura e gramática, pp. 209-240
Sujeito e predicado
15. Escrever textos Audição de textos e registo de informações (notas e grelha de registo) Vol. 2
expositivos/ Complemento direto
Apresentação oral, pontos de vista, troca de impressões Guião de leitura e Obras
informativos. LE5 e complemento indireto
para leitura autónoma
16. Escrever textos Leitura de textos de dicionário, sequências descritivas Vocativo
descritivos. Escrita, revisão e reescrita de retrato, paráfrase, texto de opinião, descrição de um lugar Caderno de Atividades
Discurso direto e discurso
17. Escrever textos de EL5
indireto Dossier de Recursos
opinião. Textos narrativos de autor, elementos constitutivos da narrativa
Enumeração, onomatopeia Tipos de frase do Professor: testes de
18. Escrever textos avaliação, fichas de trabalho
Expressão de pontos de vista Frase afirmativa e frase
diversos.
Escrita de reconto, reescrita de texto com alterações negativa
19. Rever textos escritos. Jogo: Palavra Mágica
Sinónimos e antónimos
Leitura integral de O Rapaz de Bronze, Sophia de Mello Breyner Andresen
EDUCAÇÃO LITERÁRIA ou O pronome pessoal átono
20. Ler e interpretar Leitura integral de A Fada Oriana, Sophia de Mello Breyner Andresen e o verbo
textos literários.
Unidade 2 – Textos poéticos ____ aulas
21. Tomar consciência
Apanha-me um poeta – poemas e outros textos
do modo como os
temas, as O5 Prefixação e sufixação Manual:
experiências e os Interação discursiva em atividades de pré-leitura Advérbio e tipos de frase Vol. 1 pp. 140-171
valores são Audição de texto biográfico, registo de informações Guias de oralidade, escrita
(revisões)
LE5 e gramática, pp. 209-240
representados nos Sujeito e vocativo (revisões)
Leitura de diálogo, texto descritivo, texto de enciclopédia, texto expositivo
textos literários. Vol. 2

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Escrita, revisão e reescrita de retrato, texto expositivo Sufixação (revisões)
Reescrita de carta, diálogo Guião de leitura e Obras
GRAMÁTICA EL5 Formas dos pronomes pessoais para leitura autónoma
23. Explicitar aspetos Texto poético, verso, estrofe, terceto, quadra, quintilha, verso rimado e verso livre, átonos (revisões)
fundamentais da rima, sílaba gramatical e sílaba métrica, sujeito poético Caderno de Atividades
morfologia. Poema narrativo Dossier de Recursos
24. Reconhecer e Linguagem figurada, recursos expressivos do Professor: testes de
conhecer classes de Relação entre textos
avaliação, fichas de trabalho
palavras. Expressão de pontos de vista
Recitação, leitura coletiva Jogo: Palavra Mágica
Escrita de textos por imitação, reescrita de texto com alterações
Leitura integral de O pássaro da cabeça e mais versos para crianças, Manuel
António Pina
Domínios de conteúdos Tempo
Objetivos Recursos o
Oralidade (O5), Leitura e Escrita (LE5), Educação Literária (EL5) Gramática 3. Período
25. Analisar e estruturar Unidade 3 – Textos dramáticos Manual: ____ aulas
unidades sintáticas. Um pé no palco – textos de teatro e outros textos Vol. 1 pp. 172-187
26. Reconhecer Guias de oralidade, escrita
O5 Formas contraídas dos pronomes ____ aulas
propriedades das e gramática, pp. 209-240
palavras e formas de Audição de texto informativo, seleção e registo de informações pessoais (revisões)
LE5 Vol. 2
organização do Complemento direto e
Leitura de sequências descritivas Guião de leitura e Obras
léxico. complemento indireto (revisões) para leitura autónoma
Escrita, revisão e reescrita de descrição de um objeto
Discurso direto e discurso
EL5 Caderno de Atividades
indireto (revisões)
Texto dramático, elementos constitutivos, configuração gráfica, fala e indicação cénica
Linguagem figurada, recursos expressivos Dossier de Recursos
Relação entre textos do Professor: testes de
Escrita por imitação criativa avaliação, fichas de trabalho
Poema Jogo: Palavra Mágica
Banda desenhada
Expressão de pontos de vista
Interação oral
Leitura integral de O Príncipe Nabo, Ilse Losa

Unidade 4 – Textos não literários ____ aulas


O mundo à nossa volta – textos de imprensa e outros textos
O5 Tempos do modo indicativo Manual:
Audição de notícia, entrevista, anúncio (revisões) Vol. 1 pp. 188-208
Registo de informações Pronomes pessoais (revisões) Guias de oralidade, escrita
LE5 e gramática, pp. 209-240

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Advérbio (revisões)
Sumário Vol. 2
Notícias Preposição (revisões)
Obras para leitura
Entrevistas autónoma
Anúncios publicitários
Roteiro / texto descritivo Caderno de Atividades
Texto expositivo Dossier de Recursos
Carta do Professor: testes de
Expressão de pontos de vista avaliação, fichas de trabalho
Escrita, revisão e reescrita de parágrafos informativos, guiões de entrevista, frases
publicitárias, descrição de paisagem, carta Jogo: Palavra Mágica

27
Planificação por unidade

28
PONTO DE PARTIDA 1.o período - _____ semanas

Atividades iniciais
Conhece os colegas p. 10
Organiza-te no estudo p. 10
Conhece o teu manual de Português p. 11

Revisões do 1.o Ciclo _______ aulas

Domínios de conteúdos
Objetivos e Descritores Recursos
Oralidade Leitura e Escrita Educação Literária Gramática
O5 1.3, 1.4, 1.7, 2.1 Texto de documentário, Palácio da Bolsa invadido por O dragão, Luísa Ducla Soares Nome  Manual – Volume 1
LE4 7.1 baseado em documentário do mitos e monstros até ao final Determinante pp. 12 a 15
LE5 6.1, 9.1, 9.3, 11.1, National Geographic Channel do ano TEXTO NARRATIVO, Pronome
13.2, 13.3, 16.1, 18.2 Audição de TEXTO TEXTO INFORMATIVO, intenção Comportamentos e características Quantificador 
EL5 20.1, 20.5, 20.6, INFORMATIVO, preenchimento do autor, sentido do texto, das personagens, relações entre Adjetivo – Áudio
20.7, 20.10 de grelha de registo, assunto, escrita de CONVITE personagens, ação, inferência Preposição
G4 31.2 informação essencial e Advérbio  CD – faixa 1
G5 23.4, 24.1, 25.2, 26.1 acessória, reação pessoal ao Calvin & Hobbes, Bill Watterson Verbo
texto ouvido BANDA DESENHADA, paráfrase, Tempos do modo indicativo
escrita de TEXTO NARRATIVO Tipos de frase
com momento de descrição, Sujeito e predicado
caligrafia, pontuação, parágrafo,

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Teste de diagnóstico Dossier de Recursos do
Avaliação
Professor
Ficha de trabalho – revisões do 1.o Ciclo Dossier de Recursos do
Outros recursos
Professor
29
UNIDADE 1 – TEXTOS NARRATIVOS
1 No tempo em que os animais falavam – fábulas e outros textos _______ aulas

Objetivos e Percursos de Domínios de conteúdos


Recursos
Descritores aprendizagem Oralidade Leitura e Escrita Educação Literária Gramática
O5 1 Interação discursiva em Reconto de FÁBULA (texto A raposa e a cegonha, Esopo Classificação das palavras  Manual – Volume 1
1.4, 1.5, 2.2, 3.1, Fábula atividades de pré-leitura lacunar), coesão e coerência FÁBULA (características), quanto ao número de pp. 18-21, 212,
3.2, 3.6, 3.7, 3.8, de fábula: informação e moralidade, características e sílabas 219, 220
4.2 explicação Portugal tem quase 3000 comportamentos de
ninhos de cegonhas em torres personagens, relações entre 
LE5 elétricas personagens, ação, inferência, – Vídeo
5.1, 6.1, 7.3, 8.1, TEXTO INFORMATIVO, aspetos pontos de vista – Áudio
8.2, 9.2, 10.2, nucleares do texto, parágrafo  CD – faixa 2
11.1, 11.2, 12.1,
13.1, 13.2, 13.3,  Cad. Atividades
13.4, 13.5, 14.1, 2 Argumentação favorável O leão e o rato, Esopo Sílaba tónica e silaba átona  Manual – Volume 1
15.1, 19.4, 19.5, Fábula e desfavorável FÁBULA, elementos Classificação de palavras pp. 22-25, 210-211,
19.6, 19.7 constitutivos da narrativa, quanto à posição da sílaba 220
ordenação de acontecimentos, tónica
EL5 relações entre personagens e
20.1, 20.5, 20.6,  Cad. Atividades
entre acontecimentos,
20.7, 20.8, 20.9, inferência, características de
20.10, 21.1, personagens, personificação
22.1, 22.3, 22.4,
22.5

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


3 Interação discursiva em Leitura de PROVÉRBIOS A galinha dos ovos de ouro, Nome: próprio e comum  Manual – Volume 1
Fábula atividades de pré-leitura (características), comparação La Fontaine (coletivo) pp. 26-29, 212-219,
G3 de fábula: informação de textos Reconstituição de FÁBULA e 221
26.1, 26.3, 27.8, Planificação, escrita, revisão e verificação através de audição,
27.9, 27.10 correção de TEXTO NARRATIVO ação, características de 
G4 a partir de PROVÉRBIO, personagem, localização de – Áudio
28.1, 28.2, 28.3, caligrafia, ortografia, informação, inferência – Documento
28.4. acentuação, pontuação, – Apresentação
G5 parágrafo, introdução, PowerPoint
23.1, 24.1, 26.1 elemento desencadeador da  CD – faixa 3
ação, desenvolvimento,
conclusão  Cad. Atividades
30
4 Escrita de TEXTO Fábulas sem título, Esopo / La Nome: flexão em género e  Manual – Volume 1
Fábula INFORMATIVO a partir de Fontaine número, variação em grau pp. 30-33, 212-219,
informações dadas, caligrafia, FÁBULA, comportamento de 221-222
ortografia, acentuação, personagem, acontecimentos,
pontuação, parágrafo, relações entre textos, título,  Cad. Atividades
introdução, desenvolvimento, pontos de vista
conclusão

5 Escrita de FÁBULA a partir de A lebre e a tartaruga, Esopo Determinante: artigo,  Manual – Volume 1
Fábula BANDA DESENHADA, situação FÁBULA (texto lacunar), demonstrativo e pp. 34-37, 212-219,
inicial, desenvolvimento e comportamentos e possessivo 223
situação final, caligrafia, características de personagens,
ortografia, acentuação, relações entre personagens, 
pontuação, parágrafo inferência, relações entre – Imagem
Audição de FÁBULA para textos (fábula e provérbio), – Áudio
comparação de textos pontos de vista  CD – faixa 4
 Cad. Atividades
6 Não compre, adote, O cão e o seu reflexo, Esopo Pronome: pessoal,  Manual – Volume
Fábula União Zoófila FÁBULA, espaço, demonstrativo e pp. 38-41, 210-211,
ANÚNCIO PUBLICITÁRIO comportamento de possessivo 212-219, 224-225
de imprensa escrita, personagem, inferência,
descrição de imagens de reescrita de texto narrativo 
campanha de (alteração de narrador) – Imagem
sensibilização, princípio  Cad. Atividades
de cooperação na
interação discursiva,
explicação, argumento,

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


adequação de
vocabulário, correção
linguística, dicção,
interlocutor

7 O pássaro em branco, Bruno Adjetivo: qualificativo e  Manual – Volume 1


Texto narrativo Santos numeral pp. 42-45, 226
TEXTO NARRATIVO, título,
 Cad. Atividades
caracterização de personagem,
pontos de vista, personificação,
descrição de espaço físico
31
8 As andorinhas entre nós, Ali em cima, olhem! Aves, O milagre de um rouxinol Adjetivo: flexão em género  Manual – Volume 1
Texto narrativo Miguel Esteve Cardoso Maria Ana Peixe Dias, Inês apaixonado, Alves Redol e número, variação em pp. 46-51, 210-211,
Audição de CRÓNICA, Teixeira do Rosário e Bernardo TEXTO NARRATIVO, relações grau 212-219, 226-227
tomada de notas, facto e Carvalho entre personagem, ação,
opinião, informação TEXTO DE ENCICLOPÉDIA, espaço, tempo, personificação, 
essencial e acessória, características do TEXTO comparação, sequência – Vídeo
assunto EXPOSITIVO, informação descritiva, inferência – Áudio
essencial, tomada de notas, – Apresentação
relacionação de informações, PowerPoint
escrita de texto expositivo,  CD – faixa 5
introdução, desenvolvimento,
conclusão, caligrafia,  Cad. Atividades
ortografia, acentuação,
pontuação, parágrafo

9 Planificação, escrita, revisão e Max e Mix, Luis Sepúlveda Família de palavras  Manual – Volume 1
Texto narrativo correção de TEXTO TEXTO NARRATIVO, pp. 52-55,
NARRATIVO, hierarquização e identificação de lema e de 212-219, 232
articulação das ideias, tema, a partir de TEXTO DE
apresentação do cenário e das DICIONÁRIO, reconstituição de  Cad. Atividades
personagens, acontecimento acontecimentos, relações entre
desencadeador, ação, personagens
conclusão, sentimentos
Leitura em voz alta de palavras
registadas de forma aleatória

Revisões Manual - Volume 1


p. 56

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Guião de leitura, A viúva e o papagaio, Virginia Woolf Manual - Volume 2
pp. 2-7
Sugestões de obras para leitura autónoma Manual - Volume 2
pp. 38-48

Teste de avaliação escrita Dossier de Recursos


Avaliação
Teste de avaliação da oralidade do Professor
Fichas de trabalho Dossier de Recursos
Outros recursos do Professor
Palavra Mágica – o Jogo
32
UNIDADE 1 – TEXTOS NARRATIVOS
2 Histórias com barbas – contos tradicionais, lendas e outros textos _______ aulas

Objetivos e Percursos de Domínios de conteúdos


Recursos
Descritores aprendizagem Oralidade Leitura e Escrita Educação Literária Gramática
O5 1 Argumentação favorável e Uma história com sal dentro, Quantificador  Manual – Volume 1
1.1, 1.2, 1.3, 1.4, Conto tradicional de desfavorável Maria Alberta Menéres pp. 58-62, 210-211,
1.6, 1.8, 2.2, 2.3, Portugal CONTO TRADICIONAL 228
3.1, 3.2, 3.3, 3.4, Frei João Sem Cuidados, (características), estrutura e
3.5, 3.6, 3.7, 3.8, Teófilo Braga elementos da narrativa, 
4.2 Audição de CONTO ordenação de peripécias, – Áudio
TRADICIONAL, antecipação de inferência, ponto de vista,  CD – faixa 6
LE5 acontecimentos, dedução, comparação, coesão
5.2, 6.1, 7.1, 8.1, continuação de narrativa,  Cad. Atividades
8.2, 8.3, 9.1, 9.2, vocabulário, tom de voz,
9.3, 10.1, 11.1, gestos e expressões faciais
11.2, 12.1, 13.1, 2 Interação discursiva em O retrato da princesa, Adolfo Preposição  Manual – Volume 1
13.2, 13.3, 13.4, Conto tradicional de atividades de pré-leitura de Coelho pp. 63-67, 228
13.5, 13.7, 14.1, Portugal conto tradicional CONTO TRADICIONAL, relações
17.1, 19.1,19.2, entre histórias tradicionais a 
19.3, 19.4, 19.5, partir de imagem, estrutura e – Imagem
19.6, 19.7 elementos da narrativa,  Cad. Atividades
ordenação de acontecimentos,
EL5 relação entre acontecimentos,
20.1, 20.5, 20.6, características das personagens

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


20.7, 20.8, 20.9, 3 A lenda dos três rios, RTP De Pé de Moura a Moura Advérbio  Manual – Volume 1
20.10, 21.1, Lenda de Portugal Audição de LENDA, Morta, João Pedro Mésseder pp. 68-72, 210-211,
22.1, 22.3, 22.4, preenchimento de grelha de LENDA (características), 229
22.5, 22.6 registo, reconto acontecimentos, localização
espacial e temporal, relações 
G5 entre personagens e entre – Animação
23.1, 23.3, 23.4, acontecimentos – Áudio
24.1, 24.2 – Documentos
 CD – faixa 7
 Cad. Atividades
33
4 Apresentação oral a partir de A meia do Natal, João Pedro Verbo: infinitivo  Manual – Volume 1
Lenda tradicional da pesquisa, informação, Mésseder impessoal e particípio pp. 73-75, 210-211,
Alemanha e de explicação. LENDA, elementos da narrativa, 212-219, 230
países de língua relação entre acontecimentos e
inglesa sentimentos de personagens,
relações entre personagens,  Cad. Atividades
localização temporal, reescrita
de texto narrativo (alteração de
narrador), narrador
participante / não participante

5 Timor Leste, Enciclopédia A ilha de Timor, João Pedro Verbo: regular  Manual – Volume 1
Lenda de Timor moderna Larousse Mésseder e irregular pp. 76-80, 212-219,
TEXTO DE ENCICLOPÉDIA, LENDA, espaço e tempo da ação, 230, 238-240
relação entre textos, síntese a partir de resposta a Tabelas de conjugação
relacionação de questões, relação entre aconteci- de verbos regulares
informações, intenção mentos e sentimentos de perso- e irregulares  Cad. Atividades
nagens, pontos de vista,
planificação, escrita, revisão e
correção de lenda – imitação
criativa
6 Confundindo histórias, Gianni O tesouro do gigante Verbo: principal e  Manual – Volume 1
Textos narrativos Rodari O poço dos desejos, Pinto auxiliar pp. 81-85, 210-211,
Audição de TEXTO & Chinto 212-219, 230
NARRATIVO, tema e assunto, TEXTOS NARRATIVOS,
tomada de notas, reconto ordenação de sequências 
pertencentes a dois textos, – Áudio
articulação de factos, – Documento

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


sentido do texto,  CD – faixa 8
coerência, leitura em voz
alta dos textos  Cad. Atividades
reconstituídos, explicação
do sentido de uma
expressão, TEXTO DE
DICIONÁRIO
Planificação, escrita,
revisão e correção de
TEXTO NARRATIVO
34
7 A lenda de Despereaux A lenda de Despereaux, Verbo: tempos do  Manual – Volume 1
Texto narrativo Audição de TRAILER, tomada Kate DiCamillo modo indicativo pp. 86-91, 210-211,
de notas, informações TEXTO NARRATIVO, 212-219, 231,
essenciais, assunto, intenção relacionação de Tabelas de conjugação 238-240
do locutor, deduções informações, identificação de verbos regulares e
do sentido de palavras, irregulares 
relações intratextuais, – Áudio
leitura em voz alta,
 CD – faixa 9
paráfrase, opinião crítica
Planificação, escrita,  Cad. Atividades
revisão e correção de
TEXTO DE OPINIÃO
8 Apresentação oral a partir de Trisavó de Pistola à Cinta, Alice Palavra simples e  Manual – Volume 1
Texto narrativo pesquisa, planificação do Vieira palavra complexa pp. 92-96, 210-211,
discurso, explicação, TEXTO NARRATIVO, estrutura e 232
adequação de vocabulário, elementos da narrativa, relações
correção linguística, dicção, entre personagens e entre
princípio de cooperação na acontecimentos, inferência,  Cad. Atividades
interação discursiva relações entre textos
9 Uma história que começa pelo Classes de palavras  Manual – Volume 1
Texto narrativo fim, Manuel António Pina (revisões) pp. 97-101, 221-231
TEXTO NARRATIVO,
memorização de informações, 
estrutura e elementos da – Áudio
narrativa, relevo da ação e das
 CD – faixa 10
personagens
Revisões Manual – Volume 1
p. 102

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Guião de leitura, A vida mágica da Sementinha, Alves Redol Manual – Volume 2
pp. 8-13
Sugestões de obras para leitura autónoma Manual – Volume 2
pp. 38-48

Teste de avaliação escrita Dossier de Recursos do


Avaliação
Teste de avaliação da oralidade Professor
Fichas de trabalho Dossier de Recursos do
Outros recursos Professor
Palavra Mágica – o Jogo
35
UNIDADE 1 – TEXTOS NARRATIVOS 2.o período - _____ semanas

3 Somos feitos de histórias – Textos narrativos de autor e outros textos _______ aulas

Objetivos e Percursos de Domínios de conteúdos


Recursos
Descritores aprendizagem Oralidade Leitura e Escrita Educação Literária Gramática
O5 1 A obra infantojuvenil de Maleficent, Disney A Fada Oriana, Sophia de Mello Verbo: modo  Manual – Volume 1
1.3, 1.4, 1.6, 2.2. Texto narrativo Sophia de Mello Breyner CARTAZ, definição de RETRATO, Breyner Andresen imperativo pp. 104-107, 210-211,
2.3, 3.1, 3.2, 3.3, Andresen, baseado em planificação, escrita, revisão e TEXTO NARRATIVO, estrutura e 212-219, 231,
3.4, 3.5, 3.6, 3.7, artigo de Observador correção de TEXTO DESCRITIVO elementos do texto narrativo, Tabelas de conjugação 238-240
3.8, 4.1 Audição de TEXTO (retrato) relações entre personagens, de verbos regulares e
BIOBIBLIOGRÁFICO, inferência, enumeração, irregulares 
LE4 tomada de notas, características e – Vídeo
19.1 princípio de cooperação comportamentos de – Áudio
LE5 na interação discursiva personagem – Apresentação
5.2, 6.1, 8.1, 8.3, PowerPoint
9.1, 9,2, 11.1,  CD – faixa 11
11.2, 12.1, 13.1,
13.2, 13.3, 13.4, 2 O Menino-Estrela, Oscar Wilde Sujeito e predicado  Manual – Volume 1
13.5, 13.6, 13.7, Texto narrativo TEXTO NARRATIVO, estrutura e pp. 108-112, 233
16.1, 17.1, 19.3, elementos do texto narrativo,
19.4, narrador participante / não 
19.5, 19.6, 19.7 participante ou presente / – Áudio
ausente, inferência, recursos  CD – faixa 12
EL5 expressivos, ponto de vista
20.1, 20.5, 20.6,

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


20.7, 20.8, 20.10, 3 Peter Pan, J. M. Barrie Peter Pan, J. M. Barrie Complemento direto e  Manual – Volume 1
22.1, 22.3, 22.4, Texto narrativo Audição de TEXTO TEXTO NARRATIVO, estrutura e complemento indireto pp. 113-116, 210-211,
22.5 DIALOGAL, dedução, elementos do texto narrativo, 234
assunto, tomada de notas, localização espacial e temporal,
G3 informação essencial personificação, características 
28.1, 28.2 de personagem, comparação, – Áudio
G4 relações entre personagens e  CD – faixa 13
31.2, 31.3 entre acontecimentos,
G5 inferência, reconto  Cad. Atividades
23.4, 25.1, 25.2,
25.3, 26.1
36
4 Apresentação oral, Quero ser tanta coisa, José Vocativo  Manual – Volume 1
Texto narrativo planificação do discurso, Jorge Letria pp. 117-120, 210-211,
dicção, vocabulário, TEXTO NARRATIVO, articulação 212-219, 234
postura, explicação, das ideias, leitura em voz alta,
adequação de aspetos nucleares, paráfrase, 
vocabulário, correção sentido, relações de – Apresentação
linguística semelhança e de oposição PowerPoint

Planificação, escrita, revisão e  Cad. Atividades


correção de TEXTO DE OPINIÃO
5 Interação discursiva em Pontuação, características do Um homem não chora, Alves Discurso direto e  Manual – Volume 1
Texto narrativo atividades de pré-leitura DIÁLOGO Redol discurso indireto pp. 121-124, 210-211,
de texto narrativo: Escrita de DIÁLOGO a partir de TEXTO NARRATIVO, estrutura e 212-219, 235
informação e explicação imagens, revisão e correção elementos do texto narrativo,
sentimentos e comportamentos 
de personagem, relações entre – Imagem
personagens e entre
acontecimentos, inferência,  Cad. Atividades
relevo de personagens
6 O ataque, António Mota Tipos de frase  Manual – Volume 1
Texto narrativo TEXTO NARRATIVO, vocabulário, pp. 125-128, 212-219,
estrutura e elementos do texto Frase afirmativa e frase 233
narrativo, ordenação de ações, negativa
 Cad. Atividades
relações entre personagens e
entre acontecimentos, tempo,
presença do narrador, recursos
expressivos, expressão de ideias,
reescrita de texto (mudança de

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


perspetiva de personagem)
7 Troca de impressões, Página de dicionário, Texto A contradição humana, Afonso Sinónimos e antónimos  Manual – Volume 1
Texto narrativo apresentação de pontos Editores Cruz pp. 129-132, 210-211,
de vista, com Leitura de TEXTO DE TEXTO NARRATIVO, estrutura e 232
exemplificação, princípio DICIONÁRIO, organização de elementos do texto narrativo,
 Cad. Atividades
de cooperação na dicionário, localização de reconhecimento de
interação discursiva informações características e
comportamentos das
personagens a partir de
sequência desordenada de
imagens, linguagem figurada
37
8 Excertos de A floresta, Sophia A sala do chocolate, Roald Dahl O pronome pessoal  Manual – Volume 1
Texto narrativo de Mello Breyner Andresen TEXTO NARRATIVO, estrutura e átono e o verbo pp. 133-136, 212-219,
Leitura de SEQUÊNCIAS elementos do texto narrativo, 224
DESCRITIVAS linguagem figurada,
 Cad. Atividades
Planificação, escrita, revisão e comportamentos de
correção de TEXTO DESCRITIVO personagens, identificação de
(descrição de um lugar) elementos do espaço físico a
partir de imagem, descrição do
espaço, onomatopeia,
inferência, relações entre
personagens

Em Resumo Manual – Volume 1


pp. 137-138
Revisões (exercícios) Manual – Volume 1
p. 139
Guião de leitura, O Rapaz de Bronze, Sophia de Mello Breyner Andresen Manual – Volume 2
ou pp. 14-25
Guião de leitura, A Fada Oriana, Sophia de Mello Breyner Andresen

Sugestões de obras para leitura autónoma Manual – Volume 2


pp. 38-48

Teste de avaliação escrita Dossier de Recursos do


Avaliação
Teste de avaliação da oralidade Professor
Fichas de trabalho Dossier de Recursos do
Outros recursos Professor
Palavra Mágica – o Jogo

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


38
UNIDADE 2 – TEXTOS POÉTICOS
Apanha-me um poeta – poemas e outros textos _______ aulas

Objetivos e Percursos de Domínios de conteúdos


Recursos
Descritores aprendizagem Oralidade Leitura e Escrita Educação Literária Gramática
O5 1 Interação discursiva em As fadas, Antero de Quental Prefixação e  Manual – Volume 1 pp.
1.8, 2.2, 2.3, 3.1, Antero de atividades de pré-leitura TEXTO POÉTICO sufixação 142-144, 210-211, 232
3.2, 3.3, 3.6, 3.7 Quental de poema (características), localização e
esquematização de 
LE5 informações, relação entre – Áudio
5.1, 6.1, 9.3, textos, estrofe, verso, rima,  CD – faixa 14
11.1, 12.1, 13.1, ritmo, leitura coletiva
13.2, 13.3, 13.4,  Cad. Atividades
13.5, 13.6, 13.7, 2 Escrita de CARTA (texto Telegrama do Príncipe para a Advérbio e tipos de Manual – Volume 1
15.1, 16.1, 18.1, Alice Vieira lacunar) Branca de Neve, Alice Vieira frase (revisões) pp. 145-148, 212-219,
19.1, 19.2, 19.3, TEXTO POÉTICO, coesão, verso, 229, 233
19.4, 19.5, 19.6, rima, ritmo, sentimentos,
19.7 memorização e recitação,
inferência
EL5 O espelho, Sophia de Mello Cantiga de mãe, Alice Vieira
20.1, 20.2, 20.3, Breyner Andresen TEXTO POÉTICO, paráfrase,
20.4, 20.6, 20.7, Leitura de DIÁLOGO, mancha pontos de vista, pontuação e
20.8, 20.10, gráfica, prosa / verso sentido do texto, rima
21.1, 22.1, 22.2, Transformação de um poema
22.3, 22.4, 22.5,

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


num texto em prosa – DIÁLOGO:
22.6 planificação, textualização,
revisão e correção
3 Ser pente ou serpente, Luísa Manual – Volume 1
G4
Luísa Ducla Soares Ducla Soares pp. 149 a 156,
29.1, 31.2
TEXTO POÉTICO, sentido do 212-219, 233-234
G5 23.1, 23.2,
poema, classificação de
24.1, 25.1, 25.2
estrofes,
Medidas, Luísa Ducla Soares
TEXTO POÉTICO, sílabas
métricas e sílabas gramaticais,
sentido, inferência
39
O testamento do gato, Luísa
Ducla Soares
TEXTO POÉTICO, seleção de
informações, paráfrase, pontos
de vista, tom, recitação,
classificação de estrofes, versos
rimados e versos livres, sílabas
métricas
A lapiseira, Luísa Ducla Soares
TEXTO POÉTICO, rima, sujeito
poético, sentido, divisão em
partes lógicas

Aquarela, Toquinho e Vinicius 


de Moraes – Áudio
LETRA DE CANÇÃO, assunto,
relação entre textos, tema,  CD – faixa 15
título, registo de informação
Excerto de O mistério da Diz o avô, Luísa Ducla Soares
sombra que ri, Alfred Hitchcock TEXTO POÉTICO, estrutura e
Leitura de TEXTO DESCRITIVO elementos gráficos, registo de
(retrato), identificação de informação, linguagem
características físicas a partir de figurada, inferência, síntese de
imagens informações, expressão de
Planificação, escrita, revisão e ideias
correção de TEXTO DESCRITIVO
(retrato)
O tempo, Luísa Ducla Soares Sujeito e vocativo

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


TEXTO POÉTICO, divisão em (revisões)
partes lógicas, paráfrase, ritmo
e musicalidade, onomatopeia,
repetição, versos rimados,
métrica, interrogação, tema,
relação entre textos
4 Poema sem título (Mistérios da Manual – Volume 1
Álvaro Magalhães escrita), Álvaro Magalhães pp. 157-160, 212-219
TEXTO POÉTICO, tema, campo
lexical, escrita de poema por
imitação criativa, memorização,
recitação, ritmo, entoação
40
Caligrafia, ortografia e O limpa-palavras, Álvaro
acentuação, leitura em voz alta Magalhães
de palavras registadas de forma TEXTO POÉTICO, sujeito
aleatória poético, localização da
informação, sentido,
comparação, repetição, versos
rimados e versos livres
5 As folhosas – Faia, Virginie As árvores e os livros, Jorge Manual – Volume 1
Jorge Sousa Braga Aladjidi e Emmanuelle Sousa Braga pp. 161-163, 212-219
Tchoukriel TEXTO POÉTICO, identificação
Leitura de TEXTO DE de sentidos a partir de TEXTO
ENCICLOPÉDIA, intenção DE DICIONÁRIO, título,
Planificação, escrita, revisão e linguagem figurada, inferência,
correção de TEXTO EXPOSITIVO campo lexical, pontos de vista,
estrofe, rima
A alfazema, Jorge Sousa Braga
TEXTO POÉTICO, memorização
e recitação, ritmo e entoação,
inferência, tema, localização de
informação, rima, expressão de
ideias, sílabas métricas
6 Interação discursiva em Sereia, Ricardo Henriques O Minotauro, José Jorge Letria Sufixação (revisões) Manual – Volume 1
José Jorge Letria atividades de pré-leitura Leitura de TEXTO EXPOSITIVO, POEMA NARRATIVO pp. 164-166, 210-211,
de poema narrativo tema e assunto, palavras- (características), versos rimados 212-219, 232
-chave, ordem alfabética e versos livres, sílabas métricas,
localização e registo de

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Planificação, escrita, revisão e informação, relações entre
correção de TEXTO EXPOSITIVO personagens e entre
acontecimentos, inferência,
reescrita de poema narrativo
(mudança de perspetiva de
personagem)
7 A íbis, Fernando Pessoa Manual – Volume 1
Fernando Pessoa TEXTO POÉTICO, assunto, pp. 167-169, 210-211,
inferência, medida do verso, 212-219, 224
rima, escrita de poema por
imitação criativa
41
Fernando Pessoa, Poema sem título (Havia um Formas dos
baseado em Manuela menino), Fernando Pessoa pronomes pessoais 
Júdice, O meu primeiro TEXTO POÉTICO, ordenação de átonos (revisões) – Áudio
Fernando Pessoa estrofes, coerência, sílabas  CD – faixa 16
Audição de TEXTO métricas, quadra, verso rimado
BIOGRÁFICO, tomada de e verso livre, relação entre
notas, princípio de textos, repetição, linguagem
cooperação na interação figurada
discursiva, reconto

Em Resumo Manual – Volume 1


p. 170
Revisões (exercícios) Manual – Volume 1
p. 171
Guião de leitura, O pássaro da cabeça e mais versos para crianças, Manuel António Pina Manual – Volume 2
pp. 26-31
Sugestões de obras para leitura autónoma Manual – Volume 2
pp. 38-48

Teste de avaliação escrita Dossier de Recursos do


Avaliação
Teste de avaliação da oralidade Professor
Fichas de trabalho Dossier de Recursos do
Outros recursos Professor
Palavra Mágica – o Jogo

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


42
UNIDADE 3 – TEXTOS DRAMÁTICOS 3.o período - _____ semanas

Um pé no palco – Textos de teatro e outros textos _______ aulas

Objetivos e Percursos de Domínios de conteúdos


Recursos
Descritores aprendizagem Oralidade Leitura e Escrita Educação Literária Gramática
O5 1 Leitura de SEQUÊNCIAS Toca e Foge, António Torrado Formas contraídas dos Manual – Volume 1
1.3, 1.4, 1.6, 1.7, Texto dramático DESCRITIVAS TEXTO DRAMÁTICO (características), pronomes pessoais pp. 174-177, 212-219,
1.8, 2.2. Escrita de um TEXTO personagens, falas e indicações (revisões) 224
DESCRITIVO (descrição de cénicas, enumeração, inferência,
LE5 um objeto) pontos de vista, escrita de indicações
6.1, 16.1 cénicas – imitação criativa
EL5 2 A cruzada das crianças, Afonso Cruz Complemento direto e Manual – Volume 1
20.1, 20.6, 20.7, Texto dramático TEXTO DRAMÁTICO, configuração complemento indireto pp. 178-181, 234
20.8, 20.10, gráfica, indicação cénica, inferência, (revisões)
21.1, 22.1, 22.2, cenário, adereço, registo de
22.3, 22.4, 22.6 informação, personagens,
caracterização de personagens, escrita
G4 de indicações cénicas, sentido
31.3
G5 Vozes de adultos II, João Pedro
25.1, 25.2 Mésseder
TEXTO POÉTICO, relação entre textos,
partilha de ideias, leitura coletiva
3 Batalha de S. 3. A verdadeira história da batalha de Discurso direto e  Manual – Volume 1
Texto dramático Mamede, Ana Oom S. Mamede, Inácio Nuno Pignatelli discurso indireto pp. 182-185, 210-211,

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Audição de TEXTO TEXTO DRAMÁTICO, espaço e tempo (revisões) 235
INFORMATIVO, registo da ação, comportamento e
de informações características de personagens, 
relações entre personagens e entre – Áudio
acontecimentos, inferências,  CD – faixas 17 e 18
indicações cénicas
Mafalda, Quino
BANDA DESENHADA, relação entre
textos
43
Em Resumo Manual – Volume 1
p. 186
Revisões (exercícios) Manual – Volume 1
p. 187
Guião de leitura, O Príncipe Nabo, Manuel António Pina Manual – Volume 2
pp. 32-37
Sugestões de obras para leitura autónoma Manual – Volume 2
pp. 38-48

Teste de avaliação escrita Dossier de Recursos do


Avaliação
Teste de avaliação da oralidade Professor
Fichas de trabalho Dossier de Recursos do
Outros recursos Professor
Palavra Mágica – o Jogo

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


44
UNIDADE 4 – TEXTOS NÃO LITERÁRIOS
O mundo à nossa volta – Textos de imprensa e outros textos _______ aulas

Objetivos e Percursos de Domínios de conteúdos


Recursos
Descritores aprendizagem Oralidade Leitura e Escrita Gramática
O5 1 Leitura de SUMÁRIO, função do sumário,  Manual – Volume 1
1.1, 1.2, 1.4, 1.5, Sumário localização e organização da informação, p. 190
1.6, 1.8, 2.2 informação essencial

LE5 – Documento
6.1, 6.2, 7.1, 7.2, 2 Jogo esmagador, Visão Júnior  Manual – Volume 1
7.3, 8.1, 8.2, 8.3, Notícias À procura de pianistas, Visão Júnior pp. 191-195, 210-211,
9.1, 9.2, 9.3, Skates supersónicos, Visão Júnior 212-219, 224, 231
10.1, 10.2, 12.1, Ouvidos alerta, Visão Júnior
13.1, 13.2, 13.3, Protetor solar de bacalhau, Visão Júnior 
13.4, 13.5, 13.6, NOTÍCIAS, relação entre título e assunto – Áudio
13.7, 16.1, 18.1, Campeonato Nacional de Jogos Tempos do modo indicativo  CD – faixa 19
19.1, 19.2, 19.3, Matemáticos junta 1500 alunos em Vila (revisões)
19.4, 19.5, 19.6, Real, Sociedade Portuguesa de
19.7 Matemática
NOTÍCIA (características), tomada de notas,
G5 informações essenciais, aspetos nucleares
23.4, 24.1, 24.2, Cientistas da Nasa afirmaram que a
25.1 atmosfera do planeta vermelho pode ter
desaparecido devido à ação de ventos e

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


tempestades solares, Expresso
NOTÍCIA assunto, localização de
informação

Água, água e mais água, Visão Júnior


NOTÍCIA, sinais de pontuação e sinais
auxiliares de escrita
Notícia sobre Telma Monteiro, RTP Notícia com várias possibilidades de título
Audição de NOTÍCIA, paráfrase, (Filme perdido da Disney redescoberto no
facto e opinião, informação Reino Unido), Público
essencial e informação acessória NOTÍCIA, título, paráfrase, localização de
informação
45
Notícia sem título (Há um novo mamífero Pronomes pessoais (revisões)
em Portugal: o rato-das-neves), Diário de
Notícias
NOTÍCIA, articulação dos factos, escrita de
título, vocabulário, ortografia e
acentuação, identificação de sequência
descritiva
3 Entrevista a Clara de Sousa, Visão A música é a nossa vida, Visão Júnior Advérbio (revisões)  Manual – Volume 1
Entrevistas Júnior Leitura de ENTREVISTA (características), pp. 196-199, 210-211,
Visionamento de ENTREVISTA, intenção, aspetos nucleares, síntese, 212-219, 224
Intenção do locutor, tema, relação entre informações, opinião crítica
informação essencial, reformulação 
de enunciados ouvidos. – Link
Entrevista a Alice Vieira, ENTREVISTA
lacunar, formulação de perguntas a partir
de respostas
João Vaz de Carvalho – Ilustrador, Dglb
Leitura de TEXTO BIOGRÁFICO
Escrita de GUIÃO DE ENTREVISTA a partir
de informações recolhidas
4 Amadora BD Vá de Carris ao Oceanário, Oceanário de  Manual – Volume 1
Publicidade Audição de ANÚNCIO PUBLICITÁRIO, Lisboa e Carris pp. 200-201, 210-211,
tema, intenção, deduções, Leitura de ANÚNCIO PUBLICITÁRIO 212-219, 228
onomatopeia (características da publicidade), aspetos
nucleares, intenção, relação entre 
informações, opinião crítica – Imagem
Escrita de uma FRASE PUBLICITÁRIA – Áudio
Campanha papel por alimentos, Banco Preposição (revisões)  CD – faixa 20

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Alimentar contra a Fome
Leitura de FOLHETO PUBLICITÁRIO,  Cad. Atividades
intenção, relação entre informações, foco
da instrução, aspetos nucleares, sentidos de
uma palavra, opinião crítica
Escrita de FRASES PUBLICITÁRIAS com
INSTRUÇÕES
5 Uma viagem ao meio de Portugal, Estrelas Manual – Volume 1
Roteiro e Ouriços pp. 202-203, 212-219
Leitura de ROTEIRO (características), aspetos
nucleares, articulação das ideias, sentido do
texto, intenção do autor
46
Texto descritivo sem título
(Água Formosa), baseado em
www.turismodeportugal.pt
Completamento de TEXTO DESCRITIVO
lacunar
Planificação, escrita, revisão e correção de
TEXTO DESCRITIVO (descrição de
paisagem)
6 Do papel nasce outra vez papel, Visão Manual – Volume 1
Texto expositivo Júnior pp. 204-205
Leitura de TEXTO EXPOSITIVO, tema,
expectativas, síntese, aspetos nucleares,
articulação das ideias, sentido de
expressões, relação entre informações
7 Olá equipa da Visão Júnior, Visão Júnior Manual – Volume 1
Carta Leitura de CARTA (elementos pp. 206, 212-219, 146
constitutivos), intenção, aspetos nucleares,
Planificação, escrita, revisão e correção de
CARTA
Em Resumo Manual – Volume 1
p. 207
Revisões (exercícios) Manual – Volume 1
p. 208
Sugestões de obras para leitura autónoma Manual – Volume 2
pp. 38-48

Teste de avaliação escrita Dossier de Recursos do


Avaliação
Teste de avaliação da oralidade Professor

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Fichas de trabalho Dossier de Recursos do
Outros recursos Professor
Palavra Mágica – o Jogo
Planos de aula

Em estarão disponíveis, em formato editável, as propostas de planos de aula


para:
• a versão de demonstração, referente à primeira subunidade da unidade 1, em abril;

• a versão completa, em setembro.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 47


Propostas para o Plano Anual de Atividades

CONTRIBUTOS DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS


Projetos / Atividades
Setembro Atividades que permitam conhecer os colegas e a escola, as salas das
Atividades de receção disciplinas e as sinaléticas utilizadas nos vários espaços.
1 de outubro – Dia Mundial da Música • Articulação com a disciplina de Educação Musical.
A data foi instituída em 1975 com o • Pesquisa e divulgação em jornal de turma ou de escola, ou em
objetivo de promover a arte e partilhar formato de cartaz, de apontamento biográfico de grandes
a diversidade musical. Por todo o país, compositores.
há várias atividades programadas para este
dia, muitas delas com entrada livre.
4 de outubro – Dia Mundial do Animal • Articulação com a leitura de fábulas: elaboração de cartazes em
A data foi escolhida em 1931 numa defesa dos direitos dos animais.
convenção de ecologistas em Florença. • Articulação com a disciplina de Ciências Naturais: produção de
A escolha decorreu do facto de o dia folhetos com diversas informações sobre algumas espécies animais.
4 de outubro ser o dia de São Francisco
de Assis, o santo padroeiro dos animais.
7 de outubro – Dia Nacional dos Castelos • Articulação com as disciplinas de História e Geografia de Portugal
Este dia é comemorado desde 1984 com o e Educação Visual: elaboração coletiva de desenho de mapa de
objetivo de promover o património Portugal para colagem de imagens de alguns castelos portugueses
fortificado. com indicação do nome, datas relevantes e outras informações e
curiosidades.
Alguns castelos portugueses são
reconhecidos como Património
da Humanidade.
Quarta segunda-feira de outubro – Dia da • Sessões de leitura em voz alta de textos curtos no espaço da
Biblioteca Escolar biblioteca.
Este é o mês internacional das bibliotecas • Apresentação de livros favoritos na sala de aula ou em sessão na
biblioteca.
escolares. O dia da Biblioteca Escolar
é comemorado desde 1999.

31 de outubro – Dia das Bruxas • Articulação com a disciplina de Inglês: elaboração de um glossário
Os símbolos deste dia são abóboras, bilingue com termos relacionados com a data.
bruxas, aranhas, morcegos e velas, • Articulação com a disciplina de Educação Visual: escrita, ilustração
entre outros. e divulgação de pequenas histórias assustadoras.
Trata-se de uma celebração muito antiga
do povo celta, que festejava o fim do
verão, o início do Ano Novo e as boas
colheitas do ano.
11 de novembro – Dia de São Martinho • Recolha de frases e provérbios relacionados com a lenda de São
Esta é uma das datas em que se celebra Martinho (por exemplo: Por São Martinho semeia fava e o linho.
o outono e a tradição exige que se assinale Se o inverno não erra o caminho, tê-lo-ei pelo São Martinho. No dia
este dia com um magusto. de São Martinho, lume, castanhas e vinho. No dia de São Martinho,
com duas castanhas se faz um magustinho).
• Articulação com a leitura de lendas: leitura da Lenda de São
Martinho – identificação dos aspetos lendários.
21 de março – Dia Mundial da Poesia Articulação com as disciplinas de Ciências Naturais e Educação Visual:
e Dia Mundial da Árvore elaboração de páginas de um herbário com desenhos de árvores,
O Dia Mundial da Poesia foi criado pela colagem de elementos naturais, pequenos textos informativos sobre
UNESCO em 1999. a espécie em causa e poemas alusivos à mesma, por imitação criativa
(por exemplo, poemas do livro Herbário, de Jorge Sousa Braga).
Em data a definir – Semana das Línguas • Articulação com as disciplinas de línguas estrangeiras: recolha
e divulgação de receitas tradicionais.
• Concurso interturmas Palavra Mágica – o Jogo.

48 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Índice
Fichas de trabalho

Ficha 1 Revisões do 1.o Ciclo ............................................................................................................... 51

Ficha 2 Leitura e Escrita – Ortografia e translineação ..................................................................... 55


Ficha 3 Leitura e Escrita – Acentuação .............................................................................................. 56
Ficha 4 Leitura e Escrita – Pontuação ................................................................................................ 58
Ficha 5 Leitura e Escrita – Dicionário ................................................................................................. 59
Ficha 6 Leitura e Escrita – Texto narrativo ........................................................................................ 61
Ficha 7 Leitura e Escrita – Texto descritivo ....................................................................................... 63
Ficha 8 Leitura e Escrita – Texto expositivo ...................................................................................... 65

Ficha 9 Educação Literária – Narrativa 1 ........................................................................................... 67


Ficha 10 Educação Literária – Narrativa 2 ........................................................................................... 69
Ficha 11 Educação Literária – Poesia 1 ................................................................................................ 71
Ficha 12 Educação Literária – Poesia 2 ................................................................................................ 73
Ficha 13 Educação Literária – Teatro ................................................................................................... 74
Ficha 14 Educação Literária – Recursos expressivos ......................................................................... 76

Ficha 15 Gramática – Sons .................................................................................................................... 78

Ficha 16 Gramática – Sílabas ................................................................................................................. 79


Ficha 17 Gramática – Nome .................................................................................................................. 81
Ficha 18 Gramática – Determinante .................................................................................................... 87
Ficha 19 Gramática – Pronome ............................................................................................................ 89

Ficha 20 Gramática – Adjetivo .............................................................................................................. 91


Ficha 21 Gramática – Quantificador .................................................................................................... 97

Ficha 22 Gramática – Preposição ......................................................................................................... 98


Ficha 23 Gramática – Advérbio ........................................................................................................... 100
Ficha 24 Gramática – Verbo ................................................................................................................ 102
Ficha 25 Gramática – Formação de Palavras .................................................................................... 108
Ficha 26 Gramática – Família de Palavras e Relações entre Palavras ........................................... 110
Ficha 27 Gramática – Tipos de Frase / Frase afirmativa e frase negativa .................................... 111

Ficha 28 Gramática – Funções Sintáticas .......................................................................................... 112

Soluções ................................................................................................................................................... 117

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 1
Revisões do 1.o Ciclo
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Revisões

Grupo I

Lê o texto seguinte e responde às questões.

A deusa que esculpiu o Homem


Houve um momento já perdido na memória do tempo em que a Terra se separou do Céu.
Embora já houvesse rios, mares e lagos, montanhas, vulcões, pássaros, peixes e árvores de
fruto, não existia ainda um único ser humano à superfície da Terra.
Foi então que uma deusa deixou a sua morada celeste e quis saber como se vivia nesse
5 planeta azul que, à distância, parecia tão calmo e tão apetecível para viver.
A deusa gostou do que viu e ouviu, do que provou e cheirou, mas, ao fim de alguns dias,
sentiu-se profundamente só, pois não encontrava ninguém que, assemelhando-se a ela, pudesse
ser parceiro numa conversa ou num jogo. Foi então que se sentou na margem de um rio e,
querendo ocupar o tempo, começou a moldar uma figura com a terra barrenta que abundava
10 junto dos seus pés. Como não tinha um modelo para copiar, foi-se guiando pela sua própria
imagem refletida na superfície das águas.
Quando a pequena escultura ficou concluída, deu conta de que lhe faltava vida. O boneco
que acabara de moldar não falava, não ria, não respirava, não tinha vida em suma. Foi então
que lhe passou a mão pelo rosto, ao mesmo tempo que lhe cobria o corpo de barro com o seu
15 sopro divino. Nesse mesmo instante, a pequena escultura começou a ensaiar minúsculos passos
em seu redor, tentando, ao mesmo tempo, pronunciar algumas palavras quase indecifráveis.
Esse foi, tanto para a deusa como para a figurinha acabada de esculpir, um verdadeiro
momento de magia, daqueles que nem mesmo a mais fértil imaginação consegue antecipar.
José Jorge Letria, Lendas da Terra, Terramar (adaptado)

1. Relembra o que aprendeste sobre os textos narrativos e assinala os seus elementos


constitutivos.
personagem ação estrofe espaço

verso narrador tempo rima

2. Numera as ilustrações seguintes, de acordo com a ordem do texto.

A B C D

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 51


3. Escolhe a opção que permite completar cada uma das afirmações, de acordo com o sentido do
texto. Circunda a alínea correta.
3.1 O «momento já perdido na memória do tempo» (linha 1) refere-se à
a) criação do homem. c) chegada de uma deusa à Terra.
b) criação dos rios, mares e lagos. d) separação da Terra do Céu.

3.2 O «verdadeiro momento de magia» (linhas 17 e 18) aconteceu quando a deusa


a) chegou à Terra. c) moldou a figura de barro.
b) viu os movimentos e ouviu a voz d) cobriu a figura de barro com o sopro divino.
da figura de barro.

4. Por que razão a deusa abandonou a sua morada celeste?

5. Identifica o sentimento que levou a deusa a moldar uma figura de barro, selecionando a opção
correta.
a) alegria b) curiosidade c) solidão d) nervosismo

6. Qual foi o modelo utilizado pela deusa para moldar a figura de barro? Porquê?
____________________________________________________________________________________________

7. Por que razão a deusa considerou que a figura que acabara de esculpir não tinha vida?
____________________________________________________________________________________________

8. Escreve, num texto com aproximadamente 15 linhas, a continuação da narrativa que leste, a
partir do momento em que a pequena escultura ganhou vida. Utiliza a lista apresentada para
verificares se não te esqueceste de nada.
Sim Não
Referi as personagens?
Incluí indicações sobre o tempo e o espaço?
A continuação da história faz sentido?

Escrevi um final adequado?


Respeitei as regras de ortografia?
Construí bem as frases?
Reli o meu texto e cuidei da sua apresentação?

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
52 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano
Grupo II

1. Escolhe a opção que só apresenta palavras graves.


a) Saturno, Urano, Marte. c) Telescópio, luas, Mercúrio.
b) Júpiter, Vénus, asteroide. d) Estrelas, astrónomo, cometas.

2. Ordena alfabeticamente as palavras apresentadas.


► Lua ► Sol ► astrónomo ► planeta

► astro ► galáxia ► estrela ► Júpiter

► planetário ► astrologia ► Neptuno ► asteroide

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

3. Identifica as três palavras que pertencem à mesma família de palavras.

terrível ternurento terreno terrestre térmico aterrar

4. Transcreve cada palavra destacada nas frases seguintes no local adequado do quadro.
a) Ontem vi pela primeira vez duas estrelas cadentes.
b) Os grandes telescópios captam belas imagens.
c) Esta galáxia formou-se há milhares de anos.
d) Como tu não tens telescópio eu empresto-te o meu.
e) Nós esperamos pela hora da chuva de estrelas.
f) O céu está muito nublado para vermos as estrelas.

Nome comum
Nome comum coletivo
Adjetivo qualificativo
Adjetivo numeral
Pronome pessoal
Pronome possessivo
Quantificador numeral
Determinante demonstrativo
Advérbio de negação
Advérbio de quantidade e grau
Determinante artigo definido
Preposição

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 53


5. Conjuga os verbos nos tempos do modo indicativo.
a) A próxima passagem do cometa Halley pela Terra _______ (verbo ser – futuro) em 1986.
b) Os astronautas norte americanos ________ (verbo pisar – pretérito perfeito) a Lua em 1969.
c) As chuvas de estrelas ________ (verbo assustar – pretérito imperfeito) os nossos antepassados.

6. Completa as frases com os verbos conjugados nas formas indicadas do modo imperativo.
a) ____________ (ver, 2.a pessoa do plural) estas estrelas!
b) ____________ (observar, 2.a pessoa do plural) este céu!
c) ____________ (dar, 2.a pessoa do singular)-me essa lente!
d) ____________ (ouvir, 2.a pessoa do plural) este astrónomo!

7. Associa os elementos da coluna A aos elementos da coluna B para formares frases completas.

Coluna A Coluna B
a) Os astronautas 1. fazem parte do sistema solar.
b) As estrelas 2. capta imagens fantásticas.
c) A nossa galáxia 3. visitámos o planetário de Lisboa.
d) O telescópio espacial Hubble 4. ficam mais visíveis no campo.
e) Oito planetas 5. chama-se Via Láctea.
f) Eu e os meus colegas 6. são afetados pela falta de gravidade.

7.1 Identifica as funções sintáticas desempenhadas pelos elementos de cada coluna.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

8. Escreve o texto seguinte no teu caderno, substituindo cada pelo sinal de pontuação em falta.

travessão: 4 vírgula: 1 ponto de interrogação: 1 ponto: 2

O que é que veríamos se nos aproximássemos de Saturno perguntou o


rapaz
Se nos aproximássemos de Saturno veríamos os milhares de anéis que rodeiam o
planeta respondeu o professor

54 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 2
Ortografia e translineação
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Leitura e Escrita

1. Escreve as consoantes que faltam nas palavras.

a) r ou rr? ca______oça en______olar va______er fe______adura


b) c, ç, s ______eco len______o fran______ês a______eitar ma______a
ou ss ? can______a______o expre______ão
c) s ou z? pe______o ca______inha avi______o vi______inho fa______er
d) x ou ch? fe______adura encai______otar ma______ado me______er

2. Escreve as vogais que faltam nas palavras.

r______alidade eng______nheiro açor______ana m______nistro


a) e ou i?
fem______nino cand______eiro esqu______sito
l______cal c______lher c______rioso r______er t______alha
b) o ou u ?
l______gar esc______var

3. Divide as palavras, de acordo com as regras da translineação.


Exemplo: de-/sar-/ru-/mei-/-lhos

► ninho ________________________________________________________________________________________________________ ► orelha ______________________________________________________________________________________________________________

► carteiro ________________________________________________________________________________________________________ ► guardanapo ______________________________________________________________________________________________________________

► vassourra ________________________________________________________________________________________________________ ► seguinte ______________________________________________________________________________________________________________

► cantou-mas ________________________________________________________________________________________________________ ► segredo ______________________________________________________________________________________________________________

► horrível ________________________________________________________________________________________________________ ► palavra ______________________________________________________________________________________________________________

► pesquisar ________________________________________________________________________________________________________ ► Paquistão ______________________________________________________________________________________________________________

► pulseira ________________________________________________________________________________________________________ ► dizer-lhe ______________________________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 55


Ficha 3
Acentuação
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Leitura e Escrita

1. Faz corresponder as palavras a cada regra de acentuação.

álbuns câmara jóquei órgão


alguém construí juízo país
âmbar cipó júri papéis
armazém cordéis lençóis peúga
baús esdrúxula lilás porém
Belém esferográfica lótus radiofónico
bênção heroína matemática rodapé
bíceps hífen miúdo saudável
bónus hóquei Olá! sílex
caí íris órfãs véu

► Todas as palavras esdrúxulas são acentuadas graficamente.

► São acentuadas graficamente as palavras graves terminadas em:


-i ou –u, seguidos ou não de -s

ditongo oral ou ditongo –ão

um/uns

-ã, seguido ou não de -s

-l, -n, -r, -x, -ps

56 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Também se acentuam graficamente as palavras graves que contêm um –i ou –u tónicos que não
formam ditongo com a vogal anterior.

► São acentuadas graficamente as palavras agudas terminadas em:


-a, –e, -o, seguidos ou não de -s

-em, -ens, que têm mais de uma sílaba

ditongo aberto -ei, –eu, -oi, seguidos ou não de -s

–i ou -u, seguidos ou não de –s, que não formam ditongo com a vogal anterior

2. Coloca o acento gráfico em todas as palavras.

► açucar ► cafe ► distancia ► numero

► aerodromo ► cerebro ► do ► parabens

► ai ► ceu ► egoista ► ponei

► aneis ► cha ► espirito ► publico

► anzois ► conclui ► eter ► refem

► avo ► convem ► faisca ► rouxinois

► facil ► sai

► fosforo ► saude

► fossil ► simpatico

► iman ► sotao

► lapis ► tambem

► le ► textil

► lucido ► virus

► miseravel ► viuvo

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 57


Ficha 4
Pontuação
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Leitura e Escrita

1. Completa o seguinte texto com os sinais de pontuação.

… : , . - ?

De súbito a imagem da minha tia já velha mas deitada numa cama de bebé
fez-me rir
Que foi perguntou o meu pai
Nada disse eu Estava a pensar noutra coisa
Então acho melhor que vás começando a pensar também no nome da tua irmã
disse ele
E acrescentou com ar meio sério meio divertido
Não gosto que uma cidadã deste país esteja muito tempo sem nome
Adaptado de
Alice Vieira, Rosa, minha irmã Rosa, Caminho

2. Diz que sinal de pontuação ou auxiliar de escrita usarias em cada um dos casos seguintes:
a) no início das falas _________________
b) a seguir aos verbos que introduzem as falas _________________
c) no final de uma frase, para indicar uma interrupção ou suspensão _________________
d) para isolar uma expressão _________________
e) no meio de uma frase, para indicar uma informação à parte _________________
f) no final de uma frase exclamativa _________________
g) para separar vários elementos numa lista _________________
h) para fazer uma pergunta _________________
i) no final de uma frase declarativa _________________

3. Coloca corretamente a vírgula que falta numa das frases seguintes e diz por que razão não a
podes colocar na outra.
a) Rosa não digas disparates.
_________________________________________________________________________________________
b) A minha irmã chama-se Rosa.
_________________________________________________________________________________________

58 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 5
Dicionário
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Leitura e Escrita

1. Lê os seguintes verbetes de dicionário.

ventilante adj. 2 gn. que ventila.


ventilar (Lat. ventilare), v. tr. 1 introduzir vento em. 2 refrescar, renovando o ar contido em
recinto fechado. 3 arejar. 4 limpar com joeira ou pá (cereais). 5 (fig.) debater. 6 discutir.
vento (Lat. ventu), n. m. 1 corrente de ar, mais ou menos forte, provocada pela diferença de
pressão entre várias camadas ou zonas da atmosfera e que se desloca em certa direção.
2 ar agitado por qualquer meio. 3 (fig.) sorte, influência favorável ou contrária. 4 faro.
LOC. 5 de ~ em popa, prosperamente. 6 pé-de-~, redemoinho; furacão. 7 beber os ~s por
(alguém), gostar muito (de alguém).
ventoinha (de vento), n. f. 1 cata-vento. 2 ventilador. 3 (fig.) pessoa volúvel, inconstante.
ventoinhar v. intr. 1 andar como ventoinha. 2 rodopiar. 3 (fig.) doidejar. 4 hesitar.
Dicionário universal da língua portuguesa, Texto Editores (adaptado)

1.1 Concentra-te apenas nas entradas e indica os nomes, os verbos e o adjetivo.


_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

1.2 Indica o género dos nomes.


_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

1.3 Rodeia a alínea correta.


► A abreviatura adj. 2 gn., na entrada «ventilante», significa que essa palavra

a) pode ser usada com os nomes «máquina» e «aparelho».


b) pode ser usada com o nome «aparelho», mas não pode ser usada com o nome
«máquina».

1.4 No artigo sobre a palavra «vento», indica:


a) a origem da palavra - ___________________________ ;
b) as abreviaturas de classe e do género da palavra - ___________________________ ;
c) o número de aceções/significados - ___________________________ ;
d) as locuções ou expressões em que a palavra é usada - __________________________ .

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 59


1.5 Escreve o número da aceção que corresponde ao significado da palavra «vento» nas
frases seguintes.
a) Quando passas a correr, fazes cá um vento! ____________________
b) O bom vento parecia não a largar. ____________________
c) É um cão de bom vento. ____________________
d) O vento atingiu 140 km/h. ____________________

2. Escreve as entradas de dicionário que procurarias para saberes o significado das palavras.
► cidadãs _________________________________________________
► deslumbrou-se _________________________________________________
► felizes _________________________________________________
► iria _________________________________________________
► sabichonas _________________________________________________
► sortudas _________________________________________________
► soube _________________________________________________
► doutoras _________________________________________________

3. Ordena por ordem alfabética as plavras de cada série.


a) carruagem, zebra, mexicano, luar, bolota, pinguim, saca-rolhas, osga
_________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________
b) cume, canoagem, colega, chuvada, custar, cereja, cimo, cloro
_________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________
c) espelho, explorar, esponja, ex-presidente, espírito, espairecer, esperar, expor
_________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________

60 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 6
Texto narrativo
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Leitura e Escrita

Lê o texto seguinte, orientando-te pelo título e prestando atenção aos espaços


em branco. Depois, responde às questões apresentadas.

O bolo-rei
O __A__ tomava-se muito a sério. Não havia discussão: ele era o rei dos
bolos.
Como tal, quando lhe caiu uma __B__ da coroa, ordenou ao __C__:
– Traz-me essa __D__ de volta.
5 O __E__ fez-se desentendido e respondeu:
– Sorry! I don’t understand…
O que queria dizer na língua dele que pedia desculpa, mas não tinha
entendido.
Então, o __F__ virou-se para um __G__ e deu a mesma ordem. Queria,
10 outra vez, a __H__ a ornamentar-lhe a coroa.
O __I__ tinha uma falha atrapalhada, por causa do excesso de __J__.
– Flá, plefe, pflu, pfló…
Não se percebia nada.
O __K__, muito irritado, ordenou ao __L__, que lhe respondeu:
15 – Também a mim me caiu uma __M__ torrada e não me queixo.
O __N__, cada vez mais exasperado, deu a mesma ordem a um __O__, mas
o __P__ era muito frágil, muito nervoso e só tremeu, tremeu, incapaz de dizer
ou fazer o que quer que fosse.
– São uns rebeldes estes meus súbditos – concluiu, numa grande exaltação,
o __Q__. – Condeno-os a que sejam todos cortados às fatias.
E assim aconteceu. Mas nem o __R__ escapou.
António Torrado, Dezembro à porta, Asa, 2005

1. Completa o texto com os nomes abaixo apresentados. Introduz cada nome uma primeira vez
no texto e repete-o quando for necessário para manter o sentido.
► amêndoa ► bolo de natas ► bolo-rei ► passa

► bolo de amêndoa ► bolo-inglês ► natas ► pudim de gelatina

2. Dá exemplos de duas pistas que seguiste para reconstruires o texto.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 61


3. Explica por que razão as afirmações que se seguem são verdadeiras, de acordo com o texto.
a) As características dos bolos e do pudim são usadas para se criar a narrativa.
b) Há uma relação entre os comportamentos de alguns bolos e o seu nome.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

4. Escreve uma narrativa em que as personagens sejam, por exemplo, um pastel de massa tenra,
fios de ovos e um bolo-mármore. Segue os passos seguintes.
a) De acordo com o modelo seguinte, constrói um mapa de ideias sobre as personagens e as
suas ações.

Mapa de ideias
Comportamento
Pastel de nata Ação
Característica

Comportamento
Personagens Fios de ovos Ação
Característica

Comportamento
Bolo-mármore Ação
Característica

b) Escreve o texto, respeitando o mapa de ideias.


c) Revê cuidadosamente o texto, quanto à ortografia, acentuação, pontuação, construção das
frases e organização das ideias, verificando se respeitaste o tema e a tipologia propostos.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

62 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 7
Texto descritivo
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Leitura e Escrita

Lê atentamente o texto seguinte e responde às questões apresentadas.

As sombras
Na sala havia uma velha porta de madeira
que rangia nos dias de chuva.
Naquela sala, onde passei os primeiros
quatro anos de escola, havia três janelas altas
5 que tomavam conta de uma parede. As outras
paredes não tinham janelas.
As três janelas deixavam ver um boca-
dinho de céu, uns farrapitos de nuvens e um
eucaliptal que parecia não ter fim.
10 Os nossos vizinhos mais chegados eram
aqueles eucaliptos, muito numerosos, muito
altos, muito verdes, muito ramalhudos1, que nos roubavam a luz e o calor do sol.
Havia dias, embrulhados em nevoeiro e ventania, em que os ramos dos eucaliptos se
fartavam de mexer e acenar, umas vezes muito depressa, outras muito devagarinho. E, de
15 repente, as paredes da sala começavam a ser habitadas por sombras que não paravam de mexer.
Por vezes, formavam formas estranhas.
Eu gostava imenso dessas sombras, porque elas me faziam sonhar.
Descobri sozinho que as sombras escondiam poderes mágicos; bastava fixar o olhar nas
paredes e esperar que a magia acontecesse.
20 Fixava o olhar naquelas paredes e, daí a instantes, começavam a acontecer coisas extraor-
dinárias.
Agora já esqueci a maior parte. Mas guardo comigo algumas. Porque foram tão bonitas, tão
extravagantes, tão excêntricas, nunca mais as esqueci nem penso vir a esquecê-las. São coisas
tão importantes como a minha pele ou o meu coração.
25 Ainda agora basta fechar os olhos para me lembrar, por exemplo, dos cavalos.
De vez em quando apareciam nas paredes da sala dois cavalos enormes, pretos, velozes,
com as suas belíssimas crinas levantadas pelo vento, galopando em pradarias que não tinham
fim. E era tão bonito ver os olhos meigos daqueles cavalos extraordinários que, de vez em
quando, relinchavam, e, cheios de vida e de alegria, apontavam para o céu as suas caudas
felpudas2 como se fossem bandeiras.
António Mota, Max e Achebixe – Uma História Muito Fixe, Texto Editores, pp. 10-14

1
Ramalhudos: com muitos ramos.
2
Felpudas: cobertas de pelo.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 63


1. No texto que leste são descritos vários elementos do espaço.
Seleciona a alínea que corresponde à ordem dessa descrição.
a) espaço exterior ► espaço interior ► espaço exterior
b) espaço interior ► espaço exterior ► espaço interior

2. Transcreve do texto uma frase que exemplifique uma descrição em que apareça o verbo ser no
pretérito imperfeito do indicativo e vários adjetivos. Respeita as regras de transcrição.
____________________________________________________________________________________________

3. A sala de aula é o espaço a partir do qual tudo acontece. Identifica e caracteriza os elementos
desse espaço.
____________________________________________________________________________________________

4. Que elementos do espaço exterior são observados a partir das janelas?


____________________________________________________________________________________________

5. Qual desses elementos projetava a sua sombra para o interior da sala?


____________________________________________________________________________________________

6. Explica por palavras tuas quais são «os poderes mágicos» das «sombras».
____________________________________________________________________________________________

7. Transcreve do texto:
a) uma comparação que mostra a importância das sombras para o narrador;
b) uma comparação usada para descrever um elemento dos cavalos.
_________________________________________________________________________________________

8. Escreve um texto em que apresentes as características da tua sala de aulas a alguém que não a
conhece.
• Faz uma lista dos elementos da sala (paredes, número de janelas, número de mesas e
cadeiras; armários, etc.).
• Atribui características a esses elementos, usando, por exemplo, adjetivos (grande, pequena,
branca), comparações (paredes brancas como a neve), explicações (a secretária, que fica ao
lado do armário). Podes também tentar caracterizar o ambiente que aí se vive (silencioso,
aconchegante, frio, etc.)
• Planifica a descrição, decidindo a ordem pela qual vais apresentar os elementos do espaço
e as suas características.
• Escreve o texto seguindo o teu plano.
• Revê cuidadosamente o teu texto, prestando atenção aos seguintes aspetos: ortografia,
acentuação, pontuação, construção das frases, apresentação das ideias.

64 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 8
Texto expositivo
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Leitura e Escrita

Lê atentamente o texto seguinte e responde às questões apresentadas.

As ajudantes do Pai Natal


A família dos cervídeos é formada por mamíferos ruminantes,
artiodáctilos e com hastes. Explicando melhor: ruminante significa que
apresenta o estômago dividido em vários compartimentos e que tem a
capacidade de ruminar. Ou seja, mastiga o alimento uma vez,
5 e depois de ir para o estômago, esse alimento regressa à boca para ser
mastigado uma segunda vez. Artiodáctilo quer dizer que apresenta, nas
patas, dedos em número par (cascos fendidos, formando uma espécie
de V entre eles). E em relação às hastes? Ao contrário dos cornos,
como nas vacas ou nos bodes, as hastes dos cervídeos são formadas
10 por osso, no seu interior. Todos os anos crescem hastes nos machos a
fim de estarem preparados para as lutas, na época de reprodução,
e caem algum tempo depois. Mais tarde, voltam a crescer.
A rena é um dos cervídeos mais conhecidos, por estar associada
ao Pai Natal. Vive nas zonas frias do Norte da Europa, Ásia e
15 América do Norte. É um cervídeo que gosta de viver em locais onde os
invernos são rigorosos. Nesta espécie de cervídeo, ao contrário de todas
as outras, tanto o macho como a fêmea apresentam hastes. As renas
alimentam-se de ervas e das folhas de pequenos arbustos rasteiros.
No inverno, como o solo está quase todo coberto de neve, alimentam-se
20 de líquenes. As renas acasalam antes do inverno e, após sete meses, as crias
nascem, por altura da primavera. Como o clima é rigoroso e é necessário
que as crias se adaptem rapidamente, dois meses após terem nascido, as crias
já se alimentam também de ervas. Ficarão na companhia da mãe cerca de um ano
e depois terão uma vida independente. Se tudo correr bem, poderão viver dezasseis
25 anos, na Natureza!
Visão Júnior, dezembro de 2010

1. Seleciona a intenção do autor deste texto.


a) Anunciar um evento.

b) Narrar uma história.

c) Expor informações.

d) Descrever uma paisagem.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 65


2. Seleciona a alínea correta para completares a afirmação.
Na sua globalidade, o texto fala
a) das hastes de alguns cervídeos.

b) da associação das renas ao Natal.

c) das crias das renas.

d) de uma das espécies de cervídeos.

2.1 O assunto do texto desenvolve-se em dois parágrafos. Indica a qual dos parágrafos
correspondem as informações seguintes.
a) Informações gerais sobre a família a que pertencem as renas.
b) Informações particulares sobre as renas.

3. Numera de 1 a 7 as informações seguintes de acordo com a ordem do texto. A primeira


informação já se encontra numerada.

Formação das hastes dos cervídeos.


Regime alimentar das renas.
Características gerais dos cervídeos.
Formação das patas dos cervídeos.
1 Mastigação dos cervídeos.
Reprodução das renas.
Habitat das renas.

4. Completa o quadro com as informações principais do texto.

a) Família das renas b) Associação ao Natal c) Habitat d) Características

e) Alimentação f) Acasalamento e reprodução g) Crias h) Período de vida

66 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 9
Narrativa 1
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Educação Literária

Lê atentamente o conto seguinte e responde às questões apresentadas.

A raposa aproveita-se do prestígio do tigre


O tigre andava esfomeado. Deixara-se dormir e, por isso, tinha a barriga a dar horas. Seria
bom se houvesse um bicho qualquer por perto, mesmo que fosse de pequeno porte. Nisto, viu
uma raposa e ficou radiante; já se preparava para a devorar quando o animalzinho lhe gritou:
– Um momento, como te atreves a alvitrar1 a hipótese de me deglutir2? Não sabes que por
5 decreto3 do Imperador do Céu passei a ser eu o rei dos animais? Duvidas de mim?
O tigre estava pasmado; como é que o Imperador Celestial o tinha destituído das suas
funções sem aviso prévio4? Custava-lhe a crer naquela história toda. Alem disso, não era
segredo para ninguém que as raposas são bichos sabidos, logo ela devia estar a enganá-lo.
A manhosa, vendo o tigre tão hesitante, prosseguiu com um riso sarcástico5:
10 – Duvidas? Segue-me!
O tigre pensou que era sua obrigação confirmar as palavras da raposa. Assim com a barriga
a dar horas, encheu-se de paciência e lá foi atrás dela.
Ora, à medida que o par caminhava, os valentes da floresta desertavam 6, tomados pelo
pânico que o felino lhes inspirava.
15 Ao ver o espetáculo, o rei da floresta embasbacou 7: «Meu Deus, como é possível que todos
temam um animalzinho destes?», cogitava8 sem se aperceber de que eles fugiam não da
manhosa mas dele próprio.
Wang Suoying e Ana Cristina Alves, Contos da Terra do Dragão, Caminho

1
Alvitrar: sugerir, propor.
2
Deglutir: engolir.
3
Decreto: decisão superior a que se tem de obedecer.
4
Prévio: feito antes.
5
Sarcástico: trocista.
6
Desertavam: fugiam.
7
Embasbacou: ficou pasmado.
8
Cogitava: pensava.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 67


1. Explica em que situação se encontrava o tigre inicialmente.
____________________________________________________________________________________________

2. Como reagiu ao ver a raposa? Porquê?


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

3. Que informação lhe deu então a raposa?


____________________________________________________________________________________________
3.1 Como é que o tigre recebeu essa informação? Por que razão reagiu dessa forma?
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

4. O que lhe sugeriu a raposa?


____________________________________________________________________________________________

5. «Ora, à medida que o par caminhava, os valentes da floresta desertavam […]». (linha 13)
Justifica esta reação dos animais.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

6. Conseguiu a raposa o que pretendia? Justifica a tua resposta.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

7. Identifica o recurso expressivo que permite dar voz às personagens do texto.


____________________________________________________________________________________________

8. Explica a razão por que podemos associar o provérbio seguinte à moralidade deste texto.
A necessidade é mestra da vida.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

9. Identifica as características das fábulas que podemos reconhecer neste texto.


____________________________________________________________________________________________

10. Escreve um texto em que apresentes a tua opinião sobre o comportamento do tigre ou da
raposa do conto que leste, seguindo estes passos:

 refere a personagem que escolheste;


 descreve o seu comportamento;
 indica a tua opinião sobre o seu comportamento, justificando.
__________________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________________

68 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 10
Narrativa 2
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Educação Literária

Lê atentamente o conto seguinte e responde às questões


apresentadas.

Regresso às aulas
As aulas estão quase a começar. A escola fica perto da nossa
casa – se é que àqueles três pavilhões pré-fabricados se pode dar o
nome de escola. Na porta da entrada está afixada a enorme lista de
material de que precisamos: régua de 20 cm, régua de 10 cm, esquadro,
5 transferidor, compasso, marcadores, tinta da china, lápis de cor, lápis preto,
borrachas, esferográficas, papel de lustro, papel cavalinho, cartolina, folhas
de desenho, folhas quadriculadas, folhas de linhas, papel de música, capas para
os cadernos, pincéis, godés, apara-lápis, tira-linhas, e por aí fora. A mãe foi
comigo comprar o que me faltava e deve ter gasto muito dinheiro porque levou o
10 caminho todo a refilar que se isto é o ensino gratuito, então as pessoas que
mandavam nestas coisas deviam ter uma ideia muito estranha acerca da palavra
«grátis». É claro que isto ainda não é tudo. Depois vão ser precisos novos livros para
cada disciplina, e se for como no ano passado vai ser engraçado: a gente a correr de loja em
loja, de livraria em livraria, e todos a dar a mesma resposta – o livro ainda não chegou, o livro
15 está esgotado, não temos, só para o mês que vem – até que veio o fim do 1.º período e dos
livros de Inglês e Ciências da Natureza nem cheiro.
É uma coisa que me diverte muito, arranjar os cadernos novos. Pegar nas folhas e colocá-las
em sua capa diferente, escrever o meu nome, o nome de cada disciplina, o ano, a turma, o
número. É bom passar a mão pelas folhas ainda em branco, mas que a gente sabe que dentro de
20 pouco tempo vão estar todas cheias de letras, palavras, desenhos, números, figuras
geométricas. Olho para estes cadernos novos e dá-me logo vontade de pegar numa
esferográfica e escrever, escrever, nem eu sei o quê.
Escrever que cresci, por exemplo. E não é só nas bainhas das saias e das calças que eu vejo
que cresci. É outra coisa. É um crescer cá por dentro, que nem sei que nome tem.
Alice Vieira, Lote 12, 2.º Frente, Caminho

1. O texto que leste é um texto narrativo. Associa corretamente os elementos das duas colunas.

a) narrador 1. escreve a história


b) personagem 2. conta a história
c) autor 3. participa na história

1.1 Como se chama o autor do texto?


_______________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 69


2. Identifica as duas personagens que participam na história.
____________________________________________________________________________________________

3. Seleciona a opção que completa a frase seguinte, de acordo com o texto.


O narrador deste excerto narrativo é
a) um rapaz que não participa na história.

b) um rapaz que participa na história.

c) uma menina que participa na história.

d) uma menina que não participa na história.

3.1 A partir de que informação do texto descobriste a identidade do narrador?


_______________________________________________________________________________________

4. Por que razão o narrador hesita em chamar «escola» à sua escola?


____________________________________________________________________________________________

5. No início do ano letivo, o narrador tem uma atividade preferida. De que atividade se trata?
____________________________________________________________________________________________

5.1 E tu? O que mais gostas de fazer quando começam as aulas? Explica porquê.
_______________________________________________________________________________________

6. Quando prepara os cadernos, que informações usa para os identificar?


____________________________________________________________________________________________

7. Coloca por ordem alfabética o material referido no texto:

► marcadores ► esferográficas ► borrachas ► godés

► capas ► lápis ► compasso ► papel

► esquadro ► apara-lápis ► cartolina ► tira-linhas

► tinta da china ► transferidor ► pincéis ► folhas

____________________________________________________________________________________________

7.1 Quais as letras iniciais que faltam para formares um alfabeto completo?
_______________________________________________________________________________________

8. Explica por palavras tuas o significado da afirmação «um crescer cá por dentro»?
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

70 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 11
Poesia 1
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Educação Literária

Lê o poema seguinte e responde às questões apresentadas.

Anúncio
Quarenta poetas Quarenta poetas
que dizem que são, quem lhes leva a palma?
quarenta poetas Quarenta poetas
no cais da estação. 20 perderam a calma.

5 Quarenta poetas Quarenta poetas


são muitos, imensos nervosos, com pressa…
no cais da estação E vai que um poeta
perderam os lenços. perdeu a cabeça.

Quarenta poetas 25 Perdeu a cabeça,


10 são mais do que as uvas! perdeu, de repente,
Que dor, que tormenta no cais da estação…
Perderam as luvas. O caso é urgente.

Quarenta poetas A quem a encontrar


de finas bengalas 30 avise para mim.
15 e mais finos versos Fui eu que a perdi.
perderam as malas. Há coisas assim.

António Torrado, in A Arte na Página, Bernard Jeunet: apanha-me também um poeta. Papéis Esculpidos,
org. Câmara Municipal do Barreiro, 2006

1. Qual é a palavra que mais se repete ao longo do poema?

____________________________________________________________________________________________

1.1 O que define melhor o assunto do poema: essa palavra ou o título?


_______________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 71


2. Transcreve do poema uma comparação usada para mostrar que os poetas na estação são
imensos.

____________________________________________________________________________________________

3. Enumera tudo o que os quarenta poetas perderam na estação.

____________________________________________________________________________________________

4. O autor do anúncio perdeu mais do que os outros, porque «perdeu a cabeça». O que significa
«perder a cabeça»?

____________________________________________________________________________________________

5. Faz uma lista de todas as palavras que rimam entre si.

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

6. Tendo em conta o número de versos, escolhe o nome que se dá a cada estrofe deste poema.

a) Terceto b) Quadra c) Quintilha

7. Faz a divisão em sílabas métricas dos versos seguintes.

«Quarenta poetas
nervosos, com pressa…
E vai que um poeta
perdeu a cabeça.»

8. Lê o artigo de dicionário da palavra anúncio e escolhe o significado que é utilizado no poema,


justificando a tua opção.

anúncio (n. m.)


1. Aviso ou notícia que se dá de alguma coisa. = comunicação
2. Mensagem escrita ou audiovisual que promove determinado produto ou serviço nos
principais meios de comunicação.
3. Sintoma, sinal.
www.priberam.pt (adaptado)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

72 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 12
Poesia 2
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Educação Literária

Lê o poema seguinte e responde às questões apresentadas.

Trepadeiras
Trepem, trepem trepadeiras!
Trepem, trepem pelo ar!
Que de plantas rasteiras,
está a terra a abarrotar.

5 Trepem, trepem trepadeiras!


Trepem, trepem sem parar!
E se o muro se acabar,
Trepem, trepem trepadeiras,
Por um raio de luar.
Jorge Sousa Braga, Herbário,
Assírio & Alvim

1. Refere o destinatário do poeta.


____________________________________________________________________________________________
2. Qual é o pedido feito pelo poeta?
____________________________________________________________________________________________
2.1 O poeta insiste nesse seu pedido. Como nos apercebemos dessa sua insistência?
_______________________________________________________________________________________

3. Faz a contagem das sílabas gramaticais do verso seguinte: «E se o muro se acabar»


3.1 Divide o mesmo verso nas suas sílabas métricas.
3.2 «Trepem, trepem trepadeiras! / Trepem, trepem sem parar!».
Divide e conta também em cada um dos versos anteriores:
a) as suas sílabas gramaticais; b) as suas sílabas métricas.

3.3 Seleciona a opção correta para completares a afirmação.


O número de sílabas gramaticais e o número de sílabas métricas de um verso
a) é sempre o mesmo. b) nunca é o mesmo. c) nem sempre é o mesmo.

3.4 Divide e conta as sílabas métricas do último verso da quintilha.

3.5 Consideras que o número de sílabas métricas dos versos que dividiste contribui para que o
poema tenha um ritmo regular ou irregular?
_______________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 73


Ficha 13
Teatro
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Educação Literária

Lê atentamente o texto seguinte e responde às questões apresentadas.

O Príncipe Nabo
A sala do trono: um tapete, cortinados pesados,
algumas cadeiras, móvel carregado de
«bibelots», uma jarra enorme. O retrato do rei
na parede, um espelho. No centro, o trono.
5 Aurora – A limpar, com um espanador, a jarra
enorme. Hoje é que vai ser. Estou ansiosa por
saber o que acontece. Vou espreitar pelo buraco
da fechadura. «Não devemos perder os
momentos históricos», costuma dizer o rei. Ri-se.
10 Carolina – É a sexta vez que mandam cá vir uma data de príncipes para a princesa escolher
um marido.
Aurora – Um marido, não, um príncipe consorte.
Carolina – Com sorte… hum… Sei lá se é uma sorte casar com a princesa.
Aurora – Má língua!
15 Carolina – Ora essa, só digo o que toda a gente diz. De resto, quem tem a sorte toda é ela.
Os pretendentes aparecem-lhe em casa, e logo aos magotes! Raparigas da nossa laia precisam
de correr Seca e Meca aos domingos depois das três, da Igreja para a feira, dali para a Avenida
e para as transversais, e de homem para casar nem sinal. Suspira.
Lucas – É que tu não és uma princesa e não tens nem castelo nem fortuna.
20 Aurora – Virá hoje alguém que lhe agrade?
Lucas – Não me parece. Príncipes como ela quer não existem neste mundo. Ou são gordos, ou
são magros, pequenos, altos demais…
Carolina – Ou então loiros demais, morenos demais…
Aurora – Ela quer um príncipe perfeito…
25 Lucas – Um príncipe perfeito. Já há um ror de anos que sirvo neste castelo e nunca cá vi um
príncipe perfeito. Afinal toda a gente tem falhas, tanto faz que sejam príncipes como criados.
Eu, por exemplo…
Carolina – És magro demais.
Lucas – Pronto, lá está!
30 Aurora – E o cozinheiro é gordo demais.
Aparece o cozinheiro.
Cozinheiro, ofendido – Estás a falar a sério, Aurora?
Aurora – Não faças essa cara, rapaz. Bem sabes que gosto de ti. Afaga-lhe a cara. Não sou
assim tão difícil de contentar como a princesa Beatriz.
35 Entra o Marechal da Corte.
Marechal da Corte – Então na pândega, hein? E a sala por limpar!

74 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Os três põem-se a trabalhar. O Marechal da Corte espreita para todos os cantos, passa o dedo
sobre o móvel e depois sobre o jarrão. Hum! Carolina, torna a espanar este jarrão: está cheio
de pó. E tu, cozinheiro, que andas por aqui a fazer? Se não me engano o teu lugar é na cozinha.
40 Estou a ver que hoje não vamos ter o jantar pronto a horas, seu mandrião.
Ilse Losa, O Príncipe Nabo, Edições Afrontamento, 2000

1. Indica o espaço onde decorre a ação desta cena de O Príncipe Nabo.


____________________________________________________________________________________________

2. Que personagens são referidas, mas não entram em cena nesta parte do texto?
____________________________________________________________________________________________

3. Por que razão Aurora afirma que vai «espreitar pelo buraco da fechadura» (linhas 7 e 8)?
O que pretende descobrir?
____________________________________________________________________________________________

4. Na sua primeira fala, Aurora refere uma recomendação habitual do rei relativa aos momentos
históricos. O que pode acontecer para que este dia seja marcado por um «momento
histórico»?
____________________________________________________________________________________________

5. No final da sua terceira fala, Carolina suspira. Justifica esse comportamento da personagem.
____________________________________________________________________________________________

6. A partir das informações dadas pelas personagens em cena, seleciona os adjetivos que
poderão caracterizar a princesa Beatriz.

► caprichosa ► invejosa ► exigente ► presunçosa ► humilde

7. Caracteriza a atitude do Marechal da Corte ao entrar em cena. Justifica a tua resposta.


____________________________________________________________________________________________

8. Transcreve do texto exemplos de indicações cénicas relativas

a) ao cenário:
_____________________________________________________________________________________________

b) ao comportamento de uma personagem:


_____________________________________________________________________________________________

c) à entrada em cena de uma personagem:


_____________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 75


Ficha 14
Recursos expressivos
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Educação Literária

1. Associa cada explicação da coluna A a um recurso expressivo da coluna B.

Coluna A Coluna B
a) Apresenta uma lista de elementos relacionados entre si e 1. Comparação
ajuda a especificar o que queremos dizer ou mostrar.
b) Permite que os objetos, animais, plantas e outros elementos 2. Personificação
da natureza se comportem e se sintam como as pessoas.
c) Palavras que usamos para reproduzir os sons, tornando as 3. Enumeração
situações mais vivas.
d) Serve para estabelecer uma relação de semelhança entre 4. Onomatopeia
dois elementos e é muito importante nas descrições.

2. Lê atentamente os excertos e identifica os recursos expressivos seguintes: comparação,


personificação, enumeração ou onomatopeia. Em alguns casos, podes ter mais do que um
recurso.

A. As altas túlipas raiadas de várias cores endireitavam-se nos seus caules como longas
filas de soldados, e desafiavam as rosas do outro lado do jardim, dizendo: «Agora já
somos tão magníficas como vocês».
Oscar Wilde, O aniversário da Infanta, Porto, Porto Editora, 2014

A. ________________________________________

B. Ouviu Jorinda cantar:


– O passarito do anel azul,
(que triste sorte!)
à pomba canta a sua morte
Tristemente canta: tac-tac-uit-uitz
Os mais belos contos de Grimm, Porto, Civilização, 1994

B. ________________________________________

C. Ana – Pareceu-me ver uma criatura pequena. Era negra como uma sombra. Ou terei
sonhado?
Álvaro Magalhães, Enquanto a cidade dorme, Asa, 2008

C. ________________________________________

76 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


D. O vendaval cortava como um chicote e, a meio caminho, uma chuva grossa, gelada,
começou a precipitar-se do céu cinzento.
Luísa Ducla Soares, O dragão, Porto, Porto Editora, 2014

D. ________________________________________

E. A praia estava coberta de espumas deixadas pelas ondas da tempestade. Eram fileiras e
fileiras de espuma que tremiam à menor aragem. Pareciam castelos fantásticos, brancos
mas cheios de reflexos de mil cores.
Sophia de Mello Breyner Andresen, A menina do mar, Porto, Figueirinhas, 1998

E. ________________________________________

F. Eu sou o peru do Natal Bem podia lá ter estado,


Que anima a consoada, mesmo junto das palhinhas
fiquei fora do presépio em vez de ser cozinhado
nessa noite festejada. entre tenras batatinhas.
José Jorge Letria, O livro do Natal, Oficina do Livro

F. ________________________________________

G. Limpo palavras.
Recolho-as à noite, por todo o lado:
a palavra bosque, a palavra casa, a palavra flor.
[…]

Limpo palavras.
A palavra búzio, a palavra lua, a palavra palavra.
Álvaro Magalhães, O limpa-palavras e outros poemas, Lisboa, Asa, 2002

G. ________________________________________

H. É uma coisa que me diverte muito, arranjar os cadernos novos. Pegar nas folhas e
colocá-las em sua capa diferente, escrever o meu nome, o nome de cada disciplina, o
ano, a turma, o número. É bom passar a mão pelas folhas ainda em branco, mas que a
gente sabe que dentro de pouco tempo vão estar todas cheias de letras, palavras,
desenhos, números, figuras geométricas.
Alice Vieira, Lote 12, 2.º Frente, Lisboa, Caminho, 2001

H. ________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 77


Ficha 15
Sons
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Gramática

1. Rodeia os sons de vogais nasais nas palavras seguintes.

► mentol ► canção ► monge ► mundo ► minto

► contagem ► cinco ► cêntimo ► romã ► ringue

► sonda ► lenda ► amêndoa ► manta ► presunto

2. Identifica as palavras que têm ditongos orais e sublinha-os.

► queijo ► vaivém ► razões ► foice ► peixe

► camaleão ► sóis ► caixa ► pincéis ► pães

► quadro ► fui ► autocarro ► anzóis ► cuidado

2.1 Copia para o quadro as palavras anteriores que apresentam ditongos nasais.

3. Lê as palavras e completa o quadro.

► saída ► faixa ► rei ► rainha ► lei

► cientista ► Turquia ► tranquilo ► ruído ► Rui

► moído ► mói ► mãe ► azuis ► Luísa

Palavras com ditongos Palavras com hiatos

78 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 16
Sílabas
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Gramática

1. Faz a divisão silábica das palavras.

► não __________________________ ► catapultar ___________________________

► alto __________________________ ► naquele ___________________________

► miúda __________________________ ► rei ___________________________

► mais __________________________ ► amendoado ___________________________

► Daniel __________________________ ► contramão ___________________________

► sortear __________________________ ► desorientada ___________________________

► sai __________________________ ► esverdeado ___________________________

► isto __________________________ ► facto ___________________________

► desta __________________________ ► universalmente ___________________________

► raio __________________________ ► numa ___________________________

► foi __________________________ ► ilustrar ___________________________

► pães __________________________ ► botõezinhos ___________________________

1.1 Completa o quadro com as palavras anteriores.

Monossílabos Dissílabos Trissílabos Polissílabos

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 79


2. Lê os textos e presta atenção à palavra final de cada verso.

A. ___________________________ B. ___________________________
Quem vai quem vem A Mónica
de Santarém a Belém tinha uma máquina
quem vem quem vai e tinha uma mágica
de Belém ao Paraguai e tinha uma métrica
do Paraguai ao Brasil e tinha uma música
do Brasil ao Paquistão e tinha uma tónica
do Paquistão ao Estoril mesmo no meio da
à partida era só um cabeça.
à chegada mais de mil.

José Fanha, Esdrúxulas, graves e agudas, magrinhas e barrigudas, Texto Editores

2.1 Escolhe o título mais adequado a cada cantiga, de acordo com a classificação da maior
parte das palavras usadas no fim dos versos.

► Cantiga esdrúxula ► Cantiga aguda

3. Completa agora a Cantiga grave, escolhendo as palavras graves em cada par.

Cantiga grave
É grave é muito grave
se a ___________________ sonha ser uma ___________________
e se a ___________________ sonha ser uma ___________________
se a ___________________ sonha ser uma ___________________
e se a ___________________ sonha ser uma ___________________ .

► 1.o par: flor/sereia, girafa/maré


► 2.o par: girafa/âncora, mulher/cantora
► 3.o par: colher/cantora, garrafa/sílaba
► 4.o par: garrafa/romã, vassoura/pá

3.1 Classifica as palavras que não usaste quanto à posição da silaba tónica.
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 17
Nome
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Gramática

1. Sublinha os nomes próprios e rodeia os nomes comuns no poema.

Hermengarda da Bretanha
Hermengarda da Bretanha
foi de férias pr’a Gafanha,
com escala no Saldanha
para apanhar o autocarro
que a levasse para a montanha.
Encontro o dr. Pessanha
que, dentro do lavatório,
amestrava uma piranha,
enquanto, com a mão livre,
comia uma lasanha.
José Jorge Letria,
Mão-cheia de rimas para primos e primas,
Terramar

2. Completa os nomes com as letras maiúsculas ou as letras minúsculas em falta, conforme sejam
próprios ou comuns.

_____ eja _____ uriço


_____ alde _____ lga

_____ gito _____ tália


_____ gípcio _____ nverno

_____ lface _____ eatro _____ acional _____ ão _____ oão


_____ na _____ elevisão

_____ evereiro _____ ortalegre


_____ igueira da _____ oz _____ eixe-espada

_____ ita _____ istério


_____ ola _____ inistério da _____ ducação

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 81


3. Faz corresponder cada conjunto a um nome coletivo, como no exemplo.

Conjunto Nome coletivo


a) lobos 1. formigueiro
b) camelos 2. vara
c) formigas 1 3. bando
d) peixes 4. matilha
e) abelhas ou vespas 5. cáfila
f) animais de uma região 6. récua
g) bois, vacas, cavalos, elefantes… 7. fauna
h) cães 8. alcateia
i) aves recém-nascidas 9. enxame
j) insetos 10. cardume
k) animais de cargas 11. ninhada
l) porcos 12. nuvem
m) pássaros 13. manada

3.1 Escreve o nome coletivo à frente do respetivo conjunto.

Flor pomar pinhal renque sobral souto

Conjunto Nome coletivo

a) árvores de fruto

b) árvores alinhadas

c) castanheiros

d) sobreiros

e) pinheiros

f) vegetação de uma região

82 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


3.2 Rodeia o conjunto que corresponde a cada nome coletivo.

► Caravana viajantes montanhas aviões

► Cordilheira aviões montanhas casas

► Coro músicos cantores navios

► Esquadrilha aviões soldados ladrões

► Exército navios soldados pessoas

► Frota pessoas casas navios

► Girândola foguetes quinhentas folhas ladrões

► Quadrilha músicos quinhenta folhas ladrões

► Resma ilhas quinhentas folhas estrelas

► Casario ilhas casas músicos

► Orquestra estrelas músicos ilhas

3.3 Quais são os nomes coletivos para os conjuntos que não rodeaste?
_________________________________________________________________________________________

4. Escreve o feminino de cada nome, de acordo com a regra.


► De um modo geral, o feminino forma-se a partir do masculino, com a substituição das
vogais –o ou –e por –a.
pombo → ______________________________
governante → ______________________________

► Aos nomes terminados em consoante acresenta-se um –a.


agricultor → ______________________________
freguês → ______________________________

► Os nomes terminados em –ao formam o feminino em –ao, -ã,


ou –ona.
beirão → ______________________________
cirurgião → ______________________________
comilão → ______________________________

► Os nomes terminados em –tor ou -dor formam o feminino em


–triz ou –eira.
cantador → ______________________________
ator → ______________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 83


► Alguns nomes formam o feminino com as terminações –esa, –essa e –issa.
duque → ______________________________ profeta → ______________________________
conde → ______________________________

► Os nomes terminados em –eu mudam a terminação para –eia ou -ia.


europeu → ______________________________ judeu → ______________________________

► Em alguns nomes, o feminino é formado por uma palavra diferente.


genro → ______________________________

► Há nomes que não se alteram no feminino.


o pianista → ______________________________

► Há nomes só usados no masculino ou feminino, aos quais se acrescenta,


em alguns casos, a palavra «macho» ou «fêmea».
Besouro macho → ______________________________

5. Escreve o feminino dos nome seguintes.

► abade _______________________ ► juiz _________________________


► baleia _______________________ ► imperador _________________________
► bode _______________________ ► lavrador _________________________
► camponês _______________________ ► leitor _________________________
► cavalheiro _______________________ ► marquês _________________________
► cavalo _______________________ ► mestre _________________________
► embaixador _______________________ ► padrinho _________________________
► indígena _______________________ ► pigmeu _________________________
► jornalista _______________________ ► poeta _________________________

6. Sublinha os nomes que não têm uma forma para o masculino.

► corça ► sentinela ► testemunha ► perdiz ► pessoa

7. Escreve o feminino de cada nome na coluna correspondente.

patrão aldeão leão chorão ancião valentão

leitão / leitoa cidadão / cidadã figurão / figurona

84 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


8. Escreve o plural de cada nome, de acordo com a regra.
► Quando o nome termina em vogal ou ditongo, acrescenta-se um –s ao singular.
livro → ______________________________
rei → ______________________________
► Os nomes terminados em –m substituem o –m por -ns.
armazém → ______________________________
atum → ______________________________
► Os nomes terminados em consoante formam o plural em –es.
rapaz → ______________________________
ananás → ______________________________
► Os nomes terminados em –ão formam o plural em –ões, –ães ou –ãos.
melão → ______________________________
cão → ______________________________
cidadão → ______________________________
► Os nomes terminados em –al, –el, –ol, -ul substituem, no plural, -l por –is.
avental → ______________________________
túnel → ______________________________
caracol → ______________________________
azuis → ______________________________
► Os nomes terminados em –il substituem o –l por –s.
covil → ______________________________
► Os nomes graves terminados em –il substituem o –il por –eis.
réptil → ______________________________
► Há nomes que não se alteram no plural.
o atlas → ______________________________

9. Escreve o plural dos nome seguintes.

► ação ___________________________ ► país ____________________________


► bombom ___________________________ ► pão ______________________________
► festival ___________________________ ► peão ______________________________
► íman ___________________________ ► carrossel ______________________________
► jardim ___________________________ ► projétil ______________________________
► míssil ___________________________ ► robô ______________________________
► órgão ___________________________ ► som ______________________________
► pagão ___________________________ ► varapau ______________________________
► pai ___________________________ ► voz ______________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 85


10. Escreve o plural dos diminutivos.
► Leãozinho _________________________________
► Cãozinho _________________________________
► Hotelzito _________________________________

11. Rodeia os nomes que têm uma forma única para singular e para o plural.

► chávena ► pires ► lápis ► afia ► barco ► cais

12. Rodeia os nomes que só se usam ou no singular ou no plural.

► cócegas ► aldeia ► sul ► parabéns ► riacho ► trigo

13. Completa o quadro com os graus dos nomes.

Grau diminutivo Grau normal Grau aumentativo

copo

colher

prato

casa

sala

dente

boca

rapaz

rapariga

mulher

homem

cão

gato

peixe

86 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 18
Determinante
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Gramática

1. Retira os determinantes usados nestas duas tiras de banda desenhada e indica a respetiva
subclasse.

Morris & Goscinny, Lucky Luke, Jesse James, ASA


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

2. Completa as frases com os determinantes indicados.


a) Que bandido é esse que tanto assusta ______________ (determinante artigo definido)
habitantes da cidade?
b) ______________ (determinante artigo definido + determinante possessivo) palpite é que ele
vai mesmo atacar ______________ (determinante demonstrativo) cidade de que se fala aí,
mas posso estar enganado…
c) ______________ (determinante demonstrativo) habitante que está ali na fila do banco tem
medo de perder ______________ (determinante artigo definido + determinante possessivo)
economias.
d) ____________ (determinante demonstrativo + determinante possessivo) livro do Lucky
Luke que eu estou aqui a ler tem ______________ (determinante artigo indefinido) piadas
giras. Tu emprestas-mo?
e) Há ______________ (determinante artigo indefinido) bandidos terríveis na cidade. Qual é
______________ (determinante artigo definido) herói que conseguirá detê-los?

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 87


3. Lê o texto e sublinha os determinantes artigos indefinidos.

Um conto de fadas moderno, «A lenda de Despereaux», conta a história de vários heróis


improváveis: Despereaux, um valente ratinho banido para as masmorras por falar com um
humano; Roscuro, uma ratazana de bom coração que adora a luz e a sopa, mas que se vê
exilada na escuridão; Pea, uma princesa num castelo sombrio, prisioneira do desgosto de seu
pai; e Mig, uma criada que sonha ser princesa e que se vê forçada a servir o carcereiro.
http://cinema-sapo.pt (consultado em 1/2/2012)

3.1 Reescreve a passagem seguinte, substituindo a palavra destacada por um determinante


artigo indefinido: «Conta a história de vários heróis improváveis […].»
_______________________________________________________________________________________

3.2 Indica o género e o número do determinante que usaste.


_______________________________________________________________________________________

3.3 Por que razão tem o determinante que usaste esse género e esse número?
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

3.4 Identifica os determinantes artigos definidos contraídos nas seguintes palavras retiradas do
texto, indicando o género e o número de cada um.
a) «na» _______________________________________________________________________________
b) «do» _______________________________________________________________________________

3.5 Transcreve do texto os restantes determinantes artigos definidos e os nomes que eles
acompanham.
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

3.6 Identifica o determinante possessivo usado no texto, indicando o género, o número e a


pessoa.
_______________________________________________________________________________________

88 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 19
Pronome
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Gramática

1. Sublinha os pronomes usados no poema.

Alforreca e Faneca
Pobre de mim, tão Faneca,
Alforreca me fascina,
sigo atrás da sua coroa,
dos seus terríveis cabelos
de gelatina e de prata:
só o vê-los me atordoa,
só o tocá-los me mata.

Violeta Figueiredo,
in Sophia de Mello Breyner
Andresen, Primeiro livro
de poesia, Caminho

1.1 Indica a sua subclasse.


_______________________________________________________________________________________

2. Reescreve as frases, substituindo as expressões destacadas pelos pronomes pessoais apre-


sentados.

a lhes elas o nós lhe eles

a) A truta e o achigã não são peixes do mar.


_________________________________________________________________________________________

b) Eu e o João fizemos mergulho.


_________________________________________________________________________________________

c) Fotografei uma moreia.


_________________________________________________________________________________________

d) Dei a fotografia ao meu pai.


_________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 89


e) A minha máquina assustou um polvo.
_____________________________________________________________________________________

f) Tirei várias fotografias aos peixes.


_________________________________________________________________________________________

g) A raia e a moreia aparecem em muitas fotografias.


_________________________________________________________________________________________

3. Indica os pronomes usados em cada frase e a respetiva subclasse.

a) Este meu dossiê é mais largo do que aquele teu.


_________________________________________________________________________________________

b) Este compasso é melhor do que este.


_________________________________________________________________________________________

c) O professor usou-o na aula.


_________________________________________________________________________________________

d) Queres esta lapiseira ou aquela?


_________________________________________________________________________________________

e) Ela é tua ou é do professor?


_________________________________________________________________________________________

f) O nosso professor emprestou-nos o microscópio.


_________________________________________________________________________________________

g) Isto não é nosso.


_________________________________________________________________________________________

90 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 20
Adjetivo
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Gramática

1. Escreve o feminino dos adjetivos.

► lento ___________________________ ► afegão ___________________________

► francês ___________________________ ► ligeiro ___________________________

► puro ___________________________ ► cru ___________________________

► valentão ___________________________ ► encantador ___________________________

► lustroso ___________________________ ► são ___________________________

► belo ___________________________ ► mandrião ___________________________

► ajuizado ___________________________ ► chinês ___________________________

2. Rodeia os adjetivos que têm uma única forma para o masculino e para o feminino.

► cortês ► difícil ► guloso

► alto ► saudável ► ágil

► audaz ► verde ► amoroso

► irritadiço ► piegas ► ímpar

► inteligente ► pedrês ► rico

► branco ► fácil ► superior

► capaz ► árabe ► ruim

► certo ► luminoso ► comum

► amável ► breve ► feliz

► interessante ► doce ► saboroso

► curto ► humilde ► azul

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 91


3. Escreve o plural dos adjetivos seguintes.

► ágil ___________________________ ► finlandês ___________________________

► amável ___________________________ ► fácil ___________________________

► árabe ___________________________ ► feliz ___________________________

► audaz ___________________________ ► fiel ___________________________

► bestial ___________________________ ► ímpar ___________________________

► capaz ___________________________ ► incolor ___________________________

► comum ___________________________ ► ruim ___________________________

► cortês ___________________________ ► saudável ___________________________

► difícil ___________________________ ► superior ___________________________

4. Completa o quadro com os adjetivos no género e no número indicados.

Masculino Feminino
singular plural singular plural
bom
catalão
dinamarquês
odioso
glutão
luxuoso
mau

5. Rodeia os adjetivos que têm uma forma para o singular e outra para o plural.

► simples ► piegas

► cru ► especial

► meigo ► rijo

► inicial ► dócil

92 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


6. Escreve os adjetivos referentes a cada região.

► Minho:
homem ______________________________ homens ______________________________
mulher ______________________________ mulheres ______________________________

► Trás-os-Montes:
rapaz ______________________________ rapazes ______________________________
rapariga ______________________________ raparigas ______________________________

► Douro:
campo ______________________________ campos ______________________________
vila ______________________________ vilas ______________________________

► Beira:
menino ______________________________ meninos ______________________________
menina ______________________________ meninas ______________________________

► Estremadura:
produto ______________________________ produtos ______________________________
aldeia ______________________________ aldeias ______________________________

► Ribatejo:
traje ______________________________ trajes ______________________________
paisagem ______________________________ paisagens ______________________________

► Alentejo:
monte ______________________________ montes ______________________________
planície ______________________________ planícies ______________________________

► Algarve:
pão ______________________________ pães ______________________________
serra ______________________________ serras ______________________________

6.1 Regista o adjetivo invariável e justifica a tua opção.


_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 93


7. Escreve o adjetivo que corresponde a cada nome.

Nome Adjetivo Nome Adjetivo


amabilidade luminosidade
beleza luxo
dúvida medo
facilidade nação
gentileza obscuridade
hospitalidade perspicácia
inovação velocidade

8. Altera a frase, de acordo com a instrução dada quanto ao grau do adjetivo.

► Este rio é largo.

a) Grau comparativo de superioridade.


_________________________________________________________________________________________
b) Grau comparativo de igualdade.
_________________________________________________________________________________________
c) Grau comparativo de inferioridade.
_________________________________________________________________________________________
d) Grau superlativo relativo de inferioridade.
_________________________________________________________________________________________
e) Grau superlativo absoluto analítico.
_________________________________________________________________________________________
f) Grau superlativo absoluto sintético.
_________________________________________________________________________________________

9. Reescreve cada adjetivo no grau superlativo absoluto sintético.


a) limpo __________________________________ d) branco _________________________________
b) inteligente _____________________________ e) rápido __________________________________
c) triste __________________________________ f) embaraçado ____________________________

9.1 Sublinha a sílaba tónica de cada adjetivo que escreveste.

94 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


10. Escreve as formas corretas dos adjetivos nos graus indicados.
a) A bicicleta nova é _____________ (bom / grau comparativo de superioridade) a antiga?
b) Esta bicicleta é _____________ (bom / grau superlativo relativo de superioridade)!
c) A minha bicicleta é _____________ (bom / grau superlativo absoluto analítico).
d) É _____________ (bom / grau superlativo absoluto sintético)!
e) A manhã de hoje está _____________ (mau / grau comparativo de superioridade) a
tarde de ontem, para andar de bicicleta.
f) Esta manhã foi _____________ (mau / grau superlativo relativo de superioridade) de
todas!
g) A manhã está mesmo _____________ (mau / grau superlativo absoluto analítico) para
andar de bicicleta…
h) Que manhã _____________ (mau / grau superlativo absoluto sintético)!
i) O ciclista atingiu uma velocidade _____________ (grande / grau comparativo de
superioridade) a do seu companheiro de equipa.
j) Foi _____________ (grande / grau superlativo relativo de superioridade) velocidade
que atingiu até hoje.
k) Torna-se perigoso quando os ciclistas atingem uma velocidade ____________ (grande /
grau superlativo absoluto analítico)?
l) O ciclista atingiu a sua velocidade _____________ (grande / grau superlativo absoluto
sintético) nessa prova.

11. Em cada frase, identifica o adjetivo usado e o respetivo grau.


a) Quem foi o melhor no campeonato de kitesurf?
_______________________________________________________________________________________
b) Há ali umas pranchas menores do que essas.
_______________________________________________________________________________________

12. Reescreve cada frase, usando as formas irregulares do adjetivo «pequeno» para substituíres as
expressões destacadas.
a) Este skate é o mais pequeno.
_______________________________________________________________________________________
b) Este skate é mais pequeno do que o teu.
_______________________________________________________________________________________
c) Este skate é pequeníssimo.
_______________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 95


13. Reescreve cada frase, usando o grau superlativo absoluto sintético dos adjetivos.
a) É um ciclista muito veloz.
_______________________________________________________________________________________
b) Para além dos companheiros de equipa, são muito amigos.
_______________________________________________________________________________________
c) Os atletas acharam a prova muito fácil.
_______________________________________________________________________________________
d) Aquele ciclista é muito simpático!
_______________________________________________________________________________________
e) Esta subida é muito difícil.
_______________________________________________________________________________________

14. Sublinha os adjetivos numerais na frase seguinte.


À décima tentativa, consegui fazer, pela primeira vez, um pino decente!

15. Escreve o adjetivo numeral que corresponde a cada expressão numérica.


a) 3.a _______________
b) 15.o _______________
a
c) 28. _______________
o
d) 42. _______________

96 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 21
Quantificador
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Gramática

1. Retira cada nome antecedido por um quantificador numeral no poema seguinte.

Sete laranjas de ouro


‘Stão sete laranjas de ouro,
pousadinhas no teu colo,
sete sóis, sete desejos,
só com um não me consolo.
Dá-me duas, dá-me três,
Dá-me cinco, dá-me seis,
por cada sol que me deres
pouso uma rosa a teus pés.
Francisco Duarte Mangas e João
Pedro Mésseder, Breviário do Sol,
Caminho

1.1 Rodeia, agora, os quantificadores que antecedem esses nomes no poema.

2. Sublinha os nomes que podem ser antecedidos por quantificadores numerais, como «um»,
«quatro», «dez», «vinte»…

► areia ► grão ► óleo ► gota ► animal

► milho ► cardume ► fauna ► balde ► arroz

3. Sublinha os quantificadores numerais em cada alínea.


a) Levas todas as laranjas? Não. Levo só quatro laranjas.
b) Aqui só está um cesto, mas há muitos lá dentro.
c) Tenho poucas maçãs. Dá-me mais duas maçãs, por favor.

3.1 Reescreve, agora, as frase, substituindo as palavras destacadas por quantificadores


numerais. Terás de fazer algumas alterações.
a) ____________________________________________________________________________________
b) ____________________________________________________________________________________
c) ____________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 97


Ficha 22
Preposição
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Gramática

1. Sublinha as preposições e as contrações de preposições no texto seguinte.

Papagaio louro de bico dourado


6-12 anos
A exposição de Papagaios da China, patente no Museu do Oriente, dá o
mote a uma oficina que ensina os mais novos a construírem o seu próprio
papagaio de papel. O ateliê revela um pouco da história destes enigmáticos objetos, que
terão surgido na China há mais de dois mil anos.
http://agendalx.pt

Preposições Contrações de preposições

1.1 Identifica as palavras que deram origem às contrações de preposições que encontraste.
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

2. Completa as frases com as contrações de preposições indicadas.


a) Construí um papagaio _____________ (em + esta) oficina.
b) _____________ (em + aquele) dia, visitámos a exposição.
c) Gosto muito _____________ (em + estes) papagaios.
d) Participei _____________ (em + uma) oficina _____________ (por + a) primeira vez.
e) Agora já acredito _____________ (em + isso).
f) Dediquei muito tempo _____________ (a + aquele) papagaio.

98 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


3. Lê a frase e circunda as preposições simples.

Dormindo com os tubarões


Apesar de imponentes, velozes, enormes e assustadores, a maioria dos tubarões não é
perigosa para o Homem, sendo, por isso, uma excelente companhia para a noite!
http://www.oceanario.pt

3.1. Transcreve a contração de preposição usada no texto, indicando as palavras contraídas,


bem como a respetiva classe e subclasse.
_______________________________________________________________________________________

4. Completa as frases com preposições simples, sem as repetires.


a) Estás ____________ vontade ____________ dormir ____________ frente ao aquário dos tubarões?
____________ muito tempo, espreitaremos os tubarões que passam ____________ ali.
b) Estivemos muito tempo ____________ dormir, mas ____________ duas horas lá adormecemos
____________ ver os tubarões!
c) Sentámo-nos ____________ os sacos-camas ____________ observarmos o aquário e, ____________
os vários peixes que ali nadavam, fomos vendo passar tubarões, ____________ os mais
ameaçadores ____________ aos mais cómicos.

5. Escreve a forma da contração da preposição a com as palavras seguintes.


a) as ____________
b) aquela ____________
c) aqueles ____________
d) aquilo ____________

5.1 Identifica o acento gráfico que usaste obrigatoriamente nas contrações que escreveste.
_______________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 99


Ficha 23
Advérbio
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Gramática

1. Substitui as expressões destacadas por advérbios terminados em –mente.


a) Ela espirrou com violência. ______________________________________________
b) Eles dormiram com tranquilidade. ______________________________________________
c) Ele falou com inteligência. ______________________________________________
d) O homem reagiu com simpatia. ______________________________________________
e) Ela brincou com serenidade. ______________________________________________
f) Eles avançaram com lentidão. ______________________________________________
g) Nós ouvimos tudo com atenção. ______________________________________________
h) Ele atrasou-se com certeza. ______________________________________________
i) Chegarei em breve. ______________________________________________

2. Escreve a forma da contração da preposição a com as palavras seguintes: além, amanhã, aqui,
sempre, acolá, nunca.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

2.1 Distingue os advérbios que nos dão indicações de tempo dos que dão indicações de lugar.

Tempo Lugar

100 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


3. Lê o texto e sublinha os advérbios.

A sequoia
Ela é muito, muito velha,
mas está bem conservada.
Ela é tão grande, tão grande,
que não cabe nesta quadra.
Jorge Sousa Braga, Herbário,
Assírio e Alvim

3.1 Identifica o valor de cada advérbio que sublinhaste no texto.


_______________________________________________________________________________________

4. Reescreve as frases, substituindo cada sequência de palavras destacadas por um advérbio. Deves
manter o sentido das frases.
a) Avançámos com calma pelo bosque.
_________________________________________________________________________________________
b) Há várias espécies botânicas neste lugar.
_________________________________________________________________________________________
c) Neste momento, já conhecemos uma série de espécies botânica.
_________________________________________________________________________________________

4.1 Indica o valor dos advérbios que escreveste.


_______________________________________________________________________________________

5. Completa cada pergunta com um advérbio interrogativo.

a) ____________________ foram? c) ____________________ foram?


Ao bosque. A pé, claro!

b) Ao bosque? ____________________? d) ____________________ voltam?


Porque há lá muitas plantas. Logo à tarde.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 101


Ficha 24
Verbo
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Gramática

VERBO REGULAR E VERBO IRREGULAR

1. Identifica a conjugação, a vogal temática e o radical dos verbos que se seguem.

Verbo Conjugação Vogal temática Radical


Viver
Beber
Descobrir
Cantar
Inventar
Partir
Meter
Sonhar
Existir
Dizer
Resistir
Encantar
Conhecer
Desligar

2. Identifica e sublinha, com cores diferentes, as formas de verbos regulares e as formas de verbos
irregulares.

a) eles têm f) nós pusemos k) ela quis

b) eu peço g) eu perco l) eu não pude

c) ela adora h) nós dissemos m) elas partiram

d) ele é i) eles vivem n) eu pus

e) eles dão j) elas acordam o) nós vamos

102 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


MODOS E TEMPOS VERBAIS
Modo indicativo

1. Lê, com atenção, os tempos simples do indicativo destacados no texto e completa a


tabela com as informações pedidas, como no exemplo.

Não resisti. Quis compartilhar aqueles momentos de euforia. Virei-me para o lado e
pisquei um olho ao Armindo, meu colega de carteira. Mas ele não juntou o seu sorriso ao
meu. Reprovara. Tive pena do Armindo, logo ele, o nosso capitão de equipa, o mais forte da
escola, o mais velho da turma, muito mais alto do que a professora…
Mas a dona Eugénia tinha razão. Todos sabíamos que ele era fraco aluno.
Raramente fazia os trabalhos de casa, nunca estudava as lições.
António Mota, O rapaz de Louredo, Gailivro

Forma verbal Infinitivo Tempo Pessoa e número


resisti resistir pretérito perfeito 1.a pessoa, singular
a) quis
b) virei(-me)
c) pisquei
d) juntou
e) tive
f) tinha
g) sabíamos
h) era
i) fazia
j) estudava

1.1 Reescreve as frases, substituindo o pretérito imperfeito pelo pretérito mais-que-perfeito


composto.
a) A turma ouvia comentários sobre a preguiça do Armindo.
____________________________________________________________________________________
b) O Armindo não fazia os trabalhos de casa.
____________________________________________________________________________________
c) Ele era um pouco preguiçoso.
____________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 103


2. Completa as frases com os verbos indicados no presente do indicativo.
a) Eu não _____________ (gostar) de ouvir falar mal dos meus colegas.
b) Eles _____________ (estar) comigo todos os dias e _____________ (ser) os meus maiores amigos.
Quando alguém ____________ (dizer) alguma coisa sobre eles, eu ____________ (descobrir) logo.
c) Não me _____________ (calar) e _____________ (dizer) tudo o que _____________ (ter) a dizer.

3. Completa as frases, usando em cada uma o pretérito perfeito e o pretérito imperfeito do


indicativo dos verbos apresentados entre parênteses.
a) Quando eu te _____________ (ver), tu _____________ (estar) ao pé da escola.
b) Tu _____________ (conhecer) a Rita, quando ela _____________ (morar) aqui perto.
a) Eles _____________ (vir) a correr para a aula, porque _____________ (estar) atrasados.

4. Completa as frases com os verbos nos tempos indicados.


a) O Rui nunca ____________ (ver / pretérito mais-que-perfeito composto)
nada assim.
b) Antes de o prazo terminar, o grupo _____________ (fazer / pretérito
mais-que-perfeito composto) todos os trabalhos.
c) A biblioteca da escola _____________ (inaugurar / futuro) amanhã.
d) As aulas _____________ (terminar / futuro) no dia 8.
e) Eles não _____________ (pôr / pretérito perfeito) os livros na estante da sala.
f) Os livros eram tantos que não _____________ (caber / pretérito imperfeito) na mochila.
g) A Marta nunca _____________ (ir / pretérito-mais-que-perfeito composto) àquela aula.
h) Nós não lhe ____________ (dizer / pretérito-mais-que-perfeito composto)
que ela podia assistir a essa aula.

5. Lê o texto e sublinha as formas verbais conjugadas no modo indicativo.

O índio e a chuva
O feiticeiro da tribo chamava-se Cavalo-Louco-mas-só-um-Pouco.
Estava encarregado pelo chefe de fazer chover, visto que há meses que não
caía nem uma gota de água. Cavalo-Louco-mas-só-um-Pouco dirigiu-se à
pradaria para executar ali a Dança da Chuva.
Cavalo-Louco-mas-só-um-Pouco dançou a dança da chuva do amanhecer até ao
ocaso, mas não caiu nem uma gota de água. Totalmente abatido, sentou-se num rocha
com o rosto entre as mãos e entoou um cântico de tristeza. E Cavalo-Louco-mas-só-
-um-Pouco cantava tão mal que começou a chover, e a tribo felicitou-o efusivamente,
e houve uma grande alegria.
Pinto & Chinto, Contos para meninos que adormecem logo a seguir, Kalandraka

5.1 Dá um exemplo de cada tempo simples do indicativo usado no texto.


_______________________________________________________________________________________

5.2 Reescreve a primeira frase do segundo parágrafo do texto, usando o futuro simples do
indicativo.
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
104 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano
5.3 Reescreve agora a segunda frase do segundo parágrafo do texto, usando o pretérito mais-
-que-perfeito composto do indicativo.
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

5.4 «[…] e a tribo felicitou-o […]». Completa a tabela com as formas verbais correspondentes
a cada pessoa gramatical.

Eu Nós
Tu Vós felicitaste-lo
Ele/ela felicitou-o. Eles/Elas

6. De acordo com o exemplo, completa a tabela indicando o verbo auxiliar e o verbo principal de
cada forma verbal conjugada no pretérito mais-que-perfeito composto do indicativo.

Complexo verbal Verbo auxiliar Verbo principal


Ter – no pretérito imperfeito
Tinha saído Sair – no particípio
do indicativo
Havias dito
Havia posto
Tínhamos visto
Tínheis ido
Haviam rido
Havia lido
Tinhas caído
Tinha sorrido
Havíamos dado
Havíeis sabido
Tinham sido

7. Lê os verbos no infinitivo e depois completa as formas verbais conjugadas no pretérito mais-


-que-perfeito composto do indicativo, escrevendo o particípio correto.
a) ELEGER – tinham __________________________________________________________
b) IMPRIMIR – tinhas ________________________________________________________
c) EXPRESSAR – tínhamos _________________________________________________
d) ENXUGAR – tinha __________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 105


8. Escreve os verbos em todas as pessoas do presente do indicativo.

Ficar Pedir Perder


Eu
Tu
Ele
Nós
Vós
Eles

9. Escreve os verbos em todas as pessoas do pretérito perfeito do indicativo.

Ir Pôr Estar
Eu
Tu
Ele
Nós
Vós
Eles

10. Escreve os verbos em todas as pessoas do pretérito imperfeito do indicativo.

Ser Pôr Ver


Eu
Tu
Ele
Nós
Vós
Eles

11. Escreve os verbos em todas as pessoas do pretérito mais-que-perfeito composto.

Querer Cantar Ser


Eu
Tu
Ele
Nós
Vós
Eles

106 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


12. Escreve os verbos em todas as pessoas do futuro do indicativo.

Ver Vir Pôr


Eu
Tu
Ele
Nós
Vós
Eles

13. Identifica o verbo, o tempo, o modo, a pessoa e o número de cada forma verbal usada nas
frases seguintes.
a) Mantinham a câmara fotográfica apontada para a zebra.
_______________________________________________________________________________________
b) Regressará para junto da manada?
_______________________________________________________________________________________
c) Trazemos sempre boas lentes para fotografar zebras.
_______________________________________________________________________________________

MODO IMPERATIVO

1. Lê a receita e sublinha os verbos que estão no modo imperativo.

Scones com chocolate


Mistura 40 gramas de açúcar com 420 gramas de farinha e 4 colheres de chá de
fermento. Adiciona 60 g de margarina derretida, junta 80 ml de leite e 2 ovos. Amassa
muito bem até estar tudo ligado. Molda pequenas bolinhas e leva ao forno a cozer. Barra
com manteiga e chocolate.

2. Escreve, no modo imperativo, os verbos indicados.


a) _______________ (vir / tu) comigo!
b) Depressa, _______________ (correr / tu)!
c) _______________ (olhar / vós) o mar!
d) _______________ (dizer / tu) a verdade!
e) _______________ (fazer / tu) as malas!
f) _______________ (partir / vós) rapidamente!

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 107


Ficha 25
Formação de palavras
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Gramática

1. Usa os prefixos para escreveres os antónimos dos adjetivos apresentados.


Prefixos: in-, im-, ir- e des-
a) satisfeito _______________________________________________________________
b) produtivo _______________________________________________________________
c) real _______________________________________________________________
d) humano _______________________________________________________________

2. Associa os prefixos anti-, pós-, pré-, sub- e vice- às palavras apresentadas e depois estabelece a
correspondência com o seu sentido.

a) ______________ graduação 1. oposição


b) ______________ história 2. lugar inferior
c) ______________ presidente 3. posterior a
d) ______________ solo 4. anterior a
e) ______________ vírus 5. substituição num cargo

3. Associa os sufixos às palavras, de acordo com os significados.

-agem -ejar -ino -eiro -ense

a) folha _____________________________________________________ (conjunto)


b) ar _____________________________________________________ (ação)
c) Marrocos _____________________________________________________ (conjunto)
d) barba _____________________________________________________ (profissão)
e) Madeira _____________________________________________________ (naturalidade)

4. Escreve os verbos formados a partir dos prefixos, dos sufixos e das


palavras apresentadas.
Prefixos: a-, en-, es- Sufixos: -icar,-içar, -ecer
a) doce _____________________________________________________
b) maduro _____________________________________________________
c) noite _____________________________________________________
d) fúria _____________________________________________________
e) branco _____________________________________________________

108 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


5. Indica os elementos (prefixo, forma de base e sufixo) que entraram na formação da palavra
apresentada e refere os processos que intervieram nessa formação.

desobedientemente

► Prefixo ___________________________________________________________________________________________________________
► Forma de base ___________________________________________________________________________________________________________
► Sufixo ___________________________________________________________________________________________________________
► Processos ___________________________________________________________________________________________________________

6. Circunda as palavras em que a primeira sílaba corresponde a um prefixo e sublinha esse


prefixo.

► imperador ► impopular ► recado ► revirar

► destreza ► descarregar ► irra ► irrecusável

► inveja ► incivilizado ► esperto ► esverdear

7. Escreve as palavras derivadas por sufixação a partir dos nomes próprios.


a) Nepal __________________________________ d) Colômbia _______________________________
b) Guiné __________________________________ e) Áustria _________________________________
c) Argentina ______________________________ f) Israel ___________________________________

7.1 Sublinha os sufixos que utilizaste.

8. Completa o quadro formando grupos com palavras que se formaram pelo mesmo processo.

Grupo 1 Grupo 2 Grupo 3


Palavras ex-ministro canalizador indiscutivelmente
indelicadamente
pré-natal
minhoto
comerciante
antinódoas
vice-rei
desfazer
escrevinhar
desnecessariamente
desnortear
livraria
desnivelar

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 109


Ficha 26
Família de palavras e Relações entre palavras
NOME ______________________________________________ Ano _______ Turma ______ Número ______

Gramática

FAMÍLIA DE PALAVRAS

1. Escreve dez palavras desta família.

papel

2. Forma três famílias de palavras a partir dos vocábulos apresentados.

brancura braçada esbranquiçada barqueiro esbracejar

branquear barcada abraço desembarque

RELAÇÕES ENTRE PALAVRAS

1. Classifica os pares de nomes como sinónimos ou antónimos.

a) desilusão / desapontamento e) coragem / cobardia


b) luz / claridade f) timidez / audácia
c) zanga / irritação g) franqueza / falsidade
d) luxo / privação h) procura / pesquisa

Sinónimos Antónimos

110 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ficha 27
Tipos de frases / Frase afirmativa e frase negativa
NOME ______________________________________________ Ano _______ Turma ______ Número ______

Gramática

1. Identifica o tipo de frase utilizado em cada alínea e completa a tabela.


a) Protege as árvores do Parque Nacional.
b) Nunca provaste amoras silvestres!
c) A bolota é o fruto da azinheira, do medronheiro, do carvalho e do sobreiro.
d) Quantos anos levam os pinhões a amadurecer?

Declarativo Interrogativo Exclamativo Imperativo

1.1 Associa cada uma das frases anteriores à sua intenção, registando a respetiva alínea.

Frases Alíneas
Dar uma informação ou descrever uma situação
Formular uma pergunta
Exprimir sentimentos
Transmitir uma ordem, um pedido, uma sugestão ou um conselho

2. Transforma a frase, de acordo com as instruções.

► Nunca provaste amoras silvestres!

a) Frase interrogativa e afirmativa.


_________________________________________________________________________________________
b) Frase declarativa e negativa.
_________________________________________________________________________________________
c) Frase imperativa e afirmativa.
_________________________________________________________________________________________
d) Frase declarativa e afirmativa.
_________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 111


Ficha 28
Funções sintáticas
NOME ______________________________________________ Ano _______ Turma ______ Número ______

Gramática

SUJEITO E PREDICADO

1. Lê o texto seguinte.

Um olho roxo e outro cor de laranja


Ela tinha uns caracóis que lhe caíam em cataratas douradas sobre os ombros, e tinha um
olho roxo e o outro cor de laranja.
Devo confessar que sempre tive um fraquinho por raparigas com um olho roxo e outro cor
de laranja e, por isso, apaixonei-me por ela, mal a vi.
Acho que ela também gostou de mim. Pelo menos gostou das minhas sardas, que são
exatamente da cor daquelas pastilhinhas de chocolate.
José Fanha, Esdrúxulas, graves e agudas, magrinhas e barrigudas, Texto

2. Escreve um sujeito para cada frase, de acordo o texto.


a) _______________________________________________ tinha caracóis, um olho roxo e o outro cor de laranja.
b) _______________________________________________ caíam todos em cataratas douradas sobre os ombros.
c) _______________________________________________ apaixonei-me.
d) _______________________________________________ são todas da cor das pastilhas de chocolate.
e) _______________________________________________ é cor de laranja.
f) _______________________________________________ gostavam um do outro.

2.1 Indica a única frase em que podias usar um sujeito composto e justifica a tua opção.
_________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________

3. Lê as frases e indica aquelas em que o sujeito não está presente.


a) Houve campeonato de futebol na escola. ______________________________________________
b) Perderam as turmas A e B. ______________________________________________
c) Alcançaram a vitória os alunos da turma C. ______________________________________________
d) Levaram a taça. ______________________________________________

3.1 Indica o sujeito das restantes frases.


_________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________

112 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


4. Indica o predicado de cada frase.
a) Esse realizador ouviu vários elogios.
_________________________________________________________________________________________
b) Terminou o festival de cinema de animação.
_________________________________________________________________________________________
c) Entregaram um prémio ao argumentista.
_________________________________________________________________________________________
d) O diretor do festival anunciará o tema do próximo ano aos participantes.
_________________________________________________________________________________________

4.1 Sublinha as passagens das frases que têm a função sintática de:
► Complemento direto;
► Complemento indireto.

4.2 Indica também a frase em que o predicado é apenas constituído pelo verbo.
_________________________________________________________________________________________

5. Na frase seguinte, circunda o sujeito e sublinha o predicado.

► Eu ensinei algumas palavras em italiano aos nossos amigos.

5.1 Completa a tabela sobre os constituintes da frase.

Complemento direto Complemento indireto

5.2 Reescreve a frase do exercício 5., usando um pronome pessoal no lugar do complemento
direto.
_________________________________________________________________________________________

5.3 Agora, torna a escrever a frase do exercício 5., usando um pronome pessoal no lugar do
complemento indireto.
_________________________________________________________________________________________

5.4 Finalmente, reescreve a frase do exercício 5., usando os pronomes pessoais no lugar do
complemento direto e do complemento indireto.
_________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 113


6. Divide os títulos que se seguem nos seus dois constituintes principais — o sujeito e o
predicado — e escreve-os nos retângulos correspondentes.
a) Zoo de Lagos recebeu três crocodilos-anão (SIC Notícias)

Sujeito Predicado

b) Lince e crocodilos chegam a Lagos (TVI24)

Sujeito Predicado

c) Animais salvos na Holanda chegam ao Zoo de Lagos (Correio da Manhã)

Sujeito Predicado

d) Chegam ao Zoo de Lagos três machos de crocodilos-anão (www.cisionwire.pt)

Sujeito Predicado

e) Zoo de Lagos acolhe animais resgatados na Holanda (Boas Notícias)

Sujeito Predicado

6.1 Reescreve as frases b) e c) usando apenas um pronome pessoal na posição do sujeito,


sem lhes alterar o sentido.
_________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________

6.2 Reescreve a frase d) colocando o sujeito e o predicado na ordem habitual.


_________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________

114 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


7. Lê as frases seguintes.
a) Começaram as aulas de natação.
b) Trouxe-te a ficha de inscrição.
c) Telefonei ao instrutor de natação.
d) Inscreveste toda a turma?
e) O instrutor de natação e o diretor desportivo ensinaram as normas de utilização da
piscina a toda a gente.
f) Esta piscina oferece-me boas condições.

7.1 Completa agora a tabela, indicando as alíneas das frases anteriores.

Frases Alíneas
com sujeito simples
com sujeito composto
em que o sujeito não está presente
em que o predicado é constituído apenas pelo verbo
em que o predicado é constituído pelo verbo e pelo complemento
direto
em que o predicado é constituído pelo verbo e pelo complemento
indireto
em que o predicado é constituído pelo verbo, pelo complemento
direto e pelo complemento indireto

7.2 Completa a tabela com os constituintes das mesmas frases.

Complemento direto Complemento indireto

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 115


8. Reescreve as frases, substituindo as passagens destacadas por formas contraídas dos pronomes
pessoais com as funções sintáticas de complemento direto e complemento indireto.
a) O Vasco ofereceu-me este jogo de consola.
_________________________________________________________________________________________
b) Eu ensino-te os comandos do jogo.
_________________________________________________________________________________________
c) Expliquei as instruções do jogo ao meu irmão mais novo.
_________________________________________________________________________________________
d) Emprestaram-nos uma consola de jogos.
_________________________________________________________________________________________

VOCATIVO

1. Pontua corretamente as frases, isolando o vocativo.


a) Prestem atenção meninos!
b) João tira uma carta.
c) Olha bem Catarina e vê se descobres o truque…

2. Identifica as palavras e expressões destacadas como vocativo ou


sujeito e depois pontua corretamente as frases com vocativo.
a) O ilusionista chamou as crianças ao palco.
_________________________________________________________
b) Sr. ilusionista também posso participar?
_____________________________________________________________________
c) Um, dois, três, desaparece coelho!
_____________________________________________________________________
d) Um, dois, três, e o coelho desapareceu!
_____________________________________________________________________

116 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Soluções
Fichas de trabalho
Ficha 1 – Revisões do 1.o Ciclo (pág. 51) Ficha 3 – Acentuação (pág. 56)
Grupo I 1. Palavras esdrúxulas: câmara, esdrúxula, esferográfica,
1. personagem, ação, narrador, tempo, espaço. matemática, radiofónico. Palavras graves: bónus,
2. D, B, A, C. íris, júri, lótus / bênção, hóquei, jóquei, órgão /
3.1 d). / álbuns / órfãs / âmbar, bíceps, hífen, saudável,
3.2 b). sílex / heroína, juízo, miúdo, peúga.
4. Porque tinha curiosidade em saber como se vivia num Palavras agudas: cipó, lilás, Olá!, rodapé / alguém,
planeta «calmo e apetecível». armazém, Belém, porém / cordéis, lençóis, papéis,
5. c). véu / baús, caí, construí, país.
6. Ela própria, porque não tinha outro modelo. 2. açúcar, aeródromo, aí, anéis, anzóis, avô/avó, café,
7. Porque a figura de barro não conseguia falar, rir ou cérebro, céu, chá, concluí, convém, distância, dó,
respirar. egoísta, espírito, éter, faísca, fácil, fósforo, fóssil,
íman, lápis, lê, lúcido, miserável, número, parabéns,
Grupo II pónei, público, refém, rouxinóis, saí, saúde,
1. a). simpático, sótão, também, têxtil, vírus, viúvo.
2. Asteroide, astro, astrologia, astrónomo, estrela,
galáxia, Júpiter, Lua, Neptuno, planeta, planetário,
Sol.
Ficha 4 – Pontuação (pág. 58)
3. Terrestre, aterrar, terreno. 1. De súbito, a imagem da minha tia, já velha, mas
4. Nome comum: telescópio; hora. deitada numa cama de bebé, fez-me rir.
Nome comum coletivo: galáxia. — Que foi? — perguntou o meu pai.
Adjetivo qualificativo: grandes; belas. — Nada — disse eu. — Estava a pensar noutra
Adjetivo numeral: primeira. coisa.
Pronome pessoal: tu; nós. — Então acho melhor que vás começando a pensar
Pronome possessivo: meu. também no nome da tua irmã — disse ele.
Quantificador numeral: duas. E acrescentou, com ar meio sério, meio divertido:
Determinante demonstrativo: Esta. — Não gosto que uma cidadã deste país esteja
Advérbio de negação: não. muito tempo sem nome…
Advérbio de quantidade e grau: muito. 2. a) travessão; b) dois pontos; c) reticências;
Determinante artigo definido: as. d) vírgula; e) parênteses curvo; f) ponto de
Preposição: de, para. exclamação; g) vírgula; h) ponto de interrogação;
5. a) será; b) pisaram; c) assustavam. i) ponto.
6. a) Vede; b) Observai; c) Dá; d) Ouvi. 3. a) Rosa, não digas disparates.
7. a) 6; b) 4; c) 5; d) 2; e) 1; f) 3. b) Não podemos separar com vírgulas o sujeito do
7.1 Coluna A: sujeito. Coluna B: Predicado. predicado, nem o verbo dos seus complementos.
8. – O que é que veríamos se nos aproximássemos de
Saturno? – perguntou o rapaz. Ficha 5 – Dicionário (pág. 59)
– Se nos aproximássemos de Saturno, veríamos os
1.1 Nomes: vento, ventoinha; Verbos: ventilar, ventoi-
milhares de anéis que rodeiam o planeta. – respondeu
nhar; Adjetivo: ventilante.
o professor.
1.2 Vento: género masculino; Ventoinha: género femi-
nino.
Ficha 2 – Ortografia e translineação (pág. 55) 1.3 a)
1. a) carroça, enrolar, varrer, ferradura. 1.4 a) Latim: ventu; b) n. m.; c) 7; d) de vento em popa,
b) seco, lenço, francês, aceitar massa, cansaço, pé-de-vento, beber os ventos por.
expressão. 1.5 a) 2; b) 3; c) 4; d) 1.
c) peso, casinha, aviso, vizinho, fazer. 2. Cidadão, deslumbrar, feliz, ir, sabichão, sortudo,
d) fechadura, encaixotar, machado, mexer. saber, doutor.
2. a) realidade, engenheiro, açoriana, ministro, 3. a) bolota, carruagem, luar, mexicano, osga, pin-
feminino, candeeiro, esquisito. guim, saca-rolhas, zebra.
b) local, colher, curioso, roer, toalha, lugar, escovar. b) canoagem, cereja, chuvada, cimo, cloro, colega,
3. ni-/nho; car-/tei-/ro; vas-/sou-/ra; can-/tou-/-mas; cume, custar.
hor-/rí-/vel; pes-/qui-/ sar; pul-/sei-/ra; o-/re-/lha; c) espairecer, espelho, esperar, espírito, esponja,
guar-/da-/ na-/po; se-/guin-/te; se-/gre-/do; pa-/ la- explorar, expor, ex-presidente.
-/vra; Pa-/quis-/tão; di-/zer-/-lhe.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 117


Ficha 6 – Texto narrativo (pág. 61) e) Alimentação: ervas, folhas de arbustos rasteiros e
1. A bolo-rei; B passa; C bolo-inglês; D passa; E bolo- líquenes.
-inglês; F bolo-rei; G bolo de natas; H passa; I bolo f) Acasalamento e reprodução: acasalam antes do
de natas; J natas; K bolo-rei; L bolo de amêndoa; inverno; as crias nascem após sete meses, na
M amêndoa; N bolo-rei; O pudim de gelatina; primavera.
P pudim de gelatina; Q bolo-rei; R bolo-rei. g) Crias: com dois meses já se alimentam de ervas;
2. Por exemplo: percebe-se que a primeira palavra em ficam com a mãe cerca de um ano.
falta é «bolo-rei», porque se diz logo de seguida h) Período de vida: até dezasseis anos.
que é o «rei dos bolos». Percebe-se que a palavra
em falta na letra E é o «bolo-inglês», porque fala Ficha 9 – Narrativa 1 (pág. 67)
em inglês. 1. O tigre estava esfomeado.
3. a) O bolo-rei tem passas e a história desenvolve-se 2. O tigre ficou radiante ao ver a raposa, porque podia
a partir da situação em que lhe cai uma passa da matar a sua fome.
coroa; as natas do bolo de natas são imaginadas 3. A raposa disse-lhe que o Imperador do Céu tinha
como obstáculo à sua fala; o bolo de amêndoa leva declarado que ela era agora o rei dos animais.
amêndoas e a perda de uma delas é a situação que 3.1 O tigre recebeu a informação com surpresa e
permite a resposta dada ao bolo-rei; o pudim de desconfiança, porque se admirou de não ter sido
gelatina treme realmente, o que é aproveitado para informado de que já não era o rei e por saber que
o caracterizar como frágil e nervoso. as raposas são bichos sabidos.
b) O caráter autoritário do bolo-rei relaciona-se 4. A raposa sugeriu-lhe que a acompanhasse numa
com o segundo termo do seu nome; a língua usada caminhada pela floresta.
pelo bolo-inglês e o facto de não perceber a ordem 5. Os animais fugiam com medo do tigre, que
do bolo-rei relaciona-se também com o segundo caminhava atrás da raposa.
termo do seu nome. 6. A raposa conseguiu o que pretendia, porque o tigre
não percebeu que os animais fugiam dele, e não da
Ficha 7 – Texto descritivo (pág. 63) raposa, e convenceu-se de que ela era o rei dos
1. b) animais. Por isso, não a comeu.
2. «Os nossos vizinhos mais chegados eram aqueles 7. O recurso expressivo é a personificação.
eucaliptos, muito numerosos, muito altos, muito 8. Podemos associar esse provérbio à moralidade do
verdes, muito ramalhudos». (linhas 10-12) texto, porque a raposa, perante a necessidade de
3. O espaço da sala tinha uma porta velha de madeira defender a própria vida, arranjou um estratagema
que rangia e uma parede com três janelas altas. para enganar o tigre e, assim, sobreviveu.
4. O céu, algumas nuvens e um grande eucaliptal. 9. As características da fábula que podemos reco-
5. O eucaliptal. nhecer neste texto são a personificação dos
6. Quando o narrador fixava o olhar nas sombras, animais, que, dessa forma, manifestam compor-
estas adquiriam formas estranhas, por exemplo, a tamentos humanos, e a transmissão de uma
forma de dois cavalos em movimento. moralidade, naturalmente dirigida aos homens.
7. a) «São coisas tão importantes como a minha pele
ou o meu coração.» (linhas 23-24) Ficha 10 – Narrativa 2 (pág. 69)
b) «apontavam para o céu as suas caudas felpudas 1. a) 2; b) 3; c) 1.
como se fossem bandeiras.» (linhas 29-30) 1.1 Alice Vieira.
2. A narradora e a sua mãe.
Ficha 8 – Texto expositivo (pág. 65) 3. c).
1. c). 3.1 «E não é só nas bainhas das saias e das calças que
2. d). eu vejo que cresci.» (linhas 23-24)
2.1 a) Primeiro parágrafo; 4. Porque não funciona num edifício definitivo, mas
b) Segundo parágrafo. sim em pavilhões pré-fabricados.
3. 4, 6, 2, 3, 1, 7, 5 5. Preparar os cadernos novos.
4. a) Família das renas: cervídeos. 5.1 Resposta livre.
b) Associação ao Natal: animal associado ao Pai 6. O seu nome, o nome de cada disciplina, o ano de
Natal. escolaridade, a turma e o número de aluno.
c) Habitat: regiões frias do Norte da Europa, Ásia e 7. Apara-lápis, borrachas, capas, cartolina, compasso,
América do Norte. esferográficas, esquadro, folhas, godés, lápis, mar-
d) Características: o macho e a fémea têm hastes. cadores, papel, pincéis, tinta-da-china, tira-linhas,
transferidor.

118 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


7.1 d, h, i, j, k, n, o, q, r, s, u, v, w, x, y, z. 6. Caprichosa, exigente, presunçosa.
8. Para além de crescer em tamanho, a narradora 7. O Marechal da Corte entra em cena com uma
sente que, a cada ano que passa, está mais madura. atitude autoritária, pois dá ordens e inspeciona o
trabalho realizado.
8. Transcreve do texto exemplos de indicações cénicas
Ficha 11 – Poesia 1 (pág. 71)
relativas:
1. A palavra «poetas».
a) toda a indicação cénica inicial;
1.1 O que define melhor o assunto do poema é a palavra
b) Por exemplo: «Ri-se»;
«poetas», porque é à volta dos poetas que se
c) «Aparece o cozinheiro».
desenvolve o poema e também o anúncio do título,
que está a ser feito por um poeta.
2. «são mais do que as uvas». Ficha 14 – Recursos expressivos (pág. 76)
3. Os lenços; as luvas; as malas; a calma. 1. a) 3. b) 2. c) 4. d) 1.
4. Ficar desorientado. 2. A. Comparação («como longas filas de soldados» e
5. Poetas / poetas; são / estação; imensos / lenços; personificação («desafiavam as rosas do outro lado
uvas / luvas; bengalas / malas; palma / calma; do jardim, dizendo […]».
pressa / cabeça; repente / urgente; mim /assim. B. Onomatopeia («tac-tac-uit-uit»).
6. Quadra. C. Comparação («negra como uma sombra»).
7. Qua/ren/ta/ po/e/tas: 5 sílabas métricas. D. Comparação («cortava como um chicote»).
ner/vo/sos/, com /pre/ssa: 5 sílabas métricas. E. Comparação («Pareciam castelos fantásticos»).
E/ vai/ que um/ po/e/ta: 5 sílabas métricas. F. Personificação («Eu sou o peru do Natal»).
per/deu/ a/ ca/be/ça.» : 5 sílabas métricas. G. Enumeração («a palavra bosque, a palavra casa,
8. A palavra é usada no poema com o significado de a palavra flor»; «A palavra búzio, a palavra lua, a
«Aviso ou notícia que se dá de alguma coisa», palavra palavra.»).
porque o sujeito poético quer informar-nos de que H. Enumeração («cheias de letras, palavras, dese-
perdeu a cabeça, para que os leitores do anúncio nhos, números, figuras geométricas».
possam ajudá-lo.

Ficha 15 – Sons (pág. 78)


Ficha 12 – Poesia 2 (pág. 73) 1. mentol, contagem, sonda, canção, cinco, lenda,
1. As trepadeiras. monge, cêntimo, amêndoa, mundo, romã, manta,
2. Pede-lhes que trepem sempre, sem parar. minto, ringue, presunto.
2.1 Repete a forma verbal «trepem». 2. queijo, quadro, vaivém, sóis, fui, caixa, autocarro,
3. E / se / o / mu / ro / se / a / ca / bar (9 sílabas foice, pincéis, anzóis, peixe, cuidado.
gramaticais). 2.1 camaleão, razões, pães.
̮ / mu / ro /se a̮ / ca / bar (7 sílabas métricas).
3.1 E / se o 3. Palavras com ditongos: faixa, mói, rei, tranquilo,
3.2 a) Tre / pem / tre / pem / tre / pa / dei / ras (8 sílabas mãe, azuis, lei, Rui. Palavras com hiatos: saída,
gramaticais). cientista, moído, Turquia, rainha, ruído, Luísa.
Tre / pem / tre / pem / sem / pa / rar (7 sílabas
gramaticais). Ficha 16 – Sílabas (pág. 79)
b) Tre / pem / tre / pem / tre / pa / dei / ras (7 sílabas
1. não; al-to; mi-ú-da; mais; Da-ni-el; sor-te-ar; sai; is-
métricas).
-to; des-ta; rai-o; foi; pães; ca-ta-pul-tar; na-que-le;
Tre / pem / tre / pem / sem / pa / rar (7 sílabas
rei; a-men-do-a-do; con-tra-mão; de-so-ri-en-ta-da;
métricas).
es-ver-de-a-do; fac-to; u-ni-ver-sal-men-te; nu-ma;
3.3 c).
i-lus-trar; bo-tõe-zi-nhos.
3.4 Por / um / rai / o / de / lu / ar (7 sílabas métricas).
1.1 Monossílabos: não; mais; sai; foi; pães; rei.
3.5 Ritmo regular.
Dissílabos: alto; isto; desta; raio; facto; numa.
Trissílabos: miúda; Daniel; sortear; naquele; contra-
Ficha 13 – Teatro (pág. 74) mão; ilustrar.
1. Na sala do trono. Polissílabos: catapultar; amendoado; desorientada;
2. O rei, a princesa Beatriz e os pretendentes. esverdeado; universalmente; botõezinhos.
3. Aurora quer matar a sua curiosidade e descobrir se a 2.1 A. Cantiga aguda; B. Cantiga esdrúxula.
o
princesa aceitará casar com algum dos pretendentes. 3. 1. verso: sereia, girafa;
o
4. O momento «histórico» acontecerá se a princesa 2. verso: girafa, cantora;
o
aceitar algum dos pretendentes, já que rejeitou 3. verso: cantora, garrafa;
o
todos os que se apresentaram anteriormente. 4. verso: garrafa, vassoura.
5. Carolina suspira, porque, ao contrário da princesa 3.1 Agudas: flor, maré, mulher, colher, romã, pá.
Beatriz, não tem pretendentes. Esdrúxulas: âncora, sílaba.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 119


Ficha 17 – Nome (pág. 81) Ficha 18 – Determinante (pág. 87)
1. Próprios: Hermengarda, Bretanha, Gafanha, Saldanha, 1. O (4 vezes), determinante artigo definido; nosso
Pessanha. (2 vezes), determinante possessivo; esse, deter-
Comuns: férias, escala, autocarro, montanha, minante demonstrativo; meu, determinante pos-
lavatório, piranha, mão, lasanha. sessivo.
2. Beja, balde; Egito, egípcio; alface, Ana; fevereiro, 2. a) os; b) O meu / essa; c) Aquele / as suas; d) Este
Figueira da Foz; Rita, rola; ouriço, Olga; Itália, teu / umas; e) uns / o.
inverno; Teatro Nacional São João, televisão; Porta- 3. Um (conto de fadas), um (ratinho), um (humano),
legre, peixe-espada; mistério, Ministério da Edu- uma (ratazana), uma (princesa), um (num castelo
cação. sombrio), uma (criada).
3. a) 8; b) 5; c) 1; d) 10; e) 9; f) 7; g) 13; h) 4; i) 11; j) 12; 3.1 Conta a história de uns heróis improváveis.
k) 6; l) 2; m) 3. 3.2 Género masculino, número plural.
3.1 Nome coletivo: a) pomar; b) renque; c) souto; 3.3 Porque tem de concordar com o nome «heróis»,
d) sobral; e) pinhal; f) flora. que é um nome masculino, plural.
3.2 Caravana: viajantes; Cordilheira: montanhas; Coro: 3.4 a) a – feminino, singular.
cantores; Esquadrilha: aviões; Exército: soldados; b) o – masculino, singular.
Frota: navios; Girândola: foguetes; Quadrilha: ladrões; 3.5 A (lenda), a (história), as (masmorras), a (luz), a
Resma: quinhentas folhas; Casario: casas; Orquestra: (sopa), o (carcereiro).
a
músicos. 3.6 seu: masculino, singular, 3. pessoa do singular.
3.3 Constelação (estrelas), arquipélago (ilhas) e multi-
dão (pessoas).
4. pomba; governanta; agricultora; freguesa; beiroa;
Ficha 19 – Pronome (pág. 89)
cirurgiã; comilona; cantadeira; atriz; duquesa; con- 1. mim; me (3 vezes); -los (2 vezes).
dessa; profetisa; europeia; judia; nora; a pianista; 1.1 Pronomes pessoais.
besouro fêmea. 2. a) Eles não são peixes de mar. b) Nós fizemos
5. abadessa; baleia fêmea; cabra; camponesa; dama; mergulho. c) Fotografei-a. d) Dei-lhe a fotografia.
égua; embaixadora (profissão) ou embaixatriz e) A minha máquina assustou-o. f) Tirei-lhes várias
(esposa do embaixador); a indígena; a jornalista; fotografias. g) Elas aparecem em muitas fotografias.
juíza; imperatriz; lavradora ou lavradeira; leitora; 3. a) aquele/teu: pronome demonstrativo e pronome
possessivo; b) este: pronome demonstrativo; c) o:
marquesa; mestra; madrinha; pigmeia; poetisa.
pronome pessoal; d) aquela: pronome demons-
6. sentinela; testemunha; pessoa.
trativo; e) Ela/tua: pronome pessoal e pronome
7. patrão/patroa; aldeão/aldeã; leão/leoa; chorão/
possessivo; f) nos: pronome pessoal; g) Isto/nosso:
/chorona; ancião/anciã; valentão/valentona.
pronome demonstrativo e pronome possessivo.
8. livros; reis; armazéns; atuns; rapazes; ananases;
melões; cães; cidadãos; aventais; túneis; caracóis;
azuis; covis; répteis; os atlas. Ficha 20 – Adjetivo (pág. 91)
9. ações; bombons; festivais; ímanes; jardins; mísseis; 1. lenta; francesa; pura; valentona; lustrosa; bela;
órgãos; pagãos; pais; países; pães; peões; carros- ajuizada; afegã; ligeira; crua; encantadora; sã; man-
séis; projéteis; robôs; sons; varapaus; vozes. driona; chinesa.
10. leõezinhos; cãezinhos; hoteizitos. 2. cortês, audaz; inteligente; capaz; amável; interes-
11. pires, lápis, cais. sante; difícil; saudável; verde; piegas; pedrês; fácil;
12. cócegas, sul, parabéns, trigo. árabe; breve; doce; humilde; ágil; ímpar; superior;
13. copo: copinho, copito/copázio; colher: colherzinha, ruim; comum; feliz; azul.
colherzita/colheraça; prato: pratinho, pratito/pratada; 3. ágeis; amáveis; árabes; audazes; bestiais; capazes;
casa: casinha, casita, casota, casinhoto, casinhota/ comuns; corteses; difíceis; finlandeses; fáceis;
/casarão; sala: salinha, salita, saleta/salão; dente: felizes; fiéis; ímpares; incolores; ruins; saudáveis;
dentinho, dentito/dentuça; boca: boquinha, boquita/ superiores.
/bocarra; rapaz: rapazinho, rapazito/rapagão, rapa- 4. bom: bons, boa, boas; catalão: catalães, catalã,
zote, rapazão; rapariga: rapariguinha, rapariguita/ catalãs; dinamarquês: dinamarqueses, dinamar-
/raparigaça, raparigão, raparigota; mulher: mulher- quesa, dinamarquesas; odioso: odiosos, odiosa,
zinha, mulherzita/ mulheraça, mulherão; homem: odiosas; glutão: glutões, glutona, glutonas; luxuoso:
homenzinho, homenzito/homenzarrão; cão: cãozinho, luxuosos, luxuosa, luxuosas; mau: maus, má, más.
cãozito/ canzarrão; gato: gatinho, gatito/gatarrão; 5. Cru, meigo, inicial, especial, rijo, dócil.
peixe: peixinho, peixito/peixão.

120 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


6. Minho: minhoto, minhota, minhotos, minhotas; Trás-
Ficha 21 – Quantificador (pág. 97)
-os-Montes: transmontano, transmontana, trans-
1. «laranjas»; «sóis»; «desejos»; «rosa».
montanos, transmontanas; Douro: duriense, duriense,
1.1 sete (4 vezes); uma.
durienses, durienses; Beira: beirão, beiroa, beirões,
2 Grão, cardume, gota, balde, animal.
beiroas; Estremadura: estremenho, estremenha,
3. a) quatro. b) um. c) duas.
estremenhos, estremenhas; Ribatejo: ribatejano,
3.1 Por exemplo:
ribatejana, ribatejanos, ribatejanas; Alentejo: alente-
a) Levas as dez laranjas? Não. Levo só quatro
jano, alentejana, alentejanos, alentejanas; Algarve:
laranjas.
algarvio, algarvia, algarvios, algarvias
b) Aqui só está um cesto, mas há quinze cestos lá
6.1 Duriense: invariável quanto ao género, porque têm
dentro.
uma forma única para o masculino e para o feminino.
c) Tenho três maçãs. Dá-me mais duas maçãs, por
7. amável, belo, duvidoso, fácil, gentil, hospitaleiro,
favor.
inovador, luminoso, luxuoso, medroso, nacional,
obscuro, perspicaz, veloz.
8. a) Este rio é mais largo (do) que aquele. Ficha 22 – Preposição (pág. 98)
b) Este rio é tão largo como (quanto) aquele. 1. Preposições: de bico dourado; a uma oficina; a
c) Este rio é menos largo (do) que aquele. construírem; de papel; de dois mil anos. Contrações
d) Este rio é o menos largo. de preposições: da China; no Museu do Oriente; da
e) Este rio é muito (bastante) largo. história destes enigmáticos objetos; na China.
f) Este rio é larguíssimo. 1.1 da (de+a); no (em+o); do (de+o); destes (de+estes);
9. e 9.1 na (em+a).
a) limpíssimo; 2. a) nesta; b) Naquele; c) destes; d) numa, pela;
b) inteligentíssimo; e) nisso; f) àquele.
c) tristíssimo; 3. com, de, para (2 vezes), por.
d) branquíssimo; 3.1 dos: contração da preposição de com o determi-
e) rapidíssimo; nante artigo definido os.
f) embaraçadíssimo. 4. a) com, de, em, durante, por;
10. a) melhor (do) que; b) sem, após, a;
b) a melhor; c) sobre, para, entre, desde, até.
c) muito boa; 5. a) às; b) àquela; c) àqueles; d) àquilo.
d) ótimo; 5.1 Acento grave.
e) pior (do) que;
f) a pior;
g) muito má; Ficha 23 – Advérbio (pág. 100)
h) péssima; 1. a) violentamente; b) tranquilamente; c) inteligente-
i) maior (do) que; mente; d) simpaticamente; e) serenamente; f) len-
j) a maior; tamente; g) atentamente; h) certamente; i) breve-
k) muito grande; mente.
l) máxima. 2. Sugestões: Deixei o meu livro além. Amanhã, trato
11. a) Bom: grau superlativo relativo de superioridade. desse assunto. Nunca vim aqui. Ele está sempre
b) Pequeno: grau comparativo de superioridade. animado. Procura acolá. Nunca visitei esse museu.
12. a) Este skate é o menor. 2. Tempo: amanhã, sempre, nunca. Lugar: além, aqui,
b) Este skate é menor do que o teu. acolá.
c) Este skate é mínimo. 3. muito, bem, tão, não.
13. a) É um ciclista velocíssimo. 3.1 muito: valor de quantidade e grau; bem: valor de
b) Para além de companheiros de equipa, são modo; tão: valor de quantidade e grau; não: valor
amicíssimos. de negação.
c) Os atletas acharam a prova facílima. 4. a) Avançámos calmamente pelo bosque.
d) Aquele ciclista é simpatiquíssimo! b) Há várias espécies botânicas aqui.
e) Esta subida é dificílima. c) Agora, já conhecemos uma série de espécies
14. décima, primeira. botânicas.
15. a) terceira; b) décimo quinto; c) vigésima oitava; 4.1 calmamente: valor de modo; aqui: valor de lugar;
d) quadragésimo segundo. agora: valor de tempo.
5. a) Onde; b) Porquê; c) Como; d) Quando.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 121


Ficha 24 – Verbo (pág. 102) 9. Ir: fui, foste, foi, fomos, fostes, foram.
Pôr: pus, puseste, pôs, pusemos, pusestes, puseram.
VERBO REGULAR E VERBO IRREGULAR
Estar: estive, estiveste, esteve, estivemos, estives-
1.
tes, estiveram.
Viver 2.a e viv
10. Ser: era, eras, era, éramos, éreis, eram.
a
Beber 2. e beb Pôr: punha, punhas, punha, púnhamos, púnheis,
a
Descobrir 3. i descobr punham.
Cantar 1.a a cant Ver: via, vias, via, víamos, víeis, viam.
Inventar 1. a
a invent 11. Querer: tinha querido, tinhas querido, tinha querido,
a tínhamos querido, tínheis querido, tinham querido.
Partir 3. i part
Cantar: tinha cantado, tinhas cantado, tinha cantado,
Meter 2.a e met
tínhamos cantado, tínheis cantado, tinham cantado.
a
Sonhar 1. a sonh Ser: tinha sido, tinhas sido, tinha sido, tínhamos
a
Existir 3. i exist sido, tínheis sido, tinham sido.
Dizer 2.a e diz 12. Ver: verei, verás, verá, veremos, vereis, verão.
Resistir 3. a
i resist Vir: virei, virás, virá, viremos, vireis, virão.
a Pôr: porei, porás, porá, poremos, poreis, porão.
Encantar 1. a encant
13. a) Verbo manter no pretérito imperfeito do indi-
Conhecer 2.a e conhec a
cativo, na 3. pessoa do plural.
a
Desligar 1. a deslig b) Verbo regressar no futuro do indicativo, na
a
3. pessoa do singular.
2. Verbos regulares: c), i), j) m). c) Verbo trazer no presente do indicativo, na
Irregulares: a), b), d), e), f), g), h), k), l), n), o). a
1. pessoa do plural.

Modo imperativo
MODOS E TEMPOS VERBAIS
1. Mistura; adiciona; junta; amassa; molda; leva; barra.
Modo indicativo 2. a) Vem; b) corre; c) olhai; d) Diz; e) Faz; f) Parti.
1. (CONSULTAR TABELA 1 DA PÁGINA 124)
1.1 a) A turma tinha ouvido comentários sobre a pre-
guiça do Armindo. Ficha 25 – Formação de palavras (pág. 108)
b) O Armindo não tinha feito os trabalhos de casa. 1. Insatisfeito; improdutivo; irreal; desumano.
c) Ele tinha sido um pouco preguiçoso. 2. a) pós-graduação – 3; b) pré-história – 4; c) vice-
2. a) gosto; b) estão; são; diz; descubro; c) calo; digo; -presidente – 5; d) subsolo – 2; e) antivírus – 1.
tenho. 3. a) folhagem; b) arejar; c) marroquino; d) barbeiro;
3. a) vi, estavas; b) conheceste, morava; c) vieram, e) madeirense.
estavam. 4. a) adocicar; b) amadurecer; c) anoitecer; d) enfurecer;
4. a) tinha visto; b) tinha feito; c) inaugurará; e) esbranquiçar.
d) terminarão; e) puseram; f) cabiam; g) tinha ido; 5. Prefixo: des–; Forma de base: obediente; Sufixo:
h) tínhamos dito. –mente; Processo: derivação por prefixação e sufi-
5. chamava-se, Estava, há, caía, dirigiu-se, dançou, xação.
caiu, sentou-se, entoou, cantava, começou, felici- 6. impopular, revirar, descarregar, irrecusável, incivili-
tou-o, houve. zado, esverdear.
5.1 Presente: há; Pretérito perfeito simples: dançou; 7. e 7.1 a) nepalês; b) guineense; c) argentino; d) colom-
Pretérito imperfeito: caía. biano; e) austríaco; f) israelita.
5.2 Cavalo-Louco-mas-só-um-Pouco dançará a dança 8. Grupo 1: pré-natal, antinódoas, vice-rei, desfazer;
da chuva do amanhecer até ao ocaso, mas não Grupo 2: minhoto, comerciante, escrevinhar, livra-
cairá nem uma gota de água. ria; Grupo 3: indelicadamente, desnecessariamente,
5.3 Totalmente abatido, tinha-se sentado numa rocha desnortear, desnivelar.
com o rosto entre as mãos e tinha entoado um
cântico de tristeza.
Ficha 26 – Família de palavras e Relações
5.4 felicitei-o, felicitaste-o, felicitámo-lo, felicitaram-
-no.
entre palavras (pág. 110)
6. (CONSULTAR TABELA 2 DA PÁGINA 124) Família de palavras
7. a) elegido; b) imprimido; c) exprimido; d) enxugado. 1. Papelinho, papelito, papeizinhos, papeizitos, pape-
8. Ficar: fico, ficas, fica, ficamos, ficais, ficam. lada, papelucho, papelaria, papelão, pisa-papéis,
Pedir: peço, pedes, pede, pedimos, pedis, pedem. papelote.
Perder: perco, perdes, perde, perdemos, perdeis,
perdem.

122 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


2. brancura, esbranquiçada, branquear / braçada, 6. a) Sujeito: Zoo de Lagos; Predicado: recebeu três
esbracejar, abraço / barqueiro, barcada, desem- crocodilos-anão.
barque. b) Sujeito: Lince e crocodilos; Predicado: chegam a
Lagos.
Relações entre palavras c) Sujeito: Animais salvos na Holanda; Predicado:
1. Sinónimos: a), b), c), h); antónimos: d), e), f), g). chegam ao Zoo de Lagos.
d) Sujeito: três machos de crocodilos-anão;
Predicado: Chegam ao Zoo de Lagos.
Ficha 27 – Tipos de frases / Frase e) Sujeito: Zoo de Lagos; Predicado: acolhe animais
afirmativa e frase negativa (pág. 111) resgatados na Holanda.
1. Declarativo: c); Interrogativo: d); Exclamativo: b); 6.1 Eles chegam a Lagos; Eles chegam ao Zoo de Lagos.
Imperativo: a). 6.2 Três machos de crocodilos-anão chegam ao Zoo de
1.1 Dar uma informação ou descrever uma situação: c). Lagos.
Formular uma pergunta: d); Exprimir sentimentos e 7.1
emoções: b); Transmitir uma ordem, um pedido, Frases
uma sugestão ou um conselho: a).
com sujeito simples a), f)
2. a) Já provaste amoras silvestres?
b) Ela não provou amoras silvestres. com sujeito composto e)
c) Prova já amoras silvestres! em que o sujeito não está presente b), c), d)
d) Eu já provei amoras silvestres.
em que o predicado é constituído apenas pelo
a)
verbo

Ficha 28 – Funções sintáticas (pág. 112) em que o predicado é constituído pelo verbo e
d)
pelo complemento direto
Sujeito e predicado
2. a) Por exemplo: Ela/A rapariga. em que o predicado é constituído pelo verbo e
c)
pelo complemento indireto
b) Por exemplo: Os caracóis/Os seus caracóis.
c) Eu. em que o predicado é constituído pelo verbo,
pelo complemento direto e pelo complemento b), e), f)
d) Por exemplo: As sardas/As suas sardas.
indireto
e) Por exemplo: Um olho/Um dos seus olhos.
f) Por exemplo: O narrador e a rapariga/O rapaz e a
7.2
rapariga/Eles.
2.1 Frase f), porque o verbo está no plural e, neste Complemento direto Complemento indireto

caso, o sujeito pode ser constituído por dois grupos a ficha de inscrição te
nominais. toda a turma ao instrutor de natação
3. a), d).
as normas de utilização da a toda a gente
3.1 b): as turmas A e B. c): os alunos da turma C. piscina
4. a) ouviu vários elogios.
boas condições me
b) Terminou.
c) Entregaram um prémio ao argumentista.
d) anunciará o tema do próximo ano aos 8. a) O Vasco ofereceu-mo.
participantes. b) Eu ensino-tos.
4.1 Complemento direto: a) vários elogios; c) um c) Expliquei-lhas.
prémio; d) o tema do próximo ano. d) Emprestaram-no-la.
Complemento indireto: c) ao argumentista; d) aos
participantes Vocativo
4.2 Frase b): Terminou. 1. a) Prestem atenção, meninos!
5. Sujeito: Eu. Predicado: ensinei algumas palavras em b) João, tira uma carta.
italiano aos nossos amigos. c) Olha bem, Catarina, e vê se descobres o truque…
5.1 2. a) O ilusionista: sujeito.
Complemento direto Complemento indireto b) Sr. Ilusionista: vocativo. Sr. ilusionista, também
posso participar?
algumas palavras em italiano aos nossos amigos
c) coelho: vocativo. Um, dois, três, desaparece,
coelho!
5.2 Eu ensinei-as aos nossos amigos. d) o coelho: sujeito.
5.3 Eu ensinei-lhes algumas palavras.
5.4 Eu ensinei-lhas.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 123


Forma verbal Infinitivo Tempo Pessoa e número

a) quis querer pretérito perfeito 1.a pessoa, singular

b) virei(-me) virar pretérito perfeito 1.a pessoa, singular

c) pisquei piscar pretérito perfeito 1.a pessoa, singular

d) juntou juntar pretérito perfeito 3.a pessoa, singular

e) tive ter pretérito perfeito 1.a pessoa, singular

f) tinha ter pretérito imperfeito 3.a pessoa, singular

g) sabíamos saber pretérito imperfeito 1.a pessoa, plural

h) era ser pretérito imperfeito 3.a pessoa, singular

i) fazia fazer pretérito imperfeito 3.a pessoa, singular

j) estudava estudar pretérito imperfeito 3.a pessoa, singular

Tabela 1

Complexo verbal Verbo auxiliar Verbo principal

Tinha saído Ter – no pretérito imperfeito do indicativo Sair – no particípio

Havias dito Haver – no pretérito imperfeito do indicativo Dizer – no particípio

Havia posto Haver – no pretérito imperfeito do indicativo Pôr – no particípio

Tínhamos visto Ter – no pretérito imperfeito do indicativo Ver – no particípio

Tínheis ido Ter – no pretérito imperfeito do indicativo Ir – no particípio

Haviam rido Haver – no pretérito imperfeito do indicativo Rir – no particípio

Havia lido Haver – no pretérito imperfeito do indicativo Ler – no particípio

Tinhas caído Ter – no pretérito imperfeito do indicativo Cair – no particípio

Tinha sorrido Ter – no pretérito imperfeito do indicativo Sorrir – no particípio

Havíamos dado Haver – no pretérito imperfeito do indicativo Dar – no particípio

Haveís sabido Haver – no pretérito imperfeito do indicativo Saber – no particípio

Tinham sido Ter – no pretérito imperfeito do indicativo Ser – no particípio

Tabela 2

124 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Índice
Testes

Testes de avaliação escrita por unidade


Teste 1 Unidade de diagnóstico – Ponto de partida ...................................................................... 127
Teste 2 Unidade de diagnóstico – Ponto de partida ...................................................................... 134
Teste 3 No tempo em que os animais falavam – Fábulas e outros textos .................................... 141

Teste 4 No tempo em que os animais falavam – Fábulas e outros textos .................................... 148

Teste 5 Histórias com barbas – Contos tradicionais, lendas e outros textos ................................ 157

Teste 6 Histórias com barbas – Contos tradicionais, lendas e outros textos ................................. 164
Teste 7 Somos feitos de histórias – Textos narrativos de autor e outros textos ........................... 172
Teste 8 Somos feitos de histórias – Textos narrativos de autor e outros textos ........................... 180
Teste 9 Apanha-me um poeta – Poemas e outros textos .............................................................. 188
Teste 10 Um pé no palco – Textos de teatro e outros textos ....................................................... 195

Teste 11 O mundo à nossa volta – Textos de imprensa e outros textos ....................................... 203

Testes de compreensão do oral


Teste 1 Unidade de diagnóstico – Ponto de partida ...................................................................... 209
Teste 2 No tempo em que os animais falavam – Fábulas e outros textos .................................... 211

Teste 3 Histórias com barbas – Contos tradicionais, lendas e outros textos ................................ 212

Teste 4 Somos feitos de histórias – Textos narrativos de autor e outros textos ........................... 213
Teste 5 Apanha-me um poeta – Poemas e outros textos .............................................................. 215
Teste 6 Um pé no palco – Textos de teatro e outros textos .......................................................... 216
Teste 7 O mundo à nossa volta – Textos de imprensa e outros textos ......................................... 217

Soluções ........................................................................................................................................ 219

Em setembro de 2016, o projeto Palavra Mágica 5.o ano disponibilizará, em ,


materiais específicos de preparação para as Provas de Português de 5.o ano, em conformidade
com a informação que vier a ser publicada pelo Ministério da Educação (objeto de avaliação e
caracterização da prova).

Nota: Em serão disponibilizados os restantes testes de avaliação escrita por unidade.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Teste de avaliação 1
NOME _______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número ______

Unidade de diagnóstico – Ponto de partida

Grupo I

Lê o texto. Se necessário, consulta a nota.

Tubarão-baleia fotografado nos Açores


Martin Wilke, mergulhador alemão, tinha acabado
de saltar para a água, quando de repente se deparou
com milhares de atuns a nadar rapidamente à sua
volta. Passados poucos segundos, viu um tubarão-
5 -baleia vir na sua direção em movimentos lentos,
parando depois a observá-lo, a menos de dois metros.
Martin decidiu agarrar-se à barbatana do tubarão e
deslizar.
O fotógrafo português Nuno Sá, especialista em vida marinha, capturou este momento
10 inédito, mas já tinha encarado este gigante do oceano outras vezes.
Rhincodon typus (nome científico) é o maior peixe que se conhece e a maior espécie, entre
todos os tipos de tubarões. Chega a atingir os 20 metros de comprimento e pode pesar mais de
12 000 kg.
Pode ser avistado nas águas tropicais ou subtropicais no mundo inteiro. Em alguns países,
15 como na Austrália, os tubarões-baleia estão protegidos por lei, mas noutros são caçados,
principalmente em Taiwan e nas Filipinas.
Mais de 100 tubarões são caçados anualmente nessas localidades, o que causa sérias
preocupações quanto ao seu futuro, pois esta espécie cresce lentamente e demora muito tempo
a atingir a maturidade.
20 Os tubarões-baleia alimentam-se principalmente de plâncton1, embora também comam
regularmente cardumes de pequenos peixes e lulas.
http://visao.sapo.pt, 01/04/2014, consultado em 26/01/2016 (texto adaptado)
1
Plâncton: Conjunto de seres minúsculos, que vivem nos oceanos.

Responde às questões seguintes de acordo com o sentido do texto.

1. Assinala com X, de 1.1 a 1.4, a opção correta que completa cada frase. (12 pontos)

1.1 O principal objetivo do texto que leste é


a) apresentar uma notícia c) narrar aventuras.
b) expor informações d) descrever personagens.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 127


1.2 Logo que saltou para a água, o mergulhador alemão viu
a) um tubarão-baleia ao longe. c) um tubarão-baleia muito perto.
b) o fotógrafo português. d) um conjunto de atuns.

1.3 O pronome sublinhado em «observá-lo» (linha 6) refere-se ao


a) mergulhador alemão. c) tubarão-baleia.
b) fotógrafo português. d) conjunto de atuns.

1.4 Quando o tubarão se aproximou, o mergulhador


a) voltou para a superfície rapidamente. c) vigiou-o com atenção.
b) escondeu-se numa gruta. d) segurou-se à barbatana do animal.

2. Após a leitura do texto, a Ana fez o comentário seguinte: (4 pontos)


O tubarão-baleia está protegido por lei e, por isso, é uma espécie que não está ameaçada.
Na tua opinião, o comentário da Ana é adequado ao sentido do texto? Justifica a tua resposta.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
3. O texto fornece diversas informações sobre características e hábitos dos tubarões-baleia.
Associa cada elemento (coluna A) à passagem do texto que com ele se relaciona (coluna B), de
acordo com a informação do texto. (4 pontos)
Escreve, em cada espaço da coluna A, a letra correspondente da coluna B.

Coluna A Coluna B

a) «milhares de atuns» (linha 3)


b) «parando depois a observá-lo, a menos de dois
metros» (linha 6)
Localização ..............
c) «Chega a atingir os 20 metros de comprimento»
Tamanho ................. (linha 12)

Alimentação ............ d) «águas tropicais ou subtropicais no mundo inteiro»


(linha 14)
e) «Os tubarões-baleia alimentam-se principalmente de
plâncton» (linha 20)

128 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo II

Lê o texto seguinte.

Tubarão na banheira
No dia seguinte voltámos à praia. Mais uma vez deitámos os anzóis às ondas, mais uma vez
o meu avô dormiu a sua sesta na areia e mais uma vez eu fiquei calado a olhar para o mar que
nesse dia estava tão calmo que parecia o céu. De repente, senti a minha cana vibrar e vi a linha
agitar‐se no espelho da água. Segurei a cana e percebi de imediato que o peixe que puxava do
5 outro lado tinha muito mais força do que o Osvaldo. Travei com o peixe uma batalha feroz, até
que percebi que sozinho nunca iria vencer, e então acordei o meu avô. Puxámos os dois ao
mesmo tempo, segurando a cana com as nossas quatro mãos e com os pés bem cravados na
areia, e quase uma hora depois, conseguimos arrastar o peixe até à beira‐mar.
Foi então que percebi que se tratava de um tubarão. O meu avô franziu os olhos e
10 aproximou‐se um pouco para tentar ver melhor.
 Este peixe parece‐me muito grande – exclamou. – Não sei se podemos levá‐lo para casa.
Pela minha parte, eu achava que seria o companheiro ideal para o Osvaldo. Por isso disse-
-lhe:
 Avô, tu estás sem óculos e assim não consegues ver bem o peixe. É verdade que é maior
15 do que o Osvaldo, mas também não é assim tão grande.
O meu avô ainda fez uma cara esquisita, mas acabou por se convencer. Chamámos um táxi.
O taxista viu o tubarão e imediatamente nos explicou que não levava animais maiores do que
um gato siamês a não ser no porta‐bagagens. Fora de água, o tubarão começou a ficar
impaciente. Usei um balde para encher o porta‐bagagens com água do mar. Depois, eu e o meu
20 avô pegámos no tubarão, com muito cuidado, e enfiámo‐lo como conseguimos no porta-
-bagagens. Ficou a chapinhar, com a cabeça e as barbatanas de fora. O meu avô foi o caminho
todo a dizer que se calhar era grande demais. Eu só pensava na felicidade do Osvaldo quando
visse o tubarão.
Meia hora depois, o táxi estacionou à porta do prédio onde vivemos. O tubarão estava com
25 um ar estranho. Nós carregámo‐lo pelas escadas até ao quarto andar, que é onde fica a nossa
casa.
A minha mãe viu‐nos entrar e imediatamente a cara dela ficou sem qualquer expressão.
 O que é isso? – perguntou ela.
É um amigo para o Osvaldo – respondi.
30  Mas é muito grande – disse ela.
 Foi o que eu disse – acrescentou o meu avô.
Mas não havia tempo para conversas: o tubarão, como todos os peixes, não aguentava muito
mais tempo fora de água. Mais uns minutos e começaria a sufocar.
De modo que o levámos pelo corredor até ao meu quarto. Através do vidro do aquário, o
35 Osvaldo viu o tubarão aproximar‐se e fez uma cara que mais tarde eu traduzi por: TERROR.
Depois deitámo‐lo para dentro do aquário e ficámos a olhar para os dois peixes. Como não via
nada sem os óculos, o meu avô perguntou‐me.
 Que tal?
Eu tive de dar o braço a torcer.
40  É muito grande.
Era muito grande. Muito grande para um aquário tão pequeno, que ainda por cima tinha
outro peixe lá dentro. Eu conseguia ver o Osvaldo esborrachado contra o vidro, com os olhos
trocados e com o verde e o azul das suas escamas a transformarem‐se em vermelho.
Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 129
Precisávamos de um aquário maior. Mas enquanto não arranjávamos um, levámos o tubarão
45 para a casa de banho, enchemos a banheira com a água que havia no porta‐bagagens do táxi e
deixámo‐lo mergulhar lá para dentro. Por fim colocámos o aquário com o Osvaldo numa
prateleira ao lado da banheira, para que eles pudessem conhecer‐se à vontade. Tinha a certeza
que em breve seriam bons amigos.

David Machado, Tubarão na banheira,


Lisboa, Editorial Presença, 3.ª edição, 2009, pp. 13-20
(texto com supressões)

Responde às questões seguintes, de acordo com o sentido do texto.

1. Relê as linhas 1 a 15. (5 pontos)


Ordena, de 1 a 5, os momentos da história.
O menino e o avô retiraram o peixe da água.
O avô concordou com o menino.
O menino sentiu a cana tremer.
O menino pediu ajuda ao avô.
O menino viu que tinha pescado um tubarão.

2. Assinala com X, de 2.1 a 2.3, a opção correta. (5 pontos)

2.1 O menino insistiu em levar o tubarão para casa porque


a) era a prova da sua pescaria.
b) fora muito difícil tirá-lo da água.
c) faria companhia ao seu outro peixe.
d) queria fazer uma surpresa à mãe.

2.2 «Eu só pensava na felicidade do Osvaldo quando visse o tubarão.» (linhas 22 e 23).
Com este pensamento, o menino revela
a) aborrecimento.
b) entusiasmo.
c) indiferença.
d) preocupação.

2.3 «Mas não havia tempo para conversas» (linha 32), pois o menino queria
a) mostrar o tubarão ao Osvaldo.
b) desviar a atenção do avô.
c) fugir à conversa com a mãe.
d) colocar o tubarão na água.

130 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


3. Relê a passagem seguinte. (4 pontos)

«No dia seguinte voltámos à praia. Mais uma vez deitámos os anzóis às ondas, mais uma
vez o meu avô dormiu a sua sesta na areia.» (linhas 1 e 2)

Transcreve uma expressão relativa ao tempo e uma expressão relativa ao espaço onde decorre
a ação.
Tempo: ____________________________________________________________________________________
Espaço: ____________________________________________________________________________________

4. Já junto do táxi, o avô e o menino colaboraram um com o outro. Transcreve a passagem do


texto que confirma esta afirmação. (4 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

5. Explica por palavras tuas a reação do Osvaldo quando viu o tubarão. (4 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

6. «Por fim colocámos o aquário com o Osvaldo numa prateleira ao lado da banheira para que eles
pudessem conhecer‐se à vontade.» (linhas 46 e 47) (7 pontos)

Esta atitude comprova por que razão o menino tinha trazido o tubarão para casa.
Concordas com esta afirmação?
Justifica a tua resposta, com base no sentido do texto.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 131


Grupo III

1. Preenche os espaços com os sinais de pontuação adequados. (5 pontos)

Na praia o menino disse ao avô


Pesquei um peixe Ajudas-me a retirá-lo da água
Claro que sim exclamou o avô

2. Reescreve a frase seguinte, colocando no plural todas as palavras que estão no singular. (3 pontos)

O menino fez a mais admirável descoberta.

____________________________________________________________________________________________

3. Identifica o intruso na família de palavras. (2 pontos)

mar marina marítimo marinheiro maravilha maré

4. Assinala com X a classe de palavras a que pertence cada palavra sublinhada. (4 pontos)

Nome Adjetivo
a) O colorido do mar encantava o menino.
b) Este peixe é muito colorido.
c) O pequeno queria fazer uma surpresa ao Osvaldo.
d) O aquário parecia muito pequeno.

5. Das palavras sublinhadas no texto seguinte, seleciona apenas as que são pronomes e regista-as,
na tabela abaixo, na coluna correspondente. (4 pontos)

O menino olhou para o peixe. Aquele era um enorme exemplar! Não podia acreditar na sua
sorte. Aquele peixe seria seu e faria companhia ao Osvaldo.
 Nós vamos levá-lo para casa, avô! – exclamou o menino.

Pronome demonstrativo Pronome pessoal Pronome possessivo

6. Sublinha o sujeito na frase A e sublinha o predicado na frase B. (3 pontos)

A. Os dois peixes observaram-se atentamente.


B. O menino colocou o tubarão na banheira.

132 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo IV

No texto que leste, o menino desejava que o seu peixe Osvaldo e o tubarão se tornassem amigos.
Escreve uma história, relatando o que aconteceu depois da chegada do tubarão a casa do menino.
O teu texto, com um mínimo de 90 palavras, deve incluir: (30 pontos)

• um momento de diálogo;

• um título adequado.

_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________

FIM

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 133


Teste de avaliação 2
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Unidade de diagnóstico – Ponto de partida

Grupo I

Lê o texto seguinte.

Há mamíferos que voam por cima de nós…


Há mamíferos terrestres que, na verdade,
quase não andam em terra e passam muito
tempo a voar: os morcegos!

Em Portugal há morcegos?
5 Sim, muitos! À noite, principalmente em noites
mais quentes, podemos ver morcegos à volta
dos candeeiros nas ruas de qualquer aldeia ou
cidade. Se calhar até já viste algum, mas nem percebeste que era um morcego. É que os
morcegos em Portugal são pequeninos e rápidos!

10 Como é que eles conseguem voar sem chocar contra as coisas?


Embora os morcegos tenham olhos e vejam bem, utilizam também os ouvidos para
encontrarem o caminho e evitarem os obstáculos quando voam. Os morcegos fazem vários
sons que não conseguimos ouvir. Estes sons percorrem o espaço como uma onda e, quando
encontram um objeto, voltam para trás.

15 Porque é que os morcegos dormem de pernas para o ar?


Os antepassados dos morcegos andavam em quatro patas. À medida que foram evoluindo, as
patas da frente transformaram-se em asas e os joelhos das patas de trás passaram a dobrar para
trás. Por causa deste pormenor, estas pernas são um pouco fracas e, por isso, os morcegos não
conseguem ficar de pé sobre elas (ao contrário do que acontece, por exemplo, com as aves que
20 têm as pernas mais fortes). Além disso, se ficarem pendurados, os morcegos conseguem pôr-se
a voar mais rapidamente.

Então e porque é que não caem quando adormecem?


Quando nos penduramos no ramo de uma árvore, temos de fazer muita força com as mãos.
Quando relaxamos os músculos, as mãos abrem e caímos no chão. Com os morcegos é ao
25 contrário: quando os músculos estão relaxados, as patas fecham; e, quando querem abrir as
patas, os morcegos têm de fazer força. Assim, está explicado: enquanto dormem relaxados, as
suas patas nunca irão abrir!
Maria Ana Peixe Dias, Inês Teixeira do Rosário, Bernardo Carvalho,
Lá fora – guia para descobrir a natureza, Carcavelos,
Planeta Tangerina, 2014, pp. 250-251 (texto adaptado)

134 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Responde às questões seguintes, de acordo com o sentido do texto.

1. Assinala com X, de 1.1 a 1.3, a opção correta que completa cada frase. (9 pontos)

1.1 Por vezes, não nos apercebemos da presença dos morcegos porque

a) vivem de noite. c) vivem escondidos.


b) voam muito alto. d) voam muito rápido.

1.2 Atualmente, os morcegos têm

a) duas pernas frágeis. c) duas asas fortes.


b) quatro asas fortes. d) quatro pernas frágeis.

1.3 O sentido de orientação dos morcegos é regulado pela


a) visão e pelo olfato. c) visão e pela audição.
b) audição e pelo tacto. d) audição e pelo olfato.

2. Completa o quadro seguinte para identificares alguns aspetos relacionados com os morcegos.
(6 pontos)

Aspetos Morcego
Período de maior atividade a) ___________________________________________
Características particulares dos morcegos em – Pequenos;
Portugal b) ___________________________________________
Posição em que dormem – De pernas para o ar.
Particularidade do som que emitem c) ___________________________________________

3. Completa a frase, de acordo com o sentido do texto. (2 pontos)

Ao contrário dos morcegos, quando um ser humano se pendura numa árvore tem de fazer
muita força porque ____________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________

4. Enquanto os morcegos dormem, as suas patas nunca abrem.


Apresenta uma causa para este facto, de acordo com a informação do último parágrafo do
texto. (3 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 135


Grupo II

Lê o texto seguinte.

A vassoura mágica
A bruxa Rabucha ia, nas noites de sexta-feira, aos bailes das bruxas, montava na vassoura,
pronunciando as palavras mágicas:
Varre, varre, abracadabra,
a poeira que há no ar.
5 Rasga no céu uma estrada
sempre, sempre a vassourar.
E a vassoura voava, como um cavalo de asas.
Naquele ano, o inverno ia longo e frio. A bruxa Rabucha tiritava no seu fato de farrapos, na
gruta coberta de teias de aranha e ninhos de morcegos.
10 Com a vassoura arrumada atrás da porta, o gato preto aos pés, a fazer de botija, dormitava,
quando bateram à porta.
– Quem é?
– Não adivinhas? É a tua prima, a bruxa Capucha.
– Entra, entra, que tenho uma ratazana cozida para o jantar, com esparregado de urtigas…
15 vais gostar… E um docinho de baba de sapo…
– Não me apetece. Sabes, habituei-me a comer nos restaurantes ou a comprar comida feita
nos supermercados. Já não me caem bem os pratos tradicionais.
– Também tu! Deixaste de ser bruxa?
– Hoje sou, com muito orgulho, limpa-chaminés!
20 – E usas a vassoura voadora para limpar chaminés?
– Pois claro!
– Isto realmente vai de mal a pior.
– A prima Guedelhuda, que antes fazia vassouras mágicas, é operária de uma fábrica de
aspiradores. Ganha ordenado certo, férias pagas e até subsídio de Natal.
25 A prima Malvina, que era a rainha das curas milagrosas, tirou o curso de enfermagem e
trabalha num hospital.
– E a Verruguinha, a filha dela, que ainda andava a estudar? – Ah, essa trabalha num circo a
fazer magias. Parece que até está para casar com um palhaço.
– Que vergonha…
30 – São os novos tempos. A razão da minha visita é mesmo informar-te de que és a última
bruxa a exercer a profissão.
A bruxa Rabucha mal podia acreditar nas palavras que ouvia. Tomou um duche gelado
numa nuvem escura para refrescar as ideias e sentou-se à porta de casa a deitar contas à vida.
Perdera família, amigos, clientes (quem é que ainda acredita nas bruxas?). Tinham-se
35 acabado os bailes de sexta-feira, com as fogueiras crepitantes, à roda das quais tanto gostava de
dançar. Restava-lhe um gato velho, um mocho zarolho, uma vassoura despenteada.
Olhou para o calendário espetado com um dente de cobra na parede e exclamou:
– Carnaval! É a melhor altura para eu descer à cidade sem ninguém estranhar.
Montou na vassoura até à paragem da camioneta. Nem cinco minutos esperou. Sentou-se
40 comodamente e deixou-se levar.
Luísa Ducla Soares, A vassoura mágica, Porto, Edições ASA, 1986, pp. 8-13
(texto com supressões)

136 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Responde às questões seguintes, de acordo com o sentido do texto.

1. A bruxa Capucha fez uma visita à sua prima bruxa Rabucha. (5 pontos)
Ordena, de 1 a 5, as informações trazidas por Capucha, de acordo com a ordem do texto.

Confirmou que atualmente usava a vassoura para limpar chaminés.


Anunciou que Rabucha era a única bruxa a exercer a profissão.
Garantiu que havia uma bruxa que até recebia subsídio de Natal.
Disse que também tinha abandonado o ofício de bruxa.
Informou que já não comia os pratos tradicionais das bruxas.

2. Relê os três primeiros parágrafos do texto. (3 pontos)


Por que razão a bruxa Rabucha pronunciava as palavras mágicas?
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

3. «Naquele ano, o inverno ia longo e frio.» (linha 8) (3 pontos)


Refere um comportamento da bruxa Rabucha que comprove este facto.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

4. «Também tu! Deixaste de ser bruxa?» (linha 18) (5 pontos)


Explica por palavras tuas os sentimentos da bruxa Rabucha neste momento. Justifica a tua
resposta, de acordo com o sentido do texto.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

5. Assinala com X todos os sentimentos revelados pela bruxa Rabucha, após a saída da prima.
(linhas 32 e 33) (3 pontos)

a) Espanto.
b) Inveja.
c) Nervosismo.
d) Preocupação.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 137


6. A profissão de bruxa era representada por vários objetos. (5 pontos)
No final do texto, esses objetos são observados de uma forma pessimista pela bruxa Rabucha.
Identifica os objetos e os adjetivos que os caracterizam.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

7. Entre as linhas 32 a 36, a bruxa Rabucha revela-se um pouco desanimada. (6 pontos)


Na tua opinião, a bruxa Rabucha tinha motivos para se sentir desta forma?
Justifica as tuas afirmações com base no texto.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

138 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo III

1. Preenche os espaços com os sinais de pontuação adequados. (5 pontos)

Naquele dia a bruxa Rabucha exclamou


Tenho de reagir E se eu convocasse um conselho com as antigas bruxas

2. Reescreve a frase seguinte, colocando no singular todas as palavras que estão no plural. (3 pontos)

As bruxas faziam as mais admiráveis feitiçarias.

____________________________________________________________________________________________

3. Rodeia todas as palavras que pertencem à mesma família. (2 pontos)

bruxa encanto bruxaria feitiço

bruxedo brusco embruxado

4. Assinala com X a classe de palavras a que pertence cada palavra sublinhada. (4 pontos)

Determinante Pronome

a) O meu disfarce de carnaval é espetacular.


b) Qual é o teu?
c) Esta máscara é para o Pedro.
d) Essa é para a Rita.

5. Completa os espaços em branco com a forma do verbo apresentado entre parênteses, no


pretérito perfeito do indicativo. (3 pontos)

Ontem, os meus amigos _________________ (vir) cá a casa e nós _________________ (preparar)


uma festa de carnaval: _________________ (fazer) bolos, _________________ (enfeitar) a sala e
_________________ (ir) comprar serpentinas.

6. Sublinha o sujeito na frase seguinte. (3 pontos)

A história da bruxa Rabucha parece muito divertida.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 139


Grupo IV

No texto que leste, a bruxa Rabucha ficou muito desiludida, porque todas as outras bruxas tinham
abandonado a profissão. Mas como era Carnaval, resolveu sair à cidade, pois ninguém estranharia
ver uma bruxa pelas ruas.
Escreve uma história, contando o que aconteceu a partir desse momento.
O teu texto, com um mínimo de 90 palavras, deve incluir: (30 pontos)

• um momento de diálogo;

• um título adequado.

_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________

FIM

140 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Teste de avaliação 3
NOME _______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número ______

No tempo em que os animais falavam – Fábulas e outros textos

Grupo I

Lê o texto seguinte.

Como e quando observar aves


Para quem está a iniciar-se na observação de aves, é aconselhável o uso de binóculos com
uma ampliação de 8 ou 10 vezes. As melhores condições para a observação são dias sem chuva
e sem vento forte. A identificação das aves depende muito destes fatores.
As alturas em que a maioria das aves está mais ativa é de manhã cedo e ao fim da tarde.
5 Entre os vários grupos de aves, as aves marinhas são as mais difíceis de observar porque,
muitas vezes, se encontram longe da linha de costa.

Corvo-marinho-de-crista

Identificação
A plumagem brilhante preta-esverdeada, o bico
10 preto com base amarela e a pequena crista junto à testa,
tornam-no fácil de reconhecer na altura da reprodução.
Fora desta época confunde-se mais frequentemente
com o corvo-marinho de faces brancas, pois os adultos
deixam de ter crista e a plumagem perde cor e brilho.
15 Prefere as zonas junto à costa.

Reprodução
Na Europa, faz os ninhos desde a Noruega até Portugal e começa por ocupar os territórios
de nidificação cedo, por vezes ainda em janeiro. Os ninhos são construídos a baixa altura, nas
rochas, em pequenas fendas ou cavernas. Os ovos, três ou quatro, são postos entre o fim de
20 março e junho. Os juvenis nascem cerca de trinta dias depois e permanecem no ninho durante
cinquenta e três dias. Após este tempo, começam a voar mas continuam a ser alimentados por
mais vinte dias.

Regime alimentar
Quando nada à superfície, captura várias espécies de peixes, com mergulhos que podem
25 durar mais de três minutos.
José Projecto e Miguel Lecoq, Aves da costa alentejana,
s.l., DRA – Alentejo, 1998, pp. 15 e 32
(texto adaptado)

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 141


Responde às questões seguintes, de acordo com o sentido do texto.
1. Assinala com X, de 1.1 a 1.5, a opção correta que completa cada frase. (10 pontos)
1.1 Para iniciar a observação de aves, deve usar-se, por exemplo, binóculos com ampliação de

a) 9 vezes. c) 10 vezes.
b) 7 vezes. d) 6 vezes.

1.2 Um dia ideal para observar aves deve ser

a) sem vento forte. c) sem muito sol.


b) com pouca chuva. d) com muito sol.

1.3 Um momento do dia favorável para a observação das aves é o

a) fim da manhã. c) início da noite.


b) início da manhã. d) meio da tarde.

1.4 O corvo marinho de crista é fácil de identificar

a) apenas no verão. c) na época da reprodução.


b) durante todo o ano. d) principalmente no outono.

1.5 A palavra «nidificação» (linha 18) significa

a) chocar os ovos. c) construir os ninhos.


b) alimentar os filhotes. d) pôr os ovos nos ninhos.

2. Associa cada elemento da coluna A ao elemento da coluna B que com ele se relaciona, de
acordo com a informação do texto. (6 pontos)

Escreve, em cada espaço da coluna A, a letra correspondente da coluna B.

Coluna A Coluna B

a) Setenta e três dias.


Início da nidificação ............... b) Cinquenta e três dias.
Postura dos ovos .................... c) Trinta dias.

Estadia dos juvenis no ninho .. d) Entre março e junho.


e) Em janeiro.

3. «Quando nada à superfície, captura várias espécies de peixes, com mergulhos que podem durar
mais de três minutos.» (linhas 24 e 25).
O corvo-marinho-de-crista consegue fazer mergulhos de três minutos.
Indica uma consequência desse facto. (3 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

142 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo II

Lê a fábula seguinte.

A raposa e o corvo
Um corvo estava a voar pelos ares quando avistou um pedaço de queijo que um pastor de
passagem deixara cair. Voou na sua direção, agarrou-o e bateu as asas até uma árvore próxima
para comer o seu repasto. Mas tinha sido visto por uma raposa astuta que estava determinada a
comer o queijo. Ela aproximou-se da árvore e começou a elogiar o corvo de uma forma muito
5 exagerada.
 Senhor Corvo, sois uma ave tão nobre. A vossa plumagem é tão lustrosa e o vosso bico
tão afiado. Sois com certeza, o Rei de todos os Pássaros.
O corvo inchou o peito e ficou muito contente com todos os elogios. A raposa continuou:
 Estou certa de que o Rei de todos os Pássaros tem um canto glorioso mais bonito do que
10 qualquer outro.
O corvo não tinha, de modo algum, um canto bonito, mas estava determinado a convencer a
raposa de que era realmente o Rei de todos os Pássaros, por isso abriu o bico e soltou um
grasno sonoro. O pedaço de queijo caiu e a raposa devorou-o imediatamente.
 Se fosses mesmo o Rei de todos os Pássaros tenho a certeza de que também terias
15 inteligência – disse-lhe a raposa enquanto fugia, deixando o corvo furioso a arrepender-se da
sua tolice.
As fábulas de Esopo, adapt. Fiona Waters, trad. Bárbara Maia,
Porto, Civilização Editora, 2011, p. 14

Responde às questões seguintes, de acordo com o sentido do texto.

1. Numera, de 1 a 5, os acontecimentos seguintes de acordo com a ordem do texto. (5 pontos)

O corvo decidiu comer o queijo. A raposa devorou a refeição do corvo.


A raposa elogiou as penas do corvo. O corvo grasnou bastante alto.
O corvo avistou um pedaço de queijo.

2. «Mas tinha sido visto por uma raposa astuta que estava determinada a comer o queijo.»
(linhas 3 e 4)
Substitui as duas palavras destacadas por duas palavras de sentido equivalente. (2 pontos)

____________________________________________________________________________________________

3. Qual é a decisão tomada pela raposa no início do texto. (linhas 1 a 5) (2 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

3.1 Que atitude tomou a raposa para atingir o seu objetivo. (3 pontos)

_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 143


3.2 Assinala as opções que completam o sentido da frase (3 pontos)

Na primeira fala, a raposa

a) elogia a nobreza da ave.


b) destaca a ignorância da ave.
c) aplaude a esperteza da ave.
d) gaba o brilho das penas.

4. Que nome se dá ao recurso expressivo que possibilita uma conversa entre uma raposa e um
corvo? (3 pontos)

____________________________________________________________________________________________

5. Caracteriza o comportamento do corvo após ser elogiado pela raposa. (3 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

6. Esta narrativa é uma fábula. (4 pontos)

Indica duas características do texto que comprovem esta afirmação.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

7. Dá a tua opinião sobre o comportamento da raposa nesta fábula, completando os espaços em


branco. (5 pontos)

Na minha opinião, __________________________________________________________________________


porque ____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

8. Propõe uma moralidade para esta fábula. (3 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

144 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo III

1. Classifica as palavras seguintes quanto ao número de sílabas. (1,5 pontos)

a) Ave: __________________________________________

b) Pássaro: ______________________________________

c) Queijo: _______________________________________

d) Árvore: _______________________________________

e) Glorioso: _____________________________________

f) Rei: ___________________________________________

1.1 Classifica agora essas palavras quanto a posição da silaba tónica. (1,5 pontos)

a) __________________________________________
b) __________________________________________

c) __________________________________________

d) __________________________________________

e) __________________________________________
f) __________________________________________

1.2 Escreve a regra de acentuação usada na palavra «pássaro». (1,5 pontos)

_______________________________________________________________________________________

2. Reescreve no plural a frase seguinte. (1,5 pontos)

Esse animal era um grande espertalhão.

____________________________________________________________________________________________

2.1 Escreve duas regras de formação do plural de nomes e adjetivos que utilizaste. (4 pontos)

• Regra: _____________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
• Regra: _____________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 145


3. Identifica o grau do adjetivo usado na frase seguinte. (2,5 pontos)

É uma raposa rapidíssima.

____________________________________________________________________________________________

3.1 Reescreve a frase com esse adjetivo no grau superlativo absoluto analítico. (2,5 pontos)

_______________________________________________________________________________________

4. Completa a tabela com as palavras sublinhadas nas frases. (3 pontos)

Ela foi muito esperta, pois queria o delicioso queijo do corvo. Então, elogiou-o duas vezes.

Nome Advérbio Quantificador Adjetivo Determinante Pronome

5. Completa o esquema com três palavras da família da palavra rei. (1,5 pontos)

Rei

6. Identifica o intruso na família de palavras apresentada. (1,5 pontos)

canto cantor cantoria

cantador melodia cantarolar

146 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo IV

Escreve uma pequena narrativa que exemplifique uma das moralidades seguintes: (30 pontos)

Não cometas o mesmo erro


duas vezes.
As tuas ações falarão sempre mais
Faz novos amigos, mas
alto do que as tuas palavras.
preserva os antigos.

O teu texto, com um mínimo de 120 e um máximo de 180 palavras, deve incluir:
• uma situação inicial, o seu desenvolvimento e um desfecho;

• um título adequado.

_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________

FIM

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 147


Teste de avaliação 4
NOME _______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número ______

No tempo em que os animais falavam – Fábulas e outros textos

Grupo I

Lê o texto.

Espécie do mês de junho: ouriço-cacheiro


O ouriço-cacheiro é um mamífero que possui a
particularidade de ser o único mamífero da nossa
fauna que tem espinhos em todo o corpo, sendo
estes pelos modificados. Quando é ameaçado,
5 enrola-se sobre si próprio, defendendo-se assim
dos predadores. Os ouriços-cacheiros podem ter
até cerca de 7500 espinhos pelo corpo, com cerca
de 2-3 cm, que lhes conferem uma variação de cor
entre o amarelado e o castanho. A cabeça está bem
10 diferenciada do corpo, cujo comprimento varia entre 20 a 35 cm. Possui orelhas pequenas e
olhos grandes, e uma cauda curta, com um comprimento de 10 a 20 cm. O peso dos ouriços
adultos pode variar entre 400 e 1200 g.

O ouriço-cacheiro encontra-se na maior parte do oeste europeu. Em Portugal, o ouriço é


uma espécie abundante, de distribuição generalizada de norte a sul. Vive em zonas de cultivo e
15 jardins, bem como em bosques.

Os ouriços-cacheiros são animais de atividade noturna ou de fim do dia. São solitários e


territoriais, sendo os territórios dos machos cerca de 3 vezes superiores aos das fêmeas.
Durante a noite, podem percorrer distâncias entre um e três quilómetros.

Este animal come um pouco de tudo, alimentando-se essencialmente de invertebrados


20 terrestres, como gafanhotos, escaravelhos e moscas, consumindo ainda minhocas e caracóis,
ovos de aves, rãs e répteis, cereais e frutos silvestres.

Quando o alimento escasseia, e a descida da temperatura não permite a manutenção da


temperatura do corpo, o ouriço-cacheiro hiberna. Os indivíduos ficam frios ao toque e imóveis,
diminuindo a sua temperatura, a respiração (1 a 10 vezes por minuto), o ritmo cardíaco (de 190
25 para 20 batimentos por minuto) e o funcionamento dos órgãos internos, poupando energia
desta forma. No nosso país, só os animais que vivem em zonas de maior altitude é que
hibernam.
http://cervas-aldeia.blogspot.pt/2012/06/, consultado em 10/02/2016 (texto adaptado)

148 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


1. Assinala com X, de 1.1 a 1.4, a opção correta que completa cada frase. (8 pontos)

1.1 O ouriço-cacheiro distingue-se dos outros mamíferos devido


a) aos espinhos. c) aos olhos.
b) à cauda. d) às orelhas.

1.2 Em Portugal, o ouriço-cacheiro


a) vive apenas na zona norte. c) é uma espécie rara.
b) existe em todo o país. d) só existe na zona sul.

1.3 Um dos melhores momentos para observar a atividade do ouriço-cacheiro é


a) ao início da manhã. c) ao início da noite.
b) ao fim da manhã. d) a meio da tarde.

1.4 Uma das causas da descida da temperatura do corpo do ouriço-cacheiro é


a) a falta de alimentos. c) a sua atividade noturna.
b) a mudança dos espinhos. d) a descida do ritmo cardíaco.

2. Assinala todas as opções corretas, de acordo com o sentido do texto. (3 pontos)


Da alimentação do ouriço fazem parte
a) todo o tipo de frutos. c) principalmente minhocas.
b) vários cereais. d) diversos insetos.

3. Transcreve do último parágrafo: (3 pontos)


A palavra que corresponde ao ato de passar o inverno num estado de adormecimento para
poupar energia.
____________________________________________________________________________________________

4. Relê o último parágrafo. (4 pontos)


Associa cada elemento (coluna A) à forma verbal que com ele se relaciona (coluna B), de acordo
com a informação do texto.
Escreve, em cada espaço da coluna A, a letra correspondente da coluna B.

Coluna A Coluna B

a) aumenta.
O ritmo cardíaco .................... b) diminui.
O corpo ................................... c) imobiliza-se.

A temperatura ........................ d) enrola-se.


e) arrefece.

5. Pontua o texto, usando o travessão, a vírgula, os dois pontos, o ponto final e um ponto de
exclamação. (3 pontos)

A Eva disse
Tirei fotografias com três ouriços uma fêmea adulta um macho adulto e uma
cria. Foi um momento espetacular

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 149


Grupo II

Lê o texto seguinte.

O ouriço-cacheiro
Dizer que a manhã caminhava minuto a minuto queria dizer que a manhã caminhava pé ante
pé. Dizer que a manhã saltitava hora a hora queria dizer que a manhã avançava passo a passo.
Eu estava a explicar isto à Joaquina para lhe mostrar que afinal o verão tinha feito uma
autêntica correria pelos dias fora e estávamos quase quase já no fim das férias!
5 Nenhum de nós os três tinha, desta realidade, a menor dúvida: nem a Joaquina, nem eu, nem
o nosso pequeno amigo ouriço-cacheiro.
Agora do que tínhamos umas sérias dúvidas era que este conseguisse acabar a tempo e
horas a sua casa de inverno. Mas conseguiu.
Entre as raízes de uma árvore grande descobrira uma toca abandonada. Não era vivenda
10 espetacular, mas era sólida construção: as raízes, perdão… as paredes eram vigorosas e antigas,
e o soalho não era movediço.
Como o nosso amigo ouriço era bastante comodista e tinha ouvido dizer que os invernos
costumavam ser frios no inverno, resolveu alcatifar a sua nova casa com folhas e musgo de boa
qualidade e espessura.
15 Vendo bem, até se tratava de uma habitação para durar: talvez desde outubro até finais de
março ou princípios de abril.
A Joaquina sabia muito mais destas coisas do que eu, embora fosse mais nova. Tinha sete
anos e nunca tinha saído para mais longe do que a aldeia que ficava a seis quilómetros de
distância da Fonte de Marmeleiros.
20 Era nesta aldeia que ficava a escola onde ela ia. Mas à Joaquina ainda lhe faltava perceber
bem o que é que acontecia com o pequenino ouriço quando ele se assustava fortemente.
De nós, não tinha ele que ter medo. O pior era haver grandes pássaros escuros de olhos maus.
Chamavam-se predadores ou aves de rapina, ou lá o que era. Mal os pressentia, o ouriço
começava a fazer uma força enorme, metia as patitas debaixo da barriga e sentia então os
25 próprios músculos a rodearem-no todo, como se o corpo fosse uma bolsa preciosa que se fechava
para o guardar lá dentro muito bem protegido. Mas com os picos todos apontados para fora!
Sempre que a Joaquina o via assim, e quantas vezes num alarme falso, tinha um ataque de
riso. Não porque estivesse a fazer troça dele, mas porque estava realmente a fazer troça dele e
também porque lhe achava graça.
30 Muito devagarinho, ao ouvi-la rir tão alto, o ouriço-cacheiro acalmava, os seus músculos
descontraíam-se, deitava a cabecita de fora e ficava a olhá-la de soslaio, meio envergonhado de
ter mostrado todo o arsenal de defesa em ação para nada!
Naquela tarde, a Joaquina perguntou-lhe:
 Hoje não trabalhas?
35  Já acabei. E não calculas o sono que eu tenho. É próprio…
 Será de já teres acabado a tua casinha?
 Não. Ou por outra, sim. O inverno não vai demorar muito a chegar, e eu já estou a ver que
vai ser mesmo bom dormir na minha toca enquanto o frio e a chuva andarem por aí à solta.
 Sempre me saíste um preguiçoso…  censurou ela. Mas no fundo estava era com pena de
40 ficar tanto tempo sem o ver «só porque ele tinha resolvido hibernar»!
 Achas que eu também podia hibernar contigo? – perguntou ela de repente.

150 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


O ouriço sentou-se e coçou os picos lá do cocuruto da cabeça, o que era a maneira mais
clara de mostrar que não fazia a menor ideia.
Alguém, lá dos longes das casas, chamou a Joaquina. E preparava-se mesmo para dar uma
45 corrida até casa, mas o ouriço-cacheiro saiu-lhe ao caminho e pediu com muito bom modo:
 Tu eras capaz de me vigiar a toca enquanto eu estiver a hibernar?
Aqui é que ela ficou radiante. Que bela, belíssima ideia!
 Podes dormir à vontade. Eu ando sempre por estes lados e vou dando umas olhadelas. Até
gosto muito.
Maria Alberta Menéres, O ouriço-cacheiro espreitou três vezes,
Porto, Edições Asa, 1981, pp. 26-29 (texto com supressões)

Responde às questões seguintes, de acordo com o sentido do texto.


1. Numera, de 1 a 6, os acontecimentos do texto, do mais antigo para o mais recente.
O primeiro acontecimento já está numerado. (5 pontos)

O ouriço alcatifou a sua nova casa.


Os três amigos reuniram-se numa tarde.
O ouriço disse que iria hibernar brevemente.
1 O ouriço descobriu uma toca abandonada.
A Joaquina prometeu vigiar a toca do ouriço.
O ouriço terminou a casa de inverno.

2. Assinala a opção que completa corretamente cada afirmação. (3 pontos)

2.1 No início do texto, o narrador tenta explicar à Joaquina que

a) as manhãs eram muito lentas.


b) o verão terminara muito depressa.
c) o inverno nunca mais acabava.
d) as férias estavam a chegar.

2.2 Pode-se concluir que o ouriço gostava de conforto, porque

a) resolveu hibernar. c) tinha muito sono.


b) era muito preguiçoso. d) alcatifou a toca.

3. O ouriço tinha medo dos predadores. (3 pontos)

Entre as hipóteses abaixo apresentadas, assinala com um X aquelas que correspondem a


consequências desse facto.

a) Patas encolhidas. d) Picos apontados para fora.


b) Músculos relaxados. e) Patas esticadas.
c) Picos recolhidos. f) Músculos contraídos.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 151


4. «sentia então os próprios músculos a rodearem-no todo, como se o corpo fosse uma bolsa
preciosa». (linhas 23 e 24) (2 pontos)

Risca a opção errada.


O recurso expressivo presente na expressão sublinhada é uma comparação/personificação.

5. Dá exemplos de dois comportamentos do ouriço que sejam próprios dos seres humanos e
identifica o recurso expressivo utilizado. (5 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

6. A certa altura, a Joaquina diz «Sempre me saíste um preguiçoso…» (linha 39) (3 pontos)

O que originou este comentário da menina?


Justifica a tua resposta referindo os sentimentos de Joaquina neste momento da ação.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

7. Lê o artigo de dicionário que se segue e as linhas 39 a 41. (4 pontos)

Hi.ber.na.ção n. f. Período de inatividade de certos animais, durante o inverno.

Na tua opinião, a Joaquina sabia o que significava hibernar para um ouriço cacheiro?
Justifica a tua resposta com base no sentido do texto.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

8. Lê o provérbio e as linhas 44 a 49. (5 pontos)

Os amigos são para as ocasiões.

Explica por que razão se pode afirmar que este provérbio se aplica aos acontecimentos do final
do texto.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

152 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo III

1. Identifica os ditongos orais e os ditongos nasais presentes nas palavras seguintes.


Rodeia o ditongo e transcreve-o para o local adequado da tabela. (3 pontos)

ouriço-cacheiro cães gaivota camaleão dragões

chacais besouro pavões lacrau boi

Ditongos orais Ditongos nasais

2. Separa corretamente as sílabas das palavras seguintes. (2 pontos)

a) inverno: _______________________________ c) envergonhado: _______________________

b) quilómetros: __________________________ d) músculos: ____________________________

2.1 Recorda a classificação das palavras quanto ao número de sílabas e completa as frases.
(2 pontos)

a) As palavras inverno e músculos são _________________________________________________


b) As palavras quilómetros e envergonhado são ________________________________________

3. Lê as frases seguintes. (2 pontos)

O ouriço fez a sua casa numa toca abandonada.


Foi necessário um esforço para terminar aquela tarefa.

Regista as palavras destacadas na tabela, de acordo com a sua subclasse.

Determinante Determinante Determinante Determinante


artigo definido artigo indefinido demonstrativo possessivo

4. Usa um pronome pessoal para substituíres a expressão destacada em cada frase. (3 pontos)

a) O ouriço preparou a toca.


_________________________________________________________________________________________
b) As meninas descobriram o esconderijo.
_________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 153


4.1 Completa as frases com as formas contraídas dos pronomes pessoais, para substituíres as
expressões destacadas. (2 pontos)

ta lho ma

a) A Inês deu-te a fotografia.


A Inês deu _______ .
b) Tu ofereceste-lhe este livro?
Sim, ofereci _______ .
c) A mãe não me leu essa história.
A mãe não _______ leu.

5. Relembra as subclasses do nome e classifica cada conjunto. (1,5 pontos)

A B C
Minuto Ninhada Braga
Pé Bando André
Fim Molho Douro
Folhas Cacho Europa
Toca Alcateia Marte

A __________________ B __________________ C ____________________

5.1 Identifica o conjunto a que se refere cada um dos nomes coletivos apresentados. (1,5 pontos)

Nome coletivo Conjunto


Vara
Cordilheira
Constelação

6. Lê as frases seguintes e observa os adjetivos sublinhados. (2 pontos)

a) A primeira pergunta foi da Joaquina.


b) O ouriço deu uma resposta muito clara.
c) Era a segunda casa que o ouriço construía.
d) A toca tinha ficado maravilhosa.
e) Este é o segundo ouriço que eu vejo.

Preenche a tabela com as alíneas, de forma a indicares a subclasse do adjetivo. Segue o exemplo.

Adjetivo qualificativo Adjetivo numeral


a) «primeira»

154 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo IV (30 pontos)

Escolhe apenas uma das alternativas apresentadas.

1. Lê com atenção a informação sobre um cão natural da zona do Algarve.

O cão do Barrocal Algarvio


Chamado de cão felpudo e cão
abandeirado.
Tem a aparência esguia e
atlética dos galgos egípcios, dos
quais se acredita ter origens, mas
há também semelhanças com o
Podengo português e os Border Os «barrocos» são territórios
Collies, raça inglesa de cães íngremes e de difícil acesso, por
pastores. Podemos juntar estas entre serras e montanhas, o que
três raças e temos a imagem do acaba por definir um pouco as
Barrocal Algarvio: focinho características comportamentais e
alongado, orelhas pontiagudas, de temperamento desta raça: estes
cauda em formato de caracol, o cães são rápidos, trabalhadores
pelo comprido, em particular nas incansáveis, resistentes às adver-
patas, cauda e base das orelhas e sidades, enérgicos e territoriais,
figura esguia e ágil, podendo qualidade necessária para também
chegar aos 58 centímetros e pesar ser considerado um bom cão de
até 25 quilos. guarda.
O seu nome está relacionado Tais características não invali-
diretamente com a zona geo- dam, no entanto, as suas qualidades
gráfica onde a raça se concentrou para cada vez mais ser escolhido
e desenvolveu: a zona do Barrocal como cão de companhia. É meigo,
Algarvio, assim caracterizada por paciente e adapta-se bem à vida em
aí existirem rochas de forma família, se tiver a atenção necessá-
irregular que têm o nome de ria para um animal com a sua
barrocos. vivacidade.

http://visao.sapo.pt, consultado em 02/02/2016 (texto adaptado)

Escreve um texto expositivo a partir das informações do texto que leste.


O teu texto, com um mínimo de 80 e um máximo de 120 palavras, deve incluir:
• introdução, desenvolvimento e conclusão.

§
2. No texto que leste no Grupo II, o ouriço-cacheiro preparava-se para hibernar.
Escreve uma narrativa, relatando o que aconteceu a partir desse momento.
O teu texto, com um mínimo de 90 palavras, deve incluir:
• um momento de diálogo;
• uma descrição do espaço.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 155


_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________

FIM

156 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Teste de avaliação 5
NOME ______________________________________________ Ano _______ Turma ______ Número ______

Histórias com barbas – Contos tradicionais, lendas e outros textos

Grupo I

Lê o texto seguinte.

Burro sorri depois de ser resgatado da água


O animal estava preso na lama e corria
perigo. Uma equipa do Animal Heaven
Rescue Centre conseguiu resgatá-lo.

Um burro que ficou preso na lama durante as


5 cheias em Killorglin, na Irlanda, e estava em perigo
de vida, tornou-se numa estrela da internet. Com um
pedido de ajuda pelo Facebook, com o alerta «código vermelho», uma associação irlandesa de
proteção aos animais (Animal Heaven Rescue Centre) angariou voluntários e um barco para o
salvamento, este domingo.
10 Segundo o jornal The Telegraph, o animal estava sozinho numa área em que o nível da água não
parava de subir. Os voluntários conseguiram resgatá-lo para as margens com uma boia amarrada a
uma corda e puxada por um pequeno barco a motor.
Quando chegou a terra, o burro Mike exibiu um sorriso que recompensou os voluntários por
todo o esforço. Foi então que os membros do centro de resgate de animais decidiram dar-lhe o
15 nome de Mike, devido ao nome da pessoa que conduziu o barco: Mike Fleming, do clube de remo
de Killorglin.
Neste momento, Mike está sob o cuidado de um veterinário e está estável, mas tem de tomar
antibióticos para evitar uma pneumonia. Segundo a mensagem que o grupo Animal Heaven Rescue
Centre publicou na rede social, Mike tem um pouco de fluído num pulmão, mas vai ficar bem.
http://www.dn.pt/ 7/12/2015, consultado em 10/02/2016 (texto adaptado)

Responde às questões seguintes, de acordo com o sentido do texto.

1. Assinala com X a opção correta que completa a frase. (3 pontos)

Ao escrever o texto, o autor teve como intenção

a) fazer uma entrevista.


b) contar uma fábula.
c) dar uma notícia.
d) expor informações.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 157


2. Assinala com X todas as afirmações verdadeiras, de acordo com o sentido do texto. (6 pontos)

a) O burro ficou preso devido à subida do nível da água.


b) O alerta «código vermelho» foi divulgado num jornal.
c) O animal foi resgatado por um grupo de voluntários.
d) Apesar do perigo, o burro não correu risco de vida.
e) O nome atribuído ao burro é uma homenagem a um dos salvadores.

3. Identifica três factos que se destacam neste texto. (7,5 pontos)

• _________________________________________________________________________________________
• _________________________________________________________________________________________
• _________________________________________________________________________________________

4. Resume a informação do último parágrafo. (3,5 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

Grupo II

Lê o texto.

O príncipe com orelhas de burro


Nesta história inventada há muito muito tempo, havia, num reino distante, um rei que vivia
muito triste porque não tinha um filho! Um dia mandou chamar as fadas e pediu-lhes para
fazerem com que a rainha sua esposa tivesse um filho rapaz. As fadas eram três, e prometeram
que o seu desejo seria satisfeito e que gostavam de ir assistir ao nascimento do principezinho.
5 Ora quando o pequenino nasceu, lá apareceram as três fadas, muito lampeiras e divertidas.
Uma delas disse: «Eu te fado para que sejas o príncipe mais bonito do mundo!» E a outra fada,
a seguir, disse: «Eu te fado para que sejas muito bondoso e inteligente!» E a terceira fada disse,
por último: «Eu te fado para que te nasçam umas orelhas de burro!»
E lá se foram as fadas embora, deixando o rei e a rainha a chorar por terem um filho com tal
10 aspeto: é que umas grandes orelhas de burro lhe apareceram ainda antes de as fadas se terem
ido embora do palácio.
O rei mandou logo fazer um barrete, que o filho começou desde então a usar sempre! E o
menino lá foi crescendo, muito bonito, muito bondoso e muito inteligente, mas… sempre com
as suas grandes orelhas de burro.
15 Quando começou a ter barba, o rei chamou o barbeiro e disse-lhe: «Vais fazer a barba ao
príncipe, mas se disseres a alguém que ele tem orelhas de burro, morrerás».
O barbeiro aguentou durante muito tempo, e não contou o segredo a ninguém. Porém, não
aguentava mais, e um dia foi confessar-se e disse ao padre que sabia um segredo enorme, mas
se o contasse, o rei mandava-o matar. O padre disse-lhe para fazer uma covinha num sítio
20 isolado e que dissesse o segredo lá para dentro, e depois tapasse a covinha com terra.

158 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Ele assim fez e, depois, foi para casa muito aliviado e contente.
O pior é que, passado algum tempo, nasceu um canavial onde o barbeiro tinha feito a
covinha e escondido o segredo! Os pastores dali fizeram gaitas das canas do canavial, e quando
as sopravam elas diziam: «O príncipe tem orelhas de burro!! O príncipe tem orelhas de burro!!
25 A notícia espalhou-se logo por todo o reino, e o rei mandou chamar os pastores e ouviu o
que as canas diziam… E até a cana em que o próprio rei soprou dizia a mesma coisa!
Logo o rei mandou chamar as fadas. E elas vieram e, diante de toda a corte, disseram ao
príncipe para tirar o barrete… Que alegria! O príncipe já não tinha as horrorosas orelhas de
burro, mas continuava bonito e com o seu ar de bondade e de inteligência que o fazia adorado
30 por todos.
E as canas do canavial calaram-se para sempre.
Maria Alberta Menéres (rec. e reconto), 100 histórias de todos os tempos,
4.a ed., Porto, ASA, 2005, pp. 114-115

Responde às questões seguintes, de acordo com o sentido do texto.

1. Nos contos tradicionais, o tempo e o espaço são quase sempre indefinidos. (3 pontos)

Transcreve do primeiro período do texto duas expressões que confirmem esta afirmação.

____________________________________________________________________________________________

2. Identifica as personagens do conto, a partir das informações dadas, como no exemplo. (5 pontos)

a) Mandou chamar as fadas. – O rei.


b) Fadaram o Príncipe. _____________________________________________________________________ .
c) Ficaram a chorar. _______________________________________________________________________ .
d) Tornou-se muito bondoso. ______________________________________________________________ .
e) Foi confessar-se ao padre. _______________________________________________________________ .
f) Aconselhou o barbeiro a guardar o segredo numa cova. __________________________________ .
g) Construiram flautas. ____________________________________________________________________ .

3. O texto pode dividir-se em três momentos:


Justifica essa divisão, identificando os momentos da ação narrada. (4,5 pontos)

1.o momento – linhas 1 a 4: ______________________________________________________________


2.o momento – linhas 5 a 26: ____________________________________________________________
3.o momento – linhas 27 a 31: ___________________________________________________________

4. O príncipe foi fadado com duas características físicas e duas características psicológicas.
Identifica essas características. (4 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 159


4.1 Qual das características do príncipe é determinante para o desenrolar das peripécias?
Porquê? (4 pontos)

_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

5. O rei toma várias atitudes para esconder o segredo mas não consegue evitar que o
descubram? Porquê? (2 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

6. Apesar das orelhas de burro, o príncipe continua a crescer em beleza, bondade e inteligência.
O que podemos concluir desta afirmação? (4 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

7. Que características dos textos tradicionais estão presentes nesta história? (3,5 pontos)

Assinala com X as alíneas que correspondem às afirmações corretas.

a) A história é popular e é baseada em acontecimentos reais do passado.


b) Os acontecimentos são fantásticos.
c) Os elementos perturbadores que surgem ao longo da história são resolvidos.
d) As personagens são animais personificados.
e) A narrativa é curta.
f) As personagens não são identificadas pelo seu nome.
g) Os espaços da ação são indefinidos.

160 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo III

1. Identifica a classe de cada uma das palavras sublinhadas nas frases seguintes. (2 pontos)

Transcreve-as para o local adequado da grelha.


Ontem, a Mariana emprestou-te dois contos para crianças? Leste-os?

Advérbio Preposição Pronome Quantificador

2. Em cada um dos seguintes conjuntos há uma palavra que não pertence à classe das outras
quatro. (2 pontos)

Descobre o intruso em cada coluna e identifica a classe das outras palavras.


A B C D
desejo lá desejado com
segredo logo distante de
alegre em fadado para
alívio muito bondade sem
tristeza não contente tão

A _________________ B __________________ C __________________ D _________________

2.1 Entre os grupos de palavras anteriores, distingue as que pertencem a classes de palavras
variáveis das que pertencem a classes de palavras invariáveis. (1 ponto)

____________________________________________________________________________________________

3. Assinala com um círculo as palavras que são preposições (ou contrações de preposição). (2 pontos)

a) nos d) sobre g) uma


b) em e) naquilo h) esta
c) as f) com i) pelas

4. Sublinha os advérbios presentes nas frases seguintes e identifica a subclasse de cada um dos
advérbios, preenchendo os espaços em branco. (2 pontos)

a) Além, naquele reino, havia um belo príncipe. _____________________________________________


b) As fadas já tinham anunciado os desejos. ________________________________________________
c) O rei estava muito preocupado. _________________________________________________________
d) O barbeiro não conseguiu guardar o segredo. ____________________________________________

5. Sublinha os verbos irregulares apresentados abaixo. (2 pontos)

a) ir / anunciar
b) desejar / estar
c) partir / ser
Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 161
6. Na frase seguinte, identifica o verbo pricipal e o verbo auxiliar. (1 pontos)

Eu já tinha lido este conto à minha irmã.

____________________________________________________________________________________________

6.1 Escreve as seguintes formas do verbo principal que indentificaste em 6. (1 pontos)

Infinitivo impessoal Partícipio

7. Completa cada uma das frases seguintes com a forma do verbo apresentado entre parênteses,
nos tempos e modos indicados. (4 pontos)

a) Presente do indicativo
Nós __________________ (querer) ler mais contos.

b) Pretérito imperfeito do indicativo


Tu __________________ (gostar) de escrever um conto?

c) Pretérito perfeito simples do indicativo


Eu e tu __________________ (ir) à biblioteca.

d) Pretérito mais-que-perfeito composto do indicativo


Eu já __________________ (ler) esta fábula.

8. Observa os dois grupos de palavras. (4 pontos)

A B
reinar rei
indesejado feliz
felizmente fada
fada desejo

Completa as frases.
a) O grupo que contém apenas palavras simples é o ________ .
b) O grupo que contém apenas palavras complexas é o ________ .

8.1 Explica como chegaste a essa conclusão.


_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

162 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo IV

Lê os seguintes títulos de contos tradicionais portugueses. (20 pontos)

A adivinha do rei Sempre não O príncipe sapo

Escreve uma narrativa a partir de um dos títulos sugeridos.


O teu texto, com um mínimo de 120 e um máximo de 180 palavras, deve incluir:
• uma situação inicial, o seu desenvolvimento e um desfecho;

• outras duas características dos contos tradicionais.

_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________

FIM

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 163


Teste de avaliação 6
NOME ______________________________________________ Ano _______ Turma ______ Número ______

Histórias com barbas – Contos tradicionais, lendas e outros textos

Grupo I

Lê o seguinte roteiro, que apresenta sujestões de uma caminhada, para observar as amendoeiras
em flor, no Algarve.

Percurso
Caminho da Amendoeira
Nome: Caminho da Amendoeira
Freguesia: Odeleite
Concelho: Castro Marim
Tipo: pedestre e BTT
Percurso circular: sim
Distância: 11 km
Duração média: 4 h
Tipo de caminho: caminho de terra
e estrada asfaltada.
Quando visitar: fora da época de
verão (evitar dias muito quentes).
Sinalizado: sim
Interesse natural: paisagem, fauna
e flora associada às ribeiras.

• Inicia-se o percurso em Cruz de Alto Mora, no largo/cruzamento desta povoação, na


direção da Soalheira, numa paisagem com amendoeiras e azinheiras dispersas.
• Nas proximidades de uma pequena linha de água, a vegetação é de canas e loendro.
Espécies como a cobra-de-água e o cágado-comum poderão ser vistas nestes habitats
aquáticos.
• Na subida seguinte, encontram-se espécies como tojo-do-sul, sargaço, rosmaninho,
rosmaninho-verde, esteva ou táveda, que dão um colorido especial ao campo,
especialmente na época da floração primaveril.
• Ao retomar o caminho de terra e ao passar pelas ruínas de um moinho de vento, é
possível desfrutar da paisagem envolvente.
• Depois de sair do segundo caminho asfaltado, o percurso segue por uma passagem
mais estreita entre montes.
• Seguindo até à povoação do Caldeirão, observa-se uma área considerável de amen-
doal. Durante os meses de janeiro e fevereiro, a paisagem de amendoeiras toma
cores de branco devido à floração.

Guia de percursos pedestres no Algarve,


Turismo de Portugal, s.d.

164 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


1. Assinala com X a opção correta que completa a frase. (4 pontos)

O autor deste texto teve como intenção:

a) dar indicações para um passeio.


b) apresentar informações sobre árvores.
c) noticiar a floração das amendoeiras.
d) relatar factos passados no Algarve.

2. Assinala com um X as afirmações verdadeiras, de acordo com o sentido do texto. (7 pontos)

a) O caminho da amendoeira pode ser feito de bicicleta.


b) O percurso realiza-se numa hora.
c) O percurso é sempre por estradas alcatroadas.
d) Pode realizar-se este percurso durante o outono.
e) O percurso da amendoeira está sinalizado.

2.1 Corrige as afirmações falsas.


_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

3. Neste roteiro são fornecidas indicações sobre as etapas do percurso, desde o início até ao final.
(5 pontos)
Ordena as informações de acordo com a sequência do texto.

Um caminho de terra leva-nos até junto das ruínas de um moinho.


1 Inicia-se a caminhada no largo de Cruz de Alto Mora.
No Caldeirão, é possível observar uma vasta zona de amendoeiras.
Subindo, são observáveis plantas de muitas espécies.
O caminho torna-se mais estreito entre os montes.
Numa zona de água, são visíveis espécies no seu habitat natural.

4. Qual é a principal atração deste percurso? (4 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 165


Grupo II

Lê o texto seguinte.

A lenda das amendoeiras


O Reino dos Algarves era, há muito tempo, um reino mouro dominado por um grande
guerreiro, conhecido em todos os cantos do mundo pela sua coragem e rudeza.
Das terras do Norte, havia sido enviada como escrava uma linda mulher loira, de olhos
muito azuis e faces brancas... De nome Gilda, aquela que havia sido uma linda princesa nas
5 terras longínquas do Norte, com uma voz meiga e fascinante, de beleza rara e singular, logo
deixou o rei mouro apaixonado, cada dia mais apaixonado pelo seu encanto e simpatia. O rei
não se conteve. Prometeu fazer dela sua esposa. E ela perguntou-lhe admirada:
 Senhor, significa que já não voltarei ao meu país?
O rei respondeu-lhe:
10  Ficarás para sempre junto a mim!
 Que seja feita a vossa vontade, Senhor! – Disse-lhe Gilda.
Começaram as festas e a preparação para a boda. No esperado dia, veio gente de todo o lado
e presentes de todo o mundo. O rei mouro não sabia o que fazer com tamanha alegria. Mas os
olhos de Gilda estavam infinitamente tristes e o soberano reparou na tristeza daquela que havia
15 escolhido como esposa.
 Porquê essa tristeza? – Perguntou-lhe o soberano.
 Não sei... Talvez eu esteja doente...
E Gilda retirou-se para os seus aposentos, enquanto as festas continuavam.
Quanto mais os dias passavam, mais Gilda se sentia triste e doente. Vendo que não conseguia
20 curar a sua esposa, o rei deu ordens para que viessem ao palácio os melhores físicos do mundo.
Mas eles vieram, viram-na e não a conseguiram curar, tal o mal que a atormentava. Desesperado,
o rei proclamou pelo mundo fora que oferecia fortunas e honras a quem conseguisse salvar a
princesa. Mas tudo fora em vão e o próprio rei ia perdendo as esperanças...
Porém, um dia, vindo das terras do Norte, um velho apresentou-se para falar com o rei e
25 salvar a rainha. O rei permitiu que o velho falasse com Gilda. Foi uma conversa misteriosa.
O velho retirou-se sorrindo e voltou a procurar o rei.
 Senhor! O mal da vossa rainha é a nostalgia. Ela sente saudades da neve da sua terra e
esse mal é uma doença que lhe vai destruindo a alma pouco a pouco.
Então o velho, abrindo a larga janela, apontou para os campos em frente e sugeriu ao rei:
30  Plantai em todo o Algarve milhares de amendoeiras. No dia em que elas florescerem, as suas
flores brancas encherão os caminhos, como se fossem neve. E Gilda ficará curada para sempre!
O rei não hesitou. Logo ordenou que os seus súbditos inundassem o Algarve de amendoeiras.
Quando a primavera chegou, o espetáculo deslumbrante fez do Algarve um país de sonho. O rei
correu aos aposentos de Gilda e, amparando-a a muito custo, levou-a até à varanda. Então os
35 olhos azuis da bela princesa do Norte ficaram maravilhados, mal podendo acreditar no que viam.
 É a neve... A neve da minha terra!
E logo num instante surgiu o milagre da cura. Gilda voltou a sorrir, enlevada e alegre.
O rei e a rainha viveram felizes para sempre, ajudados por aquele velho vindo do Norte.
E desde então, todos os anos, o branco das amendoeiras em flor cobre de neve todo o Algarve e
40 faz desta região um país de sonho, de magia e de encantamento.

Fernanda Frazão (recolha), Lendas portuguesas, Lisboa, Edições Multilar, 1988

166 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


1. Associa cada expressão de tempo ao momento da ação correspondente. (4 pontos)

Quanto mais os dias passavam, No esperado dia Logo No dia em que

Há muito tempo, Porém, um dia, Cada dia Num instante

a) ______________________________ um guerreiro mouro dominava o Reino dos Algarves.


b) ______________________________ o amor do rei por Gilda aumentava.
c) ______________________________ o guerreiro mouro e Gilda casaram.
d) ______________________________ a tristeza e a angústia de Gilda cresciam.
e) ______________________________ um velho das terras do Norte fez uma proposta ao rei.
f) ______________________________ o Rei mandou plantar milhares de amendoeiras.
g) ______________________________ a primavera chegou, as amendoeiras floriram.
h) ______________________________ Gilda, a princesa do Norte, voltou a sorrir.

2. Relê o primeiro parágrafo e transcreve uma expressão que permita localizar a ação no espaço.
(2 pontos)

____________________________________________________________________________________________

3. Refere o acontecimento que veio alterar a vida do guerreiro mouro, no início do texto. (3 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

4. No segundo parágrafo, o narrador caracteriza Gilda. (5 pontos)

Transcreve para a tabela três características físicas e duas características psicológicas da personagem
feminina.

Gilda
Características físicas Características psicológicas

_________________________________________
_________________________________________ _________________________________________
_________________________________________ _________________________________________

5. Imagina que o narrador desta história era o guerreiro mouro. (4 pontos)


Reescreve a passagem seguinte, fazendo as alterações necessárias.

«Vendo que não conseguia curar a sua esposa, o rei deu ordens para que viessem ao
palácio os melhores físicos do mundo. […] Desesperado, o rei proclamou pelo mundo fora
que oferecia fortunas e honras a quem conseguisse salvar a princesa. Mas tudo fora em vão
e o próprio rei ia perdendo as esperanças...» (linhas 19 a 23)

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 167


Vendo que não conseguia curar a minha esposa, ____________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

5.1 Sublinha a opção correta. (2 pontos)

Conclui:
Com esta alteração, o narrador passou a ser participante / não participante na história que
conta.

6. Assinala com um X a opção que completa o sentido da frase. (2 pontos)


A palavra «nostalgia» (linha 27) significa
a) arrependimento. c) paixão.
b) saudade. d) desespero.

7. A tristeza de Gilda aumentava de dia para dia. (3 pontos)

Qual a razão deste sentimento?


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

8. No final do texto, o rei manda plantar milhares de amendoeiras, por conselho do velho do
Norte. (3 pontos)
Explica de que forma a ordem do rei contribuiu para «curar» a tristeza de Gilda.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

9. Que características das lendas estão presentes nesta história? (2 pontos)

Assinala com X as alíneas que correspondem às afirmações corretas.


a) A história é popular e é baseada em acontecimentos reais do passado.
b) Os elementos perturbadores da história são resolvidos.
c) As personagens são animais personificados.
d) A narrativa é curta.
e) Explicação fantasiosa para um fenómeno natural.
f) No final, a história apresenta uma moralidade.
g) O tempo e o espaço são indefinidos.

168 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo III

1. Em cada um dos seguintes conjuntos há uma palavra que não pertence à classe das outras
quatro. (4 pontos)

Descobre o intruso em cada coluna e identifica a classe das outras palavras.

A B C D
Cedo Após Triste Coragem
Aí Contra Escolhido Tristeza
Depressa De Grande Flor
Manhã Sem Alegria Belo
Não Uma Corajoso Neve

A _________________ B __________________ C __________________ D _________________

2. Completa a frase com quantificadores numerais. (2 pontos)

Bolo de amêndoa
Adiciona _________ colheres de farinha, _________ ovos e _________ colheres de amêndoa
ralada; depois leva ao forno durante _________ minutos.

3. Completa as frases com as preposições (ou contrações de preposição) adequadas. (2 pontos)

Tenho um trabalho _________ português _________ as lendas _________ apresentar _________


segunda-feira _________ a Rita. _________ minha casa estamos _________ computador, mas
vamos terminar o trabalho _________ biblioteca _________ escola.

4. Associa cada advérbio sublinhado (coluna A) ao respetivo valor (coluna B). (3 pontos)
Faz corresponder uma letra a cada número.

Coluna A Coluna B
1. Não ouvi a tua fábula. a) Tempo
2. Ontem, li a lenda da padeira de Aljubarrota. b) Lugar
3. Os teus apontamentos foram bastante úteis. c) Modo
4. Estou perto da livraria. d) Quantidade e grau
5. Acho que contaste a história rapidamente. e) Negação

Coluna A 1. 2. 3. 4. 5.
Coluna B

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 169


5. Na frase seguinte, identifica o verbo principal e o verbo auxiliar. (1 pontos)

Eu nunca tinha observado uma amendoeira em flor

____________________________________________________________________________________________

5.1 Escreve as seguintes formas do verbo principal que indentificaste em 5. (1 pontos)

Infinitivo impessoal Partícipio

6. Completa cada uma das frases seguintes com a forma do verbo apresentado entre parênteses,
nos tempos e modo indicados. (3 pontos)

a) Pretérito perfeito do indicativo


Ele __________________ (vir) a tua casa para te ver.
b) Pretérito mais-que-perfeito composto do indicativo
Eu __________________ (dar) um livro ao João.

c) Futuro simples do indicativo


Tu __________________ (conseguir) um bom resultado!

d) Presente do indicativo
Nós __________________ (fazer) o trabalho em dois dias.

7. Observa os dois grupos de palavras. (4 pontos)

A B
Norte Nortear
Belo Beleza
Neve Nevar
Dia Diário

Completa as frases.
a) O grupo que contém apenas palavras simples é o ________ .
b) O grupo que contém apenas palavras complexas é o ________ .

7.1 Explica como chegaste a essa conclusão.


_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

170 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo IV

«A lenda das amendoeiras» explica um fenómeno natural, ou seja, a existência de amendoeiras na


zona do Algarve.
Escreve uma história que apresente uma explicação fantasiosa para um destes fenómenos. (30 pontos)

O eco O arco-irís O trovão

O teu texto, com um mínimo de 120 e um máximo de 180 palavras, deve incluir:
• uma situação inicial, o seu desenvolvimento e um desfecho;

• um título adequado.

_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________

FIM

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 171


Teste de avaliação 7
NOME ______________________________________________ Ano _______ Turma ______ Número ______

Somos feitos de histórias – Textos narrativos de autor e outros textos

Grupo I

Lê o texto seguinte.

AGOSTO

Este é normalmente um dos meses mais quentes do ano. As temperaturas altas


de dia e de noite contribuem para que muitos insetos estejam em atividade,
fazendo com que os morcegos e os camaleões estejam especialmente ocupados
no seu encalço1
5 Semana 1
Já ouviste falar das «canículas de agosto»?
Diz a tradição popular que os primeiros num caderno a temperatura, a humidade, o
13 dias de agosto deixam adivinhar o tempo 20 vento e a ocorrência de chuva.
que fará no próximo ano. A coisa funciona Depois, ao longo do próximo ano,
10 assim: o 1.º dia do mês dá-nos uma ideia verifica se a previsão se confirma e se as
geral sobre o tempo do ano seguinte; o 2.º canículas de agosto são mesmo para
dia prediz o tempo de janeiro; o 3.º dia, o seguir à risca.
tempo de fevereiro e assim por aí fora, até 25 Já agora ficas a saber: «canículas» são
ao 13.º dia que nos diz o tempo que fará em também períodos de muito calor (as cha-
15 dezembro. madas ondas de calor) que se traduzem
Claro que esta não é uma previsão por temperaturas anormalmente elevadas
científica mas, por graça, podes provar se para época.
funciona: durante estes 13 dias, regista

1
Encalço: pista, perseguição.

Responde às questões seguintes, de acordo com o sentido do texto.

1. Assinala com X, de 1.1 a 1.4, a opção correta que completa cada frase. (9 pontos)

1.1 Os insetos aumentam a atividade em agosto porque a temperatura

a) é sempre alta.
b) sobe durante a noite.
c) eleva-se durante o dia.
d) é moderada.

172 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


1.2 Segundo a tradição das «canículas de agosto», o tempo do ano seguinte será semelhante
ao tempo do dia

a) 2 de agosto. c) 1 de agosto.
b) 3 de agosto. d) 13 de agosto.

1.3 Se quisermos saber o tempo que fará em março do ano seguinte, devemos estar atentos

a) aos primeiros 13 dias do mês de agosto.


b) ao dia 4 de agosto.
c) ao dia 3 de agosto.
d) aos últimos 13 dias do mês de agosto.

1.4 O 13.o dia do mês de agosto pode dar-nos indicações sobre o tempo de

a) dezembro do mesmo ano.


c) dezembro do ano seguinte.
b) fevereiro do mesmo ano.
d) fevereiro do ano seguinte.

2. Assinala com X todas as opções corretas, de acordo com o sentido do texto. (3 pontos)

a) As canículas de agosto referem-se a uma tradição.


b) As canículas de agosto são uma previsão científica.
c) «Canículas» são períodos de muito calor.

3. Identifica a razão pela qual «os morcegos e os camaleões estão especialmente ocupados» em
agosto. (3 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

4. O texto dá orientações para quem quiser verificar se a tradição das «canículas de agosto» é
mesmo verdadeira. (4 pontos)

Enumera essas orientações:


• _________________________________________________________________________________________
• _________________________________________________________________________________________
• _________________________________________________________________________________________
• _________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 173


Grupo II

Lê o texto seguinte e a informação.

A Menina do Mar
Num dia em que brincava na praia sozinho, o rapaz conheceu a Menina do Mar e os seus três
companheiros, o Caranguejo, o Peixe e o Polvo. Com o passar do tempo, tornaram-se grandes
amigos.

 Tenho tanta curiosidade da terra – disse a Menina,  amanhã, quando vieres, traz-me uma
coisa da terra.
E assim ficou combinado.
No dia seguinte, logo de manhã, o rapaz foi ao seu jardim e colheu uma rosa encarnada muito
5 perfumada. Foi para a praia e procurou o lugar da véspera.
 Bom dia, bom dia, bom dia – disseram a Menina, o Polvo, o Caranguejo e o Peixe.
 Bom dia  disse o rapaz. E ajoelhou-se na água, em frente da Menina do Mar.
 Trago-te aqui uma flor da terra  disse, – chama-se uma rosa.
 É linda, é linda  disse a Menina do Mar, dando palmas de alegria e correndo e saltando em
10 roda da rosa.
 Respira o seu cheiro para veres como é perfumada.
A Menina pôs a sua cabeça dentro do cálice da rosa e respirou longamente.
Depois levantou a cabeça e disse suspirando:
 É um perfume maravilhoso. No mar não há nenhum perfume assim. Mas estou tonta e um
15 bocadinho triste. As coisas da terra são esquisitas. São diferentes das coisas do mar. No mar há
monstros e perigos, mas as coisas bonitas são alegres. Na terra há tristeza dentro das coisas bonitas.
 Isso é por causa da saudade  disse o rapaz.
 Mas o que é a saudade?  perguntou a Menina do Mar.
 A saudade é a tristeza que fica em nós quando as coisas de que gostamos se vão embora.
20  Ai! – suspirou a Menina do Mar olhando para a terra. Por que é que me mostraste a rosa?
Agora estou com vontade de chorar.
O rapaz atirou fora a rosa e disse:
 Esquece-te da rosa e vamos brincar.
E foram os cinco, o rapaz, a Menina, o Polvo, o Caranguejo e o Peixe, pelos carreirinhos de
25 água, rindo e brincando durante a manhã toda.
Até que a maré começou a subir e o rapaz teve que se ir embora.
No dia seguinte, de manhã, tornaram a encontrar-se todos no sítio do costume.
 Bom dia  disse a Menina.  O que é que me trouxeste hoje?
O rapaz pegou na Menina do Mar, sentou-a numa rocha e ajoelhou-se a seu lado.
30  Trouxe-te isto  disse.  É uma caixa de fósforos.
 Não é muito bonito  disse a Menina.
 Não; mas tem lá dentro uma coisa maravilhosa, linda e alegre que se chama o fogo. Vais ver.
E o rapaz abriu a caixa e acendeu um fósforo.
A Menina deu palmas de alegria e pediu para tocar no fogo.
35  Isso  disse o rapaz  é impossível. O fogo é alegre, mas queima.
 É um sol pequenino  disse a Menina do Mar.
 Sim  disse o rapaz  mas não se lhe pode tocar.
E o rapaz soprou o fósforo e o fogo apagou-se.
 Tu és bruxo  disse a Menina  sopras e as coisas desaparecem.
174 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano
40  Não sou bruxo. O fogo é assim. Enquanto é pequeno qualquer sopro o apaga. Mas depois de
crescido pode devorar florestas e cidades.
Enquanto o fogo é pequeno e tem juízo é o maior amigo do homem: aquece-o no inverno,
cozinha-lhe a comida, alumia-o durante a noite. Mas quando o fogo cresce de mais, zanga-se,
enlouquece e fica mais ávido, mais cruel e mais perigoso do que todos os animais ferozes.
45  As coisas da terra são esquisitas e diferentes  disse a Menina do Mar. Conta-me mais coisas
da terra.
 Vem comigo – disse o rapaz – eu levo-te à terra e mostro-te coisas lindas.
 Não posso porque sou uma Menina do Mar. O mar é a minha terra. Tu se vieres para o mar
afogas-te. E eu se for para a terra seco. Não posso estar muito tempo fora de água. Fora de água
50 fico como as algas na maré vaza, que ficam todas enrugadas e secas.
 Que pena que eu tenho de não te poder mostrar a terra! – disse o rapaz.
 E eu que pena tenho de não te poder levar comigo ao fundo do mar para te mostrar as florestas
de algas, as grutas de corais e os jardins de anémonas!
E nessa manhã o rapaz e a Menina, enquanto nadavam na água, iam contando um ao outro as
55 histórias do mar e as histórias da terra.
Sophia de Mello Breyner Andresen, A Menina do Mar, Porto, Porto Editora, 2014
(texto com supressões)

1. No início do texto, a Menina do Mar fez um pedido ao rapaz. (linhas 1 a 10) (2 pontos)
Explica de que forma o rapaz procura satisfazer esse pedido.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

2. Relê as linhas 9 a 16. (2 pontos)


Refere duas caracteríticas da rosa que fascinaram a Menina.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
2.1 Enquanto observa a rosa, a Menina revela sentimentos opostos. (3 pontos)
Identifica dois desses sentimentos e as respetivas causas.
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
3. O rapaz explica à Menina (linhas 17 a 23) que aquilo que ela sente se chama saudade. (3 pontos)
Explica por palavras tuas a mensagem que o rapaz lhe queria transmitir.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

4. Relê as linhas 27 a 29. (2 pontos)

Transcreve a passagem que comprova que os encontros entre o rapaz e os amigos do mar já
eram habituais.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 175


5. Assinala com X a opção que completa corretamente cada afirmação.
5.1 O rapaz trouxe um novo presente da terra. Ao ver a caixa de fósforos, a reação inicial da
Menina foi de (1 pontos)

a) alegria. c) espanto.
b) desilusão. d) pavor.

5.2 À medida que o rapaz explicava o que eram os fósforos, a Menina ia ficando (1 pontos)

a) inquieta. c) entristecida.
b) indiferente. d) maravilhada.

6. O rapaz explica à Menina que o uso do fogo tem consequências positivas e negativas para o ser
humano. (4 pontos)

Para identificares essas consequências, completa as frases, por palavras tuas, de acordo com o
sentido do texto.
• Enquanto o fogo é pequeno, ____________________________________________________________

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
• Quando o fogo cresce, __________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

7. Assinala com X os recursos expressivos presentes nas passagens sublinhadas. (2 pontos)

7.1 «Fora de água fico como as algas na maré vaza, que ficam todas enrugados e secas.»
(linhas 49 e 50).
a) Personificação. c) Comparação.
b) Enumeração. d) Onomatopeia.

7.2 «E eu que pena tenho de não te poder levar comigo ao fundo do mar para te mostrar as
florestas de algas, as grutas de corais e os jardins de anémonas» (linhas 52 e 53).
(2 pontos)

a) Personificação. c) Comparação.
b) Enumeração. d) Onomatopeia.

7.2.1 Este recurso expressivo destaca principalmente (2 pontos)

a) a diversidade das coisas do mar.


b) a beleza das coisas da terra.
c) a variedade das coisas da terra.
d) o aspeto medonho das coisas do mar.

176 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


8. Na afirmação seguinte, sublinha as opções corretas. (2 pontos)

Neste texto, o narrador é/não é personagem da história, usando a 1.a/3.a pessoa para narrar
os acontecimentos. Trata-se de um narrador participante/não participante, ou seja, é um
narrador presente/ausente.

9. Lê a seguinte afirmação. (5 pontos)

Apesar das diferenças entre a Menina do Mar e o rapaz, a partilha e a amizade são evidentes
ao longo do texto.

Concordas com esta afirmação? Justifica a tua opinião apresentando duas razões que a justifiquem.

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

Grupo III

1. Transcreve, da passagem seguinte, as duas formas verbais que se encontram na segunda


pessoa do singular do modo imperativo: (3 pontos)

«[…] amanhã, quando vieres, traz-me uma coisa da terra.


 Vem comigo – disse o rapaz – eu levo-te à terra e mostro-te coisas lindas.»

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 177


2. Identifica as funções sintáticas das expressões sublinhadas. (4 pontos)

Preenche a tabela, indicando a alínea correspondente à função sintática.


a) O rapaz e a menina brincaram toda a manhã.
b) O rapaz entregou a rosa à Menina.
c) O Polvo, o Caranguejo e o Peixe observavam a menina.
d) A menina fez um pedido.

Sujeito Predicado Complemento direto Complemento indireto

3. Assinala todas as alíneas em que a expressão sublinhada desempenha a função sintática de


vocativo. (4 pontos)

a) Menina, traz-me uma coisa do mar.


b) d) O rapaz entregou a rosa à Menina.
c) A Menina trouxe-lhe um presente do mar.
d) Que concha tão linda, Menina!

4. Identifica o tipo de cada frase presente nas alíneas abaixo. (4 pontos)

a) «Esquece-te da rosa e vamos brincar.» ___________________________________________________


b) «As coisas da terra são esquisitas e diferentes.» __________________________________________
c) «Mas o que é a saudade?» ______________________________________________________________
d) «Que pena que eu tenho de não te poder mostrar a terra!» ______________________________

5. Reescreve as frases, substituindo as expressões sublinhadas por pronomes pessoais. (3 pontos)

a) O rapaz avistou a Menina.


_________________________________________________________________________________________

b) A Menina não viu o rapaz.


_________________________________________________________________________________________

6. Indica quais dos períodos seguintes se encontram no discurso direto e quais se encontram no
discurso indireto. (2 pontos)

a) «A Menina deu palmas de alegria e pediu para tocar no fogo.»


b) « Isso é impossível. O fogo é alegre mas queima.»
c) «E o rapaz soprou o fósforo e o fogo apagou-se.»
d) « Tu és bruxo, sopras e as coisas desaparecem.»
e) « Não sou bruxo. O fogo é assim.»

Discurso direto: ______________ Discurso indireto: ______________

178 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo IV

O rapaz e a Menina do Mar tornaram-se grandes amigos e, um dia, ele foi visitá-la ao fundo do
mar, onde ela vivia.
Imagina que também tu tinhas a oportunidade de viver uma aventura extraordinária no mar.
Escreve uma narrativa em que contes como viveste essa aventura. (30 pontos)

O teu texto, com um mínimo de 120 e um máximo de 180 palavras, deve incluir:
• uma situação inicial, o seu desenvolvimento e um desfecho;

• um momento de diálogo.

• a descrição de um lugar.

_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________

FIM

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 179


Teste de avaliação 8
NOME ______________________________________________ Ano _______ Turma ______ Número ______

Somos feitos de histórias – Textos narrativos de autor e outros textos

Grupo I

Lê o texto seguinte e o vocabulário.

Herbário
O que é um herbário?
É uma coleção de plantas prensadas1 e secas,
dispostas segundo determinada ordem e
disponíveis para referência ou estudo.
5 Um herbário pode conter algumas centenas
de exemplares colhidos num determinado local,
ou, geralmente, ser composto de milhões de
exemplares, acumulados ao longo de muitos
anos e que documentam a flora de um ou mais
10 continentes.
O objetivo geral da organização de um herbário é a colheita e conservação de exemplares de
plantas com as respetivas etiquetas (nome científico, se conhecido, ou vulgar, local da colheita).

A formação de herbários iniciou-se no século XVI em Itália, com coleções de plantas secas
e cosidas em papel.

15 Como se faz uma prensa para secar o material para conservar no herbário?

• Material necessário
 2 placas de madeira (dimensões sugeridas – 40x30 cm), com um furo a 2,5 cm de cada
um dos quatros cantos;
 4 parafusos compridos com porcas de orelhas e jornais.

20 • Procedimento
Sobre uma das placas de madeira colocar vários jornais, depois um exemplar completo
da espécie a herborizar2 (com caule, folhas e flores/frutos, eventualmente raízes) dentro de
um jornal. Não esquecer de colocar junto a cada planta colhida uma etiqueta com os
seguintes elementos: nome da planta data da colheita e nome do coletor. Em seguida, tapar
25 a planta com jornais vazios para a humidade que sai das plantas não passar para outros
exemplares, permitindo a sua conservação, e assim, sucessivamente.
Depois de prensadas todas as plantas colhidas, coloca-se a outra placa de madeira e
apertam-se as porcas de orelhas dos parafusos. Têm que se mudar os jornais com
frequência, de início todos os dias e, posteriormente, à medida que a planta vai secando,
30 vai-se diminuindo a frequência de substituição dos mesmos.

http://www.cienciaviva.pt/projectos/pulsar/herbario.asp (consultado em fevereiro de 2016)


Vocabulário:
1
Prensadas: comprimidas, achatadas.
3
Herborizar: colecionar plantas para estudo.

180 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Responde às questões seguintes, de acordo com o sentido do texto.

1. Assinala com X, de 1.1 a 1.3, a opção correta que completa cada frase. (9 pontos)

1.1 Um herbário é

a) um conjunto de plantas frescas.


b) uma coleção de plantas secas.
c) um especialista em plantas.
d) um armário para plantas.

1.2 Um herbário pode conter plantas

a) recolhidas em diversos locais.


b) apenas da mesma espécie.
c) recolhidas pela mesma pessoa.
d) sem etiquetas de identificação.

1.3 A formação de herbários iniciou-se

a) há mais de duzentos anos.


b) recentemente.
c) no século XX.
d) há milhares de anos.

2. Qual é a principal utilidade de um herbário? (4 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

3. Para se construir um herbário é necessário respeitar diversos passos. (7 pontos)

Ordena as frases, de 1 a 8, de forma a reconstituir as etapas de construção de um herbário.


A primeira etapa já está numerada.

Tapar a planta com diversos jornais.


Colocar uma planta por cima dos jornais.
Voltar a tapar com diversos jornais.
Colocar vários jornais sobre uma das placas.
Colocar uma nova planta.
1 Preparar duas placas de madeira.
Apertar as porcas dos parafusos.
Cobrir com a segunda placa de madeira.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 181


Grupo II

A festa das flores


Lê o texto.

O rouxinol convidou Florinda para a festa das flores e a menina aceitou.

Atravessaram o pomar e uma mata e chegaram ao princípio do parque.


No ar cruzavam-se as sombras das árvores.
– Parece-me que tenho medo – murmurou Florinda.
– Não tenhas medo. Eu tomo conta de ti – disse ao lado dela uma voz.
5 Florinda voltou-se e viu um rapaz alto, lindo e verde.
– Ah! – disse ela. – És o Rapaz de Bronze. Eu pensava que tu não sabias falar, pensava que
eras uma estátua.
– De dia – disse o Rapaz – sou uma estátua. Mas de noite sou uma pessoa e sou rei deste
jardim.
10 – Então – pediu Florinda – leva-me contigo a ver a festa.
E foram os dois através do parque e chegaram à clareira.
– A festa é aqui – disse o Rapaz de Bronze –, mas ainda não começou.
O lago já estava rodeado de pirilampos.
– Que lindo! – disse Florinda – puseram um colar de luzes à roda do lago!
15 – O teu lugar é ali – disse o Rapaz de Bronze mostrando-lhe a jarra de pedra.
– Ali, porquê? – perguntou ela.
– Porque pareces uma flor.
Florinda riu e disse:
– Então põe-me na jarra.
20 E o rapaz verde pegou nela ao colo e pô-la na jarra e sentou-se ao seu lado.
– Vai começar a festa? – perguntou Florinda.
– Vai – disse ele. E fez um gesto com a mão e os rouxinóis e os pica-paus, as rãs, os sapos e
os moscardos e os melros e os cucos começaram a cantar. Então na orla da clareira apareceu o
Gladíolo.
25 E Florinda vendo um Gladíolo a caminhar para ela suspirou e disse:
– A noite é fantástica e diferente!
– A noite – disse o Rapaz de Bronze – é o dia das coisas. É o dia das flores, das plantas e
das estátuas. De dia somos imóveis e estamos presos. Mas de noite somos livres e dançamos.
O Gladíolo parou no centro da clareira em frente da jarra de pedra e fez uma reverência.
30 – Olá, Gladíolo – disse Florinda –, gosto muito de te ver a caminhar como uma pessoa. – E
eu – disse o Gladíolo fazendo outra reverência – gosto muito de te ver numa jarra como uma
flor.
– Olhem, olhem – disse Florinda apontando com o dedo.
Eram as rosas e os cravos que tinham chegado. E logo a seguir chegaram os malmequeres,
35 os narcisos, os lírios, as papoilas, os miosótis, os girassóis, as camélias, as urzes, as marga-
ridas, os amores-perfeitos, as glicínias.
As flores de estufa chegaram um pouco depois.
O Gladíolo foi dançar com a Begónia.
A Túlipa ainda não tinha chegado.
40 Florinda ria sentada na beira da jarra e batia palmas de alegria. As danças das flores eram
extraordinárias, leves e lentas.
182 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano
Primeiro, as flores formavam uma grande roda. Depois, a roda desfazia-se e transformava-
-se em estrela. E o lugar onde Florinda estava era o centro da roda e o centro da estrela. Mas
logo a estrela girando, leve e lenta, se dividia em muitas estrelas. Depois cada estrela ia
45 formando uma nova figura: umas transformavam-se em círculos, outras em losangos, outras
em figuras mais complicadas. E cada vez que aparecia uma figura nova, Florinda dizia:
– Ah!
E o Rapaz de Bronze ia-lhe dizendo os nomes das figuras da dança.
Por fim, girando lentamente, as flores tornaram a formar uma grande roda e a dança acabou.
50 Continuamente da escuridão do parque surgiam mais flores.
– As danças das flores são extraordinárias e diferentes – disse Florinda. – Eu dantes não
sabia que as flores dançavam. Na escola ensinam-me muitas coisas. Mas isto não me tinham
ensinado.
– Não te ensinaram porque não sabiam. Poucas pessoas sabem estas coisas.
55 – Sabes – dizia Florinda ao Rapaz de Bronze –, em frente da minha janela há uma tília. E no
verão, quando durmo com a janela aberta, antes de adormecer olho para a tília e vejo as folhas
da tília a dançar, vejo-as fazer sinais umas às outras e oiço-as conversar, e oiço um murmúrio
de segredos. E de dia conto isto às pessoas. Mas todos dizem: «As folhas não conversam nem
fazem sinais. E o vento que faz mexer as folhas.»
60 – Florinda – disse o Rapaz de Bronze –, vou-te ensinar um grande segredo: quando tu vires
uma coisa acredita nela, mesmo que todos digam que não é verdade.
Sophia de Mello Breyner Andresen, O Rapaz de Bronze, Porto, Porto Editora, 2013
(texto com supressões)

Responde às questões seguintes, de acordo com o sentido do texto.


1. Ordena, de 1 a 6, as ações do Rapaz de Bronze. A primeira ação já se encontra numerada.
(6 pontos)
Conduziu Florinda para junto do lago.
Fez um gesto para dar início à música.
Colocou Florinda numa jarra.
Anunciou que a festa ainda não começara.
1 Apresentou-se a Florinda.
Mostrou a Florinda as figuras da dança.

2. Por que razão Florinda ficou surpreendida quando encontrou o Rapaz de Bronze? (3 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

3. Relê as linhas 15 a 17. (2 pontos)


O Rapaz de Bronze faz um elogio a Florinda.
Transcreve a passagem que comprova esta afirmação.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 183


4. A determinada altura, chegou o Gladíolo. (4 pontos)
Qual foi o segredo que o Rapaz de Bronze revelou a Florinda nesse momento da ação.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

5. Classifica o narrador quanto à presença, justificando com um exemplo retirado das linhas
34 a 41. (3 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

6. Assinala com X a opção que completa corretamente cada afirmação. (3 pontos)

6.1 «E logo a seguir chegaram os malmequeres, os narcisos, os lírios, as papoilas, os miosótis,


os girassóis, as camélias, as urzes, as margaridas, os amores-perfeitos, as glicínias.»
Nesta frase está presente uma

a) personificação.
b) enumeração.
c) comparação.
d) onomatopeia.

6.2 Os adjetivos usados na frase «As danças das flores eram extraordinárias, leves e lentas.»
destacam a beleza

a) das flores.
b) de Florinda.
c) das danças.
d) da Begónia e da Túlipa.

6.3 As flores formavam figuras durante a dança. A ordem dessas figuras é

a) figuras geométricas; uma grande estrela; pequenas estrelas.


b) pequenas estrelas; uma grande estrela; figuras geométricas.
c) uma grande estrela; pequenas estrelas; figuras geométricas.
d) círculos; pequenas estrelas; figuras geométricas.

7. Faz a caracterização psicológica do Rapaz de Bronze, com base no sentido do texto. (3 pontos)
Apresenta duas razões que justifiquem as tuas opções.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

184 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


8. Lê a seguinte afirmação. (3 pontos)

Florinda não sabia que as flores dançavam,


mas a menina já imaginava que isso pudesse acontecer.

Concordas com esta afirmação? Justifica a tua opinião, com base na informação do texto,
a partir da linha 55.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

9. Na última fala do Rapaz de Bronze, este revela um segredo importante a Florinda. (3 pontos)

Resume esse segredo por palavras tuas.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

Grupo III

1. Associa cada adjetivo ao seu sinónimo e ao seu antónimo. (4 pontos)

Adjetivo Sinónimo Antónimo


a) Diferente Liberto Agitado
b) Imóvel Parado Semelhante
c) Lento Diverso Veloz
d) Livre Vagaroso Preso

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 185


2. Assinala com X as frases que apresentam complementos diretos sublinhados. (3 pontos)

Assinala as alíneas corretas.


a) O rouxinol convidou Florinda.
b) Chegaram várias flores.
c) Florinda observou as flores.
d) O rapaz cumprimentou várias flores.

3. Por que razão está presente uma vírgula na frase seguinte. (2 pontos)

Florinda, vem ver as flores.

____________________________________________________________________________________________

4. Identifica o tipo de frase presente em cada uma das alíneas. (2 pontos)

a) «Que lindo!» ____________________________________________________________________________


b) «Então põe-me na jarra.» _______________________________________________________________

5. Conjuga o verbo ser no pretérito imperfeito do modo indicativo. (3 pontos)

_______________________________________ _________________________________________
_______________________________________ _________________________________________
_______________________________________ _________________________________________

6. Reescreve as frases, substituindo as expressões sublinhadas por pronomes pessoais. (4 pontos)

a) Eu pus as flores na jarra.


____________________________________________________________________________________________
b) Os meus pais deram uma festa.
____________________________________________________________________________________________

6.1 Completa as regras sobre as formas dos pronomes pessoais. (2 pontos)

A B
Quando o verbo termina em -r, -s ou -z, os Quando o verbo termina em -m, -õe ou -ão,
pronomes pessoais o, a, os, as passam a os pronomes pessoais o, a, os, as passam a
___________________ _________________

186 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo IV

Imagina que depois da festa, Florinda escrevia uma carta a um amigo a contar como tinha sido para
ela a festa das flores e o que tinha sentido nesse dia tão especial. (30 pontos)

A tua carta, com um mínimo de 120 e um máximo de 180 palavras, deve incluir:
• os elementos da carta;

• os sentimentos da menina.

_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________

FIM

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 187


Teste de avaliação 9
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Apanha-me um poeta – Poemas e outros textos

Grupo I

Lê o texto.

Conhecer as árvores
As árvores têm vida, são seres vivos como nós.
Pertencem ao reino das plantas e, portanto, têm
algumas características que as distinguem dos
animais: não têm mobilidade própria nem os cinco
5 sentidos.
O seu aspeto é bem conhecido. São formadas
por raízes, tronco, ramos e folhas. Têm ainda
flores, frutos e sementes.

Apesar de estarem escondidas debaixo da terra,


10 as RAÍZES são muito importantes, pois é através
delas que a árvore retira do solo a água e os sais
minerais para se alimentar. As raízes podem ser
muito compridas e ajudam a árvore a fixar-se ao
solo, evitando que tombe.

15 O TRONCO e os RAMOS crescem e elevam-se acima do solo. São formados pela madeira e,
por serem rijos, ajudam a suportar o peso da árvore, para que se mantenha direita, e são revestidos
pela CASCA – que os protege do exterior. Existem cascas de várias cores e aspetos, umas mais
lisas, outras mais rugosas. Algumas são utilizadas pelo homem, como a cortiça (casca do sobreiro),
que é muito conhecida entre nós, pois é usada no fabrico de rolhas e outros objetos do quotidiano.
20 Já a casca do pinheiro, a carrasca, é usada nos canteiros de jardins e, depois de tratada, como
substituto ou complemento da terra em viveiros de plantas.

As FOLHAS agarram-se aos pequenos raminhos que saem dos ramos. A sua cor deve-se a um
pigmento verde que existe nas folhas - a clorofila. Ao longo do ano, as folhas de algumas árvores
vão perdendo este pigmento e, por isso, a sua cor vai-se alterando: do verde passam a tons
25 amarelados, avermelhados ou acastanhados.
As folhas são órgãos muito importantes, pois é através delas que a árvore respira, transpira e
prepara os seus alimentos.

As árvores dão FLORES, FRUTOS e SEMENTES. Alguns frutos e sementes são comestíveis
como a castanha, a noz, a bolota e a cereja são frutos, o pinhão é uma semente.
30 As sementes são essenciais, pois é a partir delas que nascem as novas árvores.

As árvores com aspetos e características diferentes pertencem a espécies diferentes. É a partir


dessas diferenças que as conseguimos distinguir e identificar.
Helena Fernandes, Conhecer as árvores… compreender a floresta,
Lisboa, Autoridade Florestal Nacional, 2008, pp. 6-8 (texto adaptado)

188 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Responde às questões seguintes, de acordo com o sentido do texto.
1. Assinala com X as afirmações verdadeiras, de acordo com o sentido do texto. (3 pontos)
a) As árvores pertencem ao reino animal.
b) As raízes têm tamanhos diversos.
c) Os troncos são protegidos por um revestimento.
d) A casca das árvores é utilizada pelo homem de diversas formas.
e) As folhas, quando nascem, têm diversas cores.
f) As sementes das árvores são comestíveis.

1.1 Corrige as afirmações falsas, de forma a torná-las verdadeiras. (4 pontos)


______________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________

2. Associa cada elemento da coluna A ao elemento da coluna B que com ele se relaciona, de
acordo com a informação do texto. (3 pontos)

Escreve, em cada espaço da coluna A, a letra correspondente da coluna B.

Coluna A Coluna B

a) Possibilitam o nascimento de outras


árvores.
Raízes ...................................
b) Permitem transportar os alimentos.
Troncos ................................
c) Protegem os ramos e o tronco.
Folhas ................................... d) Suportam o peso da árvore.
e) Possibilitam a respiração da árvore.

3. A casca das árvores tem utilidades práticas para o homem. (4 pontos)

Diz se esta afirmação é verdadeira, de acordo com o sentido do texto. Justifica a tua resposta.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 189


Grupo II

Lê o poema seguinte e as notas.

Raízes
Quem me dera ter raízes,
Que me prendessem ao chão.
Que não me deixassem dar
Um passo que fosse em vão.

5 Que me deixassem crescer


silencioso e ereto1,
como um pinheiro de riga2,
uma faia ou um abeto.

Quem me dera ter raízes


10 Raízes em vez de pés.
Como o lódão, o aloendro,
O ácer e o aloés.

Sentir a copa vergar3,


Quando passasse um tufão4.
15 E ficar bem agarrado,
pelas raízes ao chão.
Jorge Sousa Braga, Herbário, 5.ª ed., Porto, Assírio & Alvim, 2013, pp. 7-8

1
Ereto: direito.
2
Pinheiro de riga: pinheiro silvestre.
3
Vergar: curvar.
4
Tufão: vendaval.

Responde às questões seguintes, de acordo com o sentido do texto.


1. Assinala com X a opção correta de forma a completares cada afirmação. (4 pontos)

1.1 Este poema é constituído por

a) quatro quadras. c) quatro tercetos.


b) uma quadra. d) duas oitavas.

1.2 No poema, rimam os versos seguintes:

a) primeiro e segundo. c) primeiro e terceiro.


b) primeiro e quarto. d) segundo e quarto.

190 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


2. No primeiro verso do poema, o sujeito poético manifesta um desejo. (3 pontos)
Identifica esse desejo.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

2.1 Por que razões manifesta o sujeito poético esse desejo? (3 pontos)

_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

3. «Quem me dera ter raízes, / Que me prendessem ao chão. / Que não me deixassem dar / Um
passo que fosse em vão.» (versos 1 a 4) (4 pontos)

Explica por palavras tuas o sentido dos versos sublinhados.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

4. Assinala a opção correta, de 4.1 a 4.2. (4 pontos)

4.1 Na segunda estrofe, o sujeito poético afirma que gostava de possuir uma característica das
árvores. O recurso expressivo utilizado para referir essas árvores é

a) a personificação. c) a enumeração.
b) a comparação. d) a onomatopeia.

4.2 Nos versos «Sentir a copa vergar, / Quando passasse um tufão», é possível identificar uma
caraterísitica muito importante das árvores, ou seja, a sua

a) beleza. c) fragilidade.
b) resistência. d) variedade.

5. Há vários elementos que contribuem para o ritmo e a musicalidade deste poema. Assinala as
três opções que referem esses elementos. (3 pontos)

a) A repetição de palavras em início de verso. d) Os versos rimados.


b) A métrica regular. e) O uso de adjetivos.
c) O tema do poema.

6. Transcreve do poema quatro palavras relacionadas com o campo lexical das árvores. (2 pontos)

____________________________________________________________________________________________

7. Na tua opinião, quais são as razões do sujeito poético para querer ser como as árvores?(5 pontos)
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 191


Grupo III

1. Identifica as palavras derivadas por prefixação e sufixação, preenchendo a tabela. (4 pontos)

Arvoredo Floresta Desproteger Rugoso

Raminho Desfolhar Incapaz Refazer

Palavras derivadas por prefixação Palavras derivadas por sufixação

1.1 Forma duas palavras complexas à tua escolha: (3 pontos)

com o prefixo des- com o sufixo -eiro

___________________________________ ___________________________________

2. Transcreve, da passagem seguinte, as duas formas verbais que se encontram no modo


imperativo: (3 pontos)

Traz a mochila e veste o casaco, pois hoje vamos observar árvores!

____________________________________________________________________________________________

3. Identifica as funções sintáticas das expressões sublinhadas. (4 pontos)

Preenche a tabela, indicando a alínea correspondente a cada função sintática.


a) As árvores são fundamentais à vida.
b) Nós temos um sobreiro no quintal.
c) Eu mostrei aquela faia ao meu irmão.
d) A minha mãe rega as tílias semanalmente.

Sujeito Predicado Complemento direto Complemento indireto

192 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


4. Assinala a alínea em que a expressão sublinhada desempenha a função sintática de sujeito.
(4 pontos)

a) Flor, já regaste as plantas?


b) Vou proteger aquela flor.
c) A flor amarela precisa de água.
d) Dei uma flor à Rita.

5. Identifica o tipo de cada frase. (4 pontos)

a) «Já acabei a estufa para aquela planta!» _________________________________________________


b) «A Natureza é a nossa casa.» ____________________________________________________________
c) «Já regaste as hortênsias?» ______________________________________________________________
d) «Vai apanhar aquelas folhas.» ___________________________________________________________

6. Reescreve as frases, substituindo as expressões sublinhadas por pronomes pessoais. (4 pontos)

a) A turma plantou uma árvore.


_________________________________________________________________________________________
b) Os rapazes não viram o pássaro.
_________________________________________________________________________________________
c) A Ana fez um ninho.
_________________________________________________________________________________________
d) Os meus pais dão aulas de ciências.

_________________________________________________________________________________________

6.1 Escreve a regra que utilizaste para aplicar o pronome na frase c). (2 pontos)

Quando o verbo termina em ________________________________________________________


_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 193


Grupo IV

Imagina que pertences ao clube «Amigos da Terra» e é necessário escrever um texto de opinião
sobre a importância de proteger as árvores e a Natureza.
Escreve um texto no qual expresses a tua opinião relativamente ao tema indicado. (30 pontos)

O teu texto, com um mínimo de 100 e um máximo de 160 palavras, deve incluir:
• um título adequado;

• a tua opinião sobre o tema;

• três razões que justifiquem a tua opinião.

_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________

FIM

194 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Teste de avaliação 10
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Um pé no palco – Textos de teatro e outros textos

Grupo I

Lê o texto seguinte.

A MONSTRINHA está de regresso!

Na realidade nunca partiu.


Seja porque os filmes que propomos anualmente ficam na nossa mente e coração e
continuamos a vê-los nas nossas memórias; seja porque a MONSTRINHA vai, ao longo do
ano, realizando mais mostras de filmes e oficinas de animação.

Se 2015, celebração dos nossos 15 anos, foi o ano de todos os recordes, com mais de 20 mil
5 meninos, meninas, jovens e famílias a ver filmes de animação com a MONSTRINHA, em
2016 propomos continuar e alargar este trabalho de apresentação, discussão e aprendizagem do
cinema de animação, da sua beleza, estética e linguagem.

A MONSTRINHA ganhou um lugar no coração das crianças, jovens, professores, famílias e


está cada vez mais ancorada todo o ano junto de todos.

10 Queremos manter-nos próximos de todos e estamos sempre prontos para, convosco, levar a
MONSTRINHA a cada vez mais amigos.

Professor Balthazar – O Tempo Enlouquece


Zlatko Grgić | Croácia | 1977 | 4 minutos
Um novo relógio é construído na Cidade Balthazar, baseado numa planta
15 desenhada pelo Professor Balthazar. Toda a gente se regia por este
relógio, até um dia o pica-pau Robert espetar-lhe o seu bico…
Um, Dois, Árvore | One, Two, Tree
Yulia Aronova | França | 2015 | 7 minutos
Um dia, uma árvore invulgar salta para dentro de um par de botas e
20 inicia uma caminhada, convidando toda a gente que conhece para
acompanhá-la.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 195


1. Assinala com X as afirmações verdadeiras, de acordo com o sentido do texto. (6 pontos)

A «Monstrinha»

a) é um ciclo de cinema de animação para crianças.


b) desenvolve diversas atividades ao longo do ano.
c) faz quinze anos em 2016.
d) realiza-se duas vezes por ano.
e) ganhou muitos admiradores ao longo dos anos.

1.1 Corrige as afirmações falsas, de forma a torná-las verdadeiras. (5 pontos)

_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

2. Completa a tabela com as informações sobre o filme. (5 pontos)

Professor Balthazar – O Tempo Enlouquece


a) Duração do filme

b) Nacionalidade do
realizador

c) Objeto central da
história

d) Peripécia que altera


os acontecimentos

3. Repara na informação do filme Um, Dois, Árvore. (4 pontos)

Imagina que a árvore era o narrador desta história.


Reescreve as linhas 19 a 21, na primeira pessoa do singular, fazendo as alterações necessárias.

Um dia, eu, uma árvore invulgar, __________________________________________________


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

196 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo II

Lê o excerto do texto dramático O príncipe Nabo.

(O pano abre de novo. Estão a entrar a princesa Beatriz, Mademoiselle, duas damas de
honor e o Marechal da Corte.)

Princesa – Meu pai mandou-me chamar? Alguma novidade?

Rei – Não te faças de desentendida, Beatriz. Bem sabes do que se trata. Senhor Marechal da
5 Corte, mande entrar os príncipes. Um de cada vez.

(A princesa e Mademoiselle abanam-se com leques, dum modo impertinente.)

Marechal da Corte (em voz muito alta) – Sua Alteza o príncipe Ali-Gato, da terra dos Trinta
Mil Habitantes!

(O príncipe entra. É muito alto e magro. Inclina-se diante do rei e da princesa.)

10 Príncipe – Desejo a Vossa Majestade e à princesa Beatriz uma muito boa tarde e permito-me
oferecer à bela princesa esta prenda insignificante e indigna dos seus encantos.

(A princesa pega no embrulho e atira-o com indiferença ostensiva para Mademoiselle, que
o abre cheia de curiosidade. Tira um espelho de cabo doirado e mira-se, afetada e presumida)

Princesa (examina, entretanto, o príncipe Ali-Gato dos pés à cabeça e, por fim, desata numa
15 grande gargalhada) – Ai que alto ele é, parece a torre da igreja! E magro como um
bacalhau! Seja bem-vindo, príncipe da Torre de Bacalhau.

Príncipe (recua, perplexo e aterrorizado) – Majestade, eu… mas eu… ora essa… É um
atrevimento.

Rei (desaustinado) – Basta, Beatriz, basta! O príncipe Ali-Gato, mas pode crer que o estimo e
20 lamento que a minha filha tenha sido tão inconveniente.

(O Marechal da Corte conduz o príncipe Ali-Gato delicadamente, pelo braço, para fora.)

Rei (bate com o punho sobre o braço do trono) – Tem cautela, princesa Beatriz. Avisei-te.
E torno a avisar-te.

Marechal da Corte – Sua Alteza o príncipe Austero da Mailândia!


25 (Entra o príncipe. É boa figura, mas tem um queixo muito comprido. Inclina-se diante do
rei e da princesa.)

Príncipe – Salve, Majestade, e vós, jovem princesa Beatriz.

Princesa (examina-o detalhadamente. Acaba por reparar-lhe no queixo) – Ora vejam! Tem
um queixo tão comprido que parece um nabo. (Desata numa grande gargalhada.)
30 Mademoiselle, sabe quem ele é? O príncipe Nabo da Nabolândia!

Príncipe (encara a princesa de frente) – Ah, é verdade, quase me ia esquecendo: trouxe-vos


uma prenda, bela princesa Beatriz. Uma prenda insignificante para uma princesa com uma
fantasia tão rica. E agora desejo muita felicidade a toda a gente neste castelo.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 197


(Vira-se para sair.)

35 Rei – Espere um momento, ilustre príncipe Austero! Quero que também oiça o que tenho a
dizer. Mas, antes de mais nada, aceite as minhas desculpas. Lamento que a minha filha
tenha sido tão inconveniente.

(Entretanto, a princesa atirou o embrulhinho à Mademoiselle, que o abre cheia de


curiosidade. Perplexa, tira uma palmatória.)

40 Rei – E agora para ti, minha filha Beatriz: já que nenhum dos príncipes que cá vieram te
agradou, já que todos têm defeitos aos teus olhos antes de os teres conhecido mais de perto,
já que estou farto das tuas zombarias e da tua vaidade e, finalmente, já que preciso de
descansar e ir à pesca, resolvi oferecer-te ao primeiro homem que, a partir deste momento,
entrar no castelo, seja ele quem for, príncipe, músico ou pobre de pedir.

45 (O príncipe inclina-se e abandona a sala.)


Ilse Losa, O príncipe Nabo, Lisboa, Edições Afrontamento, 2015, pp.14-20
(texto com supressões)

1. Indica três elementos presentes neste texto que comprovem tratar-se de um texto dramático.
(3 pontos)
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

2. Assinala com X, de 2.1 a 2.5, a opção correta que completa cada frase. (7,5 pontos)

2.1 No início do texto, pode concluir-se que a princesa Beatriz

a) não sabia que ia receber os seus pretendentes.


b) fingiu que desconhecia o assunto da audiência.
c) mostrou que sabia o assunto da reunião.
d) desconfiava qual era o assunto da reunião.

2.2 A ordem correta de entrada e saída das personagens é:

a) Entra o príncipe Ali-Gato / sai o príncipe Ali-Gato / entra o príncipe Austero.


b) Sai o Marechal da Corte / entra o príncipe Ali-Gato/ entra o príncipe Austero.
c) Entra o príncipe Ali-Gato / sai a princesa Beatriz/ entra o príncipe Austero.
d) Entra o príncipe Austero / sai o príncipe Austero / entra o príncipe Ali-Gato.

2.3 Os príncipes ofereceram um presente a Beatriz e princesa mostrou-se

a) agradecida. c) ingrata.
b) desgostosa. d) radiante.

2.4 A princesa Beatriz examina o príncipe Ali-Gato com


a) indiferença. c) simpatia.
b) educação. d) desconsideração.

198 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


2.5 Na expressão «E magro como um bacalhau!» (linhas 15 e 16) está presente uma

a) comparação. c) personificação.
b) onomatopeia. d) enumeração.

3. Caracteriza o comportamento de Beatriz ao receber os seus pretendentes. (3 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
3.1 Qual é a reação do rei, após Beatriz se dirigir ao príncipe Ali-Gato. (3 pontos)

_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

4. Relê as linhas 31 a 34. (5 pontos)

O príncipe Austero encara Beatriz com frontalidade e coragem.


Concordas com esta afirmação? Justifica a tua resposta.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

5. Relê as informações contidas nas indicações cénicas do texto. (5 pontos)


Transcreve para a respetiva coluna um exemplo para cada um dos casos.

Movimento das Estado de espírito das Elementos


personagens personagens do cenário

6. Relê as linhas 40 a 44. (6 pontos)

Apresenta a tua opinião sobre a atitude final do rei.


Justifica as tuas afirmações, com base no sentido do texto.
«E agora para ti,
_____________________________________________________
minha filha
_____________________________________________________
Beatriz, [… ]
resolvi oferecer-te _____________________________________________________
ao primeiro homem _____________________________________________________
que, a partir deste _____________________________________________________
momento, entrar
_____________________________________________________
no castelo, seja ele
quem for, príncipe, _____________________________________________________
músico ou pobre _____________________________________________________
de pedir.» _____________________________________________________
_____________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 199


Grupo III

1. Usa os prefixos des- e in- para escreveres adjetivos antónimos dos seguintes. (2 pontos)

a) capaz _____________________________________
b) animado __________________________________
c) controlado ________________________________
d) tolerante _________________________________

2. Lê com atenção as palavras que formam os dois grupos da tabela, organizadas segundo o seu
processo de formação. (2,5 pontos)
Em que grupo (1 ou 2) integrarias as seguintes palavras?
Segue o exemplo e escreve o número que identifica esse grupo.

1 2

destemido lentamente
impossível altura
indiferença laranjal
rever apetitoso

a) infeliz – grupo 1
b) velhíssima – grupo ________
c) contradizer – grupo ________
d) repartir – grupo ________
e) calmamente – grupo ________

3. Cumpre as instruções, de forma a identificares as funções sintáticas pedidas. (5 pontos)

a) Eu e tu vamos ao teatro.
b) Vi-o no cinema.
c) Marta, a Leonor vem cá?
d) A turma viu uma peça de teatro surpreendente!
e) Ofereci este texto dramático ao meu avô.

3.1 Sublinha o sujeito na frase a).

3.2 Sublinha o complemento direto na frase b).

3.3 Sublinha o vocativo na frase c).

3.4 Sublinha o predicado na frase d)

3.5 Sublinha o complemento indireto na frase e).

200 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


4. Explica de que forma identificaste o sujeito na frase a). (2 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

5. Assinala a alínea em que a expressão sublinhada desempenha a função sintática de


sujeito. (3 pontos)

a) Entraram três princesas?


b) O príncipe observou Beatriz!
c) Beatriz, já chegaste?
d) Deram presentes à princesa.

6. Identifica o tipo de cada frase. (3 pontos)

a) Alguma novidade? ______________________________________________________________________


b) Espere um momento, ilustre príncipe Austero. ___________________________________________
c) Trouxe uma prenda. ____________________________________________________________________
d) Sua Alteza, o príncipe Austero da Mailândia! _____________________________________________

7. Reescreve as frases, substituindo as expressões sublinhadas pelas formas contraídas dos


pronomes. (3 pontos)

a) A turma oferece-me um bilhete de teatro.


_________________________________________________________________________________________
b) Eu fiz-lhe uma surpresa.
_________________________________________________________________________________________
c) Os amigos deram-lhes os presentes.
_________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 201


Grupo IV

O que terá acontecido à princesa Beatriz após a decisão final do rei?


Imagina a continuação da história que leste no Grupo II. Podes escrever um texto narrativo ou
continuar o texto dramático. (30 pontos)

Escreve um texto, com um mínimo de 120 e um máximo de 180 palavras.

_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________
_________________________________________________________________________________________________

FIM

202 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Teste de avaliação 11
NOME ______________________________________________ Ano _______ Turma ______ Número ______

O mundo à nossa volta – Textos de imprensa e outros textos

Grupo I

Lê o texto.

Dezasseis linces-ibéricos vivem livres em Portugal,


após libertação de mais três
Mais três linces-ibéricos foram hoje libertados no
Alentejo, subindo para 16 o número de exemplares
da espécie que vivem livres na Natureza, em
Portugal, segundo o Instituto da Conservação da
5 Natureza e das Florestas (ICNF).

Num comunicado enviado à agência Lusa, o ICNF


explica que os três linces hoje libertados, no Parque
Natural do Vale do Guadiana, no concelho de Mértola,
no distrito de Beja, são as fêmeas Mesquita e Malva e o macho Mel, cujos nomes foram
10 escolhidos pela população e homenageiam o património local.
Os três animais nasceram na primavera de 2015 e têm um emissor que permite segui-los e
monitorizar os seus movimentos no terreno, explica o ICNF.
Com a libertação de Mesquita, Malva e Mel subiu para 16 o número de linces-ibéricos a
viverem livres na Natureza no concelho de Mértola desde dezembro de 2014, quando começou a
15 libertação de exemplares da espécie em território português, no âmbito do projeto de Recuperação
da Distribuição Histórica do Lince-Ibérico em Espanha e Portugal «LIFE+Iberlince».
No âmbito da 2.ª época de reintrodução da espécie em Portugal, que prevê a libertação de
um total de nove linces-ibéricos este ano no concelho de Mértola, já foram libertados sete
animais.
20 Segundo o ICNF, o projeto de Recuperação da Distribuição Histórica do Lince-Ibérico em
Espanha e Portugal «LIFE+Iberlince» reuniu esforços de parceiros institucionais e da
sociedade civil para «conseguir o retorno da espécie a várias áreas da Península Ibérica» e
também «novas oportunidades de revitalização destes territórios».
Atualmente, o lince é «uma espécie emblema e chave dos ecossistemas» e a sua
25 conservação «beneficia muitas outras espécies selvagens e potencia atividades humanas, que
conciliam o uso e a preservação de habitats naturais», refere o ICNF, frisando que «a
reintrodução é um programa de longo prazo, que requer um reforço regular de animais e apoio
da sociedade».
http://www.noticiasaominuto.com(Lusa)/ 19/02/2016, consultado a 20/02/2016 (texto adaptado)

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 203


1. Resume as informações essenciais do primeiro parágrafo que respondemàs questões seguintes.
(6 pontos)

QUEM? O QUÊ? ONDE? QUANDO?

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

1.1 Que informações do primeiro parágrafo são avançadas logo no título da notícia? (4 pontos)

_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

2. Assinala com X, de 2.1 a 2.3, a opção correta que completa cada frase. (3 pontos)

2.1 Os nomes dos linces libertados no Alentejo foram escolhidos

a) pelo ICFN. c) pela agência Lusa.


b) pelos habitantes da região. d) pelos parceiros institucionais

2.2 O processo de libertação dos linces iniciou-se em

a) dezembro de 2014. c) janeiro de 2016.


b) fevereiro de 2015. d) fevereiro de 2016.

2.3 Para concluir a segunda época de introdução de linces na Natureza, falta libertar

a) dois linces. c) sete linces.


b) seis linces. d) nove linces.

3. De que forma o ICNF pode acompanhar a vida dos linces em liberdade? (3 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

4. Quem está envolvido neste projeto? (3 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

5. Relê o último parágrafo. (4 pontos)

Identifica um benefício do projeto de reintrodução do lince-ibérico.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

204 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


6. Seleciona todas as afirmações que se adequam à notícia. (7 pontos)

a) O primeiro parágrafo da notícia é o lead.


b) O corpo da notícia responde às questões Como? e Porquê?
c) O corpo da notícia permite identificar a informação essencial da notícia.
d) A notícia é um texto longo.
e) A notícia é um texto de interesse público.

6.1 Corrige as afirmações falsas, de forma a torná-las verdadeiras.


_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

Grupo II

Observa todos os elementos do anúncio seguinte e lê a informação que se encontra dentro da


caixa de texto.

15 anos para celebrar no presente o


que já conseguimos pelo futuro.
A transformar a sociedade, tornando-
-a mais sustentável, promovendo a
responsabilidade ambiental, através
da reciclagem de embalagens. Com a
continuada colaboração de todos os
nossos parceiros, o Mundo poderá
ser mais verde. A todos, obrigado.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 205


1. Quem promove este anúncio? (2 pontos)

____________________________________________________________________________________________

2. Qual é o objetivo do anúncio? (2 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

3. Descreve a imagem do anúncio. (3 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

3.1 Consideras que é uma imagem eficaz? O que a torna tão apelativa? (3 pontos)

_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

4. Transcreve o slogan deste anúncio. (2 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

4.1 Qual é a mensagem transmitida pelo slogan? (4 pontos)

_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

5. Escreve uma frase em que promovas a utilização dos pontos de reciclagem. (3 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

206 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo III

1. Completa as frases com o pretérito mais-que-perfeito composto do indicativo dos verbos


indicados. (2 pontos)

a) Nós nunca ___________________________ (ver) um lince-ibérico.


b) A Sara já ___________________________ (imprimir) o trabalho, quando eu cheguei.

2. Sublinha os advérbios presentes nas frases e identifica os respetivos valores. (4 pontos)

a) Estes animais são muito bonitos. Advérbio de quantidade e grau.


b) Onde foste visitar os linces? _____________________________________________________________
c) Não me esqueço desta visita. ____________________________________________________________
d) Observa os linces silenciosamente. ______________________________________________________
e) Olha para aqui! _________________________________________________________________________

3. Completa as frases com as preposições (ou contrações de preposição) adequadas. (4 pontos)

A minha turma fez uma campanha _________ sensibilização _________ a reciclagem _________
apresentar _________ professora de Ciências.

4. Identifica as funções sintáticas das expressões sublinhadas. (4 pontos)


Preenche a tabela, indicando a alínea correspondente a cada função sintática.
a) Dezasseis linces vivem livremente no Alentejo.
b) Os Institutos de Preservação protegem a natureza.
c) Eu mostrei a fotografia do parque à minha avó.
d) Nós vimos os linces em liberdade.

Sujeito Predicado Complemento direto Complemento indireto

5. Reescreve as frases, substituindo as expressões sublinhadas por pronomes pessoais. (4 pontos)

a) A minha turma recicla o papel usado.


_________________________________________________________________________________________
b) As professoras guardaram as caixas utilizadas.
_________________________________________________________________________________________
c) O meu pai fez um vidrão lá em casa.
_________________________________________________________________________________________
d) Eu não encontrei as embalagens para reciclar.
_________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 207


5.1 Escreve a regra que utilizaste para aplicar o pronome na frase d). (3 pontos)

Nas ________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________

Grupo IV

Escreve uma notícia, a partir de um dos títulos seguintes. (30 pontos)

Empresa vai lançar carro voador O poder de um simples «obrigado»

Instituto cria «creche» para pandas

O teu texto, com um mínimo de 100 e um máximo de 140 palavras, deve incluir:
• lead; • corpo da notícia.

_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________________
FIM

208 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Teste de compreensão do oral 1
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Unidade de diagnóstico – Ponto de partida

Antes de iniciares uma primeira audição, lê o questionário.


Em seguida, escuta atentamente esta notícia sobre «Leitura Digital» e responde às questões.

1.a audição ( Áudio: «Leitura Digital» – Rádio Renascença) CD1 Faixa 21

1. Seleciona a opção correta, de forma a completares os itens seguintes. (50 pontos)

1.1 Esta notícia fala-nos sobre um projeto desenvolvido


a) por uma escola.
b) pela Biblioteca Municipal de Barcelos.
c) por um escritor.
d) por uma instituição bancária.

1.2 O projeto referido permite que os alunos


a) requisitem cinco livros por dia.
b) partilhem os seus livros com os colegas.
c) requisitem os livros digitais.
d) usem os tablets e telemóveis para fazer exercícios.

1.3 Na estante virtual existente nos corredores da escola encontram-se


a) diversos livros da biblioteca.
b) livros de José Saramago.
c) livros de Fernando Pessoa.
d) lombadas de diversos livros.

1.4 Nesta notícia há


a) um interveniente.
b) dois intervenientes.
c) três intervenientes.
d) quatro intervenientes.

1.5 O último dos escritores presentes nas estantes digitais a ser referido é
a) Jorge de Sena.
b) valter hugo mãe.
c) Miguel Torga.
d) Eça de Queirós.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 209


2. Completa as frases seguintes. (50 pontos)

a) Os alunos podem consultar livros através de _____________________________________________ .


b) Para além de poderem ler os livros digitais, os alunos também podem aceder a informações
sobre ___________________________________________________________________________________ .
c) Este projeto iniciou-se no ano de ________________________________________________________ .
d) O número máximo de livros digitais a ser requisitado de cada vez é _______________________ .
e) Segundo o professor, este projeto desenvolve ___________________________________________ .

2.a audição
Depois de uma segunda audição do texto, verifica com cuidado as tuas respostas.

210 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Teste de compreensão do oral 2
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

No tempo em que os animais falavam – Fábulas e outros textos

Antes de iniciares uma primeiraaudição, lê o questionário.


Em seguida, escuta atentamente o programa Livro do dia e responde às questões.

1.a audição ( Áudio: Livro do dia – TSF) CD1 Faixa 22

1. De acordo com a informação que escutaste, classifica cada afirmação como verdadeira (V) ou
falsa (F), corrigindo as falsas. (80 pontos)

a) O Capuchinho Vermelho é uma das histórias referidas pelo jornalista.


b) As histórias citadas são do conhecimento da população em geral.
c) Os verdadeiros autores destas histórias infantis são conhecidos por todos.
d) Os Contos da infância e do lar são da autoria dos Irmãos Grimm.
e) Os Contos da infância e do lar foram publicados há cerca de duzentos anos.
f) A primeira edição destes contos reunia todas as histórias no mesmo livro.
g) Este livro é a segunda obra em língua alemã mais traduzida e editada em todo o mundo.
h) Inicialmente, os contos não foram escritos para crianças.
i) A segunda edição completa dos contos dos Irmãos Grimm vai ser editada em Portugal.
j) Esta edição portuguesa será publicada em três volumes.

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

2. Por que razão este livro de contos se chama «O tesouro dos Irmãos Grimm»? (20 pontos)

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

2.a audição
Depois de uma segunda audição do texto, verifica com cuidado as tuas respostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 211


Teste de compreensão do oral 3
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Histórias com barbas - Contos tradicionais, lendas e outros textos

Antes de iniciares uma primeira audição, lê o questionário.


Em seguida, escuta atentamente a «Lenda do encanto dos carvões» e responde às questões.

1.a audição ( Áudio: Histórias assim mesmo) CD1 Faixa 23

1. Ordena os seguintes acontecimentos da ação, do mais antigo para o mais recente. (80 pontos)

a) A menina espreitou para dentro do cesto.


b) Há muitos anos, uma menina pastoreava as ovelhas.
c) Apressadamente, a menina correu para casa.
d) A moura fez uma recomendação à menina.
e) A mãe da menina descobriu pepitas de ouro dentro do cesto.
f) A menina encontrou uma moura encantada.
g) A moura encheu o cesto da menina com carvões e tapou-o.
h) Quando viu que eram carvões, a menina deitou-os fora.

2. Lê a afirmação. (10 pontos)

A mãe encontrou pepitas de ouro dentro da cesta, mas a família não enriqueceu.

Apresenta uma justificação para esta afirmação, de acordo com a lenda que escutaste.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

2.a audição
Depois de uma segunda audição do texto, verifica com cuidado as tuas respostas.

212 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Teste de compreensão do oral 4
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Somos feitos de histórias – Textos narrativos de autor e outros textos

Antes de iniciares uma primeira audição, lê o questionário.


Em seguida, escuta atentamente esta notícia sobre a exposição «Florestas submersas»
e responde às questões.

1.a audição ( Áudio: «Florestas submersas» – SIC Notícias) CD1 Faixa 24

1. Completa as frases, de acordo com a informação que escutaste. (50 pontos)

a) Onde podemos ver a exposição: _________________________________________________________


b) O que podemos observar: _______________________________________________________________
c) Título da exposição: _____________________________________________________________________
d) Nacionalidade do artista responsável: ____________________________________________________
e) Quatro elementos representados nesta recriação: ________________________________________

2. Seleciona a opção correta, de forma a completares os itens seguintes. (30 pontos)

2.1 Esta exposição inclui espécies


a) da Malásia.
b) de vários países.
c) dos Açores.
d) da Escócia.

2.2 Nesta exposição estão representadas


a) plantas aquáticas e terrestres.
b) animais e plantas terrestres.
c) apenas plantas terrestres.
d) apenas plantas aquáticas.

2.3 A característica do ecossistema destacada pela primeira entrevistada é a


a) beleza.
b) exuberância.
c) simplicidade.
d) calma.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 213


3. Assinala todas as opções que estão de acordo com a informação escutada. (20 pontos)

a) Nesta exposição, foi recriado o maior aquário natural de sempre.


b) Uma das espécies presentes são peixes dos Açores.
c) A exposição é acompanhada de música japonesa.
d) Jornalistas estrangeiros têm sido atraídos pela exposição.
e) A paisagem muda ao longo do período da exposição.
f) Nesta exposição, foram utilizadas técnicas de jardinagem japonesa.

2.a audição
Depois de uma segunda audição do texto, verifica com cuidado as tuas respostas.

214 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Teste de compreensão do oral 5
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Apanha-me um poeta – Poemas e outros textos

Antes de iniciares uma primeira audição, lê o questionário.


Em seguida, escuta atentamente a leitura do poema recolhido por Alice Vieira e responde às
questões.

1.a audição ( Áudio: «Casamento perfumado») CD 1 Faixa 25

1. Completa o esquema. (80 pontos)

Noiva Noivo Madrinha Padrinho

Casamento perfumado a) b) c) d)

Grinalda Ramo Pajens Aias

A noiva e) f) g) h)

Os bolos O chá

A boda i) j)

2. Seleciona a opção correta, de forma a completares os itens seguintes. (20 pontos)

2.1 A donzela que queria casar tinha um dos sentidos muito apurado, ou seja:
a) o tato.
b) a visão.
c) o olfato.
d) a audição.

2.2 A mãe da noiva era


a) a Madre Silva.
b) a Flor de Laranjeira.
c) D. Rosa.
d) D. Açucena.

2.a audição
Depois de uma segunda audição do texto, verifica com cuidado as tuas respostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 215


Teste de compreensão do oral 6
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

Um pé no palco – Textos de teatro e outros textos

Antes de iniciares uma primeira audição, lê o questionário.


Em seguida, escuta atentamente o programa Teatro de bolso e responde às questões.

1.a audição ( Áudio: Teatro de bolso) CD 1 Faixa 26

1. Completa as frases, de acordo com a informação que escutasse. (20 pontos)

a) Local do espetáculo: ____________________________________________________________________


b) Público-alvo: ____________________________________________________________________________
c) Encenador(a): ___________________________________________________________________________
d) Título do espetáculo: ____________________________________________________________________

2. De acordo com a informação que escutaste, classifica cada afirmação como verdadeira (V) ou
falsa (F), corrigindo as falsas. (55 pontos)

a) O programa de rádio intitula-se Teatro de bolso.


b) As histórias ouvidas são todas inspiradas nos livros do Plano Nacional de Leitura.
c) Nesta emissão de rádio, ouvimos quatro vozes diferentes.
d) Este é um espetáculo para todas as idades.
e) Uma das histórias é «A maior casa do mundo», que fala de uma rã.

___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________

3. No final, ouvimos um excerto de um dos espetáculos. (25 pontos)

Completa os espaços, de forma a reconstituires a história de «Isto é mesmo um bicho?»

A Girafa teve ____________________, pois abriu o primeiro ____________________ animalástico.


A primeira lição foi dada pela ____________________, que tinha ____________________, e cujo
pescoço chegava quase ao ____________________.

2.a audição
Depois de uma segunda audição do texto, verifica com cuidado as tuas respostas.

216 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Teste de compreensão do oral 7
NOME ______________________________________________ Ano ______ Turma _____ Número _____

O mundo à nossa volta – Textos de imprensa e outros textos

Antes de iniciares uma primeira audição, lê o questionário.


Em seguida, escuta atentamente o programa Código verde e responde às questões.

1.a audição ( Áudio: Código verde – TSF) CD 1 Faixa 27

1. De acordo com a informação que escutaste, assinala todas as informações verdadeiras. (60 pontos)

a) O estudo incide sobre os hábitos de reciclagem dos portugueses.


b) A pesquisa estendeu-se a todo o território português.
c) Os dados foram analisados pelas câmaras municipais.
d) Os hábitos de reciclagem variam de distrito para distrito.
e) Os resultados da sondagem são definitivos.
f) Leiria é o distrito com mais separadores de reciclagem.

2. Seleciona a opção correta, de forma a completares o item seguinte. (20 pontos)

A média do número de separadores é de

a) 72% em todo o território português.


b) 69% no distrito de Leiria.
c) 72% no distrito de Leiria.
d) 69% em todo o território português.

3. Completa as frases seguintes. (20 pontos)

a) Um dos contributos da Sociedade Ponto Verde para melhorar os hábitos de reciclagem é _


_________________________________________________________________________________________
b) Numa hora, a Sociedade Ponto Verde recicla um peso de embalagens equivalente ao ____
_________________________________________________________________________________________

2.a audição
Depois de uma segunda audição do texto, verifica com cuidado as tuas respostas.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 217


Notas

218 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Soluções
Testes

TESTES DE AVALIAÇÃO ESCRITA Grupo II


1. Chave: 3, 5, 4, 2, 1.
2. A bruxa Rabucha dizia as palavras mágicas para que
Teste 1 (pág. 127) a vassoura voasse.
Grupo I 3. Estava muito frio, pois a bruxa Rabucha, antes de a
1. 1.1 a); 1.2 d); 1.3 a); 1.4 d). prima chegar, estava deitada com o gato preto a
2. Exemplo: O tubarão-baleia está protegido por lei fazer de botija para lhe aquecer os pés.
apenas em alguns países, mas noutros estes peixes são 4. A bruxa Rabucha mostra-se muito espantada e
caçados. Por isso, o comentário da Ana não se adequa surpreendida porque também a sua prima tinha
totalmente ao sentido do texto, pois há «sérias abandonado a profissão, assim como as outras
preocupações quanto ao futuro» desta espécie. bruxas.
3. Chave: d); c); e). 5. a); c); d).
6. Os objetos são o gato, o mocho e a vassoura e
caracterizam-se, respetivamente, pelos adjetivos,
Grupo II
velho, zarolho e despenteada.
1. Chave: 3, 5, 1, 2, 4.
7. Exemplo: Sim, a bruxa tinha motivos para se sentir
2. 2.1 c); 2.2 b); 2.3 d).
desanimada, porque a sua profissão parecia estar
3. Exemplos: Tempo – «No dia seguinte»; em risco, uma vez que todas as bruxas que ela
Espaço – «praia», «ondas», «areia». conhecia tinham abandonado a atividade.
4. «Depois, eu e o meu avô pegámos no tubarão, com
muito cuidado, e enfiámo‐lo como conseguimos no Grupo III
porta‐bagagens» (linhas 19 a 21). 1. , / : / – / ! / ?
5. O Osvaldo ficou muito assustado quando viu o 2. A bruxa fazia a mais admirável feitiçaria.
tubarão, pois a sua expressão era de «TERROR». 3. Bruxa, bruxaria, bruxedo, embruxado.
6. A afirmação é verdadeira, porque, quando pescou o 4. a) determinante; b) pronome; c) determinante;
tubarão, o menino pensou logo que ele seria o d) pronome.
companheiro ideal para o seu peixe Osvaldo. Assim, 5. vieram; preparámos; fizemos; enfeitámos; fomos.
6. A história da bruxa Rabucha parece muito divertida.
quando chegou a casa, tentou logo encontrar uma
forma de os colocar um junto ao outro, para que se
Grupo IV
pudessem conhecer e tornar-se amigos.
Resposta pessoal.

Grupo III
1. , / : / – / ! / ? / – / ! / – / . Teste 3 (pág. 141)
2. Os meninos fizeram as mais admiráveis desco- Grupo I
bertas. 1. 1.1 c); 1.2 a); 1.3 b); 1.4. c) ; 1.5 c).
3. «maravilha». 2. Chave: e); d); b).
4. a) nome; b) adjetivo; c) nome; d) adjetivo. 3. Com os mergulhos de três minutos, o corvo
5. consegue capturar várias espécies de peixes (para
se alimentar).
Pronome Pronome Pronome
demonstrativo pessoal possessivo
Aquele Nós seu Grupo II
1. Chave: 3, 2, 1, 5, 4.
6. A – Os dois peixes observaram-se atentamente.
2. esperta, perspicaz, hábil /decidida, ousada
B – O menino colocou o tubarão na banheira.
3. A raposa tinha decidido comer o queijo do corvo.
3.1 Para atingir o seu objetivo, a raposa começou a
Grupo IV elogiar o corvo.
Resposta pessoal.
3.2 a); d).
4. O recurso expressivo chama-se personificação.
Teste 2 (pág. 134) 5. O corvo revelou-se muito vaidoso, pois ficou
Grupo I deslumbrado com os elogios da raposa e decidiu
1. 1.1 d); 1.2 a); 1.3 c). exibir-se, acabando por perder o queijo.
2. a) noite; b) rápidos; c) não são audíveis pelo ouvido 6. Trata-se de uma narrativa breve, os protagonistas
humano. são animais com características humanas e
apresenta uma moralidade, através do comporta-
3. […] ao relaxar os músculos, as mãos abrem e pode
mento das personagens.
cair.
7. Resposta pessoal.
4. As patas dos morcegos não abrem, porque quando 8. Exemplo: «Tem cuidado com a vaidade, porque ela
os músculos estão relaxados as patas fecham. faz-te aceitar os elogios de quem pretende apenas
aproveitar-se de ti.» Esopo.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 219


Grupo III Grupo III
1. a) dissílabo; b) trissílabo; c) dissílabo; d) trissílabo; 1. Ditongos orais: ou, ei, ai, ais, au; ditongos nasais:
e) polissílabo; f) monossílabo. ães, ão, ões
1.1 a) grave; b) esdrúxula; c) grave; d) esdrúxula; e) grave; 2. a) in.ver.no; b) qui.ló.me.tros; c) en.ver.go.nha.do;
f) aguda. d) mús.cu.los.
1.2 Todas as palavras esdrúxulas são acentuadas. 2.1 a) trissílabos; b) polissílabos.
2. Esses animais eram uns grandes espertalhões. 3. Determinante artigo definido: O.
2.1 . Geralmente, os nomes terminados em -al formam Determinante artigo indefinido: um.
o plural substituindo o -l por -is, como animal – Determinante demonstrativo: aquela.
– animais. Determinante possessivo: sua.
4. a) Ele; b) -no.
. Em alguns adjetivos terminados em –ão, a termi-
nação passa a -ões no plural, como espertalhão – 4.1 a) -ta; b) -lho; c) ma.
– espertalhões. 5. A – Nome comum; B – Nome coletivo; C – Nome próprio.
3. Grau superlativo absoluto sintético. 5.1 vara – porcos; cordilheira – montanhas; constelação
3.1 Uma raposa muito rápida. – estrelas.
4. Nome: «queijo»; advérbio: «muito»; quantificador: 6. Adjetivos qualificativos: b) clara; d) maravilhosa.
«duas»; adjetivo: «delicioso»; determinante: «o»; Adjetivos numerais: a) primeira; c) segunda;
pronome: «Ela». e) segundo.
5. reinado, reinante, reinar, …
6. melodia. Grupo IV
Resposta pessoal.
Grupo IV
Resposta pessoal. Teste 5 (pág. 157)
Grupo I
Teste 4 (pág. 148) 1. c).
Grupo I 2. a); c); e).
1. 1.1 a); 1.2 b); 1.3 c); 1.4. a). 3. Exemplo:
2. b); d). – O burro correu risco de vida por ter ficado preso
3. «hibernam» (linha 26) – hibernar na lama;
4. Chave: b); c); e). – O salvamento levado a cabo por parte de voluntários;
– O burro sorriu quando estava já a salvo.
5. :/–/,/,/!/
4. Atualmente, o burro encontra-se bem, apesar de
medicado por um veterinário.
Grupo II
1. Ordenação: 2, 4, 5, 1, 6, 3.
Grupo II
2. 2.1 b); 2.2 d). 1. As expressões que confirmam esta afirmação são:
3. Patas encolhidas; Músculos contraídos; Picos apon- «há muito muito tempo» (tempo); e «num reino
tados para fora. distante» (espaço).
4. comparação/personificação. 2. b) as fadas; c) o rei e a rainha; d) o príncipe;
5. Exemplo: O ouriço tinha comportamentos dos seres e) o barbeiro; f) o padre; g) os pastores.
humanos, pois falava («Já acabei. E não calculas o o o
3. 1. – situação inicial; 2. – desenvolvimento (peripé-
sono que eu tenho. É próprio…») e tinha senti- o
cias); 3. – desenlace ou conclusão.
mentos, como o medo...
Nota: O aluno poderá também atribuir subtítulos, desde que
O recurso expressivo chama-se personificação. revelem a identificação dos três momentos distintos.
6. A menina fez este comentário, pois estava com
4. As características físicas atribuídas pelas fadas ao
pena, porque não iria ver o seu amigo ouriço
príncipe foram a beleza e as orelhas de burro; as
durante um tempo, pois ele iria hibernar.
psicológicas foram a bondade e a inteligência.
7. Na minha opinião, a Joaquina ainda não sabia o que
4.1 As características determinantes para o desenvolver
significava a palavra hibernar para um ouriço-
da ação são as orelhas de burro. A partir daí, o rei
-cacheiro. Primeiro, porque a menina achava que
vai tentar esconder esse facto e acontecem diversas
era uma decisão do ouriço e não uma necessidade.
peripécias, como, por exemplo, a proibição de
Em segundo lugar, porque lhe perguntou se podia ir
contar o segredo…
com ele.
5. O rei não consegue evitar a descoberta do segredo,
8. Este provérbio aplica-se aos acontecimentos do
porque o barbeiro acaba por contá-lo ao padre, e, a
final do texto, porque o ouriço pediu ajuda à sua
partir daí, o segredo irá acabar por se espalhar.
amiga Joaquina, perguntando-lhe se podia vigiar a
6. Podemos concluir que as características físicas não
sua toca, enquanto hibernava. A menina mostrou-
são determinantes, nem impediram o príncipe de se
-se totalmente disponível e provou que «os amigos
tornar um homem bom e cheio de virtudes.
são» mesmo «para as ocasiões».
7. b); c); e); f); g).

220 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grupo III 8. Como o rei mandou plantar milhares de amen-
1. doeiras, no dia em que elas floresceram, as folhas
Preposição Pronome Quantificador brancas encheram os caminhos, parecendo neve.
Advérbio
Então, Gilda sentiu-se mais alegre, pois aquele
ontem para os dois
espetáculo lembrava-lhe a sua terra natal e acalmava as
2. A. – alegre (outras palavras: nomes); B. – em suas saudades.
(advérbios); C. – bondade (adjetivos); D. – tão 9. a); b); d); e).
(preposições).
2.1 Palavras variáveis: grupos A e C; Grupo III
Palavras invariáveis: grupos B e D. 1. A – Intruso: Manhã (advérbios); B – Uma (preposições);
3. a); b); d); e); f); i). C – Alegria (adjetivos); D – Belo (nomes).
4. a) «Além»: advérbio de lugar; 2. Exemplo: seis, quatro, três, vinte.
b) «já»: advérbio de tempo; 3. de; sobre; para; na; com. Em; sem; na; da.
c) «muito»: advérbio de quantidade ou grau. 4. 1 – e); 2 – a); 3 – d); 4 – b); 5 – c).
d) «não»: advérbio de negação. 5. «tinha» – verbo auxiliar»; «observado» – verbo
5. Ir; estar; ser. principal.
6. «tinha» – verbo auxiliar»; «lido» – verbo principal. 5.1 Infinitivo impessoal: observar; Particípio passado:
6.1 Infinitivo: ler; particípio: lido. observado.
7. a) queremos; b) gostavas; c) fomos; d) tinha lido. 6. a) veio; b) tinha dado; c) conseguirás; d) fazemos.
8. a) grupo B; b) grupo A. 7. a) A; b) B.
8.1 No grupo B, as palavras são simples porque não 7.1 No grupo B, as palavras são simples porque não
surgem de outra palavra: rei; feliz… surgem de outra palavra.
No grupo A, as palavras são complexas, visto que se No grupo A, as palavras são complexas visto que se
formam a partir de outras. Ex.: fadar < fada. formam a partir de outras. Ex.: nortear < norte.

Grupo IV Grupo IV
Resposta pessoal. Resposta pessoal.

Teste 6 (pág. 164) Teste 7 (pág. 172)


Grupo I Grupo I
1. a). 1. 1.1 a); 1.2 c) 1.3 b); 1.4 c).
2. a); d); e). 2. a); c).
2.1 b) A duração média do percurso é de quatro horas. 3. Os morcegos e os camaleões estão especialmente
c) O percurso também tem caminhos de terra. ocupados devido à perseguição que fazem ao
3. Chave: 4, 1, 6, 3, 5, 2. grande número de insetos que estão em atividade.
4. A principal atração deste percurso é a observação 4. Deves registar: a temperatura, a humidade, o vento
das amendoeiras em flor. e a ocorrência de chuva.

Grupo II Grupo II
1. a) Há muito tempo; b) Cada dia; c) No esperado dia; 1. Como a Menina do Mar queria conhecer as coisa da
d) Quanto mais os dias passavam; e) Porém, um dia; terra, o rapaz colheu uma rosa encarnada e
f) Logo; g) No dia em que; h) Num instante. perfumada do seu jardim e, no dia seguinte, foi
2. «O Reino dos Algarves» (linha 1). mostrá-la à Menina.
3. A chegada de Gilda, uma princesa do Norte, de rara 2. A Menina ficou fascinada com a beleza da rosa e
beleza, veio alterar a vida do guerreiro, pois este com o seu perfume.
apaixonou-se por ela perdidamente. 2.1 Inicialmente, a Menina ficou fascinada com a beleza
4. Características físicas: loira, olhos azuis, faces e originalidade da flor, pois no mar não havia
brancas, linda… nenhum perfume assim. Em seguida, sentiu-se um
Características psicológicas: meiga, encantadora, pouco triste porque na terra havia tristeza dentro
simpática.
das coisas bonitas.
5. «[…] dei ordens para que viessem ao palácio os
3. O rapaz explicou à menina que o que ela sentia era
melhores físicos do mundo. Desesperado, procla-
a saudade, ou seja, «a tristeza que fica em nós
mei pelo mundo fora que oferecia […]. Mas tudo foi
quando as coisas de que gostamos se vão embora.»
em vão e até eu próprio ia perdendo as esperanças.
(linha 19). Ele queria dizer-lhe que, quando ela
5.1 «participante».
partisse, sentiria falta das coisas da terra.
6. b).
4. «tornaram a encontrar-se todos no sítio do
7. Gilda entristecia de dia para dia, porque tinha
costume.» (linha 27)
saudades da sua terra natal.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 221


5. 5.1 b); 5.2 d). 4. O Rapaz de Bronze revelou que, durante o dia, os
6. (Enquanto o fogo é pequeno) é muito importante seres do jardim estavam imóveis, mas à noite
para o Homem, pois ajuda-o a enfrentar o frio, a ganhavam vida e eram livres, por isso dançavam.
cozinhar, a iluminar a noite… 5. Narrador participante. «A Túlipa ainda não tinha
(Quando o fogo cresce) é mais destruidor que chegado», etc…
muitos animais ferozes. 6. 6.1 b); 6.2 c); 6.3 c).
7. 7.1 c); 7.2 b); 7.2.1 a).
7. Exemplo: O Rapaz de Bronze era muito educado,
8. Neste texto, o narrador é/não é personagem da
a a
pois conduziu Florinda de forma amável e colocou-a
história, usando a 1. /3. pessoa para narrar os
na jarra. Era também muito sensível e paciente,
acontecimentos. Trata-se de um narrador parti-
uma vez que explicou à menina as danças das
cipante/não participante, ou seja, é um narrador
flores. Revelou-se amigo de Florinda, transmitindo-
presente/ausente.
-lhe segredos muito importantes.
9. Exemplo: Concordo com esta afirmação porque, ao
8. A menina já tinha ouvido as flores a conversar.
longo do texto, os dois dão provas de gostarem
9. O Rapaz de Bronze aconselha Florinda a acreditar
muito um do outro e da amizade que os une:
naquilo que vê, mesmo quando todos dizem que
– a Menina faz-lhe pedidos sobre a terra;
não pode ser verdade.
– o rapaz oferece-lhe e explica-lhe as coisas
importantes que existem na terra;
– a Menina deseja partilhar com ele as coisas do Grupo III
mar; 1. a) Diferente/Diverso/Semelhante;
– o rapaz fala da saudade, o sentimento que b) Imóvel/Parado/Agitado;
caracteriza a ausência dos amigos; c) Lento/Vagaroso/Veloz;
– os dois brincam juntos com muita alegria; d) Livre/Liberto/Preso.
– as duas personagens falam seriamente sobre a 2. a); d)
terra e o mar e sobre a amizade e as diferenças, 3. Para isolar o vocativo «Florinda».
como verdadeiros amigos; 4. a) Exclamativo.
– falam constantemente sobre as coisas b) Imperativo.
importantes para cada um deles, aproveitando o
5. Eu era; Tu eras; Ele era; Nós éramos; Vós éreis; Eles
tempo em que estão juntos…
eram.
6. a) Eu pu-las na jarra.
Grupo III
1. «traz-me» e «vem». b) Os meus pais deram-na.
6.1 A. –lo,- la, -los, -las; B. –no, -na, -nos, -nas.
2. Sujeito: c); Predicado: a) Complemento direto: d);
Complemento indireto: b).
Grupo IV
3. a) e d).
Resposta pessoal.
4. a) Imperativo; b) declarativo; c) interrogativo;
d) exclamativo.
Teste 9 (pág. 188)
5. a) O rapaz avistou-a.
Grupo I
b) Ela não viu o rapaz.
1. b), c), d), f).
6.1 Discurso direto: b); d); e); Discurso Indireto: a), c).
1.1 a) As árvores pertencem ao reino das plantas.
Grupo IV Resposta pessoal. e) As folhas das árvores nascem com a mesma cor
verde, que depois se vai alterando.
2. Chave: d); b); e).
Teste 8 (pág. 180) 3. A afirmação é verdadeira, pois a casca das árvores é
Grupo I utilizada para o fabrico de rolhas ou outros objetos.
1. 1.1 b); 1.2. a); 1.3. a). Por outro lado, a casca pode também ser usada em
2. Um herbário permite acumular informação sobre jardins ou viveiros, por exemplo.
plantas, ao longo de muitos anos, dando a conhecer
as diferentes plantas existentes no planeta. Grupo II
Também permite organizar e conservar exemplares 1. 1.1 a); 1.2 d).
de plantas 2. O desejo do sujeito poético é ter raízes.
3. Ordenação: 4, 3, 6, 2, 5, 1, 7, 8.
2.1 O sujeito poético quer ter raízes para:
– estar preso ao chão;
Grupo II – não dar nenhum passo em vão;
1. Ordenação: 2, 3, 5, 4, 1, 6. – crescer em silêncio e direito como uma árvore.
2. Florinda pensava que o Rapaz de Bronze era uma 3. Se o sujeito poético tivesse raízes, ele estaria sempre
estátua e que não falava. preso ao chão. Assim, nunca iria dar passos inutilmente,
3. «Pareces uma flor» (linha 17). pois as raízes iriam protegê-lo, dar-lhe segurança.

222 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


4. 4.1 c); 4.2 b). 5. Exemplos:
5. a); b); d). Movimento das personagens: «Estão a entrar a
6. «Raízes»; «pinheiro»; «faia»; «copa»… princesa Beatriz, Mademoiselle, duas damas de
7. Por exemplo: O sujeito poético gostaria de ser como honor e o Marechal da Corte» (linhas 1 e 2)…
as árvores porque elas têm raízes que as protegem Estado de espírito das personagens: «dum modo
e lhes permitem crescer em segurança, para além impertinente» (linha 6); «cheia de curiosidade»
de as defenderem dos obstáculos, como os ventos (linha 13); «perplexo» (linha 17), «bate com o
muito fortes. Se tivesse raízes, o sujeito poético punho» (linha 22)…
sentiria sempre confiança e firmeza. Elementos cénicos: «com leques» (linha 6);
«embrulho» (linha 12); «trono» (linha 22)…
6. Resposta pessoal.
Grupo III
1. Prefixação: Desfolhar, Incapaz, Refazer, Desproteger.
Grupo III
Sufixação: Arvoredo, Floresta, Rugoso, Raminho.
1. a) incapaz; b) desanimado; c) descontrolado;
1.1 Resposta pessoal.
d) intolerante.
2. «Traz»; «veste».
2. b) 2; c) 1; d) 1; e) 2.
3. Sujeito: b); Predicado: a); Complemento indireto:
3. a) Eu e tu vamos ao teatro.
c); Complemento direto: d).
b) Vi-o no cinema.
4. c).
c) Marta, a Leonor vem cá?
5. a) exclamativo; b) declarativo; c) interrogativo; d)
d) A turma viu uma peça de teatro surpreendente!
imperativo.
e) Ofereci o retrato dramático ao meu avô.
6. a) A turma plantou-a.
4. Substituí pelo pronome nós.
b) os rapazes não o viram.
Perguntei ao verbo: Quem?
c) A Ana fê-lo.
d) Os meus pais dão-nas. 5. a)
6.1 Quando o verbo termina em (-r, -s ou) -z, os 6. a) Interrogativo; b) Imperativo; c) Declarativo;
pronomes pessoais o, a, os, as passam a -lo; -la; d) Exclamativo.
-los; -las. 7. a) A turma oferece-mo.
b) Eu fiz-lha.
Grupo IV c) Os amigos deram-lhos.
Resposta pessoal.
Grupo IV
Resposta pessoal.
Teste 10 (pág. 195)
Grupo I
1. a); b); e). Teste 11 (pág. 203)
1.1 c) fez 15 anos em 2015; d) Realiza-se anualmente. Grupo I
1. Quem?: três linces-ibéricos;
2. a) 7 minutos; b) Croata (Croácia); c) um relógio;
O quê?: foram libertados para viverem na Natureza,
d) um pica-pau espeta o bico no relógio.
atingindo um total de dezasseis linces a viverem em
3. … saltei para dentro de um par de botas e iniciei liberdade;
uma caminhada, convidando toda a gente que Onde?: no Alentejo (Parque Natural do Vale do
conhecia para me acompanhar. Guadiana);
Quando?: «Hoje» (19 de fevereiro de 2016);
Grupo II 1.1 O título avança algumas informações do lead, ou
1. As indicações cénicas, a indicação dos nomes das seja, a existência de dezasseis linces-ibéricos a
personagens e as suas falas. viverem em liberdade em Portugal, depois de mais
2. 2.1 b); 2.2 a); 2.3 c); 2.4 d); 2.5 a). três linces terem sido libertados.
3. O comportamento de Beatriz foi muito desade- 2. 2.1 b); 2.2 a); 2.3 a).
quado, pois a princesa desrespeitou os seus 3. O ICNF pode acompanhar a vida dos linces através
pretendentes, apontando os seus defeitos e ten- de um emissor que permite seguir os seus
tando ridicularizá-los. movimentos, enquanto vivem em liberdade.
3.1 O rei ficou muito zangado porque a filha tinha 4. Neste projeto estão envolvidos diversos parceiros
ofendido um convidado, que era seu pretendente. de instituições portuguesas e espanholas, assim
4. Sim, o príncipe Austero confronta Beatriz, pois como a população civil.
«encara a princesa de frente» (linha 31), como se já 5. Este projeto permite: beneficiar diversas espécies,
esperasse a sua reação. O presente que lhe traz, porque o lince é muito importante nos ecos-
uma palmatória, também revela que o príncipe já sistemas; promover diversas atividades humanas; -
devia saber que a princesa não era muito cortês. permitir preservar os habitats naturais.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 223


6. a); b); e). Teste 2 (pág. 211)
6.1 c) O corpo da notícia dá resposta às questões 1. a) F - O jornalista refere «histórias da Bela Adormecida,
Como? e Porquê? da Branca de Neve e da Gata Borralheira… b) V. c) F – A
d) A notícia é um texto relativamente curto. maior parte das pessoas conhece estas histórias pelos
filmes da Walt Disney. d) V. e) F – Os contos foram
Grupo II publicados há exatamente duzentos anos. f) V. g) F –
1. A Sociedade Ponto Verde.
Esta é a obra em língua alemã mais traduzida e
2. O objetivo do anúncio é levar as populações a
pubicada em todo o mundo. h) V. i) F – O livro
reciclar embalagens, contribuindo, deste modo,
completo dos Irmãos Grimm vai ser editado pela
para a proteção da Natureza.
primeira vez em Portugal. j) V.
3. A imagem apresenta o número quinze e, dentro do
2. Se os Irmãos Grimm não tivessem publicado os contos,
algarismo cinco, o planeta Terra surge coberto de
provavelmente, estas histórias, que hoje todas as
árvores. Em volta do planeta estão diversos
crianças conhecem, não teriam chegado até nós.
elementos como moinhos de vento, famílias,
crianças a brincar, flores e pontos de reciclagem.
Teste 3 (pág. 212)
3.1 A imagem é eficaz, porque apresenta um planeta
1. a) 6; b) 1; c) 5; d) 4; e) 8; f) 2; g) 3; h) 7.
com uma Natureza muito bem cuidada, cheio de
2. A família não enriqueceu porque a menina foi muito
árvores verdes, o que transmite a ideia de saúde e
curiosa e não obedeceu ao pedido da moura,
de diversidade. As pessoas e as crianças parecem
deitando tudo a perder.
muito felizes. Os pontos de reciclagem também são
muito importantes, porque transmitem a ideia de
Teste 4 (pág. 213)
que, através da reciclagem, contribuímos para um
1. a) no oceanário de Lisboa.
planeta mais saudável. O número quinze recorda os b) uma floresta tropical dentro de um aquário.
15 anos de existência da Sociedade Ponto Verde. c) «florestas submersas».
4. «A reciclar por um mundo mais verde». d) japonesa.
4.1 O slogan apela à reciclagem. Se todos reciclarmos, a e) rochas, troncos, peixes tropicais, plantas aquáticas.
natureza será protegida, daí o mundo ser mais verde. 2. 2.1 b); 2.2 a); 2.3 b).
5. Resposta pessoal. 3. a), d), e), f).

Grupo III Teste 5 (pág. 215)


1. a) tínhamos visto; b) tinha imprimido. 1. a) Rosa Branca; b) Cravo Vermelho; c) D. Açucena;
2. b) «Onde» – lugar; c) «Não» – negação; d) D. Goivo; e) folhas de laranjeira; f) erva cidreira;
d) «Silenciosamente» – modo; e) «Aqui» – lugar. g) manjericos; h) violetas; i) canela e coco; j) erva-
3. de; sobre; para; à. -luísa.
4. Sujeito –b); Predicado – a); Complemento direto – 2. 2.1 c); 2.2 a).
d); Complemento indireto – c).
5. a) A minha turma recicla-o; b) As professoras Teste 6 (pág. 216)
guardaram-nas; c) O meu pai fê-lo; d) Eu não as 1. a) Teatro Nacional D. Maria II; b) crianças;
encontrei. c) Catarina Requeijo; d) Boca aberta.
5.1 Nas frases negativas, o pronome coloca-se à
2. a) V.
esquerda do verbo.
b) F – Algumas histórias são inspiradas em textos
do PNL, mas há também outras histórias.
Grupo IV c) F – Ouvimos cinco vozes diferentes.
Resposta pessoal. d) V.
e) F – Esta história fala de um caracol.
3. visão; ginásio; Girafa; óculos; infinito.

TESTES DE COMPREENSÃO DO ORAL Teste 7 (pág. 217)


1. a); d); f).
Teste 1 (pág. 209) 2. c).
1. 1.1 a); 1.2 c); 1.3 d); 1.4 c); 1.5 b). 3. a) comparticipar em ações locais, oferecer eco-
2. a) … telemóveis ou tabets; b) … os seus autores; pontos domésticos e ensinar a reciclar.
c) … 2011; d) 200; e) … o sentido e o espírito crítico. b) peso de 12 elefantes.

224 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Grelhas de avaliação

Grelha de avaliação do domínio da Leitura: Leitura em voz alta


Data: ___________________________________

Alunos da turma _______________

1–
2–
3–
4–
5–
6–
7–
8–
9–
10 –
11 –
12 –
13 –
14 –
15 –
16 –
17 –
18 –
19 –
20 –
21 –
22 –
23 –
24 –
25 –
26 –
27 –
28 –

DESCRITORES

Apreciação qualitativa (MB, B, S, I, MI)


Lê corretamente,
por minuto,
um mínimo
de 110 palavras,
de uma lista
de palavras
de um texto,
apresentadas
quase
aleatoriamente.
Lê um texto

Interação
com articulação
e entoação
corretas e uma
velocidade de

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


leitura
de, no mínimo,
140 palavras por
minuto.

Legenda: MB: Muito Bom | B: Bom | S: Suficiente | I: Insuficiente | MI: Muito Insuficiente

225
226
Grelha de avaliação do domínio da Oralidade: Apresentação de um tema selecionado
Data: ___________________________________

Alunos da turma _______________

1–
2–
3–
4–
5–
6–
7–
8–
9–
10 –
11 –
12 –
13 –
14 –
15 –
16 –
17 –
18 –
19 –
20 –
21 –
22 –
23 –
24 –
25 –
26 –
27 –
28 –

DESCRITORES

Apreciação qualitativa (MB, B, S, I, MI)


Planifica o discurso oral, definindo
os tópicos de suporte à apresentação.
Seleciona recursos de suporte

Planificação
à apresentação.
Usa a palavra
de modo audível.
Revela uma boa dicção.

Olha para a audiência.

Usa um vocabulário adequado


ao assunto.
Usa marcadores discursivos próprios
do texto expositivo/informativo.

Apresentação

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Transmite informações pertinentes.

Controla estruturas gramaticais


correntes.
Respeita o tempo previsto
para a apresentação.
Apreciação final

Legenda: MB: Muito Bom | B: Bom | S: Suficiente | I: Insuficiente | MI: Muito Insuficiente
Grelha de avaliação do domínio da Oralidade: Apresentação de argumentos
Data: ___________________________________

Alunos da turma _______________

1–
2–
3–
4–
5–
6–
7–
8–
9–
10 –
11 –
12 –
13 –
14 –
15 –
16 –
17 –
18 –
19 –
20 –
21 –
22 –
23 –
24 –
25 –
26 –
27 –
28 –

DESCRITORES

Apreciação qualitativa (MB, B, S, I, MI)


Planifica o discurso oral, definindo
os tópicos de suporte à apresentação.
Seleciona recursos de suporte

Planificação
à apresentação.
Usa a palavra de modo audível.

Revela uma boa dicção.

Olha para a audiência.

Usa um vocabulário adequado


ao assunto.
Usa marcadores discursivos próprios
do texto argumentativo.

Apresentação

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Recorre a argumentos pertinentes.

Controla estruturas gramaticais


correntes.
Respeita o tempo previsto para
a apresentação.
Apreciação final

Legenda: MB: Muito Bom | B: Bom | S: Suficiente | I: Insuficiente | MI: Muito Insuficiente

227
228
Grelha de avaliação do domínio da Oralidade: Interação discursiva
Data: ___________________________________

Alunos da turma _______________

1–
2–
3–
4–
5–
6–
7–
8–
9–
10 –
11 –
12 –
13 –
14 –
15 –
16 –
17 –
18 –
19 –
20 –
21 –
22 –
23 –
24 –
25 –
26 –
27 –
28 –

DESCRITORES

Apreciação qualitativa (MB, B, S, I, MI)


Respeita princípios de interação
discursiva na produção de enunciados.
Usa a palavra de modo audível.

Revela uma boa dicção.

Olha para o interlocutor.

Interação
Usa um vocabulário adequado
ao assunto.
Controla estruturas gramaticais
correntes.
Apreciação final

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Legenda: MB: Muito Bom | B: Bom | S: Suficiente | I: Insuficiente | MI: Muito Insuficiente
Grelha de avaliação do domínio da Escrita: Texto narrativo
Data: ___________________________________

Alunos da turma _______________

1–
2–
3–
4–
5–
6–
7–
8–
9–
10 –
11 –
12 –
13 –
14 –
15 –
16 –
17 –
18 –
19 –
20 –
21 –
22 –
23 –
24 –
25 –
26 –
27 –
28 –

DESCRITORES

Apreciação qualitativa (MB, B, S, I, MI)


Escreve um texto, integrando os elementos
quem, quando, onde, o quê, como, porquê
e respeitando uma sequência que
contemple: apresentação do cenário
(tempo e lugar) e das personagens;
acontecimento desencadeador da ação;
ação; conclusão; emoções ou sentimentos
provocados pelo desfecho da narrativa.
Respeita o tema.

Usa uma caligrafia legível.

Respeita as regras de ortografia


e de acentuação.
Aplica regras de uso dos sinais de
pontuação para representar tipos de frase
e movimentos sintáticos básicos.

Textualização
Utiliza e marca adequadamente
parágrafos.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Controla estruturas gramaticais correntes.

Constrói dispositivos de encadeamento


cronológico, de retoma e de substituição
que assegurem a coesão e a continuidade
de sentido.
Utiliza vocabulário específico do assunto
que está a ser tratado.
Cuida da apresentação final do texto.

Apreciação final
Legenda: MB: Muito Bom | B: Bom | S: Suficiente | I: Insuficiente | MI: Muito Insuficiente

229
230
Grelha de avaliação do domínio da Escrita: Texto descritivo
Data: ___________________________________

Alunos da turma _______________

1–
2–
3–
4–
5–
6–
7–
8–
9–
10 –
11 –
12 –
13 –
14 –
15 –
16 –
17 –
18 –
19 –
20 –
21 –
22 –
23 –
24 –
25 –
26 –
27 –
28 –

DESCRITORES

Apreciação qualitativa (MB, B, S, I, MI)


Escreve uma descrição, referindo
características essenciais do objeto dessa
descrição.
Respeita o tema.

Usa uma caligrafia legível.

Respeita as regras de ortografia


e de acentuação.
Aplica regras de uso dos sinais
de pontuação para representar tipos
de frase e movimentos sintáticos básicos.
Utiliza e marca adequadamente
parágrafos.

Textualização
Controla estruturas gramaticais correntes.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Constrói dispositivos de encadeamento
lógico, de retoma e de substituição que
assegurem a coesão e a continuidade de
sentido.
Utiliza vocabulário específico do assunto
que está a ser tratado.
Cuida da apresentação final do texto.

Apreciação final

Legenda: MB: Muito Bom | B: Bom | S: Suficiente | I: Insuficiente | MI: Muito Insuficiente
Grelha de avaliação do domínio da Escrita: Texto de opinião
Data: ___________________________________

Alunos da turma _______________

1–
2–
3–
4–
5–
6–
7–
8–
9–
10 –
11 –
12 –
13 –
14 –
15 –
16 –
17 –
18 –
19 –
20 –
21 –
22 –
23 –
24 –
25 –
26 –
27 –
28 –

DESCRITORES

Apreciação qualitativa (MB, B, S, I, MI)


Escreve um texto em que toma uma
posição, apresentando, pelo menos, duas
razões que a justifiquem e uma conclusão
coerente.
Respeita o tema.

Usa uma caligrafia legível.

Respeita as regras de ortografia


e de acentuação.
Aplica regras de uso dos sinais de
pontuação para representar tipos de frase
e movimentos sintáticos básicos.
Utiliza e marca adequadamente

Textualização
parágrafos.
Controla estruturas gramaticais correntes.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Constrói dispositivos de encadeamento
lógico, de retoma e de substituição
que assegurem a coesão e a continuidade
de sentido.
Utiliza vocabulário específico do assunto
que está a ser tratado.
Cuida da apresentação final do texto.

Apreciação final

Legenda: MB: Muito Bom | B: Bom | S: Suficiente | I: Insuficiente | MI: Muito Insuficiente

231
Notas

232 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Transcrições
Manual
Volume 1 sua preservação na natureza. A criança que ele foi
continua viva dentro dele, procurando dragões entre os
répteis mais incríveis do mundo.
Faixa 1
Unidade 0, pág. 13 Texto construído a partir de:
Texto de documentário https://www.youtube.com/watch?v=2qg-bzgkeS0,
consultado em 08/12/2015
Rom Whitaker é um dos maiores especialistas em
répteis do mundo inteiro.
Ao longo de cinquenta anos, ele viajou por toda a Faixa 2
parte para estudar cobras, lagartos e crocodilos. Unidade 1 – subunidade 1, pág. 18
Mas, após todos esses anos, ainda há uma criatura «A raposa e a cegonha»
que o fascina acima de todas as outras. Rom pode (Ver manual)
nunca ter visto um exemplar dessa criatura ao vivo, mas
ele sabe que ela está em todos os répteis que estuda.
Para Rom, essa criatura é o rei dos répteis: o dragão. Faixa 3
‒ Tinha quatro anos quando construí um pequeno Unidade 1 – subunidade 1, pág. 26
Godzilla, que a minha mãe guardou por muitos anos. De «A galinha dos ovos de ouro»
facto, agora é uma antiguidade. Não mudei muito
Era uma vez um camponês. Tinha no seu quintal um
desde esse tempo, porque a paixão continua cá.
galinheiro onde habitavam várias galinhas. Mas entre
Essa paixão levou Rom a uma vida de estudo, de
elas havia uma que ele considerava uma verdadeira
preservação e de criação de répteis na natureza e no
preciosidade.
seu parque de cobras e crocodilos na Índia.
Não era por acaso... É que esta galinha, todos os
Como herpetólogo profissional, os fantásticos
dias, sem exceção, punha um ovo, um ovo de ouro.
dragões da sua infância foram substituídos por criaturas
Parecia magia!
reais. Mas quanto mais Rom aprendia sobre répteis
O camponês sentia-se afortunado, pois nunca tinha
mais convencido estava de que havia uma
ouvido falar de galinhas que punham ovos de ouro.
correspondência na natureza entre os animais que
Aquela galinha era mesmo especial!
estudava e esses dragões fantásticos.
– Que sorte a minha! Todos os dias um ovo de ouro.
– Toda a gente sabe que os dragões dos contos de
Em breve estarei rico! Deixarei de ser um pobre
fadas voam, cospem fogo, guardam tesouros em cavernas,
camponês e irei até à cidade onde poderei investir o
atacam pessoas, principalmente princesas, e, por vezes,
meu dinheiro.
são domesticados por heróis. Também têm a possibilidade
Mas, entretanto, ocorreu-lhe uma ideia. Em vez de
de ser eternos. E eu acho que consigo encontrar alguns
esperar todos os dias pelo ovo de ouro, porque não
destes comportamentos e características no mundo dos
matar a galinha? Assim podia retirar do seu interior o
répteis.
fabuloso tesouro que, com toda a certeza, teria.
Por exemplo, o crocodilo do Nilo pode atingir 6
Começou a tratá-la muito bem e a dar-lhe mais milho.
metros de comprimento e pesar uma tonelada, pode
O camponês não deixava de pensar:
correr ou nadar a 16 km por hora, e com os seus 60
– A galinha vai engordar e, assim, o meu tesouro
dentes, pode comer metade do seu peso numa
será também muito maior!
refeição! Mas o que o torna verdadeiramente parecido
Quem não achava graça a este tratamento especial
com um dragão é o facto de ser altamente mortífero…
eram as outras companheiras do galinheiro. Sempre
Nas cavernas de uma região da Eslovénia, na
que o dono lhes ia dar comida, elas não paravam de
completa escuridão, vive uma salamandra que
reclamar.
provavelmente pode atingir os 100 anos de idade, e que
Finalmente chegou o dia. A galinha dos ovos de
pode ficar 6 a 10 anos sem comida. O corpo dessa
ouro já estava bem gordinha... Para o camponês, tinha
salamandra faz lembrar um dragão bebé.
chegado o momento certo:
Por sua vez, com olhos sem pálpebras, que não
– Vou até ao galinheiro buscar o meu rico tesouro!
piscam, com cinco metros e meio de comprimento e
Ainda hoje terei a riqueza necessária para me mudar
com a capacidade de matar só com uma picada, a
para a cidade e ter uma vida diferente e bem mais
cobra-real, que vive na Índia, é uma sentinela tão boa
desafogada!
quanto um qualquer dragão que guarde tesouros num
Pegou na galinha e abriu-a imediatamente. Mas o
conto de fadas.
camponês não queria acreditar no que via... É que,
Já a cobra cuspideira da Indonésia, que borrifa os olhos
afinal, o interior daquela galinha era exatamente igual
da presa com o seu veneno, deixando-os a arder,
ao interior de todas as outras galinhas. Não havia
parece mesmo que cospe fogo!
qualquer sinal de ouro.
E o que dizer do dragão de Komodo, o maior lagarto
Foi assim que, de um dia para o outro, a vida deste
existente na Terra, que pode comer 80% do seu peso
camponês mudou. Por ser demasiado ambicioso, e não
numa só refeição e nadar de uma ilha para a outra? A
dar valor à sua sorte, acabou por perder tudo o que
sua saliva, descrita como um cocktail malcheiroso de
tinha. Ficou sem a galinha e sem ovos de ouro.
bactérias, tem sido estudada por muitos cientistas com
Por ser muito ambicioso, o camponês, de repente,
o objetivo de descobrirem exatamente que bactérias
Perdeu o muito e o pouco e em desespero se sente.
são essas que a tornam tão tóxica. A dentada do dragão
de Komodo parece também uma mordidela de fogo! Fábulas de La Fontaine, adapt. Ana Oom, Lisboa,
A paixão que Rom tinha por dragões na sua infância Zero a Oito, 2014, p. 56
levou-o a conhecer muito bem os répteis e a defender a
Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 233
Faixa 4 Faixa 6
Unidade 1 – subunidade 1, pág. 37 Unidade 1 – subunidade 2, pág. 62
«A cigarra e a formiga» «Frei João Sem Cuidados»
Estava um belo dia de inverno e as formigas andavam O rei ouvia sempre falar em Frei João Sem Cuidados
atarefadas a secar a sua reserva de trigo, que ficara bem como um homem que não se afligia com coisa nenhuma
molhada após um longo período de chuva. Estavam todas deste mundo.
muito ocupadas a estender os grãos ao sol para secarem. – Deixa-te estar, que eu é que te hei de meter em
Corriam para cá e para lá, trabalhando todas juntas. Uma trabalhos!
cigarra passou por ali e, depois de as observar durante um Mandou-o chamar à sua presença, e disse:
momento, voou até à maior de todas. – Vou dar-te uma adivinha e, se dentro de três dias
– Por favor, dá-me alguma coisa para comer. Estou não me souberes responder, mando-te matar. Quero
a morrer de fome – implorou. que me digas:
A formiga maior parou momentaneamente o que – Quanto pesa a Lua? Quanta água tem o mar?
estava a fazer e perguntou à cigarra: O que é que eu penso?
– Porque é que nós te haveríamos de dar um pouco
Frei João Sem Cuidados saiu do palácio bastante
da nossa comida preciosa? Diz-me, o que é que
atrapalhado, pensando na resposta que havia de dar
estiveste a fazer no verão, quando estávamos todas a
àquelas perguntas. O seu moleiro encontrou-o no
trabalhar arduamente para armazenarmos esta comida
caminho, e lá estranhou de ver Frei João Sem Cuidados
para o inverno?
de cabeça baixa e macambúzio.
A cigarra riu-se com desdém.
– Olá, senhor Frei João Sem Cuidados, então o que
– Estava a cantar, claro. Não tinha tempo para me
é isso que o vejo tão triste?
preocupar com o armazenamento de comida!
A formiga abanou a cabeça e continuou o seu – É que o rei disse-me que me mandava matar, se
trabalho. dentro de três dias eu lhe não respondesse a estas
– Como no verão estavas demasiado ocupada a perguntas: Quanto pesa a Lua? Quanta água tem o
cantar para te certificares de que tinhas uma reserva de mar? E o que é que ele pensa?
comida, agora terás de passar o inverno a dançar! – e O moleiro pôs-se a rir, e disse-lhe que não tivesse
virou costas à cigarra preguiçosa. cuidados, que lhe emprestasse o hábito de frade, que
ele iria disfarçado e havia de dar boas respostas ao rei.
As Fábulas de Esopo, adapt. Fiona Waters, trad. Bárbara Maia, Passados os três dias, o moleiro, vestido de frade,
Porto, Civilização Editora, 2011, p. 24
foi pedir audiência ao rei. O rei perguntou-lhe:
– Então, quanto pesa a Lua?
Faixa 5 – Saberá Vossa Majestade que não pode pesar mais
Unidade 1 – subunidade 1, pág. 49 do que um arrátel, porque todos dizem que ela tem
«As andorinhas entre nós» quatro quartos.
– É verdade... E agora: quanta água tem o mar?
Na quinta-feira à noite, a terceira notícia mais Respondeu o moleiro:
popular no jornal PÚBLICO online explicava que a – Isso é muito fácil de saber; como Vossa Majestade
primavera este ano começou naquele dia 20, a três só quis saber da água do mar, é preciso primeiro que
minutos das cinco da tarde. mande tapar todos os rios, porque sem isso nada feito.
Cinco horas antes, estávamos nas Odrinhas e, dos
O rei achou bem respondido. Mas zangado por ver
cantos dos nossos olhos, vimos quatro andorinhas a
que Frei João se escapava das dificuldades, tornou:
voar de alegria. Passavam à nossa frente, seguindo o
– Agora, se não souberes o que é que eu penso,
caminho de um ribeiro.
mando-te matar!
As primeiras andorinhas deste ano – para além do
milagre de terem chegado após mais de sete mil O moleiro respondeu:
quilómetros de viagem, do medo de não sobreviverem – Ora, Vossa Majestade pensa que está a falar com
ou de não lhes apetecer fazer férias – são azulinhas e o Frei João Sem Cuidados e está mas é a falar com o seu
invulgarmente gordas e atrevidas. moleiro!
Os passarinhos residentes estavam todos incomo- Deixou cair o hábito de frade, e o rei ficou pasmado
dados. Tinham chegado as chatas das campeãs do voo, com a esperteza do ladino.
com os bronzeados da África do Sul. Tal como nós, não Teófilo Braga, Contos tradicionais do povo português,
percebiam por que é que estas andorinhas se tinham Publicações Dom Quixote
dado ao trabalho de vir até Sintra quando poderiam ter
ficado pelo Algarve ou por Marrocos.
Muitas seguem até à Inglaterra. Devem gostar mais da
Faixa 7
primavera fresca e molhada do que propriamente do
Unidade 1 – subunidade 2, pág. 72
verão, ao qual estão mais do que habituadas na África do
«A lenda dos três rios» (RTP)
Sul.
Seja como for, a felicidade é toda nossa. Os olhos A lenda dos três rios: Douro, Guadiana e Tejo
dançam; o coração levanta; a alma vai parar-nos à Reza a lenda que, em tempos, estes três grandes
ponta dos dedos. As andorinhas estão, mais uma vez, rios eram apenas três pequenos riachos. Irmãos
entre nós. inseparáveis que viviam sob os cuidados de uma
Que bom! gaivota. Durante o dia, brincavam, criando ondas,
Miguel Esteves Cardoso, www.publico.pt, consultado em sulcando a terra, molhando os pastos. Mas chegada a
22/3/2014 (adaptado) noite, recolhiam-se junto da gaivota que zelava por
234 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano
eles. Mas uma noite, achando-se já suficientemente
Faixa 9
crescidos para correr mundo, os três irmãos combinaram
Unidade 1 – subunidade 2, pág. 90
que na manhã seguinte, mal acordassem, se fariam ao
Promoção Despereaux (trailer)
caminho. E assim aconteceu.
O Guadiana foi o primeiro a acordar e, com muita (Narrador) Numa aldeia, por baixo de um castelo,
calma, começou a serpentear por entre as terras do nasceu um ratinho chamado Despereaux.
Alentejo e do Algarve. – Oh, é tão pequenino! E olhem para aquelas
O Tejo dormiu mais um pouco, mas quando viu que orelhas!
o irmão Guadiana lhe tinha tomado a dianteira, Mas um bom rato tem muito que aprender.
apressou-se e começou a cavar, por entre montes e [Na escola]
vales, o seu leito, nas terras da Lezíria. – Estão preparados? [A professora mostra queijo.]
O Douro, que sempre foi o mais dorminhoco, – Oooh!
acordou já o sol ia alto. Ao ver-se sozinho, pressentiu – Isso. Excelente.
que ia perder a corrida. Foi então que, com quanta [A professora mostra uma faca, os alunos gritam e
força tinha, começou a rasgar a terra, a pedra e todo e baixam-se, menos Despereaux.]
qualquer obstáculo, até que, numa enorme fúria, Depois há uma atitude certa... e uma atitude errada.
conseguiu chegar ao mar. [A professora e Despereaux]
São «Histórias assim mesmo». – Não te assustaste.
http://www.rtp.pt/play/p645/e176807/historias-assim- – Parece uma espada.
mesmo, consultado em 15/03/2016 – É uma faca de trinchar.
– É... belíssima.
Mas Despereaux só gosta de fazer as coisas...
Faixa 8 – Despereaux, não faças isso!
Unidade 1 – subunidade 2, pág. 81 ... à sua maneira.
Histórias [Despereaux] - Ha, ha!
[Mentor] - Oh, Despereaux, há tanta coisa
Confundindo histórias maravilhosa na vida de que ter medo. Só tens de saber
– Era uma vez uma menina que se chamava como são assustadoras.
Capuchinho Amarelo. Num mundo onde o medo é a regra...
– Não, Vermelho. [Despereaux] - Só por um segundo, tenta ser
– Ah, sim, Capuchinho Vermelho. A mãe chamou-a corajoso...
e disse-lhe: Ouve, Capuchinho Verde... [Amigo] - Uau, isto é mau...
– Mas não, Vermelho! ... ele é a exceção.
– Ah, sim. Vermelho. Vai a casa da tia Diomira e – Oh, não.
leva-lhe estas cascas de batata. [Gritos, ação... Princesa e Despereaux]
– Não: Vai a casa da avó e leva-lhe esta torta. – És uma ratazana?
– Está bem: A menina meteu-se pelo bosque e – Não.
encontrou uma girafa. – Um rato?
– Que confusão! Encontrou um lobo, não uma – Sou um cavalheiro.
girafa. [Mais ação...]
– E o lobo perguntou-lhe: Quanto é seis vezes oito? [Amigo] - Não podes falar com humanos! Vão
– Nada disso. O lobo perguntou-lhe: Onde vais? atirar-te para as masmorras! Vais ser comido pelas
– Tens razão. E o Capuchinho Negro respondeu... ratazanas!
– Era vermelho, vermelho, Capuchinho Vermelho! [Gritos. Medo. Ação...]
– Pois, e respondeu: Vou ao mercado comprar A lenda de Despereaux.
molho de tomate. [Na escola. Diretor e pais.]
– Nem por sombras: Vou a casa da avozinha, que – Não se assustou. Não se assustou. Não quis
está doente, mas perdi-me. correr. Ah, está aqui uma: desenhou gatos no caderno
– Exato. E o cavalo disse.. da escola.
– Qual cavalo? Era um lobo. [Pai] - Não!
– Certo. E disse assim: Toma o autocarro número [Mãe] - Oh!
setenta e cinco, desce na praça da Catedral, volta à [Pai] - Gatos!
direita, encontrarás três degraus e uma moeda no chão, [Mãe] - Não posso crer!
deixa estar os três degraus, arrecada a moeda e compra – Lamento, mas sim. E deu-lhe nome: Fofinho.
uma pastilha elástica. [Pai] - Oh!
– Avô, tu não sabes realmente contar histórias, [Princesa e Despereaux]
confunde-las todas. Mas a pastilha elástica vou comprá- – És um ratinho muito estranho.
-la na mesma. – Obrigado.
– Está bem, toma o dinheiro. Brevemente nos cinemas.
E o avô voltou ao seu jornal.
https://www.youtube.com/watch?v=P4a1kV2kvQw,
Gianni Rodari, Novas histórias ao telefone, consultado em 15/03/2016
Teorema, 2007, pp.87 - 88

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 235


Faixa 10 Peter – (prontamente, um pouco abatido) Não é nada.
Unidade 1 – Subunidade 2, pág. 97 Wendy – (amavelmente) Quero dizer, é isso que se
Uma história que começa pelo fim escreve nas cartas?
(Ver manual) Peter – (com desdém) Nunca recebo cartas.
Wendy – Mas a tua mãe recebe cartas, não?
Faixa 11 Peter – (com frieza e naturalidade) Não tenho mãe.
Unidade 1 – subunidade 3, pág. 104 Wendy – (triste e emocionada) – Oh Peter, não admira
A obra infantojuvenil de Sophia de Mello Breyner que estivesses a chorar!
Andresen Peter – (indignado) Eu não estava a chorar por causa
das mães. Estava a chorar porque não consigo colar a
Começou a escrever para crianças quando os filhos
minha sombra no sítio. Aliás, não estava a chorar.
tiveram sarampo. «Os meus contos infantis surgiram
Wendy – Soltou-se, foi?
quando os meus filhos tiveram sarampo e tinham de
Peter – Foi.
estar quietos», contou Sophia de Mello Breyner
Wendy – Está ali, já a vi. Está no chão, toda
Andresen numa entrevista de 1986. O motivo que levou
enxovalhada! Que desgraça! Mas olha! (com tom
a poetisa a entrar no mundo da literatura infantil foi tão
gozão) Tentaste colá-la com sabonete? É mesmo coisa
simples quanto isto. Os filhos cresceram, o número de
de rapaz! (com tom protetor) Temos que a coser.
livros para crianças também.
Peter – O que é coser?
Sophia podia ter pegado em contos infantis de outros
Wendy – És mesmo ignorante.
autores para sossegar os filhos. Tentou, mas não ficou
Peter – Não sou, não senhor.
satisfeita. «Comecei a ficar muito irritada com as histórias
Wendy – Deixa estar que eu coso-ta, homenzinho
que lia. Primeiro, com a linguagem sentimental, com a
pequeno. É capaz de doer um bocadinho.
linguagem “ta-ti-bi-ta-te”», explicou na mesma entrevista.
Peter – Oh, eu NÃO choro.
Assim nasceram A Fada Oriana, A Floresta, O Rapaz de
Wendy – Já está, talvez a devesse ter passado a ferro
Bronze e O Cavaleiro da Dinamarca, alguns dos títulos que
ainda está um bocadinho amarrotada.
lhe valeram prémios nacionais e internacionais.
Peter – (gabarolas, ignorando Wendy, convencido de
O primeiro livro infantil escrito pela autora foi A
que ele é que tinha resolvido o problema) Que esperto
Menina do Mar, em 1958. Nessa altura, o seu filho mais
que eu sou. Que esperteza a minha.
velho tinha seis anos. Sophia inspirou-se numa história
Wendy – (chocada) Que presunção a tua! Até parece
que a sua mãe lhe tinha contado em pequena sobre
que foste tu a resolver o problema! (sarcástica) Eu não
uma menina que vivia nas rochas, provavelmente na
fiz nada, está visto!
praia da Granja, no distrito do Porto, onde passava o
Peter – (distraidamente) Fizeste alguma coisa.
verão.
Wendy – (furiosa) Alguma coisa! Nesse caso, se não sirvo
http://observador.pt/2014/07/02/ (texto adaptado) para nada, vou voltar para debaixo dos cobertores. Adeus!
Baseado em J. M. Barrie, Peter Pan, Lisboa, Relógio D’Água
Editores, 1993, pp. 31-33
Faixa 12
Unidade 1 – subunidade 3, pág. 108
O Menino-Estrela Faixa 14
(Ver manual) Unidade 2, pág. 115
As fadas
(Ver manual)
Faixa 13
Unidade 1 – subunidade 3, pág. 115
Peter Pan Faixa 15
Unidade 2, pág. 153
Uma voz - Os soluços de Peter Pan acordaram Wendy,
Aquarela
que se endireitou na cama. Não ficou alarmada por ver
(Ver manuall)
um estranho a chorar no chão do quarto; ficou apenas
agradavelmente interessada.
Wendy – (educadamente) Rapaz, por que é que estás
Faixa 16
a chorar?
Unidade 2, pág. 168
Peter – (educadamente, mas com o exagero, de quem
Biografia de Fernando Pessoa
não está habituado a grandes formalidades)
Como é que te chamas? Ia começar o verão de 1888 quando, a 13 de junho,
Wendy – (com orgulho) Wendy Moira Angela Darling. nasceu em Lisboa um menino a quem deram o nome de
E tu, como te chamas? Fernando António, porque tinha nascido no dia de
Peter – Peter Pan. Santo António. Perto do prédio onde morava, havia
Wendy – Só Peter Pan, mais nada? uma igreja, a Igreja dos Mártires, cujos sinos Fernando
Peter – (com maus modos) Só. Pessoa ouvia tocar quando era pequeno. Muito mais
Wendy – Desculpa. tarde, Fernando lembrava-se do som desses sinos e
Peter – (com algum desagrado) Não faz mal. descrevia-o num poema.
Wendy – Onde é que vives? O pai era o senhor Joaquim Pessoa e a mãe a senhora
Peter – Vira-se na segunda à direita, e depois segue-se dona Madalena Pessoa, que gostavam muito de música:
sempre em frente até ser de manhã. o pai era crítico musical e a mãe tocava piano. Moravam
Wendy – (com espanto e alguma desconfiança) no Chiado, em frente do Teatro Nacional de São Carlos,
Que morada mais esquisita! onde, naquela época, aconteciam os grandes espetáculos

236 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


musicais. Fernando cresceu ouvindo a mãe a tocar piano Faixa 17
e a ler. Escreveu o seu primeiro poema quando tinha sete Unidade 3, pág. 182
anos e dedicou-o à sua mãe. Factos históricos da Batalha de S. Mamede
O casal Pessoa teve depois outro filho, que morreu
D. Afonso Henriques, o Conquistador, foi o primeiro
quando ainda era pequeno. Também o senhor Joaquim
rei de Portugal.
Pessoa morreu muito cedo, pois adoeceu com
O seu pai, D. Henrique de Borgonha, era um forte
tuberculose, uma doença muito grave para a qual, guerreiro que conquistou muitos territórios aos mouros
naquele tempo, não havia remédios. O filho ficou a e recebeu o Condado Portucalense quando casou com
viver com a mãe, a avó e as criadas. Todos gostavam D. Teresa, a mãe de D. Afonso Henriques.
muito dele, mas ele estava sozinho, sem outros A educação do jovem foi entregue pelo conde
meninos para brincar, e começou a inventar amigos D. Henrique, pouco antes de morrer, a Egas Moniz. Este
com quem conversava. aceitou o desafio e, a partir de então, passou a
Passado algum tempo, a mãe voltou a casar com acompanhar D. Afonso Henriques para todo o lado.
um senhor que trabalhava longe, em África, e teve de ir Após a morte do seu marido, D. Teresa ficou a
viver para lá, levando o filho. Fizeram a viagem de barco governar o Condado Portucalense, que estava
até Durban, na África do Sul. Esta primeira viagem de dependente do rei de Leão e Castela. O filho, Afonso,
navio foi uma experiência muito importante para tinha apenas três anos e não podia assumir o cargo.
Fernando e serviu para mais tarde escrever alguns dos No entanto, a amizade entre D. Teresa e o fidalgo
seus poemas. galego, seu amigo, Fernão Peres de Trava, desagradava
Durban era muito diferente de Lisboa, onde aos Portucalenses, pois temiam que o condado
Fernando vivera: grandes espaços, casas com jardim em acabasse por ser entregue aos Galegos.
volta, e o mar, o Oceano Índico, também muito À medida que crescia, D. Afonso Henriques foi-se
diferente do rio Tejo, que banha Lisboa. Foi em Durban apercebendo deste descontentamento e receava que a
que Fernando foi para a escola e aprendeu a escrever e mãe se deixasse influenciar demasiado pelo fidalgo
a falar inglês. Era muito bom aluno e os professores galego. Mas esta reagia mal às preocupações do filho,
lembrando-lhe que era ela quem governava.
gostavam deste menino tão interessado nos estudos.
D. Afonso Henriques estava convencido de que a
Entretanto, a sua mãe teve mais filhos e Fernando
intenção dos galegos era a conquista do Condado
passou a ter companheiros para a suas partidas e
Portucalense e não sabia o que fazer. A ideia de
brincadeiras em casa. Porém, continuou sempre a enfrentar a mãe como um inimigo não o deixava
escrever as histórias que inventava para se distrair com satisfeito, mas não encontrava mais alternativas.
os irmãos mais novos. Mascaravam-se e faziam peças No entanto, antes de se tornar um homem de
de teatro para os pais e amigos. armas, tinha de ser armado cavaleiro. Na Catedral de
Mais tarde, a família vem a Portugal de férias e vai Zamora, D. Afonso Henriques pegou numa espada e,
passar uns tempos aos Açores, onde vivia uma parte dos pelas suas próprias mãos, armou-se cavaleiro.
parentes. É nos Açores, em Angra do Heroísmo, que O receio de perder o Condado Portucalense
Fernando começa a fazer um jornal com o seu primo aumentava e D. Afonso Henriques jamais poderia
Mário. O jornal chamava-se A Batalha e eles inventaram permitir que isso acontecesse.
um nome para o seu diretor que era o Dr. Pancrácio. Decidiu, então, não adiar mais a situação e dirigiu-
Durante todos estes anos, Fernando foi inventando -se aos seus apoiantes:
amigos e escritores imaginários e escrevia em nome – Meus amigos, não podemos deixar que o nosso
deles. O primeiro a ser inventado foi o Chevalier de Pas. condado corra o risco de ser dominado por nobres
Assim continuou pela vida fora a inventar nomes para galegos. Vamos ter de os enfrentar, custe o que custar.
dar aos autores dos poemas que escrevia, como se À luta, companheiros!
esses poemas fossem escritos por outras pessoas. D. Afonso percebeu, de imediato, que estes homens
Álvaro de Campos, Alberto Caeiro e Ricardo Reis são ansiavam por alguém que lhes propusesse um desafio
nomes de poetas inventados por Fernando Pessoa, com como este. Todos o apoiaram e, sem qualquer
hesitação, prepararam cavalos e armas, e desenharam
vidas também inventadas por ele.
uma estratégia de ataque.
Fernando Pessoa terminou o liceu em Durban e depois
Esta decisão foi levada ao conhecimento de D. Teresa
veio para Lisboa, para a Universidade, continuar os
e de todos os que a apoiavam. Fernão Peres de Trava
estudos. Mas o que ele mais gostava de fazer era escrever incentivou-a, dizendo:
e ler, e depressa deixou a faculdade para começar a sua – Tem de defender os seus interesses. Não tenha
própria editora. Como a avó tinha, entretanto, morrido e qualquer receio. Em tudo, estaremos consigo!
lhe tinha deixado como herança uma quantia importante, – Fernão, dirija a preparação deste confronto.
decidiu comprar uma tipografia a que chamou Íbis, para Confio em si – respondeu D. Teresa.
publicar os livros de que gostava. Íbis é também o título de No início do verão de 1128, os dois exércitos
um poema que Fernando Pessoa escreveu: defrontaram-se num campo de batalha que ficava
muito próximo de Guimarães.
A Íbis
D. Afonso Henriques liderou os seus homens de uma
A Íbis, a ave do Egito forma determinante. A sua motivação fez com que ele
Pousa sempre sobre um pé orientasse tudo e todos sem qualquer receio, tornando-se
O que é o grande vencedor da Batalha de S. Mamede.
Esquisito. Ana Oom, D. Afonso Henriques, Lisboa, Zero a Oito,
É uma ave sossegada, 2015 (adaptado)
Porque assim não anda nada.
Manuela Júdice, O meu primeiro Fernando Pessoa,
Lisboa, Dom Quixote, 2006 (adaptado)

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 237


Faixa 18 P – O que é mais difícil de fazer na apresentação de um
Unidade 3, pág. 182 telejornal?
Batalha de S. Mamede CS – O que é mais difícil? Ai, o que é mais difícil... Se
(Ver manual) calhar estes momentos de que eu estava a falar com
ele, de imprevisto, em que nós não estamos a contar
que uma coisa aconteça, ela acontece e nós… temos
Faixa 19 que saber transmitir tudo direitinho, certinho, sem
Unidade 4, pág. 182 erros para as pessoas que estão lá em casa. Há uma
Notícia sobre Telma Monteiro coisa fundamental no jornalismo, é que nós não nunca
podemos quebrar a confiança que as pessoas têm em
Telma Monteiro venceu hoje a categoria de -57 kg
nós e a credibilidade que nós temos. Quando isso
do Grand Slam de Paris em judo, repetindo o feito
acontece é muito mau porque às vezes são anos de
alcançado em 2012. A judoca do Benfica, quarta do
trabalho que se destroem em poucos minutos.
ranking mundial, venceu, na final, a mongol Sumiya
P (omissa) – Como é que se prepara?
Dorjsuren. O Grand Slam de Paris, disputado no
CS – Eu quando chego já sei quais são os temas que
Pavilhão Paris-Bercy, é considerado uma das provas
vamos ter no noticiário e então, se há alguma coisa que
mais importantes do judo mundial. A atleta de 29 anos
eu não saiba muito bem, eu vou estudar, eu vou ler
fez um balanço «muito positivo» do Grand Slam de
jornais, eu vou perguntar a quem sabe. Se eu tenho
Paris, ainda que considere que «não estava na melhor
uma entrevista de economia para fazer, que é uma área
forma», lembrando que «é sempre uma competição
mais específica, eu vou perguntar ao José Gomes
muito importante, uma das mais importantes do
Ferreira, não é? Se eu tenho uma entrevista de política
mundo e é sempre bom ganhar».
mais difícil, vou ter com os meus colegas da política ou
http://www.rtp.pt/noticias/judo/telma-monteiro-medalha-de- telefono ao Ricardo Costa, que é meu amigo, que é o
ouro-em-paris_d866797, consultado em 8/12/2015 (adaptado) diretor do «Expresso», e ele também me ajuda nessa
preparação. E acima de tudo preparo-me, não só na
internet, nos jornais, portanto, lendo muito, também
Unidade 4, pág. 198 recuperando muitas coisas que sei, que tenho na
Entrevista a Clara de Sousa memória, como perguntando a colegas meus.
P – Quando é que surgiu o seu interesse pelo P – Já lhe deu algum ataque de riso ao dar uma notícia?
jornalismo? CS – Já me deu um ataque de riso, já tive dois ataques
Clara de Sousa (CS) – O jornalismo só pelo jornalismo? Eu de riso a dar notícias. O último já deves tê-lo visto no
tive sempre… os interesses (eram) muito diversificados. «Youtube», não é? Não? Com o Rodrigo, a dizer os
Por que eu, se por um lado eu estava estudar para ser nomes do Khadafi... Não? Pronto. Isso foi há uns 4 ou 5
professora de português e de inglês, ao mesmo tempo anos... que o Rodrigo estava a dizer os nomes do... as
também já estava na rádio. E tanto fazia programas de várias formas de dizer o nome do Khadafi e eu – não sei
música, de entretenimento, como fazia informação. E porquê, não consigo explicar porquê, porque eu nem
gostava. O meu problema às vezes é escolher porque eu... sou de andar a rir-me quando estou no estúdio –, mas
há muitas coisas que eu gosto de fazer e escolher aquela naquele dia deu-me um ataque de riso, eu não
que é mais importante acaba por ser muito difícil, e no conseguia parar de rir, não conseguia... eu estava a
meu caso... o que resultou foi... quando eu fui convidada tentar e não conseguia.
para ser diretora de informação de uma rádio onde eu http://visao.sapo.pt/visaojunior/temas/reporterjunior/viagem
estava, eu não tive outra alternativa senão dedicar-me -ao-outro-lado-da-tv=f768829, consultado em 15/03/2016
apenas ao jornalismo, e qualquer diretor de informação
tem de pedir a carteira de jornalista e, a partir do
momento em que tem a carteira de jornalista e é
profissional, já não pode fazer as outras coisas que eu fazia.

238 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Transcrições
Testes de compreensão do oral
CD – Faixa 21 Esse livro, dos Irmãos Grimm, chama-se Contos da
Teste 1 – Unidade de diagnóstico Infância e do Lar e é, ainda hoje, a obra de língua alemã
«Leitura Digital» (Rádio Renascença) mais traduzida e editada em todo o mundo.
Agora, pela primeira vez, os contos de Grimm têm em
Consultar livros da biblioteca através de um telemóvel
Portugal uma edição completa. Ao todo são duzentas
ou de um tablet, paredes forradas com posters com
histórias e uma dezena de lendas religiosas infantis,
códigos que dão acesso a informação sobre escritores,
acompanhadas pelas notas do livro original dos Irmãos
é uma realidade diária na Escola Básica e Secundária de
Grimm. Uma edição que, tal como a original de há
Vila Cova, em Barcelos. Este estabelecimento de ensino
duzentos anos, se reparte por três volumes, de que acaba
recebe esta sexta-feira o Prémio Escolar Montepio pelo
de sair o primeiro.
seu projeto educativo de leitura digital, um projeto que
A intenção original deste livro não era, de modo
Isabel Pacheco foi conhecer.
nenhum, fazer dele um livro de histórias para crianças.
Na Escola Básica e Secundária de Vila Cova, em
Só em edições posteriores os autores desta recolha
Barcelos, há escritores espalhados pelos corredores. Na
etnográfica se preocuparam em adequar os contos à
entrada, é Sophia de Mello Breyner, Saramago e Pessoa
sensibilidade infantil. Mas o objetivo dos Grimm foi
quem nos dão as boas-vindas. Mais à frente, nas
também o de captarem aquilo que consideravam ser a
paredes das escadas para o primeiro piso, encontramos
verdadeira essência [poética] dos contos.
pintada uma prateleira de livros virtual: «Temos aqui
Do que não há dúvidas é que, sem eles, histórias
uma estante virtual. Temos só as lombadas de livros e a
que hoje qualquer criança conhece, de uma forma ou
partir destas lombadas nós temos embutidos QR-codes.
de outra, estariam provavelmente perdidas, nunca
Esses QR-codes permitem naturalmente o acesso, quer a e-
teriam chegado até nós. Não é despropositado,
books quer a outras informações sobre os escritores,
portanto chamar a estes Contos da Infância e do Lar, «O
porque cada um, naturalmente, está sinalizado com o
tesouro dos Irmãos Grimm».
nome e a partir daí nós podemos ter acesso a um conjunto
O Livro do Dia TSF é Contos da Infância e do Lar, dos
grande de informações e não é necessário já ir à biblioteca
Irmãos Grimm.
para requisitar um livro.» «Temos Jorge de Sena, temos
vários, podemos ir subindo e podemos ir vendo, temos ali http://www.tsf.pt/programa/o-livro-do-dia/emissao/contos-
Eça de Queirós, Florbela Espanca...» Juntam-se Almada da-infancia-e-do-lar-dos-irmaos-grimm-2365250.html,
Negreiros, António Lobo Antunes, Mário de Sá-Carneiro, consultado em 15/03/2016
Miguel Torga ou Camilo Castelo Branco. Todos à mão de
quem os quiser apanhar. «... Antero, valter hugo mãe...»
Paulo Faria é professor e responsável pelo projeto que, CD – Faixa 23
em 2011, quis juntar o digital [à] leitura e transformar Teste 3 – Unidade 1, sub. 2
os smartphones e tablets em amigos dos livros, que, na Programa Histórias assim mesmo, «A lenda
biblioteca da escola, são requisitados, não um a um, do encanto dos carvões» (Antena 1)
mas duzentos de cada vez, tudo graças aos e-readers,
Reza a lenda que, há muitos, muitos anos, uma
equipamentos informáticos para a leitura digital. «Bom,
menina que pastoreava as ovelhas foi surpreendida por
a ideia é, exatamente, que eles se possam perder e que
uma moura encantada. A menina trazia um cesto e a
possam, sobretudo, escolher. É uma educação, muito…
moura encheu-lhe o cesto com carvões. Depois, tapou-
que eu defendo, muito para o sentido crítico e para o
-o com um pano e disse à menina para não o destapar
espírito crítico. Em vez de levar o livro para casa, ter o
até chegar a casa. A menina correu para casa, mas a
livro uma semana e dizer que não gosta, eventualmente
meio caminho não aguentou a curiosidade e espreitou
eu posso fazer uma pesquisa ou posso aprofundar... ou
para dentro do cesto. Ao ver que eram carvões, a
chegar mais depressa ao meu gosto.» Um projeto que
menina despejou o conteúdo e seguiu caminho. Ao
já valeu a distinção da Gulbenkian e que se prepara
chegar a casa, pousou o cesto, mas, quando a mãe da
para receber o Prémio Escolar Montepio 2015, 35 mil
menina o foi limpar, descobriu minúsculas pepitas de
euros que têm já destino: alargar o projeto à literatura
ouro no fundo do cesto. O carvão estava encantado e
científica.
ter-se-ia transformado em ouro, mas a curiosidade da
http://pt.cision.com/cp2013/clippingdetails.aspx?id=d6b674d menina deitou a fortuna a perder.
d-7cb3-4635-87be-71a8692cefc1&userId=4737BBCC-35B0- São «Histórias assim mesmo».
48E3-ABA9-1F976A90591A, consultado em 15/03/2016
http://ensina.rtp.pt/artigo/lenda-dos-carvoes/,
consultado em 15/03/2016
CD – Faixa 22
Teste 2 – Unidade 1, sub. 1
Programa Livro do dia, «Contos da Infância e do Lar, CD – Faixa 24
dos Irmãos Grimm» (TSF) Teste 4 – Unidade 1, sub. 3
«Floresta submersa é a nova atração do Oceanário de
Evidentemente toda a gente conhece as histórias da
Lisboa» (SIC Notícias)
Bela Adormecida, da Branca de Neve ou da Gata
Borralheira. Muitos, no entanto, provavelmente, só as No Oceanário de Lisboa a floresta tropical está
conhecem pelos filmes de Walt Disney. O que talvez pouca mergulhada num espaço de 40 metros, preenchido por
gente saiba é que essas e muitas outras histórias 160 mil litros de água. Um aquário natural, obra do
igualmente famosas foram publicadas, todas, há artista japonês Takashi Amano… chamou-lhe «florestas
exatamente duzentos anos. E todas no mesmo livro. submersas». A recriação da Natureza trouxe espécies
de todo o mundo: rocha vulcânica dos Açores, troncos

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 239


da Escócia e da Malásia, milhares de peixes tropicais e A bela erva-luísa
plantas aquáticas. veio para servir o chá
[Patrícia Filipe – diretora de comunicação de como é toda perfumada
Oceanário] – Quisemos trazer as florestas tropicais, mas que belo jeito me dá.
numa perspetiva única, ou seja, numa perspetiva
afundada, através desta arte de criar Natureza do Diga-me lá, D. Rosa,
senhor Takashi Amano, afundando estes ecossistemas, se mais perfumes deseja.
mostrando toda a sua exuberância, de uma forma única Haverá um casamento
que as pessoas não esperam observar e visitar. Que mais perfumado seja?
Através de técnicas de jardinagem japonesa, a
Alice Vieira, Eu bem vi nascer o sol, «Casamento perfumado»
plantação cresce e a paisagem muda ao longo do
tempo. Não é só o maior aquário natural alguma vez
criado, é único no mundo. CD – Faixa 26
[Visitante 1] – A Natureza do Brasil é belíssima, o Teste 6 – Unidade 3
Brasil é um país tropical, mas a gente não teve ainda Programa Teatro de bolso, «Boca aberta – histórias
uma reprodução artística como essa. para crianças, no salão nobre do Teatro Nacional
A exposição é acompanhada por uma banda sonora D. Maria II» (TSF)
original do músico Rodrigo Leão.
[Visitante 2] – Tem um conjunto de sons, de Jornalista 1 – Todos os sábados do mês de novembro
situações, que o aquário transmite, mesmo, é mesmo há histórias para crianças no salão nobre do Teatro
isto, é a paz interior, é estar em contacto com a Nacional D. Maria II. O primeiro espetáculo é já no
Natureza estando cá fora, mas ver o mundo dentro do próximo sábado, mas primeiro podemos trazer
aquário. almofadas para o Teatro de bolso na TSF. José Carlos
A nova atração do Oceanário de Lisboa chamou a Barreto…
atenção do órgãos de comunicação social japoneses. Jornalista 2 – Muito boa tarde. – Hoje no Teatro de
Inaugurada esta semana, está aberta ao público bolso estamos no salão nobre, do Teatro Nacional D.
durante dois anos e meio. Maria II, vamos ouvir Boca aberta. É um projeto de Inês
Fonseca Santos e Maria João Cruz, um projeto para
http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2015-04-23-Floresta-submersa- crianças, que vai ter a encenação de Catarina Requeijo.
e-a-nova-atracao-do-Oceanario-de-Lisboa,
Olá… muito boa tarde... Catarina.
consultado em 15/03/2016
Encenadora – Boa tarde.
Jornalista 2 – Estou a falar de espetáculos, que não vão
ser espetáculos, digamos que, num palco, à Italiana,
mas vão ser espetáculos com leitura. O que é isto da
CD – Faixa 25
Boca aberta?
Teste 5 – Unidade 2
Encenadora – Boca aberta é como nós esperamos que
«Casamento perfumado», de Alice Vieira
fiquem os espetadores depois de verem estes
Queria certa donzela espetáculos. Chamamos-lhes leituras, mas nenhum ator
de olfato bem apurado vai estar a ler. Portanto, tem toda a dimensão de um
que o seu casamento fosse espetáculo. O investimento dos atores é igual ao de um
de sempre o mais perfumado. espetáculo. São histórias contadas, mas contadas com o
corpo todo…
Seu nome era Rosa Branca Jornalista 2 – São histórias, ou melhor, são textos que
Cravo Vermelho seu noivo trazem histórias, muitos do Plano Nacional de Leitura,
madrinha, D. Açucena, mas não só!
padrinho, o senhor D. Goivo. Encenadora – Não só. Uma preocupação que as
escritoras tiveram foi de incluir alguns textos do Plano
Sua grinalda enfeitou Nacional de Leitura, mas também de abrir a perspetiva,
com folhas de laranjeira visto que o espetáculo também vai ser apresentado a
e na sua mão levou escolas, a jardins de infância… de abrir às educadoras a
um ramo de erva cidreira. perspetiva de outros textos e de outras histórias que
que pudessem dar aos alunos.
Seus pajens, os manjericos; […]
violetas, suas aias, Jornalista 2 – Estamos a falar de espetáculos durante
seu pai, o senhor Junquilho todos os sábados […] de novembro. Espetáculos para as
Madre Silva em lindas saias. famílias e as crianças dos 3 aos 6 anos. É esta a faixa
etária? Por alguma razão especial?
Encenadora – O espetáculo foi desenhado. O objetivo
Veio dizer a cozinheira
primordial era fazê-lo chegar às escolas, aos jardins de
que ia tudo perfumar:
infância, daí dos 3 aos 6 anos. Eu aconselho a trazerem
«trago salsa e hortelã»
crianças um bocadinho mais velhas, porque elas vão
para pôr no jantar.
gostar. Acho que até aos 90 vão gostar destas histórias.
[…] A ideia é recuperar esse ato de ouvir uma história
Que belo aroma que dão bem contada!
a canela e o coco
Jornalista 2 – Bem, Catarina Requeijo, este primeiro
para perfumar os bolos espetáculo chama-se «Isto é mesmo um bicho?» É…
eu vou juntar vinho do Porto.
uma pergunta? Que espetáculo vai ser este primeiro
240 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano
que abre estes sábados, aqui no Teatro Nacional Dados recolhidos pela Missão Reciclagem.
D. Maria II. – Leiria está claramente à frente, o país tem mais ou
Encenadora – É mesmo uma pergunta, é para ficar a menos 69% de separadores no território nacional, mas
dúvida, «Isto é mesmo um bicho?» […] O que liga todo Leiria tem, por exemplo, 72% de separadores, o que faz
este espetáculo do... «Isto é mesmo um bicho?» é um com que nestes distritos se destaque... Santarém, por
texto que se chama «Ginástica animalástica», da Isabel exemplo, já só tem 63%, o distrito de Vila Real 69%
Muñoz Martins, com ilustrações do João Fazenda, em (está perfeitamente na média) e o distrito de Castelo
que há uma girafa que tem a ideia de abrir um ginásio e Branco está com 64% de separadores.
convida vários animais. Este é o alinhamento desta Mário Raposo, o diretor de marketing da Sociedade
leitura. Depois, aproveita-se para se colocar outros Ponto Verde sublinha que os números já têm destino:
textos de animas, como «A rainha das rãs» ou «A maior – O que vamos fazer com estes dados, o que tem
casa do mundo», que fala de um caracol. São histórias sido feito, é discutir com os próprios sistemas e, em
muito surpreendentes. conjunto com eles, encontrar ações locais que a
Jornalista 2 – E é precisamente por aí, pelo início deste Sociedade Ponto Verde possa comparticipar, puxando
espetáculo, que vamos começar também aqui o teatro pelos hábitos de separação de um ou outro material, ou
de bolso, com os atores Sandra Pereira e Vítor Yovani. até de todos os materiais de embalagem.
(Encenação para crianças) A Missão Reciclagem está a visitar dois milhões de
Ator (voz masculina) lares em Portugal, para ensinar a separar e oferecer
D. Girafa teve visão! Abriu o primeiro ginásio animalástico. ecopontos domésticos.
A primeira lição foi dada pela própria Girafa, óculos fundo Código Verde, uma iniciativa TSF/Green Project Awards,
de garrafa, capaz de esticar o pescoço até quase ao em parceria com a Sociedade Ponto Verde
infinito. – O plástico dava para fazer 7500 t-shirts.
Atriz (Girafa) – Reciclamos metal suficiente para produzir 450
Primeiro exercício: esticar o pescoço até o sentir longo… bicicletas.
longo como o das girafas. Imaginar uma árvore bem alta e – Por hora são recicladas tantas embalagens como
tentar chegar às suas folhas. Mastigar solenemente, o peso de 12 elefantes!
solenemente, de preferência de olhos fechados. Isto é o que reciclamos numa hora com a sua ajuda!
(som de mastigar folhas) Obrigado por reciclar!
Jornalista 2 – Este é o texto de abertura do espetáculo Sociedade Ponto Verde
deste sábado, do projeto Boca aberta. Todos os sábados à
http://www.tsf.pt/programa/codigo-verde/emissao/missao-
tarde, aqui no Teatro D. Maria II. reciclagem-4217651.html,
consultado em 15/03/2016

CD – Faixa 27
Teste 7 – Unidade 4
Programa Código Verde, «Missão reciclagem» (TSF)
Quais são os hábitos de reciclagem dos portugueses? A
Sociedade Ponto Verde responde:
– Até ao momento temos dados provisórios, temos
apenas quatro distritos apurados, digamos assim, – Leiria,
Santarém, Vila Real e Castelo Branco, – e já dá para
perceber que os hábitos são diferentes de região para
região, e, de facto, há regiões em que há mais separadores
e outras em que há menos.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 241


Notas

242 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Guia de exploração
de recursos multimédia

● Poupe tempo na preparação e dinamização das suas aulas.


● Diversifique abordagens, de acordo com as necessidades das suas turmas.
● Avalie de forma fácil e completa.
● Acompanhe e oriente o estudo dos seus alunos.
● Comunique com eficácia e rapidez.

O 20 Aula Digital online está dividido em quatro áreas principais:

Biblioteca - Aceda facilmente aos recursos digitais do seu projeto

Área onde estão disponíveis todos os projetos do grupo LeYa para a sua área
disciplinar e onde pode aceder aos diferentes componentes do projeto, aos
recursos digitais e a todos os documentos de apoio à prática letiva.

Acesso a todos os livros e recursos digitais.

Exercícios de avaliação interativos e em Word®, com ou sem


correção.

Sequências de recursos prontas a usar.

Materiais editáveis de apoio à prática letiva, organizados numa única


área.

Acesso direto à versão offline do seu projeto.

Os meus testes - Crie ou personalize testes

Ferramenta que permite introduzir questões e criar testes para posterior


exportação para Word® ou envio aos alunos, em formato interativo e com
correção automática.

As minhas aulas - Construa ou adapte sequências de recursos

Área onde podem ser criadas sequências de aprendizagem compostas pelos


recursos digitais disponibilizados nos projetos da editora e pelos recursos
próprios do Professor.

As minhas salas - Acompanhe o estudo dos seus alunos

Ferramenta de comunicação que permite criar grupos de alunos, enviar-lhes


testes ou trabalhos e acompanhar a sua realização.

Todos os projetos estão disponíveis em offline através de download, CD, Pen ou App.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 243


Como aceder?

Se ainda não é um utilizador das soluções LeYa Educação, registe-se acedendo a http://20.leya.com
e selecionando a opção «Ainda não é utilizador?»

Se já é utilizador das soluções LeYa Educação, aceda ao 20 Aula Digital com os seus dados de registo
(e-mail e palavra-passe).

Para mais informações, consulte o nosso site de suporte: http://suporte20.leyaeducacao.com/

244 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


DVD – Palavra Mágica

O projeto Palavra Mágica disponibiliza, em DVD, quatro adaptações de obras propostas para a
Educação Literária. Estas produções audiovisuais contam com um elenco de atores profissionais e
foram concebidas especialmente para o contexto pedagógico da disciplina de Português. Desta
forma, o aluno poderá ter uma visão geral das obras em questão.
Na versão de demonstração estará apenas disponível um excerto da adaptação da obra
A Fada Oriana, na plataforma .

A VIDA MÁGICA DA SEMENTINHA, ALVES REDOL (ADAPTAÇÃO)

O PRÍNCIPE NABO, ILSE LOSA (ADAPTAÇÃO)

A FADA ORIANA, SOPHIA DE M. BREYNER ANDRESEN (ADAPTAÇÃO)

A VIÚVA E O PAPAGAIO, VIRGINIA WOOLF (ADAPTAÇÃO)

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 245


– Palavra Mágica

O projeto Palavra Mágica apresenta também, através das novas tecnologias, uma ferramenta
de caráter inovador – o .O possibilita explorar facilmente todo o
projeto. Permite aceder a um vasto conjunto de conteúdos multimédia associados ao manual:
• áudios.
• vídeos;
• animação;
• imagens;
• apresentações em PowerPoint;
• documentos PDF (formato projetável e fotocopiável);
• links.

Este documento pode ser considerado uma proposta de exploração dos conteúdos multimédia
presentes na versão de demonstração (com a indicação das Metas Curriculares). Apresenta,
igualmente, as tipologias de recursos que estarão depois disponíveis no projeto, na plataforma
.

246 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Áudios (versão de demonstração)

Recursos multimédia que servem de apoio às atividades propostas no Manual e


complementam o estudo de vários textos. Todas as unidades são apoiadas por esta tipologia de
recursos.

Sugestões de
Página Recurso Metas
exploração

18 A raposa e a cegonha Oralidade


3. Produzir textos orais com diferentes • Ouvir o áudio e
finalidades e com coerência. realizar a atividade
3.1 Usar oportunamente a palavra, de proposta no manual
modo audível, com boa dicção e olhando como ponto de
para o interlocutor. partida para o estudo
3.2 Informar, explicar. do texto.

Educação Literária
20. Ler e interpretar textos literários.
20.1 Ler e ouvir ler textos da literatura
para crianças e jovens, da tradição
popular, e adaptações de clássicos.
20.5 Reconhecer a estrutura e elementos
constitutivos do texto narrativo:
personagens (principal e secundárias);
narrador; contextos temporal e espacial,
ação (situação inicial, desenvolvimento da
ação – peripécias, problemas e sua
resolução).
20.6 Compreender relações entre
personagens e entre acontecimentos.
20.7 Fazer inferências.
20.9 Distinguir, a partir de critérios dados,
os seguintes géneros: fábula e lenda.
20.10 Responder, de forma completa, a
questões sobre os textos.

26 A galinha dos ovos de ouro Educação Literária •


20. Ler e interpretar textos literários. • Utilizar o áudio, numa
20.1 Ler e ouvir ler textos da literatura primeira fase, para
para crianças e jovens, da tradição realizar a atividade
popular, e adaptações de clássicos. proposta no manual.
20.5 Reconhecer a estrutura e elementos
constitutivos do texto narrativo:
personagens (principal e secundárias);
narrador; contextos temporal e espacial,
ação (situação inicial, desenvolvimento da
ação – peripécias, problemas e sua
resolução).
20.6 Compreender relações entre
personagens e entre acontecimentos.
20.7 Fazer inferências.
20.9 Distinguir, a partir de critérios dados,
os seguintes géneros: fábula e lenda.
20.10 Responder, de forma completa, a
questões sobre os textos.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 247


Áudios (versão de demonstração)
Sugestões de
Página Recurso Metas
exploração

37 A cigarra e a formiga Oralidade


3. Produzir textos orais com diferentes • Ouvir o áudio e
finalidades e com coerência. realizar a atividade
3.1 Usar oportunamente a palavra, de proposta no manual.
modo audível, com boa dicção e olhando
para o interlocutor. • Estabelecer
3.2 Informar, explicar. comparações entre as
3.7 Usar um vocabulário adequado ao versões ouvidas.
assunto.

49 As andorinhas entre nós Oralidade


1. Interpretar textos orais breves. • Ouvir o áudio e
1.4 Distinguir informação essencial de realizar a atividade
acessória. proposta no manual.
1.5 Distinguir facto de opinião.

2. Utilizar procedimentos para registar • Identificar o assunto


e reter a informação. do texto ouvido.
2.2 Tomar notas.

248 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Vídeos (versão de demonstração)

Recurso multimédia útil para o desenvolvimento do domínio da Oralidade enquanto


documento-base para a compreensão e/ou expressão oral.

Sugestões de
Página Recurso Metas
exploração

18 Filme de animação Oralidade


For the birds 3. Produzir textos orais com diferentes • Utilizar o recurso
finalidades e com coerência. como forma de
3.1 Usar oportunamente a palavra, de explorar conteúdos
modo audível, com boa dicção e olhando relevantes em
para o interlocutor. análise.
3.2 Informar, explicar.

Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano 249


Animação (versão de demonstração)

Recurso multimédia útil para o desenvolvimento do domínio da Oralidade enquanto


documento-base para a compreensão e/ou expressão oral.

Sugestões de
Página Recurso Metas
exploração

70 De Pé de Moura a Educação Literária


Moura Morta 20. Ler e interpretar textos literários. • Utilizar a animação
20.1 Ler e ouvir ler textos da literatura como complemento à
para crianças e jovens, da tradição atividade proposta no
popular, e adaptações de clássicos. manual.
20.5 Reconhecer a estrutura e elementos
constitutivos do texto narrativo:
personagens (principal e secundárias);
narrador; contextos temporal e espacial,
ação (situação inicial, desenvolvimento da
ação – peripécias, problemas e sua
resolução).
20.6 Compreender relações entre
personagens e entre acontecimentos.
20.9 Distinguir, a partir de critérios dados,
os seguintes géneros: fábula e lenda.
20.10 Responder, de forma completa, a
questões sobre os textos.

250 Editável e fotocopiável © Texto | Palavra Mágica 5.o ano


Imagens (versão de demonstração)

Recursos multimédia projetáveis que servem de suporte a atividades propostas no Manual.

Sugestões de
Página Recurso Metas
exploração

37 Banda desenhada – Leitura e Escrita


A cigarra e a formiga 6. Ler textos diversos. • Utilizar o recurso
6.1 Ler textos narrativos, descritivos; como suporte
retrato, textos de enciclopédia e de à atividade proposta
dicionário, entrevistas, texto publicitário, no manual.
notícias, cartas.

11. Desenvolver o conhecimento da


ortografia.
11.1 Desenvolver e aperfeiçoar uma
caligrafia legível.
11.2 Explicitar e aplicar as regras
de ortografia e acentuação.

13. Redigir corretamente.


13.1 Respeitar as regras de ortografia
e de acentuação.
13.2 Aplicar regras de uso de sinais
de pontuação para representar tipos
de frase e movimentos sintáticos básicos
(enumeração, delimitação do vocativo,
encaixe, separação de orações).
13.3 Utilizar e marcar adequadamente
parágrafos.

14. Escrever textos narrativos.


14.1 Escrever pequenos textos,
integrando os elementos quem, quando,
onde, o quê, como, porquê e respeitando
uma sequência que contemple:
apresentação do cenário
(tempo e lugar) e das personagens;
acontecimento desencadeador da ação;
ação; conclusão; emoções ou sentimentos
provocados pelo desfecho da narrativa.

19. Rever textos escritos.