Você está na página 1de 43
R E L ATÓ R I O S U S T E N TA B
R E L ATÓ R I O S U S T E N TA B
R E L ATÓ R I O S U S T E N TA B

R E L ATÓ R I O

S U S T E N TA B I L I DA D E

D E

2 0 0 9

R E L ATÓ R I O S U S T E N TA B I
R E L ATÓ R I O S U S T E N TA B I

MISSÃO A Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês é uma Instituição Filantrópica brasileira que desenvolve ações integradas de assistência social, de saúde, de ensino e de pesquisa.

VISÃO Ser reconhecida internacionalmente pela excelência, liderança e pioneirismo em assistência à saúde e na geração de conhecimento, com responsabilidade social, ambiental e autossustentabilidade, atraindo e retendo talentos.

VALORES Calor Humano Conhecimento Excelência Filantropia Pioneirismo

“Nós trabalhamos como músicos de uma orquestra, e, para que nossa música nunca desafine, é vital que entendamos que a excelência no atendimento ao paciente é nossa razão de ser. É importante também que essa orquestra se harmonize com o desenvolvimento sustentável do País. Nossos projetos sociais estão alinhados às políticas públicas de saúde; nossos impactos econômicos e ambientais, voltados para a melhoria da qualidade de vida de toda a sociedade. É o compromisso com nossas metas de sustentabilidade que preconiza a perenidade e a responsabilidade socioambiental da instituição.”

Dr. Gonzalo Vecina Neto, Superintendente Corporativo

perenidade e a responsabilidade socioambiental da instituição.” Dr. Gonzalo Vecina Neto, Superintendente Corporativo
perenidade e a responsabilidade socioambiental da instituição.” Dr. Gonzalo Vecina Neto, Superintendente Corporativo
perenidade e a responsabilidade socioambiental da instituição.” Dr. Gonzalo Vecina Neto, Superintendente Corporativo
sumário A Sociedade Beneficente de Senhoras – H o s p i t a l

sumário

A Sociedade Beneficente de Senhoras –

Hospital

Sírio-Libanês

(SBSHSL)

06

Perfil da Organização

08

Mensagem da Presidência

09

Sobre o novo Relatório – Propósito, Escopo e Limite

10

Hospital Sírio-Libanês – o Exercício da Prática Médica de Excelência, o Ensino e a Pesquisa

12

Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP) –

Atualização, Aprimoramento Médico e Novas Descobertas na Saúde

18

Governança Corporativa

20

Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês (IRSSL)

26

Histórico dos 88 anos de existência da Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês

28

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e

Relações

Trabalhistas

30

Sociedade – Integração com Políticas Públicas de Saúde

32

Comunidade: Ambulatório de Pediatria Social e Abrace Seu Bairro – projetos para melhoria da realidade social local

42

para melhoria da realidade social local • 4 2 • G e s t ã o

Gestão das Relações Trabalhistas

 

44

Respeito aos Clientes e Conformidade de Produtos e Serviços

60

Responsabilidade Ambiental e Engajamento da

Cadeia

de

Fornecedores

 

64

GestãoAmbiental Responsável

66

Relação com a Cadeia de Fornecedores

71

Posição Financeira e Patrimonial em 2009

73

Teste de

Materialidade

 

74

Indicadores

de

Sustentabilidade

GRI

76

Tabela

Ibase

80

A Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês (SBSHSL)
A Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês (SBSHSL)

A Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês (SBSHSL)

Perfil da Organização

Perfil da Organização Somos uma entidade filantrópica com atuação nas áreas de assistência médica, social, ensino

Somos uma entidade filantrópica com atuação nas áreas de assistência médica, social, ensino e pesquisa. Com operações no Brasil, a Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês nasceu em 1921 com

a missão de retribuir o acolhimento dos brasileiros à comunidade sírio-libanesa.

A fundação de um hospital que atendesse a todas as

classes sociais foi idealizada por Dona Adma Jafet, fundadora da Sociedade Beneficente de Senhoras.

Em 1940, foi concluída a primeira estrutura física da instituição. Entretanto, antes de sua inauguração,

o governo requisitou o prédio para instalar a Escola Preparatória de Cadetes. Somente 16 anos depois ele foi restituído à Sociedade de Senhoras, graças

à perseverança de Dona Violeta Jafet, nossa atual Presidente Honorária, e o grande empenho do Sr. Lourenço Chohfi.

A dedicação de ambos foi recompensada em agosto

de 1965, ano em que inauguramos o Hospital sob a direção clínica do Dr. Daher Cutait, com o apoio de um

corpo clínico diferenciado, na sua maioria proveniente da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Nossa atividade médica assistencial está voltada aos pacientes encaminhados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), aos clientes particulares e aos pacientes de planos de saúde conveniados. Nossos projetos filantrópicos focados em atividades de ensino e pesquisa beneficiam profissionais de saúde ligados ao SUS. Nos projetos sociais, oferecemos assistência gratuita a pessoas em condições de vulnerabilidade social, devidamente identificadas por meio de triagens socioeconômicas realizadas por nossas equipes especializadas.

Hoje somos mencionados pela qualidade da assistência médica, pelos projetos de Pesquisa, pelas atividades de ensino e, singularmente, pelos projetos Filantrópicos desenvolvidos em parceria com as três esferas de governo e com a sociedade.

parceria com as três esferas de governo e com a sociedade. Colaboradores de várias áreas do

Colaboradores de várias áreas do Hospital Sírio-Libanês

8 Relatório de Sustentabilidade 2009

Mensagem da Presidência

A preocupação que temos com nossos impactos sociais e ambientais permeia todo nosso trabalho. Somos
A
preocupação que temos com nossos impactos sociais
e
ambientais permeia todo nosso trabalho. Somos
uma instituição de saúde com a missão diária de salvar
vidas e permitir que pessoas mantenham e continuem
construindo suas histórias e laços afetivos com o
mundo que as cerca. Contamos com equipes médica,
de profissionais de saúde e demais colaboradores que
garantem a qualidade desse atendimento diferenciado,
comprometido com a relação transparente e a
satisfação de todos com quem nos relacionamos.
E isso só é possível com o desenvolvimento incessante
de todos que participam desse trabalho. Por essa
razão, apostamos nas relações de longo prazo com
nossos médicos e colaboradores, disponibilizando
diversas oportunidades para manter sua excelência na
qualidade e no aprimoramento de suas habilidades
instrumentais e humanas.
Nossa estratégia para os próximos anos é a
sustentabilidade desses princípios. Queremos aumentar
nossos projetos em parceria com o poder público,
ampliar as ações de melhoria na gestão de resíduos
e práticas que reduzam nosso impacto ambiental e
desenvolver a ciência médica para sua permanente
evolução, atraindo e retendo talentos que nos ajudem
a cumprir esse propósito.
Este Relatório de Sustentabilidade disseca esse
trabalho, a fim de que todos possam visualizar essa
construção em nome de uma sociedade sustentável,
com responsabilidade social, ambiental, econômica
e individual. Hoje vivemos em um mundo em
permanente mudança; queremos fazer parte dos que
estão aqui para mudá-lo para melhor, sempre.
Ivette Rizkallah
Presidente da Sociedade Beneficente de Senhoras –
Hospital Sírio-Libanês
Dr. Gonzalo Vecina Neto
Superintendente Corporativo

O ano de 2009 foi notadamente marcado pela

consolidação de nossos projetos filantrópicos em parceria com o Ministério da Saúde e pelos investimentos na expansão de nossas atividades assistenciais.

Por meio de nossos projetos filantrópicos, investimos cerca de R$ 61 milhões em 19 projetos cujo principal objetivo é apoiar o desenvolvimento institucional do Sistema Único de Saúde (SUS), para que ofereça maior acesso e mais qualidade na assistência médica a toda a sociedade brasileira. Em sua gênese, buscam reduzir a desigualdade social e a pobreza em nosso país.

Outro destaque é nosso projeto de expansão, dividido em várias fases, que reforça a importância que damos

à contínua melhoria e qualidade no atendimento de

nossos clientes. Já inauguramos os novos Centro de Diagnósticos, UTI e Pronto-Atendimento, e estamos concluindo as obras do novo Centro Cirúrgico, do Hospital Dia e iniciando as obras da nova unidade na Rua Joaquim Floriano, no Itaim Bibi, em São Paulo.

A conclusão desse projeto está prevista para 2013, com a construção da nova torre praticamente duplicando nossa atual capacidade assistencial. Além da nova torre, serão construídos mais dois prédios, um estacionamento e outro prédio de utilidades, para dar suporte à nova estrutura.

nova torre será construída de acordo com o sistema

A

de certificação LEED® (Leadership in Energy and Environmental Design®). É um comprometimento significativo para garantir mais qualidade, minimizando os impactos de nossas atividades. É também um movimento para ampliar nossa atividade econômica e, consequentemente, contribuir para o desenvolvimento do País, com responsabilidade social, ambiental e perenidade da instituição.

social, ambiental e perenidade da instituição. Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital

Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês

9

Sobre o novo Relatório – Propósito, Escopo e Limite

Este Relatório é uma nova edição do Balanço Social que publicamos nos dois últimos anos. Ele reúne informações sobre os resultados da Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês em 2009 e analisa essa atuação de acordo com as diretrizes e indicadores GRI-G3 (www.globalreporting.org).

A partir de 2008, publicamos anualmente um relatório

que contém nossas realizações mais importantes sobre os aspectos sociais, ambientais e econômicos. Nos dois primeiros anos, apresentamos nossas ações dividindo-as em capítulos que abordavam separadamente cada público de relacionamento da instituição. Além da descrição dessas atividades e de indicadores próprios, apresentávamos um resumo de nossas demonstrações econômicas e a tabela Ibase de indicadores. O último relatório nesse modelo relata as atividades de 2008, e sua versão impressa e digital foi publicada em abril de 2009.

Este ano, decidimos seguir a metodologia GRI-G3 para

a produção de relatórios de sustentabilidade, com

relatos dos principais impactos sociais, ambientais e econômicos relativos ao ano de 2009. O objetivo de seguir o formato GRI-G3 é aperfeiçoar as informações apresentadas nos últimos balanços sociais, a fim de torná-las mais transparentes e acessíveis a todos que queiram conhecer nosso comprometimento com o desenvolvimento sustentável de nossa sociedade.

com o desenvolvimento sustentável de nossa sociedade. Para a realização deste Relatório, consultamos nossas

Para a realização deste Relatório, consultamos nossas partes interessadas. Em uma pesquisa elaborada por meio eletrônico, obtivemos 441 questionários respondidos; uma ampla mobilização para saber quais assuntos deveriam ganhar destaque e como deveríamos relatá-los. Identificamos os públicos de interesse que são atingidos direta e indiretamente por nossas atividades, priorizando aqueles que mais influenciam ou são influenciados pelos nossos desempenhos sociais, ambientais e econômicos.

10 Relatório de Sustentabilidade 2009

Dessa forma, a pesquisa foi aplicada entre representantes dos principais públicos de interesse:

clientes, colaboradores, comunidade, fornecedores, poder público e governo, médicos, terceiro setor e operadores de planos de saúde. A pesquisa consultou diversos indicadores essenciais da GRI dentro das diretrizes G3. Para este Relatório, procuramos apresentar os temas com maior nível de importância para a empresa e as partes interessadas. Decidimos publicar também outros aspectos que não foram considerados relevantes na pesquisa de engajamento com as partes interessadas.

A definição sobre os indicadores levou em conta todo

esse processo de mobilização voltado para os públicos de relacionamento da instituição. Para a definição final dos indicadores relatados, consultamos membros do Comitê Executivo Ampliado e membros da nossa Diretoria estatutária. Seguimos critérios específicos, alinhados à pesquisa realizada com os demais públicos. Os temas relatados seguem a definição da Matriz de Materialidade (página 74), bem como os demais princípios voltados para a escolha de conteúdo e qualidade deste Relatório.

Essa decisão amplia a participação das partes interessadas

e representa um desafio perene à sustentabilidade de nossa organização. Temos o compromisso de manter

e aprimorar esse espaço democrático e transparente.

Queremos aperfeiçoar nossas práticas diárias reconhecendo os desafios que se colocam adiante.

É nossa preocupação com a perenidade da instituição

em harmonia com as necessidades da sociedade, para garantir às próximas gerações a capacidade de suprirem suas próprias necessidades.

a capacidade de suprirem suas próprias necessidades. Fachada do primeiro edifício do Hospital Sírio-Libanês

Fachada do primeiro edifício do Hospital Sírio-Libanês

Fachada do primeiro edifício do Hospital Sírio-Libanês Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital
Fachada do primeiro edifício do Hospital Sírio-Libanês Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital
Fachada do primeiro edifício do Hospital Sírio-Libanês Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital
Fachada do primeiro edifício do Hospital Sírio-Libanês Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital
Fachada do primeiro edifício do Hospital Sírio-Libanês Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital

Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês

11

Hospital Sírio-Libanês – o Exercício da Prática Médica de Excelência, o Ensino e a Pesquisa

Toda nossa infraestrutura e recursos humanos são utilizados também para a execução dos 19 projetos filantrópicos realizados em parceria com o governo.

Oferecemos uma assistência médica que engloba todas as etapas do cuidado com a saúde. Possuímos programas de medicina preventiva, atendimento médico de emergência, unidade de terapia intensiva, ampla medicina diagnóstica, internações terapêuticas de alta complexidade, reabilitação, núcleos e centros de especialidade.

Para garantir a excelência do cuidado com nossos pacientes, oferecemos programas integrados de ensino e pesquisa a fim de manter todos os profissionais de saúde nas fronteiras do conhecimento, dominando novas tecnologias e proporcionando a segurança integral de todos os pacientes.

proporcionando a segurança integral de todos os pacientes. 1 2 Relatório de Sustentabilidade 2009 Nossa prática

12 Relatório de Sustentabilidade 2009

Nossa prática assistencial está alinhada às principais tendências médicas na área da Saúde. Com a organização de serviços especializados de Medicina Avançada, qualificamos o cuidado médico na instituição. Olhamos para o futuro desses centros e vemos que é uma fonte expressiva para a revelação e

a retenção de novos talentos, o que melhora nossas perspectivas a longo prazo.

A Medicina Avançada é estruturada por núcleos e

centros de especialidades médicas com o envolvimento de profissionais interdisciplinares.

O objetivo é aperfeiçoar a qualidade do atendimento

médico, tornando-o mais ágil e com maior eficiência diagnóstica. Garantimos a reabilitação e reintegração social dos pacientes por meio de atendimentos realizados em um local preparado para atender a todas as exigências relacionadas à especialidade.

Neste momento, estamos em processo de ampliação de nossa capacidade assistencial. Recentemente inauguramos um novo Centro de Diagnósticos

e uma nova UTI, mais amplos, com tecnologias mais modernas. Esses espaços garantem um

acompanhamento clínico e cirúrgico ainda mais seguro

e eficaz. O conceito dos Núcleos e dos Centros de

Medicina Avançada contribuiu significativamente para

a qualidade do corpo clínico, pela incorporação de

novos talentos. Hoje os médicos do Hospital estão reunidos em torno de seus Centros de Especialidades, com intercâmbio de experiências, o que possibilita mais informação e melhor atendimento.

Para que essa capacidade assistencial seja aproveitada em seu máximo potencial, contamos com um corpo clínico extremamente diferenciado, muitos dos quais são referência internacional nas especialidades que exercem. E esse diferencial se mantém ativo com atualizações e aprimoramentos por meio de uma ampla estrutura para treinamentos, cursos de atualização, incentivos à pesquisa clínica e laboratorial, e o incentivo à participação e realização de simpósios e congressos internacionais.

Com um corpo clínico mais motivado, aumentamos a satisfação de nossos pacientes.

A qualidade do nosso atendimento está em toda

parte. Somos certificados pela Joint Commission International (JCI), considerada uma das certificações mais importantes do mundo na área hospitalar. No Brasil, a certificação da JCI é conduzida pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA). Nosso compromisso com a Gestão da Qualidade representa o resultado de uma busca contínua pela melhoria e segurança dos serviços hospitalares voltados ao cuidado de nossos pacientes.

Esse é um trabalho interdisciplinar de profissionais – médicos, enfermeiros, farmacêuticos, nutricionistas, fisioterapeutas, entre outros – que garantem o pleno funcionamento da estrutura assistencial hospitalar.

A participação ativa desses profissionais é fundamental

para a prestação dos serviços de saúde comprometidos com padrões de gerenciamento e qualidade reconhecidos internacionalmente.

Essa estrutura complexa se complementa com o cuidado humanizado que oferecemos por meio de

todos os profissionais da organização. Nesse trabalho,

o destaque de suavizar a permanência dos pacientes no ambiente hospitalar é feito pelo Serviço de

Voluntários do Hospital. Criado há mais de 28 anos,

os voluntários são parte importante no relacionamento

humanizado com pacientes e acompanhantes em praticamente todos os setores, seja nas áreas assistenciais, nas recepções, nos projetos sociais ou nas lojas de conveniência do Hospital.

projetos sociais ou nas lojas de conveniência do Hospital. Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital

Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês

13

Estrutura Especializada de Apoio à Assistência Médica

Para garantir a excelência médica, estamos continuamente investindo nos aspectos estruturais e

tecnológicos para dar o suporte necessário a todos os profissionais que realizam a prática médica e de saúde na organização. Para isso oferecemos acomodações

e estruturas a fim de garantir um cuidado integral

e humanizado. Com as recentes reestruturações do Centro de Diagnósticos, Unidade de Terapia Intensiva e Pronto-Atendimento, possibilitamos um cuidado médico com uma retaguarda de apoio extremamente moderna e eficaz.

Essa mesma tendência também é aplicada na ampliação do novo centro cirúrgico, projeto em fase de conclusão. Com o atual processo de ampliação garantimos maior capacidade para a realização de cirurgias mediadas por um modelo capaz de aliar tecnologias avançadas com a prática médica integradora, resolutiva e, principalmente, humanizada.

integradora, resolutiva e, principalmente, humanizada. Acelerador Linear no Centro de Oncologia 1 4 Relatório

Acelerador Linear no Centro de Oncologia

14 Relatório de Sustentabilidade 2009

O s

M e d i c i n a S e r v i ç o s

C e n t r o s,

N ú c l e o s

e

d e

A va n ç a d a

E s p e c i a l i z a d o s :

Centro de Oncologia

Centro de Cardiologia

Centro de Nefrologia e Hemodiálise

Centro de Imunizações

Centro de Acompanhamento da Saúde e Check-up

Núcleo Avançado em Urologia

Núcleo Avançado de Mastologia

Núcleo Avançado do Tórax

Núcleo Avançado da Dor e Distúrbios do Movimento

Núcleo Avançado de Fígado

Núcleo Avançado de Infectologia

Núcleo Avançado de Nefrologia e Diálise

Núcleo Avançado de Ortopedia e Traumatologia

Serviço de Gerontologia

Serviço de Reabilitação

C e n t r o

e

d e

I m a g e m

D i a g n ó s t i c o s

Capaz de realizar mais de 2 mil tipos de exames

Capacidade de atendimento de 1.600 pacientes/dia

100 médicos

Mais de 400 profissionais

Novo e moderno equipamento de radiologia vascular com tecnologia robótica, único na América Latina

Ecocardiógrafo 3D (equipamento de ecocardiograma

tridimensional) – Captura as imagens por múltiplos planos, com diferentes perspectivas de processamento, cortes

e rotações. Permite visualizar o coração na sua perspectiva real

Aquisição de novo equipamento de mamografia digital

Novo aparelho de densitometria óssea

Salas de coleta laboratorial

Salas e leitos de preparo para colonoscopia e endoscopia

Salas de ultrassom

Laboratório de Patologia Cirúrgica e Molecular

Laboratório de Patologia Clínica

Medicina do Sono

Medicina Nuclear

Neurodiagnóstico

Radiologia Vascular

Nuclear • Neurodiagnóstico • Radiologia Vascular Novo Pronto-Atendimento Sociedade Beneficente de Senhoras

Novo Pronto-Atendimento

• Radiologia Vascular Novo Pronto-Atendimento Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital

Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês

15

A

N o va

U n i d a d e

d e

O N o v o

P r o n t o -

Te

r a p i a

I n t e n s i va

A t e n d i m e n t o

São 40 leitos distribuídos em 2.600 metros quadrados, o que representa um aumento de quase 100% da nossa capacidade de atendimento. Construída sob um conceito inovador, garante um tratamento intensivo mais humanizado com a presença de acompanhantes e familiares junto ao leito de internação em tempo integral. A estrutura dos leitos-apartamentos oferece um espaço com luz natural na maioria dos boxes, televisão, cama para acompanhantes e banheiros exclusivos.

Leitos de observação:

17 (14 leitos para adultos e 3 pediátricos)

Poltronas de repouso:

20 (16 para adultos e 4 pediátricas)

4 leitos de emergência

C e n t r o

C i r ú r g i c o

Também temos à disposição a mais avançada tecnologia para o suporte à vida, com modernos equipamentos de ventilação mecânica, hemodiálise, diálise hepática e neurointensivismo. Uma torre de monitorização possibilita a vigilância dos sinais vitais e a imagem de todos os pacientes internados na UTI em tempo real, 24 horas por dia.

Aumento do número de salas cirúrgicas de 12 para 19 e uma sala para o aparelho de Ressonância Magnética

Aumento da capacidade de realização de cirurgias de 1.200 para 2.000 mensais

DIFERENCIAL: a sala de Ressonância Magnética dentro do Centro Cirúrgico significa mais segurança e precisão nos procedimentos cirúrgicos de alta complexidade.

Todos os anos, realizamos pesquisas de opinião sobre o grau de satisfação dos nossos pacientes.
Todos os anos, realizamos pesquisas de opinião sobre o grau de satisfação dos nossos pacientes.
Abordamos todos os aspectos relacionados à prestação do serviço hospitalar em três áreas:
Internação, Pronto-Atendimento e Centro de Diagnósticos. Em 2009, entrevistamos 348 pacientes,
via telefone, com uso do sistema CATI. A metodologia utilizada foi quantitativa, por meio da
abordagem IPSOS-SATISFACTOR®, e aplicamos um questionário estruturado com a identificação
do Hospital Sírio-Libanês. Alguns resultados merecem destaque: cerca de 90% dos pacientes
afirmam que se sentem seguros e protegidos no Hospital, que somos um Hospital onde eles se
sentem tratados de maneira especial e que somos um Hospital que transmite confiança. Para
as perguntas de satisfação, foi utilizada uma escala de 10 pontos, na qual de 1 a 6 significa
“Insatisfeito”, 7 e 8 , “Satisfeito”, e 9 e 10, “Totalmente Satisfeito”. Quando questionados sobre
o grau de “Satisfação Geral”, 55% dos pacientes deram nota 10 ao Hospital, e a distribuição das
avaliações teve 6% de Insatisfeitos, 19% de Satisfeitos e 75% de Totalmente Satisfeitos.
19% de Satisfeitos e 75% de Totalmente Satisfeitos. Boxe de internação da nova UTI 1 6
19% de Satisfeitos e 75% de Totalmente Satisfeitos. Boxe de internação da nova UTI 1 6

Boxe de internação da nova UTI

16 Relatório de Sustentabilidade 2009

N o s s o s

N ú m e r o s

Internos

2008

2009

Leitos operacionais

311

333

Pacientes-dia críticos

32.932

34.653

Pacientes-dia não-críticos

55.898

60.397

Total de pacientes-dia

88.830

95.050

Saídas

14.524

15.652

Internações

14.511

15.644

Giro do leito

4,5

4,2

Média diária de pacientes internados

243

260

Intervalo de substituição

1,2

1,1

Taxa de ocupação operacional

83,3

84,5

Média de permanência

6,1

6,1

Pacientes operados

9.307

10.149

Externos

2008

2009

Laboratório

1.307.313

1.678.807

Reabilitação internos e externos

130.205

155.344

Diagnóstico por imagem

177.898

221.056

Anatomia patológica

33.544

39.709

Centro de oncologia

44.254

46.668

Outros SADT

31.565

39.020

Cardio/Neurodiagnósticos

30.639

40.527

Banco de sangue

6.903

6.946

TOTAL SADT

1.762.321

2.228.077

Consultas no Pronto-Atendimento

47.204

54.766

Consultas no Pronto-Atendimento 47.204 54.766 Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital

Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês

17

Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa

(IEP) – A t u a l i z a ç ã o,

D e s c o b e r t a s

A p r i m o r a m e n t o

n a

S a ú d e

M é d i c o

e

N o v a s

O IEP é o braço que utilizamos para gerar e difundir conhecimento a todos os profissionais de saúde. Está focado para a excelência da assistência à saúde, com capacitações, cursos especializados de pós-graduação lato sensu e centros de treinamento, equipados com moderna tecnologia e infraestrutura, voltados a diversas especialidades médicas, sejam elas clínicas ou cirúrgicas.

Hoje o IEP conta com 5.800 metros quadrados, distribuídos em dois andares onde se acomodam nossas diversas instalações voltadas à produção e disseminação do conhecimento. Dispomos de um

Número de participantes em todos os cursos e eventos:

aproximadamente 16 mil

anfiteatro, seis auditórios, uma sala de simulação, duas salas de reunião, uma estação de trabalho, uma sala de teleconferência, áreas para exposições

e serviços de apoio especializados para o suporte

a todas as atividades que ocorrem no IEP. Esse

espaço é utilizado pelos médicos do nosso corpo clínico, outros profissionais de saúde da instituição e, majoritariamente, para as ações de Filantropia e Responsabilidade Social em parceria com o Sistema Único de Saúde (SUS).

G r u p o s

d e

Células-Tronco

Pe s q u i s a

Medicina Intensiva e Anestesiologia

Novas Tecnologias no Diagnóstico e Tratamento do Câncer

Pesquisa em Neurociências

Pesquisa Experimental em Dor

Banco Público de Cordão Umbilical

Experimental em Dor • Banco Público de Cordão Umbilical Pesquisadora do Banco Público de Cordão Umbilical
Experimental em Dor • Banco Público de Cordão Umbilical Pesquisadora do Banco Público de Cordão Umbilical

Pesquisadora do Banco Público de Cordão Umbilical

18 Relatório de Sustentabilidade 2009

Número de Alunos por Cursos de Especialização Lato Sensu

Neurointensivismo para Adultos: 22

Videocirurgia: 31

Enfermagem em UTI: 33

Ecocardiografia Pediátrica: 04

Coloproctologia: 19

Cuidados ao Paciente com Dor: 50

Insuficiência Respiratória: 37

Anestesia Regional: 18

Gestão da Atenção à Saúde: 33

Cursos de Aprimoramento

Fisioterapia: 03 aprimorandos

Física da Radioterapia: 02 aprimorandos

Nutrição: 02 aprimorandos

Simpósios, Congressos, Jor nadas e Cursos Continuados

Cursos: 96

Participantes: 4.500

Cursos de Emergências

(PALS, ACLS, BLS, FCCS, Heartsaver e SRI)

Cursos: 40

Participantes: 960

Reuniões Científicas

23 especialidades

Cursos: 23

Reuniões: 577

Participantes: 9.100

Residência Médica

45 residentes

Ambulatório de Pediatria Social: 02 residentes

Anestesiologia: 08 residentes

Radiologia/Diagnóstico por Imagem: 09 residentes

Radioterapia: 04 residentes

Cancerologia: 08 residentes

Endoscopia: 06 residentes

Mastologia: 04 residentes

Medicina Intensiva: 04 residentes

L

o c a ç õ e s

Eventos: 48

Participantes: 8.270

Parcerias

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)

Fundação Dom Cabral

Instituto Embraer – Pró-Bio

Ministério da Saúde

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo

Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo

P

r o j e t o s

Fi l a n t r ó p i c o s

Gestão da Clínica nas Redes de Atenção à Saúde: 86 redes

Gestão da Clínica nos Hospitais do SUS: 33 hospitais

Gestão do Cuidado ao Paciente Crítico: 27 hospitais

Capacitação em Suporte à Vida: 2.000 capacitados

A Cidade em Defesa da Vida: 183.757 capacitados

Capacitação em Saúde Baseada em Evidências: 2.053 alunos

Rede Sentinelas em Ação: aprox. 7.000 participantes

Rede Nacional de Telemedicina para Qualificação em Captação e Transplante de Órgãos – RENTRANS: 3 centros de captação

Escola de Enfermagem: 110 alunos (80 filantrópicos, 30 bolsas de estudo para colaboradores do HSL)

Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês

19

Governança Corporativa

Falar sobre a estrutura de governança da instituição

é falar sobre a nossa origem, sobre o caráter legal da

nossa organização. Somos uma associação sem fins lucrativos, uma entidade civil considerada de utilidade pública pela União, pelo Estado e pelo município. Desde o início da sociedade, quando o Hospital ainda não havia sido construído, a formação desta entidade já apontava para uma característica importante: todas as pessoas que compõem o Conselho Deliberativo e a Diretoria da instituição, os órgãos de decisão com mais alto poder, só podem ser mulheres.

Assim que o Hospital foi inaugurado, em 15 de agosto de 1965, atuamos para oferecer uma medicina de vanguarda, pioneira e estritamente focada na excelência da assistência médica. Constituímos toda a

estrutura de governança para mantê-lo fiel ao ideal de quando nasceu: ser uma obra destinada a todos, tendo

a filantropia como sua razão de ser.

Dessa forma, o marco legal que regula nosso trabalho requer transparência e temos que apresentar todas

as contas e resultados da instituição para que

continuemos nossas ações filantrópicas em parcerias

com o Estado.

Esse é um fator primordial para nossa estrutura corporativa de governança, pois devemos garantir que essa estrutura permaneça fiel aos preceitos exigidos por lei. Hoje, temos que validar todos os projetos filantrópicos com gestores públicos indicados pelo SUS. São eles que aprovam todas as nossas ações filantrópicas e também avaliam se estamos contribuindo para o desenvolvimento institucional do SUS.

A estrutura interna de governança trabalha muito

focada em garantir que esse mecanismo externo esteja de acordo com a gestão da instituição. Apresentaremos, a seguir, os mecanismos internos de participação, diálogo e gestão da organização.

de participação, diálogo e gestão da organização. No Brasil, quando falamos em “filantropia”, muitos ainda
de participação, diálogo e gestão da organização. No Brasil, quando falamos em “filantropia”, muitos ainda

No Brasil, quando falamos em “filantropia”, muitos ainda a associam a projetos tradicionais focados no assistencialismo e não no protagonismo social. O que menos importa é o fator semântico da palavra filantropia, mas sim o que ela exprime de fato: uma associação sem fins lucrativos, que deve realizar seus projetos sociais mantendo-se em dia com suas obrigações legais e fiel à sua missão.

20 Relatório de Sustentabilidade 2009

à sua missão. 2 0 Relatório de Sustentabilidade 2009 Reunião do Conselho Deliberativo Temos um Código

Reunião do Conselho Deliberativo

Temos um Código de Ética com definições gerais sobre o papel e as responsabilidades de cada um na organização, que traz seções específicas que determinam os limites da conduta ético-profissional de todas as pessoas ligadas formalmente à instituição. Seu uso é fundamental, sobretudo nas situações em que qualquer tipo de conflito possa surgir.

Para que a estrutura de governança funcione de fato, com a participação ampliada e dialogada de diversas partes interessadas, existem ferramentas de comunicação e uma complexa estrutura de órgãos diretivos. Toda essa organização procura aumentar os canais de participação com a alta administração e os órgãos de direção estatutários.

Para tanto, estabelecemos formas de diálogo que tragam informações construtivas e qualificadas para que a alta direção possa conhecer os aspectos mais relevantes que são trazidos por todos que participam do nosso dia a dia. Em 2009, publicamos seis Revistas Espaço Aberto para os colaboradores, seis Revistas dos Médicos e seis Revistas Institucionais destinadas ao público externo da organização. Publicamos 350 comunicados institucionais para o público interno e 52 informes eletrônicos voltados ao corpo clínico.

Para nossos clientes, desenvolvemos 22 boletins com informações completas sobre o trabalho dos Núcleos Avançados de Medicina. Todos os documentos e normas institucionais podem ser acessados pela rede interna de computadores.

Para discutir nossa gestão corporativa, realizamos 12 encontros com a rede de colaboradores. Em 2005, iniciamos o programa Aqui Entre Nós, com canais de comunicação entre a direção do Hospital e seus públicos de interesse. Composto pelas iniciativas Fale Conosco, Visita às Áreas, Portas Abertas e o Canal Direto, o programa possibilita o contato entre os colaboradores e a Diretoria do Hospital sem quaisquer restrições de forma, conteúdo ou natureza de manifestação.

Há também 13 Comissões Médicas Interdisciplinares formadas por equipes de médicos, enfermeiros e outros profissionais que trabalham para subsidiar a gestão da Diretoria Médica.

que trabalham para subsidiar a gestão da Diretoria Médica. Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital

Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês

21

Fachada lateral do Hospital Sírio-Libanês 2 2 Relatório de Sustentabilidade 2009 Estrutura Organizacional É o

Fachada lateral do Hospital Sírio-Libanês

22 Relatório de Sustentabilidade 2009

Estrutura Organizacional

É o órgão deliberativo soberano, composto por associados da instituição. Elege o Conselho Deliberativo e
É o órgão deliberativo soberano, composto por associados
da instituição. Elege o Conselho Deliberativo e decide
sobre outros assuntos submetidos à sua apreciação.
Formado por 61 senhoras eleitas pela Assembleia-
Geral, elege os membros da Diretoria de Senhoras e do
Conselho Fiscal. Aprova anualmente as demonstrações
financeiras e de resultados da instituição.
É composta por 16 senhoras. Coordena a gestão da
organização e aprova as propostas orçamentárias, o
planejamento estratégico, os regimentos internos e
todas as decisões importantes tomadas nos demais
órgãos diretivos.
Nomeado pela Diretoria de Senhoras, é composto por
quatro médicos, quatro empresários e quatro diretoras.
É responsável pela gestão política do Hospital e de suas
entidades. Define estratégias, monitora os resultados
corporativos e aprova todas as políticas internas para
garantir a excelência médica, a atuação filantrópica e o
foco na criação e disseminação de conhecimento. Tem para
assessorá-lo o Comitê de Obras e o Comitê de Finanças.
Examina duas vezes por ano as demonstrações
financeiras da Sociedade, e emite parecer zelando
pela observância dos princípios de contabilidade e das
normas brasileiras de contabilidade.
Assessora o Conselho de Administração nas deliberações
sobre os assuntos técnico-científicos do exercício da
medicina. É composta por 12 membros efetivos do corpo
clínico do Hospital, indicados pela Diretoria de Senhoras,
mais o Diretor Clínico, eleito pelos médicos do corpo
clínico do Hospital.
Operacionaliza as estratégias institucionais e
políticas de governança corporativa da Sociedade.
O Comitê Executivo é composto pelos diretores e
superintendentes do Hospital e do Instituto de Ensino
e Pesquisa. No Comitê Ampliado são incluídos todos os
gestores com cargos de gerência ou coordenação.

Assembleia-Geral

Conselho Deliberativo

Diretoria de Senhoras

Conselho de Administração

Conselho Fiscal

Comissão Médica

Comitê Executivo e Comitê Executivo Ampliado

Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês

23

Diretoria de Senhoras D i r e t o r i a Tr i ê

Diretoria de Senhoras

D i r e t o r i a Tr i ê n i o

d e

S e n h o r a s

2 0 0 9 - 2 0 1 2

Presidente Honorária – Violeta Basílio Jafet

Diretora Honorária – Victoria Schahin Abdalla

Presidente da Diretoria – Ivette Rizkallah

1ª Diretora Vice-Presidente – Maria Sylvia Haidar Suriani

2ª Diretora Vice-Presidente – Magnólia Chohfi Atallah

Diretora Secretária-Geral – Dulce Antonia Camasmie Abdalla

Diretora 1ª Secretária – Marta Kehdi Schahin

Diretora Tesoureira-Geral – Vivian Abdalla Hannud

Diretora 1ª Tesoureira – Maria Helena Andraus Cintra

Diretora 2ª Tesoureira – Claudia Chohfi

Diretora de Patrimônio – Cecília E. Cassab Cutait

Diretora de Sede – Irene Jafet Panelli

Diretora Social e de Eventos – Rachel Tamer Lotaif

Diretora Social e de Eventos – Sandra Sarruf Chohfi

Diretora de Relações Públicas e de Divulgação – Vera Jafet Kehdi

Diretora de Ações Sociais – Edith Jafet Cestari

Diretora de Ações Sociais – Lílian Cury

Diretora de Voluntários – Angela Haidar Chede

24 Relatório de Sustentabilidade 2009

D i r e t o r i a

d o

D e l i b e r a t i v o

C o n s e l h o

Tr i ê n i o

2 0 0 9 - 2 0 1 2

Presidente do Conselho Deliberativo – Anna Maria Tuma Zacharias Vice-Presidente do Conselho Deliberativo – Lucia Camasmie Kurbhi Secretária-Geral – Marilena Racy Bussab 1ª Secretária – Munira Salomão

C o n s e l h o

d e

A d m i n i s t r a ç ã o 2 0 0 9

Sra. Ivette Rizkallah Sra. Maria Sylvia Haidar Suriani Sra. Marta Kehdi Schahin Sra. Vivian Abdalla Hannud Dr. Fábio Henrique Gregory Dr. Giovanni Guido Cerri Dr. Roberto Kalil Filho Dr. Sami Arap Sr. Alfredo Nagib Rizkallah Sr. Fabio Cutait Sr. Ruy Haidar Sr. Salim Schahin

Organograma 2009

Sociedade Beneficente de Senhoras

Diretoria de Senhoras Presidente Sra. Ivette Rizkallah Conselho de Administração Comissão Médica
Diretoria de
Senhoras
Presidente
Sra. Ivette Rizkallah
Conselho de
Administração
Comissão Médica
Superintendente
Superintendente de
Estratégia Corporativa
Dr. Paulo Chapchap
Corporativo
Dr. Gonzalo Vecina
Neto
Conselho de Ensino
Diretoria Clínica
Dr. Riad Younes
e Pesquisa do IEP
Diretor de
Ensino do IEP
Dr. Roberto Padilha
Diretor de
Pesquisa do IEP
Dr. Luiz
Fernando Reis
Diretor de
Filantropia
Dr. Gonzalo Vecina
Neto
Diretor Técnico
Hospitalar
Dr. Antônio Lira

Gerente de

Comunicação

Institucional

Katia Camata

Superintendente de Gestão de Pessoas e Qualidade Fábio Patrus

Superintendente de Gestão de Pessoas e Qualidade Fábio Patrus
Superintendente de Gestão de Pessoas e Qualidade Fábio Patrus
Superintendente de Gestão de Pessoas e Qualidade Fábio Patrus

Superintendente de Controladoria e Finanças Carlos Marsal

Superintendente de Engenharia e Logística Rodrigo de Almeida Macedo

Superintendente de Comercial e de Marketing Deise de Almeida

Superintendente de Atendimento e Operações Ivana Siqueira

Superintendente de Tecnologia da Informação Margareth Camargo

Superintendente de Pacientes Internados Dr. Luiz Francisco Cardoso

Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês

25

Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês (IRSSL)

O IRSSL é um importante apoio aos novos projetos

sociais da instituição, e está diretamente ligado à

missão da Sociedade Beneficente de Senhoras com

o desenvolvimento social responsável. É reconhecido

como Organização Social pelo município de São Paulo e pelo governo de São Paulo, e atualmente trabalha com o foco na área assistencial por meio da gestão de equipamentos públicos de saúde. Com profissionais de excelência na área de gestão, controle financeiro e assistência médica, o Instituto administra três unidades de saúde AMA (Assistência Médica Ambulatorial) e o Hospital Municipal Infantil Menino Jesus. São duas AMAs para o atendimento de urgências e emergências e uma AMA Especialidades voltada à Ortopedia, Cardiologia, Neurologia, Endocrinologia, Reumatologia e Vascular.

Com essa nova atuação social, reforçamos nosso compromisso com o pioneirismo na gestão hospitalar e

no apoio ao desenvolvimento institucional do Sistema Único de Saúde. Esse modelo de gestão inovadora

é focado na eficiência dos resultados, eficácia no

atendimento dos profissionais de saúde, transparência

e prestação de contas regulares aos gestores do poder público responsáveis pela saúde no município. Todos

os serviços estão voltados ao cuidado humanizado

das pessoas atendidas pelo SUS para lhes garantir

humanizado das pessoas atendidas pelo SUS para lhes garantir Hospital Municipal Infantil Menino Jesus 2 6

Hospital Municipal Infantil Menino Jesus

26 Relatório de Sustentabilidade 2009

o acesso a uma saúde integral e resolutiva. Com o IRSSL, oferecemos à sociedade todo nosso potencial intelectual, técnico e funcional para assegurar o dinamismo na atenção pública à saúde.

Instituto de Responsabilidade Social Sírio- Libanês – Rua Peixoto Gomide, 337 – Bela Vista | São Paulo - SP

Ama Especialidades Santa Cecília – Rua Vitorino Carmilo, 599 – Santa Cecília | São Paulo - SP

Ama Vila Piauí – Praça Camilo Castelo Branco, 10 – Vila Nilva | Osasco - SP

Ama Jardim Peri-Peri – Rua João Guerra, 247 – Jardim Peri-Peri | São Paulo - SP

Hospital Municipal Infantil Menino Jesus – Rua dos Franceses, 251 – Bela Vista | São Paulo - SP

A M A

S a n t a

C e c í l i a

Produção 2009

Ecodoplercardiograma

877

Eletrocardiograma

2.542

Eletroencefalograma

790

Holter

544

Teste Ergométrico

2.074

Ultrassonografia

4.240

Total de Exames

11.067

Total de Consultas

59.149

Total de Atendimentos

70.216

A M A s V i l a P i a u í e Pe
A M A s
V i l a
P i a u í
e
Pe r i - Pe r i
Consultas Médicas 2009
Vila Piauí
Jardim Peri-Peri
Clínica Médica
35.190
42.484
Clínica Médica com Remoção
462
508
Clínica Médica com Observação
717
961
Pediatria
19.900
18.808
Pediatria com Remoção
160
343
Pediatria com Observação
104
164
Total
55.090
61.292
Procedimentos de Enfermagem
Vila Piauí
Jardim Peri-Peri
Administração de Medicamentos
24.156
19.439
Aferição de Pressão Arterial
3.737
8.363
Coleta de Material para Exame
3.461
7.199
Curativo
787
465
Glicemia Capilar
2.415
1.725
Inalação / Nebulização
7.515
3.166
Outros
5.108
7.184
Total
47.179
47.541
Total Geral
102.269
108.833

I n d i c a d o r e s

I n f a n t i l

H o s p i t a l

J e s u s

M e n i n o

M u n i c i p a l

 

2008

2009

Variação 2009/2008

Internações

2.117

2.674

26%

Consultas Ambulatório

42.170

52.075

23%

Atendimentos no Pronto-Socorro

63.986

59.007

-8%

Cirurgias

2.326

3.007

29%

Leitos

50

51

2%

Salas Cirúrgicas

4

4

0%

Média de Permanência (dias)

6,5

5,5

-15%

Taxa de Ocupação

61%

74%

21%

Giro

3,5

4,2

20%

61% 74% 21% Giro 3,5 4,2 20% Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital

Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês

27

Histórico dos 88 anos de existência da Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês

Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês 1921 Fundação da Sociedade Beneficente de Senhoras.
Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês 1921 Fundação da Sociedade Beneficente de Senhoras.

1921

Fundação da Sociedade Beneficente de Senhoras.

1931

Lançada a primeira Pedra Fundamental, marco do início da construção do Hospital (concluído em 1940).

1943

O

governo requisita o prédio do Hospital para

instalar a Escola de Cadetes.

1959

O

governo restitui o prédio para o Hospital.

1965

Inauguração oficial do Hospital.

1971

Instalada a primeira Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do País.

Inaugurado o Serviço de Radioterapia, com

primeiro acelerador linear com fótons e elétrons da América Latina.

o

1978

Criado o Centro de Ensino e Pesquisa, hoje conhecido como Instituto de Ensino e Pesquisa.

1992

Inaugurados o Centro de Transplantes de Órgãos, a Unidade de Oncologia e o Bloco C.

1993

Criada a Escola de Enfermagem.

1998

Criados o Centro de Oncologia e o Ambulatório de Pediatria Social.

1999

Criado o primeiro programa de telemedicina do País.

28 Relatório de Sustentabilidade 2009

2000 Realizada a primeira cirurgia feita por microcâmera do Hemisfério Sul, com paciente no Sírio-Libanês e cirurgião em Baltimore (EUA).

2001 Criado o Abrace Seu Bairro.

2002 Inaugurado o prédio do Centro de Oncologia.

2003 Primeiro Hospital da América Latina a realizar exames com o PET/CT.

Firmado convênio com a Prefeitura de São Paulo para atendimento de pacientes do SUS.

2004 Lançado o Programa de Medicina Preventiva, com implantação das unidades de Check-up, Reabilitação, Prevenção de Câncer e o Núcleo de Mastologia.

Renovação do Conselho de Administração, que decidiu profissionalizar a gestão do Hospital e para isso contratou uma consultoria da Fundação Getulio Vargas.

Criação do cargo de Superintendente Corporativo.

2005 Instalado o Tomógrafo 64C.

Colocada em funcionamento a primeira Ressonância Magnética do País a adotar o conceito de ambient experience, em que os pacientes podem escolher temas para assistir durante o exame (infantil, paisagem, família). Iniciados os programas de Pós-Graduação Lato Sensu do Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP).

Ampliado o convênio com a Prefeitura de São Paulo para incluir exames e cirurgias de alta complexidade e reformas estruturais de equipamentos públicos de saúde da cidade.

A Escola de Enfermagem torna-se filantrópica.

2006 Inaugurados a UTI Pediátrica e o Centro de Nefrologia e Diálise.

2007 Lançados o Núcleo Avançado do Tórax, o Centro de Acompanhamento da Saúde e Check-up, o Núcleo da Dor e Distúrbios do Movimento, o Núcleo de Cardiologia e o Núcleo de Infectologia.

O Hospital Sírio-Libanês é acreditado pela Joint

Commission International (JCI).

2008 Realização da primeira cirurgia no País pelo Robô da Vinci S., sistema cirúrgico menos invasivo e mais preciso.

Somos credenciados como o único Centro de Treinamento Robótico da América Latina pela empresa fabricante do Robô da Vinci S.

Fundação do Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês (IRSSL).

Inauguração do novo Centro de Diagnósticos.

Inaugurada a nova Unidade de Terapia Intensiva.

Assinado termo de ajuste com o Ministério da Saúde para implementação de 19 projetos de filantropia.

Lançamento do Centro de Cardiologia.

2009 Lançamento da nova logomarca do Hospital.

Inaugurado o novo Pronto-Atendimento.

Iniciados os programas filantrópicos Cidade em Defesa da Vida, Rede Nacional de Transplantes, Projeto Parkinson.

Implantado o Núcleo Avançado de Ortopedia

e Traumatologia.

Primeiro Hospital da América Latina a adquirir

o Artis Zeego®, equipamento de ponta

em diagnóstico com diferentes métodos de imagem, além de revolucionário na área de radiologia intervencionista.

Instalado o novo aparelho de Ressonância Magnética Espree (Siemens), com mais espaço para pacientes obesos ou claustrofóbicos.

Implantado o Laboratório de Biologia Molecular, fundamental para a geração de conhecimento e pesquisas da instituição.

a geração de conhecimento e pesquisas da instituição. Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital

Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês

29

A spectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas
A spectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

Aspectos Sociais:

Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

Sociedade – Integração com Políticas Públicas de Saúde

A Sociedade Beneficente de Senhoras nasceu

filantrópica e permanece fiel à missão que a originou.

Esse compromisso vem sendo reforçado ao longo dos anos pela assistência médica destinada a pessoas com reais necessidades sociais e econômicas.

É importante diferenciar a filantropia que fazemos do

mero assistencialismo que normalmente se atribui à palavra “filantropia”. No Brasil, essa é uma discussão que sempre se levanta, e é de fundamental importância esclarecer por que insistimos em enfatizá-la. O marco regulatório no País permite às organizações de saúde sem fins lucrativos se credenciarem como “instituições filantrópicas”, e essa certificação é adquirida pelas organizações que comprovem trabalhos sociais de utilidade pública ao Estado. Essa situação permite que a instituição destine o valor da isenção de alguns tributos para ações que contribuam para a prestação de serviços essenciais à população mais vulnerável.

Essa legislação é antiga e foi readequada com a implantação do Sistema Único de Saúde (SUS) após

a Constituição de 1988. A partir desse novo legado, também percebemos a necessidade de repensar

nossa atuação social. Ficou claro que não poderíamos fazer nossas ações de maneira independente. Como

a realidade social é uma teia de inter-relações que

não consegue ser suprimida por atuações isoladas e pontuais, precisávamos buscar um modelo que desse resposta à interdependência intrínseca das políticas de saúde. A partir dessa reflexão, procuramos amplificar nossa contribuição à melhoria da sociedade com a integração às políticas públicas. Percebemos que, fazendo juntos, poderíamos fazer mais. Hoje essa lógica é a tônica do que entendemos por “filantropia”.

é a tônica do que entendemos por “filantropia”. Lançamento do Projeto Gestão da Clínica nas Redes

Lançamento do Projeto Gestão da Clínica nas Redes de Atenção à Saúde, com a presença de 860 especializandos e 86 facilitadores

32 Relatório de Sustentabilidade 2009

e 86 facilitadores 32 Relatório de Sustentabilidade 2009 Restauro do Edifício Cleveland, construído em 1922, de
e 86 facilitadores 32 Relatório de Sustentabilidade 2009 Restauro do Edifício Cleveland, construído em 1922, de
e 86 facilitadores 32 Relatório de Sustentabilidade 2009 Restauro do Edifício Cleveland, construído em 1922, de
e 86 facilitadores 32 Relatório de Sustentabilidade 2009 Restauro do Edifício Cleveland, construído em 1922, de

Restauro do Edifício Cleveland, construído em 1922, de arquitetura neocolonial, uma unidade do Serviço de Atendimento Especializado em Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids. Mais de 80 profissionais participaram dos cuidados no restauro do prédio. Investimos R$1,6 milhão na obra, que foi entregue e reinaugurada em agosto de 2008

Assim, iniciamos a integração de nossos projetos por meio de um convênio com a Secretaria de Saúde do Município de São Paulo já em 2003, ampliado dois anos depois. Nesses primeiros convênios, nos comprometemos com a realização de exames e cirurgias de alta complexidade para pacientes do SUS. A parceria também incluiu reformas estruturais em unidades públicas de saúde e manutenções prediais e de informática, realizadas diariamente por uma equipe volante em unidades referenciadas na Subprefeitura da Sé. A partir de então, começamos um processo de expansão dessas parcerias, que ganharam mais evidência com a inclusão do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo. Passamos a dar maior destaque para capacitações de profissionais de saúde de todo o País.

No decorrer desses anos, houve uma discussão sobre os modelos para a atuação de hospitais filantrópicos no Brasil e, em 2008, uma nova legislação para o setor foi regulamentada. Hoje, instituições de saúde filantrópicas podem ser habilitadas como Hospitais de Excelência, segundo uma avaliação criteriosa do Ministério da Saúde. Trabalhamos segundo esse modelo, que pressupõe o apoio ao desenvolvimento institucional do Sistema Único de Saúde, e realizamos nossas ações filantrópicas para contribuir com a construção de uma saúde pública de melhor qualidade. Esse marco regulatório prevê que todas as ações sejam pactuadas com o Ministério da Saúde, de acordo com as diretrizes apontadas pelas políticas nacionais de saúde. São projetos voltados à multiplicação do conhecimento, pesquisas de interesse público, assistência médica, reformas e manutenções de unidades públicas de saúde. Com esse salto qualitativo, possibilitamos a expansão de nossa atuação filantrópica por todo o território nacional.

atuação filantrópica por todo o território nacional. Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

33

Lançamento do projeto Gestão das Clínicas nos Hospitais do SUS, com a presença de 400

Lançamento do projeto Gestão das Clínicas nos Hospitais do SUS, com a presença de 400 especializandos e 40 facilitadores

P r o j e t o s

M i n i s t é r i o

f i l a n t r ó p i c o s

d a

S a ú d e

a p r o va d o s

p e l o

G

e s t ã o

d a

C l í n i c a

n o s

H

o s p i t a i s

d o

S U S

O

principal objetivo do projeto é capacitar gestores

e

profissionais de saúde que atuam nos hospitais

e profissionais de saúde que atuam nos hospitais públicos, criando uma rede colaborativa de gestão

públicos, criando uma rede colaborativa de gestão hospitalar. A intenção é que esses profissionais estejam aptos a criar um núcleo de pesquisa de gestão em saúde, aprimorar a assistência e o cuidado em saúde, investir no desenvolvimento de tecnologias, assim como na racionalização de custos, na redução de danos e em outros processos como internações e complicações operatórias e pós-operatórias. Será elaborado um curso de especialização em gestão da clínica para hospitais, com 360 horas de atividades presenciais e mais 120 horas em atividades a distância. A ação beneficiará 33 hospitais com mais de 100 leitos em 30 cidades brasileiras. Este é um curso semipresencial.

34 Relatório de Sustentabilidade 2009

C

a p a c i t a ç ã o

e m

S a ú d e

B

a s e a d a

e m

E v i d ê n c i a s

O

programa busca o aprimoramento de profissionais

de saúde de hospitais públicos e também da Rede Sentinela da Anvisa. É realizado por meio de um curso de especialização, que visa ao desenvolvimento

crítico e científico dos alunos. Alguns dos focos são:

aplicações práticas em busca da eficiência, elaboração de projetos de pesquisa clínica, economia em saúde e gestão de tecnologias em saúde. O projeto prevê

a participação de 2 mil profissionais. É um curso realizado a distância.

C a p a c i t a ç ã o

e m

S u p o r t e

A

C i d a d e

e m

D e f e s a

à V i d a

d a

V i d a

O Hospital Sírio-Libanês se compromete a fornecer treinamento para profissionais de prontos-socorros públicos em Suporte Básico de Vida (BLS), Suporte Avançado de Vida em Cardiologia (ACLS) e Suporte Avançado de Vida em Pediatria (PALS). O objetivo é treinar, em 26 meses, 3.043 profissionais em cinco municípios de cinco estados do Brasil com população entre 150 mil e 550 mil habitantes.

R e d e

S e n t i n e l a s

e m

A ç ã o

Essa é uma iniciativa da Anvisa e se constitui de uma rede de hospitais brasileiros interligados por um sistema de tecnologia da informação. No programa, o Hospital Sírio-Libanês disponibiliza palestras semanais via telemedicina, que promovem gestão da qualidade hospitalar, uso racional de tecnologias em saúde e gerenciamento de riscos, além de outros temas. Essa é a principal estratégia da Anvisa para a vigilância pós- comercialização de produtos para a saúde, que envolve 204 hospitais brasileiros.

Esse programa busca a capacitação de leigos no atendimento de emergência de adultos com parada cardiorrespiratória súbita. Serão treinados alunos do ensino médio de cinco municípios, para que, no final do projeto, tenhamos 250 mil pessoas aptas a multiplicar conhecimentos que aumentem as chances de sobrevida das vítimas. Além disso, será feita uma avaliação inicial dos registros de atendimento de emergência locais, que poderá ser comparada com a avaliação dos registros pós-treinamento. Foram selecionadas quatro cidades: Apucarana (PR), Maringá (PR), Itanhaém (SP) e São Carlos (SP). Ainda será escolhida mais uma cidade para participar do projeto.

será escolhida mais uma cidade para participar do projeto. Dr. Paulo Chapchap, Superintendente de Estratégia
será escolhida mais uma cidade para participar do projeto. Dr. Paulo Chapchap, Superintendente de Estratégia

Dr. Paulo Chapchap, Superintendente de Estratégia Corporativa (à direita), com o Dr. Clésio Mello de Castro, Coordenador Geral de Urgência e Emergência do Ministério da Saúde, no lançamento do Projeto Cidade em Defesa da Vida

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

35

R e d e

Tr a n s p l a n t e s

N a c i o n a l

d e ( R E N T R A N S )

No Brasil, muitos potenciais doadores de órgãos não são identificados devido, principalmente, à falta de treinamento dos profissionais dos centros públicos de saúde. Isso acaba gerando filas cada vez maiores de espera por transplantes e, consequentemente, alta mortalidade dos que estão na fila. Nesse contexto, o projeto oferece capacitação presencial e a distância de médicos cirurgiões e clínicos para a identificação de potenciais doadores de órgãos nos hospitais públicos de grande porte, em 16 estados brasileiros.

G

e s t ã o

d a

C l í n i c a

n a s

R

e d e s

d e

A t e n ç ã o

à

S

a ú d e

Nesse programa, o Hospital se responsabiliza pela elaboração e realização de um curso de capacitação para gestores e profissionais de saúde envolvidos com redes de atenção à saúde vinculadas ao SUS. O curso utiliza tecnologias de microgestão dos serviços de saúde, como diretrizes clínicas e gestão da qualidade, sempre com a finalidade de assegurar padrões clínicos de excelência. Serão beneficiados profissionais de

84

redes, sendo 64 unidades de São Paulo e

20

nos demais estados.

64 unidades de São Paulo e 20 nos demais estados. Alunos da Escola de Enfermagem 36

Alunos da Escola de Enfermagem

36 Relatório de Sustentabilidade 2009

R

e d e

d e

G e s t ã o

d e

C

u i d a d o s

d o

Pa c i e n t e

C

r í t i c o

Esse projeto visa aprimorar o tratamento dos pacientes em estado grave ou de doenças crônicas por meio da implantação de uma rede de gestão formadora e multiplicadora de conhecimentos, constituída por anestesistas, intensivistas, emergencistas, enfermeiros e fisioterapeutas de 36 hospitais públicos, em 32 cidades. A iniciativa busca aliar o uso adequado de tecnologias à qualificação dos recursos humanos para garantir a qualidade de vida dos pacientes, reduzindo assim o alto ônus do sistema de financiamento do SUS.

E s c o l a

d e

E n f e r m a g e m

Nós nos comprometemos a oferecer curso técnico de Enfermagem. Oitenta alunos por ano (com renda familiar mensal de até três salários mínimos) são selecionados para o curso na Escola de Enfermagem da instituição.

P

r o j e t o

P E T / C T

e

P r o j e t o

C

í c l o t r o n

Em 2008, doamos um aparelho de PET/CT para o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP). O equipamento será utilizado para diagnósticos em oncologia e cardiologia. Também alocamos um acelerador de partículas (Cíclotron) responsável pela produção de radiofármacos que serão utilizados no diagnóstico e tratamento de tumores e em projetos de pesquisa clínica desenvolvidos conjuntamente pela FMUSP e pelo Hospital Sírio-Libanês. Ambos os equipamentos estão em fase de instalação.

Ambos os equipamentos estão em fase de instalação. Autoridades e membros da Diretoria do Hospital

Autoridades e membros da Diretoria do Hospital Sírio-Libanês no lançamento do Projeto Cíclotron na FMUSP

P r o j e t o

Pa r k i n s o n

O Mal de Parkinson é uma doença degenerativa

crônica e progressiva do sistema nervoso que afeta cerca de 1% da população acima dos 60

anos. Atualmente, os principais tratamentos são:

medicação, reabilitação e cirurgia funcional.

O objetivo desse projeto é intensificar a eficiência

da cirurgia funcional, a fim de melhorar a qualidade de vida do paciente. Durante a cirurgia, existe

a possibilidade de realizar um estudo pioneiro intraoperatório da atividade dos neurônios responsáveis pelo controle do movimento, permitindo decodificar

as informações cerebrais, o que possibilitará a

compreensão de como o cérebro as organiza e como as envia para a produção e controle dos movimentos do próprio corpo. Por sua efetividade no desenvolvimento de novos conhecimentos na área, esse procedimento tem um alto potencial de se tornar referência.

P r o j e t o

I m a g e m

Nessa iniciativa, o Hospital Sírio-Libanês se compromete a realizar, na rede pública de saúde, 38 mil exames/ano de ultrassonografia, ecocardiografia e biópsia guiada por ultrassonografia. Além disso, estabeleceremos protocolos para a solicitação de exames, assim como parâmetros de diagnóstico que possam ser usados em todo o País.

de diagnóstico que possam ser usados em todo o País. D a d o s U

D a d o s

U n i d a d e s

Fi l a n t r o p i a

d o

d e

P r o j e t o

I m a g e m

-

Total de exames realizados - USG

P r o j e t o I m a g e m - Total de

2 0 0 9

Total de exames realizados - ECO

realizados - USG 2 0 0 9 Total de exames realizados - ECO UBS Magaldi UBS

UBS Magaldi

UBS Sé

UBS Peri-Peri

Hospital Jardim Sarah

Hospital Municipal Infantil Menino Jesus

Jardim Sarah Hospital Municipal Infantil Menino Jesus 5 . 8 7 5 6.862 5 . 8

5.875

Sarah Hospital Municipal Infantil Menino Jesus 5 . 8 7 5 6.862 5 . 8 6

6.862

Hospital Municipal Infantil Menino Jesus 5 . 8 7 5 6.862 5 . 8 6 5

5.865

Infantil Menino Jesus 5 . 8 7 5 6.862 5 . 8 6 5 6 .

6.941

Menino Jesus 5 . 8 7 5 6.862 5 . 8 6 5 6 . 9
Menino Jesus 5 . 8 7 5 6.862 5 . 8 6 5 6 . 9

4.806

10.694

Total

8 7 5 6.862 5 . 8 6 5 6 . 9 4 1 4.806 10.694

41.043

6.862 5 . 8 6 5 6 . 9 4 1 4.806 10.694 Total 41.043 Aspectos
6.862 5 . 8 6 5 6 . 9 4 1 4.806 10.694 Total 41.043 Aspectos

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

37

C a r d i o p a t i a

C o n g ê n i t a

A iniciativa prevê a manutenção de ambulatório para

a realização de análise diagnóstica e cirurgia de alta

complexidade em crianças com cardiopatias congênitas. Os pacientes são encaminhados pelo SUS (seis ao mês), e o Sírio-Libanês se compromete a fornecer todas as consultas e os exames complementares ao longo do acompanhamento pré e pós-cirúrgico. Esse programa é realizado pela instituição desde 2005.

Tr a n s p l a n t e Fí g a d o

Será mantido o ambulatório (criado em 2005) para

a realização de análise diagnóstica e cirurgia de alta complexidade em crianças encaminhadas pelo SUS para transplante de fígado por meio da técnica de transplante intervivos. O Hospital se compromete

a realizar o número de cirurgias que o Ministério

I n f a n t i l

d e

da Saúde define mensalmente, assim como as consultas e os exames complementares ao longo do acompanhamento pré e pós-cirúrgico.

C â n c e r

d e

M a m a

Projeto para atenção médica a pacientes do SUS com câncer de mama (iniciativa criada em 2005). As pacientes encaminhadas pelo SUS têm acompanhamento pré e pós-cirúrgico e todas as consultas e exames complementares. O Hospital disponibiliza ainda apoio sociopsicológico a essas pacientes, assim como capacitação da rede pública municipal para o atendimento de mulheres com esse diagnóstico. A cada mês, 22 novas pacientes são atendidas.

C i r u r g i a s

d e

A l t a

C o m p l e x i d a d e

Especialidade

Consultas

Triagem

Retorno

Cirurgias

Total por Especialidade

Mastologia

5.587

497

5.206

273

11.563

Cardiologia

309

85

222

61

677

Transplante

852

28

780

15

1.675

TOTAL

6.748

610

6.208

349

13.915

1.675 TOTAL 6.748 610 6.208 349 13.915 38 Relatório de Sustentabilidade 2009 R e f o

38 Relatório de Sustentabilidade 2009

R

e f o r m a

e

R e c u p e r a ç ã o

 

d

e

A p a r e l h o s

P ú b l i c o s

d e

S

a ú d e

Desde 2005, investimos em reformas de equipamentos públicos de saúde e, a partir de então,

já reformamos seis Unidades Básicas de Saúde da

cidade de São Paulo. O trabalho em duas instituições

públicas importantes para a cidade é destaque:

estamos reformando o Hospital Municipal Infantil

Menino Jesus, referência em pediatria, e restauramos

o prédio do Serviço de Atendimento Especializado em

Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids (SAE-DST/ Aids) de Campos Elíseos, cuja construção de 1922 é patrimônio histórico do município.

M e l h o r i a

I n s t i t u i ç ã o

d a

G e s t ã o

d e

d e

A s s i s t ê n c i a

a

o

Pa r t o

V i n c u l a d a

a o

 

S

U S

B a n c o

P ú b l i c o

d e

C

o r d ã o

Em parceria com o Amparo Maternal (São Paulo), estamos construindo um banco público para a doação de células de cordão umbilical. O banco está sendo montado no Hospital Sírio-Libanês, com inauguração prevista para março de 2010, e contará com mais de 3 mil cordões. Assim, estará apto a realizar

transplantes de medula em todo o País e será importante para as pesquisas científicas com células-tronco. Além disso, o Hospital disponibilizará ao Amparo Maternal sua expertise em gestão hospitalar, buscando a melhoria dos serviços dessa maternidade, que recebe mulheres encaminhadas pelo SUS. O Amparo Maternal atende as gestantes desde os cuidados pré-natais, o parto, o pós-parto e atenção médica aos recém-nascidos com complicações de saúde.

H o s p i t a i s

M i n i s t é r i o

R i o

d e

Fe d e r a i s

d a

d o

S a ú d e

n o

Ja n e i r o

O projeto de diagnóstico e implementação de reestruturação e qualificação da gestão dos hospitais federais do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro visa somar às ações estratégicas desses hospitais a expertise, o conhecimento técnico e os aportes financeiros necessários para garantir a melhoria da qualidade assistencial em áreas priorizadas. Dessa forma, serão beneficiados seis hospitais federais que oferecem atualmente 1.873 leitos ao município.

que oferecem atualmente 1.873 leitos ao município . Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

39

40 Relatório de Sustentabilidade 2009 Gestão, pesquisa, capacitação e tecnologia a serviço do SUS  
40 Relatório de Sustentabilidade 2009 Gestão, pesquisa, capacitação e tecnologia a serviço do SUS  
40 Relatório de Sustentabilidade 2009 Gestão, pesquisa, capacitação e tecnologia a serviço do SUS  
40 Relatório de Sustentabilidade 2009 Gestão, pesquisa, capacitação e tecnologia a serviço do SUS  

40 Relatório de Sustentabilidade 2009

Gestão, pesquisa, capacitação e tecnologia a serviço do SUS

 

P R O J E TO

INVESTIMENTO - R$

M E TA

1 - Rede Nacional de Transplantes (RENTRANS)

3.305.312,16 em 2 anos

Beneficiará hospitais públicos de grande porte de 16 estados brasileiros.

2 - Gestão da Clínica nas Redes de Atenção à Saúde

10.961.949,92 em 2 anos

Capacitação de milhares de profissionais de 84 redes em 21 estados.

3 - Rede de Gestão de Cuidados do Paciente Crítico

7.352.945,30 em 3 anos

Implementação de rede multiplicadora para o cuidado do paciente crítico envolvendo 36 hospitais de 32 cidades.

4 - Gestão da Clínica nos Hospitais do SUS

4.632.796,48 em 2 anos

Especialização em gestão clínica de profissionais de 33 hospitais de 30 cidades brasileiras.

5 - Capacitação em Saúde Baseada em Evidências

2.949.867,64 em 2 anos

Cerca de 2 mil participantes.

6 - Capacitação de Suporte à Vida

5.799.308,00 em 3 anos

Capacitação em urgência e emergência para 3.043 profissionais do SUS em cinco municípios de cinco estados brasileiros.

7 - A Cidade em Defesa da Vida

6.228.740,00 em 3 anos

Treinamento de 250 mil leigos de cinco municípios para salvamentos de adultos com parada cardiorrespiratória súbita.

8 - Rede Sentinelas em Ação

206.592,20 no 1º ano

Capacitação de 204 hospitais da Rede Sentinelas em gestão de qualidade hospitalar.

9 - Escola de Enfermagem

725.000,00 no 1º ano

Curso técnico de Enfermagem para 80 profissionais destinados a trabalhar no SUS.

10 - Câncer de Mama

5.089.127,28 no 1º ano

264 cirurgias/ano de câncer de mama para pacientes do SUS.

11 - Projeto USG/ECO

1.676.500,00 no 1º ano

38 mil exames/ano de ultrassonografia, ecocardiografia e biópsia guiada por ultrassom para pacientes do SUS.

12 - Projeto PET/CT e Projeto Cíclotron

9.918.872,00 no 1º ano

Doação de PET/CT e produção de radiofármacos (Cíclotron) para o HC/FMUSP.

13 - Projeto Parkinson

1.033.923,44 em 3 anos

Aumentar a eficiência da cirurgia funcional na doença de Parkinson.

14 - Transplante Infantil de Fígado

6.058.214,52 no 1º ano

Realização de 24 transplantes hepáticos infantis por ano para o SUS.

15 - Cardiopatia Congênita

10.053.987,24 no 1º ano

Realização de 72 cirurgias de cardiopatia congênita por ano para o SUS.

16 - Ambulatório de Pediatria Social e Abrace Seu Bairro

3.690.000,00 no 1º ano

Atenção integrada de pediatria e projetos voltados para a família. Mais de 3,5 mil famílias são cadastradas nos projetos.

17 - Reforma e Recuperação de Aparelhos Públicos de Saúde

8.000.000,00 no 1º ano

Restauro do SAE DST/Aids Campos Elíseos e reforma do Hospital Municipal Infantil Menino Jesus.

18 - Melhoria da Gestão de Instituição de Assistência ao

16.933.318,00 em 2 anos

Banco de cordão e apoio à gestão do Amparo Maternal.

Parto Vinculada ao SUS

19

- Diagnóstico e Implementação do Projeto de

9.499.665,78 em 3 anos

Seis hospitais federais que ofertam atualmente 1.873 leitos ao município.

Reestruturação e Qualificação da Gestão dos Hospitais Federais do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

41

Comunidade: Ambulatório de Pediatria Social e Abrace Seu Bairro – projetos para melhoria da realidade social local

Bairro – projetos para melhoria da realidade social local Crianças do Ambulatório de Pediatria Social e

Crianças do Ambulatório de Pediatria Social e Abrace Seu Bairro em

apresentação do Circo Zanni

Estamos situados na Bela Vista, região da cidade de São Paulo com maior densidade populacional e uma realidade socioeconômica bastante diversa. Nessa região convive uma alta concentração de pessoas que moram em cortiços, com baixíssimos níveis de escolaridade, renda e emprego. Nossa atuação local é voltada para a melhoria da qualidade de vida dessa comunidade por meio de ações de inclusão e transformação social.

Hoje, desenvolvemos dois projetos voltados para a redução da desigualdade social local: o Ambulatório de Pediatria Social e o Abrace Seu Bairro. No primeiro, atuamos com foco na assistência médica integral de crianças de 0 a 12 anos. Essas crianças contam com uma atenção multiprofissional que busca a reintegração social por meio de projetos focados na promoção, prevenção e atenção à saúde. Todas as necessidades são atendidas pela equipe médica, que conta com o apoio de médicos especialistas, membros do corpo clínico da instituição. Esses profissionais realizam atendimentos especializados e cirurgias voluntariamente.

O Abrace Seu Bairro integra-se ao Ambulatório de

Pediatria por meio de ações educativas, culturais, esportivas, de geração de renda e capacitação profissional para todos os integrantes das famílias

cadastradas. São projetos para todas as idades, desde

a criança e o adolescente até os adultos e idosos.

Acreditamos que, com o incentivo à autoestima e com

o apoio para melhorar a qualidade de vida das famílias,

podemos influenciar na saúde de todos, principalmente das crianças mais novas, as quais necessitam de uma atenção especial nos primeiros anos de vida. Um ambiente familiar saudável é um passo importante para as conquistas sociais daqueles que até então são excluídos do mercado de trabalho e das atividades socioculturais que existem na região.

42

Hoje atendemos mais de 3 mil famílias, com mais de 4.500 crianças e jovens beneficiados.
Hoje atendemos mais de 3 mil famílias, com
mais de 4.500 crianças e jovens beneficiados.

Relatório de Sustentabilidade 2009

e jovens beneficiados. Relatório de Sustentabilidade 2009 Atendimentos do Ambulatório de Pediatria Social - 2009

Atendimentos do Ambulatório de Pediatria Social - 2009

Profissionais de Saúde

Pediatria

Assistente Social

Dentistas

Enfermagem

Especialistas

Fisioterapia

Fonoaudiologia

Nutricionistas

Otorrino

Psicologia

Voluntárias-Odonto

TOTAL

Nutricionistas Otorrino Psicologia Voluntárias-Odonto TOTAL 1.324 1.660 924 792 529 128 498 1.279 879 2.772
1.324 1.660 924 792 529 128 498 1.279 879
1.324
1.660
924
792
529
128
498
1.279
879

2.772

10.685

1.660 924 792 529 128 498 1.279 879 2.772 10.685 21.470 Procedimentos de Enfermagem 15.229 Atividades

21.470

Procedimentos de

Enfermagem

1.279 879 2.772 10.685 21.470 Procedimentos de Enfermagem 15.229 Atividades em Grupo do Ambulatório de Pediatria

15.229

879 2.772 10.685 21.470 Procedimentos de Enfermagem 15.229 Atividades em Grupo do Ambulatório de Pediatria Social
879 2.772 10.685 21.470 Procedimentos de Enfermagem 15.229 Atividades em Grupo do Ambulatório de Pediatria Social

Atividades em Grupo do Ambulatório de Pediatria Social por Profissional - 2009

3.078

Nº Grupos 2.199 Nº Participantes 856 619 474 405 201 36 Psicologia Fonoaudiologia Odontologia TOTAL
Nº Grupos
2.199
Nº Participantes
856
619
474
405
201
36
Psicologia
Fonoaudiologia
Odontologia
TOTAL
P r o d u ç ã o
d o
A b r a c e
S e u
B a i r r o
2 0 0 9
 

Vagas

Culinária

1.760

Cultura e lazer

2.268

Educação

9.686

Esporte

7.088

Geração de renda

767

Palestra

212

Reuniões

467

Saúde

98

Total

22.346

Reuniões 467 Saúde 98 Total 22.346 Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

43

Gestão das Relações Trabalhistas Cuidar de pessoas é um dos pilares de nossa organização, e

Gestão das Relações Trabalhistas

Cuidar de pessoas é um dos pilares de nossa organização, e só é possível por meio de colaboradores preparados para vivenciar todo o processo de trabalho de maneira humana, com respeito, pioneirismo e excelência. Buscamos manter uma relação duradoura com nossos profissionais, adequando a cada necessidade os meios para aprimorar técnicas e metodologias de trabalho.

O cuidado para tratar cada funcionário dentro de sua

individualidade, de suas capacidades, de garantir sua autonomia e ao mesmo tempo trazer uma atuação universalizante, é um dos principais desafios das lideranças que são responsáveis pelo desenvolvimento profissional de suas equipes.

E não basta apenas impulsionar o desenvolvimento

para o trabalho; nossos projetos ligados à qualidade de vida destinam-se a ações fora do escopo das atribuições corporativas. Os colaboradores dispõem de diversas atividades voltadas à satisfação e ao crescimento pessoal, pois acreditamos que a dimensão da esfera íntima de cada profissional é fundamental para que ele esteja bem consigo, a fim de realizar suas atividades diárias com menores níveis de estresse, seja no trabalho ou em outras dimensões de sua vida social.

Toda a estrutura organizacional é voltada para que cada colaborador encontre um ambiente propício, a fim de motivá-lo na busca de seu desenvolvimento pessoal e profissional. Nosso trabalho é resultado desse constante diálogo coletivo, dessa construção

participativa entre equipes com diferentes tipos de formação e repertórios individuais. Por isso, incentivamos a contribuição mútua de diversas áreas para alcançar os objetivos da organização de uma forma mais ágil e mais eficiente, com oportunidades adequadas a cada demanda.

mais eficiente, com oportunidades adequadas a cada demanda. Colaboradoras se divertem em um dos programas da

Colaboradoras se divertem em um dos programas da Qualidade de Vida

44 Relatório de Sustentabilidade 2009

Atuamos sob cinco premissas para a gestão de pessoas:

» Relação de longo prazo

» Liderança pelo exemplo

» Ambiente de aprendizagem

» Foco nos resultados e na eficiência

» Integração entre áreas e equipes

Para assegurar a realização dessas premissas, contamos com a Superintendência de Gestão de Pessoas e Qualidade – área especializada de apoio à gestão de recursos humanos –, que tem a responsabilidade pela formulação de políticas claras na perspectiva de auxiliar a gestão de pessoas; pela

coordenação de fóruns para conduzir programas de aprimoramento organizacional e profissional; pela estratégia e execução de processos associados à gestão de pessoas; e pelo suporte operacional a esse trabalho. Para o cumprimento dessas funções, a área está dividida em quatro focos centrais:

» Saúde do Colaborador

» Desenvolvimento Organizacional

» Remuneração e Benefícios

» Gestão da Qualidade

» Remuneração e Benefícios » Gestão da Qualidade Hospital premia colaboradores por projetos de melhorias
» Remuneração e Benefícios » Gestão da Qualidade Hospital premia colaboradores por projetos de melhorias

Hospital premia colaboradores por projetos de melhorias apresentados na Semana da Qualidade

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

45

Saúde e Segurança no Trabalho

A área de Saúde do Colaborador tem como objetivo principal “cuidar bem também de quem cuida”. Esse trabalho multidisciplinar interliga basicamente três setores: Medicina e Segurança do Trabalho, Qualidade de Vida e Psicologia do Trabalho. Essa integração entre equipes multiprofissionais é baseada em um conceito integral de saúde, atuando sobre diversos fatores que influenciam o trabalhador no seu dia a dia. Dessa forma, focamos a saúde e a qualidade de vida do colaborador e sua segurança no ambiente de trabalho.

do colaborador e sua segurança no ambiente de trabalho. C o l a b o r

Colaboradores durante gincana na Semana da Qualidade

46 Relatório de Sustentabilidade 2009

P r o g r a m a s

S a ú d e

d e

P r e v e n ç ã o

n o

Tr a b a l h o

e m

S e g u r a n ç a

e

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO)

Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA)

Atendimentos de psicólogos disponíveis a todos os colaboradores.

de psicólogos disponíveis a todos os colaboradores. Colaboradora vota na eleição da Comissão Interna de

Colaboradora vota na eleição da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa)

da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

47

Q u a l i d a d e

d e

V i d a

O setor de Qualidade de Vida é outro pilar da Gerência de Saúde do Colaborador e dele partem as ações que levam ao colaborador oportunidades de integração, relaxamento, descontração e divertimento.

P r i n c i p a i s

a ç õ e s

e m

Ginástica Laboral

2 0 0 9 :

Programa de Caminhada e Corrida

Programa de Atividade em Quadra Poliesportiva

Shiatsu

Programa de Avaliação Física

Programa de Prevenção e Tratamento do Tabagismo

Banda e Coral do HSL

Companhia de Teatro do HSL

Workshop de Artesanato

• Companhia de Teatro do HSL • Workshop de Artesanato 48 Relatório de Sustentabilidade 2009 Colaboradores

48 Relatório de Sustentabilidade 2009

de Artesanato 48 Relatório de Sustentabilidade 2009 Colaboradores participam de diversas atividades da área de
de Artesanato 48 Relatório de Sustentabilidade 2009 Colaboradores participam de diversas atividades da área de
de Artesanato 48 Relatório de Sustentabilidade 2009 Colaboradores participam de diversas atividades da área de
de Artesanato 48 Relatório de Sustentabilidade 2009 Colaboradores participam de diversas atividades da área de
de Artesanato 48 Relatório de Sustentabilidade 2009 Colaboradores participam de diversas atividades da área de
de Artesanato 48 Relatório de Sustentabilidade 2009 Colaboradores participam de diversas atividades da área de

Colaboradores participam de diversas atividades da área de Qualidade de Vida

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

49

Te r c e i r o s

Em 2009, nossos trabalhadores terceirizados representavam 18% do número total de profissionais da instituição. Ao
Em 2009, nossos trabalhadores terceirizados
representavam 18% do número total de profissionais
da instituição. Ao todo, são 857 pessoas concentradas
em diversas áreas do Hospital: serviços de manutenção
do sistema de ar-condicionado e equipamentos
especializados, restaurante, lavanderia e parte da
equipe de segurança e higiene. Esses profissionais
passam pelo mesmo processo de integração de
empregados diretos e também cumprem as diretrizes
da Norma Reguladora 32.

Todo terceirizado que realiza funções assistenciais passa pelo processo de admissão dos profissionais regulares, com exames médicos e nutricionais periódicos e acompanhamento regular da medicina do trabalho. No momento em que a empresa terceirizada é contratada, são exigidos documentos e protocolos atestando o cumprimento de todos os seus deveres fiscais e trabalhistas. Visitas periódicas são feitas para verificar as condições de trabalho dos terceiros e o cumprimento da legislação trabalhista.

I n t e g r a ç ã o

D

e s e n v o l v i m e n t o

O

r g a n i z a c i o n a l

Um dos focos da gestão de pessoas está no crescimento e aprimoramento de nossos profissionais. Por isso, foi criado um programa de capacitação e desenvolvimento pautado em três pilares: Integração, Adaptação e Aperfeiçoamento, e Educação Complementar.

Adaptação e Aperfeiçoamento, e Educação Complementar. Trata-se de conjunto de informações e orientações

Trata-se de conjunto de informações e orientações institucionais fornecidas ao novo profissional em seu ingresso na instituição. O objetivo é orientar e difundir conhecimentos sobre a postura ética, a cultura, histórico, objetivos e normas em vigor.

A d a p t a ç ã o

A p e r f e i ç o a m e n t o

Esse pilar é composto por treinamentos técnicos e atualizações, para aprimorar o exercício da atividade do profissional diretamente na área em que irá atuar.

e

50 Relatório de Sustentabilidade 2009

E d u c a ç ã o

C o m p l e m e n t a r

É constituída por treinamentos que complementam

a capacitação do profissional para desempenhar sua

atividade, assumir novas funções e prepará-lo para novos cargos. Fazem parte da Educação Complementar as concessões de bolsa de estudos para cursos de pós-graduação, o programa de desenvolvimento gerencial e a participação em congressos, palestras e eventos relacionados à função exercida.

E

d u c a ç ã o

C o n t i n u a d a

d a

E

n f e r m a g e m

Esse programa conta com formatos especiais de treinamento. Divide-se em treinamento admissional

e desenvolvimento profissional. A primeira parte é composta por provas, casos e dramatização.

A segunda, por provas, supervisão, estudo de caso e

categorização dos profissionais em diferentes níveis.

Todas as etapas foram pensadas visando adequar as necessidades de aprendizado e treinamento ao perfil do profissional.

de aprendizado e treinamento ao perfil do profissional. Colaboradores durante treinamento no laboratório de

Colaboradores durante treinamento no laboratório de informática do Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

51

P r o j e t o M a i s I n c l

P r o j e t o

M a i s

I n c l u s ã o

A iniciativa surgiu em 2006, para sensibilizar os

profissionais e intensificar a contratação de pessoas com deficiência. Sabemos que essa não é apenas uma questão de preencher o número de vagas exigido por lei. Nosso projeto foi formatado para oferecer oportunidades aos profissionais e garantir sua empregabilidade no mercado de trabalho.

Para o desenvolvimento do programa, contratamos o Senai a fim de realizar a capacitação de uma equipe em curso técnico administrativo, ampliando seu

conhecimento e promovendo sua inserção profissional

e inclusão social. Em 2009, aumentamos em 30% o

número de colaboradores com deficiência. Hoje são 74 deficientes no quadro de profissionais da organização e 15 em capacitação no Senai. Temos uma meta de contratar mais 20 profissionais em 2010.

Número de beneficiados pelo Projeto Mais Inclusão

2009

Número de beneficiados pelo Projeto Mais Inclusão 2009 2008 72 74 2007 54 0 Educação com

2008

de beneficiados pelo Projeto Mais Inclusão 2009 2008 72 74 2007 54 0 Educação com bolsa

72

74

2007

54

0

Educação com bolsa de estudo

0

Beneficiados Investimento 2009 93 R$ 148 mil 2008 52 R$ 242 mil 2007 16 R$
Beneficiados
Investimento
2009
93
R$ 148 mil
2008
52
R$ 242 mil
2007
16
R$ 140 mil
93 R$ 148 mil 2008 52 R$ 242 mil 2007 16 R$ 140 mil Colaboradores do

Colaboradores do Projeto Mais Inclusão durante o encerramento do Projeto de Capacitação Profissional

52 Relatório de Sustentabilidade 2009

Profissional 52 Relatório de Sustentabilidade 2009 Formatura do programa de Ensino Profissionalizante Jovem

Formatura do programa de Ensino Profissionalizante Jovem Aprendiz

D i v e r s i d a d e

O Código de Ética do Hospital Sírio-Libanês diz que “a

sociedade não discrimina seus profissionais por raça,

religião ou convicções políticas e filosóficas, ou por porte de necessidades especiais, afirmando-se como espaço laico, apolítico e garantidor da diversidade

humana” (Código de Ética, cap. 2, seção 5).

Temos um diferencial importante em relação

às empresas que atuam no mercado nacional;

possuímos um número de mulheres em cargos de chefia muito grande.

Em 2009, o número de mulheres em cargos de chefia representou 65% em nível de coordenação e gerência e 34% em nível executivo.

E s t a g i á r i o s

Oferecemos oportunidades a jovens estudantes universitários para complementar sua formação teórica

com a prática na realidade organizacional. Respeitamos

a legislação vigente, garantindo ainda mais benefícios para esses futuros profissionais. Em 2009, 29 estagiários foram beneficiados com bolsa-auxílio, seguro de vida em grupo, refeição e vale-transporte.

P r o g r a m a

J o v e m

A p r e n d i z

Enfatizamos nosso compromisso com o futuro dos jovens por meio de alguns projetos importantes. Um desses programas é o Jovem Aprendiz. Em 2000,

o governo federal criou a Lei do Jovem Aprendiz, que

obriga empresas a contratar aprendizes. Estruturamos todas as áreas para receber esses jovens, e capacitamos

todos os profissionais com cargos de liderança, supervisão, coordenação e gerência.

Em 2009, trabalharam conosco 38 jovens aprendizes, divididos em diversas áreas, com oportunidades reais de inserção profissional na própria organização. Ao longo dos últimos três anos, foram contratados 21 jovens aprendizes com carteira de trabalho assinada.

As atividades compreendem seis horas diárias, durante quatro dias por semana, dentro das áreas administrativas da organização. No último dia útil da semana, esses jovens vão para a Espro (parceria com HSL) – associação sem fins lucrativos criada

por voluntários do Rotary Club. Ali são capacitados com noções básicas sobre o ambiente corporativo, informática e conhecimentos de administração.

O projeto tem o objetivo de atender às necessidades

de profissionalização dos jovens em situação socioeconômica vulnerável, contribuindo assim para

a formação da cidadania e a qualificação profissional, tornando-os aptos ao mercado de trabalho.

profissional, tornando-os aptos ao mercado de trabalho. Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

53

R e m u n e r a ç ã o

e

B e n e f í c i o s

Mais do que cobrar resultados, incentivamos nossos gestores a exercitar sua capacidade de estabelecer relações positivas com seus subordinados e estimular o espírito de equipe, de integração, tolerância e respeito às diferenças. A área de remuneração e benefícios proporciona essa relação justa entre trabalho e recompensa, dentro de uma visão conciliadora, para que haja sempre igualdade de oportunidades e um ambiente de trabalho saudável e propositivo.

Essa política possibilita a aproximação entre os objetivos da instituição e de seus profissionais, com base em salários competitivos comparados aos do mercado. Realizamos anualmente pesquisas salariais e de benefícios, baseadas em vários mercados:

hospitalar (hospitais de grande porte), operadoras de saúde, serviços e outros setores. Essa análise é feita para garantir uma prática salarial compatível dentro dos limites da capacidade e do orçamento geral da instituição.

Um outro ponto importante desse trabalho é a relação com os sindicatos. Há uma agenda de discussões entre a instituição e os sindicatos, de modo a garantir negociações coletivas dialogadas e consensuais para que todos possam perceber seus interesses nas esferas de discussão competentes. Isso é feito regularmente pela área de Remuneração e Benefícios, que acompanha as discussões. Ainda é preciso ampliar a divulgação de todos os benefícios que são conseguidos em reuniões com sindicatos. Estamos trabalhando para que este ano haja ainda mais transparência nas negociações coletivas.

 

P r e m i a ç õ e s

-

2 0 0 9

Melhores Empresas em Práticas de Gestão de Pessoas, área de Gestão de Pessoas, pela revista Gestão & RH.

Melhores Empresas Psicologicamente Saudáveis em 2009, área de Qualidade de Vida, pela revista Gestão & RH.

Destaque Especial “Equilíbrio, Vida e Trabalho”, área Qualidade de Vida, pela revista Exame.

Executivo de T.I. do ano 2009, na Categoria Serviços de Saúde, pela revista InformationWeek.

Prêmio Profissional de Tecnologia da Informação 2009, da revista Informática Hoje e Plano Editorial, em reconhecimento pelos projetos implementados.

Troféu Brasil-Design Awards, outorgado pela Associação Brasileira de Design (ABD), pela nova sinalização externa e interna.

Primeiro lugar na Técnica Radioterapia Guiada por Imagem do Câncer de Próstata, setor de Radioterapia, durante o Congresso Brasileiro de Radioterapia.

O

Centro Cirúrgico recebeu o prêmio de Melhor Pôster do Qualihosp 2009, na categoria Relato de Experiência, com o tema

“Implementação de checagem de segurança pré-operatória com metodologia para diminuir os riscos assistenciais”.

Passamos a integrar a lista das 100 Melhores Empresas em Cidadania Corporativa, e fomos classificados entre as Cinquenta Mais nos quatro pilares: Responsabilidade Social, Responsabilidade Ambiental, Ética e Relacionamento com Stakeholders e Envolvimentos dos Colaboradores, de acordo com a pesquisa realizada pela Editora de Gestão & RH.

Em junho, a área de Gestão de Pessoas e Qualidade recebeu o prêmio como um dos 50 RHs Mais Admirados do País, num evento organizado pela revista Gestão & RH.

A

Sociedade Beneficente de Senhoras – Hospital Sírio-Libanês recebeu o Selo Organização Parceira 2009/2010, que reconhece

as 100 organizações que desenvolveram os melhores projetos de voluntariado. A premiação foi concedida pelo Centro de

Voluntariado de São Paulo.

 

54 Relatório de Sustentabilidade 2009

A

s s i s t ê n c i a

M é d i c a

a o s

C

o l a b o r a d o r e s

Para atender às necessidades médicas dos profissionais e seus dependentes, proporcionamos Assistência Médica em todos os níveis hierárquicos, dividida em três categorias: Básico, Pleno Sírio 1 e Pleno Sírio 2. Todas elas permitem a utilização do Hospital para a realização de qualquer tipo de exame e diagnóstico. A cobertura diferenciada oferece a todos os profissionais:

• Fonoaudiologia

• Acupuntura

• Fisioterapia e RPG

• Cirurgia de miopia (acima de sete graus)

• Internação para dependentes químicos

• Atendimento psiquiátrico

• Psicoterapia

• Homecare

• Remoção com ambulância

Oferecemos ainda um ambulatório de Pronto-

Atendimento Emergencial aos profissionais durante

a jornada de trabalho, Assistência Odontológica e Assistência Funeral.

C r e c h e

e

A u x í l i o - C r e c h e

Pensando na comodidade das mães e no estímulo à educação, disponibilizamos duas creches para que elas

possam deixar seus filhos, com idades entre 4 meses e 4 anos, durante o expediente de trabalho. São, ao todo, 160 vagas. Caso a profissional não encontre vagas, oferecemos a antecipação do Auxílio-Creche, sendo que

o valor obedece ao acordo coletivo (benefício fornecido legalmente somente a partir dos 2 anos). Há, também, Licença-Adotante, Licença-Amamentação, Kit de Nascimento de Filhos, Salário-Família.

Kit de Nascimento de Filhos, Salário-Família. Formatura da Creche Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade

Formatura da Creche

Nascimento de Filhos, Salário-Família. Formatura da Creche Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

55

O u t r o s B e n e f í c i o
O u t r o s
B e n e f í c i o s
Todos os profissionais celetistas e aqueles que
participam de algum curso de formação (Ensino
Médio, Técnico ou Superior) são beneficiados com um
restaurante interno onde, gratuitamente, podem tomar
café da manhã e lanche após o trabalho. Por um valor
simbólico, têm direito a almoço e jantar. Oferecemos
ainda vale-alimentação com valor aproximadamente
20% superior ao determinado pelo sindicato.
Essa foi a maior diferença em relação a 2008,
quando a composição da gratificação mesclava metas
individuais às da instituição. Neste ano, apostamos
na assiduidade do profissional, queremos reconhecer
aqueles colaboradores mais comprometidos com as
atividades diárias da organização. Por esse motivo,
há um número determinado de ausências e atrasos
injustificados para o cálculo da gratificação, de acordo
com a carga horária diária de cada colaborador.
Eles também possuem, para seu bem-estar, uma sala
de descanso, equipada para leitura e jogos durante os
intervalos de trabalho.
A performance individual continua sendo um
E n v o l v i m e n t o,
e O p o r t u n i d a d e
R e a l i z a ç ã o
E L O
instrumento fundamental para acompanhar o
desempenho de cada profissional, e serve para nortear
nossos programas educacionais e de crescimento na
carreira. Entretanto, acreditamos que essa alteração
favorece nossa visão de fortalecer o espírito de
integração entre todas as áreas, diminuindo a pressão
pelo desempenho individual dentro das equipes.
Em 2006, foi criado o programa ELO, que em latim
significa “anéis que fazem parte de um todo”. Nesse
projeto, a integração e união de todos é essencial
para garantir a qualidade dos serviços hospitalares.
O objetivo é proporcionar uma remuneração
complementar aos profissionais em regime de trabalho
CLT, que se baseia em metas corporativas e na
assiduidade dos profissionais às responsabilidades de
cada cargo ou função.
O ELO se diferencia dos programas de bonificações
por não estar fundamentado na distribuição do lucro.
Incentiva a busca contínua pela qualidade e reforça o
apelo da eficiência das equipes, da integração de todos
para o alcance das metas institucionais.

Trabalho do Serviço de Voluntários no Hospital Municipal Infantil Menino Jesus

56 Relatório de Sustentabilidade 2009

Menino Jesus 56 Relatório de Sustentabilidade 2009 G e s t ã o d a Q

G e s t ã o

d a

Q u a l i d a d e

Por meio dessa área, promovemos o contínuo aprimoramento da qualidade na prestação dos serviços de saúde da instituição, incluindo a manutenção da Acreditação Internacional pela Joint Commission International (JCI). Trabalhamos com o monitoramento, a capacitação e o incentivo às práticas de gestão com foco na qualidade assistencial da organização.

Na área da Qualidade, executamos constantes revisões de políticas, planos, normas e procedimentos institucionais para manutenção dos padrões exigidos pela certificação internacional.

Para incentivar a melhoria dos processos assistenciais

e promover a integração entre as diversas áreas da

organização, promovemos a II Exposição da Qualidade, neste ano em conjunto com a 22ª Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (Sipat) e a Semana da Qualidade de Vida. Na ocasião, envolvemos todas as

áreas do Hospital no trabalho pela busca da qualidade

e da excelência. O evento contou com a exposição de

trabalhos das áreas sobre planos de ações corretivas, melhorias e aprimoramento da qualidade. Além dos

trabalhos técnicos, houve várias ações como palestras, gincanas focadas na Qualidade Hospitalar, Segurança do Trabalho e no Proex (programa de excelência focado na melhoria contínua das atividades médicas). Houve ainda a apresentação de novas técnicas de trabalhos manuais durante os workshops da Qualidade de Vida

e apresentações do musical de Chico Buarque, A

Ópera do Malandro, versão adaptada e encenada pela Banda do Hospital, grupo de Teatro e Coral, o primeiro encontro dos três projetos.

de Teatro e Coral, o primeiro encontro dos três projetos. Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas

57

Pe r f i l

d o s

P r o f i s s i o n a i s

Q u a d r o d e Pe s s o a l To
Q u a d r o
d e
Pe s s o a l
To t a l
3 1 / 1 2 / 2 0 0 9
CLT
3.765
Estagiário
26
Jovem Aprendiz
46
Temporários
29

Terceiros

26 Jovem Aprendiz 46 Temporários 29 Terceiros TOTAL 857 4.723 N ú m e r o

TOTAL

857

26 Jovem Aprendiz 46 Temporários 29 Terceiros TOTAL 857 4.723 N ú m e r o

4.723

N ú m e r o e t á r i a

d e ( C LT )

e m p r e g a d o s

p o r

f a i x a

3 1 / 1 2 / 2 0 0 9

 

0

Feminino

Feminino Masculino  

Masculino

Feminino Masculino  
 

< 30 anos

 
 

908

24%

 

699

 

19%

31 a 50 anos

 
 

1.209

32%

   

791

21%

Acima de 51 anos

 
65
65

93

2%

2%

TOTAL

 

2.210

59%

 

1.555

41%

Rotatividade por faixa etária / sexo (CLT)

3 1 / 1 2 / 2 0 0 9

0

Rotatividade por faixa etária, sexo, por iniciativa - Empresa

3 1 / 1 2 / 2 0 0 9 (CLT)

0

Feminino

Feminino Masculino Feminino Masculino

Masculino

Feminino Masculino Feminino Masculino

Feminino

Feminino Masculino Feminino Masculino

Masculino

< 30 anos

< 30 anos

 

2,92%

1,04%
1,04%
 
 

3,48%

3,29%

31 a 50 anos

 

31 a 50 anos

2,79% 1,97% Acima de 51 anos 0,16% 0,15%
2,79%
1,97%
Acima de 51 anos
0,16%
0,15%
1,14% 1,83% Acima de 51 anos 0,16% 0,03%
1,14%
1,83%
Acima de 51 anos
0,16%
0,03%
0,16% 0,15% 1,14% 1,83% Acima de 51 anos 0,16% 0,03% Total Total 6% 2% 5% 5%

Total

0,15% 1,14% 1,83% Acima de 51 anos 0,16% 0,03% Total Total 6% 2% 5% 5% TOTAL
Total 6% 2% 5% 5% TOTAL GERAL 7% 100% dos colaboradores CLT são representados pelo
Total
6%
2%
5%
5%
TOTAL GERAL 7%
100% dos colaboradores CLT são representados
pelo sindicato majoritário da categoria
são representados pelo sindicato majoritário da categoria TOTAL GERAL 11% 58 Relatório de Sustentabilidade 2009
são representados pelo sindicato majoritário da categoria TOTAL GERAL 11% 58 Relatório de Sustentabilidade 2009

TOTAL GERAL 11%

58

Relatório de Sustentabilidade 2009

Rotatividade por faixa etária, sexo, por iniciativa - Empregado

3 1 / 1 2 / 2 0 0 9 ( C LT )

0

Rotatividade por faixa etária, sexo, por motivo

3 1 / 1 2 / 2 0 0 9

( C LT )

Feminino

Feminino Masculino S/ justa causa Justa causa

Masculino

Feminino Masculino S/ justa causa Justa causa

S/ justa causa

Feminino Masculino S/ justa causa Justa causa

Justa causa

< 30 anos

< 30 anos

1,89% 0,19% 31 a 50 anos
1,89%
0,19%
31 a 50 anos

< 30 anos < 30 anos 1,89% 0,19% 31 a 50 anos 1,65% 0,21% 31 a

1,65%

30 anos < 30 anos 1,89% 0,19% 31 a 50 anos 1,65% 0,21% 31 a 50
0,21% 31 a 50 anos
0,21%
31 a 50 anos
30 anos 1,89% 0,19% 31 a 50 anos 1,65% 0,21% 31 a 50 anos 0,16% 4,59%

30 anos 1,89% 0,19% 31 a 50 anos 1,65% 0,21% 31 a 50 anos 0,16% 4,59%

0,16%

4,59%

0,19% 31 a 50 anos 1,65% 0,21% 31 a 50 anos 0,16% 4,59% 6,19% Acima de

6,19%

Acima de 51 anos

0,00% 0,19% Total 0,51%
0,00%
0,19%
Total
0,51%

4%

Acima de 51 anos 0,21% 0,00% Total 0,37%
Acima de 51 anos
0,21%
0,00%
Total
0,37%

11%

TOTAL GERAL 4%

TOTAL GERAL 11%

0

0,00% Total 0,37% 11% TOTAL GERAL 4% TOTAL GERAL 11% 0 Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e
0,00% Total 0,37% 11% TOTAL GERAL 4% TOTAL GERAL 11% 0 Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e

Aspectos Sociais: Sociedade, Comunidade e Relações Trabalhistas