Você está na página 1de 56

Edição 96 | 2010 | ISSN 1414-6517 – Publicação Especializada da ABCEM – Associação Brasileira da Construção Metálica

O aço na
paisagem
urbana
Material compõe a
identidade visual e plástica
das cidades e transforma
o espaço urbano
4 Editorial
O futuro é agora

6 Sala Vip
Zanettini 50 anos

12 Reportagem
O cotidiano em aço

26 Construindo com Aço


A funcionalidade estética da Panamericana 6
28 Câmara Legislativa do Distrito Federal
29 Nova Rodoviária de Brasília utiliza
estrutura metálica tubular
30 Fábrica com design

31 Giro Pelo Setor


TDK Brasil e Tekla Corporation apresentam
uma nova maneira de detalhar e modelar

32 Galvanização
Barreiras de aço
14
33 Museu Harley Davidson

34 Notícias ABCEM
Arkhi-Arquiteto: Pioneirismo na formação de profissionais
37 A cerimônia de assinatura
40 ABCEM e CBCA apoiam
A boa arquitetura de uma geração
41 Gerdau é a primeira produtora de aço

17
brasileira a receber selo ecológico para
produtos da construção civil
42 O aço no novo auditório do hospital Albert Einstein
43 Mangels é a primeira galvanizadora do Brasil
certificada em ISO 14001:2004
44 Panorama no pós-crise é assunto principal
da 21ª edição do Congresso Brasileiro do Aço
45 Shoppings impulsionam o mercado
da construção civil
46 Usiminas vai ajudar a construir os primeiros prédios
em aço do Minha Casa Minha Vida

47 Sócios & Produtos


Empresas, Entidades de Classe e Profissionais Liberais
26
50 Nossos Sócios
Emtec
51 Engemetal

52 Estatística
Desempenho da Distribuição INDA: Fevereiro de 2010

54 Agenda
Eventos do Setor 30
O futuro é agora
O ano de 2010 começa com ótimas perspectivas para
o setor do aço. A previsão da World Steel Association é
Edição 96 – 2010
de que o consumo de aço no mundo cresça 9% neste
ano. Um sinal de que os níveis mundiais de produção
estão em franca recuperação. Recuperação que se iniciou
Publicação Especializada da ABCEM
Associação Brasileira da Construção Metálica na segunda metade de 2009, depois de um começo de
Conselho Diretor ABCEM ano cercado pelas incertezas da crise que se abateu sobre
Presidente
José Eliseu Verzoni (Metasa)
o mundo em 2008.
Vice-Presidentes
No Brasil, além da retomada gradual dos investimen-
Carlos A. A. Gaspar (Gerdau Açominas)
José A. F. Martins (MVC) tos do setor privado e dos programas habitacionais do
Luiz Carlos Caggiano Santos (Brafer)
Ulysses Barbosa Nunes (Mangels) governo, estimulando a construção civil, a Copa 2014 e
Ricardo Garcia da Silva Carvalho (Perfilor - ArcelorMittal)
Diretores as Olimpíadas de 2016 agitam o mercado e devem favo-
Ademar de C.Barbosa Filho (Codeme)
André Cotta de Carvalho (V&M)
recer o aumento da demanda interna de aço. Projetos de
Antônio Carvalho Neto (ABCEM Nordeste) infraestrutura há muito reclamados pela população, de-
Antônio Gattai (Gattai Estruturas de Aço)
Ascânio Merrighi (Usiminas) verão materializar-se para atender os requisitos da FIFA e
Gilso Galina (Açotec)
Horácio Steinmann (UMSA) do COI para esses dois importantes eventos que o Brasil
Luiz Carlos de Lima (Metasa)
Marcelo Manzato (Manzato)
conquistou o direito e a responsabilidade de sediar.
Marcelo Micali Ros (CSN)
Nesta edição da Revista Construção Metálica, a
Marino Garofani (Brafer)
Norimberto Ferrari (FAM Constr. Metálicas) seção Construindo com Aço destaca os principais projetos
Paulo Alcides Andrade (Paulo Andrade Enga.)
Gerente Executiva em andamento no país: investimentos públicos como a
Patrícia Nunes Davidsohn
patricia@abcem.org.br Câmara Legislativa de Brasília, melhorias no sistema de
Secretaria Geral
Av. Brig. Faria Lima, 1931 - 9o andar
transporte por meio da nova rodoviária do Distrito Fede-
01451.917 - São Paulo, SP ral, além de obras de expansão da indústria.
Fone/Fax: (11) 3816.6597
abcem@abcem.org.br A matéria principal tem como foco as obras de pe-
www.abcem.org.br
queno porte e o mobiliário urbano construídas com aço
Jornalista
Thea Rodrigues e que integram cada vez mais a paisagem urbana de vá-
thea@sanseiprojetos.com.br
Jornalista Responsável rias cidades brasileiras.
Tess Abreu (MTb 56064)
tess@sanseiprojetos.com.br
A mão de obra qualificada que a indústria da cons-
Publicidade e Marketing trução em aço requer para desenvolver e executar pro-
Elisabeth Cardoso
elisabeth.cardoso@abcem.org.br jetos, é abordado sob a experiente ótica do engenheiro
Projeto Gráfico
Paulo Ferrara – Sansei Projetos e professor Paulo Andrade. Nessa mesma linha, a RCM
ferrara@sanseiprojetos.com.br
Direção de Arte e diagramação
destaca o projeto Arkhi–Arquiteto do Centro Universi-
Antonio Albino
tário Belas Artes de São Paulo, que conta com o apoio
Impressão
Intergraf – Soluções Gráficas da ABCEM e de outras entidades. Um curso de extensão
Redação e Publicidade
Av. Brig. Faria Lima, 1931- 9o andar destinado a alunos e profissionais do mercado com foco
01451.917 – São Paulo, SP
Fone/Fax: (11) 3816.6597 em sistemas e materiais construtivos.
imprensa@abcem.org.br
www.abcem.org.br
O arquiteto Siegbert Zanettini é o entrevistado da Sala
Tiragem VIP. Um exemplo de profissional, cuja trajetória de suces-
5.000 exemplares
Capa: Estação de Transferência de Ônibus – São Paulo/SP so está intimamente ligada ao aço. A Escola Panamericana
Foto: Nelson Kon
de Artes (EPA), um dos seus projetos mais reconhecidos e
Construção Metálica é uma publicação trimestral, editada desde 1991,
pela ABCEM - Associação Brasileira da Construção Metálica, entidade aclamados, é também apresentada nesta edição.
que congrega empresas e profissionais da Construção Metálica em
todo Brasil. A revista não se responsabiliza por opiniões apresentadas
em artigos e trabalhos assinados. Reprodução permitida, desde que
José Eliseu Verzoni
expressamente autorizada pelo Editor Responsável.
Presidente da ABCEM
4 Construção Metálica
SalaVip

S iegbert Zanettini é formado pela Fa-


culdade de Arquitetura e Urbanis-
mo da USP. Pertence à primeira geração
Há um ponto
de encontro na
vida onde vários
de Professores Doutores da Universidade
momentos e
de São Paulo, em 1972.
circunstâncias
Premiado pela Associação Brasileira
da Construção Metálica (ABCEM) com
levam você
o título de Personalidade da Construção a seguir alguns
Metálica por seu papel na difusão do aço caminhos
na construção civil brasileira, acaba de
completar 50 anos de carreira.

O arquiteto
Siegbert Zanettini – Toda a minha primeiro grupo de professores doutores
trajetória ligou o que eu chamo saber na área de arquitetura em 1972.
teórico com o saber fazer. A parte teó- Todos os meus professores eram da
rica esteve sempre pautada na reflexão politécnica, por isso tive uma formação tec-
da arquitetura, então segui estudando, nológica muito sólida. Sentia que era ex-
fazendo teses, trabalhos, lendo livros, tremamente importante que as duas áreas
ministrando cursos e palestras. Cons- (engenharia e arquitetura) estivessem pró-
truí passo a passo a teoria e a prática, de ximas, trabalhando integradamente.
modo que ambas se complementassem. Alguns arquitetos estrangeiros con-
Refleti muito sobre arquitetura, às vezes seguiam aliar o aspecto sensível com o
levando coisas importantes da obra para aspecto racional. A arquitetura só se dá
a teoria, às vezes levando coisas impor- quando esses dois mundos se unem. Essa
tantes da teoria para a prática. visão multidisciplinar cresceu comigo e
assessoria de imprensa – divulgação

Eu sempre fui um pesquisador, desde todo tempo trabalhei muito bem com en-
que me formei (1961) estive na posição de genheiros, temos uma ligação e uma for-
arquiteto e professor, sem nenhuma dife- ma de comunicação forte.
rença entre as duas áreas de trabalho. Em Sempre pensei para frente. A minha
1964 voltei para a FAU como professor e obra tem uma característica muito mar-
fiquei até 2004, ou seja, 40 anos dando cante, são obras com conceito e linha de
aula no departamento de projeto. Fui do raciocínio profunda.
6 Construção Metálica
Zanettini 50 anos
O arquiteto Siegbert Zanettini abre
o coração para a Revista Construção
Metálica, conta sua trajetória
e fala sobre a relação com o aço
Todas as
minhas obras
sempre foram
ecossustentáveis
e ecoeficientes

A arquitetura Sustentabilidade
Siegbert Zanettini – Costumo dizer tura e eu acho que não é isso, mesmo Siegbert Zanettini – Tenho uma re-
que arquitetura não tem adjetivos, não porque logo que me formei fiz um hos- lação profunda com o meio ambiente,
é arquitetura bancária, hospitalar. É ar- pital de complexidade tal que dependia com o entorno, com o lugar onde a obra
quitetura. É tudo. do trabalho de outros profissionais que vai acontecer. São coisas que todo arqui-
A arquitetura precisa de dados impor- não o arquiteto. teto com um bom nível de informação
tantes de implantação, de acesso, liga- Com a experiência, descobri que era im- deve levar em consideração: analisar o
ção, relevo, clima e também dos usuá- portante haver uma condição industrial entorno, a localização da obra, que con-
rios, porque fundamentalmente você por mais artesanal que fosse a obra. A tribuição essa obra dá para o entorno e
faz edifícios para as pessoas. É uma área produção industrial é a produção verda- como este influencia a obra.
um pouco diferente das demais – você deira da arquitetura porque você con- A minha casa em Atibaia é assim: uma
tem que usar o espaço com atividades, segue ter um controle de qualidade que obra ecologicamente correta, na qual
a obra tem que atender as necessidades não há na obra convencional. A obra é usei mão de obra local, usei pedra local,
do usuário seja qual for: na área médica, planejada, projetada e deve ser executa- aproveitei o que tinha naquela floresta
educacional, coorporativa, habitacional, da conforme foi pensada. maravilhosa, aproveitei o vazio do sítio
industrial. Para mim, não há diferença Quando me perguntam: “Qual é a sua que existia antes sem derrubar nenhuma
de áreas, a arquitetura está em todas. maior obra?” respondo: “Provavelmen- árvore. Uma casa sustentável, onde até
O estético sempre comandou a arquite- te será a seguinte”. a madeira é reciclada, de pinho normal
que colado forma vigas de 20 m ou 30 m.
A casa de Atibaia tem uma importân-
cia muito grande e é uma obra que me
emociona muito, reúne parte do meu ser
e foi feita por mim e para mim.

Estou sempre
em busca de
superação
8 Construção Metálica
SalaVip

Fotos: assessoria de imprensa – divulgação


O aço é
uma das
minhas
O ambiente
de criação paixões
do arquiteto
traduz a sua
afinidade com
a versatilidade
e a plasticidade
do aço

Infância
Siegbert Zanettini – Eu era pobre, meu você vai estudar. Enquanto você estiver auto-peças De Maio-Gallo que necessitava
pai tinha uma marcenaria e eu trabalhava estudando não tem trabalho”, então eu de uma mudança rápida. Eles compraram
com ele. Se me perguntarem como con- só trabalhava durante as férias escolares. um terreno em Cumbica e eu, que já tinha
segui utilizar o aço com rigor, responderei Papai produzia peças de alta performance feito a casa de dois dos sócios, fui incum-
que isso é um pouco do trabalho dele, na para a indústria têxtil, tudo em madeira e bido de fazer a obra com cerca de 17,5 mil
bancada, na prancheta, na máquina, na fibra. Ele estudava, procurava madeiras m2. Analisei todo o processo de produção
empenadeira, na furadeira e na sala de tinta diferentes, fazia peças que se auto-lubri- do produto que eles ofereciam e estudei
– a precisão no trabalho. Eu era um operá- ficavam. Foi por causa dessa educação, o layout para dar uma forma linear para
rio e me transformei num bom marceneiro, que veio de berço, junto com a formação o galpão. Pedi preços em pré-moldados,
aprendi com meu pai a fazer as coisas com da faculdade que eu passei a lidar tão projeto moldado in loco e decidi fazer essa
qualidade. É um pouco da minha origem, bem com a maneira de construir. experiência em aço.
do trabalhado com produção. Aprendi a fazer e enfrentar a obra como ela Naquela época fazia-se muito pouco com
A minha formação vem de pais pobres, é – o que faz muita falta no pessoal mais jo- esse material e a idéia era que o aço só ser-
não vim da elite. Eu tinha que trabalhar vem, que se forma sem nunca ter acompa- via para estrutura de galpões provisórios.
e o meu descanso era o tempo de aula. nhado uma obra e passado pela dificuldade Pensei em fazer a cobertura, a estrutura, o
Meu pai dizia: “Eu não pude estudar, mas da realidade que estava lá fora. fechamento, tudo em aço. Comparei pre-
ços e tempo de execução e vi muita van-
O aço tagem, apresentei a proposta e por ter um
Siegbert Zanettini – Existem várias ra- custo mais baixo e tempo de execução bem
Aprendi zões que se cruzaram para isso acontecer, menor, eles toparam fazer.

a fazer e não é uma coisa que vem num sentido só. A obra é um belíssimo projeto, em aço, a
Acho que você se apropria do material para primeira do Brasil. A montagem da estru-
enfrentar
reproduzir a boa arquitetura. tura e o fechamento aconteceram em 45
a obra como
Tenho várias obras premiadas com con- dias, não chegou a dois meses – isso depois
ela é
creto aparente, mas eu achei que não era que fizemos a fundação, a montagem de
suficiente, então comecei a buscar tecnolo- tudo com pilares, vigas, treliças, coberturas.
gias e isso me levou à área industrial. Fiz
inúmeras indústrias e essa área é um pouco
mais dura, mais seca, é muito objetiva.
No começo de 1970, tive a oportunidade
de fazer uma proposta para a fábrica de
Construção Metálica 9
Eu fui
o garoto Vários projetos do
Zanetinni, como
propaganda o da Clínica Pistelli
(ao lado e abaixo),
tem como linguagem
do aço arquitetônica um
intensivo uso da
estrutura metálica
aparente, a correta
compatibilização dos
elementos construtivos
e um rigor técnico
na utilização aço

Escritório Zanettini
E foi então que vi a diferença, porque eu fa- Siegbert Zanettini – Em 1987, comprei lugar, por que o aço permite isso.
zia indústrias e demorava mais de um ano esse terreno para fazer a obra do escri- Ao longo de 36 dias montamos o escri-
para ficarem prontas. Com o aço, fiz uma tório e comecei a estudar as possibili- tório e foi uma coisa muito inovadora
indústria em meses. Achei um caminho dades. Pensei “vou fazer essa obra em para o Brasil e para época. E essa obra
fantástico e não parei mais. aço”, porque precisávamos mudar rápi- foi uma alavanca para o aço e para o
Fiquei entusiasmadíssimo, realmente é uma damente. O escritório anterior ficava na meu trabalho também.
mudança violenta, mas aí que eu fui sentir Av. Ibirapuera e deveríamos sair em três
que estava muito sozinho no país. Eu estava ou quatro meses. A Escola Panamericana de Artes
indo no sentido da industrialização da cons- No início da obra, encostaram cami- Siegbert Zanettini – A primeira Pana-
trução, buscando atender a grande deman- nhões aqui com aço colorido já pinta- merica que eu fiz foi a unidade Groen-
da da maneira correta, rápida e ecológica. do – e essa foi a primeira obra assim. A lândia, em 1989. Era um passo muito im-
O aço é um material como todos os demais, montagem foi um negócio maluco, até portante também na questão ecológica.
mas que possui enormes possibilidades. TV Bandeirantes veio filmar. Toda vez Haviam 196 árvores frondosas e, entre
Para algumas soluções urbanas ele é imba- que subiam os guindastes o bairro para- elas, uns espaços vazios. A planta foi fei-
tível, basta olharmos obras como estádios va. Tive que ter todo um planejamento ta por entre esses vazios, eu não derrubei
de futebol, ginásios esportivos, hangares, de como as peças seriam colocadas. nenhuma árvore a não ser na segunda
estações rodoviárias e ferroviárias. Todas as peças eram numeradas e colo- parte da obra, porque a árvore ficou na
O aço, no mundo inteiro, dominou grandes ridas, parecia que estava montando um tangência da pirâmide havendo perigo
espaços, pois vence vãos de uma forma mui- grande brinquedo. O mais interessante de ela tombar para dentro – foi a única,
to melhor do que o concreto, por exemplo. é que o dia que eu quiser mudar daqui as outras 195 ficaram lá.
O aço não tem limitações. Ele é pensado tri- é só desmontar e montar isso em outro Eu pensei: “Como eu vou fazer e qual o
dimencionalmente. Quando eu projeto, não mote que vou usar?” Usei o cilindro, o
faço um croqui plano, sempre faço espacial. cubo e a pirâmide que são objetos uti-
Fotos: assessoria de imprensa – divulgação

O aço permite obras espaciais lindíssimas. O lizados nas aulas de artes. Tudo isso em
aço dá leveza e delicadeza à obra. escala gigante.
O aço constrói a sua linguagem própria. A direção da escola perguntou: “Como
vamos fazer?”, porque haviam 800 alu-
nos em período letivo e teriam que mu-
dar de sede durante a obra, alugar um
espaço para que os alunos continuassem
tendo aula. Eu disse: “Vamos tentar fa-
10 Construção Metálica
A construção
toda foi
realizada em
um quarto de
tempo e, não
fosse o aço,
duraria cerca
de um ano
e meio A utilização
da estrutura
metálica denota a
identidade visual da
Panamericana no
ambiente urbano

zer em aço sem vocês mudarem”. O Alex, que é o filho do dono da EPA, uma obra fiel àquilo que estava ali com
Assim, fiz os 22 ateliês passando por aluno da Universidade Presbiteriana Ma- a diferença de que a pirâmide que antes
cima da casa-sede. Montei tudo sem des- ckenzie, já tinha apresentado três ou qua- era aberta e coberta pela árvore teve de
montar as casas, eles não mudaram e a tro projetos para a escola, mas ninguém ser fechada porque ela saiu de lá.
obra aconteceu. As pessoas continuaram atendia o que o homem queria. Foi então Foi uma coisa extremamente complexa
estudando lá dentro durante toda a obra. que o Alex pensou em me chamar e me em termos de estrutura. Depois de al-
Programamos a obra para que, nas férias pediu uma solução – ele me conhecia de guns anos, eles estavam com 2000 alu-
de dezembro, desmontássemos a casa palestras que eu fazia no Mackenzie. nos e a unidade da Groenlândia já não
que ficava dentro do prédio principal. Durante a reunião, o dono da EPA disse: suportava a lotação – todos queria es-
Na segunda etapa, desmontamos a outra “Eu só quero uma coisa: um projeto am- tudar lá. Isso se tornou um problema e,
casa para fazer a pirâmide. biciosamente estético”. Fiz uma maque- sendo assim, sete anos depois fiz a uni-
A construção toda foi realizada em um te em um mês e meio, coloquei em cima dade da Av. Angélica.
quarto de tempo e, não fosse o aço, dura- da mesa e apresentei. O homem dava
ria cerca de um ano e meio. O que facili- gritos: “Meu Deus do céu, era isso mes-
tou esse processo foi o fato do aço permi- mo que eu queria!!! Não tem que me-
tir uma construção silenciosa. xer em nada! É isso aqui que quero”. Fiz

Construção Metálica 11
Reportagem

12 Construção Metálica
O cotidiano em aço
As interferências do aço na paisagem urbana

Um material de natureza versátil, em torno dessa nova configuração. Isso


prático, maleável e resistente que conso- exigiu a elaboração de equipamentos pú-
lidou o chamado mundo moderno: assim blicos relacionados a serviços, comércio,
é o aço que surge junto à segunda fase da lazer, transporte e mobiliários urbanos
Revolução Industrial, trazendo mudan- que os complementassem.
ças significativas para a paisagem urbana Para atender as necessidades com a
e infraestutura das metrópoles. A partir rapidez requerida, o aço tornou-se ma-
do século XIX, o mundo pode inserir, em terial indispensável nas obras urbanas e
larga escala, as estruturas metálicas e o permanece sendo sinônimo de pratici-
conceito de construção que alinhou defi- dade para profissionais desenvolverem
nitivamente rapidez e expressão cultural. seus projetos. Incorporado aos grandes
Na época, houve uma demanda por centros graças a essa agilidade, hoje o
sofisticação diretamente relacionada ao material compõe a identidade visual e
desenvolvimento dos pólos industriais e, plástica das cidades e transforma o es-
consequentemente, da vida que crescia paço urbano.
fotos: divulgação índio da costa arquitetura

Mais que detalhes

Paisagem high tech subsolo encontram-se áreas de apoio e No total, serão 309 unidades em toda a
Quiosques – Rio de Janeiro/RJ serviços (cozinha, estoque, depósito de orla marítima, o projeto prevê a expansão
lixo reciclável, sanitários, caixa d’água e dos quiosques pelas praias de Ipanema,
O cenário é perfeito: sol, mar, pessoas instalações em geral) com cerca de Leblon, São Conrado, Barra e Prainha.
bonitas e... quiosques high tech. 386 m2 e que permitem o funcionamento
Quem transita pelo Rio de Janeiro perfeito da estrutura superior. Início do projeto: 1999
encontra na orla das praias do Leme e Cada grupo de dois quiosques tem Conclusão da obra: 2006
Copacabana (em frente ao Copacabana capacidade para aproximadamente Área de implantação:
Palace) modernos quiosques de folhas cem pessoas sentadas e foram criados 336 m2 (deque); 381 m2 (subsolo)

deslizantes de vidro curvo em perfis de de modo a minimizar os impactos na Arquitetura e design: Luiz Eduardo Índio
da Costa e Guto Índio da Costa (autores);
aço inoxidável. A proposta do escritório paisagem. Critérios de visibilidade, André Barreto, Cláudia Escarlate,
Gilberto Cardoso, Igor de Vetyemy,
Índio da Costa Arquitetura e Design funcionalidade e durabilidade foram Rodrigo Carneiro e César Jordão (equipe)
foi vencedora na categoria “projetos levados em conta no desenho circular dos Estrutura: S. Brasil
especiais” do Prêmio Asbea de 2006. quiosques, que favoreceu a vista do mar, Instalações:
Projetos Integrados de Engenharia
Enquanto na superfície da orla, graças ao vidro incolor aplicado em perfis
Paisagismo: Burle Marx & Cia.
a necessidade de integração de de aço inox 316 que apresenta maior
Construção: Lafem
equipamentos públicos e de uso restrito resistência à maresia. A cobertura, em
Estruturas com inox: RGB
deu origem a quiosques de cinco metros lona e vidro, foi executada em três níveis
Estruturas com alumínio fundido e aço SAC:
de diâmetro, dispostos em pares sobre e contém duas aberturas que permitem a Trópico
uma mesma base (deck) de 336 m2; no ventilação e a iluminação naturais.
Construção Metálica 13
fotos: divulgação orbes arquitetura e urbanismo
Nó urbano
Praça Latif Sebba – Goiânia/GO

As estradas e ruas são as principais apontam sentidos diferentes – sul, leste e


vias de acesso de uma cidade e, desde oeste – fazendo referência as definições
o império romano, são sinônimos do arquiteto Atílio Correia Lima para
de expansão. Hoje os caminhos não as direções de expansão da cidade de
levam somente a Roma, eles formam Goiânia, em 1933.
Data do projeto:
imensas malhas urbanas e tornam-se Sob o monumento está a solução Outubro de 2007

característica marcante. pensada no projeto inicial, que desatou Conclusão:


Dezembro de 2007
O projeto do arquiteto Marco Antônio um dos maiores nós urbanos do centro
Amaral tinha o objetivo de melhorar o da cidade. Foi criada uma passagem Projeto arquitetônico:
Marco Antônio Amaral
intenso fluxo de veículos em uma das de nível no entroncamento das três ORBES – Arquitetura e Urbanismo Ltda
regiões mais movimentadas de Goiânia avenidas, uma delas foi rebaixada,
Aço empregado:
(GO), que recebia o tráfego de três enquanto as outras se cruzam acima. Aço patinável de maior resistência
a corrosão
avenidas distintas. Contudo, a proposta Toda execução da obra durou 120 dias e a
Cálculo estrutura e
deu origem a uma escultura monumental utilização do aço foi a maneira encontrada
Projeto de estrutura metálica:
com elementos metálicos. para reduzir os transtornos no canteiro Mário Coelho Mendonça Júnior
Shammah Sistemas Construtivos
Na Praça Latif Sebba (popularmente de obras e, ao mesmo tempo, oferecer
Fornecimento e montagem
conhecida como Praça do Ratinho) está a variações estéticas que permitiram efeitos
da estrutura metálica:
estrutura de 56 m feita com perfis de aço visuais diferentes: durante o dia o aço Ferroarte Estruturas Metálicas Ltda

de chapa dobrada e revestida com chapas reflete a claridade e, à noite, os refletores Execução da obra:
Planex Engenharia Ltda
metálicas perfuradas. São três elementos internos iluminam as torres através das
em forma de lança que, em intersecção, perfurações nas chapas de metal.
14 Construção Metálica
Reportagem

Nelson Kon
Unidade visual
Estação de transferência de ônibus – São Paulo/SP Projeto Arquitetura:
Jupira Corbucci e Marcelo Barbosa
Transparência, modularidade e design são vencedoras do concurso promovido
Colaboradores:
contemporâneo: estamos falando pela Prefeitura de São Paulo para o Cesari V. Da Silva, A. Carlos Rossi Jr,
Carlos A. Rivera, Luiz F. F. Crepaldi,
das estruturas paralelas em pórticos sistema integrado de transporte público. Fábio Mosaner, Ana Cecília S. P. De Mello
longitudinais, feitas com vigas em aço O projeto oferece estrutura mínima
Estagiários:
de 22 cm de altura e com extremidades para não obstruir a visão de um Lia M. B. Oliveira, Marcela R. Batista

compostas por duas curvas que deram lado para o outro e atende as Informática:
destaque especial àquilo que seria uma especificações de modulação das Alexandre Kishimoto

simples estação de transferência de ônibus. estações que deveria obedecer a um Projeto Estrutura Metálica:
Ernesto Tarnoczi Jr. S/C Ltda.
Em São Paulo, desde 2004, os cidadãos módulo mínimo de 8 m, repetindo-se
contam com mais um equipamento urbano para as estações de 16 m e 40 m.
que cumpre a função de prestar serviço A estrutura em aço foi pensada para
aos usuários de ônibus com praticidade a produção em série dos elementos de chapa metálica nervurada com pintura
e segurança. Projetadas pelos arquitetos complexos do projeto. As curvas são de base cerâmica para a proteção térmica
Marcelo Barbosa e Jupira Corbucci, as idênticas para qualquer tamanho de e os forros são em chapa perfurada,
estruturas das estações de transferência estação, a vedação superior é constituída modular, formando um isolante acústico.
Construção Metálica 15
Reportagem

O belo do centro
Pórtico Praça do Patriarca – São Paulo/SP

Data do projeto: 1992

Conclusão: 2002

Área construída: 500m2

Arquitetura Autor:
Paulo Mendes da Rocha

Colaboradores: Eduardo Colonelli,


Kátia Pestana, Giancarlo Latorraca
e Marcelo Laurino

Estagiários:
Emiliano Homrich Luciana Itikawa e Martin Corullon

Estrutura Estudos prévios:


Fernando Stucchi

Projeto executivo: Maubertec

Cálculo estrutural:
“Não simplesmente restaurar, também praça, que antes não passava de um Eng. Júlio Fruchtengarten

criar novos desenhos que abriguem, terminal de ônibus. Dando sustentação Análise dinâmica:
amparem e expressem hábitos, símbolos à cobertura curva de 20 m x 25 m, uma Paulo Mattos Pimenta

urbanos contemporâneos, do tempo viga triangular, com formato de estrela Construção: FBS Construtora

em que vivemos” - A frase é de Paulo de três pontas, também tem função de Aço empregado: ASTM A36
A. Mendes da Rocha em Memória calha. O vão possui 40 m e se apoia
Estrutura Metálica: Mectal
descritiva do Projeto Patriarca. sobre dois pilares. As chapas de aço
Perfil Metálico: Groth, Fercoi
A obra arquitetônica, isolada em uma utilizadas para o recobrimento possuem
praça, tende a ser monumental e assim é o 3 e 4,5 mm de espessura para a mesa Chapas Metálicas: Benafer, Fasal

Pórtico Praça do Patriarca que traz a leveza superior e, 6 mm para a mesa inferior. Aço: Gerdau

da estrutura de aço em contraposição a Este projeto foi integrado ao chamado Serralheria: Hecoplast
todo o concreto aparente da região central Corredor Cultural, composto por um
da cidade. Trata-se de um projeto para conjunto de intervenções urbanas como
revitalização do local criado pelo arquiteto a troca de piso nas calçadas e criação de
e urbanista Paulo A. Mendes da Rocha em galeria técnica, o nivelamento do leito
parceria com a Associação Viva Centro e a carroçável, a remodelação do mobiliário
Prefeitura de São Paulo. urbano, a reordenação de faixas e linhas
O imenso pórtico branco protege a de ônibus e o alargamento das calçadas
entrada da Galeria Prestes Maia e a na Rua Xavier de Toledo.
16 Construção Metálica
Os gigantes da paisagem foto: José Asseno

Audácia monumental
Ponte Juscelino Kubchieck – Brasília/DF

A Ponte Juscelino Kubchieck não São três arcos inspirados no movimento


poderia ser menos magnânima, de uma pedra quicando sobre
Empreendedor:
impressiona pela funcionalidade o espelho d’água, que sustentam, por Novacap, Governo do Distrito Federal
e pela arquitetura que somam meio de estais de aço, três tabuleiros
Projeto de Engenharia e Cálculo:
a estética de Brasília ao conceito com vão de 240 m cada um. Esses arcos Engº Mário Jaime dos Reis Vilaverde,
Engº Filemom B. de Barros,
que alia beleza e inovação. cruzam diagonalmente, em seqüência, Engº Piotr Slawisnki
Situada em um ponto privilegiado o espaço aéreo do tabuleiro, apoiados
Execução: Consórcio Via Engenharia S.A.,
do Lago Paranoá, vizinha ao Clube em pontos opostos e formando planos Usiminas Mecânica S.A.
de Golfe e dentro do Setor de Clubes inclinados com as seqüências radiadas Projetos Executivos:
Sul, bem próxima ao Palácio da dos estais, dispostos nas laterais das Projconsult Ltda, Cj Projetos,
Consultoria de Arquitetura Ltda
Alvorada, a Ponte JK foi criada com pistas de rodagem.
Comprimento: 1.200m
objetivo de descongestionar outras Os números traduzem a grandiosidade Peso: 12.067 ton
duas pontes existentes sobre o Lago do projeto: 12.580 ton de aço na ponte Estrutura Auxiliar: 1.309 ton
Peso total das camisas metálicas: 3.000 ton
Sul, além de reduzir o trânsito entre e 1.350 ton nas estruturas auxiliares; são
os bairros que contornam a região. 720 m de extensão e 24 m de largura.

Construção Metálica 17
divulgação Walter Torre Jr. Construtora
Nucleo Inox

Edifício Vivo
Sede da Vivo Telefonia Celular – São Paulo/SP

Impossível passar nas imediações da aço corten pintado e formam anéis que
ponte do Morumbi, em São Paulo, e remetem às ondas de transmissão de Projeto: 2001

não ter o olhar atraído pela composição sinais de telefonia celular. Conclusão da obra: 2003
de chapas de aço inox que envolvem O projeto do arquiteto Edo Rocha,
Área do terreno: 9.356 m2
a fachada do edifício da operadora de em parceria com Walter Torre Jr.
Área construída: 36.131 m2
telefonia celular Vivo. A sede da empresa Construtora venceu, dentre os 17
Arquitetura:
e sua torre de 105 m de altura tornaram- participantes, o concurso fechado que
Edo Rocha Espaços Corporativos
se marco visual na paisagem paulistana. selecionou a proposta arquitetônica
Paisagismo: EKF
Na construção foram utilizadas 100 para a sede da então Telesp Celular.
Luminotécnica: Cláudio Furtado
toneladas de aço inox. O emprego do No entanto, antes de sua construção,
sistema tilt-up de pré-moldados in a união da empresa com outras sete Caixilhos: AEC

loco facilitou o processo de execução de telefonia móvel deu espaço à Joint Estrutura Metálica:
Kelly Pitelco
da obra que foi concluída em 14 meses. Venture Vivo. Essa mudança implicou
As chapas de aço, fixadas à alvenaria alterações no desenho da fachada para Instalações: L&M

em diferentes inclinações, receberam que pudesse expressar a imagem da Fundações: Infraestrutura


o acabamento fosco e plano nas faixas companhia recém-formada.
Construção e gerenciamento:
horizontais, enquanto as verticais são O prédio de seis pavimentos é dividido Walter Torre Jr. Construtora
e CME
curvas com acabamento polido. em dois blocos interligados pela caixa dos
Fornecedores do aço:
Já para torre, até os primeiros 40m de elevadores, possui mais de 36.000 m2 de
ArcelorMittal, Inox Brasil (aço inox),
altura, é utilizado o concreto moldado área construída. Os dois blocos têm lajes Algrad (detalhamento da fachada
de aço inox), Qualitinox (execução
in loco com revestimento de aço inox de 1.250 m2, com cantos em balanço e instalação dos painéis de aço inox)
e, os 65 m restantes são de estrutura de fechados por cortina de vidro.
18 Construção Metálica
Reportagem

O Japão é aqui
Memorial da Imigração Japonesa – Belo Horizonte/MG Início do projeto: 2007

Conclusão da obra: 2009


Construído para celebrar a amizade Lins do Rego (Minas Gerais) o
entre os povos, o Memorial da pavilhão de exposições, além da Arquitetura: Mariza Machado Coelho
e Gustavo Penna (autores);
Imigração Japonesa projetado por importância turística e cultural, é Ricardo Gomes Lopes, Norberto
Bambozzi, Laura Resende Penna
Gustavo Penna e Mariza Machado considerado um exemplo de Castro, Letícia Carneiro,
Coelho é carregado de simbolismos. de sustentabilidade, pois cumpriu Priscila Dias de Araújo

Não estamos falando de uma obra as exigências de órgãos ambientais e Estrutura: Marcello Cláudio Teixeira
(metálica); PI (concreto); Projekt
grandiosa em dimensões físicas, do patrimônio, que permitem apenas (detalhamento da estrutura metálica)
afinal o pavilhão possui 500 m2 de pequenas intervenções.
Fundações: Geomec
área construída, mas de um design Toda a estrutura de aço foi soldada
Instalações: Facury
expressivo criado a partir de um e custou 8 milhões de reais.
desenho singelo que “une” o Brasil ao O uso do aço como material, de certa Sala Vermelha: Paulo Pederneiras (autor);
Camila Fabrini e Fernando Maculan
Japão. Os dois países separados pelo forma, interpreta o significado da (colaboradores)

oceano estão simbolicamente ligados comunidade japonesa, que tem muito Execução Sala Vermelha:
nesta obra através de um pavilhão- a ver com a capacitação tecnológica Usiminas Mecânica; PPG

ponte suspenso sobre um espelho do estado de Minas Gerais. O projeto Produção executiva Sala Vermelha:
Patrícia Galvão
d’água que transpõe metaforicamente consumiu mais de 350 toneladas do
essa distância. material fornecidos pela Usiminas em Planejamento e gerenciamento de obras: FS

Segundo o Word Architecture seus 16 m de diâmetro, onde foram Construção: Valvifer (montagem
da estrutura metálica); Collem
Festival (WFA/2009), o projeto soldadas e instaladas chapas de aço Construtora Mohallem (obras civis e
arquitetônico está entre os sete de 3 mm de espessura, com 3,5 m de impermeabilização)

melhores do mundo. Localizado no altura e 1,2 m de largura, arredondadas Fornecedor do aço: Usiminas

Parque Ecólogico Promotor Francisco nos dois sentidos.


Lana Maria

Construção Metálica 19
ArtigoTécnico

Profissionais de
Estruturas Metálicas:
características desejáveis
Paulo A. Andrade expõe neste artigo
a importância e a necessidade da
formação de mão-de-obra qualificada
para construção metálica no Brasil

Paulo A. Andrade

Consultor na área de Estruturas metálicas.

Engenheiro formado em 1948,


pela Escola de Engenharia Mackenzie.

Sócio Remido e membro atuante


do Instituto de Engenharia.

Fundador da ABCEM – Participa


de Diretorias e Conselhos.
foto: ABCEM

20 Construção Metálica
As razões que me levam a fazer estas considerações são a No Brasil, no que diz respeito à
constante preocupação e o desejo de conscientizar usuários e construção metálica, é grande a influên-
profissionais que atuam na área da construção metálica sobre a cia das práticas e técnicas utilizadas na
importância e a necessidade cada vez maior de formação de mão Europa e nos Estados Unidos. São mais
de obra qualificada para o contínuo desenvolvimento tecnológi- de dois séculos de tradição que vem sen-
co. A construção metálica no Brasil, apesar de vir aumentando do absorvida pelos profissionais brasilei-
gradualmente sua participação no mercado brasileiro, é ainda ros. E posso afirmar, com muito orgulho,
objeto de muitos questionamentos e dúvidas. Uma situação que que tem sido grande o progresso nessa
se explica, em parte, pelas dificuldades naturais de um segmen- área. A indústria brasileira da construção
to que, não faz muito tempo, enfrentava a indisponibilidade de metálica tem feito um excelente traba-
matérias primas, e tinha limitado acesso aos avanços tecnoló- lho, com muitas empresas igualando-se
gicos. Um fator negativo que ainda permanece, é a carência de em qualidade ao que de melhor existe no
programas de ensino para a formação de novos profissionais, chamado primeiro mundo.
sendo poucas as Escolas de Engenharia ou de formação técnica
que dispõe de professores realmente especializados na matéria. As razões desse progresso são mui-
Importante dizer que muitas melhorias ocorreram a partir da tas, e a principal é o aumento da deman-
última década do século XX, porém, muito aquém do que ainda da, surgida como resultado da oferta de
precisa ser feito para torná-lo comparável em competitividade chapas e perfis de qualidade estrutural,
e capacidade a outros mercados onde a tradição da construção e que tem obrigado ao aperfeiçoamento
metálica já está consolidada, e em contínuo desenvolvimento. natural da formação e qualificação. O que
pretendo neste artigo é focalizar a impor-
Desde minha formatura em 1948, venho, ininterruptamen- tância qualitativa exigida dos profissionais
te, dedicando-me à construção metálica. Tive o privilégio de atu- envolvidos nas diversas etapas desse sis-
ar em todas as áreas, desde projetos, desenhos de fabricação e tema construtivo, afim de que o produto
montagem, até a comercialização e a gestão empresarial. Sinto- final, ou seja, a construção com estruturas
me, pois, na obrigação de compartilhar com os profissionais do de aço seja o bom resultado da participa-
segmento, principalmente os que estão agora começando, toda ção dos profissionais envolvidos em cada
a experiência que adquiri. E, nessa trajetória, minha preocupa- componente da cadeia produtiva.
ção sempre foi com a qualidade. Quando me refiro à qualidade,
não quero dizer somente do processo, ou do resultado; refiro- No entanto, sinto externar que, em
me principalmente a formação e a preparação de todos os pro- minhas lides profissionais dos últimos
fissionais que atuam no segmento. São eles que, afinal, fazem a tempos, atuando na área de consultoria
diferença. Está na mão de todos os profissionais, cada um em seu e de pareceres técnicos, tenho deparado
setor de atuação, o poder e a capacidade de fazer “qualidade”. com diversas ocorrências patológicas.

Construção Metálica 21
Muitas delas decorrentes de falta de co- da obra. Define-se ainda nessa etapa a integração da estrutura
nhecimento dos envolvidos nas diver- com os sistemas e materiais complementares e outros sistemas
sas etapas do sistema. A consciência de construtivos envolvidos na obra.
qualidade no desempenho profissional Cumpre sempre ressaltar que uma estrutura metálica é o re-
é fundamental para continuar esse pro- sultado da integração dos processos envolvidos, caracterizando-
gresso, pois a boa imagem das estruturas se como sistema industrializado e nunca considerado como siste-
metálicas está intrinsecamente ligada a ma artesanal, onde se cria e se resolvem os problemas na obra.
projetos de qualidade, desenvolvidos e
executados por profissionais bem quali- Dos profissionais responsáveis pela elaboração dos proje-
ficados e treinados. tos requer-se uma ampla experiência e domínio dos conceitos e
práticas relacionados com:
Passo, pois, a elencar algumas carac- • Integração com os vários sistemas construtivos e materiais
terísticas que julgo importante salientar, complementares;
ou seja, quais os conhecimentos e qualifi- • Conhecimento substancial de Resistência dos Materiais e como
cações mínimas desejáveis para um bom se manifestam nas estruturas de aço;
profissional na área de Estruturas Metá- • Conceitos de estabilidade e conceituação do comportamento
licas, nas três atividades mais expressivas estrutural específico e característico das construções em aço. E
dessa arte de construir. também a diferença desse comportamento face às características
de outros processos construtivos, tais como Concreto, Madeira
Projetos ou misto aço-concreto;
Na etapa “projeto” é onde se requer a • Normas nacionais e estrangeiras relativas a cálculos de dimen-
integração da maioria dos conhecimentos sionamentos, aos materiais e à execução de desenhos de fabri-
do sistema construtivo em aço. Não bas- cação e montagem, incluindo os materiais de ligações, tais como
ta apenas um projeto ser bem calculado, parafusos e soldas. Ênfase especial para o correto dimensiona-
e os perfis corresponderem às solicitações mento das ligações;
definidas pelos cálculos de estabilidade. A • Princípios e técnicas de preparação e proteção anti-corrosiva. Nor-
estrutura deverá ser concebida e projeta- mas de proteção passiva contra incêndio, incluindo o comportamen-
da visando a segurança e economia, mas to dos diferentes tipos de aço e suas características frente às condi-
sem prejuízo da qualidade em todos os ções a que serão expostos em sua vida e ás agressões ambientais;
aspectos. Envolve o detalhamento para • Familiaridade com as tabelas de produtos, variedade, dispo-
uma fabricação eficiente e produtiva, vi- nibilidade e características e especificações dos diferentes perfis
sando sempre a praticidade e adequação laminados, soldados e dobrados, assim como sua melhor combi-
às características da montagem e do local nação para as condições dos diferentes projetos;

22 Construção Metálica
ArtigoTécnico

• Principais operações e etapas de fabricação, proteção, transporte projeto seja realizado de


e montagem, e que permitam a melhor integração, desde a con- forma adequada aos sistemas
cepção, passando pelo dimensionamento e execução da obra; de produção;
• Controle da documentação, incluindo desenhos de projeto e • Conhecer a capacidade de Pontes
detalhes de fabricação. Conhecimento das convenções, simbo- rolantes e mono vias para o um
logia, marcação e listagens que permitam fácil identificação das desenvolvimento operacional
peças durante o processo de despacho, transporte e montagem; seguro e compatível;
• Requisitos de qualidade, adequação ao uso e especificação dos • Conhecer a existência e
materiais complementares da estrutura e interfaces; capacitação dos equipamentos
• Atualização tecnológica decorrente da inovação e evolução dos de movimentação, carga,
materiais e processos, tais como: e transportes;
• Aços com especificações especiais que ofereçam • Conhecer os principais ferramentais
maior resistência aos esforços e à corrosão; – sua adequação e limites de
• Equipamentos de produção computadorizados; utilização. Examinar a adequação
•S
 oluções integradas tais como estruturas mistas do projeto ao sistema produtivo
aço-concreto; da indústria fabricante.
• Softwares de cálculo e detalhamento integrados • Conhecimento da seleção e controle
ao processo produtivo. das operações e etapas de fabricação
dos componentes;
Fabricação • Corte, usinagem, furação e solda;
Os profissionais de produção são os responsáveis por todas • Composição e integração de
as atividades relacionadas com a fabricação das estruturas e todo componentes para fabricação dos
o processo industrial, desde a definição dos equipamentos, lay-out módulos e conjuntos;
das linhas de produção, métodos, estoque dos materiais e matérias • Preparação para pintura protetora
primas, controle de qualidade, segurança, até a efetiva preparação e revestimentos – sistemas secos
dos materiais para despacho e envio à obra. São desejáveis para e úmidos;
esses profissionais, conhecimentos básicos abrangendo: • Marcação das peças e elaboração de
• Ter conhecimento da organização das linhas de produção, lay- listas e romaneios para envio à obra.
out eficiente e otimização do processo (fluxo de fabricação); • Controle das matérias primas e mate-
• Capacidade de interpretação dos desenhos de projeto riais – armazenagem e manuseio;
e de execução (detalhes de fabricação); • Inspeção e controle de qualidade;
• Conhecimento dos principais equipamentos em geral: • Garantia de segurança dos processos
suas funções, capacidades e limitações. É importante que o e das pessoas.

Construção Metálica 23
ArtigoTécnico

Montagem tudo, preparação das interfaces com elementos de fechamento


O processo de montagem requer interno externo;
uma perfeita coordenação entre a chega- • Respeito às regras de segurança, tomando cuidados especiais
da do material e o levantamento da estru- na utilização equipamentos de proteção, seguindo rigorosa-
tura, seguindo fielmente o cronograma e mente as regras de trabalho em altura e içamento de peças;
a interação com os demais elementos e As considerações expressadas neste artigo, mesmo óbvias
sistemas envolvidos na construção. Uma em várias situações, expressam o meu desejo de colaborar com os
boa equipe de montagem é um requisito profissionais, principalmente os mais jovens, e com os usuários
fundamental para o êxito do projeto. Os cada vez mais exigentes, interessados no sistema. Visa também
profissionais responsáveis por essa etapa melhorar continuamente a qualidade dos serviços, ampliando a
devem possuir uma ótima experiência, confiança e a competitividade do sistema construtivo em aço no
qualificação técnica em cada uma das mercado brasileiro.
suas respectivas funções e preencher os
seguintes requisitos; Para uma eventual complementação do tema aqui abordado,
• Capacidade de interpretação dos desenhos relaciono alguns artigos de minha autoria e matérias relacionadas:
e esquemas do projeto de montagem; • Revista Engenharia n.º 500/1994, publicada
• Leitura e interpretação das convenções pelo Instituto de Engenharia (Divisão Técnica e Estruturas):
e simbologia; A Construção com estruturas metálicas – Uma visão global;
• Domínio do ferramental e equipamen- • Revista Construção Metálica, ABCEM, no 32/1998
tos, no que se refere à operação e limites Como contratar uma Estrutura Metálica com segurança
de capacidade; (entrevista);
• Alto nível de organização de materiais, • Revista Construção Metálica, ABCEM, no 32/1998
ferramental e equipamentos, mantendo- Consultoria Preventiva na construção com aço, acompanha
os ordenados e prontos para utilização de a gestão de qualidade (entrevista);
acordo com o esquema de montagem; • Revista Brasileira do Aço (INDA) n.o 42/1999
• Capacidade e conhecimento dos prin- A hora e a vez do Aço (entrevista);
cípios de controle de qualidade em todo • Revista Construção São Paulo no 2719, de 20/03/2000
o processo, envolvendo eventuais soldas Entrevista;
de campo, ligações (torque correto nas • Revista Construção Metálica, ABCEM, nos 68 e 69/2005
conexões parafusadas), ancoragem nas A Racionalização da Construção Metálica (Artigo/Palestra).
fundações, níveis de prumo, detalhes de
acabamentos, pintura e revestimentos de Os interessados poderão solicitar cópias através da ABCEM.
proteção, quando necessários, e, sobre-

24 Construção Metálica
ConstruindoComAço

A funcionalidade estética da Panamericana


Sigbert Zanettini consagra o aço como identidade visual
da escola Panamericana de Arte
Detalhes da estrutura
metálica da unidade

Fotos: assessoria de imprensa – divulgação


Av. Angélica da Escola
Panamericana de Artes

A Escola Panamericana de Arte, lo- metálica foi executada com auxilio de uma
calizada na Av. Angélica em São Paulo, grua instalada no centro do prédio. Primeiro
é um dos mais conceituais exemplos de foi erguida toda a estrutura principal, sendo
arquitetura e design em aço. O edifício que as vigas secundárias foram montadas
construído em um terreno de 2.000 m2 diretamente em conjunto com as lajes pré-
possui 5.326,70 m2 de área útil: são qua- moldadas com 4 cm por pavimentos do se-
tro pavimentos e três subsolos, 24 salas gundo subsolo até a cobertura.
de aula, galeria de exposição, ateliês de Projetado para abrigar 2 mil alunos,
arte, estúdio de fotografia, área de convi- a Escola Panamericana de Artes alia fun-
vência e estacionamento. cionalidade à estética arrojada.
Um edifício transparente do andar
mais alto ao subsolo, uma proposta onde Escola Panamericana de Arte
a linguagem do aço dialoga com o espaço Localização: São Paulo/SP
urbano. O projeto do arquiteto Siegbert Za-
Data do Projeto: 1997
nettini sugeriu intensa e minuciosa pesquisa
Data de execução: 1998
em busca de respostas estéticas, tecnológi-
Área construída: 5.326,7 m2
cas e, sobretudo econômico-financeiras.
Proprietário: Enrique Lipszyc
Desde 1989, quando a sede da Es-
cola Panamericana de Arte foi construída Projeto Arquitetônico:
Zanettini Arquitetura Planejamento
na Rua Groenlândia, a imagem da mes- Consultoria SC Ltda.

ma passou a ser associada à arquitetura Construção, planejamento


e montagem da estrutura metálica:
em aço. Por isso, para a reformulação do Construtora Dumez - GTM Ltda.
espaço na Av. Angélica, o material tor-
Aço Especial Usifire (aço especial que
nou-se obrigatório principalmente para retarda o escoamento dos perfis, em caso
de incêndio permitindo grande economia
atender às exigências conceituais. na pintura intumescente): Usiminas
A montagem das 330 ton de estrutura
Construção Metálica 27
Fotos: assessoria de imprensa – divulgação

Fase de finalização
da cobertura da
Câmara Legislativa

Câmara Legislativa do Distrito Federal


Tubos estruturais de aço sem costura são utilizados
no suporte da laje com 900 kg

Para a construção da cobertura do tetônico assinado por Luis Mauro Freire,


auditório da Câmara Legislativa do Dis- do escritório Projeto Paulista de Arquite-
trito Federal a estrutura deve suportar a tura. Estão sendo utilizadas 76 toneladas
laje da construção, ou seja, cada metro de aço para a estrutura da cobertura, com
quadrado de estrutura aguenta uma carga os tubos estruturais correspondendo por
nominal de 900 kg. Para isso, os tubos es- cerca de 80% desse peso.
truturais possuem um desempenho acima
da média de outras soluções metálicas e a Câmara Legislativa do Distrito Federal
utilização desses tubos de aço sem costura Localização: Brasília – DF
Tubos estruturais
utilizados na cobertura torna-se essencial para reduzir a quantida-
do novo auditório Cliente: Governo do Distrito Federal
de do material necessária para suportar a
Área: 790 m2
cobertura uma vez que, com a carga muito
Tubos estruturais: V & M do BRASIL
alta, a solicitação estrutural é maior.
Cálculo estrutural:
O auditório da Câmara terá 790 m2 Ferenge – Engº Paulo Sérgio Ribeiro
de área construída e tem o projeto arqui-
28 Construção Metálica
ConstruindoComAço

Nova rodoviária de Brasília


utiliza estrutura metálica tubular
Treliças tubulares dão suporte à cobertura principal

A rodoviária de Brasília é uma obra Optamos pelos tubos de aço sem costura
que tem toda a sua estrutura formada por devido à facilidade de fazer as ligações da
treliças tubulares, suportando uma cober- treliça e pelo alinhamento estético”, afirma.
tura principal de 15.700 m2, com um vão Ele ressalta ainda que a manutenção das
livre de 50 m. A rodoviária tem três blocos, estruturas tubulares é mais fácil, outro fator
com uma área construída total de 24.900 m2. que influenciou na escolha.
O novo terminal rodoviário abrigará
as operações de embarque e desembarque Terminal Rodoviário de Brasília
das linhas de ônibus de transporte interes- Localização: Brasília – DF
Fotos: Fotos de Sérgio Jr.

tadual de passageiros, serviços de apoio Cliente: Governo do Distrito Federal


com vendas de passagens, serviços de uti- Área: 18.500 m2
lidade pública e comércio de conveniência. Dados técnicos: Estrutura formada por
Segundo o engenheiro responsável pela treliças tubulares, suportando uma co-
bertura principal de 15.700m2, com um
obra, Paulo Sérgio Ribeiro, foram feitas vão livre de 50 m

três propostas de construção da rodoviária, Tubos estruturais: V & M do BRASIL Detalhes das
treliças tubulares
duas envolvendo perfis de aço e uma com Projeto arquitetônico: Reis Arquitetura utilizadas para
construção da
tubos de aço sem costura. “Para fazermos Cálculo estrutural: rodoviária
Ferenge – Engº Paulo Sérgio Ribeiro
a treliça, teríamos que utilizar perfil duplo.
Fabricante de Estrutura:
Isso não só consumiria maior quantidade EMTEC construções metálicas
de aço, como ficaria com a estética pior.
Construção Metálica 29
ConstruindoComAço
assessoria de imprensa – divulgação

Fachada da
nova fábrica
da SEW-
EURODRIVE

Fábrica com design


Multinacional alemã recebe cobertura metálica da BEMO do Brasil

A BEMO do Brasil acaba de concluir do cliente, nos mostra que é possível proje-
o fornecimento e a montagem do sistema tar com design para diversos tipos de em- Fábrica da SEW-EURODRIVE

de cobertura da nova fábrica da SEW-EU- preendimentos, inclusive galpões de fábri- Local: Indaiatuba - SP
RODRIVE, localizada em Indaiatuba - SP. cas”, afirma o engenheiro Fulvio Zajakoff, Ano de início da construção: 2008
Sendo responsável, também, por toda a diretor geral da BEMO do Brasil.
Área da cobertura do prédio industrial:
caixilharia, vidros, policarbonatos, forros, A SEW-EURODRIVE, multinacio- 30.000 m2
ACM, passarelas com linhas de vida e ve- nal de origem alemã, é líder mundial no Projeto de arquitetura e engenharia:
nezianas da fachada do empreendimento. fornecimento de soluções em acionamen- Minerbo Fuchs

Em um projeto com linhas arrojadas tos como motoredutores, conversores de Gerenciamento da obra:
Minerbo Fuchs
e contemporâneas, gerenciado e assinado freqüência e redutores industriais. Seus
pela Minerbo Fuchs, a BEMO construiu produtos atendem diversos setores da in- Fornecimento e montagem
do sistema de cobertura:
30.000 m2 de cobertura termo isolante do dústria, tais como metalúrgico, agrícola, BEMO do Brasil
sistema BEMO Round Roof, com telhas agropecuário, alimentos e bebidas, papel e Controle de qualidade da
calandradas que oferecem versatilidade e celulose, automobilístico e serviços. montagem da estrutura metálica:
BEMO do Brasil
diversas possibilidades de criação. “A BEMO atendeu plenamente às ex-
Fornecimento e montagem
Ao incluir em seu escopo de forne- pectativas da SEW no que se refere à qua- da estrutura metálica: Açotec
cimento todo o material acima da cota de lidade, prazo, atendimento, segurança na
12 m, a BEMO assumiu responsabilidade obra e performance do produto”, finaliza
absoluta sobre a estanqueidade da obra. o engenheiro Hiram Freitas, diretor indus-
“O resultado da construção e a satisfação trial da SEW no Brasil.
30 Construção Metálica
GiroPeloSetor

TDK Brasil e Tekla Corporation apresentam


uma nova maneira de detalhar e modelar
Em março, evento reuniu profissionais do setor e representantes
para demonstração da nova versão do software Tekla Structures

A TDK Brasil, representante da


Tekla Corporation, está a quase oito anos
no mercado brasileiro e latino-americano
atuando na área de intermediação de
negócios com especialização em treina-
mento, capacitação e suporte. A empresa
promove a tecnologia Biulding Informa-
tion Modelling (BIM), através do softwa-
re Tekla Structures - modelagem de in-
formações para a construção e indústria
de aço estrutural.
No mês de março, profissionais das
cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo
conheceram uma nova possibilidade de
trabalhar um projeto de estrutura com o
Tekla Structures. O evento de apresen-
tação foi explicativo ao ponto que, passo Modelos de detalhamento
possíveis por meio do
a passo, um modelo tridimensional (3D) software Tekla Structures
foi criado e alimentado com informações
de arquivos de outros softwares (DWG/ Assim, os usuários dispõem de ficações e os desenhos e relatórios foram
DXF, PDMS, PDS, FRAMEWORKS, vantagens multidisciplinares das in- revisados e atualizados pela ferramenta
STRAP, etc.) e em poucos minutos, po- tegrações com outros softwares e má- de verificação de conflitos de maneira
de-se observar os desenhos de fabricação quinas para criação um único banco de automática. Houve também a exemplifi-
de peças e conjuntos para montagem. dados. Em alguns pontos, o BIM se as- cação das exportações dos arquivos CNC
A ferramenta é apresentada como semelha a outros softwares de projeto de fabricação de peças com a utilização de
uma solução de software de modelagem como o CAD, no entanto, a tecnologia um software de pós-processamento que
e detalhamento 3D capaz de integrar BIM trabalha de maneira mais integra- efetuou a escolha apropriada de máqui-
todo o fluxo de trabalho de vendas e li- da e direcionada, isso porque além das nas para a linha de produção e também a
citação, edificação e fabricação. Desde o informações da geometria dos elemen- utilização do consumo de materiais (com
projeto conceitual até o detalhamento, tos da construção, podem ser acrescen- nesting de perfis e chapas).
ministra toda informação necessária para tados parâmetros como a densidade de É importante ressaltar, que as in-
análise construtiva, desenhos, expressão uma viga em aço, com peso e volume, formações geradas por esse software
gráfica, quantificação de trabalho e tem- gerando até simulações sobre o seu alimentam as máquinas de cortes de
pos de execução, além de apresentar pro- comportamento. chapas e perfis da FICEP e de cortes de
priedades de componentes e produtos Ainda durante o evento de apresen- Tubos da HGG, empresas parceiras da
empregados na obra. tação, o modelo 3D sofreu algumas modi- Tekla Corporation.
Construção Metálica 31
Galvanização

Barreiras de aço galvanizado


substituem as de concreto
divulgação

Facilidade, rapidez na instalação e economia


fazem com que as barreiras de aço tornem-se
uma grande aposta para as rodovias do futuro

Data da galvanização:
2008

Ambiente:
Industrial / Urbano

Ambiente:
Industrial/Urbano

Motivo da galvanização:
Durabilidade,
Livre de manutenção,
Velocidade de execução

Localização:
Columbus, OH – USA

Primeira Manutenção Projetada:


72 anos

www.hillandsmith.com/
highwayproducts/zoneguard.html
fonte: ABCEM

Durabilidade da Camada de Zinco


Correlação Peso/Espessura/Vida Útil da camada

32 Construção Metálica
Projeto inspirado em motos utiliza
aço galvanizado contra corrosão
Barreiras de aço
O projeto
No lugar do sistema de barreiras
típicas de concreto encontrado ao longo
das rodovias de Colombo, Ohio (USA),
o novo aço galvanizado a quente Zone-
guard abriga um grande potencial para
uso em sistemas rodoviários futuros.
Semelhantes em forma de barreiras
de concreto convencional, o sistema Zo-
neguard é mais leve e mais fácil de ins-
talar. Também permite que até 10 vezes
o número de metros lineares a ser trans-
feridos em um caminhão para o local de
trabalho, fazendo a operação mais rápida
e mais barata do que concreto.
As peças de aço foram projetadas
com especiais considerações com o ob-
jetivo de evitar distorções, e um revesti- O imponente museu da Harley Davidson reflete as características da famosa marca de motos

mento liso e que permita limpeza foram


cruciais para o sucesso deste projeto.
Museu Harley Davidson
foto: American Galvanizers
Por serem portáteis, as peças desta
Data da galvanização:
barreira de tráfego, podem ser montadas O projeto 2008
e remontadas por várias vezes, sendo que Localizado nas margens do rio Meno-
Setor:
a durabilidade da galvanização do aço as- monee, em Milwaukee, o Museu da Harley Construção e Arquitetura
sume grande importância. Davidson impõe seus 39.000 m2 sobre um Ambiente:
A proteção da galvanização a quente valorizado terreno industrial. O projeto, que Industrial/Urbano

reduz grandemente os retoques e manu- faz das motos sua própria inspiração, revela Motivo da galvanização:
Durabilidade,
tenção necessária entre as remontagens. vigas, colunas, chapas e braçadeiras, todas Proteção contra corrosão,
Estética
Assim, não só o aço galvanizado fez expostas às ações do sol, neve e chuva.
este projeto inicialmente mais econô- Com 2,5 milhões de toneladas de aço Localização:
Milwaukee, Wisconsin, EUA
mico perante saus concorrentes, como galvanizado e um gasto de US$75 milhões, a
Estimativa da primeira manutenção:
também significa que o proprietário vai boa comunicação entre projetista, fabricante
72 anos
gastar menos com a manutenção e con- e galvanizador resultou em uma estrutura
servação a longo prazo. sólida no processo contra a corrosão.
Construção Metálica 33
NotíciasABCEM

Arkhi-Arquiteto: Pioneirismo
na formação de profissionais

Marcello Minemoto / Belas Artes


ABCEM e Belas Artes firmam
parceria com outras associações
para oferecer curso de extensão
universitária, que irá capacitar
profissionais para o uso de
materiais em sistemas construtivos

Num esforço jamais visto, as mais importantes em países de outros continentes. Mas, no Brasil, a
associações do país ligadas à construção civil se unem distância entre Ensino Superior e mercado ainda é
pela primeira vez e criam, juntamente com o Centro muito grande”, explica o Coordenador do Curso de
Universitário Belas Artes São Paulo, o curso de exten- Arquitetura e Urbanismo da Belas Artes, Prof. Tur-
são Sistemas Construtivos: Processos, Materiais e Produtos guenev Roberto de Oliveira.
que faz parte do projeto Arkhi–Arquiteto. A parceria A iniciativa torna-se ainda mais relevante neste
foi realizada entre importantes associações, como a As- momento, em que o país se prepara para abrigar impor-
sociação Brasileira do Alumínio (ABAL), a Associação tantes eventos mundiais que irão movimentar o merca-
Brasileira da Construção Metálica (ABCEM), a Asso- do ligado à Arquitetura, Engenharia e Construção Civil.
ciação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), a Asso- O programa de aulas foi batizado de Sistemas
ciação Brasileira de Distribuidores e Processadores de Construtivos: Processos, Materiais e Produtos e engloba
Vidros Planos (ABRAVIDRO) e o Instituto do PVC. cinco disciplinas diferentes, cada uma delas ministrada
O curso tem como objetivo, desenvolver pro- por professores indicados pelas instituições parceiras.
fissionais de modo que se tornem aptos a lidar com “As Associações representam os materiais mais utiliza-
diversos materiais e a atender a fomentação do mer- dos na construção civil. Por isso, resolvemos aproximar
cado da arquitetura e construção civil, que irá mo- e trazer o que há de mais moderno dentro de cada área
vimentar o país na próxima década. É uma maneira para os alunos. Queremos criar uma elite de profissio-
de contribuir para o aprimoramento da formação de nais qualificados”, explica Turguenev.
Arquiteto e Urbanista, apresentando ao mercado de “A integração das empresas com as entidades
trabalho um profissional capacitado para atender as que as representam no processo de formação dos pro-
exigências e necessidades da sociedade. fissionais que atuam na construção civil acelera a dis-
“O projeto é bastante ousado, devido ao seu seminação do conhecimento e, sem dúvida, resultará
ineditismo no país. Isso já acontece na Europa e em ganhos de qualidade para o setor. É uma iniciativa
34 Construção Metálica
Representantes
das associações
e membros da
Belas Artes reunidos
na cerimônia de
assinatura do termo
de compromisso
do projeto
Arkhi-Arquiteto

da Belas Artes que nos orgulha apoiar”, completa José mínio às universidades. E esse curso quer conscien-
Eliseu Verzoni, presidente da ABCEM. tizar o profissional da área sobre as potencialidades
O módulo O uso do aço na arquitetura terá como do alumínio, que é um metal leve, moderno e versá-
professor responsável o engenheiro Fernando Otto- til, e cujas propriedades de reciclabilidade, elevada
boni Pinho, que desde 1975 trabalha com estrutu- vida útil e baixa manutenção o tornam indispensável
ras metálicas, passando por empresas como CSN e para empreendimentos sustentáveis”, afirma Magda
Gerdau Açominas. Atualmente ele ocupa o cargo de Reis, arquiteta e mestre em arquitetura e urbanismo,
chefe do Atendimento Técnico Perfis Estruturais – profissional da Votorantim Metais - CBA e coorde-
Brasil na Gerdau Aços Longos e é mestrando pelo nadora técnica do Módulo Alumínio.
IPT na área de Habitação em Tecnologia de cons- Além disso, o curso é uma ferramenta para
trução de edifícios, além de autor de diversos livros e aproximar os estudantes das empresas e vice-versa,
artigos técnicos na área de estruturas metálicas. iniciativa cada vez mais comum no meio acadêmico
Para Renato Giusti, presidente da ABCP, essa e empresarial. “É uma iniciativa inédita que vai faci-
nova relação entidade-escola cria um componente litar o acesso do aluno a esses materiais reduzindo a
importante para a formação de arquitetos, que está distância e estabelecendo um vínculo entre universi-
na transmissão de conhecimentos que possibilitem a dade, alunos e associações”, diz Wilson José Farhat
escolha criteriosa dos sistemas construtivos e a ges- Junior, presidente da ABRAVIDROS.
tão de suas aplicações com qualidade e economia. Para Miguel Bahiense Neto, presidente do Insti-
Essa capacitação é fundamental frente à década pro- tuto do PVC, essa aproximação é fundamental para que
missora que a construção civil terá no Brasil e que os futuros profissionais estejam atualizados com rela-
exigirá profissionais bem preparados. ção às características dos diversos produtos disponíveis
“A Associação Brasileira do Alumínio tem há no mercado, avanços tecnológicos e novas aplicações,
alguns anos um projeto estruturado para levar o alu- podendo assim, especificá-los com mais segurança.
Construção Metálica 35
Módulo O uso do aço na arquitetura
Objetivo: Capacitar o arquiteto e urbanista para especificar e utilizar com propriedade e segurança os produtos
de aço produzidos pela indústria nas construções.

Professor Responsável Conteúdo


Fernando Ottoboni Pinho
é Engenheiro Civil, formado Introdução Pré-dimensionamento
em 1974 pela Escola • A construção em aço no Brasil dos elementos estruturais
de Engenharia de Volta – Organização e capacidade instalada do setor • Normas estruturais
Redonda, iniciou suas – Entidades, Siderurgia, Distribuidores, Serviços • Comportamento dos elementos
atividades em 1975 na Técnicos, Software, Fabricantes, Montadores, – tração, compressão, flexão, flexo-compressão
FEM – Fábrica de Estruturas Coberturas, Insumos, Galvanizadores • Pré-dimensionamento das dimensões
Metálicas da CSN onde • Quando construir em aço arquitetônicas dos elementos
trabalhou até 1998, – O momento da escolha, Análise das características
• Estruturas mistas aço-concreto
ocupando as funções desde da obra e dos sistemas estruturais
Chefe de Equipe de Pontes • Como construir em aço
e Edifícios até Gerente de Ligações e emendas
– Configurando um sistema estrutural em aço
Engenharia, responsável • Ligações parafusadas
por mais de 30.000 ton O aço – tipos, aplicações
de projetos diretos e sob • Produção e reciclagem • Ligações soldadas
sua supervisão. De 1998 a • Aços estruturais – normas – tipos, aplicações
2002, como sócio- diretor da
METALFRAME, desenvolveu Os produtos de aço para a construção Cadeia de produção das estruturas de aço
desde a comercialização, • Chapas – grossas, finas e revestidas • Detalhamento – terminologia e software
projeto e detalhamento até a • Telhas – fabricação, perfis, cargas, arremates, • Suprimento – aproveitamento e emendas
fabricação e a montagem de transporte e montagem • Fabricação – processos e equipamentos
edifícios, galpões e pontes. • Steel-deck – seções e resistências de produção
Em 2002 criou a METALFOP • Grades de piso – seções e resistências • Montagem – processos, equipamentos,
Engenharia, prestando • Chapas de piso – enxadrezada, estirada estabilidade, segurança
serviços de consultoria • Perfis – laminados, soldados, formados a frio, tubos • Proteção das estruturas de aço

Marcello Minemoto / Belas Artes


técnica e cursos na área das • Parafusos – características, dimensões
estruturas metálicas. De (Com Fabio Pannoni – professor convidado)
• Eletrodos e arames de solda
2002 a 2008, atuou como – especificações e aplicações
consultor técnico da GERDAU PROTEÇÃO DAS ESTRUTURAS DE AÇO
AÇOMINAS na Gerência de • Limpeza e Pintura contra a Corrosão
Tipos de estruturas de aço
Desenvolvimento dos Perfis. – Aplicações correntes e o futuro – especificações e aplicações
Estruturais; atualmente • Coberturas • Aços patináveis
ocupa o cargo de Chefe • Mezaninos – formação da pátina, desempenho e aplicações
do Atendimento Técnico • Edifícios de múltiplos andares • Galvanização
Perfis Estruturais – Brasil na – comerciais, residenciais, hotéis, hospitais – a proteção catódica, preparação, aplicações
GERDAU AÇOS LONGOS. • Shopping centers • Proteção contra fogo – normas, argamassas,
Mestrando pelo IPT na área • Estádios e ginásios tintas intumescentes, aplicações
de Habitação em Tecnologia • Galpões industriais e estruturas • Principais formas de corrosão e como prevenir
de construção de edifícios. suporte de equipamentos
Autor dos livros Edifícios de • Pontes e viadutos Interfaces das estruturas
Múltiplos Andares em Aço – • Passarelas de aço com outros materiais
Ed. PINI, Manual de Pontes e • Torres • Interfaces com vedações internas
Viadutos em Vigas Mistas –
CBCA, Manual de Viabilidade – alvenarias, dry-wall
Sistemas estruturais em aço
Econômica – CBCA e • Interfaces com vedações externas
– características e concepção
Capítulo Produtos Metálicos – alvenarias
• Sistemas de coberturas e fechamento lateral
Estruturais do manual de • Lajes – Pré-fabricadas de concreto, Steel-deck
• Sistemas de pisos
Materiais do IBRACON, e – vigamento principal e secundário
diversos artigos técnicos • Sistemas de estabilidade horizontal Viabilidade econômica
nas revistas como a Téchne, – pórticos, contraventamentos das construções em aço
Engenharia, Finestra, etc. • Vibrações em pisos • Análise do empreendimento em aço
– Percepção das pessoas, amortecimento, verificação • Planilhas interativas

36 Construção Metálica
NotíciasABCEM

Alunos, professores,
representantantes das
associações e interessados

A cerimônia de assinatura lotam o auditório da Belas


Artes durante evento

Evento formaliza parceria entre Belas Artes e Associações

A oficialização do novo curso, aconteceu no responsável pelas ações que reuniram empresários
dia 02 de março na Belas Artes. A cerimônia de as- e representantes das entidades, afirmou durante o
sinatura do termo de compromisso de cooperação evento que “O Arkhi – Arquiteto é um curso modelo
técnico-científica, contou com a presença de repre- que certamente será expandido e agora, com o aval
sentantes de todas as associações. de todos os envolvidos, dá-se o arremate para esse
Soriedem Rodrigues, assessor de relações ins- projeto de caráter nacional alterar o modelo de cur-
titucionais do Centro Universitário Belas Artes e sos de extensão no país”.
Construção Metálica 37
Sidney Ferreira Leite Renato Jos Giusti Adjarma Azevedo
Centro Universitário Belas Artes de São Paulo ABCP ABAL
Supervisor Administrativo (representando Presidente Presidente
o reitor Dr. Paulo A. Gomes Cardim)

Soriedem Rodrigues,
assessor de relações
institucionais e
Prof. Turguenev
Roberto de Oliveira,
coordenador do
Curso de Arquitetura
e Urbanismo
da Belas Artes

Para Carlos A. A. Gaspar, Vice-Presidente de inicio no da 13 de março, o curso tem duração de


Desenvolvimento de Mercado da ABCEM, que na 250 horas e, para essa primeira fase, as vagas foram
ocasião representou a entidade na cerimônia, esse distribuídas da seguinte forma: 20 vagas exclusivas
projeto representa bem mais “É a realização de um para os alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo
sonho pessoal, unir a indústria com profissionais em do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo; 15
formação para investir no mercado de trabalho”. vagas destinadas a acadêmicos de outras instituições
Durante o semestre letivo, as aulas são minis- de ensino ou diplomados interessados no aprimo-
tradas aos sábados e no período de férias (janeiro ramento profissional; 20 vagas para estudantes ou
e julho) acontecerão nas duas últimas semanas de profissionais indicados pelas associações parceiras,
cada mês, de segunda a sexta-feira. As aulas tiveram sendo 4 vagas para cada entidade.
38 Construção Metálica
NotíciasABCEM

Carlos A. A. Gaspar Miguel Bahiense Neto Wilson José Farhat Junior


ABCEM Instituto do PVC ABRAVIDRO
Vice Presidente Presidente Presidente
(representando o Presidente José Eliseu Verzoni)

Prof. Dr. Enio Moro Junior

Durante a palestra Novos desafios da


capacitação profissional, o professor
destacou que o mercado interno está em
forte expansão, principalmente na cadeia
produtiva da construção civil. Os desafios
para os próximos anos serão intensos:
copa do mundo, olimpíadas, aeroportos,
portos, trem de alta velocidade, infra-
fotos: Marcello Minemoto / Belas Artes

estrutura para transportes, exposição


mundial, bicentenário da independência,
etc. Enio ressaltou que os processos
tradicionais de ensino não conseguirão
atender à essas demandas, uma vez que
as políticas nacionais de educação, em para um mundo irreal e o empresário está
linhas gerais, priorizaram a quantidade distante dos centros de capacitação.
de estudantes em detrimento ao ensino O professor conclui que é necessário uma
qualificado. Segundo ele, o treinamento ação conjunta: academia e empresariado
do universitário para o mercado de trabalho por meio de suas associações.
é no próprio mercado de trabalho, ou seja, A estruturação de um curso específico para
Carlos A. A. Gaspar, a indústria admite e continua capacitando. áreas também específicas abrevia a entrada
vice-presidente de Os custos diretos e indiretos desta no mercado de trabalho. Esta ação aumenta
desenvolvimento de mercado
capacitação são altos, seja em tempo significativamente a eficiência do estudante
da ABCEM, sendo entrevistado
por Surrey Youssef. (pelo menos 3 anos) ou em recursos. e diminui os custos desta complementação
Ao lado, Elisabeth Cardoso, Após este treinamento no mercado, o de conhecimentos pelo mercado.
responsável pelo marketing
e Patricia Nunes Davidsohn, profissional migra para outra empresa. As associações representativas da cadeia
gerente executiva – ambas Enio afirma ainda que as necessidades produtiva da construção civil sabem das
da ABCEM
atuais da cadeia produtiva da construção necessidades do mercado e das dificuldades
civil são dinâmicas: novos produtos, para inserção profissional e a academia
eficiência, produtividade, concorrência possui as estratégias para a capacitação
nacional e internacional, uma vez que deste profissional e, agora em conjunto,
a Universidade não pode mais capacitar estão construindo este modelo inovador.

Construção Metálica 39
NotíciasABCEM

Arquitetos reunidos
durante brunch de
estreia da exposição
A boa arquitetura
de uma geração, em
outubro de 2009, na
Panamericana Escola
de Arte e Design

ABCEM e CBCA apoiam


A boa arquitetura de uma geração
Zanettini Arquitetura, Panamericana Escola de Arte
e Design e Editora Pini lançam livro

Idealizada pelo arquiteto Siegbert Dácio Ottoni, Decio Tozzi, Eduardo de 2.000 exemplares, que será enviada gra-
Zanettini, no ano de comemoração aos Almeida, João Filgueiras Lima – Lelé, João tuitamente a todas as universidades que
50 anos da sua história de atuação pro- Walter Toscano, Joaquim Guedes (in me- possuem curso de arquitetura no Brasil.
fissional e acadêmica, a exposição A Boa moriam), – Paulo Bruna, Paulo de Mello “O objetivo do livro é estimular o estu-
Arquitetura de uma Geração reuniu na Bastos, Paulo Mendes da Rocha, Reinaldo do e a difusão de conhecimento na área
Panamericana Escola de Arte e Design, Pestana, Roberto Loeb, Ruy Ohtake, Si- de arquitetura, enriquecer os acervos das
em uma iniciativa inédita, 18 arquitetos donio Porto e Siegbert Zanettini.- bibliotecas com uma produção de exce-
brasileiros ícones no cenário mundial. A Com o apoio do CBCA e da AB- lente qualidade e valorizar a história de
exibição contou com Aflalo&Gasperini CEM, a exposição A Boa Arquitetura de nosso país”, afirma Zanettini.
Arquitetos, Botti Rubin Arquitetos, Can- uma Geração agora transforma-se em
dido Malta Campos Filho, Carlos Bratke, uma publicação especial, com tiragem de Fonte: Assessoria de Imprensa Zanettini Arquitetura

40 Construção Metálica
Gerdau é primeira produtora de aço
brasileira a receber selo ecológico
para produtos da construção civil
A Gerdau é a primeira produtora de Gerdau que fabricam os produtos certifi- Design (LEED®), o selo mais usado para
aço brasileira a receber o “Selo Ecológico” cados, envolvendo 45 plantas da empre- a certificação de “prédios verdes”, a cer-
para seus produtos voltados à constru- sa. Durante o processo de certificação, tificação do Instituto Falcão Bauer atesta
ção civil. O selo, concedido pelo Instituto foram analisadas as práticas ambientais pontuação dos produtos Gerdau no re-
Falcão Bauer da Qualidade, reconhece os dos fornecedores de insumos e sucata, o quisito que trata da utilização de mate-
vergalhões Gerdau (GG 50, CA-60, CA-25 processo produtivo, a destinação do ma- riais. O LEED® é concedido pelo Green
e cortado e dobrado), telas (para concreto, terial e o processo de reaproveitamento Building Council.
coluna e tubo), malhas pop e treliças. A de sucata. A Gerdau é a maior recicladora Para a coordenadora do Pólo da
certificação assegura que a empresa segue da América Latina. Construção Civil do Instituto Falcão Bauer,
práticas ambientalmente sustentáveis no Além de garantir o cumprimento Marisa Plaza, “a busca pela certificação é
processo de fabricação desses produtos. O dos pré-requisitos da sustentabilidade, uma tendência da construção civil, porque
Instituto Falcão Bauer é um dos mais anti- o selo facilita a obtenção, pelas cons- mostra que as empresas estão cada vez
gos certificadores de produtos no Brasil. trutoras, de certificações ambientais de mais preocupadas com a sustentabilidade
“Essa é uma das certificações mais seus empreendimentos. No caso do Le- de seus negócios e com a redução dos im-
relevantes que uma empresa pode rece- adership in Energy and Environmental pactos de suas atividades.”
ber no Brasil em relação a seus produtos.
A iniciativa reconhece a preocupação da
Sobre a Gerdau
Gerdau com a sustentabilidade nos pro-
A Gerdau é líder na produção de aços longos nas Américas e uma das maiores fornecedoras de
cessos de produção, a partir de um rigo-
aços longos especiais no mundo. Possui presença industrial em 14 países, com operações nas
roso processo de análise conduzido pelo Américas, na Europa e na Ásia, as quais somam uma capacidade instalada superior a 20 milhões
Instituto Falcão Bauer”, explica Paulo de toneladas de aço. É a maior recicladora da América Latina e, no mundo, transforma, por ano,
milhões de toneladas de sucata em aço. Com mais de 140 mil acionistas, as empresas de capital
Ricardo Tomazelli, diretor Comercial de
aberto da Gerdau estão listadas nas bolsas de valores de São Paulo (Bovespa: GGBR4, GGBR3,
Aços Longos Brasil da Gerdau. A avalia- GOAU4, GOAU3 e AVIL3), Nova Iorque (Nyse: GNA, GGB), Toronto (GNA: TO), Madri (Latibex:
ção ocorreu em todas as usinas, unidades XGGB) e Lima (BVL: SIDERC1). www.gerdau.com.br

de transformação e de corte e dobra da

Construção Metálica 41
O aço no novo auditório
do hospital Albert Einstein
Telhas Silent Roof da BEMO do Brasil fazem a cobertura do espaço

Auditório
Moise Safra
com capacidade
para 500 pessoas
no Hospital
Albert Einstein

A construção do auditório Moise tizado com menor consumo de energia.


Safra no complexo do hospital Albert Em testes realizados recentemente
Einstein, em São Paulo, conta com as nos Estados Unidos, para apuração do
telhas Silent Roof, da BEMO do Brasil, índice de refletância solar, foi constatado
como a solução mais adequada para que o Silent Roof apresenta o SRI de 93,
cobertura do novo espaço. A obra é da superior ao mínimo de 78 exigido pelo
Serpal Engenharia, empresa que integra órgão certificador, o que poderá contri-
o Grupo Advento. buir para uma eventual obtenção da cer-
O novo auditório terá capacidade tificação LEED no empreendimento.
para receber 500 pessoas e será inaugu- A escolha desse sistema de cober-
rado no segundo semestre de 2010. A tura permitirá, ainda, a racionalização e
utilização das telhas Silent Roof garantirá a organização do canteiro de obras, em
a estaqueidade da obra e uma excelente uma construção limpa e silenciosa que
proteção acústica por impacto, além de não interfere na rotina diária do hospital
proporcionar um ambiente interno clima- em funcionamento.
42 Construção Metálica
NotíciasABCEM

Mangels é a primeira galvanizadora do Brasil


certificada em ISO 14001:2004
Cumprimento às normas demonstra que a Mangels possui postura ambientalmente correta

MARÇO 2010 – Em dezembro de 2009 A certificação ISO 14001 serve tam- ternacional que especifica requisitos para
a Mangels se tornou a primeira empresa do bém para garantir a segurança de seus um Sistema de Gestão da Qualidade,
Brasil de galvanização a fogo para terceiros trabalhadores, melhorar o ambiente de onde a organização deve demonstrar
a receber a certificação internacional ISO trabalho e, também, como modelo de sua habilidade em fornecer produtos que
14001:2004, que tem como objetivo a me- qualidade e responsabilidade ambiental atendam às necessidades de seus clien-
lhoria contínua do desempenho ambiental para seus clientes e fornecedores. tes visando a satisfação dos mesmos, in-
e de todas as atividades, serviços e produtos Assim como na ISO 14001, a Mangels cluindo o constante trabalho de melhoria
da empresa, por meio do controle do impac- Unidade Galvanização se tornou no ano de contínua de seus processos e a garantia
to ambiental relacionados a essas ações. 2001 a primeira galvanizadora para terceiros de conformidade com o cliente e requisi-
O cumprimento às normas da certi- a ser certificada pela ISO 9001, que agora em tos estatuários e regulamentares.
ficação ISO14001 demonstra que a Man- março de 2010 foi revalidada já em sua mais A Mangels também é pioneira no se-
gels possui uma postura ambientalmente nova versão: ISO 9001:2008, o que reforça a tor de galvanização para terceiros nas certi-
correta e que está preocupada com a pre- credibilidade da empresa no mercado. ficações SA 8000 (Responsabilidade Social)
servação do meio ambiente à sua volta. A ISO 9001:2008 é uma norma in- e OHSAS 18001 (Saúde e Segurança).

Construção Metálica 43
Panorama no pós-crise é assunto principal
da 21ª edição do Congresso Brasileiro do Aço
Evento da indústria do aço no Brasil, organizado pelo IABr,
acontece paralelamente à ExpoAço 2010

A 21ª edição do Congresso (14 a 16 como promessa de retomada mais forte do tein que estarão no Brasil para debater
de abril), no Transamérica Expo Center, consumo. No cenário internacional os ho- os impactos da China nas tendências da
em São Paulo, tem o objetivo de traçar o lofotes ainda estão nas incertezas sobre a siderurgia mundial. O painel será logo
panorama da indústria do aço no Brasil e retomada do mercado e a certeza é de que depois da palestra inaugural de Lakshmi
no mundo. As tendências da siderurgia a China continua sendo a locomotiva. Mittal, CEO da ArcelorMittal, o maior
mundial e os impactos da China estão em Em paralelo ao Congresso acontece grupo siderúrgico do mundo.
pauta para essa discussão, uma vez que, a ExpoAço 2010, feira de negócios que
no ano passado a produção mundial de ocupará cerca de 3.000 m2 , reunirá re-
aço bruto foi de 1,2 bilhão de toneladas, presentantes e terá entrada gratuita para Congresso Brasileiro do Aço
– Palestrantes confirmados:
-8% em comparação com 2008, segundo o visitantes. Então, além das discussões
WorldSteel Association. Desconsiderando durante as palestras, os congressistas • Lakshmi Mittal, CEO da ArcelorMittal
a participação da China, a queda chegou a podem conversar pessoalmente com re- • Ian Christmas, diretor geral
da WorldSteel Association
21,1%, percentual próximo ao do Brasil. presentantes da cadeia siderometalurgica
• Barry Naughton, professor
A indústria brasileira do aço foi, durante a feira. especializado em economia chinesa
certamente, uma das mais atingidas pe- O Congresso Brasileiro do Aço apre- – University of California
• Geng Xiao, diretor da Brookings
los efeitos da crise econômica mundial, sentará um painel exclusivo, no dia 15,
–Tsinghua Center
mas apresentou sistemática recuperação com a participação do presidente do BN- • John Lichtenstein, diretor da Accenture
ao longo de 2009. As previsões para este DES, Luciano Coutinho; do presidente da • Luciano Coutinho, presidente do BNDES
• José Carlos de Oliveira Lima,
ano são de forte recuperação dos níveis ABDIB, Paulo Godoy; e do vice-presidente
vice-presidente da FIESP – coordenador
de atividades da indústria do aço no País. da FIESP e coordenador do Construbusi- do Construbusiness
O consumo deve crescer 23,3%, as ex- ness, José Carlos de Oliveira Lima. • Joachim Schröder, CEO da
Research & Consulting Group AG
portações 23,4%, possibilitando aumento Contará com as presenças do dire-
• Roger Agnelli, presidente da Vale
de 25,1% na produção de aço bruto, para tor geral do WorldSteel Association, Ian • Dani Rodrik, professor de
33,2 milhões de toneladas. Christmas; do professor especializado política econômica internacional
– Harvard University
No Brasil os chamados projetos espe- em economia chinesa da University of
• Delfim Neto, economista
ciais do governo - Copa 2014, Olimpíadas Califórnia, Barry Naughton; do diretor da e ex-ministro da Fazenda
2016, Pré-Sal, Minha Casa, Minha Vida Brookings-Tsinghua Center, Geng Xiao; • Armando Monteiro, presidente da CNI

e Trem bala – são o centro das atenções, e o diretor da Accenture, John Lichtens-
44 Construção Metálica
NotíciasABCEM

Shoppings impulsionam o mercado da construção civil


A estimativa é de 19 novos empreendimentos em 2010 e empresas
se preparam para atender essa demanda

Segundo a Associação Brasileira de parte destes empreendimentos. Apenas da dos shoppings, que exigem agilidade
Shoppings Centers (Abrasce), para este nas obras dos shoppings Capim Doura- na construção”.
ano estão previstos 19 novos empreendi- do (Tocantins), Pátio Maceió (Alagoas), Em valores de mercado, os shoppin-
mentos em todo o Brasil que, somados às Osasco, Santana, Itaquera e ampliação gs são responsáveis por 18,3% do varejo
construções já existentes, contabilizarão do Shopping Aricanduva (São Paulo), nacional e por 2% do PIB. Esses núme-
mais de 400 centros de consumo em todo foram utilizados mais de 120 mil metros ros comprovam a importância do setor,
o Brasil. Empresas dos mais variados se- quadrados de cobertura. que entre 2006 e 2008 cresceu 28%. Os
tores se preparam para o atendimento De acordo com Fernanda Borges, resultados são reflexos também de ações
dessa demanda por serviços e produtos gerente de marketing da Marko, os como os investimentos de grupos inter-
ao longo de 2010. shoppings seguem a tendência do uso nacionais no mercado nacional, abertura
Exemplo disso é a Marko Sistemas cada vez maior de estruturas metálicas de capital na bolsa de valores e excelente
Metálicos, fabricante exclusivo da co- pré-fabricadas. “Temos a vantagem da gestão de seus administradores.
bertura metálica Roll-on e responsável produção em grande escala e a pronta-
pelo fornecimento desse produto a boa entrega, conseguindo atender à deman- Fonte: Assessoria Marko Sistemas Metálicos

Construção Metálica 45
NotíciasABCEM

Usiminas vai ajudar a construir


os primeiros prédios em aço
do Minha Casa Minha Vida
Programa demandará 108 toneladas de aço

A Usiminas e as construtoras par- empresas, a CEF e a prefeitura, é fruto de negócio. Além disso, todo o empreendi-
ceiras da siderúrgica assinaram, com a um trabalho que a Usiminas vem reali- mento – da fundação ao acabamento fi-
Caixa Econômica Federal (CEF) e com zando junto à administração municipal nal do prédio – pode ficar pronto em um
a prefeitura de Volta Redonda (RJ), um de Volta Redonda desde o lançamento período de seis meses, metade do tempo
contrato para a construção de seis prédios do “Minha Casa, Minha Vida” para via- normal para uma obra feita com estrutu-
com estrutura de aço dentro do programa bilizar a construção das moradias. A em- ra de concreto.
“Minha Casa, Minha Vida”. Os edifícios, presa deu apoio técnico na escolha dos A Usiminas possui expertise na
destinados a famílias com renda de zero terrenos – que são doados pela prefeitura construção de moradias para a baixa ren-
a três salários mínimos, terão 16 apar- – e no planejamento dos projetos que se- da. Desde 1999 a siderúrgica desenvolve
tamentos de 42 m2 cada, totalizando 96 riam inscritos no programa. o projeto Habitações de Interesse Social
unidades. Essas serão as primeiras uni- Além de Volta Redonda, a Usiminas da Usiminas, que constrói casas e apar-
dades do programa do Governo Federal também pretende participar do programa tamentos padronizados a partir de perfis
construídas com estruturas de aço. do Governo Federal em outras cidades. conformados a frio. Com foco na redução
A construção dos seis prédios de- Em Ipatinga (MG), onde a siderúrgica de custos, na velocidade construtiva, na
mandará 108 ton de aço e um investimen- possui uma usina, o potencial já mape- redução de resíduos e, em aspectos eco-
to total de R$ 4 milhões. A intenção das ado é de 216 apartamentos. Outros mu- nômico, social e sustentável, o projeto já
empresas envolvidas é iniciar as obras ain- nicípios também estão sendo sondados, construiu mais de 500 prédios e 5 mil ca-
da em abril. Os apartamentos deverão ser sempre em busca de parcerias com as sas em todo o Brasil.
entregues ainda em 2010, depois de um prefeituras locais para o desenvolvimen- A construção civil é um dos mer-
período de obras entre seis e oito meses. A to dos projetos. cados estratégicos que a empresa vem
velocidade das obras é uma das principais trabalhando. Além de entrar no segmen-
vantagens da construção em aço. Aço especial to residencial através do “Minha Casa,
A Usiminas já mapeou oportunidades Na construção dos prédios, a Usi- Minha Vida”, a siderúrgica vem se posi-
para a construção de 2.496 moradias em minas vai utilizar o aço UsiSac, que tem cionando como fornecedora para os in-
Volta Redonda dentro do programa “Mi- alta resistência à corrosão, o que garante vestimentos que serão realizados no País
nha Casa, Minha Vida”. O número corres- a qualidade e a segurança das habitações. em função da copa do Mundo de 2014 e
ponde a 156 prédios, em dez terrenos dis- Entre as vantagens da construção em das Olimpíadas de 2016. Estádios, aero-
tintos, que poderiam demandar aportes da aço está o baixo índice de erros durante portos, pontes, estações de metrô, dentre
ordem de R$105 milhões no município. a obra, devido à alta industrialização do outras obras de infraestrutura, podem
A assinatura do contrato entre as processo, aumentando a rentabilidade do utilizar o aço fornecido pela empresa.
46 Construção Metálica
Torres para telecomunicação e energia
Sócios&Produtos

Mezaninos, escadas,corrimãos
Galpões, silos e armazéns
Serviços Fabricantes Montadores

Projeto de Engenharia Estrutural


Técnicos de

Edifícios comerciais
Edifícios industriais

Defensas metálicas
Sistemas espaciais
Pontes e viadutos

Pré- Engenharias

Consultoria - Planejamento
Estruturas

Obras especiais

Projeto de Arquitetura
EMPRESA TELEFONE
AÇOBRIL (11) 2207-6700
ACCIAIO (11) 4023-1651
AÇOFER (65) 3667-0505 EMPRESA TELEFONE
AÇOTEC (49) 3361-8700 ACCIAIO (11) 4023-1651
Projeto de Engenharia Estrutural

ÁGUIA SISTEMAS (42) 3220-2666 AÇOTEC (49) 3361-8700


ALPHAFER (11) 4606-8444 ALPHAFER (11) 4606-8444
Consultoria - Planejamento

ALUFER (11) 3022-2544 ALUFER (11) 3022-2544


Projeto de Arquitetura

ARMCO STACO (11) 2941-9862 ARTSERV (11) 3858-9569


ASA ALUMÍNIO (19) 3227-1000 BEMO (11) 4053-2366
BIMETAL (65) 2123-5000 BIMETAL (65) 2123-5000
BLAT (18) 3324-7949 BRAFER (41) 3641-4613
BRAMETAL (27) 2103-9400 CODEME (31) 3303-9000
BRAFER (41) 3641-4613 CONTECH (11) 2213-7636
EMPRESA TELEFONE CODEME (31) 3303-9000 CONTRATO (11) 5562-0051
ACCIAIO (11) 4023-1651 CONTECH (11) 2213-7636 CPC (61) 3361-0030
AÇOTEC (49) 3361-8700 CONTRATO (11) 5562-0051 DAGNESE (54) 3273-3000
ANDRADE & REZENDE (41) 3342-8575 CPC (61) 3361-0030 DÂNICA (11) 3043-7883
ARTSERV (11) 3858-9569 DAGNESE (54) 3273-3000 DINÂMICA (19) 3541-2199
ASA ALUMÍNIO (19) 3227-1000 DINÂMICA (19) 3541-2199 EMMIG (34) 3212-2122
BIMETAL (65) 2123-5000 ENGEMETAL (11) 4070-7070 EMTEC (11) 5184-2454
BRAFER (41) 3641-4613 EMMIG (34) 3212-2122 ESTRUTEC (31) 3394-6035
CARLOS FREIRE (11) 2941-9825 EMTEC (11) 5184 2454 EUROTELHAS (54) 3027-5211
CODEME (31) 3303-9000 FABSTEEL (41) 3033-3530 FABSTEEL (41) 3033-3530
CONTRATO (11) 5562-0051 FAM (11) 4894-8033 FAM (11) 4894-8033
DÂNICA (11) 3043-7883 FREFER METAL PLUS (11) 2066-3350 GATTAI (11) 3735-5774
EMMIG (34) 3212-2122 GATTAI (11) 3735.5774 H. PELLIZER (11) 4538-0303
EMTEC (11) 5184-2454 H. PELLIZZER (11) 4538-0303 ICEC (11) 2165-4700
FAM (11) 4894-8033 ICEC (11) 2165-4700 IMESUL (67) 3411-5700
H. PELLIZZER (11) 4538-0303 JM (31) 3281-1416 JM (31) 3281-1416
ICEC (11) 2165-4700 IMESUL (67) 3411-5700 MARFIN (11) 3064-1052
MARFIN (11) 3064-1052 JOCAR (19) 3866-1279 MARKO (21) 3282-0400
MBP (11) 3787-3787 MARFIN (11) 3064-1052 MBP (11) 3787-3787
MECANICA USIMINAS (11) 5591-7031 MARLIN (92) 3644-2040 MECAM (31) 3629-4042
MEDABIL (54) 3273-4000 MECAN (31) 3629-4042 MECÂNICA USIMINAS(11) 5591-7031
MULTIMETAL (65) 3685-2811 MEDABIL (51) 2121-4000 MEDABIL (54) 3273-4000
MUTUAL (15) 3363-9400 METASA (51) 2131-1500 METASA (51) 2131-1500
NOVAJVA (54) 3342-2252 MULTIMETAL (65) 3685-2811 MULTIMETAL (65) 3685-2811
PAULO ANDRADE (11) 5093-0799 MULTI-STEEL (16) 3343-1010 MULTI STEEL (16) 3343-1010
PERFILOR ARCELORMITTAL (11) 3171-1775 NOVAJVA (54) 3342-2252 MUTUAL (15) 3363-9400
PLASMONT (11) 2241-0122 PLASMONT (11) 2241-0122 NOVAJVA (54) 3342-2252
PROJEART (85) 3275-1220 PROJEART (85) 3275-1220 PERFILOR ARCELORMITTAL(11) 3171-1775
RMG (31) 3079-4555 SAE TOWERS (31) 3399-2702 PLASMONT (11) 2241-0122
SANTO ANDRÉ (11) 3437-6373 SANEBRAS (21) 2671-5354 PROJEART (85) 3275-1220
SEMAM (79) 3254-1488 SEMAM (79) 3254-1488 SEMITH (11) 2598-1580
SIDERTEC (16) 3371-8241 SIDERTEC (16) 3371-8241 SIDERTEC (16) 3371-8241
SOROCABA (15) 3225-1540 SIGPER (11) 4441-2316 SIGPER (11) 4441-2316
SULMETA (54) 3273-4600 SOROCABA (15) 3225-1540 SOROCABA (15) 3225-1540
TECNAÇO (34) 3311-9600 SSR PROJECT (11) 4067-6388 SULMETA (54) 3273-4600
TECHSTEEL (41) 3233-9910 SULMETA (54) 3273-4600 TECNAÇO (34) 3311-9600
TIBRE (54) 3388-3100 TECNAÇO (34) 3311-9600 TIBRE (54) 3388-3100
TUPER (47) 3631-5180 TIBRE (54) 3388-3100 TETRAFERRO (11) 3376-7676
ZANETTINI (11) 3849-0394 TUPÃ (15) 3236-6030 TUPER (47) 3631-5180

Construção Metálica 47
Sócios&Produtos

Coberturas Insumos e Galvanizadores


Implementos

Fornecedores de MP (zinco)
Serviços de Galvanização
Torres metálicas
Serviços de pintura e acabamento
Grade de piso, piso industrial
Parausos, porcas e arruelas
Isolamento termo-acústico
EMPRESA TELEFONE
ARMCO STACO (11) 2941-9862

Pintura contra fogo


B. BOSCH (11) 2152-7988
BIMETAL (65) 2123-5000
BRAMETAL (27) 2103-9400
BRAFER (41) 3641-4613
FOGAL (11) 4994-6200
EMPRESA TELEFONE LISY (11) 4136-8188
ACCIAIO (11) 4023-1651 LUMEGAL (11) 4066-6466
AÇOTEC (49) 3361-8700 MANGELS (11) 3728-3250
ALPHAFER (11) 4606-8444 SADEFEM (12) 2127-2700
ANANDA (19) 2106-9050 TORRES (11) 2412-9212
Estruturas para coberturas

ARTSERV (11) 3858-9569


BRAFER (41) 3641-4613
Telhas termo-acústicas
Telhas autoportantes

CENTRAL TELHA (11) 3965-0433


Telhas em geral

COFEVAR (17) 3531-3426


Telhas zipadas

CONTECH (11) 2213-7636


Stell Deck

CPC (61) 3361-0030


CSN (11) 3049-7162
EMPRESA TELEFONE DÂNICA (47) 3461-5303
AÇOTEL (32) 2101-1717 EMMIG (34) 3212-2122
ANANDA (19) 2106-9050 EUROTELHAS (54) 3027-5211
ARTSERV (11) 3858-9569 FAM (11) 4894-8033
BIMETAL (65) 2123-5000 FIBAM (11) 4393-5300
BRAFER (41) 3641-4613 GRUPO SISTEMA (11) 3672-7058
BEMO (11) 4053-2366 H. PELLIZZER (11) 4538-0303
CENTRAL TELHA (11) 3965-0433 HARD (47) 4009-7209
CODEME (31) 3303-9000 ICEC (11) 2165-4700
COFEVAR (17) 3531-3426 ISOESTE (62) 4015-1122
DAGNESE (54) 3273-3000 MANGELS (11) 3728-3250
DÂNICA (11) 3043-7883 MANZATO (54) 3221-5966
EMTEC (11) 5184-2454 MARFIN (11) 3064-1052 Fornecedores
MBP (11) 3787-3787
EUCATEX
EUROTELHAS
0800-172100
(54) 3027-5211 MECANICA USIMINAS (11) 5591-7031
de outros
Produtos
Ferramentas e Maquinário
FERALVAREZ (19) 3634-7300 MEDABIL (54) 3273-4000

e Serviços
Zinco e Ligas de Zinco
METALPAR (11) 2954-3044
Produtos de alumínio

IFAL (21) 2656-7388


Ventilação Industrial

ISOESTE (62) 4015-1122 MULTIAÇO (11) 4345-1888


Produtos pláticos

IMESUL (67) 3411-5710 MULTIMETAL (65) 3685-2811


JOCAR (19) 3866-1279 NOVAJVA (54) 3342-2252
Softwares

MARKO (11) 3577-0400 PERFILOR/ARCELORMITTAL (11) 3171-1775

MBP (11) 3787-3787 PIZZINATTO (19) 2106-7233


PERFILOR / ARCELORMITTAL (11) 3171-1775 PROJEART (85) 3275-1220 EMPRESA TELEFONE
PIZZINATTO (19) 2106-7233 FEREZIN MARTINS (18) 3421-7377 ARBUS (11) 3673-3844
REGIONAL TELHAS (18) 3421-7377 SANTO ANDRÉ (11) 3437-6373 ASA ALUMÍNIO (19) 3227-1000
SANTO ANDRÉ (11) 3437-6373 SEMITH (11) 2598-1580 FABSTEEL (41) 3033-3530
SEMITH (11) 2598-1580 SIDERTEC (16) 3371-8241 IPEUNA (19) 3534-5681
SIRAÇO (11) 2431-3400 SOROCABA (15) 3225-1540 MVC (41) 2141-3200
SOUFER (19) 3634-3600 TECNAÇO (34) 3311-9600 SCIA GROUP (11) 9710-5679
SULMETA (54) 3273-4600 TEKNO (11) 2903-6000 TEKLA CORPORATION (11) 4166-5684
TETRAFERRO (11) 3376-7676 TIBRE (54) 3388-3100 TUPER (47) 3631-5180
TUPER (47) 3631-5180 TUPER (47) 3631-5180 VOTORANTIM METAIS (11) 3202-8699

48 Construção Metálica
Siderurgia Entidades de
classe ligadas
à ABCEM

Laminados não Planos


Laminados Planos

Tubos
EMPRESA TELEFONE
CSN (11) 3049-7162
AARS
GERDAU AÇOMINAS (11) 3094-6552
telefone: (51)3228.3216
GERDAU LONGOS (11) 3094-6552
e-mail: aars@aars.com.br
USIMINAS (31) 3499-8500
V&M (31) 3328-2390
ABCEM Nordeste
telefone: (85) 261.0266
e-mail:abcem@abcem.org.br

ABCEM REGIONAL BH
telefone: (31) 3303.9000
e-mail: abcem@abcem.org.br

CBCA
telefone: (21) 34456300
e-mail: acobrasil@acobrasil.org.br

CDMEC
Tubos com e sem costura

telefone: (27) 3227.6767

Distribuidores e-mail: cdmec@zaz.com.br


Centrode Serviços
Perfis Laminados
Perfis Dobrados
Perfis Soldados
Chapas planas

IABr
telefone: (21) 34456300
Bobinas

e-mail: acobrasil@acobrasil.org.br

EMPRESA TELEFONE
INDA
AÇOBRIL (11) 2207-6700
telefone: (11) 2272.2121
AÇOTEL (32) 2101-1717
e-mail: inda@inda.org.br
ANANDA (19) 2106-9050
BIMETAL (65) 2123-5000
NÚCLEO INOX
CENTRAL TELHA (11) 3965-0433
telefone: (11) 3813.0969
COFEVAR (17) 3531-3426
e-mail: nucleoinox@nucleoinox.org.br
CPC (61) 3361-0030
EURO TELHAS (54) 3027-5211
GERDAU AÇOMINAS (11) 3094-6552
MANGELS (11) 3728-3250
MBP (11) 3787-3787
MECANICA USIMINAS (11) 5591-7031
METASA (51) 2131-1500
MULTIAÇO (11) 4543-8188
PIZZINATTO (19) 2106-7233
REGIONAL TELHAS (18) 3421-7377
SANTO ANDRÉ (11) 3437-6373
SIGPER (11) 4441-2316
SIRAÇO (11) 2431-3400
SOUFER (19) 3634-3600
TECNAÇO (34) 3311-9600
TIBRE (54) 3388-3100
TETRAFERRO (11) 3376-7676
TUPER (47) 3631-5180
USIMINAS (31) 3499-8500
NossosSócios

EMTEC Construções Metálicas

www.emtec.eng.br

A EMTEC completará, em novem- estruturas de processos, pipe racks, torres,


bro deste ano, 10 anos de atividades. pontes e transportadores de correa.
Atua em todo território nacional, abran- A unidade fabril da EMTEC, locali-
gendo os mais diversos segmentos da zada em Bady Bassitt/SP, está capacita-
economia, a saber: siderurgia, mineração, da para produção mensal média de 350
química e petroquímica, papel e celulose, toneladas de estruturas. Os edifícios des-
alimentos, varejista, centros de distribui- tinados à fabricação, jateamento em gra-
ção, shoppings, templos religiosos, obras nalha e pintura das estruturas totalizam
públicas de infraestrutura, edifícios co- 6.200 m2 de área construída. A empresa
merciais e corporativos. possui mão-de-obra altamente especia-
Apresenta-se como uma empresa lizada e um sistema de gestão da quali-
diferenciada no mercado, oferece solu- dade onde todas as etapas do processo
ções completas de engenharia, incluindo fabril são inspecionadas por profissionais
as etapas de projeto, fabricação e monta- qualificados. As equipes de campo são
gem das estruturas metálicas, sistemas de focadas no atendimento aos empreendi-
cobertura e fechamento e estruturas espe- mentos dentro dos prazos pactuados com
ciais com alto grau de complexidade para total garantia da segurança e qualidade
vários segmentos na construção em aço, dos produtos e serviços. Possuem ainda
tais como: edifícios industriais, comerciais, equipamentos próprios de montagem.

Principais Clientes

• ThyssenKrupp CSA
Siderúrgica do Atlântico
• Construtora OAS – Coesa
(Consórcio Rio Tocantins)
• CIL - Construtora ICEC Ltda.
• MARKO Construções
(Sistema Roll On)
• JCGontijo Engenharia S.A.
• Dow Química
• AmBev
• Pão de Açúcar

50 Construção Metálica
ENGEMETAL

www.engemetal.com.br

Tradicional empresa do ramo de 15.000m2, vem desenvolvendo uma ca-


estruturas metálicas, posicionada entre pacidade produtiva de 1000 ton/mês para
as mais qualificadas do gênero. São mais estruturas metálicas, 20.000 m2/mês para
de 30 anos no mercado atendendo todo estruturas espaciais, 300 ton/mês para
o Brasil e diferenciando-se por oferecer perfis compostos e 100 ton/mês para gra-
soluções integradas tanto em projeto, des de piso.
cálculo, fabricação e montagem de toda a Com uma equipe qualificada e expe-
linha de estruturas metálicas e grades. riência, a empresa dedica-se aos fatores
A Engemetal possui no currícu- qualidade, produtividade e segurança,
lo fabricação de toda linha de estrutu- acreditando serem estas as metas de um
ras metálicas para os diversos setores da mercado competitivo e globalizado, ten-
construção, como do sucro alcooleiro e do do em vista a plena satisfação do cliente.
biodiesel, da construção civil, de obras pú- Possui um rigoroso setor de quali-
blicas, além de possuir uma linha comple- dade e softwares de última geração que
ta de grades para piso e gradis metálicos. garantem à Engemetal 100% de precisão
Hoje, com um parque fabril de em todos os projetos.

Principais Clientes

• Furnas
• Duratex
• Daimler Crysler
• iG
• UOL
• Odebrecht
• Petrobrás
• Sabesp
• Alcoa
• Citroën
• Mercedes-Benz Brasil

Construção Metálica 51
Estatística

Desempenho da Distribuição INDA:


Fevereiro de 2010
fonte: INstituto nacional dos distribuidores de aço (inda)

Em fevereiro, as vendas caíram 0,4% Para março, levando-se em conside-


em relação a janeiro, totalizando 298,4 mil ração que o mercado mantém-se aquecido
toneladas. As compras neste período cres- e com maior número de dias úteis, nossas
ceram 2,1% em relação ao mês anterior, to- projeções de vendas apontam para cresci-
talizando 291,1 mil. Assim, os estoques da mento entre 25% e 30%, podendo registrar
distribuição fecharam janeiro com queda novo recorde para o mês de março na dis-
de 0,9% em relação ao mês anterior, tota- tribuição. O ponto negativo ainda são as
lizando 764 mil toneladas e mantiveram o importações, que para março ainda deve-
giro de 2,6 meses de estoque. rão apresentar volumes expressivos.

Compras
As compras em fevereiro apresentaram alta de 2,1% em relação ao mês anterior,
totalizando 291,1 mil toneladas.
Quando comparadas a fevereiro de 2009 (193,1 mil ton), apresentaram alta de
50,7%. No acumulado do período, as compras (576,4 mil ton) registraram alta de 74,3%
em relação ao mesmo período de 2009 (330,6 mil ton).

285,2 291,1
2009
2010

52 Construção Metálica
Vendas
As vendas de fevereiro apresentaram queda de 0,4% em relação a janeiro, com
total de 298,4 mil toneladas. Quando comparadas a fevereiro de 2009 (237,2 mil ton.),
o resultado foi positivo, alta de 25,8%. No ano, as vendas (597,9 mil ton.) acumulam
alta de 30,7% em relação ao mesmo período de 2009 (457,6 mil ton.).
No mês de fevereiro, a média de vendas diárias alcançou 16,6 mil toneladas, vo-
lume recorde para este mês.
Para março, levando-se em consideração que o mercado mantém-se aquecido e
com maior número de dias úteis, nossas projeções de vendas apontam para crescimento
entre 25% e 30%, podendo registrar novo recorde para o mês de março na distribuição.

2009
315,8 306,5 2010

Estoques
Os estoques de fevereiro apresentaram pequena queda de 0,9% em relação ao
mês anterior, totalizando 764 mil toneladas. Quando comparados a janeiro de 2009,
também registraram queda de 5,4%.

2009
2010

771,3
764,0

Construção Metálica 53
Agenda

14 a 16 Congresso Brasileiro do Aço 22 a 25 eXPOMAC


ABRIL 2010 21ª edição & ExpoAço 2010 SETEMBRO 2010 Local: Curitiba - PR
Local: Transamérica Expo Center, www.expomac.com.br
São Paulo – SP
www.acobrasil.org.br/congresso2010 02 a 06 Worldsteel - 44 - 2010 Annual
Outubro 2010 Conference & Meeting
11 a 15 Mecânica 2010 Local: Tokyo, Japan
MAIO 2010 Feira Internacional de Mecânica
Local: P
 avilhão de Exposições Anhembi 05 a 07 Usinagem
São Paulo - SP Outubro 2010 Local: Expo Center Norte – Pavilhão
www.mecanica.com.br Branco, São Paulo – SP
www.arandanet.com.br/eventos2010/
12 a 15 NASCC – The Steel Conference / usinagem/chamada.html
MAIO 2010 The Structures Congress
Local: O
 rlando / Florida 06 a 08 Expo Estádio 2010
www.aisc.org/form.aspx?ekfrm=18232 Outubro 2010 Local: Centro de Convenções
SulAmérica, Rio de Janeiro - RJ
24 a 28 INTERCORR 2010
MAIO 2010 Local: C
 entro de Convenções do Hotel 06 a 08 METALCON International
Praia Centro, Fortaleza - CE Outubro 2010 Local: Las Vegas , NV
www.metalcon.com/metalcon10/
08 a 10 Protection Offshore public/enter.aspx
junho 2010 Local: M
 acaé (RJ)
www.reedalcantara.com.br 20 a 23 FESQUA
Outubro 2010 VIII Feira Internacional de
17 a 20 4ª CONSTRUFAIR Esquadrias, Acessórios
junho 2010 Local: Caxias do Sul - RS e Componentes
www.construfair.com.br Local: Centro de exposições Imigrantes
São Paulo – SP
21 a 23 1st International Conference on www.fesqua.com.br
julho 2010 Structures and Architecture
Local: G
 uimarães (Portugal) 20 a 23 Tecno Fachadas
Outubro 2010 VII Salão de Tecnologia de
26 a 30 65° Congresso ABM Internacional Acabamento de Fachadas
julho 2010 Local: R
 io de Janeiro - RJ Local: Centro de exposições Imigrantes
www.abmbrasil.com.br São Paulo – SP
www.fesqua.com.br
28 a 30 MEC SHOW 2010 - Feira de
julho 2010 Metalmecânica, Energia e 24 a 26 51º Congreso Anual del ILAFA
Automação Outubro 2010 Local: Hotel Hilton, Buenos Aires
Local: Pavilhão de Carapina, Vitória - ES (Argentina)
www.mecshow.com.br
09 a 12 Mec minas
04 a 07 Expomac - rio novembro 2010 Local: Minasplan
agosto 2010 Local: R
 io de Janeiro - RJ www.mecminas2010.com.br
www.expomacrio.com.br
10 a 12 TranspoQuip Latin America 2010
agosto EQUIPO MINING 2010 novembro 2010 Local: Expo Center Norte, Pavilhão
2010 Local: G
 rande Belo Horizonte - MG Amarelo, São Paulo (Brasil)
www.equipomining.com.br
04 a 06 Expo Válvulas 2011
Outubro 2011 Local: Centro de Exposições Imigrantes
31 agosto a CONSTRUMETAL 2010 www.expovalvulas.com.br
02 setembro Local: F rei Caneca Convention Center
2010 São Paulo – SP 04 a 06 Expo bombas 2011
www.construmetal.com.br Outubro 2011 Local: Centro de Exposições Imigrantes
www.expobombas.com.br

14 a 17 Metalurgia 2010 04 a 06 TUBOTECH


SETEMBRO 2010 Local: E
 xpoville Outubro 2011 Local: São Paulo – SP
www.metalurgia.com.br www.tubotech.com.br

54 Construção Metálica

Você também pode gostar