Você está na página 1de 15

Das Roupas sujas ao Manto Real

Gen. 3,7 “Então, foram abertos os olhos de ambos, e


conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e
fizeram cintas para si
Gen. 3,21 “E fez o Senhor Deus a Adão e a sua mulher túnicas
de peles e os vestiu.

Introdução:
Deus nos criou a sua imagem e semelhança. Diz a bíblia que ele nos
formou antes do ventre da mãe Jr 1,5. Quando soprou em nossas
narinas o Espírito de Vida, recebemos mais do que a vontade de viver,
assim como a necessidade de estar com ele. A ciência diz que somos
um ser religioso, que temos em uma determinada parte no nosso
cérebro que comanda as articulações e os pensamentos, mas também
temos reservado em uma área especifica da nossa mente que se ativa
por meio de pulsos elétricos assim que temos alguma atividade
religiosa, ou um pensamento relacionado a Deus, isso quer dizer que
somos criados para crer em um ser superior. Aceitando ou não, nós
fomos criados por Deus para querermos ele e vivermos com ele para
sempre. Mas Satanás conseguiu enganar o ser humano e atrapalhar por
um breve tempo a obra de Deus. Mas Deus se manifestou em nossas
vidas e nos conduziu de volta até ele.
Dentro do tema que tenho exposto para nossa reflexão, usarei a partir
dele o valor das vestes como um símbolo da nossa necessidade de
sermos usados por Deus. Devido a queda do homem, Deus precisou
trabalhar em nosso favor para que nos vestíssemos com as túnicas
que representassem o valor do seu reino, e em contrapartida outras
vestes são símbolos que negam esse mesmo reino. Ao tentarmos nos
vestir diante de Deus com nossa própria capacidade percebemos
que não somos capazes. A partir dessa tentativa frustrada em que
tentamos criar a Veste do homem: Ou seja, o ser humano ao
perder a cobertura do Senhor, quando Satanás o faz comer do
fruto, eles se viram nús. Na verdade a nudez em si não era
pecado, mas se sentir nú diante de Deus revela que cometemos
um pecado, e assim ficamos envergonhados diante da santidade
de Deus, e para isso adão e Eva tentaram produzir um tipo de
vestimenta para que Deus não visse suas vergonhas.
(cinto = hãgôrâ tro)gOx]. Se tornou um cinto militar valorizado como
troféu de batalha (2 Sm 18,11).
As vestes que o homem faz para si, pode tornar-se sua própria inimiga,
porque pode vir cheia de soberba e arrogância, talvez por isso essa
palavra na bíblia seja usada como algo como um cinto que além de
segurar as vestes também segura a sua espada (esse cinto se tornou
como um símbolo militar e era altamente valorizado como troféu de
batalha (2 sm 18,11). E assim era símbolo de certo poder pessoal e da
habilidade do guerreiro.

Já que o homem não foi capaz de produzir algo que o vestisse por
completo foi preciso que houvesse Vestes criadas por Deus:
No verso 3,21 vemos uma Túnica = kuttónet = normalmente as
túnicas eram feitas de linho que eram usadas pelo sacerdote, mas a de
Adão e Eva eram de peles apesar da matéria prima diferente o modelo
era o mesmo.
(vestiu = lebush = vbel' = vestimentas solenes. Nos remete ao um
contexto de veste solene, mas não como a usada pelo sacerdote nesse
sentido Deus dá um recado diante do problema causado pelo pecado.
O homem agora precisa passar por vários procedimentos para se
achegar ao seu criador, e assim mesmo o Senhor produzindo uma
vestimenta, mas que diante do que o texto apresenta se torna também
o primeiro sacrifício, porque essa veste fora feita de peles
possivelmente de um animal, e então vemos que abriu-se um
precedente para uma oferta expiatória até que a maior e melhor
entrega fossem feita, ou seja, que o seu filho fosse morto para que o
homem definitivamente pudesse estar com ele.
Diante dessas questões vemos que o homem realmente precisa de
Deus. E para entender o que seria esse compromisso melhor com
Deus as vestes na bíblia passaram a simbolizar a forma como
nós estaríamos diante dele, e por meio desses trajes eram
reveladas nossas condições em relação ao pecado ou a
santificação.

Quando falhamos em nossa caminhada, pecamos, ou


transgredimos suas leis acabamos usando uma veste que
podemos chamar de:

Vestes da humilhação:(pano de saco)

No antigo testamento Ela surgiu como representação do pecado


ou do sofrimento em nossa vida, entendia-se que a pessoa poderia
ter perdido alguém por motivo de escravidão ou morte, como no caso
de Jacó que pensou que seu filho havia morrido, esse ato vinha
juntamente com terra sendo jogada pela cabeça.
Outro fator era o ato de humilhação e humildade como fez
Daniel com orações e suplicas a Deus. Mais um desses motivos
bastante comum era o de arrependimento. Como por exemplo,
quando Israel voltou do Cativeiro e se vestiu de pano de saco e
pediram perdão a Deus pelos seus pecados.
“Neemias 9 1-4 E, no dia vinte e quatro deste mês, se
ajuntaram os filhos de Israel com jejum e com pano de
2
saco e traziam terra sobre si. E a geração de Israel se
apartou de todos os estranhos, e puseram-se em pé e
fizeram confissão dos seus pecados e das iniqüidades de
3
seus pais. E, levantando-se no seu posto, leram no livro
da Lei do SENHOR, seu Deus, uma quarta parte do dia; e,
na outra quarta parte, fizeram confissão; e adoraram o
4
SENHOR, seu Deus. E Jesua, Bani, Cadmiel, Sebanias,
Buni, Serebias, Bani e Quenani se puseram em pé no lugar
alto dos levitas e clamaram em alta voz ao SENHOR, seu
Deus.”
Muitas vezes sofremos pelas perdas e nossa alma fica abatida, e
antigamente pelas vestes era perceptível tal sofrimento. Mas chegou
um tempo em Israel que muitos usavam essas vestes, mas na
realidade não sofriam não se arrependiam e Joel 2,13 diz que era
preciso rasgar os vossos corações e não as vossas vestes. Se não
nos arrependermos sinceramente dos nossos pecados não vamos
conseguir agradar a Deus.

Vestes da precipitação (ministério cada um tem o seu):

As vezes muitas acreditam que imitar aos outros, ou denegrir a


imagem de alguém para roubar sua autoridade é o segredo da vitória.
E até aqueles que tem um ministério quer que nós façamos igual em
tudo. Mas para cada um Deus deu uma vestimenta própria, Deus tem
um ministério especial para cada um, claro que devemos ser imitadores
de nossos lideres e mestres, mas devemos em primeiro lugar imitar no
caráter e ouvir seus conselhos, mas não querer roubar do seu líder e
mestre a capacitação e como muitos tem feito tentar agir como o
mesmo para tirar proveito dele até tentar usufruir do seu ministério.
Devemos ser moldados por Deus para sermos bênçãos para com
nossos irmãos. Quando Davi foi lutar contra Golias foi lhe dada as
vestes do rei, mas não se sentiu confortável, ainda não era tempo para
ele vestir aquela roupa, eram pesadas demais para ele. Devemos nos
preparar sempre, mas esperar o tempo do Senhor. Não queira ter o
ministério grandioso sem antes passar pelas provas que o seu próprio
líder passou, ele foi moldado por Deus e por isso ouça a sua voz, imite
seu caráter, mas não queira roubar o ministério dele. O tempo será seu
aliado nessa peleja. Como falou Paulo faça com seu líder “Seja seu
imitador assim como ele é de Cristo”. E aguarde Deus vai te usar
tremendamente.

Vestes da prostituição:

Como um servo do Senhor, temos que tomar cuidado com o que


Satanás lança em nossas vidas, as vezes o manjar que ele nos oferece
pode ser bom, mas nos levará a prostituição cultual, achando que
ninguém saberá, mas Deus sabe. Diante disso surge uma nova
roupagem as Vestes da prostituição:

No período dos patriarcas haviam as prostitutas e elas tinham um tipo


de vestes para diferenciar da mulher de família, elas se adornavam e
cobriam o rosto. E se cairmos nas ciladas do diabo nos deixando levar
pela prostituição (Sentido aqui de qualquer tipo de adulteração seja de
caráter, como de atitude cristã)e perdemos a nossa identidade.

14
Gen 38.14 Então, ela tirou de sobre si as vestes da
sua viuvez, e cobriu-se com o véu, e disfarçou-se, e
assentou-se à entrada das duas fontes que estão no
caminho de Timna; porque via que Selá já era grande, e
15
ela lhe não fora dada por mulher. E, vendo-a Judá,
teve-a por uma prostituta; porque ela havia coberto o
16
seu rosto. E dirigiu-se para ela no caminho e disse:
Vem, peço-te, deixa-me entrar a ti. Porquanto não
sabia que era sua nora; e ela disse: Que darás, para
17
que entres a mim? E ele disse: Eu te enviarei um
cabrito do rebanho. E ela disse: Dás-me penhor até que
18
o envies? Então, ele disse: Que penhor é que te
darei? E ela disse: O teu selo, e o teu lenço, e o cajado
que está em tua mão. O que ele lhe deu, e entrou a ela;
19
e ela concebeu dele. E ela levantou-se, e foi-se, e
tirou de sobre si o seu véu, e vestiu as vestes da sua
20
viuvez. E Judá enviou o cabrito por mão do seu
amigo, o adulamita, para tomar o penhor da mão da
21
mulher; porém não a achou. E perguntou aos
homens daquele lugar, dizendo: Onde está a prostituta
que estava no caminho junto às duas fontes? E
disseram: Aqui não esteve prostituta alguma.
Não damos conta que deixamos nos levar pelas circunstâncias, e para
satisfazer alguns desejos e caprichos, nos vendemos por tão pouco.
Quando estamos sozinhos então achamos que estamos cobertos pelo
anonimato, mas Deus vê tudo, e não podemos nos esconder dele
jamais. Mas o pior de tudo a prostituição rouba nosso caráter e nosso
ministério. Judá deu o seu selo sinal da sua identidade com sua família,
com seu pai, o lenço ou cordão segurava o selo, e o bordão (cajado)
representa sua autoridade seu ministério. Ao deitar com tamar, como
se ela fosse uma prostituta e nesse caso prostituta cultual, podemos
entender que Judá havia perdido sua identidade e tudo que ela
sustentava. E assim ele entregou seu ministério aos caprichos e
desejos de seu corpo. Nossos pecados denigrem não só a nossa
imagem, mas desvirtuam nossa identidade e nos faz perder a unção
ministerial.

Por isso esse erro leva a outro e assim ficamos cada vez menos
sensíveis ao Espírito de Deus e acabamos colocando uma outra
capa a Veste do Leproso:

A lepra era uma doença que no antigo testamento era terrível e por
isso se tornou o principal símbolo da degradação moral humana, talvez
por ser visível os seus sintomas e a deformação que causava havia uma
relação muito forte com o pecado. Assim como a lepra, o pecado
quando domina o homem faz com que ele perca a sensibilidade, não
consegue sentir nada no campo espiritual, e por consequência se torna
insensível para as coisas de Deus e não sente mais a dor do pecado. Na
torá um homem leproso deveria ser lançado fora da comunidade até
que provasse ser curado.

6
Lev. 13:6 E o sacerdote, ao sétimo dia, o examinará
outra vez; e eis que, se a praga se recolheu, e a praga
na pele se não estendeu, então, o sacerdote o
declarará limpo: apostema é; e lavará as suas vestes e
será limpo.
O leproso ficaria sete dias separados e se após um período fosse
comprovado sua cura o sacerdote lavaria sua vestes e seria
considerado limpo.

Por isso após a prostituição seu caráter denegrido, sua


sensibilidade para com o reino perdida a cegueira espiritual faz
com que o ser humano não dê mais valor a nada. Somos então
usuários da Vestes da cegueira : podemos conhecer a Deus até ouvir
a sua voz, mas não vemos mais o caminho e ficamos a Margem. Mas
como o cego de Jericó, precisamos clamar por sua ajuda. E assim Jesus
por amor a nossa vida para tudo para que nos tragam de volta para o
caminho.

Lucas 18,35 Aconteceu que, ao aproximar-se ele de


Jericó, estava um cego assentado à beira do caminho,
pedindo esmolas.
O mendigo ao ser chamado por Jesus deixa a capa que era o símbolo
que o mantinha aprisionado na sua cegueira e ao chegar até Jesus é
curado e salvo pelo mestre.
Assim que voltamos ao caminho que um dia se perdeu as promessas do
Senhor começam a entrar em nossas vidas.

Quando mudamos e nos reconciliamos com Deus recebemos dele


muitas promessas e passamos a percorrer o caminho da santificação e
nessa trilha temos a promessa da Vestes de príncipe:

Quando cremos na palavra e aceitamos a cristo e nos entregarmos a


Deus em Espírito e em verdade ficamos aptos a trabalhar para o reino.

Quando trocamos as vestes do pecado. Deus nos coloca uma veste


como em Gen. 37,3 A Túnica de José como na septuaginta (seriam
vestes de cores) ou de mangas longas como sugere o hebraico ou
também o acadiano (Que representa a túnica dos príncipes). Quando
recebemos esse presente de Deus começamos a sonhar com os
nossos projetos como foi o primeiro sonho de José. Esse era seu
sonho pessoal ( os feixes ) todos eles se dobravam diante dele, ou seja
era o sonho particular. Aquele sonho que nós vivemos diante de nossas
próprias questões pessoais era dentro do seu convívio como agricultor.
Mas o segundo sonho era o sonho de Deus na vida dele. Sol, a lua e as
estrelas, representavam os deuses pagãos daquele tempo que se
dobrariam diante dele, quando ele se torna-se o segundo do faraó.
Todos os povos viriam e se prostrariam diante dele como servo do Deus
altíssimo e salvador daqueles povos.

Veste de rei (veste das promessas de Deus):

Para alguém receber as vestes reais, passará por grandes processos.


O primeiro será provado contra o gigante será lançado na batalha, mas
tem que resistir, ninguém é vencedor sem antes ser provado. E para
ser aprovado um dos requisitos são ser um adorador em meio as
provas, e não desanimar. Como Davi que não usurpou ninguém mas
passou pelas provas e quando venceu recebeu o reino de Judá (louvor)
a metade do caminho com Deus temos que lutar e continuar adorando
a Deus e esperar no Senhor. Na segunda parte do caminho quando
vencemos as lutas em adoração (vida no altar e lábios gratos por
Deus estar nos dando força), Só após esse processo Deus nos
entrega todo reino. Toda Israel reconheceu que o pastor de ovelhas era
rei levantado por Deus porque ele venceu cada batalha (Israel) significa
príncipe de Deus e também aquele que luta com Deus e prevalece.
Como aconteceu com Davi acontecerá contigo os anciãos (sábios) em
Israel reconheceram e pediram para Davi reine sobre nós. E ele foi
ungido o novo rei de Israel. O seu ministério está sendo preparado por
Deus as lutas são as ferramentas que o Senhor usa para que você seja
um instrumento útil na obra do altíssimo.

Vestes de Profeta:

Deus precisa de homens que em meio as adversidades tem coragem de


falar contra o pecado, não contra o pecador, que sua palavra inspire
uma geração, fazendo com que não somente uma pessoa mais um
grupo incontável se levante para adorar a Deus como Elias que achou
que estava só mas sua vida influenciou 7 mil vidas. E não podia parar
porque precisava ungir “dois reis” e um novo profeta em seu lugar.
5
1 RS 19,15-16 E o SENHOR lhe disse: Vai, volta pelo
teu caminho para o deserto de Damasco, vem e unge a
16
Hazael rei sobre a Síria. Também a Jeú, filho de
Ninsi, ungirás rei de Israel e também Eliseu, filho de
Safate, de Abel-Meolá, ungirás profeta em teu lugar.

Um profeta anuncia as boas novas e denúncia o pecado, mas é


capaz de trazer vida, onde o decreto de morte está anunciado.
Mas ninguém pode ser príncipe, rei ou profeta de Deus sem
antes se tornar servo. Essa vestimenta e tão importante que o
próprio Jesus deu exemplo:
Vestes de Servo:

Essa é sem dúvida a maior veste destinada ao cristão. Ninguém


será líder sem antes se tornar servo, (para poder comandar é
preciso saber ser comandado) por isso todos esses grandes homens
antes de receberem suas vitórias, tinham uma promessa, mas
nenhuma promessa se cumpriu sem que eles fossem provados, e se
não servissem a Deus e se comprometessem com as pessoas não
poderiam alcançar os seus sonhos. As vestes de servo com certeza é a
primeira que Deus coloca em nossas vidas, ela é muito importante por
isso é melhor falar dela após as grandes promessas. É necessário falar
de promessas para exercitar a fé, mas é preciso o serviço para
capacitar o escolhido a receber essas promessas. Por isso alguns
podem falar que a ordem do anuncio das vestes estão erradas, mas
não, essa é a grande diferença de um verdadeiro escolhido ele precisa
guardar no coração as promessas, mas entender que ele é antes de
tudo servo do Deus todo poderoso. Jesus foi confrontado por seus
discípulos que queriam sentar-se a direita e a esquerda no grande dia.
E ele disse
Mc 10,45 “O filho do homem também não veio para ser
servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de
muitos.”
Servir faz parte da obra de Cristo e ela gera autoridade para ser usado
por Deus, Jesus lavou os pés dos seus discípulos e lhes entregou a
ordem de fazer o que ele fez delegando assim a eles o poder para
cuidar e salvar as vidas. A atitude de servo de Jesus ao lavar os pés
dos seus apóstolos representa dar autoridade a quem está com seus
pés limpos, pois assim não terá coragem de sujá-los com os prazeres
do mundo. E aqueles que estão no lamaçal do pecado serão purificados
por aqueles que foram lavados pelo poder de Cristo. Como servo do
Senhor Você tem a autoridade de Jesus para purificar o imundo.

Vestes de Santidade:

Quando trocamos o orgulho, e a soberba, e deixamos o Espírito Santo


moldar nosso caráter e adquirimos as vestes de servo Deus então tem
agora a liberdade de nos conceder a melhor veste que o cristão pode
possuir. É nesse momento que podemos ter intimidade plena com
Deus, porque somos capazes de nos santificar mais e mais. A bíblia diz:
Hebreus 12,14 “Segui a paz com todos e a santificação,
sem a qual ninguém verá o Senhor”.
Quando somos santos nos tornamos imitadores de Deus, e do próprio
Cristo, mas para sermos seus imitadores, não podemos conseguir
sozinhos, por isso ele mesmo nos preparou uma veste. Quando Jesus
foi crucificado ele deixou suas vestes nas mãos dos homens uma eles
repartiram em quatro partes, sinal do poder do seu testemunho
espalhado sobre os 4 cantos da terra. Mas no evangelho de João temos
uma túnica que representa o sinal de sua santidade deixada para nós:
João 19,23 “Tendo, pois os soldados crucificado a
Jesus, tomaram as suas vestes e fizeram quatro partes,
para cada soldado uma parte, e também a túnica. A
túnica, porém, tecida toda de alto a baixo, não tinha
costura”.
Essa túnica era a veste parecida com a do sacerdote a roupa que Deus
nos deu no éden, era parecida com essa, mas aquela era feita de peles
representando o sacríficio que deveria ser feito, mas essa nova era a
mesma que os sacerdotes vestiam para sacrificar em favor do povo
para chegar até Deus. Mas Jesus agora se tornou o sacrifício vivo,
entregue pelo próprio Deus para nos fazer chegarmos a até ele, e a
partir dele temos livre acesso ao nosso pai celestial

Vestes de poder:
Após estarmos diante dele, precisamos do seu poder para manifestar a
sua glória sobre o mundo. Agora não só temos a veste de santidade,
mas ele nos promete revestir de seu poder, ninguém pode ser cheio do
poder sem ter santidade. E quando a adquirimos ele derrama sobre nos
o revestimento do Espírito Santo e então estamos prontos para salvar
nossa família, amigos e o mundo por meio do seu poder.
Lc 24,49 “E eis, que sobre vós envio a promessa de
meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que
do alto sejais revestidos de poder”.
O revestimento de poder é dado pelo Espírito Santo que nos coloca
como autoridade no mundo celestial.

Tirando as vestes do pecado para receber o manto real


Zac. 3,3-4. Ora, Josue, vestido de vestes sujas, estava
diante do anjo. 4 Entao falando, ordenou aos que
estavam diante dele, dizendo: Tirai-lhe estas vestes
sujas. E ele lhe disse: Eis que tenho feito que passe de
ti sua iniquidade e te vestirei de vestes novas.

Manto real:
Quando estamos revestidos de poder, também recebemos de Deus a
mesma autoridade que o sacerdote que intercedia e orava pelo povo na
antiguidade, temos também por meio desse sacrifício de Jesus e do
revestimento que ele nos deu, o mesmo direito e autoridade dada pelo
Espírito Santo de Deus para pedir, e ele nos responder, pois ele nos
garantiu, que não somos mais servos:
Jo 15,15 “Já não vos chamarei servos, porque o servo
não sabe o que faz o seu senhor, mas tenho-vos
chamado de amigos, porque tudo quanto ouvi de meu
Pai vos tenho feito conhecer”.
Ele nos elevou a estatura de amigo, enquanto estava na terra, mas
após a sua morte e ressurreição nos fez seus filhos:
1Jo 3,1 “Vede quão grande amor nos tem concedido o
Pai: que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso, o
mundo não nos conhece, porque não conhece a ele”.

Por sermos agora seu filho tudo que perdirmos em seu nome ele nos
concederá. A sua palavra se cumprirá em nós, porque o manto real que
ele nos colocou nos concede a certeza da vitória.
1Pedro 2,9 “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio
real, a nação santa, o povo adquirido para que
anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das
trevas para a sua maravilhosa luz”.
Deus nos resgatou e nos vestiu de santidade, nos revestiu de seu poder
e nos colocou o manto da realeza dos filhos de Deus e somos agora
sacerdócio real, não apenas com o direito de chegarmos a ele, mas de
adquirirmos todas as suas promessas, pois como já foi dito, além de
sacerdote como aquele que tem intimidade com ele, somos a sua
realeza com o direito de sermos chamados de filhos do rei. Por isso
tome posse do direito que tu tens de ser príncipe, a realeza do
filho do Deus vivo, por meio do seu sangue que nos purificou,
justificou e nos santificou.

Você também pode gostar