Você está na página 1de 6

Transfusão sanguínea

Transfusão sanguínea e de seus derivados é uma Os antígenos que possuem o maior potencial
terapia intravenosa exclusiva, com sangue total ou antigênico (incitam resposta imunológica mais
produtos sanguíneos. É a forma mais simples de acentuada no receptor): 1.1, 1.2 e 7;
transplante.
Doador ideal é aquele negativo para 1.1, 1.2 e 7 (fazer o
INDICAÇÃO teste para saber se o animal possui esses tipos
sanguíneos e posteriormente, caso dê negativo para
O uso da transfusão sanguínea é indicado para casos esses tipos sanguíneos, testar o sangue do doador
de: com o receptor).
• Necessidade do restabelecimento da  GATO:
capacidade de transporte de oxigênio;
• Deficiências na hemostasia; Possui três tipos sanguíneos → A, B e AB;
• Transferência da imunidade passiva; Sendo a grande maioria da população do Tipo A (95%).
• Hipoproteinemia; Os animais AB aparentemente não apresentam
• Reposição de volume. reações cruzadas.
Para a transfusão sanguínea pode-se utilizar o sangue Os gatos possuem altos títulos de anticorpos naturais.
total ou seus derivados. O ideal é usar os derivados, É imprescindível a realização de tipificação sanguínea
para conservar os estoques e poder utilizar em mais e prova de reação cruzada.
de um paciente. Além disso, permite que sejam
 EQUINOS:
transfundidas grandes quantidades de um
componente e diminui o risco de sobrecarga Utiliza-se um sistema de combinação de letras:
circulatória.
Antígenos agrupados em sete sistemas: A, C, D, K, P,
TIPOS SANGUÍNEOS Q e U (cada um possui vários subgrupos → mais de
400.000 possibilidades);
As hemácias possuem antígenos em sua superfície, e
esses antígenos irão determinar o tipo sanguíneo dos Praticamente impossível uma transfusão sanguínea
animais. totalmente compatível.
A consequência desses antígenos próprios é a Apenas os antígenos Aa e Qa são imunogênicos e
formação de anticorpos anti-hemácias incitando a existe uniformidade dentro das raças e linhagens
resposta imunológica no receptor. Quando os (mãe e potro tem o mesmo tipo sanguíneo; raças
antígenos do doador e do receptor são iguais, essa possuem o mesmo tipo sanguíneo);
resposta imunológica não acontece.
 RUMINANTES:
Dependendo da espécie, os anticorpos já estão
presentes no indivíduo (antes de qualquer transfusão- Bovinos → pelo menos 13 grupos;
gato) ou serão produzidos após sensibilização (após
Ovinos → de 7 a 8 grupos;
uma transfusão- outras espécies).
Caprinos → pelo menos 5 grupos;
 CÃO:
Os ruminantes não possuem ou possuem poucas
Os antígenos eritrocitários caninos são: 1 (1.1, 1.2, 1.3), 3,
4, 5, 6, 7 e 8; hemolisinas (anticorpo que destrói as hemácias) →
primeira transfusão é segura.
OBS: a doação em ruminantes deve ser entre OBS: devido o pouco volume de sangue que é possível
espécies. Ex: bovino-bovino ser retirado do doador, a coleta é feita em uma
seringa heparinizada, e a transfusão também ocorre
SELEÇÃO DE DOADORES por meio desta. Além disso, não é possível a realização
Existem alguns critérios a serem seguidos para a da separação dos componentes do sangue.
seleção de doadores:
- Antes da doação:
 CÃO: - Exame clínico geral + hemograma + perfil
- Idade → entre 2 e 8 anos; bioquímico (função renal e hepática);

- Peso → acima de 28 kg; - Animais vacinados contra rinotraqueíte,


calicivírus, panleucopenia, clamídia e raiva (ou animais
- Ser AEC 1.1, 1.2 e 7 negativo; de vida restrita);
OBS: pela dificuldade em encontrar doadores - Sorologia negativa → Micoplasma sp.;
ideias, podemos considerar fazer a doação de Dirofilaria immitis; FeLV (feline leukemia virus); FIV
animais com 1 ano de idade e acima de 25 kg. (feline immunodeficiency virus).
Ser AEC 1.1, 1.2 e 7 negativo é a característica  TANTO CÃES E GATOS: O ideal é que tenham
mais flexibilizada, e ainda assim é difícil temperamento dócil e tranquilo, pois:
encontrar doadores com essas características.
• Evita a necessidade de sedação;
- Cães com essas características podem doar 450 mL • Diminui a relutância do tutor em trazer o
de sangue a cada três semanas (o ideal é que a animal;
doação aconteça com intervalo de três a quatro
• Reduz o tempo da coleta.
meses).
- Animais que já receberam transfusões sanguíneas e  EQUINOS:
gestantes não podem doar; - Peso → no mínimo 450 kg;
- Antes da doação: - O ideal é que seja da mesma linhagem ou raça do
-O animal doador deve passar por exame receptor;
clínico geral + hemograma + perfil bioquímico (função - Sexo masculino, castrado ou não (se for fêmea, deve
renal e hepática); ser nulípara- devido o fator rh);
-Sorologia negativa → Brucela canis; Erlichia - Hematócrito e proteínas plasmáticas em valores
sp.; Dirofilaria immitis; Borrelia burgdorferi (muito raro normais;
no Brasil); Babesia sp.; Leishmania sp.
- Sorologia negativa para anemia infecciosa equina;
 GATOS: - Não seja dos grupos sanguíneos Aa e Qa;
- Idade → entre 2 e 5 anos; - Um equino de 500 kg pode doar de 6 a 8 litros de
- Peso → acima de 4 kg (é preferível entre 5 e 7 sangue a cada 30 dias;
kg);  RUMINANTES:
- Gatos com essas características podem doar de 11 a Não devem possuir doenças bacterianas, virais e
15 mL/kg a cada 21 dias, porém, apresentam maior hemoparasitárias;
risco para desenvolvimento de hipotensão pós-coleta
(pode-se administrar 2 a 3 vezes o volume coletado Podem doar de 10 a 15 ml/kg de sangue a cada duas
de solução de NaCl 0,9% para minimizar os efeitos da ou quatro semanas.
hipotensão).
OBS: Animais gestantes não podem doar sangue, - O sangue e seus derivados devem ser armazenados
pois já existe um comprometimento do em geladeira e freezer exclusivos.
componente circulatório com o feto, aumentado Após a colheita do sangue, deve-se decidir como o
a sobrecarga nessa fêmea, fazendo com que o sangue será utilizado (sangue total, papa de hemácias
coração trabalhe mais (↑ FC). Pode ocasionar e plasma). Essa decisão deve ser feita em até 8 horas:
abortos.
 SANGUE FRESCO TOTAL: Sangue colhido em até,
COLHEITA DE SANGUE no máximo, oito horas. Contém hemácias, leucócitos,
Usar bolsas próprias contendo anticoagulantes plaquetas, todos os fatores de coagulação e proteínas
adicionados fatores nutricionais ou preservativo para plasmáticas. Pode ser utilizado diretamente ou feita a
hemácias. Os tipos de bolsas são: separação de seus componentes;
Ideal para estocagem: possui substâncias nutritivas  SANGUE TOTAL ESTOCADO: É o sangue fresco
para hemácias (podendo ser resfriadas ou total colhido com CPDA-1 ou ACD e armazenado a
congeladas): temperatura de 1 a 6 oC (pode ser estocado por 28 a
35 dias se utilizado o CPDA-1). Contém hemácias,
• Citrato fosfato dextrose adenina 1 (CPDA-1); proteínas plasmáticas e fatores de coagulação
• Ácido citrato dextrose (ACD); estáveis.
Não contêm substâncias nutritivas as hemácias →  PAPA DE HEMÁCIAS: É o sangue fresco total
deve ser transfundido logo após a colheita: centrifugado e separado do plasma. Deve ser
armazenada a temperatura de 1 a 6 oC (pode ser
• Citrato de sódio; estocado por 14 dias). Contém hemácias.
• Heparina.
 PLASMA FRESCO CONGELADO: É o sangue fresco
 LOCAL DE COLHEITA: total centrifugado e separado da papa de hemácias.
Deve ser armazenado a temperatura de -18oC em até
• Cães e gatos: Dar preferência pela veia jugular
8 horas após a colheita. Contém todos os fatores de
(pode-se usar a cefálica);
coagulação, além de todas as proteínas plasmáticas e
• Equinos e ruminantes: Usar a jugular; imunoglobulinas.
 CUIDADOS:  PLASMA CONGELADO: É o sangue fresco total
- Tricotomia + antissepsia cirúrgica; centrifugado e separado da papa de hemácias, porém
que não foi congelado dentro do período de oito horas.
- Após a punção do vaso e o estabelecimento do fluxo, Contém os fatores de coagulação dependentes de
a bolsa deve sempre ser movimentada suavemente vitamina K (II, VII, IX e X), além de proteínas
com objetivo de homogeneizar sem causar hemólise; plasmáticas e imunoglobulinas.
- A bolsa deve ser mantida em local mais baixo que INDICAÇÕES DE USO
o doador;
 INDICAÇÕES PARA O USO DE SANGUE TOTAL
- O tempo de coleta não deve ser maior que 15
E PAPA DE HEMÁCIAS:
minutos.
• Recuperação da capacidade de transporte de
 CUIDADOS PÓS-COLHEITA:
oxigênio e volemia:
- Comprimir o vaso por 2 a 4 minutos para evitar
Anemias graves por perda aguda de sangue: Quando
sangramento e formação de hematoma;
30% do volume for perdido (30 mL/kg no cão e 20
Evitar a contaminação do equipo com ar após a mL/kg no gato).
retirada da agulha;
Hematócrito abaixo de 10% no cão, 8% no gato e 20%
no equino.
• Anemias decorrentes da não produção ou - Fator:
perda de hemácias (EX: aplasia medular e
Cães → 90
doença renal crônica):
Hematócrito entre 10 e 17% devem receber transfusão. Felinos → 70

- Limitações: É um procedimento emergencial com Animais de grande porte (exceto potros) → 80


objetivo de aumentar a sobrevida e a qualidade de EX: Cão, 10 kg. Perda crônica – VG= 10%. Doador VG=
vida. Não promove cura, a causa da anemia deve ser 45%
tratada;
V= P x f x (VG desejado – VG receptor/ VG doador)
As hemácias transfundidas tem vida curta:
V= 10 x 90 x (30 – 10/ 45)
• Cães → 21 dias;
V= 10 x 90 x 0,45
• Gatos → 70 dias;
• Equinos → 2 a 6 dias; V= 405 ml (administrar em 4 horas)
• Ruminantes → 2 a 3 dias (bovinos) e 2 a 4 1º passo após o cálculo do volume: teste de 30 min a
dias (caprinos). uma taxa de infusão lenta → 0,5 ml/kg
- Teste de compatibilidade: Usado para verificar a 1 kg ----------- 0,5 ml
compatibilidade entre o plasma e hemácias de
doadores e receptores e identificar a presença de 10 kg ------------- x
anticorpos responsáveis por hemólise ou X= 5 ml/ 30 min
hemoaglutinação. O objetivo é diminuir o risco de
reações transfusionais hemolíticas imunomediadas. X= 0,16 ml/ min
É obrigatória a realização na segunda transfusão em *cálculo de gotejamento sempre com equipo MACRO:
cães e sempre no gato. 20 gotas ------ 1 ml
Y -------- 0,16 ml
Y= 3,2 gotas/min
2º passo: realizar o restante da infusão:
Volume restante= 405 – 5 = 400 ml
Tempo restante= 240 min – 30 min = 210 min
CÁLCULO DO VOLUME DE
TRANSFUSÃO 400 ml / 210 min = 1,9 ml/ min
Cálculo gotejamento:
 SANGUE TOTAL: fórmula:
20 gotas ------ 1 min
Z ------------- 1,9 ml
- Ht desejado: Z= 38 gotas/min
O aumento do hematócrito pós-transfusão → 25 a  PAPA DE HEMÁCIAS: fórmula:
30% em cães e 15 a 20% em gatos;
Grandes animais → volumes muito altos → na
prática, transfusão de 6 a 8 litros de sangue (10 a 15 2,2 = para animais pequenos (15 kg ↓)
mL/kg) → elevação do hematócrito em 3 a 4%;
1,1 = animais grandes (15 kg ↑)
OBS: também precisa fazer os 30 min de teste de - Grandes animais:
raação
Lenta nos primeiros 10 a 15 minutos → 0,1 mL/kg;
 PLASMA: fórmula:
Caso não apresente reações → 20 mL/kg/h;
Sendo:
Em bovinos, pode-se administrar 200 mL de sangue
e observar se alguma reação ocorre.
REAÇÕES TRANFUSIONAIS

Volume plasmático = volemia x %plasma no sangue  REAÇÕES TRANSFUSIONAIS AGUDAS:


x peso (kg) - Ocorre durante ou dentro de 24 horas após a
VPR = volume plasmático do receptor: transfusão;
-A maioria ocorre no início da transfusão;
Volemia → 90 em cães, 70 em gatos e 80 em
animais de grande porte; - Podem ser:
% plasma no sangue → 0,6 em cães e gatos e 0,65 • Hemolíticas → hemólise intravascular (mais
em animais de grande porte. grave); (liberação de muita hemoglobina-
OBS: não é necessário realizar os 30 min de teste de processamento pelo fígado, que fica
reação. sobrecarregado – icterícia pré-hepática, além
de lesão renal e vascular)
CUIDADOS COM A TRANSFUSÃO • Não hemolíticas → hipersensibilidade aguda
- Usar equipos próprios (com filtro); (anafilática).
- Aquecer a 37oC antes do uso; - Sinais clínicos:
- Nunca usar o mesmo cateter para administração de • Aumento da temperatura;
soluções que contém cálcio (Ringer-lactado ou Ringer • Aumento da frequência cardíaca e pulso;
simples). • Aumento da frequência respiratória;
VELOCIDADE TRANSFUSIONAL • Alteração da coloração das mucosas.
Deve ser feito em no máximo 4 horas, após isso: - Cuidados:

• Aumento do risco de contaminação em 70%; • Monitorar os sinais vitais no pré, trans e pós-
• Perda funcional dos componentes sanguíneos. transfusão;
• Caso haja qualquer alteração, a transfusão
- Cães e gatos: deve ser interrompida por, no mínimo, 15
TAXA DE INFUSÃO: minutos e o paciente avaliado;
• Checar a velocidade de transfusão.
Lenta nos primeiros 30 minutos → 0,25 mL/kg a 0,5
mL/kg;  REAÇÕES TRANSFUSIONAIS TARDIAS:
Caso não apresente reações → 4 a 5 mL/kg/h; - Ocorre após as 24 horas seguintes a transfusão;
Pacientes muitos desidratados → 10 a 15 mL/kg/h; - Podem ser:

Pacientes com doença renal ou cardíaca → 1 a • Imunomediadas → hemolítica (hemólise) e


mL/kg/h;. não hemolítica (imunossupressão e púrpura
pós-transfusional);
Hemorragias severas → 22 mL/kg/h.
• Não imunomediadas → transmissão de
doenças e hemossiderose.

Você também pode gostar