Você está na página 1de 9

GRUPO

CONCURSO PÚBLICO MAGISTÉRIO


Reservado ao CEFET-RN

EDUCAÇÃO FÍSICA

14/MAIO/2006
; Use apenas caneta esferográfica azul ou preta.
; Escreva o seu nome e o número do seu CPF no espaço indicado nesta folha.
; Confira, com máxima atenção, a prova, observando se há defeito(s) de encadernação e/ou impressão que
venha(m) dificultar a sua leitura.
; Em havendo falhas, dirija-se ao fiscal responsável dentro do prazo destinado previamente.
; Assine esta folha e o seu cartão de respostas.
; A prova terá duração máxima de quatro horas.
Boa sorte!

GRUPO
CONCURSO PÚBLICO MAGISTÉRIO
Reservado ao CEFET-RN

EDUCAÇÃO FÍSICA
Nome

Assinatura CPF

_ _ _._ _ _._ _ _-_ _


CONCURSO PÚBLICO – EDUCAÇÃO FÍSICA
CEFET/RN – 2006

1. No final do século XIX, duas correntes de pensamento percepção de saúde, numa perspectiva bio-
divergiam com relação à implementação da prática da fisiológica.
Educação Física no ambiente escolar, porém, no seio
do legislativo federal, foi proposto um parecer que 5. A prática da atividade física regular e bem orientada,
discutia a “reforma do ensino primário e várias vem sendo objeto constante de pesquisas cientificas,
instituições complementares da instrução pública”. O sendo estas vivências apontadas como salutares para
referido parecer, no seu texto, entre outras ações, a melhoria da qualidade de vida. Sabendo disso,
propunha: a) instituição de uma sessão especial de podemos identificar a existência de algumas
ginástica em escola normal; b) equiparação dos alterações cardiorrespiratórias, resultantes do
professores de ginástica com os das outras treinamento que são evidenciadas em repouso,
disciplinas; c) inclusão da ginástica nos programas dentre as quais podemos destacar:
escolares; o que rendeu ao relator de tal projeto o
titulo de paladino da Educação Física do Brasil. A a) nenhuma alteração do volume cardíaco, uma
autoria do referido projeto é de(o): menor freqüência cardíaca, um maior volume de
ejeção, aumento no volume cardíaco e na
a) Deputado Joaquim José de Oliveira Mafra. hemoglobina e alterações no músculo esquelético.
b) Dr. Jurandir Freire Costa. b) alterações do volume cardíaco, uma maior
c) Inezil Penna Marinho. freqüência cardíaca, um menor volume de ejeção,
d) Rui Barbosa. diminuição no volume cardíaco e na hemoglobina
e alterações no músculo esquelético.
2. O papel que a prática da Educação Física, no início do c) alterações do volume cardíaco, uma maior
século XX, propunha à mulher amparada, sobretudo, freqüência cardíaca, um menor volume de ejeção,
na perspectiva higienista era a de: aumento no volume cardíaco e na hemoglobina e
alterações no músculo esquelético.
a) preparação para a prática desportiva d) alterações do volume cardíaco, uma menor
b) desenvolvimento dos padrões motores freqüência cardíaca, um maior volume de ejeção,
c) despertar para necessidade de atividades físicas aumento no volume cardíaco e na hemoglobina e
d) prepará-la fisicamente para a maternidade alterações no músculo esquelético.

3. Podemos afirmar que, em sua gênese, a Educação 6. Na prescrição de um programa de atividade aeróbias
Física no Brasil: para um turma de Educação Física do ensino médio,
explicamos como os mesmos poderão monitorar a sua
a) teve seus princípios na escola militarista, método freqüência cardíaca. De posse destes dados
alemão, método francês e nos princípios determine a zona alvo para o grupo de alunos abaixo
higienistas. relacionados:
b) sofreu influência da Escola Australiana de
Ginástica, na escola militarista, método francês e 1. Pedro – 15 anos
princípios higienistas. 2. Francisco – 20 anos
c) Baseou-se nos pilares da psicomotricidade, na 3. João – 25 anos
escola militarista, método francês e nos princípios
higienistas. a) 140 – 174 bpm, 140 – 180 bpm, 136 – 156 bpm
d) Fundou-se pelos princípios da prática dos grandes b) 140 – 174 bpm, 142 – 176 bpm, 138 – 158 bpm
jogos, método francês, Escola Australiana de c) 143 – 174 bpm, 140 - 156 bpm, 130 – 150 bpm
Ginástica; d) 143 – 174 bpm, 140 – 170 bpm, 136 – 156 bpm

4. Assinale a alternativa que NÃO É VERDADEIRA com 7. Os Parâmetros Curriculares Nacionais são um
relação à história da Educação Física no Brasil. documento criado para nortear as ações, definindo,
assim, o conjunto de competências e habilidades que
a) A implementação do método natural francês, se pretendem desenvolver com os alunos do ensino
desenvolvido por Marey Tissié, introduzido no país médio em todas as disciplinas. Podemos afirmar que,
no Estado Novo, que tinha como função o no tocante à Educação Física, espera-se que, ao final
desenvolvimento dos padrões motores numa do ensino médio, os alunos possuam, entre outras, as
perspectiva generalista. competências de:
b) A década de 80 foi marcada por uma
efervescência política que produziu mudanças a) 1- Compreender o esporte como elemento
significativas no repensar da Educação Física. primordial e essencial no desenvolvimento da
c) Em 1939 é criada a primeira escola civil de Educação Física; 2- Desenvolver as noções
formação de professores de Educação Física. conceituais de esforço, intensidade e freqüência,
d) A Educação Física no Brasil tem uma forte aplicando-as em suas práticas corporais; 3-
tendência de “educação do físico” pautada numa Refletir sobre as informações específicas da

EDUCAÇÃO FÍSICA 1
CONCURSO PÚBLICO – EDUCAÇÃO FÍSICA
CEFET/RN – 2006

cultura corporal, sendo capaz de discerni-las e programa de condicionamento físico nas aulas de
reinterpretá-las em bases científicas, adotando Educação Física, com os alunos do 1º ano do ensino
uma postura autônoma na seleção de atividade e médio, solicitamos que os mesmos pesquisassem
procedimentos para a manutenção ou aquisição sobre os três sistemas de cuja energia, do ponto de
da saúde e 4- Valorizar a criação de equipes pré- vista químico, as células musculares podem dispor. A
desportivas com intuito de desenvolver o esporte partir deste questionamento quais respostas obtemos:
competitivo
b) 1- Compreender o funcionamento do organismo a) Sistema do fosfagênio, sistema do acido lático e
humano, de forma a reconhecer e modificar as sistema aeróbico.
atividades corporais, valorizando-as como recurso b) sistema de contração concêntrica, sistema de
para a melhoria das suas aptidões físicas; 2- contração isométrica e sistema de contração
Desenvolver as noções conceituais de esforço, isocinética.
intensidade e freqüência, aplicando-as em suas c) sistema de contração isotônica, sistema de
práticas corporais; 3- Refletir sobre as contração isométrica e sistema de contração
informações especificas do esporte, vendo-o como isocinética.
único elemento de emancipação das classes d) ATP- PC, ácido pirúvico e sistema aeróbico.
menos favorecidas e 4- Assumir uma postura
passiva, visto que, o conhecimento das atividades 9. O papel do professor de Educação Física, no ensino
corporais é elemento essencial do profissional da médio, segundo os Parâmetros Curriculares
Educação Física. Nacionais, é de:
c) 1- Compreender o funcionamento do organismo a) Elemento imprescindível na organização das
humano, de forma a reconhecer e modificar as equipes desportivas, aberto a perspectivas
atividades corporais, valorizando-as como recurso interdisciplinares, para desenvolver as noções
para a melhoria das suas aptidões físicas; 2- táticas e técnicas do esporte.
Vislumbrar no esporte competitivo um meio de b) Reprodutor do conhecimento cientificamente
discussão de proposição de uma nova realidade produzido pela humanidade, para estabelecer a
social; 3- Desenvolver as noções conceituais de relação treinador/atleta; facilitar o acesso a cultura
esforço, intensidade e freqüência, aplicando-as corporal; desenvolver o esporte de rendimento.
em suas práticas corporais; refletir sobre as c) Professor polivalente que domine todos os
informações generalistas da cultura corporal, conteúdos da cultura corporal, aberto a
sendo capaz de discerni-las e reinterpretá-las em perspectivas interdisciplinares, possuidor de um
bases científicas, adotando uma postura elevado nível de condicionamento físico.
autônoma na seleção de atividade e d) Facilitador/mediador do processo ensino-
procedimentos para a manutenção ou aquisição aprendizagem, aberto a perspectivas
da saúde; e 4- Assumir uma postura ativa, na interdisciplinares, fomentador de discussões, para
prática das atividades físicas, e consciente da facilitar o acesso à cultura corporal e valorizar a
importância delas na vida do cidadão. relação aluno/aluno e professor/aluno.
d) 1- Compreender o funcionamento do organismo
humano, de forma a reconhecer e modificar as 10. Ao iniciar a discussão a respeito dos conhecimentos
atividades corporais, valorizando-as como recurso da Educação Física, os Parâmetros Curriculares
para a melhoria das suas aptidões físicas; 2- Nacionais visualizam a proposição de formas de
Desenvolver as noções conceituais de esforço, atuação para o ensino da referida disciplina. Portanto,
intensidade e freqüência, aplicando-as em suas assinale a alternativa abaixo que NÃO condiz com os
práticas corporais; 3- Refletir sobre as encaminhamentos propostos pelo documento
informações especificas da cultura corporal, sendo supracitado.
capaz de discerni-las e reinterpretá-las em bases
científicas, adotando uma postura autônoma na a) Incentivar o esporte de rendimento como
seleção de atividade e procedimentos para a possibilidade de socialização e valorização dos
manutenção ou aquisição da saúde; e 4- Assumir alunos mais habilidosos.
uma postura ativa, na prática das atividades b) Desenvolver os conteúdos da cultura corporal: os
físicas, e consciente da importância delas na vida jogos, as lutas, as danças, a ginástica e o esporte,
do cidadão. além da promoção do desporto educacional e das
práticas esportivas não- formais.
8. Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais, o c) No caso especial da Educação Física no turno
professor de Educação Física deve orientar os seus noturno, desde que a mesma esteja integrada à
alunos no aprofundamento científico dessa área de proposta pedagógica da escola, existe a
conhecimento. Levando-se em consideração tal possibilidade de reunir os alunos e desenvolver
constatação, é de suma importância que os nossos projetos de atividades físicas especiais.
alunos tenham acesso a esse conjunto de d) Aproximar o aluno da Educação Física numa
conhecimentos científicos. Sendo assim, ao iniciar um perspectiva lúdica, educativa e contributiva.

EDUCAÇÃO FÍSICA 2
CONCURSO PÚBLICO – EDUCAÇÃO FÍSICA
CEFET/RN – 2006

11. Assinale a alternativa que contém concepções básicas característica a transcendência de limites. Isso se dá
de Educação Física que vêm sendo desenvolvidas concretamente no universo dos alunos, sendo eles.
nas instituições de ensino, segundo Kunz(1994)
a) 1- produtores das novas técnicas esportivas, 2-
a) Biológico-funcional, formativo- recreativa, técnico descobridores da própria experiência sinestésico-
– esportiva e concepção crítico-emancipatória corporal e 3- que o esporte possa fomentar o
b) Concepção biológico-estruturalista, concepção questionamento da realidade social vivida.
recreativa, concepção esportivizante e crítico- b) 1- vivenciadores do esporte numa perspectiva
emancipatória. lúdica, 2- que o esporte transcenda o limite das
c) Concepção de aulas abertas, crítico-superadora, atividades e 3- que haja uma aproximação entre o
concepção crítico-emancipatória e concepção esporte e os ídolos esportivos.
psicomotora. c) 1- descobridores do seu potencial esportivo, 2-
d) Esporte participação, esporte educação, esporte descobridores, pela própria experiência
rendimento e esporte emancipação. manipulativa, das formas e os meios para uma
participação bem sucedida em atividades de
12. Ao se referir ao conceito de esporte que é vinculado movimento e jogos 3- Questionadores de suas
pela Educação Física, Kunz(1994) afirma que esse características esportivo-cultural com a finalidade
esporte tem como conteúdo: de entender o significado cultural desta
aprendizagem, seu valor prático, descobrindo o
a) o rendimento esportivo, a socialização, a que ainda não sabem.
performance e a melhoria dos padrões psíquicos. d) 1- descobridores, pela própria experiência
b) formação de escolinhas, seleção de talentos, a manipulativa, das formas e os meios para uma
ludicidade e a performance. participação bem sucedida em atividades de
c) os jogos, o caráter lúdico, a perspectiva movimento e jogos, 2- capazes de manifestar pela
socializadora e a busca pela vitória. linguagem ou pela representação cênica o que
d) o treino, a competição, o atleta e o rendimento experimentaram e o que aprenderam numa forma
esportivo. de exposição, onde todos possam entender 3-
capazes de perguntar e questionar sobre suas
13. Ao pensarmos o esporte numa perspectiva de ensino aprendizagens e descobertas, com a finalidade de
problematizador, passa, segundo Kunz(1994), por: entender o significado cultural desta
aprendizagem, seu valor prático, descobrindo o
a) supervalorizar a ação coletiva na encenação do que ainda não sabem.
esporte; incentizar a sociabilizacão; transformar o
esporte de rendimento; evidenciar a prática 15. Segundo Betti(1998), os meios de comunicação de
esportiva e fomentar os questionamentos. massa são responsáveis por significativas mudanças
b) problematizar o esporte numa perspectiva no âmbito da Educação Física. Partindo dessa
eminentemente esportiva, evidenciar a prática perspectiva, assinale a alternativa abaixo que não
esportiva; suscitar os questionamentos; esclarecer representa o pensamento do autor.
o problema básico na encenação do esporte.
c) ter nas encenações esportivas um forma a) As crianças acabam por estabelecer um contato
emancipatória; aceitar diferentes soluções para precoce com práticas esportivas e culturais do
diferentes situações de encenação; supervalorizar mundo adulto.
a ação coletiva na encenação do esporte; b) Acabamos nos tornando consumidores em
incentivar a sociabilizacão e orientar-se nas potencial do esporte-espetáculo como
vivencias e experiências subjetivas dos telespectadores ou torcedores nos estádios e
participantes para problematizar sempre novas quadras.
situações. c) Diante do evidente poder de sedução da mídia, a
d) evidenciar e esclarecer o problema básico da Educação Física deve assumir uma postura de
encenação do esporte; destacar a importância das neutralidade diante das novas possibilidades de
situações de encenação e seu significado vivência da cultura corporal.
individual e coletivo; favorecer a responsabilidade d) Os elementos da cultura corporal tornaram-se
individual e coletiva no processo de encenação do produtos de consumo e objetos de conhecimento
esporte; aceitar diferentes soluções para e informação divulgados para o grande publico,
diferentes situações de encenação e orientar-se porém nem sempre com o rigor técnico-cientifico
nas vivências e experiências subjetivas dos desejável.
participantes para problematizar sempre novas
situações.

14. A perspectiva de transformação didático- pedagógica


do esporte, na concepção de Kunz(1994), tem por

EDUCAÇÃO FÍSICA 3
CONCURSO PÚBLICO – EDUCAÇÃO FÍSICA
CEFET/RN – 2006

16. A Educação Física poderá utilizar os recursos d) 1- formas ginásticas que impliquem conhecimento
proporcionados pelos meios de comunicação no fazer técnico/ artístico aprofundado da ginástica artística
pedagógico desta área de conhecimento ou olímpica, da ginástica rítmica desportiva ou de
a) utilizando os produtos de multimídia na divulgação outras ginásticas 2- formas de ginástica que
dos resultados esportivos da escola; utilizando os impliquem conhecimento científico/técnico
produtos da mídia como fonte de interpretação aprofundado da ginástica geral para permitir o
crítica do esporte espetáculo; no conhecimento de planejamento do processo de treinamento numa
novas vivências corporais, como material de perspectiva crítica do significado a ela atribuído
pesquisa para questionamento das matérias socialmente.
vinculadas pela mídia. 19. Assinale a alternativa que mostra como deve ser
b) utilizando os produtos da mídia como fonte de abordada a vivência do esporte nas aulas de
interpretação crítica do esporte espetáculo; no Educação Física, segundo o coletivo de
conhecimento de novas vivências corporais, como autores(1992).
material de pesquisa para questionamento das
matérias vinculadas pela mídia e como ferramenta a) Deve ser ressignificada, deixando de ser a
pedagógica. vivência do esporte ‘na’ escola para o esporte ‘da’
c) entendendo os meios de comunicação de massa escola, adaptada aos aspectos sócio-cultural;
como elemento de neutralidade político- resgatar os valores que privilegiam o coletivo
ideológica, como ferramenta pedagógica, sobre o individual; permitir a crítica do mesmo
vislumbrando, através das experiências dos dentro de um contexto sócio-econômico-político-
grandes atletas, a possibilidade de ascensão cultural e que o ensino não se esgote no gesto
social e utilizando os produtos de multimídia na técnico.
divulgação dos resultados esportivos da escola. b) Deve ser ressignificada, deixando de ser o esporte
d) Vislumbrando, através das experiências dos ‘da’ escola para o esporte ‘na’ escola, adaptado
grandes atletas, a possibilidade de ascensão aos aspectos sócio-cultural; resgatar os valores
social, no conhecimento de novas vivências que privilegiam o individual; permitir a neutralidade
corporais, como material de pesquisa para dentro de um contexto sócio-econômico-político-
questionamento das matérias vinculadas pela cultural e que o ensino desenvolva os gestos
mídia e como ferramenta pedagógica. técnicos e a formação tática.
c) Deve ser ressignificados deixando de ser o
17. Ao propor um conjunto de transformações esporte ‘da’ escola para o esporte ‘na’ escola,
epistemológicas e metodológicas para a Educação adaptado aos aspectos sócio-cultural; resgatar os
Física, fez-se necessária uma reflexão pedagógica valores que privilegiam o individual; permitir a
para essa área de conhecimento. Sendo assim, critica do mesmo dentro de um contexto sócio-
assinale as características desse novo pensar na econômico-político-cultural e que o ensino não se
perspectiva crítico-superadora. esgote no gesto técnico.
a) Diagnóstica, judicativa e teleológica. d) Deve ser ressignificada, deixando de ser o esporte
b) Interpretativa, diagnóstica e explicativa. ‘na’ escola para o esporte ‘da’ escola, adaptado a
c) Crítica, reflexiva e diagnóstica. realidade sócio-cultural; resgatar os valores que
d) Interpretativa, diagnóstica e interacional. privilegiam o coletivo sobre o individual; permitir a
critica do mesmo dentro de um contexto sócio-
18. Sabendo-se que a ginástica é um dos conteúdos da econômico-político-cultural e que o ensino não se
cultura corporal como preconizado pelo coletivo de esgote no gesto técnico.
autores( 1992 ), assinale a forma de sistematizá-lo no
ensino médio. 20. Os estudos de Daolio(1998), ao apontar as
perspectivas do pensamento científico da Educação
a) 1- projetos individuais e coletivos de prática de Física brasileira, a partir do final da década de 1970,
ginástica na escola 2- formas ginásticas iguais mas principalmente nos anos 80, afirma que estas
para os dois sexos. reflexões e debates perpassaram por duas
b) 1- programas de formas ginásticas, tecnicamente abordagens bem distintas: uma com base marxista
aprimorados, considerando os objetivos e (progressista) e outra com um foco conservador.
interesses dos alunos 2- formação de grupos Assinale a alternativa que apresentas os autores que
ginásticos que pratiquem e façam exibições dentro representaram, com sua produção acadêmica, a
e fora da escola. abordagem progressista.
c) 1- formas ginásticas que impliquem conhecimento
técnico aprofundado na ginástica aeróbica. 2- a) Go Tani, Celi Taffarel e Lino Castellani Filho.
formas de ginástica que impliquem conhecimento b) Lino Castellani Filho, João Paulo Medina e João
científico/técnico aprofundado da ginástica geral Batista Freire.
para permitir o planejamento do processo de c) Go Tani, Victor Matsudo e Celi Taffarel.
treinamento numa perspectiva crítica do d) João Paulo Medina, Lino Castellani Filho e Celi
significado a ela atribuído socialmente. Taffarel.

EDUCAÇÃO FÍSICA 4
CONCURSO PÚBLICO – EDUCAÇÃO FÍSICA
CEFET/RN – 2006

b) Saberes curriculares.
21. Uma concepção de Educação Física escolar tem c) Saberes da experiência.
como objeto a reflexão sobre a cultura corporal, em d) Saberes da escola.
toda sua diversidade de experiências, contribuindo
assim para a afirmação dos interesses de classe das 25. O Grupo de Trabalho Pedagógico/UFPE/UFSM
camadas populares, na medida em que desenvolve (1991), nos seus estudos, afirma que “analiticamente,
uma reflexão pedagógica sobre valores como seria importante tentar destacar os modelos de ação
solidariedade, substituindo o individualismo; pretendidas através da organização. Para a aula de
cooperação, confrontando a disputa; distribuição, em Educação Física, isto significa perguntar por dois
confronto com apropriação. Sobretudo, enfatizando a modelos de ação que se influenciam reciprocamente”.
liberdade de expressão dos movimentos - a Esses dois modelos são denominados:
emancipação -, negando a dominação e submissão do
homem pelo homem. Essa concepção reflete: a) modelos de ação curricular que geram
aprendizagem e os modelos da avaliação que
a) a Educação Física crítico-emancipatória.
medem o conhecimento.
b) a Educação Física humanistica.
b) modelos de ação que são fixados através da
c) a Educação Física libertadora.
organização aula e os modelos de ação que são
d) a Educação Física crítico-superadora.
fixados através da organização esporte.
c) modelos de conhecimento que são impostos pela
22. Em toda e qualquer prática pedagógica existe uma escola e modelos de aprendizagem do
proposição política ideológica, mesmo que o professor desenvolvimento.
não queira explicitar. Nesse sentido, não existe uma d) modelos de currículo determinados pela disciplina
ação pedagógica neutra. Nos estudos de e modelos de escola.
Daolio(1998), relata-se a produção acadêmica e como
ocorreu, em alguns momentos da história, uma certa 26. Digel(1982) apud Grupo de Trabalho
disputa entre a ideologização ou não da Educação Pedagógico/UFPE/UFSM(1991) descreve uma
Física. Um(a) dos autores abaixo defende claramente, classificação que propõe uma visão das regras para
em sua concepção de Educação Física, uma definição uma análise das formas esportivas, denominadas de
ideológica de disputa de classe. regras constitutivas e regras regulativas. As regras
constitutivas são subdivididas em: a) as regras do
a) Celi Taffarel. inventário; b) as regras da zona; c) as regras do
b) Go Tani. tempo; d) as regras da pessoa e por último nas regras
c) João Batista Freire.
da ação motora. Em uma aula de Educação Física
d) Victor Matsudo. escolar apenas uma situação exemplifica a utilização
dessa regra. Assinale-a.
23. Tardif et al (1991) apud Borges (1998,p.50), aponta
que o saber docente pode ser entendido como “ Um a) situação 02: a) no voleibol, jogamos com os
amálgama, mais ou menos coerente”, de saberes membros superiores; b) o aluno cria os espaços;
provenientes de quatro fontes. Essas fontes são:
c) no voleibol, a bola regula o tempo de jogo; d)
a) saberes da experiência; saberes curriculares; cada pessoa define o seu espaço e e) ganha o set
saberes da formação profissional e saberes da a equipe que, em primeiro lugar, completar vinte e
escola.
cinco pontos.
b) saberes da formação profissional; saberes da b) situação 03: a) no voleibol, jogamos com os
vida; saberes do mundo; e saberes da escola. membros superiores; b) o aluno não pode realizar
c) saberes curriculares; saberes da formação
o saque dentro da quadra; c) o posicionamento no
profissional; saberes da vida e saberes do corpo. voleibol não é definido; d) pode-se jogar com duas
d) saberes da formação profissional; saberes das bolas ao mesmo tempo e e) o jogo de voleibol
disciplinas; saberes curriculares e saberes da
pode ter até cinco set.
experiência. c) situação 01: a) no voleibol, jogamos com os
membros superiores; b) o aluno cria os espaços;
24. Borges (1998), ao estudar a formação docente e sua c) no voleibol, a bola regula o tempo de jogo; d)
prática pedagógica, afirma que existe uma efetiva não existe nenhum tipo de falta e e) o árbitro é a
desvinculação do conhecimento adquirido pelo
autoridade máxima.
professor na sua formação universitária e sua d) situação 04: a) no voleibol, jogamos com os
aplicabilidade na escola. Tal constatação recorre ao membros superiores; b) o aluno não pode realizar
fato de a atuação docente priorizar, conforme a autora,
o saque dentro da quadra; c) o aluno dispõe de
um tipo de saber em detrimento dos outros. Assinale a um certo tempo para realizar o saque; d) o aluno
alternativa que apresenta os saberes priorizados na não pode segurar o aluno da outra equipe e e) o
prática pedagógica pelos docentes.
aluno ao realizar manchete.
a) Saberes do esporte.

EDUCAÇÃO FÍSICA 5
CONCURSO PÚBLICO – EDUCAÇÃO FÍSICA
CEFET/RN – 2006

27. Nas reflexões didáticas e pedagógicas surgidas a 30. Taffarel (1985), ao descrever sobre os métodos de
partir da década de oitenta sobre a compreensão dos ensino da Educação Física escolar no Brasil,
procedimentos nas aulas de Educação Física escolar, menciona o fato da forte influência dos métodos
surge a concepção de aulas abertas, que apresentam tradicionais de ensino das escolas européias e
as seguintes características: americanas. Nesse sentido, as aulas apresentam um
a) centrada no aluno; no produto; nos problemas e método com característica diretiva, com predomínio do
na intenção racionalista. autoritarismo por parte do professor. Porém, a autora
b) centrada no professor; no produto; nas metas indica possibilidade de reverter esse quadro, tendo por
definidas e na intenção racionalista. base formas de ensino menos diretivas, que
c) centrada no aluno; no processo; na contribuam para a autonomia, auto-determinação e
problematização e na comunicação. criatividade dos alunos. Assinale a alternativa em que
d) centrada no aluno; no processo; nas metas se denominam os cinco métodos indicados por
definidas e na intenção racionalista. Taffarel(1985), na perspectiva de um ensino menos
diretivo.
a) Método de perguntas operacionalizadas; Método
28. Hildebrant-Stramann (2003), ao discutir sobre o construtivista; Método desenvolvimentista; Método
sistema do esporte, afirma que tal sistema reduz as marxista e Método criativo.
complexas possibilidades de movimento. Conduzindo b) Método de perguntas operacionalizadas; Método
sua abordagem com base em duas regras básicas que construtivista; Método de análise; Método de
caracterizam o sistema de esporte, essas regras que, síntese e Método de checklist (lista de checagem).
no entender de Hildebrant-Stramann, causam uma c) Método de perguntas operacionalizadas; Método
redução na complexidade do movimento são construtivista; Método marxista; Método
denominadas de: Brainstorming(tempestade de idéias) e Método de
a) regras do sobrepujar (no sentido de vencer) e a checklist(lista de checagem).
regra esportiva. d) Método de perguntas operacionalizadas; Método
b) regra do sobrepujar (no sentido de vencer) e a da análise; Método da análise-síntese; Método
regra do sistema social. Brainstorming (tempestade de idéias) e o Método
c) regras do sobrepujar (no sentido de vencer) e a checklist (lista de checagem).
regra da vida.
d) regras do sobrepujar (no sentido de vencer) e a 31. “A avaliação do processo ensino-aprendizagem
regra da comparação objetiva. sempre despertou o interesse constante de
educadores e pesquisadores na área de Educação
29. Ao afirmar que “[...] na escola, não somente as Física em busca de respostas mais consistentes
disciplinas desportivas, mas também os pequenos acerca deste processo, mesmo considerando que
jogos são configurados de acordo com o modelo de cada situação ou cada contexto pressupõe
esporte institucionalizado”. Hildebrant-Stramann características próprias que podem determinar
(2003) apóia a tese de que o sistema esportivo, diferentes objetivos, procedimentos e critérios de
através das suas tendências, interfere no conteúdo avaliação”. Considerando esse posicionamento,
esporte e sua forma de ser ministrado na escola, mas Souza(1993) classifica a avaliação em três tendências,
também interfere em outros conteúdos da Educação denominadas de:
Física escolar. Essas tendências mencionadas pelo a) clássica, formativa e crítico-social.
autor são denominadas de: b) clássica, humanista-reformista e somativa.
a) seleção, especialização e a cooperação. c) clássica, formativa e somativa.
b) seleção, especialização e a competição. d) clássica, humanista-reformista e crítico-social.
c) seleção, competição e a disputa.
d) seleção, especialização e a instrumentalização. 32. A classificação proposta por Souza(1993),
caracterizando a avaliação em três tendências, implica
que a avaliação está atrelada a uma concepção de
educação. Assinale a alternativa que apresenta as três
tendências de educação respectivamente na
classificação da avaliação proposta pelo autor
supracitado.
a) reprodutivista,técnico-tradiconal; construtivista e
crítico-social, transformadora.
b) conservadora; humanizante modernizante e
libertadora.
c) reprodutivista,técnico-tradicional; construtivismo-
interacionista e libertadora.
d) reprodutivista,técnico-tradicional; humanista
modernizante e crítico-social, transformadora.

EDUCAÇÃO FÍSICA 6
CONCURSO PÚBLICO – EDUCAÇÃO FÍSICA
CEFET/RN – 2006

33. Tradicionalmente a avaliação em Educação Física 37. O tempo pedagogicamente necessário para o
escolar prioriza aspectos mais objetivos em detrimento processo de assimilação do conhecimento, implica
de outros com características subjetivas. Nesse considerar certos critérios pelos quais os
sentido, a avaliação em Educação Física escolar conteúdos(conhecimentos) serão organizados,
clássica tem como foco a ênfase: sistematizados e distribuídos no planejamento.
a) nos aspectos comportamentais e habilidades Assinale a alternativa que apresenta o ciclo de
desportivas. sistematização sugerido na concepção didático
b) nos aspectos psicológicos e habilidades pedagógica crítico-superadora para o ensino médio,
desportivas. considerando os conteúdos da dança e do esporte.
c) nos conteúdos culturais universais da Educação a) Ciclo de organização da identificação da
Física. realidade; Ciclo de iniciação à sistematização do
d) nas valências físicas e habilidades desportivas. conhecimento; Ciclo de ampliação da
sistematização do conhecimento e Ciclo de
34. Coletivos de autores(1992), refletindo sobre os aprofundamento da sistematização do
aspectos significativos da avaliação no contexto conhecimento.
escolar, situa a sociedade que temos e a que b) Ciclo de iniciação à sistematização do
queremos como um balizador da concepção de conhecimento; Ciclo de ampliação da
avaliação que praticamos na escola. Esse aspecto é sistematização do conhecimento; Ciclo de
denominado de: organização da identificação da realidade e Ciclo
a) projeto de aula. da transformação da realidade.
b) projeto histórico. c) Ciclo de organização da identificação da
c) processo criativo. realidade; Ciclo de estruturação do conhecimento
d) processo ensino-aprendizagem. corporal; Ciclo de mudança da realidade e Ciclo
de sistematização do conhecimento esportivo.
35. Coletivo de autores(1992) explicita as finalidades, d) Ciclo de organização da identificação da
conteúdos e forma para uma proposta de avaliação realidade; Ciclo de iniciação à sistematização do
em Educação Física escolar. Menciona as condutas conhecimento esportivo; Ciclo de transformação
humanas, as práticas avaliativas, o tempo da realidade e Ciclo de criação do esporte em
pedagogicamente necessário para a aprendizagem, as consonância com o mercado.
intencionalidades e intenções e outros. Assinale a
alternativa que contém os aspectos considerados 38. Assis, Sávio(2001) discute em seus estudos uma
como complementares para uma proposta de possibilidade concreta do esporte ser olhado,
avaliação na concepção didático-pedagógica crítico- percebido e vivido na escola. Nessa perspectiva o
superadora. autor afirma que:
a) As decisões em conjunto, aplicar testes e levantar a) para o esporte ser desenvolvido na escola, e ser
medidas. uma possibilidade de ascensão social, o professor
b) As decisões em conjunto, levantar medidas, deverá deixar claro para os alunos que todos
selecionar e classificar alunos. podem alcançar o topo do sucesso, basta treinar.
c) As decisões em conjunto, a compreensão crítica b) O esporte não precisa ser analisado criticamente
da realidade e classificar os alunos. pela escola, basta reproduzi-lo que o resultado
d) As decisões em conjunto, a compreensão crítica será benéfico para todos, pois o esporte é algo
da realidade e o privilégio da ludicidade e da maior que a escola.
criatividade. c) O esporte apresenta uma característica própria do
ser humano, que é a competição, por isso, não
36. Na concepção didático-pedagógica crítico-superadora, deverá ser modificado em sua estrutura para
coletivo de autores(1992) defende que a Educação atender a objetivos alheios ao seu propósito.
Física escolar trata pedagogicamente de um d) para o esporte ser modificado, é necessário
conhecimento específico de uma área denominado de: enxergá-lo como instituição social que produz um
a) cultura corporal. sistema de valores, mas é imprescindível afirmar a
b) cultura de movimento. sua condição de produção humana, algo passível
c) cultura corporal de movimento. de transformação, inclusive pela prática
d) cultura do corpo. pedagógica.

EDUCAÇÃO FÍSICA 7
CONCURSO PÚBLICO – EDUCAÇÃO FÍSICA
CEFET/RN – 2006

39. Um olhar sobre o corpo-objeto e o corpo-sujeito 40. A Educação Física escolar, apesar dos avanços da
proposto por Nóbrega (2005), tem por base uma produção acadêmica das últimas décadas, ainda
discussão fenomenológica. No entanto, a autora apresenta uma forte influência biologizante e
dialoga especificamente com dois filósofos para esportivizante na prática docente, resquício do
apresentar sua tese. Esses filósofos são domínio da área médica-biológica dualista cartesiana
respectivamente: sobre um corpo. Tal concepção implica uma
a) Merleau-Ponty e Nietzsche. compreensão de movimento, presente no processo
b) Descartes e Merleau-Ponty. ensino aprendizagem no corpo:
c) Platão e Nietzsche. a) máquina.
d) Platão e Aristóteles. b) sujeito.
c) integral.
d) holístico.

EDUCAÇÃO FÍSICA 8