Você está na página 1de 14

A Doutrina da Fé

Presidente Brett Horsley

Oro para que o Espírito Santo guie todas as minhas observações. Que, assim
como nos discursos anteriores, roguemos ao Pai que nos conceda as palavras, e que
o Espírito possa levar a verdade “ao coração” das pessoas que a ouvirem. Com a
presença do Espírito Santo, esta será uma experiência reveladora para todos nós.
Iremos, portanto, ser inspirados a ajustar nossas vidas adequadamente e, ao sermos
rápidos em observar Suas inspirações sagradas, a nossa fé crescerá.
Meu formato para o discurso de hoje segue o padrão que o Élder David A. Bednar
geralmente usa para ensinar. Envolve a “descrição” dos Princípios-Chave
associados com a Doutrina da Fé e, logo em seguida, o compartilhamento de uma
Aplicação para cada princípio, o que ilustrará e esclarecerá o ensinamento.

Escrituras e Palavras Proféticas para Guiar o nosso Aprendizado

Em Mateus 17: 18-20, fala: “E, repreendeu Jesus o demônio, que saiu dele, e
desde aquela hora o menino sarou.” “Então os discípulos, aproximando-se de Jesus
em particular, disseram: Por que não pudemos nós expulsá-lo?” “E Jesus lhes disse:
Por causa de vossa incredulidade ... se tiverdes fé como um grão de mostarda,
direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há-de passar; e nada vos será
impossível”.

Em Efésios 6:12-13 e 16, lemos que (note como essa escritura se aplica ao
mundo em que vivemos hoje), “Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue,
mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas
deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais”.
“Portanto, tomai toda armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e,
havendo feito tudo, ficar firmes.” e “Tomando sobretudo o escudo da Fé com o
qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.”
Além disso, na tradução de Joseph Smith de Gênesis 14: 30-31, aprendemos
sobre o tipo de fé que o Senhor espera que tenhamos: “Que [meus santos],
teria[m] poder, pela fé, para derrubar montanhas, dividir os mares, secar as águas,
desviá-las de seu curso; para desafiar os exércitos das nações, dividir a terra, quebrar
todos os grilhões, permanecer na presença de Deus; fazer todas as coisas segundo a
vontade dele, de acordo com as suas ordens, subjugar principados e poderes; e isso
pela vontade do Filho de Deus, que existia desde antes da fundação do mundo.”

Na terceira dissertação do livro Dissertações na Fé, Joseph Smith ensinou que


nós precisamos de três coisas para realmente termos fé ou exercer fé em Deus para
vida e salvação. 1- Devemos ter uma ideia ou entendimento correto de que Deus
existe. 2- Devemos ter um entendimento correto do Seu caráter, perfeições e
atributos e 3- Devemos obter um conhecimento real de que o curso atual de
nossas vidas está de acordo com a Sua vontade.

Os Sete Princípios-Chave da Fé

O primeiro princípio da Fé é este: A fé é o firme fundamento das


coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se veem.

Esta é a ilustração: o Élder David A. Bednar fala sobre três palavras que
definem o princípio da fé: Certeza, ação e prova. Algumas vezes pensamos que
a fé é acreditar cegamente em algo que não conseguimos ver, como se não houvesse
espaço para certeza ou evidência. A verdadeira fé significa acreditar em algo,
trabalhar para conseguir/realizar esse algo e, então, olhar para trás e ver a evidência
produzida pela nossa fé. Um exemplo disso seria quando Josué traz os filhos de
Israel para o Rio Jordão. Ele tinha recebido a promessa do Senhor de que guiaria o
povo através de terra seca, carregando a Arca do Aliança. O problema veio quando
eles chegaram perto da água e nada aconteceu. Muitos lembraram de Moisés abrindo
o Mar Vermelho. Eles colocaram fé nas verdades que sabiam e na certeza que
sentiam de que estavam fazendo a vontade do Senhor. E eles agiram. Eles deram um
passo na água. A ação era de prosseguir exercendo fé caminhando. E a cada passo,
a água abria-se diante deles. Então, quando eles olharam para trás, viram a
evidência das coisas pelas quais tinham apenas “esperado” anteriormente.
Uma ilustração similar aconteceu comigo quando eu estava em minha missão
no Brasil; Pediram que déssemos uma bênção em uma mulher de nossa ala que tinha
uma doença terminal. Ela estava com muito medo. Tínhamos 20 anos de idade
naquele momento. Ela disse: “Elders, eu quero que vocês me curem”. Bem,
sabíamos que as escrituras dizem que “se você não está designado para morrer”,
você pode ser curado. Nós estávamos tendo uma experiência com aquelas três
palavras ensinadas pelo Elder Bednar: certeza, ação e evidência, só não sabíamos
disso. Precisávamos primeiro ter a certeza de que aquela era a vontade de Deus,
depois precisávamos agir e, por último, precisávamos ver a evidência.
Bem, estávamos nervosos. Aquela ordem era grande. Entramos em um pequeno
quarto escuro, e nós dois oramos a Deus de joelhos, e perguntamos a Ele se
poderíamos ter a certeza de que esta era a coisa certa a se fazer. Era a vontade Dele
ou não? O Espírito desceu com tanto poder sobre nós que sentimos como se Ele
estivesse nos dizendo: “Sim, vocês podem curá-la.” Saímos do quarto e pusemos
nossas mãos sobre a cabeça dela, agimos. Teria sido muito mais fácil apenas
dizermos coisas que não estavam associadas com a certeza que recebemos. Mas,
agora que tínhamos a certeza, poderíamos ir em frente com fé, sabendo que a
evidência seria vista.
Nós ordenamos, em nome de Jesus Cristo, que ela fosse curada. Note que nós
não tínhamos visto a evidência ainda. Porém, sabíamos que o Espírito tinha guiado
nossas palavras e sentimos Seu poder durante a benção. Voltamos de biclicleta para
casa; O Espírito estava tão forte que sabíamos que ela tinha sido curada. Eu me
lembro que olhamos um para o outro, enquanto pedalávamos nossas pequenas
bicicletas, e lágrimas começaram a escorrer em nossos rostos. Voltamos lá na casa
da irmã outro dia, não consigo lembrar exatamente quanto tempo depois. Ela disse:
“Élders, eu fui ao médico. A doença se foi.” Ela era uma simples mulher no Brasil;
ninguém conhece ela. Mas Deus a conhece. E Deus nos conhecia como missionários.
Ele estava ensinando a dois jovens rapazes que quando Ele nos dá uma certeza, e
nós vamos em frente agindo com fé, iremos olhar para trás e ver a evidência.

Princípio número dois: A Fé é Centralizada em Jesus Cristo

De volta à primeira ilustração, não importava se ela tinha um simples resfriado ou


câncer. O Senhor nos mandou curá-la. Mas, muitas vezes na vida, algumas coisas
parecem ser mais difíceis para nós e isso permite que a dúvida entre em nossas almas.
Então, quando somos ordenados a fazer algo fácil em nossas vidas, o fazemos,
agimos, recebemos a resposta, seguimos em frente, e vemos a evidência. Quando
fica difícil ou “mais difícil”, nós duvidamos. Mas existe uma verdade poderosa: a
Luz e Escuridão não podem coexistir no mesmo lugar, ao mesmo tempo. Quando
viemos aqui, hoje, e ligamos as luzes, a escuridão teve que sair. Em nossas vidas,
geralmente temos luz. Mas, quando duvidamos, lentamente permitimos que a
escuridão volte. Por alguma razão, duvidamos quando algo parece maior ou mais
desafiador para nós; mas não é maior para Deus. Não é mais difícil para nosso Deus,
que criou, redimiu e salvou mundos incontáveis. Nada é difícil demais para Jesus.
Nossa fé deve ser “centralizada em Cristo”, não no problema que estamos
enfrentando. Quando duvidamos por causa da dificuldade da tarefa é porque estamos
focando no problema, não na cura. A verdadeira fé deve ser centralizada em Jesus.
Ele deve ser o nosso foco.
Há um artigo maravilhoso, de uma A Liahona recente, que revisa a história sobre
os filhos de Israel e as serpentes venenosas. O artigo descreve a época em que
Moisés ergue a serpente de bronze. Todos nós já ouvimos essa história. A eles foi
ordenado simplesmente olhar. Na verdade, se eles fossem mordidos pela serpente e
olhassem para a serpente de bronze, que foi erguida na cruz pelo profeta de Deus,
eram curados. Mas muitos não olharam. E, como diz no livro de Mórmon, eles não
olharam porque não acreditavam que isso os curaria. Perceba no que a maioria deles
focaram: nas serpentes venenosas! Eles focaram no problema. Uma vez que não
acreditaram nas palavras do profeta de Deus, se desviaram da fonte da cura e fixaram
os seus olhos nas serpentes e nas feridas que receberam em seus corpos. Eles estavam
olhando para os seus problemas, não estavam olhando para Jesus.
Será que focamos demais em nossos problemas? Será que focamos
frequentemente em nossos vícios, problemas, amarguras e em nossos, “por que eu?”,
de modo que não estamos olhando para a única fonte de cura que é Jesus? Ele é o
lugar de onde a cura e salvação fluem. A fé vem quando focamos em Cristo, e não
quando focamos nas fraquezas que temos, assim como falamos anteriormente, na
Parábola dos Talentos; Cristo nos chama para usarmos os nossos talentos e sermos
instrumentos ativos em suas mãos. Aqueles que focam em suas forças e focam no
Mestre recebem mais força, e mesmo as suas fraquezas se tornam fortalezas. Aqueles
que constantemente ficam obcecados em seus problemas e não buscam vir a Cristo,
descobrem que não apenas perdem seus talentos e forças, mas que também
continuam com seus problemas.
Princípio Número Três: A Fé é um Princípio de Ação e de Poder.

A fé verdadeira sempre envolve ação. “A fé sem obras é morta.” Eis uma


ilustração: Se nos ajoelhássemos e o Pai Celestial nos dissesse que deveríamos
mover uma montanha, haveriam diversas maneiras para se fazer isso. Mas eu
sugeriria que a melhor maneira seria pegarmos uma pá e começarmos a cavar, e
fazermos tudo o que estivesse ao nosso alcance. Durante o nosso trabalho, Deus
nós dará força. Também, Uma vez que estivéssemos exaustos, Deus, então, nos
daria poder para movermos a montanha (se necessário). Cristo nos ajuda em nossos
esforços para mover a montanha, e Ele nos dá poder milagroso quando nossos
melhores esforços ainda não são o suficiente.
O mesmo se aplica aos problemas que temos em nossas vidas particulares:
Fazemos tudo ao nosso alcance para mover a montanha, a dificuldade ou a tarefa
que devemos realizar. Mas quando já fizemos tudo o que podíamos, nós a
entregamos aos pés de Jesus e rogamos por ajuda, e o Salvador vem nos socorrer.
Ele nos ajuda desde o nascimento até a morte. É importante lembrarmos que tudo o
que temos vem de Deus. Nossas vidas, nossos corpos e nossos pertences parecem
ser nossos. Nos esquecemos tão facilmente que todas essas coisas são presentes do
nosso Pai Celestial.
Além disso, Jesus não faz apenas “adicionar” graça ao final de nossas
obras: a Sua graça é o poder capacitador que está constantemente conosco em
nossa jornada. Não poderíamos fazer nada sem Jesus. A Sua graça nos sustém
ao agirmos em retidão, e a Sua graça nos resgata do dilema inevitável da nossa
imperfeição.
Novamente, a fé é um princípio de ação. Perceba que a escritura diz: “Deus
amou o mundo de tal forma que Ele deu …” Ele deu! Será que O amamos de tal
forma que damos-Lhe algo? Será que dizemos: “Eu amo o Pai Celestial. Amo ele
mais do que tudo, mas eu não estou disposto a pagar o dízimo, não estou disposto a
fazer minhas visitas de ministração, a atuar como professora visitante ou como
mestre familiar... Eu amo ele, mas eu não estou disposto a dar.” Bem, e se Ele
amasse o mundo de tal forma, mas não fizesse nada sobre isso? É no ato de dar que
o amor de Deus nos salvou. É através da ação do Seu Perfeito Amor e Fé que nós
fomos “cobertos” e redimidos através do Seu Filho Amado.
Princípio Número Quatro: a Fé Vem pelo Ouvir da Palavra de Deus
pelo Poder do Espírito Santo (de acordo com o profeta Joseph e o apóstolo Paulo)

A fé realmente vem a nós ao ouvirmos o Evangelho pregado pelo poder do


Espírito Santo. A fé veio a nós, hoje, durante esses discursos, ao sentirmos o Espírito
Santo nos inspirar a aprender, lembrar e agir. O Espírito presente aqui tem nos
inspirado a fazer mudanças em nossas vidas. Esta é a primeira ilustração: cada um
de nós fomos obedientes pelo fato de estarmos aqui hoje. Porém, a nossa fé
aumentará ao ouvirmos e aprendermos pelo poder do Espírito Santo, e ao sairmos
daqui e fazermos as coisas que o Senhor nos inspirou a fazer.
Outra ilustração disso fica em Moroni 7:29-32 (poder e fé que vêm através
de se ouvir a palavra de Deus). A escritura afirma isso desta forma: “... Cessaram os
milagres? Eis que vos digo que não; tampouco os anjos cessaram de ministrar entre
os filhos dos homens. Pois eis que a eles estão sujeitos, para ministrarem de acordo
com a palavra de sua ordem, manifestando-se os que tem uma fé vigorosa e uma
mente firme em toda forma de santidade. E o ofício de seu ministério (dos anjos), é
chamar os homens ao arrependimento e cumprir e realizar a obra dos convênios
que o Pai fez com os filhos dos homens, a fim de preparar o caminho entre os filhos
dos homens, declarando a palavra de Cristo aos vasos escolhidos do Senhor, para
que deem testemunho dele.”
Então, ao cumprirmos os nossos convênios, a promessa é que teremos o
ministério de anjos. O papel deles é “preparar o caminho entre os filhos dos homens,
declarando a palavra de Cristo aos vasos escolhidos do Senhor, para que deem
testemunho Dele.”
Em outras palavras, os anjos e o Salvador continuam a visitar e guiar os líderes
do Senhor (aqueles que possuem as chaves do sacerdócio) e outros membros e
líderes de sua igreja, assim esses pessosas conseguem ensinar com poder e quando
eles falam, aqueles que os ouvem podem sentir pelo poder do Espírito Santo que o
que eles estão dizendo é verdade, e imediatamente a fé deles aumentará. Deus nunca
cessará de enviar anjos. Ele nunca cessará de continuar a visitar o seu povo, pois
quando aqueles que tiveram essas experiências falam, nós sentimos e sabemos que
é verdade. Quando vamos à conferência geral, sabemos que os nossos profetas
videntes e reveladores sabem e, portanto, a nossa fé aumenta. Quando nossos líderes
do sacerdócio nos ensinam pelo poder do Espírito Santo, nós sabemos que Ele não
é um Mestre ausente e que Ele continuará a enviar anjos em forma de ministradores
para nos ensinar as coisas que precisamos aprender para aumentamos nossa fé. A fé
vem através de se ouvir a palavra de Deus, falada pelo poder do Espírito Santo.
Alma soube disso quando, depois de todas as dificuldades pelas quais o seu
povo estava passando, sentiu que a maneira mais perfeita de resgatá-los seria através
do poder da palavra. Ele ensinou que a melhor coisa que ele poderia fazer era prestar
um testemunho puro das coisas que ele tinha visto, e das coisas que ele sabia através
do poder da profecia e da revelação. E, então, quando ele falasse, aqueles que o
ouvissem saberiam e sentiriam que suas palavras eram verdadeiras e, assim, a fé
deles iria aumentar. A fé verdadeiramente vem pelo ouvir da palavra de Deus.

Princípio Número Cinco: a fé não pode ultrapassar a vontade de Deus

Tem um livro maravilhoso escrito pelo Élder Dallin H. Oaks. Detalhado no


primeiro capítulo, há uma história de fé da infância dele. Ele fala sobre a sua época
de jovem rapaz, quando seu pai tinha ido para a faculdade de medicina e, logo
depois, precisou sair do país para receber mais treinamento (eu acho que ele foi para
o Egito). Quando seu pai voltou, descobriram que ele havia contraído tuberculose.
Eles haviam apenas começado a vida e a prática médica no sul de Idaho, e pensavam
que tudo estava sendo perfeito. O pai do Elder Oaks ficou muito doente e eles o
levaram para um hospital em Denver, Colorado. Muitos líderes do sacerdócio
passaram por lá e deram-lhe bençãos. Até mesmo um apóstolo do Senhor foi lá e o
abençoou. Mas, no fim das contas, a cura dele não era a vontade do Senhor. Do nosso
ponto de vista, isso não faz sentido. Por que a fé e o sacerdócio desses homens não
curaram ele? O Élder Oaks então ensinou o princípio de que mesmo os nossos
desejos mais sinceros, mesmo a nossa fé mais poderosa, e mesmo o poder do
sacerdócio não podem ultrapassar a vontade de Deus.
Parece que Deus, que sabe de todas as coisas, precisava que Elder Dallin H. Oaks
fosse criado por uma mãe solteira. Ele tinha que passar por experiências que só
seriam possíveis de se receber se ele perdesse o seu pai. A fé e o sacerdócio não
puderam mudar o curso porque um amoroso Pai Celestial sabia o fim desde o
princípio. O Pai Celestial sabia exatamente onde o Élder Dallin H. Oaks um dia
estaria, e Ele o ajudou a chegar lá, através das Suas ternas misericórdias. Esse
ensinamento parece bem injusto para nós. Nunca desconsidere as ternas
misericórdias que o Pai tem lhes concedido. Quer soframos de doenças crônicas,
fadiga, depressão, tristeza, vício, solidão ou mesmo quando as coisas simplesmente
não acontecem da maneira que gostaríamos, devemos sempre nos lembrar de que
Deus sabe de tudo. Quando chegamos ao limite da nossa fé, e quando fizemos o
nosso melhor, nós entregamos as coisas aos pés de Jesus e percebemos que ele vai
tomar conta delas. Devemos ser sinceros quando dizemos, através das nossas ações
e orações: “Que a tua vontade seja feita.” As escrituras são bem claras quando nos
dizem que o poder da Fé e do Sacerdócio se manifestam quando: 1. recebemos a
certeza de que iremos curar e 2. a pessoa “não esteja designada para morrer”. Por
Deus saber de todas as coisas, devemos acima de tudo aprender a submeter os nossos
desejos à vontade e direção Dele.

Princípio Número Seis: Nós Podemos Mudar o Curso

Aprendemos no princípio cinco que não podemos ultrapassar a vontade de


Deus, não importa quão forte seja a nossa fé. O princípio que discutiremos agora
nos ensina que, quando não é contra a vontade de Deus, podemos exercer uma fé
vigorosa e mudar o curso que se seguiria. Devemos estar ansiosamente engajados no
trabalho de salvação, e podemos fazer uma tremenda diferença através da nossa fé e
obediência. Nós devemos sempre prosseguir com firmeza, exercendo o poder da fé.
É um pensamento errôneo assumir que só precisamos navegar ingenuamente
pela vida e deixarmos com que as coisas simplesmente aconteçam, como se
houvesse uma espécie de “destino”, e fossemos sujeitos a ele, e não pudéssemos
mudar o futuro. O Salvador se referiu a esse pensamento como sendo “morno”. Nem
“quente” (prosseguir com fé), nem “frio” (rejeitar os Seus ensinamentos). Ele nos
pede que façamos uma escolha. Ele quer que O sigamos com todo nosso coração,
poder, mente e força, e não que apenas nos sentemos e esperemos que a vida
aconteça. Essa linha de pensamento e ação, de apenas “ver o que acontece”
frequentemente nos leva a pôr a culpa de todos os nossos problemas em Deus, como
se não tivéssemos nenhuma outra opção. É verdade que Ele permite que passemos
por provações e problemas para o nosso aprendizado, mas frequentemente nossos
desafios e dificuldades são trazidas a nós através da nossa própria escolha de sermos
“mornos”, e não valentes, em nosso testemunho. Não se engane: Deus quer que
sejamos felizes, que tenhamos paz nesta vida, e que mudemos o curso dela através
da nossa fé vigorosa. Exercer fé é um mandamento!
Há uma escritura muito bela em Doutrina e Convênios que diz que quando os
elderes de Israel são chamados para abençoar os doentes, e colocam suas mãos sobre
as nossas cabeças, a menos que “estejam[os] designados a morrer”, nós seremos
curados. Bem, esse é um símbolo para todos os problemas. Se fizermos todo o nosso
melhor e exercemos fé, a menos que “estejamos designados a aprender através
disso” ou que isso ‘seja contrário à vontade de Deus”, as coisas serão resolvidas. O
curso será alterado pela nossa fé.
Uma ilustração sobre isso seria o Rei Ezequias. Ele contraiu uma doença
muito séria. Ele vai morrer. De fato, Isaías fala para ele terminar de colocar sua vida
em ordem porque o Senhor decretou que a hora dele ir tinha chegado. Como você
reagiria se o profeta de Deus te dissesse que era a sua hora de morrer? O que você
faria? Bem, Ezequias era O Rei de Judá, possivelmente o maior de todos. Ele se
dirige ao Senhor através da oração poderosa e muda o curso, através da fé! O Senhor
fala novamente ao profeta Isaías e muda o plano, por causa da tamanha fé de
Ezequias. Ele essencialmente fala para Isaías ir novamente a Ezequias para dizê-lo:
“Assim diz o Senhor: você recebeu mais 15 anos para viver” Isso é realmente
maravilhoso. Parece que o Senhor algumas vezes coloca desafios em nossos
caminhos que poderiam ter diferentes resultados dependendo da nossa fé.
Examine a sua própria vida. Você está exercendo fé e agindo para mudar o seu
curso ou você está apenas deixando a vida acontecer, apenas recebendo a ação?
Na Alegoria das Oliveiras, o Senhor da Vinha está bravo, ele não está feliz com
seu povo; Na realidade, ele vai queimar todos eles. Mas o servo se levanta, o
advogado, que é o profeta: “Por favor, não faça isso ainda. Por favor, dê-me mais
tempo para pregar arrependimento”; e o Senhor diz: “Ok”. Quantas nações foram
salvas porque a fé de um servo do Senhor mudou o curso?
Eu sei que o meu curso foi mudado por causa das orações da minha mãe e do
meu pai. Eu não estaria aqui hoje. Eu estou aqui por causa das orações deles. Eu sei,
através de testemunho pessoal, que minha esposa e eu mudamos o curso de nossas
vidas, porque acreditamos que Cristo pode mudá-las para nós. Não é sobre nós, mas
é sobre um conhecimento e uma fé de que nós não apenas devemos ficar esperando
para ver o que acontece, deixando com que o destino se encarregue de resolver as
coisas. Não. Nós podemos mudar o curso através da fé e, a menos que “esteja[mos]
designados a morrer” ou que “estejamos designados a passar por nosso desafio por
mais tempo”, o Senhor mudará essas coisas para nós, e Ele frequentemente envia o
Espírito com grande poder para nos lembrar quem está no controle.

Princípio Número Sete: Devemos ter Fé nas Promessas e nos


Convênios de Cristo. Precisamos acreditar Nele. Ele cumprirá TODAS
as Suas Promessas.

Tivemos uma noite familiar há um tempo atrás, e estávamos tentando ensinar


e discutir sobre a doutrina da Fé. Meu filho pequeno de 8 anos estava tentando
entender esse conceito. Como uma maneira de explicar melhor as coisas, eu senti
que deveria ensinar o seguinte: Eu disse “Ok, vamos praticar. Eu vou colocar minhas
mãos para trás e vou dizer para você que tenho 3 dedos.” Ele disse: “Pai, você está
tentando me enganar?” Eu disse: “Ok, Benson, eu vou falar como sendo o seu papai.
Você sabe que eu nunca menti para você. Eu prometo a você que tenho três dedos.
Benson, quantos dedos tem em minhas mãos?” Ele falou: “Três.” Eu disse: “Como
você sabe?” Ele disse: “Porque você me disse.”
Esse é o modo pelo qual podemos entender a maneira que Deus trabalha
conosco. Ele não nos promete as coisas e depois tem um número diferente em seus
dedos. Ele não está tentando nos enganar. Todas as suas promessas se cumprirão.
Cada uma delas. Na seção 38:2 de Doutrina e Convênios, Ele diz: “... todas as coisas
estão presentes diante de meus olhos;” Nós estamos sempre diante de Seus olhos.
Ele é perfeito. Quando Ele diz que nós estamos sempre diante de Seus olhos, Ele
está falando sério. Só porque nós não conseguimos calcular todas as variáveis, não
significa que Deus não é capaz de fazê-lo.

Aqui estão algumas promessas de Jesus para considerarmos:

1. “Tudo o que pedirdes ao meu Pai, em meu nome, te darei” Tudo o que
você pedir a Ele, que seja conveniente, eu te darei. A menos que isso seja para
a sua condenação, eu te darei.
2. “Todos os que o Pai me deu, não serão perdidos” Eu acho que nem
chegamos perto de compreender o poder dessa afirmação. Ele não vai nos
perder. Eu guardarei todos aqueles que o meu Pai me deu, eles não serão
perdidos. Sabemos que o Presidente Boyd K. Packer, na Conferência Geral,
expandiu um lindo ensinamento do profeta Joseph Smith, o de que todo
marido e mulher que entram no convênio do casamento no templo, e vivem
dignos dele, terão seus filhos selados a eles para sempre. Nós não
compreendemos como isso funciona. Nós não compreendemos como o
arbítrio se encaixa nisso. Apenas sabemos que Cristo cumpre as suas
promessas. Se Ele te diz que salvará os seus filhos se você viver os convênios
do casamento celestial, acredite Nele. Os ternos braços do convênio eterno irá
trazê-los de volta, não sabemos quando ou como. O nosso papel é sermos
obedientes e exercermos fé.
3. “Nem os vossos caminhos, os meus caminhos” Aqui vai um exemplo: Nós,
como mundo, temos dificuldades com a Teoria da Evolução; as teorias dos
homens e todas essas coisas difíceis sobre a datação do carbono. Eles dizem:
“Bem, nós temos uma prova. Olha aqui para a datação deste carbono.” Apesar
disso, não foi Jesus que, bem em seu primeiro milagre, transformou água em
vinho? Se você pudesse ter experimentado aquele vinho, saberia que ele
estava fermentado, e ele teria uma "idade''. Jesus não consegue mudar tudo?
Eu acredito que Ele nos expõe constantemente a dilemas como esse, para que
possamos aprender a exercer fé. Aqueles que estavam presentes na hora
poderiam jurar, pela própria vida, que o vinho não tinha acabado de ser criado,
mas que ele já era um vinho de bastante tempo.
Quando Jesus estava entre os nefitas, do nada, Ele produziu vinho e pão
para o Sacramento; essas coisas tinham uma “idade”. Ele pode parar o Sol,
dizem as escrituras. Ele controla o tempo e, ainda assim, nós permitimos que
as teorias dos homens diminuam nossa fé, porque o mundo “provou” isso ou
aquilo. O mundo tem algumas leis, algumas teorias e muitas especulações
porque eles veem a vida sem as lentes da fé. É por causa disso que
frequentemente tropeçam. O Presidente Ezra Taft Benson foi claro ao
explicar que todas as leis científicas e todas as verdades estão em sintonia com
as leis e verdades espirituais. É apenas neste segundo estado que nós somos
enganados pelo que parece não se encaixar, e isso acontece porque o nosso
entendimento é muito limitado.
O conhecimento e aprendizado do mundo é muito importante, e nós devemos
buscar o máximo de educação que nos for possível. Ao mesmo tempo, nunca
devemos colocá-los acima das revelações nem acima da palavra de Deus. A única
coisa que podemos provar é o que nós sentimos pelo poder do Espírito Santo, que
Jesus Cristo realmente vive, que Ele está ansioso para nos redimir e que Ele cumpre
as suas promessas. Confie nessas promessas. Segure firme nas promessas.

Em resumo: Os Sete Princípios da Fé

1. A fé envolve certeza, ação e evidência.


2. A fé é centralizada em Jesus Cristo.
3. A fé é um princípio de ação e poder.
4. A fé vem pelo ouvir da palavra de Deus, pregada pelo poder do Espírito
Santo.
5. A fé não pode sobrepujar a vontade de Deus.
6. Porém a fé pode mudar o curso, se não for contrário à vontade de Deus.
7. Tenha fé em todas as promessas e convênios de nosso Deus. Nós devemos
acreditar em Jesus.

Conclusão

Eu encerro com uma ilustração final. A primeira é uma memória minha de uma
história verídica que li certa vez: Max Lucado, um escritor maravilhoso que é de
uma outra fé cristã, descreve em um de seus livros um lindo, porém assustador,
momento de aprendizado. Ele e sua família estão tendo uma grande festa em seu
quintal. Uma das suas netas cai na piscina e se afoga. Ela é resgatada, e eles
conseguem trazê-la de volta à vida. Naquela noite, Max Lucado se ajoelha e fala
com Deus, dizendo: “O Senhor, tu es maravilhoso, um Deus incrível. Eu te amo
muito. Você é o maior de todos.” “Obrigado por salvá-la.” E então, ele ouve estas
simples palavras: “Max, não seria eu ainda o maior, mais maravilhoso Deus, se a
sua neta tivesse morrido? Não seria eu ainda o mesmo que criou todas as coisas?
O que mudaria, o meu amor por você ou o seu amor por mim?” Ele continua e
ensina um lindo princípio: Nós fazemos o nosso melhor, exercitamos nossa fé, e
depois confiamos em Deus.
E Ele continua lá, sendo o mesmo Deus eterno. Na jornada da vida, algumas
pessoas terão milagres grandiosos, e algumas não, mas todos recebem a promessa
da Sua paz reconfortante, que nos permite saber que estamos fazendo o nosso melhor
e que o nosso curso é agradável perante Ele. Uma boa ilustração é quando Jairo pediu
ao Senhor que curasse a sua filha. O esperançoso Jairo está falando para Jesus se
apressar, quando a mulher com problemas de fluxo de sangue se aproxima Dele e
toca em Seu manto. Jesus direciona toda a Sua atenção para ela. Você consegue notar
claramente o quão ansioso Jairo deve ter ficado? "Senhor, precisamos ir mais
rápido!” Enquanto Jesus curava outra pessoa, a filha dele morre. E então ele diz que
não vai mais preocupar Jesus, porque a filha dele já está morta. Jesus ternamente
relembra a ele: “Não, ela está dormindo. Eu sou um Deus de milagres. Eu escolho
quando as pessoas irão se levantar. Eu escolho quando elas não irão se levantar.” E
então ele vai e traz a filha de Jairo de volta à vida.
Algumas vezes, ficamos frustrados quando vemos outras pessoas sendo curadas
de seus vícios e problemas, enquanto nós não o estamos sendo. Mais uma vez, nos
vemos fazendo más escolhas e caindo nas mesmas tentações e maus hábitos que
temos. Nós rogamos a Deus: “Por que você não tira isso de mim?” Minha
mensagem para vocês esta noite é: continuem lutando! Jesus é forte o suficiente
para te ajudar. Outra coisa; permaneça o mais longe possível da linha da rebelião
e pecado. Na hora que você escolher atravessar a linha, então, você poderá ser
tentado acima da sua habilidade de controlar; mas você não pode ser tentado acima
das suas habilidades, se você escolher permanecer no lado correto da linha.
Permaneça no lado correto da linha e proteja o seu arbítrio. Mas mesmo se você se
encontrar no território do inimigo, nunca desista, pois Cristo é poderoso para salvar!
Nós discutimos sobre alguns princípios muito poderosos da fé. Eu testifico que
eles são verdadeiros e funcionam. Nós adoramos um Deus maravilhoso que tem todo
o poder e nos ama com um amor que nós não podemos compreender. O Seu perfeito
amor e compaixão O faz correr para nos socorrer todas as vezes em que precisamos.
Às vezes, Só parece que Ele não está lá, Mas, como Ele mesmo ensinou aos Seus
discípulos, na noite anterior ao Seu sofrimento: “Eu não os deixarei órfãos, virei
para vós.” Em última análise, não importa se Ele vai nos curar, a única coisa
que importa é que saibamos que Ele o pode. Embora não possamos ver a Sua
presença durante nossas aflições, nós podemos senti-la, através do poder do Espírito
Santo. Jesus prometeu: “Eu vou orar ao Pai e Ele enviará outro Consolador [que é o
Espírito Santo], que permanecerá com você PARA SEMPRE … .”
A verdadeira fé reside em nossa habilidade de acreditar em um Mestre que é
todo poderoso, assim como onisciente. Apesar do fato de que às vezes esses poderes
de cura não aparentam vir imediatamente às nossas vidas, podemos ter a companhia
constante do Espírito Santo para nos deixar saber que Jesus está nos observando e
orando por nós.
Desejo prestar o meu testemunho das três coisas que o profeta Joseph Smith
compartilhou sobre a fé no livro Dissertações na Fé. Número um: que existe um
Deus. Eu testifico que Ele vive, e que Ele nos ama, e que Ele tem todo o poder na
Terra e no Céu. Número 2: que Ele tem um caráter perfeito, com todos os atributos
da perfeição, e que Ele vê o fim desde o princípio. Ele sabe o que acontecerá a cada
um de nós, e quer vir correndo ao nosso resgate e que, mesmo agora, prepara um
caminho para o nosso escape. Eu testifico que Ele tem o conhecimento perfeito de
todas as coisas. Ele não aprende coisas novas. Ele está ansioso para que falemos com
Ele para que, assim, Ele possa nos revelar as verdades sem fim. Ele tem a resposta
para todas as perguntas. Número três: usarei uma citação aqui, porque o terceiro
princípio necessário para se exercer a fé é “saber que o curso que estamos seguindo
está de acordo com a vontade de Deus”, e a única maneira de sabermos disso é tendo
a companhia constante do Espírito Santo. O presidente Henry B. Eyring ensinou, e
este é o meu desafio e convite para todos nós esta noite: “Façamos tudo o que for
exigido para sermos dignos da companhia do Espírito Santo e prossigamos sem
medo, sabendo que teremos a capacidade de fazer tudo o que o Senhor nos chamar
para fazer.”
Eu os convido, em nome de Jesus Cristo, a aplicar esse 7 princípios de fé em
suas vidas. Eu invoco uma bênção sobre vocês, em Seu sagrado nome, para que
vocês tenham uma habilidade maior de serem obedientes e de seguirem os sussurros
do Espírito que sentiram nesta noite, e isso para que possam obter a poderosa fé
falada em Gênesis, pela qual somos ordenados a “Derrubar montanhas ... desafiar
os exércitos das nações … quebrar todos os grilhões … (e) permanecer na presença
de Deus.”
Eu testifico que Joseph Smith é a testemunha preeminente de Cristo em nossa
dispensação, e que temos muitas destas verdades sagradas por causa dele. Eu amo
vocês e oro por vocês todas as noites. Eu também testifico da verdade dessas
Doutrinas, Princípios e Aplicações da Fé. Em nome de Jesus Cristo, amém.

(Sessão dos Adultos da Conferência da Estaca Central - 15 de setembro de 2012)


(Traduzido por Sister Kethyllen Pimentel – Julho 2021)