Você está na página 1de 9

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA E MONOGRAFIA

Pedro Martins1

Introdução

Trata-se neste polígrafo de sintetizar os elementos básicos para a elaboração e


apresentação de projeto de pesquisa e monografia, seguido de indicações para a formatação
gráfica do trabalho e organização da bibliografia. Busca-se fornecer, desta forma, uma
orientação mínima e segura mas que não representa, de qualquer maneira, a única possível.
Pode-se, de qualquer forma, consultar outros manuais e mesmo normas estabelecidas, como
as normas da ABNT, Chicago e Vancouver, por exemplo. Para visualizar a aplicação destas
orientações é importante ter contato com um exemplo de trabalho já realizado – o que facilita
também a compreensão dos conceitos utilizados.

PARTE I – ESTRUTURA DO PROJETO

APRESENTAÇÃO (ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS)


1) Folha de rosto, contendo Nome da Instituição, Título do Trabalho, Nome do Autor,
Sinopse, Local e Data. Nome da instituição e Título devem estar em caixa alta (letras
maiúsculas).
2) Página com epígrafe/ dedicatória/ agradecimentos (opcional).
3) Resumo de 15 linhas contendo objetivo, referencial teórico e metodologia, em espaço
simples; colocar no alto da página a referência bibliográfica do projeto/ pré-projeto, no
formato justificado (ver modelo de citação de monografia no final). Após o resumo colocar
de 3 a 5 palavras-chave que estejam presentes no título ou no resumo.
4) Sumário (constando apenas os títulos principais).
5) Conteúdo (ver descrição abaixo).

CONTEÚDO
1) Introdução (Apresentação do tema/ objetivos, revisão bibliográfica referente ao tema - o

1
Professor do CEART e do Programa de Pós-Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento
Socioambiental, MPPT/FAED/UDESC.
2

estado da arte ou revisão temática, e problematização (perguntas de partida)- questões que


precisam ainda ser tratadas em relação ao tema e que o autor do projeto pretende trabalhar.
Importante formular um número de perguntas capaz de abranger o problema).
2) Problema (Formulado de maneira bem direta em forma de pergunta).
3) Objetivos (um objetivo geral, que corresponda às expectativas do problema, e objetivos
específicos, tantos quantos forem as perguntas elaboradas na problematização – um objetivo
específico relacionado com cada pergunta de partida.
4) Justificativa (Texto curto, de caráter pessoal, onde se demonstra a importância teórica e
prática da realização do trabalho de pesquisa ou a sua aplicação).
5) Hipóteses (Se julgar necessário ou apropriado. Neste caso, deve-se elaborar uma hipótese
que corresponda a cada uma das perguntas de partida).
6) Referencial teórico (Apresentar os principais conceitos que vão orientar a abordagem do
problema e mostrar como eles são discutidos na literatura - revisão teórica).
7) Metodologia (1. Revisão da literatura sobre metodologia ou revisão metodológica; 2.
Definição da estratégia metodológica (ou o tipo de pesquisa que se pretende realizar); 3.
Universo da pesquisa - área que será abrangida pela pesquisa e seu respectivo objeto; 4.
Estratégia de coleta e de análise dos dados: apresentar uma estratégia que permita atender a
cada um dos objetivos; 5. Etapas da pesquisa: relacionar as etapas de trabalho em sequência
lógica a partir da finalização do projeto e descrever com o máximo de detalhes cada uma das
etapas).
8) Cronograma: listar as etapas da pesquisa e correlacioná-las com o número de meses
disponíveis para a sua execução (no caso de pré-projeto não é obrigatório).
9) Orçamento (caso o projeto seja utilizado para buscar recursos financeiros).
10) Bibliografia Citada (só deve entrar nesta lista o que for citado em alguma parte do projeto.
Mesmo a bibliografia que só foi levantada deve ser de alguma forma mencionada ao longo do
projeto para constar na lista).

ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

1. Anexos (numerados, se houver mais de um, e com paginação própria).


2. Glossário, lista de siglas, lista de mapas e ilustrações (que também podem estar na
apresentação), iconografia e outros (são considerados também anexos).
3

PARTE II – ESTRUTURA DA MONOGRAFIA

Trata-se aqui de apresentar uma sugestão de roteiro para a elaboração da monografia


contendo os resultados de pesquisa que tenha como objetivo a conclusão de curso. Esta
proposição aplica-se a qualquer nível de formação e busca simplificar a apresentação de dados
e conteúdos obrigatórios.

(ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS)

FOLHA DE ROSTO
Deve conter:
Cabeçalho com as informações da instituição (em caixa alta)
Título do trabalho em caixa alta (de preferência com não mais que 13 palavras)
Nome do autor em caixa baixa
Sinopse
Local e data
(Com exceção da sinopse, todo o conteúdo é centralizado).

FOLHA DE ASSINATURA DA BANCA EXAMINADORA

FOLHA COM EPÍGRAFE (opcional)


FICHA CATALOGRÁFICA (Apenas depois da defesa. É fornecida pela Biblioteca Central)
RESUMO
Deve conter:
Referência bibliográfica no alto.
A indicação “RESUMO”.
O resumo, propriamente dito, em parágrafo único e sem endentação, contendo: objetivo geral
do trabalho, referencial teórico sem citação bibliográfica, metodologia utilizada e resultados
ou conclusões. Não ultrapassar as 20 linhas em espaço simples.
Palavras-chave: de três a cinco, separadas por (;) com um espaçamento após o corpo do
resumo.
4

ABSTRACT
Tudo o que constar no resumo, traduzido para a língua inglesa.

SUMÁRIO
Listar os títulos principais do trabalho, sem detalhamentos (o que consistiria em um índice),
seguido da paginação (introdução – página 01, capítulos, considerações finais e bibliografia
citada).
Listar os anexos sem indicar paginação – uma vez que cada anexo possui paginação própria.

(ELEMENTOS TEXTUAIS)

INTRODUÇÃO
Identificada apenas como “INTRODUÇÃO”, sem sub-títulos ou qualquer tipo de esquema,
deve trazer os elementos que seguem separados por um espaçamento.

1- Apresentação do escopo do trabalho, objetivo geral e breve localização do objeto de


estudo.
2- Motivação pessoal.
3- O que já se discutiu sobre o tema (breve revisão temática), iniciando pelos trabalhos
mais distantes e concluindo pelos mais próximos, sem esquecer de mencionar aqueles
realizados no próprio programa.
4- Perguntas de partida/ problema, seguido de objetivos específicos e justificativa.
5- Suporte teórico utilizado – apresentação e breve discussão.
6- Metodologia. Discussão e fundamentação do método, universo da pesquisa e recorte
do objeto, descrição de todos os passos realizados para atingir os objetivos específicos.
Detalhar o processo de coleta de amostras, escolha e número de entrevistados, além de
fatores possivelmente subjetivos que possam ter influenciado a qualidade dos dados
bem como o processo de análise e reflexão sobre os mesmos. Apontar não apenas o
que deu certo, mas também o que não deu e como eventuais dificuldades foram
superadas.
7- Apresentar a estrutura do texto, limitando-se à identificação e breve descrição dos
conteúdos de cada capítulo.
8- Agradecimentos. Colocados no final da introdução, em formato de parágrafo único, os
agradecimentos agregam elegância ao trabalho.
5

CAPÍTULO I (Título)
Revisão teórico-temática do objeto da pesquisa, trazendo ainda a sua contextualização
histórica e localização espacial. Na prática, expande as informações já anunciadas na
introdução.
Dividir o capítulo (os demais também) em partes e verbetes para tornar a leitura mais
agradável.

CAPÍTULO II (Título)
Exposição dos dados coletados e dos experimentos realizados.

CAPÍTULO III (Título)


Análise dos dados e experimentos apresentados no capítulo II em articulação com o conteúdo
teórico-temático do capítulo I. Seguem as reflexões que o material permita realizar e que
possuem caráter autoral e original. Cabe também apontar conclusões gerais, quando for o
caso.

Importante lembrar que cada capítulo deve tratar de responder às perguntas de partida
que sobreviveram até o final da pesquisa e que tudo o que estiver em um capítulo deve estar
relacionado com os demais.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
O item não acrescenta dados ou reflexões novas (tudo deve estar nos capítulos), mas realiza
um apanhado das discussões realizadas ao longo do trabalho, destacando aquilo que se
considera importante ou original. Apontam-se as lacunas que se supõe terem ficado no
trabalho e indicam-se possibilidades de novas pesquisas daí derivadas ou em outras direções.

BIBLIOGRAFIA CITADA
Lista-se em ordem alfabética do nome do autor todas as obras citadas ao longo do trabalho.
Fontes específicas da internet devem ser citadas diretamente no rodapé da página onde
aparecem ou, caso sejam usadas em grande quantidade, constar em uma lista específica depois
da bibliografia.
Conteúdos de entrevistas devem ser referenciados no rodapé da página onde aparecem pela
primeira vez, contendo alguma forma de identificação do entrevistado, data e local da
entrevista.
6

Cabem também listas especiais de documentos e legislação consultados, quando ocorrer em


grande quantidade – em caso de pequena quantidade fica melhor referenciar diretamente no
rodapé da página onde aparecerem citados ou no próprio texto.

(ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS)

ANEXOS
Listas contendo a indicação de ilustrações e tabelas.
Questionários ou outros roteiros utilizados na coleta de dados.
Mapas.
Documentos complementares considerados importantes para a compreensão do contexto da
pesquisa e do conteúdo expresso na monografia.

Os anexos seguem a ordem listada no sumário e possuem numeração própria.

PARTE III - APRESENTAÇÃO GRÁFICA

1) Formatar todo o trabalho em folha A4, com margens superior e inferior de 2,5
centímetros, esquerda com três centímetros e direita com dois centímetros.
2) Fonte Time 12 e espaçamento entre linhas de 1,5 exceto na folha de rosto, no
resumo, nas citações diretas endentadas e na bibliografia citada. Nestes casos deve-se
aplicar espaço simples entre as linhas.
3) As citações diretas com até três linhas podem permanecer no corpo do texto entre
aspas.
4) As citações diretas com mais de três linhas devem ser destacadas do corpo do texto,
sem aspas, mantendo-se o formato e tamanho da fonte, espaço simples entre as
linhas, recuo de dois espaços de parágrafo à esquerda e parágrafo formatado com 12
pontos acima e abaixo.
5) As citações devem ser referenciadas no corpo do texto usando-se o formato: Autor
(ano da obra); Autor (ano da obra, página) ou Autor (ano da obra), texto citado (p.
00).
6) Todas as obras citadas de alguma forma ao longo do texto, e apenas estas, devem
constar na lista de Bibliografia citada, no local indicado acima.
7

7) As referências eletrônicas, quando não puderem ser citadas de maneira independente


enquanto bibliografia, devem constar em nota de rodapé no formato: Disponível em:
<endereço na web>. Consultado em <data da consulta>. Recomenda-se que o
material obtido deste tipo de fonte seja impresso e arquivado, quando não puder ser
armazenado em formato digital.
8) As demais notas de rodapé devem conter apenas informações extras relevantes para a
compreensão do texto principal.
9) Cada item do projeto deve iniciar em uma página diferente (exceto problema e
objetivos, que podem ocupar a mesma página), da mesma forma que cada capítulo da
monografia.
10) A numeração das páginas do pré-texto é independente das demais e deve ser feita,
quando aparecer, em números romanos minúsculos. A numeração do texto de
conteúdo inicia na Introdução, em números arábicos. As páginas com títulos novos
não devem exibir numeração. A numeração deve ficar no alto da página à direita.
Cada anexo possui numeração própria.

PARTE IV - FORMATO DA BIBLIOGRAFIA2

Formatar a lista sem endentação, em espaço simples, com 6 pontos após o parágrafo.

OBRA COMPLETA

FREIRE, Paulo. Ação Cultural Para a Liberdade e outros escritos. 5 ed. Rio de Janeiro:
Paz e Terra, 1981.

TEXTO EM COLETÂNEA OU CAPÍTULO EM LIVRO DE OUTRO AUTOR

DUVIGNAUD, Jean. “Problemas de sociologia da arte” in: VELHO, Gilberto (org.).


Sociologia da Arte v. 1. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1971. Pp 26-36.
HOBSBAWN, Eric. “Introdução: a invenção das tradições” in: HOBSBAWN, Eric &
RANGER, Terence. A Invenção das Tradições. 5 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2008. Pp. 09-
23.

CAPÍTULO DE LIVRO EM LIVRO DO MESMO AUTOR


2
As categorias aqui arroladas abrangem a maioria das ocorrências. Caso encontre uma situação não prevista,
observe os elementos presentes nos exemplos e siga seus princípios.
8

MAUSS, Marcel. “As técnicas corporais” in: Sociologia e Antropologia volume II. São
Paulo: EPU/EDUSP, 1974. Pp. 211-233.

ARTIGO EM PERIÓDICO (REVISTA OU JORNAL)

CARVALHO, Ana M. A. et al. Vínculos e redes sociais em contextos familiares e


institucionais: uma reflexão conceitual. Psicologia em Estudo, v. 11, n 3, pp. 589-598,
set./dez. 2006.
LAGROU, Elsje Maria. O que nos diz a arte Kaxinawa sobre a relação entre identidade e
alteridade. Mana, 8 (1), pp. 29-61, 2002.
MARTELETO, Regina Maria. Análise de redes sociais – aplicação nos estudos de
transferência da informação. Ciências da Informação, v. 30, n. 1 (Brasília), pp. 71-81,
jan./abr. 2001.

TEXTO EM ANAIS DE CONGRESSO

CAMPOS, Luana C. M. C. & SILVA, Kenia C. V. da. Território e religiosidade: práticas de


benzedura como expressão do modo de vida e do espaço rural. IX Reunião de Antropologia
do Mercosul, pp. 01-26. Curitiba, 10 a 13/07/2011.

MONOGRAFIA (TCC, Dissertação, Tese, Projeto, Relatório ou outros)

DONIAK, Fabio Augusto. Participação Comunitária no Processo de Desenvolvimento


Local. Estudo do caso do município de Rancho Queimado. Dissertação de mestrado –
Engenharia de Produção /UFSC. Florianópolis, 2002.
INÁCIO, Humberto Luís de Deus. O Ecoturismo Como Vetor de Desenvolvimento
Territorial Sustentável: um estudo de caso no Alto Vale do Itajaí. Tese de doutorado –
PPGSP/UFSC. Florianópolis, 2007.
LISBOA, João Francisco Kleba. O Direito Perante o Índio: terras indígenas, ocupação
tradicional e alteridade no ordenamento jurídico brasileiro. Trabalho de conclusão de
curso - Direito/UFSC. Florianópolis, 2008.

DOCUMENTOS PÚBLICOS, LEIS OU DEPOIMENTOS


Devem ser anotados em notas de rodapé, sempre que aparecerem pela primeira vez. Como
exemplo: A legislação brasileira3, no que diz respeito à educação, determina que [...].
Segundo Joselino Freitas4, a LDB [...].

AUTORIA COLETIVA NA LISTA DE BIBLIOGRAFIA CITADA

3
LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.
4
Depoimento gravado em 19.02.2010. (Note que a fonte oral – sempre que isto não comprometer a sua
privacidade - é identificada pelo nome completo do informante, ao passo que a fonte bibliográfica deve ser
indicada apenas com o sobrenome do autor).
9

1) Com dois autores: aparecem os dois nomes ligados por “&”. Exemplo: PEREIRA,
Astrogildo S. & FAUSTINO, Antônio A.

2) Com três ou mais autores: os primeiros separados por ponto e vírgula e os dois últimos
ligados por “&”. Exemplo: FARIAS, Roberto; LEMOS, Maria A. & JUNQUEIRA,
Francisco.

AUTORIA COLETIVA CITADA NO TEXTO

1) Com dois autores: aparecem os dois nomes ligados por “&”. Exemplo: Pereira & Faustino.

2) Com três ou mais autores: aparece apenas o primeiro seguido de “et al. (abreviatura de “e
outros” em latim. Exemplo: (Farias et al., 2009) ou Farias et al. (2009).

PARTE V – COMO CITAR ESTE TRABALHO

MARTINS, Pedro. Roteiro para Elaboração de Projeto de Pesquisa e Monografia.


Polígrafo – PPGPlan/UDESC. Florianópolis, 2014. 09 pp.

Florianópolis, agosto de 2014.

Você também pode gostar