Você está na página 1de 30

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

PROGRAD - Pró-Reitoria de Graduação


DIRPS - Diretoria de Processos Seletivos
PAAES - Programa de Ação Afirmativa de Ingresso no Ensino Superior

M A
G RA
R O 013
P 0/2 TIPO 1
B
SU 20
1
PAAES
Dia: 12 de dezembro de 2010

SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO


LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

1 - Verifique se este caderno contém um total de 36 questões e 3 situações de Redação, assim distribuídas:

DISCIPLINAS QUESTÕES DISCIPLINAS QUESTÕES


Biologia 1 a 4 Língua Portuguesa 21 a 24
Física 5 a 8 Literatura 25 a 28
Geografia 9 a 12 Matemática 29 a 32
História 13 a 16 Química 33 a 36
Língua Estrangeira 17 a 20 Redação - Situações A, B e C

Aguarde a autorização do fiscal para a abertura deste caderno.

2 - Fique atento aos avisos a serem feitos pelo chefe de setor.


3 - Após ser autorizado, abra o caderno, verifique o seu conteúdo e solicite imediatamente a troca caso faltem folhas ou
existam falhas na impressão.
4 - Este caderno contém espaço apropriado para o rascunho da Redação.
5 - Transfira cada uma de suas respostas para a Folha de Respostas conforme as instruções lá contidas.
6 - Para se dirigir aos fiscais, levante o braço e aguarde ser atendido.
7 - O candidato que for flagrado com telefone celular ou outro aparelho eletrônico, “mesmo desligado”, terá a sua prova
anulada. Não leve o celular ou outro aparelho eletrônico para o banheiro, pois o porte destes, nessa situação,
também ocasionará a anulação da prova.
8 - Ao término da prova, este caderno deverá ser levado pelo candidato.

OBS.: - A tabela periódica dos elementos químicos está impressa no verso desta página.
- Os fiscais não estão autorizados a dar informações sobre esta prova.
CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS
1 Com massas atômicas referidas ao isótopo 12 do Carbono 18
1 2
H He
1,01 4,00
2 13 14 15 16 17
3 4 5 7 8 9 10
6
Li Be B N O F Ne
C
6,94 9,01 10,8 14,0 16,0 19,0 20,2
12,0
11 12 13 14 15 16 17 18
Na Mg Al Si P S Cl Ar
23,0 24,3 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 27,0 28,1 31,0 32,1 35,5 39,9

19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36
K Ca Sc Ti V Cr Mn Fe Co Ni Cu Zn Ga Ge As Se Br Kr
39,1 40,1 45,0 47,9 50,9 52,0 54,9 55,8 58,9 58,7 63,5 65,4 69,7 72,6 74,9 79,0 79,9 83,8

37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54
Rb Sr Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe
85,5 87,6 88,9 91,2 92,9 96 (99) 101 103 106 108 112 115 119 122 128 127 131

55 56 57 - 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86
Série Hf Ta Au Hg
Cs Ba dos Lan-
W Re Os Ir Pt Tl Pb Bi Po At Rn
133 137 tanídeos 179 181 184 186 190 192 195 197 201 204 207 209 (210) (210) (222)

87 8 8 89 - 103 104 105 106 107 108 109 110 * 111 * 112 * 114 *116
Fr Ra dosSérie
Acti-
Rf Db Sg Bh Hs Mt Uun Uuu Uub Uuq Uuh
223 (226) nídeos (261) (262) 263 264 265 268 269 272 274 (289) (292)

Série dos Lantanídeos * ELEMENTOS AINDA NÃO OFICIALIZADOS IUPAC


57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71
Número Atômico La Ce Pr Nd Pm Sm Eu Gd Tb Dy Ho Er Tm Yb Lu
139 140 141 144 (147) 150 152 157 159 163 165 167 169 173 175

SÍMBOLOS
Série dos Actinídeos
Massa Atômica relativa 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103
( ) = Nº de massa do Ac Th Pa U Np Pu Am Cm Bk Cf Es Fm Md No Lr
Isótopo mais estável (227) 232 (231) 238 (237) (244) (243) (247) (247) (251) (254) (253) (256) (253) (257)
PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013 TIPO 1

BIOLOGIA
QUESTÃO 01

O Museu de Biodiversidade do Cerrado, sediado no Parque Siquierolli em Uberlândia (MG), possui em seu acervo animais
taxidermizados (empalhados) como tatu, lobo guará, tamanduá e onça parda, entre outros. Esses animais foram atropelados
em rodovias da região e destinados a fins didáticos de exposição no museu. Para que o corpo desses animais possa ser
preservado para essa exposição, utiliza-se uma técnica conhecida como taxidermia na qual apenas a pele e anexos se
mantêm intactos, sendo que todos os órgãos e tecidos internos são substituídos por materiais de sustentação e conservantes
químicos. Por meio da taxidermia, a manutenção do corpo do animal em situação estética muito próxima ao corpo que o
animal possuía em vida é possível.

Marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) Os pelos presentes na pele do animal e as unhas são constituídos por células queratinizadas mortas, que se preservam
ao longo do tempo em condições adequadas. Pelo fato de o animal estar morto, os pelos não possuem o mesmo brilho
dos pelos do animal vivo, uma vez que não há produção de lubrificantes pelas glândulas sebáceas, e as unhas não
crescem, porque a matriz da unha não produz novas células queratinizadas.
2 ( ) Os conservantes químicos tratam os pelos presentes na pele do animal e as unhas, fazendo com que as células da
epiderme se tornem queratinizadas e mortas, preservando-se ao longo do tempo em condições adequadas.
3 ( ) Os pelos se mantêm em crescimento de forma indefinida, mesmo após a morte, visto que a produção de lubrificantes
pelas glândulas sebáceas e a atividade do folículo piloso não cessam. As unhas crescem, porque a matriz da unha
libera queratina e produz novas células queratinizadas durante um bom tempo após a morte do animal, quando em
condições adequadas ofertadas pela técnica da taxidermia.
4 ( ) A técnica da taxidermia permite a preservação do corpo do animal atropelado, o que possibilita aos visitantes do Museu
de Biodiversidade do Cerrado a observação do animal em condições físicas próximas às que o bicho tinha em vida. A
exposição didática do animal é importante para que as pessoas possam conhecer representantes da fauna brasileira e
obter informações sobre a necessidade da preservação do Cerrado.

QUESTÃO 02

Com o crescente desenvolvimento do Brasil, há um aumento no número de itens produzidos no país


e a necessidade de ampliação da malha viária para o escoamento da produção de bens de consumo
à população. Durante o Seminário “Ano Internacional da Biodiversidade: os Desafios para o Brasil”,
aspectos relacionados às rodovias foram destacados por palestrantes e, na opinião de Pedro Bignelli,
chefe da seção de licenciamento do IBAMA, “quanto mais modernas são as rodovias, maior o
impacto na biodiversidade e nos chamados corredores ecológicos”. Para o ecólogo e diretor executivo
do IPAM, Paulo Moutinho, “de 70% a 80% do desmatamento da Amazônia estão localizados nos 50
quilômetros que margeiam as rodovias”.
Notícia de 14 de julho de 2010, disponível em http://www.ipam.org.br/noticias/-p-No-ano-da-biodiversidade-seminario-
discute-os-desafios-para-o-Brasil-p-/736.

A preservação da biodiversidade em áreas de construção de rodovias é um desafio. Marque, para as afirmativas abaixo,
(V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) Quando as rodovias são construídas, há supressão da vegetação local e aumento dos processos de erosão, que
alteram significativamente o ecossistema. O desmatamento leva à diminuição de oferta de recursos alimentares e
refúgio aos diversos grupos animais nas áreas próximas à construção da rodovia.
2 ( ) O tráfego nas rodovias pode provocar acidentes com atropelamento de animais silvestres, podendo levar à diminuição no
número de indivíduos de uma dada população, que ao longo do tempo pode ficar ameaçada de extinção.
3 ( ) O desmatamento para a construção de rodovias leva à diminuição de oferta de recursos alimentares e refúgio somente
aos mamíferos de grande porte nas áreas próximas à estrada. Esse problema pode ser solucionado com a instalação de
corredores ecológicos.
4 ( ) As rodovias são necessárias ao desenvolvimento do país e a diminuição de áreas com cobertura vegetal nativa é uma
consequência inevitável, mas aceitável do crescimento econômico, uma vez que não há medidas cabíveis para reduzir
o impacto na biodiversidade causado pela construção de estradas.

Biologia
1
TIPO 1 PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013

QUESTÃO 03

Acidente entre carro e moto deixa gestante ferida


Um acidente entre uma moto e uma caminhonete deixou uma mulher grávida ferida na manhã deste
sábado, no bairro de Piatã. Com uma gestação de aproximadamente quatro meses, a jovem de 20
anos teve ferimentos na cabeça e foi levada para o Hospital. O feto nada sofreu.
A TARDE On Line, de 30 de janeiro de 2010.

A gestante teve fratura nos ossos e escoriações na cabeça, mas o feto de 16 semanas de desenvolvimento não foi
afetado. Marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) O âmnio (bolsa) com o líquido amniótico provavelmente protegeu o feto dos choques mecânicos.
2 ( ) O alantóide, aderido à parede uterina, forma uma bolsa com o sangue do cordão umbilical, o que provavelmente protegeu
o feto dos choques mecânicos.
3 ( ) O cório forma as vilosidades coriônicas por onde circula o sangue materno. Provavelmente, o excesso de sangue
materno nessa região, devido ao acidente, protegeu o feto dos choques mecânicos.
4 ( ) A vesícula vitelínica cheia de ar provavelmente protegeu o feto dos choques mecânicos.

QUESTÃO 04

Já há um bilhão de veículos em circulação no mundo. E no início da próxima década, países


emergentes como Brasil, China e Índia vão vender mais carros que os EUA e Europa, os atuais
grandes produtores.
Jornal da Tarde, de 6 de março de 2008.

O Brasil superou a Alemanha e ocupa neste ano o quarto lugar entre os maiores mercados de
veículos no mundo. Nos cinco primeiros meses deste ano, as vendas no país somaram 1,32 milhão
de unidades.
Revista Valor On Line, de 08 de junho de 2010.
Emissão de gás carbônico (g/Km)

Ano

Concentração global de gás carbônico na


Meios de transporte
atmosfera (ppm)
Fonte: adaptado de www.ecodesenvolvimento.org.br Fonte: adaptado de www.unep.org

Observe as informações acima e marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) A concentração global de gás carbônico tem aumentado ao longo dos anos e com outros gases como o metano e o
dióxido de nitrogênio provocam a retenção da radiação infravermelha na atmosfera e contribuem para a elevação da
temperatura média do planeta.
2 ( ) O metanol e o dióxido de amônia emitidos pelos meios de transporte provocam a retenção da radiação ultravioleta na
atmosfera e contribuem para o aumento do buraco na camada de ozônio.
3 ( ) Um dos motivos para o acréscimo da concentração global de gás carbônico na atmosfera é o aumento da frota mundial
de carros e aeronaves, devido ao crescimento econômico do país. Esses veículos emitem altas quantidades de gás
carbônico por quilômetro rodado, sendo considerados os meios de transporte mais poluentes.
4 ( ) A utilização de transporte público coletivo e de bicicletas, quando possível, pode minimizar pontualmente a emissão dos
gases estufa.
Biologia
2
PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013 TIPO 1

FÍSICA
GLOSSÁRIO DE FÍSICA

∆s ∆v
v= a=
∆t ∆t
at 2 1
s(t ) = s0 ± v0 t ± f=
2 T
v(t ) = v0 ± at ∆θ
ω=
∆t
v 2 = v 02 ± 2a ∆ s v = ωR

F = ma f =
1
T
v2 F = −k x
Fc = m
R
Q = mv mv2
Ec =
2
P = mg E p = mgh

kx2
Ee =
2

GLOSSÁRIO DE MATEMÁTICA

1 3
sen 30 o = o
cos 30 = ≈ 0,87
2 2
2 2
sen 45 o = ≈ 0, 71 cos 45o = ≈ 0, 71
2 2
3 1
o
sen 60 = ≈ 0,87 cos 60 o =
2 2

Deve-se considerar para todos os problemas: g = 10m / s 2


Física
3
TIPO 1 PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013

QUESTÃO 05

O número de enchentes aumentou recentemente, afetando milhões de pessoas ao redor do mundo. Alguns cientistas
argumentam que o causador principal desse fenômeno é o aquecimento global. Em uma dessas enchentes, ocorrida em uma
avenida de uma grande cidade, uma vítima é avistada sendo arrastada pela enxurrada. Vendo a situação, um bombeiro, situado
em um viaduto de 5 m de altura com relação à enxurrada, espera o momento exato em que a vítima passa sob ele e joga uma
bóia salva-vidas, horizontalmente na direção do movimento da vítima. Infelizmente a bóia caiu 1 m atrás da vítima (conforme
figura abaixo) que não conseguiu agarrá-la.
Desprezando a resistência do ar, considerando a vítima e a bóia como objetos pontuais, o viaduto como referencial,
admitindo que a velocidade da vítima arrastada seja constante e a aceleração da gravidade g = 10m/s2, marque, para as
afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) A velocidade de lançamento da bóia é menor que a velocidade da vítima arrastada pela enxurrada.
2 ( ) Mantendo a mesma velocidade de lançamento horizontal da bóia, se a altura do viaduto fosse 2 metros mais baixa, a
vítima teria conseguido agarrar a bóia (a bóia teria caído exatamente sobre a vítima).
3 ( ) Se a bóia fosse lançada com a mesma velocidade inicial, mas com um ângulo de 45 graus com a horizontal e para
baixo, a bóia continuaria caindo atrás da vítima.
4 ( ) Mantendo a mesma velocidade de lançamento horizontal da bóia e admitindo-se que a velocidade de arrasto da vítima
seja de 2m/s, o bombeiro teria de lançar a bóia pelo menos 0,5 s antes de a vítima passar sob o viaduto para que a bóia
caísse na frente da vítima.

Física
4
PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013 TIPO 1

QUESTÃO 06

Atualmente investe-se muito dinheiro em pesquisa das chamadas fontes limpas de energia
como solar, marés, etc. que têm a característica de não poluir a nossa tão combalida atmosfera.
Uma dessas fontes que tem se tornado realidade é a energia eólica, isto é, energia que utiliza
a força do vento. Em alguns países, essa fonte já chega a fornecer 20% da energia total
consumida, como é o caso da Dinamarca. Nesse país, a capacidade eólica gerada, em um
ano, atinge 3,5x109 W.
A figura ao lado mostra um aerogerador de três pás, em que o vento movimenta as pás que
convertem energia de movimento em energia elétrica. Considere um aerogerador que produza,
em um ano, a capacidade de 2x106 W e sendo o comprimento de cada pá 80 m. Admita ainda
que, em determinadas circunstâncias, cada pá processa um movimento em torno do eixo
central, cuja frequência, constante com o tempo, é de 20 rpm (rotações por minuto).

Marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) Necessita-se de 1750 aerogeradores, do tipo aqui considerado, para fornecer a potência eólica gerada na Dinamarca.
2 ( ) O tempo necessário para uma das pás do aerogerador completar uma volta é 20 s.
3 ( ) A velocidade angular de cada ponto da pá aumenta, conforme esse ponto esteja mais afastado do centro do aerogerador,
isto é, a periferia da pá descreve um ângulo maior no menor tempo.

4 ( ) O módulo da velocidade da extremidade de uma das pás, em relação ao centro do aerogerador, é:

QUESTÃO 07

Um aluno entusiasmado com os conceitos de física que aprendeu em sala de aula decide testar seus conhecimentos.
Para isso ele juntou dois carrinhos de brinquedo de massa m1 e m2 , respectivamente, e uma mola de massa desprezível com
constante k. Colocou o conjunto em uma superfície plana e comprimiu a mola do seu comprimento de equilíbrio x0 até o
comprimento x, amarrando os carrinhos com uma corda de massa desprezível, deixando o conjunto em repouso, como
mostrado na figura abaixo. Em um dado instante a corda é cortada, liberando os carrinhos para se mover livremente, já que a
mola não está presa nos carrinhos.

m1 m2

Desprezando qualquer atrito no sistema, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem
Opção.
k(m1 + m2) (x - x0)2
1 ( ) A energia potencial do sistema antes de a corda ser cortada é U =
2

2 ( ) A força resultante atuando no sistema antes de a corda ser cortada é nula.


3 ( ) Após cortar a corda, os blocos se movimentarão em sentido oposto e cada um com aceleração constante e igual a
k(x - x0)
a=−
(m1 + m2)
2
4 ( ) As velocidades vetoriais dos carrinhos estão relacionadas por:
1

Física
5
TIPO 1 PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013

QUESTÃO 08

Na sociedade contemporânea, um elemento fundamental é o fator tempo. Esse e outros motivos fazem com que muitos
motoristas acabem dirigindo com velocidade excessiva. Dessa forma, as fábricas procuram construir automóveis cada vez
mais modernos e seguros. Carros com controle eletrônico da estabilidade e “piloto automático” já são uma realidade no Brasil.
Um item interessante para viagens longas é o “piloto automático”, no qual o carro mantém o módulo da velocidade constante,
apenas apertando um botão, recurso este que ajuda a evitar multas quando programado para uma velocidade menor que o
limite da pista. Um motorista utilizando este recurso se depara com uma pista cheia de montanhas como esquematizado no
desenho abaixo. No exato instante em que passa pelo ponto A, topo de uma montanha, um outro carro está ao seu lado, com
a mesma velocidade, porém este outro carro não dispõe do dispositivo e, para “economizar combustível”, o carro sem o
dispositivo desengata a marcha e fica completamente à mercê da força da gravidade.

Desprezando a resistência do ar e os possíveis atritos do carro sem o dispositivo, marque, para as afirmativas abaixo, (V)
Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) Apenas o carro sem o dispositivo sofrerá algum tipo de aceleração.


2 ( ) Ambos os carros chegarão ao ponto B, localizado na mesma altura do ponto A, com a mesma velocidade, porém o carro
sem o dispositivo chegará primeiro.
3 ( ) Aproximando o percurso próximo à parte mais baixa da montanha como semi-circular, a aceleração centrípeta do carro
com o dispositivo é nula.
4 ( ) Um passageiro no carro com o dispositivo, sentirá menos o efeito da força de gravidade, isto é, a força normal é menor
que a força da gravidade, no ponto C.

Física
6
PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013 TIPO 1

GEOGRAFIA
QUESTÃO 09

Leia o trecho a seguir.

A interdição do túnel Rebouças, devido a uma queda de barreira, complica o trânsito na cidade do
Rio na manhã desta quarta-feira. A recomendação da prefeitura é para que as pessoas evitem sair
de casa de carro e usem transporte público, principalmente trens e metrô.
A mais provável causa do deslizamento de 7 mil toneladas de terra do Túnel Rebouças é a erosão do
solo aliada à forte chuva que caiu na cidade.
http://aroldedeoliveira.blogspot.com/2007_10_01_archive.html

Em relação ao trecho acima, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) A conscientização dos motoristas para o uso do transporte coletivo público ameniza o congestionamento do trânsito,
enquanto a tomada de consciência da população, quanto à necessidade de se evitar a ocupação e o desmatamento das
encostas reduz as possibilidades de erosão dos solos e o consequente deslizamento de terras.
2 ( ) A pavimentação das ruas nas encostas impede a erosão dos solos e a infiltração de águas da chuva, evitando, assim,
o deslizamento de terras, e a construção de uma maior quantidade de viadutos abre novas possibilidades para a
circulação de veículos, resolvendo o problema do congestionamento do trânsito.
3 ( ) A ineficácia das políticas públicas, nas grandes cidades brasileiras, no tocante à solução do problema da moradia para
a população de baixa renda, contribui para a ocupação de áreas de risco – como as encostas de morros – e,
consequentemente, em períodos de chuva, agrava-se, com os deslizamentos de terras, o congestionamento de veículos.
4 ( ) O congestionamento de veículos e os deslizamentos de terras ocorrem, exclusivamente, pela chuva intensa e nem
mesmo a conscientização da população para um menor uso dos carros particulares, e nem o melhor planejamento das
ocupações das encostas resolveriam esses problemas resultantes de um fator natural.

QUESTÃO 10

A Petrobras, empresa estatal brasileira de exploração de petróleo, descobriu há pouco tempo uma grande reserva desse
recurso natural próximo ao litoral do Brasil. Com a exploração dessa reserva, o país poderá consolidar sua autossuficiência em
petróleo e se tornar exportador da produção excedente. A empresa e o governo brasileiro buscam os meios para a exploração
dessa reserva, o que exige altos investimentos e tecnologia, na qual a Petrobras já se destaca mundialmente.

A respeito desse assunto, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) A reserva de petróleo descoberta localiza-se sob as águas do Oceano Atlântico, próximo à costa do Sudeste brasileiro,
em camada geológica profunda para a exploração, abaixo de espessa camada de sal, razão pela qual tem se falado em
“reserva do pré-sal”.
2 ( ) O governo brasileiro recentemente reduziu o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) cobrado sobre o valor dos
carros populares, fazendo cair os preços ao consumidor para, assim, aumentar a demanda de gasolina, uma vez que
sobrará petróleo e o país poderá aumentar o consumo de gasolina e óleo diesel e, consequentemente, contribuir para
aumentar o equilíbrio ambiental do planeta.
3 ( ) A nova reserva localiza-se em planícies litorâneas do Sul e Sudeste brasileiros, em faixas estreitas de terras entre o
oceano e a Serra do Mar, do Estado de Santa Catarina ao Rio de Janeiro, e nos tabuleiros costeiros no Espírito Santo.
A dificuldade para a extração é que algumas áreas dessas planícies são densamente povoadas, como no Rio de
Janeiro, razão pela qual esse Estado tem exigido maior participação na distribuição dos royalties pagos pela Petrobras
pela exploração desse recurso em seu território.
4 ( ) Essa situação de maior oferta de petróleo nacional, embora seja economicamente benéfica, pode ter impactos ambientais
negativos, pois uma maior oferta de combustíveis, possivelmente a preços menores, levaria ao aumento da frota de
veículos movidos a gasolina e diesel, agravando tanto a poluição quanto o trânsito nas cidades e rodovias do país.

Geografia
7
TIPO 1 PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013

QUESTÃO 11

Observe os mapas abaixo.


Acidentes de trânsito no Brasil - 2005 a 2007

sem escala

A respeito dos óbitos por acidentes de trânsito e dos principais corredores rodoviários no Brasil, marque, para as afirmativas
abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) As taxas de óbitos em acidentes de trânsito consideradas altas coincidem, em sua maioria, com a localização dos
corredores rodoviários que apresentam condições apenas regular, principalmente, na região centro-oeste.
2 ( ) O maior número de corredores rodoviários em condições ruins e regulares se concentram na região sul, fazendo com
que essa região apresente a maior taxa de óbitos em acidentes de trânsito.
3 ( ) As maiores taxas de óbitos em acidentes de trânsito ocorrem na região norte, coincidindo com os corredores rodoviários
que se apresentam em condições ruins.
4 ( ) Os corredores que apresentam as melhores condições se concentram, principalmente, na região sudeste, onde as
taxas de óbitos em acidentes de trânsito são relativamente baixas comparadas às regiões centro-oeste e sul.

QUESTÃO 12

O aumento contínuo da frota de veículos do país gera transtornos para a circulação nas cidades, como a lentidão e os
congestionamentos nas vias públicas, os acidentes de trânsito, a insegurança e o estresse de motoristas e passageiros. Mas
suas consequências afetam a todos também de outras formas, não apenas em escala local, mas também em escala global e
cujas causas nem sempre são percebidas ou conhecidas por todos que utilizam carros e outros meios de transportes rodoviários.
Sobre esse assunto, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) A retenção pela atmosfera de parte do calor gerado pela energia solar que chega à superfície terrestre produz o chamado
efeito estufa, um fenômeno natural responsável pelo equilíbrio térmico do planeta. A emissão na atmosfera de quantidades
maiores de gases como o monóxido de carbono, metano e gás carbônico, liberados na queima de combustíveis fósseis
como a gasolina e o óleo diesel usados nos veículos automotivos, aumenta o efeito estufa, causando o aquecimento
global.
2 ( ) As ilhas de calor e a concentração maior de poluentes na atmosfera com as inversões térmicas são fenômenos
climáticos de maior impacto ambiental em escala local e que também têm relação com a emissão de poluentes pelos
veículos automotivos nas cidades, afetando as condições do ar e a qualidade de vidas de seus habitantes.
3 ( ) Com a Revolução Industrial e o aumento contínuo de veículos com motores à explosão, vem aumentando a emissão de
enxofre e de óxidos de nitrogênio no ar que, em reação com a água presente na atmosfera, formam as chuvas ácidas,
as quais atingem não só as regiões mais urbanizadas e industrializadas responsáveis pelas emissões desses poluentes,
mas também áreas distantes em decorrência da circulação atmosférica.
4 ( ) O aumento do derretimento das calotas polares e do gelo no alto das grandes montanhas, contribuindo para a elevação
dos níveis dos oceanos, é consequência de perturbações ambientais em escala local ou regional, ou seja, provocadas
pelas atividades humanas intensas nas áreas onde se tem verificado esse fenômeno.

Geografia
8
PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013 TIPO 1

HISTÓRIA
QUESTÃO 13

Observe a imagem abaixo.

Catedral de Cuzco/Peru.

A construção da Catedral de Cusco, localizada na Plaza de Armas, iniciou-se em 1560 e durou mais de cem anos. Os
espanhóis ergueram a estrutura principal da igreja sobre o palácio do inca Wiracocha, além de utilizarem muitos blocos de
pedra da fortaleza de Sacsayhuamán para a sua edificação.

A respeito do processo de colonização espanhola na América, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F)
Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) a construção da catedral denota um objetivo econômico dos colonizadores que consistia em extrair as riquezas locais
para o retorno à Espanha, após a destruição das sociedades pré-colombianas.
2 ( ) a construção de igrejas sobre monumentos político-religiosos das sociedades pré-colombianas foi uma estratégia violenta
usada no processo de colonização para ocidentalizar a América hispânica.
3 ( ) o processo de cristianização operado nas colônias hispânicas possibilitou a construção de um traço cultural marcado
pela ausência de minorias religiosas significativas e concorrentes ao catolicismo.
4 ( ) a cristianização, violenta com a destruição de práticas consideradas idólatras pela Igreja, foi eficaz, pois não encontrou
resistência por parte dos índios que abandonaram, passivamente, tais práticas.

QUESTÃO 14

A respeito das invasões holandesas no Brasil, ocorridas no século XVII, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira,
(F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) Os holandeses tomaram as cidades de Salvador e Olinda e, após enfrentar resistências por parte de brasileiros,
estabeleceram um governo na cidade de Recife, sob a responsabilidade de Maurício de Nassau.
2 ( ) No contexto das invasões holandesas, a ocupação dos portos africanos de Angola não era importante, pois os holandeses
possuíam portos alternativos de suprimento de escravos para trabalhar nas lavouras de cana-de-açúcar no Brasil.
3 ( ) Durante a administração de Nassau, houve o projeto da Cidade Maurícia, a qual possuía ampla infraestrutura de canais
e diques, além de pontes, para vencer os obstáculos geográficos da cidade, constituindo um projeto urbano inovador no
Brasil colonial.
4 ( ) A reconquista brasileira do domínio holandês ocorreu quando tropas lideradas por Salvador Correia de Sá, comerciante
fluminense, invadem as cidades de Salvador e Recife, rendendo os holandeses e retomando-as para os portugueses.

História
9
TIPO 1 PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013

QUESTÃO 15

Leia atentamente o texto a seguir:

A Revolução Inglesa é o resultado da ação política de uma nova classe social pela sua identificação
com a produção para o mercado. Não foi, simplesmente, a decorrência imediata da falência da
aristocracia; nem a crise do Estado Absolutista frente à pequena nobreza, a gentry, empobrecida;
nem mesmo o corte verticalizado que cindiu a sociedade de alto a baixo, separando a Corte e o
País.

ARRUDA, José Jobson de Andrade. A Revolução Inglesa. São Paulo: Brasiliense, 1984, p. 93.

Sobre o contexto dos projetos políticos e econômico-sociais dos diferentes grupos sociais envolvidos no processo
revolucionário, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) A Revolução Inglesa criou condições políticas, econômicas e sociais para o avanço das forças produtivas capitalistas na
Inglaterra.
2 ( ) A burguesia era a classe mais interessada na substituição do mercantilismo por uma economia livre dos monopólios e
restrições.
3 ( ) O Estado Absolutista não se constituía em obstáculo aos interesses comerciais da burguesia que lutava por políticas
protecionistas.
4 ( ) A aristocracia, a nobreza e a burguesia desencadearam a Revolução Inglesa, dividindo a sociedade em classes de
acordo com seus interesses.

QUESTÃO 16

Leia atentamente o texto a seguir:

Pierre Chaunu argumentou que a mais importante consequência da navegação europeia tenha sido
talvez o que ele chama de “desencrave” – o fim do isolamento em algumas áreas e o aumento de
contatos intersociais em muitos locais. Isso levou a um crescente fluxo de ideias, bem como de
comércio em todo o mundo, e, por fim, conduziu a uma economia mundial unificada e com níveis
mais altos de desenvolvimento econômico. Desse modo, a abertura do Atlântico foi crucial nesse
processo, sobretudo porque só nele o verdadeiro isolamento foi rompido.

THORNTON, John. A África e os Africanos na Formação do Mundo Atlântico.


Rio de Janeiro: Campus, 2003, p. 54.

Sobre o processo de expansão marítima europeia, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO)
Sem Opção.

1 ( ) O processo de expansão marítima via Atlântico não alterou o eixo econômico europeu, pois o monopólio do tráfico
oriental, controlado pelas cidades italianas, continuou a prevalecer.
2 ( ) O progresso técnico e científico, o incentivo à astronomia e à cartografia pelas monarquias nacionais, bem como os
investimentos do capital da burguesia, impulsionaram os grandes empreendimentos marítimos.
3 ( ) A navegação no Atlântico era motivada pela expectativa de um caminho mais curto para as minas de ouro da África
ocidental, uma vez que as Índias estavam muito distantes da concepção geográfica da época.
4 ( ) As viagens iniciais foram realizadas com o objetivo de comercializar os produtos nacionais e estabelecer os contatos
sociais, a fim de se retirar do isolamento algumas populações encontradas.

História
10
PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013 TIPO 1

LÍNGUA ESTRANGEIRA: Espanhol

Leia o texto a seguir e responda as questões propostas.

Un colectivo atropelló a una mujer embarazada

Una mujer embarazada fue atropellada por un colectivo de la línea 65, ayer a última hora de la tarde, en el barrio de
Parque Chacabuco. El accidente ocurrió en el cruce de Senillosa y Zelarrayán y la herida fue trasladada al hospital Penna,
donde quedó internada con traumatismo de cráneo y fractura de clavícula. Su bebé está fuera de peligro.
De acuerdo a fuentes policiales, el accidente ocurrió a las 18.56, cuando una mujer de nacionalidad boliviana cruzaba
05 la esquina, donde no hay semáforos. Según algunos testigos, iba hablando por teléfono celular.

El interno 49 de la línea 65, que venía por Zelarrayán en dirección a Constitución, dobló por la calle Senillosa y la
arrolló. Aunque sin perder la conciencia, ella quedó confundida sobre el asfalto y no reconoció a su hijo de 15 años, que
como ella vive en la zona y se acercó a asistirla.

La mujer de 37 años y con 8 meses de embarazo, fue trasladada por una ambulancia del SAME al hospital Penna,
10 donde quedó internada.
“Sufrió una herida cortante en la frente, traumatismo de cráneo sin pérdida de conocimiento, fractura de clavícula y
pérdida de piel en el muslo izquierdo –precisó el titular del SAME, Alberto Crescenti–. Van a practicarle una toilette
quirúrgica para limpiarla, porque fue arrastrada contra el asfalto. Su embarazo fue controlado y sigue bien. Ella está con
pronóstico reservado y, aunque no corre peligro su vida, va a quedar internada”.

15 Por su parte, el chofer de la línea 65 quedó detenido en la comisaría 34. El colectivo que conducía ya había recibido
una infracción de tránsito por violar una luz roja en octubre de 2007.

Anoche los vecinos de Parque Chacabuco reclamaban semáforos para el lugar del accidente, donde confluyen
tres calles (Zelarrayán, Senillosa y Butteler), incluyendo a dos que son doble mano, y se forman cinco esquinas. “Es un
lugar muy peligroso para cruzar. Hace meses que le pedimos al Gobierno porteño que pongan semáforos, pero no nos dan
20 respuestas”, comentaron.
Clarín, 25 de septiembre de 2010. Texto disponible en: <http://www.clarin.com/ciudades/
capital_federal/colectivo-atropello-mujer-embarazada_0_341966011.html>

QUESTÃO 17

De acordo com o texto, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

A vítima do acidente de trânsito

1( ) fue atropellada en un sitio de mucho tráfico, pero mal señalizado.


2( ) fue atropellada por un autobús cuyo conductor hablaba por el teléfono móvil.
3( ) fue atropellada en un sitio cercano a su vivienda.
4( ) fue atropellada junto a su hijo de 15 años.

QUESTÃO 18

De acordo com o texto, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.
O atropelamento

1( ) provocou o desmaio da vítima.


2( ) foi causado por falta de atenção à sinalização.
3( ) foi presenciado por testemunhas.
4( ) não colocou em risco a gestação da vítima.

Língua Estrangeira: Espanhol


11
TIPO 1 PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013

QUESTÃO 19

De acordo com o texto, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

Os vizinhos de Parque Chacabuco

1( ) comentam que uma solução seria transformar as três ruas em duas de mão dupla.
2( ) reclamam da falta de respostas por parte do governo local diante de suas reivindicações.
3( ) estiveram fazendo reclamos a causa do acidente na noite prévia à publicação da notícia.
4( ) questionam a velocidade em que trafegam os veículos na região do acidente.

QUESTÃO 20

De acordo com o texto, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.
Segundo o profissional do SAME, Alberto Crescenti,

1( ) como fue impulsada contra el asfalto, la señora necesitará una higienización curativa.
2( ) por medidas de cautela, la señora permanecerá internada, si bien está fuera de riesgo.
3( ) la señora tuvo un corte en el rostro, en un hombro y, además, se lastimó una pierna.
4( ) pudieron resguardarle el embarazo a la mujer y consiguieron que siga sin alteraciones.

Língua Estrangeira: Espanhol


12
PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013 TIPO 1

LÍNGUA ESTRANGEIRA: Inglês


Leia o texto a seguir e responda as questões apresentadas.

Driving Safety: distracted drivers


We snack, talk on our cells, even shave and apply makeup while driving.
Is it worth the risk? Max Alexander reports from the road.

Bad Things Can Happen


It was dusk, and a typical New England fog was rolling in as Daniel Voutiritsa cruised up the Maine Turnpike to his home
in Sanford on March 20, 2003. Voutiritsa, 32, was behind the wheel of a rented
Ryder box truck he was driving for Stericycle, a medical waste disposal company.
05 He was alone but talking on a handheld cell phone with his wife. When his exit
came up fast, he swerved from the middle lane to the right to get off the highway.
Apparently he didn’t notice the car next to him in the slow lane.
His truck hit 38-year-old Zack Gaulkin, an editor who was headed home to
Kennebunkport from his job near Boston. To save gas on the 200-mile round-
10 trip, Gaulkin drove a compact Toyota Corolla wagon. The truck clipped the Toyota’s
rear and catapulted the car into the fast lane, directly in the path of a 60-foot-
long, 40-ton tractor trailer. Gaulkin’s widow, Terri, was left to raise three small
children.
It might seem obvious to say that when drivers stop paying attention to the road,
15 even for a few seconds, bad things can happen. Yet most of us admit to
occasionally changing the radio station, assisting a child or programming the
GPS while in motion. You look up—and suddenly you’re in the wrong lane or
grazing the shoulder or coming up fast on a stopped car. Phew, that was close!
Too close, too often, according to a mounting chorus of experts:
20 • The National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA) and the Virginia Tech Transportation Institute found, in
a study released in April 2006, that the vast majority of accidents—nearly 80 percent—could be prevented if drivers
paid more attention.

• Nationwide Insurance, which conducted a survey in November 2006, suggested that distracted driving is a national
pastime. Of 1,200 respondents, ages 18 to 60, 73 percent said they use a cell phone while driving; 68 percent eat
25 while driving. Others shave, read, even paint their toenails in traffic.

• Gadget-obsessed teen drivers are perhaps the most distracted. In a national survey from State Farm Insurance and
the Children’s Hospital of Philadelphia released in January, more than half of teens polled said they saw other teens
driving while text messaging or using handheld games and other tech gear.

Did You Know?

30 Distracted Driving Survey


In 2006 Nationwide Insurance surveyed 1,200 Americans. Over 80% were multitaskers; 59% said they’re not distracted
drivers. Well, let’s see …
Adjust radio/CD: 82% Eat a snack: 68% Comfort kids: 14%
Talk on cell phones: 73% Text message: 19%

35 High-Tech Solutions
Technology, responsible for so many driving distractions, may hold a key to prevention. John Ulczycki at the National
Safety Council says cell phone manufacturers are developing phones that automatically disable nonemergency calls
when the driver is in motion. He says one company (he’s not allowed to identify it) claims its phone will be able to
distinguish if the caller is actually driving a car or, say, sitting on a moving train.
40 Car manufacturers are also rising to the challenge. Steering wheel controls for radio and climate, now common, make it
easier to stay focused on the road. Some luxury cars include cameras that monitor the driver’s gaze and sound an alarm
during a distracted moment. Engineers at the University of Minnesota are developing a smart camera that monitors hand,
arm and head movements. Another factor will be smarter road design, including the increased use of rumble strips.
By Max Alexander - Adapted from Reader’s Digest - October 2007.

Língua Estrangeira: Inglês


13
TIPO 1 PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013

QUESTÃO 17

Marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

Com base no texto, é correto afirmar que Daniel Voutiritsa:


1( ) was driving his own truck when he crashed into a car.
2( ) crashed into a tractor trailer because he was talking to his wife.
3( ) crashed into another car because he was distracted by his cell phone.
4( ) was responsible for the death of a 38-year-old man.

QUESTÃO 18

De acordo com o texto, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1( ) A vasta maioria dos acidentes de trânsito está relacionada à falta de atenção.


2( ) Pessoas que fazem múltiplas tarefas enquanto dirigem não se distraem no trânsito.
3( ) Segundo pesquisa realizada, a maioria das pessoas não admite que se distrai no trânsito.
4( ) O uso de tecnologias tanto pode provocar como pode evitar acidentes.

QUESTÃO 19

De acordo com o texto, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1( ) It is impossible for drivers to shave or paint one´s toenail while in traffic.


2( ) According to Nationwide Insurance, talking on the cell is the major distraction among drivers.
3( ) Multitasking while driving may lead to distraction and, consequently, to car accidents.
4( ) Some teen-age drivers probably text messages or play electronic games while driving.

QUESTÃO 20

De acordo com o texto, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

No excerto:

You look up—and suddenly you’re in the wrong lane or grazing the shoulder or coming up fast on a
stopped car. Phew, that was close!,

a frase Phew, that was close! significa:

1( ) Não bateu, porque não estava perto.


2( ) Bateu, porque estava muito perto.
3( ) Não bateu, mas por muito pouco.
4( ) Bateu, mas não estava perto.

Língua Estrangeira: Inglês


14
PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013 TIPO 1

LÍNGUA PORTUGUESA
Leia atentamente o texto abaixo.

O comportamento no trânsito, de motoristas e de pedestres, anda deplorável. A todo momento, cenas lamentáveis
ocorrem: motoristas insultam e ameaçam outros motoristas ou pedestres e usam o carro como se fosse uma arma.
Parece uma guerra. E o problema não é só nosso: recentemente, a França realizou o “dia da cortesia no trânsito”, em que
manter o sangue frio em todas as circunstâncias, sobretudo nos engarrafamentos, e respeitar pedestres, crianças e
05 ciclistas foram orientações dos “dez mandamentos da cortesia ao volante”, divulgados nesse dia.
Um dos motivos desse caos é que as pessoas não entendem que o espaço que usam com seus veículos é público.
Ao entrar em um carro, propriedade privada, a fronteira entre o público e o privado, que já anda tênue, parece se dissipar.
Ao dirigir ou andar nas ruas, as pessoas agem como se cada uma estivesse unicamente por si: ignoram os outros ou se
sentem atrapalhadas por eles. As regras e os sinais de trânsito, que existem para ordenar esse espaço público, são
10 desrespeitados repetidamente. Há movimento intenso no entorno da escola e o filho está atrasado? Poucos pais vacilam
na decisão de parar em local proibido ou em fila dupla. Poucos hesitam em fazer um retorno proibido para encurtar o
caminho ou mesmo em dirigir em velocidade maior do que a permitida para chegar mais rápido.
Até parece que os sinais de trânsito são meros caprichos de um grupo desconhecido de pessoas. Ninguém mais
parece entender que as leis de trânsito - aliás, como todas - existem para proteger os cidadãos, e não para agredi-los ou
15 restringir suas vidas. Mas a questão é que o direito de cada um no caso do trânsito - a segurança - só é garantido quando
o indivíduo respeita as leis. Pelo jeito, o carro deixou de ser um veículo de transporte cujo objetivo é levar as pessoas de
um local a outro. Virou sinônimo de poder ou de status. Uma pesquisa britânica mostrou que dois em cada três homens
trocariam suas namoradas pelo carro de seus sonhos, vejam só!
A idéia de cidadania ganhou tom pejorativo por causa do individualismo, e isso pode ser constatado principalmente
20 no trânsito. Cidadania supõe se responsabilizar pelo coletivo e, sobretudo no trânsito, o que vemos são atitudes de
confronto e de competição. Creio que não é exagero afirmar que vivemos tempos de barbárie nessa questão: cada um por
si, e vale tudo para atingir a meta pessoal.
Quando os adultos se comportam assim, ignoram também que colocam os mais novos em risco. São os jovens as
maiores vítimas de acidentes de trânsito ou de brigas por desentendimentos com outros motoristas, pedestres ou
25 motociclistas. Isso sem falar nas lições de incivilidade e de grosseria que são passadas a eles. E os velhos? Eles que
não se atrevam a dirigir ou a andar pelas ruas. Afinal, lugar de velho e de criança não é mais na rua. Não é isso o que
temos cultivado? Precisamos continuamente lembrar que, no trânsito, o respeito às leis e os bons modos permitem
maior qualidade de vida a todos nós.
Disponível em: www.auxiliadora-ms.g12.br/uploads/transito_e_cidadania.doc>. Acesso em: 15 de set. 2010.

QUESTÃO 21

De acordo com o texto, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) Para a autora, os termos público e privado em relação ao trânsito têm perdido ao longo do tempo sua significação e uma
das razões é que as pessoas deixaram de considerar a cortesia no trânsito.
2 ( ) Parar em fila dupla ou em local proibido, dirigir em alta velocidade para chegar mais rápido são algumas das desculpas
utilizadas para se burlarem as leis de trânsito.
3 ( ) Os jovens são as maiores vítimas das atrocidades cometidas no trânsito, porque, no trânsito, vale cada um por si e tudo
para atingir a meta pessoal.
4 ( ) Em: “Até parece que os sinais de trânsito são meros caprichos de um grupo desconhecido de pessoas.” (linha 13), a
autora demonstra ironia em relação aos fatos observados.

Língua Portuguesa
15
TIPO 1 PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013

QUESTÃO 22

Nos enunciados transcritos abaixo, alguns representam fatos apresentados pelo autor, outros refletem sua opinião.
Marque (V) para os que representam opinião, (F) para os que representam fato ou SO (Sem Opção).

1 ( ) “Pelo jeito, o carro deixou de ser um veículo de transporte cujo objetivo é levar as pessoas de um local a outro.” (linhas
16 e 17)
2 ( ) “O comportamento no trânsito, de motoristas e de pedestres, anda deplorável.” (linha 1)
3 ( ) “Cidadania supõe se responsabilizar pelo coletivo e, sobretudo no trânsito, o que vemos são atitudes de confronto e de
competição.” (linhas 20 e 21)
4 ( ) “Precisamos continuamente lembrar que, no trânsito, o respeito às leis e os bons modos permitem maior qualidade de
vida a todos nós.” (linhas 27 e 28)

QUESTÃO 23

De acordo com o texto, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) Em: “As regras e os sinais de trânsito [...]são desrespeitados repetidamente.” (linhas 9 e 10), o termo em destaque
especifica o tempo em que as regras e os sinais de trânsito são desrespeitados.
2 ( ) Em: “Uma pesquisa britânica mostrou que dois em cada três homens trocariam suas namoradas pelo carro de seus
sonhos, vejam só!” (linhas 17 e 18), o emprego da expressão em destaque é um recurso da língua que permite a
aproximação entre leitor/autor.
3 ( ) Em: “Quando os adultos se comportam assim, ignoram também que colocam os mais novos em risco.” (linha 23), há a
expressão de um fato que ocorrerá em um futuro próximo.
4 ( ) Em: “Ao dirigir ou andar nas ruas, as pessoas agem como se cada uma estivesse unicamente por si [...].” (linha 8),
a expressão em destaque pode ser substituída por quando dirigem ou andam pelas ruas, sem prejuízo do sentido.

QUESTÃO 24

De acordo com o texto, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) Em: “Creio que não é exagero afirmar que vivemos tempos de barbárie nessa questão [...]”. (linha 21), o emprego do
verbo crer permite inferir que a autora tem dúvidas sobre a questão.
2 ( ) Em: “O comportamento no trânsito, de motoristas e de pedestres, anda deplorável.”(linha 1), a forma verbal em destaque
expressa uma verdade universal.
3 ( ) Em: “Uma pesquisa britânica mostrou que dois em cada três homens trocariam suas namoradas pelo carro de seus
sonhos, vejam só!”(linhas 17 e 18), a forma verbal em destaque expressa uma idéia hipotética.
4 ( ) Em: “Eles que não se atrevam a dirigir ou a andar pelas ruas.” (linhas 25 e 26), a autora expressa determinação de algo
a ser evitado.

Língua Portuguesa
16
PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013 TIPO 1

LITERATURA
QUESTÃO 25

SINAL FECHADO

Olá, como vai?


Eu vou indo e você, tudo bem?
Tudo bem eu vou indo correndo
Pegar meu lugar no futuro, e você?
Tudo bem, eu vou indo em busca
De um sono tranquilo, quem sabe ...
[...]
Me perdoe a pressa
É a alma dos nossos negócios
Oh! Não tem de quê
Eu também só ando a cem
[...]
Pra semana
O sinal ...
Eu espero você
Vai abrir...

Por favor, não esqueça,


Adeus...
Paulinho da Viola

Considerando o texto de Paulinho da Viola, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem
Opção.

1 ( ) Por meio da linguagem conotativa, o texto problematiza a fugacidade das relações humanas atuais, metaforizadas pelo
breve encontro em um sinaleiro.
2 ( ) A linguagem denotativa utilizada no texto é a responsável por elucidar a importância do trânsito na reconstrução das
relações humanas amorosas.
3 ( ) O uso da linguagem conotativa em “a pressa/ é a alma dos nossos negócios” remete a uma necessária espiritualização
nas grandes cidades nos tempos atuais.
4 ( ) O título “Sinal fechado” é uma metáfora da situação apresentada no texto, na qual duas pessoas se fecham para uma
possível relação.

QUESTÃO 26

As afirmativas abaixo dizem respeito à peça O pagador de promessas, de Dias Gomes. Leia-as e marque, para as
afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem Opção.

1 ( ) Uma das grandes preocupações de Dias Gomes ao criar o personagem Zé-do-Burro é defender a tese de que as
promessas religiosas devem ser cumpridas, mesmo que para isto percamos nossos referenciais de cidadania.
2 ( ) O clímax da peça se dá no momento em que Zé-do-Burro, num ato de rebeldia e insanidade, tumultua o trânsito da
cidade de Salvador, ao caminhar com uma cruz pelas principais avenidas, ao lado de seu burro Nicolau.
3 ( ) Mesmo não tendo noções políticas e sistematizadas sobre Reforma Agrária, antes de partir para a capital baiana, com
o objetivo de cumprir sua promessa feita à Santa Bárbara , Zé-do-Burro divide parte de suas terras com alguns agricultores.
4 ( ) O anti-herói Zé-do-Burro teve um destino irônico, já que termina seus dias assassinado em praça pública, em frente à
Igreja de Santa Bárbara, local no qual ele insistiu tanto para entrar a fim de pagar sua promessa.

Literatura
17
TIPO 1 PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013

QUESTÃO 27

PARTE I - LIRA XXII

Muito embora, Marília, muito embora


Outra beleza, que não seja a tua,
Com a vermelha roda, a seis puxada,
Faça tremer a rua;

[...]

Tu não habitarás palácios grandes,


Nem andarás nos coches voadores;
Porém terás um Vate que te preze, Vate: poeta
Que cante os teus louvores.

O tempo não respeita a formosura;


E da pálida morte a mão tirana
Arrasa os edifícios dos Augustos, Augustos: ricos, poderosos
E arrasa a vil choupana.

Que belezas, Marília, floresceram,


De quem nem sequer temos a memória!
Só podem conservar um nome eterno
Os versos, ou a história.

[...]

É melhor, minha Bela, ser lembrada


Por quantos hão de vir sábios humanos,
Que ter urcos, ter coches, e tesouros, urcos: cavalos
Que morrem com os anos.
Tomás Antônio Gonzaga, Marília de Dirceu.

Com base na leitura do texto poético acima, marque, para as afirmativas abaixo, (V) verdadeira, (F) falsa ou (SO) sem
opção.

1 ( ) O poema problematiza a superioridade social e pessoal vinculada a veículos velozes e caros (como um coche de seis
rodas), expondo a natureza ilusória desse vínculo entre os bens materiais e a essência da pessoa.
2 ( ) Seguindo o lema do Aurea mediocritas, a Lira de Gonzaga defende a ideia de que uma vida digna, porém simples e
modesta, é mais feliz que uma vida de orgulho e ostentação, assinalada pelos veículos de luxo.
3 ( ) Esta Lira desenvolve o lema árcade da “fuga da cidade”, justificada na medida em que as angústias urbanas são
intensificadas pela violência do trânsito, com seus “coches voadores” que fazem “tremer a rua”.
4 ( ) Na Lira XXII, a preocupação árcade com brevidade do tempo leva Dirceu a querer imortalizar Marília por meio da poesia,
evitando, assim, que a beleza de sua amada seja tão passageira quanto a beleza da moça do coche.

Literatura
18
PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013 TIPO 1

QUESTÃO 28 - DISCURSIVA

Guarda: E o senhor está fazendo o quê? Esperando a festa? Ainda é muito cedo. São oito e meia
da manhã. Só na parte da tarde é que isso pega fogo.
Zé: Estou aqui desde quatro e meia da manhã.
Guarda: Quatro e meia? (coça a cabeça, preocupado). O senhor deve ser um devoto e tanto! Mas
acontece que escolheu um mau lugar...
Zé: A culpa não é minha.
Guarda: Sim, eu sei, não foi o senhor quem inventou a festa de Santa Bárbara. Mas eu também não
tenho culpa de ser guarda. Minha obrigação é facilitar o trânsito, tanto quanto possível.

DIAS GOMES, Alfredo. O pagador de promessas.

Como no fragmento acima, do segundo ato de O pagador de promessas, observamos que há, na peça, alguns embates
do personagem Zé-do-Burro com figuras representativas do poder social.

Diante dessas observações, responda:

A) Discorra sobre a reação do guarda de trânsito após esse diálogo.


B) Explique como o conflito apresentado na cena pode ser considerado uma metáfora dos embates entre o indivíduo e o poder
na sociedade brasileira.

Literatura
19
TIPO 1 PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013

MATEMÁTICA

QUESTÃO 29

Dos 641 acidentes registrados nas estradas de Minas Gerais em dezembro de 2003, 378 foram com
ferimentos sem morte, 216 sem ferimentos, 27 foram fatais, e nos demais casos não foram informados
os graus de severidade.
DER-MG / www.estradas.com.br

Considerando as informações apresentadas, marque, para as alternativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem
Opção.

1( ) 20 dos acidentes registrados não foram classificados segundo o grau de severidade.


2( ) Pelo menos 4,2% dos acidentes registrados resultaram em morte.
3( ) No máximo 6% dos acidentes registrados resultaram em morte.
4( ) Se for constatado que 10% dos acidentes ocorridos nas estradas não foram registrados, então o número real de
acidentes ocorridos foi inferior a 710.

QUESTÃO 30

O dióxido de carbono (CO2), também conhecido como gás carbônico, é um dos gases de efeito estufa mais emitidos por
veículos. Com o intuito de analisar a emissão de CO2 pelos veículos de uma cidade nas ruas A e B, foram instalados medidores
durante 20 minutos de um determinado dia. Detectou-se que nas ruas A e B as quantidades de CO2 (em gramas) emitidas em
cada instante de tempo t (em minutos) foram dadas, respectivamente, pelas funções

e

com [0,20]

Considerando as informações apresentadas, marque, para as alternativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem
Opção.

1 ( ) Na rua A, a maior quantidade de CO2 foi emitida quando faltavam 2 minutos para terminar a análise.
2 ( ) Se MA e MB denotam, respectivamente, os valores máximos, em gramas, de emissão de CO2 registrados nas ruas A e B,
então MB MA.
3 ( ) Após iniciada a análise na rua B ( ), houve um instante em que a quantidade de CO2 emitida foi igual a zero.
4 ( ) Durante todo o primeiro minuto de análise, a emissão de CO2 na rua A foi sempre maior ou igual que a emissão de CO2
na rua B.

Matemática
20
PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013 TIPO 1

QUESTÃO 31

Ao longo das últimas três décadas, as emissões de poluentes como o CO2 vêm caindo no país, a
despeito do aumento da frota de veículos. A queda ocorreu devido à implementação do PROCONVE
(Programa de Controle de Poluição Veicular), no fim da década de 80. O programa, que passou a
estipular limites máximo de emissões de poluentes para os veículos, levou ao desenvolvimento de
motores e combustíveis. Em 1992, a emissão de CO2 de um carro era de 58g/km; em 2009, o limite
máximo foi de 0,5g/km. Com isso, as emissões de CO2 em 2009 foram de 1,5 milhões de toneladas.
Em 1992, o total ficou em 5,5 milhões de toneladas, maior valor já registrado no país.
Folha de S.Paulo – 26/03/2010

Considere que, a partir de 1992, a emissão total de CO2 pelos veículos diminuiu a uma taxa anual i constante até o ano
de 2009.

Obs.: Para simplificar os cálculos, assuma que .

Considerando as informações apresentadas, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem
Opção.

1 ( ) Se o limite máximo de emissão de CO2 estipulado pelo PROCONVE diminuir a uma taxa anual j constante a partir de
2009 até atingir o valor de 0,3 g/km em 2013, então j > 10%.
2 ( ) A função F(t) que representa as emissões totais de CO2 pelos veículos em relação ao tempo t, em anos, é uma função
logarítmica.
3 ( ) As emissões totais de CO2 de 1992 a 2009 formam, nessa ordem, uma progressão geométrica.
4 ( ) O total de emissões de CO2 em 2000 foi de 2,75 milhões de toneladas.

QUESTÃO 32

Congestionamentos no trânsito urbano, gerados pelo aumento da frota de veículos em circulação,


têm sido um dos problemas que afetam a qualidade de vida em muitos municípios brasileiros. Um
exemplo é o que está ocorrendo na cidade de Bauru, no interior do Estado de São Paulo. Segundo
reportagem publicada em agosto de 2010 em um site de notícias, Bauru teve um acréscimo de
15.280 veículos emplacados entre 1° de julho de 2009 e 30 de junho de 2010, atingindo a quantidade
de 200.979 veículos emplacados e em circulação na cidade, o que corresponde à proporção de 1,8
habitante para cada veículo. Segundo o comandante do Pelotão de Trânsito da Polícia Militar de
Bauru, “A quantidade de veículos cresce em progressão geométrica, enquanto as mudanças no
trânsito acontecem em progressão aritmética”.
www.falacidade.com.br/do/Conteudo/4864/bauru_ja_tem_mais_de_200_mil_veiculos

Considerando as informações apresentadas, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem
Opção.

1 ( ) A população de Bauru, na ocasião citada na reportagem, era superior a 360 mil habitantes.
2 ( ) Supondo que em Bauru a quantidade de emplacamentos diários de novos veículos seja constante e que nenhum veículo
saiu de circulação no período citado pela reportagem, a afirmação do comandante a respeito do crescimento da frota de
veículos estaria correta do ponto de vista matemático.
3 ( ) Suponha que a quantidade de veículos de Bauru aumentou diariamente de acordo com uma progressão geométrica.
Considerando a função f(i) = ai , sendo i = 1,...,365 a enumeração dos dias no período citado pela reportagem, e ai a
quantidade de veículos de Bauru no dia i, é correto dizer que o gráfico de f, no plano cartesiano, está sobre uma reta.
4 ( ) Suponha que, a partir de 1° de julho de 2009, a quantidade de veículos de Bauru aumentou diariamente de acordo com
uma progressão aritmética. Considerando que nenhum veículo saiu de circulação a partir do início do referido período, e
que a quantidade de veículos continua crescendo, de acordo com essa progressão aritmética, é correto dizer que 73
dias após 30 de junho de 2010, Bauru estará com 204.035 veículos.

Matemática
21
TIPO 1 PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013

QUÍMICA
QUESTÃO 33

Muitos acidentes de trânsito não são fatais graças à presença de airbags no interior do volante ou no painel dos veículos.
Os airbags são bolsas feitas de náilon, que são infladas quando ocorre uma colisão, formando uma almofada entre a parte
superior do tronco e a estrutura do automóvel. No interior da bolsa, ocorrem três reações. Na primeira, muito rápida, acontece
a decomposição da azida de sódio (NaN3), originando o nitrogênio gasoso (N2) que infla o airbag, de acordo com a equação não
balanceada abaixo:
NaN3(s) Æ N2(g) + Na(s)

Como nesta reação ocorre a formação de sódio metálico, que é altamente reativo, utiliza-se nitrato de potássio (KNO3)
para neutralizá-lo:
2KNO3(s) + 10Na(s) Æ K2O(s) + 5Na2O(s) + N2(g)

Por fim, ocorre a terceira reação, com o objetivo de neutralizar os óxidos de potássio e sódio (K2O e Na2O), que reagem
com dióxido de silício (SiO2), originando um silicato, produto inofensivo, semelhante a um talco.

Sobre as reações ocorridas no interior do airbag e suas equações, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F)
Falsa ou (SO) Sem opção.

1( ) Os coeficientes estequiométricas da primeira equação, quando corretamente balanceada, são 2, 3 e 2.


2( ) A principal evidência macroscópica de que ocorreu a primeira reação é a formação do íon sódio sólido (Na).
3( ) Na segunda equação, o número de oxidação do sódio varia de zero para +1.
4( ) O dióxido de silício (SiO2) é um composto formado por ligações covalentes, enquanto os outros óxidos citados no texto
são formados por ligações metálicas.

QUESTÃO 34

Extraído e modificado de: http://massacriticapoa.files.wordpress.com/2010/07/trafficjamcartoon.jpg

Com seus conhecimentos de química e a partir da análise da charge acima, marque, para as afirmativas abaixo, (V)
Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem opção.

1 ( ) A charge sugere que uma grande quantidade de carros circulando nas cidades, além de dificultar o trânsito das pessoas,
libera grandes quantidades de gases estufa.
2 ( ) A substituição do número de carros da charge por um número menor de transportes coletivos, como ônibus, poderia
diminuir o consumo de combustíveis como, por exemplo, o álcool e a gasolina.
3 ( ) A queima da gasolina nos carros que circulam pelas cidades libera gás carbônico (CO2) e dióxido de enxofre (SO2) que,
em contato com a água, apresentam características básicas.
4 ( ) Um dos problemas causados pela queima de combustíveis fósseis pelos carros está relacionado à acidez das chuvas
em grandes centros urbanos.

Química
22
PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013 TIPO 1

QUESTÃO 35

O ar limpo e seco é constituído principalmente pelos gases nitrogênio e oxigênio que juntos somam, aproximadamente,
99% dos gases da atmosfera terrestre. Nas áreas metropolitanas o problema da poluição do ar tem-se constituído em uma das
mais graves ameaças à qualidade de vida de seus habitantes. Os veículos automotores são os principais causadores dessa
poluição em todo mundo. A fuligem (partículas sólidas e líquidas), sob a denominação geral de material particulado (MP),
devido ao seu pequeno tamanho, mantém-se suspensa na atmosfera e, se inalada, pode causar problemas respiratórios. Outro
fator a ser considerado é que essas emissões causam incômodo aos moradores próximos às vias de tráfego. No caso da
fuligem, a coloração intensa e o mau cheiro destas emissões causam, de imediato, atitude de repulsa e podem, ainda,
ocasionar diminuição da segurança e aumento de acidentes de trânsito pela redução da visibilidade.

A partir do texto e de conhecimentos da Química, marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO)
Sem opção.

1 ( ) A atmosfera limpa é uma substância pura.


2 ( ) A atmosfera poluída contendo fuligem é classificada como uma mistura heterogênea.
3 ( ) A redução da visibilidade no trânsito é causada pela presença de material particulado suspenso que pode ser separado
do ar atmosférico pelo processo de filtração.
4 ( ) Os gases nitrogênio e oxigênio são representados, respectivamente, pelas fórmulas estruturais N2 e O3.

QUESTÃO 36

No Art. 276 da Lei 11705 do Código de Trânsito Brasileiro encontra-se: “Qualquer concentração de álcool por litro de
sangue sujeita o condutor às penalidades previstas no art. 165 deste Código”.

Quem for apanhado pelos já famosos “bafômetros” com mais de 0,6 gramas de álcool por litro de sangue (equivalente a
três latas de cerveja) poderá ser preso. Os bafômetros mais simples são descartáveis e consistem em pequenos tubos
contendo uma mistura sólida de solução aquosa de dicromato de potássio e sílica, umedecida com ácido. A detecção da
embriaguez por esse instrumento é visual, pois a reação que ocorre é a oxidação de álcool (CH3CH2OH) a aldeído (CH3CHO) e
a redução do dicromato a cromo (III), ou mesmo a cromo (II). A coloração inicial é amarelo-alaranjada, devido ao dicromato, e
a final é verde-azulada, visto ser o cromo (III) verde e o cromo (II) azul. Estes bafômetros portáteis são preparados e calibrados
apenas para indicar se a pessoa está abaixo ou acima do limite legal.

A equação que representa a reação química do bafômetro portátil se encontra a seguir:

K2Cr2O7(aq) + 4H2SO4(aq) + 3CH3CH2OH(g) Cr2(SO4)3(aq)+ 7H2O(l) + 3CH3CHO(g) + K2SO4(aq)


alaranjado ácido incolor verde incolor

Analise o texto e marque, para as afirmativas abaixo, (V) Verdadeira, (F) Falsa ou (SO) Sem opção.

1 ( ) O ácido, contido na mistura sólida do interior do tubo do bafômetro e representado na equação acima, é denominado
ácido sulfuroso.
2 ( ) O cromo pertence ao quarto período da tabela periódica e é um elemento de transição.
3 ( ) O subnível mais energético do elemento cromo é o d com quatro elétrons.
4 ( ) A reação química que ocorre na mistura sólida do interior do bafômetro, após contato com o álcool, envolve transferência
de elétrons.

Química
23
TIPO 1 PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013

REDAÇÃO
ORIENTAÇÃO GERAL

Leia com atenção todas as instruções.

A) Você encontrará três situações para fazer sua redação. Leia as situações propostas até o fim e escolha aquela com que
você tenha maior afinidade ou a que trata de assunto sobre o qual você tenha maior conhecimento.
B) Após a escolha de um dos gêneros, assinale sua opção no alto da folha de resposta e, ao redigir seu texto, obedeça às
normas do gênero selecionado.
C) Se for o caso, dê um título para sua redação. Esse título deverá deixar claro o aspecto da situação escolhida que você
pretende abordar. Escreva o título no lugar apropriado na folha de prova.
D) Se a estrutura do gênero selecionado exigir assinatura, escreva, no lugar da assinatura: JOSÉ OU JOSEFA. Em
hipótese alguma escreva seu nome, pseudônimo, apelido, etc. na folha de prova.
E) Utilize trechos dos textos motivadores (da situação que você selecionou) e parafraseie-os.
F) Não copie trechos dos textos motivadores, ao fazer sua redação.

ATENÇÃO: Se você não seguir as instruções da orientação geral e as


relativas ao tema que escolheu, sua redação será penalizada.

SITUAÇÃO A

Leia atentamente os textos abaixo.

TEXTO 1

Você já viu ou ouviu falar de um engarrafamento de formigas? Ou de um acidente sério envolvendo uma “batida” na
trilha do formigueiro? Pois é, a entomologista Audrey Dussutour, da Universidade de Sydney (Austrália), bem que tentou
por oito anos e não conseguiu. Aparentemente, acidentes de trânsito não ocorrem no mundo desses pequenos seres,
apesar de fluxos de dezenas de milhares de formigas de correição carregando seus pedacinhos de folhas cortadas
serem bastante comuns. Isso porque há um padrão nos fluxos de “ida e volta” do formigueiro que faz com que as
operárias não colidam umas com as outras. Em vez de obter um engarrafamento, a cientista descobriu uma perfeita
sequência algorítmica do tráfego desses insetos.
A descoberta é sensacional e pode servir de base para facilitar o nosso trânsito. Melhor ainda, pode ajudar na
invenção de um sistema de condução de veículos sem motoristas, operados apenas por computador. “Essencialmente,
a proposta é entregarmos a direção dos nossos veículos a um sistema de inteligência coletiva que os conduziria do ponto
de partida ao destino final”, conta Marcus Randall, matemático e criador de softwares da Universidade de Bond (Austrália).
Na última pesquisa, publicada em fevereiro deste ano na revista Journal of Experimental Biology, a equipe de
Audrey observou que as formigas que saem da colônia dão, automaticamente, passagem àquelas que voltam carregadas.
Na fila das que retornam à colônia existem aquelas que não trazem carga. Em vez de ultrapassarem as que estão
transportando alimento – e que por isso ficam mais lentas –, essas operárias caminham pacientemente atrás delas.
Essa estratégia pouco convencional para os humanos (afinal, quem fica feliz em reduzir a velocidade quando está preso
atrás de um caminhão lento?) diminui o tempo de percurso. Imagine uma formiga com uma folha pesadíssima nas costas
baixando ainda mais a velocidade para outra passar, correndo o risco de derrubar as demais do caminho estreito; isso
seria muito mais catastrófico do que aguardar a passagem do fluxo.
Esse tipo de comportamento é muito diferente daquele que os humanos costumam exibir no trânsito. As formigas
instintivamente investem no bem da colônia, enquanto o homem prioriza o indivíduo. “O principal fator do congestionamento
no mundo humano é o egoísmo”, diz Andreas Schadchneider, teórico de fluxo de trânsito da Universidade de Colônia
(Alemanha). “Os motoristas visam à otimização do seu próprio tempo de viagem, não se importando com as outras
pessoas.”

Disponível em: <http://www.terra.com.br/revistaplaneta/edicoes/439/artigo176847-1.htm>. Acesso em 17 de jun. 2010.

Redação
24
PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013 TIPO 1

TEXTO 2

Dados do Ministério da Saúde de 2003, divulgados num estudo da Fundação Seade, indicam que a taxa de
mortalidade por atropelamento no Brasil era de 5,6 óbitos por 100 mil habitantes, quase três vezes mais que nos
Estados Unidos, Inglaterra e Canadá. São países mais adaptados, regulamentados e punitivos no que se refere ao uso
violento de veículos. A taxa média relativa à mortalidade masculina em atropelamentos no Brasil mais que dobrava: 9
por 100 mil. Em vários Estados a taxa subia para 12 por 100 mil. Quanto às mulheres, a taxa é de 5 óbitos por 100 mil
habitantes.
A legislação mais realista e dura, de 1997, e o novo Código Nacional de Trânsito, de 1998, produziram um declínio
significativo na mortalidade por atropelamento. Em São Paulo, essas ocorrências caíram pela metade, entre 1996 e
2005, de 12 mortes por 100 mil habitantes para 5,1 mortes por 100 mil. O estudo mostra também que a curva estatística
das mortes por atropelamento cresce regularmente até os 40 anos de idade das vítimas, estabiliza nesse nível até os
55 anos e volta a crescer, verticalmente, daí em diante, para homens e mulheres.
Idosos são as grandes vítimas de atropelamentos, que constituem também a terceira causa da morte de crianças.
No caso dos idosos, as hipóteses mais prováveis para maior exposição à morte por atropelamento são as notórias:
diminuição da visão, da audição e da capacidade motora. Nessa perspectiva, corremos o sério risco de concluir que a
culpa é da vítima.
A maior exposição de crianças e idosos ao risco de morte por atropelamento sugere, na verdade, que esta
sociedade não está preparada para assegurar lugar e vida a multidões de desvalidos por idade. É velha e infeliz
característica da sociedade brasileira considerar cidadãos unicamente os que estão em idade produtiva, o chamado
vigor da idade. Os semáforos abrem para pedestres que podem atravessar a rua na velocidade conveniente para o carro.
As faixas de pedestres não servem para protegê-los. O único verdadeiro cidadão deste país é o automóvel, cheio de
direitos. Aqui, o carro desempenha praticamente a mesma função que o revólver desempenhou no oeste americano no
século 19, quando cada um fazia valer a sua lei.
No trânsito, diariamente, testemunhamos a agressividade de motoristas que fazem suas próprias regras de trânsito
e tornam-se violentos, simplesmente porque estão dentro de um carro. A lei pune os alcoolizados, mas não pune os que
estão bêbados de poder na direção. Cometem abusos de toda ordem, não raro com inocentes vítimas fatais. Para não
falar nos mutilados, que carregarão para o resto da vida as sequelas da irresponsabilidade alheia, das famílias órfãs,
pais e filhos.
No Brasil, existe uma guerra de culturas, com vítimas fatais. No uso civilizado da rua em ocasiões festivas da
tradição, o verdadeiro cidadão recupera seus direitos sobre o espaço público. Mas motoristas irresponsáveis avançam
sobre eles armados com seus veículos e sua cachaça para impor-lhes a nova ordem da máquina mortal. Somos um
país anômalo. Chegamos à modernidade do veículo automotor sem termos chegado à civilidade da competência
profissional para ter o direito de usá-lo.

Disponível em: <http://www.viaciclo.org.br/portal/artigos/99-artigos/362-sob-rodas>.

Redija uma CARTA ARGUMENTATIVA, reportando ao Pedro as descobertas da entomologista


Audrey Dussutour, relacionando essas descobertas aos dados do Ministério da Saúde e argumentando a
favor da ideia de que, no Brasil, a população não é civilizada o suficiente para ter o direito de usar um
carro.

Redação
25
TIPO 1 PAAES/UFU - 1ª Etapa Subprograma 2010-2013

SITUAÇÃO B

Observe a charge a seguir.

Disponível em: <http://chargesdoedra.blogspot.com/2010/09/especial-charges-semana-do-transito.html>. Acesso


em 25 de set. 2010.

Com base na charge, redija um RELATO, contando uma situação de violência no trânsito, presenciada
por você ou por alguém que você conheça.

SITUAÇÃO C

Releia o texto da prova de Língua Portuguesa e o texto 2 da Situação A. A partir das informações
apresentadas nos dois textos, produza um RESUMO.

Redação
26
ATENÇÃO

Esta folha SOMENTE pode ser usada para rascunho.

Ela NÃO será recolhida pelos fiscais, em circunstância alguma.


01
02
03
04
05
06
07
08
09
10

12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
11

O
Ã

O
Ç

H
A

N
D

U
E
SC
R
A
R
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA
PROGRAD - Pró-Reitoria de Graduação
DIRPS - Diretoria de Processos Seletivos

www.ingresso.ufu.br

Você também pode gostar