Você está na página 1de 3

26 Módulo 3

5.2 A cidadania europeia

CPSG16LAP © Porto Editora


Atividades pág. 35 Atividades pág. 39

1. A proposta era subordinar a produção franco-alemã de carvão 1.1. A Europa deve ser pensada como um novo tipo de projeto cos-
e aço a uma alta autoridade, uma organização aberta a outros mopolita onde se devem aceitar as diferenças e a diversidade.
países da Europa. 1.2. A unidade dos países significa um relacionamento entre países
2. Pretendia-se eliminar a secular oposição entre a França e a diferentes; a uniformidade seria o esbatimento das diferenças,
Alemanha, evitar a guerra entre os dois países como já aconte- no pressuposto de que cada país ía perdendo a sua identidade
cera no passado, como primeiro passo para a união das nações e individualidade. O cosmopolitismo europeu pressupõe a
europeias, no sentido da paz e do desenvolvimento. existência de países unidos mas que mantêm a sua identidade.
3. Uma Europa unida é uma condição essencial para a paz e o 2. a. Objetivos: permitir que os seus cidadãos beneficiem de
evitar de novos conflitos. A unidade franco-alemã na produ- mais bem-estar e felicidade.
ção do carvão e do aço será um passo decisivo para a paz, b. Condições: passam pela resolução de problemas imediatos,
tendo em conta que a última Grande Guerra opusera princi- tais como o desemprego, a crise do ambiente, a dependên-
palmente aqueles países. cia energética e as alterações climáticas.
4. Resposta livre.
5. Porque o Tratado de Roma (1957) já prevê a criação futura de
um mercado alargado de bens e serviços. Atividades pág. 41

Países Número de votos


Atividades pág. 37
Portugal 12 votos
1. N
Alemanha 29 votos

França 29 votos
26 25
Itália 29 votos
6

7 4
14
13 Reino Unido 29 votos
27
18
OCEANO
1 5
20 Espanha 27 votos
ATLÂNTICO 15 3
24
10 19
16 Polónia 27 votos
11 23 28 22

21 2 Roménia 14 votos
9
8 Países Baixos 13 votos
0 200 km 12
17 Bélgica 12 votos
1 Bélgica 11 Itália 21 Portugal
República Checa 12 votos
2 Bulgária 12 Chipre 22 Roménia
3 Rep. Checa 13 Letónia 23 Eslovénia Grécia 12 votos
4 Dinamarca 14 Lituânia 24 Eslováquia
5 Alemanha 15 Luxemburgo 25 Finlândia Hungria 12 votos
6 Estónia 16 Hungria 26 Suécia
Total 257 votos
7 Irlanda 17 Malta 27 Reino Unido
8 Grécia 18 Holanda 28 Croácia
9 Espanha 19 Áustria
Não temos ainda uma maioria de Estados-membros, apesar de já
10 França 20 Polónia termos o número mínimo de votos. Portanto, será preciso acrescen-
tar ainda mais um país.

CPSG16LAP_F02_20124862_3P.indd 26 13/06/14 13:57


Propostas de correção dos exercícios dos manuais  Módulo 3 27

3. A dupla cidadania é uma qualidade que os cidadãos da União


Atividades pág. 43
possuem e que resulta do facto de serem simultaneamente cida-
1. Os vários projetos políticos necessitam de uma visão europeia dão de um Estado-membro e, nessa medida, cidadãos da União.
(dos problemas) o que apenas pode ser alcançado com parti- 4. Uma cidadania europeia criou nos cidadãos a consciência do
dos que se organizem à escala da Europa. ser europeu e de como a isso estão associados novos direitos,
2. 
Resposta livre. Exemplo: Sim, porque a visão da Europa e do seu contribuindo para que se desenvolva uma perspetiva que
caminho a percorrer só é possível com deputados organizados esteja para lá da visão exclusivamente nacional. Ao mesmo
segundo a ideologia e não segundo o seu país de origem. Con- tempo, desenvolve-se a consciência da Europa com uma iden-
tudo, isso não pode fazer com que os deputados esqueçam os tidade própria como uma grande nação à qual pertencemos.
problemas que são próprios do país de onde vêm.

Atividades pág. 51
Atividades pág. 45
1. Valores defendidos e partilhados na UE: dignidade do ser
humano, liberdade, igualdade e solidariedade. Também daí
Órgão / Instituição Funções decorre a defesa de outros valores essenciais: paz, justiça,
desenvolvimento sustentável.
Impulsionar o desenvolvimento
2. Convenção Europeia para a Proteção dos Direitos do Homem e
Conselho da União Europeia e definir as suas
das Liberdades Fundamentais; Cartas Sociais aprovadas pela
orientações políticas mais gerais
União e pelo Conselho.
Controlar as atividades da União e
Parlamento
participar no processo legislativo
Atividades pág. 53
Zelar pelo cumprimento por parte
Comissão de cada Estado-membro das 1.
diretivas e regulamentos da União Direito Localização Explicação

Os cidadãos da União
podem circular e
Atividades pág. 47 Livre circulação n.º 2 – a) permanecer no
território dos
1. a. … Tribunal de Contas. Estados-membros
b. … Comité Económico e Social Europeu.
Eleger e ser eleito
c. … Banco Europeu de Investimentos. para o Parlamento,
Eleger e
d. … Comité das Regiões. n.º 2 – b) bem como participar
ser eleito
e. … Banco Central Europeu. nas eleições
autárquicas
f. … Tribunal de Justiça.
2. O enfraquecimento cívico consiste na diminuição da participa- Um cidadão da UE
ção política dos cidadãos devido ao afastamento dos centros pode recorrer a
Proteção
de decisão europeus da maioria dos cidadãos como resultado autoridades
consular e n.º 2 – c)
da concentração política. consulares e
diplomática
3. O conceito de regionalismo expresso no texto é a afirmação diplomáticos de
política do espaço europeu das regiões como tentativa de des- qualquer Estado
centralização dos processos de decisão.
Qualquer cidadão da
Dirigir petições União pode dirigir-se
ao PE e recorrer ao Parlamento
Atividades pág. 49 n.º 2 – d)
ao Provedor de Europeu ou ao
CPSG16LAP © Porto Editora

1. a cidadania; não é; não é; nacionais; complementa. Justiça europeu Provedor de Justiça


europeu
2. A instituição duma cidadania europeia desenvolve a consciên-
cia dos cidadãos pertencerem a um espaço comum e, nesse 2. CASO A:
sentido, desenvolve o sentimento mútuo de estarmos ligados O sr. Alfredo pode invocar a alínea c) do n.º 2 do art.º 20.º do
aos outros cidadãos europeus. Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia que con-
fere a um qualquer cidadão da União tratamento na proteção

CPSG16LAP_F02_20124862_3P.indd 27 13/06/14 13:57


28 Propostas de correção dos exercícios dos manuais  Módulo 3

e atendimento consular em igualdade com os cidadãos nacio-

CPSG16LAP © Porto Editora


Atividades pág. 57
nais dessa instituição consular.
CASO B: 1.1. Desconhecimento em relação ao funcionamento das institui-
Os direitos humanos fazem parte do Direito fundador da ções da União, nomeadamente em relação ao Parlamento.
União. Ora, o que aqui está em causa é a violação do princípio 1.2. Existe ainda pouca informação, fraca participação cívica em
da igualdade que deve ser respeitado em todo o território da termos gerais e algum egoísmo nacional que impede as pes-
União. Um cidadão poderá sempre recorrer ao Provedor de soas de pensarem e agirem à escala da Europa.
Justiça, nos termos da alínea d) do n.º 2 do art.º 20.º do Tratado
1.3. Multiplicar ações de divulgação sobre as instituições da UE,
sobre o Funcionamento da União Europeia.
bem como incluir estas matérias nos currículos dos programas
de ensino, desde o 1.º ciclo.

pág. 55 2. … castelos na areia, mas antes a construção de instituições for-


Atividades
tes e estáveis (exemplo).
1. a. Requisitos económicos: economia de mercado, estável e
com condições de enfrentar as forças de mercado e a con-
corrência no interior da União.
b. Requisitos políticos: instituições democráticas estáveis,
que garantem o Estado de direito, a democracia e os direitos
humanos; respeito pelas minorias e sua proteção.
2. Exige-se que os países candidatos possuam uma forma demo-
crática de governo, com respeito pelos direitos humanos bási-
cos; trata-se de critérios políticos que são assim colocados em
1.º lugar, em termos de prioridades face a critérios económicos
ou comerciais.
3. Ao serem exigidos, os países candidatos deverão, se for caso
disso, adaptar as suas instituições e práticas a essas exigências.

CPSG16LAP_F02_20124862_3P.indd 28 13/06/14 13:57