Você está na página 1de 75

REVISÃO AV1

GED
Direito Tributário II
Professora: Francisco Medina
Monitora: Larissa Learth
Classificação do Fato Gerador

1- Continuado: é quando o contribuinte realiza um único ato, em um período


determinado de tempo, para realizar um único Fato Gerador.
Exemplo: IPTU, IPVA....

2- Instantâneo: é um único ato que se realiza em um momento específico para


realizar o Fato Gerador.
Exemplo: ICMS, II (Imposto de Importação)....

3- Complexivo: apenas ocorre a consolidação do fato gerador, tributariamente,


após determinado período.
Exemplo: Imposto de Renda
Obrigação Tributária
Conceito: é um vínculo jurídico entre o contribuinte ou responsável (sujeito passivo) e
o fisco (sujeito ativo) cujo o objeto a obrigação de fazer, não fazer e tolerar

Principal Acessória

Objeto: pagamento do tributo ou multa Objeto: prestações positivas ou


negativas de interesse da arrecadação ou
fiscalização, despido de patrimonialidade

Obrigação: Dar Obrigação: Fazer, não fazer e tolerar

Sempre definido em Lei tributária artigo Definido em legislação tributária(lei em


97/CTN sentido amplo) artigo 96/CTN
Atenção!!!

1- A obrigação acessória não segue a principal.

2- O descumprimento de uma obrigação acessória faz


nascer uma obrigação principal
Questão
Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: SEMEF Manaus - AM Prova: FCC - 2019 - SEMEF Manaus - AM - Assistente Técnico
Fazendário
O Código Tributário Nacional estabelece regras relativas ao sujeito ativo e ao sujeito passivo de obrigações
tributárias. De acordo com esse Código,

a)o sujeito ativo da obrigação principal é a pessoa natural ou jurídica obrigada ao pagamento de imposto devido
antecipadamente por substituição tributária.

b)diferencia-se o sujeito ativo do sujeito passivo da obrigação acessória, porque o primeiro é o que paga o
tributo antes do vencimento, enquanto que o segundo é o que paga tributo vencido, com os devidos acréscimos
legais.

c)o sujeito passivo da obrigação principal diz-se responsável, quando, sem revestir a condição de contribuinte,
sua obrigação decorra de disposição expressa de lei.

d)o sujeito passivo de obrigação acessória é a pessoa obrigada ao pagamento de tributo por meio de estampilha
ou selo.
Resposta

Alternativa correta, letra C “sujeito passivo da obrigação principal diz-se responsável,


quando, sem revestir a condição de contribuinte, sua obrigação decorra de disposição
expressa de lei.”. Artigo 121, parágrafo único, II, CTN.
Obrigação Tributária
Sujeito Ativo
1. Sujeito Ativo

• Conceito: É a pessoa jurídica de direito público titular da competência para exigir


o seu cumprimento. (art 119 e 120 /ctn)

• Há dois tipos de sujeito ativo: Direto e o Indireto


Sujeito ativo direto: são os entes tributantes- União, Estados, Municípios e Distrito
federal – detentores de competência tributária, ou seja.

Sujeito ativo indireto: são os entes parafiscais (exemplo: CREA, CRM, CRC....) –
detentores de capacidade tributária ativa, ou seja, do poder de arrecadação e
fiscalização de tributo
IMPORTANTE
Sujeito Passivo

Sujeito Passivo

Conceito: são os entes devedores (tanto do tributo quanto da multa)


“Quem vai pagar o tributo” (artigo 121 a 123/CTN)

Se divide em dois:
Contribuinte: Quando se tem uma relação direta com o fato gerador


Responsável: E uma terceira pessoa escolhida por lei para pagar o tributo, mesmo que não tenha
realizado o fato gerador.

Observação: a capacidade tributaria passiva independe da capacidade civil. (artigo 126/CTN)


Convenções Particulares (art.123/CTN)

Art. 123. Salvo disposições de lei em contrário, as convenções


particulares, relativas à responsabilidade pelo pagamento de
tributos, não podem ser opostas à Fazenda Pública, para modificar
a definição legal do sujeito passivo das obrigações tributárias
correspondentes.(Código Tributário Nacional)
Questão

Professora Aline, dona de vários imóveis, resolveu alugar um dos seus imóvel para
sua amiga Letícia. Foi firmado um contrato de locação, que nele tinha uma clausula
que modificava a responsabilidade do pagamento do IPTU para sua amiga. Com a
atual crise financeira Leticia deixou de pagar o devido imposto, diante disso, o fisco
notificou Aline que a mesma disse que não era responsável pelo pagamento do IPTU
do imóvel e sim Leticia, e que por isso não iria efetuar o pagamento. A justificativa
da Professora Aline é valida?
Resposta

Não, pois de acordo com o artigo 123 do Código Tributário Nacional, dispõe
que “ a responsabilidade pelo pagamento de tributos, não podem ser opostas
à Fazenda Pública, para modificar a definição legal do sujeito passivo das
obrigações tributárias correspondentes.”
Solidariedade
Conceito: é um compartilhamento de obrigação. (artigo 124 e 125/CTN)

Importante:

I- Solidariedade não comporta benefício de ordem, isso que dizer que o


“Fisco” pode cobrar de qualquer um ou de todos.

II- O pagamento de um dos obrigados aproveita os demais.

III- Uma isenção ou remissão exonera os demais, SALVO se for pessoal.

IV- A interrupção da prescrição, em favor ou contra um dos obrigados,


favorece ou prejudica aos demais

V- NÃO EXISTE SOLIDARIEDADE ATIVA .


Solidariedade (Art. 124 e 125/ CTN)
Art. 124. São solidariamente obrigadas:
I - as pessoas que tenham interesse comum na situação que constitua o fato
gerador da obrigação principal;
II - as pessoas expressamente designadas por lei.
Parágrafo único. A solidariedade referida neste artigo não comporta benefício de
ordem.

Art. 125. Salvo disposição de lei em contrário, são os seguintes os efeitos da


solidariedade:
I - o pagamento efetuado por um dos obrigados aproveita aos demais;
II - a isenção ou remissão de crédito exonera todos os obrigados, salvo se
outorgada pessoalmente a um deles, subsistindo, nesse caso, a solidariedade quanto
aos demais pelo saldo;
III - a interrupção da prescrição, em favor ou contra um dos obrigados, favorece
ou prejudica aos demais.
Questão

ANO:2019 Banca: VUNESP Órgão: Prefeitura de Guarulhos - SP Prova: VUNESP - 2019 -


Prefeitura de Guarulhos - SP - Inspetor Fiscal de Rendas - Conhecimentos Específicos
De acordo com o Código Tributário Nacional,

a)a solidariedade pelo pagamento do débito tributário não comporta benefício de ordem.

b)são solidariamente obrigadas as pessoas expressamente indicadas no auto de infração e


imposição de multa, lavrado pela autoridade competente.

c)o pagamento efetuado por um dos devedores solidários aproveita apenas as pessoas
expressamente indicadas pelo obrigado solvente.

d)a interrupção da decadência em favor ou contra um dos obrigados solidários favorece os demais,
mas não os prejudica.
Resposta

Alternativa correta, letra A “solidariedade pelo pagamento do débito tributário não


comporta benefício de ordem.”. Artigo 124, parágrafo único CTN.
Domicílio Tributário
Regra Geral : quem escolhe e o contribuinte o seu domicílio tributário.
Artigo 127 do Código Tributário Nacional.

Importante:

I- Uma vez que é feita a sua escolha do domicílio tributário e o fisco não
respeite (mande a notificação para outro lugar) não é considerada feita a
notificação.

II- Caso o contribuinte dificulte ou impossibilite (que dificulte de alguma


forma), o “Fisco” pode recusar o domicílio escolhido pelo contribuinte mas
tem direito a ampla defesa.
Domicílio Tributário
Exceção:

I- Pessoas Naturais: na sua residência caso seja incerta/ desconhecida, vai para o
centro habitual de sua atividade

II- Pessoa Jurídica: o lugar da sua sede ou em relação aos atos ou fatos que derem
origem á obrigação, o de cada estabelecimento.

III- Pessoa Jurídica de Direito Pública: qualquer uma de suas repartições no


território da entidade tributante.

Atenção:
§ 1º Quando não couber a aplicação das regras fixadas em qualquer dos
incisos deste artigo, considerar-se-á como domicílio tributário do contribuinte ou
responsável o lugar da situação dos bens ou da ocorrência dos atos ou fatos que deram
origem à obrigação
Domicílio Tributário (art. 127/ CTN)
Art. 127. Na falta de eleição, pelo contribuinte ou responsável, de domicílio tributário, na
forma da legislação aplicável, considera-se como tal:

I - quanto às pessoas naturais, a sua residência habitual, ou, sendo esta incerta ou
desconhecida, o centro habitual de sua atividade;
II - quanto às pessoas jurídicas de direito privado ou às firmas individuais, o lugar da
sua sede, ou, em relação aos atos ou fatos que derem origem à obrigação, o de cada
estabelecimento;
III - quanto às pessoas jurídicas de direito público, qualquer de suas repartições no
território da entidade tributante.
§ 1º Quando não couber a aplicação das regras fixadas em qualquer dos incisos deste
artigo, considerar-se-á como domicílio tributário do contribuinte ou responsável o lugar da
situação dos bens ou da ocorrência dos atos ou fatos que deram origem à obrigação.
§ 2º A autoridade administrativa pode recusar o domicílio eleito, quando impossibilite ou
dificulte a arrecadação ou a fiscalização do tributo, aplicando-se então a regra do parágrafo
anterior.
Questão
Ano: 2017 Banca: FGV Órgão: OAB Prova: FGV - 2017 - OAB - Exame de Ordem
Unificado - XXIV - Primeira Fase
Considere que Luís é um andarilho civilmente capaz que não elegeu nenhum lugar como
seu domicílio tributário, não tem domicílio civil, nem residência fixa, e não desempenha
habitualmente atividades em endereço certo.
A partir da hipótese apresentada, de acordo com o Código Tributário Nacional e no silêncio
de legislação específica, assinale a afirmativa correta.

a) Luís nunca terá domicílio tributário.


b) O domicílio tributário de Luís será o lugar da situação de seus bens ou da ocorrência do
fato gerador.
c)O domicílio tributário de Luís será, necessariamente, a sede da entidade tributante.
d)O domicílio tributário de Luís será a residência de seus parentes mais próximos ou o
lugar da situação dos bens de Luís.
Resposta

Alternativa correta, letra B “O domicílio tributário de Luís será o lugar da


situação de seus bens ou da ocorrência do fato gerador.” Art. 127, §1/
CTN.
Responsabilidade
Tributária Conceito: É uma terceira pessoa
escolhida por lei para pagar o tributo,
mesmo que não tenha realizado o fato
gerador.
Responsabilidade Tributária
Responsabilidade Pessoal Responsabilidade Supletiva/
Subsidiária

Exclui totalmente o contribuinte Exclui parcialmente o contribuinte,


(do polo passivo), ficando apenas o podendo ocorrer a
responsável tributário. responsabilidade subsidiária ou
Exemplo: Haroldo tem uma supletiva (aqui se tem o benefício
fazenda em Guaramiranga, em de ordem).
2015 veio a falecer, ficando assim o Exemplo: Iury é dono de uma
responsável tributário (o espólio padaria , deve 10mil em tributo.
nesse caso), pelo pagamento do Iury vende essa padaria para
ITR. Pedro. Nesse caso o “Fisco” vai
executar Iury, o contribuinte, caso
não consiga vai executar o Pedro
Importante!!

Qual é a diferença entre responsabilidade Subsidiária/ Supletiva e


Solidariedade ?

R: Na solidariedade o “Fisco” pode cobrar de um ou de todos, já na


responsabilidade Subsidiária/ Supletiva primeiro o “Fisco” vai atrás
do contribuinte e só depois vai atrás do responsável tributário
Responsabilidad

01 e Por
Substituição
Responsabilidade por Substituição

Responsabilidade por substituição : É quando a lei determina que


o responsável (substituto) ocupe o lugar do contribuinte
(substituído) desde a ocorrência do fato gerador, logo desde o
nascimento da OT o responsável já e o sujeito passivo.

Objetivo: Viabilizar a fiscalização.


Obs: em regra é uma responsabilidade pessoal
Responsabilidade por Substituição

A responsabilidade Tributária por substituição se classificam em


duas :

I) Regressiva (“pra trás”)


II)Progressiva (“pra frente”/presumido)
Responsabilidade por Substituição

Substituição Regressiva : ‘pra trás” primeiro ocorre o FG, depois se paga o


tributo (acontece quando se tem muitos produtores difusos)

Na substituição tributária regressiva, o tributo será integralmente


recolhido pelo sujeito ao final da cadeia. Neste caso, não é necessário uma
base de cálculo presumida, visto que todas as operações de saída de
mercadorias foram realizadas, de modo que o cálculo do tributo é efetuado
a partir de valores já conhecidos.

Exemplo: Distribuidora de Leite.


Responsabilidade por Substituição

Substituição Progressiva “pra frente” neste caso ocorre a


antecipação do pagamento mesmo antes da ocorrência do FG, ou
seja, paga primeiro depois ocorre o FG (aqui se presume o fato
gerador).

Fundamentação: artigo 150,§7° da Constituição Federal.

Exemplo: A refinaria
Questão

Por dispositivo legal expresso, a obrigação de recolhimento de determinado imposto


foi atribuída a pessoa diversa da do contribuinte, devendo esse pagamento ser feito
antecipadamente, em momento prévio à ocorrência do fato gerador, previsto para
ocorrer no futuro.
Com relação a essa situação, julgue o item seguinte.
Na situação considerada, trata-se do instituto denominado substituição tributária
progressiva, que tem previsão expressa relativa ao ICMS.
Resposta

Verdadeiro.
O enunciado relata o caso de substituição tributária para frente, também chamada
de substituição progressiva. Isso é, quando há uma antecipação do pagamento do
tributo de um fato gerador que ainda não ocorreu. Esse mecanismo de
arrecadação tem como fundamento o art. 150, §7º, CF.
Responsabilidade
por Transferência 02
Responsabilidade por Transferência

A responsabilidade por Transferência: A responsabilidade por transferência se dá


após a ocorrência do fato gerador, em razão de circunstâncias posteriores previstas
em lei, provocando uma transferência da responsabilidade para um terceiro,
podendo o contribuinte permanecer ou não no polo passivo da obrigação. (a grosso
modo; tira o contribuinte e coloca o responsável, ou os dois).

Objetivo: é uma transferência patrimonial

Fundamentação: artigo 130 a 135 do Código Tributário nacional


Responsabilidade por Transferência

Essa responsabilidade se subdivide:

Por Sucessão: -Bens Imovéis (art 130/CTN)


Responsabilidade - Bens Moveis (art 131,I/ CTN)
Por transferência - Causa Mortis (art. 131, II e III/CTN)
- Sucessão Empresarial (art.132 e 133/CTN)

Terceiros: -Com atuação regular (art. 134/CTN) Resp. Subsidiária


- Com atuação irregular (art.135/CTN) Resp. Pessoal
Responsabilidade por Transferência por
Sucessão- Bens Imóveis
Sucessão por Bens Imóveis.

Pontos Importantes:
• I)Quando se fala em bens imóveis a responsabilidade abrange as taxas ( APENAS
AS PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS), impostos (ITR/IPTU) e contribuição de melhorias.
Sempre tem que ser créditos relacionados domínio útil ou posse de bens imóveis.

• II) No caso de arrematação de hasta pública, a sub-rogação ocorre o respetivo


preço.

Exemplo: Joaquim comprou o apartamento de João, porém o apartamento tinha


débitos relacionados ao IPTU de 2019. Diante disso, Joaquim fica responsável pelo
pagamento de imposto devido
Responsabilidade por Transferência por
Sucessão- Bens Imóveis

Sucessão por Bens Imóveis.

Artigo 130/CTN: Os créditos tributários relativos a impostos cujo fato gerador seja a
propriedade, o domínio útil ou a posse de bens imóveis, e bem assim os relativos a
taxas pela prestação de serviços referentes a tais bens, ou a contribuições de
melhoria, subrogam-se na pessoa dos respectivos adquirentes, salvo quando conste
do título a prova de sua quitação.

Parágrafo único. No caso de arrematação em hasta pública, a sub-rogação ocorre


sobre o respectivo preço.
Questão
Ano: 2013 Banca: FGV Órgão: OAB Prova: FGV - 2013 - OAB - Exame de Ordem Unificado -
XII - Primeira Fase
Pedro adquire imóvel de João, que o alugava anteriormente a uma sociedade empresária. Sobre
esse imóvel estavam pendentes de pagamento os seguintes tributos: o IPTU, a Contribuição de
Melhoria, a Taxa de Coleta Domiciliar de Lixo e a Taxa de Inspeção Sanitária devida pelo exercício
do poder de polícia, em função da atividade ali desenvolvida.

Com relação à responsabilidade tributária, assinale a afirmativa correta.


a) Pedro só se torna responsável tributário do IPTU, da Taxa de Coleta Domiciliar de Lixo e da
Contribuição de Melhoria, permanecendo João como sujeito passivo da Taxa de Inspeção
Sanitária.
b) Pedro só se torna responsável tributário do IPTU e da Taxa de Coleta Domiciliar de Lixo,
permanecendo João como sujeito passivo da Taxa de Inspeção Sanitária e da Contribuição de
Melhoria.
c) Pedro é o responsável tributário de todos os tributos, devido à sucessão imobiliária.
d) João continua sendo o sujeito passivo de todos os tributos, muito embora o imóvel tenha sido
adquirido por Pedro.
Resposta

Alternativa correta, letra A “Pedro só se torna responsável tributário do IPTU, da Taxa


de Coleta Domiciliar de Lixo e da Contribuição de Melhoria, permanecendo João como
sujeito passivo da Taxa de Inspeção Sanitária”. Artigo 130 do CTN.
Responsabilidade por Transferência por
Sucessão- Bens Móveis
Sucessão por Bens Móveis

Artigo 131, I/CTN “ São pessoalmente responsáveis : I- o adquirente ou remitente, pelos


tributos relativos aos bens adquiridos ou remidos”

Exemplo: Professor Medina compra um carro de Lucas, Professor Medina passa a ser
responsável por todos os créditos em aberto deixado por Lucas.

Observação: Caso João compre o carro em um leilão, não a responsabilidade, pois faz o
entendimento que o valor pago já esta incluso todas as taxas, impostos em aberto.
Fazendo assim uma analogia do artigo anterior.
Responsabilidade por Transferência por
Sucessão- causa mortis

Sucessão causa mortis

Artigo 131, II e III / CTN “São pessoalmente responsáveis:

II - o sucessor a qualquer título e o cônjuge meeiro, pelos tributos devidos pelo de cujus
até a data da partilha ou adjudicação, limitada esta responsabilidade ao montante do
quinhão do legado ou da meação;

III - o espólio, pelos tributos devidos pelo de cujus até a data da abertura da sucessão.”
Responsabilidade por Transferência por Sucessão-
Transmissão decorrente de fusão, transformação,
incorporação ou cisão

Sucessão Empresarial

Art. 132. A pessoa jurídica de direito privado que resultar de fusão, transformação ou
incorporação de outra ou em outra é responsável pelos tributos devidos até à data
do ato pelas pessoas jurídicas de direito privado fusionadas, transformadas ou
incorporadas.

Parágrafo único. O disposto neste artigo aplica-se aos casos de extinção de pessoas
jurídicas de direito privado, quando a exploração da respectiva atividade seja
continuada por qualquer sócio remanescente, ou seu espólio, sob a mesma ou outra
razão social, ou sob firma individual
Responsabilidade por Transferência por Sucessão-
Transmissão decorrente de fusão, transformação,
incorporação ou cisão
Conceitos:
I)Fusão: é a extinção das sociedades que se uniu formando uma nova (A+ B= C)
II)Incorporação: uma ou mais são absorvidas por outra ( A+B : B pois A se incorporou)
III)Transformação: uma empresa S.A passa a ser uma LTDA.
IV)Cisão: transfere um pedaço do patrimônio para outra empresa.

OBS:

1-A responsabilidade do 132 do CTN é uma responsabilidade Pessoal.

2- A Cisão ela não se encontra no CTN é um entendimento do STJ, diante disso é uma
responsabilidade SÓLIDARIA.
Responsabilidade por Transferência por Sucessão-
Transmissão decorrente de fusão, transformação,
incorporação ou cisão

Importante!
Súmula 554 - Na hipótese de sucessão empresarial, a responsabilidade da
sucessora abrange não apenas os tributos devidos pela sucedida, mas
também as multas moratórias ou punitivas referentes a fatos geradores
ocorridos até a data da sucessão.

Multas moratórias: juros.


Multa punitiva: o descumprimento de algo
Questão
A pessoa jurídica XXX é devedora de Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), além de
multa de ofício e de juros moratórios (taxa Selic), relativamente ao exercício de 2014. O referido
crédito tributário foi devidamente constituído por meio de lançamento de ofício, e sua exigibilidade se
encontra suspensa por força de recurso administrativo. No ano de 2015, a pessoa jurídica XXX foi
incorporada pela pessoa jurídica ZZZ.

Sobre a responsabilidade tributária da pessoa jurídica ZZZ, no tocante ao crédito tributário


constituído contra XXX, assinale a afirmativa correta.
a)A incorporadora ZZZ é responsável apenas pelo pagamento da CSLL e dos juros moratórios (taxa
Selic).
b)A incorporadora ZZZ é integralmente responsável tanto pelo pagamento da CSLL quanto pelo
pagamento da multa e dos juros moratórios.
c)A incorporadora ZZZ é responsável apenas pelo tributo, uma vez que, em razão da suspensão da
exigibilidade, não é responsável pelo pagamento das multas e dos demais acréscimos legais.
d)A incorporadora ZZZ é responsável apenas pela CSLL e pela multa, não sendo responsável pelo
pagamento dos juros moratórios.
Resposta

Alternativa correta, letra B “A incorporadora ZZZ é integralmente responsável


tanto pelo pagamento da CSLL quanto pelo pagamento da multa e dos juros
moratórios.” Art. 132 CTN e Súmula 554 STJ
Responsabilidade por Transferência por Sucessão-
Transmissão de estabelecimento comercial,
industrial ou profissional
Artigo 133 do CTN

“Art. 133. A pessoa natural ou jurídica de direito privado que adquirir de outra, por
qualquer título, fundo de comércio ou estabelecimento comercial, industrial ou
profissional, e continuar a respectiva exploração, sob a mesma ou outra razão social
ou sob firma ou nome individual, responde pelos tributos, relativos ao fundo ou
estabelecimento adquirido, devidos até à data do ato:”

I - integralmente, se o alienante cessar a exploração do comércio, indústria ou


atividade;
II - subsidiariamente com o alienante, se este prosseguir na exploração ou iniciar
dentro de seis meses a contar da data da alienação, nova atividade no mesmo ou em
outro ramo de comércio, indústria ou profissão.
Responsabilidade por Transferência por Sucessão-
Transmissão decorrente de fusão, transformação,
incorporação ou cisão
Continuação do artigo 133 do CTN
§ 1o O disposto no caput deste artigo não se aplica na hipótese de alienação
judicial:
I – em processo de falência;
II – de filial ou unidade produtiva isolada, em processo de recuperação judicial
§ 2o Não se aplica o disposto no § 1o deste artigo quando o adquirente for:
I – sócio da sociedade falida ou em recuperação judicial, ou sociedade controlada pelo
devedor falido ou em recuperação judicial;
II – parente, em linha reta ou colateral até o 4o (quarto) grau, consangüíneo ou afim,
do devedor falido ou em recuperação judicial ou de qualquer de seus sócios; ou
III – identificado como agente do falido ou do devedor em recuperação judicial com o
objetivo de fraudar a sucessão tributária
Questão

Seu Joaquim é dono de uma padaria e resolveu vender o seu estabelecimento


comercial para Manoel, que continuou explorando a atividade econômica da padaria.
Considerando que seu Joaquim se mudou para Jeri e resolveu aproveitar sua
merecida aposentadoria. É correto afirmar que seu Manoel responde integralmente
por todas as dívidas da padaria?
Resposta

Verdadeiro, pois Joaquim cessou as suas atividades econômica. Artigo


133, parágrafo I /CTN.
Questão

XYZ é um estabelecimento empresarial que foi alienado e cujo adquirente continuou a explorar a
mesma atividade.
Considerando que também o alienante de XYZ continuou a exercer atividade empresarial no
mesmo ramo de negócio, assinale a afirmativa correta.

a)O adquirente é integralmente responsável pelos tributos devidos até a data da alienação do
estabelecimento, sem responsabilidade do alienante.
b)O adquirente e o alienante são responsáveis, cada qual, por 50% dos tributos devidos até a data
da alienação do estabelecimento.
c)A responsabilidade pelos tributos devidos até a data da alienação é integralmente do alienante,
sem responsabilidade do adquirente.
d)Como o alienante continuou a explorar atividade empresarial, a responsabilidade do adquirente
pelos tributos devidos até a data da alienação é subsidiária com o alienante.
Resposta

Alternativa correta, letra D “Como o alienante continuou a explorar atividade


empresarial, a responsabilidade do adquirente pelos tributos devidos até a
data da alienação é subsidiária com o alienante.” Artigo 133, II/ CTN.
Responsabilidade por Transferência de
Terceiros
I)Artigo 134 do CTN: responsabilidade de terceiro com atuação regular.
Responsabilidade “Subsidiária.”

II)Artigo 135 do CTN: responsabilidade de terceiro com atuação irregular.


Responsabilidade Pessoal.

“ Esta responsabilidade não se prende á transmissão patrimonial, como se pôde notar


na responsabilidade dos sucessores, mas no dever de zelo, legal ou contratual, que
certas pessoas devem ter com relação ao patrimônio de outrem, geralmente
pessoas naturais incapazes ( menor, tutelado, curatelado) ou entes despidos de
personalidade jurídica (espólio e massa falida)” EDUARDO SABBAG,2019
Responsabilidade por Transferência de
Terceiros
Art. 134. Nos casos de impossibilidade de exigência do cumprimento da obrigação
principal pelo contribuinte, respondem solidariamente com este nos atos em que
intervierem ou pelas omissões de que forem responsáveis:
I - os pais, pelos tributos devidos por seus filhos menores;
II - os tutores e curadores, pelos tributos devidos por seus tutelados ou
curatelados;
III - os administradores de bens de terceiros, pelos tributos devidos por estes;
IV - o inventariante, pelos tributos devidos pelo espólio;
V - o síndico e o comissário, pelos tributos devidos pela massa falida ou pelo
concordatário;
VI - os tabeliães, escrivães e demais serventuários de ofício, pelos tributos
devidos sobre os atos praticados por eles, ou perante eles, em razão do seu ofício;
VII - os sócios, no caso de liquidação de sociedade de pessoas.
Parágrafo único. O disposto neste artigo só se aplica, em matéria de penalidades, às
de caráter moratório.
Responsabilidade por Transferência de
Terceiros
Responsabilidade por Transferência de
Terceiros

Art. 135. São pessoalmente responsáveis pelos créditos correspondentes a


obrigações tributárias resultantes de atos praticados com excesso de poderes ou
infração de lei, contrato social ou estatutos:

I - as pessoas referidas no artigo anterior;


II - os mandatários, prepostos e empregados;
III - os diretores, gerentes ou representantes de pessoas jurídicas de direito privado.
Responsabilidade por Transferência de
Terceiros

IMPORTANTE!

Súmula 430/STJ - O inadimplemento da obrigação tributária pela sociedade não gera,


por si só, a responsabilidade solidária do sócio-gerente.

Súmula 435/STJ - Presume-se dissolvida irregularmente a empresa que deixar de


funcionar no seu domicílio fiscal, sem comunicação aos órgãos competentes,
legitimando o redirecionamento da execução fiscal para o sócio-gerente
Questão

Pedro tem três anos de idade e é proprietário de um apartamento. Em janeiro deste ano, o Fisco
notificou Pedro para o pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), por meio do
envio do carnê de cobrança ao seu endereço. Os pais de Pedro, recebendo a correspondência,
decidiram não pagar o tributo, mesmo possuindo recursos suficientes para tanto.
Diante da impossibilidade de cumprimento da obrigação por Pedro, assinale a afirmativa correta.

a)Os pais de Pedro devem pagar o tributo, na qualidade de substitutos tributários.


b)O Fisco deverá aguardar Pedro completar 18 anos para iniciar o processo de execução da
dívida.
c)Os pais de Pedro responderão pelo pagamento do tributo, uma vez que são responsáveis
tributários na condição de terceiros.
d)O Fisco deve cobrar o tributo dos pais de Pedro, já que são contribuintes do IPTU.
Resposta

Alternativa correta, letra C “Os pais de Pedro responderão pelo pagamento do tributo, uma
vez que são responsáveis tributários na condição de terceiros.” O art. 134, CTN dispõe sobre
a responsabilidade tributária de terceiros. Conforme inciso I do dispositivo, os pais
respondem pelos tributos devidos pelos seus filhos menores. Alternativa correta.
03
Responsabilidad
e Por Infração
Responsabilidade por Infração
Art. 136. Salvo disposição de lei em contrário, a responsabilidade por infrações da
legislação tributária independe da intenção do agente ou do responsável e da
efetividade, natureza e extensão dos efeitos do ato.

Art. 137. A responsabilidade é pessoal ao agente:


I - quanto às infrações conceituadas por lei como crimes ou contravenções, salvo
quando praticadas no exercício regular de administração, mandato, função, cargo ou
emprego, ou no cumprimento de ordem expressa emitida por quem de direito;
II - quanto às infrações em cuja definição o dolo específico do agente seja
elementar;
III - quanto às infrações que decorram direta e exclusivamente de dolo específico:
a) das pessoas referidas no artigo 134, contra aquelas por quem respondem;
b) dos mandatários, prepostos ou empregados, contra seus mandantes,
preponentes ou empregadores;
c) dos diretores, gerentes ou representantes de pessoas jurídicas de direito
privado, contra estas.
Responsabilidade por Infração

O art. 136 estabelece que a responsabilidade por infrações da legislação tributária,


como regra, é objetiva, ou seja, independe da intenção do agente ou do responsável e
da efetividade, natureza e extensão dos efeitos do ato.

Além disso, em matéria tributária, a responsabilidade pelas infrações cabe a quem


praticou o ato ilícito. Logo, se foi a pessoa jurídica, ela será responsabilizada, ainda
que, na prática, seja uma pessoa natural que atue em nome da empresa. O art. 137 do
CTN traz justamente a exceção à referida regra. São situações em que a
responsabilidade é pessoal do agente quanto à punição, permanecendo a pessoa
jurídica na condição de sujeito passivo do tributo.
Responsabilidade por Infração- Denúncia
Espontânea

Art. 138. A responsabilidade é excluída pela denúncia espontânea da infração,


acompanhada, se for o caso, do pagamento do tributo devido e dos juros de mora, ou
do depósito da importância arbitrada pela autoridade administrativa, quando o
montante do tributo dependa de apuração.

Parágrafo único. Não se considera espontânea a denúncia apresentada após o


início de qualquer procedimento administrativo ou medida de fiscalização,
relacionados com a infração.
Responsabilidade por Infração- Denúncia
Espontânea
A denúncia espontânea, capaz de excluir a responsabilidade do sujeito
passivo pela penalidade decorrente da prática de infração à legislação
tributária.
São requisitos para o gozo da denúncia espontânea:
I)Ser apresentada antes do início de qualquer procedimento administrativo
ou medida de fiscalização, relacionados com a infração;
II)Estar acompanhada do pagamento do tributo devido e dos juros de mora,
ou do depósito da importância arbitrada pela autoridade administrativa,
quando o montante do tributo dependa de apuração.
Boa Prova para todos !!

Você também pode gostar