Você está na página 1de 41

EFEITO PLATÔ

Ana Paula Pujol


2 CAUSAS

TERMOGÊNESE
CONSUMO ALIMENTAR
ADAPTATIVA
CONSUMO ALIMENTAR

Como você analisa o consumo alimentar?

Pelo que o O que ele fala é


paciente fala? verdade?
EFEITO PLATÔ É REAL?

As pessoas subestimam o valor calórico dos


alimentos, principalmente aqueles alimentos de
alto valor calórico.
EFEITO PLATÔ É REAL?

As pessoas acham que consomem menos calorias do que


ingerem.
EFEITO PLATÔ É REAL?

Estudo com 516 adultos comparou a


ingestão dietética atual com o consumo
REAL e excedeu até 59% (pp nas
mulheres) – imprecisão do auto relato!
Não emagreço
porque tenho o
metabolismo lento?
Os que relatam que não
conseguem perder peso,
ESTUDO COM PACIENTES Hipóteses – consumo
embora relatem
RESISTENTES AO restringir sua ingestão excessivo ou baixo gasto
EMAGRECIMENTO: energético
calórica a menos de
1200 kcal por dia.

RESULTADO –
Metabolismo normal e o
Compararam a um grupo
CONSUMO CALÓRICO A subnotificação é maior
que não relatava com
era SUBESTIMADO e em indivíduos obesos.
“metabolismo lento”
EXERCÍCIO
superestimado.
O METABOLISMO LENTO REALMENTE PODE EXISTIR
O METABOLISMO LENTO REALMENTE PODE EXISTIR

Os participantes ficaram
isolados em uma casa por 3
Um estudo com 29 semanas, onde foram
mulheres que alegaram não alimentados com uma dieta
poder perder peso. padrão de 1.500 kcal por
dia.

Sob essas condições muito os autores concluíram que as


controladas, 19 mulheres mulheres com menor taxa
perderam peso, 9 não metabólica basal são as que
perderam peso e 1 mulher não emagrecem em condições
realmente ganhou peso. muito bem controladas.
TERMOGÊNESE ADAPTATIVA

A termogênese adaptati Ações coordenadas


va (TA) é descrita como de alterações
uma mudança na taxa metabólicas,
metabólica de neuroendócrinas, ECONOMIA DE ATÉ
repouso (RMR) que é autonômicas e 800 kcal por dia
maior do que seria comportamentais (proporcional à
previsto a partir de que se opõem à
mudanças no peso e na restrição)
gordura durante períodos
manutenção de um
de desequilíbrio peso corporal
energético. reduzido.
O QUE ACONTECE NO CORPO
QUANDO PERDEMOS PESO?
Redução de peso corporal (gordura ou de massa) reduzem gasto energético.

A redução de 10% ou mais no peso corporal reduz o GER


aproximadamente 20 a 25%

Essa desaceleração metabólica é mais


pronunciada em OBESOS!

Forbes GB. Lean bodymass-body fat interrelationships in humans. Nutr Rev


1987;45:225–231; Forbes GB. Body fat content influences the body composition
response to nutrition and exercise. Ann N Y Acad Sci 2000;904:359–365
Para cada kg de peso perdido o apetite aumenta cerca
de 100 kcal/dia acima do nível basal antes da perda de
peso

Aumento no desejo de comer

POLIDORI,D. et al., How Strongly Does Appetite Counter Weight Loss? Quantification of the Feedback Control of
Human Energy Intake. Obesity. v.24 n.11. p.2289-2295, 2016.
Tremblay, A., Royer, MM., Chaput, JP. et al. Adaptive thermogenesis can make a difference in the ability of
obese individuals to lose body weight. Int J Obes v.37, n.1, p.759–764, 2013.
NOSSO CÉREBRO MUDA!

Aumento da atividade em áreas relevantes para recompensas


NOSSO CÉREBRO MUDA!

Quando ocorre privação calórica, as pessoas melhoram o funcionamento do


olfato relatam que os alimentos têm um sabor mais agradável.
O tecido adiposo muda!

Van Baak, M. A., & Mariman, E. C. M. (2019). Mechanisms of


weight regain after weight loss — the role of adipose tissue. Nature
Reviews Endocrinology.
Microbioma pós
obesidade induz
a recuperação
de peso
IMPULSO BIOLÓGICO PARA RECUPERAR O PESO

Fome
Grelina Taxa Metabólica
Cortisol
TSH
T3r

Hall KD, Guo J. Obesity Energetics: Body Weight Regulation and the
Effects of Diet Composition. Gastroenterology. 2017;152(7):1718–
1727.e3; Saciedade
SUMITHRAN, Priya et al. Long-term persistence of hormonal adaptations
to weight loss. New England Journal of Medicine, v. 365, n. 17, p. 1597-
1604, 2011.
MELBY, Christopher L. et al. Attenuating the biologic drive for weight
regain following weight loss: must what goes down always go back
up?. Nutrients, v. 9, n. 5, p. 468, 2017.
MÜLLER, Manfred J.; ENDERLE, Janna; BOSY-WESTPHAL, Anja. Changes
in energy expenditure with weight gain and weight loss in
humans. Current obesity reports, v. 5, n. 4, p. 413-423, 2016.
EFEITO PLATÔ

DIFERENÇAS INTERINDIVIDUAIS – COMO FOI O


PROCESSO DE EMAGRECIMENTO?
POR QUE ALGUMAS PESSOAS
TEM EFEITO PLATÔ E OUTRAS
NÃO?
Características individuais
Genética

BAT
POPs
Curta duração do sono
Microbiota intestinal
QUAL A SIGNIFICÂNCIA CLÍNICA?

Primeiro mês de Após 6 meses


Para perder 1 kg restrição calórica restrição calórica
Até 800 kcal
de gordura
∼4750 kcal ∼7000 kcal

MAGKOS, Faidon. On adaptive thermogenesis: just another weight-loss tale?. The


American Journal of Clinical Nutrition, 2020.
O QUE FAZER PARA TIRAR O PACIENTE DO
EFEITO PLATÔ?

PRECISA DE NOVOS
ESTÍMULOS – RC RESTRINGIR AINDA
CONTÍNUA GERA MAIS AS CALORIAS?
ADAPTAÇÃO!
“Restrição calórica favorece o
estresse e aumento do cortisol”

NAKAMURA, Yuko; WALKER, Brian R.; IKUTA, Toshikazu. Systematic review and
meta-analysis reveals acutely elevated plasma cortisol following fasting but not less
severe calorie restriction. Stress, v. 19, n. 2, p. 151-157, 2016.
O CASO DE UMA PACIENTE

JÁ HAVIA
42 ANOS – 70 PERDIDO 7 KG,
kg para 63 kg – SENDO 6 KG
meta 58 kg DE GORDURA
(2 meses)

BOA ADESÃO AO
DIETA 1400 TRATAMENTO E
KCAL – 28% DE MUSCULAÇÃO 3
PROTEÍNA – VEZES POR
1,6g/kg de SEMANA (sentindo
peso mais fome)
NA PENÚLTIMA AVALIAÇÃO DA ADESÃO
NA ÚLTIMA, MESMO
AVALIAÇÃO NÃO POR REGISTRO
COM ADESÃO, NÃO
PERDEU PESO, MAS A FOTOGRÁFICO DO
TEVE RESULTADO
ADESÃO FOI MENOR PLANO ALIMENTAR

SONO NÃO ESTAVA


AVALIAÇÃO
MUITO BOM
BIOQUÍMICA – T3 TEVE COVID
(QUESTIONÁRIO DE
REDUZIU
QUALIDADE DO SONO)
COVID 19

Ferritina
Inflamação Disfunção e dano
ROS/RNS/RSS
(ferro) mitocondrial

ROS
Disfunção Disbiose da Inibição da
plaquetária microbiota Quadro
fosforilação
Intra e Extra Celular
inflamatório
oxidativa (que gera
Disfunção persistente
ATP)
Mitocondrial +ROS

Hiper coagulopatia
(formação de coágulos) Dutta, Anirban et al. “Bioenergy Crisis in Coronavirus Diseases?.” Brain sciences v.10,n.5,p.277, 2020.
Saleh, J. et al., Mitochondria and microbiota dysfunction in COVID-19 pathogenesis. v.57, p. 1-7, 2020.
O que eu fiz?

CONTATO COM
PERSONAL – Acréscimo
Mantive restrição
semanal de 90 min de
energética (1400 kcal)
exercício aeróbio em
jejum

TRF – Neutraliza as
adaptações metabólicas Reduz grelina e fome e
e fisiológicas da perda aumenta saciedade
de peso

O'CONNOR, Sydney G. et al. Perspective: Time-Restricted Eating Compared with Caloric Restriction:
Potential Facilitators and Barriers of Long-Term Weight Loss Maintenance. Advances in Nutrition, 2021.
DIETA HIPERPROTEICA – artigo de 2021 – em pessoas eutróficas –
aumento do gasto energético basal, pós prandial e no sono e oxidação
de gordura.
AUMENTO DA PROTEÍNA
MANTIVE 1400 KCAL DE 1,6g (28%) para 2,3g CHO – 35%
(40%)

DIETA ANTI-
INFLAMATÓRIA – muitos
LIP 25% compostos bioativos
(leptina, microbiota,
proteína vegetal)
Suplementação

Grupos BAT positivo


ESTIMULAR TECIDO
e negativo (410 vs
ADIPOSO MARROM
42 kcal por dia).
IMPACTO NO GASTO ENERGÉTICO?

50 g de Tecido adiposo marrom


(menos de 0,1% peso corporal)

Poderia utilizar até 20% da TMB, quando estimulado

Schneider, Kevin, et al. "Increased Energy Expenditure, Ucp1 Expression, and Resistance
to Diet-induced Obesity in Mice Lacking Nuclear Factor-Erythroid-2-related Transcription
Factor-2 (Nrf2)." Journal of Biological Chemistry 291.14 (2016): 7754-7766.
ESTUDO
Ingestão oral de uma bebida contendo
615 mg de catequina e 77 mg de cafeína
2h de exposição a frio a 19 ° C

92,0 ± 26,5 a 197,9 ± 27,7 kcal / d (P = 0,009),


CHÁ VERDE E CAFÉ

Estímulo da termogênese e provável menor consumo


alimentar

Em baixos consumidores de cafeína (<300 mg/dia)

WESTERTERP‐PLANTENGA, Margriet S.; LEJEUNE, Manuela PGM; KOVACS, Eva MR. Body weight loss and
weight maintenance in relation to habitual caffeine intake and green tea supplementation. Obesity
research, v. 13, n. 7, p. 1195‐1204, 2005.
PARA SONO

Magnésio
Pró Sleep® –
(L- treonato) – 5htp – 50 mg
260 mg
200 mg
Redução da latência do sono, sem efeito na qualidade.
Aumento a oxidação de gordura sem efeito no gasto
energético durante o sono.

No estudo: 600 mg
Extrato de café verde a 70% de AC = 850 mg
PARA SONO e OXIDAÇÃO LIPÍDICA
Café verde, extrato padronizado a 70% de
ácidos clorogênicos – 800 mg
Aviar 30 doses em cápsulas vegetais
Posologia: Consumir uma dose 1 hora antes de
dormir
CURCUMINA

AMPK, PGC1 alfa, CTP1, ACC

Inibe enzimas lipogênicas no fígado

Ativa HSL Inibe FAS

BAT EFEITO ANTIDEPRESSIVO E ANTI-INFLAMATÓRIO – SENSIBILIDADE À LEPTINA

Curcuma longa, Extrato seco padronizado com no


mínimo de 95% de curcuminoides - 400mg

Wang, Shan, et al. "Curcumin promotes browning of white adipose tissue in a norepinephrine-dependent
way." Biochemical and biophysical research communications 466.2 (2015): 247-253.
Dra. Ana Paula Pujol

Você também pode gostar