Você está na página 1de 73

LEALDADE

CORAGEM

DI
S C IP L INA

Fuzil Imbel Cal 5,66/45mm


Para-FAL

Apresentação Confeccionada 1
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
SUMÁRIO
1ª PARTE
HISTORIA
DADOS GERAIS
CARACTERÍSTICAS
FUNCIONAMENTO
DESMONTAGEM E MONTAGEM
MANUTENÇÃO 1º ESCALÃO
MANEJO DO FUZIL MD2
2ª PARTE
DESMONTAGEM E MONTAGEM
MANUTENÇÃO 2º ESCALÃO
Apresentação Confeccionada 2
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
HISTORIA
O FN FAL, no Brasil chamado Fuzil automático Leve ou
Fuzil de Assalto Ligeiro, é fabricado integralmente pela estatal IMBEL
(Itajubá)[1]. No Exército Brasileiro recebe a nomeclatura de Fz 7,62
M964 (também conhecido como MD-2).
A IMBEL fabrica também o Para-FAL, que é usado por polícias
militares, pára-quedistas militares e outras forças especiais por ser
mais leve. Também fabrica um modelo em calibre 22 adaptado ao
FAL, para treinamento militar.
• Utilização em Portugal
• O FN FAL foi utilizado por Portugal a partir de 1961, em
complemento à espingarda automática Heckler & Koch G3 para uso
das suas forças empenhadas na Guerra do Ultramar em África. Na
altura foram testados os dois modelos de armas, escolhendo-se a G3
para arma padrão em detrimento da FN FAL.
• No entanto os quase 30.000 FN FAL recebidos
continuaram a ser utilizados até ao fim da guerra em 1975,
sobretudo por unidades auxiliares no teatro de operações de
Angola. Apresentação Confeccionada 3
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
DADOS GERAIS

• Calibre: 7,62X51 mm (.308) OTAN [Existem versões com o calibre


5,56x45 mm OTAN e em calibre .22 Lr, para treinamento de recrutas]
• Peso sem carregador: 4,200 Kg
• Com carregador: 4,930 Kg
• Tipo: Portátil
• Velocidade inicial do projétil: 850 m/s
• Alcance máximo: 3.600 m
• Alcance de utilização: 600 m
• Emprego: Individual
• Funcionamento: Ação indireta dos gases
• Regime de Tiro: Semi-automático e automático e repetição
• Capacidade do carregador padrão: 20 cartuchos (existem
carregadores para o FAL que comportam 30 cartuchos,
no calibre 5,56 mm)
Apresentação Confeccionada 4
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
CARACTERÍSTICAS
• Versão adaptada do FN PARA-FAL Cal 7,62x51, Para o
Calibre 5,56x45;
• Funcionamento por ação direta dos gases controlada pelo anel
regulador, que assegura o funcionamento perfeito e suave, sem
recuo excessivo;
• Ferrolho realiza o trancamento de maneira que durante o
disparo do cartucho que se encontra na câmara não possa
provocar o destrancamento antes que o projétil já tenha saído do
cano;
• O destrancamento é realizado através do embulo, que é
impulsionado pelos gazes do projétil deflagrado na câmara após
o disparo e ter saído do cano;
• A alimentação é feita através das molas recuperadoras que
trazem o conjunto ferrolho ao seu local de repouso dessa forma
capturando um novo cartucho no carregador tipo cofre com
capacidade para 20/30 cartuchos ;
• Comandos destros do registro de tiro e segurança e
abertura da Arma.
Apresentação Confeccionada 5
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
CARACTERÍSTICAS
2) CLASSIFICAÇÃO.
•Quanto ao tipo – Portátil;
•Quanto ao emprego – Individual;
•Regime de tiro– automático/semi-automático;
• Quanto ao princípio de funcionamento – ação direta dos gases
na cabeça do embolo;
• Quanto à refrigeração – a ar.

• 3) ALIMENTAÇÃO.
• Carregador – metálico, tipo cofre curvo;
• Capacidade – 20/30 cartuchos;
• Sentido – Retrocarga “de baixo para cima”;

4) RAIAMENTO.
• Passo – 12 pol;
• Sentido – à direita.

Apresentação Confeccionada 6
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
CARACTERÍSTICAS
5) Aparelho de pontaria.
• Alça de mira basculante para 150/250 mts;
• Massa de mira pino rígido com abas
protetoras;

• 6) DADOS NUMÉRICOS.
• Calibre – 5,56x45mm;
• Comprimento: Aberto 1,01 m
Fechado 0,77 m;
• Peso – 4,500 g;
• Cano : 0, 45 m;
• Coronha: rebatível a direita;
• Alcance máximo – 4.000 metros;
• Alcance útil – 600 metros.

Apresentação Confeccionada 7
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
Funcionamento
Peças mais importantes

Zarelho Posterior
Massa de mira Janela de Alça de Mira
Refrigeração Alça de transporte Delgado Soleira
Regulador do Placas do Coronha
Cilindro de Gases Guarda Mão

Retém do Alavanca de
Cano Carregador desmontagem,
Quebra Carregador chaveta do trinco
Zarelho da armação
Chamas Anterior Gatilho
Retém do ferrolho Guarda Mato
Punho – Pistol Grip

Apresentação Confeccionada 8
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
DESMONTAGEM E MONTAGEM
1º e 2º ESCALÃO
Retirar o carregador;
Manobrar a Arma por duas vezes pela alavanca de manejo;
Manter a Arma aberta acionando o retém do ferrolho;
 “Check” de segurança;
 Segure a Arma na posição horizontal, com o polegar empurre a
alavanca de trancamento para cima, forçando as extremidades da arma
para baixo, o que provocará a articulação e abrirá a Arma;
 Retirar o conjunto ferrolho com a tampa da caixa da culatra;
 Separar o conjunto ferrolho da caixa da culatra;
 Separar o ferrolho do impulsor do ferrolho;
 Desmontar o ferrolho, retirando o percussor e a mola do percussor;
 Retirar o obturador do cilindro de gases, com embolo e sua mola;
 Retirar as placas do guarda mão;

Apresentação Confeccionada 9
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANUTENÇÃO 1º e 2º ESCALÃO
Bandoleira Registro de Zarelho
Massa Janela de Alavanca Tiro e segurança Posterior
De Mira refrigeração De manejo
Zarelho
Anterior
Cilindro Alavanca de
De gazes Desmontagem
ferrolho percussor
Molas
Obturador do
recuperadora
Cilindro de gazes
Tampa da
Caixa da Pino do Embulo Mola do embulo
Culatra percussor
Impulsor do
Ferrolho
Apresentação Confeccionada 10
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANUTENÇÃO

Usar solvente de pólvora no cano, câmara, rampa,


ferrolho, mola de retorno e guia;
Remover todo o resíduo de pólvora na cabeça do embulo
e no obturador do cilindro de gazes;
 Remover resíduos de solvente e aplicar película de
lubrificante adequado ( - câmara, caixa da culatra e cano );
Não utilizar escova de aço, palha
de aço ou similares;
Não utilizar querosene, gasolina,
álcool,etc...

Apresentação Confeccionada 11
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
EXERCÍCIO DE
DESMONTAGEM E
MONTAGEM

10 MIN

Apresentação Confeccionada 12
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
DESMONTAGEM E MONTAGEM
3º ESCALÃO
 Retirar o botão do retem do carregador;
 Retirar o retem do carregador;
 Retirar a cavilha do eixo da armação;
 Separar o conjunto mecanismo de disparo e coronha do conjunto
cano e cilindro de gases;
 Retirar o conjunto da coronha do mecanismo de disparo;
 Retirar o tubo protetor da mola do martelo;
 Retirar a mola do martelo com sua aste guia;
 Retirar a placa protetora dos eixos;
 Retirar o eixo de fixação do martelo;
 Retirar o registro de tiro e segurança;
 Retirar o eixo de fixação do conjunto gatilho e gatilho
intermediário;
 Retirar o gatilho intermediário com a sua mola;
 Retirar o gatilho do seu alojamento;
 Desconectar o dispara da caixa da culatra;
Apresentação Confeccionada 13
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
Arma Desmontada
Anel de fixação do Mola do retem Retem do
retem do carregador do carregador carregador

Retem do Eixo da
carregador armação

Mecanismo Conjunto da mola Mola


de disparo recuperadora do recuperadora Martelo
martelo do martelo
Disparador Capa protetora
Aste guia
do martelo da aste guia e
sua mola

Apresentação Confeccionada 14
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
Arma Desmontada
Eixo de
Placa Gatilho Gatilho fixação do
protetora intermediário Martelo
Registro de tiro dos eixos
e segurança

Gatilho Eixo de
Gatilho
intermediário fixação do
Gatilho

Conjunto Gatilho, Gatilho Intermediário, Martelo e Disparador

Apresentação Confeccionada 15
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
dos fuzis Cal 5,56x45mm

• Os Fuzis e a Carabinas 5,56 IMBEL foram


projetados para atenderem as tendências
mundiais de utilização da munição 5,56 x 45 mm.
Os custos de fabricação, manutenção e
treinamento são reduzidos pois a maioria das
peças são similares às dos FAL e PARAFAL 7,62
mm. Estas modernas e compactas armas, com
coronha rígida (fixa) ou rebatível, são
especialmente adequadas para operações de
tropas especiais e policiais.
Apresentação Confeccionada 16
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
dos fuzis Cal 5,56x45mm

O modelos MD2 e MD2 A1, são dotados de coronha


rebatíveis, sendo muito usados em Patrulhamento
Embarcado em Veículos e em Perímetros Rurais;

Fz MD2 Fz MD2 A1

Munição (mm) 5,56 x 45mm 5,56 x 45mm


Carregador 30 cartuchos 30 cartuchos
Aberto: 1,01 Aberto: 1,01
Comprimento (m)
Fechado: 0,77 Fechado: 0,77
Passo (pol) 7,10 ou 12 7,10 ou 12
Peso (g) 4500 4500
Coronha Rebatível Rebatível
Cano (m) 0,45 0,45
Semi-automático
Regime de tiro Semi-automático
Automático

Apresentação Confeccionada 17
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
dos fuzis Cal 5,56x45mm

O modelos MD3 e MD3 A1, são dotados de coronha


rígidas, tendo sua particularidade em tiros de precisão e no
combate corpo a corpo;

Fz MD3 Fz MD3 A1

Munição (mm) 5,56 x 45mm 5,56 x 45mm


Carregador 30 cartuchos 30 cartuchos
Comprimento (m) 1,01 1,01
Passo (pol) 7,10 ou 12 7,10 ou 12
Peso (g) 4600 4600
Coronha Rígida Rígida
Cano (m) 0,45 0,45
Semi-automático
Regime de tiro Semi-automático
Automático

Apresentação Confeccionada 18
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
dos fuzis Cal 5,56x45mm
Já os Fz MD97L e Ca MD97LC, foram projetas no ano de
1997, sendo produzidas apartir do ano de 2002, nos dias de hoje
sendo muito utilizadas pela Força Nacional de Segurança
Publica, Força Tarefa do Governo Federal do Brasil;
A Carabina MD97LC, não faz parte das familias dos Fuzis
devido o tamanho do seu cano;

Fz MD97L Ca MD97LC
Munição (mm) 5,56 x 45mm 5,56 x 45mm
Carregador 30 cartuchos 30 cartuchos
Aberto: 1,01 Aberto: 0,85
Comprimento (m)
Fechado: 0,77 Fechado: 0,60
Passo (pol) 7,10 ou 12 7,10 ou 12
Peso (g) 3710 3300
Coronha Rebatível Rebatível
Cano (m) 0,437 0,330
Semi-automático
Regime de tiro Semi-automático
Automático
Apresentação Confeccionada 19
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
““ Os Operações Especiais são como um ferro em
brasa que marca a alma
e depois faz com que vejamos o mundo para sempre
por meio de um conjunto singular de filtros
mentais.
Quanto mais profunda e intensa a experiência mais
quente é o ferro e mais profunda a marca do
indivíduo.”
Apresentação Confeccionada 20
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
Eric L. Haney
LEALDADE
CORAGEM
FUZIL DE ASSALTO
AK47 DI
S C IP L INA

Automat Kalashnikov 47
Apresentação Confeccionada 21
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
SUMÁRIO

CONCEITO DO FUZIL DE ASSALTO


HISTORIA DO FUZIL DE ASSALTO
CARACTERÍSTICAS DO FUZIL AK 47
HISTORIA DO FUZIL AK 47
MANUTENÇÃO 1º ESCALÃO DO FUZIL AK 47
DESMONT. E MONT. DO FUZIL AK 47
MANEJO DO FUZIL AK 47

Apresentação Confeccionada 22
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
Conceito de
Fuzil de Assalto
• O Fuzil de assalto é uma arma leve dos
modernos exércitos mundiais que se tornou o
armamento de dotação individual dos
combatentes de infantaria. Este tipo de arma é
igualmente conhecido por Espingarda de
Assalto, Fuzil Automático ou Espingarda
Automática.
• Nos dias de hoje sendo empregadas nas forças
Policiais Militares do mundo.

Apresentação Confeccionada 23
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
Historia do
Fuzil de Assalto
• Nascido no final da Segunda Guerra Mundial, o fuzil de assalto, teve uma grande
evolução, adaptando-se aos mais diversos usos na guerra moderna.
• Ele surgiu quando estrategistas militares perceberam que, diferentemente da
Primeira Guerra Mundial, que ocorreu com exércitos inteiros em linhas estáticas,
combates em trincheiras e com disparos a longas distâncias, a Segunda Guerra não
permitia o estacionamento de tropas devido à grande mobilidade dos veículos blindados
apoiado pela artilharia e infantaria.
• Foi nessa conjuntura que surgiu o fuzil de assalto, o infante combatia agora a curtas
distancias, sendo que muitas vezes o embate ocorria em áreas urbanas, um campo de
batalha que não havia sido explorado até o momento; diferentemente do combate em
campo aberto, não havia o apoio instantâneo do fogo das metralhadoras, as quais
necessitavam ser montadas e o encontro com o inimigo era inesperado. Esse panorama
fez com que armas fossem modificadas para se adaptarem a essa nova realidade, as
metralhadoras são um exemplo dessa mudança: receberam bipés e coronhas, ficando
os tripés e outros reparos para outras situações; também nesse novo cenário de guerra
as submetralhadoras tornaram-se uma das melhores armas a serem empregadas devido
ao seu poder de fogo, grande capacidade de munição e portabilidade, tendo como
destaques a alemã MP-40, americana Thompson e a inglesa Sten; também se
destacaram armas como a Carabina M1 e os fuzis BAR e M1 Garand que possuíam um
maior poder de fogo e velocidade de tiro quando comparadas com os fuzis de repetição.
Contudo essas armas ainda não eram consideradas ideais: os fuzis eram grandes e
pesados e seu uso nas áreas urbanas e de selva era difícil, já as submetralhadoras
tinham uma boa portabilidade, mas calçavam uma munição que não possuía um poder
de parada apropriado nem eram adequadas para combates a médias distâncias.
Apresentação Confeccionada 24
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
Historia do
Fuzil de Assalto
• Foi justamente para suprir as qualidades dessas armas que nasceu o fuzil
de assalto, inicialmente o FG-42 (FG de Fallschirmjägergewehr - Fuzil para
pára-quedistas) o qual tinha uma boa portabilidade, porém o calibre
7,92x57mm tornava o tiro automático preciso quase impraticável. Ele foi
seguido pelos MP-43 e MP-44 (MP de MachinenPistole – Submetralhadora)
tendo finalmente surgido o Stg. 44 (“Stg.” de SturmGewehr – Fuzil de Assalto),
o qual e considerado de fato o primeiro fuzil de assalto, pois tinha como
características as portabilidade, grande capacidade de munição,
funcionamento automático e semi-automático e um calibre intermediário, o
7,92x33mm.
• Alguns Modelos
• AK 47
• AR-15
• FN FAL
• HK 33
• M16

Apresentação Confeccionada 25
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
CARACTERÍSTICAS
DO FUZIL AK 47
 AK-47 - Automat Kalashnikov 47
 Tipo espingarda automática
 País União Soviética
 Inventor Mikhail Kalashnikov
 Data de projecto1947
 Tempo em serviço1949 - act.
 Características
 Calibre 7,62 x 39 mm
 OperaçãogásCadência de tiro600 tpm
 Velocidade de saída do projéctil 710 m/s
 Alcance eficaz 300 m
 Peso 3,8 kg (descarregada) 4,3 kg (carregada)
 Comprimento total 870 mm
 Comprimento do cano 415 mm
 Alimentação carregadores de 20, 30 ou 90 munições
 Miras alça regulável e ponto de mira
 Variantes AK-47, AK-47/1952, AKS-47, RPK, AKM,
 AK-74, AK-101, AK-103 e AK-107
Apresentação Confeccionada 26
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
HISTORIA DO
FUZIL AK 47
• O AK-47 (do russo Avtomat Kalashnikov; o 47 refere-se ao ano de
criação da arma), é um rifle de assalto de calibre 7.62 x 39 mm criado
em 1947 por Mikhail Kalashnikov e produzido por uma indústria russa
chamada IZH. Este rifle teve seu uso popularizado por muitas nações
do bloco comunista na Guerra Fria, mas ainda é largamente utilizada
em muitos países, inclusive no Brasil, onde tem sido visto com
freqüência em posse de traficantes de drogas. Foi reproduzido em
inúmeros países do bloco comunista e tem sido louvado por
especialistas por sua praticidade (não requer mais de um minuto para
ser armado por um soldado com prática) e resistência à água, areia e
lama, bem como por sua manutenção fácil. Pesa, em média, 4,3kg
(sem o carregador de munição, que pode conter 20, 30 ou 99
cartuchos), tem um raio de ação útil superior a 1,5km e é capaz de
disparar até 600 tiros/minuto. A velocidade do projétil na boca do cano
é de 721m/s, com munição calibre 7.62 x 39 mm (cartucho curto,
padrão russo).
• Em comparação a seu maior rival, o fuzil de fabricação norte-americana M16, o AK-47
tende a ser mais confiável e mais resistente aos elementos supracitados, também exigindo
menos cuidados de limpeza e manutenção.
Apresentação Confeccionada 27
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
VARIANTES
FUZIL AK 47
• AK- 46: protótipo que deu origem ao AK-47;
• AK- 47: modelo de produção inicial, com uma caixa de culatra de metal estampado
do Tipo 1;
• AK- 47/1952: modelo com uma caixa de culatra maquinada, coronha e guarda-mão
de madeira e câmara e cano cromados para resisterem à corrosão;
• AKS- 47 ou AK- 47S: variante da AK-47 como coronha metálica dobrável, para uso
no interior de veículos fechados;
• RPK: variante de apoio de fogo, com cano mais longo e bipé;
• AKM: variante simplificada e mais leve da AK-47. Dispôe de uma caixa de culatra do
Tipo 4, feito de metal estampado e rebitado, um dispositivo na boca do cano para
contrariar o seu levantamento em fogo automático e uma redução de peso para os
3,61 kg;
• AKMS: versão de coronha dobrável da AKM, para uso de tropas aerotransportadas;
• AK- 74: versão de calibre 5,54 x 39 mm;
• AK- 101: versão de calibre 5,56 mm NATO, destinada ao mercado de exportação;
• AK- 103: versão combinando os aperfeiçoamentos introduzidos na AK-74 com o
calibre 7,62 x 39 mm;
• AK- 107: versão aperfeiçoada da AK-74.

Apresentação Confeccionada 28
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
VISTA SUPERIOR
DO FUZIL AK 47
Alça de Alavanca
mira de manejo Cilindro
Caixa da Janela de gazes Cano
culatra de ejeção
Coronha Trava de
segurança
Massa
Placas do de mira
guarda mão
Gatilho
Bandoleira
Punho
Retem do
carregador Carregador

Apresentação Confeccionada 29
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
DESMONT. E MONT.
DO FUZIL AK 47
Retirar o carregador;
Manobrar a Arma por duas vezes pela alavanca de manejo;
Manter a Arma aberta pressionando o ferrolho a retaguarda;
“Check” de segurança;
Segure a Arma na posição horizontal, com o polegar pressione o
retem de trancamento da caixa da culatra;
Retirar a tampa da caixa da culatra;
Retirar a aste guia mola recuperadora;
Retirar o conjunto ferrolho da caixa da culatra;
Separar o ferrolho do impulsor do ferrolho;
Desmontar o ferrolho, retirando o percussor e a mola do percussor;
Retirar as placas do guarda-mão, girando a trava da placa superior;
Retirar a placa inferior do guarda mão girando a trava giratório da
placa inferior;
Obs:Proceder a manutenção utilizando produtos e equipamentos corretos;

Apresentação Confeccionada 30
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
FUZIL AK 47
DESMONTADO
Retirando a Retirando a Retirando o Separando o
Vista Retirando o Tampa da Caixa Mora Conjunto Impulssor do
Superior carregador Da Culatra Recuperadora Ferrolho Ferrolho

Tampa da Retem do Retirando o Retem das Retirando as


Mola Alça de
recuperadora Caixa da Cilindro de Cilindro de Placas do Placas do
Culatra mira Gazes Gazes Guarda mão Guarda mão

Impulssor do
Ferrolho e Ferrolho e Cilindro
Percussor Embulo Martelo
de Gazes
Vista superior Fuzil Câmara Conjunto ferrolho
Do AK 47 desmontado

Separando as Mola Percussor


As placas do Recuperadora extrator
Guarda mão Do martelo
Do Zarelho Apresentação Confeccionada 31
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANUTENÇÃO
Usar solvente de pólvora no cano, câmara, rampa,
ferrolho, mola de retorno e guia;
Remover todo o resíduo de pólvora na cabeça do embulo
e no obturador do cilindro de gazes;
 Remover resíduos de solvente e aplicar película de
lubrificante adequado ( - câmara, caixa da culatra e cano );
Não utilizar escova de aço, palha
de aço ou similares;
Não utilizar querosene, gasolina,
álcool,etc...

Apresentação Confeccionada 32
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
EXERCÍCIO DE
DESMONTAGEM E
MONTAGEM AK 47

10 MIN

Apresentação Confeccionada 33
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
FUZIL DE
ASSALTO
AR 15

Apresentação Confeccionada 34
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
SUMÁRIO

CARACTERÍSTICAS DO FUZIL AR-15


HISTORIA DO FUZIL AR-15
MANUTENÇÃO 1º ESCALÃO DO FUZIL AR-15
DESMONT. E MONT. DO FUZIL AR-15
MANEJO DO FUZIL AR-15

Apresentação Confeccionada 35
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
CARACTERÍSTICAS
DO FUZIL AR-15
• Tipo Carabina
• País Estados Unidos
• Inventor Eugene Stoner
• Data de design 1958
• Tempo em serviço1963
• Calibre 5.56 × 45 mm
• Taxa de fogo 800 tiros/min
• Velocidade do açaime 975 m/s
• Alcance eficaz 550 m
• Peso 2,27 kg , 3,39 kg
• Comprimento 991 mm
• Tambor 508 mm
• Capacidade da Magazine 10, 20, 30
Apresentação Confeccionada 36
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
HISTÓRIA DO
FUZIL AR-15
• Desenvolvida no início dos anos 50 por Eugene Stoner baseado em estatísticas da
primeira e Segunda Guerra Mundial e da Guerra da Coréia[1], a AR-15 é baseada no AR-10
que utiliza calibre 7.62mm.
• As letras "AR" em AR-15 vem do nome da ArmaLite e não de 'assault rifle' como é
normalmente acreditado.
• Em 1959 a ArmaLite vendeu os direitos de produção da AR-10 e AR-15 para a Colt. Com
um carregador de 30 munições, ele sofria de muitos problemas (que são enfrentados até hoje
pelas armas da Colt, como a complexidade de montagem/desmontagem, a propensão a falhas
em momentos inoportunos e a pouca resistência à água, areia e lama, características
herdadas pelo M16 alguns anos mais tarde.
• Também foi utilizada na Guerra do Vietnã, onde ela e sua companheira M16 tiveram
sérios problemas devido ao forte calor e umidade ao contrário das armas russas,
especialmente o AK-47 utilizado pelos Vietcongs.
• Também foi fabricada uma versão com um lança-granadas adaptado, que recebeu o
nome de XM-148. Apesar da fama que possui, o AR-15 é um relativo fracasso. Um grande
problema da sua construção é que ela utiliza os cartuchos calibre .223 Remington (adotados
como padrão pelo exército americano), que são fracos para uso militar. A AR-15 foi substituída
pelo M16 sendo vendido hoje principalmente para o mercado civil e para forças policiais.
• Uma confusão muito comum e que deve ser evitada é dizer que o M16 e o AR-15 são a
mesma arma. O M16 é a versão mais moderna, podendo dar tanto rajadas semi-automáticas
como rajadas de três tiros a cada aperto no gatilho (burst-fire), enquanto o AR-15 foi
desenvolvido para uso civil, sendo fabricado apenas em versão semi automática.
Apresentação Confeccionada 37
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
HISTÓRIA DO
FUZIL AR-15
• Desenvolvido no inicio dos ano 1950 o AR-15, deve sua existência a estudos
realizados que comprovaram que o melhor cartucho militar seria algo como um .22
de alta velocidade, com base nesse estudo o US Army (Exercito americano) pediu
a Armalite uma divisão da Fairchild Aviation, em 1957, para criar um fuzil de calibre
.22 capaz de penetrar um capacete de aço a 500 metros, deixando o projeto a
cargo de Eugene Stoner, nesse mesmo ano a Armalite se associa a Remingtom
para criar um novo cartucho de munição com base nos .222 Remington e .222
Remington Magnum, sendo ambos cartuchos de caça e chegam ao .222
Remington Especial sendo lançado comercialmente como .223 Remington e com
código militar M193, conhecida no Brasil como 556(5,56x45mm). No ano seguinte
a Armalite entrega modelos do seu novo fuzil, que nada era além de seu AR-10
com o novo calibre, ao US Army para testes que comprovaram a ineficiência do
fuzil que travava com facilidade e tinha pouquíssima precisão. Parecia que a arma
de Stoner estava fadada ao fracasso, porém a Colt Manufacturing Company
comprou os direitos de produção e patente, em 1960 e deu um novo fôlego ao fuzil
no mesmo ano Stoner se junta a Colt. Até hoje é um mistério como a Colt fez com
que o AR-15 fosse adotado pelo US Army, sobre o nome código M16A1, muitos
acreditam que foi uma decisão política, pois não faz sentindo algum trocar uma
arma precisa e confiável como o M-14 com calibre 7,62x51mm OTAN, um dos
calibres com maior poder de fogo, por um fuzil cuja a única vantagem evidente é o
peso.
Apresentação Confeccionada 38
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
HISTÓRIA DO
FUZIL AR-15
• O M16 é um AR-15 com ligeiras modificações, é normal confundir as armas
comumente denominasse AR-15 os fuzis para mercado civil que são limitadas fogo semi-
automático, existem diversas versões do M16 as mais comuns são: M16 arma que nada é
alem de um AR-15 com um novo nome M16A1, que foi usado na guerra do Vietnã pelas
forças americanas, essa podia disparar em modo semi-automático e automático e nessa
versão foi introduzido um dispositivo que auxilia o trancamento da cabeça do ferrolho;
M16A2 arma padrão do US Army no dias de hoje é limitada a rajada de 3 tiros e fogo
semi-automático; Os M16A3 e A4 são apenas um M16A2 que pode disparar em modo
automático e outro limitado a rajada de 3 tiros, que possuem alça removível. O AR-15
/M16 nem chega perto dos fuzis kalashnikov, quando o quesito é confiabilidade, mas é
uma das armas mais populares do mundo ao lado do FAL belga (utilizado pelo EB), G3
Alemão e pelo AK-47 Russo, vale ressaltar que se pode verificar que essas são as armas
mais utilizadas pelos marginais no trafico de drogas do Rio de janeiro, mas mesmo sendo
popular o mais provável é que esse fato deve-se as hegemonia norte-americana, ou seja
ele não é uma das melhores armas do mundo sendo, dos 4 mais populares, o menos
confiável em média trava com 3000 disparos em quanto a média do “rei” dos fuzis de
assalto o AK-47 é de 40.000 disparos, tal problema deve-se ao sistema de tomada de
gases em ação direta sobre o ferrolho que joga detritos de pólvora na caixa da culatra
(receptor), a munição M193 utilizava uma pólvora que tendia a acumular-se daíos
primeiros M16/AR-15 travavam com imensa facilidade, por esse fato a OTAN padronizou
outra versão da .223 conhecida como SS109 que é mais precisa, com melhor poder de
incapacitação e com uma pólvora que não tende a se acumular.
Apresentação Confeccionada 39
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANUTENÇÃO DE 1º
ESCALÃO DO FUZIL AR-15

Retirar o carregador;
Manobrar a Arma por duas vezes pela alavanca de manejo;
Manter a Arma aberta acionando o retém do ferrolho;
“Check” de segurança;
Segure a Arma na posição horizontal, com o polegar empurre o
retem de trancamento da caixa da culatra;
Retirar o retem da caixa da culatra;
Retirar a mola recuperadora e o aste guia;
Retirar o conjunto ferrolho e alavanca de manejo da caixa da culatra;
Retirar o pino de travamento do percussor;
Retirar o percussor;
Retirar o pino de travamento do ferrolho;
Separar o ferrolho do impulssor do ferrolho;

Obs:Proceder a manutenção utilizando produtos e equipamentos corretos;

Apresentação Confeccionada 40
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
PEÇAS
IMPORTANTES
Alça de
Massa Visor
Transporte
De mira Ótico
Cano Placas do Alavanca de
Guarda mão Manejo
Quebra
chamas
Retem do
Zarelho Ferrolho Registro de
anterior Segurança
Carregador Gatilho Punho
Visor Placas do
Alavanca de Impulssor do Ótico
Ferrolho Guarda mão Massa
Manejo Janela de
Coronha De mira
Delgado Ejeção

Chapa da
Soleira

Punho Zarelho
Retem do anterior
Retem da Carregador
Coronha Gatilho
Carregador
Apresentação Confeccionada 41
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
DESMONT. E MONT. DO
FUZIL AR-15
Nesta figura temos
uma visão do sistema de
disparo e o conjunto da
caixa da culatra do Colt
Fuzil AR-15 através de
um aparelho de Raio X

Apresentação Confeccionada 42
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
DESMONT. E MONT. DO
FUZIL AR-15
Visão da janela
Vista superior
De ejeção e
Vista superior Vista superior Direita sem impulssor do ferrolho
Esquerda Direita O carregador

Retirando o
Pino de trancamento
Retirando a Mola Conjunto Impulssor Da caixa da culatra
Mola recuperadora Do ferrolho e ferrolho
recuperadora

Alavanca de manejo Retirando o Pino


Conjunto Impulssor de trancamento
Retirando Do ferrolho e ferrolho Do percussor
O percussor

Retirando o pino de Separando Ferrolho do Alojamento da


Travamento do ferrolho Impulssor do Ferrolho Cabeça do Ferrolho

Cilindro de Visor Mecanismo de


Gazes Ótico Disparo

Apresentação Confeccionada 43
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANUTENÇÃO

Usar solvente de pólvora no cano, câmara, rampa,


ferrolho, mola de retorno e guia;
Remover todo o resíduo de pólvora na cabeça do embulo
e no obturador do cilindro de gazes;
 Remover resíduos de solvente e aplicar película de
lubrificante adequado ( - câmara, caixa da culatra e cano );
Não utilizar escova de aço, palha
de aço ou similares;
Não utilizar querosene, gasolina,
álcool,etc...
Apresentação Confeccionada 44
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANEJO E TIRO DO
FUZIL AR-15

O sistema de trancamento
do ferrolho do Fuzil AR15, é
giratório onde a cabeça do ferrolho
envolve todo o culote do cartucho;

Apresentação Confeccionada 45
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANEJO E TIRO DO
FUZIL AR-15
No momento que o impulsor
do ferrolho leva o cartucho até a
câmara, o ferrolho gira realizando o
trancamento da culatra

Apresentação Confeccionada 46
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANEJO E TIRO DO
FUZIL AR-15
Após efetuar o disparo o projétil percorre todo o cano, no
momento que ultrapassa a entrada de gazes começa a realização do
sistema de extração e carregamento
de um novo cartucho na câmara;

Apresentação Confeccionada 47
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANEJO E TIRO DO
FUZIL AR-15
Após a passagem do projétil pela entrada de gazes, entra-se um pequena quantia de
gazes que impulsiona o embulo para traz fazendo o destrancamento do ferrolho;
Após o destrancamento com o
aproveitamento dos gazes o impulsor do
ferrolho desloca-se até a retaguarda dessa
forma fazendo que o ferrolho gire, o
conjunto ferrolho deslocando até a
retaguarda realiza a extração

Apresentação Confeccionada 48
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANEJO E TIRO DO
FUZIL AR-15

Nessa figura
podemos observar com
detalhes a extração, e o
carregamento de um novo
cartucho para ser
introduzido até a câmara,
também observamos o
ferrolho exposto a frente
demonstrando que o
ferrolho esta destrancado;

Apresentação Confeccionada 49
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
Heckler & Koch G3

Gewehr 3
Apresentação Confeccionada 50
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
SUMÁRIO

CARACTERÍSTICAS DO FUZIL G3
HISTORIA DO FUZIL G3
HISTORIA DO FUZIL G3 EM SERVIÇO
SISTEMA BLOWBACK
MANUTENÇÃO 1º ESCALÃO DO FUZIL G3
DESMONT. E MONT. DO FUZIL G3
MANEJO DO FUZIL G3

Apresentação Confeccionada 51
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
CARACTERÍSTICAS
DO FUZIL G3
• G3A3 Gewehr 3
• Tipo Espingarda de fogo selectivo
• País Alemanha
• Inventor CETME/Mauser/H&K
• Data de design 1950s
• Tempo em serviço 1958—1997 (Alemanha) 1960—act. (Portugal)
• Características Calibre 7.62 × 51 mm NATO
• Acção operacional Actuação a gás; blowback
• Taxa de fogo 600 balas/min
• Velocidade do açaime 790 m/s
• Alcance eficaz 400 m
• Peso 4.4 kg (descarregada)
• Comprimento 1026 mm
• Tambor 450 mm
• Capacidade da magazine 20
• Variantes de A1 a A7

Apresentação Confeccionada 52
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
HISTORIA DO
FUZIL G3
 A G3 (Gewehr 3 - Espingarda 3) é uma espingarda automática fabricada
pela Heckler & Koch e adoptada como a espingarda de serviço pela
Bundeswehr em 1959. Foi adoptada e encontra-se actualmente em utilização
por vários países à volta do mundo.
 Foi a arma de infantaria padrão do exército alemão, Bundeswehr, até 1997,
e continua a ser utilizada por vários exércitos nacionais. A G3 é tipicamente
um fuzil de calibre 7.62 x 51 mm NATO, capaz de fogo semi-automático ou
totalmente automático com um cartucho desmontável. Pode ainda ser anexada
uma baioneta à G3.

Apresentação Confeccionada 53
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
HISTORIA DO
FUZIL G3
Foi desenvolvida pelos engenheiros da Mauser, após terem
passado algum tempo na Espanha a trabalhar para outros fabricantes
de armas nesse mesmo país.
Ajudaram a criar o fuzil CETME e levaram-na de volta para a Alemanha. De
facto, por algum tempo as G3 tiveram a palavra "CETME" estampada num dos
lados; o design levou contudo várias modificações, como por exemplo, a CETME
tinha um apoio em madeira e a G3 não.
G3 significa "Gewehr 3", que é alemão para "Espingarda, 3". A G3 foi adotada
em 1958 como substituta para a G1 da Bundeswehr, uma versão modificada da
belga FN FAL, que estava em serviço desde 1956, o ano em que a Alemanha
Ocidental tinha entrado para a NATO.

Apresentação Confeccionada 54
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
HISTORIA DO FUZIL
G3 EM SERVIÇO
• A G3 e as suas variantes foram utilizadas por uma grande
variedade de forças armadas de vários países, tal como forças
policiais. Como resultado, foi utilizada num grande número de conflitos
nos anos 90. A sua primeira utilização em combate conhecida foi na
Guerra Colonial nas mãos do Exército Português, durante os anos 60 e
70.
• A versão de atirador furtivo, a G3SG/1 viu uma utilização notável
durante a Operação Urgent Fury de 1983, também conhecida como a
Invasão de Granada. Uma equipa SEAL foi enviada para proteger uma
casa do governo, onde se acredita que o Governador Paul Scoon
estava a ser feito prisioneiro. A equipa SEAL entrou por helicópteros e
a resistência foi pouca; Pouco depois a casa e o perímetro foram
assegurados. Entre as posições, um atirador furtivo dos SEAL
posicionou-se numa escada com a sua G3SG1.
•Pouco depois soldados PRA começaram um contra-ataque.
O atirador furtivo conseguiu sozinho eliminar 21 soldados
PRA durante o ataque. Tal fato como o restante fogo dos
outros elementos da equipa SEAL resultou numa retirada dos
PRA. Apresentação Confeccionada 55
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
SISTEMA BLOWBACK
• Blowback é um sistema de ação operacional em armas de fogo
que dispensa o sistema de travamento da culatra. Devido à expansão
dos gases da “explosão” do cartucho que se encontra no cano da
arma, o ferrolho é impulsionado para trás, a mola recuperadora
absorve a energia passada ao ferrolho, provocando a seguir o retorno
do ferrolho para frente, colocando um novo cartucho na câmara.
• Esse sistema foi criado para armas que não utilizam altas pressões,
como pistolas, submetralhadoras.
• Apesar do uso comum nas armas de menor potências, nas armas
que possuem alta pressão, foram implantadas um mecanismo de
“atraso” no sistema blowback, atrasando a abertura da culatra durante
as explosões na câmara e permitindo o sistema blowback em fuzis
Sturmgewehr 45, HK G3 e outros.
• O sistema blowback também tem uso em lançadores de
granada como no Mk 19.

Apresentação Confeccionada 56
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
VISTA SUPERIOR
DO FUZIL G3
Alça de
Massa Alavanca mira
Retem da
De mira De manejo Coronha

Quebra Coronha
chamas Cano Placas do
Guarda mão
Punho
Carregador Gatilho
Janela de Retem do Registro de tiro
Ejeção Carregador E segurança
Alça de Massa
mira De mira
Quebra
Coronha chamas
Retem do Cano
Carregador
Retem da Gatilho
Coronha
Punho Carregador
Apresentação Confeccionada 57
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANUTENÇÃO 1º ESCALÃO
DO FUZIL G3
Retirar o carregador;
Manobrar a Arma por duas vezes pela alavanca de manejo;
Manter a Arma aberta pressionando o ferrolho a retagurada;
“Check” de segurança;
Colocar a arma com o seu lado direito voltado para o solo;
Retirar os pinos de travamento da coronha;
Retirar a aste guia mola recuperadora;
Retirar o conjunto ferrolho da caixa da culatra;
Separar o ferrolho do impulsor do ferrolho;
Desmontar o ferrolho, retirando o percussor e a mola do
percussor;
Retirar o pino de trancamento das placas do guarda-mão;
Retirar as placas do guarda-mão;
Obs:Proceder a manutenção utilizando produtos e equipamentos corretos;

Apresentação Confeccionada 58
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
DESMONT. E MONT.
DO FUZIL G3
Vista superior Mecanismo de
Vista superior disparo Empunhadura
Coronha estendida Coronha Retraída

Retirando os Retirando o
Pinhos de fixação Suporte da Retirando o Conjunto Ferrolho
da coronha da coronha Ferrolho E os pinos
de travamento

Desmontando o Desmontando o
Ferrolho Pecurssor

Cabeça do Sistema de
Ferrolho Pontaria
Mecanismo
de Disparo
Apresentação Confeccionada 59
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANUTENÇÃO

Usar solvente de pólvora no cano, câmara, rampa,


ferrolho, mola de retorno e guia;
Remover todo o resíduo de pólvora na cabeça do embulo
e no obturador do cilindro de gazes;
 Remover resíduos de solvente e aplicar película de
lubrificante adequado ( - câmara, caixa da culatra e cano );
Não utilizar escova de aço, palha
de aço ou similares;
Não utilizar querosene, gasolina,
álcool,etc...
Apresentação Confeccionada 60
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANEJO DO FUZIL G3

10 MIN

Apresentação Confeccionada 61
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
Heckler & Koch G41

Gewehr 41
Apresentação Confeccionada 62
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
SUMÁRIO

CARACTERÍSTICAS DO FUZIL G41


HISTORIA DO FUZIL G41
HISTORIA DO FUZIL G41 EM SERVIÇO
MANUTENÇÃO 1º ESCALÃO DO FUZIL G41
DESMONT. E MONT. DO FUZIL G41
MANEJO DO FUZIL G41

Apresentação Confeccionada 63
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
CARACTERÍSTICAS
DO FUZIL G41
 Pais de Origen: Alemanha
 Calibre: 5.56 x 45 mm NATO
 Ano de Producción: 1983
 Tamanho Total: com coronha modelo A2: 997 mm, com coronha
Rigida modelo A3: 800 mm, com coronha Telescópica modelo A3: 985
mm
 Tamanho do Cano: 450 mm
 Peso: 4.1 kg com coronha Rígida 4.4kg
 Alma do Cano: 6 Raias Dextrogiro
 Carregador: 30 cartuchos
 Cadencia de Tiro Eficaz: 850 disparos/minuto
 Peso Com Mira Telescópica: 0.65 kg
 Peso do Bípe: 0.22 kg
 Modos De Disparo: Tiro a tiro, Burst de 3 disparos e automático.
 Mecanismo De Pontaria: 4 posiciones de rotacão para 200-
300-400 m., e outra aberta, com ajuste na elevacão a distância.
 Optica Do Visor: Telescópico de 4x24, com 6 posiciones
para (100-600m) e ajuste na distancia e elevacão.
Apresentação Confeccionada 64
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
HISTORIA DO
FUZIL G41

Apresentação Confeccionada 65
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
HISTORIA DO FUZIL
G41 EM SERVIÇO

Apresentação Confeccionada 66
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
Particularidade
Do Fuzil G41

Os Fuzil G41A3, é um
modelo dotado de um
sistema inovador de tiro
podendo realizar tiro a tiro, Rajadas Capacidade do Carregador
rajadas de 3 disparos ou a
capacidade do carregador.
Dessa forma o Rajadas de três tiros
atirador pode ter um
Tiro a tiro
controle total sobre a arma e
pode utilizar a opção de Segurança
disparo que optar
dependendo a ocasião ou
necessidade.

Apresentação Confeccionada 67
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
VISTA SUPERIOR
DO FUZIL G41
Janela de Sistema de Pontaria Massa de
Impulssor do
Alça de Ferrolho Ejeção Do Lançador de Granada Mira
Mira Cano
Coronha

Quebra
Registro de Retem do Sistema de Pontaria Chamas
Tiro e segurança Do Lançador de Granada
Gatilho Carregador
Alavanca
de Manejo Retem do
Retem do Ferrolho Zarelho
Carregador Posterior

Zarelho Disparador do
Anterior Lançador de Granada
Alavanca de
Manejo do lançador
De Granada
Apresentação Confeccionada 68
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANUTENÇÃO 1º ESCALÃO
DO FUZIL G41
Retirar o carregador;
Manobrar a Arma por duas vezes pela alavanca de manejo;
Manter a Arma aberta pressionando o ferrolho a retagurada;
“Check” de segurança;
Colocar a arma com o seu lado direito voltado para o solo;
Retirar os pinos de fixação da Coronha;
Retirar o mecanismo de disparo;
Retirar o conjunto ferrolho da caixa da culatra;
Separar o ferrolho do impulsor do ferrolho;
Desmontar o ferrolho girando a sua cabeça sentido horário,
retirando o percussor e a mola do percussor e trava dos roletes;
Retirar o pino de travamento das placas do guarda mão ou o
lançador de granada;
Retirar as placas do guarda-mão, ou o lançador de granada;
Obs:Proceder a manutenção utilizando produtos e equipamentos corretos;

Apresentação Confeccionada 69
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
DESMONT. E MONT.
DO FUZIL G41
Vista superior
Direita/Esquerda Sistema de pontaria
Janela de Do lançador de granada
Ejeção

Retem do cano Pinos de trancamento


Do Lançador de Granada Da coronha

Separando o Desmontando o
Mecanismo de Disparo Ferrolho Fechado
Ferrolho Extrator
Coronha e Cano
Impulssor do Ferrolho
Percussor e Mola
Trava dos Roletes
Conjunto Cabeça do Ferrolho
Separando o
Ferrolho percussor Apresentação Confeccionada 70
E Mola do Percussor Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANUTENÇÃO

Usar solvente de pólvora no cano, câmara, rampa,


ferrolho, mola de retorno e guia;
Remover todo o resíduo de pólvora na cabeça do embulo
e no obturador do cilindro de gazes;
 Remover resíduos de solvente e aplicar película de
lubrificante adequado ( - câmara, caixa da culatra e cano );
Não utilizar escova de aço, palha
de aço ou similares;
Não utilizar querosene, gasolina,
álcool,etc...
Apresentação Confeccionada 71
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
MANEJO DO FUZIL G41

10 MIN

Apresentação Confeccionada 72
Pelo SD PM Matta - Cateano 11
Quem não tem a capacidade de conquistar seus
liderados acaba usando a força do cargo para se impor
e ser obedecido.
Na marra, um líder nada consegue
Apresentação Confeccionada 73
Por Roberto Shinyashiki
Pelo SD PM Matta - Cateano 11

Você também pode gostar