Você está na página 1de 86

PORTEFOLIO REFLEXIVO DE

APRENDIZAGEM

TECNICO/A DE CONTABILIDADE

Ana Isabel Luengo


dos santos Silva
1
INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Delegação Regional do Alentejo
Centro de Formação Profissional de Portalegre
Serviço de Emprego e Formação Profissional de Portalegre

ÍNDICE
P.R.A.....................................................................................................................3
Portefólio Reflexivo de Aprendizagem.................................................................3
Autobiografia.........................................................................................................4
Formação tecnológica..........................................................................................1
0649 - U1 Estrutura e comunicação organizacional 50 HORA...............................1
0653 - U2 Arquivo organização e manutenção 25 HORAS...................................1
0567 - U3 Noções de fiscalidade 25 HORAS............................................................1
0568 - U4 Imposto sobre o valor acrescentado (IVA) 50 HORAS..........................1
0575 - U5 Imposto sobre o rendimento (IRS) 50 HORAS.......................................1
0576 - U6 Imposto sobre o rendimento (IRC) 50 HORAS.......................................1
0577 - U7 Impostos sobre o património 25 HORAS.................................................1
0563 - U8 Legislação comercial 25 HORAS..............................................................1
0670 - U9 Contrato de compra e venda 25 HORAS.................................................1
0668 - U10 Ficheiros de armazém e contas correntes 25 HORAS........................1
0571 - U11 Aplicações informáticas de gestão área comercial 25 HORAS........1
0578 - U12 Médias, percentagens e proporcionalidades 25 HORAS....................1
0580 - U13 Cálculo financeiro e atuarial 50 HORAS................................................1
0678 - U14 Recursos Humanos-processamento de vencimentos 25HORAS.....1
8534 - U15 Sistema de segurança social 25 HORAS..............................................1
0616 - U16 Aplicações informáticas de gestão de pessoal 25 HORAS................1
6214 - U17 Sistema de Normalização Contabilística 25 HORAS...........................1
6215 - U18 Código de contas e normas contabilísticas 50 HORAS......................1
6216 - U19 Modelos de demonstrações financeiras 50 HORAS............................1
0574 - U20 Encerramento anual de contas 50 HORAS...........................................1

1
6217 - U21 Gastos, rendimentos e resultados 50 HORAS.....................................1
6218 - U22 Gastos de produção 50 HORAS.............................................................1
0584 - U23 Sistemas de custeio 25 HORAS.............................................................1
0619 - U24 Métodos e técnicas de análise económica e financeira 50 H.............1
0622 - U25 Auditoria e controlo interno 50 HORAS.................................................1
6219 - U26 Tratamento informatizado de documentos contabilísticos 50 H........1
6736 - U27 Recursos humanos – relatório único 25 HORAS
6220 - U28 Orçamentação dos serviços públicos 25 HORAS...............................2
622 - U29 Contabilidade pública 25 HORAS.............................................................2
0673 - U30 Controlo de tesouraria 25 HORAS..........................................................2
0607 - U31 Instituições bancárias e títulos de crédito 25 HORAS.........................2
7852 - U32 Perfil e potencial do empreendedor – diagnóstico/ desenvolvimento
25 HORAS.......................................................................................................................2
7853 - U33 Ideias e oportunidades de negócio 50 HORAS....................................2
7854 - U34 Plano de negócio – criação de micronegócios 25 HORAS.................2
7855 -U35 Plano de negócio – criação de pequenos e médios negócios 50
HORAS.............................................................................................................................2
8598 -U36 Desenvolvimento pessoal e técnicas de procura de emprego 25
HORAS.............................................................................................................................2
8599 -U37 Comunicação assertiva e técnicas de procura de emprego 25
HORAS.............................................................................................................................2
8600 -U38 Competências empreendedoras e técnicas de procura de emprego
25 HORAS.......................................................................................................................2
Reflexão………………………………………………………………………………...2
Relatório FCT......................................................................................................50

2
CURSO:
TÉCNICO/A DECONTABILIDADE

P.R.A

Portefólio Reflexivo de Aprendizagem

Formando : Ana Isabel Luengo Dos Santos Silva

No meu P.R.A vou mostrar todos os meus trabalhos elaborados ao longo deste
curso, e trabalhos e exercícios, quanto à formação em contexto de trabalho e o
profissional.

3
Autobiografia

Eu, Ana Isabel luengo dos Santos nasci em 9/11/1995 em Viseu , mas sou
natural de canas de Senhorim concelho nelas ,Na altura fui para instituição na
serra do caramulo porque a minha mãe como tinha falecido e eramos oito filhos
o meu pai não conseguia sustentar , então fui para a instituição junto com a
minha irmã mais nova , tinha apenas 5 anos depois fomos adotadas por um
casal , minha mãe espanhola e o meu pai português ,e frequentava na altura o
2 º ano de escolaridade , fui para Elvas .

Tenho o 12ºano de escolaridade que o tirei na escola secundaria D. Sancho II


de Elvas, agora com 24 anos estou a frequentar um curso de contabilidade no
qual estou a gostar e espero arranjar algum trabalho no futuro.

4
Formação Base

0649 - U1 Estrutura e comunicação organizacional 50 HORA


0653 - U2 Arquivo organização e manutenção 25 HORAS
0567 - U3 Noções de fiscalidade 25 HORAS
0568 - U4 Imposto sobre o valor acrescentado (IVA) 50 HORAS
0575 - U5 Imposto sobre o rendimento (IRS) 50 HORAS
0576 - U6 Imposto sobre o rendimento (IRC) 50 HORAS
0577 - U7 Impostos sobre o património 25 HORAS
0563 - U8 Legislação comercial 25 HORAS
0670 - U9 Contrato de compra e venda 25 HORAS
0668 - U10 Ficheiros de armazém e contas correntes 25 HORAS
0571 - U11 Aplicações informáticas de gestão área comercial 25
HORAS
0578 - U12 Médias, percentagens e proporcionalidades 25 HORAS
0580 - U13 Cálculo financeiro e atuarial 50 HORAS
0678 - U14 Recursos Humanos-processamento de vencimentos
25HORAS
8534 - U15 Sistema de segurança social 25 HORAS
0616 - U16 Aplicações informáticas de gestão de pessoal 25 HORAS
6214 - U17 Sistema de Normalização Contabilística 25 HORAS
6215 - U18 Código de contas e normas contabilísticas 50 HORAS
6216 - U19 Modelos de demonstrações financeiras 50 HORAS
0574 - U20 Encerramento anual de contas 50 HORAS
6217 - U21 Gastos, rendimentos e resultados 50 HORAS
6218 - U22 Gastos de produção 50 HORAS
0584 - U23 Sistemas de custeio 25 HORAS
0619 - U24 Métodos e técnicas de análise económica e financeira 50
H
0622 - U25 Auditoria e controlo interno 50 HORAS
6219 - U26 Tratamento informatizado de documentos contabilísticos
50 HORAS
6736 - U27 Recursos humanos – relatório único 25 HORAS
6220 - U28 Orçamentação dos serviços públicos 25 HORAS
622 - U29 Contabilidade pública 25 HORAS
0673 - U30 Controlo de tesouraria 25 HORAS
0607 - U31 Instituições bancárias e títulos de crédito 25 HORAS
7852 - U32 Perfil e potencial do empreendedor – diagnóstico/
desenvolvimento 25 HORAS
7853 - U33 Ideias e oportunidades de negócio 50 HORAS
7854 - U34 Plano de negócio – criação de micronegócios 25 HORAS
7855 -U35 Plano de negócio – criação de pequenos e médios
negócios 50 HORAS
8598 -U36 Desenvolvimento pessoal e técnicas de procura de
emprego 25 HORAS
8599 -U37 Comunicação assertiva e técnicas de procura de emprego
25 HORAS
8600 -U38 Competências empreendedoras e técnicas de procura de
emprego 25 HORAS
FORMAÇÃO TECNOLÓGICA

Designação UFCD: 0649 - Estrutura e comunicação organizacional


Código UFCD: U1
Formador: Jorge Velez
Carga horária: 50 horas
Inicio: 04/06/2020 fim: 13/07/2020

Reflexão

Neste módulo dado pelo Formador Jorge Velez demos matéria sobre:

A Organização de uma empresa, Conceito e tipos Empresa, Objetivos e papel


na sociedade Os Elementos constitutivos As Noções de qualidade

Gestão da qualidade, Certificação os Princípios da qualidade. Sistema de


gestão da qualidade segundo a Norma NP EN ISO 9001: 2000

Segurança, Higiene e Saúde a Organização do posto de trabalho a Gestão do


espaço e do tempo

Estas 50 horas passaram rápido pois este formador explica bem.


Ficha de Avaliação

FICHA DE AVALIAÇÃO

Estrutura e Comunicação Organizacional (UFCD – 0649)

Nome do Formando: Ana Isabel Luengo Dos Santos Silva

1: Por favor dê dois exemplos de Organizações não Governamentais e


explique uma delas:

Resposta:

Dois exemplos de Organizações não governamentais são:

 Organização de Religiosos que satisfazem as necessidades de culto dos


seus membros exemplos Igrejas;
 Organização de Proteção que protegem as pessoas contra o risco de
vida na sociedade exemplos Militares.

2: Depois de conhecer o significado de uma empresa, por favor indique 6


dos principais objetivos de uma empresa:

Resposta:

6 objetivos principais de uma empresa são:

 Lucro
 Produtividade
 Qualidade dos produtos
 Redução de custos
 Participação no mercado
 Competitividade
3 : Empresas com preocupações ao nível social, são empresas que
tendem a ter maior lucro a longo prazo e uma maior competitividade. Por
favor indique 4 dos ganhos potenciais de uma empresa com a
Responsabilidade Social Empresarial:

Resposta:

4 ganhos potenciais de uma empresa com a responsabilidade social


empresarial são:

 Opinião. Publica
 Posição no mercado
 Sustentabilidade
 Motivação dos trabalhadores

4: Uma empresa é um conjunto organizado de meios com vista a exercer


uma actividade particular, pública ou de economia mista, que produz e
oferece bens e/ou serviços com o objectivo de satisfazer necessidades
humanas e orientada para o lucro. Por favor indique quais os elementos
que constituem uma empresa, sendo que um delos são os Recursos
Humanos:

Resposta:

Os Elementos que constituem uma empresa são:

 Recursos Humanos
 Materiais e físicos
 Técnicos
 Financeiros
 Mercado
 Administração

5: Em termos metodológicos apontam-se quatro fases para a construção


da estrutura da organização, por favor diga quais:

Resposta:

A quatros fases para a construção da estrutura da organização são:

 Definir por escrito os objetivos desejados para a empresa;


 Determinara as grandes atividades necessárias para atingir os objetivos;
 Reagrupara as atividades em grandes funções estritamente ligadas
 Unificar sistematicamente as grandes funções com um único
responsável por cada atividade, nomeado as pessoas para os respetivos
cargos.

6: O organigrama é uma representação gráfica da estrutura


organizacional, através da qual é possível identificar o tipo de
departamentalização e as relações de hierarquia estabelecidas na
organização. Por favor indique duas vantagens e duas desvantagens:

Resposta:

Vantagens:

 Indicam a posição de cada função na estrutura


 Facilitam as comunicações formais

Desvantagens:

 Não indicam, na vertical, o grau de descentralização de


responsabilidades
 Não indicam todas as relações estabelecidas.
7: Para que exista comunicação devemos garantir um conjunto de
princípios que nos

garantam a qualidade da mesma. Por favor indique quais os princípios


verdadeiros:

A – Clara v

B – Coerente v

C – Adequada v

D - Desoportuna

E – Distribuível v

F – Não adaptável

G – Interessante v

H – Complexo

8 – Por favor complete a seguinte frase:

“A comunicação externa compreende toda a informação que esteja relacionada


com as atividades que esta empresa desenvolve. Essa informação vai no
sentido de promover a imagem da empresa nomeadamente através da
divulgação na imprensa dos acontecimentos que esta realiza. Essas ações são
desenvolvidas em torno da gestão da sua imagem institucional e estão
associadas às temáticas e aos conceitos que as formalizam.”
Designação UFCD: Arquivo - Organização e manutenção

Código UFCD: U2 0653

Formador: João Brás

Carga horaria: 25 Horas

Inicio: 16/06/2020 a 13/07/2020

Reflexão

Falamos sobre o Arquivo os conceitos fundamentais ,Conceito, funções e


características do arquivo, A Tipologia da documentação interna e externa
(processos, registos, coleções e dossiês temáticos) As unidades arquivísticas:
constituição, ordenação e tipos Transferência/Incorporação de documentos
,Arquivo como sistema de informação, Operações com arquivos (recolha,
separação, receção, registo, análise, tratamento, registo/descrição,
despacho/difusão, expedição e arquivo)Técnicas e métodos de arquivo
Sistemas de classificação dos documentos/codificação. Formas de
recuperação e controlo dos registos, Atualização do arquivo, Prazos de
conservação de documentos (utilidade, legalidade e historicidade)
Equipamentos de arquivo, Plano de arquivo, Novas tecnologias em arquivo,
Sistemas magnéticos, óticos e micrográficos, Utilidade da microinformática na
gestão da documentação, adorei esta aula em todos os níveis. gostei imenso
dos temas abordados.

Trabalho individual
Torre do tombo
A torre do tombo é uma das instituições mais antigas de Portugal, foi instalada
numa das torres do castelo de lisboa desde 1378 na altura do reinado de D.
Fernando foi a primeira certidão conhecida, prestou serviço com arquivo de
administração do reino e das domínios ultramarinas.
Alem de servir a administração regia, com funções semelhantes ás de um
arquivo intermedio dos nossos dias, o serviço mais importante prestado pela
torre , foi o das certidões solicitado pelos particulares e pelas instituições, mas
tinhas de ter autorização da regia.
No seculo XVII , começou a ser organizado o arquivo do arquivo , onde
apareceram os primeiros livros do seu registo
No seculo XVIII o numero elevado de certidões solicitado à torre do tombo
onde realçam os pedidos pela academia de historia ,também fez um aumento
de numero de oficiais ,no âmbito da descrição dos documentos realizaram se
muitos índices.
1 de Novembro de 1755 dia de todos os Santos ,Houve um forte terramoto
consecutivo de um maremoto atingiu principalmente a cidade de Lisboa, e a
costa marítima a sul. Lisboa ficou praticamente destruída pelo sismo e pelos
vários incêndios que se multiplicaram pela cidade.
Em 1990, a documentação foi transferida das antigas instalações no Palácio de
São Bento para o edifício construído propositadamente para albergar o Arquivo
Nacional na Alameda da Universidade. No cômputo geral, há 16 salas grandes,
tinha perto de oito quilómetros quadrados cada, e mais seis salas pequenas,
bem como oito casas fortes, uma das quais bastante espaçosa e que serve de
cofre para os tesouros da Torre do Tombo.
Foram identificados e reacondicionados, com higienização das embalagens e
rotulagem, milhares de caixas contendo documentos. Ficaram hospedados os
35 quilómetros de documentação transferidos de São Bento e do Arquivo dos
Feitos Findos, do antigo Convento da Estrela, bem como do Arquivo Histórico
do Ministério das Finanças, até então depositado em Santa Marta.

Designação UFCD: Noções de fiscalidade


Código UFCD: U3 0567
Formador: Antero Ribeiro
Carga horaria: 25 Horas
Inicio: 5/01/2020 a 9/01/2020

Reflexão

Neste módulo dado pelo formador Antero Ribeiro, falamos sobre esta matéria:

Imposto municipal sobre imóveis (IMI) Incidência Isenções


Determinação do valor tributário Liquidação e pagamento
Imposto municipal sobre as transmissões onerosas de imóveis (IMT) Incidência
Isenções Determinação do valor tributável Liquidação e pagamento Imposto de
selo Incidência Isenções Determinação do valor tributável
Liquidação e pagamento.

O professor Antero Ribeiro apresentou os temas com bastante simplicidade e


bastante conhecimento sobre os temas.

Teste de avaliação

1.Quais os tipos de receitas publicas existentes?

Receitas publicas são voluntarias e patrimoniais

Coativas são os impostos, taxas, multa e coima

2. onde se encontra a base do sistema fiscal português

A base encontra-se na constituição da republica portuguesa

3. o que compõe as receitas publicas coativas

Receitas publicas coativas imposto, taxas, multas e coimas

4. quais as principais características dos impostos

As principais características do imposto são


Coativas, pecuniários, prestação unilateral, caracter legislativo, sem carater de
sansão , dar cobertura dos encargos públicos.

5.Quais os ramos de direito que conhece

Os ramos que conheço são financeiros, tributários, fiscal

6.O que regula o direito fiscal

O direito fiscal regula os impostos

7.O que é para si a incidência pessoal do imposto

A incidência pessoal do imposto é quem paga o imposto

8. quais as fases do imposto

A fases do imposto é o lançamento , liquidação e cobrança

9.Quais são os impostos sobre rendimento

IRS E IRC

10. Quando a sua natureza , o IMI é um imposto que inicio sobre

IMI é um imposto que incide sobre o património

11. De uma definição ou conceito de imposto

O conceito é uma prestação coativa

12. Quais as fontes do direito fiscal

As fontes do direito são


Lei
Regulamentos
Convenções internacionais.

Designação UFCD: Imposto sobre o valor acrescentado


Código UFCD: U4 0568
Formador: Antero Ribeiro
Carga Horária: 50 Horas
Inicio: 9/01/2020 a 26/02/2020

Reflexão

Neste módulo falamos sobre:

Características do imposto, o imposto geral sobre o consumo


Imposto plurifásico não cumulativo
Método de funcionamento do imposto. Neutralidade do imposto
IVA e o princípio do destino Incidência: Incidência real ou objetiva
Incidência pessoal ou subjetiva Localização das operações tributárias
Localização das prestações de serviços. os serviços relacionados com imóveis
Transporte intracomunitário de bens Isenções Valor tributável Taxas
Direito à dedução e apuramento do imposto Reembolsos Os sujeitos passivos
mistos Obrigações declarativas Regimes especiais.
Regime do IVA nas transações intracomunitárias (RITI) Fizemos muitos
exercícios. O professor Antero Ribeiro foi excelente a falar sobre os temas.

Designação UFCD: Imposto sobre o rendimento (IRS)


Código UFCD: U5 0575
Formador: Antero Ribeiro
Carga Horária: 50 Horas
Inicio: 28/02/2020 a 30/04/2020

Reflexão
Neste modulo falamos:

Incidência do IRS Incidência real ou objetiva Incidência pessoal ou subjetiva na


Estrutura do IRS, das Categorias de rendimentos nos Tipos de taxas
Deduções específicas, Abatimentos Apuramento do IRS Rendimento coletável
Liquidação e Pagamento , declarações de Rendimentos e outras obrigações

Gostei muito deste modulo o professor explicar bem.

Exercícios

LIQUIDAÇÃO do IRS – EXERCICIO


1. Rendimento Bruto Total 87 330,53
2. Deduções Especificas 10 616,00
3. Rendimento Líquido Total 76 714,53
4. Abatimentos 0,00
5. Rendimento Colectável 76 714,53
6. Aplicação do quociente conjugal 38 357,27
7. Taxa 45,00%
8: Aplicação da taxa 17 260,77
9. Parcela a abater 5 956,69
10. Apuramento 11 304,08
11. Aplicação do quociente conjugal 2,00
12. Colecta 22 608,16
13. Deduções à Colecta 2 280,06
14. Imposto liquidado 20 328,10
15 . Retenções na fonte 17 833,63
16. Pagamento por conta
17. Sobretaxa Extrordinaria
17.1 Rendimento x 3,5%
17.12 Dedução (por dependente)
18. Imposto a pagar 2 494,47

Designação UFCD: Imposto sobre o rendimento (IRC)


Código UFCD: U6 0576
Formador: Antero Ribeiro
Carga Horária: 50 Horas
Inicio: 04/05/2020 a 30/05/2020

Reflexão
Incidência do IRC Incidência real ou objetiva Incidência pessoal ou subjetiva
Base do imposto
Entidades que exercem a título principal uma atividade industrial, comercial ou 
agrícola
Entidades não residentes com estabelecimento estável em território português
Isenções do IRC Isenções reais Isenções pessoais
Apuramento da matéria coletável
Lucro tributável das entidades que exercem a título principal uma atividade de 
natureza comercial, industrial e agrícola e das
entidades não residentes com estabelecimento estável em território português
Rendimentos O regime dos subsídios ao equipamento
Variações patrimoniais positivas Mais-valias Regime do reinvestimento das
mais-valias realizadas Lucros distribuídos por entidades participadas
Lucros distribuídos e o regime do crédito de imposto por dupla tributação econó
mica ,Periodização do lucro tributável Regime da transparência fiscal
Regime das depreciações e amortizações Limitações aos gastos Regime dos
demais encargos Variações patrimoniais negativas Derrama
Tributações autónomas Reporte de prejuízos Benefícios Fiscais
Liquidação e pagamento Cálculo do Imposto Deduções à coleta
Retenções na fonte Dispensa de retenção na fonte Pagamentos por conta
Pagamento especial por conta Obrigações declarativas e seu preenchimento
Infrações e contraordenações

Gostei muito desta matéria o professor Antero Ribeiro explica muito bem.

Exercícios

Exercício - IRC

Determinada Empresa tem na sua contabilidade a seguinte informação:

1 – Fornecimentos e serviços externos


 Seguros Obrigatórios - 648,20€
 Seguros Facultativos - 473,86€

2 – Outros Gastos e Perdas


 Despesas Confidenciais - 275,00€

3 – Depreciações

Elementos Custo Aquisição Taxa


1.Edificios (comerciais) 47.884,60 4%
2. Máquinas não especificadas 79.807,66 11%
3.Equipamento de transporte:
Veiculo de Misto (2008) 32.421,86 22,5%
Veiculo ligeiro de passag. (2009) 19.951,92 25%
4.Equipamento administrativo
Computadores 12.469,95 22,5%
Mobiliário diverso 3.990,38 16%

4- Perdas por Imparidade


 De Dividas a receber (clientes Cobrança duvidosa) 4.738,58€
 De Inventários - 3.242,19€

De Inventários
Mercadorias Preço de custo Preço de mercado
Valores dos inventários finais com depreciação
Mercadoria A 4.239,78 2.992,79
Mercadoria B 4.987,98 4.489,18
De Dividas a Receber

MORA VALOR 25% 50% 75% 100%

6 - 12 MESES 1.097,36 € 274,34 € - € - € - €

12 - 18 MESES 1.895,43 € - € 947,72 € - € - €

18 - 24 MESES 523,74 € - € - € 392,81 € - €

+ DE 24 MESES 324,22 € - € - € - € 324,22 €


 Donativos Museu Rural - 998,20€
 Menos-Valia em AFT - 897,84€
 Multas e penalidades - 324,22€
 Despesas não Documentadas - 399,04€

Dados s/Menos Valia

Valor de Venda: 498,80€


Valor Aquisição: 4.987,98€
Coeficiente Desvalorização moeda 1,3
Depreciações efetuadas – 3.591,34€

5 – Vendas de Mercadorias

 Vendas do Ano - 12.960,35€

6 – Rendas em Propriedades de Investimento

 Rendas Obtidas em Prédios Urbanos – 4.998,20€

7- Lucros Distribuídos

 Lucro recebido da Soc. X da participação de 35% desde o inicio


da Sociedade.
4.500,00€

8 – Resultados Antes de Impostos.

 Saldo Final da conta - 49.397,82€

9 – Imposto sobre Rendimento do Exercício


 Estimativa de IRC do Exercício - 12.349,46€

10 – Outras Informações

 Prej. Fiscais de anos anteriores a deduzir - 1.256,90€


 Retenções na Fonte (Artº 74º) - 1.646,03€
 Pagamentos por conta - 5.985,57€
 Derrama municipal - 1,5%

Designação UFCD: Imposto sobre o património


Código UFCD: U7 0577
Formador: Antero Ribeiro
Carga Horária: 25 Horas
Inicio: 20/05/2020 a 28/05/2020

Reflexão
Imposto municipal sobre imóveis (IMI)

Incidência Isenções

Determinação do valor tributário

Liquidação e pagamento
Imposto municipal sobre as transmissões onerosas de imóveis (IMT)

Incidência Isenções

Determinação do valor tributável Liquidação e pagamento Imposto de selo


Incidência Isenções

Determinação do valor tributável Liquidação e pagamento


Liquidação e pagamento

Gostei muito deste modulo.

Exercícios

FICHA DE TRABALHO Nº 1

1 - Uma das seguintes afirmações é falsa. Indique qual:

a) No caso de prédio com uma parte habitacional e outra para


comércio, sendo as partes economicamente independentes, cada VERDADEIRA

VERDADEIRA
parte é avaliada por aplicação das correspondentes regras, sendo o valor
do prédio a soma dos valores das suas partes
b) ;b) No caso de um prédio com uma da parte principal e a outra meramente
acessória, o VPT é apurado por aplicação das regras de avaliação da
parte principal, tendo em atenção a valorização resultante da existência
das partes acessórias;

c) c) No caso da propriedade resolúvel, o IMI é devido por quem tenha o


uso e fruição do prédio; VERDADEIRA

d) d) Nos casos de direito de superfície, o IMI é devido pelo superficiário FALSA


desde a data da aquisição desse direito

2 - A sociedade Beta, Lda., com sede no Funchal, cujo objeto social é a compra
e venda de imóveis, adquiriu, em 3 de janeiro de 2011, um prédio urbano sito
na freguesia da Sé, com destino a revenda, ficando este a figurar no inventário
da empresa (mercadorias destinadas a venda) desde aquela data. Supondo
que a sociedade, no prazo legal, participou no Serviço de Finanças do Funchal
1 a afetação àquele fim, que não lhe deu destino diferente e o vendeu em 15
de abril de 2015, o IMI será devido com início no ano de

a) 2014 Nos termos da e) nº1 artº9º

b) 2015

c) 2011

d) 2013

3 - Uma empresa residente, que se dedica à construção de edifícios para


venda, comprou, em 22/12/2010, um lote de terreno para construção, terreno
esse que foi registado no seu inventário. A referida empresa veio a construir,
nesse terreno, um prédio em propriedade horizontal, que ficou concluído em
27/02/2013, data em que as frações foram registadas no inventário
(mercadorias), por serem destinadas a venda. Considerando que a empresa
comunicou, nos prazos legais, ao Serviço de Finanças competente, os factos
atrás indicados, o IMI relativo às frações daquele prédio será devido pela
empresa a partir de:

a) 01/01/2013;

b) 01/01/2016; nos termo da e) do nº1 do artº9º

c) 01/01/2014;

d) 01/01/2017

4 - João adquiriu, em 2010, um lote de terreno para construção, ao qual foi


atribuído o valor patrimonial tributário de €25 000,00Em 15.10.2015, concluiu
no citado lote uma moradia, para sua residência própria e permanente, tendo
apresentado em 30.11.2015 a declaração modelo 1 do IMI para a sua
inscrição. Relativamente ao lote de terreno para construção, é devido IMI até:

a) 31.12.2015;

b) 15.10.2015;

c) 31.12.2014; nos termos da c) do nº1 do artº9º

d) 30.11.2015

5 - Abel transmitiu a Bento um prédio para comércio, tendo a escritura sido


lavrada em 31 de julho de 2015, data em que Bento tomou posse efetiva do
prédio. Por quem é devido o IMI respeitante ao ano de 2015?

a)Por Abel, porque sendo o IMI um imposto sobre o património, o prédio fez
parte do património de Abel durante uma maior parte do ano;

b)Na proporção de 7/12 por Abel e 5/12 por Bento, por corresponderem estas
frações ao período de tempo em que o prédio integrou o património de cada
um;

c)Por Abel, porque o IMI é devido pelo proprietário do prédio em 30de Junho
do ano a que o mesmo respeitar;
d)Por Bento, porque o IMI é devido pelo proprietário do prédio em31 de
Dezembro do ano a que o mesmo respeitar.

Nos termos do nº1 do artº8º

6 - Uma empresa adquiriu a um particular, em Janeiro de 2014, para revenda,


um prédio urbano, tendo comunicado tal facto ao serviço de finanças
competente. Em Maio de 2015, devido às dificuldades existentes com a sua
revenda, decidiu nele instalar a sua sede social. Neste caso, a liquidação do
IMI será efetuada:

a) A partir quarto ano seguinte àquele em que o prédio passou afigurar no


inventário (mercadorias destinadas a venda);

b)A partir do ano, inclusive, em que o prédio deixou de fazer parte do inventário
(mercadorias destinadas a venda);

c)A partir do ano da aquisição;

d)A partir do terceiro ano seguinte àquele em que o prédio foi adquirido.

Designação UFCD: Legislação comercial


Código UFCD: U8 0563
Formadora: Dra. Isabel Fontes
Carga Horária:25 Horas
Inicio: 13/01/2020 a 27/01/2020

Reflexão
Neste módulo falamos sobre:
Noções fundamentais de Direito As fontes de Direito
Características da norma jurídica
Distinção entre direito público e direito privado A empresa e o Direito Tipos de
empresas - Singulares    Empresário em nome individual - EIRL - Coletivas -
Sociedades comerciais - Sociedade em nome coletivo - Sociedade por quotas -
Sociedade em comandita    Sociedade anónima - Sociedade unipessoal -
Sociedades civis Contratos comerciais mais usuais Contrato de compra e
venda Contrato de locação Contrato de prestação de serviços

A Professora Isabel Fontes mostrou grande conhecimento sobre estes temas.

Designação UFCD: Contrato De Compra e Venda


Código UFCD: U9 0670
Formadora: Dra. Isabel Fontes
Carga Horária:25 Horas
Inicio: 13/01/2020 a 27/01/2020
Reflexão
Neste módulo falamos como:

Preencher documentação relativa ao contrato de compra e venda.

Fases do processo de compra e venda, Encomenda, Entrega, Liquidação,


Pagamento as Condições do processo de compra e venda a Qualidade e
quantidade a Entrega , o Preço, o Pagamento/Recebimento e Outros
documentos comerciais (Cheque, Letra ,Livrança)

Proposta de Desconto e Proposta de Cobrança

A Professora Isabel Fontes mostrou grande conhecimento sobre estes temas

Designação UFCD: Ficheiros de armazém e contas correntes


Código UFCD: U10 0668
Formador: Antero Ribeiro
Carga Horária:25 Horas
Inicio:28/05/2020 a 03/06/2020

Reflexão

Neste modulo aprendi o conceito de fichas de armazém e dentro deste aprendi


os códigos, as mercadorias, a armazenagem e os arquivos. Aprendi a
valorimetria das existências, nomeadamente o FIFO e CMP (custo médio
ponderado). Abordámos as contas correntes e dentro destas, os seus
conceitos e tipos, as de clientes, fornecedores e mercadorias. Foi uma UFCD
interessante e considero o meu desempenho muito bom, alcancei todos os
objetivos pretendido.

Exercícios

TESTE DE AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS

1 . Indique se são verdadeiras ou falsas as seguintes afirmações


VERD.
1.1. O objectivo da gestão de stocks é optimizar o investimento em stocks,
aumentando o uso eficiente dos meios da empresa minimizando as
necessidades de capital investido x
1.2. A armazenagem é constituída por um conjunto de funções, tais como:
controlo financeiro, pagamentos, recebimentos e repartição da mão de obra
direta.
1.3. Nos custos de armazenagem os custos envolvidos são geralmente custos
fixos e variáveis.
x
1.4. No desenvolvimento de um processo de negociação é pouco importante
ter um domínio relativamente grande referente ao que se negoceia.

1.5. Baixo nível de stocks origina custos de manutenção e custos


financeiros(capital imobilizado) e de armazenagem.

1.6. Quanto á forma de organização o arquivo, classifica-se como:


Centralizado, Descentralizado e Misto.
x
1.7. No Custo Médio Ponderado (CMP) o preço unitário das existências é
determinado pela média ponderada do preço de compra do valor dos stocks
em armazém. x
1.8. No sistema de valorimetria das existências FIFO as existências vendias e
consumidas são valorizas pelo preços mais recentes, sendo
consequentemente as existências em armazém valorizadas aos preços mais
antigos.

2. Defina Conta corrente.


Conta corrente é o resumo de dados
históricos que pretendem retratar uma
realidade da empresa, com diversas
entidades, nomeadamente, clientes,
fornecedores,

Designação UFCD: Aplicações informáticas de gestão área comercial


Código UFCD: U11 0571
Formador: José Gonçalves
Carga Horária:25 Horas
Inicio:29/01/2020 a 11/02/2020

Reflexão
Neste módulo aprendi a trabalhar com o programa PRIMAVERA

E falamos sobre estes temas: Aplicações informáticas


as aplicações informáticas e as organizações.
As possibilidades das aplicações informáticas Aplicação informática
Apresentação do software Aplicação de Gestão Comercial

Aprendi muito sobre o “PRIMAVERA” coisa que me fazia muita falta, pois sei
que a maioria das empresas utilizam este programa. Gostei a maneira como o
professor José Gonçalves explica.

Código UFCD: Médias, percentagens e proporcionalidades


Código: U12 0578
Formador: Filipe Amaro
Carga Horária:25 Horas
Inicio:22/05/2020 a 12/06/2020

Reflexão
Neste módulo aprendi a calcular médias aritméticas simples e ponderadas,
proporcionalidade direta e inversa e composta percentagens (descontos e
aumentos). Durante este módulo fiz várias fichas de trabalho para praticar a
matéria dada. Penso que atingi os objetivos propostos. Gostei muito deste
modulo foi fácil, mas gostei muito e o Professor Filipe mostrou-se á altura.
Exercícios

Ficha de trabalho nº.1

Exercício 1 - Na escola, os alunos do primeiro ano do ensino médio foram divididos em


grupos de 4 integrantes e submetidos a provas de matemática. Os grupos que
alcançassem a média maior do que 9 ganhariam ingressos para uma sessão de cinema.
Se Pedro tirou 7, Ana 9, Maria 8,5 e Luana 10, os quatro ganharão ou não os ingressos?

9+7+ 8,5+10
x=
24

34,5
x=
4

x=8,63 Média

Exercício 2 - Uma ginasta olímpica recebeu uma nota de cada um dos três
jurados após sua apresentação. Qual será a média final da sua pontuação?
Jurado 1= 885
Jurado 2 = 857
Jurado 3 = 902

885+857+ 902
x=
3

885+857+ 902
x=
23

2644
x=
3

x=881,33 Média

Exercício 3 – Notas de Matemática e de Português

A tabela seguinte diz respeito às notas obtidas por alguns alunos da turma da Joana, às
disciplinas de Matemática e de Português.
Alunos Notas de Notas de Português
Matemática
a) Determine a média
das notas de
José 10 11 Matemática e
Português. Apresente
Marta 13 14 os cálculos que
efetuar.

Joana 12 10
Notas de matemática
Notas de português
Maria 16 13

Pedro 11 14
11+14+ 10+13+14
x=
5

10+13+12+16+11 62
x= x=
5 5

62
x= x=¿ 12,5 Media
5

x=12,5 Média

Exercício 4 - A despesa no Euro milhões


O Sr. Joaquim, durante um ano apostou as seguintes quantias no “Euro milhões”:

35 € 10 € 45 € 20 € 25 € 15 €
10 € 30 € 40 € 4€ 12 € 45 €

a) Quanto gastou o Sr. Joaquim por mês em média?

35+10+10+20+ 45+ 40+ 20+4 +25+12+15+ 45


x=
12 ¿
¿
290
X=
12

X =24,16 Media

Exercício 5 - Ao acaso foram selecionadas 30 famílias.


O número de filhos das famílias é o seguinte:

1 3 1 2 2 0 5 3 4 0
2 2 5 2 3 1 3 0 2 3
0 1 0 0 1 1 2 2 2 6

Determine a média

1+2+3+2+1+1+5+2+2+2+3+1+1+1+5+3+2+3+ 2+ 4+ 2+ 2+ 3+6
x=
30
59
x=
30
x=1,97 Média

Designação UFCD: Cálculo financeiro e atuarial


Código UFCD: U13 0580
Formador: Antero Ribeiro
Carga Horária: 50 Horas
Inicio: 3/06/2020 a 13/07/2020

Reflexão

Neste modulo falamos sobre taxas indexantes taxas proporcionais taxa


nominais taxas líquidas, juros, descontos comerciais e descontos bancários,
Juros conceitos gerais

Tempo, capital e juro, Juro e taxa de juro Desconto e taxa de desconto, Valor
atual e valor acumulado Regimes de equivalência, Juro simples

Fórmula geral e derivadas

Juro composto
Fórmula geral e derivadas

Capitalização e atualização, Equivalência de capitais, Operações financeiras de


curto prazo

Desconto de letras

Reforma de letras

Outras operações

Este módulo foi muito bom; aprendi bastante este formador

Exercícios
U13 - Calculo Financeiro e Actuarial

teste de avaliação de conhecimentos 07/07/2020

Determinar o juro produzido por um capital de 150.000€ com uma taxa 1 -


anual de 6% por um período de 6 anos nas seguintes situações;

a) Regime de juros simples, capitalização anual;

b) Regime de juros composto , capitalização anual

2- Considere um emprestimo de 150,000 € a amortizar em 5


prestações anuais constantes e postecipadas, compostas por
amortização e juro , à taxa anual de 6%

Elabore o quadro de amortização relativo a este


emprestimo

Sabemdo que P5 0,06 = 35.609,46€

3- O clube Futebol Elvense emitiu um emprestimo obrigacionista


com as seguintes caracteristicas e condições:

- Numero de obrigações e mitidas e subscritas:


10.000
- Valor nominal : 50 euros

Resolução

TESTE DE
AVALIAÇÃO U13 Ana Dos Santos (1).xlsx

Designação UFCD: Recursos humanos – processamento de vencimentos


Código UFCD: U14 0678
Carga horária: 25 horas
Formador: José Gonçalves
Inicio: 13/02/2020 a 19/02/2020
Reflexão

Aprendemos neste módulo a diferença entre Retribuição e Remuneração e


tudo oque está relacionado com as mesmas. A lei refere-se por diversas vezes
à remuneração base, no entanto não ma ofereceu definição sobre o que é.
Todos os trabalhadores têm uma noção sobre o que é remuneração base: a
remuneração base é a quantidade paga ao trabalhador pela entidade patronal,
por este colocar à disposição desta última a sua força de trabalho. Esta
retribuição pode ser certa, variável e mista conforme diz o Art.º 252 do Código
do Trabalho. Não se consideram retribuições às ajudas de custo, abonos de
viagem, despesas de transporte abonos de instalação, dividas ao trabalhador
por deslocação, as gratificações ou prestações extraordinárias concedidas pelo
empregador como recompensa ou prémio dos bons resultados obtidos pela
empresa, também não são consideradas remunerações o abono de falhas na
parte em que não exceda 5% da retribuição base. São consideradas
retribuições, o vencimento base, subsídio de alimentação superior a 6,41%,
prémio de produtividade regular sem fundamentação, comissões,
diuturnidades, subsídios de turno, isenção do horário de trabalho

O professor José Gonçalves tem bastante conhecimento sobre os temas.

Gostei muito.

Designação UFCD: Aplicações informáticas e Gestão de pessoal


Código UFCD: U16 0616
Carga horária: 25 horas
Formador: José Gonçalves
Inicio: 26/02/2020 a 09/03/2020

Reflexão
Aplicações informáticas.

As aplicações informáticas e as organizações

as possibilidades das aplicações informáticas

Aplicação informática

Apresentação do software

Aplicação de gestão de pessoal

O professor José Gonçalves apresentou os temas com bastante simplicidade e


bastante conhecimento sobre os temas

Gostei deste modulo e da maneira que o professor José Gonçalves

Designação UFCD: Sistemas de normalização contabilística


Código UFCD: U17 6214
Carga horária: 25 horas
Formador: Antero Ribeiro
Inicio: 26/02/2020 a 09/03/2020

Reflexão

Para atingir estes objetivos anteriormente referidos, aprendi o que é o IAS,


(CNC) o seu principal objetivo é emitir normas e estabelecer procedimentos
contabilísticos que estejam em simetria com as normas comunitárias e
internacionais. Normas Contabilísticas e de Relato Financeiro (NCRF), normas
esclarecedoras. Aprendemos vários conceitos tais como: harmonização,
convergência, normalização, justo valor, património, elementos patrimoniais,
inventário, capital próprio. Realizei vários exercícios para aprender a classificar
direitos, bens e obrigações, os elementos patrimoniais em ativos e passivos,
correntes e não correntes, Ativo - Passivo = Situação Líquida, elaborei o
balanço e o inventário.

No Código de contas, foi onde aprendemos a identificar as contas,


trabalhamos com as contas 1- Caixa, 2 - clientes, 3 - compras, 4 -
investimentos, 5- capital, 6 -CMVMC, 7 -vendas.

O professor Antero Ribeiro apresentou os temas com bastante conhecimento.

Exercícios

1. Quais as entidades que estão sujeitas ao SNC – Sistema de Normalização


Contabilística.
Os Municípios
Entidades sem fins lucrativos
Cooperativas
Empresas Públicas
Sociedades abrangidas pelo código soc. Comercial
Est. Individuais de Resp. limitada
Emp. Ind. Reg. Pelo código comercial

2. Quais as demonstrações financeiras que as entidades sujeitas ao SNC


são obrigadas a apresentar.

Balanço – demonstração de resultados – demonstração das alterações no


Capital Próprio – Demonstração de fluxos de caixa – notas e outras
demonstrações (anexos ao BDR)

3. Enuncie o Objectivo de 3(três) NCRF’s à sua escolha.

NCRF 1 ‐ Estrutura e Conteúdo das Demonstrações Financeiras,


= Prescrever as bases quanto à estrutura e conteúdo do balanço, da
demonstração de resultados, da demonstração das alterações no capital
próprio e do anexo.

NCRF 11 ‐ Propriedades de Investimento


= Prescrever o tratamento contabilístico de propriedades de investimento e
respetivos requisitos de divulgação.

NCRF 17 ‐ Agricultura
=Prescrever o tratamento contabilístico, a apresentação e divulgação da
atividade agrícola.

Designação UFCD: Código de Contas – Normas Contabilísticas


Código UFCD: U18 6215
Carga horária: 50 horas
Formador: Sr. Antero Ribeiro
Inicio:17/08/2020 a 15/09/2020

Reflexão
Análise das Normas Contabilísticas:
Normas Contabilísticas e de Relato Financeiro (NCRF)
Norma Contabilística e de Relato Financeiro para Pequenas Entidades (NCRF-
PE) Normas Interpretativas (NI) Código das contas (CC):
Meios Financeiros Líquidos Contas a Receber e a Pagar
Inventários e Ativos Biológicos Investimentos Capital, Reservas e Resultados
Transitados Gastos Rendimentos Resultados Lançamentos contabilísticos:
Debitar e Creditar Operações com as contas

Neste módulo aprendi bastante e o Professor Antero demonstrou uma grande


paciência e conhecimento sobre a matéria.

Deixo aqui um em Excel um dos trabalhos que compilamos neste módulo.

Exercício
1. Indique se são verdadeiras ou falsas as seguintes afirmações: (5 valores)

Verdadeir Falso
o

1.1. Uma dívida a pagar é uma Obrigação

1.2. Uma Viatura é um direito

1.3. Um empréstimo Obtido é um direito

1.4. Uma dívida a receber é um bem

1.5. Uma divida a pagar é um direito

1.6. Um empréstimo concedido é uma obrigação


Verdadeir Falso
o

1.7. A mercadoria em Armazém é um bem

1.8. O capital Próprio resulta de Activo +


Passivo

1.9. O valor do Património liquido resulta de:


Bem, Direitos e obrigações

1.10 O Activo é constituído por Bens e Direitos

2. No dia 30 de Novembro de 2019, o património da Sociedade Pratica e


Teórica, Lda. era constituído pelos seguintes elementos Patrimoniais. (5
valores)

PRETENDE-SE:

a) O preenchimento do quadro anterior

b) A Valorização do património da sociedade, naquela data


3. No dia 10 de Outubro de 2011 o património da empresa XYZ, Lda. era
constituído por: (10 valores)

Durante o mês ocorreram as seguintes operações:

Dia 11 – Venda de Mercadorias a pronto pagamento, por 3.000€, que lhe


tinham custado 1.800€

Dia 18 - Depósito no Banco Y, no valor de 1.000€

Dia 30 - Transferência Bancária para amortizar o empréstimo bancário, no


montante de 1.500€.

PRETENDE-SE:

a ) O valor do Capital Próprio da empresa em 10 de Outubro de 20011

b ) O registo das operações nas conta do razão

c ) Elaboração do novo Balanço a 30 de Outubro de 2011

Resolução

TESTE AVALIAÇÃO
Ana santos.xlsx
Designação UFCD: Modelos de demonstrações financeiras
Código UFCD: U19 6216
Carga horária: 50 horas
Formador: Antero Ribeiro
Inicio:15/09/2020 a 28/09/2020

Reflexão
Neste modulo falamos:
Modelos de Demonstrações Financeiras (MDF) Balanço
Demonstração dos resultados por natureza
Demonstração dos resultados por funções
Demonstração das alterações no capital próprio
Demonstração dos fluxos de caixa – método direto
Demonstração dos fluxos de caixa – método indireto Anexo

Exercícios

1. Dia 3 - Aquisição a crédito de 1 Viatura Comercial, no valor de 15.000€


ao fornecedor Carros & Carros, Lda pago através de cheque nº 1265
s/BTT

2. Dia 5 – Prestação de serviços de organização de vários colóquios e


eventos a uma rede de Hotéis pelo Valor de 50.000,00€ tendo-se
recebido 50% a pronto pagamento.

3. Dia 6 – Apos negociação com o BTT foi obtido um financiamento de


35.000€ creditado na nossa conta
4. Quais as características Qualitativas principais das D
5. Enuncie um conjunto completo de dfs
6. Quais as características Qualitativas secundárias das dfs

7. A empresa Elvas em Grande, Lda. Em 1 de Dezembro de 2019 deu inicio


da sua actividade com o objecto social de serviços de Eventos com o
capital social de 25.000€ que depositou no Banco X. pelo que o seu
Balanço inicial seria o seguinte.
Até ao final do ano realizou as seguintes operações:

4. Dia 3 - Aquisição a crédito de 1 Viatura Comercial, no valor de 15.000€


ao fornecedor Carros & Carros, Lda pago através de cheque nº 1265
s/BTT

5. Dia 5 – Prestação de serviços de organização de vários colóquios e


eventos a uma rede de Hotéis pelo Valor de 50.000,00€ tendo-se
recebido 50% a pronto pagamento.

6. Dia 6 – Apos negociação com o BTT foi obtido um financiamento de


35.000€ creditado na nossa conta

7. Dia 8 – Pagamento dos juros antecipados do empréstimo no valor de


1300€ por débito em conta no BTT

8. Dia 20 - Organização de almoço ( marisco e outra iguarias) da turma de


Técnicos de Contabilidade de Elvas tendo-se recebido em dinheiro o
montante de 5.250€.

9. Dia 27 - Pagamento da fatura de EDP no valor de 780€ em dinheiro.

10. Dia 31 - Pagamento dos vencimentos ao pessoal no valor liquido de


5.600€

As taxas de IRC são 12.5% e 21%


A taxa de depreciação da viatura é de 25%

PRETENDE-SE:

a) Os lançamentos no razão

b) Balancetes

c) O Balanço e a D.Resultados

d) Mapa dos Fluxos de Caixa

Resolução

TESTE U19 Ana dos


santos.xlsx
Designação UFCD: Encerramento anual de contas
Código UFCD: U20 0574
Carga horária: 50 horas
Formador: Antero Ribeiro
Inicio: 30/09/2020 a 08/10/2020

Reflexão

Neste modulo aprendemos a continuação da UFCD anterior, uma vez que


trabalhamos nas classificações por contas, contudo contas diferentes e com
objetivos diferentes dos anteriores. Ainda assim utilizámos muitas das
classificações anteriores e as contas também. Foi aqui que tomamos contato
com os documentos contabilísticos à semelhança do contexto de trabalho,
tivemos que os ordena las por data, classifica-los segundo o código de contas
e lançar no razão para a partir daí preenchermos as demonstrações de
resultados. Aprendi também a preencher o Balanço e o Balancete, os saldos
devedores e os credores. Aprendemos a fazer os cálculos e o preenchimento
da Demonstração dos resultados por natureza, bem como as demonstrações
das alterações no Capital Próprio. Como evidência escolhi para colocar no PRA
o teste que realizei na aula, porque tive dificuldade nesta matéria e consegui
um resultado positivo. Estes módulos estão ligados uns aos outros, pois
seguem sempre com conhecimentos anteriormente adquiridos.

Exercícios
EXERCÍCIO COMPLETO.

1. A empresa XPTO, Lda. em 2 de Dezembro de 2019 deu inicio da sua


actividade com o objecto social de comercialização e reparação de
bicicletas com o capital social de 25.000€ que depositou no Banco X. pelo
que o seu Balanço inicial seria o seguinte.

Até ao final do ano realizou as seguintes operações:

11. Compra a crédito de 30 Bicicletas ao fornecedor BikeZone Lda., no valor


de 4.500€ + IVA a taxa de 23%.

12. Aquisição de Equipamento de Oficina – Maquina de Desempenar rodas,


no valor de 1.200,00€ + IVA á taxa de 23%, pago por cheque do Banco
X.

13. Aquisição de 1 computador com sistema informático de Facturação e


controlo de Stock incluído pelo valor de 1.400,00 € + IVA á taxa de 23%
pago através de transferência Bancária

14. Pagamento da renda das Instalações no valor de 500,00€, através de


cheque.

15. Venda de 5 Bicicletas a Pronto Pagamento pelo valor de 1.100,00€ + IVA


á taxa de 23% que lhe tinham custado 750,00€.

16. Compra de peças e acessórios para Bicicletas a p.p. no montante de


750,00 € + IVA á taxa de 23%, pagas em numerário.

17. Compra a 60 dias de 5 Bicicletas Bmx no valor de 500,00€ + IVA á taxa


de 23% .

18. Pagamento do consumo de Agua no montante de 40,00€ + IVA á taxa


de 6%.

19. Venda de 25 Bicicletas a 30 dias ao Cliente Trotineta, Lda. pelo Valor de


6.250,00€ + IVA á taxa de 23%, que lhe tinha custado 3.750,00€

20. Pagamento á BikeZone das Bicicletas adquiridas (1) através de Cheque.

21. Prestação de Serviços efectuada de Manutenção de Bicicletas a p.p.


durante o mês no valor de 4.000,00€ + IVA á taxa de 23%.

22. Compra á BikeZone de 10 Bicicletas a 30 dias no Valor de 1.000,00€.

23. No final do mês processou-se o vencimento do único empregado no


valor bruto de 700,00€ + Subs. Refeição no valor de 121,00€, ao qual se
efectuaram os seguintes descontos.

Segurança Social (Empregado) ---11%


Retenção de IRS --------------------- 2%

24. Pagamento do Vencimento Liquido.

25. Pagamento Seguro no valor de 1.200€ de Dezembro/19 a


Dezembro/2020

PRETENDE-SE:

a ) O registo das operações no razão

b) O apuramento do IVA do Respectivo mês

c) O cálculo das Depreciações do exercício

d ) Apuramento de Resultados do exercício.

e) A elaboração da Demonstração de Resultados em 31 de Dezembro


de 2019.

f) A elaboração do Balanço da empresa em 31 de Dezembro de 2019.


g) Balancetes do razão

h) Mapa do fluxo de caixa

i) Mapa de alteração do capital

j) Relatório de Gestão

l) minuta de ata de aprovação de contas , sendo que a empresa terá


de constituir uma reserva legal no até 10% do capital Social.

Tabela de taxas de depreciação.

Computadores _______ 25%

Equipamento Oficina____10%

A empresa utiliza o sistema de inventário permanente.

Resolução

EXERCICIOS NCRF
24.xlsx

Designação UFCD: Gasto – Rendimentos e Resultados


Código UFCD: U21 6217
Carga horária: 50 horas
Formador: Elisabete Rocha
Inicio: 17/06/2020 a 13/08/2020

Reflexão

Neste modulo aprendemos o Enquadramento da contabilidade de gestão

Natureza e âmbito da contabilidade de gestão Gastos, despesas e


pagamentos, rendimentos, receitas e recebimentos os Tipos de gastos

Formação do gasto dos produtos custo primo, custo industrial ou de produção,


custo comercial ou complexivo, custo económico técnico, custos de
transformação

Margens e resultados

Custos diretos e indiretos

Gastos incorporáveis e gastos não incorporáveis

Custos reais e custos básicos.

Os desvios

Custos variáveis, fixos e semivariáveis

Professora demonstra grandes conhecimentos sobre os mesmos.

Gostei imenso desta matéria

Exercícios

Ficha de Avaliação
Exercício 1

A gestão moderna, não se limita a recordar o passado e a conhecer o presente.


Torna-se necessário também conhecer o futuro, planear a atividade,
estabelecer objetivos, mediante uma prévia seleção entre as diversas
alternativas possíveis.

Ora, o estabelecimento destas opções exige elementos que o fundamentem.


Os dados da contabilidade constituem um importante auxiliar no fornecimento
desses elementos. A Contabilidade é um forte instrumento de gestão.

1.1 – Dê uma definição de Contabilidade de Gestão.

A contabilidade de gestão é uma disciplina com carácter técnico e


especificamente orientada para a determinação analítica dos custos suportados
pela empresa, com a finalidade de fornecer informação aos decisores das
empresas.

Exercício 2

Faça a classificação dos custos dos itens abaixo:


CF – Custos Fixos CV – Custos Variáveis e D - Despesas

Aluguer do prédio da fábrica - custo fixo


Salário do vigilante da fábrica - custo fixo
Seguros da fábrica - custo fixo
Matéria Prima - custo variável
Embalagem - custo fixo
Energia da fábrica - custo fixo
Depreciação dos equipamentos - custos fixos
Horas extras - custo variável
Propaganda e marketing - Despesas
Salários da administração- despesas
Mão de Obra – custo variável
Gastos com vendas - despesa
Gastos com distribuição - despesa
Gastos financeiras - despesa

Exercício 3

Observe os dados abaixo representativos dos custos de uma empresa


industrial (fabrica de calçado):

Matéria Prima 1 900 000,00€- custo variável


Encargos depreciação 10 000,00€ - custo fixo
Material de embalagem 15 000,00€ - custo variável
Aluguer de fábrica 90 000,00€ - custo fixo
Gastos administrativos 120 000,00€
Mão de Obra 1 250 000,00€ - custo variável
Energia elétrica fábrica 55 000,00€ - custo fixo
Gastos financeiros 3 500,00€

Encontre o valor do custo fixo, custo variável e custo total da empresa nesse
período.

CF:10.000,00+90.000,00+55.000,00=155,000,00
Cv:1.900.000,00+15000,00+1.250.000,00=3.165.000,00
Ct:155,000,00+3,165.000,00=3.320.000,00

Exercício 4
Indique se são verdadeiras ou falsas as seguintes afirmações:

Verdadeiro Falso

Um dos objetivos básicos da Contabilidade é a x


representação patrimonial das empresas

Numa ótica de divisão da contabilidade poderemos x


considerar: a contabilidade interna, a contabilidade externa
e a contabilidade intermédia.

A contabilidade de Gestão é também considerada a x


contabilidade externa.

Ao utilizarem os recursos na sua atividade interna a fim de x


produzirem um produto (bem ou serviço) as organizações
suportam despesas.
Verdadeiro Falso

Na determinação do custo da produção a Mão-de-Obra x


Direta faz parte dos Gastos Gerais de Fabrico.

Numa classificação funcional, os custos não industriais x


incluem os gastos administrativos, os gastos comerciais e
os gastos de financiamento

Nas suas relações com o exterior, as organizações x


procedem à aquisição de bens e serviços, pelo que
contraem uma obrigação de pagar determinado valor, isto
é despesa.

O break even point é igual ao número de unidades a vender x


para cobrir os custos fixos, o ponto em que a empresa não
terá lucro nem prejuízo.

As fontes mais importantes das naturezas que integram os x


gastos gerais de fabrico respeitam a: matérias indiretas,
mão-de-obra indireta, energia elétrica, depreciações do
equipamento, etc.

Os gastos que acompanham diretamente e no mesmo x


sentido as variações no volume de produção ou venda têm
o nome de gastos variáveis.

Exercício 5

Complete as seguintes igualdades:

 Custo Primo = c.m.d + cmod


 c.t = MOD + GGF
 Custo Industrial = —mp + —mod+ —ggf
 c.complexivo = Custo Industrial + Custos não industriais
 CIPA = Eipvf + —mp + —mod—— + —ggf - Efpvf
 CIPV = —eipa + CIPA - —efpa

Exercício 6

A empresa Ferreira & Teixeira, Lda. comercializa um único produto.


Dos registos da contabilidade analítica, nos 3 últimos meses, obtiveram-se os
seguintes elementos:

Custos fixos totais – 25 000 €

Custos variáveis unitários - 150€

Preço de venda unitário - 200€

Quantidades vendidas - 500 unidades

Calcule:

 Ponto critico em quantidade

 Ponto critico em valor

 Quantidade:

Qx=cf/(pv-cv) qx=25000/(200-150)

Qx=25000/50

Qx=500

Valor

Vx=pv*qx

Vx=200*500

Vx=100000,00

 Estimativa de resultado.

R=pv*q-cf-cv*q

R= (200*500) -25000-(150*500)

R=100000-25000-75000

R=0

Designação UFCD: Gastos de Produção


Código UFCD: U22 6218
Carga horária: 50 horas
Formador: João Brás
Inicio: 08/07/2020 a 03/08/2020

Reflexão
Neste módulo aprendi mais pormenorizadamente o que são custos de
produção.
Após ter aprendido os conceitos de MP, MOD, GGF, G.A, G.F. foi-me ensinado
a efetuar os cálculos para poder efetuar uma análise financeira de uma
empresa.
Este módulo foi mais interessante.
Aprendi detalhadamente a formação do custo dos produtos, a determinar o
consumo de matérias-primas, Custo primo dos produtos, custos de
transformação dos produtos, CIPA (custo industrial produtos acabados), CIPV
(custo industrial produtos vendidos), custo complexivo, lucro bruto e lucro
líquido.
Esta aula foi espetacular, pois o Professor João Brás tem uma maneira muito
própria onde nós formandos aprendemos sem custo. Quero deixar aqui dois
temas que demos e que adorei.

Fizemos dois trabalhos individuais sobre Abc que é a teoria de Pareto e j.i.t que
é just in time

Trabalho individual
Abc ou teoria de Pareto
O Princípio de Pareto é um esquema que agrupa e organiza a frequência de
determinados acontecimentos dentro de uma empresa. Ele geralmente é feito
em forma de gráfico, mas isso não é uma obrigatoriedade.

É chamada de Regra 80/20 por conta da sua conceção que diz que 80% dos
problemas, de um modo geral, são causados por 20% dos fatores.

Esse método existe para demonstrar às pessoas que é possível direcionar


tempo e esforços, de uma forma organizada, em temas realmente grandes.

O mesmo serve para ações já feitas. Ao contrário de dar horas e horas a fio
com atividades repetidas, é possível ter foco em algumas ações específicas.

Ou seja, serve para tornar o trabalho no dia a dia mais estratégicos,


direcionado àquilo que realmente faz a diferença para criar melhores
resultados.
Um dos nomes desta ferramenta, analise ABC, dá por conta da metodologia
utilizada.

Ocorre a seguinte separação para entender a origem dos 80% dos problemas e
dos 20% sobre a origem dentro dos fatores:

Classe A – a maior importância, valor ou quantidade da análise, o que


corresponde a 20% do total;

Classe B – importância, valor ou quantidade intermediária, o que corresponder


a 30% do total;

Classe C – de menor importância, valor ou quantidade, o que corresponde a


50% do total.

Quando a empresa encontrar dificuldade em fidelizar seus consumidores, é


comum pensar e executas novas estratégias de marketing tanto para manter
quem já está na empresa, como na captação de clientes.

Todavia, a solução pode estar dentro de casa, na correção dos processos – o


que evitará um gasto de dinheiro desnecessário.

Por isso, é comum ver a curva ABC sendo aplicada na identificação dos
melhores clientes, fornecedores e nas falhas ao longo do processo de vendas,
por exemplo.

Depois, ordene dos que mais consomem para os que menos consomem e, a
partir daí, crie segmentações para atrair essa persona.
Trabalho individual

Just in time

Just in time surgiu no Japão em meios da década de 70, a sua ideia básica e
seu desenvolvimento creditados à Toyota Motor Company, a qual procurava
um sistema de administração que pudesse organizar a produção com o pedido
específico de diferentes modelos e cores de veículos com o mínimo atraso.

O Just in time é muito mais do que uma técnica ou um conjunto de técnicas de


administração da produção, sendo considerado como uma completa “filosofia”,
a qual inclui aspetos de administração de materiais, gestão da qualidade,
arranjo físico, projeto do produto, organização do trabalho e gestão de recursos
humanos.

Algumas expressões são geralmente usadas para traduzir aspetos da filosofia


Just in Time:

eliminação de estoques;
eliminação de desperdícios;

manufatura de fluxo contínuo,

esforço contínuo na resolução de problemas;

melhoria contínua dos processos.

O sistema JIT pode ser definido como um sistema de manufatura cujo objetivo
é otimizar os processos e procedimentos através da redução contínua de
desperdícios. Os desperdícios atacados podem ser de várias formas:

desperdício de transporte;

desperdício de superprodução;

desperdício de material esperando no processo;

desperdício de estoques.

As metas colocadas pelo Just in time em relação aos vários problemas de


produção são:

 zero defeitos;
 tempo zero de preparação (Setup);
 estoque zero;
 movimentação zero;
 quebra zero;
 Lead Time zero;
 lote unitário (uma peça).

Sistema Just in time não se adapta perfeitamente à produção de muitos


produtos diferentes, pois em geral isto requer extrema flexibilidade de faixa do
sistema produtivo em dimensões que não são conseguidas com filosofia JIT.

Consequentemente, deve ser dada destaque ao projeto adequado de


manufatura e ao projeto adequado à montagem, de modo a permitir que os
setores produtivos tenham um foco definido, sem, entretanto, restringir demais
variedade de produtos oferecidos ao mercado.
dessa forma, podem-se montar pequenas linhas de produção (células), de
modo a tornar o processo mais eficiente, reduzir a movimentação e o tempo
gasto com a preparação da máquina.

As vantagens do sistema de administração da produção Just in Time podem


ser mostradas através da análise de sua contribuição aos principais critérios
competitivos:

Custos: Dados os preços já pagos pelos equipamentos, materiais e mão de


obra, o Just in time busca que os custos de cada um destes fatores seja
reduzido ao essencialmente necessário. As características do sistema Just in
time, o planeamento e a responsabilidade dos encarregados da produção pelo
refinamento do processo produtivo, favorecem a redução de desperdícios.
Existe também uma grande redução dos tempos de setup, interno e externo,
além da redução dos tempos de movimentação, dentro e fora da empresa.

Desvantagem

 Pouca variedade de produtos oferecidos;


 A grande procura dos produtos com entrega em curto prazo (no ato da
compra);
 Algumas vezes o fato de não ter estoque pode atrapalhar em momentos
de interrupção de produção, por isso a procura pelos produtos deve ser
estável.

Designação UFCD: 0584 – Sistemas de Custeio


Código UFCD: U23
Formador: Antero Ribeiro
Carga Horária: 25 Horas
Inicio: 29/07/2020 a 17/08/2020

Reflexão

Neste módulo aprendemos a calcular os diversos tipos de custeio,


nomeadamente o sistema de custeio total, o sistema de quotas teóricas, o
sistema e custeio variável e o sistema de custeio racional. Aprendemos as
diferenças entre eles e as fórmulas contabilísticas utilizadas para o cálculo dos
mesmos. Foi uma UFCD relativamente fácil e na qual não tive muita dificuldade
em compreender.

Exercícios

Da contabilidade Analítica da Empresa S. Mateus SA, recolheram-se os


seguintes elementos relativos a um determinado período.

Pretende-se:
1 – Demostração de resultados pelos sistemas de custeio total e
variável para o período.
2 – Explicação da diferença de resultados obtidos pelos dois sistemas.

Resolução

RISCADO TESTE (1)


ana dos santos.xlsx
Designação UFCD: Métodos e técnicas de análise económicas e
financeiras.
Código UFCD: U24 0619
Formador: João Brás
Carga Horária: 50 Horas
Inicio: 03/08/2020 A 16/0972020

Reflexão

Aprendemos que a função financeira engloba a gestão financeira e a análise


financeira. A análise financeira é a recolha de informações a fornecer ao gestor
financeiro, visa o estudo passado e presente da empresa para determinar a
provável evolução da empresa. Para saber se a empresa é lucrativa, como é
obtido os lucros, comparação com o ano anterior, se está endividada, que
investimentos foram realizados; para saber estes dados, temos analisar o
balanço, demonstração de fluxos de caixa as demonstrações financeiras e
seus anexos, entre outros com vista a caraterização da situação económica e
financeira e da sua evolução ao longo de certo período de tempo A análise dos
rácios é uma das técnicas de análise financeira, permite reduzir toda a
informação relevante constante num complexo conjunto de informações
financeiras, a um conjunto limitado de indicadores económico-financeiros.
Gostei deste módulo assim como o desempenho do Professor João Brás

Também vou mostrar um dos trabalhos que fiz neste modulo.


Trabalho individual

Rácios

O método dos rácios é o mais importante e mais antigo método para avaliar o
desempenho de uma empresa, este método tem sido utilizado pelos
participantes no mercado financeiro e pelos gestores de empresas por quase
um século, os rácios financeiros têm sido utilizados para fins preditivos, tais
como a previsão do insucesso empresarial, a avaliação do crédito, a avaliação
do risco, e para testar hipóteses económicas. Por definição, um rácio é a
comparação entre duas grandezas que pode ser expressa, quer sob a forma de
quociente, quer sob a forma de percentagem. Para avaliar o desempenho de
uma empresa, os seus rácios são comparados internamente ao longo de um
período, Esta comparação dá uma indicação das mudanças e reflete se o
desempenho financeiro da empresa tem melhorado ou deteriorado, ou se se
manteve o mesmo ao longo desse período de tempo ,Outro método é comparar
os rácios de uma empresa com os de outra empresa do mesmo setor .
comparados com rácios médios da indústria a que esta pertence.

Tipos de rácios

 Rácios financeiros: são aqueles que se relacionam exclusivamente com


aspetos financeiros, tais como, a solvabilidade e autonomia financeira;

 Rácios económicos: pretendem analisar acontecimentos do foro económico,


como por exemplo, a rendibilidade líquida das vendas;

 Rácios económico-financeiros: permitem apreender os aspetos económico-


financeiros, como a rendibilidade dos capitais próprios e a rotação do ativo;

 Rácios de funcionamento: explicam os impactos financeiros da gestão ao


nível do ciclo de exploração, tais como o prazo médio de recebimento e
pagamento;

 Rácios técnicos: retratam aspetos ligados à produção e atividade geral da


empresa, expressando-se normalmente em unidades físicas, ou
comparando unidades económico-financeiras com unidades físicas. São
exemplo deste tipo de rácios, o rendimento do equipamento e a
produtividade da mão-de-obra.

Vantagens da utilização dos rácios

 Torna mais significativa a informação de conjunto proporcionada;

 Facilita comparações, que poderão ter lugar para a mesma empresa ao


longo de um determinado período ou entre diferentes refere que os
rácios são práticos e fáceis de contruir, uma vez que os elementos
necessários ao seu cálculo são relativamente fáceis de obter e as suas
fórmulas de cálculo simples de aplicar. Acrescenta, ainda, que permitem
resumir uma grande quantidade de informação contida nas
demonstrações financeiras, reunindo, deste modo, informações sobre
elementos de gestão.

Deste modo acrescenta algumas limitações do uso desta técnica:

 Os rácios não têm em consideração fatores qualitativos, como a ética, a


motivação, a qualidade dos gestores e a capacidade técnica dos
quadros;

 As demonstrações financeiras podem se afetadas profundamente por


decisões de curto prazo, o que leva alteração dos rácios que lhe estão
inerentes;

 Inexistência de uma definição normalizada, tanto a nível nacional como


internacional, de cada rácio;

 A inflação verificada na economia afeta de formas distintas cada


empresa;

 Um rácio terá sempre de ser analisado no seu contexto, pois o seu valor
a nível individual não diz nada ao analista;

 A análise de rácios baseada em dados publicados e a sua comparação


com a empresa assenta na pesquisa de conhecimentos sobre o
passado, pelo que o analista deverá procurar obter os dados de plano
da respetiva empresa.
Designação UFCD: Auditoria e Controlo Interno
Código UFCD: U25 0622
Formador: Telmo Galveia
Carga Horária: 50 Horas
Inicio: 05/02/2020 a 14/08/2020

Reflexão

aprendemos alguns conceitos tais como: auditoria, controle interno, plano de


auditoria, tipo de auditoria, como é o perfil do auditor e constituída a equipa de
auditores. Auditoria é uma avaliação independente, formal, pormenorizada de
uma determinada empresa ou setor. e eficácia dos sistemas de controlo, a
qualidade do desempenho das áreas em relação às atribuições e aos planos,
metas, objetivos e políticas definidas para as mesmas. Plano de auditoria é um
plano de ação detalhada, deverá incluir todas as informações disponíveis e
necessárias para o trabalho ser realizado, com vista a determinar a extensão e
a profundidade, considerando a legislação. Gostei muito desta matéria, fizemos
vários Trabalhos baseados nestes contextos.

O Professor demonstrou muitos conhecimentos sobre a matéria.

Este módulo foi dado entre aulas presenciais e à distância.


Designação UFCD: Tratamento informatizado de documentos
contabilísticos
Código UFCD: U26 6219
Formador: José Gonçalves
Carga Horária: 50 Horas
Inicio: 09/03/2020 a 19/06/2020

Reflexão

Neste modulo falamos sobre:

Aplicação informática Apresentação do software

Aplicação de contabilidade Simulação da contabilidade de uma empresa

Criação de uma empresa na base de dados da aplicação informática

Classificação dos documentos contabilísticos a introduzir na aplicação

Introdução dos factos contabilísticos simulados

Impressão dos mapas obrigatórios (Balanço, Demonstrações dos resultados,

Anexo, Modelo 22 e IES) Análise da documentação obtida

O Professor José Gonçalves explica muito bem.

Trabalho Individual
Analise de mapas

Mapa 1
É um descrição contendo informações sobre a movimentação e o saldo de
uma conta bancária. É o documento que ajuda a controlar a conta corrente.
Através dele, você pode obter todas as informações sobre as movimentações
ocorridas em sua conta bancária num determinado período

Um extrato bancário tem sempre uma data início e uma data final para o
relatório de movimentação de conta corrente. Se este período corresponder ao
início e fim de um mês, o saldo inicial deve ser igual ao saldo final do mês
anterior.

Mapa 2
Um balancete geral é um ferramenta financeiro que se utiliza para ver a lista
do total dos débitos e dos créditos das contas, junto com o saldo de cada uma
delas seja devedor ou credor. Desta forma, permite criar um resumo principal
de um estado financeiro.
O balancete também é um relatório que pode ser mensal, quinzenal e até
diário, a depender das necessidades de uma empresa.
Este documento pode ajudar uma empresa a evitar erros tal de crédito quanto
de débito.

Designação UFCD: Recursos Humanos – Relatório único


Código UFCD: U27 6736
Formador: Antero Ribeiro
Carga Horária: 25 Horas
Inicio: 08/10/2020 a 14/10/2020

Reflexão

Preencher e analisar o relatório único, dando cumprimento às obrigações legai
s Conteúdos Relatório Único
Anexo A – Quadro de pessoal/reportado ao mês de outubro
Anexo B – Fluxo de entrada ou saída de trabalhadores
Anexo C – Relatório anual da formação contínua
Anexo D – Relatório anual da atividade do serviço de segurança e saúde no tra
balho Anexo E – Greves Anexo F – Informação sobre prestadores de serviço

A entrega é efetuada exclusivamente por via eletrónica. Não é possível a


entrega em formato de papel. Se forem criados novos anexos ao relatório
único, estes só entram em vigor ao fim de dois anos. A responsabilidade de
entregar relatório único cabe ao empregador. Os trabalhadores independentes
e as entidades sem fins lucrativos só estarão obrigados à entrega do relatório
se tiverem trabalhadores ao seu serviço.

Módulo muito positivo e aprendi bastante sobre estes temas.

Teste de avaliação
1. Para o correto preenchimento do Relatório Único devem ser
considerados todas as unidades locais (estabelecimentos) de uma
entidade. Qual o conceito de unidade local?

Unidade local
 normalmente designada por estabelecimento, é a entidade ou parte de
(fabrica, oficina, mina, armazém, loja ect…) situada num local
topograficamente reconhecido, onde se exercem atividades económicas
para as quais ou varias pessoas trabalham , por conta de uma mesma
entidade.

2. Se uma entidade exercer mais do que uma atividade, qual o CAE que se
deve inscrever? Indique os critérios passiveis de serem utilizados.

CAE

 Uma empresa pode ter varias atividades e por consequência


vários CAE, no entanto deve sempre considerar a atividade
principal , que é aquela que representa a maior importância no
conjuntos de todas a as atividades exercidas.
Critérios

 Valor acrescentado bruto (VAB)


 O maior volume de negócios (VN)
 O que ocupa, com caracter de permanência o maior de número
de pessoas ao serviço

3. Os trabalhadores independentes são obrigados a enviar o Relatório


Único? Justifique a sua resposta.

 Todas as entidades que tenham empregados, inclusive os


trabalhadores independentes, mas só se como independentes tiver
empregados a seu cargo , caso contrario não.
4. Dos trabalhadores em seguida indicados quais devem ser considerados e não
considerados, para determinar o total de pessoas ao serviço em 31 de outubro:
 a) Trabalhadores temporariamente ausentes, por motivo de férias;
 b) Trabalhadores em regime de licença sem vencimento;
 c) Trabalhadores ausentes por doença cuja baixa seja superior a um mês;
 d) Trabalhadores deslocados para outra empresa, sendo nessa
diretamente remunerado;
 e) Os sócios-gerentes e familiares que trabalham na data de referência.

Incluir
 Os trabalhadores temporariamente ausentes nas datas de referência, por
férias, maternidade, conflito de trabalho, formação profissional, doença e
acidente de trabalho de duração igual ou inferior a um mês;
 Os sócios-gerentes, cooperantes e familiares que trabalham nas datas de
referência.

Excluir
 Os trabalhadores a cumprir o serviço militar, em regime de licença sem
vencimento, em desempenho de funções públicas (ex.: vereadores,
deputados);
 Os trabalhadores ausentes por doença e/ou acidente de trabalho cuja
baixa seja superior a um mês;
 Os trabalhadores com vínculo à empresa deslocados para outras
empresas, sendo nessas diretamente remunerados.

5. A que corresponde o “potencial máximo anual de horas trabalháveis” (durante


um ano)?

 Deve ser considerado o número total de horas que teoricamente a


empresa laboraria ao longo do ano.

 Para o seu cálculo deve ser considerado o somatório do produto do


número de trabalhadores em cada dia útil vezes o período normal de
trabalho diário, vezes o número de dias úteis do ano (excluindo os dias
de férias e feriados)
6. Qual o procedimento a adotar para o cálculo do “Número médio de pessoas
durante o ano”?

 Para o seu cálculo deve ser considerado ela divisão do somatório do


produto do número de trabalhadores em cada dia útil vezes o período
normal de trabalho diário, vezes o número de dias úteis do ano (excluindo
os dias de férias e feriados)

7. A “mobilidade interna” (entre estabelecimentos) deve ser considerada para o


fluxo de entrada e saída de trabalhadores?

 Não porque internamente entre os vários estabelecimentos os


trabalhadores não mudam de entidade empregadora.

8. Refira algumas das modalidades possíveis de adoção, para a organização dos


serviços de segurança e saúde numa entidade.

Segurança
- Serviço interno (departamento higiene segurança no trabalho)
- Serviço externo (Empresas especializadas)

Saúde
- Serviço interno (departamento medico)
- Serviço externo (Empresas especializadas ou delegada saúde da área)

9. Em que circunstâncias uma abstenção da prestação de serviço, pode ser


considerada uma greve?

 Considera-se greve a abstenção concertada da prestação de trabalho por


parte de um grupo de trabalhadores, tendo em vista a defesa ou
promoção de determinados interesses.
10. Refira, de forma sucinta e em termos genéricos, os principais objetivos e
conteúdos do Relatório Único, bem como a importância da informação
disponibilizada neste documento.

O relatório anual integra os seguintes anexos:

 Anexo A – Quadro de Pessoal;


 Anexo B – Fluxo de Entrada e Saída de Trabalhadores;
 Anexo C – Relatório Anual da Formação Contínua
 Anexo D – Relatório Anual da Atividade do Serviço de Segurança e Saúde no
trabalho;
 Anexo E – Greves;
 Anexo F – Informação sobre Prestadores de Serviços

O principal objetivo do Relatório Único é que as informações nele contidas


sejam desenvolvidas de modo a que periodicamente, se disponha de
informação mais completa sobre cada uma delas.
Designação UFCD: Ideias e oportunidades de negócio
Código UFCD: U33 7853
Formador: Rui Alvarrão
Carga Horária: 50Horas
Inicio: 15/01/2020 a 5/02/2020

Reflexão

Neste modulo falamos sobre Identificar os desafios e problemas como


oportunidades.

Identificar ideias de criação de pequenos negócios, reconhecendo as


necessidades do público-alvo e do mercado.

Descrever, analisar e avaliar uma ideia de negócio capaz de satisfazer


necessidades.

Identificar e aplicar as diferentes formas de recolha de informação necessária à


criação e orientação de um negócio.

Reconhecer a viabilidade de uma proposta de negócio, identificando os


diferentes fatores de sucesso e insucesso.

Reconhecer as características de um negócio e as atividades inerentes à sua


prossecução.

Identificar os financiamentos, apoios e incentivos ao desenvolvimento de um


negócio, em função da sua natureza e plano operacional.

O professor explica bem.


Designação UFCD: Sistema segurança social
Código UFCD: U15 8534
Formador: Antero Ribeiro
Carga Horária: 25 Horas
Inicio: 15/10/2020 a 20/10/2020

Reflexão

Neste módulo abordámos o conceito de Segurança social, assim como todos


os aspetos que lhe são inerentes. Falámos do direito à segurança social assim
como os princípios básicos da mesma, do regime geral contributivo e do regime
geral de trabalhadores por conta de outrem. Neste sentido falámos ainda dos
trabalhadores Independentes, entre outros tipos de trabalhadores que também
se vinculam ao sistema de segurança social, abordando assim as diferenças
para cada um deles em relação aos procedimentos e intervenções, mais
concretamente direitos e deveres para com a segurança social e desta para
com os mesmos. Verificámos e analisámos formulários e documentos
referentes aos assuntos acima referidos, abordámos as isenções, as
contribuições assim como a incidência das mesmas e as taxas aplicadas a
cada um dos casos.
Exercícios

Ficha de trabalho nº 1

1. O que é a Segurança Social

A seguridade social pode ser definida como qualquer programa de proteção


social estabelecido pela legislação, ou qualquer outro arranjo obrigatório, que
proporcione aos indivíduos um grau de segurança de renda diante das
contingências de velhice, sobrevivência, incapacidade, incapacidade,
desemprego ou criação de filhos. Pode também oferecer acesso a cuidados
médicos curativos ou preventivos.

2. Quais são os objetivos prioritários do Sistema da Segurança


Social? Garantir a concretização do direito à Segurança Social

Promover a melhoria sustentada das condições e dos níveis de proteção social


e o reforço da respetiva equidade

Promover a eficácia do sistema e a eficiência da sua gestão.

3. Diga o que é o princípio da igualdade do sistema da segurança


Social?
Princípio da igualdade: consiste na não discriminação dos beneficiários,
designadamente em razão do sexo e da nacionalidade, sem prejuízo,
quanto a esta, de condições de residência e de reciprocidade.

4. Diga o que é o princípio da solidariedade do sistema da segurança


Social?
Princípio da solidariedade: consiste na responsabilidade colectiva das
pessoas entre si na realização das finalidades do sistema e envolve o
concurso do Estado no seu financiamento, nos termos definidos pela Lei
n.º 4/2007, de 16 de janeiro.

5. Diga o que é o princípio da unidade do sistema da segurança


Social?
Princípio da unidade: pressupõe uma atuação articulada dos diferentes
sistemas, subsistemas e regimes de Segurança Social no sentido da sua
harmonização e complementaridade.

6. Quem é abrangido pelo regime geral de segurança social dos


trabalhadores por conta de outrem?
 Membros de órgãos estatutários de pessoas coletivas sem fins
lucrativos que não recebam pelo exercício da respetiva atividade
qualquer tipo de remuneração
 Sócios que, nos termos do pacto social, detenham a qualidade de
gerentes, mas não exerçam de facto essa atividade, nem aufiram a
correspondente remuneração
 Trabalhadores por conta de outrem eleitos, nomeados ou
designados para cargos de gestão nas entidades a cujo quadro
pertencem, cujo contrato de trabalho, na data em que iniciaram as
funções de gestão, tenha sido celebrado há pelo menos 1 ano e
tenha determinado inscrição obrigatória em regime de proteção
social
 Sócios gerentes de sociedades constituídas exclusivamente por
profissionais incluídos na mesma rubrica da lista anexa ao Código
do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares e cujo fim
social seja o exercício daquela profissão

7. Quais as obrigações perante a segurança social?


Comunicar a alteração de elementos de identificação da empresa
Comunicar a admissão de novos trabalhadores Comunicar a cessação e
suspensão do contrato de trabalho Entregar uma declaração aos
trabalhadores Entregar a Declaração de Remunerações O que acontece
se não entregar a Declaração de Remunerações Pagar as contribuições
Quando pagar O que acontece se não pagar

8. Qual a proteção social garantida aos trabalhadores em geral.


Artigo 3.º-A
Trabalhadores bancários a integrar
no regime geral de segurança social
1 – Os trabalhadores bancários no ativo, inscritos na Caixa de Abono de
Família dos Empregados Bancários e abrangidos por regime de segurança
social substitutivo constante de instrumento de regulamentação coletiva de
trabalho vigente no setor bancário são integrados no regime geral de
segurança social dos trabalhadores por conta de outrem para efeitos de
proteção na parentalidade, no âmbito das eventualidades de maternidade,
paternidade e adoção e na velhice.
2 – Os trabalhadores referidos no número anterior mantêm a proteção do
regime de segurança social dos trabalhadores por conta de outrem nas
eventualidades de doença profissional e desemprego.
3 – A taxa contributiva é de 26,6%, cabendo 23,6% à entidade empregadora e
3% ao trabalhador, sem prejuízo do disposto no número seguinte.
4 – No caso de entidades sem fins lucrativos a taxa contributiva é de 25,4%,
cabendo 22,4% à entidade empregadora e 3% ao trabalhador.

9. Qual o objeto da relação jurídica de vinculação?


1 - A relação jurídica de vinculação é a ligação estabelecida entre as
pessoas singulares ou coletivas e o sistema previdencial de segurança
social.
2 - A vinculação ao sistema previdencial de segurança social efetiva-se
através da inscrição na instituição de segurança social competente.
3 - A inscrição pressupõe a identificação do interessado no sistema de
segurança social através de um número de identificação na segurança
social (NISS).

Relatório FCT

Você também pode gostar