Você está na página 1de 10

FONTES

Aula
ARQUEOLÓGICAS [12.04.2021]
PEDRO PAULO FUNARI

Prof. Elizeu Nascimento


OS HISTORIADORES E AS FONTES
ARQUEOLÓGICAS – AS ORIGENS
 A História surgiu, com esse nome, entre os gregos
antigos.
 A História, como estudo do passado, deriva, [...],
de uma busca da compreensão do presente.
 A História, como relato do passado, tinha, [...], um
caráter ético, no sentido de que impulsionava os
homens a girem em certa direção.
A ARQUEOLOGIA COMO DISCIPLINA
HISTÓRICA E SUAS FONTES
 A Arqueologia deriva, ela própria, da História,
tendo surgido como uma maneira de se
disponibilizar as fontes escritas sobre o passado e
de complementar as informações existentes com
evidências materiais sem escrita.
 Fonte é uma metáfora.
 Há um grau de subjetividade inevitável às escolhas.
FONTES EPIGRÁFICAS E ARTEFATOS

 Da imensa quantidade de material arqueológico que


começou a vir à luz no século XIX, aquele que mais
atenção mereceu por muitas décadas e ainda
continua a ser particularmente valorizado são as
inscrições.
 A variedade de informações que surgiram
transformaram de forma radical o próprio conceito
de fonte histórica.
COMO USAR
AS FERRAMENTAS INTERPRETATIVAS E
AS INFORMAÇÕES PRÉVIAS
 É necessário buscar ferramentas interpretativas.
 Sem modelos interpretativos, corremos o risco de
pensar que estamos, diretamente e sem mediação,
‘descobrindo’ o que aconteceu, o mundo tal como
ele é.
 O historiador deve promiscuir-se com as teorias
sociais.
 A evidência não constitui conhecimento histórico
disponível e pronto.
FONTES ARQUEOLÓGICAS E FONTES
ESCRITAS
 Nos casos em que o historiador conta com escritos
que se referem, direta ou indiretamente, a uma
sociedade sem escrita, o estudo desses textos aliado
à análise dos indícios materiais encontrados será
fundamental.
 Mesmo nas sociedades que utilizam a escrita,
mantêm-se largos contingentes populacionais à
margem das letras e podemos dizer que, em grande
parte da história, os iletrados constituem maiorias
ausentes das fontes escritas que apenas as
descrevem distante e negativamente.
AS FONTES ARQUEOLÓGICAS E O
ESTUDO DOS CONFLITOS
 Muitas outras pesquisas têm produzido fontes
arqueológicas únicas para a História, mesmo
quando abundam documentos escritos.
 As fontes arqueológicas podem fornecer indícios de
conflitos e resistência, em geral subestimados pela
literatura produzida pelos letrados.
 A questão do prisma normativo.
COMO SE APROFUNDAR NO ESTUDO
DAS FONTES ARQUEOLÓGICAS
 Guia das leituras.
 Livros de apoio didático de História,
 Enciclopédias.
 Revistas.
 Internet.
 Escavações arqueológicas.
CONDIÇÕES DE ACESSO

 Condições de acesso.
 Relatório de escavação.
 Catálogo de peças.
 Tornar-se apto a compreender o que lê.
 O estudioso que estiver interessado nas fontes
arqueológicas deve fichá-las como fontes,
separando as interpretações da documentação
primária.
 Sobre as fichas de artefatos.
REFERÊNCIA

 PINSKY, Carla Bassanezi. (Org.). Fontes históricas. 3.


ed.; 4ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2019. [p.
81-110].

Você também pode gostar