Você está na página 1de 4

Transplante

1. O que é, e como funciona o transplante ?

O transplante é um procedimento cirúrgico que consiste na transferência de um tecido,


fluido corporal ou órgão de um indivíduo saudável para um indivíduo que apresenta
problema com uma certa parte do corpo.

2. Compatibilidade

Para que ocorra esse procedimento cirúrgico, é necessário uma série de exames para
saber se há compatibilidade genética entre doador e receptor. Para que os transplantes
ocorram da melhor maneira possível são aplicadas algumas “regras biológicas”, assim
sendo necessário que doadores e receptores possuam características genéticas
semelhantes:
● Nos transplantes de órgãos sólidos, como coração, pulmão, rim, pâncreas e fígado é
necessário que ambos os envolvidos tenham a mesma tipagem sanguínea (A, B, O,
AB) e também uma compatibilidade HLA.
● Os transplantes de medula podem ser realizados sem que o doador e o receptor
apresentem o mesmo tipo sanguíneo, pois são transplantadas as células-tronco que
fabricam o sangue. Assim, se os tipos forem distintos, o receptor irá aos poucos
trocar a tipagem dos glóbulos vermelhos para o tipo do doador. A compatibilidade
necessária nos transplantes de é a HLA (Human Leukocyte Antigen).

2.1 Compatibilidade HLA

O HLA é um grupo de moléculas presentes no nosso código genético que participam


ativamente no processo de reconhecimento, pelo sistema imunológico. A compatibilidade
desse grupo de moléculas entre doador e receptor “engana” o sistema imunológico
facilitando a aceitação do órgão transplantado e evitando o ataque e ação deletéria.
Cada pessoa tem vários tipos de HLA, sendo as mais importantes em um transplante o
HLA-A, HLA-B, HLA-C, HLA-DR e HLA-DQ. Para saber quais HLA´s cada indivíduo
apresenta é necessário alguns exames que são feitos por laboratórios especializados em
uma amostra de sangue simples.

Herdamos nossa tipagem HLA metade do pai e metade da mãe, por isso maior
compatibilidade de HLA acontece entre irmãos, assim, cada irmão tem 25% de chance de
ter herdado a mesma tipagem HLA de seus pais.

3. Rejeição pelo organismos

A grande complexidade dos transplantes é encontrar esta compatibilidade entre doador e


receptor. Mesmo com um procedimento bem executado e com o uso dos medicamentos
imunossupressores, que ajudam a adequar o sistema imunológico contra o ataque a esse
corpo estranho, podem ocorrer rejeições por parte do receptor, pois o sistema não
reconhece o transplante e produz anticorpos para expulsar o corpo “estranho” do
organismo.

4. Lei de Transplantes

No Brasil, existem leis para que os transplante ocorram de maneira legal. Caso o doador já
tenha falecido, a legislação em vigor determina que a família será a responsável pela
decisão final e mesmo que o doador tenha registrado em documento oficial a vontade de
doar órgãos após seu falecimento, a família pode recusar a vontade do ente, decidindo por
não consentir o transplante. Já para doadores vivos, é necessário que sejam maiores de
idade e possuam condições mentais e jurídicas de decidir pela doação. Caso o doador
vivo não seja um familiar, é exigida autorização judicial prévia.

5. Seja um doador voluntário

“O ministério da saúde, o Brasil é referência mundial na área de transplantes e


possui o maior sistema público de transplantes do mundo. Atualmente, cerca de 96%
dos procedimentos de todo o País são financiados pelo Sistema Único de Saúde
(SUS). Em números absolutos, o Brasil é o 2º maior transplantador do mundo, atrás
apenas dos EUA. Os pacientes recebem assistência integral e gratuita, incluindo
exames preparatórios, cirurgia, acompanhamento e medicamentos pós-transplante,
pela rede pública de saúde.” diz o ministério da saúde. Ainda assim, encontrar um doador
compatível é muito difícil, portanto voluntariar-se é um grande gesto que pode salvar vidas.

Referências

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/142transplante_de_orgaos.html

https://www.adote.org.br/seja-um-doador

https://antigo.saude.gov.br/saude-de-a-z/doacao-de-orgaos/

https://www.revistas.usp.br/rdisan/article/view/169670

https://www.biometrix.com.br/histocompatibilidade-o-que-e/

https://ameo.org.br/compatibilidade-hla/

https://www.dbmolecular.com.br/artigo/transplante-orgaos-genetica

Você também pode gostar