Você está na página 1de 2

EMEF VEREADOR MARTIM ARANHA

Atividades Remotas da Disciplina de Filosofia

Professor(a): Diogo Lindner Turma: C 22

PERIODO: 01/07 até 21/07/21 Carga Horária: 4 horas/aula


ALUNO (A): .........................................................................................................
Origem da Linguagem
Olá pessoal. Nas semanas que passaram, trabalhamos um pouco com a inteligência humana e
sua comparação com outros animais e, com isso, também vimos a questão da cultura e da
linguagem. Vimos também a diferença entre língua e linguagem. Esta semana também veremos
algo sobre as teorias com relação à origem de nossa linguagem. Vimos que os outros animais já
nascem sabendo se comunicar, que as suas formas de comunicação são transmitidas
geneticamente e não precisam ser aprendidas e, por isso têm algumas limitações. Mas, e a nossa
linguagem? Ela é natural ou é criada? Ou é “os dois”? Sobre isso, leia com atenção o texto.
Origem da Linguagem
A linguagem é natural ou é uma convenção social? Depois de muita reflexão, chegou-se à
conclusão de que, enquanto capacidade de expressão dos seres humanos, ela é natural, ou seja,
nascemos capacitados física, anatômica, neurológica e cerebralmente para a palavra, para falar.
As línguas, porém, são convencionais (são criadas pro nós): elas surgem de condições históricas,
geográficas, anatômicas e políticas, elas são culturais. Uma vez criada, ela passa a funcionar
como algo natural, pois ela possui leis e princípios próprios, que não dependem dos sujeitos que
falam.
Respondendo à pergunta inicial, a linguagem tem uma característica engraçada: embora o ser
humano tenha a capacidade para falar, a língua que falamos (lembre da diferença entre língua e
linguagem, hein?) não é natural, ela é criada! Podemos comprovar isso com o seguinte exercício
mental: imagine que uma criança brasileira, ao nascer, foi adotada por pais japoneses. Ela
nasceu no Brasil, onde falamos a língua portuguesa, mas certamente ela não irá falar português,
ela irá falar japonês, já que tem pais japoneses e foi criada naquele país, onde essa é a língua
falada, não acham? Isso mostra que nascemos com a capacidade para falar, mas não
nascemos com a capacidade de falar português, temos que aprender a falar português (ou
japonês, ou inglês, etc).
Então, vista por esse aspecto, a linguagem é algo convencional, algo criado por nós, e
aprendido de maneira cultural, na cultura na qual estamos inseridos! Mas, uma vez criada
ou aprendida, a língua passa a funcionar de maneira natural, já que ela tem princípios de
funcionamento e regras que não dependem das pessoas que falam. Além disso, após isso,
não precisamos “pensar” no que estamos falando, isso ocorre de maneira natural.
Teorias sobre a origem da linguagem:
 A origem da linguagem é onomatopéica: ou seja, ela seria uma imitação dos sons da
natureza. Os primeiros humanos começaram a imitar os sons da natureza e, aos poucos,
foram evoluindo e criando as palavras.
 A origem da linguagem é pantomímica: ou seja, ela surge dos gestos. Os primeiros
humanos faziam gestos e apontavam para as coisas, fazendo uma espécie de mímica para
explicar o seu significado. Pouco a pouco, eles começam a acrescentar sons a essa
mímica, e esses sons viram as palavras.
 A linguagem surge do trabalho rítmico coletivo. Os primeiros homens, enquanto
trabalhavam, criavam sons para sincronizar o seu esforço e trabalhar de forma mais
eficiente. Aos poucos esses sons se tornaram palavras.
 A linguagem nasce da necessidade: o ser humano, para se abrigar, se proteger, se
alimentar, cria as palavras. Era uma maneira de eles se ajudarem, avisarem aos outros
dos perigos e de onde havia comida e abrigo, e para combinarem estratégias de caça, de
defesa e de trabalho. Inicialmente ela formava um vocabulário rudimentar, simples, que vai
se tornando mais complexo até se transformar em uma língua.
 A linguagem nasce das emoções, em especial das que geram grito, choro, riso, etc.
Nenhuma dessas teorias exclui a outra. A linguagem pode ter surgido de acordo com duas ou
mais dessas teorias, talvez até com um pouco de todas. Todas essas teorias procuram
demonstrar a importância da linguagem no desenvolvimento do conhecimento e da cultura. Além
disso, por meio delas é possível ver as relações entre linguagem, pensamento e conhecimento.
O ser humano é um animal que fala. Afirmar que ele é um animal social não o diferencia, por si
só, de outros animais que também vivem em sociedade. Fundamentalmente o que nos diferencia
é baseado na linguagem.
Segundo uma experiência, realizada com humanos e macacos, crianças e macacos foram
criados juntos e da mesma maneira por pais humanos. Dos 9 aos 18 meses, crianças e macacos
responderam de maneira igual aos mesmos testes. Depois dessa idade, os macacos
estacionaram, continuaram respondendo aos testes do mesmo jeito que respondiam antes,
enquanto que as crianças continuaram evoluindo, respondendo cada vez de maneira mais
inteligente. As crianças aprenderam a falar, os macacos não. As crianças entraram no mundo
humano, enquanto os macacos permaneceram como animais.
Responda às seguintes questões:

1) De acordo com o que vimos no texto, responda com suas palavras qual é a importância da
linguagem para os seres humanos e porque ela nos diferencia dos outros animais.

2) Você acha que a linguagem é algo natural ou que é “inventada”? Ou é os dois? Justifique sua
resposta.

Você também pode gostar