Você está na página 1de 5

EVENTOS

CANCELAMENTO &

ADIAMENTO
Estado de calamidade
Em 20/03/20 foi reconhecido pelo decreto n° 6 o estado
de calamidade pública vigente até 31/12/20, devido a
pandemia do Coronavírus (Covid-19).

Em dezembro de 2020, o Supremo Tribunal Federal (STF)


prorrogou o estado de calamidade apenas no que diz
respeito as medidas sanitárias para a prevenção do
Covid-19 e autorizou os estados a continuarem a adotar
medidas emergenciais.

Desta forma, todas as leis, medidas e decretos criados


com fundamento no Decreto n° 6 do estado de
calamidade, por exemplo a Lei 14.046/20 (lei de eventos),
se não foram prorrogados especificamente pelo governo
federal, perderam a sua eficácia.

Assim, em 2021 irá valer o contrato


entre fornecedor e consumidor!!

Conforme a Lei 9.610/98, é proibida a reprodução total e parcial ou divulgação comercial sem autorização prévia e expressa.
EVENTOS LIBERADOS
PARCIAL OU TOTAL
Em caso de cancelamento:
Desconta os atos executados e despesas;
Reembolsa o restante;
Poderá ser aplicado as multas contratuais.
Em caso de adiamento:
Poderá ser cobrado o reequilíbrio contratual
financeiro.

EVENTOS PROIBIDOS
Em caso de cancelamento:
Desconta os atos executados e despesas;
Reembolsa o restante;
Não pode aplicar as multas contratuais.

Em caso de adiamento:
Poderá ser cobrado o reequilíbrio contratual
financeiro.

A forma de pagamento e devolução deverá ser


acordado entre as partes.
Reequilíbrio contratual
financeiro
Primeiramente, não confunda reequilíbrio com
penalidade e lucro, pois ele tem a função apenas de
equilibrar as relações contratuais.

O Reequilíbrio é a reorganização dos custos, devendo ser


aplicado o percentual conforme a base de custo de cada
fornecedor, seja por base fixa (tabela de preço anual) ou
pela variação dos insumos (flores, alimentos, drinks,...) e
a sazonalidade (modificação do horário, mês do evento,
dia da semana, ...).

LEMBRETE: Mesmo não havendo cláusula no contrato, o


reequilíbrio está previsto em um conjunto de artigos,
sendo eles: 478 do Código Civil; 6°, V do Código de
Defesa do Consumidor; 2° da Lei 10.192/01 (Lei do Plano
Real); e 65, I, ‘d’ e § 1° da lei 8.666/93 (Lei de Licitações).

Conforme a Lei 9.610/98, é proibida a reprodução total e parcial ou divulgação comercial sem autorização prévia e expressa.
Rayane Maciel Oliveira Consiglio

Advogada

E-mail: rayanemacieladvocacia@gmail.com

insta: @advrayanemaciel