Você está na página 1de 38

Sumário

Fisiologia renal

Lesão renal

Dietoterapia

Caso clínico
Ministrado por Larissa Fonseca
Nutricionista graduada pela UFF
Pós-graduanda em Nutrição em Nefrologia
Pós-graduanda em Nefrologia Multiprofissional
Nutricionista no Ambulatório de Nutrição Renal da UFF
Aorta
Glândula
supra renal
Rim
Veia renal
Artéria renal

Anatomia Veia cava inferior


do Sistema Ureter
Urinário Artéria ilíaca
Veia ilíaca

Bexiga
Córtex renal

Cálices renais

Artéria Medula renal


Veia
Anatomia
Renal Vasos
sanguíneos
Pelve renal
Glomérulo
Túbulo contorcido Túbulo contorcido
proximal distal

Cápsula de Bowman

Anatomia
do Néfron

Unidade
funcional Capilares
peritubulares
Túbulo/Ducto
coletor

Alça de Henle
Funções Filtração sanguínea Síntese de carnitina Balanço ácido-básico
dos rins

Excreção de produtos finais do metabolismo (ureia, creatinina, ácido úrico)

Conservação de substâncias Manutenção do volume


( glicose e proteínas) extracelular (água e Na)

Produção de hormônios e enzimas Manutenção da composição


(EPO, Vitamina D, renina) iônica (K, Na, Cl, Mg, Ca, P)

Regulação da PA: sistema renina - angiotensina - aldosterona

Degradação e catabolismo de hormônios (insulina,


glucagon, hormônio do crescimento) e medicamentos
Funções
dos rins

Função renal geral


=
Somatório das funções
individuais dos néfrons
Formação
Altamente seletiva:
da Urina
Reabsorção passiva de água
Íons (Na, Mg, K, Cl e Ca)
Aminoácidos e glicose

• Túbulo • Túbulo
• Glomérulos contorcido Reabsorção contorcido
Filtração
Glomerular • Cápsula de Reabsorção proximal Secreção distal
Bowman • Alça de Excreção • Túbulo/Ducto
Henle coletor

Água
Barreira seletiva: Íons (H+, Na, K, bicarbonato)
PERMITIDO: água e pequenas Sítio de ação dos hormônios:
moléculas/solutos
Aldosterona
PROIBIDO: proteínas e grandes
Peptídeo natriurético atrial
moléculas
ADH (hormônio antidiurético)
RIM
e
VITAMINA D
EFEITOS PLEIOTRÓPICOS DA VITAMINA D
1. SISTEMA IMUNE: ativação de linfócitos T e B
2. APOPTOSE de células tumorais
3. PRESSÃO ARTERIAL: ↓ atividade da renina e angiotensina II
4. SISTEMA CARDIOVASCULAR: ↓ hipertrofia do ventrículo esquerdo
5. METABOLISMO DA GLICOSE: ↑ secreção de insulina

RIM
e Status Valores de 25(OH)D (ng/mL)
VITAMINA D Suficiência >30
Insuficiência 21 – 29
Deficiência <20

Causas de HIPOVITAMINOSE D
Deficiência de 1α-hidroxilase
Deficiência de substrato 25 (OH)D
Quais destas podem ser consideradas
funções desenvolvidas pelos rins?
a) Excreção de produtos finais do metabolismo
b) Regulação da Vitamina D
c) Regulação da pressão arterial
d) Manutenção do estado ácido-básico
e) Maturação de eritrócitos
Ministrado por Marcia Ribeiro
Nutricionista graduada pela UFF
Mestranda em Ciências da Nutrição
Pós-graduanda em Nutrição e Nefrologia
Pesquisadora no Grupo de Pesquisa em Nutrição Renal
Nutricionista no Ambulatório de Nutrição Renal da UFF
Nutricionista no Projeto Social Nutrir o Amanhã
Hipertensão Arterial(HAS)

Diabetes Mellitus (DM)

Glomerolunefrite

Doença renal policística

Lesão Lúpus Eritematoso


Perda das
Sistêmico
Renal inicial Funções
renais
Nefrotoxicidade HIV
Malformações AINEs
Obesidade
HAS

Espessura arteriolar Pressão

do lúmen intraglomerular

HAS e DM:
principais Isquemia
causas

Glomerulosclerose

Lesão renal inicial


DM - hiperglicemia

Proteínas glicadas nos Hiperfiltração


glomérulos = Fator de
crescimento TGF-beta Hipertrofia renal

HAS e DM:
principais
causas
Glomerulosclerose

Lesão renal inicial


Obesidade: fator de risco independente

Nat. Rev. Nephrol, 2014


REFORÇANDO

Lesão renal inicial


↓ número de néfrons funcionantes

Alterações estruturais e funcionais dos nefros remanescentes

Hipertensão intraglomerular, hiperfiltração e hipertrofia glomerular

Modificações na permeabilidade da membrana glomerular à


proteína = PROTEINÚRIA
Proteína trafegando nos túbulos: são estranhas aos túbulos →
formação de EROS, citocinas, TNF-α, fatores de crescimento...

Alterações morfológicas e funcionais

Doença Renal Crônica (DRC) estabelecida


Doença Renal
Crônica (DRC) -
Perda
progressiva e
irreversível das
funções renais

Tratamentos
A) Estágio 1 a 4 – Tratamento Conservador
B) Estágios 5 – Diálise (HD ou DP)
C) Transplante
Nat. Rev. Nephrol, 2014
ANEMIA (Normocítica e normocromica)
devido principalmente a deficiência de EPO

ACIDOSE METABÓLICA
Devido a perda urinária de bicarbonato e capacidade de tamponamento de H+ deficiente

DESEQUILÍBRIO NO METABOLISMO DA VITAMINA D


Comprometimento
devido a deficiência de 1-‐α-‐hidroxilase
das
Funções renais
HIPERPARATIREIODISMO SECUNDÁRIO
devido a hipocalcemia e intenso estímulo ao PTH

DEGRADAÇÃO PREJUDICADA DE HORMÔNIOS, CITOCINAS E MEDICAMENTOS


↑ Meia vida de medicamentos = Acúmulo de citocinas
= inflamação e Estresse oxidativo → LESÃO ENDOTELIAL E DCV
Dados subjetivos:
A) Alteração na micção: polaciúria, nictúria, disúria, IC, RU.
B) Alteração no volume: poliúria, oligúria, anúria.
C) Alterações na cor: turva, amarelada forte, avermelhada
D) Alterações nas características da urina= espuma (proteinúria)
E) Dor renal
F) Edema
Provas
de
função renal Dados objetivos:
A) Hálito: flora oral hidrolisa a ureia (↑saliva) → amônia!!
B) Pele: Palidez e tom amarelo, prurido (hiperfosfatemia e complexos insolúveis com
Ca depositados no tecido subcutâneo) e deposição de cristais de ureia na face.
C) Pressão Arterial
D) Exame clínico: Palpação (cistos) e Ausculta (Estenose da artéria renal)
E) Exame de imagem (Presença de cistos, cálculos e dilatações)
F) Urinálise (cor, densidade, PH, proteinúria, glicosúria, cetonúria, nitrito...)
G) Avaliação da Função Glomerular
eGFR = 141 x min (S Cr / κ, 1) α x max (S Cr / κ, 1) -1,209 x 0,993 Idade x 1,018 [se mulher] x 1,159 [se negro]

AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO RENAL

Clearance de creatinina: boa


correlação com a FG estimada pela
inulina; determinação sérica simples e
barata.

Fórmulas: Creatinina plasmática e


urinária (Fórmula de
Cockroft-‐Gault e MDRD)

Fórmula Indicada pela NKF


(National Kidney Foundation):
CKD EPi (creatinina plasmática)

National Kidney Foundation, disponível em: https://www.kidney.org


Ministrado por Isis Barboza
Nutricionista graduada pela Universidade Federal Fluminense
Mestranda em Ciências Cardiovasculares
Pós graduanda em Nefrologia Multiprofissional
Pós graduanda em Nutrição na Obstetrícia, Pediatria e Adolescência
Pesquisadora no Grupo de Pesquisa em Nutrição Renal
Nutricionista clínica da Clínica de Doenças Renais/CDR – Niterói, RJ
Avaliação
Nutricional

Métodos Subjetivos
• História Clínica
• ASG

R24H
Alterações
nutricionais

• Desnutrição;

• Obesidade;

• Edema, peso seco;

• Hipercalemia;

• Hiperfosfatemia;

• Balanço mineral (hiperparatireoidismo secundário).


Minerais

Potássio Fósforo
Valor Sérico: < 5,5mg/L Valor Sérico: < 2,5 e 4,5mg/dL
Processo de cocção das Quelantes de Fósforo
frutas e hortaliças reduz Necessários!
60% a concentração de K
Minerais
Planejamento
Dietético

Energia Carboidrato

35 Kcal/Kg/dia 55 a 65% do VET


Para obesos ou pessoas > 60 anos - 30Kcal/Kg/dia Evitar ingestão de CHO simples e integrais
Para pacientes com desnutrição > 35Kcal/Kg/dia Estimular consumo de fibras

Proteína Lipídio
TFG (mL/min) Proteína (g/Kg peso ideal/dia) 30 a 35% do VET
> 60 0,8 a 1,0 Saturados - < 10%
60 - 25 0,6 Mono (oliva e canola) -) 10 a 15%
< 25 0,6 Poli (soja, milho e girassol - 10%
DM 0,8
Nutrição nas
Doenças
Renais

Alimentação
influenciando diretamente
nos rins

Cai Q, et al. Nutrients, 2020; Kramer H. Am J Kidney Dis, 2017.


Ciência nas
Doenças
Renais

Alimentação
influenciando diretamente
nos rins
Ciência nas
Doenças
Renais

Alimentação
influenciando diretamente
nos rins
Para finalizar
Nutrição
Preventiva

Evitar ocorrência
dessas doenças

Dia Mundial do Rim 2020:


aspectos preventivos, dentre
eles a alimentação saudável.

World Kidney Day, 2020. Disponível em: https://www.worldkidneyday.org/2020-campaign/2020-wkd-theme/


Caso clínico
Caso
clínico

• Paciente PLM, sexo masculino, branco, 67 anos, estatura de 1,72m,


peso atual de 96kg. Apresenta HAS e DM. Renda mensal de 1 salário
mínimo.
• Exames bioquímicos:
Glicose= 100 (<100) Hemoglobina= 9,5 (10,5-12) Colesterol Total= 200 (<190)
Hbglicada= 5,6 (<7) Hematócrito= 29,1% (35-48%) Triglicerídeos= 96 (<150)
Ac.Urico= 6,7 (7) Ferritina= 524,5 LDL/HDL= 70 / 30 (<70/>40)
Cr= 3,71 (0,6-1,2) P= 5,3 (2,7-4,6) Vit. D= 44 (>30)
Ureia= 158 (<50) k= 6,2 (<5,5) PTH= 334,5 (70-100)
Caso
clínico
Prescrição
• Dieta normocalórica (30kcal/kg), hipoproteica (0,8g/kg/dia),
normoglicídica (55%), normolipídica (30%);
• VET: 2880kcal/dia;
• Micronutrientes adequados às recomendações;
• Ingestão hídrica 2-3L/dia.
Caso
clínico Orientações
• Respeitar os horários das refeições;
Aveia
• Não permanecer longos períodos sem se alimentar;
• Reduzir o consumo de sal/sódio;
• Aumentar a ingestão de água; Potássio
• Praticar exercício físico; Anemia
• Consumir FLV diariamente;
• Não comer carambola NUNCA;
• Usar fontes naturais de vitamina C; Embutidos

• Evitar nozes, castanhas, amêndoas e amendoim;


Industrializados
• Respeitar a recomendação de proteínas da dieta!
• ...
@nefronutris

Isis Barboza - @isisbarboz


Larissa Fonseca - @nutrilarissafonseca
Marcia Ribeiro - @marciaf.ribeiro

Obrigada!